Produção agrícola de mais de 197 milhões de toneladas bate recorde e impulsiona diversos segmentos da economia

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Produção agrícola de mais de 197 milhões de toneladas bate recorde e impulsiona diversos segmentos da economia"

Transcrição

1 nome da retranca Nº 52 Ano 9 novembro/dezembro 2013 A SUPERSAFRA Produção agrícola de mais de 197 milhões de toneladas bate recorde e impulsiona diversos segmentos da economia Logística BR inova a distribuição de lubrificante a granel BioQAV O voo do biocombustível 1

2 nome da retranca PALAVRA br Campo fértil Roberto Rosa A safra agrícola brasileira registrou um novo recorde em 2013, ultrapassando a casa dos 197 milhões de toneladas. Com uma fatia de 25% do Produto Interno Bruto (PIB), o agronegócio presta mais uma contribuição para a balança comercial brasileira. Nos últimos dez anos, esse avanço foi ainda mais forte, alcançando um patamar de 50%, impulsionado por uma soma de fatores, entre os quais não podemos deixar de destacar o papel daqueles que atuam nas lavouras e nas pastagens desse imenso país. Para 2014, as notícias sinalizam ainda mais otimismo para o Brasil rural, que deverá se consolidar como o maior produtor mundial de soja na safra 2013/2014, segundo as primeiras estimativas para esse início de ano. Atendendo às crescentes demandas desse pujante mercado agropecuário, de reconhecimento internacional, a BR se orgulha de dar a sua contribuição para valorizar, ainda mais, o papel da agricultura e da pecuária no cenário econômico nacional. Incorporamos três novos produtos ao nosso já conhecido portfólio para o segmento, que vai desde fertilizantes até os defensivos agrícolas. Esse é o tema da reportagem de capa dessa edição, que traz ainda outros assuntos. Vamos mostrar que a BR esteve presente no primeiro voo comercial com biocombustível realizado no país pela GOL. Além de efetuarmos o abastecimento da aeronave, prestamos assessoria técnica para a certificação do QAV-B10. O combustível foi obtido a partir da mistura do JET A-1 com óleo de cozinha reciclado, e pode contribuir para reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa. Em outra reportagem, você conhecerá as novas tecnologias de distribuição de lubrificantes que a Petrobras Distribuidora está colocando em prática, principalmente para vencer o desafio de suprir a região amazônica. Mais uma vez, a inovação se alia ao talento dos nossos profissionais para fazer o país avançar com muita energia para todos. Boa leitura! José Lima de Andrade Neto, Presidente da Petrobras Distribuidora 3

3 nome da retranca sumário Entrevista A Energia do Norte: contrato com a Eletrobras consolida a presença da BR na Amazônia Marco Antônio Villela e Monalisa Barros Inovação O biocombustível decolou Aviação QAV em debate Transportes Uma parceria de longa estrada Lubrificantes Tecnologia em renovação Relacionamento Cliente nota dez Asfaltos Soluções de qualidade Campo Fértil Fartura de grãos Logística Industrial Distribuição inovadora Pesquisa Na mente e no coração do consumidor Energia no Campo Lubrax premiado Meio Ambiente A natureza agradece Petrobras Socioambiental Programa investirá 1,5 bi em 4 anos Institucional Nova sede Sugestões, comentários e contatos: Revista Soluções BR Gerência de Imprensa e Comunicação Interna Rua General Canabarro, º andar CEP: Maracanã - Rio de Janeiro - RJ / Publicação da Petrobras Distribuidora S.A. PRESIDENTE José Lima de Andrade Neto DIRETOR DE MERCADO CONSUMIDOR Andurte de Barros Duarte Filho DIRETOR DA REDE DE POSTOS DE SERVIÇO Luis Alves de Lima Filho DIRETOR FINANCEIRO Nestor Cuñat Cerveró DIRETOR DE OPERAÇÕES E LOGÍSTICA Vilson Reichemback da Silva CONSELHO EDITORIAL Antonio Carlos Alves Caldeira Carlos Eduardo Duff da Motta Pereira Edson Chil Flavia Lopes de Abreu Cavalcanti Francelino da Silva Paes Gilce de Oliveira Sant Anna Hévila Aparecida Arbex Leonardo Cesar de Barros Luis Marcelo Freitas Sandra Braga Nery Viviane Salathe GERENTE DE COMUNICAÇÃO E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS Sylvia Sampaio Lopo Gerente de Planejamento de Comunicação Luis Fernando Meinicke Farias GERENTE DE IMPRENSA E Comunicação Interna Carolina Rocha Campos Pires EDITORA Carla de Paula (MTB 32599/RJ) PRODUTOR César Gonçalves de Almeida REPORTAGEM Carla de Paula e Rodrigo Miguez REVISÃO Inah de Paula Comunicações DIAGRAMAÇÃO Inah de Paula Comunicações PRODUÇÃO GRÁFICA Inah de Paula Comunicações FOTO DE CAPA Thinkstock Produzida por Inah de Paula Comunicações TIRAGEM 9 mil exemplares 4

4 nome da ENTREVISTA retranca Agência Petrobras A ENERGIA DO NORTE Contrato com a Eletrobras consolida a presença da BR na Amazônia MARCO ANTÔNIO VILLELA Gerente Regional de Consumidor do Norte MONALISA BARROS Coordenadora de Novos Negócios de Térmicas A Petrobras Distribuidora busca consolidar a sua participação no setor elétrico, especialmente nas áreas de abrangência dos Sistemas Isolados. Amazonas, Acre, Roraima, Rondônia e Pará já são, hoje, os principais estados atendidos pela Companhia, que investe pesado em sua infraestrutura logística para superar as adversidades naturais da região. O Gerente Regional de Consumidor do Norte (GRCNO), Marco Antônio de Oliveira Villela, e a Coordenadora de Novos Negócios de Térmicas, Monalisa Velho de Barros Fernandes Vieira, falam sobre os desafios do abastecimento prestado pela BR na Amazônia. O novo contexto é a licitação estilo pregão eletrônico da ELETROBRAS, recém vencida pela BR, para fornecer combustíveis e lubrificantes às usinas Termelétricas da estatal de energia elétrica no Norte do país. No edital, são contempladas, aproximadamente, 170 usinas termelétricas de geração de energia, espalhadas nos quatro estados da região. 5

5 ENTREVISTA nome da retranca Soluções BR: Com larga atuação em todos os estados do Norte, a BR reforça seu papel nessa região, consolidando o atendimento de um cliente de peso: a Eletrobras. Fale a respeito do novo contrato com a estatal de energia elétrica. Marco Antônio e Monalisa: A BR já realiza o suprimento das empresas do Sistema Eletrobras na região Norte. A recente licitação, da qual nossa Companhia sagrou-se vencedora, irá permitir atender essas empresas na condição de contratadas, e não mais como venda spot quando atendíamos a demandas de remessas únicas e por tempo limitado. O atual contrato prevê o fornecimento de combustíveis e lubrificantes às usinas termelétricas dos sistemas isolados das empresas Amazonas Distribuidora de Energia (AmE), Eletrobras Distribuição Acre (Eletroacre), Eletrobras Distribuição Rondônia (Ceron) e Eletrobras Distribuição Roraima (Bovesa). Soluções BR: Qual é a importância de atender um cliente desse porte? Marco Antônio e Monalisa: Além do expressivo volume em contratação, de aproximadamente 39 mil metros cúbicos por mês, atender uma empresa do porte da Eletrobras consolida a nossa liderança de mercado, na medida em que este é o nosso maior contrato na região Norte e um dos maiores já firmados pela Petrobras Distribuidora no país. O contrato terá duração de 36 meses, prorrogáveis por mais dois anos. Durante esse período, efetuaremos remessas de cerca de 1,4 milhão de metros cúbicos de produtos. Isso significa que vamos ter uma grande demanda, que nos motiva a superar as complexas condições logísticas da região. Soluções BR: E quais serão os maiores desafios a serem enfrentados para levar os combustíveis a essas áreas tão remotas da região amazônica? Marco Antônio e Monalisa: Os desafios são enormes, pois a região, além de ser muito extensa em termos territoriais, apresenta uma complexidade logística que exige mudanças a cada ano, principalmente em função das condições de navegabilidade dos rios. Mas os profissionais da Petrobras Distribuidora, ao longo desses mais de 30 anos prestando atendimento às térmicas da região Norte, acumularam experiências, detendo uma inteligência logística e operacional para atuar nessa área, o que nos deixa seguros de que seremos capazes de manter a qualidade do atendimento às unidades do Sistema Eletrobras na região amazônica. 6

6 nome da ENTREVISTA retranca 7

7 ENTREVISTA nome da retranca Soluções BR: Quantas usinas termelétricas serão abastecidas pela BR na região amazônica? Marco Antônio e Monalisa: No edital, são contempladas, aproximadamente, 170 usinas termelétricas de geração de energia, espalhadas em quatro estados da região: Amazonas, Roraima, Rondônia e Acre. Soluções BR: De onde sairão os combustíveis e lubrificantes que abastecerão essas unidades? Como será feito o transporte? Marco Antônio e Monalisa: O transporte dos combustíveis e lubrificantes será feito por meio de dois modais: o fluvial e o rodoviário, a partir de nossas unidades operacionais espalhadas em algumas cidades na Amazônia Ocidental, que são o Terminal de Manaus (TEMAN), a Base de Caracaraí (BARAC), o Terminal de Porto Velho (TEVEL), a Base de Rio Branco (BARIB) e a Base de Cruzeiro do Sul (BASUL), no Acre. Soluções BR: A BR deverá efetuar adaptações em seus procedimentos logísticos e administrativos para atender aos requisitos do edital licitatório? Marco Antônio e Monalisa: Sim. O procedimento de faturamento requerido no edital irá demandar a solicitação de regimes especiais junto às secretarias estaduais de Fazenda. Caso sejam 8

8 nome da ENTREVISTA retranca IngImage concedidos, deverão acarretar alterações na contratação dos fretes e adequações operacionais no recebimento dos produtos. Além disso, haverá entregas em usinas alocadas em áreas de difícil acesso, que eram supridas pela própria Eletrobras. Soluções BR: Parte dos equipamentos utilizados nas usinas termelétricas brasileiras é importada, correto? Fale a respeito dos produtos que a BR fornecerá às unidades da Eletrobras, compatíveis com tecnologias internacionais. Marco Antônio e Monalisa: Correto. As usinas abrangidas no edital são, atualmente, atendidas com combustíveis e lubrificantes da linha BR. Já foram desenvolvidos combustíveis exclusivos para o atendimento do segmento das termelétricas, como, por exemplo, o óleo para geração elétrica (OPGE) e o óleo combustível para turbina elétrica (OCTE). Além desses que acabamos de citar, o portfólio da Petrobras Distribuidora para o mercado termelétrico conta, ainda, com outros produtos aplicados para o segmento: o óleo diesel; o óleo combustível B1 especial; o óleo combustível A1; e diversos lubrificantes, todos já homologados pelos fabricantes das máquinas dos equipamentos. Soluções BR: Como está o mercado brasileiro de térmicas na atualidade? Marco Antônio e Monalisa: O atual modelo de fornecimento de energia elétrica no Brasil é dividido em dois grupos. O primeiro é o dos Sistemas Isolados, presentes no Norte do país, em parte do Centro-Oeste e na ilha de Fernando de Noronha, onde é predominante a geração de energia a óleo. Já o segundo modelo é o do Sistema Interligado Nacional (SIN), que abrange o Sul, o Sudeste, o Nordeste e parte do Centro-Oeste, onde as térmicas de geração a óleo são acionadas somente em ocasiões especiais, de forma a complementar o fornecimento realizado por outras fontes energéticas, tais como as provenientes de usinas hidrelétricas. No SIN, podemos dizer que a maior concentração de térmicas a óleo está na região Nordeste. Soluções BR: Em períodos de estiagem, as usinas termelétricas podem funcionar como um seguro. Fale a respeito da importância dessas instalações para o fornecimento de energia do país. Marco Antônio e Monalisa: Em caso de redução dos níveis das águas dos principais reservatórios do país, o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) lança mão da energia produzida pelas termelétricas do Sistema Interligado Nacional (SIN) para garantir, imediatamente, a segurança da rede e o atendimento do mercado. O despacho é dimensionado para que os requisitos de armazenamento de energia de cada subsistema, necessário ao atendimento pleno da carga, não ultrapassem os limites mínimos toleráveis. Em períodos de estiagem prolongada, como ocorreu no verão , o Operador Nacional precisou despachar todas as usinas movidas a gás, óleo e carvão do país. Adicionalmente, o acionamento pode acontecer em situações pontuais, como manutenção de rede ou intervenções programadas. 9

9 nome INOVAÇÃO da retranca Banco de Imagens Petrobras 10

10 nome da retranca INOVAÇÃO O biocombustível decolou A companhia Gol faz o primeiro voo comercial com combustível alternativo, o bioqav, no Brasil 11

11 nome INOVAÇÃO da retranca Banco de Imagens Petrobras A Petrobras Distribuidora realizou, em outubro, o abastecimento da aeronave da GOL que fez o primeiro voo comercial com biocombustível no país. A BR também prestou assessoria técnica à Companhia Aérea para a certificação do QAV-B10, o querosene de aviação utilizado. O combustível, obtido a partir da mistura do JET A-1 (QAV-1) com óleo de cozinha reciclado, foi produzido pela empresa americana UOP (Honeywell Company). A aeronave partiu do aeroporto de Congonhas, em São Paulo, com destino ao aeroporto de Brasília. Comparado ao convencional, o novo combustível pode reduzir as emissões de gases causadores do efeito estufa em cerca de 80%. De acordo com Cláudio Dissenha, gerente de Marketing de Companhias Aéreas da Petrobras Distribuidora, as propriedades do biocombustível são similares às do QAV-1. O blending que deu origem ao QAV-B10 contém 10% de bioquerosene (ou querosene renovável) e 90% de querosene fóssil (querosene de aviação convencional QAV-1). O produto usado pela GOL é remanescente do projeto de voo realizado, em caráter experimental, durante a Rio+20, em 2012, que teve a bordo apenas convidados. A iniciativa é um marco no programa Plataforma Brasileira de Bioquerosene, lançado durante a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), que reúne diversas empresas e entidades 12

12 nome da retranca INOVAÇÃO públicas com o objetivo de viabilizar a produção de combustível alternativo em escala comercial no Brasil. A BR é uma das apoiadoras do Programa. O uso do bioqav também está de acordo com a meta da International Air Transport Association (Iata) de, até 2050, reduzir pela metade as emissões de gás carbônico que, atualmente, chegam a 650 milhões de toneladas por ano. Uma das vantagens do combustível renovável é a possibilidade de ser misturado com combustíveis convencionais, sem que sejam necessárias adaptações nos motores dos aviões ou em equipamentos de estocagem e abastecimento. O uso do bioquerosene no Brasil é regulamentado pela Agência Nacional de Petróleo (ANP). Pioneirismo Segundo Felismino Cézar Vasconcelos, funcionário da BR no aeroporto de Congonhas (GACON), os passageiros do voo G3 1408, quando informados pelo comandante de que estavam a bordo do primeiro voo comercial brasileiro com biocombustível, aplaudiram tanto na decolagem quanto na aterrissagem do avião. Foi espetacular, definiu. A BR orgulha-se de ser a primeira distribuidora, no Brasil, a realizar o abastecimento de um voo comercial, sem segregação de tanques ou produtos, demonstrando nossa preocupação com a preservação do meio ambiente, através da redução da emissão de gases de efeito estufa, declarou Vasconcelos. Custos e incentivos A nomenclatura do bioquerosene de aviação, o QAV-BX, segue a seguinte padronização: B = Bio; o número em sequência é a identificação do percentual da mistura de biocombustível. Ou seja, o QAV-B10 é o querosene de aviação com adição de 10% de bioquerosene. O índice pode chegar ao máximo de 50%, o QAV-B50. Atualmente, o litro dos combustíveis de aviação alternativos custa entre 350% e 400% mais caro que o QAV fóssil, o que representa um desafio para a consolidação do produto na matriz energética mundial. O Brasil já conta com uma refinaria capaz de produzir bioquerosene a partir da cana-de-açúcar, de propriedade da Amyris, mas o produto ainda aguarda certificação internacional, prevista para o primeiro trimestre de Depois de resolvida a questão dos custos do bioquerosene, a Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR) e a União Brasileira do Biodiesel e Bioquerosene (UBRABIO) vão se dedicar a negociar, junto ao Governo, as taxas de impostos que incidem sobre o produto. A tendência será o crescimento do consumo do bioqav, o que permitirá ao Brasil honrar os compromissos assumidos no exterior para a mitigação de emissões de gases de efeito estufa, acredita Vasconcelos. Já o diretor técnico operacional do Grupo GOL, Pedro Scorza, defende uma política pública para o bioquerosene de incentivo e fomento ao período de mudança de base tecnológica, com especial foco na redução das emissões de gases. Ele aposta também na criação de uma indústria pública de bioquerosene nacional, para a Uma das vantagens do combustível renovável é a possibilidade de ser misturado com combustíveis convencionais, sem que sejam necessárias adaptações nos motores. 13

13 nome INOVAÇÃO da retranca A BR orgulha-se de ser a primeira distribuidora, no Brasil, a realizar o abastecimento de um voo comercial, sem segregação de tanques ou produtos, demonstrando nossa preocupação com a preservação do meio ambiente, através da redução da emissão de gases de efeito estufa. ampliação da comercialização de biocombustíveis de aviação no Brasil. Com a capacidade produtiva do Brasil para biomassa, acreditamos que, em médio prazo, teremos bioquerosene brasileiro em bases compatíveis com o querosene fóssil. A Plataforma Brasileira de Biocombustíveis está trabalhando em diversas frentes para buscar essa equiparação necessária, e busca a sensibilização e o apoio do Governo Federal para politicas públicas de suporte ao bioquerosene, ressalta Scorza. O diretor afirma que a equiparação do custo do biocombustível com o querosene convencional será possível por meio da eficiência logística da cadeia de valor e da escalabilidade na produção. Segundo ele, o desenvolvimen- to do mercado de biocombustíveis representa uma importante medida para a mitigação de impactos ambientais. Por isso, a GOL apoia diferentes tecnologias de produção do bioqav. Contato BR: Cláudio Dissenha Portes / (21) Felismino Cézar Vasconcelos / (11) IngImage 14

