Localização em Redes Móveis Celulares. Ivo Sousa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Localização em Redes Móveis Celulares. Ivo Sousa"

Transcrição

1 Localização em Redes Móveis Celulares Ivo Sousa Novembro de 28

2 1. Motivação e objectivos do trabalho Grande vulgarização dos telemóveis desde os anos noventa Aumento do número de chamadas de emergência utilizando este suporte Localização dependente do interlocutor e dificuldade em identificar chamadas falsas A Federal Communications Commission (FCC) impôs limites para o erro de localização associado às chamadas de emergência (1996) A União Europeia exigiu aos operadores a localização das chamadas de emergência mas sem impor limites (23) Navegação Aumento da qualidade na localização Aparecimento de serviços de valor acrescentado: Location-Based Services (LBS) Informação de trânsito Gestão de frotas Localização de crianças, hotéis, restaurantes, farmácias, etc. Localização em Redes Móveis Celulares 2

3 1. Motivação e objectivos do trabalho (2) Objectivos Estudar Avaliar Desenvolver Métodos de localização para redes móveis celulares em ambientes exteriores Custos de implementação reduzidos Evitem adição de hardware na rede Não exijam modificações nos terminais existentes Localização em Redes Móveis Celulares 3

4 2. Métodos de localização Caracterização dos métodos de localização Precisão Distância entre a posição estimada e a real Tempo de resposta Impacto na rede Impacto nos terminais Intervalo de tempo entre o pedido de localização e a recepção da respectiva resposta Modificações que são necessárias efectuar na rede e/ou nos terminais Entidade responsável pelo cálculo do posicionamento Baseado na rede Baseado no terminal Limites da FCC Baseado na rede Baseado no terminal 1 m (67%) 5 m (67%) 3 m (95%) 15 m (95%) Localização em Redes Móveis Celulares 4

5 2. Métodos de localização (2) Método Cell-ID Princípio funcionamento Identificação da célula servidora Desvantagens Erro de localização elevado E-OTD / OTDoA Trilateração hiperbólica com medidas de tempo no terminal Novo hardware na rede Modificação no terminal U-TDoA Trilateração hiperbólica com medidas de tempo na rede Novo hardware na rede A-GPS Sistema GPS Receptores GPS nos terminais Novo hardware na rede Localização em Redes Móveis Celulares 5

6 2. Métodos de localização (3) Métodos baseados na potência do sinal recebido Posicionamento efectuado comparando medidas de potência feitas pelo terminal com Base de dados de medidas reais Valores gerados com modelos de propagação Impacto nulo nos terminais se forem utilizados os Network Measurements Reports (NMR) Evita adição de hardware na rede Cumpre objectivos desejados! Localização em Redes Móveis Celulares 6

7 3. Estrutura do simulador Urbano Ambientes de teste Suburbano Rural Axial Tipos de mobilidade Pedestre Veicular Tipos de rede GSM UMTS (FDD) 9 MHz 18 MHz Inter-frequência Intra-frequência Periodicidade dos NMRs 48 ms 2 ms Localização em Redes Móveis Celulares 7

8 3. Estrutura do simulador (2) Ambiente urbano Base dos edifícios Largura das ruas Altura dos edifícios Altura das estações base Altura do terminal (pedestre) Altura do terminal (veicular) 2 2 m 3 m 15 m 14 m 1.7 m 1. m Velocidade média terminal pedestre Velocidade média terminal veicular 3 km/h 45 km/h Modelos de propagação Modelo propagação em espaço livre (linha de vista) Modelo de Berg (difracção esquinas) Modelo COST 231 Walfisch-Ikegami (difracção topo) Área de movimento + Desvanecimento Lento (em db) : N (, σ 2 ) (σ = 1 db) Localização em Redes Móveis Celulares 8

9 3. Estrutura do simulador (3) Ambiente suburbano Distância entre centros dos edifícios Largura das ruas Altura dos edifícios Altura das estações base Altura do terminal (pedestre) Altura do terminal (veicular) 3 m 15 m 15 m 17 m 1.7 m 1. m Velocidade média terminal pedestre Velocidade média terminal veicular 3 km/h 8 km/h Modelo de propagação Modelo COST 231 Walfisch-Ikegami Área de movimento + Desvanecimento Lento (em db) : N (, σ 2 ) (σ = 1 db) Localização em Redes Móveis Celulares 9

10 3. Estrutura do simulador (4) Ambiente rural Ambiente axial Área de movimento Área de movimento Velocidade média terminal pedestre 3 km/h Velocidade média terminal pedestre 3 km/h Velocidade média terminal veicular 8 km/h Velocidade média terminal veicular 12 km/h Altura das estações base Altura do terminal (pedestre) Altura do terminal (veicular) 3 m 1.7 m 1. m Modelo de propagação Modelo Okumura-Hata + Desvanecimento Lento (em db) : N (, σ 2 ) (σ = 1 db) Localização em Redes Móveis Celulares 1

11 4. Selecção da área de procura Estrutura de dados de apoio à localização Identificação das estações base Atenuação média sofrida pelo sinal de cada estação base identificada Peso atribuído a cada estação identificada (número de vezes identificada) Área de procura no ambiente urbano d max [km] = 1 p ( L min [db] + σ ) 1 ( f[mhz] ) log 2 L p min : atenuação média medida do sinal da estação base servidora f : frequência da portadora σ : desvio padrão do desvanecimento lento Secções 4 m 3 m ruas 3 m 3 m cruzamentos Localização em Redes Móveis Celulares 11

12 4. Selecção da área de procura (2) Área de procura no ambiente suburbano d min : d max : L L m m [db] Lp min [db] 2σ [db] Lp min [db] + 2σ (erro máximo de 1 m) (erro máximo de 5 m) L p min : atenuação média medida do sinal da estação base servidora L m : atenuação dado pelo modelo de propagação σ : desvio padrão do desvanecimento lento L 2σ L L + 2σ p i [db] m i, j [db] p i [db] Secções 1 m direcção radial 157 m direcção angular (máximo) 4 4 = 16 subsecções Localização em Redes Móveis Celulares 12

13 4. Selecção da área de procura (3) Área de procura no ambiente rural d min : d max : L L m m [db] Lp min [db] 2σ [db] Lp min [db] + 2σ (erro máximo de 5 m) (erro máximo de 1 m) Secções 25 m direcção radial 262 m direcção angular (máximo) Área de procura no ambiente axial 6 6 = 36 subsecções d max : L L + σ (erro máximo de 2 m) m [db] p min [db] 2 Secções 25 m 6 subsecções de 5 m Localização em Redes Móveis Celulares 13

