Comparativo de fornecedores

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Comparativo de fornecedores"

Transcrição

1 Data de inicio: Data do relatório: Cliente: Produto pesquisado: Madeira e Bambu XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Fundação da fábrica 2004 Sept 28, 2006 Aug 2006 Quantidade de funcionários.. 132(Year 2008) Principal mercado Turquia, EUA e Europa Japão, Coreia e EUA Europa Certificados Sim Sim Sim Variedade de itens produzidos Toothpicks, Ice cream Wood products, Wooden bamboo sticks, Dental floss, Coffee stick, Flat skewer, Chopsticks, Bamboo fork disposable chopsticks, toothpick, round bar, food check, coffee bar, decorative wood lines; Porto de embarque DALIAN DALIAN DALIAN Possibilidade de amostragem free sample less than 1kg Sim Sim Possibilidade de OEM Sim NÃO Sim toothpick, meat string bamboo slip, ice lolly stick, coffee stick, wooden clothes pin, Palito de dente 23,4 carton (10000pcs/box, 23,50 10box/carton) (10000pcs/box,10boxes/ctn) 22,00 carton (10.000pcs/box,10boxes/ctn) MOQ 50 cartons 1 container 20' 900 cartons Custo estimado nacionalizado container R$ ,19 20' R$ ,91 R$ ,30 Custo estimado nacionalizado unidade R$ 72,28 R$ 73,41 R$ 69,91 Quantidade por container 900 cartons 832 cartons 800 cartons Palito - pacote com 25 paliteiros, cada um contendo 100 6,2 carton (25 caixinha com 100 palitos cada) 1,20 Pack of 25boxes(25 caixinhas com 100 p MOQ 300 cartons packs Custo estimado nacionalizado container 20' Custo estimado nacionalizado unidade Quantidade por container cartons 600 cartons ou boxes

2 Caixa de papelão com palitos embalados um a um 26,7 carton (2000pcs/box,24boxes/carton) 31,25 carton (2.000 pcs/ box, 25 boxes/carto MOQ 250 cartons boxes Custo estimado nacionalizado container R$ ,52 20' R$ ,73 Custo estimado nacionalizado unidade R$ 90,90 R$ 107,63 Quantidade por container 464 cartons 377 cartons Palito de sorvete (Straight Edge) 18,9 carton (1000pcs/bag 10bags/carton) 15,80 (1000pcs/bag,10bgas/ctn) MOQ 50 cartons carons Custo estimado nacionalizado container R$ ,50 20' R$ ,80 Custo estimado nacionalizado unidade R$ 59,98 R$ 52,47 Quantidade por container 938 cartons 880 cartons Palito de sorvete (Round Edge) Embalagem economica com unidades 20,8 carton (1000pcs/bag 10bags/ctn) 18,80 (1000pcs/bag,10bgas/ctn) MOQ 50 cartons cartons Custo estimado nacionalizado container R$ ,16 20' R$ ,44 Custo estimado nacionalizado unidade R$ 65,00 R$ 60,39 Quantidade por container 938 cartons 880 cartons Palito de sorvete (Round Edge) Embalagem economica com 200 pacotes contendo 50 unidades cada 21,8 carton (50pcs/bundle,200bundles/carton) 21,00 carton (200 packs - 50 units) MOQ 50 cartons cartons Custo estimado nacionalizado container R$ ,69 20' R$ ,09 Custo estimado nacionalizado unidade R$ 66,77 R$ 65,11 Quantidade por container 1026 cartons 978 cartons Pregadores 0,65 bag (12units/ printed 0,17 bag,50bags/carton) pack (12 units/pack/50bags/ctn, 0,17 (12 ransparent units Printed bag bag without - 200packs/c print) MOQ bags packs packs Custo estimado nacionalizado container 20' Custo estimado nacionalizado unidade Quantidade por container 2477 cartons 3200 cartons 660 cartons

3 Espeto de Madeira 44,8 carton (100pcs/bag,100bags/ctn) 38,70 carton (200pcs/bag,50bags/ctn) 36,0 carton (1000pcs/bag,10bags/ctn) MOQ 50 cartons 300 cartons bags Custo estimado nacionalizado container R$ ,98 20' R$ ,25 R$ ,65 Custo estimado nacionalizado unidade R$ 130,52 R$ 116,48 R$ 109,00 Quantidade por container 770 cartons 660 cartons 677 carton Palito de cuticula 37,4 carton (100pcs/bag,100bags/carton) 45,60 carton (10000pcs/ctn) 3,1 bag (1000pcs/bag, 10 bags/carton) MOQ 50 cartons pcs bags Custo estimado nacionalizado container R$ ,76 20' R$ ,77 R$ ,79 Custo estimado nacionalizado unidade R$ 105,81 R$ 128,43 R$ 89,33 Quantidade por container 1330 cartons 1168 cartons 1258 cartons Espeto de Bambu 250X3,0 Verifique Observações 34,75 carton (100pcs/bag,200bags/ctn) 15,55 (100pcs/bag,100bags/ctn) 44,0 carton (carton with 20,000 units) MOQ 100 cartons 500 cartons 450 cartons Custo estimado nacionalizado container R$ ,98 20' R$ ,40 R$ ,16 Custo estimado nacionalizado unidade R$ 112,78 R$ 51,33 R$ 137,18 Quantidade por container 450 cartons 936 cartons 450 cartons Espeto de Bambu 300X3,5 Verifique Observações 27,0 carton (100pcs/bag,100bags/ctns) 13,96 (100pcs/bag,50bags/ctn) 36,0 carton (carton with 10,000 units) MOQ 100 cartons 500 cartons 790 cartons Custo estimado nacionalizado container $53.658,51 20' $46.480,24 $84.524,52 Custo estimado nacionalizado unidade $86,55 $46,48 $106,99 Quantidade por container 620 cartons cartons 790 cartons

