Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX. Tratamento Administrativo na Importação e atuação do DECEX

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX. Tratamento Administrativo na Importação e atuação do DECEX"

Transcrição

1 Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Tratamento Administrativo na Importação e atuação do DECEX

2 Controle Administrativo - Definição Controle exercido por órgãos da Administração Federal sobre uma operação de Comércio Exterior, distinto e anterior controle aduaneiro, com o objetivo de verificar a consonância da operação pretendida com as normas comerciais, técnicas, sanitárias, ambientais, entre outras. Exemplos: - Decex: natureza comercial - Mapa e Anvisa: natureza fitossanitária e sanitária - Inmetro: natureza técnica

3 Controle Administrativo - Aspectos Gerais Norma básica do Controle Administrativo: Portaria Secex nº 23/2011 Natureza do Controle: Objetiva x Subjetiva Controle Objetivo: Em função do produto a ser transacionado (importações de peixes - anuência MAPA e ANVISA) Controle Subjetivo: Em função da Operação a ser realizada (benefício fiscal, drawback, produto usado, contigenciamento, etc.) Processamento das Operações por meio do Sistema Integrado de Comércio Exterior SISCOMEX

4 Negociação Exportador Classificação NCM Habilitação Siscomex Tratamento Administrativo das Importações Brasileiras

5 TRATAMENTO ADMINISTRATIVO DAS IMPORTAÇÕES BRASILEIRAS IMPORTAÇÕES DISPENSADAS DE LICENCIAMENTO IMPORTAÇÕES SUJEITAS A LICENCIAMENTO AUTOMÁTICO NÃO-AUTOMÁTICO

6 TRATAMENTO ADMINISTRATIVO IMPORTAÇÃO SUJEITA A LICENCIAMENTO REGISTRO DA LICENÇA DE IMPORTAÇÃO (LI)

7 Registro da LI Para Análise Órgão Anuente Em Análise Decisão Deferido Exigência Embarque Autorizado Indeferido

8 Órgão Anuente Chegada da mercadoria no Brasil Deferido Exigência Indeferido Embarque Autorizado Chegada da mercadoria no Brasil Registro da Declaração de Importação

9 Despacho Aduaneiro de Importação Declaração de Importação (DI) Chegada da Mercadoria no Brasil NCM Habilitação SISCOMEX Tratamento Administrativo Importação Dispensada de Licenciamento Deferido Licença de Importação (LI) Licenciamento Automático Licenciamento Não-Automático Exigência Indeferido Para Análise Órgão Anuente Em Análise Decisão Embarque Autorizado Chegada da Mercadoria no Brasil

10 CONSIDERAÇÕES GERAIS LI: Licença para importar Regra Geral: LI/Anuência prévia ao embarque das mercadorias no exterior Etapa Administrativa: Controle distinto daquele feito por ocasião do despacho aduaneiro Não há verificação física pelo DECEX Na etapa Aduaneira será verificada a autenticidade das informações registradas no SISCOMEX

11 IMPORTAÇÕES SUJEITAS A LICENCIAMENTO Licenciamento Automático Resultado em até 10 dias úteis LI/Anuência pode ser obtida após o embarque da mercadoria no exterior Licenciamento Não-Automático Resultado em até 60 dias corridos Validade da LI/Anuência para embarque: 90 dias

12 IMPORTAÇÕES SUJEITAS A LICENCIAMENTO Necessidade de licenciamento pode ser devida ao produto que se pretenda importar ou devido à natureza da operação que está sendo realizada. A situação que prevalece no tratamento administrativo é a mais restritiva. Relação dos Produtos / Operações sujeitas a licenciamento: Módulo Tratamento Administrativo do SISCOMEX Arts 14 e 15 da Portaria SECEX 23/11 Endereço Eletrônico do MDIC (somente para consulta)

13 13

14 14

15 Órgãos Anuentes na Importação

16 Licença X Anuência Uma licença de importação pode envolver, em cada caso concreto, a manifestação de um ou mais órgãos anuentes. A manifestação individualizada de cada órgão é chamada Anuência. As anuências são independentes, ou seja, cada órgão possui sua própria norma de atuação. Uma LI só será considerada deferida se TODAS as suas anuências estiverem deferidas!!

17 Licença X Anuência Prevalência do Tratamento mais Restritivo sobre o mais Brando X LI 1 LI 2 LI 1 = DEFERIDA! LI 2 = INDEFERIDA!

18 Licença de Importação (LI) Informações de natureza comercial, fiscal e cambial sobre cada mercadoria a ser importada. Dados do Importador, Exportador, Fabricante, País (Origem, Procedência, Aquisição), NCM, Especificação da Mercadoria, Incoterm, Valor (Local de Embarque e Condição de Venda), Qtde (Comercializada e na Medida Estatística), Regime Tributário, Cobertura Cambial. Adição na futura DI.

19 Informações Gerais sobre LI Conhecimento das normas gerais de importação: Observar o tratamento administrativo do Siscomex antes de autorizar o embarque da mercadoria no exterior. Prazo de análise da LI/Anuência. Prazo de validade da LI/Anuência Embarque da mercadoria no exterior antes do término da validade da LI para embarque. Observar o prazo de validade da LI para fins de utilização em uma DI.

20 EXEMPLO 1 LI 1 registrada em 01/01/13 com duas anuências Anuência 1: Deferida 10/01/13 (com restrição de embarque) Anuência 2: Deferida 20/01/13 (com restrição de embarque) Restrição Embarque LI: 20/01/13 Validade LI: 09/04/13 Validade da Anuência 1 para Embarque: 09/04/2013 Validade da Anuência 2 para Embarque: 19/04/2013 Validade da LI para Embarque: 09/04/2013 Validade da Anuência 1 para Despacho: 08/07/2013 Validade da Anuência 2 para Despacho: 18/07/2013 Validade da LI para Despacho: 08/07/2013

21 EXEMPLO 2 LI 2 registrada em 01/01/13 com duas anuências Anuência 1: Deferida 10/01/13 (com restrição de embarque) Anuência 2: Deferida 20/01/13 (sem restrição de embarque) Restrição Embarque LI: 10/01/13 Validade LI: 09/04/13 Validade da Anuência 1 para Embarque: 09/04/2013 Validade da Anuência 2 para Embarque: Validade da LI para Embarque: 09/04/2013 Validade da Anuência 1 para Despacho: 08/07/2013 Validade da Anuência 2 para Despacho: 19/04/2013 Validade da LI para Despacho: 19/04/2013

22 CONSIDERAÇÕES SOBRE OS EXEMPLOS Condição da Simulação: duas LI registradas em 01/01/13 com duas anuências cada, deferidas, respectivamente, em 10/01/13 e 20/01/13. LI 1: ambas as anuências na modalidade de licenciamento não automático. LI 2: uma das anuências na modalidade de licenciamento automático (deferida em 20/01/13). Validade da LI 1 para Embarque: 09/04/2013 Validade da LI 2 para Embarque: 09/04/2013 Validade da LI 1 para Despacho: 08/07/2013 Validade da LI 2 para Despacho: 19/04/2013