14 5. Algoritmos de localização avaliados Posição estimada corresponde às coordenadas geográficas da estação base servidora Multiplicação de probabilidades Em cada secção e com base no sinal proveniente de cada estação identificada nos diferentes NMR: Calcula-se a probabilidade de o terminal se encontrar na posição (x,y) 1 Lpi [db] Lmi [db] x y p( x, y Lpi) = exp 2 2 2πσ 2σ L p i σ : desvio padrão do desvanecimento lento (, ) : atenuação média sofrida pelo sinal da estação base i L m i (x,y) : atenuação dado pelo modelo de propagação para a estação base i e para a posição (x,y) 2 Posição estimada ( Lpi) N max p x, y i = 1 N : número total de estações base identificadas nos diferentes NMR Multiplicam-se as probabilidades obtidas para cada estação base relativas à secção em análise Localização em Redes Móveis Celulares 14

15 5. Algoritmos de localização avaliados (2) Em cada secção e com base no sinal proveniente de cada estação identificada nos diferentes NMR Soma de probabilidades sem pesos Posição estimada Calcula-se a probabilidade de o terminal se encontrar na posição (x,y) 2 ( ) 1 Lpi [db] Lmi [db] x, y p( x, y Lpi) = exp 2 2 2πσ 2σ Somam-se as probabilidades obtidas para cada estação base relativas à secção em análise Soma de probabilidades com pesos Em cada secção e com base no sinal proveniente de cada estação identificada nos diferentes NMR Calcula-se a probabilidade de o terminal se encontrar na posição (x,y) 2 ( ) 1 Lpi [db] Lmi [db] x, y p( x, y Lpi) = exp 2 2 2πσ 2σ Cada probabilidade é multiplicada pelo respectivo peso Somam-se as probabilidades pesadas obtidas para cada estação base relativas à secção em análise ( Lpi) N max p x, y i = 1 max Localização em Redes Móveis Celulares 15 Objectivo: minimizar efeito dos outliers Posição estimada N i = 1 i = 1 (, p i) w p x y L i N w i w i : peso associado à estação base i Dar mais importância às estações base das quais se tem mais informação

16 6. Resultados das simulações Ambiente urbano precisão vs. número de NMRs (GSM 9) % dos casos movimento pedestre 67% dos casos movimento veicular não cumpre requisitos da FCC Precisão melhora quando se utilizam mais NMR consecutivos no movimento pedestre Algoritmo multiplicação de probabilidades deve ser usado quando apenas se tem um NMR Algoritmo soma de probabilidades com pesos é uma boa opção para vários NMR % dos casos movimento pedestre 95% dos casos movimento veicular Localização em Redes Móveis Celulares 16

17 6. Resultados das simulações (2) Ambiente suburbano precisão vs. número de NMRs (GSM 9) % dos casos movimento pedestre 67% dos casos movimento veicular Requisitos da FCC nunca são cumpridos Algoritmo multiplicação de probabilidades deve ser usado quando apenas se tem um NMR Algoritmo soma de probabilidades com pesos é uma excelente opção para vários NMR % dos casos movimento pedestre 95% dos casos movimento veicular Localização em Redes Móveis Celulares 17

18 6. Resultados das simulações (3) 6 Ambiente rural precisão vs. número de NMRs (GSM 9) Requisitos da FCC nunca são cumpridos (pior que suburbano) Algoritmos que usam análise probabilística têm desempenho semelhante % dos casos movimento pedestre 67% dos casos movimento veicular % dos casos movimento pedestre 95% dos casos movimento veicular Localização em Redes Móveis Celulares 18

19 6. Resultados das simulações (4) 4 Ambiente axial precisão vs. número de NMRs (GSM 9) Soma prob. s/ peso Soma prob. c/ peso Soma prob. s/ peso Soma prob. c/ peso Requisitos da FCC nunca são cumpridos Algoritmos que usam análise probabilística têm desempenho semelhante % dos casos movimento pedestre 67% dos casos movimento veicular Soma prob. s/ peso Soma prob. c/ peso Soma prob. s/ peso Soma prob. c/ peso % dos casos movimento pedestre 95% dos casos movimento veicular Localização em Redes Móveis Celulares 19

20 7. Conclusões O desempenho de cada algoritmo é idêntico para todos os tipos de rede estudados A precisão aumenta quando a densidade de estações base é maior O algoritmo soma de probabilidades com pesos é uma excelente alternativa para os ambientes com elevada densidade de estações base (urbano e suburbano) quando se usam vários NMR consecutivos O algoritmo multiplicação de probabilidades apresenta o melhor desempenho quando apenas se utiliza um NMR e também nos ambientes com baixa densidade de estações base (rural e axial) O algoritmo a utilizar deve ter em conta o número de NMR disponíveis e o tipo de movimento do terminal Localização em Redes Móveis Celulares 2

21 7. Conclusões (2) Tipo de serviço Boletim meteorológico Alertas da meteorologia localizados Informação de tráfego (pré-viagem) Notícias locais Informação do trânsito Gestão de frotas Serviços de emergência rurais e suburbanos Serviços de informação (onde está?) Mandato da FCC para chamadas de emergência utilizando os métodos de posicionamento baseados na rede SOS urbanos Publicidade localizada Serviços de onde é o mais próximo?" Guias turísticos Navegação Precisão Serviço possível no ambiente requerida Urbano Suburbano Rural Axial até 2 km até 2 km Até 1 km 5 m a 1 km 1 m (67%) 3 m (95%) m 1 5 m Localização em Redes Móveis Celulares 21

LBS Location Based Services Empresas e Indivíduos. Eng.º Fernando Fortes ( Ford )

LBS Location Based Services Empresas e Indivíduos. Eng.º Fernando Fortes ( Ford ) Mobilidade Uma presença pervasiva no quotidiano das sociedades modernas 21 de Outubro de 2004 Hotel Le Meridien LBS Location Based Services Empresas e Indivíduos Eng.º Fernando Fortes ( Ford ) Patrocínio

Leia mais

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis

Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis Capítulo 2 Sistemas Rádio Móveis 2.1. Histórico e Evolução dos Sistemas Sem Fio A comunicação rádio móvel teve início no final do século XIX [2], quando o cientista alemão H. G. Hertz demonstrou que as

Leia mais

Computação Móvel: Serviços Baseados na Localização de Unidades Móveis (LBS) Mauro Nacif Rocha DPI/UFV

Computação Móvel: Serviços Baseados na Localização de Unidades Móveis (LBS) Mauro Nacif Rocha DPI/UFV Computação Móvel: Serviços Baseados na Localização de Unidades Móveis (LBS) Mauro Nacif Rocha DPI/UFV 1 Conteúdo Introdução O que é um Serviço baseado na Localização (LBS Location-Based Service)? Requisitos

Leia mais

Modelos de cobertura em redes WIFI

Modelos de cobertura em redes WIFI Departamento de Engenharia Electrotécnica Secção de Telecomunicações Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Comunicação sem fios 2005/2006 Grupo: nº e Modelos de cobertura em redes

Leia mais

5 Resultados. 1 Os resultados apresentados foram obtidos com 1 rodada do simulador.

5 Resultados. 1 Os resultados apresentados foram obtidos com 1 rodada do simulador. 5 Resultados A dificuldade em modelar analiticamente o comportamento de sistemas celulares hierarquizados faz com que grande parte dos estudos de desempenho destes sistemas seja baseada em simulações.

