1. Destaques Operacionais e Financeiros Evolução do Negócio Demonstração de Resultados Consolidados... 10

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "1. Destaques Operacionais e Financeiros... 3. 2. Evolução do Negócio... 5. 3. Demonstração de Resultados Consolidados... 10"

Transcrição

1

2 Índice 1. Destaques Operacionais e Financeiros Evolução do Negócio Demonstração de Resultados Consolidados Capex e Cash Flow Balanço Consolidado Remuneração Accionista Aviso Legal Contactos... 16

3 1. Destaques Operacionais e Financeiros Lisboa, Portugal, 9 de Novembro de 2008: Hoje a ZON divulga os resultados não auditados para os Primeiros Nove Meses de Crescimento de RGU +16,1% nos 9M mil clientes com mais que um serviço ZON 18% penetração 3P nos clientes de cabo Receitas de Exploração +8,1% EBITDA +8,9% Resultado Antes de Resultados Financeiros e Impostos +14% 1.1 Destaques Operacionais 9M08 / Tabela 1. Destaques Operacionais ('000) 9M07 9M08 9M07 Casas Passadas 2, , % RGUs (1) 2, , % RGUs (1) por Subscritor % Subscritores (2) (3) 1, , % dos quais TV Digital % Premium % Banda Larga % Voz n.a. ARPU Global % (1) RGUs - Revenue Generating Units - corresponde à soma do número de subscritores dos serviços básicos de TV por Subscrição com o número de subscritores do serviço de TV Digital, o número de subscritores de Banda Larga e o número de subscritores do serviço de Voz. (2) Os números apresentados referem-se ao número total de clientes do serviço básico da TV Cabo. Saliente-se que a TV Cabo oferece vários serviços básicos, suportados em diversas tecnologias, direccionados para diferentes segmentos de mercado (doméstico, imobiliário e hotelaria), com distinto âmbito geográfico (Portugal Continental e ilhas) e com um número variável de canais em cada pacote; (3) Os números apresentados incluem produtos em regime de promoção temporária (p.e., promoções do tipo Try and Buy ), ligações em redes comerciais e contratos com promotores imobiliários ainda não activos; Crescimento de RGU de 16,1% para 2,7 milhões. Em média, os clientes da ZON subscrevem 1,75 serviços, o que compara com 1,52 no final dos 9M07, devido à forte aceitação dos serviços de Voz e Banda Larga; 46% dos clientes de cabo da ZON já subscrevem pacotes de dual ou triple play no final dos 9M08, o que compara com 37% nos 9M07. A penetração de clientes triple play aumentou para 18%, enquanto que nos 9M07 este número se cifrava nos 4,5%; No final dos 9M08, 45% das adições brutas da ZON provinham de pacotes de triple play ZON3 ; O número de subscritores de pacotes de TV Digital e canais Premium aumentou em 25,2% (445,9 mil) e 4% (834,8 mil), respectivamente. 51 mil novas caixas ZON Box instaladas desde o seu lançamento em Maio de 2008, permitindo aos subscritores beneficiar de funcionalidades e conteúdo avançadas, tais como o gravador de vídeo personalizado (PVR) em HD (alta definição), um novo guia de programação electrónico e um leque cada vez mais alargado de conteúdos em alta definição, nomeadamente desporto e filmes. ZON Multimédia Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. 3/16

4 O melhor trimestre da ZON em adições líquidas de Banda Larga dos últimos 3 anos e um crescimento muito forte de subscritores de Voz (durante os 9M08, 50,7 mil e 170,5 mil respectivamente), mais que compensaram o decréscimo líquido de 8 mil clientes de TV por Subscrição nos 9M08, que se deveu ao ambiente mais competitivo que afectou a ZON sobretudo nas regiões onde não se encontra presente com uma oferta de serviços por cabo; O ARPU Global para os serviços de TV por Subscrição, Banda Larga e Voz registou um acréscimo anual de 3,7% para 31,8 euros por mês, em resultado do sucesso da estratégia da ZON de venda de serviços adicionais à base clientes de cabo já existente, reflectida no maior número médio de RGUs por Subscritor. Desenvolvimentos Recentes Lançamento da ZON Mobile no dia 27 de Outubro, que irá complementar as ofertas fixas existentes com serviços de homezoning e banda larga e voz móveis. O serviço ZON Mobile está disponível em todo o país e é muito competitivo graças às vantagens especiais oferecidas a clientes que subscrevam mais do que um serviço ZON. Não é cobrado qualquer período inicial e as chamadas são tarifadas ao segundo. Os descontos variam entre os 20% e os 60%, dependendo do número de serviços subscritos pelo cliente com a ZON. 1.2 Destaques Financeiros Tabela 2. Destaques Financeiros (Milhões de Euros) Receitas de Exploração % % EBITDA (Resultado Operacional Antes de Amortizações) (1) % % Margem EBITDA 32.1% 33.2% 1.0pp 32.4% 32.6% 0.2pp EBIT (Resultado Antes de Resultados Financeiros e Impostos) % % Resultado Consolidado Líquido (15.1%) (2.4%) CAPEX Recorrente % % Cash Flow Operacional % (75.5%) Dívida Financeira Líquida n.a n.a. (1) EBITDA = Resultado Operacional + Amortizações; 3T08 / 3T07 3T08 9M07 9M08 3T07 9M08 / 9M07 As Receitas de Exploração aumentaram para milhões de euros nos 9M08, o que representa um crescimento anual de 8,1%; o crescimento anual no 3T08 foi de 9,2%; O EBITDA aumentou para milhões de euros nos 9M08, o que representa um crescimento anual de 8,9%, com uma aceleração anual no 3T08 de 12,7%; A margem EBITDA foi de 32,6%, que compara com 32,4% nos 9M07; O Resultado Consolidado Líquido foi de 50,9 milhões de euros, um decréscimo face aos 52,1 milhões de euros nos 9M07, apesar de o Resultado Antes de Resultados Financeiros e Impostos ter crescido 14% nos 9M08; O CAPEX Recorrente foi de 96,5 milhões de euros nos 9M08, o que representa 16,9% das Receitas de Exploração; este valor compara com 64,2 milhões de euros nos 9M07; A Dívida Financeira Líquida no final dos 9M08 era de 361,1 milhões de euros (1,5x Dívida Financeira Líquida / EBITDA); Execução continuada do Programa de Recompra de Acções Próprias com 4,16% do capital social já recomprado no final dos 9M08, de um total previsto de 10%. ZON Multimédia Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. 4/16

