FAQ - PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FAQ - PERGUNTAS MAIS FREQUENTES"

Transcrição

1 1. Como o despachante será informado sobre o bloqueio da carga para inspeção fitossanitária pelo MAPA? R. Caberá ao recinto alfandegado informar o bloqueio da carga, ficando a cargo do recinto a melhor forma de comunicação com o despachante/importador. 2. Qual a definição de País de Origem? R. O País de Origem é onde a carga foi fabricada/produzida. 3. Qual a definição de País de Procedência? R. O País de Procedência é onde a carga foi embarcada para vir ao Brasil. 4. Qual a informação deverei enviar no CAC, o País de Origem ou de Procedência? R. Como, no momento a informação sobre país de origem não está disponível aos terminais, o recinto deverá enviar a informação do país de procedência (também disponível por correlação com o porto de embarque). Caso no futuro as duas informações estejam disponíveis, o procedimento deverá sofrer alteração. 5. Qual são as regras e momentos para o envio do CAC nos casos de NVOCC? R. O CAC deverá ser enviado sempre pelo conhecimento Master, salvo os motivos/orientações abaixo: a) Master com mais de 1 BL de importadores diferentes -> Envio do CAC e IPC pelo Master; b) Master com apenas 1 BL ou com BL s do mesmo importador -> Envio do CAC pelo House 6. Qual a informação deverá ser consultada para a liberação da carga? A mudança de status para Liberado da Unidade de Carga (parâmetro

2 cdunidadecarga ) ou a liberação do conhecimento (parâmetro nrconhecimento )? R. A liberação da carga somente deverá acontecer após o status Liberado para o conhecimento (parâmetro nrconhecimento). Unidades de cargas que tenha sido detectadas não conformidades durante a inspeção permanecerão com o status Não conforme. Após a finalização ou baixa do Termo de Ocorrência (TOM), somente o conhecimento será alterado para Liberado. 7. O Representante Legal (constante no IPC e cadastrado no MAPA) terá vínculo obrigatório com CNPJ enviado no registro CAC? R. Sim. Caso o IPC seja recusado por algum problema com o Representante, o mesmo deve se dirigir ao MAPA para regularização de sua situação. 8. O que fazer caso o posicionamento não seja aceito? R. Caso o registro IPC seja recusado, o recinto deverá informar ao representante que é necessário o comparecimento no MAPA para adequação do cadastro e novo posicionamento será necessário. Desde Novembro/2014, o cadastro no VIGIAGRO foi unificado para o SIGVIG, cadastros antigos no SISVIGIAGRO não são reconhecidos pelo no novo sistema. Obs: O representante tem acesso ao SIGVIG e pode consultar previamente se têm cadastro ou não para determinado CNPJ. Um print da tela também poderá ser solicitado pelo recinto para verificação em caso de reiteradas falhas no posicionamento. 9. O fiscal do MAPA poderá liberar uma carga sem o posicionamento pelo recinto? R. Não. O posicionamento dentro do SIGVIG é etapa obrigatória e anterior a fase de liberação. Caso o posicionamento não seja realizado com sucesso, a carga não é visível ao fiscal.

3 Obs 14/01/15: O representante tem acesso ao SIGVIG e pode consultar previamente se têm cadastro ou não para determinado CNPJ. Um print da tela também poderá ser solicitado pelo recinto para verificação em caso de reiteradas falhas no posicionamento. 10. Como funcionará o Termo de Ocorrência de Madeira (TOM) no sistema SIGVIG? R. Será registrado dentro do SIGVIG pela fiscalização do MAPA e, a partir deste momento, o representante terá acesso para acompanhamento e inclusão do Certificado de Tratamento. 11. Como será o recebimento do comunicado de tratamento e demais documentos no MAPA? R. O comunicado deverá ser protocolado no SVA Santos, que encaminhará ao recinto via malote. 12. O acompanhamento da abertura da carga pelo despachante será obrigatório? R. O recinto deverá seguir seu procedimento atual. Caso haja emissão de Termo de Ocorrência de Madeira, obrigatoriamente será assinado pelo representante cadastrado no MAPA. 13. Como funcionará o controle do lacre com a entrada do novo sistema? R. O procedimento relativo ao lacre permanecerá como ocorre hoje. 14. Qual será o procedimento para cargas DTA? R. Cargas DTA estão fora do escopo do sistema. Caso a carga mude de DT para DTA após o registro, o fiscal de plantão no recinto deverá ser avisado para tomar as devidas providências. Caso a carga mude de DTA para DT após o registro, a carga deverá ser declarada junto ao SIGVIG para que a fiscalização possa realizar a parametrização da mesma.

4 15. Se o container retido pelo Mapa for DTA como será o procedimento? R: O fiscal de plantão deverá ser informado para tomar as devidas providências, liberando a carga sem fiscalização e após o posicionamento eletrônico dentro do sistema. No caso, não será necessário o posicionamento físico da carga, apenas o Posicionamento Eletrônico, devendo o texto entre aspas ser enviado no IPC no campo Local de Posicionamento. Favor notar que para realizar o posicionamento eletrônico no SIGVIG, o cadastro junto a Unidade VIGIAGRO é uma exigência do sistema. 16. Qual o procedimento se a fiscalização liberou a carga por solicitação de DTA e a DTA posteriormente for indeferida? R: Este procedimento não está automatizado no sistema, o representante deverá peticionar o fiscal do MAPA de plantão para que delibere sobre o procedimento a ser adotado fora do sistema. 17. Qual será o procedimento para Carga Solta? R. Cargas de inspeção obrigatória no ponto de ingresso pela IN 49/2009 (Ex.: flat-rack, open-top e carga solta) estão no escopo do sistema e devem ser informadas de acordo com as instruções existentes na Especificação Técnica do sistema. 18. Cargas em baldeação deverão ser declaradas no sistema? R. Não, somente entram no escopo do sistema cargas de importação a serem desembaraçadas no recinto. Cargas de baldeação, mesmo que cargas soltas, não entram no escopo do sistema. 19. Qual será o procedimento para cargas sujeitas a descarga direta? R. O representante legal do importador deverá peticionar o fiscal do MAPA para que ele delibere se a carga será inspecionada em que momento esta operação ocorrerá. O registro da inspeção ou a liberação da carga no sistema ocorrerá a posteriori, ou se possível, antes ainda da carga ser entregue.