Leia mais

Decisão ECC (09)02. Harmonização das faixas 1610-1626,5 MHz e 2483,5-2500 MHz para utilização por sistemas do Serviço Móvel por Satélite

Decisão ECC (09)02. Harmonização das faixas 1610-1626,5 MHz e 2483,5-2500 MHz para utilização por sistemas do Serviço Móvel por Satélite Decisão ECC (09)02 Harmonização das faixas 1610-1626,5 MHz e 2483,5-2500 MHz para utilização por sistemas do Serviço Móvel por Satélite aprovada em 26 de junho de 2009 alterada em 02 de novembro de 2012

Leia mais

Serviço Fixo - Redes de ligações ponto-ponto bidireccionais na faixa de frequências 406-430 MHz Objectivo do pedido

Serviço Fixo - Redes de ligações ponto-ponto bidireccionais na faixa de frequências 406-430 MHz Objectivo do pedido Objectivo do pedido Atribuição de licença de rede Formulário para activação de ligações Formulário para desactivação de ligações Alteração das características das ligações: Formulário para consignação

Leia mais

Posicionamento por Satélite. Tecnologia em Mecanização em Agricultura de Precisão Prof. Esp. Fernando Nicolau Mendonça

Posicionamento por Satélite. Tecnologia em Mecanização em Agricultura de Precisão Prof. Esp. Fernando Nicolau Mendonça Posicionamento por Satélite Tecnologia em Mecanização em Agricultura de Precisão Prof. Esp. Fernando Nicolau Mendonça O Sistema GPS - Características Básicas O sistema GPS é composto por três segmentos:

Leia mais

Modelo de propagação: Qual modelo utilizar? SET 2011

Modelo de propagação: Qual modelo utilizar? SET 2011 Modelo de propagação: Qual modelo utilizar? SET 2011 valderez@adthec.com.br 25.08.2011 Uma analise dos modelos de propagação em função do tipo de recepção, através da predição de cobertura, modelos de

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Satélites Satélite é o elemento comum de interligação das estações terrenas, atuando como estação repetidora. Devido a sua altitude,

Leia mais

exposição à radiação electromagnética

exposição à radiação electromagnética exposição à radiação electromagnética 0 Resumo Radiações e Ondas Electromagnéticas Sistemas de Comunicações Móveis Efeitos das Radiações Electromagnéticas Projecto monit 1 Fontes de Radiação [Fonte: TrainsTowers,

Leia mais

Modelos de cobertura em redes WIFI

Modelos de cobertura em redes WIFI Comunicação sem fios Departamento de Engenharia Electrotécnica Secção de Telecomunicações Mestrado em Fisica 2005/2006 Grupo: nº e Modelos de cobertura em redes WIFI 1 Introdução Nos sistemas de comunicações

Leia mais

6 Cálculo de cobertura de sistemas de TV Digital

6 Cálculo de cobertura de sistemas de TV Digital 6 Cálculo de cobertura de sistemas de TV Digital Neste capítulo, os modelos desenvolvidos serão utilizados para a avaliação da cobertura de sistemas de TV digital na cidade de São Paulo. Partindo dos limiares

Leia mais

CDMA, 3G e Aplicações. Luiz Gustavo Nogara nogara@inf.puc-rio.br

CDMA, 3G e Aplicações. Luiz Gustavo Nogara nogara@inf.puc-rio.br CDMA, 3G e Aplicações Luiz Gustavo Nogara nogara@inf.puc-rio.br Tópicos da apresentação História CDMA Padrões 3G Aplicações História Conceito básico: reuso de frequência 1969 Primeiro sistema celular com

Leia mais

Sincronização. Tempo e Relógios. Sincronização de Relógios - Algoritmo de Cristian - Algoritmo de Berkeley - Network Time Protocol

Sincronização. Tempo e Relógios. Sincronização de Relógios - Algoritmo de Cristian - Algoritmo de Berkeley - Network Time Protocol Sincronização Tempo e Relógios Sincronização de Relógios - Algoritmo de Cristian - Algoritmo de Berkeley - Network Time Protocol 1 O papel do tempo Crucial na ordenação de eventos Tempo Real? - Função

Leia mais

GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global

GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global GPS (Global Positioning System) Sistema de Posicionamento Global 1 Sistema de Posicionamento Global é um sistema de posicionamento por satélite que permite posicionar um corpo que se encontre à superfície

Leia mais

Controlador de pontes rolantes. Sistemas de Inferência Fuzzy - Exemplos. Soluções anteriores (clássicas): Manual. Automáticas:

Controlador de pontes rolantes. Sistemas de Inferência Fuzzy - Exemplos. Soluções anteriores (clássicas): Manual. Automáticas: Controlador de pontes rolantes Pontes rolantes: usadas para carregar e descarregar navios em portos Sistemas de Inferência Fuzzy - Exemplos pegam containers com cabos flexíveis montados na cabeça da ponte

Leia mais

RBMC-IP. Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em Tempo Real. Diretoria de Geociências DGC Coordenação de Geodésia - CGED

RBMC-IP. Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em Tempo Real. Diretoria de Geociências DGC Coordenação de Geodésia - CGED RBMC-IP Rede Brasileira de Monitoramento Contínuo dos Sistemas GNSS em Tempo Real Diretoria de Geociências DGC Coordenação de Geodésia - CGED 06 de Maio de 2009 Sumário Sistema GPS Técnica de Posicionamento

Leia mais

Leica SmartStation Estação total com GPS integrado

Leica SmartStation Estação total com GPS integrado Leica SmartStation Estação total com GPS integrado Leica SmartStation Estação total com GPS integrado Novo e revolucionário sistema topográfico. O primeiro do mundo, TPS e GPS combinados na perfeição.