5 2. Evolução do Negócio 2.1 Destaques Operacionais Tabela 3. Indicadores de Negócio ('000) TV por Subscrição, Banda Larga e Voz Casas Passadas 2, , % 2, , % Subscritores (1) (2) 1, , % 1, , % dos quais TV Digital % % Premium % % Banda Larga % % Voz n.a n.a. RGUs (3) 2, , % 2, , % RGUs (3) por Subscritor % % ARPU Global % % Adições Líquidas Subscritores 25.7 (17.9) (169.7%) 40.7 (8.0) (119.7%) TV Digital % (25.7%) Premium (48.2%) 22.7 (5.8) (125.5%) Banda Larga % % Voz % % RGUs (9.7%) % Exibição Cinematográfica 3T08 / 3T07 3T08 9M07 9M08 3T07 9M08 / 9M07 Receitas por Espectador (Euros) % % Bilhetes Vendidos 2, , % 6, ,054.2 (0.8%) Salas (unidades) % % (1) Os números apresentados referem-se ao número total de clientes do serviço básico da TV Cabo. Saliente-se que a TV Cabo oferece vários serviços básicos, suportados em diversas tecnologias, direccionados para diferentes segmentos de mercado (doméstico, imobiliário e hotelaria), com distinto âmbito geográfico (Portugal Continental e ilhas) e com um número variável de canais em cada pacote; (2) Os números apresentados incluem produtos em regime de promoção temporária (p.e., promoções do tipo Try and Buy ), ligações em redes comerciais e contratos com promotores imobiliários ainda não activos; (3) RGUs - Revenue Generating Units - corresponde à soma do número de subscritores dos serviços básicos de TV por Subscrição com o número de subscritores do serviço de TV Digital, o número de subscritores de Banda Larga e o número de subscritores do serviço de Voz. 2.2 Quadruple Play TV por Subscrição, Banda Larga, Voz Fixa e Móvel A ZON está na vanguarda da adopção de pacotes triple play em Portugal. No final de Setembro, 46% dos nossos clientes de cabo já subscreviam mais do que um dos seus serviços de comunicações domésticas e entretenimento. No final dos 9M08, a penetração de subscritores triple play tinha aumentado para 18%, o que compara com 4,5% no final dos 9M07 e com 14% no 2T08. De grande importância é o facto de 45% dos novos clientes de TV por Subscrição na plataforma de cabo subscreverem pacotes triple play ZON3. 100% 80% 60% 40% 20% 0% % Subscritores Cabo 3Play 4,5% 6,3% 9,8% 13,9% 17,6% 32,4% 31,6% 30,8% 29,7% 28,8% 63,1% 62,2% 59,4% 56,4% 53,6% 3T07 4T07 1T08 2T08 3T08 Single Double Play Triple Play ZON Multimédia Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. 5/16

6 O número total de RGUs aumentou para milhares, um acréscimo de 16,1% face aos 9M07, representando um aumento de RGUs por Subscritor de 1,52 no 3T07 para 1,75 no 3T08. TV por Subscrição RGUs (milhares) T07 2T07 3T07 4T07 1T08 2T08 3T08 TV Digital Banda Larga Voz A ZON está empenhada em ser a melhor opção em termos de conteúdos de experiência televisiva. Com um leque cada vez mais alargado de conteúdos de qualidade em áreas como o desporto, entretenimento, notícias, filmes, documentários e cultura, os subscritores têm uma panóplia de opções para toda a família. Ao longo dos 9M08, a ZON reforçou ainda mais a sua oferta de conteúdos com vários novos canais, alguns dos quais exclusivos para clientes ZON. Os conteúdos em alta definição (HD) são essenciais para a estratégia da ZON. A sua moderna rede de cabo permite-lhe oferecer a selecção mais atraente de canais HD no mercado e, com a introdução em Maio da ZON Box que permite o acesso a canais em HD, disponível tanto para clientes da plataforma cabo como satélite, a ZON lançou vários canais HD exclusivos, tais como a SportTV 1 HD, TVCine 4 HD e Mov HD. Para além disso, a subscrição de canais de cinema Premium aumentou substancialmente, devido à possibilidade de se poder gravar filmes em alta definição, permitindo aos clientes criar a sua videoteca pessoal com filmes de alta qualidade. O número de clientes que subscrevia canais Premium aumentou em 32 mil ao longo do último ano para 835 mil, 13 mil dos quais subscrevendo os canais de cinema. É visível uma tendência sazonal na subscrição de canais Premium, dado que os desligamentos tendem a aumentar antes e durante o período de férias de Verão, verificando-se habitualmente uma retoma da adesão nos meses que antecedem o Natal Subscritores de canais Premium (milhares de subscritores) T07 2T07 3T07 4T07 1T08 2T08 3T08 O ambiente concorrencial na TV por Subscrição aumentou significativamente com o lançamento de uma oferta triple play concorrente na plataforma IPTV e DTH por parte do operador incumbente. O impacto negativo na base de clientes de TV por Subscrição da ZON foi sentido quase exclusivamente em áreas onde a ZON não está presente com a sua rede de cabo, nomeadamente regiões com menor população e PIB per capita. Nestas áreas a ZON oferece, actualmente, apenas soluções de TV por Subscrição single play através de DTH. ZON Multimédia Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. 6/16