4 Informações relevantes sobre a importação NCM ou Hs Code Classificação II IPI Aplicação de Antidumping L.I automática Órgão anuente Exigências na certificação Outras obras de madeira Outras obras de madeira 14% 0% Não existe Não Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. após a conferência documental, fiscalização e inspeção sanitária, fitossanitária e de qualidade. A fiscalização e inspeção dar-se-ão quando da chegada da mercadoria e antes do despacho aduaneiro Outras informações relevantes Observações

5 XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXFabrica Linha de produção Produção e Máquinas Produção e Máquinas

6 HARBIN CO.,LTD Produto XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Armazenagem Certificados Mais fotos

7 XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Fabrica Linha de produção Produção Certificados

8 XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Teste qualidade Teste qualidade Certificados Certificados

9 XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Fabrica Fabrica Linha de produção Linha de produção

10 XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Certificados Comparativo de fornecedores

2. COMO IMPORTAR 1 PLANEJAMENTO 2 CONTATOS COM POTENCIAIS FORNECEDORES 3 IDENTIFICAR NCM, TRATAMENTO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO.

2. COMO IMPORTAR 1 PLANEJAMENTO 2 CONTATOS COM POTENCIAIS FORNECEDORES 3 IDENTIFICAR NCM, TRATAMENTO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO. 1 2 2. COMO IMPORTAR 2.1. FLUXOGRAMA DE IMPORTAÇÃO 1 PLANEJAMENTO A fase de planejamento das importações é geralmente parte integrante do planejamento geral da empresa para atender sua necessidade de máquinas,

Leia mais

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Tratamento Administrativo na Importação São Paulo, 19 de agosto de 2013 Controle Administrativo Definição e Aspectos Gerais Controle Administrativo

Leia mais

Importação Passo a Passo

Importação Passo a Passo 1º Passo Defina o que quer importar Importação Passo a Passo O mercado internacional, principalmente a China, apresenta uma ampla oportunidade de produtos para se importar. Antes de iniciar sua operação

Leia mais

CHECK LIST DO IMPORTADOR. Passo a passo para começar do zero

CHECK LIST DO IMPORTADOR. Passo a passo para começar do zero CHECK LIST DO IMPORTADOR Passo a passo para começar do zero ÍNDICE 1) Preparando a empresa 2) Pesquisando fornecedores 3) Calculando os custos 4) Fazendo o pedido 5) Controlando a produção 6) Embarcando

Leia mais

OBJETIVO DEFINIÇÕES. Para os efeitos deste Manual, define-se como: I MAPA: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento;

OBJETIVO DEFINIÇÕES. Para os efeitos deste Manual, define-se como: I MAPA: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; OBJETIVO O sistema SIGVIG instituído pelo MAPA destina-se a atender a necessidade de gerenciamento e controle do recebimento, envio e fiscalização das mercadorias importadas e exportadas através dos portos,

Leia mais

Flavio Augusto Trevisan Scorza Coordenador-Geral de Normas e Facilitação de Comércio Departamento de Normas e Competitividade no Comércio Exterior

Flavio Augusto Trevisan Scorza Coordenador-Geral de Normas e Facilitação de Comércio Departamento de Normas e Competitividade no Comércio Exterior CERTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA POR REGULAMENTO TÉCNICO DO Flavio Augusto Trevisan Scorza Coordenador-Geral de Normas e Facilitação de Comércio Departamento de Normas e Competitividade no Comércio Exterior Secretaria

Leia mais

Memória Técnica de Reunião com Camex, Mapa e SRF * Fiscalização das embalagens de madeira - alteração de procedimentos *

Memória Técnica de Reunião com Camex, Mapa e SRF * Fiscalização das embalagens de madeira - alteração de procedimentos * 1 Memória Técnica de Reunião com Camex, Mapa e SRF * Fiscalização das embalagens de madeira - alteração de procedimentos * Data: 10/02/2009, Brasília Órgãos apresentadores: - Aloísio Tupinambá Gomes Neto,

Leia mais

IMPORTAÇÃO: Regulamentação e casos especiais

IMPORTAÇÃO: Regulamentação e casos especiais IMPORTAÇÃO: Regulamentação e casos especiais Bruno Meurer de Souza Março de 2008 Conceito de importação Importação é o processo comercial e fiscal que consiste em trazer um produto ou serviço oriundo do

Leia mais

Passos na Importação Roteiro Básico. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012

Passos na Importação Roteiro Básico. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 Roteiro Básico Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 1º Passo Efetuar contatos com fornecedor (exportador). 2º Passo Formalizar as negociações com fornecedor (exportador). 3º Passo Negociar a condição de

Leia mais

EXPORTAÇÃO SIMPLIFICADA

EXPORTAÇÃO SIMPLIFICADA EXPORTAÇÃO SIMPLIFICADA REALIZEI UMA EXCELENTE VENDA! E AGORA? COMO FAÇO PARA ENTREGAR? CORREIOS Estrutura Física: 5.570 mil municípios atendidos, 37 mil pontos de atendimento, 11.890 mil Agências, 10

Leia mais

a) Requerimento para fiscalização de produtos agropecuários (FORMULÁRIO V);

a) Requerimento para fiscalização de produtos agropecuários (FORMULÁRIO V); MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 49, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2009 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

IMPORTAÇÕES Definição e Tratamento Administrativo

IMPORTAÇÕES Definição e Tratamento Administrativo IMPORTAÇÕES Definição e Tratamento Administrativo CURSO: Administração DISCIPLINA: Logística Internacional FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo: Atlas,