Leia mais

WiMAX. Miragem ou Realidade? Jorge Rodrigues PT Comunicações Universidade da Beira Interior, 4 de Outubro de 2005. WiMAX

WiMAX. Miragem ou Realidade? Jorge Rodrigues PT Comunicações Universidade da Beira Interior, 4 de Outubro de 2005. WiMAX 1 1 Miragem ou Realidade? Jorge Rodrigues PT Comunicações Universidade da Beira Interior, 4 de Outubro de 2005 2 2 Enquadramento A tecnologia 802.16 / afecta domínios tecnológicos cruciais para os operadores:

Leia mais

Sistemas de. Rádio Móvel Privado. Sistemas de. Comunicações Móveis

Sistemas de. Rádio Móvel Privado. Sistemas de. Comunicações Móveis Rádio Móvel Privado Sistemas e Frequências SiFr (1/11) Existem sistemas de comunicações móveis privados, que são de uso exclusivo dos seus detentores. Os utilizadores são: forças de segurança; serviços

Leia mais

Uso do Espectro em 3,5GHz e Recepção Satélite na Banda C

Uso do Espectro em 3,5GHz e Recepção Satélite na Banda C Uso do Espectro em 3,5GHz e Recepção Satélite na Banda C Agosto de 2012 1 Agenda Testes da Star One A Questão afeta toda a Banda C e não somente a Banda Estendida Tanto a Transmissão Digital quanto a Analógica

Leia mais

Unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Física 1 PRINCIPIOS DE FUNCIONAMENTO DO GPS

Unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. Física 1 PRINCIPIOS DE FUNCIONAMENTO DO GPS Unesp Física 1 UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA UNIDADE DIFERENCIADA - SOROCABA/IPERÓ Veja também os sites: www.fis.puc-rio.br/fis-intr/gps.htm www.gpsglobal.com.br/artigos/ita12ahtml PRINCIPIOS DE FUNCIONAMENTO

Leia mais

SOLUÇÃO DE TELEMETRIA PARA SANEAMENTO

SOLUÇÃO DE TELEMETRIA PARA SANEAMENTO SOLUÇÃO DE TELEMETRIA PARA SANEAMENTO Marcelo Pessoa Engenheiro de soluções para saneamento Introdução As indústrias buscam eficiência, aumento da qualidade e a redução de custos. Para alcançar isto investem

Leia mais

Técnicas de Múltiplo Acesso em Redes sem Fio, LANs, MANs

Técnicas de Múltiplo Acesso em Redes sem Fio, LANs, MANs Técnicas de Múltiplo Acesso em Redes sem Fio, LANs, MANs UERJ-FEN-DETEL Técnicas de Acesso Múltiplo na Comunicação sem Fio Vários esquemas de acesso múltiplo tem sido utilizados para permitir que vários

Leia mais

GT PERSONAL GPS RASTREAMENTO PESSOAL

GT PERSONAL GPS RASTREAMENTO PESSOAL GT PERSONAL GPS RASTREAMENTO PESSOAL Baseados em nossa experiência em aplicações de GPS e Telemetria, e devido às pequenas dimensões (70x40x20 mm) do GT PERSONAL GPS este dispositivo portátil executa o

Leia mais

DISPOSITIVOS / SISTEMAS QUE UTILIZAM TECNOLOGIA DE BANDA ULTRALARGA (UWB)

DISPOSITIVOS / SISTEMAS QUE UTILIZAM TECNOLOGIA DE BANDA ULTRALARGA (UWB) DISPOSITIVOS / SISTEMAS QUE UTILIZAM TECNOLOGIA DE BANDA ULTRALARGA (UWB) Revisto a 30 de janeiro de 2015 A tecnologia UWB permite o desenvolvimento de uma vasta variedade de novos dispositivos de curto

Leia mais

Poupança Energética em 3G através de Alocação Dinâmica de Espectro e modos de suspensão de Estações Base

Poupança Energética em 3G através de Alocação Dinâmica de Espectro e modos de suspensão de Estações Base Poupança Energética em 3G através de Alocação Dinâmica de Espectro e modos de suspensão de Estações Base Tiago Cunha António Rodrigues Pedro Vieira André Martins Nuno Oliveira e Silva Luís Varela Associated

Leia mais

6 Simulação do Canal de TV Digital

6 Simulação do Canal de TV Digital 6 Simulação do Canal de TV Digital 6.1. Simulação com os Programas SIRCIM e SMRSIM O Sistema Brasileiro de TV Digital (SBTVD) irá operar basicamente em duas configurações: - Antena transmissora externa

Leia mais

LOGO FQA. Unidade 1 de FQA Nível 2. GPS e MCU. Satélites e Movimento Circular Uniforme. Marília Peres e Rosa Pais

LOGO FQA. Unidade 1 de FQA Nível 2. GPS e MCU. Satélites e Movimento Circular Uniforme. Marília Peres e Rosa Pais LOGO FQA Unidade 1 de FQA Nível 2 GPS e MCU Satélites e Movimento Circular Uniforme Marília Peres e Rosa Pais Índice 1 GPS - Sistema de Posicionamento Global 2 3 Coordenadas e Relógios Satélites Geoestacionários

Leia mais

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal

Sistema de localização e bloqueio veicular por célula de comunicação Objetivo Principal de comunicação Objetivo Principal Prover uma solução de baixo custo para Identificação, localização, bloqueio e recuperação de veículos roubados ou procurados, através de micro circuitos embarcados de

Leia mais

ÂMBITO DA APLICAÇÃO DOS LOCALIZADOR

ÂMBITO DA APLICAÇÃO DOS LOCALIZADOR ÂMBITO DA APLICAÇÃO DOS LOCALIZADORES GPS BÁSICO E PORTÁTIL DA MERTEL , empresa Angolana de engenharia e prestação de serviços cujo objeto social abrange o rastreamento de veículos e gestão de frotas através

Leia mais

A Influência da Indústria em Meio Urbano. Metodologia de Estudo. Sara Capela, Luísa Carrilho, Carlos Pedro Ferreira RESUMO

A Influência da Indústria em Meio Urbano. Metodologia de Estudo. Sara Capela, Luísa Carrilho, Carlos Pedro Ferreira RESUMO A Influência da Indústria em Meio Urbano Metodologia de Estudo Sara Capela, Luísa Carrilho, Carlos Pedro Ferreira RESUMO A metodologia de avaliação da influência da indústria na qualidade do ar em meio

Leia mais

Sinalização de Emergência Dinâmica

Sinalização de Emergência Dinâmica Sinalização de Emergência Dinâmica Sinalização de Emergência Dinâmica ifloor A solução ifloor permite o desenvolvimento de novas soluções onde a monitorização e controlo de pessoas é fundamental. Através

Leia mais

EDITAL CONCORRÊNCIA 02/2015 ANEXO VI - ESPECIFICAÇÃO DO SISTEMA DE MONITORAMENTO DA FROTA.