14 nome da retranca INOVAÇÃO Copa Verde prevê medidas de compensação para emissão de gases A GOL Linhas Aéreas, transportadora oficial da seleção brasileira na Copa do Mundo de Futebol, fará 200 voos com bioqav durante o evento. Além de contribuir para a redução das emissões de CO 2, a ideia é chamar a atenção para a importância do desenvolvimento da indústria de querosene alternativo. A companhia aérea já assinou com a Amyris um acordo para fornecimento de biocombustível ao longo de 2014, iniciando-se com os voos da Copa. A ação faz parte do projeto Copa Verde, idealizado com a finalidade de propor medidas de compensação para a emissão de gases de efeito estufa proveniente das atividades que precedem e que ocorrerão durante a Copa do Mundo em Está previsto o incentivo às compras e contratações de produtos ambientalmente responsáveis, buscando aproximar fornecedores e compradores potenciais, com foco nos negócios verdes. O acordo de cooperação celebrado entre o Ministério do Meio Ambiente e o Ministério do Esporte determina que haja um esforço conjunto na incorporação da esfera ambiental às obras decorrentes da competição. Por decisão do governo, todos os estádios-sede passam por um processo de certificação em construção sustentável. IngImage Francelino da silva Paes é o titular da Gerência de Produtos de Aviação (GPA), cuja missão é distribuir produtos de aviação Petrobras, atuando nos serviços de abastecimento de aeronaves e atividades correlatas. A unidade tem como objetivo garantir a satisfação dos consumidores, com competitividade, rentabilidade e responsabilidade social. 15

15 nome Aviação da retranca André Tomino qav em debate Fórum discutiu os desafios do setor diante das demandas previstas para os grandes eventos esportivos do país em 2014 e 2016 C om o objetivo de discutir temas de interesse comum entre a Petrobras e as empresas do segmento aéreo, o Fórum de Querosene de Aviação (QAV), realizado em Guarulhos, no Hotel Marriot, reforçou o relacionamento com os clientes e possibilitou a identificação de oportunidades de melhorias dos produtos, serviços e processos para o mercado de aviação. O evento contou com a participação de cerca de 50 pessoas, entre clientes e representantes do Sistema Petrobras. Durante o fórum, os participantes analisaram a situação do mercado hoje e fizeram projeções da 16

16 nome da retranca Aviação demanda de querosene de aviação. Esses encontros são oportunidades valiosas para discussões sobre o mercado e para análise de demanda futura de QAV, afirma Tatiana Silva Cardoso, gerente setorial de Relacionamento com o Cliente da Revap. Viracopos em obras Um dos aeroportos que mais vem crescendo no país e que foi concedido à iniciativa privada em 2012, Viracopos, esteve representado no evento. O diretor comercial da administradora Brasil Aeroportos, Aluizio Margarido, que administra Viracopos, falou sobre os desafios da ampliação do aeroporto localizado em Campinas (SP). Segundo ele, essa obra será feita em cinco etapas. A primeira tem conclusão prevista para maio de 2014 e já está em andamento. A construção do novo terminal de passageiros ampliará a capacidade de movimentação para 14 milhões, quase o dobro dos 8,8 milhões atuais. Serão construídas ainda 28 pontes de embarque e sete novas posições remotas. De acordo com Aluizio, o consumo de QAV em Viracopos diminuiu em 2013, apesar do aumento da movimentação de aeronaves, isso devido ao alto ICMS do estado de São Paulo, o que vem levando muitas companhias aéreas a pousarem seus aviões em Campinas com os tanques cheios. Hoje, o consumo de QAV no Aeroporto de Viracopos está em m³/dia ou 360 m 3 /ano. A estimativa da concessionária é chegar em m³/ano no final do contrato, em Para melhorar o abastecimento das aeronaves em Viracopos, a Brasil Aeroportos planeja construir uma rede de hidrantes e uma base para abastecimento dentro do aeroporto, com objetivo de tornar mais ágil e facilitar todo esse procedimento. Investimentos nacionais Com diversas obras de ampliação dos aeroportos convergindo para as próximas edições da Copa do Mundo de Futebol e das Olimpíadas, o governo vem planejando ações para suprir as demandas do setor durante o período desses grandes eventos. Ao analisar essa questão, o diretor do Departamento de Gestão Aeroportuária da Secretaria de Aviação Civil, Paulo Henrique Possas, falou sobre os desafios do setor para os eventos internacionais esportivos. Segundo ele, os principais problemas a serem superados na Copa estão centralizados na quantidade de cidades-sede (12); na necessi- O fórum serviu para discutir os desafios em suprir a demanda para os eventos esportivos, principalmente nas cidades-sede IngImage 17

17 nome Aviação da retranca Foto: André Tomino todo, a manutenção levou 28,6 dias, quando a média internacional em uma parada deste porte é de pelo menos 31 dias. As paradas programadas são importantes para a realização de manutenção de todos os itens das refinarias, como a forma de verificar e solucionar problemas existentes para garantir um bom funcionamento das plantas e, inclusive, aumentar o seu potencial produtivo. De acordo com dados da Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), a produção de QAV no Brasil foi m³ em julho. Já a média até setembro foi m³/mês. Paradas programadas ajudam na solução de problemas e melhoram a produção de QAV dade de padronização do atendimento em todos esses locais; nos investimentos em mobilidade urbana e na maior acessibilidade grupo que escreverá o capítulo referente ao Plano para Abastecimento de Aeronaves nos aeroportos do país. nos aeroportos. Paulo Henrique Possas apresentou o Manual de Planejamento para a Copa do Mundo e fez um convite formal à Petrobras, às distribuidoras e ao Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de QAV na Revap Durante o evento, a gerente geral da Refinaria Henrique Lage (Revap), Elza Kallas, ressaltou o excelente trabalho da equipe, que, em tempo recorde, realizou Combustíveis e Lubrificantes a maior parada programada já (Sindicom), para participarem do feita pelo Sistema Petrobras. Ao Controle aéreo Penúltimo palestrante do Fórum de QAV, o coronel de Aviação Ary Rodrigues Bertolino, chefe do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea do DECEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo), falou sobre as modificações que serão feitas no sistema de controle aéreo. Essas alterações são planejadas com objetivo de encurtar trajetórias das aeronaves, reduzir o número de rotas preferenciais, diminuir os níveis de ruído, além de permitir a economia de combustível. O encerramento ficou por conta da palestra Ética e desafios do mercado, ministrada pelo professor, colunista e conferencista do Espaço Ética, Clóvis de Barros Filho. 18

18 nome TRANSPORTES da retranca UMA PARCERIA DE LONGA ESTRADA Petrobras Distribuidora e o Grupo JCA comemoram 10 anos de relacionamento A padronização do abastecimento nas diferentes unidades do grupo JCA e a maior confiabilidade no produto oferecido pela BR, assim como adequações ambientais e sugestões de melhorias operacionais, são alguns dos pilares que garantem o sucesso dessa parceria que completa uma década. Trata-se do maior contrato da BR para fornecimento de combustíveis a empresas de ônibus no Rio de Janeiro. Hoje, as empresas do grupo, contabilizando também as de transporte urbano, levam pelas ruas e estradas do Brasil quase 100 milhões de passageiros por ano. Responsável por uma página à parte na história do transporte rodoviário de passageiros no país, o Grupo JCA é considerado mais do que um cliente da BR, é um parceiro empreendedor. E a Petrobras Distribuidora acompanhou de perto o crescimento do grupo JCA. Sob essa sigla, que corresponde ao nome do fundador Jelson da Costa Antunes, o grupo agrega algumas das principais empresas de ônibus do país, como a Auto Viação 1001, a Cometa e a Viação Catarinense. Neste período, a Companhia abasteceu também outras empresas do grupo: a Rápido Ribeirão Preto, a Rápido Macaense, a Auto Viação Catarinense, a SIT, a Cometa, a Expresso do Sul e a Opção Turismo, última a assinar contrato de fornecimento de produtos e serviços com a BR, em janeiro de Cortesia Viação Cometa 19

19 nome TRANSPORTES da retranca O grupo cresceu consideravelmente ao longo destes dez anos. E a BR sempre nos acompanhou nesta evolução, dando toda atenção às nossas necessidades. O grupo cresceu consideravelmente ao longo destes dez anos: praticamente dobrou de tamanho. E a BR sempre nos acompanhou nesta evolução, dando toda atenção às nossas necessidades, afirma Marcelo Antunes, diretor-geral do grupo JCA. Consultoria e suporte - Para Antunes, os principais benefícios da parceria foram a padronização do abastecimento nas unidades das empresas; as adequações e atualizações ambientais realizadas em conjunto com a Petrobras Distribuidora; as melhorias operacionais provenientes das consultorias prestadas pela BR; e, também, maior confiabilidade nos produtos oferecidos. Hoje, a companhia fornece lubrificantes, o Flua Petrobras (agente redutor líquido de NOx automotivo - ARLA 32), e diesel para todo o grupo, incluindo o querosene de aviação (QAV) para o avião executivo da JCA. Ao todo, são 33 pontos de abastecimento (PAs) distribuídos pelas regiões Sul e Sudeste, esta última a principal área de atuação das empresas do grupo. De acordo com Carlos Eduardo Martins, assessor comercial da BR, além dos 85 milhões de litros de diesel por ano, são fornecidos para o grupo JCA um volume de 780 mil por ano do Flua (ou 65 mil litros por mês), além do fornecimento de 600 mil litros de lubrificantes por ano. Investimentos para uma nova frota O uso obrigatório do diesel S-10, com menor teor de enxofre, por veículos pesados e semipesados, resultou em importantes investimentos por parte das companhias de transporte para a renovação das frotas e adequação ao novo cenário. Somente em 2012, o grupo JCA aplicou R$ 500 milhões na renovação de 25% da sua frota total de ônibus, um índice superior à média de substituição habitual das empresas do setor, que varia entre 15% e 20%. Com a renovação da frota, o Grupo JCA passou a usar diesel com reduzido teor de enxofre, o S-10, assim como o Flua Petrobras. O S-10 tem se mostrado um grande fator de redução da poluição, e proporciona um melhor aproveitamento energético, ou seja, vem auxiliando na melhoria no consumo, confirma Antunes. Segundo Carlos Eduardo Martins, o diesel S-10 foi adotado imediatamente nas garagens urbanas, conforme norma da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), e as outras empresas do grupo começaram a usar o novo combustível à medida que a frota foi sendo renovada. De acordo com os últimos números divulgados pelo Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Combustíveis e de Lubrificantes (Sindicom), 22% do total de diesel vendido hoje no país já é do diesel S-10. Contato BR: Carlos Eduardo Martins / (21) Cortesia Viação 1001 Double Class Auto Viação

20 nome TRANSPORTES da retranca Marlon Faria Apoiado pela BR, o projeto Oficina do Ensino do IJCA proporciona qualificação profissional para jovens de baixa renda em diversas áreas de atuação Além das estradas Além do papel de distribuidora de combustíveis para as empresas do grupo JCA, a Petrobras Distribuidora também vem atuando durante esses 10 anos de parceria na formação profissional dos funcionários da companhia de transportes. Um dos casos de sucesso dessa parceria foi o projeto Oficina do Ensino, apoiado pela BR, que visa à qualificação profissional de mais de 200 jovens de baixa renda, entre 18 e 24 anos, das cidades de Niterói, São Gonçalo, Itaboraí e outras próximas. Os cursos oferecidos nesse programa têm duração de seis meses e são direcionados para as áreas de auxiliar administrativo; mecânica a diesel/injeção eletrônica (linha pesada); elétrica/refrigeração automotiva (linha pesada); funilaria e solda e pintura automotiva. A média de inserção desses jovens no mercado de trabalho é de cerca de 60% e, em muitos casos, a contratação acontece pela própria Auto Viação O projeto Oficina de Ensino já beneficiou 944 jovens e só em 2012 atendeu a mais 210. Este programa é excelente para a nossa continuidade e para o crescimento do grupo JCA, afirmou Marcelo Antunes, diretor geral do grupo JCA. Em 2007, o IJCA ganhou uma sede em Niterói: com dois pavimentos, dispõe de auditório, biblioteca, salas de aula, laboratórios, refeitório e até dormitórios. O acervo da biblioteca foi organizado com doações. Os laboratórios de pintura, refrigeração, elétrica e mecânica foram montados com o apoio da BR. Além do Oficina de Ensino, o IJCA também promove os projetos Rede Agir, voltado para a formação de jovens com potencial de liderança e o Fortalecendo Trajetórias, também direcionado a jovens, para os quais o instituto financia os estudos e presta suporte social. 21

21 nome LUBRIFICANTES da retranca Arquivo BR TECNOLOGIA em renovação Plataforma Lubrax System ganha nova versão para o segmento industrial IngImage 23

22 LUBRIFICANTES nome da retranca P ara garantir maior confiabilidade e mais agilidade na gestão industrial, a Petrobras Distribuidora lançou uma nova versão do Lubrax System, o software para gestão e controle da execução do planejamento de lubrificação no ambiente industrial. O programa controla desde o cadastramento detalhado dos equipamentos, as partes e os pontos de lubrificação até a identificação dos produtos e a maneira de aplicá-los, entre outras funções. Ao ser executado em escala com grande número de equipamentos, o Lubrax System alerta ainda sobre os períodos de troca de lubrificantes, produz relatórios gerenciais sobre custos de produtos, quantidade de horas utilizadas nas operações e estoque. Após várias versões, o Lubrax System passou por uma modernização, buscando agregar funcionalidades mais amigáveis e fáceis de operar, inclusive utilizando os recursos da plataforma web, permitindo, assim, que a gerência da Petrobras Distribuidora acompanhe o desempenho da lubrificação em todas as unidades dos clientes onde o programa está instalado. A boa lubrificação dos equipamentos é fundamental para a gestão de uma indústria. Por isso, o aprimoramento constante do programa garante que os clientes da BR possam gerenciar seus custos com lubrificantes, sem correr riscos de paradas não programadas nas máquinas. Hoje, todas as refinarias da Petrobras têm as suas respectivas atividades de lubrificação supervisionadas em tempo real. A lubrificação tem um custo relativo baixo, estimado em cerca de 5% do total gasto com a manutenção de uma indústria. Porém, os especialistas lembram que a falta de um lubrificante adequado pode provocar paradas indesejadas do equipamento, ocasionando prejuízos bem superiores. Costumamos fazer uma analogia entre o lubrificante e o sangue: o lubrificante está para a máquina assim como o sangue está para o corpo humano, comenta Antônio Traverso Júnior, consultor sênior da Gerência de Marketing de Lubrificantes a Consumidores (GMLC). Hoje todas as refinarias da Petrobras têm as suas respectivas atividades de lubrificação supervisionadas em tempo real, onde, através de indicadores, gráficos e métricas, pode-se verificar se as atividades estão dentro do planejado. Em relação à automação, as informações dos dados coletados sobre os equipamentos no Lubrax System facilitam em muito a atividade do mecânico-lubrificador, permitindo que a inspeção dos equipamentos seja precisa e imediata. Outra novidade do Lubrax System é o suporte técnico ao usuário, que agora pode ser feito remotamente com comodidade, já que há uma equipe especializada em tempo integral na BR para dar suporte a qualquer demanda. Uma década de investimentos Nos últimos 10 anos, a Petrobras Distribuidora vem investindo continuamente no desenvolvimento e aprimoramento do Lubrax System. Um ponto vital das melhorias está no processo de participação dos usuários e do pessoal das refinarias da Petrobras, que dão ideias e sugestões para aprimorar o software. De acordo com Antônio Traverso, a nova versão do sistema será instalada em todos os clientes que necessitem ampliar o relacionamento com a Companhia, o que poderá reforçar a questão da fidelização. Este software está sendo desenvolvido visando agregar valor aos nossos lubrificantes, serviços e à marca, disse Traverso. Quando houver uma interface plena com o SAP R-3, o Lubrax System vai ser uma referência no mercado industrial brasileiro, completou. Ainda segundo ele, a renovação para os 24

23 nome LUBRIFICANTES da retranca clientes que ainda não dispõem da ferramenta está prevista para começar no início do ano de Hoje, são mais de 50 Lubrax System instalados na versão antiga e que vão precisar passar por renovação. Segundo o consultor, a perspectiva da companhia é aumentar o número de usuários do sistema em 20% até julho de Banco de Imagem Petrobras Contato BR: Antônio Traverso Júnior / (21) Lubrificantes para o segmento industrial Juntamente com um bom monitoramento da lubrificação de todo o maquinário da indústria, um fator importante é sempre utilizar os produtos de melhor qualidade. E a linha Lubrax tem tradição quando se trata de lubrificantes e graxas para o segmento industrial. A Petrobras Distribuidora tem produtos para sistemas hidráulicos, engrenagens, turbinas, compressores de ar, de refrigeração e de gás, para motores estacionários a gás, lubrificação por névoa, isolantes, óleos básicos, graxas e aplicações diversas. Em 2010, a empresa fez uma total modificação nos nomes dos produtos, sempre com a marca Lubrax, de toda a sua linha de lubrificantes industriais. Acompanhando essa mudança, novas embalagens dos produtos e uma nova marca também foram lançados no mercado em Com isso, os produtos têm uma nova identidade, deixando o usuário mais próximo, facilitando a escolha do melhor produto para a sua indústria e para os seus equipamentos. Funcionalidades do Lubrax System: Cadastramento dos equipamentos, partes e pontos de lubrificação. Designação de roteiros lógicos para a execução da lubrificação. Controle de estoque de lubrificantes, custos de lubrificação e consumo de equipamento. Cadastro de análises e acompanhamentos de tendências de situação de óleo em uso. Relatórios e gráficos gerenciais das atividades de lubrificação. Geração e controle de automáticos de ordens de serviço. Interface de dados com outros softwares. Antonio Carlos Alves Caldeira é o titular da Gerência de Grandes Consumidores (GGC), que tem como objetivo ser líder na comercialização de combustíveis e lubrificantes no mercado. A unidade destaca-se pela excelência na qualidade de produtos e serviços a clientes. A gerência tem como compromisso se antecipar às mudanças no perfil energético brasileiro e assegurar, de forma sustentável, um retorno adequado aos investimentos. 25