5 20. Qual será o procedimento para carga importadas por pessoa física e bagagem desacompanhada? R. No momento, cargas de pessoa física estão impossibilitada de serem enviadas através do CAC e estão temporariamente fora do escopo do sistema. Fiscalização de bagagem desacompanhada também estão fora do escopo, devendo ser orientado o representante a apresentar o Termo de Fiscalização de Bagagem/Encomenda, Formulário XXIII. 21. Qual será o procedimento para cargas parte-lote (2 BLs no mesmo container)? R. O container só poderá ser desovado ou entregue quando todos os conhecimentos estejam liberados dentro do sistema, mesmo que somente uma das cargas tenha sido selecionada para inspeção. 22. Existem regras específicas dentro do SIGVIG para cargas a serem desconsolidadas / NVOCC? R. Não. Essas cargas serão submetidas à mesma regra que as demais. A fiscalização das cargas desovadas ocorrerá fora do escopo do sistema, de forma a ser definida posteriormente. 23. O recinto terá um login de acesso ao sistema SIGVIG? R. Não. O recinto receberá as informações através da troca de arquivos (XML). 24. Quais informações serão disponibilizadas? R. Todos os detalhes sobre a comunicação encontram-se na Especificação Técnica do sistema. 25. Para os casos de cargas apreendidas, o próprio recinto (Fiel de Armazém) poderá solicitar posicionamento para inspeção? R. Serão tratadas como exceção dentro do sistema SIGVIG e o fiscal de plantão encaminhará o procedimento mediante uma consulta formal do recinto.

6 26. Quando for detectado durante a inspeção uma não conformidade (condenação) no container retido, o tratamento fitossanitário terá que ser realizado em todos os containeres do lote? R. O procedimento atual deverá ser mantido. O fiscal plantonista descreverá as cargas que deverão sofrer tratamento fitossanitário no Termo de Ocorrência de Madeira, indicando se o lote todo ou somente uma das unidades de carga. 27. Em caso de posicionamento não cumprido haverá reagendamento com envio de novo IPC? R. Sim. O serviço IPC poderá ser reenviado após o horário previsto para o posicionamento que não foi realizado. 28. O que ocorrerá quando o fiscal não puder comparecer no dia solicitado através do serviço IPC? R: Após a data informada no IPC expirar será possível enviar um novo IPC com uma nova data para programação. 29. Os posicionamentos para tratamento fitossanitário (expurgo), também devem ser enviados ao sistema do mapa? O MAPA terá algum tipo de controle para esses casos? R: Não. Essa situação está fora do escopo do sistema. 30. Os procedimentos para os comunicados de tratamento fitossanitário permanecerão os mesmos? R: O SIGVIG dispõe de um modulo de Termo de Ocorrência onde eletronicamente esses dados serão registrados, sendo e o recinto (através de webservice, informando mudança de status) e despachante (através de perfil no SIGVIG web) terão acesso a essas informações eletrônicas.

7 31. O fiscal irá conferir se o CPF do representante presente no momento da inspeção é o mesmo da sua relação, antes ou após da abertura do container? Como saberemos se o representante legal está cadastrado junto ao MAPA? R: Os dados referentes ao Representante são validados no momento do envio do serviço IPC. Entre essas validações, está o CPF do representante. Se ele não estiver cadastrado no MAPA gerará uma crítica, exigindo que reenvie a solicitação de posicionamento com um representante válido. 32. Como e em que momento o cliente despachante será informado? R: O Sistema DTE conversa apenas com o sistema dos Terminais. O Despachante precisa ser informado pelo recinto na forma definida por este. 33. Como e em que momento serão enviados os posicionamentos para o MAPA? Terão Janelas especificas ou a qualquer momento? R: Os posicionamentos podem ser enviados a qualquer tempo e são repassados para o MAPA imediatamente. Não há necessidade de represar e mandar em um momento específico do dia. Lembrando que uma vez informada, essa informação não poderá ser alterada no sistema. 34. Nos casos de problema/indisponibilidade do sistema SIGVIG, como será feita a liberação/inspeção? R: Os procedimentos de contingência serão discriminados na Resolução que será publicada pelo MAPA. 35. Apenas os contêineres selecionados (retidos) pelo MAPA podem ser posicionados? R: Sim. Apenas os selecionados (retidos). Os demais já estarão liberados por padrão e não necessitarão de posicionamento ou de qualquer procedimento adicional

8 36. Em que horário ocorrerá a seleção pelo MAPA? R: Na fase inicial o envio da declaração ocorrerá as 09:00h da manhã para que o recinto possa acompanhar o recebimento das informações. Posteriormente, o horário poderá ser alterado, mediante comunicação aos terminais. A seleção ocorrerá no máximo no mesmo dia do envio da declaração. 37. O que acontecerá com cargas que tenham anuência do MAPA (LI) e também tenham sido bloqueados (retidos) no SIGVIG Embalagem de Madeira? R: O fiscal do MAPA quando inspecionar a mercadoria terá também de realizar a liberação da carga no novo SIGVIG. Em caso de carga bloqueada (retida), é necessário que o recinto garanta que o posicionamento eletrônico ocorra também dentro do novo sistema, caso tenha sistema e janelas de posicionamento diferentes para LI e inspeção de madeira. 38. Mudou o fiscal do MAPA que está atendendo meu recinto e ele não consegue acessar uma carga bloqueada (retida). O que pode ser feito? R: O fiscal do MAPA poderá resgatar a Planilha de Fiscalização criada por outro fiscal e dar prosseguimento nas cargas bloqueadas através de função específica do sistema. Alternativamente, também é possível que o recinto realize um novo posicionamento eletrônico dentro do SIGVIG e, neste caso, a carga reaparecerá como resgatada para o fiscal em plantão gerar uma nova Planilha de Fiscalização.

OBJETIVO DEFINIÇÕES. Para os efeitos deste Manual, define-se como: I MAPA: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento;

OBJETIVO DEFINIÇÕES. Para os efeitos deste Manual, define-se como: I MAPA: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento; OBJETIVO O sistema SIGVIG instituído pelo MAPA destina-se a atender a necessidade de gerenciamento e controle do recebimento, envio e fiscalização das mercadorias importadas e exportadas através dos portos,

Leia mais

Armazenagem Container 20 Pés Container 40 Pés Cadastramento por B/L R$ 210,00 R$ 210,00

Armazenagem Container 20 Pés Container 40 Pés Cadastramento por B/L R$ 210,00 R$ 210,00 TABELA DE PREÇOS SERVIÇOS DE TERMINAL ALFANDEGADO (IMPORTAÇÃO) Transporte Costado Navio Operador Portuário até a Transbrasa Container 20 Pés Container 40 Pés Margem Direita R$ 430,00 R$ 460,00 Margem Esquerda

Leia mais

a) Requerimento para fiscalização de produtos agropecuários (FORMULÁRIO V);

a) Requerimento para fiscalização de produtos agropecuários (FORMULÁRIO V); MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 49, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2009 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

Manual do Site TRANSBRASA

Manual do Site TRANSBRASA Manual do Site TRANSBRASA Índice Manual do Site... 1 TRANSBRASA... 1 Objetivo... 3 Novidades do site... 3 Acessando o site... 4 A Tela inicial do Site... 4 Acessando a Área Vip... 5 Se você é um novo Cliente

Leia mais

Procedimentos - Documentação. Fazendo a diferença para sempre fazer melhor.