23 Informações Gerais sobre LI Conhecimento das normas gerais de importação: Pedido de prorrogação de LI/Anuência Antes do vencimento da validade da LI/Anuência para embarque Não se aplica a mercadoria já embarcada Cancelamento da LI Pelo Importador (atenção com cancelamento indevido) Pelo Sistema LI/Anuência em exigência há 90 dias ou mais LI substituída, quando a LI substitutiva for completamente deferida

24 Informações Gerais sobre LI Evitar preenchimento errado/incompleto da LI: Informações do Fabricante / Exportador Incoterm x Valores (Local de Embarque e Condição de Venda) Qtde na Medida Estatística x Qtde na Unidade Comercializada Especificação inadequada da mercadoria na LI NCM x Especificação da mercadoria (competência RFB) Uso indevido do Regime / Fundamento Ficha Informações Complementares - Mal utilizada

25 Informações Gerais sobre LI LI substitutiva que descaracteriza operação originalmente licenciada. Inobservância de mensagem de exigência gravada pelo anuente na LI/Anuência. Encaminhamento de documentação desnecessária. Solicitação de agilização do processo. Desconhecimento dos serviços delegados ao Banco do Brasil ( e )

26 LICENCIAMENTOS DE COMPETÊNCIA DA SECEX/DECEX Produtos relacionados no Tratamento Administrativo do Siscomex As seguintes importações: Ao amparo do Regime de Drawback Sujeitas à obtenção de Cota Tarifária e Não Tarifária Sujeitas ao Exame de Similaridade Material Usado etc

27 Importação ao amparo do regime de DRAWBACK Licenciamento Automático. Drawback Integrado Suspensão: Abatimento automático do saldo do Ato Concessório informado na LI. Drawback Integrado Isenção: Abatimento manual do saldo do AC informado na LI - serviço delegado ao Banco do Brasil. Drawback Restituição: Gestão da Receita Federal do Brasil.

28 Importações Sujeitas à Obtenção de Cota Cotas Tarifárias e Não-Tarifárias Licenciamento Não-Automático previamente ao embarque da mercadoria no exterior Acordos no âmbito da ALADI Resolução CAMEX

29 Cotas Tarifárias Acordos no âmbito da ALADI Margem de preferência - desconto no II Quantidade x período (geralmente anual) Apresentar cópia do Certificado de Origem em uma dependência do Banco do Brasil autorizada a conduzir operações de comércio exterior Importação fora da cota - II Integral Ex: NALADI ACE 53 (Brasil/México) - MP 70% para ton/ano

30 Cotas Tarifárias Resolução CAMEX Abastecimento do Mercado Interno - Grupo Técnico de Acompanhamento da Resolução GMC n 08/08 (GTAR - 08/08) Lista de Exceção à Tarifa Externa Comum LETEC

31 Cotas Tarifárias Resolução CAMEX Anexo III da Portaria SECEX nº 23/2011 Importação fora da cota - II Integral Critérios para distribuição das cotas: Ordem de Registro Performance Ex: NCM Resolução CAMEX 87/13 - Aliq. II de 2% para ton durante 180 dias

32 Cotas Não Tarifárias Defesa Comercial (Salvaguarda) Restrição Quantitativa Critérios para distribuição das cotas - DECEX Anexo IV da Portaria SECEX nº 23/2011 Importação fora da cota - Proibida Exemplo: Coco Ralado (vigência até 31/08/2012)

33 Importações Sujeitas a Exame de Similaridade Importações nas quais sejam pleiteados benefícios fiscais (isenção ou redução do imposto de importação). Situações previstas no Regulamento Aduaneiro (Decreto nº 6.579/09), que também prevê casos de dispensa do Exame. Importações sujeitas a licenciamento não-automático previamente ao embarque da mercadoria no exterior. Benefício fiscal somente é concedido se o produto importado não tiver similar nacional.

34 Importações Sujeitas a Exame de Similaridade Considera-se similar ao estrangeiro o produto nacional em condições de substituir o importado, observados os seguintes parâmetros: qualidade equivalente e especificações adequadas ao fim a que se destine; preço não superior ao custo de importação, em moeda nacional, da mercadoria estrangeira, calculado o custo com base no preço CIF, acrescido dos tributos que incidem sobre a importação e de outros encargos de efeito equivalente; e prazo de entrega normal ou corrente para o mesmo tipo de mercadoria.

35 Importações Sujeitas a Exame de Similaridade O Exame de similar nacional é dividido em duas etapas: 1º Etapa: Exame de produção nacional - Se não houver produção nacional a LI é deferida. - Se houver produção nacional parte-se para a segunda etapa. 2º Etapa: Exame dos demais aspectos da similaridade. Para tal, o importador deverá apresentar: - justificativa comprovando que a qualidade do produto nacional não é equivalente a do importado e que suas especificações técnicas são inadequadas à finalidade pretendida; ou - propostas dos eventuais fabricantes nacionais que indiquem não ter o produto nacional preço competitivo ou prazo de entrega compatível com o do fornecimento externo.

36 Importações de Material Usado Regra Geral: A importação de bens na condição de usado é PROIBIDA. Exceções: Portaria DECEX nº 08/91 e alterações. Importações sujeitas a licenciamento não-automático previamente ao embarque da mercadoria no exterior.

37 Importações de Material Usado Importação de Máquinas, equipamentos, aparelhos, instrumentos, ferramentas, moldes e contêineres para utilização como unidade de carga, na condição de usados: Permitida, desde que os bens não sejam produzidos no país, ou não possam ser substituídos por outros, atualmente fabricados no território nacional, capazes de atender aos fins a que se destina o material a ser importado.

38 Apuração de Produção Nacional BENS USADOS E SUJEITOS EXAME SIMILAR Mercadorias para publicação - No licenciamento deverá constar no campo descrição da mercadoria: Modelo, Marca, Fabricante, ano de fabricação do equipamento e nº série - Citar amparo legal no campo informações complementares - Enviar catálogo técnico ou memorial descritivo para a caixa postal na mesma data do registro da Licença, com dados para contato. Assunto LI e NCM - O catálogo/memorial descritivo não poderá conter informações particulares (nomes, telefones, logomarcas) que não sejam do fabricante estrangeiro. O catálogo tem que ser preferencialmente em formato PDF, e o arquivo não pode ser maior que 4 Mb - Registrar uma LI para cada modelo de máquina

39 Apuração de Produção Nacional BENS USADOS E SUJEITOS EXAME SIMILAR Consulta Pública (sexta-feira) - Disponível no sitio do MDIC - Prazo para contestação = 30 dias (durante a consulta) - Validade da consulta = 180 dias Contestação pelo produtor nacional - Protocolo na SECEX dentro do prazo - deverá conter: - Indicação do bem contestado - Comparativo técnico com o bem contestado - Catálogo técnico - Comprovação de fornecimento - Índice de nacionalização de acordo com as regras de origem do Mercosul

40 Fluxo do procedimento para importação Registro da LI Envio do Catálogo Análise da LI Consulta ao Banco de Dados Manifestação de Descrição Publicação Consulta Pública Prepara Circular para Consulta Pública Apuração da produção Envio de contestações Análise das contestações Deliberação das licenças de importação Importador DECEX Produtor nacional

41 Importações de Material Usado Casos Especiais importações dispensadas do exame de produção nacional: ao amparo de acordos internacionais firmados pelo País; admissão temporária, exceto de vagões ferroviários (exame apenas na nacionalização); herança; remessas postais, sem valor comercial; bens culturais; veículos antigos, com mais de trinta anos de fabricação, para fins culturais e de coleção; Etc.

