Infraestrutura e Acessibilidade. Relatório de Atividades 2011

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Infraestrutura e Acessibilidade. Relatório de Atividades 2011"

Transcrição

1 Infraestrutura e Acessibilidade Relatório de Atividades 2011

2 3.1 Infraestrutura Área de s de Ensino Código do Curso no SIE Nome do Capacidade Sigla m² Local- Prédio No. de estações Possui Cabeamento estruturado (S/N) Sistema Operacional de Química 40 de Ciências e Biologia 40 de Pesquisa e Desenvolvimento da Educação Matemática e Científica 80 de Informática 45 Prédio 3 13 S Linux / Windows XP de Atividades Lúdicas 39 de Produção de Materiais Didáticos 39 de Planejamento 39 Multimídia 39 Fonte: Obs1: Fazer levantamento dos laboratórios que são utilizados apenas em aulas práticas e indicar os cursos que utilizam cada laboratório Obs2: As colunas local-prédio, no. de estações, possui cabeamento estruturado, sistema operacional aplicam-se apenas a laboratórios de informática. Obs3: Os sistemas operacionais mais comuns são: Windows (XP, 2007, Vista), Linux Os equipamentos disponíveis na sua unidade são suficientes para todos os alunos? ( ), em todas as aulas práticas ( ), na maior parte das aulas práticas ( ), mas apenas na metade das aulas práticas ( ) mas em menos da metade das aulas práticas ( ), em nenhuma das aulas práticas Área de Outros Tipos de s Nome do Capacidade Sigla m² Fonte: Obs: Fazer levantamento dos laboratórios que são utilizados apenas em aulas práticas

3 Instalações, Equipamentos e Recursos Institucionais por Unidade Número de Micros Micros com Unidade Uso Uso Acadêmico (Ens./ Pesq./ Exten.) Administrativo Total Acess o à Interne de Informática de Pesquisa e Desenvolvimento da Educação Matemática e Científica de Ciências e Biologia de Atividades Lúdicas de Produção de Materiais Didáticos Multimídia de Planejamento Biblioteca Secretaria Geral/Direção Secretarias PPGECM/FEMCI Salas dos Professores Salas de aulas Total Geral Fonte: (*) A unidade que utilizar notebooks de propriedade dos alunos como mateiral de acompanhamento dos cursos, deverá incluí-los neste campo O número de microcomputadores de uso acadêmico + número de microcomputadores na administração deverá ser igual ao número total de microcomputadores da unidade. Observe também que o número de micros com a cesso à internet já está contido no número total de microcomputador A digitação do número de microcomputadores de uso acadêmico e o nº de micros na administração deverá ser obrigatória, neste caso até o zero é válido e deverá ser informado.

4 Infraestrutura da unidade Tipo Nome Sigla Capacidade m 2 Horário Prédio de Ensino de Química de Ciências e Biologia de Pesquisa e Desenvolvimento da Educação Matemática e 80 Científica 20 Utilização (presencial/distância) 8h-12 / 14h-18h 8h-12-14h-18h 8h-12 / 14h-18h Atende ao PCD (sim/não) Prédio 2 Biblioteca (em fase de construção) 357 Prédio 3 455,3 de Informática h-12h / 14h-18h Biblioteca Biblioteca do IEMCI h-12 / 14h-20h30 Sala Administrativa Secretaria e Direção Geral 45 do IEMCI 15 8h - 18h Sala Administrativa Secretaria Pós-Graduação h-12 / 14h-22h Sala Administrativa Secretaria Faculdade h-12 / 14h-22h Banheiro Banheiro 1 2,8 Depósito Almoxarifado h - 19h30 Auditório Auditório "Novo" Banheiro Banheiro Masculino 8 16 Banheiro Banheiro Feminino 7 18 Banheiro Banheiro PNE 1 7,5 Banheiro Área comum - 10 Prédio Sala de aula Sala de aula Sala de aula de Atividades 39 Lúdicas (115) 40

5 de Produção de Materiais Didáticos (116) 40 de Planejamento (117) Multimídia (118) Miniauditório Sala de estudos Sala de aula Sala de aula Sala de aula Sala de professor ,15 Sala de professor ,15 Sala de professor ,15 Sala de professor ,15 Sala de professor ,15 Sala de professor ,15 Sala de professor ,15 Sala de professor ,15 Sala de professor ,15 Sala de professor ,15 Sala de professor ,15 Sala de professor ,15 Sala de professor ,97 Sala de reunião ,45 Banheiro Banheiro Masculino Piso ,48 Banheiro Banheiro Masculino Piso ,48 Banheiro Banheiro Feminino Piso ,48 Banheiro Banheiro Feminino Piso ,48 Banheiro Banheiro PNE Piso 1 1 7,28 Banheiro Banheiro PNE Piso 2 1 7,28 Outros serviços Elevador PNE 1 3,67 Área de circulação Área de Lazer/espaço livre ,55 Outros serviços Copa/Cantina - 37,55 Outros serviços Cantina Tipo: Área de lazer/espaço livre, Auditório, Biblioteca, Cinema, Teatro, Galeria/Sala de Exposição, Espaço de Conveniência, Sala de Professor, Sala Administrativa, Salas de Aula, Salas de Pesquisa, Depósitos, Banheiros, Área de Circulação, Arquivos, Alojamentos, Restaurante Universitário, Banco, Correios, Quadra Poliesportiva, Campo de Futebol, Piscina Olímpica, Piscina Comum, Sala de Musculação, Imprensa/Gráfica, Outros Serviços PCD - Pessoa com Deficiência