EDITAL CONCORRÊNCIA 02/2015 ANEXO VI - ESPECIFICAÇÃO DO SISTEMA DE MONITORAMENTO DA FROTA. EDITAL CONCORRÊNCIA 02/2015 ANEXO VI - ESPECIFICAÇÃO DO SISTEMA DE MONITORAMENTO DA FROTA. 1. Sistema de Monitoramento da Frota O Sistema de Monitoramento da Frota será implantado pela concessionária para

Leia mais

Comunicações a longas distâncias

Comunicações a longas distâncias Comunicações a longas distâncias Ondas sonoras Ondas electromagnéticas - para se propagarem exigem a presença de um meio material; - propagam-se em sólidos, líquidos e gases embora com diferente velocidade;

Leia mais

RELATÓRIO TÉCNICO SOBRE O ESTUDO DO LEITO DE CHEIA NUM TROÇO DO RIO MONDEGO

RELATÓRIO TÉCNICO SOBRE O ESTUDO DO LEITO DE CHEIA NUM TROÇO DO RIO MONDEGO RELATÓRIO TÉCNICO SOBRE O ESTUDO DO LEITO DE CHEIA NUM TROÇO DO RIO MONDEGO Instituto da Água - Direcção de Serviços de Recursos Hídricos Sónia Fernandes, Ana Catarina Mariano, Maria Teresa Álvares, Maria

Leia mais

Introdução aos serviços de localização (LBS) Juan Felipe Rincón Programas de Desenvolvedores e Parceiros NII Holdings (Nextel Internacional)

Introdução aos serviços de localização (LBS) Juan Felipe Rincón Programas de Desenvolvedores e Parceiros NII Holdings (Nextel Internacional) Introdução aos serviços de localização (LBS) Juan Felipe Rincón Programas de Desenvolvedores e Parceiros NII Holdings (Nextel Internacional) Agenda Terminologia A infra-estrutura dos serviços de localização

Leia mais

O Radar Meteorológico

O Radar Meteorológico O Radar Meteorológico Demilson Quintão PY2UEP Bauru, 2014 1 Previsão Meteorológica 1-Climática: indica tendência das estações em escalas regionais, continentais, globais. 2-Previsão Meteorológica comum

Leia mais

- Global Positioning System - - Sistema de Posicionamento Global -

- Global Positioning System - - Sistema de Posicionamento Global - - Global Positioning System - - Sistema de Posicionamento Global - É um sistema de navegação com base em satélites artificiais que emitem, em intervalos de 1 ms, sinais rádio, diferente de satélite para

Leia mais

CI165 Introdução. André Vignatti. 31 de julho de 2014

CI165 Introdução. André Vignatti. 31 de julho de 2014 Introdução 31 de julho de 2014 Antes de mais nada... Os slides de 6 aulas (introdução, insertion sort, mergesort, quicksort, recorrências e limitantes de ordenação) foram originalmente feitos pelos Profs.

Leia mais

O que são satélites? Existem 2 tipos de satélite, são os satélites naturais e satélites artificiais.

O que são satélites? Existem 2 tipos de satélite, são os satélites naturais e satélites artificiais. O que são satélites? Existem 2 tipos de satélite, são os satélites naturais e satélites artificiais. Satélites naturais são: a Lua que gravita em torno da Terra. Satélites artificiais são: dispositivos,

Leia mais

Desempenho de Redes Móveis M 3.5G

Desempenho de Redes Móveis M 3.5G 1 Desempenho de Redes Móveis M 3.5G André Afonso Dias, Ricardo Franco Nuno Cota, António Rodrigues 1.º Seminário do Comité Português da URSI Radiocomunicações Novos paradigmas e impacto na saúde Lisboa,

Leia mais

Escalonamento (Tarefas Esporádicas)

Escalonamento (Tarefas Esporádicas) Universidade Federal do Amazonas Faculdade de Tecnologia Programa de Pós-graduação em Engenharia Elétrica Escalonamento (Tarefas Esporádicas) Lucas Cordeiro lucascordeiro@ufam.edu.br Notas de Aula Baseado

Leia mais

Logística e Gestão da Distribuição

Logística e Gestão da Distribuição Logística e Gestão da Distribuição Depositos e política de localização (Porto, 1995) Luís Manuel Borges Gouveia 1 1 Depositos e politica de localização necessidade de considerar qual o papel dos depositos

Leia mais

Solução de gestão de frota automóvel

Solução de gestão de frota automóvel Solução de gestão de frota automóvel Gisgeo Information Systems www.gisgeo.pt UPTEC Parque de Ciência e Tecnologia R. Actor Ferreira da Silva, 100 gisgeo@gisgeo.pt 4200-298 Porto +351 220301572 Portugal

Leia mais

b) A distância X, em km, entre o receptor R, no avião, e o ponto O.

b) A distância X, em km, entre o receptor R, no avião, e o ponto O. 1. (Fuvest 94) Dois carros, A e B, movem-se no mesmo sentido, em uma estrada reta, com velocidades constantes Va = 100 km/h e Vb = 80 km/h, respectivamente. a) Qual é, em módulo, a velocidade do carro

Leia mais

Arquitetura de Computadores I

Arquitetura de Computadores I Arquitetura de Computadores I Avaliação de desempenho Introdução Edson Moreno edson.moreno@pucrs.br http://www.inf.pucrs.br/~emoreno Adaptado do material de aula de Hennessy e Patterson Desempenho Meça,

Leia mais

Universidade Eduardo Mondlane FACULDADE DE ENGENHARIA Departamento de Engª Mecânica

Universidade Eduardo Mondlane FACULDADE DE ENGENHARIA Departamento de Engª Mecânica Universidade Eduardo Mondlane FACULDADE DE ENGENHARIA Departamento de Engª Mecânica Tema: Dimensionamento de uma instalação combinada de energia solar e eólica Autor: Quintino, Bernardo Supervisor: Dr.

