Cartão da Gestante. Agendamento. Nome. Endereço. Município. Telefone. Unimed. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Cartão da Gestante. Agendamento. Nome. Endereço. Município. Telefone. Unimed. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala"

Transcrição

1 Cartão da Gestante Nome Endereço Bairro Município UF Telefone Unimed Registro ANS Agendamento Data Hora Nome do profissional Sala 6375_C_AF_cartao_da_gestante_paginado.indd 1 25/06/15 14:34

2 6375_C_AF_cartao_da_gestante_paginado.indd 2 25/06/15 14:34

3 Para quem está sendo muito aguardado, o maior cuidado do mundo. 6375_C_AF_cartao_da_gestante_paginado.indd 3 25/06/15 14:34

4 Carta de Informação à Gestante O parto é um momento muito especial, que marca uma transição na vida da mulher e da família. Representa o primeiro encontro com o bebê. Por isso, é importante a mulher vivenciar este momento plenamente. Pense em tudo o que gostaria ou não gostaria que acontecesse em seu parto, quem você gostaria de ter ao seu lado, como gostaria de aliviar a dor. Quando for escolher o médico para realizar o seu pré-natal, você pode buscar informações importantes junto à sua operadora pelos canais de comunicação disponíveis, como o percentual de cesarianas e de parto normal realizado pelo médico e a maternidade. A operadora deverá lhe fornecer um número de protocolo e responder à sua solicitação em 15 dias úteis de forma presencial, por carta ou por . Além disso, esclareça as dúvidas com seu médico. Assim, você participará de forma ativa de todas as decisões sobre o seu parto. O final da gestação, entre a 37ª e a 42ª semana, também é fundamental para a completa formação do bebê dentro do útero, para que após o nascimento ele possa se adaptar ao mundo exterior, física e mentalmente, com mais facilidade e tranquilidade. Muitos recém-nascidos acabam sofrendo de problemas respiratórios devido a cesáreas agendadas e realizadas antes do início do trabalho de parto, em uma fase em que o bebê ainda não está pronto para nascer. Isto pode aumentar algumas complicações, tais como problemas respiratórios agudos e outras morbidades neonatais, quando comparados àqueles nascidos com 39 semanas ou mais. Em consequência, leva à necessidade de internação em uma UTI neonatal. Esta situação interfere no início do aleitamento materno e na adequada adaptação do recém-nascido à vida extrauterina, ocasionados pela internação. O parto cesáreo é um procedimento cirúrgico que deve observar claras indicações médicas. Todas as mulheres têm o direito a um acompanhante de sua livre escolha no pré-parto, parto e pós-parto imediato. Planos hospitalares com obstetrícia com acomodação, enfermaria, quarto semiprivativo, quarto privativo ou qualquer outra acomodação devem cobrir as despesas da paramentação (roupas higienizadas necessárias para entrar no centro cirúrgico), alimentação e acomodação do acompanhante. Em caso de dúvidas, reclamações e sugestões, entre em contato com o Disque ANS: Fonte: ANS. 6375_C_AF_cartao_da_gestante_paginado.indd 4 25/06/15 14:34

5 Exames Data Resultado Idade: Estado civil: ABO-RH Data Resultado Peso anterior: Toxoplasmose Altura (cm): HBsAg (1º e 3º trim.) Antecedentes familiares: Glicemia de jejum Hipertensão arterial TOTG (2h/75 g) Diabetes Gemelar Anti-HIV Data Resultado HB/Ht VDRL Urina-EAS Urina cultura Coombs indireto Outros Eletroforese de hemoglobina Padrão AA Heterzigose AS Homozigoze AC SS AC Malária (somente para região amazônica) Teste rápido Data Resultado Data Resultado Sífilis HIV Hepatite B e C Suplementação Sulfato ferroso Sim 1º mês 2º mês 3º mês 4º mês 5º mês 6º mês 7º mês 8º mês 9º mês Não 1º mês 2º mês 3º mês 4º mês 5º mês 6º mês 7º mês 8º mês 9º mês Suplementação Ácido fólico Sim 1º mês 2º mês 3º mês 4º mês 5º mês 6º mês 7º mês 8º mês 9º mês Não 1º mês 2º mês 3º mês 4º mês 5º mês 6º mês 7º mês 8º mês 9º mês Ultrassonografia Data IG DUM IG USG Peso fetal Placenta Líquido Outros _C_AF_cartao_da_gestante_paginado.indd 5 25/06/15 14:34

6 1ª 2ª 3ª 4ª 5ª Data Queixa IG semanas Peso (Kg) / IMC Edema Pressão arterial (mmhg) Altura uterina (cm) Apresentação fetal BCF / Mov. fetal Toque, se indicado Participou de atividades educativas Sim Data Data Data Data Não Data Realizou visita à maternidade Sim Data Não Assinatura Assinatura Assinatura Assinatura Assinatura _C_AF_cartao_da_gestante_paginado.indd 6 25/06/15 14:34

7 6ª 7ª 8ª 9ª 10ª 11ª 12ª Assinatura Assinatura Assinatura Assinatura Assinatura Assinatura Assinatura _C_AF_cartao_da_gestante_paginado.indd 7 25/06/15 14:34

8 Gráfico de acompanhamento nutricional IMC O S A BP Semanas de gestação BP Baixo peso A Adequado S Sobrepeso O Obeso Altura uterina (cm) Curva de altura uterina / idade gestacional P P Semanas de gestação 6375_C_AF_cartao_da_gestante_paginado.indd 8 25/06/15 14:34

9 DUM / / Tipo de gravidez Risco habitual DPP / / Única Gravidez Alto risco DPP (USG) / / Gemelar Gravidez Planejada Não Sim Tripla ou mais Ignorada Gestas prévias Abortos Parto vaginal Nascidos vivos Vivem <2500g Ectópica 3 ou + abortos Mortos 1ª sem. >4500g Pré-eclâmp. Eclâmpsia Parto Cesárea Nascidos mortos Final da gestação anterior de 1 ano Depois 1ª sem. Não Sim Antecedentes clínicos Não Sim Não Sim Não Sim Diabetes Cardiopatia Cir. pélv. uterina Infecção urinária Tromboembolismo Outros Infertilidade Hipertensão arterial Gestação atual Não Sim Não Sim Não Sim Fumo (nº de cigarros) Anemia Hipertensão arterial Álcool Inc. istmocervical Pré-eclâmpsia/eclâmp. Outras drogas Ameaça parto premat. Cardiopatia Violência doméstica Isoimunização Rh Diabetes gestacional HIV/Aids Oligo/polidrâmio Uso de insulina Sífi lis Rut. prem. membrana Hemorragia 1º trim. Toxoplasmose CIUR Hemorragia 2º trim. Infecção urinária Pós-datismo Hemorragia 3º trim. Vacina antitetânica Sem informação de imunização Imunizada há menos de 5 anos Imunizada há mais de 5 anos 1ª dose / / 2ªdose 3ª dose / / reforço / / Coqueluche (dtpa) / / Hepatite B Imunizada 1ª dose / / 2ª dose / / 3ª dose / / Influenza / / Difteria / / Tétano / / _C_AF_cartao_da_gestante_paginado.indd 9 25/06/15 14:34