Leia mais

Bonbons / Bombones / Bombons /

Bonbons / Bombones / Bombons / Bonbons / Bombones / Bombons / 12106226-200g 12243593-355g Assorted bonbons Bombones surtidos Bombons sortidos 11323051-500g 11321379-1Kg Assorted bonbons Bombones surtidos Bombons sortidos 11323351-1Kg

Leia mais

Curso Analista de Importação

Curso Analista de Importação Curso Analista de Importação (Curso Presencial em Belo Horizonte) Objetivo: Capacitar o aluno para planejar e gerenciar os processos de importação de uma empresa, atuando como analista de importação ou

Leia mais

SISTEMÁTICA DAS EXPORTAÇÕES

SISTEMÁTICA DAS EXPORTAÇÕES SISTEMÁTICA DAS EXPORTAÇÕES CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo, Atlas, 2004. SILVA, Luiz Augusto

Leia mais

AGORA VOCÊ PODE: IMPORTAR FALANDO PORTUGUÊS, E COM A VANTAGEM DE QUEM É ESPECIALISTA NO QUE FAZ!

AGORA VOCÊ PODE: IMPORTAR FALANDO PORTUGUÊS, E COM A VANTAGEM DE QUEM É ESPECIALISTA NO QUE FAZ! AGORA VOCÊ PODE: IMPORTAR FALANDO PORTUGUÊS, E COM A VANTAGEM DE QUEM É ESPECIALISTA NO QUE FAZ! ZM TRADE A ZM pensou nisso para você, e agora pode lhe oferecer os serviços da ZM TRADE. Qualidade, preço

Leia mais

O Processo de Importação e Suas Etapas

O Processo de Importação e Suas Etapas O Processo de Importação e Suas Etapas CURSO: Administração / DISCIPLINA: Logística Internacional FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo: Atlas, 2004.

Leia mais

Profa. Lérida Malagueta. Unidade IV SISTEMÁTICA DE

Profa. Lérida Malagueta. Unidade IV SISTEMÁTICA DE Profa. Lérida Malagueta Unidade IV SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO Importação Importar consiste em uma operação de compra de produtos no mercado exterior e sua respectiva entrada em um país Necessidade

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM CONTEINERIZAÇÃO DE CARGAS

DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM CONTEINERIZAÇÃO DE CARGAS DISTRIBUIÇÃO E ARMAZENAGEM CONTEINERIZAÇÃO DE CARGAS CONTEINERIZAÇÃO DE CARGAS Vantagens: Possibilitam operações ininterruptas, mesmo sob intempéries Incrementam a produtividade Minimizam o tempo de movimentação

Leia mais

SEÇÃO VII PRODUTOS VEGETAIS, SEUS SUBPRODUTOS E RESÍDUOS DE VALOR ECONÔMICO, PADRONIZADOS PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

SEÇÃO VII PRODUTOS VEGETAIS, SEUS SUBPRODUTOS E RESÍDUOS DE VALOR ECONÔMICO, PADRONIZADOS PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEÇÃO VII PRODUTOS VEGETAIS, SEUS SUBPRODUTOS E RESÍDUOS DE VALOR ECONÔMICO, PADRONIZADOS PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS Os produtos vegetais, seus subprodutos

Leia mais

Novas perspectivas e abordagens para os processos de importação e distribuição no Brasil

Novas perspectivas e abordagens para os processos de importação e distribuição no Brasil Introdução Há alguns anos as trading companies brasileiras têm se mostrado uma alternativa segura e economicamente atrativa para empresas estrangeiras que desejam exportar ou distribuir seus produtos no

Leia mais

A tríade do Comércio Internacional. Macro Ambiente de Negócio Internacional. Distribution Chain. Supply Chain. Manufatura

A tríade do Comércio Internacional. Macro Ambiente de Negócio Internacional. Distribution Chain. Supply Chain. Manufatura A tríade do Comércio Internacional Macro Ambiente de Negócio Internacional Distribution Chain Exportação Supply Chain Importação Manufatura Materials Requirement Planning II Supply Chain Visão holística

Leia mais

ADUANA FRAUDE EM IMPORTAÇÃO 1 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL

ADUANA FRAUDE EM IMPORTAÇÃO 1 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL ADUANA SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL APRESENTAÇÃO: DANIEL BEZERRA DOS SANTOS AUDITOR FISCAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL FRAUDE EM IMPORTAÇÃO 1 OBJETIVO Abordar, de forma sucinta, as atividades

Leia mais

IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR

IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR 1º Passo: Registro da empresa Atualizar o objeto social da empresa incluindo a atividade de importação e os tipos de produtos que serão

Leia mais

Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Fiscalização de Alimentos Importados nos Portos, Aeroportos e Postos de Fronteira no Brasil

Agência Nacional de Vigilância Sanitária Anvisa Fiscalização de Alimentos Importados nos Portos, Aeroportos e Postos de Fronteira no Brasil Fiscalização de Alimentos Importados nos Portos, Aeroportos e Postos de Fronteira no Brasil Brasília, 21 de outubro de 2014 Postos da ANVISA 77 Postos da Anvisa em todo o território que Realizam atividades

Leia mais

OFÍCIO CIRCULAR DIPOA/SDA Nº 14/2010 Brasília, 19 de abril de 2010. Do: Diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal - DIPOA

OFÍCIO CIRCULAR DIPOA/SDA Nº 14/2010 Brasília, 19 de abril de 2010. Do: Diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal - DIPOA MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO- MAPA OFÍCIO CIRCULAR DIPOA/SDA Nº 14/2010 Brasília, 19 de abril de 2010. Do: Diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal - DIPOA

Leia mais

OFÍCIO CIRCULAR DIPOA/SDA Nº 42/2010 Brasília, 30 de novembro de 2010. Do: Diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal - DIPOA

OFÍCIO CIRCULAR DIPOA/SDA Nº 42/2010 Brasília, 30 de novembro de 2010. Do: Diretor do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal - DIPOA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTERIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO- MAPA OFÍCIO CIRCULAR DIPOA/SDA Nº 42/2010 Brasília, 30 de novembro de 2010. Do: Diretor do Departamento de Inspeção de

Leia mais

Circular Nº 183/2014/DIPES/CGI/DIPOA Brasília, 18 de agosto de 2014.