24 nome RELACIONAMENTO da retranca Roberto Narazaki BOAS PARCERIAS EM SUA DÉCIMA EDIÇÃO, O PRÊMIO CLIENTE NOTA DEZ, DA Petrobras Distribuidora, HOMENAGEIA SEUS PRINCIPAIS PARCEIROS COMERCIAIS OPrêmio Cliente Nota Dez, idealizado para reconhecer os parceiros que mais se destacaram e contribuíram para a liderança da BR na área de químicos e petróleo, alcança sua décima edição e, mais uma vez, fortalece as parcerias da BR com esse importante setor. São destacadas as áreas Química Fina e Agronegócios, Químicos para Tintas, Adesivos e Borracha e Químicos para Indústria do Petróleo. Os clientes são avaliados sob os critérios comercial, financeiro e tempo de relacionamento com a Companhia. O Cliente Nota Dez é uma forma de reconhecer os parceiros que mais contribuem para o crescimento da gerência de Produtos Químicos (GPQ) e para o desenvolvimento dos mercados em que atuam e da economia do país. A área de químicos tem crescido de forma consistente nos últimos anos e obtido mais visibilidade dentro da BR. A inclusão de novos produtos no portfólio tem ampliado nossa base de clientes. Destaco a perspectiva de crescimento no agronegócio, com a nova planta de nitrogenados da Petrobras, prevista para o final de 2014, e o forte crescimento do suprimento de produtos químicos para a área de Exploração e Produção (E&P) da Petrobras, como as principais alavancas do desenvolvimento da GPQ para os próximos anos, afirma o executivo Luis Marcelo Motta de Assumpção Freitas. Teremos muitos desafios pela frente, e isso estimula nossa equipe em busca de superação, observa. 26

25 nome relacionamento da retranca Noite de premiação: GPQ valoriza os bons parceiros Área de petróleo da GPQ premia o cliente Petrobras Segmento de empresas de tintas, adesivos e borrachas recebe o Prêmio Roberto Narazaki Roberto Narazaki Roberto Narazaki A GPQ reúne em sua carteira algumas das maiores referências do mercado mundial de químicos. Na 10ª edição do Prêmio, contamos um componente especial: foram convidadas todas as vencedoras desses 10 anos do programa de relacionamento. Estiveram presentes as seguintes empresas: Akzo Nobel, Química Amparo, Borrachas Vipal, Renner Sayerlack, Unilever, Deten, Killing, Tintas Iquine, Produquímica, COMIGO, Phelps, Syngenta, Nitro Química, Anglo American, Amaggi, Bunge e Petrobras. De acordo com Paulo Avelar, titular da Gerência de Químicos para Tintas, Adesivos e Borrachas, este é um momento de homenagem, pois vamos ter a oportunidade de reconhecer tanto os parceiros que tiveram destaque especial nos últimos doze meses como aqueles que tiveram em algum momento ao longo desses dez anos. O ano de 2013 foi muito bom, de desafio e superação. E este evento coroa este ano especial. Para Lidia Toledo, da Akzo Nobel, receber pela quinta vez consecutiva o Prêmio Cliente Nota Dez é motivo de muito orgulho e um excelente resultado da parceria, que tem evoluído ano a ano, com muito trabalho e dedicação. Já Saul Carlesso, do Grupo Vipal, que há 10 anos é premiado, afirma que o melhor da parceria é a confiança nos produtos que vem adquirindo da Petrobras. O melhor disso tudo é ter uma empresa como a BR, confiável e com a qual se consegue prosperar junto. A cerimônia foi prestigiada por diversos representantes da Petrobras Distribuidora, que estiveram nos últimos dez anos na área de químicos e petróleo, entre os quais, o gerente executivo de Grandes Consumidores (GGC), Antônio Carlos Caldeira, a gerente de Planejamento de Consumidores (GPLC), Viviane Salathe, o gerente de Análise de Negociações e Precificações (GNEP), Luiz Cláudio Mandarino Freire, e o Diretor Presidente da CDGN, Klaus Nolte. 27

26 nome RELACIONAMENTO da retranca Setor de química fina e agronegócio é homenageado pela BR Sergio Pavanelli Trio foi uma das atrações musicais Roberto Narazaki Roberto Narazaki Roberto Narazaki Depoimentos Para Cassiano Vieira de Campos Filho, titular da Gerência de Química Fina e Agronegócios, essa edição foi especial. Além de premiar os principais segmentos de mercado sob responsabilidade da Gerência de Química Fina e Agronegócio (GQUIF), gerou oportunidade para que pudéssemos premiar os principais parceiros da BR, e que foram condecorados em outras edições do prêmio. Para o cliente Gerhard Walter Schultz, da Produquímica, o melhor da parceria é a garantia de confiança no fornecimento de toneladas de produtos que recebem. No segmento de petróleo, a Petrobras foi reconhecida como o cliente hors concours da edição Segundo Andre Rotstein Schor, gerente de Químicos para a Industria de Petróleo, este prêmio coroa o esforço de toda a equipe ao longo do ano, o estreito relacionamento entre as empresas e a confiança mútua que existe entre a BR e a Petrobras para suportar todo crescimento que se projeta para os próximos anos. Em 2020, a Petrobras estará produzindo mais do que o dobro do que produz hoje. A representante da homenageada, Flávia Garcia Serpa, registra que o melhor dessa parceria é o ganha-ganha, pois conseguem resultados positivos em termos de logística, entrega, fornecimento e também em termos de preço. Os cerimonialistas, Hévila Arbex e Luiz Cláudio Mandarino, conduziram a entrega dos prêmios durante o evento, que aconteceu em novembro, na Casa de Cultura Julieta de Serpa, no Rio de Janeiro. A noite foi encerrada com as atrações musicais Jesuton e Sergio Pavanelli Trio. Contato BR: Hévila Arbex / (21) A cantora Jesuton encantou a noite de reconhecimentos 28

27 nome relacionamento da retranca Empresas vencedoras Homenageadas da Gerência de Química Fina e Agronegócios e da Gerência de Vendas de Fertilizantes Categoria Indústria Química Produquímica Indústria e Comércio S/A. Representada por Gerhard Walter Schultz, José Francisco Vasconcelos e Walquíria Montaldi Escobar. A Produquímica iniciou seu relacionamento com a BR em 1996, com a introdução do enxofre ao seu portfólio. A empresa possui várias unidades produtivas no estado de São Paulo, estando em Jacareí a principal unidade fabril consumidora do enxofre líquido, que produz enxofre pastilhado solúvel para aplicação na agricultura, com grande aceitação e reconhecimento técnico de seu uso no mercado. Categoria Grãos COMIGO (Cooperativa Agroindustrial de Produtores Rurais do Sudoeste Goiano) Representada por Carlos Pereira Melo. Cliente da BR há mais de 15 anos, com fornecimento de solvente. Em 2011, a Comigo iniciou o relacionamento comercial com a compra dos principais produtos da GPQ destinados a formulação de fertilizantes e suplementação alimentar de ruminantes (Reforce N). Categoria Formulador Phelps Indústria Comércio Importação e Exportação Ltda. Representada por Gabriel Meneghel Cianflone, Rogério Murcila e Ivone Almeida. De fundamental importância para a ampliação do uso e aplicação do enxofre na agricultura, a parceria com a Phelps tem gerado grandes oportunidades de desenvolvimento de novos produtos e aplicação em nichos de mercado. Atualmente, a BR é fornecedora exclusiva de enxofre sólido e líquido à empresa, que também presta serviços de armazenagem, solidificação e moagem dos produtos. Categoria Defensivos Syngenta Proteção de Cultivos Ltda. Representada por Eduardo Affonso. Ao longo dos anos, a Syngenta vem se consolidando como um dos maiores clientes da área de químicos. Atuando no segmento de Defensivos Agrícolas, adquire com regularidade o óleo agrícola para a formulação do óleo de pulverização com a marca própria (NIMBUS). Essa parceria tem se ampliado ao longo do tempo, especialmente para atender à demanda crescente do setor agrícola e através da otimização logística e operacional entre nossas empresas. Categoria Crescimento de Vendas Companhia Nitro Química Brasileira Representada por Fernando Siqueira e Ricardo Dilys. Um dos principais produtores de ácido sulfúrico no país. Possui um relacionamento histórico de consumo dos principais produtos comercializados pela BR. Atualmente, o enxofre sólido é o principal produto comercializado pela GPQ, sendo que, desde o final de 2012, celebramos acordo comercial para consolidar a parceria no fornecimento de enxofre nacional. 29

28 nome RELACIONAMENTO da retranca Homenageadas da Gerência de Tintas, Adesivos e Borracha Categoria Tintas & Vernizes Akzo Nobel Ltda. Representada por Lídia Toledo. Considerando todas as empresas do grupo, o relacionamento com a BR se iniciou há mais de 30 anos. Uma das maiores fabricantes de tintas em nível mundial, a Akzo Nobel mantém um acordo comercial com a BR para o fornecimento de solvente para as suas unidades industriais. Categoria Domissanitários Química Amparo Ltda. Representada por Eduardo Bonchristiani e Everton Augusto de Toledo. O relacionamento comercial da Química Amparo com a BR existe há mais de 17 anos. Ao longo desse período, a empresa vem adquirindo, ininterruptamente, 100% de suas necessidades de enxofre líquido para a unidade de Amparo e óleo diesel para a unidade de Simões Filho. Categoria Borracha Borrachas Vipal S/A. Representada por Saul Carlesso e Evandro Dalmás. O relacionamento comercial com a BR começou em 1973, ano em que a empresa foi fundada, com a assinatura do primeiro contrato de fornecimento de produtos pela BR. A parceria entre as empresas vem sendo renovada e ampliada, sendo o principal cliente da BR no segmento desde aquela época. Categoria Adesivo Quimopren Indústria Química Ltda. A Petrobras Distribuidora mantém fornecimento regular há mais de 15 anos dos solventes consumidos pela Quimopren para fabricação de adesivos para calçados, na fábrica que possui em Campo Bom (RS). Categoria Crescimento de Vendas Renner Sayerlack S/A Representada por Celso Gonçalves Oliveira. A Petrobras Distribuidora mantém excelente relação comercial com a Renner Sayerlack há 23 anos. Consumidora de uma gama variada e de quantidades expressivas de solventes, a Renner Sayerlack é, atualmente, um dos principais clientes da BR no segmento de tintas. Área de petróleo Cliente hors concours: PETROBRAS Representada por Flavia Garcia Serpa. O relacionamento entre a BR e o E&P da Petrobras, para o fornecimento de produtos químicos e lubrificantes utilizados nas sondas de perfuração e nas plataformas de produção, já dura mais de duas décadas. Parceria essa que considera as demandas para as atividades terrestres e marítimas do E&P e insere a BR diretamente no desafio da exploração do pré-sal. Luis marcelo freitas é o titular da Gerência de Produtos Químicos (GPQ), cujo objetivo é distribuir e comercializar produtos químicos, insumos e serviços para a indústria química, petroquímica e de petróleo. A gerência está apta a desenvolver, fabricar ou buscar fontes alternativas de suprimento, quando isto se mostrar necessário. A GPQ tem como compromisso observar os melhores prazos de atendimento e especificações para os clientes, com níveis adequados de rentabilidade. 30

29 nome da retranca ASFALTOS Banco de Imagens Petrobras SOLUÇÕES DE QUALIDADE Técnica inovadora de restauração de pavimentos garante alta proteção e durabilidade às estradas 31

30 nome ASFALTOS da retranca Alexander Vivoni em palestra ministrada na 42ª Reunião Anual de Pavimentação (RAPv) Os investimentos da Petrobras Distribuidora em pesquisas direcionadas ao desenvolvimento de soluções asfálticas permitem oferecer uma ampla gama de serviços aos clientes de diferentes segmentos. É o caso do Microrrevestimento Asfáltico a Frio, ou MRAF, uma solução desenvolvida para auxiliar no rejuvenescimento, na manutenção e na conservação de vias urbanas e estradas. Algumas das características do tratamento são a sua alta durabilidade, alta proteção, rapidez de liberação ao tráfego e menor custo. O MRAF é uma alternativa de restauração superficial de pavimentos deteriorados, que funciona, também, como camada de atrito para capas de rolamento desgastadas. Em termos técnicos, o Microrrevestimento Asfáltico a Frio é um tratamento composto por emulsão asfáltica modificada por polímeros, agregados britados com granulometria específica, filler mineral e água, corretamente dosados, misturados e aplicados por usinas móveis especiais. A técnica é indicada para pavimentos que apresentem estrutura preservada, com base e sub-base em bom estado. De acordo com Alexander Marcos Vivoni, consultor da Gerência de Comercialização de Asfaltos da BR (GCA), para atingir os resultados deseja- 32

31 nome da retranca ASFALTOS Algumas das características do tratamento são a sua alta durabilidade, alta proteção, rapidez de liberação ao tráfego e menor custo. dos, o MRAF deve ser executado de acordo com uma metodologia de dosagem adequada, por equipamento apropriado e atender a controles rigorosos. O Microrrevestimento Asfáltico a Frio é um serviço de alta tecnologia. Tentar pular etapas, seja na dosagem, na aplicação ou no controle, é um convite ao insucesso. Cabe a nós, profissionais do setor de pavimentação asfáltica, zelar pelo bom uso da técnica, defende Vivoni. O sucesso do MRAF, como o de qualquer serviço, depende, além de uma dosagem bem executada e da aplicação em condições adequadas, de controles rigorosos na execução. Ao menos os seguintes fatores devem ser controlados: granulo- metria dos agregados, teor de Ligante da massa, Azul de Metileno e Equivalente de Areia, Resíduo e Peneira da emulsão e Coesão Úmida da mistura, explica o consultor. O uso de emulsões específicas para MRAF é essencial para o bom desempenho do serviço. As emulsões devem ser produzidas de acordo com as necessidades de cada tipo de agregado. Por esse motivo, Vivoni defende a importância de os produtores de emulsões atuarem em laboratórios de misturas próprios (ou disporem de amplo conhecimento a respeito das mesmas). Contato BR: Alexander Vivoni / (21) Vantagens: Maior segurança Antiderrapante Maior conforto ao usuário Nivelamento da pista Ótimo recobrimento para pisos de concreto Preservação de ralos, bueiros e caixas de inspeção Sistema não poluente Largamente utilizado nos EUA e na Europa Adesão ao pavimento existente Liberação rápida ao tráfego Regularização e impermeabilização Retarda a reflexão de trincas Pode ser aplicada a várias camadas sucessivas Carlos Eduardo Duff da motta pereira é o titular da Gerência de Comercialização de Asfaltos (GCA), cuja missão é administrar a venda de asfaltos e emulsões, agregando serviços aos produtos, de forma competitiva e rentável. A unidade procura se entrosar com as demais áreas para o sucesso do negócio, orientada pelo mercado e com foco no cliente. 33

32 nome CAMPO da FÉRTIL retranca Arquivo BR FARTURA DE GRÃOS A estimativa da safra agrícola brasileira é de recorde histórico, podendo alcançar mais de 197 milhões de toneladas. Com atuação focada nas áreas produtoras, a BR busca atender à demanda crescente por produtos e insumos para o agronegócio 34

33 nome CAMPO da retranca FÉRTIL De acordo com a atual estimativa da produção agrícola nacional, a safra de 2013 aponta para mais um recorde. Com uma fatia de 25% do PIB, o agronegócio presta nova contribuição para o saldo positivo da balança comercial brasileira. A BR, fornecedora do segmento agropecuário, reafirma o compromisso e a capacidade de atender às crescentes demandas desse mercado incorporando novos produtos ao seu portfólio, como o Reforce N (ureia pecuária) e a Ureia Fertilizante. A última estimativa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) indica uma safra 16,2% superior à obtida na temporada anterior. Já para a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a safra poderá alcançar mais de 197 milhões de toneladas neste ano. A estimativa da área colhida, em 2013, teve um acréscimo de 8% frente à anterior, podendo passar de 54 milhões de hectares. A região Centro-Oeste permanece na liderança da produtividade agrícola, com um volume estimado em 78,4 milhões de toneladas, seguida pela região Sul, com 72,1. Sudeste, Nordeste e Norte acompanham os bons números, respectivamente, com safras de 19,6, 12,1 e 4,6 milhões de toneladas. O Mato Grosso é o maior estado produtor de grãos do país, com uma participação de mercado de 24,6%. Paraná e Rio Grande do Sul aparecem em seguida. Somados, representam 35,2% da produção prevista. No tocante às taxas de 35

34 nome CAMPO da FÉRTIL retranca Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Brasil deverá se consolidar como o maior produtor mundial de soja na safra 2013/2014. crescimento, no comparativo 2012/2013, o Sul, mais uma vez, lidera. A safra da região deverá crescer 30,5%. Paulo César Toledo Meirelles, gerente de Desenvolvimento de Soluções Químicas da BR (GDSQ), acredita que a produtividade da região Sul se deve a dois fatores principais. A região Sul possui uma área menor e totalmente ocupada, sem possibilidade de expansão, entretanto, suas terras são mais férteis. Além disso, por sua tradição agrícola, o Sul construiu ao longo do tempo uma excelente estrutura viária e logística, explica o gerente. Em relação a 2012, em números absolutos, os incrementos de produção mais significativos (2012/2013) ocorreram para as culturas de soja (23,8%), milho (12,9%) e arroz (2,7%). O resultado decorre dos bons preços praticados e da melhoria das condições climáticas nas principais regiões produtoras. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) estima que o valor bruto da produção de 2013 será de R$ 450 bilhões. Além da importância do agronegócio para o crescimento da economia brasileira, o setor também vem possibilitando a abertura de novos postos de trabalho, tanto para mão de obra pesada quanto especializada. Como consequência, nota-se uma alteração do fluxo de trabalhadores, que, tradicionalmente, migravam para os grandes centros. A oferta de empregos está contribuindo para uma maior fixação da população local no campo e em pequenas cidades do interior. Maior produtor de soja Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o Brasil deverá se consolidar como o maior produtor mundial de soja na safra 2013/2014. A Companhia divulgou, em novembro, o seu primeiro levantamento de intenção de plantio para o próximo ano. De acordo com o documento, a colheita deverá atingir entre 87,6 e 89,7 milhões de toneladas, enquanto a safra norte-americana foi estimada em Taã s Peyneau / Banco de Imagens Petrobras 36