10 Parto Hospital: Terminação Exp. Ces. Idade gesta Tamanho fetal corresponde Sim Não Menor de 37 ou maior de 42 Hora Minuto Dia Mês Ano Início Ind. Esp. Membranas Int. Rot. ruptura Hora Dia Mês Cef. Pelv. Tran. Nível de atenção 3º 2º 1º Domic. Outro 8 Forc. Out. Atendeu: Epsiotomia Dequit. Exp. Morte fetal Sim Não Sim Não Sim Não Médic.enf/Par.aux. Empir.outros Laceração Placenta compl. Momento Parto Parto Sim Não Sim Não Grav. Igno. Neonato Medicação no parto Analgésico Recém-nascido Sexo F M + Peso/I.G. Adeq. Peq. Gran. Normal Anormal Estatura Per. cef. Ex. físico pré-alta cm cm Normal Anormal Ex. Neuro. Normal Anormal Duvidoso V.D.R.L - Apgar minuto Reanimação 1º 5º sim 6 ou menos não Ex. físico imediato Patologias Tranquilizante Ocitoc. Antibiótico Outros Nenhum M. Hialina S. Aspirat. Outros SRD Apneias Hemorra. Hiperbili. Infecção Neurol. A. Cong. Outra Nenhuma RN Aloj./conj. Alta do RN Sadio Idade na alta/ transferência sim Transf. Dias não C/patol. Óbito Horas Anestesia local Anestesia regio. Anestesia geral Peso ao nascer g menos de 2.500g Puerpério Hora ou dias pósparto ou aborto Temperatura Pulso (batimento/min.) Pressão arterial máx./min. (mmhg) Invól. uterina Característica dos lóquios Idade ao falecer Idade por exame físico sem. Menor de 37 semanas Alimentação Peito Misto Artific. Alta materna Morte materna Sadia Transferida C/patologia Gravidez Parto Puerpério Orient./contracepção Condon D.I.U. Oral Outra Lig. de Tro. Ritmo Nenhum Dias Horas 6375_C_AF_cartao_da_gestante_paginado.indd 10 25/06/15 14:34

11 Consulta odontológica Legenda * - Mancha branca ativa O - Mancha branca inativa A - Ausente Ae - Abrasão/erosão Am - Amálgama Ca - Lesão cavitada ativa Ci - Lesão cavitada inativa E - Extraído H - Hígido M - Restauração metálica PF - Prótese fi xa RE - Restauração estética SP - Selamento provisório T - Traumatismo X - Extração indicada Presença de gengivite/periodontite Não Sim data / / Plano de tratamento (por consulta) Tratamento realizado (para o cirurgião-dentista) Data Dente Procedimentos realizados Ass. CD / / / / / / / / / / / / / / Necessidade de encaminhamento para referência (para o cirurgiãodentista) Especialidade Tratamento necessário Encaminhamento Retorno Plano cuidado (contra-refer.) _C_AF_cartao_da_gestante_paginado.indd 11 25/06/15 14:34

12 Dicas para a Gestante Conheça aqui o que normalmente é pedido pela maternidade no ato da internação. Documentos pessoais: RG e CPF da paciente e do responsável Cartão da gestante Carteirinha Unimed Autorização ou senha do convênio (conforme o caso) Exames realizados Roupas e acessórios para a mãe: 4 camisolas (com abertura na frente, para facilitar a amamentação) Sutiãs (três ou mais com bom suporte e abertura para amamentação) Calcinhas Roupão e chinelos Itens pessoais e de toalete Uma roupa para retornar para casa (deve ser solta e confortável) Absorvente pós-parto _C_AF_cartao_da_gestante_paginado.indd 12 25/06/15 14:34

13 Roupas e acessórios para o bebê: 6 conjuntos de pagão ou body 2 mantas 6 macacões com abotoamento frontal, adequados ao clima 6 calças com pezinho ( mijão ) 6 pares de meia Estojo de pente e escova para recém-nascido 3 pacotes de fralda descartável para recém-nascido 4 cueiros 6 fraldas de boca Almofada para amamentação ATENÇÃO As roupas do bebê deverão ser de acordo com o clima, lavadas com sabão neutro (líquido ou em pedra) e passadas _C_AF_cartao_da_gestante_paginado.indd 13 25/06/15 14:34

14 Desenvolvimento Infantil Consiste no acompanhamento da saúde e do desenvolvimento da criança, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida da família. A ação oferece: Curso de Gestantes. Atendimento médico em puericultura.* Apoio às mães durante a amamentação, com atendimento de enfermagem em consultório e/ou orientações telefônicas. Oficina de Shantala, destinada a bebês de 0 a 3 meses. Palestras com temas de Saúde da Criança. Você sabe o que é Puericultura? A Puericultura é a subespecialidade da Pediatria que acompanha todo o processo de desenvolvimento da criança. Através das consultas de puericultura, o pediatra tem condições de verificar se o peso e a altura da criança estão adequados para sua idade e o desenvolvimento neuropsicomotor. É também nestas consultas que o médico orienta quanto a vacinação, nutrição e questões comportamentais, auxiliando a família. * Obs: clientes dos planos pré-pagamento da Unimed Grande Florianópolis estão isentos de coparticipação nos atendimentos de puericultura. Clientes dos planos de custo operacional, fundações e intercâmbio seguem as regras contratuais _C_AF_cartao_da_gestante_paginado.indd 14 25/06/15 14:34

15 PROGRAMA Viver Bem Desenvolvimento Infantil e Curso de Gestantes Curso de Gestantes É como um chá de bebê. Mas, em vez de fraldas, você ganha conhecimento. Os futuros pais e mães estão convidados para conhecer mais sobre as diversas fases da gravidez, do parto ao pós-parto. Participem. Seu bebê vai agradecer a vida inteira. Temas: Nutrição durante a gestação Tipos de parto Aleitamento materno Cuidados com o recém-nascido Informações: (48) (opção 04) unimedflorianopolis.com.br Vagas limitadas e gratuitas para clientes Unimed Grande Florianópolis. 6375_C_AF_cartao_da_gestante_paginado.indd 15 25/06/15 14:34

16 Membro da Aliança Cooperativa Internacional 6375_C_AF_cartao_da_gestante_paginado.indd 16 25/06/15 14:34

GESTANTE CARTÃO DA AGENDAMENTO NOME ENDEREÇO BAIRRO MUNICÍPIO UF TELEFONE NOME DA OPERADORA POSTAL SAÚDE. REGISTRO ANS nº