Procedimentos - Documentação. Fazendo a diferença para sempre fazer melhor. Procedimentos - Documentação Fazendo a diferença para sempre fazer melhor. Documentação Descarga Importação 1. Presença de carga: Presença de carga automática para B/L master com destino final Itapoá no

Leia mais

SEÇÃO VII PRODUTOS VEGETAIS, SEUS SUBPRODUTOS E RESÍDUOS DE VALOR ECONÔMICO, PADRONIZADOS PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO

SEÇÃO VII PRODUTOS VEGETAIS, SEUS SUBPRODUTOS E RESÍDUOS DE VALOR ECONÔMICO, PADRONIZADOS PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO SEÇÃO VII PRODUTOS VEGETAIS, SEUS SUBPRODUTOS E RESÍDUOS DE VALOR ECONÔMICO, PADRONIZADOS PELO MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS Os produtos vegetais, seus subprodutos

Leia mais

PROCEDIMENTOS / DOCUMENTAÇÃO. Fazendo a diferença para sempre fazer melhor!

PROCEDIMENTOS / DOCUMENTAÇÃO. Fazendo a diferença para sempre fazer melhor! PROCEDIMENTOS / DOCUMENTAÇÃO Fazendo a diferença para sempre fazer melhor! Documentação Descarga Importação 1 Presença de carga Presença de carga automática para B/L master com destino final Itapoá no

Leia mais

Controle de Carga e Facilitação do Fluxo Logístico no Comércio Internacional. Siscomex Carga. PROCOMEX Brasília março de 2007

Controle de Carga e Facilitação do Fluxo Logístico no Comércio Internacional. Siscomex Carga. PROCOMEX Brasília março de 2007 Controle de Carga e Facilitação do Fluxo Logístico no Comércio Internacional Siscomex Carga PROCOMEX Brasília março de 2007 Cenário Contemporâneo Crescimento do comércio internacional; Preocupação com

Leia mais

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA Secretaria de Defesa Agropecuária - SDA Vigilância Agropecuária Internacional - VIGIAGRO

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA Secretaria de Defesa Agropecuária - SDA Vigilância Agropecuária Internacional - VIGIAGRO Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento - MAPA Secretaria de Defesa Agropecuária - SDA Vigilância Agropecuária Internacional - VIGIAGRO Manual Perfil: Representante Legal SIGVIG - Sistema de

Leia mais

TABELA DE PREÇOS E SERVIÇOS

TABELA DE PREÇOS E SERVIÇOS TABELA DE PREÇOS E SERVIÇOS Esta TABELA DE PREÇOS E SERVIÇOS será aplicada a todos os usuários que na data da prestação do serviço não tenham assinado um acordo individual com a BTP - Brasil Terminal Portuário.

Leia mais

Descritivo Rotinas de Importação Via Web

Descritivo Rotinas de Importação Via Web Descritivo Rotinas de Importação Via Web - Desistência de Vistoria Aduaneira, Pré-averbação, Autorização de Transportador, Monitoramento e Agendamento de Importação e Cabotagem Índice Acesso ao Sistema...3

Leia mais

LAYOUT DO ARQUIVO EXPORTADO PARA INTERVENIENTES

LAYOUT DO ARQUIVO EXPORTADO PARA INTERVENIENTES LAYOUT DO ARQUIVO EXPORTADO PARA INTERVENIENTES 1 2 INTRODUÇÃO... 3 TIPOS DE REGISTROS... 4 LAY-OUTS... 4 DADOS DA ESCALA.... 5 DADOS DO MANIFESTO.... 5 DADOS DO CONTEINER VAZIO.... 6 DADOS DO CE MERCANTE....

Leia mais

Tabela de Preços Aplicados pela Santos Brasil no TECON SANTOS

Tabela de Preços Aplicados pela Santos Brasil no TECON SANTOS Tabela de Preços Aplicados pela Santos Brasil no A partir de 01.01.2013 Rev1 Esta tabela de preços será aplicada a todos os usuários que, na data da prestação do serviço, não possuírem acordo individual

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇAO DE SERVIÇOS EM TERMINAL ALFANDEGADO MEDIANTE CONDIÇÕES ABAIXO. SERVIÇOS DE TERMINAL ALFANDEGADO (IMPORTAÇÃO)

CONTRATO DE PRESTAÇAO DE SERVIÇOS EM TERMINAL ALFANDEGADO MEDIANTE CONDIÇÕES ABAIXO. SERVIÇOS DE TERMINAL ALFANDEGADO (IMPORTAÇÃO) CONTRATO DE PRESTAÇAO DE SERVIÇOS EM TERMINAL ALFANDEGADO MEDIANTE CONDIÇÕES ABAIXO. SERVIÇOS DE TERMINAL ALFANDEGADO (IMPORTAÇÃO) Transporte - Remoção Costado Navio Operador Portuário até a Transbrasa

Leia mais

Manual para Cadastro de Nota Fiscal e Outros Documentos de Exportação. ÍNDICE

Manual para Cadastro de Nota Fiscal e Outros Documentos de Exportação. ÍNDICE ÍNDICE ÍNDICE... 1 Objetivo... 2 Requisitos Mínimos do Sistema... 2 Acesso ao sistema... 2... 3 CADASTRO DA NOTA FISCAL... 3 Grupo Booking... 4 Campo... 4... 4 Grupo Cliente... 5... 6 Grupo Documentos...

Leia mais

TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS LIBRA TERMINAIS SANTOS (vigência a partir de 01/07/2012 Valores expressos em Reais)

TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS LIBRA TERMINAIS SANTOS (vigência a partir de 01/07/2012 Valores expressos em Reais) TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS LIBRA TERMINAIS SANTOS (vigência a partir de 01/07/2012 Valores expressos em Reais) A ARMAZENAGEM DE IMPORTAÇÃO: A.1 CONTÊINERES FCL/FCL (PERÍODOS DE 7 DIAS OU FRAÇÃO) Fixo A

Leia mais

Tabela de Preços dos serviços oferecidos e prestados pelo ECOPORTO SANTOS, Vigência a partir de 01/06/2014

Tabela de Preços dos serviços oferecidos e prestados pelo ECOPORTO SANTOS, Vigência a partir de 01/06/2014 1. ARMAZENAGEM Tabela de Preços dos serviços oferecidos e prestados pelo ECOPORTO SANTOS, Vigência a partir de 01/06/2014 1.1. ARMAZENAGEM DE IMPORTAÇÃO 1.1.1 CONTÊINERES MUDANÇA DE REGIME/CARGA LCL Pelo

Leia mais

TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS LIBRA TERMINAIS RIO

TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS LIBRA TERMINAIS RIO TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS LIBRA TERMINAIS RIO (vigência a partir de 25/02/2014 Valores expressos em Reais) A ARMAZENAGEM DE IMPORTAÇÃO: A.1 CONTÊINERES / CARGA GERAL (períodos de 7 dias ou fração): Fixo