35 nome CAMPO da retranca FÉRTIL 85,7 milhões de toneladas, pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA). Solo mais fértil Para crescer 50% em dez anos, o agronegócio precisou contar com importantes aliados. Conforme constatação de órgãos especializados de pesquisa, a prosperidade da safra não é consequência do aumento da área plantada, mas da produtividade de algumas culturas, especialmente da soja. Dessa forma, os produtos e matérias-primas destinados ao setor agrícola revelam-se fundamentais para os progressos conquistados. A área plantada no país apresentou um crescimento muito pequeno em dez anos, consistindo, basicamente, na incorporação de áreas de pastagens. Isso demonstra que o avanço está associado a um salto de produtividade puxado, em grande parte, pelo aumento do consumo de fertilizantes e defensivos no Brasil, explica Paulo César Meireles. Somente em outubro, foram entregues 3,85 milhões de toneladas de fertilizantes no país, segundo informações da Associação Nacional para Difusão de Adubos (ANDA). O índice representa novo recorde para um único mês. Comparado a outubro do ano passado, o aumento foi de 6,1%. A ANDA acredita que o crescimento em questão decorra, principalmente, das entregas para a cultura de soja. Entre janeiro e outubro de 2013, o total de nutrientes (NPK) entregues foi superior a 11 milhões de toneladas, uma evolução de 4,0% em relação ao mesmo período de O estado do Mato Grosso concentrou o maior volume de entregas no período janeiro-agosto/2013, atingindo mil toneladas. O Paraná aparece em seguida, com mil toneladas, acompanhado por São Paulo, com mil toneladas. O Rio Grande do Sul ocupa a quarta posição, com mil toneladas. A comercialização de fertilizantes, portanto, está diretamente ligada à produtividade agrícola, já que o produto exerce uma função primordial para o adequado desenvolvimento das lavouras. A estimativa é de que as vendas do insumo possam atingir até 31 milhões de toneladas. Em 2012, quando já havia sido registrado recorde de vendas no país, as mesmas totalizaram 29,53 milhões de toneladas. Foco no agronegócio Desde que substituiu o caráter regional por uma atuação discriminada por segmento de mercado, a Gerência de Produtos Químicos da BR (GPQ) vem dedicando ao agronegócio uma atenção cada vez maior. Com uma presença mais especializada no setor, novos produtos estão sendo incorporados ao portfólio da gerência, somando-se aos já tradicionais: enxofre, hexano e óleo agrícola (OPPA). Para acompanhar o crescimento da demanda por produtos agrícolas, a Gerência de Química Fina e Agronegócio (GQUIF) 37

36 nome CAMPO da FÉRTIL retranca conta com uma Gerência de Vendas de Fertilizantes (GVFERT) focada no agronegócio. Em setembro de 2014, está prevista a conclusão da UFN III (Unidade de Fertilizantes Nitrogenados de Três Lagoas), que terá uma capacidade de produção de 1,27 milhão de toneladas de ureia granulada e 70 mil toneladas de amônia por ano. Paulo Meirelles acredita que a qualidade da ureia produzida na Unidade proporcionará uma mudança significativa na produção brasileira, que passará a responder por cerca de 65% do mercado nacional, reduzindo as importações para 35%. Uma planta para produção de sulfato de amônio está sendo construída na Fábrica de Fertilizantes da Petrobras (FAFEN) de Sergipe, no município de Laranjeiras. A previsão é de que a obra seja entregue em novembro deste ano, quando será iniciada a préoperação da unidade. Com isso, acreditamos que, no início de 2014, já tenhamos o produto disponível para comercialização, reforçando e ampliando o nosso portfolio, aposta o gerente. Em abril de 2010, passamos a atuar na distribuição de ureia produzida nas FAFENs. No momento, já somos líderes de mercado na ureia pecuária (Reforce N), e estamos nos estruturando para aumentar nossa participação na ureia fertilizante, conta Meirelles. Portfólio ampliado A Petrobras Distribuidora possui uma rede de distribuição que comporta o fornecimento de produtos e serviços a todo o território nacional. No setor de químicos para o agronegócio, a presença da BR é ainda mais forte nas regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, para as quais disponibiliza seus produtos às mais diversas culturas agrícolas. A capacidade da equipe Consumo de fertilizante bate recorde em 2013, impulsionado, principalmente, pela cultura da soja. comercial em mobilizar-se e se fazer presente junto às principais regiões produtoras tem ocasionado grandes oportunidades de análise das necessidades dos clientes e promovido gestões para adequação de tipos de embalagem e atendimento aos principais mercados e culturas, ressalta Cassiano Vieira de Campos Filhos, gerente de Química Fina e Agronegócios da BR. O gerente cita o enxofre como um dos destaques do portfólio da Companhia. Produzido especialmente para atender o setor agrícola, o produto é comercializado nas principais regiões produtoras do país, e atua como componente da formulação de fertilizantes e no clareamento de açúcar. Vieira destaca, também, o óleo para pulverização agrícola, OPPA BR EC, usado como fungicida no controle do mal-de-sigatoka amarela doença que ataca as folhas das bananeiras, afetando a produção e a qualidade das frutas e das cochonilhas de carapaça, na cultura de citrus eliminando-as por asfixia. Além da ação direta do óleo, seu efeito adjuvante melhora a eficácia de outros inseticidas de contato. A sinergia entre a Gerência de Produtos Químicos, a Gerência de Produtos de Aviação (GPA) e a Gerência de Grandes Clientes (GGC) tem favorecido a ampliação das negociações com os grandes empresários e produtores rurais. A participação conjunta da GPQ com as demais áreas da BR nas principais feiras e eventos do segmento proporciona maior conhecimento das demandas e dos clientes, com notório ganho para a estrutura comercial da empresa, diz o gerente, que ressalta, ainda, o envolvimento das equipes comercial, logística e de desenvolvimento da Gerência na superação dos desafios dos processos de expedição, armazenagem e comercialização dos produtos. 38

37 nome CAMPO da retranca FÉRTIL Aviação Com a expansão sequencial da safra de grãos dos últimos anos, a opção dos produtores pela pulverização aérea de defensivos químicos tem sido cada vez mais recorrente no Brasil. Além de mais ágeis, as aeronaves agrícolas são, também, mais precisas e menos prejudiciais ao solo, se comparadas aos tratores. Trata-se de um mercado que tem crescido, em média, de 6% a 7% ao ano. Por essa razão, a Associação Nacional de Defesa Vegetal (Andef), em parceria com Universidades públicas, lançou um programa de certificação de empresas e operadores privados, com o objetivo de aumentar a eficiência do setor. De acordo com o Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag), o Brasil já possui 231 empresas de aviação agrícola registradas na Agência Nacional de Aviação Civil (Anac). A frota brasileira de aeronaves reúne unidades, e gera cerca de sete mil empregos diretos. Contribuindo para impulsionar o crescimento do setor, a BR é uma das principais fornecedoras de combustível para aeronaves agrícolas do país (a principal no Rio Grande do Sul). A gasolina de aviação, AVGAS, é um produto que atende às especificações internacionais, com propriedades, requisitos de desempenho e cuidados com manuseio e transporte diferenciados. Crédito Rural O Governo Federal lançou, recentemente, o Plano Agrícola e Pecuário 2013/2014, por meio do qual financiará R$ 136 bilhões aos produtores rurais. A expectativa do Governo é de que a safra 2014 produza 190 bilhões de toneladas de grãos. Do total, 97,6 bilhões serão direcionados à comercialização e ao custeio, e 38,4 bilhões a investimentos em áreas estratégicas, como armazenamento, logística e infraestrutura. A qualidade da ureia produzida na Unidade de Fertilizantes Nitrogenados de Três Lagoas proporcionará uma mudança significativa na produção brasileira, que passará a responder por cerca de 65% do mercado nacional, reduzindo as importações. Banco de Imagens Petrobras 39

38 nome CAMPO da FÉRTIL retranca Reforce N A BR disponibiliza ao mercado a ureia pecuária: um suplemento alimentar para ruminantes. O Reforce N da BR é comercializado diretamente para o produtor rural, em todo o território nacional. O produto foi desenvolvido pela Petrobras para uso exclusivo na alimentação de bovinos, caprinos, ovinos e bubalinos, e é comercializado em sacos de 25 kg e bigbags de 750 kg e kg. O Reforce N se apresenta na forma de granulado sólido, na cor branca, e tem em sua composição básica ureia com 46% de nitrogênio. A BR é líder de vendas do produto no âmbito nacional, com grande participação nas vendas na região Centro-Oeste, em função da necessidade das grandes pecuárias e dos confinadores de complementar as necessidades de alimento do rebanho nos períodos de seca nos principais estados produtores (MT, MS e GO), informa Cassiano Vieira. Vantagens do Reforce N Favorece a maior produção de carne e leite de ruminantes submetidos a dietas com baixo índice proteico. Reduz o custo da ração ao fornecer nitrogênio não proteico. Tecnologia simples, acessível ao criador, exigindo baixo custo de implantação. Reduz perdas de peso e atraso no crescimento de bovinos durante os períodos de estiagem. Pode ser usado em misturas com sal mineral, em diversos outros manejos nutricionais. Arquivo BR 40

39 nome CAMPO da retranca FÉRTIL Ureia Fertilizante A ureia é a principal fonte de nitrogênio da agricultura. Responsável por cerca de 54% do nitrogênio consumido no Brasil, ela apresenta a melhor relação custo x benefício se comparada com outras fontes. A fertilização nitrogenada favorece o aumento da área foliar, permitindo maior captação de energia luminosa. Apesar de comercializarmos o produto há apenas três anos, conseguimos desenvolver bons negócios com os principais produtores, cooperativas e empresas misturadoras de fertilizantes espalhadas pelo país, com destaque para a região oeste da Bahia, Goiás e Minas Gerais, comenta o gerente de Química Fina e Agronegócios da BR. A ureia fertilizante é um produto de origem nacional, elaborado nas Fábricas de Fertilizantes Nitrogenados da Petrobras unidades de Camaçari (BA) e Laranjeiras (SE). O produto é comercializado em sacos de 25 kg e bigbags de 750 kg, kg e kg. Vantagens da Ureia Granulada Maior concentração de nitrogênio, reduzindo custos de adubação, transporte, armazenamento e aplicação. Maior custo por unidade de nitrogênio; Menos acidificante que a maioria dos fertilizantes nitrogenados. Grande eficácia em aplicações foliares. Não gera resíduos indesejáveis, que causam entupimento dos emissários, e não possui efeito abrasivo. Vantagens da Ureia Perolada Otimização da aplicação no campo e na regulagem das máquinas no momento da adubação. Destaca-se pela uniformidade de seus grãos, resultando em maior eficácia na mistura NPK. Maior resistência mecânica dos grãos, minimizando empedramento do produto no armazém. Absorve menos umidade do ar, garantindo uma boa integridade física do produto. A Petrobras Distribuidora disponibiliza ureia com duas diferentes características: perolada e granulada, sendo que a Companhia é pioneira na comercialização de ureia granulada no Brasil. Juarez Cavalcanti / Banco de Imagens Petrobras 41

40 nome CAMPO da FÉRTIL retranca Óleos Agrícolas Os óleos agrícolas são amplamente utilizados nas pulverizações de lavouras para controle de pragas e doenças. A Petrobras Distribuidora oferece ao mercado o OPPA e o OPPA-BR-EC, produtos à base de óleo mineral de alta pureza desenvolvidos para uso na agricultura. O OPPA atua de forma eficaz no controle do Mal-de-Sigatoka-Amarela, uma importante doença fúngica da cultura da bananeira. O óleo mineral, sobre as partes vegetais lesionadas da planta, interfere negativamente no ciclo de vida do patógeno, impedindo a progressão dos sintomas da doença. O OPPA-BR-EC, formulado a partir de OPPA e aditivos, é altamente eficiente no controle das conchonilhas-de-carapaça na cultura de citros. Quando bem aplicado, o produto funciona como uma barreira física às trocas gasosas destes insetos, eliminando-os por asfixia. Além de seu efeito inseticida, o produto também aumenta a eficácia dos princípios ativos de outros defensivos agrícolas quando adicionado à calda de pulverização. Vantagens dos Óleos Agrícolas Alto poder adjuvante com baixo custo. Promove maior segurança ambiental ao diminuir o risco de deriva nas aplicações terrestres e aéreas. Apresenta ótimos resultados em aplicações aéreas. Melhora a distribuição e a aderência na superfície da planta, diminuindo o efeito de lavagem da folha pela chuva. Retarda a evaporação da calda de pulverização. Acelera a absorção dos defensivos da planta tratada. Melhora a eficiência da aplicação, mesmo sob baixa umidade relativa do ar. Apresenta excelentes resultados nas dessecações, inclusive na renovação de áreas de cana-de-açúcar. Foto: Lucas Saporiti 42

41 nome CAMPO da retranca FÉRTIL Segurança e Meio Ambiente O Brasil é o maior consumidor de defensivos agrícolas do mundo. Devido à resistência das embalagens desses produtos, sua decomposição em meio natural é lenta. Por essa razão, importantes medidas de segurança devem ser observadas, como forma de prevenção da contaminação de rios e solos. Um desses métodos é a reciclagem. A Gerência de Produtos Químicos (GPQ) da BR é associada ao Instituto Nacional de Processamento de Embalagens Vazias (inpev), uma entidade sem fins lucrativos, voltada a promover, em todo o Brasil, a correta destinação das embalagens vazias de defensivos agrícolas. O Instituto mantém parcerias com nove empresas recicladoras, estrategicamente localizadas nos estados do Mato Grosso, Minas Gerais, Paraná, Rio de Janeiro e São Paulo. A prática de descarte de embalagens da GPQ segue padrão definido pelo inpev, desenvolvido em conformidade com as características do cenário agropecuário brasileiro. Segundo a legislação vigente, a responsabilidade pelo recolhimento e manejo das embalagens vazias de defensivos agrícolas deve ser compartilhada entre todos os agentes produtivos envolvidos (agricultores, canais de distribuição, indústria e poder público). As embalagens do óleo mineral OPPA, da BR, são recicladas por empresas que atuam em parceria com o Instituto. Ao todo, as nove empresas recicladoras são encarregadas de receber e reciclar as embalagens vazias conforme padrões preestabelecidos de segurança, qualidade e rastreabilidade, cumprindo as normas dos órgãos ambientais e as exigências legais. A partir da reciclagem das embalagens vazias de defensivos agrícolas, essas empresas produzem 17 diferentes artefatos, em especial, os de uso industrial, todos orientados e aprovados pelo inpev. A incineração das embalagens não recicláveis é realizada por cinco empresas, localizadas nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia, explica Rodrigo Almeida, engenheiro Agrônomo da Gerência de Desenvolvimento de Soluções Químicas da BR. Rodrigo enumera outros exemplos de práticas seguras de manuseio e aplicação de defensivos agrícolas, que também contribuem para a redução dos riscos de agressão ao meio ambiente: Não utilizar equipamentos com vazamentos. Não aplicar o produto na presença de ventos fortes ou nas horas mais quentes. Aplicar somente as doses recomendadas. Não lavar embalagens ou equipamento aplicador em lagos, fontes, rios e demais corpos d água. Destinar adequadamente as embalagens e os restos de produtos. Além da importância ambiental, a reciclagem das embalagens gera renda através da venda dos artefatos. De acordo com o engenheiro agrônomo da GPQ, o sistema de logística reversa gera, aproximadamente, empregos diretos em toda a rede nacional. O sistema de logística reversa de embalagens de defensivos agrícolas do Brasil é o mais eficiente do mundo, de modo que quase a totalidade das embalagens (94%) consumidas é destinada corretamente. Especialistas do setor de defensivos de outros países visitam o país para observar nosso modelo de destinação, finaliza o engenheiro. Contatos BR: Cassiano Vieira de Campos Filho / (21) Paulo Cesar Toledo Meirelles / (21) Rodrigo Almeida / (21) Luis marcelo freitas é o titular da Gerência de Produtos Químicos (GPQ), cujo objetivo é distribuir e comercializar produtos químicos, insumos e serviços para a indústria química, petroquímica e de petróleo. A gerência está apta a desenvolver, fabricar ou buscar fontes alternativas de suprimento, quando isto se mostrar necessário. A GPQ tem como compromisso observar os melhores prazos de atendimento e especificações para os clientes, com níveis adequados de rentabilidade. 43

42 nome Logística da retranca industrial DISTRIBUIÇÃO INOVADORA BR é pioneira no transporte a granel de lubrificantes utilizando o flexitank; na Amazônia, também estão previstos os tanques flexíveis para armazenagem dos produtos S.A.T. - Serviços Aero Técnicos Mobilidade permite a montagem e desmontagem do tanque flexível para outras locações, de acordo com a necessidade de armazenamento do cliente 44

43 Logística nome da industrial retranca Jesuel Pires de Almeida Em épocas de estiagem, tanques flexíveis permitem armazenamento do produto, sem necessidade de balsas-tanque, reduzindo custo de frete Já está em operação a iniciativa pioneira da Petrobras Distribuidora para a logística de óleos isolantes na região de Manaus (AM): o transporte a granel com flexitanks uma embalagem plástica multicamada, utilizada no transporte marítimo de longo curso, capaz de gerar economia e eficiência nas operações. A unidade foi projetada para ser utilizada em contêinerespadrão de 20 pés, com capacidade para transportar até litros de um mesmo produto. Para 2014, também está prevista outra novidade: a entrada em operação dos tanques flexíveis, unidades de armazenagem de combustíveis em bases da região amazônica. Na operação com flexitanks, o produto é carregado na Gerência Industrial (GEI), em Duque de Caxias (RJ), de onde segue por rodovia até o porto de Itaguaí (RJ). Lá, o contêiner é retirado do caminhão e colocado no navio, que segue de cabotagem até Manaus. Ao chegar na capital amazonense, é feito um novo transbordo para um caminhão, que faz uma operação city market até o cliente final. Além dos lubrificantes, o flexitank também pode ser usado no transporte de outros produtos líquidos não perigosos, tais como: óleos agrícolas, vinho, sucos de frutas, biocombustíveis, glicerina e produtos químicos industriais. De acordo com Marcelo Acioly, da Gerência de Marketing de Lubrificantes a Consumidores da BR (GMLC), o carregamento em flexitanks precisa ser do tipo bottom load, mas as instalações atuais da fábrica não permitiam esse tipo de carregamento (apenas carregamento tipo top load). Foi aí que as áreas Industrial e de Manutenção da Gerência Industrial desenvolveram algumas adaptações na linha de carregamento dos óleos isolantes que viabilizaram as vendas para o cliente Indústria de Transformadores da Amazônia (ITAM). Isso permitiu o posicionamento da BR nesse mercado, fazendo frente ao fornecedor concorrente, da Índia. Ainda há algumas melhorias em curso para que os carregamentos se tornem mais eficazes e mais seguros. Os investimentos definitivos nas linhas de carregamento da fábrica estão previstos para 2015, o que tornará nosso parque muito mais moderno, e talvez permita a ampliação do uso de flexitank em outras linhas de produto. No momento, nosso foco de atuação é consolidar o uso desse modal para os óleos isolantes, explica Josué Mateus Bohn, gerente de Logística Industrial (GLGI) da BR. Destacamos também a versatilidade do uso desses dispositivos, que podem ser deslocados para as instalações dos clientes e por lá permanecerem até seu completo esgotamento. Tal van- 45