GESTANTE CARTÃO DA AGENDAMENTO NOME ENDEREÇO BAIRRO MUNICÍPIO UF TELEFONE NOME DA OPERADORA POSTAL SAÚDE. REGISTRO ANS nº CARTÃO DA GESTANTE NOME ENDEREÇO BAIRRO MUNICÍPIO UF TELEFONE NOME DA OPERADORA POSTAL SAÚDE REGISTRO ANS nº 41913-3 AGENDAMENTO Data Hora Nome do Profissional Sala Carta de Informação à Gestante O parto

Leia mais

CARTÃO DA GESTANTE. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala

CARTÃO DA GESTANTE. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala CARTÃO DA GESTANTE Nome Endereço Bairro Município UF Telefone Nome da Operadora Registro ANS Agendamento Hora Nome do profissional Sala 1 Carta de Informação à Gestante O parto é um momento muito especial,

Leia mais

Consulta odontológica

Consulta odontológica Consulta odontológica 18 17 16 15 14 13 12 11 21 22 23 24 25 26 27 28 48 47 46 45 44 43 42 41 31 32 33 34 35 36 37 38 Legenda *- Mancha branca ativa Ca - Lesão cavitada ativa PF - Prótese fi xa O - Mancha

Leia mais

GESTANTE CARTÃO DA. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala

GESTANTE CARTÃO DA. Agendamento. Nome. Endereço. Bairro Município UF. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala FUNDAÇÃO CHESF DE ASSISTÊNCIA E SEGURIDADE SOCIAL CARTÃO DA GESTANTE Nome Endereço Bairro Município UF Telefone Nome da Operadora Registro ANS Agendamento Hora Nome do profissional Sala 1 Carta de Informação

Leia mais

CARTÃO DA GESTANTE AGENDAMENTO. Nome. Endereço. Município. Bairro. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. ANS- nº

CARTÃO DA GESTANTE AGENDAMENTO. Nome. Endereço. Município. Bairro. Telefone. Nome da Operadora. Registro ANS. ANS- nº CARTÃO DA GESTANTE Nome ANS- nº 0004 Endereço Município Bairro Telefone Nome da Operadora Registro ANS AGENDAMENTO Hora Nome do profissional Sala ANS- nº 0004 1 Idade Estado Civil Peso anterior Altura (cm)

Leia mais

CARTÃO DA GESTANTE CARTÃO DA GESTANTE. Central de agendamento: Dúvidas sobre sua gestação: Nome.

CARTÃO DA GESTANTE CARTÃO DA GESTANTE. Central de agendamento: Dúvidas sobre sua gestação: Nome. CARTÃO DA GESTANTE CARTÃO DA GESTANTE Central de agendamento: 2463-6000 Dúvidas sobre sua gestação: 2463-6052 Nome Endereço Bairro Município UF www.nextsaude.com.br Telefone Anotações: Agendamento: Hora

Leia mais

CARTÃO DA GESTANTE AGENDAMENTO. (11) Opção 2 - Opção 2. Nome do Profissional. Data. Ligue!

CARTÃO DA GESTANTE AGENDAMENTO. (11) Opção 2 - Opção 2. Nome do Profissional. Data. Ligue! cegonha@trasmontano.com.br CARTÃO DA GESTANTE Nome: Endereço: Bairro: Município: UF: Telefone: Celular: AGENDAMENTO Hora Nome do Profissional Sala Ligue! (11) 3293 1515 Opção 2 - Opção 2 P R O G R A M

Leia mais

Cartão da Gestante. Agendamento. Nome. Endereço. Município. Telefone. Unimed. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala

Cartão da Gestante. Agendamento. Nome. Endereço. Município. Telefone. Unimed. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala Cartão da Gestante Nome Endereço Bairro Município UF Telefone Unimed Registro ANS Agendamento Data Hora Nome do profissional Sala Para quem está sendo muito aguardado, o maior cuidado do mundo. Carta

Leia mais

Cartão da Gestante. Agendamento. Nome. Endereço. Município. Telefone. Unimed. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala

Cartão da Gestante. Agendamento. Nome. Endereço. Município. Telefone. Unimed. Registro ANS. Data Hora Nome do profissional Sala Cartão da Gestante Nome Endereço Bairro Município UF Telefone Unimed Registro ANS Agendamento Hora Nome do profissional Sala Carta de Informação à Gestante O parto é um momento muito especial, que marca

Leia mais

Cartão da Gestante. Cartão da Gestante. REAL GRANDEZA - Fundação de Previdência e Assistência Social Agendamento. Data Hora Profissional Sala

Cartão da Gestante. Cartão da Gestante. REAL GRANDEZA - Fundação de Previdência e Assistência Social Agendamento. Data Hora Profissional Sala Operadora REAL GRANDEZA - Fundação de Previdência e Assistência Social Registro ANS 33131-7 Agendamento Data Hora Profissional Sala Carta de Informação à Gestante O parto é um momento muito especial, que

Leia mais

Cartão da Gestante. Conheça-nos! Agendamento. Informações Ligue: (99) End.: Rua Pernambuco, nº Juçara.

Cartão da Gestante. Conheça-nos! Agendamento. Informações Ligue: (99) End.: Rua Pernambuco, nº Juçara. Centro de Promoção da Saúde Imperatriz O Centro de Promoção da Saúde é um espaço dedicado ao cuidado dos seus beneficiários através da prevenção de doenças e promoção da saúde. Cartão da Gestante Conheça-nos!

Leia mais

Cartão da Gestante. Dados pessoais. Nome: Endereço: Bairro: Município: Telefone:

Cartão da Gestante. Dados pessoais. Nome: Endereço: Bairro: Município: Telefone: Cartão da Gestante Dados pessoais Nome: Endereço: Bairro: Município: Telefone: UF: São Paulo: Hospital de Clínicas Caieiras Av. Professor Carvalho Pinto, 53 Centro Caieiras SP (11) 4442-7400 Hospital Vitória

Leia mais

Carta de Informação à Gestante

Carta de Informação à Gestante Cartão da gestante Carta de Informação à Gestante O parto é um momento muito especial, que marca uma transição na vida da mulher e da família. Representa o primeiro encontro com o bebê. Por isso, é importante

Leia mais

CARTÃO SO DDA DADOS DA GESTANTE AGENDAMENTO. Nome: Bairro: Cidade: UF: DATA HORA PROFISSIONAL SALA

CARTÃO SO DDA DADOS DA GESTANTE AGENDAMENTO. Nome: Bairro: Cidade: UF: DATA HORA PROFISSIONAL SALA CARTÃO SO DDA DADOS DA GESTANTE Nome: Endereço: Telefone: Bairro: Cidade: UF: AGENDAMENTO DATA HORA PROFISSIONAL SALA 1 DADOS DA GESTANTE Idade: Peso anterior: kg. Estado Civil: Solteira Divorciada Casada

Leia mais

ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA. Parte 10. Profª. Lívia Bahia

ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA. Parte 10. Profª. Lívia Bahia ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA Parte 10 Profª. Lívia Bahia Enfermagem no acompanhamento do Pré Natal de baixo risco na Atenção Básica Apesar da redução importante da mortalidade infantil

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA

CLASSIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA CLASSIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA Dra. Cássia Elena Soares Fluxograma de Pré-Natal Mulher com suspeita de gravidez Atraso menstrual Náusea Suspensão ou irregularidade do uso do contraceptivo

Leia mais

Dr. Fábio Cabar ASSISTÊNCIA PRÉ NATAL REDE CEGONHA DR. FÁBIO R. CABAR

Dr. Fábio Cabar ASSISTÊNCIA PRÉ NATAL REDE CEGONHA DR. FÁBIO R. CABAR Dr. Fábio Cabar Médico formado pela Faculdade de Medicina da USP. Residência Médica em Obstetrícia e Ginecologia no Hospital das Clínicas da USP. Foi médico preceptor do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia

Leia mais

Melhoria da Atenção ao Pré-natal e Puerpério na ESF 09 - Vila Ester, em São Borja-RS

Melhoria da Atenção ao Pré-natal e Puerpério na ESF 09 - Vila Ester, em São Borja-RS Melhoria da Atenção ao Pré-natal e Puerpério na ESF 09 - Vila Ester, em São Borja-RS Tania Mara Fontella de Sá Orientadora: Lenise Patrocinio Pires Cecilio Co-orientadora: Aline Basso da Silva Introdução

Leia mais

Vigilância nutricional da criança e da mulher durante o pré-natal e. Profa Milena Bueno

Vigilância nutricional da criança e da mulher durante o pré-natal e. Profa Milena Bueno Vigilância nutricional da criança e da mulher durante o pré-natal e puerpério. Gestação e Puerpério Atenção Pré natal e no puerpério: garantia do bem estar materno e neo natal. Primeira consulta: ate 120

Leia mais

Ficha de Investigação de Óbito Infantil

Ficha de Investigação de Óbito Infantil MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Análise de Situação de Saúde Ficha de Investigação de Óbito Infantil Serviço de saúde hospitalar 1 da Criança N do Caso I2 2 da mãe

Leia mais

Parto Humanizado- Sim ou com certeza?

Parto Humanizado- Sim ou com certeza? Parto Humanizado- Sim ou com certeza? (Reflexões para quem deseja um parto respeitoso) Olá...Neste e-book trago algumas questões comumente debatidas entre gestantes, profissionais e ativistas do parto

Leia mais

PRONTUÁRIO DE ACOMPANHAMENTO DA GESTAÇÃO

PRONTUÁRIO DE ACOMPANHAMENTO DA GESTAÇÃO UBS: ACOLHIMENO Data: / /20 DADOS DA USUÁIA / GESANE Nº SISPENAAL: 35/ -.. Prontuário Nº CNS: Usuária/Gestante Nome da Mãe da Usuária/Gestante: Data Nascimento: / / Idade: anos PSF: Área: Microárea: Local

Leia mais

Prontuário de Pediatria Ambulatorial SOPERJ/SBP

Prontuário de Pediatria Ambulatorial SOPERJ/SBP _ Prontuário de Pediatria Ambulatorial SOPERJ/SBP IDENTIFICAÇÃO Nome: Nat: Prontuário nº Mãe: Nat: Data: / / Pai: Nat: Data de nascimento: Endereço: / / Tel: Domicílio Recado Sexo: F M MOTIVO(S) DA CONSULTA

Leia mais

[Entrevistador: As questões deste módulo são dirigidas às mulheres que tiveram o último parto posteriores a / / )

[Entrevistador: As questões deste módulo são dirigidas às mulheres que tiveram o último parto posteriores a / / ) Módulo S. Atendimento Pré-natal Agora vou lhe fazer perguntas sobre o atendimento pré-natal. [Entrevistador: As questões deste módulo são dirigidas às mulheres que tiveram o último parto posteriores a

Leia mais

SMS, que representasse os projetos e ações, unificando os serviços e construindo uma imagem positiva

SMS, que representasse os projetos e ações, unificando os serviços e construindo uma imagem positiva Rede Cegonha PORTARIA No- 1.459, DE 24 DE JUNHO DE 2011 Institui, no âmbito do Sistema Único de Saúde - SUS - a Rede Cegonha Com objetivo de assegurar: APRESENTAÇÃO - Organizar a Rede de Atenção à Saúde

Leia mais

RELATÓRIO DIVISÃO ADJUNTA DE ATENÇÃO À SAÚDE

RELATÓRIO DIVISÃO ADJUNTA DE ATENÇÃO À SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MATERNIDADE ESCOLA RELATÓRIO DIVISÃO ADJUNTA DE ATENÇÃO À SAÚDE INDICADORES ABRIL 2016 PACIENTES EXTERNOS Ambulatorial VALORES ACOLHIMENTO NO PRÉ-NATAL 69 TAXA DE

Leia mais

Além do SOAP e suas ferramentas, ainda é possível usar as outras ferramentas do prontuário, como seguem nas próximas seções.

Além do SOAP e suas ferramentas, ainda é possível usar as outras ferramentas do prontuário, como seguem nas próximas seções. Para cada registro, é possível: imprimir : realizar a impressão da solicitação. O padrão utilizado obedece às premissas do Sisreg. O modelo de impressão pode ser visualizado no Anexo X. A impressão, além

Leia mais

Profa. Débora Gobbi 1

Profa. Débora Gobbi 1 Profa. Débora Gobbi 1 A atenção ao pré-natal de qualidade é fundamental para a saúde materna e neonatal acolher a mulher desde o início da gravidez = ao final da gestação =nascimento de uma criança saudável.

Leia mais

RELATÓRIO DIVISÃO ADJUNTA DE ATENÇÃO À SAÚDE

RELATÓRIO DIVISÃO ADJUNTA DE ATENÇÃO À SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MATERNIDADE ESCOLA RELATÓRIO DIVISÃO ADJUNTA DE ATENÇÃO À SAÚDE INDICADORES AGOSTO / 2015 PACIENTES EXTERNOS Ambulatorial VALORES ACOLHIMENTO NO PRÉ-NATAL 97 ACOLHIMENTO

Leia mais

N2. Na última vez que a sra esteve grávida a sra recebeu o cartão de pré-natal? 1. Sim 2. Não

N2. Na última vez que a sra esteve grávida a sra recebeu o cartão de pré-natal? 1. Sim 2. Não Módulo N - Atendimento Pré-natal Agora vou lhe fazer perguntas sobre o atendimento pré-natal [Entrevistador: As questões deste módulo são dirigidas às mulheres que tiveram o último parto posteriores a

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE NOTA TÉCNICA Nº 60-SEI/2017-CGAA/DAB/SAS/MS