6 Capacidade: se aplica a auditório, salas de aula, restaurante universitário, alojamento, cinema, teatro, sala de professor, sala de pesquisa, sala de musculação Infraestrutura de Ensino da Unidade Tipo Quantidade Equipamento de áudio/vídeo: (camera, home-theater, dvd, 11 videocassete) Equipamento de climatizaçãoar,central de ar,etc.; 46 Equipamentos de computação (pc, notebook, etc) 192 Equipamentos de videoconferência/teleconferência; 0 Equipamentos específicosmicroscópio, roteador, etc.; 7 Equipamentos de impressão/digitalização (impressora, multifuncional, 27 scanner, plotter etc) Móveis altamente relevantes; 369 Esquipamento de projeção (projetor, datashow, lousa 45 interativa) Retroprojetor e televisão 10 Inovações tecnológicas significativas 0 Tabelas incluídas para atender o e-mec e o censo

7 3.2. Acessiblidade Estrutura de Acessibilidade Tipo Quantidade Arquitetônica 1 Mobiliário Adaptado 0 Rampas 3 Banheiro Adaptado 2 Equipamento Eletromecânico 1 Total Geral 7 Tabelas incluídas para atender o censo Tecnologia Assistiva Curso Nome Material em Braile Adaptação em alto-relevo, de gráficos, gravuras e ilustrações Material com caracteres ampliados Material de áudio Sistemas de síntese em voz Tradutor e intérprete em libras Guia-Intérprete Licenciatura Integrada em Linguagens, Ciências e MatemáticaMaterial acessível em Libras Situação (/) Elencar cursos que possuem Libras no currículo Cursos Licenciatura Integrada em Linguagens, Ciências e Matemática

8 3.2.4 Discentes com Deficiência Curso Número de Discentes com Deficiência Total Atendidos por tecnologias educacionais e sociais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Programa e-tec Brasil

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Programa e-tec Brasil MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA Programa e-tec Brasil INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO DE POLO Endereço Rua Joaquim José Terra, 13 Cidade /UF/CEP Alterosa/MG 37.145-000

Leia mais

NEAD/CÂMPUS: : POLO:

NEAD/CÂMPUS: : POLO: ANEXO DA RESOLUÇÃO AD REFERENDUM Nº 015 CONSUPER/2013 ANEXO I INSTRUMENTO DE ANÁLISE E AVALIAÇÃO PARA A CRIAÇÃO DE POLO EAD Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Catarinense PRÓ- REITORIA

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 058/2015, DE 01 DE SETEMBRO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 058/2015, DE 01 DE SETEMBRO DE 2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Conselho Superior Avenida Vicente Simões, 1111 Bairro Nova Pouso Alegre 37550-000 - Pouso Alegre/MG Fone:

Leia mais

LOCALIZAÇÃO: PAVIMENTO TÉRREO IDENTIFICAÇÃO ÁREA (M 2 ) CAPACIDADE Auditório 367,23 406

LOCALIZAÇÃO: PAVIMENTO TÉRREO IDENTIFICAÇÃO ÁREA (M 2 ) CAPACIDADE Auditório 367,23 406 INFRA-ESTRUTURA FÍSICA E TECNOLÓGICA As salas de aula da FACULDADE BARRETOS estão aparelhadas para turmas de até 60 (sessenta) alunos, oferecendo todas as condições necessárias para possibilitar o melhor

Leia mais

ROTEIRO DE OBSERVAÇÃO INDIVIDUAL DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO

ROTEIRO DE OBSERVAÇÃO INDIVIDUAL DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO ROTEIRO DE OBSERVAÇÃO INDIVIDUAL DO CURSO DE LICENCIATURA EM EDUCAÇÃO DO CAMPO 1. DADOS DO ESTAGIÁRIO 1.1 Estagiário (a): 1.2 Habilitação: 1.3 Duração da atividade: Início: Término: 2. IDENTIFICAÇÃO DA

Leia mais

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2015 MÓDULO IES

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2015 MÓDULO IES DADOS CADASTRAIS MANTENEDORA ID da Mantenedora CNPJ Mantenedora Nome da M antenedora Representante Legal Telefone do Representante Legal Correio Eletrônico do Representante Legal IES ID da IES Nome da

Leia mais

7. Descrição da infra-estrutura de Informática à disposição dos cursos.

7. Descrição da infra-estrutura de Informática à disposição dos cursos. 7. Descrição da infra-estrutura de Informática à disposição dos cursos. 7.1 Equipamentos O Centro Universitário do Estado do Pará CESUPA dispõe em seu parque computacional de 438 (quatrocentos e trinta

Leia mais

BIBLIOTECA. METRAGEM MÍNIMA (m2)

BIBLIOTECA. METRAGEM MÍNIMA (m2) BIBLIOTECA Administração Balcão de atendimento Balcão de referência Mesa de trabalho para 6 servidores, sendo recomendado 5 a 6m 2 /2 pessoas, com espaço para armários comuns e armários-arquivo para documentos

Leia mais

As instalações físicas encontram-se detalhadas no quadro seguinte. QUADRO DE INSTALAÇÕES FÍSICAS

As instalações físicas encontram-se detalhadas no quadro seguinte. QUADRO DE INSTALAÇÕES FÍSICAS As instalações físicas encontramse detalhadas no quadro seguinte. QUADRO DE INSTALAÇÕES FÍSICAS ESPAÇO FÍSICO QUANTIDADES GERAL FACULDADE ÁREA M 2 Salas de aula, medindo cada uma, 69, com um quadro branco,

Leia mais

Infraestrutura e Equipamentos das Escolas da Rede Estadual do Paraná

Infraestrutura e Equipamentos das Escolas da Rede Estadual do Paraná BOLETIM RESULTADOS DO CENSO ESCOLAR Boletim Curitiba, n. 5, maio 2014. p. 1-8 Curitiba PR, Infraestrutura n. 5, maio 2014, e Equipamentos p. 1-10. das Escolas da Re Estadual do Paraná A infraestrutura

Leia mais

DISCRIMINAÇÃO DO PRÉDIO I QUANTIDADE ÁREA (m 2 ) SUBSOLO. Redação Tele jornalística 01 80,00. Gráfica 01 20,00