42 Importações de Material Usado Transferências de unidades fabris, linhas de produção ou células de produção - projetos específicos de interesse da economia nacional, aprovados pela SECEX. Importação permitida mediante: apresentação de projeto de transferência (conforme Anexo II da Portaria SECEX 23/11) a ser analisado pelo DECEX; e contrapartida de aquisição de equipamentos de fabricação doméstica no mesmo montante para a admissão de bens usados importados que contarem com produção nacional, mediante Acordo entre o interessado e os produtores nacionais.

43 Linhas de Produção descrever o processo produtivo análise de enquadramento como linha contém todos os equipamentos NCM e descrição corretos envia ofícios importador e entidade de classe recebimento do acordo de contrapartida registra LI para toda a linha informações complementares deverá constar: Oficio DECEX/COIMP nº, data aprovação.

44 Importações de Material Usado Bens de consumo usados: Importação proibida, exceto: - doação, diretamente realizadas pela União, Estados, Distrito Federal, Territórios, Municípios, autarquias, entidades da administração pública indireta, instituições educacionais, científicas e tecnológicas, e entidades beneficentes, reconhecidas como de utilidade pública e sem fins lucrativos, para uso próprio e para atender às suas finalidades institucionais, sem caráter comercial. Obs: Importação de artigos de vestuário usados: permitidas desde que realizadas por entidades beneficentes registradas e com certificado válido junto ao CEAS/CNAS.

45 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR DEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR COORDENAÇÃO-GERAL DE IMPORTAÇÃO DECEX/CGIM

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS 1 LEGISLAÇÃO Portaria SECEX Nº 23/11 - Tratamento Administrativo Portaria DECEX nº 08/91 - Material Usado Decreto nº 6.759/09

Leia mais

1. Quais são os casos em que determinada importação estará sujeita a contingenciamento?

1. Quais são os casos em que determinada importação estará sujeita a contingenciamento? 1. Quais são os casos em que determinada importação estará sujeita a contingenciamento? 2. Quais são as características das Cotas Tarifárias concedidas sob os Acordos no âmbito 3. Quais são as características

Leia mais

PORTARIA Nº 23, DE 14 DE JULHO DE 2011

PORTARIA Nº 23, DE 14 DE JULHO DE 2011 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR PORTARIA Nº 23, DE 14 DE JULHO DE 2011 (D.O.U. de 19 de julho de 2011, Seção 1, p. 65-92) (Retificada no D.O.U.

Leia mais

PORTARIA SECEX Nº 23, de 14.07.2011 (DOU de 19.07.2011)

PORTARIA SECEX Nº 23, de 14.07.2011 (DOU de 19.07.2011) mm PORTARIA SECEX Nº 23, de 14.07.2011 (DOU de 19.07.2011) Suplemento Especial nº 05/2011 2 OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR NORMAS E PROCEDIMENTOS Dispõe sobre operações de comércio exterior. PORTARIA SECEX

Leia mais

2º O regime de drawback integrado isenção aplica-se também à aquisição no mercado interno ou à importação de mercadoria equivalente à empregada:

2º O regime de drawback integrado isenção aplica-se também à aquisição no mercado interno ou à importação de mercadoria equivalente à empregada: Portaria SECEX s/nº, de 15.02.2010 - DOU 1 de 16.02.2011 Dispõe sobre drawback integrado isenção. A Secretária de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior no uso

Leia mais

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX

Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Tratamento Administrativo na Importação São Paulo, 19 de agosto de 2013 Controle Administrativo Definição e Aspectos Gerais Controle Administrativo

Leia mais

PORTARIA Nº 23, DE 14 DE JULHO DE 2011

PORTARIA Nº 23, DE 14 DE JULHO DE 2011 MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR PORTARIA Nº 23, DE 14 DE JULHO DE 2011 (D.O.U. de 19 de julho de 2011, Seção 1, p. 65-92) (Retificada no D.O.U.

Leia mais

ANEXO À COMEX 067/2012 Sugestões Abiquim - Portaria Secex 13/2012 Consulta Pública Consolidação de Portaria Secex

ANEXO À COMEX 067/2012 Sugestões Abiquim - Portaria Secex 13/2012 Consulta Pública Consolidação de Portaria Secex ANEXO À COMEX 067/2012 Sugestões Abiquim - Portaria Secex 13/2012 Consulta Pública Consolidação de Portaria Secex Capítulo II TRATAMENTO ADMINISTRATIVO DAS IMPORTAÇÕES -Seção I. Licenciamento das Importações

Leia mais

Portaria SECEX Nº 47 DE 11/12/2014

Portaria SECEX Nº 47 DE 11/12/2014 Portaria SECEX Nº 47 DE 11/12/2014 Publicado no DO em 12 dez 2014 Altera a Portaria SECEX nº 23, de 14 de julho de 2011, para adequar os processos de habilitação ao regime de drawback integrado isenção

Leia mais

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS LEGISLAÇÃO Portaria SECEX Nº 23/11 - Tratamento Administrativo Portaria DECEX nº 08/91 - Material

Leia mais

índice PORTARIA SECEX N 2 10/10

índice PORTARIA SECEX N 2 10/10 índice Apresentação 3 PORTARIA SECEX N 2 10/10 CAPÍTULO l - IMPORTAÇÃO Seção l - Registro de Importador 11 Seção l! - Credenciamento e da Habilitação 12 Seção III - Licenciamento das Importações 12 Subseção

Leia mais

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2011

MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2011 MINISTÉRIO DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO GABINETE DO MINISTRO INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 51, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2011 O MINISTRO DE ESTADO, INTERINO, DA AGRICULTURA, PECUÁRIA E ABASTECIMENTO, no

Leia mais

ANO XXVI - 2015 2ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 46/2015

ANO XXVI - 2015 2ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 46/2015 ANO XXVI - 2015 2ª SEMANA DE NOVEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 46/2015 IPI O FRETE NA BASE DE CÁLCULO DO IPI... Pág. 422 ICMS RJ DRAWBACK... Pág. 423 IPI O FRETE NA BASE DE CÁLCULO DO IPI Sumário 1.

Leia mais

14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24. 25. O

14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24. 25. O ÍNDICE 1. Como proceder para realizar uma importação? 2. Para importar um produto, sempre há necessidade de licenciamento? 3. Como verificar se determinada importação requer ou não licenciamento? 4. Existe

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR ÍNDICE DA PORTARIA SECEX Nº 25, DE 27 DE NOVEMBRO DE 2008 CAPÍTULO I - IMPORTAÇÃO Seção I. Registro de importador

Leia mais

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR IMPORTAÇÕES SUJEITAS À APURAÇÃO DE PRODUÇÃO NACIONAL

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR IMPORTAÇÕES SUJEITAS À APURAÇÃO DE PRODUÇÃO NACIONAL Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior- DECEX Coordenação de Operações de Importação de

Leia mais

14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24. 25. O

14. 15. 16. 17. 18. 19. 20. 21. 22. 23. 24. 25. O ÍNDICE 1. Como proceder para realizar uma importação? 2. Para importar um produto, sempre há necessidade de licenciamento? 3. Como verificar se determinada importação requer ou não licenciamento? 4. Existe

Leia mais

PORTARIA Nº 23, DE 14 DE JULHO DE 2011 (Publicada no D.O.U. de 19/07/2011)

PORTARIA Nº 23, DE 14 DE JULHO DE 2011 (Publicada no D.O.U. de 19/07/2011) MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR PORTARIA Nº 23, DE 14 DE JULHO DE 2011 (Publicada no D.O.U. de 19/07/2011) Dispõe sobre operações de comércio

Leia mais

9/5/2013 O QUE É DRAWBACK?