MINISTÉRIO DA SAÚDE NOTA TÉCNICA Nº 60-SEI/2017-CGAA/DAB/SAS/MS MINISTÉRIO DA SAÚDE NOTA TÉCNICA Nº 60-SEI/2017-CGAA/DAB/SAS/MS 1. ASSUNTO Esclarecimento sobre a utilização dos sistemas e-sus AB e Sisprenatal Web no âmbito da Atenção Básica. 2. ANÁLISE O Departamento

Leia mais

RELATÓRIO DIVISÃO ADJUNTA DE ATENÇÃO À SAÚDE

RELATÓRIO DIVISÃO ADJUNTA DE ATENÇÃO À SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MATERNIDADE ESCOLA RELATÓRIO DIVISÃO ADJUNTA DE ATENÇÃO À SAÚDE INDICADORES SETEMBRO 2015 PACIENTES EXTERNOS Ambulatorial VALORES ACOLHIMENTO NO PRÉ-NATAL 79 ACOLHIMENTO

Leia mais

RELATÓRIO DIVISÃO ADJUNTA DE ATENÇÃO À SAÚDE

RELATÓRIO DIVISÃO ADJUNTA DE ATENÇÃO À SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MATERNIDADE ESCOLA RELATÓRIO DIVISÃO ADJUNTA DE ATENÇÃO À SAÚDE INDICADORES OUTUBRO 2015 PACIENTES EXTERNOS Ambulatorial VALORES ACOLHIMENTO NO PRÉ-NATAL 77 ACOLHIMENTO

Leia mais

Fabiana Santos Troian. Declaração de conflito de interesse

Fabiana Santos Troian. Declaração de conflito de interesse Fabiana Santos Troian Declaração de conflito de interesse Não recebi qualquer forma de pagamento ou auxílio financeiro de entidade pública ou privada para pesquisa ou desenvolvimento de método diagnóstico

Leia mais

RELATÓRIO DIVISÃO ADJUNTA DE ATENÇÃO À SAÚDE

RELATÓRIO DIVISÃO ADJUNTA DE ATENÇÃO À SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MATERNIDADE ESCOLA RELATÓRIO DIVISÃO ADJUNTA DE ATENÇÃO À SAÚDE INDICADORES JULHO / 2015 PACIENTES EXTERNOS Ambulatorial VALORES ACOLHIMENTO NO PRÉ-NATAL 89 ACOLHIMENTO

Leia mais

DICIONÁRIO DE DADOS_GESTANTES. Campo alfabético

DICIONÁRIO DE DADOS_GESTANTES. Campo alfabético LAYOUT DE ARQUIVO A EXPORTAR PELOS PEPS RELAÇÃO DE GESTANTES ATIVAS E QUE ENCERRARAM O PRÉ-NATAL NO ANO EM (DADOS ACUMULADOS MENSALMENTE) PERIODICIDADE: MENSAL TIPO DE ARQUIVO: CSV SEPARADO POR PONTO E

Leia mais

RELATÓRIO DIVISÃO ADJUNTA DE ATENÇÃO À SAÚDE

RELATÓRIO DIVISÃO ADJUNTA DE ATENÇÃO À SAÚDE UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO MATERNIDADE ESCOLA RELATÓRIO DIVISÃO ADJUNTA DE ATENÇÃO À SAÚDE INDICADORES MAIO 2017 ACOLHIMENTO NO PRÉ-NATAL PACIENTES EXTERNOS Ambulatorial TAXA DE ACOLHIMENTO

Leia mais

ÁREA MICROÁREA CADASTRO DA FAMÍLIA. DOENÇA OU CONDIÇÃO REFERIDA NOME sim não (sigla) DOENÇA OU CONDIÇÃO REFERIDA NOME sim não (sigla)

ÁREA MICROÁREA CADASTRO DA FAMÍLIA. DOENÇA OU CONDIÇÃO REFERIDA NOME sim não (sigla) DOENÇA OU CONDIÇÃO REFERIDA NOME sim não (sigla) FICHA A ENDEREÇO MUNICÍPIO NÚMERO BAIRRO ÁREA MICROÁREA FAMÍLIA UF CEP - DATA -- CADASTRO DA FAMÍLIA PESSOAS COM 15 ANOS E MAIS DATA NASC. IDADE SEXO ALFABETIZAD O OCUPAÇÃO DOENÇA OU CONDIÇÃO REFERIDA

Leia mais

GRUPO PERINATAL PIONEIRISMO E EXCELÊNCIA. ESSA É A NOSSA VOCAÇÃO.

GRUPO PERINATAL PIONEIRISMO E EXCELÊNCIA. ESSA É A NOSSA VOCAÇÃO. GUIA DO MÉDICO GRUPO PERINATAL PIONEIRISMO E EXCELÊNCIA. ESSA É A NOSSA VOCAÇÃO. PRÉ-NATAL MEDICINA FETAL DIAGNÓSTICA CIRURGIA FETAL E NEONATAL OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA NEONATOLOGIA CENTRO DE CIRURGIA

Leia mais

ADMISSÃO DA PACIENTE NA EMERGÊNCIA OBSTÉTRICA

ADMISSÃO DA PACIENTE NA EMERGÊNCIA OBSTÉTRICA ADMISSÃO DA PACIENTE NA ENFERMAGEM EMERGÊNCIA OBSTÉTRICA Rotinas Assistenciais da Maternidade-Escola da Universidade Federal do Rio de Janeiro ADMISSÃO DA PACIENTE NA EMERGÊNCIA OBSTÉTRICA É o atendimento

Leia mais

Aprimoramento ao Atendimento de Pré-Natal e Puerpério na Unidade Básica de Saúde Santa Clara, Alvorada, RS

Aprimoramento ao Atendimento de Pré-Natal e Puerpério na Unidade Básica de Saúde Santa Clara, Alvorada, RS Aprimoramento ao Atendimento de Pré-Natal e Puerpério na Unidade Básica de Saúde Santa Clara, Alvorada, RS Carolina Rocha Barone Orientadora: Bibiana Bauer Barcellos Pelotas, 2014 Introdução Alvorada (RS)

Leia mais

Saúde da Mulher. Prof.ª Hygor Elias

Saúde da Mulher. Prof.ª Hygor Elias Saúde da Mulher Prof.ª Hygor Elias Avaliação pré-concepcional Objetivo do acompanhamento pré-natal é assegurar o desenvolvimento da gestação, permitindo o parto de um recémnascido saudável, sem impacto

Leia mais

Guia de Serviços Atualizado em 08/07/2019

Guia de Serviços Atualizado em 08/07/2019 Guia de Serviços Atualizado em 08/07/2019 Realizar consulta de pré-natal de alto risco Atualizado em: 30/04/2019 Descrição O pré-natal do Instituto Nacional da Mulher da Criança e do Adolescente Fernandes

Leia mais

Protocolo de Vigilância Materno-Fetal MATERNIDADE DANIEL MATOS

Protocolo de Vigilância Materno-Fetal MATERNIDADE DANIEL MATOS Protocolo de Vigilância Materno-Fetal MATERNIDADE DANIEL MATOS PROTOCOLO GRAVIDEZ SEM RISCO PRÉ-NATAL Médico de Família Consulta de Referência 11-13 semanas 20-22 semanas 28-32 semanas 40 semanas Atenção