Circular Nº 183/2014/DIPES/CGI/DIPOA Brasília, 18 de agosto de 2014. MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO. Secretaria de Defesa Agropecuária Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal Coordenação Geral de Inspeção Divisão de Inspeção de Pescado

Leia mais

Agradecemos a oportunidade de apresentar nossa Tabela de Preços - Longo Curso e Cabotagem, conforme abaixo.

Agradecemos a oportunidade de apresentar nossa Tabela de Preços - Longo Curso e Cabotagem, conforme abaixo. CONVICON - CONTEINERES DE VILA DO CONDE S/A CNPJ: 06.013.760/0001-10 I.E: 15.235.534-0 End. Rod. PA. 481 S/N Km21 - Barcarena - Cep.: 68447-000 - Cx. P.: 82 Tel: (091) 3322-7575 Home page: www.santosbrasil.com.br

Leia mais

DRY PORT SÃO PAULO S.A. Bonded Warehouse and Logistics Solutions INSTITUCIONAL

DRY PORT SÃO PAULO S.A. Bonded Warehouse and Logistics Solutions INSTITUCIONAL Dry Port São Paulo Porto Seco e Soluções Logísticas Dados da empresa: Fundado em: 1971 e 1991 alfandegado; Funcionários: 140. Estrutura: 40.000 m2 de alfândega e 200.000m2 pátio automotivo. Clientes Ativos:

Leia mais

Importação Consultoria Treinamento

Importação Consultoria Treinamento Importação Consultoria Treinamento China Gate Nossa missão é facilitar as decisões dos nossos clientes. Somos uma empresa especializada em ajudar importadores brasileiros a fazer negócios com a China.

Leia mais

PREÇOS X CUSTOS CUSTO PREÇO. t C TEMPO. Globalização => vantagem para compradores => quedas nos preços (também provocadas pela ampliação do comércio)

PREÇOS X CUSTOS CUSTO PREÇO. t C TEMPO. Globalização => vantagem para compradores => quedas nos preços (também provocadas pela ampliação do comércio) $ PREÇOS X CUSTOS Globalização => vantagem para compradores => quedas nos preços (também provocadas pela ampliação do comércio) CUSTO PREÇO Sobrevivência das empresas depende de redução de custos t C TEMPO

Leia mais

Formação de Analista em Comércio Exterior

Formação de Analista em Comércio Exterior Formação de Analista em Comércio Exterior com Pós Graduação Objetivo: Habilitar os participantes para exercer a profissão de Analista de Comércio Exterior e trabalhar com a análise das operações, planejamento,

Leia mais

FAQ - PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

FAQ - PERGUNTAS MAIS FREQUENTES 1. Como o despachante será informado sobre o bloqueio da carga para inspeção fitossanitária pelo MAPA? R. Caberá ao recinto alfandegado informar o bloqueio da carga, ficando a cargo do recinto a melhor

Leia mais

Guia Orientativo para Importação de Insumos para a Rede Nacional de Laboratórios Agropecuários

Guia Orientativo para Importação de Insumos para a Rede Nacional de Laboratórios Agropecuários Guia Orientativo para Importação de Insumos para a Rede Nacional de Laboratórios Agropecuários 2010 Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Todos os direitos reservados. Permitida a reprodução

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2011

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2011 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2011 O MINISTRO DE ESTADO, INTERINO, DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no

Leia mais

E XPORTAÇÃO. Dica: o dossiê com as informações sobre o produto deve ser preparado antes do contato com o importador.

E XPORTAÇÃO. Dica: o dossiê com as informações sobre o produto deve ser preparado antes do contato com o importador. EXPORTAÇÃO E XPORTAÇÃO Antes de fornecer o preço, é importante analisar os preços de produtos similares praticados no mercado onde está o potencial cliente, exigências técnicas, barreiras tarifárias e

Leia mais

DRAWBACK INTEGRADO DRAWBACK INTEGRADO

DRAWBACK INTEGRADO DRAWBACK INTEGRADO DRAWBACK INTEGRADO Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX DRAWBACK INTEGRADO Normas, Procedimentos e DúvidasD DRAWBACK INTEGRADO MODALIDADES DE DRAWBACK

Leia mais

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS 1 LEGISLAÇÃO Portaria SECEX Nº 23/11 - Tratamento Administrativo Portaria DECEX nº 08/91 - Material Usado Decreto nº 6.759/09

Leia mais

3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas

3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas 3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas DISCIPLINA: Negócios Internacionais FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo: Atlas, 2004. SILVA, Luiz Augusto

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS PLANO DE ENSINO DA DISCIPLINA Curso: 22211 - ADMINISTRAÇÃO com Linha de formação em Comércio Exterior Disciplina: 02675 - OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR - IMPORTAÇÃO

Leia mais

SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO

SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO SISTEMÁTICA DE IMPORTAÇÃO PROCEDIMENTOS DE IMPORTAÇÃO 1º Passo - Habilitação Legal A inscrição no Registro de Exportadores e Importadores (REI) da Secretaria de Comércio Exterior constitui condição preliminar

Leia mais

LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS. rfsouza@fatecinternacional.com.br

LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS. rfsouza@fatecinternacional.com.br LOGÍSTICA E CADEIA DE SUPRIMENTOS PROF. RODRIGO FREITAS DE SOUZA REVISÃO rfsouza@fatecinternacional.com.br Objetivo da Logística Fazer chegar a quantidade certa das mercadorias certas ao local certo, no