9/5/2013 O QUE É DRAWBACK? O QUE É DRAWBACK? É UM REGIME ESPECIAL QUE TEM POR OBJETIVO DESONERAR IMPORTAÇÕES E/OU AQUISIÇÃO DE MERCADORIAS NO MERCADO INTERNO, EQUIVALENTE À EMPREGADA, VINCULADAS A UM COMPROMISSO DE EXPORTAÇÃO. ABRANGE

Leia mais

Formação de Despachante Aduaneiro OEA

Formação de Despachante Aduaneiro OEA Formação de Despachante Aduaneiro OEA Preparatório para o Exame de Qualificação Técnica e Operador Econômico Autorizado OEA para Despachantes Aduaneiros. Objetivo: Este curso tem como objetivo formar os

Leia mais

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR IMPORTAÇÕES SUJEITAS À APURAÇÃO DE PRODUÇÃO NACIONAL

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR IMPORTAÇÕES SUJEITAS À APURAÇÃO DE PRODUÇÃO NACIONAL Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior- DECEX Coordenação de Operações de Importação -

Leia mais

Regime Especial de Drawback O fomento das exportações por meio das operações de Drawback

Regime Especial de Drawback O fomento das exportações por meio das operações de Drawback Regime Especial de Drawback O fomento das exportações por meio das operações de Drawback PRIMEIRA PARTE O REGIME ESPECIAL DE DRAWBACK AS VANTAGENS E A IMPORTÂNCIA DO DRAWBACK PARA O COMÉRCIO EXTERIOR DRAWBACK

Leia mais

DECRETO Nº 31.246, DE 12 DE JANEIRO DE 2010 DODF de 13.01.2010

DECRETO Nº 31.246, DE 12 DE JANEIRO DE 2010 DODF de 13.01.2010 DECRETO Nº 31.246, DE 12 DE JANEIRO DE 2010 DODF de 13.01.2010 Altera o Decreto nº 18.955, de 22 de dezembro de 1997, que regulamenta o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre

Leia mais

PORTARIA MDIC Nº 251, DE 22 DE OUTUBRO 2001. Art. 2º Para os efeitos do Acordo Bilateral, e desta Portaria definir:

PORTARIA MDIC Nº 251, DE 22 DE OUTUBRO 2001. Art. 2º Para os efeitos do Acordo Bilateral, e desta Portaria definir: PORTARIA MDIC Nº 251, DE 22 DE OUTUBRO 2001. Regulamenta a execução do Trigésimo Protocolo Adicional ao Acordo de Complementação Econômica nº 14, entre os Governos da República Federativa do Brasil e da

Leia mais

DRAWBACK INTEGRADO FIRJAN 14/06/2016

DRAWBACK INTEGRADO FIRJAN 14/06/2016 DRAWBACK INTEGRADO Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX DRAWBACK INTEGRADO FIRJAN 14/06/2016 Uma ferramenta poderosa na competitividade das empresas

Leia mais

www.pwc.com Restrições atualmente impostas nas operações de comércio exterior João Paulo Muntada Calvinatto

www.pwc.com Restrições atualmente impostas nas operações de comércio exterior João Paulo Muntada Calvinatto www.pwc.com Restrições atualmente impostas nas operações de comércio exterior João Paulo Muntada Calvinatto Agenda 1. Panorama acerca das importações brasileiras 2. Sistema de defesa comercial adotado

Leia mais

Portaria SECEX nº 23/ Tratamento Administrativo. Portaria DECEX nº 08/ Material Usado. Decreto nº 6.759/ Regulamento Aduaneiro

Portaria SECEX nº 23/ Tratamento Administrativo. Portaria DECEX nº 08/ Material Usado. Decreto nº 6.759/ Regulamento Aduaneiro 1 2 Portaria SECEX nº 23/2011 - Tratamento Administrativo Portaria DECEX nº 08/1991 - Material Usado Decreto nº 6.759/2009 - Regulamento Aduaneiro 3 Despacho Aduaneiro de Importação Declaração de Importação

Leia mais

REGIME ADUANEIRO ESPECIAL DE DRAWBACK

REGIME ADUANEIRO ESPECIAL DE DRAWBACK Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Coordenação-Geral de Exportação e Drawback

Leia mais

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR LICENÇAS DE IMPORTAÇÃO COTAS E INFORMAÇÕES GERAIS LEGISLAÇÃO Portaria SECEX Nº 23/11 - Tratamento Administrativo Portaria DECEX nº 08/91 - Material Usado Decreto nº 6.759/09

Leia mais

Ministério da Fazenda - Secretaria da Receita Federal. Ministério da Fazenda/ Secretaria da Receita Federal

Ministério da Fazenda - Secretaria da Receita Federal. Ministério da Fazenda/ Secretaria da Receita Federal REGIMES ADUANEIROS ESPECIAIS E ATÍPICOS REEGIMEE I DEESSCRIÇÃO I 1 Admissão Temporária Permite a permanência no País de bens procedentes do exterior, por prazo e para finalidade determinados, com suspensão

Leia mais

PEI Peticionamento eletrônico de importação

PEI Peticionamento eletrônico de importação PEI Peticionamento eletrônico de importação MÔNICA FIGUEIREDO P VPA F J O I NVILLE RESOLUÇÃO - RDC Nº 74, DE 2 DE MAIO DE 2016 Os processos protocolados eletronicamente deverão conter a documentação prevista

Leia mais

Ciesp Sorocaba. 16de março de 2010. Importação de Máquinas e Equipamentos Industriais

Ciesp Sorocaba. 16de março de 2010. Importação de Máquinas e Equipamentos Industriais Departamento de Comércio Exterior Ciesp Sorocaba 16de março de 2010 Importação de Máquinas e Equipamentos Industriais Máquinas Novas Importação de Bens de Capital Cuidados e Precauções Na condição de usadas

Leia mais

3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas

3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas 3.3 - O Processo de Importação e Suas Etapas DISCIPLINA: Negócios Internacionais FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo: Atlas, 2004. SILVA, Luiz Augusto

Leia mais

ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE AGOSTO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 35/2012 ASSUNTOS DIVERSOS ICMS - RS

ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE AGOSTO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 35/2012 ASSUNTOS DIVERSOS ICMS - RS ANO XXIII - 2012-4ª SEMANA DE AGOSTO DE 2012 BOLETIM INFORMARE Nº 35/2012 ASSUNTOS DIVERSOS TRADING COMPANY - CONSIDERAÇÕES Introdução - Conceito - Requisitos, Condições e Obrigações Tributárias Acessórias

Leia mais

Despacho Aduaneiro de Importação. Declaração de Importação (DI) NCM Habilitação SISCOMEX. Tratamento Administrativo. Deferido.