Leia mais

Manual de Registro de Saída. Procedimentos e Especificações Técnicas

Manual de Registro de Saída. Procedimentos e Especificações Técnicas Manual de Registro de Saída Procedimentos e Especificações Técnicas Versão 1.0 Dezembro 2010 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO GERAL... 3 2 INTRODUÇÃO AO MÓDULO REGISTRO DE SAÍDA - SIARE... 3 2.1 SEGURANÇA... 4 2.2

Leia mais

Objetivo...2 Requisitos mínimos do sistema...2 Acesso ao sistema...2

Objetivo...2 Requisitos mínimos do sistema...2 Acesso ao sistema...2 Índice Objetivo...2 Requisitos mínimos do sistema...2 Acesso ao sistema...2 Cadastro da Nota Fiscal...3 Grupo Booking...3 Grupo Cliente...5 Grupo Documentos...6 Grupo Contêiner...8 Anexo I... 10 Objetivo

Leia mais

TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS ESTRUTURA DE SERVIÇOS E PREÇOS

TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS ESTRUTURA DE SERVIÇOS E PREÇOS TABELA DE PREÇOS E CONDIÇÕES COMERCIAIS Vigência: 15/03/2014 a 14/03/2015 ESTRUTURA DE SERVIÇOS E PREÇOS OPERAÇÃO PORTUÁRIA - Tarifas devidas pelo armador, agente de navegação ou requisitante - A. OPERAÇÃO

Leia mais

SIGVIG - Sistema de Informações Gerenciais do Trânsito Internacional de Produtos e Insumos Agropecuários Especificação dos Serviços

SIGVIG - Sistema de Informações Gerenciais do Trânsito Internacional de Produtos e Insumos Agropecuários Especificação dos Serviços Especificação dos Serviços Histórico de Revisão Data Versão Descrição Autor 01/03/2013 1.0 Versão inicial. Gustavo Antunes 22/09/2013 1.0 Adicionado a tag aos

Leia mais

Tabela Pública de Serviços

Tabela Pública de Serviços Tabela Pública de Serviços Sumário Serviços para Contêineres de Importação... 3 Serviços para Carga Desunitizada de Importação... 5 Serviços para Contêineres de Exportação.... 7 Serviços para Contêineres

Leia mais

2. COMO IMPORTAR 1 PLANEJAMENTO 2 CONTATOS COM POTENCIAIS FORNECEDORES 3 IDENTIFICAR NCM, TRATAMENTO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO.

2. COMO IMPORTAR 1 PLANEJAMENTO 2 CONTATOS COM POTENCIAIS FORNECEDORES 3 IDENTIFICAR NCM, TRATAMENTO ADMINISTRATIVO E TRIBUTÁRIO. 1 2 2. COMO IMPORTAR 2.1. FLUXOGRAMA DE IMPORTAÇÃO 1 PLANEJAMENTO A fase de planejamento das importações é geralmente parte integrante do planejamento geral da empresa para atender sua necessidade de máquinas,

Leia mais

TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS LIBRA TERMINAIS RIO

TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS LIBRA TERMINAIS RIO TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS LIBRA TERMINAIS RIO (vigência a partir de 01/07/2012 Valores expressos em Reais) A ARMAZENAGEM DE IMPORTAÇÃO: A.1 CONTÊINERES / CARGA GERAL (períodos de 7 dias ou fração): Fixo

Leia mais

Despacho Aduaneiro Desembaraço Aduaneiro de Importação. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012

Despacho Aduaneiro Desembaraço Aduaneiro de Importação. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 Despacho Aduaneiro Desembaraço Aduaneiro de Importação Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 1 Sistema Integrado de Comércio Exterior (SISCOMEX - Módulo Importação) INTEGRAÇÃO DOS ÓRGÃOS GOVERNAMENTAIS

Leia mais

Tabela Pública de Serviços

Tabela Pública de Serviços Tabela Pública de Serviços Sumário Serviços para Contêineres de Importação... 3 Serviços para Carga Desunitizada de Importação... 5 Serviços para Contêineres e Cargas Soltas de Exportação... 7 Serviços

Leia mais

Manual do Agendamento de carga de Exportação. ÍNDICE

Manual do Agendamento de carga de Exportação. ÍNDICE p.1 ÍNDICE ÍNDICE... 1 Objetivo... 2 Requisitos Mínimos do Sistema... 2 Acesso ao sistema... 2 AGENDAMENTO DE EXPORTAÇÃO... 3 Grupo Booking... 4 Grupo Propriedade do Contêiner... 5 Grupo Agendamento...

Leia mais

SEÇÃO IV BEBIDAS EM GERAL, VINHOS E DERIVADOS DA UVA E DO VINHO 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS a) Para a importação de bebida, fermentado acético, vinho e

SEÇÃO IV BEBIDAS EM GERAL, VINHOS E DERIVADOS DA UVA E DO VINHO 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS a) Para a importação de bebida, fermentado acético, vinho e SEÇÃO IV BEBIDAS EM GERAL, VINHOS E DERIVADOS DA UVA E DO VINHO 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS a) Para a importação de bebida, fermentado acético, vinho e derivados da uva e do vinho, o estabelecimento deve possuir

Leia mais

Manual do Usuário Instituição

Manual do Usuário Instituição 1 Manual do Usuário Instituição Área Restrita Site de Certificação Controle: D.04.36.00 Data da Elaboração: 13/08/2014 Data da Revisão: - Elaborado por: TIVIT / Certificação ANBIMA Aprovado por: Gerência

Leia mais

DRIVE CONTÁBIL NASAJON

DRIVE CONTÁBIL NASAJON DRIVE CONTÁBIL NASAJON Módulo Gestão de Documentos Versão 1.0 Manual do Usuário 1 Sumário Os Módulos do Gerenciador de NFe: Informações Básicas Primeiro Acesso: Requisitos Acesso ao Drive Contábil Nasajon

Leia mais

PREÇOS ARMAZENAGEM E SERVIÇOS

PREÇOS ARMAZENAGEM E SERVIÇOS 1. IMPORTAÇÃO 1.1. ARMAZENAGEM: A Contêineres (R$/Contêiner) Até o 10º dia (por período) 290,00 355,00 Do 11º ao 15º dia (por período) 275,00 325,00 Do 16º ao 20º dia (por período) 305,00 357,00 Do 21º

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 7, DE 13 DE ABRIL DE 2012

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 7, DE 13 DE ABRIL DE 2012 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 7, DE 13 DE ABRIL DE 2012 O MINISTRO DE ESTADO DA AGRICULTURA, PECUÁ- RIA E ABASTECIMENTO, no uso da atribuição

Leia mais

Perguntas Frequentes sobre processos de liberação ANVISA para Pessoa Jurídica

Perguntas Frequentes sobre processos de liberação ANVISA para Pessoa Jurídica Perguntas Frequentes sobre processos de liberação ANVISA para Pessoa Jurídica Prezado cliente, Este material foi criado com o objetivo esclarecer possíveis dúvidas a respeito da inspeção de remessas importadas

Leia mais

TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS LIBRA TERMINAIS SANTOS (vigência a partir de 01/12/2013 Valores expressos em Reais)

TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS LIBRA TERMINAIS SANTOS (vigência a partir de 01/12/2013 Valores expressos em Reais) TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS LIBRA TERMINAIS SANTOS (vigência a partir de 01/12/2013 Valores expressos em Reais) A ARMAZENAGEM DE IMPORTAÇÃO: A.1 CONTÊINERES FCL (PERÍODOS DE 7 DIAS OU FRAÇÃO) Fixo A 1.1

Leia mais

Extranet Aurora Terminais

Extranet Aurora Terminais O acesso realizado através do site http://www.eadiaurora.com.br Acessar os serviços através do link e destaque na imagem Abrirá uma nova janela. Na tela principal antes de realizar o login você terá acesso

Leia mais

Tabela de Preços Armazenagem e Serviços Acessórios Versão 19.1 - Válida a partir de 01/05/2015

Tabela de Preços Armazenagem e Serviços Acessórios Versão 19.1 - Válida a partir de 01/05/2015 Tabela de Preços Armazenagem e Serviços Acessórios Versão 19.1 - Válida a partir de 01/05/2015 ARMAZENAGEM 1 - Armazenagem de Importação - Contêiner e Carga Solta Do Valor CIF 1º período de 7 dias ou fração

Leia mais

Importação de Produtos para Saúde

Importação de Produtos para Saúde Importação de Produtos para Saúde Gerência de Inspeção de Produtos e Autorização de Empresas em Portos, Aeroportos Fronteiras e Recintos Alfandegados GIPAF Mônica Cristina A. F. Duarte Organograma - ANVISA

Leia mais

Manual Agendamento de Importação Cheio e Carregamento Expresso

Manual Agendamento de Importação Cheio e Carregamento Expresso Manual Agendamento de Importação Cheio e Carregamento Expresso Sumário 1. Objetivo... 3 2. Introdução... 3 3. Agendamento Importação... 4 3.1 Reservar Janela de Agendamento... 6 3.2 Excluir Janela de Agendamento...

Leia mais

Cartilha: Peticionamento Eletrônico de Importação

Cartilha: Peticionamento Eletrônico de Importação Cartilha: Peticionamento Eletrônico de Importação Gerência-Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados GGPAF Gerência de Controle Sanitário de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos

Leia mais

DE PREÇOS APLICADOS. pela Santos Brasil no TECON SANTOS

DE PREÇOS APLICADOS. pela Santos Brasil no TECON SANTOS TABELA DE PREÇOS APLICADOS pela Santos Brasil no Santos Brasil no A partir de 01.01.2015 Rev1 (29.01.2015) Esta tabela de preços será aplicada a todos os usuários que, na data da prestação do serviço,

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2011

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2011 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2011 O MINISTRO DE ESTADO, INTERINO, DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no

Leia mais

MANUAL DO PORTAL FGI VERSÃO 3.0

MANUAL DO PORTAL FGI VERSÃO 3.0 MANUAL DO PORTAL FGI VERSÃO 3.0 CONTEXTO O Portal FGI é a ferramenta que serve para a comunicação entre o BNDES FGI e os Agentes Financeiros cotistas e como interface para o processamento operacional da

Leia mais

Tabela de preços dos serviços oferecidos e prestados pela Bandeirantes Logística Integrada. Vigência a partir de 02/01/2015

Tabela de preços dos serviços oferecidos e prestados pela Bandeirantes Logística Integrada. Vigência a partir de 02/01/2015 Tabela de preços dos serviços oferecidos e prestados pela Bandeirantes Logística Integrada. Vigência a partir de 02/01/2015 IMPORTAÇÃO CONTAINER LCL/FCL PERÍODO DE 10 DIAS OU FRAÇÃO. 1. Armazenagem FCL

Leia mais

Sobre o Cancelamento de Gravames. Cancelamento de Reserva de Gravames - DETRAN/SP

Sobre o Cancelamento de Gravames. Cancelamento de Reserva de Gravames - DETRAN/SP Sobre o Cancelamento de Gravames Cancelamento de Reserva de Gravames - DETRAN/SP Procedimentos para Solicitação do Desbloqueio de Cancelamento de Gravame De acordo com a portaria 2.762 de 28 de dezembro

Leia mais

SISAUT/FC Sistema de Controle de Transporte Fretado Contínuo de Passageiros

SISAUT/FC Sistema de Controle de Transporte Fretado Contínuo de Passageiros SISAUT/FC Sistema de Controle de Transporte Fretado Contínuo de Passageiros O que é o SISAUT/FC? MANUAL DO USUÁRIO O SISAUT/FC é o sistema por meio do qual são feitos os requerimentos para as autorizações

Leia mais

TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS APM TERMINALS ITAJAÍ. (vigência a partir de 01/01/2015 Valores Expressos em Reais)

TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS APM TERMINALS ITAJAÍ. (vigência a partir de 01/01/2015 Valores Expressos em Reais) TABELA DE SERVIÇOS BÁSICOS APM TERMINALS ITAJAÍ (vigência a partir de 01/01/2015 Valores Expressos em Reais) A Armazenagem de Importação (carga contêinerizada) www.apmterminals.com.br 1º Período Período

Leia mais

BDCC BANCO DE DADOS COMUM DE CREDENCIAMENTO

BDCC BANCO DE DADOS COMUM DE CREDENCIAMENTO BDCC BANCO DE DADOS COMUM DE CREDENCIAMENTO 1 ORIGEM problemas - ISPS Code CFRB, art.37, inciso XVII: A Administração Fazendária e seus servidores fiscais terão, dentro de suas áreas de competência e jurisdição,

Leia mais

INFORMATIVO DE RELEASE MASTERSAF NF-E VERSÃO 1.58_7

INFORMATIVO DE RELEASE MASTERSAF NF-E VERSÃO 1.58_7 MASTERSAF NF-E VERSÃO 1.58_7 ÍNDICE Introdução... 1 Novas Funcionalidades / Melhorias... 1 Opção de cancelamento... 1 Retorno de Nota Represada... 1 Correções... 1 Código do Retorno de Cancelamento...