7 Durante os 9M08, a base de clientes de TV por Subscrição reduziu em 8 mil clientes, para milhares, em resultado de uma diminuição líquida nos subscritores DTH e crescimento nos subscritores cabo. No entanto, em Setembro e Outubro sentiu-se já um abrandamento pronunciado no ritmo de perda de clientes de TV por Subscrição. Banda Larga Os subscritores de Banda Larga continuaram a crescer a um ritmo impressionante de 50,7 adições líquidas nos 9M08, registando o melhor crescimento trimestral dos últimos 3 anos com 20 mil adições líquidas no 3T08. No final dos 9M08, a ZON tinha 451 mil subscritores de Banda Larga, representando 41% da base de subscritores de cabo, valor que compara com 36% no final dos 9M Adições Líquidas Banda Larga (milhares de subscritores) T07 2T07 3T07 4T07 1T08 2T08 3T08 20 Os consumidores reconhecem que a ZON é o fornecedor de Banda Larga mais rápido e fiável em Portugal e que está na vanguarda no desenvolvimento de redes de nova geração. A ZON já tem ofertas de 30 Mbps disponíveis para qualquer subscritor na sua rede de cabo, e lançará uma oferta de 100 Mbps até final de O mercado de Banda Larga em Portugal também tem sido muito competitivo nos trimestres mais recentes. O principal efeito desta competitividade é reflectido pelos descontos consideráveis e promoções por parte de ofertas de base de gama ADSL e banda larga móvel. Para se posicionar com uma oferta competitiva neste segmento de mercado, a ZON lançou em Setembro um produto de base de 2Mbps com serviço de voz fixa pay-as-you-go por 14,99. No entanto, as adições brutas na Banda Larga estão a decorrer maioritariamente das ofertas de 4Mbps e 8 Mbps através dos nossos pacotes triple play ZON3. Voz A adesão ao serviço de Voz fixa da ZON continua a progredir a um ritmo muito forte, com 170,5 mil adições líquidas durante os 9M08, das quais 50,1 mil no 3T08. O número total de subscritores de Voz no final dos 9M08 era de 254 mil e destes, apenas 60 mil (menos de 25%) são subscritores de 2Play (TV + Voz), enquanto que o remanescente são clientes triple play (TV + Banda Larga + Voz). O serviço de Voz contribui em muito para aumentar o nível de penetração dos pacotes triple play, que é um elemento central da estratégia da ZON. As adições líquidas na Voz estão a decorrer maioritariamente dos produtos com tarifa flat fee ( 9,99 por mês por um pacote de chamadas fixas ilimitadas) com os produtos de voz fixa de base de gama a registarem uma adesão relativamente reduzida. ARPU Global Em resultado do maior número de serviços que os clientes subscrevem, e apesar do ambiente de preços mais competitivo para serviços individuais, a ZON continua a aumentar o nível médio de receita por subscritor. ZON Multimédia Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. 7/16