DISCRIMINAÇÃO DO PRÉDIO I QUANTIDADE ÁREA (m 2 ) SUBSOLO. Redação Tele jornalística 01 80,00. Gráfica 01 20,00 DISCRIMINAÇÃO DO PRÉDIO I QUANTIDADE ÁREA (m 2 ) SUBSOLO Redação Tele jornalística 01 80,00 Gráfica 01 20,00 Estúdio Pedagógico de Áudio Visual 01 140,00 Laboratório de Rádio: Estúdio de Radio 01 24,00

Leia mais

HABILITAÇÃO COMPONENTE TITULAÇÃO

HABILITAÇÃO COMPONENTE TITULAÇÃO Operação de Software Aplicativo Científica Engenharia da Produção Engenharia de Engenharia de Produção Matemática Aplicada às Matemática Aplicada e Científica Matemática com Tecnologia em - Ênfase em Gestão

Leia mais

1 Projeto Biblioteca Vitrine Perfil de Biblioteca Parceira Nome da Escola Nome da Biblioteca e CRB Endereço com CEP Cidade, UF (DDD) Telefone e E-mail Telefone E-mail Responsável pela biblioteca Horários

Leia mais

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES CREDENCIAMENTO DE PÓLO DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA

SISTEMA NACIONAL DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR SINAES CREDENCIAMENTO DE PÓLO DE APOIO PRESENCIAL PARA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação a Distância SEED Departamento de Regulação e Supervisão da Educação a Distância - Dresead Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira

Leia mais

A formação do licenciado em matemática

A formação do licenciado em matemática A formação do licenciado em matemática VIANA,P.A. Sobral Matemática Universidade Estadual Vale do Acaraú 6 de agosto de 2011 paty.alvi@hotmail.com pré-prints da Sobral Matemática no.2011-02 Editor Tarcisio

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 010/2006

RESOLUÇÃO Nº 010/2006 Confere com o original RESOLUÇÃO Nº 010/2006 CRIA o Curso de Pós-Graduação Lato Sensu de Educação Ambiental, em nível de Especialização. O REITOR DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS e PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

Número do Recibo:245612447

Número do Recibo:245612447 1 de 5 3/4/214 13:17 Número do Recibo:245612447 Data de Preenchimento do Questionário: 29/4/214. Comitête Gestor de Informática do Judiciário - Recibo de Preenchimento do Questionário: EQUIPAMENTOS - 214

Leia mais

Página 1. 1.11 Dos alunos matriculados, quantos estão em Tempo Integral 80

Página 1. 1.11 Dos alunos matriculados, quantos estão em Tempo Integral 80 1. CORPO DISCENTE: Quantidade de alunos matriculados 1º ano 90 1.1 2º ano / 1ª série 95 1.2 3º ano / 2ª série 77 1.3 4º ano / 3ª série 74 1.4 5º ano / 4ª série 55 1.5 6º ano / 5ª série 32 1.6 7º ano /

Leia mais

PROPLAN Diretoria de Informações. Tutorial SisRAA Biblioteca

PROPLAN Diretoria de Informações. Tutorial SisRAA Biblioteca PROPLAN Tutorial SisRAA Biblioteca Ana Carla Macedo da Silva Jaciane do Carmo Ribeiro Diego da Costa Couto Mauro Costa da Silva Filho Dezembro 2014 SUMÁRIO 1. Menu: Acessibilidade... 3 1.1 Opção de menu:

Leia mais

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES

Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES/INEP Coordenação-Geral de Avaliação de Cursos de Graduação e IES EDUCAÇÃO SUPERIOR BRASILEIRA ALGUNS INDICADORES¹ 2.314 IES 245 públicas (10,6%) e 2.069

Leia mais

Você avaliou a FACI melhorou!

Você avaliou a FACI melhorou! RESULTADOS DO PROCESSO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Pontos Fracos apontados pelo Corpo Docente e Discente. 1. Estrutura física da Biblioteca; 2. Grau de qualidade da comunicação interna da Instituição; 3.

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE NUTRIÇÃO INSTITUIÇÃO: ANHANGUERA EDUCACIONAL

PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE NUTRIÇÃO INSTITUIÇÃO: ANHANGUERA EDUCACIONAL PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE NUTRIÇÃO INSTITUIÇÃO: ANHANGUERA EDUCACIONAL 1. INFRAESTRUTURA FÍSICA E SUA UTILIZAÇÃO As instalações destinadas ao curso atendem ao propósito de promover a formação em nível

Leia mais

Inventário de Necessidades de TI - PDTI 2016 2017

Inventário de Necessidades de TI - PDTI 2016 2017 Inventário de Necessidades de TI - PDTI 2016 2017 1. Comunicação Institucional a. Portal UFABC b. Aplicativos para Smartfone c. Eventos d. WEB TV e. Portal do Aluno f. Portal do Professor g. Páginas de

Leia mais

CORPO DISCENTE 1. 1º ano 1.1 2º ano 1.2 3º ano 1.3 4º ano 1.4 5º ano 5ª série 1.5 6º ano 1.6 7º ano 1.7 8º ano 1.8 9º ano 1.

CORPO DISCENTE 1. 1º ano 1.1 2º ano 1.2 3º ano 1.3 4º ano 1.4 5º ano 5ª série 1.5 6º ano 1.6 7º ano 1.7 8º ano 1.8 9º ano 1. EMEF NEUSA NUNES GONÇALVES Diretor: Roberto de Olveira Silva E-mail.: emefnng@vitoria.es.gov.br Fundação: 03/02/1993 Criação: Lei nº 3.906 Endereço: Rua do Caju, 249 Bairro: Nova Palestina CEP.: 29030-015

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA 1. DESCRIÇÃO DA SOLUÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA 1. DESCRIÇÃO DA SOLUÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ESTUDO TÉCNICO PRELIMINAR DA CONTRATAÇÃO 1. DESCRIÇÃO DA SOLUÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Aquisição de equipamentos para atendimento das demandas de usuários de todo o IFRO 2. DEFINIÇÃO E ESPECIFICAÇÃO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS EDITAL DE ABERTURA PROGESP/UFGD Nº. 01, DE 06 DE MAIO DE 2015 ANEXO I ÁREAS E REQUISITOS EXIGIDOS Retificadas as áreas de Laboratório do Curso de Engenharia de Energia / Informática Desenvolvimento / Informática:

Leia mais

Técnicas Assistivas para Pessoas com Deficiência Visual

Técnicas Assistivas para Pessoas com Deficiência Visual Técnicas Assistivas para Pessoas com Deficiência Visual Aula 15 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE.