44 nome Logística da retranca industrial tagem também implica redução de gastos, ao considerarmos os custos com sobreestadias de caminhões, afirma Josué. Uma das principais vantagens do flexitank, quando comparado ao modal mais utilizado atualmente, o isotank, é seu menor custo operacional. Isso porque as operações com isotank requerem onerosos procedimentos de limpeza para descontaminação do equipamento, além de contrato de leasing do equipamento e dificuldades para a realização do frete de retorno. De acordo com Acioly, o flexitank pode ser facilmente descartado por empresas especializadas, deixando o contêiner livre para transportar outras cargas numa operação de frete de retorno. Outra vantagem do flexitank se dá com relação ao meio ambiente. Uma única embalagem pode substituir até 120 tambores metálicos, reduzindo o volume de resíduos. Tanques flexíveis: nova tecnologia de armazenagem nas bases da região amazônica As inovações adotadas pela BR para suprir as necessidades dos clientes da região amazônica não abrangem apenas o transporte de lubrificantes. Os tanques flexíveis, desenvolvidos para armazenar óleo diesel e querosene de aviação, se apresentam como uma importante tecnologia para a logística de suprimento de combustíveis nas bases operacionais da Companhia. Diferentemente do que ocorre em empreendimentos convencionais, as locações áreas operacionais em regiões remotas apresentam características operacionais que influenciam a logística de suprimento, explica Jesuel Pires de Almeida, gerente da Petrobras Distribuidora no aeroporto de Manaus. Uma das peculiaridades das locações é o seu caráter não permanente, que resulta em mobilizações e desmobilizações dos empreendimentos e de seus equipamentos de acordo com as perspectivas de prospecções locais, fato que demanda a utilização de equipamentos com características de mobilidade. Ao final de uma operação, os tanques flexíveis podem ser desmontados e utilizados em outra operação. Com uma oferta restrita de balsas-tanque na região, principalmente das de casco duplo (exigência para a garantia da segurança operacional), os tanques flexíveis substituirão essas embarcações, que, atualmente, armazenam os combustíveis do Terminal de Manaus, e são Marcelo Acioly Fácil descarte e redução de custos fazem do flexitank uma excelente alternativa para transporte de produtos a granel para regiões remotas 46

45 Logística nome da industrial retranca destinados ao abastecimento das aeronaves da Petrobras na floresta. A aquisição da nova tecnologia em equipamentos de armazenagem está alinhada à melhoria da prestação de serviços aos clientes de aviação e ao processo de aperfeiçoamento contínuo da segurança operacional da Companhia, ressalta o gerente. Projeto-piloto O projeto-piloto para a utilização dos tanques flexíveis nas bases operacionais da Amazônia se dará em Carauarí. Na localidade, a logística é feita pelo rio Juruá, em cujas margens a BR dispõe de local cedido pelo cliente para instalar os tanques. Dessa forma, destaca Jesuel, a parceria dos clientes e fornecedores é de fundamental importância para o pleno êxito das atividades da BR na região. Os tanques flexíveis são feitos de borracha nitrílica, reforçados com material têxtil de alta resistência. Sua capacidade de armazenamento pode variar de 1 m 3 a 300 m 3, em função das características e do modelo logístico de suprimento programado para cada operação. Para apoiar as operações especiais da Petrobras na região, é prevista a utilização de tanques com capacidade de 100 m 3 a 300 m 3. A Petrobras deve esperar uma operação mais ágil, com menores riscos, e, principalmente, poderá realizar seus projetos exploratórios de sondagem e sísmica sem sofrer com a sazonalidade das cheias dos rios, pois poderemos planejar o suprimento de forma a garantir, nos períodos de seca, a armazenagem de todo o combustível necessário aos processos e atividades delineados àquela operação, conclui Jesuel. Contatos BR: Marcelo Acioly / (21) Josué Mateus Bohn / (21) Célio Silveira Teixeira / (21) Jesuel Pires de Almeida / (92) Arquivo BR Em comparação com as tradicionais balsas-tanque, os tanques flexíveis trazem diversas vantagens: Sobreestadia As balsas-tanque que operam na armazenagem somente são liberadas para o proprietário após o consumo total do combustível armazenado. Por serem móveis, os tanques flexíveis podem reduzir significativamente o custo diário de permanência da balsa na locação. Segurança operacional Diferentemente das balsas, com a utilização dos tanques flexíveis, a armazenagem dos combustíveis será realizada em solo, o que permitirá maior controle da qualidade e da segurança operacional. Redução de custos A utilização de tanques flexíveis permite, em caso de encerramento da atividade de prospecção em uma locação, a sua reutilização em outros pontos de interesse sem a necessidade de novos investimentos ou descarte dos equipamentos, favorecendo, inclusive, os requisitos que envolvem os aspectos ambientais. Prevenção de acidentes e suprimento Durante o período de estiagem, que ocorre na região anualmente entre junho e dezembro, os rios atingem níveis críticos de navegabilidade, gerando riscos de adernamento e perfuração dos cascos das balsas. Pelo difícil acesso às locações, também são maiores as possibilidades de ocorrer interrupção do suprimento, o que pode ser prevenido com o uso dos tanques. 47

46 nome da retranca PESQUISA Cláudio Ferreira/Banco de Imagens Petrobras Na mente e no coração do consumidor BR ganha o inédito prêmio do site Reclame Aqui, e a marca Petrobras mantém sua liderança na preferência dos brasileiros Não é de hoje que a marca Petrobras figura muito bem em pesquisas de imagem no Brasil. Além de conquistar, mais uma vez, as principais premiações que medem a preferência do público quando se pensa em posto de combustível Top of Mind /Folha, Mais Admiradas /Carta Capital, Marcas dos Cariocas /O Globo, Marcas de Confiança /Ibope, a Companhia ganhou o Prêmio Época ReclameAQUI Qualidade no Atendimento 2013 como a preferida no segmento. A BR teve mais de 84% dos votos no site de defesa dos direitos do consumidor. O ReclameAQUI é considerado, hoje, um dos principais portais de reclamações, registrando um crescimento expressivo nos últimos tempos, com mais de 9 milhões de acessos mensais. O site permite às pessoas fazerem reclamações sobre compra e venda de produtos e serviços. O sistema é gratuito e aberto a qualquer cidadão. As queixas publicadas são encaminhadas por à parte reclamada, que dispõe de espaço para justificar a falha e apresentar soluções para atender à demanda. As reclamações cadastradas geram um ranking, atualizado diariamente, das melhores e piores empresas, segundo o número de reclamações, o tempo de resposta, o índice de solução, entre outros critérios. O Prêmio Época ReclameAQUI seleciona apenas as empresas mais bem avaliadas no site para integrar as 40 categorias julgadas, todas avaliadas pela qualidade do atendimento aos usuários. 49

47 nome PESQUISA da retranca Confiança e atendimento Para a BR, a confiança é o que garante a fidelidade dos consumidores, que podem contar com uma atuação integrada de três canais de relacionamento: o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC), o Canal Portal de Negócios e a Central de Serviços Comerciais (CSC). De acordo com Maurício Henriques Marques Luz, coordenador de Tratamento de Manifestações da Gerência de Atendimento da BR, ter um bom conceito no site significa mais confiança na marca. A reputação das empresas no ReclameAQUI é totalmente construída pelo manifestante, que considera três itens: satisfação com a resposta, se o caso foi solucionado e se faria negócio novamente com a empresa. A Petrobras Distribuidora participou da etapa final porque manteve, por mais de seis meses, o conceito ótimo, explica. Ele adverte que um atendimento mal prestado pode acarretar impactos negativos à imagem de uma corporação, principalmente levandose em consideração o significativo alcance das reclamações nas redes sociais. Desse modo, é preciso atuar nas linhas de frente do relacionamento com os públicos de interesse. Damos enorme importância ao tratamento de todos os casos, a fim de mantermos nossos públicos satisfeitos. As manifestações são uma importante fonte de melhoria dos processos da Companhia, pois, com base nos contatos realizados por nossos públicos, podemos implantar novas formas de ação que minimizem ou eliminem o motivo causador daquele contato, explica. Para a coordenadora de Serviços a Clientes da BR, Andrea Ponte, esse prêmio sinaliza que as estratégias de atendimento adotadas estão no caminho certo. Sermos os campeões do ReclameAQUI, em nossa categoria, pode ser considerado uma forma tangível de mensurar a satisfação dos clientes com o atendimento e com os serviços disponibilizados pela empresa. Damos enorme importância ao tratamento de todos os casos, a fim de mantermos nossos públicos satisfeitos. Canais de Atendimento Cada um dos canais trabalha para atender às demandas de um público específico, mas de forma integrada. Tal característica permite acompanhar as interações dos diferentes tipos de clientes da carteira da BR, possibilitando a elaboração de estratégias diferenciadas, de acordo com o segmento ou com a demanda específica do cidadão. No Espírito Santo, onde a BR distribui gás natural, o SAC tem como foco os clientes que con- somem esse produto. Já o CSC presta assistência a revendedores e grandes grupos empresariais. O Canal de Negócios é o portal online de atendimento, também para revendedores e grandes consumidores. Há uma estrutura de 120 pessoas para solucionar problemas, esclarecer dúvidas e responder demandas com eficiência. Por telefone, e chat, o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) recebe cerca de chamados por mês. Os consumidores também podem tirar dúvidas e fazer comentários pelo Facebook e pelo Twitter monitorados pela equipe da Gerência de Propaganda da BR e pelo próprio SAC. A Coordenadoria de Serviços a Clientes é responsável pela gestão de três canais de atendimento. Conheça as atribuições de cada um: Central de serviços comerciais: Cadastramento de pedidos; verificação de status do pedido e do carregamento; emissão da 2ª via do boleto; manutenção de equipamentos; informações financeiras; esclarecimentos de dúvidas, entre outros. Canal de Negócios: Portal online transacional para os clientes, que oferece a possibilidade de realizar download da NF-e (nota fiscal eletrônica) e de programar pedidos, entre outros serviços e informações, além de todos os já prestados pela Central de 50

48 nome da retranca PESQUISA Arquivo BR Canais de atendimento da Companhia trabalham de forma integrada, criando estratégias diferenciadas para cada demanda Serviços Comerciais. Canal Mobile: Solicitação de pedidos e verificação de status de carregamento através de aplicativo móvel, disponível para Android, Windows Mobile e Apple (IPhone e IPad). Atendimento comercial A Gerência de Atendimento tem a incumbência do tratamento das manifestações dos consumidores e fornecedores. Para isso, conta com a atuação da Central de Serviços Comerciais, uma interface muito procurada pelos postos de serviços e grandes consumidores empresariais. Cerca de 95 funcionários trabalham nessa Central, distribuídos na prestação de diversos serviços, para atender às demandas dos revendedores e grandes clientes. A célula comercial trata das demandas relativas às solicitações de entregas, de consultas sobre a posição de atendimento do pedido, informações financeiras, incluindo a emissão da 2ª via do boleto, o cadastramento e tratamento de manifestações com características de reclamação, esclarecimento de dúvidas, elogios, e também atua com uma Central diferenciada para análise e posicionamento sobre as entregas que apresentem problemas. O conhecimento das expectativas e necessidades do cliente é fundamental para o desenho de soluções eficientes, que possam agregar valor ao negócio do cliente e da BR. Com base nessa premissa, os serviços são modelados com base nas informações extraídas das pesquisas realizadas, sugestões, interações com os canais de atendimento e experiências dos clientes com os produtos e serviços da empresa, conclui Andrea. Sobre a interação com todas as áreas, Maurício Luz lembra que isso é fundamental para o alcance dos resultados. Nenhum SAC é eficaz sem o apoio das demais áreas da empresa, que nos auxiliam em resolver as manifestações. Sem o senso de urgência e importância naturais em um SAC, e que já está compartilhado em muitas áreas internas de interface, nosso trabalho seria em vão. Marca campeã A mais lembrada Pela 11ª vez consecutiva, a Petrobras ganha o tradicional Prêmio Top of Mind, da Folha de S. Paulo, na categoria Combustível. A pesquisa identifica, todos os anos, as marcas mais lembradas pelos brasileiros. As respostas são livres e espontâneas, a partir de entrevistas feitas com mais de 5 mil pessoas, a partir de 16 anos de idade, em 160 cidades, nos 26 estados mais o Distrito Federal. Folha de S. Paulo 51

49 nome PESQUISA da retranca O Instituto Datafolha, responsável pelo levantamento, ressalta que ter uma marca forte no mercado, desejada pelos consumidores, é privilégio de poucas companhias, e acredita que é sempre pela lembrança que se transmitem os significados de campanhas publicitárias e dos altos investimentos para conquistar a fidelização do público. E que não apenas os consumidores de grandes cidades contribuam para o sucesso de uma marca, mas também os residentes em pequenos municípios. Por essa razão, todas as regiões do país são visitadas, ouvindo pessoas de classes sociais e escolaridade diversas. Em todas as onze edições do Top of Mind, a Petrobras foi líder em sua categoria. A pergunta que elegeu a mais lembrada pelo público foi: Qual é a primeira marca que lhe vem à cabeça quando se fala em Combustível?. A mais admirada A Petrobras também foi destaque da 16ª edição do ranking As Empresas mais Admiradas no Brasil, elaborado pelo Instituto Oficina Sophia e promovido pela revista Carta Capital. Além de ter sido eleita a mais admirada do país no segmento petroquímico, chegou à 7 a posição entre As 10 empresas mais admiradas. Na categoria Os 10 líderes mais admirados, Graça Foster, presidente da Petrobras, conquistou a 8ª colocação. A BR também foi destaque no segmento Distribuidores de Combustíveis ou Derivados de Petróleo. José Lima de Andrade Neto, presidente da BR, recebeu o troféu. Durante o evento de premiação, foi lançado um anuário com o resultado completo da pesquisa, uma análise do momento empresarial brasileiro e os fatores que contribuem para que as empresas premiadas sejam admiradas pelos principais executivos do país. A pesquisa é realizada com executivos de todos os setores da economia, e avalia as empresas a partir de 13 critérios, envolvendo responsabilidade social, respeito pelos consumidores, força da marca, solidez financeira, comprometimento com o desenvolvimento do país, entre outros. A cerimônia de entrega dos Prêmios, realizada pela Carta Capital, também contou com a presença de importantes personalidades do cenário empresarial e político brasileiro, como a presidente Dilma Rousseff, o prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, o senador Aécio Neves, o ministro Guido Mantega, entre outros. A mais confiável A Petrobras foi reconhecida como a Marca Mais Confiável do Brasil na cerimônia de entrega do Presidente da Petrobras Distribuidora, José Lima de Andrade Neto, recebe troféu Carta Capital Arquivo BR 52

50 nome da retranca PESQUISA prêmio Marcas de Confiança Seleções/Ibope, realizada em São Paulo. O prêmio foi dividido com a Nestlé, que empatou tecnicamente com a estatal. A Petrobras Distribuidora também venceu, pelo 11º ano consecutivo, na categoria Bandeira de Posto de Combustível. Em sua 12ª edição, o estudo indica a confiança dos leitores da revista em marcas, instituições e personalidades brasileiras. Com amostragem de pessoas, este ano, o prêmio apurou a confiabilidade do consumidor em 36 categorias de produtos, além das cinco categorias especiais e dos sete grupos de personalidades. A Preferida dos cariocas A pesquisa Marcas dos Cariocas é um levantamento encomendado pelo O Globo ao Grupo Troiano de Branding. Com o levantamento, foi possível traçar um panorama do consumidor da cidade do Rio de Janeiro, reve- Marcas dos Cariocas - O Globo Petrobras Distribuidora conquista 1º lugar no Espírito Santo, na categoria Comércio Atacadista lando as empresas com as quais o carioca mais se identifica, assim como informar às empresas sobre o que pensam sobre suas marcas e produtos. A pesquisa tem como objetivos avaliar a consistência das marcas e as principais ações adotadas para atender os seus consumidores, além das estratégias de quistando o 1º lugar na categoria Comércio Atacadista e o 1º lugar entre as empresas comerciais. Dados de cerca de 230 empresas do estado foram observados, além de informações obtidas a partir de grupos empresariais. Indicadores contábeis e financeiros de 2012 foram considerados, como receita operacional bruta, lucro líquido do exercício, patrimônio comunicação e como são percebidas pelo público. Ao todo, 5 mil líquido, número de empregados, pessoas foram ouvidas, e, pelo rentabilidade, liquidez, entre outros. 4 o ano consecutivo, a Petrobras O Prêmio foi recebido pelo gerente foi eleita a preferida na categoria Executivo de Negócios de Energia, Postos de Combustível. Edson Chill Nobre, que representou A BR também foi destaque na a BR no evento, realizado em Vitória. edição por sua preocupação com Entre as atividades desenvolvidas pela Petrobras Distribuidora no o meio ambiente, demonstrada em projetos como o dos táxis elétricos, em parceria com a Nissan e com a Prefeitura do Rio de Janeiro, e o Posto do Futuro, lançado em Espírito Santo, destacam-se a distribuição de gás canalizado, a rede de postos e serviços, a comercialização de combustíveis líquidos Preferida dos capixabas A Petrobras Distribuidora recebeu e lubrificantes para grandes clientes, além da distribuição de o Prêmio 200 Maiores produtos químicos, asfaltos e Empresas do Espírito Santo, con- produtos de aviação. Arquivo BR 53