8 Nos 9M08, o ARPU Global registou um aumento anual de 3,7% para 31,8 euros nos 9M08 e de 3,5% para 32 euros no 3T08. Com o aumento da penetração dos serviços triple play, uma comparação directa da evolução trimestral dos ARPUs individuais por produto torna-se menos relevante devido ao aumento do peso dos pacotes de serviços. Rede Móvel 32,5 32,0 31,5 31,0 30,5 30,0 29,5 30,4 30,7 ARPU Global (euros) 30,9 31,0 31,6 31,8 32,0 1T07 2T07 3T07 4T07 1T08 2T08 3T08 O lançamento comercial da ZON Mobile teve lugar a 27 de Outubro com uma campanha de marketing a nível nacional, contudo, com particular enfoque nos clientes já existentes. A oferta móvel da ZON irá oferecer aos clientes um complemento aos serviços de TV por Subscrição, Banda Larga e Voz fixa já existentes e, quanto maior o número de serviços ZON subscritos, maior será o benefício para os clientes em termos de tarifas móveis. A ZON Mobile irá oferecer aos subscritores três grandes gamas de serviços: voz móvel pura (já lançada), e banda larga móvel e homezoning (a serem lançados no início de 2009). A oferta móvel da ZON está a ser vendida através de canais de distribuição de baixo custo, tais como lojas próprias, rede de agentes da ZON, e online em As primeiras ofertas são baseadas em pacotes pré-pagos de voz e SMS com preços muito simples e competitivos, em particular para quem já seja cliente ZON. As chamadas são tarifadas ao segundo, desde o primeiro segundo, sem que seja cobrado qualquer período inicial, sendo a tarifa única para todas as redes nacionais. Os clientes podem escolher entre dois planos de preços muito simples: Z- Simples (carregamento mensal mínimo de 12,5 euros) e Z-Livre (sem carregamentos mensais obrigatórios): Z-Simples Carregamento mensal obrigatório de 12,5 euros Z-Livre Sem carregamentos obrigatórios Chamada Voz 0,0025 /segundo 0,0040 /segundo SMS 0,09 0,12 Os preços são extremamente competitivos para os clientes ZON, com descontos que se traduzem em chamadas grátis e bónus nos carregamentos que podem ir até aos 60%, dependendo do número de serviços ZON subscritos. Para além disso, estas condições podem ser partilhadas com 5 subscritores por cada cliente ZON, o que significa que uma família inteira pode beneficiar de descontos de 60%. ZON Multimédia Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. 8/16

9 2.3 Serviço ao Cliente A melhoria do serviço ao cliente foi identificada como uma prioridade estratégica para a ZON em Como tal, uma quantidade significativa de tempo e recursos foi dedicada a aumentar quer o número, quer a formação de profissionais dos centros de atendimento telefónico, bem como a melhorar as plataformas técnicas e, de um modo abrangente, as condições dos próprios callcentres e processos. Em Julho de 2008 novas instalações de call-centre e plataformas de software foram inauguradas no norte de Portugal (Porto), oferecendo as melhores condições e ferramentas de trabalho às pessoas que lá trabalham diariamente, a maioria das quais, na equipa de serviço ao cliente. À semelhança do que aconteceu no Porto, todos os 900 funcionários do call-centre de Lisboa foram transferidos para um único local. 2.4 Rede e Casas Passadas A ZON continuou a investir na expansão da sua rede de cabo durante os 9M08, atingindo o número de 68,5 mil casas passadas adicionais (25,8 mil das quais no 3T08). Além de acelerar a sua cobertura geográfica, a ZON está também a investir tendo em vista o melhoramento da largura de banda e da eficiência da rede, com a implementação do Docsis 3.0 e o cellsplitting. Um piloto comercial com Docsis 3.0 já está em curso no centro de Lisboa e uma oferta comercial de 100 Mbps será lançada até final do ano. O empenho da ZON em estar na vanguarda das redes de nova geração é visível pelo facto de prever-se concluir a cobertura total da sua rede com o Docsis 3.0 antes do final de ,3 Casas Passadas (milhares de subscritores) , , , , , ,8 1T07 2T07 3T07 4T07 1T08 2T08 3T08 Casas Passadas Incremento Anual 2.5 Audiovisuais e Cinema A divisão de Cinema da ZON registou uma performance sólida nos 9M08, com um aumento anual das receitas na ordem dos 6,0% para 36 milhões de euros. O desempenho mais fraco que se registou no 2T08, devido ao período de Páscoa que se verificou mais cedo que o habitual em 2008, foi mais que compensada no 3T08 com uma recuperação nas receitas de 52,6% para 14 milhões de euros, assente êxitos de bilheteira como por exemplo Mamma Mia! e O Panda do Kung Fu. Reforçando ainda mais a liderança na inovação tecnológica, foram inauguradas 4 novas salas digitais, uma no 3T08 e as restantes três já no decurso do 4T08, aumentando o total de salas digitais para 23, de um total de 213 (206 no final dos 9M08). ZON Multimédia Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. 9/16