Leia mais

Passos na Importação Roteiro Básico. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012

Passos na Importação Roteiro Básico. Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 Roteiro Básico Eduardo Leoni Machado Fevereiro/2012 1º Passo Efetuar contatos com fornecedor (exportador). 2º Passo Formalizar as negociações com fornecedor (exportador). 3º Passo Negociar a condição de

Leia mais

CeC. Cadastro eletrônico de Contribuintes. Usuário Anônimo

CeC. Cadastro eletrônico de Contribuintes. Usuário Anônimo CeC Cadastro eletrônico de Contribuintes Usuário Anônimo Versão 1.3 11/02/2011 SUMÁRIO Apresentação... 3 Objetivos... 3 1. Solicitação de CeC... 4 1.1. Cadastro de Pessoas Físicas... 6 1.1.1 Cadastro de

Leia mais

MANUAL DE FISCALIZAÇÃO

MANUAL DE FISCALIZAÇÃO MANUAL DE FISCALIZAÇÃO ELEIÇÕES 2010 1 I - FISCALIZAÇÃO DURANTE A VOTAÇÃO Número de Fiscais e Delegados Cada Partido ou Coligação poderá nomear dois (2) Delegados em cada Zona Eleitoral e dois (2) Fiscais

Leia mais

PROCESSOS DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO

PROCESSOS DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO PROCESSOS DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO 1. SOLICITAÇÃO DE SERVIÇOS TERMINAL DE VILA VELHA TVV PROCESSOS DE IMPORTAÇÃO E EXPORTAÇÃO O Terminal de Vila Velha disponibiliza um modelo padrão para solicitação

Leia mais

Tutorial Agendamento para Carregamento de Container Regime: IMPORTAÇÃO Solicitação via WEB

Tutorial Agendamento para Carregamento de Container Regime: IMPORTAÇÃO Solicitação via WEB Tutorial Agendamento para Carregamento de Container Regime: IMPORTAÇÃO Solicitação via WEB Agendamento WEB Dando continuidade ao Programa de Agendamento para programação de carregamento de contêineres

Leia mais

2. Qual a relação do Siscomex Carga com o sistema Mercante do DEFMM?... 5

2. Qual a relação do Siscomex Carga com o sistema Mercante do DEFMM?... 5 Este documento sob o formato de perguntas freqüentes e respostas visa a esclarecer os intervenientes do Comércio Exterior sobre o novo sistema da Secretaria da Receita Federal do Brasil (RFB) de controle

Leia mais

Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade

Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade DM003.0 Página 1 / 42 Índice 1 APRESENTAÇÃO... 4 DETALHAMENTO DOS LINKS DO TECBIZ ONLINE... 5 2 INICIAL... 5 3 ASSOCIADO... 5 3.1 SELECIONA ASSOCIADO... 5 3.2 ALTERAR

Leia mais

P á g i n a 1. SISCOAF Sistema de Controle de Atividades Financeiras. Manual Operacional

P á g i n a 1. SISCOAF Sistema de Controle de Atividades Financeiras. Manual Operacional P á g i n a 1 SISCOAF Sistema de Controle de Atividades Financeiras Manual Operacional P á g i n a 2 1 SUMÁRIO 2 Orientações gerais... 3 2.1 Perfis de acesso... 4 2.2 Para acessar todas as funcionalidades

Leia mais

SISTEMA DE REGISTRO ELETRÔNICO

SISTEMA DE REGISTRO ELETRÔNICO SISTEMA DE REGISTRO ELETRÔNICO Prezados Srs. Transportadores O Sistema de Registro Eletrônico faz parte de um composto ( Averbação Eletrônica + Registro Eletrônico ), que propicia a Transportadora um rápido

Leia mais

MANUAL DO PERSUS OPERADORAS MÓDULO DE GESTÃO DE CONTAS ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar

MANUAL DO PERSUS OPERADORAS MÓDULO DE GESTÃO DE CONTAS ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar MANUAL DO PERSUS OPERADORAS MÓDULO DE GESTÃO DE CONTAS ANS Agência Nacional de Saúde Suplementar MANUAL DO PERSUS - OPERADORAS MÓDULO DE GESTÃO DE CONTAS Índice 1. INTRODUÇÃO...5 2. MÓDULO DE GESTÃO DE

Leia mais

MANUAL DE EMISSÃO DA CL-e

MANUAL DE EMISSÃO DA CL-e CAPA DE LOTE ELETRÔNICA (CL-e) MANUAL DE EMISSÃO DA CL-e Versão 1.00 Manaus/AM - Janeiro de 2009 1 SUMÁRIO Informações Gerais... 3 Acessando o Módulo Emissor da CL-e... 4 Registrando uma CL-e... 6 Consultando

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO - RDC Nº 1, DE 22 JANEIRO DE 2008 Dispõe sobre a Vigilância Sanitária na

AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO - RDC Nº 1, DE 22 JANEIRO DE 2008 Dispõe sobre a Vigilância Sanitária na AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA DIRETORIA COLEGIADA RESOLUÇÃO - RDC Nº 1, DE 22 JANEIRO DE 2008 Dispõe sobre a Vigilância Sanitária na Importação e Exportação de material de qualquer natureza,

Leia mais

PLANILHA REFERENCIAL DE CUSTO DE TRANSPORTE DE CONTÊINER

PLANILHA REFERENCIAL DE CUSTO DE TRANSPORTE DE CONTÊINER PLANILHA REFERENCIAL DE CUSTO DE TRANSPORTE DE CONTÊINER PLANILHA REFERENCIAL DE CUSTOS PARA O TRANSPORTE DE CONTÊINER julho-11 Percurso de ida e volta Contêiner até 25 t Contêiner acima de 25 t até 30

Leia mais

ÍNDICE. 2.1. Funcionalidades... 5

ÍNDICE. 2.1. Funcionalidades... 5 ÍNDICE 1. PRIMEIRO ACESSO AO SITE... 3 2. MAPA DO SITE... 4 2.1. Funcionalidades... 5 3. ENVIO DE COBRANÇAS ELETRÔNICAS... 5 3.1. Solicitações... 7 3.1.1. Internação... 7 3.1.2. Prorrogação... 8 3.1.3.

Leia mais

Elaborado por: Julho/2010. Versão 1.0. ABTRA Associação Brasileira de Terminais e Recintos Alfandegados

Elaborado por: Julho/2010. Versão 1.0. ABTRA Associação Brasileira de Terminais e Recintos Alfandegados Guia do Usuário BDCC Banco de Dados Comum de Credenciamento Introdução Cadastre sua Empresa Elaborado por: ABTRA Associação Brasileira de Terminais e Recintos Alfandegados Julho/2010 Versão 1.0 1 INTRODUÇÃO...

Leia mais

Manual do Usuário DENATRAN

Manual do Usuário DENATRAN Manual do Usuário DENATRAN Confidencial Portal SISCSV - 2007 Página 1 Índice Analítico 1. INTRODUÇÃO 5 2. ACESSANDO O SISCSV 2.0 6 2.1 Configurando o Bloqueador de Pop-Ups 6 3. AUTENTICAÇÃO DO USUÁRIO

Leia mais

Agradecemos a oportunidade de apresentar nossa Tabela de Preços - Longo Curso e Cabotagem, conforme abaixo.