Leia mais

Preenchimento da planilha de Índice de Nacionalização (IN)

Preenchimento da planilha de Índice de Nacionalização (IN) Preenchimento da planilha de Índice de Nacionalização (IN) Instruções Básicas... 3 Preenchimento... 3 Envio... 3 Cadastramento de produtos... 3 Funcionamento da planilha... 3 Taxa de câmbio... 4 Aba (planilha)

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB NOVA IGUACU EXTRATO DA DECLARAÇÃO DE IMPORTAÇÃO CONSUMO

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB NOVA IGUACU EXTRATO DA DECLARAÇÃO DE IMPORTAÇÃO CONSUMO 1/ 5 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB NOVA IGUACU EXTRATO DA DECLARAÇÃO DE IMPORTAÇÃO CONSUMO Modalidade do despacho: NORMAL Quantidade de adições: 0002 Importador CGC: 04.570.097/0001-29

Leia mais

LOCALFRIO S.A. ARMAZÉNS GERAIS FRIGORÍFICOS

LOCALFRIO S.A. ARMAZÉNS GERAIS FRIGORÍFICOS LOCALFRIO S.A. ARMAZÉNS GERAIS FRIGORÍFICOS TARIFA DE SERVIÇOS Matriz: CNPJ: 58.317.751/0001-16 NIRE: 35.300.117.441; Filial: São Paulo SP Armazém Frigorífico CNPJ: 58.317.751/0007-01 NIRE: 35.902.660.232

Leia mais

Desenvolver soluções para o mercado, buscando de forma ética a geração sustentada e crescente do lucro, com responsabilidade social e ambiental

Desenvolver soluções para o mercado, buscando de forma ética a geração sustentada e crescente do lucro, com responsabilidade social e ambiental A Pack Less Desenvolvimento & Inovação Ltda. (PLDI) é resultado da visão macroestratégica voltada para o futuro, alicerçada no avanço tecnológico para soluções logísticas. Instalada numa área de 1.000

Leia mais

Câmara de Comércio Exterior Secretaria Executiva

Câmara de Comércio Exterior Secretaria Executiva Câmara de Comércio Exterior Secretaria Executiva ALOÍSIO TUPINAMBÁ GOMES NETO Assessor Especial 10 de fevereiro de 2009 Brasília - DF Câmara de Comércio Exterior - CAMEX O papel da CAMEX é coordenar esforços

Leia mais

INTERNATIONAL FOREST PRODUCTS VISÃO GERAL DOS NEGÓCIOS

INTERNATIONAL FOREST PRODUCTS VISÃO GERAL DOS NEGÓCIOS INTERNATIONAL FOREST PRODUCTS VISÃO GERAL DOS NEGÓCIOS 1 CONFIDENCIAL Somente para fins de debate O GRUPO KRAFT O GRUPO KRAFT É UMA EMPRESA 100% PRIVADA E OPERADA PELA FAMÍLIA KRAFT Produtos Florestais

Leia mais

NIEx. 30º AgroEx Manaus. 26 de novembro de 2009

NIEx. 30º AgroEx Manaus. 26 de novembro de 2009 NIEx NÚCLEO DE INTEGRAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO Caminhos para Exportar 30º AgroEx Manaus 26 de novembro de 2009 FASES DO PROCESSO EXPORTADOR Fase Mercadológica Fase Comercial Fase Administrativa Fase Aduaneira

Leia mais

A Implantação do Operador Econômico Autorizado no Brasil: Papel dos Anuentes

A Implantação do Operador Econômico Autorizado no Brasil: Papel dos Anuentes CÂMARA DE COMÉRCIO EXTERIOR Secretaria-Executiva A Implantação do Operador Econômico Autorizado no Brasil: Papel dos Anuentes 25 de setembro de 2009 Instituto Aliança Procomex - SP LYTHA SPÍNDOLA Secretária-Executiva

Leia mais

SISCOMEX EXPORTAÇÃO WEB

SISCOMEX EXPORTAÇÃO WEB SISCOMEX EXPORTAÇÃO WEB MÓDULO COMERCIAL 1 REGISTRO DE EXPORTAÇÃO 2 INCLUSÃO DE REGISTRO DE EXPORTAÇÃO Pressionando-se o botão de Operações, o sistema abrirá o menu de funcionalidades permitidas para o

Leia mais

Despacho Aduaneiro Desembaraço Aduaneiro de Importação. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012

Despacho Aduaneiro Desembaraço Aduaneiro de Importação. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 Despacho Aduaneiro Desembaraço Aduaneiro de Importação Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 1 Sistema Integrado de Comércio Exterior (SISCOMEX - Módulo Importação) INTEGRAÇÃO DOS ÓRGÃOS GOVERNAMENTAIS

Leia mais

TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS LIBRA TERMINAIS RIO

TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS LIBRA TERMINAIS RIO TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS LIBRA TERMINAIS RIO (vigência a partir de 01/07/2012 Valores expressos em Reais) A ARMAZENAGEM DE IMPORTAÇÃO: A.1 CONTÊINERES / CARGA GERAL (períodos de 7 dias ou fração): Fixo

Leia mais

PROTOCOLO DE MONTREAL. CONTROLE DAS SUBSTÂNCIAS QUE DESTROEM A CAMADA DE OZÔNIO - SDOs IBAMA

PROTOCOLO DE MONTREAL. CONTROLE DAS SUBSTÂNCIAS QUE DESTROEM A CAMADA DE OZÔNIO - SDOs IBAMA MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS IBAMA PROTOCOLO DE MONTREAL CONTROLE DAS SUBSTÂNCIAS QUE DESTROEM A CAMADA DE OZÔNIO - SDOs IBAMA