51 nome ENERGIA da NO retranca CAMPO Nnonoo nononoo noon LUBRAX PREMIADO Voltado para o forte segmento sucroalcooleiro e agropecuário, Prêmio Visão Agro elege o Lubrax pela primeira vez N o ano em que completa 40 anos de mercado, o Lubrax é eleito o Melhor Lubrificante de 2013, na categoria Lubrificantes Industriais. Em sua décima primeira edição, o Prêmio Visão Agro Saccharum homenageia os destaques das áreas agrícola, industrial e administrativa do setor sucroalcooleiro nacional. A escolha foi realizada por meio de uma pesquisa com as 40 principais unidades produtoras do Brasil, abrangendo os estados de São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Paraná e Alagoas. A premiação é considerada pelo mercado um dos principais eventos sociais do segmento agroindustrial de cana-de-açúcar. 54

52 nome ENERGIA da retranca NO CAMPO O evento tem como missão difundir as boas práticas do segmento, contribuindo para elevar os padrões de qualidade e de competitividade do setor. Para identificar as melhores empresas fornecedoras de produtos e serviços do ano, um questionário foi enviado às principais usinas e destilarias do país para que elegessem os seus preferidos. O prêmio é definido por votação espontânea das maiores A premiação é considerada pelo mercado um dos principais eventos sociais do segmento agroindustrial de cana-de-açúcar. de Bauru, Vagner Contesini, além de representantes das Gerências de Venda a Consumidores de Ribeirão Preto, Campinas e Bauru. Barreto ressalta, ainda, que o empenho e a dedicação dos profissionais da Petrobras Distribuidora em sua atuação no mercado sucroenergético foram os responsáveis pelo reconhecimento recebido. Com o desenvolvimento de novos produtos da linha de lubrificantes industriais para usinas, e um grande foco de nossos engenheiros de suporte técnico e de nossa equipe comercial junto ao segmento, obtivemos excelentes resultados de vendas em Esse esforço foi coroado com o prêmio inédito, comemora. Ao longo de dez anos, o Prêmio Visão Agro já prestigiou mais de quatro 4 mil empresas e cerca de 3 mil personalidades do mercado sucroenergético nacional. A cerimônia de premiação ocorreu em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, com a presença de representantes de toda a cadeia de produção do segmento sucroenergético. Contato BR: Gilvan de Sá Barreto / (19) usinas do Brasil, que representam mais da metade da produção nacional. Foi muito satisfatório saber que a marca Lubrax está na mente dos grandes players do setor, o que nos motiva a avançar ainda mais, declara Gilvan de Sá Barreto, gerente Regional de Consumidor de Campinas (GRCCAM). A equipe da BR que compareceu ao evento foi composta pelo gerente de Marketing de Lubrificantes, Paulo Maurício Cavalcanti Gonçalves, pelo gerente Regional de Consumidor de Campinas, Gilvan de Sá Barreto Júnior, pelo gerente de Vendas a Consumidores Trofeu Divulgação Grupo VisãoAgro 55

53 nome Meio ambiente da retranca IngImage 56

54 nome Meio da retranca ambiente A natureza agradece... Tamar, Baleia Jubarte, Coral Vivo, Golfinho Rotador e Albatroz, alguns dos mais expressivos projetos ambientais patrocinados pela Petrobras, estão agora reunidos na Exposição Rede Biomar, que ficará aberta à visitação pública em Aracaju (SE) até fevereiro de Além de compartilharem a rara beleza do litoral brasileiro, os projetos trabalham pela preservação de animais e compo- nentes da biodiversidade marinha ameaçados de extinção. Todas estas iniciativas alcançaram, ao longo dos anos, resultados expressivos, como o aumento da população de algumas espécies trabalhadas, a produção de conhecimentos científicos e a mobilização social em torno da causa ambiental. Os projetos fazem parte do Planejamento Estratégico Integrado de Biodiversidade Marinha, criado pela Petrobras, em 2007, em parceria com as instituições executoras e o Ministério do Meio Ambiente, por meio do Instituto Chico Mendes para a Conservação da Biodiversidade (ICMBio), para fortalecer as políticas de conservação marinha, no âmbito nacional e internacional. A exposição ficará aberta ao público, diariamente, das 9h às 21h, e terá entrada gratuita. 57

55 MEIO nome AMBIENTE da retranca Em alto mar, a vida se reproduz O apoio da Companhia a atividades de pesquisa, preservação e educação ambiental tem gerado resultados importantes, em diferentes regiões do País. Através do trabalho do Projeto Tamar, houve aumento da população de três das cinco espécies de tartarugas ameaçadas de extinção e, ao todo, 15 milhões de tartarugas foram devolvidas ao mar. Nesta temporada, serão protegidos mais de 23 mil ninhos no continente e nas ilhas, chegando a um total de cerca de 1,5 milhão de filhotes levados ao mar em segurança. O projeto atua em nove estados: Bahia, Pernambuco, Sergipe, Ceará, Rio Grande do Norte, São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Santa Catarina. Desde a criação do Projeto Golfinho Rotador, em 1989, foram realizadas pesquisas durante mais de 6 mil dias, além da conscientização ambiental de mais de 350 mil turistas, 650 oficinas teóricas e práticas de educação ambiental para mais de 8,5 mil alunos e assessoria a 75 meios de hospedagens domiciliares de Fernando de Noronha. O Instituto Baleia Jubarte possui o maior banco de imagens de baleias fotoidentificadas do mundo, mantido por uma única instituição. Já foram catalogados animais da espécie. O turismo de observação das baleias jubarte leva, todo ano, quatro mil turistas à costa da Bahia. No mesmo estado, o Projeto Coral Vivo inaugurou, em 2011, no Arraial d Ajuda o Eco Parque, um sistema inédito na América Latina para avaliar os efeitos da poluição costeira e de mudanças climáticas em corais e outras espécies marinhas, chamado Mesocosmo Marinho. Também criou o Centro de Visitantes do Parque dos Corais de Búzios (RJ), o mais moderno do País, com o objetivo principal de ressaltar a importância da preservação das comunidades de corais na manutenção da vida nos oceanos. Já o Projeto Albatroz possui foco na preservação de albatrozes e petréis, aves oceânicas que interagem com as pescarias em alto mar. Desde 2011, realizou atividades de educação ambiental para 254 pescadores e cerca de crianças e 235 professores de escolas públicas e privadas, além de sensibilizar outras 20 mil pessoas. O projeto atua nos estados de São Paulo, Espírito Santo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Serviço Evento: Exposição Rede Biomar Data: até 3 de fevereiro 2014 Horário: das 9h às 21h (entrada gratuita) Local: Oceanário de Aracaju - Avenida Santos Dumont, s/n, Atalaia - Sergipe IngImage 58

56 nome MEIO da AMBIENTE retranca Banco de Imagens Petrobras TAMAR Criado em 1980, o Projeto Tamar dedica-se à preservação das tartarugas marinhas ao longo da costa brasileira e vem sendo patrocinado pela Petrobras desde Coordenado pelo Instituto Chico Mendes, está presente em nove estados, com área de proteção superior a mil quilômetros da costa. Marco na esfera ambiental e um dos projetos do gênero mais bem-sucedidos no país, o Tamar desenvolve ações que beneficiam as comunidades locais, seja através da integração ao mercado de trabalho, seja com trabalhos de educação ambiental. 59

57 MEIO nome AMBIENTE da retranca Baleia Jubarte Para a conscientização de moradores e turistas em relação à importância da preservação de baleias jubartes, a Petrobras e o Projeto Baleia Jubarte, patrocinado desde 1996, assinaram, em 2005, contrato específico para a construção de um Centro de Pesquisa e Educação Ambiental na Praia do Forte, no município baiano de Mata de São João, de forma a fortalecer as atividades de conscientização ambiental junto a turistas e moradores. O local é privilegiado para a observação das jubartes, que deixam a Antártica entre julho e novembro para se reproduzirem e amamentarem nas águas quentes da Bahia. Cerca de três mil baleias fazem esta migração anual. Baseado no Arquipélago de Abrolhos, o projeto realiza monitoramento e coleta de informações científicas sobre a espécie, incluídas análises genéticas e obtenção de dados sobre migrações e intervalos reprodutivos. Banco de Imagens Petrobras 60

58 nome MEIO da retranca AMBIENTE José Martins - Banco de Imagens Petrobras Golfinho Rotador A companhia patrocina, desde 2001, o Projeto Golfinho Rotador, executado no Arquipélago de Fernando de Noronha (PE) pelo Centro Golfinho Rotador e coordenado pelo Centro Mamíferos Aquáticos / ICMBio. O projeto tem por objetivos a conservação dos golfinhos rotadores e de Fernando de Noronha. Esta espécie é conhecida por suas acrobacias fora d água, que incluem piruetas e saltos em parafuso. A iniciativa compreende, além do programa de pesquisa sobre os golfinhos, um programa de educação ambiental com estudantes da comunidade e visitantes, e também um projeto de envolvimento comunitário que fomenta capacitação profissional em ecoturismo, assessoria à gestão sustentável do sistema de hospedarias domiciliares locais e apoio a iniciativas culturais e esportivas. 61

59 nome Meio ambiente da retranca Carlos Eduardo Ferreira (UFF) - Projeto Coral Vivo Coral Vivo O projeto foi idealizado por pesquisadores do Museu Nacional/UFRJ em 2003 e teve acesso ao patrocínio da Petrobras na Seleção Pública do Programa Petrobras Ambiental em O objetivo principal é desenvolver pesquisa e educação para a conservação e uso sustentável dos ambientes recifais e das comunidades coralíneas brasileiras, atuando de forma integrada, multidisciplinar e multi-institucional. Tem foco em três vertentes: geração de conhecimento (pesquisa); ensino e educação ambiental e sensibilização e mobilização da sociedade na região conhecida como Costa do Descobrimento, em Santa Cruz de Cabrália e Porto Seguro, na Bahia. 62

60 nome MEIO da retranca AMBIENTE Dimas Gianuca - Projeto Albatroz Logo Projeto Albatroz - 4 cores Assinatura Vertical Albatroz Criado em 1991, o projeto tem o objetivo de reduzir a captura não intencional de albatrozes e petréis. As ações do Projeto Albatroz têm sido uma contribuição importante para a conservação da biodiversidade marinha no Brasil. Além disso, com o apoio do projeto, o Brasil tornou-se membro do Acordo Internacional para a Conservação de Albatrozes e Petréis (ACAP), assumindo assim a sua responsabilidade governamental perante a conservação destas aves. Suas principais linhas de ação são o desenvolvimento de pesquisas voltadas à conservação destas aves marinhas ameaçadas de extinção, subsídio a políticas públicas e promoção de ações de educação ambiental nas cidades de Santos e Guarujá (SP), Itajaí e Navegantes (SC), Itaipava (ES) e Rio Grande (RS). 63

61 nome PETROBRAS da retranca SOCIOAMBIENTAL Agência Petrobras novo Programa Socioambiental A presidente da Petrobras, Maria das Graças Silva Foster, lançou o novo Programa Petrobras Socioambiental, que investirá, nos próximos quatro anos, R$ 1,5 bilhão em projetos sociais, ambientais e socioesportivos. Com um conceito que reflete a tendência mundial na área de Responsabilidade Social Corporativa, o programa foi elaborado com base em diretrizes globais referenciadas pelo Pacto Global da Organização das Nações Unidas (ONU) e pelos Princípios da Norma Internacional ISO Ao longo de seis meses de trabalho, foram realizadas mais de 300 consultas até a criação do programa. Durante a cerimônia, ocorrida no final de 2013, a presidente ressaltou que os investimentos nessas áreas precisam ser permanentes, necessitando de uma empresa que continue investindo. Cerca de 98% do que fazemos é investimento no Brasil, e 65% desse investimento é produzido no país, seja em inteligência ou em equipamentos. Acredito que a Petrobras se dedica a fazer do Brasil o país que a gente sonha, disse Graça Foster. 64

62 PETROBRAS nome SOCIOAMBIENTAL da retranca De acordo com José Eduardo Dutra, diretor Corporativo e de Serviços da Petrobras, a empresa, que há 60 anos enfrenta desafios, hoje é reconhecida por sua capacidade tecnológica e pelo compromisso com a sustentabilidade. A Responsabilidade Social é um dos pilares de negócios da Petrobras, destacou o diretor. Armando Tripodi, gerente executivo de Responsabilidade Social, mencionou os resultados obtidos no ciclo anterior dos Programas Petrobras Desenvolvimento & Cidadania e Petrobras Ambiental. Segundo Tripodi, os projetos apoiados entre 2007 e 2012 alcançaram direta e indiretamente 40 milhões de pessoas (cerca de 20% da população brasileira) e geraram mais de 20 mil postos de trabalho. Na parte ambiental, destaco o trabalho com 700 espécies da fauna e a reversão do status de extinção de quatro espécies, como a baleia jubarte e as espécies de tartarugas oliva, pente e cabeçuda. Além de preservar e recuperar áreas em todos os biomas brasileiros: Amazônia, Mata Atlântica, Caatinga, Cerrado, Pantanal e Pampa, além de ambientes costeiros e marinhos, explicou o executivo. As iniciativas deverão abranger sete linhas de atuação: produção inclusiva e sustentável, biodiversidade e sociodiversidade, direitos da criança e do adolescente, florestas e clima, educação, água e esporte. Além desses temas, as iniciativas devem contemplar a equidade de gênero e de raça e a inclusão de pessoas com deficiência. Mais informações sobre o novo programa e suas diretrizes podem ser conferidas no site socioambiental. Agência Petrobras Presidente da Petrobras, Graça Foster, visita estandes no lançamento do Programa, que investirá R$ 1,5 bilhão em projetos socioambientais 65

63 nome INSTITUCIONAL da retranca Nova sede BR dá início à mudança para o Edifício Lubrax, no centro do Rio A mudança para o novo prédio da Petrobras Distribuidora o Edifício Lubrax já começou. Desde janeiro, as gerências lotadas na cidade do Rio de Janeiro começaram a ser transferidas em etapas para a região da Cidade Nova. O novo local de trabalho da BR oferece mais espaço, conforto e segurança, permitindo uma maior integração entre as áreas e continuidade ao crescimento da empresa nos últimos anos. Com dez andares, sendo nove de escritórios, o edifício foi projetado para o aproveitamento dos espaços de forma sustentável e inteligente, além de contar com tecnologias que permitem a economia de água e energia, como sistema de iluminação automatizado e vidros de alta performance. A nova sede está localizada na Rua Correa Vasques, nº Cidade Nova, Centro do Rio. A área passa por uma grande revitalização, com urbanização, ampliação de serviços e instalação de escritórios de grandes empresas, além de abrigar a Universidade Petrobras, o Centro de Operações da Prefeitura e a sede da Prefeitura do Rio de Janeiro. Alexandre Brum 66

Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014

Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014 1 Petrobras aprova Plano de Negócios 2010-2014 O Conselho de Administração aprovou o Plano de Negócios 2010-2014, com investimentos totais de US$ 224 bilhões, representando a média de US$ 44,8 bilhões

Leia mais

Comentários sobre o. Plano Decenal de Expansão. de Energia (PDE 2008-2017)

Comentários sobre o. Plano Decenal de Expansão. de Energia (PDE 2008-2017) Comentários sobre o Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE 2008-2017) PAULO CÉSAR RIBEIRO LIMA JANEIRO/2009 Paulo César Ribeiro Lima 2 Comentários sobre o Plano Decenal de Expansão de Energia (PDE 2008-2017)

Leia mais

Papel dos biocombustíveis na matriz energética brasileira

Papel dos biocombustíveis na matriz energética brasileira Papel dos biocombustíveis na matriz energética brasileira Agenda Arcabouço Legal Panorama Brasil o Matriz Energética Brasileira o Biodiesel o Etanol o Novos Biocombustíveis Comentários Finais Arcabouço

Leia mais

Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM

Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM Uso da biotecnologia garante US$ 3,6 bilhões à agricultura brasileira, aponta novo estudo da ABRASEM Resultados incluem primeiro ano de cultivo de milho geneticamente modificado, além das já tradicionais

Leia mais

RELATÓRIO ABEGÁS MERCADO E DISTRIBUIÇÃO. Ano II - Nº 07 - Janeiro/2008

RELATÓRIO ABEGÁS MERCADO E DISTRIBUIÇÃO. Ano II - Nº 07 - Janeiro/2008 RELATÓRIO ABEGÁS MERCADO E DISTRIBUIÇÃO Ano II - Nº 07 - Janeiro/2008 Sumário Panorama... 4 Estatísticas e Mercado... 5 Expediente Diretoria Executiva ABEGÁS - Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras

Leia mais

5.662. postos de serviços. A Ipiranga manteve em 2010 sua trajetória de crescimento sólido de resultados.

5.662. postos de serviços. A Ipiranga manteve em 2010 sua trajetória de crescimento sólido de resultados. ipiranga 35 A Ipiranga manteve em 2010 sua trajetória de crescimento sólido de resultados. 5.662 postos de serviços Este crescimento é fruto dos benefícios da expansão do mercado de combustíveis, dos investimentos

Leia mais

. Reafirmar a importância do etanol como tema estratégico para a economia, o meio-ambiente, a geração de empregos e o futuro do País

. Reafirmar a importância do etanol como tema estratégico para a economia, o meio-ambiente, a geração de empregos e o futuro do País o que é O QUE É. Lançado em Brasília em dezembro de 2011, o Movimento Mais Etanol visa detalhar e disseminar políticas públicas e privadas indispensáveis para: w O restabelecimento da competitividade do

Leia mais

Edição 44 (Abril/2014)

Edição 44 (Abril/2014) Edição 44 (Abril/2014) Cenário Econômico: Prévia da inflação tem maior alta desde janeiro de 2013 O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), considerado a prévia da inflação oficial,

Leia mais

Plano Estratégico Petrobras 2030 e Plano de Negócios e Gestão 2014 2018

Plano Estratégico Petrobras 2030 e Plano de Negócios e Gestão 2014 2018 Plano Estratégico Petrobras 2030 e Plano de Negócios e Gestão 2014 2018 A Petrobras comunica que seu Conselho de Administração aprovou o Plano Estratégico Petrobras 2030 (PE 2030) e o Plano de Negócios

Leia mais

BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL.

BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL. Folder final 12/4/04 2:45 AM Page 1 BIODIESEL. O NOVO COMBUSTÍVEL DO BRASIL. PROGRAMA NACIONAL DE PRODUÇÃO E USO DO BIODIESEL Folder final 12/4/04 2:45 AM Page 2 BIODIESEL. A ENERGIA PARA O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Fonte: MAPA e RFA/USA. Elaboração: INTL FCStone

Fonte: MAPA e RFA/USA. Elaboração: INTL FCStone Commodity Insight Agosto de 2013 Analistas Thadeu Silva Diretor de Inteligência de Mercado Thadeu.silva@intlfcstone.com Pedro Verges Analista de Mercado Pedro.verges@intlfcstone.com Natália Orlovicin Analista

Leia mais

Palavra da ABEEólica. Atenciosamente, Elbia Melo

Palavra da ABEEólica. Atenciosamente, Elbia Melo BOLETIM ANUAL DE GERAÇÃO EÓLICA - 2012 Palavra da ABEEólica energia eólica tem experimentado um exponencial e virtuoso crescimento no Brasil. De 2009 a 2012, nos leilões dos quais a fonte eó- A lica participou,

Leia mais

Unindo forças por um mesmo objetivo

Unindo forças por um mesmo objetivo Unindo forças por um mesmo objetivo Seguindo o conceito do programa em fomentar iniciativas de coleta e reciclagem, a parceria vai ampliar a atuação do Programa de Reciclagem do Óleo de Fritura (PROL),

Leia mais

Mercedes-Benz destaca na Rio+20 as vantagens ambientais do uso de diesel de cana e biodiesel em caminhões e ônibus

Mercedes-Benz destaca na Rio+20 as vantagens ambientais do uso de diesel de cana e biodiesel em caminhões e ônibus Rio+20 Mercedes-Benz destaca na Rio+20 as vantagens ambientais do uso de diesel de cana e biodiesel em caminhões e ônibus Informação à imprensa 13 de junho de 2012 10 ônibus rodoviários O 500 RS da Mercedes-Benz,

Leia mais

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Exportações de açúcar da empresa devem aumentar 86% na safra 2009/2010 A Copersucar completa

Leia mais

br investirá R$ 5,6 bilhões até 2016

br investirá R$ 5,6 bilhões até 2016 www.br.com.br Nº 47 Ano 8 setembro/outubro 2012 br investirá R$ 5,6 bilhões até 2016 Logística é o segmento que mais receberá recursos de investimentos, com 45% do total previsto no Plano de negócios 2012/2016

Leia mais

Embratel e uma das Maiores Empresas Agroindustriais do País

Embratel e uma das Maiores Empresas Agroindustriais do País EMBRATEL CASE Embratel e uma das Maiores Empresas Agroindustriais do País O Portfólio de TI da Embratel a Serviço da Agroindústria A convergência de serviços de TI e telecom se consolida como fenômeno

Leia mais

Gestão do uso de óleo de cozinha para produção de biodiesel

Gestão do uso de óleo de cozinha para produção de biodiesel Gestão do uso de óleo de cozinha para produção de biodiesel Estudo de Caso MCDonald s Autores: Alexandre Formigoni Enio Fernandes Rodrigues Viviane Alves Belo Tatiane Neves Lopes Marcelo Rabelo Henrique

Leia mais

Situação da Armazenagem no Brasil 2006

Situação da Armazenagem no Brasil 2006 Situação da Armazenagem no Brasil 2006 1. Estática de Armazenagem A capacidade estática das estruturas armazenadoras existentes no Brasil, registrada em dezembro de 2006 é de até o mês de novembro de 2006

Leia mais

Medida Provisória 532/2011

Medida Provisória 532/2011 Ciclo de palestras e debates Agricultura em Debate Medida Provisória 532/2011 Manoel Polycarpo de Castro Neto Assessor da Diretoria da ANP Chefe da URF/DF Maio,2011 Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural

Leia mais

Índice 1 INTRODUÇÂO 2 A INDÚSTRIA DO CIMENTO NO CENÁRIO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS 3 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS

Índice 1 INTRODUÇÂO 2 A INDÚSTRIA DO CIMENTO NO CENÁRIO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS 3 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS Índice 1 INTRODUÇÂO 2 A INDÚSTRIA DO CIMENTO NO CENÁRIO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS 3 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS 4 2º INVENTÁRIO BRASILEIRO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA 5 PERSPECTIVAS E DESAFIOS 6

Leia mais

Informações. Programação

Informações. Programação Informações & Programação De 21 a 23 de janeiro de 2015 Estação Experimental Copagril Marechal Cândido Rondon PR Um evento para conhecer as novas tecnologias e as tendências do agronegócio nacional e internacional,

Leia mais

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática

Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática Posição da indústria química brasileira em relação ao tema de mudança climática A Abiquim e suas ações de mitigação das mudanças climáticas As empresas químicas associadas à Abiquim, que representam cerca

Leia mais

Articles about fuel switch portfolio Brazil

Articles about fuel switch portfolio Brazil Articles about fuel switch portfolio Brazil DIÁRIO DE CUIABÁ : Empresa holandesa vai financiar projetos de energia alternativa. O financiamento se dará com a venda de créditos de carbono a partir do aproveitamento

Leia mais

Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária Brasileira

Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária Brasileira Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 ROSEMEIRE SANTOS Superintendente Técnica Plano Agrícola e Pecuário PAP 2013/2014 Ações estruturantes para a Agropecuária

Leia mais

Reservatórios: queda nos estoques Aumento das restrições ambientais para UHEs reduz volume de armazenamento para menos de um ano

Reservatórios: queda nos estoques Aumento das restrições ambientais para UHEs reduz volume de armazenamento para menos de um ano Page 1 of 5 Reservatórios: queda nos estoques Aumento das restrições ambientais para UHEs reduz volume de armazenamento para menos de um ano Carolina Medeiros, da Agência CanalEnergia, Reportagem Especial

Leia mais

Cana de açúcar para indústria: o quanto vai precisar crescer

Cana de açúcar para indústria: o quanto vai precisar crescer Cana de açúcar para indústria: o quanto vai precisar crescer A demanda crescente nos mercados interno e externo por combustíveis renováveis, especialmente o álcool, atrai novos investimentos para a formação

Leia mais

A Visão do Transporte Aéreo sobre as Fontes Renováveis de Energia

A Visão do Transporte Aéreo sobre as Fontes Renováveis de Energia A Visão do Transporte Aéreo sobre as Fontes Renováveis de Energia Seminário DCA-BR - Fontes Renováveis de Energia na Aviação São José dos Campos 10 de junho de 2010 Cmte Miguel Dau Vice-Presidente Técnico-Operacional

Leia mais

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO

ÁREA DE MILHO CRESCEU 4,9% NA SAFRA 2012/2013, A MAIOR DESDE 1937, INDICANDO QUE O PAÍS COLHERIA UMA SAFRA RECORDE ESTE ANO GRÃOS: SOJA, MILHO, TRIGO e ARROZ TENDÊNCIAS DOS MERCADOS PARA 2012/2013 NO BRASIL E NO MUNDO Carlos Cogo Setembro/2012 PRODUÇÃO MUNDIAL DEVE RECUAR 4,1% NA SAFRA 2012/2013 ESTOQUES FINAIS MUNDIAIS DEVEM

Leia mais

Biocombustíveis da Amazônia. Primeira Iniciativa Comercial na Produção de Biodiesel no Estado do Amazonas

Biocombustíveis da Amazônia. Primeira Iniciativa Comercial na Produção de Biodiesel no Estado do Amazonas Biocombustíveis da Amazônia Primeira Iniciativa Comercial na Produção de Biodiesel no Estado do Amazonas Biocombustíveis da Amazônia Ltda Capacidade inicial de 15 milhões de litros/ano Expansão em 2011

Leia mais

A Segurança Alimentar num país de 200 milhões de habitantes. Moisés Pinto Gomes Presidente do ICNA

A Segurança Alimentar num país de 200 milhões de habitantes. Moisés Pinto Gomes Presidente do ICNA A Segurança Alimentar num país de 200 milhões de habitantes Moisés Pinto Gomes Presidente do ICNA O uso da terra no Brasil Evolução das Áreas de Produção Milhões de hectares 1960 1975 1985 1995 2006 Var.

Leia mais

Iniciativas de Produção Mais Limpa na Indústria de Petróleo e Gás. Daniela Machado Zampollo Lucia de Toledo Camara Neder

Iniciativas de Produção Mais Limpa na Indústria de Petróleo e Gás. Daniela Machado Zampollo Lucia de Toledo Camara Neder Iniciativas de Produção Mais Limpa na Indústria de Petróleo e Gás Daniela Machado Zampollo Lucia de Toledo Camara Neder Sumário A Empresa - Petrobras A Exploração e Produção de Óleo e Gás Gestão Ambiental

Leia mais

10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013

10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013 10º LEVANTAMENTO DE SAFRAS DA CONAB - 2012/2013 Julho/2013 1. INTRODUÇÃO O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), por meio da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), realiza sistematicamente

Leia mais

4º Congresso Internacional de Bioenergia e 1º Congresso Brasileiro de GD e ER

4º Congresso Internacional de Bioenergia e 1º Congresso Brasileiro de GD e ER 4º Congresso Internacional de Bioenergia e 1º Congresso Brasileiro de GD e ER Painel II BIOMASSA: Disponibilidade Energética para uma Civilização Sustentável Departamento de Desenvolvimento Energético

Leia mais

People. Passion. Performance.

People. Passion. Performance. People. Passion. Performance. Apresentando Chicago Pneumatic É simples assim. Você tem trabalho a fazer e clientes a atender. A CP está aqui para ajudá-lo a realizar seu trabalho, sem compromisso. Nosso

Leia mais

FACILIDADE E SEGURANÇA NA GESTÃO DO AGRONEGÓCIO.

FACILIDADE E SEGURANÇA NA GESTÃO DO AGRONEGÓCIO. FACILIDADE E SEGURANÇA NA GESTÃO DO AGRONEGÓCIO. Um dos principais pilares da economia, o agronegócio é marcado pela competitividade. Com 15 anos de experiência, a SIAGRI é uma das mais completas empresas

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO DE BIOLOGIA (EAD)

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO DE BIOLOGIA (EAD) UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO DE BIOLOGIA (EAD) TRABALHO DE BIOLOGIA GERAL RAQUEL ALVES DA SILVA CRUZ Rio de Janeiro, 15 de abril de 2008. TRABALHO DE BIOLOGIA GERAL TERMOELÉTRICAS

Leia mais

A PETROBRAS E SUA ATUAÇÃO NA REGIÃO DE PAULÍNIA. Claudio Pimentel Gerente Geral da Refinaria de Paulínia

A PETROBRAS E SUA ATUAÇÃO NA REGIÃO DE PAULÍNIA. Claudio Pimentel Gerente Geral da Refinaria de Paulínia A PETROBRAS E SUA ATUAÇÃO NA REGIÃO DE PAULÍNIA Claudio Pimentel Gerente Geral da Refinaria de Paulínia VISÃO E MISSÃO Seremos uma das cinco maiores empresas integradas de energia do mundo e a preferida

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO SISTEMA HÍBRIDO HIDRÁULICO NOS VEÍCULOS COMERCIAIS RESUMO

UTILIZAÇÃO DO SISTEMA HÍBRIDO HIDRÁULICO NOS VEÍCULOS COMERCIAIS RESUMO UTILIZAÇÃO DO SISTEMA HÍBRIDO HIDRÁULICO NOS VEÍCULOS COMERCIAIS Luis Eduardo Machado¹ Renata Sampaio Gomes ² Vanessa F. Balieiro ³ RESUMO Todos sabemos que não é possível haver regressão nas tecnologias

Leia mais

Informe Projeto Novos Caminhos é apresentado aos funcionários

Informe Projeto Novos Caminhos é apresentado aos funcionários Informe UM INFORMATIVO ESPECIAL DA VIAÇÃO COMETA - DEZEMBRO DE 2010 02 EDITORIAL Construindo a base para o futuro. 03 CAPA Funcionários lotam as garagens para conhecer o projeto Novos Caminhos. 04 EXCELÊNCIA

Leia mais

Sumário. Expediente. Estatísticas e Mercado...4. Relatório ABEGÁS - Mercado e Distribuição Ano VI - Nº 46 - Janeiro 2012

Sumário. Expediente. Estatísticas e Mercado...4. Relatório ABEGÁS - Mercado e Distribuição Ano VI - Nº 46 - Janeiro 2012 Sumário...4 Expediente Conselho Deliberativo ABEGÁS - Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado Presidente: Luis Domenech Vice-Presidente: Aldo Guedes Conselheiros: Bruno Armbrust,

Leia mais

SOLUÇÕES PETROBRAS DISTRIBUIDORA

SOLUÇÕES PETROBRAS DISTRIBUIDORA REVISTA SOLUÇÕES PETROBRAS DISTRIBUIDORA EDIÇÃO 55 NOVEMBRO / DEZEMBRO 2014 Na rota dos negócios Petrobras Distribuidora reforça marca BR Aviation e divulga produtos e serviços nos principais eventos do

Leia mais

APRESENTAÇÃO DO PROJETO PÚBLICO ALVO

APRESENTAÇÃO DO PROJETO PÚBLICO ALVO SUMÁRIO 4 APRESENTAÇÃO DO PROJETO 6 JUSTIFICATIVA 7 OBJETIVOS 7 PÚBLICO ALVO 8 HISTÓRICO DO EVENTO 12 EMPRESAS E INSTITUIÇÕES PARCEIRAS APRESENTAÇÃO DO PROJETO Foto 1: Vista aérea do evento A Expoarroz

Leia mais

UMA SOLUÇÃO PARA O ETANOL BRASILEIRO

UMA SOLUÇÃO PARA O ETANOL BRASILEIRO UMA SOLUÇÃO PARA O ETANOL BRASILEIRO O Brasil tem o programa mais bem sucedido de substituição de combustível fóssil por combustível renovável no mundo. Esse resultado só foi possível pela resposta do

Leia mais

COGERAÇÃO: ASPECTOS LEGAIS E REGULATÓRIOS

COGERAÇÃO: ASPECTOS LEGAIS E REGULATÓRIOS COGERAÇÃO: ASPECTOS LEGAIS E REGULATÓRIOS Compreenda a regulamentação referente à cogeração de energia e discuta possíveis mudanças as no setor Gabriel Barja São Paulo, outubro de 2006 Viabilidade Viabilidade

Leia mais

MORATÓRIA DA SOJA: Avanços e Próximos Passos

MORATÓRIA DA SOJA: Avanços e Próximos Passos MORATÓRIA DA SOJA: Avanços e Próximos Passos - Criação e Estruturação da Moratória da Soja - Realizações da Moratória da Soja - A Prorrogação da Moratória - Ações Prioritárias Relatório Apresentado pelo

Leia mais

A Companhia Energética Manauara é proprietaria de uma Usina Termelétrica, situada em Manaus, no Estado do Amazonas,

A Companhia Energética Manauara é proprietaria de uma Usina Termelétrica, situada em Manaus, no Estado do Amazonas, A Companhia Energética Manauara é proprietaria de uma Usina Termelétrica, situada em Manaus, no Estado do Amazonas, na Rodovia AM-010 KM-20. A Manauara nasceu do desejo de contribuir para um país mais

Leia mais

o mapa da mina de crédito Figura 1 - Passos para decisão de tomada de crédito

o mapa da mina de crédito Figura 1 - Passos para decisão de tomada de crédito crédito rural: o mapa da mina Por: Felipe Prince Silva, Ms. Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente UNICAMP. Economista Agrosecurity Gestão de Agro-Ativos LTDA e Agrometrika Informática e Serviços

Leia mais

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais

Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais m³ ANÁLISE MENSAL DO MERCADO DE BIODIESEL: EDIÇÃO Nº 6 - JULHO DE 2013 A, documento elaborado pela Associação Brasileira das Indústrias de Óleos Vegetais ABIOVE, possui o intuito de levar ao mercado informações

Leia mais

COLÉGIO SALESIANO SÃO JOSÉ Geografia 9º Ano Prof.º Daniel Fonseca. Produção energética no Brasil: Etanol, Petróleo e Hidreletricidade

COLÉGIO SALESIANO SÃO JOSÉ Geografia 9º Ano Prof.º Daniel Fonseca. Produção energética no Brasil: Etanol, Petróleo e Hidreletricidade COLÉGIO SALESIANO SÃO JOSÉ Geografia 9º Ano Prof.º Daniel Fonseca Produção energética no Brasil: Etanol, Petróleo e Hidreletricidade Etanol A produção de álcool combustível como fonte de energia deve-se

Leia mais

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS

TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TRANSPORTE RODOVIÁRIO DE CARGAS SETEMBRO DE 2015 1 2 PRODUTOS PARTICIPAÇÃO NO PIB 2013 Outros Serviços 33,7% Administração, saúde e educação públicas

Leia mais

PROGRAMA MAXION WHEELS DE SUSTENTABILIDADE

PROGRAMA MAXION WHEELS DE SUSTENTABILIDADE PROGRAMA MAXION WHEELS DE SUSTENTABILIDADE Marcelo Rodrigues Dias Carneiro IOCHPE-MAXION S.A.- Divisão Maxion Wheels - Fumagalli RESUMO No mundo atual, o tema sustentabilidade é bastante discutido e incentivado

Leia mais

NOSSA ASPIRAÇÃO JUNHO/2015. Visão Somos uma coalizão formada por associações

NOSSA ASPIRAÇÃO JUNHO/2015. Visão Somos uma coalizão formada por associações JUNHO/2015 NOSSA ASPIRAÇÃO Visão Somos uma coalizão formada por associações empresariais, empresas, organizações da sociedade civil e indivíduos interessados em contribuir para a promoção de uma nova economia

Leia mais

O SULCO COMO O BRASIL VAI INVESTIR NO ARMAZENAMENTO DE SUA SUPERSAFRA. PRIMAVERA 2013. JohnDeere.com.br

O SULCO COMO O BRASIL VAI INVESTIR NO ARMAZENAMENTO DE SUA SUPERSAFRA. PRIMAVERA 2013. JohnDeere.com.br 10 - Precisão na pecuária 14 - Trigo com tecnologia 18 - Turistas no pomar 10 14 18 PRIMAVERA 2013 O SULCO JohnDeere.com.br COMO O BRASIL VAI INVESTIR NO ARMAZENAMENTO DE SUA SUPERSAFRA. capa 1 2 RICARDO

Leia mais

Perguntas mais Frequentes

Perguntas mais Frequentes Perguntas mais Frequentes 1. O que significa PROCONVE fases P7 e L6? PROCONVE é o Programa de Controle da Poluição do Ar por Veículos Automotores, criado pelo conselho Nacional de Meio Ambiente - CONAMA.