Agradecemos a oportunidade de apresentar nossa Tabela de Preços - Longo Curso e Cabotagem, conforme abaixo. CONVICON - CONTEINERES DE VILA DO CONDE S/A CNPJ: 06.013.760/0001-10 I.E: 15.235.534-0 End. Rod. PA. 481 S/N Km21 - Barcarena - Cep.: 68447-000 - Cx. P.: 82 Tel: (091) 3322-7575 Home page: www.santosbrasil.com.br

Leia mais

Manual de Acesso a NF-e

Manual de Acesso a NF-e Manual de Acesso a NF-e Acesso ao Sistema para Pessoa Jurídica. 1.0 Acesso ao Sistema....1 2.0 Cadastro...2 3.0 Configuração do Perfil...8 4.0 Solicitação de Emissão de NF-e....12 5.0 Emissão de NF-e...14

Leia mais

Guia do usuário SGV Módulo III -versão 3.0.7 Configurações da Minha Empresa

Guia do usuário SGV Módulo III -versão 3.0.7 Configurações da Minha Empresa Guia do usuário SGV Módulo III -versão 3.0.7 Configurações da Minha Empresa Versão 3.0.7 BBTUR VIAGENS E TURISMO 27/08/2014 1 Sumário 1. Cadastro de colaboradores...5 1.1 Cadastrar/Pesquisar um Colaborador...5

Leia mais

MANUAL CROSS DOCKING ESTUFAGEM / EXPORTAÇÃO MANUAL CROSS DOCKING 1

MANUAL CROSS DOCKING ESTUFAGEM / EXPORTAÇÃO MANUAL CROSS DOCKING 1 MANUAL CROSS DOCKING ESTUFAGEM / EXPORTAÇÃO MANUAL CROSS DOCKING 1 OBJETIVO A prestação de serviços de Estufagem passa a fazer parte das atividades comerciais Embraport por meio da operação Cross Docking.

Leia mais

MANUAL DO BDCC BANCO DE DADOS COMUM DE CREDENCIAMENTO. Introdução Cadastro e Revalidação de Pessoa Jurídica Cadastro de Responsáveis perante o BDCC

MANUAL DO BDCC BANCO DE DADOS COMUM DE CREDENCIAMENTO. Introdução Cadastro e Revalidação de Pessoa Jurídica Cadastro de Responsáveis perante o BDCC MANUAL DO BDCC BANCO DE DADOS COMUM DE CREDENCIAMENTO Versão 1.1 Introdução Cadastro e Revalidação de Pessoa Jurídica Cadastro de Responsáveis perante o BDCC Santos 17 de Fevereiro de 2014 Documento: Manual

Leia mais

Remessa Armazenagem. 1 Detalhe do Armazém. 2 Detalhes Vendas

Remessa Armazenagem. 1 Detalhe do Armazém. 2 Detalhes Vendas Remessa Armazenagem Desenvolvimento do processo de Remessa Armazenagem. Este processo consiste em enviar uma carga determinada para um depósito de terceiro e permitir controlar o estoque da mercadoria

Leia mais

MANUAL DO PRESTADOR DO WEDE ODONTOGROUP - 2010

MANUAL DO PRESTADOR DO WEDE ODONTOGROUP - 2010 Prezado (a) Prestador (a), Com o objetivo de melhorar os nossos serviços junto à rede credenciada e aos nossos beneficiários, estamos disponibilizando no portal www.odontogroup.com.br alguns serviços como:

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ MANUAL DO USUÁRIO ACESSO AO SISTEMA

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ MANUAL DO USUÁRIO ACESSO AO SISTEMA O ISS-e é um sistema completo de gestão do ISS do Município de Maringá, composto pelos módulos de: - NFS-e (Nota Fiscal de Serviços Eletrônica) - DMS-e (Declaração Mensal de Serviços Eletrônica) - AIDF-e

Leia mais

ECOPORTO SANTOS S.A. TERMARES TERMINAIS MARÍTIMOS ESPECIALIZADOS LTDA. TABELA GERAL DE PREÇOS DE SERVIÇOS VIGÊNCIA A PARTIR DE 01/07/2015

ECOPORTO SANTOS S.A. TERMARES TERMINAIS MARÍTIMOS ESPECIALIZADOS LTDA. TABELA GERAL DE PREÇOS DE SERVIÇOS VIGÊNCIA A PARTIR DE 01/07/2015 ECOPORTO SANTOS S.A. TERMARES TERMINAIS MARÍTIMOS ESPECIALIZADOS LTDA. TABELA GERAL DE PREÇOS DE SERVIÇOS VIGÊNCIA A PARTIR DE 01/07/2015 1. ARMAZENAGEM DE EXPORTAÇÃO 1.1 CONTÊINERES EMBARCADOS NO ECOPORTO

Leia mais

Treinamento -Venda de Hardware Avulso

Treinamento -Venda de Hardware Avulso Treinamento -Venda de Hardware Avulso Venda de Hardware Avulso Apresentação Com o objetivo de automatizar o processo de venda e entrega das mídias criptográficas avulsas, a AC NOTARIAL RFB implementou

Leia mais

ÍNDICE. Página 2 de 10

ÍNDICE. Página 2 de 10 Página 1 de 10 @ ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. INTRODUÇÃO AO SISTEMA CUSTOMER WEB... 3 3. ACESSO AO PORTAL CUSTOMER WEB... 3 3.1. Solicitação de Acesso ao Portal... 3 3.2. Níveis de Acesso do Cliente... 4

Leia mais

Manual do Sistema. SMARsa. Módulo WEB

Manual do Sistema. SMARsa. Módulo WEB Manual do Sistema SMARsa Módulo WEB Índice INTRODUÇÃO...1 OBJETIVOS....1 TELA DE LOGIN...2 Como Utilizar?...2 INICIANDO O TRABALHO...3 TELA INICIAL...3 PERDA DE CONEXÃO:...4 1. ADMINISTRAÇÃO...5 1.1. Alterar

Leia mais

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.10.1.8-05-12-2012

Version Notes (Notas da versão) Versão 4.10.1.8-05-12-2012 Florianópolis, 05 de dezembro de 2012. Abaixo você confere as características e funcionalidades da nova versão 4.10.1.8-05-12-2012 do Channel. Para quaisquer dúvidas ou na necessidade de maiores esclarecimentos,

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA. Módulo Regime Especial Internet

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA. Módulo Regime Especial Internet SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA Módulo Regime Especial Internet ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO GERAL... 3 2 INTRODUÇÃO AO MÓDULO REGIME ESPECIAL... 3 2.1 SEGURANÇA... 3 2.2 BOTÕES... 3 2.3 PREENCHIMENTO...

Leia mais

Alvará comercial na internet.

Alvará comercial na internet. Alvará comercial na internet. Objetivo: Permitir aos Contadores conveniados a emissão de alvará inicial ou outros serviços destinados as empresas e liberados pela internet cujo acesso depende de autorização

Leia mais

SISCOMEX EXPORTAÇÃO WEB

SISCOMEX EXPORTAÇÃO WEB SISCOMEX EXPORTAÇÃO WEB MÓDULO COMERCIAL 2 ÍNDICE REGISTRO DE EXPORTAÇÃO RE 04 REGISTRO DE VENDA RV 16 REGISTRO DE CRÉDITO RC 24 3 REGISTRO DE EXPORTAÇÃO - RE 4 INCLUSÃO DE RE Na tela de inclusão de Registro

Leia mais

Sistema de Devolução Web

Sistema de Devolução Web Manual Sistema de Devolução Web Usuário Cliente ÍNDICE Sumário 1. Prazos...3 2. Solicitação de Devolução... 4 3. Autorização de Devolução... 4 4. Coleta de Mercadoria... 4 5. Acompanhamento da Devolução...