Despacho Aduaneiro de Importação. Declaração de Importação (DI) NCM Habilitação SISCOMEX. Tratamento Administrativo. Deferido. 1 Despacho Aduaneiro de Importação Declaração de Importação (DI) NCM Habilitação SISCOMEX Tratamento Administrativo Importação Dispensada de Licenciamento Deferido Licença de Importação (LI) Licenciamento

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO COMERCIO EXTERIOR FATEC FRANCA PROF. DR. DALTRO OLIVEIRA DE CARVALHO

DOCUMENTAÇÃO PARA EXPORTAÇÃO COMERCIO EXTERIOR FATEC FRANCA PROF. DR. DALTRO OLIVEIRA DE CARVALHO DOCUMENTOS EXIGIDOS NAS OPERAÇÕES DE EXPORTAÇÃO DISPONIVEL EM: HTTP://WWW.APRENDENDOAEXPORTAR.GOV.BR/SITIO/PAGINAS/COMEXPORTAR/CONTRATOS.HTML No comércio internacional, os documentos desempenham importante

Leia mais

Carlos Biavaschi Degrazia. São Paulo, SP, 14 de julho de 2015

Carlos Biavaschi Degrazia. São Paulo, SP, 14 de julho de 2015 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior - MDIC Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX Coordenação-Geral de Exportação e Drawback

Leia mais

CURSO DE COMÉRCIO EXTERIOR : LEGISLAÇÃO ADUANEIRA REGIMES ADUANEIROS

CURSO DE COMÉRCIO EXTERIOR : LEGISLAÇÃO ADUANEIRA REGIMES ADUANEIROS 1. CONCEITOS Regime é um conjunto de regras que estabelecem certa conduta obrigatória. É método, sistema ou forma de governo. Logo, chamamos de regime aduaneiro ao tratamento tributário e administrativo

Leia mais

CIRCULAR N 3015. Art. 6º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. Daniel Luiz Gleizer Diretor

CIRCULAR N 3015. Art. 6º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. Daniel Luiz Gleizer Diretor CIRCULAR N 3015 Altera o Regulamento do Mercado de Câmbio de Taxas Flutuantes para incluir título relativo a Transferências Postais. A Diretoria Colegiada do Banco Central do Brasil, em sessão realizada

Leia mais

DRAWBACK IMPORTAÇÃO APRESENTAÇÃO BRACELPA

DRAWBACK IMPORTAÇÃO APRESENTAÇÃO BRACELPA DRAWBACK IMPORTAÇÃO APRESENTAÇÃO BRACELPA 21 DE OUTUBRO DE 2009 Por Evandro Ap. Moreira DRAWBACK IMPORTAÇÃO O QUE É? O regime aduaneiro especial de drawback, instituído em 1966 pelo Decreto Lei nº 37,

Leia mais

1. Panorama inicial do sistema... 2 2. Como criar um Ato Concessório Integrado Isenção... 7 2.1. Cadastrando Nota Fiscal de Insumo... 8 2.2.

1. Panorama inicial do sistema... 2 2. Como criar um Ato Concessório Integrado Isenção... 7 2.1. Cadastrando Nota Fiscal de Insumo... 8 2.2. 1. Panorama inicial do sistema... 2 2. Como criar um Ato Concessório Integrado Isenção... 7 2.1. Cadastrando Nota Fiscal de Insumo... 8 2.2. Cadastrando Declaração de Importação (DI)... 9 2.3. Vinculando

Leia mais

Regulamenta a Lei nº 9.841, de 5 de outubro de 1999, que institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, e dá outras providências.

Regulamenta a Lei nº 9.841, de 5 de outubro de 1999, que institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, e dá outras providências. DECRETO N o 3.474, DE 19 DE MAIO DE 2000. Regulamenta a Lei nº 9.841, de 5 de outubro de 1999, que institui o Estatuto da Microempresa e da Empresa de Pequeno Porte, e dá outras providências. O PRESIDENTE

Leia mais

O Processo de Importação e Suas Etapas

O Processo de Importação e Suas Etapas O Processo de Importação e Suas Etapas CURSO: Administração / DISCIPLINA: Logística Internacional FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo: Atlas, 2004.

Leia mais

CIRCULAR Nº 83, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2008 (publicada no D.O.U. de 08/12/2008)

CIRCULAR Nº 83, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2008 (publicada no D.O.U. de 08/12/2008) MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR CIRCULAR Nº 83, DE 5 DE DEZEMBRO DE 2008 (publicada no D.O.U. de 08/12/2008) O SECRETÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR,

Leia mais

COMUNICADO Nº 2, DE 23/01/97

COMUNICADO Nº 2, DE 23/01/97 COMUNICADO Nº 2, DE 23/01/97 O DIRETOR DO DEPARTAMENTO DE OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR - DECEX, no uso das atribuições que lhe confere o art. 17, inciso II, do Anexo I do Decreto nº 1.757, de 22 de dezembro

Leia mais

DÚVIDAS MAIS FREQÜENTES - IMPORTAÇÃO DE MATERIAL USADO

DÚVIDAS MAIS FREQÜENTES - IMPORTAÇÃO DE MATERIAL USADO DÚVIDAS MAIS FREQÜENTES - IMPORTAÇÃO DE MATERIAL USADO 1- O QUE É PERMITIDO IMPORTAR NA CONDIÇÃO DE USADO? 2- O QUE É PROIBIDO IMPORTAR NA CONDIÇÃO DE USADO? 3- COMO PROCEDER PARA IMPORTAR MATERIAL USADO?

Leia mais

ANEXO 30 PROCEDIMENTOS ADOTADOS PELO DEPOSITÁRIO ESTABELECIDO EM RECINTO ALFANDEGADO.

ANEXO 30 PROCEDIMENTOS ADOTADOS PELO DEPOSITÁRIO ESTABELECIDO EM RECINTO ALFANDEGADO. ANEXO 30 PROCEDIMENTOS ADOTADOS PELO DEPOSITÁRIO ESTABELECIDO EM RECINTO ALFANDEGADO. Acrescentado pelo Decreto 24.441 de 14 de agosto de 2008. Publicado no DOE de 14.08.2008 Convênio ICMS nº 143/02 e

Leia mais

ANEXO I PROCEDIMENTOS PARA A IMPORTAÇÃO DE PRODUTOS DESTINADOS À ALIMENTAÇÃO ANIMAL

ANEXO I PROCEDIMENTOS PARA A IMPORTAÇÃO DE PRODUTOS DESTINADOS À ALIMENTAÇÃO ANIMAL ANEXO I PROCEDIMENTOS PARA A IMPORTAÇÃO DE PRODUTOS DESTINADOS À ALIMENTAÇÃO ANIMAL 1. OBJETIVO Estabelecer os procedimentos para a importação de produtos destinados à alimentação animal visando garantir

Leia mais

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR IMPORTAÇÕES SUJEITAS À APURAÇÃO DE PRODUÇÃO NACIONAL

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR IMPORTAÇÕES SUJEITAS À APURAÇÃO DE PRODUÇÃO NACIONAL Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior- DECEX Coordenação de Operações de Importação de