Leia mais

CADEX. Consultoria em Logística Interna. Layout de armazém. Objectivos. Popularidade. Semelhança. Tamanho. Características

CADEX. Consultoria em Logística Interna. Layout de armazém. Objectivos. Popularidade. Semelhança. Tamanho. Características CADEX Consultoria em Logística Interna Layout de armazém fonte: Wikipédia O layout de armazém é a forma como as áreas de armazenagem de um armazém estão organizadas, de forma a utilizar todo o espaço existente

Leia mais

ENLACE DE MICRO-ONDAS RELACIONADO A ATENUAÇÃO DEVIDO À CHUVA

ENLACE DE MICRO-ONDAS RELACIONADO A ATENUAÇÃO DEVIDO À CHUVA ENLACE DE MICRO-ONDAS RELACIONADO A ATENUAÇÃO DEVIDO À CHUVA Caio Matheus Pereira Braga, Diego de Brito Piau, Heitor Ferreira Camargos Silva, Rafael Resende Moraes Dias, Yago Gomes Dos Santos Universidade

Leia mais

Sistemas de redes sem fio são classificadas nas categorias de móveis ou fixas:

Sistemas de redes sem fio são classificadas nas categorias de móveis ou fixas: Redes Sem Fio Sistemas de redes sem fio são classificadas nas categorias de móveis ou fixas: Redes sem fio fixa são extremamente bem adequado para implantar rapidamente uma conexão de banda larga, para

Leia mais

A rede meteorológica é o conjunto dos pontos onde se medem as variáveis de estado da fase

A rede meteorológica é o conjunto dos pontos onde se medem as variáveis de estado da fase O QUE É? A rede meteorológica é o conjunto dos pontos onde se medem as variáveis de estado da fase atmosférica do ciclo hidrológico. Compreende estações udométricas, onde se mede apenas o hidrometeoro

Leia mais

O GPS IKE 1000 oferece velocidade, segurança e verificação. Com este equipamento a carga de trabalho e tempo dispendidos são minimizados devido a:

O GPS IKE 1000 oferece velocidade, segurança e verificação. Com este equipamento a carga de trabalho e tempo dispendidos são minimizados devido a: Os equipamentos IKE 1000 são equipamentos GPS de elevada precisão, robustos, adequados para recolher diferentes tipos de informação no campo, tais como dados geoespaciais com informação alfanumérica associada,

Leia mais

Antena Escrito por André

Antena Escrito por André Antena Escrito por André Antenas A antena é um dispositivo passivo que emite ou recebe energia eletromagnéticas irradiada. Em comunicações radioelétricas é um dispositivo fundamental. Alcance de uma Antena

Leia mais

Simulação Industrial

Simulação Industrial Licenciatura em Engenharia e Gestão Industrial Simulação Industrial Enunciados de Exercícios Para as Aulas Práticas Acácio M. de O. Porta Nova Departamento de Engenharia e Gestão Instituto Superior Técnico

Leia mais

Exercícios de Movimento Uniforme

Exercícios de Movimento Uniforme Exercícios de Movimento Uniforme 1- Uma viagem é realizada em duas etapas. Na primeira, a velocidade média é de 80km/h; na segunda é de 60km/h. Sendo a distância percorrida, na segunda etapa, o triplo

Leia mais

Aplicações e Serviços Baseados em Localização

Aplicações e Serviços Baseados em Localização Aplicações e Serviços Baseados em Localização Introdução à Computação Móvel Adolfo Correia Sumário Introdução Taxonomia de Aplicações Arquitetura Técnicas de Localização Conclusão Introdução Integram a

Leia mais

Plano Básico Ambiental

Plano Básico Ambiental Estaleiro e Base Naval para a Construção de Submarinos Convencionais e Plano Básico Ambiental SEÇÃO VI - PROGRAMA DE GERENCIAMENTO RADIOLÓGICO Projeto 4 Monitoramento Meteorológico 0 Emissão inicial 14/06/2010

Leia mais

O dimensionamento do Sistema de Ventilação apresentado, define as características dos jato-ventiladores necessárias para a operação do Sistema.

O dimensionamento do Sistema de Ventilação apresentado, define as características dos jato-ventiladores necessárias para a operação do Sistema. 1.OBJETIVO O dimensionamento do Sistema de Ventilação apresentado, define as características dos jato-ventiladores necessárias para a operação do Sistema. Os critérios operacionais estão definidos nas

Leia mais

Sistema de Despacho de Serviços de Táxi

Sistema de Despacho de Serviços de Táxi Sistema de Despacho de Serviços de Táxi é um inovador sistema de despacho eletrônico de serviços de táxi, dotado da mais alta tecnologia de computação móvel e de otimização de mobilidade. O TAXI-LINK está

Leia mais

C- Isenção de licenças radioeléctricas: C.2 Isenção de licença de estação.

C- Isenção de licenças radioeléctricas: C.2 Isenção de licença de estação. http://www.anacom.pt/template15.jsp?categoryid=150382 C- Isenção licenças radioeléctricas: C.2 Isenção licença estação. Página 142 C- Isenção licenças radioeléctricas: C.2 Isenção licença estação Nos termos

Leia mais

Análise de Estratégias de Processamento de Dados GPS

Análise de Estratégias de Processamento de Dados GPS Análise de Estratégias de Processamento de Dados GPS Gonçalo Prates 1 e Virgílio Mendes 2 1 Escola Superior de Tecnologia da Universidade do Algarve 2 LATTEX e Departamento de Matemática da Faculdade de

Leia mais

Secção II. ƒ Alternativas para redes de telecomunicações

Secção II. ƒ Alternativas para redes de telecomunicações 1 Secção II ƒ Alternativas para redes de telecomunicações 2 Alternativas para redes de telecomunicações Alternativa de rede Redes Suportes Processadores Software Canais Topologia/arquitectura Exemplos

Leia mais

11. Problemas de Otimização

11. Problemas de Otimização 11. Problemas de Otimização Nesta seção veremos vários eemplos de problemas cujas soluções eigem a determinação de valores máimos e/ou mínimos absolutos das funções que os representam. São chamados de

Leia mais

Um sistema de gestão de frotas que lhe permite o controlo, a localização em tempo real e a comunicação permanente com todos os veículos da sua

Um sistema de gestão de frotas que lhe permite o controlo, a localização em tempo real e a comunicação permanente com todos os veículos da sua Um sistema de gestão de frotas que lhe permite o controlo, a localização em tempo real e a comunicação permanente com todos os veículos da sua empresa. Um sistema que gere e controla toda a actividade

Leia mais

O Dimensionamento do Centro de Produção

O Dimensionamento do Centro de Produção O Dimensionamento do Centro de Produção (posto de trabalho) ANTROPOMETRIA estudo e sistematização das medidas físicas do corpo humano. ANTROPOMETRIA ESTÁTICA - refere-se a medidas gerais de segmentos corporais,

Leia mais

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV:

26. O sistema brasileiro de televisão digital adota os seguintes parâmetros para HDTV: IFPB Concurso Público/Professor de Ensino Básico, Técnico e Tecnológico (Edital 24/2009) CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CÓDIGO 06 UCs de Comunicações Móveis e/ou de Processamento de Sinais de Áudio e Vídeo

Leia mais

1. INÍCIO... 2 2. O MAPA... 4 3. PROCURANDO UM DESTINO... 7 4. PONTOS DE INTERESSE (POI)... 9 5. RADARES... 11

1. INÍCIO... 2 2. O MAPA... 4 3. PROCURANDO UM DESTINO... 7 4. PONTOS DE INTERESSE (POI)... 9 5. RADARES... 11 Conteúdo 1. INÍCIO... 2 2. O MAPA... 4 3. PROCURANDO UM DESTINO... 7 4. PONTOS DE INTERESSE (POI)... 9 5. RADARES... 11 6. MEU GPS AIRIS ATUALIZAÇÃO SEMANAL DE CONTEÚDO... 12 7. INFORMAÇÃO DE SEGURANÇA...