10 A divisão de Audiovisuais garantiu a distribuição exclusiva de alguns dos filmes mais vistos nos cinemas portugueses durante os 9M08 ( Mamma Mia!, O Panda do Kung Fu, Wall.E ); e na distribuição de home entertainment, a ZON Lusomundo obteve uma quota de mercado de 27,8% no 3T08, ao garantir a distribuição de êxitos como Call Girl, Pack O Padrinho e A História de Uma Abelha. Por conseguinte, as receitas deste negócio registaram um aumento anual de 2,6% para 44,6 milhões de euros nos 9M08, com um desempenho forte no 3T08, com as receitas a crescerem 8,2% face ao 3T Demonstração de Resultados Consolidados Tabela 4. Demonstração de Resultados (Milhões de Euros) Receitas de Exploração % % Tv por Subscrição, Banda Larga e Voz % % Audiovisuais % % Exibição Cinematográfica % % Outros e Eliminações (5.6) (7.1) 26.4% (16.1) (18.3) 13.7% Custos Operacionais, excluindo Amortizações % % Custos com Pessoal % % Custos Directos dos Serviços Prestados % % Custos com Programação % % Outros Custos Directos (1) (18.0%) (0.0%) Custos Comerciais (2) (2.0%) % Outros Custos Operacionais % % EBITDA (Resultado Operacional Antes de Amortizações) (3) % % Margem EBITDA 32.1% 33.2% 1.0pp 32.4% 32.6% 0.2pp Amortizações % % Resultado Operacional (4) (5.5%) % Outros Custos / (Proveitos) 6.0 (2.2) (136.6%) (90.1%) EBIT (Resultado Antes de Resultados Financeiros e Impostos) % % Custos / (Ganhos) Financeiros Líquidos % % Resultados Antes de Impostos e Interesses Minoritários (10.0%) (1.1%) Imposto Sobre o Rendimento (6.8) (6.7) (1.8%) (22.2) (22.0) (1.0%) Resultado das Operações Continuadas (14.6%) (1.1%) Interesses Minoritários (0.8) (0.7) (7.7%) (2.4) (3.0) 27.4% Resultado Consolidado Líquido (15.1%) (2.4%) (1) Outros Custos Directos incluem, essencialmente, Custos com Telecomunicações, royalties de Audiovisuais e Exibição Cinematográfica; e custos de partilha de receita de publicidade; (2) Custos Comerciais incluem Comissões, Marketing e Publicidade e Custos das Mercadorias Vendidas; (3) EBITDA = Resultado Operacional + Amortizações; (4) Resultado operacional = Resultado antes de Resultados Financeiros e Impostos + Custos com redução de efectivos + Imparidade do Goodwill ± Mais/Menos valias na Alienação de Imobilizado ± Outros Custos/Proveitos. 3T07 3T08 3T08 / 3T07 9M07 9M08 9M08 / 9M Receitas de Exploração As Receitas de Exploração cresceram 8,1% nos 9M08 para 570,4 milhões de euros. As receitas de TV por Subscrição, Banda Larga e Voz aumentaram 9% nos 9M08, apoiadas no forte crescimento de RGU, evolução saudável do ARPU e venda grossista de conteúdo e canais a outros operadores. O desempenho e vendas mais fracos que se fizeram sentir na área de Cinema e Audiovisuais no 2T08 foram invertidos, e no 3T08 as receitas destas divisões cresceram anualmente 12,6% e 8,2%, respectivamente. ZON Multimédia Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. 10/16

11 3.2 EBITDA O EBITDA atingiu 186,2 milhões de euros nos 9M08, um aumento de 8,9% desde 171 milhões de euros nos 9M07 e representando uma margem EBITDA de 32,6%. No 3T08 o EBITDA registou um aumento anual de 12,7%. Desde Janeiro de 2008 que a ZON tem vindo a implementar vários projectos tendo em vista o aumento da eficiência ao nível dos custos, que já permitiram poupanças consideráveis em áreas como TI, redes, serviço ao cliente e custos gerais e administrativos. O impacto destes projectos pode ser medido pelo rácio OPEX/RGU, que diminuiu 6,7% de 14,8 euros por mês nos 9M07 para 13,9 euros por mês nos 9M08. Destaca-se a implementação dos novos call centres e a internalização de pessoal e funções administrativas as quais estavam subcontratadas até 30 de Junho de 2008 gerando poupanças significativas. 3.3 Custos Operacionais Consolidados Os Custos com Pessoal foram de 36,1 milhões de euros nos 9M08, 19,4% mais elevados do que nos 9M07, devido, principalmente, à acima abordada internalização de funções (nomeadamente pessoal e funções administrativas) que estavam subcontratadas e a alterações organizacionais decorrentes do spin-off. No final dos 9M08, a ZON tinha funcionários, valor que compara com no final dos 9M07. Os Custos Directos aumentaram 8,8% para 177,5 milhões de euros nos 9M08, sendo que o item mais relevante foi o aumento anual de 12,5% dos Custos com Programação para 129,3 milhões de euros devido ao maior número de canais incluídos nas ofertas de TV por Subscrição ao longo dos 9M08 e ao crescimento da base de subscritores de canais Premium. Os Outros Custos Directos permaneceram estáveis nos 48,2 milhões de euros. No 3T08, estes custos registaram um decréscimo de 2,8 milhões de euros, em resultado de uma maior eficiência operacional e nos custos de interligação. Os Custos Comerciais cifraram-se em 42,8 milhões de euros, um aumento de 5,9% face aos 9M07, devido ao incremento da actividade comercial, que afectou as comissões pagas e os níveis de marketing e publicidade. Os Outros Custos Operacionais registaram um aumento de 4,1% para 127,7 milhões de euros. Dentro desta linha de custos as alterações mais significativas foram sentidas ao nível dos Fornecimentos e Serviços Externos, sobretudo devido ao aumento de activações de clientes e custos relacionados com o serviço ao cliente (+12,5% para 55,5 milhões de euros) e Provisões (+21,7% para 8,9 milhões de euros), principalmente como consequência do número mais elevado de RGUs (+16,1%). 3.4 Resultado Líquido O Resultado Consolidado Líquido cifrou-se em 50,9 milhões de euros nos 9M08, o que representa um decréscimo de 2,4% face aos 9M07. Apesar de o Resultado Operacional ter crescido 5,2% de 89,5 milhões de euros nos 9M07 para 94,1 milhões de euros nos 9M08, o acréscimo dos Custos Financeiros Líquidos (+8,3 milhões de euros) explica o ligeiro declínio de 2,4% do Resultado Consolidado Líquido. Uma comparação directa entre os dois períodos é distorcida por vários impactos não recorrentes: (i) ganhos no 2T07 de 2,2 milhões de euros (antes de impostos) devido à liquidação financeira de equity swaps; (ii) alteração na política de contabilização dos direitos de filmes na ZON Lusomundo, com um impacto negativo antes de impostos de 1,6 milhões de euros nos 9M08. ZON Multimédia Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. 11/16