Leia mais

Despacho Aduaneiro de Importação. Decisão

Despacho Aduaneiro de Importação. Decisão 1 Despacho Aduaneiro de Importação Declaração de Importação (DI) NCM Habilitação SISCOMEX Tratamento Administrativo Importação Dispensada de Licenciamento Deferido Licença de Importação (LI) Licenciamento

Leia mais

Flavio Augusto Trevisan Scorza Coordenador-Geral de Normas e Facilitação de Comércio Departamento de Normas e Competitividade no Comércio Exterior

Flavio Augusto Trevisan Scorza Coordenador-Geral de Normas e Facilitação de Comércio Departamento de Normas e Competitividade no Comércio Exterior CERTIFICAÇÃO COMPULSÓRIA POR REGULAMENTO TÉCNICO DO Flavio Augusto Trevisan Scorza Coordenador-Geral de Normas e Facilitação de Comércio Departamento de Normas e Competitividade no Comércio Exterior Secretaria

Leia mais

Portaria da Secretaria de Comércio Exterior SECEX n. 36, de 22 de novembro de 2007. (publicada no DOU de 26/11/2007)

Portaria da Secretaria de Comércio Exterior SECEX n. 36, de 22 de novembro de 2007. (publicada no DOU de 26/11/2007) Portaria da Secretaria de Comércio Exterior SECEX n. 36, de 22 de novembro de 2007. (publicada no DOU de 26/11/2007) O SECRETÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR DO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 777 de 19/10/07 DOU 30/11/07

Instrução Normativa RFB nº 777 de 19/10/07 DOU 30/11/07 Instrução Normativa RFB nº 777 de 19/10/07 DOU 30/11/07 Estabelece procedimentos de credenciamento de funcionários de entidades autorizadas a emitir certificados de origem, para fins de acesso ao sistema

Leia mais

Art. 1º O regime especial de entreposto aduaneiro será aplicado de conformidade com o estabelecido nesta Instrução Normativa.

Art. 1º O regime especial de entreposto aduaneiro será aplicado de conformidade com o estabelecido nesta Instrução Normativa. Instrução Normativa SRF nº 241, de 6 de Novembro de 2002 DOU de 8.11.2002 Dispõe sobre o regime especial de entreposto aduaneiro na importação e na exportação. Alterada pela IN SRF nº 289, de 27 de janeiro

Leia mais

DRAWBACK INTEGRADO DRAWBACK INTEGRADO

DRAWBACK INTEGRADO DRAWBACK INTEGRADO DRAWBACK INTEGRADO Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX DRAWBACK INTEGRADO Normas, Procedimentos e DúvidasD DRAWBACK INTEGRADO MODALIDADES DE DRAWBACK

Leia mais

Resultados Consolidados

Resultados Consolidados 1ª Consulta aos associados para identificar as dificuldades enfrentadas para exportar e sobre temas de comércio exterior Resultados Consolidados Equipe de Assuntos de Comércio Exterior Maio de 2012 Total

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO LEX TRIBUTOS RECOM Regulamentação Orientador Empresarial DECRETO nº 7.319/2010 DOU: 29.09.2010 Regulamenta a aplicação do Regime Especial de Tributação

Leia mais

Regimes Aduaneiros Especiais. Regimes Aduaneiros Especiais. Trânsito aduaneiro. Trânsito aduaneiro. Trânsito aduaneiro. Trânsito aduaneiro

Regimes Aduaneiros Especiais. Regimes Aduaneiros Especiais. Trânsito aduaneiro. Trânsito aduaneiro. Trânsito aduaneiro. Trânsito aduaneiro Regimes Aduaneiros Especiais Regimes Aduaneiros Especiais As características básicas dos regimes especiais são: Regra geral, os prazos na importação são de um ano, prorrogável, por período não superior,

Leia mais

DECRETO Nº 12.677, DE 11 DE JULHO DE 2007. Publicado no DOE n 131, de 12/07/2007

DECRETO Nº 12.677, DE 11 DE JULHO DE 2007. Publicado no DOE n 131, de 12/07/2007 REVOGADO PELO DECRETO 13.501, DE 23/12/2008 *Ver Decreto 13.500/2008 DECRETO Nº 12.677, DE 11 DE JULHO DE 2007. Publicado no DOE n 131, de 12/07/2007 Regulamenta o disposto no inciso II, caput, e nos 1º

Leia mais

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO EXTERIOR E SERVIÇOS SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR PORTARIA Nº 25, DE 31 DE MAIO DE 2016

MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO EXTERIOR E SERVIÇOS SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR PORTARIA Nº 25, DE 31 DE MAIO DE 2016 MINISTÉRIO DA INDÚSTRIA, COMÉRCIO EXTERIOR E SERVIÇOS SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR PORTARIA Nº 25, DE 31 DE MAIO DE 2016 DOU de 01/06/2016 (nº 103, Seção 1, pág. 58) O SECRETÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR,

Leia mais

Declaração de Importação (DI) Desembaraço Aduaneiro. NCM Habilitação SISCOMEX. Tratamento Administrativo. Deferida. Licença de Importação (LI)

Declaração de Importação (DI) Desembaraço Aduaneiro. NCM Habilitação SISCOMEX. Tratamento Administrativo. Deferida. Licença de Importação (LI) 1 Desembaraçada Desembaraço Aduaneiro Deferida Vinculada à DI Declaração de Importação (DI) NCM Habilitação SISCOMEX Tratamento Administrativo Importação Dispensada de Licenciamento Deferida Licença de

Leia mais

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ITAÚNA - MG Edital de Chamamento para Cadastro nº 01/2013

PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ITAÚNA - MG Edital de Chamamento para Cadastro nº 01/2013 PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE ITAÚNA - MG Edital de Chamamento para Cadastro nº 01/2013 Edital de convocação de Pessoas Jurídicas para inscrição e atualização do Cadastro de Fornecedores do Município de Itaúna.

Leia mais

Nesta 1ª edição, estamos tratando de 10 diferentes questões, dentro de Jurisprudência, Legislação e Soluções de Consulta.

Nesta 1ª edição, estamos tratando de 10 diferentes questões, dentro de Jurisprudência, Legislação e Soluções de Consulta. Prezados leitores: A publicação Nota Aduaneira tem por objetivo atualizar nossos clientes e demais interessados sobre os principais assuntos que estão sendo discutidos e decididos no âmbito do Judiciário,

Leia mais

II - operação de crédito com vínculo a exportação (securitização de exportações); e

II - operação de crédito com vínculo a exportação (securitização de exportações); e CIRCULAR 3.027/01 PROGRAMA NACIONAL DE DESBUROCRATIZAÇÃO - Institui e regulamenta o Registro Declaratório Eletrônico (RDE) de empréstimos entre residentes ou domiciliados no País e residentes ou domiciliados

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.308. Art. 2º Divulgar as folhas necessárias à atualização do RMCCI. Art. 3º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação.