Leia mais

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Tutorial O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Este tutorial explica como configurar o Trade Solution e realizar as principais atividades relacionadas à emissão e ao gerenciamento das Notas Fiscais Eletrônicas

Leia mais

Passo a Passo para Iniciar o Carregamento pelo código de Barras

Passo a Passo para Iniciar o Carregamento pelo código de Barras Passo a Passo para Iniciar o Carregamento pelo código de Barras Neste processo iremos utilizar os sistemas SysDif e Tecnocargas Passo 1: No SYSDIF inicie o carregamento, pela ordem de carregamento criada

Leia mais

SISTEMA UNIMED HRP: MÓDULO WEBSAÚDE MANUAL DE UTILIZAÇÃO

SISTEMA UNIMED HRP: MÓDULO WEBSAÚDE MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA UNIMED HRP: MÓDULO WEBSAÚDE MANUAL DE UTILIZAÇÃO Departamento de Tecnologia da Informação tecnologia@unimeditabira.com.br 31 3839-771 3839-7713 Revisão 03 Itabira Setembro 2015 Sumário 1. Acessando

Leia mais

Termos e Condições (Português)

Termos e Condições (Português) Termos e Condições (Português) I BOOKINGS DE EXPORTAÇÃO MARÍTIMA Antes do carregamento do container, por gentileza entrar em contato com o terminal e verificar se o booking encontra-se registrado e o levante

Leia mais

Cadastro de Pessoa Jurídica

Cadastro de Pessoa Jurídica Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo Cadastro de Pessoa Jurídica CADASTRAMENTO NO NOVO SISTEMA Novembro/2012 2 Índice 1 Introdução 03 2 Entrando no sistema de cadastro 03 3 Cadastramento eletrônico

Leia mais

DECLARAÇÕES DE PRODUTO

DECLARAÇÕES DE PRODUTO CERTIFICADO DE ORIGEM ON LINE FIERGS MANUAL DE OPERAÇÕES DECLARAÇÕES DE PRODUTO Inovação tecnológica através do uso de Ferramenta de WEB para maximização da qualidade e eficiência no atendimento, com redução

Leia mais

LOCALFRIO S.A. ARMAZÉNS GERAIS FRIGORÍFICOS

LOCALFRIO S.A. ARMAZÉNS GERAIS FRIGORÍFICOS LOCALFRIO S.A. ARMAZÉNS GERAIS FRIGORÍFICOS TARIFA DE SERVIÇOS Matriz: CNPJ: 58.317.751/0001-16 NIRE: 35.300.117.441; Filial: São Paulo SP Armazém Frigorífico CNPJ: 58.317.751/0007-01 NIRE: 35.902.660.232

Leia mais

Tutorial de uso do E-DRAFT

Tutorial de uso do E-DRAFT Tutorial de uso do E-DRAFT Yang Ming 1º Passo: Entrar com seu usuário e senha criada pelos administradores do sistema. 2º passo: Logo após o acesso ao sistema, será necessário inserir o numero da sua reserva

Leia mais

Índice 1. PORTAL DE VENDAS... 3 2. INTEGRAÇÃO PORTAL DE VENDAS X FOX... 4 3. CADASTRO DE VENDEDORES/SUPERVISORES... 5 4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA...

Índice 1. PORTAL DE VENDAS... 3 2. INTEGRAÇÃO PORTAL DE VENDAS X FOX... 4 3. CADASTRO DE VENDEDORES/SUPERVISORES... 5 4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA... Portal de Vendas Índice 1. PORTAL DE VENDAS... 3 2. INTEGRAÇÃO PORTAL DE VENDAS X FOX... 4 3. CADASTRO DE VENDEDORES/SUPERVISORES... 5 1.1. Guia Portal de Vendas... 7 4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA... 8 5.

Leia mais

TABELA DE PREÇOS E SERVIÇOS 2015

TABELA DE PREÇOS E SERVIÇOS 2015 TABELA DE PREÇOS E SERVIÇOS 2015 Av. Beira Mar 5, n 2900 - Figueira do Pontal - Cep: 89249-000 ITAPOÁ / SANTA CATARINA Prezados clientes, Esta tabela de preços e serviços será aplicada a todos os usuários

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e) WEB SERVICE APRESENTAÇÃO 2 SERVIÇOS DISPONÍVEIS 3

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e) WEB SERVICE APRESENTAÇÃO 2 SERVIÇOS DISPONÍVEIS 3 PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ÍNDICE APRESENTAÇÃO 2 SERVIÇOS DISPONÍVEIS 3 Enviar Lote de RPS Síncrono 3 Geração de NFS-e 3 Cancelamento de NFS-e 3 Substituição de NFS-e Consulta

Leia mais

Controle de Alocação de Carga no Planejamento Operacional

Controle de Alocação de Carga no Planejamento Operacional Controle de Alocação de Carga no Produto : SARA Operacional 11.8 Projeto/IRM : L_SARA001/IRM000275-7 Data da criação : 19/08/14 Data da revisão : 19/08/14 País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : SQL Server

Leia mais

Manual de Administração

Manual de Administração Manual de Administração Produto: NDDigital n-access Versão: 4.2 Versão do Doc.: 1.1 Autor: Lucas Santini Data: 27/04/2011 Aplica-se à: NDDigital n-billing Detalhamento de Alteração do Documento Alterado

Leia mais

Portal dos Convênios - SICONV. Acompanhamento e Fiscalização Concedente, Instituição Mandatária e Convenente. Manual do Usuário

Portal dos Convênios - SICONV. Acompanhamento e Fiscalização Concedente, Instituição Mandatária e Convenente. Manual do Usuário MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE GESTÃO ESTRATÉGICA DA INFORMAÇÃO Portal dos Convênios - SICONV Acompanhamento e Fiscalização

Leia mais

OBS: o que está grifado em amarelo foi suprimido da resolução na versão do dia 29/02.

OBS: o que está grifado em amarelo foi suprimido da resolução na versão do dia 29/02. NORMA QUE ESTABELECE PARÂMETROS REGULATÓRIOS A SEREM OBSERVADOS NA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS DE MOVIMENTAÇÃO E ARMAZENAGEM DE CONTÊINERES E VOLUMES, EM INSTALAÇÕES DE USO PÚBLICO, NOS PORTOS ORGANIZADOS -

Leia mais

Módulo Consulta de Contribuinte Internet

Módulo Consulta de Contribuinte Internet SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA Módulo Consulta de Contribuinte Internet ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO GERAL... 3 2 INTRODUÇÃO AO MÓDULO CONSULTA DE CONTRIBUINTE... 3 2.1 SEGURANÇA... 3 2.2 BOTÕES...

Leia mais