12 As Amortizações de Imobilizado Corpóreo e Incorpóreo nos 9M08 foram de 92,1 milhões de euros, 13,1% mais elevadas que as que se registaram nos 9M07. O aumento resulta da amortização de uma base de activos maior devido quer a investimentos operacionais durante o ano, nomeadamente o aumento do CAPEX em equipamento terminal de clientes, quer a contratos de longo prazo de telecomunicações, satélite e conteúdos. Os Outros Custos ascenderam a 0,8 milhões de euros nos 9M08, o que compara com 7,6 milhões de euros nos 9M07, valor que resultou principalmente de perdas de 2,9 milhões de euros registadas em Menos Valias na Alienação de Activos (write-off de equipamento obsoleto explicado de forma detalhada na Divulgação de Resultados da ZON dos 9M07) e um custo de 3,5 milhões de euros relacionado com Custos com Redução de Efectivos. Os Custos Financeiros Líquidos nos 9M08 aumentaram para 17,4 milhões de euros, o que compara com 5,1 milhões de euros nos 9M07. A alteração resulta de uma combinação dos seguintes factores: (i) encargos com juros líquidos mais elevados em 8 milhões de euros, devido ao nível mais elevado de dívida média bruta e ao ambiente de taxas de juro mais elevadas; (ii) uma redução nos ganhos em activos financeiros explicada pelo facto de nos 9M07 ter sido gerado um ganho de 2,2 milhões de euros em activos financeiros com a liquidação de um acordo de equity swap e (iii) por nos 9M08 o Resultado Líquido da TVTel e da Parfitel ter sido registado como um Activo Financeiro (a aquisição destas empresas ainda está sujeita à aprovação final por parte da Autoridade da Concorrência), no montante negativo de aproximadamente 4 milhões de euros. O Imposto Sobre o Rendimento cifrou-se em 22 milhões de euros nos 9M08, uma redução de 1% em comparação com os 9M07, representando 29% do Resultado Líquido Antes de Impostos. Os Interesses Minoritários ascenderam a 3 milhões de euros; um aumento de 27,4% em comparação com os 9M07, e incluem sobretudo os lucros atribuíveis a accionistas minoritários na Cabo TV Madeirense, S.A., Cabo TV Açoreana, S.A. e Pro Share. 4. CAPEX e Cash Flow 4.1 CAPEX Tabela 5. CAPEX (Milhões de Euros) 3T07 3T08 3T08 / 9M08 / 9M07 9M08 3T07 9M07 Infra-estrutura TV por Subscrição, Banda Larga e Voz % % Equipamento Terminal % % Outros % % CAPEX Recorrente % % Contratos de Longo Prazo n.a n.a. Outros Itens Não Recorrentes n.a n.a. CAPEX Total % % ZON Multimédia Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. 12/16

13 O CAPEX Recorrente nos 9M08 foi de 96,5 milhões de euros, 16,9% das Receitas de Exploração, representando um aumento de 50,4% face aos 9M07. O nível mais elevado de CAPEX Recorrente é explicado principalmente pelo investimento significativamente mais elevado em equipamento terminal, nomeadamente as novas ZON Box, que são capitalizadas e amortizadas ao longo de um período médio de 3 anos, e também equipamento terminal de Triple Play para acompanhar o crescimento no número de subscritores. Os Outros Itens Não Recorrentes incluídos no CAPEX Total estão maioritariamente relacionados com a aquisição de um sistema ERP da SAP no 2T08, incluindo licenças e actualizações, que ascendeu a 7,5 milhões de euros. Tabela 6. Cash Flow (Milhões de Euros) 3T07 3T08 3T08 / 3T07 9M07 9M08 9M08 / 9M07 EBITDA Menos CAPEX (35.7%) (26.4%) Itens Não Monetários Incluídos no EBITDA (1) n.a n.a. Variação do Fundo de Maneio (14.0) 5.9 (142.0%) (12.9) (64.9) n.a. Cash flow operacional % (75.5%) Juros Pagos (Líquidos) (3.4) (0.7) (79.4%) (4.6) (4.1) (12.4%) Impostos Sobre o Rendimento (1.4) (1.6) 13.4% (2.4) (3.3) 39.0% Liquidação Financeira de Equity Swap n.a (100.0%) Contratos de Longo Prazo (14.3) (4.0) (72.1%) (34.2) (90.5) 164.5% Aquisições de Investimentos Financeiros 0.0 (15.7) n.a. 0.0 (32.4) n.a. Aquisição de Acções Próprias 0.0 (31.9) n.a. 0.0 (83.4) n.a. Dividendos Pagos n.a. (95.3) (153.2) 60.7% Outros Movimentos (6.5) 1.0 (115.9%) (4.2) 6.2 (247.9%) Free Cash-Flow (5.7) (21.6) 279.3% (44.6) (337.6) n.a. (1) Este item inclui essencialmente provisões non-.cash incluídas no EBITDA. O Cash Flow Operacional foi positivo em 23,1 milhões de euros nos 9M08, representando um decréscimo de 71 milhões de euros face aos 9M07. A Variação do Fundo de Maneio de 64,2 milhões de euros durante os 9M08 reflecte a inversão durante o 1S08 da Variação do Fundo de Maneio negativa de 72 milhões de euros no 4T07. No 3T08, a Variação do Fundo de Maneio registou um nível mais normalizado, cifrando-se em 5,9 milhões de euros negativos. O Cash Flow Operacional total ascendeu a 31,2 milhões de euros. O Free Cash Flow foi negativo em 337,6 milhões de euros. Os principais itens que contribuíram para o FCF e que explicam a variação na Dívida Líquida foram: (i) a aquisição de acções próprias no âmbito do Programa de Recompra de Acções Próprias (83,4 milhões de euros); (ii) pagamento de dividendos (153,2 milhões de euros); (iii) pagamentos relacionados com compromissos de longo prazo registados no Balanço Consolidado, nomeadamente de contratos de telecomunicações, transponders e conteúdos (91 milhões de euros); (iv) aquisição de uma participação de 20% na TVTel no 1T08 (16,8 milhões de euros); (v) aquisição no 3T08 de uma participação de 20% na Parfitel (5,9 milhões de euros) e 100% dos Empréstimos de Accionistas da Parfitel (9,8 milhões de euros). A aquisição dos restantes 80% de ambas as empresas está sujeita à aprovação final da transacção por parte da Autoridade da Concorrência, e subsequente exercício de uma call option junto do Caixa Banco de Investimento. No 3T08, o Cash Flow Operacional ascendeu a 31,2 milhões de euros. No entanto, o Free Cash Flow Total foi negativo (em 21,6 milhões de euros) devido à aquisição de acções próprias (31,9 milhões de euros) e à aquisição da participação na Parfitel tal como já foi referido. ZON Multimédia Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. 13/16