CIRCULAR Nº 3.308. Art. 2º Divulgar as folhas necessárias à atualização do RMCCI. Art. 3º Esta Circular entra em vigor na data de sua publicação. CIRCULAR Nº 3.308 Altera a seção 13 do capítulo 12 do título 1 do Regulamento do Mercado de Câmbio e Capitais Internacionais (RMCCI), que trata sobre multa em operações de importação, tendo em vista a

Leia mais

Legislação em Vigilância Sanitária. Página Inicial Pesquisa Complementar Estatísticas do site Normas Consolidadas Publicações de Hoje Glossário Ajuda

Legislação em Vigilância Sanitária. Página Inicial Pesquisa Complementar Estatísticas do site Normas Consolidadas Publicações de Hoje Glossário Ajuda Legislação em Vigilância Sanitária Página Inicial Pesquisa Complementar Estatísticas do site Normas Consolidadas Publicações de Hoje Glossário Ajuda título: Resolução RDC nº 99, de 30 de dezembro de 2008

Leia mais

Secretaria de Comércio Exterior - SECEX. Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX DRAWBACK INTEGRADO

Secretaria de Comércio Exterior - SECEX. Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX DRAWBACK INTEGRADO DRAWBACK INTEGRADO Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior DECEX DRAWBACK INTEGRADO Entendendo os procedimentos do Drawback, um estímulo a mais para exportar.

Leia mais

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR IMPORTAÇÕES SUJEITAS À APURAÇÃO DE PRODUÇÃO NACIONAL

OPERAÇÕES DE COMÉRCIO EXTERIOR IMPORTAÇÕES SUJEITAS À APURAÇÃO DE PRODUÇÃO NACIONAL Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior MDIC Secretaria de Comércio Exterior - SECEX Departamento de Operações de Comércio Exterior- DECEX Coordenação de Operações de Importação de

Leia mais

Ato Declaratório Executivo Coana nº 3, de 1º de junho de 2006 (*)

Ato Declaratório Executivo Coana nº 3, de 1º de junho de 2006 (*) Ato Declaratório Executivo Coana nº 3, de 1º de junho de 2006 (*) DOU de 2.6.2006 Estabelece documentos e normas complementares para a habilitação de importadores, exportadores e internadores da Zona Franca

Leia mais

Manual de Utilização. Sistema Visão Integrada e módulo Anexação Eletrônica de Documentos. 2ª edição

Manual de Utilização. Sistema Visão Integrada e módulo Anexação Eletrônica de Documentos. 2ª edição Sistema Visão Integrada e módulo Anexação Eletrônica de Documentos Outubro de 2015 Índice 1 - Introdução... 4 2 - Formas de acesso... 4 3 - Página inicial... 4 3.1 Apresentação... 4 3.2 - Origem das informações...

Leia mais

Manual de Serviço Consular e Jurídico

Manual de Serviço Consular e Jurídico REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL MINISTÉRIO DAS RELAÇÕES EXTERIORES Departamento das Comunidades Brasileiras no Exterior Manual de Serviço Consular e Jurídico TOMO I CAPÍTULO 10 TOMO I Capítulo 10 Página

Leia mais

1.1. Como criar um Ato Concessório Suspensão Integrado...01 1.2. Como alterar um Ato Concessório já enviado para análise...10 1.3.

1.1. Como criar um Ato Concessório Suspensão Integrado...01 1.2. Como alterar um Ato Concessório já enviado para análise...10 1.3. 1.1. Como criar um Ato Concessório Suspensão Integrado...01 1.2. Como alterar um Ato Concessório já enviado para análise...10 1.3. Como excluir um Ato Concessório...12 1.4. Como prorrogar um Ato Concessório...14

Leia mais

Despacho Aduaneiro de Importação. Decisão

Despacho Aduaneiro de Importação. Decisão 1 Despacho Aduaneiro de Importação Declaração de Importação (DI) NCM Habilitação SISCOMEX Tratamento Administrativo Importação Dispensada de Licenciamento Deferido Licença de Importação (LI) Licenciamento

Leia mais

Considerando que a referida Resolução demanda ao IBAMA determinadas atividades fundamentais para a sua implementação; resolve:

Considerando que a referida Resolução demanda ao IBAMA determinadas atividades fundamentais para a sua implementação; resolve: INSTRUÇÃO NORMATIVA IBAMA Nº 1, DE 18 DE MARÇO DE 2010 O PRESIDENTE DO INSTITUTO BRASILEIRO DO MEIO AMBIENTE E DOS RECURSOS NATURAIS RENOVÁVEIS - IBAMA, nomeado pela Portaria nº 383 da Ministra de Estado

Leia mais

REGULARIDADE DE RECOLHIMENTO DE CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS - Obtenção de CND, CPD-EN e CPD

REGULARIDADE DE RECOLHIMENTO DE CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS - Obtenção de CND, CPD-EN e CPD REGULARIDADE DE RECOLHIMENTO DE CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS - Obtenção de CND, CPD-EN e CPD Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 04/04/2013. Sumário: 1 - Introdução 2 - Prova de Inexistência

Leia mais

Relatório. Data 17 de março de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF

Relatório. Data 17 de março de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 74 - Cosit Data 17 de março de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: IMPOSTO SOBRE A IMPORTAÇÃO - II DRAWBACK VERDE-AMARELO. DRAWBACK INTEGRADO.

Leia mais

CIRCULAR Nº 3.771, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2015

CIRCULAR Nº 3.771, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2015 CIRCULAR Nº 3.771, DE 4 DE NOVEMBRO DE 2015 Dispõe sobre os procedimentos a serem observados pelas cooperativas de crédito para instrução de processos referentes a pedidos de autorização e dá outras providências.

Leia mais

Instrução Normativa RFB Nº 1590 DE 05/11/2015

Instrução Normativa RFB Nº 1590 DE 05/11/2015 Instrução Normativa RFB Nº 1590 DE 05/11/2015 Publicado no DO em 6 nov 2015 Dispõe sobre a aplicação do art. 9º-A da Lei nº 10.925, de 23 de julho de 2004, que dispõe sobre o crédito presumido da Contribuição

Leia mais

Cartilha: Peticionamento Eletrônico de Importação

Cartilha: Peticionamento Eletrônico de Importação Cartilha: Peticionamento Eletrônico de Importação Gerência-Geral de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegados GGPAF Gerência de Controle Sanitário de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos

Leia mais

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária

Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária ADVERTÊNCIA Este texto não substitui o publicado no Diário Oficial da União Ministério da Saúde Agência Nacional de Vigilância Sanitária 2015 RESOLUÇÃO DA DIRETORIA COLEGIADA RDC N 17, DE 06 DE MAIO DE

Leia mais

Roteiro Básico para Exportação

Roteiro Básico para Exportação Roteiro Básico para Exportação As empresas interessadas em efetuar exportações deverão, em primeiro lugar, inscrever-se no RADAR, que corresponde ao Registro de Exportadores e Importadores da Inspetoria

Leia mais

PORTARIA N o 51, DE 25 DE JUNHO DE 2015 (Publicada no D.O.U. de 26/06/2015)

PORTARIA N o 51, DE 25 DE JUNHO DE 2015 (Publicada no D.O.U. de 26/06/2015) MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR PORTARIA N o 51, DE 25 DE JUNHO DE 2015 (Publicada no D.O.U. de 26/06/2015) O SECRETÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR,

Leia mais

Apresentação. Documentos de diversas modalidades que formalizam atividades de cooperação entre a UFRGS e outras instituições.