Leia mais

ATENDIMENTO PRÉ-NATAL PROF.ª LETICIA PEDROSO

ATENDIMENTO PRÉ-NATAL PROF.ª LETICIA PEDROSO ATENDIMENTO PRÉ-NATAL PROF.ª LETICIA PEDROSO Objetivos 1.Preparo físico e psicológico da gestante; 2.Prevenir, identificar e tratar patologias que possam ocorrer durante a gestação; 3.Controle obstétrico;

Leia mais

Quadro síntese dos indicadores para o monitoramento da Atenção Básica

Quadro síntese dos indicadores para o monitoramento da Atenção Básica Quadro síntese dos indicadores para o monitoramento da Atenção Básica Apresentamos os indicadores para o monitoramento da Atenção Básica. Estes indicadores representam a síntese das discussões ocorridas

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: ENFERMAGEM EM ATENÇÃO A SAÚDE DA MULHER E DO HOMEM II Código: ENF- 213 CH

Leia mais

A troca de acompanhante só será permitida nos horários estabelecidos.

A troca de acompanhante só será permitida nos horários estabelecidos. HORÁRIOS DE VISITAS Setor Horário Nº de Visitantes Pediatria Das 15h às 19h30min 6 visitantes por período Sendo até 2 por vez. Retaguarda/Clínica Médica Das e 15h Clínica às 19h30min Cirúrgica 6 visitantes

Leia mais

Vigilância do RN de Risco

Vigilância do RN de Risco Vigilância do RN de Risco Área Técnica de Saúde da Criança e do Adolescente Objetivo principal: propor e implantar programas e projetos relacionados à melhoria da saúde da criança e do adolescente, conforme

Leia mais

Vigilância no prénatal, puerpério 2017

Vigilância no prénatal, puerpério 2017 Vigilância no prénatal, parto e puerpério 2017 Doenças de transmissão vertical Outras: HTLV Tuberculose Malária Chagas Dengue Zika Chikungunya Principais Doenças de Transmissão Vertical no Brasil Sífilis

Leia mais

GUIA DE ACOLHIMENTO À GRÁVIDA

GUIA DE ACOLHIMENTO À GRÁVIDA GUIA DE ACOLHIMENTO À GRÁVIDA Departamento Materno-Infantil OBSTETRÍCIA (Bloco de Partos e U.I. Obstetrícia - CHAlgarve Portimão) 2º Piso Este Guia de Acolhimento é um útil auxiliar para nos ficar a conhecer

Leia mais

AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE AULA 6

AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE AULA 6 AGENTE COMUNITÁRIO DE SAÚDE AULA 6 REDE MÃE PARANAENSE - RMP É um conjunto de ações que envolve: A captação precoce da gestante; Acompanhamento pré-natal com no mínimo 7 consultas; Realização de exames;

Leia mais

ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA. Parte 11. Profª. Lívia Bahia

ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA. Parte 11. Profª. Lívia Bahia ENFERMAGEM ATENÇÃO BÁSICA E SAÚDE DA FAMÍLIA Parte 11 Profª. Lívia Bahia Enfermagem no acompanhamento do Pré Natal de baixo risco na Atenção Básica Avaliação e Classificação do Risco Gestacional Devido

Leia mais

Patologias Obstétricas

Patologias Obstétricas Patologias Obstétricas Do 1º Trimestre: HIPERÊMESE GRAVÍDICA É um quadro patológico constituído por vômitos intensos. Ocorre: nos primeiros 3 meses. Incidência: É mais comum em primigestas. Causas: Físicas

Leia mais

RESIDÊNCIA MÉDICA 2015 PRÉ-REQUISITO (R4) PROVA ESCRITA

RESIDÊNCIA MÉDICA 2015 PRÉ-REQUISITO (R4) PROVA ESCRITA 1 OBSTETRÍCIA E GINECOLOGIA / ULTRASSONOGRAFIA 1) Secundípara com 26 anos deu à luz por parto vaginal a recém-nascido (RN) a termo que pesou 3.450g. Ambos assintomáticos receberam alta no terceiro dia.

Leia mais

REDE BRASILEIRA DE PESQUISAS NEONATAIS

REDE BRASILEIRA DE PESQUISAS NEONATAIS REDE BRASILEIRA DE PESQUISAS NEONATAIS RELATÓRIO ANUAL 2011 2 RELATÓRIO ANUAL 2011... 1 INTRODUÇÃO... 3 Informações Referentes ao Pré-Natal... 4 Quadro 1 Dados maternos... 4 Quadro 2 - Corticóide Antenatal...

Leia mais

SISPRENATAL. Manual de Preenchimento dos Formulários de Cadastro e Consulta, Exames e Vacinas

SISPRENATAL. Manual de Preenchimento dos Formulários de Cadastro e Consulta, Exames e Vacinas SISPRENATAL Manual de Preenchimento dos Formulários de Cadastro e Consulta, Exames e Vacinas Prefeitura Municipal de Porto Alegre Março de 2007 1 Prefeitura Municipal de Porto Alegre José Fogaça Prefeito

Leia mais

O papel da Atenção Básica no pré-natal, parto e puerpério. Departamento de Atenção Básica Ministério da Saúde

O papel da Atenção Básica no pré-natal, parto e puerpério. Departamento de Atenção Básica Ministério da Saúde O papel da Atenção Básica no pré-natal, parto e puerpério Departamento de Atenção Básica Ministério da Saúde Rede Cegonha - Diretrizes Acolhimento e classificação de risco, ampliação do acesso e melhoria

Leia mais

ENFERMAGEM OBSTÉTRICA PROVA TEÓRICO-PRÁTICO Situação/Cenário Clínico

ENFERMAGEM OBSTÉTRICA PROVA TEÓRICO-PRÁTICO Situação/Cenário Clínico ENFERMAGEM OBSTÉTRICA PROVA TEÓRICO-PRÁTICO Situação/Cenário Clínico Respondas as questões abaixo segundo o caso clínico W.P.B., 21 anos, solteira, vive em união consensual há 1 ano, primigesta. Compareceu

Leia mais

Vigilância no prénatal, puerpério 2017

Vigilância no prénatal, puerpério 2017 Vigilância no prénatal, parto e puerpério 2017 Doenças de transmissão vertical Outras: HTLV Tuberculose Malária Chagas Dengue Zika Chikungunya Principais Doenças de Transmissão Vertical no Brasil Sífilis

Leia mais

INSTRUMENTO PARA ENTREVISTA POR TELEFONE 45 A 60 DIAS APÓS O PARTO Nº DO QUESTIONÁRIO DE ENTREVISTA NA MATERNIDADE: Nome da entrevistada:

INSTRUMENTO PARA ENTREVISTA POR TELEFONE 45 A 60 DIAS APÓS O PARTO Nº DO QUESTIONÁRIO DE ENTREVISTA NA MATERNIDADE: Nome da entrevistada: INSTRUMENTO PARA ENTREVISTA POR TELEFONE 45 A 60 DIAS APÓS O PARTO Nº DO QUESTIONÁRIO DE ENTREVISTA NA MATERNIDADE: Nome da entrevistada: Data do parto / / Entrevistador: Data da Entrevista / / Revisado

Leia mais

Prontuário de Pediatria Ambulatorial SOPERJ/SBP IDENTIFICAÇÃO

Prontuário de Pediatria Ambulatorial SOPERJ/SBP IDENTIFICAÇÃO ome: Mãe: Pai: Prontuário de Pediatria Ambulatorial OPERJ/BP IDETIFICAÇÃO at.: at.: at.: Prontuário nº: Data: / / Data de ascimento Dia Mês Ano Endereço: Telefone nº: Domicílio Recado exo F M MOTIVO DA

Leia mais

ENFERMAGEM. SAÚDE DA MULHER Assistência de Enfermagem ao Parto/Aborto. Parte 4. Profª. Lívia Bahia

ENFERMAGEM. SAÚDE DA MULHER Assistência de Enfermagem ao Parto/Aborto. Parte 4. Profª. Lívia Bahia ENFERMAGEM SAÚDE DA MULHER Assistência de Enfermagem ao Parto/Aborto Parte 4 Profª. Lívia Bahia Assistência de enfermagem durante o Parto Cesáreo A cesariana é uma operação pela qual o feto é liberado

Leia mais

Preencher com a data limite de validade da senha concedida pela Petrobras para a internação. 7 Data de emissão da guia

Preencher com a data limite de validade da senha concedida pela Petrobras para a internação. 7 Data de emissão da guia GUIA DE RESUMO DE INTERNAÇÃO Número do Nome do campo Observação campo 1 Registro ANS Nas guias em papel impressas pela Petrobras ou Petrobras Distribuidora e nas guias disponibilizadas no site da Petrobras,

Leia mais

Vanessa Maria Fenelon da Costa 2012

Vanessa Maria Fenelon da Costa 2012 Vanessa Maria Fenelon da Costa 2012 Estudo prospectivo de coorte Janeiro de 2009 a Agosto de 2011 Gestantes atendidas na Maternidade Henrique Horta do HOB e na Maternidade Otto Cirne do Hospital das Clínicas

Leia mais

UNIMED GRANDE FLORIANÓPOLIS

UNIMED GRANDE FLORIANÓPOLIS Form-DVAD-17 Revisão: 01 Emissão: 08/03/2017 PROTOCOLO DE SOLICITAÇÃO PARA TRATAMENTO CIRÚRGICO DE OBESIDADE MÓRBIDA Prezado cliente da Unimed! Você está recebendo o protocolo de solicitação para realizar

Leia mais

A ASSISTÊNCIA IMEDIATA AO RECÉM- NASCIDO. Profa. Dra. Emilia Saito Abril 2018

A ASSISTÊNCIA IMEDIATA AO RECÉM- NASCIDO. Profa. Dra. Emilia Saito Abril 2018 A ASSISTÊNCIA IMEDIATA AO RECÉM- NASCIDO Profa. Dra. Emilia Saito Abril 2018 ASSISTÊNCIA IMEDIATA AO RECÉM-NASCIDO Ao nascimento, a maioria dos RN apresenta boa vitalidade e não necessita de manobras de

Leia mais

REDE BRASILEIRA DE PESQUISAS NEONATAIS

REDE BRASILEIRA DE PESQUISAS NEONATAIS REDE BRASILEIRA DE PESQUISAS NEONATAIS RELATÓRIO ANUAL 2008 2 Relatório referente ao ano de 2008 INTRODUÇÃO Os dados apresentados se referem ao ano de 2008, são dados descritivos, foram coletados na base

Leia mais

SAÚDE DA MULHER NA ATENÇÃO BÁSICA Pré-natal

SAÚDE DA MULHER NA ATENÇÃO BÁSICA Pré-natal SAÚDE DA MULHER NA ATENÇÃO BÁSICA Pré-natal Profa. Dra. Carla Marins AVALIAÇÃO PRÉ-CONCEPCIONAL Consultas Pré-Natais: Durante o pré-natal deverá ser realizado no mínimo 6 consultas, preferencialmente 1

Leia mais

Capítulo 15 Perinatologia PATOLOGIA PERINATAL

Capítulo 15 Perinatologia PATOLOGIA PERINATAL Capítulo 15 Perinatologia PATOLOGIA PERINATAL Tanto as patologias como as anomalias que têm origem no período perinatal estão classificadas no capítulo 15 da CID-9-MC e categorias 760 779. LOCALIZAÇÃO

Leia mais

REDE BRASILEIRA DE PESQUISAS NEONATAIS

REDE BRASILEIRA DE PESQUISAS NEONATAIS REDE BRASILEIRA DE PESQUISAS NEONATAIS RELATÓRIO ANUAL 2009 2 Relatório referente ao ano de 2009 INTRODUÇÃO Os dados apresentados se referem ao ano de 2009, são dados descritivos, foram coletados na base

Leia mais

Implicações do parto humanizado na redução da mortalidade materna. Maykon dos Santos Marinho Palloma Freitas PET-Saúde da Família IMS-UFBA

Implicações do parto humanizado na redução da mortalidade materna. Maykon dos Santos Marinho Palloma Freitas PET-Saúde da Família IMS-UFBA Implicações do parto humanizado na redução da mortalidade materna Maykon dos Santos Marinho Palloma Freitas PET-Saúde da Família IMS-UFBA Mortalidade materna As mortes de mulheres por complicações na gestação,

Leia mais

III ENCONTRO DA SUCF CA FF PROTOCOLOS DE ATUAÇÃO AVALIAÇÃO INICIAL

III ENCONTRO DA SUCF CA FF PROTOCOLOS DE ATUAÇÃO AVALIAÇÃO INICIAL III ENCONTRO DA SUCF CA FF PROTOCOLOS DE ATUAÇÃO 26 DE OUTUBRO DE 2012 UCF Materno-Neonatal BM2 CONSULTA DE ENFERMAGEM - TÓPICOS DE REFERÊNCIA AVALIAÇÃO INICIAL Identificação da utente; - Altura (cm) -

Leia mais

Modelo de Plano de Parto. Hospital da Criança e Maternidade

Modelo de Plano de Parto. Hospital da Criança e Maternidade Modelo de Plano de Parto Hospital da Criança e Maternidade Eu,, estou ciente de que o parto pode tomar diferentes rumos. Abaixo, listo minhas preferências em relação ao nascimento do meu filho. Entendo

Leia mais

PUBLICADA NO D.O. Nº 126 DE SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE ATO DO SECRETÁRIO