14 5. Balanço Consolidado Tabela 7. Balanço Consolidado (Milhões de Euros) S08 9M08 Activo Corrente Caixa e Equivalentes de Caixa Contas a Receber Existências Impostos a Recuperar Custos Diferidos e Outros Activos Correntes Activo não Corrente Investimentos em Empresas Participadas Activos Intangíveis Activos Tangíveis Activos por Impostos Diferidos Outros Activos não Correntes Total do Activo , ,359.2 Passivo Corrente Dívida de Curto Prazo Contas a Pagar Acréscimos de Custos Proveitos Diferidos Impostos a Pagar Provisões e Outros Passivos Correntes Passivo Não Corrente Dívida de Médio e Longo Prazo Provisões e Outros Passivos não Correntes Total do Passivo ,158.8 Capital Próprio antes de Interesses Minoritários Capital Social Acções Próprias 0.0 (51.4) (83.4) Reservas e Resultados Transitados Resultado Líquido Interesses Minoritários Capital Próprio Total do Passivo e Capital Próprio , , Estrutura de Capital A 30 de Setembro de 2008, a Dívida Financeira Líquida era de 361,1 milhões de euros, representando um aumento de 21,6 milhões de euros durante o 3T08, explicada na secção anterior de Free Cash Flow (tabela 6). A dívida financeira é representada sobretudo por papel comercial com maturidades de 1, 2, 3 e 5 anos e por acordos de equity swap (que ascendem a 77,9 milhões de euros) utilizados para financiar o Programa de Recompra de Acções Próprias, o qual ascendia a 83,4 milhões de euros. Das linhas de papel comercial existentes, 200 milhões de euros foram renegociados em Outubro de 2008, aumentando assim a maturidade média da nossa Dívida Financeira Líquida para 2,58 anos. ZON Multimédia Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. 14/16

15 O Rácio de Alavancagem Financeira (Net Gearing) (Dívida Financeira Líquida / Dívida Financeira Líquida + Capital Próprio) no final dos 9M08 era de 64,3% e o rácio Dívida Financeira Líquida / EBITDA (últimos 12 meses) atingia as 1,5x. A Dívida Líquida Total incorpora compromissos com contratos de longo prazo registadas como Passivo no Balanço Consolidado, dos quais os mais relevantes são contratos de longo prazo de telecomunicações, transponders e conteúdos. Tabela 8. Dívida Financeira Líquida (Milhões de Euros) S08 9M08 Dívida de Curto Prazo Empréstimos Bancários e Outros Locações Financeiras Dívida de Médio e Longo Prazo Empréstimos Bancários Locações Financeiras Dívida Total Caixa e Equivalentes de Caixa Dívida Financeira Líquida Rácio de Alavancagem Financeira (1) 5.8% 60.5% 64.3% Dívida Financeira Líquida / EBITDA (2) 0.1x 1.5x 1.5x (1) Rácio de Alavancagem Financeira = Dívida Financeira Líquida / (Dívida Financeira Líquida + Capital Próprio). (2) O EBITDA utilizado neste cálculo é correspondente aos últimos 12 meses. 6. Remuneração Accionista Programa de Recompra de Acções Próprias: Em Março, a ZON começou a comprar acções próprias no âmbito do Programa de Recompra de Acções Próprias anteriormente anunciado. No final de Setembro, a ZON tinha comprado um total de acções, representando 4,16% do capital social, das quais acções foram adquiridas ao abrigo de acordos de equity swap estabelecidos com instituições financeiras. Como tal, em 30 de Setembro o capital social da ZON era representado por acções, e o número total de acções representativas dos direitos de voto da ZON ascendia a acções. São publicados regularmente comunicados detalhados relacionados com este Programa, que podem ser encontrados no website institucional em ZON Multimédia Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. 15/16