Leia mais

Unidade III Shopping

Unidade III Shopping Recepção Unidade III: Recepção Loja 01 Espaço 8 Por turno x Total 22,25 m² A recepção da unidade III, Shopping, conta com três guichês para atendimento ao público em geral. Unidade III: Mezanino Sala do

Leia mais

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA DIREÇÃO DE ENSINO DO CÂMPUS CURITIBA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013

RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA DIREÇÃO DE ENSINO DO CÂMPUS CURITIBA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013 RELATÓRIO DE ATIVIDADES DESENVOLVIDAS PELA DIREÇÃO DE ENSINO DO CÂMPUS CURITIBA NO PRIMEIRO SEMESTRE DE 2013 A Direção de Ensino do câmpus Curitiba, compreendendo todas as suas seções, com a finalidade

Leia mais

Pós-graduação Lato Sensu em Informática Aplicada na Educação

Pós-graduação Lato Sensu em Informática Aplicada na Educação Pós-graduação Lato Sensu em Informática Aplicada na Educação 1. Público Alvo Este curso de Pós-Graduação Lato Sensu é destinado principalmente a alunos graduados em cursos da área de Educação (Pedagogia

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA 1. DESCRIÇÃO DA SOLUÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇAO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE RONDÔNIA 1. DESCRIÇÃO DA SOLUÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO ESTUDO TÉCNICO PRELIMINAR DA CONTRATAÇÃO 1. DESCRIÇÃO DA SOLUÇÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Aquisição de equipamentos para atendimento das demandas de usuários de todo o IFRO 2. DEFINIÇÃO E ESPECIFICAÇÃO

Leia mais

Página 1 CMEI TEREZINHA VASCONCELLOS SALVADOR. Diretora: Neusa Maria Marinho Soares. Fundação: 01/02/1993. Criação: Lei nº 3.905

Página 1 CMEI TEREZINHA VASCONCELLOS SALVADOR. Diretora: Neusa Maria Marinho Soares. Fundação: 01/02/1993. Criação: Lei nº 3.905 CMEI TEREZINHA VASCONCELLOS SALVADOR Diretora: Neusa Maria Marinho Soares Fundação: 01/02/1993 Criação: Lei nº 3.905 Endereço: Avenida Vitória, s/n Bairro: Romão CEP.: 29040-010 Telefone: (27) 3322-2148

Leia mais

A Avaliação na Universidade Federal do Pampa: para além da regulação

A Avaliação na Universidade Federal do Pampa: para além da regulação A Avaliação na Universidade Federal do Pampa: para além da regulação Profª. Drª. Amélia Rota Borges de Bastos Coordenadora de Avaliação Pró-Reitoria de Planejamento, Desenvolvimento e Avaliação Março de

Leia mais

INFRAESTRUTURA 1. ESPAÇO FÍSICO 1.1. Gabinetes de Trabalho para Professores Tempo Integral - TI

INFRAESTRUTURA 1. ESPAÇO FÍSICO 1.1. Gabinetes de Trabalho para Professores Tempo Integral - TI INFRAESTRUTURA 1. ESPAÇO FÍSICO Atualmente a FIBRA encontra-se em novas instalações contando com 33 salas de aula climatizadas, com instalações de equipamentos de multimídia, auditório climatizado com

Leia mais

Plano de Desenvolvimento Institucional - Campus Matão

Plano de Desenvolvimento Institucional - Campus Matão Plano de Desenvolvimento Institucional - Campus Matão O Campus Matão iniciou suas atividades como Campus Avançado de Sertãozinho, em 12 de agosto de 2010, num prédio provisório, cedido pela Prefeitura

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA SANTIAGO DO CACÉM MEDIATECA REGULAMENTO

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA SANTIAGO DO CACÉM MEDIATECA REGULAMENTO ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA SANTIAGO DO CACÉM MEDIATECA REGULAMENTO I - SETORES CONSTITUINTES A Direção de Instalações designada genericamente por Mediateca compreende cinco setores/áreas de intervenção:

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO. Construção de Prédios no Campus V- Divinópolis-MG. Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais

MEMORIAL DESCRITIVO. Construção de Prédios no Campus V- Divinópolis-MG. Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais MEMORIAL DESCRITIVO Construção de Prédios no Campus V- Divinópolis-MG Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais Fevereiro/2007 INTRODUÇÃO O objetivo deste documento é complementar as informações

Leia mais

TEMA 02 : Estruturação dos NAPNE (Tecnologia Assistiva e Recursos Multifuncionais)

TEMA 02 : Estruturação dos NAPNE (Tecnologia Assistiva e Recursos Multifuncionais) PROPOSTAS DE AÇÕES DE EDUCAÇÃO INCLUSIVA PARA O IFB E A REDE FEDERAL TEMA 01: Gestão dos NAPNE (Vinculação/gestão) 1. No campus, o Napne deverá estar vinculado à Direção de Ensino (e não à coordenação

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS CONSTRUÇÕES (ÁREAS CONSTRUÍDAS) NO IFSULDEMINAS CÂMPUS MACHADO Término Nº de

DESCRIÇÃO DAS CONSTRUÇÕES (ÁREAS CONSTRUÍDAS) NO IFSULDEMINAS CÂMPUS MACHADO Término Nº de DESCRIÇÃO DAS CONSTRUÇÕES (ÁREAS CONSTRUÍDAS) NO IFSULDEMINAS CÂMPUS MACHADO Término Nº de Área Valor da Obra Valor do M² Nome da Obra Início da Obra Programado Obras Construída M² R$ R$ da Obra Descrição

Leia mais

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso AUTO-AVALIAÇAO INSTITUCIONAL DO CURSO DE PEDAGOGIA FACED-UFAM / Professores Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso Objetivos do Curso 01 - Tenho conhecimento do Projeto Pedagógico do Curso.