Leia mais

Projeto de análise de Importação

Projeto de análise de Importação Projeto de análise de Importação Empresa: Import Brasil S/A Objetivo: Estudo sobre a viabilidade da importação analisando pontos como logística, s, impostos, barreiras de entrada, estatística de importação

Leia mais

TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS LIBRA TERMINAIS RIO

TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS LIBRA TERMINAIS RIO TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS LIBRA TERMINAIS RIO (vigência a partir de 25/02/2014 Valores expressos em Reais) A ARMAZENAGEM DE IMPORTAÇÃO: A.1 CONTÊINERES / CARGA GERAL (períodos de 7 dias ou fração): Fixo

Leia mais

Considerando que a referida Resolução demanda ao IBAMA determinadas atividades fundamentais para a sua implementação; resolve:

Considerando que a referida Resolução demanda ao IBAMA determinadas atividades fundamentais para a sua implementação; resolve: INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA Nº 1, DE 18 DE MARÇO DE 2010 O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA, nomeado pela Portaria nº 383 da Ministra de Estado

Leia mais

O Lean Thinking aplicado ao Supply Chain. Alexandre Cardoso

O Lean Thinking aplicado ao Supply Chain. Alexandre Cardoso O Lean Thinking aplicado ao Supply Chain Alexandre Cardoso Agenda Logística lean Armazenagem Inbound Outbound Lean em Fornecedores 2 Competitividade além das operações e da empresa Produção Produção Produção

Leia mais

REQUISITOS MÍNIMOS DE EMBALAGEM E PRESERVAÇÃO DE EQUIPAMENTOS E MATERIAIS ADQUIRIDOS NO MERCADO NACIONAL OU INTERNACIONAL

REQUISITOS MÍNIMOS DE EMBALAGEM E PRESERVAÇÃO DE EQUIPAMENTOS E MATERIAIS ADQUIRIDOS NO MERCADO NACIONAL OU INTERNACIONAL REQUISITOS MÍNIMOS DE EMBALAGEM E PRESERVAÇÃO DE EQUIPAMENTOS E MATERIAIS ADQUIRIDOS NO MERCADO 1. OBJETIVO Estabelecer requisitos mínimos para a preservação e a embalagem de equipamentos e materiais adquiridos

Leia mais

Encontrei as seguintes possibilidades razoáveis de recursos: 57- Sobre a Tarifa Externa Comum (TEC), é incorreto afirmar que:

Encontrei as seguintes possibilidades razoáveis de recursos: 57- Sobre a Tarifa Externa Comum (TEC), é incorreto afirmar que: Prezados, Encontrei as seguintes possibilidades razoáveis de recursos: 57- Sobre a Tarifa Externa Comum (TEC), é incorreto afirmar que: a) pelo regime de ex-tarifário, pode haver redução da TEC para bens

Leia mais

LOGÍSTICA INTEGRADA NÍVEL DE SERVIÇO CUSTO TOTAL

LOGÍSTICA INTEGRADA NÍVEL DE SERVIÇO CUSTO TOTAL LOGÍSTICA INTEGRADA NÍVEL DE SERVIÇO CUSTO TOTAL João Roberto Rodrigues Bio 1o. Prof. Semestre João Roberto de 2006 R. Bio LOGÍSTICA INTEGRADA Logística Integrada Planejamento, implantação e operação da...

Leia mais

Caminhos para Exportar

Caminhos para Exportar NIEx NÚCLEO DE INTEGRAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO Caminhos para Exportar 33º AgroEx Marco-CE ADILSON OLIVEIRA FARIAS Assessor técnico JULIANA CAETANO JALES Assistente técnico FASES DO PROCESSO EXPORTADOR Fase

Leia mais

LOGÍSTICA PORTUÁRIA E CONFER NCIA DE CARGAS CONFORMITY. #QueroSerConferente

LOGÍSTICA PORTUÁRIA E CONFER NCIA DE CARGAS CONFORMITY. #QueroSerConferente LOGÍSTICA PORTUÁRIA E CONFER NCIA DE CARGAS CONFORMITY A C A D E M Y #QueroSerConferente O SETOR Exportações Brasileiras Em 2015 a produção agropecuária do Brasil atingiu um volume recorde, chegando a

Leia mais

Sistemática de Comércio Exterior

Sistemática de Comércio Exterior Sistemática de Comércio Exterior Comércio Exterior 6 ADN 1 Prof. Charles Chelala Informações Básicas Exportar: para quê? Amplia as chances de melhores resultados para a empresa Aumenta a produtividade

Leia mais

Unidade II. Administração. Prof. Ms. Livaldo dos Santos

Unidade II. Administração. Prof. Ms. Livaldo dos Santos Unidade II Administração de Suprimentos Prof. Ms. Livaldo dos Santos Administração de Suprimentos Objetivos da Unidade Analisar os principais conceitos sobre: A medição do desempenho na cadeia de suprimentos

Leia mais

Siscomex Importação. 1ª Edição. São Paulo 2013. Luis Geokarly do Nascimento. Manual Prático do Sistema. Siscomex Importação Manual Prático do Sistema

Siscomex Importação. 1ª Edição. São Paulo 2013. Luis Geokarly do Nascimento. Manual Prático do Sistema. Siscomex Importação Manual Prático do Sistema Siscomex Importação Manual Prático do Sistema 1ª Edição São Paulo 2013 Página 1 Página 2 Gosto daquele que sonha o impossível Johann Goethe Página 3 Sobre o Autor é despachante aduaneiro, com mais de 10

Leia mais

Programa de Rotulagem da CEAGESP

Programa de Rotulagem da CEAGESP Programa de Rotulagem da CEAGESP O RÓTULO É A IDENTIDADE DO ALIMENTO O rótulo identifica o produto, a sua quantidade, a sua origem e o seu responsável. A colocação do rótulo é uma exigência da lei que