Leia mais

A experiência da EMEL na adopção de veículos eléctricos

A experiência da EMEL na adopção de veículos eléctricos A experiência da EMEL na adopção de veículos eléctricos EMEL EMEL Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa, E.M. S.A., tem como objecto a gestão do estacionamento público no Município

Leia mais

SISTEMA DE POSICIONAMENTO LOCAL BASEADO EM REDES WI-FI

SISTEMA DE POSICIONAMENTO LOCAL BASEADO EM REDES WI-FI SISTEMA DE POSICIONAMENTO LOCAL BASEADO EM REDES WI-FI Pedro Claro Departamento de Electrónica, Telecomunicações e Informática Universidade de Aveiro 4 de Janeiro de 27 1 1 Introdução 6 Conclusões 2 1

Leia mais

RUÍDOS EM IMAGENS FILTRAGEM DE RUÍDOS. o Flutuações aleatórias ou imprecisões em dados de entrada, precisão numérica, arredondamentos etc...

RUÍDOS EM IMAGENS FILTRAGEM DE RUÍDOS. o Flutuações aleatórias ou imprecisões em dados de entrada, precisão numérica, arredondamentos etc... RUÍDOS EM IMAGENS FILTRAGEM DE RUÍDOS RUÍDOS EM IMAGENS Em Visão Computacional, ruído se refere a qualquer entidade em imagens, dados ou resultados intermediários, que não são interessantes para os propósitos

Leia mais

Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática. 1ª Parte Frequência

Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática. 1ª Parte Frequência ISCTE Ano Lectivo 2005/2006 Licenciatura em Engenharia de Telecomunicações e Informática Física Frequência / 2º Teste Duração: Frequência 3h, Teste 1h 30min. Não é permitido o uso de telemóveis durante

Leia mais

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações.

Atualmente dedica-se à Teleco e à prestação de serviços de consultoria em telecomunicações. Rádio Spread Spectrum Este tutorial apresenta os aspectos técnicos dos Rádios Spread Spectrum (Técnica de Espalhamento Espectral) aplicados aos Sistemas de Transmissão de Dados. Félix Tadeu Xavier de Oliveira

Leia mais

Copyright 2008 GrupoPIE Portugal, S.A.

Copyright 2008 GrupoPIE Portugal, S.A. WinREST Sensor Log A Restauração do Séc. XXI WinREST Sensor Log Copyright 2008 GrupoPIE Portugal, S.A. 2 WinREST Sensor Log Índice Índice Pag. 1. WinREST Sensor Log...5 1.1. Instalação (aplicação ou serviço)...6

Leia mais

O tornado de projeto é admitido, para fins quantitativos, com as seguintes características [15]:

O tornado de projeto é admitido, para fins quantitativos, com as seguintes características [15]: 4 Tornado de Projeto O tornado de projeto é admitido, para fins quantitativos, com as seguintes características [15]: Tornado do tipo F3-médio; Velocidade máxima de 233km/h = 64,72m/s; Velocidade translacional

Leia mais

IV.4 Análise de Dados da Avaliação

IV.4 Análise de Dados da Avaliação Melhor e Pior? IV - Avaliação IV.4 Análise de Dados da Avaliação Interactive System Design, Cap. 10, William Newman IV.4 Análise de Dados da Avaliação 2 Melhor e Pior? Resumo Aula Anterior! Avaliação com

Leia mais

Estudo, Análise e Proposta de Soluções Para Melhoria da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Florianópolis

Estudo, Análise e Proposta de Soluções Para Melhoria da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Florianópolis Documento confidencial para uso e informação do cliente Estudo, Análise e Proposta de Soluções Para Melhoria da Mobilidade Urbana na Região Metropolitana de Florianópolis Apresentação Florianópolis Dezembro

Leia mais

Pacote de Actividades para Educadores: Guia de Observação www.globeatnight.org

Pacote de Actividades para Educadores: Guia de Observação www.globeatnight.org Pacote de Actividades para Educadores: Guia de Observação Encoraje os seus alunos a participar numa campanha mundial de ciência, que consiste em observar e registar a magnitude das estrelas visíveis e

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NO APOIO À DISTRIBUIÇÃO URBANA. José Lourenço

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NO APOIO À DISTRIBUIÇÃO URBANA. José Lourenço SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NO APOIO À DISTRIBUIÇÃO URBANA José Lourenço Apresentação TEIA Angola TEIA - Tecnologias de Informação de Angola, Lda (Desde 2008) Implementação e manutenção de soluções próprias

Leia mais

AUTO-ESTRADA A41 LANÇO FREIXIEIRO / ALFENA MAPAS ESTRATÉGICOS DE RUÍDO

AUTO-ESTRADA A41 LANÇO FREIXIEIRO / ALFENA MAPAS ESTRATÉGICOS DE RUÍDO ASCENDI AUTO-ESTRADA A41 LANÇO FREIXIEIRO / ALFENA - RESUMO NÃO TÉCNICO - - ADITAMENTO - JUNHO 2010 CERTINOR Engenharia e Consultoria, Lda. DIVISÃO DE ACÚSTICA APLICADA Av. da República, n.º 2503, Sala

Leia mais

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG)

PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) PROJETO DE PESQUISA MODALIDADE INICIAÇÃO CIENTÍFICA (BOLSA PIC/FACIT/FAPEMIG) MONTES CLAROS FEVEREIRO/2014 1 COORDENAÇÃO DE PESQUISA PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA RASTREAMENTO DE MOTOCICLETAS ORIENTADOR:

Leia mais

Monitoramento de Veiculos

Monitoramento de Veiculos Monitoramento de Veiculos 28 1 Sumário 1. Introdução 2. Conceito do Sistema AVL (automatic vehicle location) 3. Componentes do Sistema AVL 3.1. Aquisição de Dados 3.2. Sistemas de Comunicação 3.3 Equipamentos

Leia mais

GESTÃO E RASTREAMENTO GPS EM TEMPO REAL

GESTÃO E RASTREAMENTO GPS EM TEMPO REAL GESTÃO E RASTREAMENTO GPS EM TEMPO REAL Princípio de funcionamento dos localizadores BÁSICO, PREMIUM II e PORTÁTIL fornecidos pela FOXVision: o Posicionamento por GPS; o Não requer instalação de Software