Leia mais

Orientações aos docentes

Orientações aos docentes MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO ESCOLA SUPERIOR DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Orientações aos docentes Este manual tem por objetivo informar o docente a respeito dos recursos tecnológicos disponíveis na Escola

Leia mais

[1] O conhecimento adquirido no Curso/Instituição para sua formação profissional 0% 2% 35% 29% 32%

[1] O conhecimento adquirido no Curso/Instituição para sua formação profissional 0% 2% 35% 29% 32% MARKETING Save as PDF Dimensão 2.1 - AVALIAÇÃO DO ENSINO [1] O conhecimento adquirido no Curso/Instituição para sua formação profissional 0% 2% 35% 29% 32% [2] O sistema de avaliação da aprendizagem utilizado

Leia mais

[1] O conhecimento adquirido no Curso/Instituição para sua formação profissional 0% 0% 26% 48% 25%

[1] O conhecimento adquirido no Curso/Instituição para sua formação profissional 0% 0% 26% 48% 25% PEDAGOGIA Save as PDF Dimensão 2.1 - AVALIAÇÃO DO ENSINO [1] O conhecimento adquirido no Curso/Instituição para sua formação profissional 0% 0% 26% 48% 25% [2] O sistema de avaliação da aprendizagem utilizado

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2014-2018 PROPOSTAS DE METAS, AÇÕES E INDICADORES

PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL 2014-2018 PROPOSTAS DE METAS, AÇÕES E INDICADORES PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS PROPOSTAS DE METAS, AÇÕES E INDICADORES CAMPUS CONGONHAS DEZEMBRO - 2013 INFRA-ESTRUTURA Objetivo

Leia mais

[1] O conhecimento adquirido no Curso/Instituição para sua formação profissional 0% 1% 15% 47% 35%

[1] O conhecimento adquirido no Curso/Instituição para sua formação profissional 0% 1% 15% 47% 35% AGRONEGÓCIO Save as PDF Dimensão 2.1 - AVALIAÇÃO DO ENSINO [1] O conhecimento adquirido no Curso/Instituição para sua formação profissional 0% 1% 15% 47% 35% [2] O sistema de avaliação da aprendizagem

Leia mais

Concessão de licença para pólo educacional técnico-ead

Concessão de licença para pólo educacional técnico-ead Concessão de licença para pólo educacional técnico-ead O objetivo deste documento é orientar a você, representante de escola, que participou do último evento ou viu nosso conteúdo no blog e tem o interesse

Leia mais

Sistema de Monitoramento da Educação

Sistema de Monitoramento da Educação IPP Sistema de Monitoramento da Educação Instituto Pereira Passos Sergio Guimarães Ferreira Hotel Marriott, Rio, 2013 Instituto Pereira Passos IPP Rio Produtos IPP Monitoramento Secretaria Municipal de

Leia mais

De 16/03 a 24/04 Mais de 50 reuniões Mais de 100 horas de diálogo Duas viagens à Macapá Leitura de 22 relatórios Acompanhamento de processos,

De 16/03 a 24/04 Mais de 50 reuniões Mais de 100 horas de diálogo Duas viagens à Macapá Leitura de 22 relatórios Acompanhamento de processos, EDUARDO MARGARIT De 16/03 a 24/04 Mais de 50 reuniões Mais de 100 horas de diálogo Duas viagens à Macapá Leitura de 22 relatórios Acompanhamento de processos, licitações e obras Mais de 800 alunos Mais

Leia mais

SELEÇÃO EXTERNA DE PROJETOS PARA A VI JACITEC. (Realização de 03 a 06 de novembro de 2015)

SELEÇÃO EXTERNA DE PROJETOS PARA A VI JACITEC. (Realização de 03 a 06 de novembro de 2015) SELEÇÃO EXTERNA DE PROJETOS PARA A VI JACITEC (Realização de 03 a 06 de novembro de 2015) Os Coordenadores da Comissão designada pela Portaria nº 244, de 15 de junho de 2015, do Diretor Geral do Instituto

Leia mais

Comissão Própria de Avaliação -CPA. Ações e Melhorias Institucionais 2010/2011/2012

Comissão Própria de Avaliação -CPA. Ações e Melhorias Institucionais 2010/2011/2012 Comissão Própria de Avaliação -CPA Ações e Melhorias Institucionais 2010/2011/2012 Comissão Própria de Avaliação - CPA A auto-avaliação objetiva sempre a melhoria da qualidade dos serviços educacionais

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Ciências Agrarias

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ Setor de Ciências Agrarias ATIBUIÇÕES DO SETOR DE INFORMÁTICA Segue abaixo as atribuições atualizadas da Comissão de Informática do SETOR AGRÁRIAS: 1. Manter e verificar os equipamentos de informática ligados ao campus, bem como,

Leia mais

FACULDADE ERNESTO RISCALI

FACULDADE ERNESTO RISCALI PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS OLÍMPIA 2015 Rua Bruno Riscali Vila Hípica Olímpia (SP) - (17) 3281-1231 CEP: 15400-000 2 PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS. 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

indíce CFIUTE - Centro de Formação Interação UBI Tecido Empresarial Portfólio de Espaços Caracterização do CFIUTE 3 Mensagem da Direção do CFIUTE 4

indíce CFIUTE - Centro de Formação Interação UBI Tecido Empresarial Portfólio de Espaços Caracterização do CFIUTE 3 Mensagem da Direção do CFIUTE 4 2 indíce Caracterização do CFIUTE 3 Mensagem da Direção do CFIUTE 4 Coordenação do CFIUTE 5 Instalações Piso 0 6 Piso -1 7 Piso -2 8 Ficha de Pedido de Informações 9 3 caracterização do cfiute A Universidade