Leia mais

REGIME ADUANEIRO ESPECIAL DE DRAWBACK

REGIME ADUANEIRO ESPECIAL DE DRAWBACK Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Coordenação-Geral de Exportação e Drawback

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS SETOR DA CONSTRUÇÃO CIVIL PORCELANATO POLIDO

DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS SETOR DA CONSTRUÇÃO CIVIL PORCELANATO POLIDO DESENVOLVIMENTO DE PRODUTOS SETOR DA CONSTRUÇÃO CIVIL HISTÓRICO FULL IMPORT Atuando desde 2006 no ramo de comércio exterior, a Full Import (Full Comercial Ltda) tem a função de facilitar a importação e

Leia mais

RollerForks. A nova revolução da logística: Movimentação sem paletes!

RollerForks. A nova revolução da logística: Movimentação sem paletes! RollerForks A nova revolução da logística: Movimentação sem paletes! RollerForks Os paletes revolucionaram a logística, ao unitizar as cargas e reduzir custos drasticamente. Agora, uma nova revolução tem

Leia mais

Melhorias em uma embalagem primária de matéria-prima para fabricação de cosmético bucal

Melhorias em uma embalagem primária de matéria-prima para fabricação de cosmético bucal Acadêmico Autores: Mariana Rebuski Sotier Paulo Sérgio de Arruda Ignácio LALT Laboratório de Aprendizagem em Logística e Transportes Faculdade de Engenharia Civil UNICAMP Melhorias em uma embalagem primária

Leia mais

1. Quais são os casos em que determinada importação estará sujeita a contingenciamento?

1. Quais são os casos em que determinada importação estará sujeita a contingenciamento? 1. Quais são os casos em que determinada importação estará sujeita a contingenciamento? 2. Quais são as características das Cotas Tarifárias concedidas sob os Acordos no âmbito 3. Quais são as características

Leia mais

PROCESSO LIE Nº 58701.005149/2012-18 EDITAL 08-B/EPCS/2013 AÇÃO 4.2 AF AQUISIÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DESPACHO ADUANEIRO

PROCESSO LIE Nº 58701.005149/2012-18 EDITAL 08-B/EPCS/2013 AÇÃO 4.2 AF AQUISIÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DESPACHO ADUANEIRO OBJETO PROCESSO LIE Nº 58701.005149/2012-18 EDITAL 08-B/EPCS/2013 AÇÃO 4.2 AF Contratação de uma empresa especializada em despacho aduaneiro e transportes internacionais AQUISIÇÃO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA E SERVIÇOS

CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA E SERVIÇOS CONDIÇÕES GERAIS DE VENDA E SERVIÇOS Este documento tem por finalidade regulamentar o fornecimento de equipamentos e serviços pela ENGEVAP ENGENHARIA E EQUIPAMENTOS LTDA., de acordo com a legislação em

Leia mais

Cursos in company CIA. LIBRA Formação Básica em Comércio Exterior Carga horária: 36h/aula

Cursos in company CIA. LIBRA Formação Básica em Comércio Exterior Carga horária: 36h/aula CIA. LIBRA Formação Básica em Comércio Exterior Carga horária: 36h/aula PROGRAMA Preparando-se para exportar 6 hs Procedimentos básicos na exportação 6 hs Procedimentos básicos na importação 6 hs Câmbio

Leia mais

Curso de Consultoria Empresarial

Curso de Consultoria Empresarial Curso de Consultoria Empresarial (Curso Presencial em Belo Horizonte) Início - 23/08 Objetivo: Capacitar o aluno para atuar na área de consultoria e gestão empresarial. Este é um curso livre de capacitação

Leia mais

14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24. 25. O

14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24. 25. O ÍNDICE 1. Como proceder para realizar uma importação? 2. Para importar um produto, sempre há necessidade de licenciamento? 3. Como verificar se determinada importação requer ou não licenciamento? 4. Existe

Leia mais

Supply Chain Visão holística da cadeia logística de suprimentos

Supply Chain Visão holística da cadeia logística de suprimentos A tríade do Comércio Internacional Macro Ambiente de Negócio Internacional Distribution Chain Exportação Supply Chain Importação Manufatura Materials Requirement Planning II Supply Chain Visão holística

Leia mais

SISCOMEX, DOCUMENTOS e FORMAS DE PAGAMENTOS

SISCOMEX, DOCUMENTOS e FORMAS DE PAGAMENTOS CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DO ESPÍRITO SANTO SISCOMEX, DOCUMENTOS e FORMAS DE PAGAMENTOS Prof.: Leonardo Ribeiro 1 Siscomex O Sistema Integrado de Comércio Exterior - SISCOMEX, é um instrumento

Leia mais

Controle Aduaneiro das Medidas de Defesa Comercial

Controle Aduaneiro das Medidas de Defesa Comercial Controle Aduaneiro das Medidas de Defesa Comercial Oswaldo Moraes 26.09.2013 AGENDA I. Instrumentos de Controle Aduaneiro Licenciamento Não Automático Regras de Origem Não Preferencial Controle e Investigação

Leia mais

C/ cópias para: SIF, UTRA, SIPAG, SFA e CGPE/DIPOA DICS/CGI/DIPOA/aft

C/ cópias para: SIF, UTRA, SIPAG, SFA e CGPE/DIPOA DICS/CGI/DIPOA/aft REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E DO ABASTECIMENTO MAPA SECRETARIA DE DEFESA AGROPECUÁRIA SDA DEPARTAMENTO DE INSPEÇÃO DE PRODUTOS DE ORIGEM ANIMAL DIPOA COORDENAÇÃO