PUBLICADA NO D.O. Nº 126 DE SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE ATO DO SECRETÁRIO PUBLICADA NO D.O. Nº 126 DE 11.07.2005 SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE ATO DO SECRETÁRIO RESOLUÇÃO SES Nº 2784 DE 08 DE JULHO DE 2005. INSTITUI O SISTEMA ESTADUAL DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DA MORTALIDADE

Leia mais

PLANILHA GERAL - QUARTO PERÍODO - INTRODUÇÃO À CLÍNICA IV 1º 2018

PLANILHA GERAL - QUARTO PERÍODO - INTRODUÇÃO À CLÍNICA IV 1º 2018 Página 1 Planilha1 PLANILHA GERAL - QUARTO PERÍODO - INTRODUÇÃO À CLÍNICA IV 1º 2018 Dia Data Hora Professor/GAD Sala Conteúdo Módulo 08:00 GEOVANA COTA 104 D AULA INAUGURAL: Apresentação da UC, Plano

Leia mais

* Depende do protocolo da Unidade Coordenadora Funcional

* Depende do protocolo da Unidade Coordenadora Funcional PROTOCOLO DE VIGILÂNCIA MATERNO-FETAL Consulta Pré-concepção Médico de Familia GRAVIDEZ S/RISCO Médico de Família GRAVIDEZ DE RISCO Médico de Medicina Materno-Fetal Consulta de Referência HAP ou HAPD Consulta

Leia mais

Questão 01 Diagnóstico da gestação

Questão 01 Diagnóstico da gestação Saúde Da Mulher: Diagnóstico Da Gestação, Modificações Gravídicas e Pré Natal. Prof. Enf. Obstetra Hygor Elias Questão 01 Diagnóstico da gestação Segundo o Ministério da Saúde (MS, 2000), o diagnóstico

Leia mais

RELATÓRIO GERENCIAL DE DADOS CONVÊNIO PARTO SEGURO À MÃE PAULISTANA - CEJAM

RELATÓRIO GERENCIAL DE DADOS CONVÊNIO PARTO SEGURO À MÃE PAULISTANA - CEJAM RELATÓRIO GERENCIAL DE DADOS CONVÊNIO PARTO SEGURO À MÃE PAULISTANA - CEJAM Outubro 2018 Hospitais Municipais com Parto Seguro Prof. Dr. Alípio Correa Netto Dr. Fernando Mauro Pires da Rocha Dr. José Soares

Leia mais

REDE BRASILEIRA DE PESQUISAS NEONATAIS

REDE BRASILEIRA DE PESQUISAS NEONATAIS REDE BRASILEIRA DE PESQUISAS NEONATAIS RELATÓRIO ANUAL 2012 Relatório referente ao ano de 2012 2 INTRODUÇÃO Os dados apresentados se referem ao ano de 2012 são dados descritivos, foram coletados na base

Leia mais

ANEXOS FETAIS. Profª: Karin

ANEXOS FETAIS. Profª: Karin ANEXOS FETAIS Profª: Karin É um órgão formado por tecido materno e fetal, realiza a troca gasosa de O2 e CO2 e nutrientes entre mãe e feto, implantada no fundo do corpo do útero. A face materna é de cor

Leia mais

AULA Rede de atenção que garanta acesso, acolhimento e resolutividade

AULA Rede de atenção que garanta acesso, acolhimento e resolutividade AULA 10 A Rede Cegonha Implementada em 2011, a Rede Cegonha é uma Rede de cuidados que assegura às MULHERES o direito ao planejamento reprodutivo, à atenção humanizada à gravidez, parto e puerpério, e

Leia mais

Parto Normal. A importância de conhecer as vantagens.

Parto Normal. A importância de conhecer as vantagens. Parto Normal A importância de conhecer as vantagens. PARTO NORMAL Ser mãe é ter o prazer de se sentir especial não só durante os nove meses de gestação, mas pelo resto da vida. O momento do nascimento

Leia mais

Orientações para integração do e-sus AB e SISPRENTAL. Lisandra Santos de Souza Teleconsultora e-sus Telessaúde SC

Orientações para integração do e-sus AB e SISPRENTAL. Lisandra Santos de Souza Teleconsultora e-sus Telessaúde SC apresentam Orientações para integração do e-sus AB e SISPRENTAL Lisandra Santos de Souza Teleconsultora e-sus Telessaúde SC 19/09/2018 Nota técnica n. 19 de 2017 3 Importante! As Unidades Básicas de Saúde

Leia mais

SAMS MATERNIDADE. Para Uso da Mãe. Para Uso do Bebé

SAMS MATERNIDADE. Para Uso da Mãe. Para Uso do Bebé SAMS MATERNIDADE Para Uso da Mãe 3 Camisas largas de dormir com botão à frente 1 Roupão 1 par de chinelos de quarto Roupa interior Produtos de higiene pessoal Discos de proteção dos mamilos Cinta ou faixa

Leia mais

I Simpósio de Assistência ao Parto em Minas Gerais

I Simpósio de Assistência ao Parto em Minas Gerais I Simpósio de Assistência ao Parto em Minas Gerais Cesariana eletiva no Brasil: indicações e limitações Victor Hugo de Melo Era uma vez, uma reunião em Fortaleza, no ano de 1985... Países com as taxas

Leia mais

Guia de Resumo de Internação Instrução de Preenchimento Manual

Guia de Resumo de Internação Instrução de Preenchimento Manual A Guia de Resumo de Internação deverá ser preenchida pela entidade de saúde que mantém compromisso de credenciamento especial firmado com a Eletrobras Furnas e destina-se à finalização de faturamentos

Leia mais

PLANO DE CURSO. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: ENFERMAGEM OBSTÉTRICA E NEONATAL.

PLANO DE CURSO. 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: ENFERMAGEM OBSTÉTRICA E NEONATAL. PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Bacharelado em Enfermagem Disciplina: ENFERMAGEM OBSTÉTRICA E NEONATAL Professor: Jamile Daltro Pereira Código: SAU57 Carga horária: 80h Preceptoria: 20h

Leia mais

PLANILHA GERAL - QUARTO PERÍODO - INTRODUÇÃO À CLÍNICA IV 2º 2017

PLANILHA GERAL - QUARTO PERÍODO - INTRODUÇÃO À CLÍNICA IV 2º 2017 Página 1 PLANILHA GERAL - QUARTO PERÍODO - INTRODUÇÃO À CLÍNICA IV 2º 2017 Planilha1 Dia Data Hora Professor/GAD Sala Conteúdo Módulo 08:00 GEOVANA AULA INAUGURAL: Apresentação da UC, Plano de Ensino e

Leia mais

Vigilância no pré-natal, parto e puerpério 2018

Vigilância no pré-natal, parto e puerpério 2018 Vigilância no pré-natal, parto e puerpério 2018 Doenças de transmissão vertical Principais patógenos e formas de transmissão Outras: HTLV Tuberculose Malária Chagas Dengue Chikungunya ZIKA Gilbert, 2004

Leia mais