Leia mais

RELATÓRIO DE REALIZAÇÕES E ATIVIDADES DA EQUIPE DA DIREÇÃO-GERAL DO CAMPUS CEDETEG GESTÃO 2012-2016

RELATÓRIO DE REALIZAÇÕES E ATIVIDADES DA EQUIPE DA DIREÇÃO-GERAL DO CAMPUS CEDETEG GESTÃO 2012-2016 RELATÓRIO DE REALIZAÇÕES E ATIVIDADES DA EQUIPE DA DIREÇÃO-GERAL DO CAMPUS CEDETEG GESTÃO 2012-2016 Apresentamos neste relatório resumido as realizações e atividades da Equipe da Direção-Geral do Campus

Leia mais

Art. 16.O plano de desenvolvimento institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos:

Art. 16.O plano de desenvolvimento institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos: Referência atual: Decreto 5.773, 9 de maio de 2006. Art. 16.O plano de desenvolvimento institucional deverá conter, pelo menos, os seguintes elementos: I-missão, objetivos e metas da instituição, em sua

Leia mais

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2014 GLOSSÁRIO

CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2014 GLOSSÁRIO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE ESTATÍSTICAS EDUCACIONAIS COORDENAÇÃO GERAL DO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

Leia mais

Relatório de Avaliação Institucional Interna Unidade Universitária de Maracaju

Relatório de Avaliação Institucional Interna Unidade Universitária de Maracaju Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul Comissão Própria de Avaliação - CPA Relatório de Avaliação Institucional Interna Unidade Universitária de Maracaju Curso de Administração Rural Curso de Pedagogia

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA AS ALTAS HABILIDADES / SUPERDOTAÇÃO. Secretaria de Educação Especial/ MEC

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA AS ALTAS HABILIDADES / SUPERDOTAÇÃO. Secretaria de Educação Especial/ MEC POLÍTICAS PÚBLICAS PARA AS ALTAS HABILIDADES / SUPERDOTAÇÃO Secretaria de Educação Especial/ MEC Política Nacional de Educação Especial na Perspectiva da Educação Inclusiva Objetivo Orientar os sistemas

Leia mais

Avaliação Institucional 2005-2. Faculdade de Jussara. Pós-Graduação

Avaliação Institucional 2005-2. Faculdade de Jussara. Pós-Graduação Graduação ITEM: As carteiras das salas de aula são adequadas. 88,2% Graduação ITEM: As instalações do laboratório de informática são adequadas. Graduação ITEM: As instalações da biblioteca são adequadas.

Leia mais

Regulamento do Laboratório de Cálculo Automático

Regulamento do Laboratório de Cálculo Automático Regulamento do Laboratório de Cálculo Automático Artigo 1 o (Definição) O Laboratório de Cálculo Automático, adiante designado por Lc, é um dos laboratórios do Departamento de Matemática da Faculdade de

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE ENFERMAGEM TERRAÇO Departamento ENC SALA DE REUNIÕES TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO TERRAÇO COPA WC 314 318 322 326 330 334 338 342 346 350

Leia mais

Novas Tecnologias Aplicadas à Educação O Ensino e as Novas Tecnologias I. Prof. Hugo Souza

Novas Tecnologias Aplicadas à Educação O Ensino e as Novas Tecnologias I. Prof. Hugo Souza Novas Tecnologias Aplicadas à Educação O Ensino e as Novas Tecnologias I Prof. Hugo Souza Continuando nossas aulas, após verificarmos toda a integração histórica da informática para a educação, veremos

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE RIO CLARO

PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE RIO CLARO PLANO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE RIO CLARO LEVANTAMENTO DE DADOS PARA DIAGNÓSTICO DA EDUCAÇÃO ESCOLAR NO MUNICÍPIO 2011 1 Informações Gerais 2 1. Dados gerais do responsável pelas informações. Nome completo

Leia mais

Publicado no DOE de 10/10/2015 pela Portaria SEE nº 4026/2015, de 09/10/2015 PARECER CEE/PE Nº 114/2015-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM 05/10/2015

Publicado no DOE de 10/10/2015 pela Portaria SEE nº 4026/2015, de 09/10/2015 PARECER CEE/PE Nº 114/2015-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM 05/10/2015 INTERESSADA: AUTARQUIA EDUCACIONAL DE SERRA TALHADA AESET/FACULDADE DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES DE SERRA TALHADA - FAFOPST ASSUNTO: RENOVAÇÃO DE RECONHECIMENTO DO CURSO DE LICENCIATURA EM LETRAS COM HABILITAÇÃO

Leia mais

REQUISITOS DE TITULAÇÃO

REQUISITOS DE TITULAÇÃO REQUISITOS DE TITULAÇÃO COMPONENTES CURRICULARES 1. Língua Estrangeira Moderna - Inglês (Parte Diversificada) Letras com Habilitação em Inglês (LP) Letras com Habilitação em Secretário Executivo Bilíngue/

Leia mais

Data 2008 BLOCO I INFORMAÇÕES GERAIS

Data 2008 BLOCO I INFORMAÇÕES GERAIS COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA/FACESA INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS SEGMENTO: ALUNOS Data 2008 CURSO: Enfermagem / TURNO: Matutino SEMESTRE: Primeiro BLOCO I INFORMAÇÕES GERAIS P1. Sexo A) ( ) Feminino