Leia mais

A tríade do Comércio Internacional. Macro Ambiente de Negócio Internacional. Distribution Chain. Supply Chain. Manufatura

A tríade do Comércio Internacional. Macro Ambiente de Negócio Internacional. Distribution Chain. Supply Chain. Manufatura A tríade do Comércio Internacional Macro Ambiente de Negócio Internacional Distribution Chain Exportação Supply Chain Importação Manufatura Materials Requirement Planning II Supply Chain Visão holística

Leia mais

Formação de Despachante Aduaneiro OEA

Formação de Despachante Aduaneiro OEA Formação de Despachante Aduaneiro OEA Preparatório para o Exame de Qualificação Técnica e Operador Econômico Autorizado OEA para Despachantes Aduaneiros. Objetivo: Este curso tem como objetivo formar os

Leia mais

MBA em Gestão Logística

MBA em Gestão Logística Pág. 1/5 MBA em Gestão Logística Carga Horária: 360 horas/ aulas presenciais + monografia orientada. Aulas: sábados das 8h30 às 18h, com intervalo para almoço. Valor: 16 parcelas de R$ 380,00* * Valor

Leia mais

DESPACHO ADUANEIRO (RECEITA FEDERAL DO BRASIL) Prof. Moacir Rodrigues

DESPACHO ADUANEIRO (RECEITA FEDERAL DO BRASIL) Prof. Moacir Rodrigues DESPACHO ADUANEIRO (RECEITA FEDERAL DO BRASIL) Prof. Moacir Rodrigues DESPACHO ADUANEIRO Procedimento Fiscal por intermédio do qual o exportador desembaraça a mercadoria para o exterior (Faro, 2007). É

Leia mais

Ato Declaratório Executivo Conjunto nº 1 de 28.01.2005

Ato Declaratório Executivo Conjunto nº 1 de 28.01.2005 COORDENADORES-GERAIS DO SISTEMA ADUANEIRO E DE TECNOLOGIA E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO - COANA/COTEC Ato Declaratório Executivo Conjunto nº 1 de 28.01.2005 Estabelece procedimentos para a avaliação de funcionamento

Leia mais

Perguntas e Respostas mais Freqüentes IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA

Perguntas e Respostas mais Freqüentes IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA Perguntas e Respostas mais Freqüentes IMPORTA FÁCIL CIÊNCIA 1. O Que é? O Importa Fácil Ciência é destinado a pesquisadores/entidades de pesquisa cientifica ou tecnológica, devidamente credenciadas no

Leia mais

Como identificar e cadastrar produtos em sua empresa

Como identificar e cadastrar produtos em sua empresa CAMPANHA PARA REDUZIR RUPTURAS EM R$ 1 Bi 2 2 F A S C Í C U L O Como identificar e cadastrar produtos em sua empresa REALIZAÇÃO COORDENAÇÃO E PRODUÇÃO PATROCÍNIO APOIO C A D A S T R O D E P R O D U T O

Leia mais

Regime Aduaneiro Especial de Entreposto Industrial sob Controle Informatizado

Regime Aduaneiro Especial de Entreposto Industrial sob Controle Informatizado Definição do Regime Regime Aduaneiro Especial de Entreposto t Industrial sob Controle Informatizado Esse regime permite à empresa importar com suspensão dos impostos federais e adquirir no mercado nacional,

Leia mais

1 Computação 2008-2009 (2.º Semestre): Documentos para consulta no exame N.º. Nome completo: Curso: Foto:

1 Computação 2008-2009 (2.º Semestre): Documentos para consulta no exame N.º. Nome completo: Curso: Foto: 1 N.º Nome completo: Curso: Foto: 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB NOVA IGUACU EXTRATO DA DECLARAÇÃO DE IMPORTAÇÃO CONSUMO

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB NOVA IGUACU EXTRATO DA DECLARAÇÃO DE IMPORTAÇÃO CONSUMO 1/ 5 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB NOVA IGUACU EXTRATO DA DECLARAÇÃO DE IMPORTAÇÃO CONSUMO Modalidade do despacho: NORMAL Quantidade de adições: 0002 Importador CGC: 04.570.097/0001-29

Leia mais

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB ITAJAI EXTRATO DA DECLARAÇÃO DE IMPORTAÇÃO CONSUMO

SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB ITAJAI EXTRATO DA DECLARAÇÃO DE IMPORTAÇÃO CONSUMO 1/ 5 SECRETARIA DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL - RFB ITAJAI EXTRATO DA DECLARAÇÃO DE IMPORTAÇÃO CONSUMO Modalidade do despacho: NORMAL Quantidade de adições: 0002 Importador CGC: 10.561.799/0001-49 Adquirente

Leia mais

Nome do Campo Tipo Descrição do Campo

Nome do Campo Tipo Descrição do Campo Este arquivo apresenta o leiaute do documento xml extraído da Planilha de Cálculo de IN para a apuração do índice de nacionalização, parte integrante do processo de Credenciamento de Fabricantes de Máquinas,

Leia mais

Grupo Familiar Mulliez

Grupo Familiar Mulliez Grupo Familiar Mulliez Grupo Adeo adeo é um verbo em latim que significa: Eu vou em direção a Eu me aproximo Representa ao mesmo tempo a importância individual de cada colaborador e a nossa força enquanto

Leia mais

DESFRAGMENTAR PARA TETRIFICAR. www.cotecna.pt 1

DESFRAGMENTAR PARA TETRIFICAR. www.cotecna.pt 1 DESFRAGMENTAR PARA TETRIFICAR www.cotecna.pt 1 O início A embalagem, no seu sentido originário, remonta há mais de 10.000 anos. A finalidade nos primórdios Transportar. Com as migrações, havia a necessidade

Leia mais