Leia mais

MODELAGEM DE CANAL DE UMA REDE SEM FIO 802.16 APLICAÇÃO NO CENTRO TECNOLÓGICO DO CAMPUS I DA PUC- CAMPINAS

MODELAGEM DE CANAL DE UMA REDE SEM FIO 802.16 APLICAÇÃO NO CENTRO TECNOLÓGICO DO CAMPUS I DA PUC- CAMPINAS MODELAGEM DE CANAL DE UMA EDE SEM FIO 80.16 APLICAÇÃO NO CENO ECNOLÓGICO DO CAMPUS I DA PUC- CAMPINAS Gabriel Seicenti Fernandes PUC-Campinas Ceatec gabriel_sf87@hotmail.com Norma eggiani PUC-Campinas

Leia mais

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br

Telecomunicações. Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Telecomunicações Prof. André Y. Kusumoto andre_unip@kusumoto.com.br Rede de Telefonia Fixa Telefonia pode ser considerada a área do conhecimento que trata da transmissão de voz através de uma rede de telecomunicações.

Leia mais

Duplo sentido ciclável. Experiência de Paris.

Duplo sentido ciclável. Experiência de Paris. Duplo sentido ciclável. Experiência de Paris. Thiago Máximo É preciso pensar a mobilidade urbana, como um sistema. Muitas vezes a questão da circulação nas grades cidades é pensada apenas para sanar problemas

Leia mais

PROJECTO DE DECISÃO I OS FACTOS

PROJECTO DE DECISÃO I OS FACTOS http://www.anacom.pt/template31.jsp?categoryid=269365 Deliberação de 13.2.2008 PROJECTO DE DECISÃO I OS FACTOS 1. Em 17.05.2007, a RADIOMÓVEL Telecomunicações, S.A. (RADIOMÓVEL) apresentou ao ICP-ANACOM

Leia mais

Utilização de DGPS para Monitorização de Frotas em Ambiente Urbano

Utilização de DGPS para Monitorização de Frotas em Ambiente Urbano Utilização de DGPS para Monitorização de Frotas em Ambiente Urbano Telmo Cunha (1,2), Phillip Tomé (1), Sérgio Cunha (2), Jaime Cardoso (2) e Luisa Bastos (1) (1) Observatório Astronómico da Universidade

Leia mais

Departamento de Engenharia Civil Implantação de Pontos

Departamento de Engenharia Civil Implantação de Pontos Departamento de Engenharia Civil Implantação de Pontos Rosa Marques Santos Coelho Paulo Flores Ribeiro 2006 / 2007 1. Implantação A implantação de pontos ou quaisquer outros detalhes consiste na materialização

Leia mais

Redes de Computadores sem Fio

Redes de Computadores sem Fio Redes de Computadores sem Fio Prof. Marcelo Gonçalves Rubinstein Programa de Pós-Graduação em Engenharia Eletrônica Faculdade de Engenharia Universidade do Estado do Rio de Janeiro Programa Introdução

Leia mais

Detecção de Sectores Cruzados em Redes LTE

Detecção de Sectores Cruzados em Redes LTE Detecção de Sectores Cruzados em Redes LTE C.Franco 1, P. Vieira 1,2, 1 ADEETC, Instituto Superior de Engenharia de Lisboa (ISEL), A. Rodrigues 2, 2 Instituto de Telecomunicações / Instituto Superior Técnico,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA

PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA Anexo II.9 Especificações do Sistema de Monitoramento da Frota PREFEITURA MUNICIPAL DE VOLTA REDONDA ÍNDICE 1 OBJETIVOS... 2 2 ESPECIFICAÇÃO BÁSICA... 2 2.1 Aquisição de Dados Monitorados do Veículo...

Leia mais

Gestão Rodoviária: optimização de processos de manutenção e operação

Gestão Rodoviária: optimização de processos de manutenção e operação Gestão Rodoviária: optimização de processos de manutenção e operação José Miguel Santos, Miguel Serrano Ana Maria Nunes Missão Promover o processo de inovação, transformando o conhecimento em vantagens

Leia mais

1.1. Para determinar a candidata escolhida aplicando o método descrito é necessário considerar

1.1. Para determinar a candidata escolhida aplicando o método descrito é necessário considerar Proposta de Resolução do Exame de Matemática Aplicada às Ciências Sociais Cód. 835-1ª Fase 2012 19 de Junho 1.1. Para determinar a candidata escolhida aplicando o método descrito é necessário considerar

Leia mais

Manual do Utilizador do Nokia Conduzir 3.0

Manual do Utilizador do Nokia Conduzir 3.0 Manual do Utilizador do Nokia Conduzir 3.0 Edição 1.0 2 Índice Índice Acerca do Nokia Conduzir 3 Conduzir para o seu destino 3 Guardar ou ver um local 4 Obter orientações por voz 4 Descarregar ou remover

Leia mais

Entendimento do ICP-ANACOM. Originação de chamadas nas redes móveis nacionais

Entendimento do ICP-ANACOM. Originação de chamadas nas redes móveis nacionais Entendimento do ICP-ANACOM Originação de chamadas nas redes móveis nacionais I. Enquadramento Os serviços de originação de chamadas prestados pelos operadores móveis nacionais são definidos como os serviços

Leia mais

Optiguide Guiamento óptico para Mega TrolleyBus

Optiguide Guiamento óptico para Mega TrolleyBus Optiguide Guiamento óptico para Mega TrolleyBus Slide 1 O Mega TrolleyBus ADFER (25.11.08) O Sistema Sistema de leitura óptica que guia o veículo por uma trajectória definida, sem necessidade de intervenção

Leia mais

Anexo 2. A. Dos tipos de estação de uso comum:

Anexo 2. A. Dos tipos de estação de uso comum: Anexo 2 Elementos que devem instruir o pedido de licenciamento de estação de uso comum que envolva consignação de frequências, conforme o tipo de estação (n.º 3 da Parte VIII dos Procedimentos aprovados

Leia mais

Indice. 1. Breve Apresentação. 2. Resumo da Tecnologia. 3. Abordagem Comercial. 4. Dúvidas

Indice. 1. Breve Apresentação. 2. Resumo da Tecnologia. 3. Abordagem Comercial. 4. Dúvidas Apresentação Indice 1. Breve Apresentação 2. Resumo da Tecnologia 3. Abordagem Comercial 4. Dúvidas 1. Breve Apresentação A GoWireless É uma empresa nacional, sediada em Aveiro, que implementa redes privadas

Leia mais