Leia mais

ANÁLISE INDIVIDUAL DE PRODUTOS Relatório de Acessibilidade

ANÁLISE INDIVIDUAL DE PRODUTOS Relatório de Acessibilidade ANÁLISE INDIVIDUAL DE PRODUTOS Relatório de Acessibilidade 1. Conceito/objetivo do produto: O relatório destina-se a informar e orientar as condições de acesso e utilização de equipamentos e instalações

Leia mais

Breve descrição (clique no link para informações mais detalhadas)

Breve descrição (clique no link para informações mais detalhadas) SERVIÇO Conexão à Internet Breve descrição (clique no link para informações mais detalhadas) Conexão à Internet por meio da Intragov, com velocidades que variam de 512Kbps a 10Mbps para escolas e 2 a 34

Leia mais

QUADRO DE FUNCIONÁRIOS

QUADRO DE FUNCIONÁRIOS NÚCLEO BRINCARTE - SÃO JOSÉ Coordenador: Jairo Peçanha Email: fundacao@ibpc.org.br Fundação: 2010 Logradouro: Rod. Serafim Dezenze, 5005 B Bairro: São Pedro CEP: 29031-800 Telefone: (27) 3233-1585 CORPO

Leia mais

ICH ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO FISICO

ICH ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO FISICO ICH ORGANIZAÇÃO DO ESPAÇO FISICO SUMÁRIO I. Gabinetes para professores...3 II. Núcleos de pesquisa...3 III. Laboratórios...4 IV. Espaços coletivos outras atividades...8 V. Espaço administrativo...9 VI.

Leia mais

Educação Física Educação Física (LP) História Estudos Sociais com Habilitação em História (LP) Filosofia (LP) História (LP)

Educação Física Educação Física (LP) História Estudos Sociais com Habilitação em História (LP) Filosofia (LP) História (LP) Educação Física Educação Física (LP) História Estudos Sociais com Habilitação em História (LP) Filosofia (LP) História (LP) Língua Portuguesa e Literatura Letras com Habilitação em Lingua Portuguesa (LP)

Leia mais

Planejamento Estratégico da Coordenação do Curso de Graduação em Psicologia

Planejamento Estratégico da Coordenação do Curso de Graduação em Psicologia Planejamento Estratégico da Coordenação do Curso de Graduação em Psicologia Apresentação: O curso de Psicologia da UFPR foi criado em 1976. Até hoje se apresenta como o único curso público e gratuito de

Leia mais

Censo da Educação Superior. Bibliotecas Universitárias

Censo da Educação Superior. Bibliotecas Universitárias Censo da Educação Superior Bibliotecas Universitárias Bibliotecas Universitárias e o Censo da Educação Superior Em 2013, ocorreu uma reunião técnica entre representantes do CBBU e técnicos do Inep para

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Especial

Ministério da Educação Secretaria de Educação Especial Ministério da Educação Secretaria de Educação Especial DIRETRIZES OPERACIONAIS DA EDUCAÇÃO ESPECIAL PARA O ATENDIMENTO EDUCACIONAL ESPECIALIZADO NA EDUCAÇÃO BÁSICA O Ministério da Educação, por intermédio

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PLANO DE ENSINO Ano Semestre letivo 2015 02 1. Identificação Código 1.1 Disciplina: Simulações Computacionais no Ensino

Leia mais

FACULDADE ANCHIETA DE ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2SEM2013 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

FACULDADE ANCHIETA DE ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2SEM2013 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO FACULDADE ANCHIETA DE ENSINO SUPERIOR DO PARANÁ RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2SEM2013 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO Constituída em atendimento à Lei nº 10.861/2004, regulamentada pela Portaria

Leia mais

Escola Paulista de Direito. Transformando Conhecimento em Valores

Escola Paulista de Direito. Transformando Conhecimento em Valores Escola Paulista de Direito Transformando Conhecimento em Valores Índice Apresentação EPD... 3 Campus... 4 Biblioteca... 5 Laboratório informática... 6 Adaptação para portadores de necessidades especiais...

Leia mais

Página 1 . NÚCLEO BRINCARTE - RESISTÊNCIA. Diretor: José Rodrigues de Oliveira Filho. Email: brincarter@correio1.vitoria.es.gov.br.

Página 1 . NÚCLEO BRINCARTE - RESISTÊNCIA. Diretor: José Rodrigues de Oliveira Filho. Email: brincarter@correio1.vitoria.es.gov.br. . NÚCLEO BRINCARTE RESISTÊNCIA Diretor: José Rodrigues de Oliveira Filho Email: brincarter@correio1.vitoria.es.gov.br Fundação: 02/2007 Logradouro: Rua São Sebastião, 180 Bairro: Resistência CEP: 29032545

Leia mais

AUTOMAÇÃO DE ESCRITÓRIOS ADE

AUTOMAÇÃO DE ESCRITÓRIOS ADE Curso: TÉCNICO EM INFORMÁTICA com Habilitação em Programação e Desenvolvimento de Sistemas. AUTOMAÇÃO DE ESCRITÓRIOS ADE NOTA DE AULA 01 Assunto: Introdução a informática. Histórico do computador. Conceitos

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE PSICOLOGIA

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE PSICOLOGIA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE PSICOLOGIA 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor POTENC. PTO. A MELHOR. FRAGIL. 1 -

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENFERMAGEM UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENFERMAGEM 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor 1 - O professor comparece com regularidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE FISIOTERAPIA

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE FISIOTERAPIA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE FISIOTERAPIA 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor POTENC. PTO. A MELHOR. FRAGIL. 1

Leia mais

CAMPUS CUBATÃO. Histórico do Instituto

CAMPUS CUBATÃO. Histórico do Instituto Histórico do Instituto A criação da Unidade de Ensino Descentralizada da Escola Técnica Federal de São Paulo (ETFSP) foi resultado de um longo processo políticoadministrativo. O então diretor da Escola