Apresentação. Documentos de diversas modalidades que formalizam atividades de cooperação entre a UFRGS e outras instituições. Apresentação A Universidade Federal do Rio Grande do Sul interage com instituições públicas ou privadas, nacionais ou internacionais, em conformidade com as leis federais, estatuto e regimento, resoluções,

Leia mais

ANEXO (Portaria Interministerial MCT/MDIC nº 291, de 07.05.2008)

ANEXO (Portaria Interministerial MCT/MDIC nº 291, de 07.05.2008) ANEXO (Portaria Interministerial MCT/MDIC nº 291, de 07.05.2008) ROTEIRO PARA APRESENTAÇÃO DAS PROPOSTAS DE PROJETO LEI Nº 11.484/2007 CAPÍTULO II PATVD I INTRODUÇÃO O presente roteiro orienta a elaboração

Leia mais

IMPORTAÇÃO 05/08/2015. Conceituação Formas de Importação Tratamento Administrativo (Siscomex) Despacho Aduaneiro Tratamento Tributário.

IMPORTAÇÃO 05/08/2015. Conceituação Formas de Importação Tratamento Administrativo (Siscomex) Despacho Aduaneiro Tratamento Tributário. Conceituação Formas de Importação Tratamento Administrativo (Siscomex) Tratamento Tributário Conceituação Comercial Recebimento da mercadoria pelo comprador ou seu representante, no exterior, de acordo

Leia mais

PORTARIA Nº 35, DE 24 NOVEMBRO DE 2006 (Publicada no DOU de 28/11/2006)

PORTARIA Nº 35, DE 24 NOVEMBRO DE 2006 (Publicada no DOU de 28/11/2006) MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR PORTARIA Nº 35, DE 24 NOVEMBRO DE 2006 (Publicada no DOU de 28/11/2006) O SECRETÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR DO

Leia mais

LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE ESTADUAL

LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE ESTADUAL LEI DE INCENTIVO AO ESPORTE ESTADUAL LEI Nº 13.918, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2009 Dispõe sobre a comunicação eletrônica entre a Secretaria da Fazenda e o sujeito passivo dos tributos estaduais, altera a Lei

Leia mais

AULA 19. Mercado de Câmbio II

AULA 19. Mercado de Câmbio II AULA 19 Mercado de Câmbio II Posição de Câmbio A posição de câmbio é representada pelo saldo das operações de câmbio (compra e venda de moeda estrangeira, de títulos e documentos que as representem e de

Leia mais

Declaração de Importação (DI) Desembaraço Aduaneiro. NCM Habilitação SISCOMEX. Tratamento Administrativo. Deferida. Licença de Importação (LI)

Declaração de Importação (DI) Desembaraço Aduaneiro. NCM Habilitação SISCOMEX. Tratamento Administrativo. Deferida. Licença de Importação (LI) 1 Desembaraçada Desembaraço Aduaneiro Deferida Vinculada à DI Declaração de Importação (DI) NCM Habilitação SISCOMEX Tratamento Administrativo Importação Dispensada de Licenciamento Deferida Licença de

Leia mais

IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR

IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR IMPORTAÇÃO FÁCIL: CÂMBIO PASSO A PASSO SAIBA COMO SER UM IMPORTADOR 1º Passo: Registro da empresa Atualizar o objeto social da empresa incluindo a atividade de importação e os tipos de produtos que serão

Leia mais

Importação por Conta e Ordem e Importação por Encomenda (LUCIANO - 15/05/2006)

Importação por Conta e Ordem e Importação por Encomenda (LUCIANO - 15/05/2006) Importação por Conta e Ordem e Importação por Encomenda (LUCIANO - 15/05/2006) Cada vez mais e por diversos motivos, as organizações vêm optando por focar-se no objeto principal do seu próprio negócio

Leia mais

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO PREÇOS DOS SERVIÇOS DE ACREDITAÇÃO DE ORGANISMOS DE CERTIFICAÇÃO E DE INSPEÇÃO NORMA Nº: NIE-CGCRE-0 APROVADA EM MAR/20 Nº 01/09 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Campo de Aplicação 3 Responsabilidade 4 Histórico das

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA

GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA RESOLUÇÃO Nº 020/GAB/SEFAZ Porto Velho, 05 de dezembo de 1995. GOVERNO DO ESTADO DE RONDÔNIA SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA OS PROCEDIMENTOS RELATIVOS AO IPVA SÃO DISCIPLINADOS PELO RIPVA APROVADO PELO

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR SECRETARIA DE COMÉRCIO EXTERIOR PORTARIA Nº 14, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2004 (Publicada no DOU de 23/11/2004) O SECRETÁRIO DE COMÉRCIO EXTERIOR

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL. Expede Instruções para Funcionamento de Agência de Carga Aérea.

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL. Expede Instruções para Funcionamento de Agência de Carga Aérea. SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO CIVIL PORTARIA N o 749B/DGAC, DE 25 DE JUNHO DE 2002 Expede Instruções para Funcionamento de Agência de Carga Aérea. O DIRETOR-GERAL DO DEPARTAMENTO DE AVIAÇÃO

Leia mais

Escola Secundária de Paços de Ferreira. Curso Profissional Técnicas de Secretariado. Ano Lectivo: 2009/10. Disciplina: Técnicas de Secretariado

Escola Secundária de Paços de Ferreira. Curso Profissional Técnicas de Secretariado. Ano Lectivo: 2009/10. Disciplina: Técnicas de Secretariado Ano Lectivo: 2009/10 Disciplina: Técnicas de Secretariado Professora: Adelina Silva Novembro de 2009 Trabalho realizado por: Sara Gonçalves n.º16 12ºS Financiamento á Exportação O produto baseia-se na

Leia mais

O Processo de Exportação e Suas Etapas (até Contrato de Câmbio)

O Processo de Exportação e Suas Etapas (até Contrato de Câmbio) O Processo de Exportação e Suas Etapas (até Contrato de CURSO: Administração DISCIPLINA: Comércio Exterior FONTES: DIAS, Reinaldo; RODRIGUES, Waldemar. Comércio Exterior Teoria e Gestão. São Paulo, Atlas,

Leia mais

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 28.06.2012. Sumário:

Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 28.06.2012. Sumário: NOTA FISCAL AVULSA ELETRÔNICA (NFA-e) - Preenchimento por não Contribuinte do ICMS Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 28.06.2012. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - NOTA FISCAL AVULSA ELETRÔNICA

Leia mais

Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático

Normas Operacionais. Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Normas Operacionais Linha de Financiamento BNDES Exim Automático Capítulo I - REGULAMENTO 1. OBJETIVO Apoiar, na fase pós-embarque, a comercialização, no exterior, de bens de fabricação nacional, observadas

Leia mais

Os INCOTERM s ou International Comercial Terms são nomenclaturas representativas de cláusulas contratuais padronizadas internacionalmente para

Os INCOTERM s ou International Comercial Terms são nomenclaturas representativas de cláusulas contratuais padronizadas internacionalmente para Os INCOTERM s ou International Comercial Terms são nomenclaturas representativas de cláusulas contratuais padronizadas internacionalmente para facilitar o comércio. Elas tratam das condições e responsabilidades

Leia mais