Leia mais

BIOCOMBUSTÍVEIS E SUAS IMPLICAÇÕES SOCIOAMBIENTAIS

BIOCOMBUSTÍVEIS E SUAS IMPLICAÇÕES SOCIOAMBIENTAIS BIOCOMBUSTÍVEIS E SUAS IMPLICAÇÕES SOCIOAMBIENTAIS Marilia de Jesus Oliveira 1 ; Letícia de Jesus Castro Morais dos Santos 2 ; Jeferson Santos Barros 3 ; José Carlson Gusmão Silva 4 1 Instituto Federal

Leia mais

Prêmio GLP Inovação 2014 Categoria: Aplicações do GLP

Prêmio GLP Inovação 2014 Categoria: Aplicações do GLP Prêmio GLP Inovação 2014 Categoria: Aplicações do GLP 1/13 Purogas categoria: Aplicações do GLP Breve histórico da empresa Sobre a Liquigás A Liquigás, uma empresa do Sistema Petrobras, é líder no mercado

Leia mais

Isaias Quaresma Masetti. Gerente Geral de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica masetti@petrobras.com.br

Isaias Quaresma Masetti. Gerente Geral de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica masetti@petrobras.com.br Inovação Tecnológica Frente aos Desafios da Indústria Naval Brasileira Isaias Quaresma Masetti Gerente Geral de Desenvolvimento e Inovação Tecnológica masetti@petrobras.com.br ... O maior obstáculo à indústria

Leia mais

PRÊMIO GLP DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA. *Edição 2013*

PRÊMIO GLP DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA. *Edição 2013* PRÊMIO GLP DE INOVAÇÃO E TECNOLOGIA *Edição 2013* Participante: Cia Ultragaz S.A. Categoria: Infraestrutura Título Ultragaz na busca da excelência da Gestão Ultragaz na Busca da Excelência da Gestão Uma

Leia mais

Novo Marco Regulatório do Etanol Combustível no Brasil. Rita Capra Vieira Superintendência de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos - ANP

Novo Marco Regulatório do Etanol Combustível no Brasil. Rita Capra Vieira Superintendência de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos - ANP Novo Marco Regulatório do Etanol Combustível no Brasil Rita Capra Vieira Superintendência de Biocombustíveis e Qualidade de Produtos - ANP Novembro de 2011 Evolução dos Biocombustíveis no Brasil 1973 Primeira

Leia mais

Abioeletricidade cogerada com biomassa

Abioeletricidade cogerada com biomassa bioeletricidade Cana-de-Açúcar: um pr energético sustentável A cana-de-açúcar, a cultura mais antiga do Brasil, é hoje uma das plantas mais modernas do mundo. A afirmação é do vice-presidente da Cogen

Leia mais

Linha Economia Verde

Linha Economia Verde Linha Economia Verde QUEM SOMOS Instituição Financeira do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009 Instrumento institucional de apoio àexecução de políticas

Leia mais

CONSUMO APARENTE DE AÇO NO BRASIL DEVE VOLTAR AO PATAMAR DE

CONSUMO APARENTE DE AÇO NO BRASIL DEVE VOLTAR AO PATAMAR DE Aço AÇO BRASIL ABRIL I N F O R M A 28ª 28EDIÇÃO ABRIL 2015 CONSUMO APARENTE DE AÇO NO BRASIL DEVE VOLTAR AO PATAMAR DE 2007 O consumo aparente de aço no País deve fechar o ano de 2015 com queda de 7,8%

Leia mais

XVII ENERJ. A Importância da Termoeletricidade na Matriz Elétrica Brasileira para os próximos 5 e 10 anos. Cenário de uso reduzido de reservatórios

XVII ENERJ. A Importância da Termoeletricidade na Matriz Elétrica Brasileira para os próximos 5 e 10 anos. Cenário de uso reduzido de reservatórios XVII ENERJ A Importância da Termoeletricidade na Matriz Elétrica Brasileira para os próximos 5 e 10 anos. Cenário de uso reduzido de reservatórios 27 de novembro de 2015 1 Considerações Iniciais Cenário

Leia mais

Pesquisa Principais Investimentos em Infraestrutura no Brasil

Pesquisa Principais Investimentos em Infraestrutura no Brasil Pesquisa Principais Investimentos em Infraestrutura no Brasil PATROCINADOR INICIATIVA REALIZAÇÃO SUBCAPA O trabalho e a pesquisa O TRABALHO E A PESQUISA A 4ª edição do relatório principais investimentos

Leia mais

BANCO DA AMAZÔNIA. Seminário Programa ABC

BANCO DA AMAZÔNIA. Seminário Programa ABC BANCO DA AMAZÔNIA Seminário Programa ABC O BANCO DA AMAZÔNIA Missão Criar soluções para que a Amazônia atinja patamares inéditos de desenvolvimento sustentável a partir do empreendedorismo consciente.

Leia mais

Diretor Financeiro, Associação Brasileira dos Produtores de Pinhão Manso (ABPPM) Diretor, Curcas Diesel Brasil (CDB)

Diretor Financeiro, Associação Brasileira dos Produtores de Pinhão Manso (ABPPM) Diretor, Curcas Diesel Brasil (CDB) Bioquerosene Rafael Abud Diretor Financeiro, Associação Brasileira dos Produtores de Pinhão Manso (ABPPM) Diretor, Curcas Diesel Brasil (CDB) Brasília, 11 de maio de 2010 Brazilian Biokerosene Platform

Leia mais

Implantação da Refinaria Premium II: desafios e oportunidades

Implantação da Refinaria Premium II: desafios e oportunidades Implantação da Refinaria Premium II: desafios e oportunidades RAIMUNDO LUTIF Gerente Estruturação Negócio Fortaleza Ceará Fortaleza, 13 / setembro/ 2011. 1 AVISO Estas apresentações podem conter previsões

Leia mais

5.500 postos de serviço

5.500 postos de serviço 5.500 postos de serviço Em 2009, a Ipiranga manteve sua trajetória de expansão acelerada da escala, com a aquisição das operações da rede de distribuição de combustíveis da Texaco no Brasil e investimentos

Leia mais

Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária

Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária Milho - Análise da Conjuntura Agropecuária Outubro de 2012. MUNDO O milho é o cereal mais produzido no mundo. De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA), a produção média do

Leia mais

Os Benefícios do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB) para a sociedade e suas perspectivas para os próximos anos.

Os Benefícios do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB) para a sociedade e suas perspectivas para os próximos anos. Os Benefícios do Programa Nacional de Produção e Uso de Biodiesel (PNPB) para a sociedade e suas perspectivas para os próximos anos. Industria Matéria-prima Mão de obra Saúde e Meio Ambiente Economia 2

Leia mais

Confiança. Diversidade. Competência. Seu desejo é o nosso estilo.

Confiança. Diversidade. Competência. Seu desejo é o nosso estilo. Confiança. Diversidade. Competência. Seu desejo é o nosso estilo. O CLIENTE EM PRIMEIRO LUGAR Nossos clientes são tão exclusivos quanto os nossos serviços. Por isto, a O. Lisboa é grande o suficiente para

Leia mais

3 Emissões de Gases de Efeito Estufa

3 Emissões de Gases de Efeito Estufa 3 Emissões de Gases de Efeito Estufa 3.1. Metodologia Neste capítulo, com base na Matriz Energética do Estado do Rio de Janeiro, é apresentada a metodologia utilizada para as estimativas de emissões de

Leia mais

Mercedes-Benz renova toda a linha de veículos comerciais no Brasil

Mercedes-Benz renova toda a linha de veículos comerciais no Brasil Corporativo Informação à Imprensa Mercedes-Benz renova toda a linha de veículos comerciais no Brasil Data: 23 de outubro de 2011 De forma inédita na indústria automobilística nacional, a Mercedes- Benz

Leia mais

Sumário. Expediente. Estatísticas e Mercado...03. Relatório ABEGÁS - Mercado e Distribuição Ano VI - Nº 50 - Julho 2012

Sumário. Expediente. Estatísticas e Mercado...03. Relatório ABEGÁS - Mercado e Distribuição Ano VI - Nº 50 - Julho 2012 Sumário...03 Expediente Conselho Deliberativo ABEGÁS - Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado Presidente: Luis Domenech Vice-Presidente: Aldo Guedes Conselheiros: Bruno Armbrust,

Leia mais

Vencedores do 4º Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor CATEGORIA: TURISMO DE EXCELÊNCIA

Vencedores do 4º Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor CATEGORIA: TURISMO DE EXCELÊNCIA Vencedores do 4º Prêmio Sebrae Prefeito Empreendedor Vencedores Estaduais na categoria Promoção do turismo de excelência CATEGORIA: TURISMO DE EXCELÊNCIA Município de Santo Antônio da Patrulha RS Vencedores

Leia mais

Desempenho Recente e Perspectivas para a Agricultura

Desempenho Recente e Perspectivas para a Agricultura Desempenho Recente e Perspectivas para a Agricultura A safra de grãos do país totalizou 133,8 milhões de toneladas em 2009, de acordo com o Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA) de dezembro,

Leia mais

POTENCIAL DA BIOENERGIA FLORESTAL

POTENCIAL DA BIOENERGIA FLORESTAL POTENCIAL DA BIOENERGIA FLORESTAL - VIII Congresso Internacional de Compensado e Madeira Tropical - Marcus Vinicius da Silva Alves, Ph.D. Chefe do Laboratório de Produtos Florestais do Serviço Florestal

Leia mais

Resumo Técnico: Avaliação técnica e econômica do mercado potencial de co-geração a Gás Natural no Estado de São Paulo

Resumo Técnico: Avaliação técnica e econômica do mercado potencial de co-geração a Gás Natural no Estado de São Paulo Resumo Técnico: Avaliação técnica e econômica do mercado potencial de co-geração a Gás Natural no Estado de São Paulo São Paulo 2008 1. Introdução. Este estudo tem como finalidade demonstrar a capacidade

Leia mais

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro - 2º Congresso Florestal do Tocantins - André Luiz Campos de Andrade, Me. Gerente Executivo de Economia e Mercados do Serviço Florestal

Leia mais

Recife terá ônibus HíbridoBR durante a Copa das Confederações

Recife terá ônibus HíbridoBR durante a Copa das Confederações Ônibus Informação à imprensa Recife terá ônibus HíbridoBR durante a Copa das Confederações 10 de junho de 2013 Veículo tem tecnologia nacional e baixa emissão de poluentes A Eletra, empresa brasileira

Leia mais

ESCOLA DE COMANDO E ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO (ECEME) 4º Congresso de Ciências Militares

ESCOLA DE COMANDO E ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO (ECEME) 4º Congresso de Ciências Militares ESCOLA DE COMANDO E ESTADO-MAIOR DO EXÉRCITO (ECEME) 4º Congresso de Ciências Militares Ciências Militares no Século XXI Situação Atual e Desafios Futuros Geopolítica dos Recursos Naturais Fontes Alternativas

Leia mais

EBDQUIM 2014. Abastecimento de Derivados e Biocombustíveis. Distribuição Missão e Valores. Aurélio Amaral Superintendência de Abastecimento

EBDQUIM 2014. Abastecimento de Derivados e Biocombustíveis. Distribuição Missão e Valores. Aurélio Amaral Superintendência de Abastecimento EBDQUIM 2014 Abastecimento de Derivados e Biocombustíveis Distribuição Missão e Valores Aurélio Amaral Superintendência de Abastecimento 19 de Março de 2014 Atividades da ANP Números do Setor de Petróleo

Leia mais

GrandAmazon. Energia para o futuro Os desafios da sustentabilidade. Wilson Ferreira Jr. e Miguel Saad 16/03/2012

GrandAmazon. Energia para o futuro Os desafios da sustentabilidade. Wilson Ferreira Jr. e Miguel Saad 16/03/2012 GrandAmazon Energia para o futuro Os desafios da sustentabilidade Wilson Ferreira Jr. e Miguel Saad 16/03/2012 A alta complexidade do sistema elétrico brasileiro traz 3 grandes desafios para a política

Leia mais

Plano de Negócios e Gestão 2013-2017

Plano de Negócios e Gestão 2013-2017 PETRÓLEO BRASILEIRO S.A. - PETROBRAS Companhia Aberta FATO RELEVANTE Plano de Negócios e Gestão 2013-2017 Rio de Janeiro, 15 de março de 2013 Petróleo Brasileiro S.A. Petrobras comunica que seu Conselho

Leia mais

BADESUL Agricultura Sustentável: inovação e sustentabilidade

BADESUL Agricultura Sustentável: inovação e sustentabilidade BADESUL Agricultura Sustentável: inovação e sustentabilidade 2 BADESUL PERFIL INSTITUCIONAL O BADESUL Desenvolvimento S.A. Agência de Fomento/RS é uma sociedade anônima de economia mista de capital fechado,

Leia mais

Agricultura de Baixo Carbono e Bioenergia. Heitor Cantarella FAPESP: Programa BIOEN & Instituto Agronômico de Campinas(IAC)

Agricultura de Baixo Carbono e Bioenergia. Heitor Cantarella FAPESP: Programa BIOEN & Instituto Agronômico de Campinas(IAC) Agricultura de Baixo Carbono e Bioenergia Heitor Cantarella FAPESP: Programa BIOEN & Instituto Agronômico de Campinas(IAC) Bioenergia: energia renovável recicla o CO 2 E + CO 2 + H 2 O CO 2 + H 2 O Fotossíntese

Leia mais

Saiba mais sobre o desenvolvimento sustentável da Bunge no Brasil por meio do site: www.bunge.com.br/sustentabilidade

Saiba mais sobre o desenvolvimento sustentável da Bunge no Brasil por meio do site: www.bunge.com.br/sustentabilidade Saiba mais sobre o desenvolvimento sustentável da Bunge no Brasil por meio do site: www.bunge.com.br/sustentabilidade O Relatório de Sustentabilidade de 2008, em versão digital, pode ser obtido pelo site

Leia mais

6 A cadeia de suprimentos da soja no Mato Grosso sob o ponto de vista dos atores da cadeia

6 A cadeia de suprimentos da soja no Mato Grosso sob o ponto de vista dos atores da cadeia 6 A cadeia de suprimentos da soja no Mato Grosso sob o ponto de vista dos atores da cadeia Complementando o que foi exposto sobre a gerência da cadeia de suprimentos analisada no Capítulo 3, através de

Leia mais

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18

Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Atlas Digital de MINAS GERAIS 1 de 18 Características Agropecuárias A sociedade brasileira viveu no século XX uma transformação socioeconômica e cultural passando de uma sociedade agrária para uma sociedade

Leia mais

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010

O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE divulgou a pouco o primeiro prognóstico para a safra de 2011: www.ibge.gov.br Em 2011, IBGE prevê safra de grãos 2,8% menor que a de 2010 O IBGE realizou, em outubro, o primeiro prognóstico para

Leia mais

INDICADORES CORK SERVICES ABRIL 2014

INDICADORES CORK SERVICES ABRIL 2014 Página1 1. APRESENTAÇÃO INDICADORES CORK SERVICES ABRIL 2014 Os indicadores Cork Services contemplam os principais números de referência para a gestão de frotas, incluindo índices de inflação e variação

Leia mais

Mudanças Tecnológicas para o setor de transporte t Novo perfil das frotas

Mudanças Tecnológicas para o setor de transporte t Novo perfil das frotas Mudanças Tecnológicas para o setor de transporte t Novo perfil das frotas Eduardo Boukai, 10 de novembro de 2011 Petrobras Distribuidora S.A - Marketing de transportes PROCONVE: HISTÓRICO Programa de Controle

Leia mais

Energia e Processos Industriais. Estimativas Emissões GEE 1970-2013

Energia e Processos Industriais. Estimativas Emissões GEE 1970-2013 Energia e Processos Industriais Estimativas Emissões GEE 1970-2013 Energia Estimativas Emissões GEE 1970-2013 Equipe Técnica André Luís Ferreira David Shiling Tsai Marcelo dos Santos Cremer Karoline Costal

Leia mais

As Megatendências por Setores da Economia CRI Minas 25 de Setembro de 2014

As Megatendências por Setores da Economia CRI Minas 25 de Setembro de 2014 As Megatendências por Setores da Economia CRI Minas 25 de Setembro de 2014 Fortune Top companies: Biggest by Market Value Fortune Top companies: Most profitable VALOR V = Valor percebido pelo cliente (

Leia mais

Assessoria de Imprensa

Assessoria de Imprensa Assessoria de Imprensa Alex Branco Neto MTB: 12.834 Telefone:(11) 3021 4830 e mail: alex.branco@uol.com.br Release Um Grupo 100% brasileiro Somos o principal Grupo de capital nacional no processamento

Leia mais

Parte A - Questões Múltipla Escolha

Parte A - Questões Múltipla Escolha Matriz Energética Professor: Marcio Luiz Magri Kimpara Parte A - Questões Múltipla Escolha LISTA DE EXERCÍCIOS 1 1) Uso de fontes renováveis de energia no mundo. Fonte: Rio de Janeiro: IBGE, 21 O uso de

Leia mais

Mudança tecnológica na indústria automotiva

Mudança tecnológica na indústria automotiva ESTUDOS E PESQUISAS Nº 380 Mudança tecnológica na indústria automotiva Dyogo Oliveira * Fórum Especial 2010 Manifesto por um Brasil Desenvolvido (Fórum Nacional) Como Tornar o Brasil um País Desenvolvido,

Leia mais

Balanço Energético Nacional 2014

Balanço Energético Nacional 2014 Balanço Energético Nacional 2014 Relatório Síntese ano base 2013 Empresa de Pesquisa Energética - EPE Rio de Janeiro, RJ Maio de 2014 BEN 2014 Relatório Síntese ano base 2013 Ministério de Minas e Energia

Leia mais

Informe Projeto Novos Caminhos é lançado nos setores

Informe Projeto Novos Caminhos é lançado nos setores Informe UM INFORMATIVO ESPECIAL DA AUTO VIAÇÃO 1001 - DEZEMBRO DE 2010 02 EDITORIAL Uma gestão para o futuro. Prêmio Maiores e Melhores é da 1001. 03 CAPA Funcionários lotam as garagens para conhecer o

Leia mais