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL CATALÃO EDITAL Nº 001/2014 SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS REGIONAL CATALÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL CATALÃO EDITAL Nº 001/2014 SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS REGIONAL CATALÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL CATALÃO EDITAL Nº 0/24 SELEÇÃO DE ESTAGIÁRIOS REGIONAL CATALÃO A Direção e Coordenação de Graduação da Regional /Universidade Federal de Goiás

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO Edital UNIPAMPA de Adesão à Jornada UNIPAMPA em Tecnologia de Informação e Comunicação

Leia mais

INSTITUTO DE QUIMICA. Processo nº 11P-20265/2014

INSTITUTO DE QUIMICA. Processo nº 11P-20265/2014 EDITAL DE ABERTURA DO PROCESSO SELETIVO PARA ESTAGIÁRIO DE CIENCIAS DA COMPUTAÇÃO, ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO, SISTEMAS DE INFORMAÇÃO OU QUALQUER CURSO SUPERIOR NA ÁREA DE INFORMÁTICA INSTITUTO DE QUIMICA

Leia mais

Plano de incorporação dos avanços tecnológicos ao ensino de Graduação:

Plano de incorporação dos avanços tecnológicos ao ensino de Graduação: Plano de incorporação dos avanços tecnológicos ao ensino de Graduação: A Instituição de Ensino Superior possui o seguinte Plano de Incorporação Tecnológica ao ensino de Graduação de seus Cursos, com o

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA Faculdades Integradas Dom Pedro II São José do Rio Preto - SP

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA Faculdades Integradas Dom Pedro II São José do Rio Preto - SP RELATÓRIO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DAS FACULDADES INTEGRADAS DOM PEDRO II SÃO JOSÉ DO RIO PRETO-SP 1. CONSIDERAÇÕES INICIAIS As, ao apresentar o Relatório do sistema de autoavaliação (CPA), consideram

Leia mais

JOVEM COM DEFICIÊNCIA

JOVEM COM DEFICIÊNCIA JOVEM COM DEFICIÊNCIA 1. Promover cursos de educação profissional de nível básico (técnico e tecnológico nos termos da Lei 9.394/96) e superior em espaços públicos e privados, respeitando a inclusão de

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE IBIRITÉ. CEP: 32.400-000 ESTADO DE MINAS GERAIS

PREFEITURA MUNICIPAL DE IBIRITÉ. CEP: 32.400-000 ESTADO DE MINAS GERAIS CEP: 32400-000 ESTADO DE MINAS GERAIS PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO EDITAL 003/2013 RETIFICAÇÃO 1 No Anexo I, referente aos cargos de Especialista em Educação e Instrutor de Informática, onde se lê: ANEXO

Leia mais

NÚCLEO DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS DE CORUMBÁ RELATÓRIO MENSAL

NÚCLEO DE TECNOLOGIAS EDUCACIONAIS DE CORUMBÁ RELATÓRIO MENSAL RELATÓRIO MENSAL Escola: ESTADUAL DR. GABRIEL VANDONI DE BARROS Diretor (a): SERGIO N. DE ALMEIDA Diretor (a) Adjunto (a): RAQUEL GUIMARÃES DO PRADO Coordenadores: MARIA AUXILIADORA, LUCIMARA ALENCAR,JEANE

Leia mais

Recursos de Informática

Recursos de Informática Recursos de Informática Laboratórios de Informática Os laboratórios de informática atendem as necessidades básicas dos cursos, disponibilizando equipamentos e programas para atividades práticas demandadas

Leia mais

Bem-vindos, novos Servidores da UFPE 2010.2 - REC

Bem-vindos, novos Servidores da UFPE 2010.2 - REC Bem-vindos, novos Servidores da UFPE 2010.2 - REC Missão Contribuir para transformar a sociedade, produzindo conhecimento e oferecendo uma educação cada vez melhor, permanentemente adaptada ao saber contemporâneo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO CURSO DE RECURSOS HUMANOS E MATERIAIS RECURSOS HUMANOS E MATERIAIS

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO CURSO DE RECURSOS HUMANOS E MATERIAIS RECURSOS HUMANOS E MATERIAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA CENTRO DE EDUCAÇÃO PROJETO POLÍTICO-PEDAGÓGICO CURSO DE RECURSOS HUMANOS E MATERIAIS RECURSOS HUMANOS E MATERIAIS Os recursos humanos que atuarão no Curso de Licenciatura

Leia mais

Técnico em Informática

Técnico em Informática Técnico em Informática Desenvolvimento de Software, I e II Administração de Administrativos em Processamento de Análise de Científica Design Digital Engenharia da Engenharia de Física - Opção Informática

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Diretoria de Políticas de Educação Especial

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Diretoria de Políticas de Educação Especial MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão Diretoria de Políticas de Educação Especial Coordenação Geral de Políticas Pedagógicas de Educação Especial

Leia mais

Para existência de um sistema de informação, fazem-se necessários três componentes, são eles:

Para existência de um sistema de informação, fazem-se necessários três componentes, são eles: RESUMO Um sistema de informação é composto de três componentes, Hardware, Software e Peopleware. Para quantificar a memória do equipamento é utilizado um sistema de medida, ou seja, o byte, que significa

Leia mais

5 INFRA-ESTRUTURA FÍSICA DA IESSA

5 INFRA-ESTRUTURA FÍSICA DA IESSA 5 INFRA-ESTRUTURA FÍSICA DA IESSA A estrutura física existente, utilizada pelo Colégio Sant Ana e IESSA (período noturno), está situada no centro da cidade de Ponta Grossa sito a Rua Pinheiro Machado nº

Leia mais

uso e ocupação atual introdução 29 plano diretor participativo

uso e ocupação atual introdução 29 plano diretor participativo Este levantamento de dos edifícios do campus do Butantã, e da Vila Penteado foi desenvolvido pela equipe de bolsistas do Conselho Curador e se refere a situação dos prédios no mês de julho do ano de 2010.

Leia mais