16 7. Aviso Legal Com excepção dos dados históricos apresentados, o presente documento inclui algumas previsões e expectativas sobre a evolução futura dos negócios da sociedade e a sua situação económica e financeira que não envolvem qualquer garantia sobre resultados futuros. As previsões e expectativas aqui incluídas estão sujeitas a um conjunto de factores, riscos e incertezas que poderão provocar alterações substanciais nos pressupostos utilizados na elaboração de tais previsões ou nas expectativas e nas previsões aqui incluídas. Tais factores, riscos e incertezas incluem, entre outros, a contínua e crescente utilização pelos clientes dos serviços da sociedade, as evoluções tecnológicas, os efeitos da concorrência, as condições do sector das telecomunicações, as alterações na regulação, as condições económicas. As previsões sobre eventos futuros são naturalmente baseadas em expectativas actuais ou em opiniões razoáveis da gestão à data em que são produzidas. A ZON Multimédia não assume qualquer obrigação de actualizar a informação ou as previsões constantes deste documento nem de justificar as razões pelas quais os resultados reais venham a diferir dos planos, objectivos, estimativas, intenções, expressas ou implícitas nestas previsões. Este documento não é uma oferta para venda nem uma solicitação de uma oferta para compra de quaisquer valores mobiliários. A ZON Multimédia não está obrigada a submeter informação periódica junto da Securities and Exchange Commission ( SEC ), nos Estados Unidos da América, de acordo com o disposto na Rule 12g3-2(b) ao abrigo do Securities Exchange Act of 1934, na sua versão actualizada. O registo junto da SEC da excepção aplicável à ZON Multimédia corresponde ao n.º Ao abrigo desta excepção, a ZON Multimédia deve colocar no respectivo website versões ou sumários em língua Inglesa da informação que tenha divulgado ou esteja obrigada a divulgar ao mercado em Portugal, que tenha submetido ou esteja obrigada a submeter junto do mercado regulamentado Eurolist by Euronext Lisbon ou que tenha distribuído ou seja obrigada a distribuir aos titulares dos respectivos valores mobiliários. 8. Contactos Chief Financial Officer José Pedro Pereira da Costa Tel.: Analistas/Investidores Maria João Carrapato Tel.: Imprensa Paulo Camacho / Irene Luís Tel.: Conference call agendada para as 09h00 GMT Número de Identificação da Conference call: Portugal (Chamada Grátis): UK Standard International: +44 (0) Número de Acesso ao Encore Replay: # Nº Internacional: +44 (0) Nº UK: Nº USA: ZON Multimédia Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. 16/16

1. Destaques Operacionais e Financeiros... 3. 2. Evolução do Negócio... 5. 3. Demonstração de Resultados Consolidados... 10

1. Destaques Operacionais e Financeiros... 3. 2. Evolução do Negócio... 5. 3. Demonstração de Resultados Consolidados... 10 Índice 1. Destaques Operacionais e Financeiros... 3 2. Evolução do Negócio... 5 3. Demonstração de Resultados Consolidados... 10 4. Capex e Cash Flow... 12 5. Balanço Consolidado... 14 6. Remuneração Accionista...

Leia mais

ZON MULTIMÉDIA SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES E MULTIMÉDIA SGPS, SA RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE 2009 31 DE JULHO DE 2009

ZON MULTIMÉDIA SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES E MULTIMÉDIA SGPS, SA RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE 2009 31 DE JULHO DE 2009 ZON MULTIMÉDIA SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES E MULTIMÉDIA SGPS, SA RESULTADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE 2009 31 DE JULHO DE 2009 1. DESTAQUES DO 1S09 EXCELENTE DESEMPENHO OPERACI PERACIONAL NUM MERCADO EXTREMAMENTE

Leia mais

01. Destaques Operacionais e Financeiros... 3. 02. Evolução do Negócio... 6. 03. Demonstração de Resultados Consolidados... 11

01. Destaques Operacionais e Financeiros... 3. 02. Evolução do Negócio... 6. 03. Demonstração de Resultados Consolidados... 11 Índice 01. Destaques Operacionais e Financeiros... 3 02. Evolução do Negócio... 6 03. Demonstração de Resultados Consolidados... 11 04. Capex e Cash Flow... 14 05. Balanço Consolidado... 16 06. Remuneração

Leia mais

1.DESTAQUES 9M10 RECEITAS E EBITDA A CRESCER MUITO ACIMA DA MÉDIA DO SECTOR CONTINUAÇÃO DO FORTE DESEMPENHO OPERACIONAL

1.DESTAQUES 9M10 RECEITAS E EBITDA A CRESCER MUITO ACIMA DA MÉDIA DO SECTOR CONTINUAÇÃO DO FORTE DESEMPENHO OPERACIONAL 1.DESTAQUES 9M10 Tabela 1. Destaques 9M10 9M09 9M10 9M10 / 9M09 Operacionais ('000) Clientes de Triple Play 435.9 603.5 38.4% % Clientes Cabo com Triple Play 36.9% 51.9% 15.0pp RGUs (1) 2,772.2 3,076.5

Leia mais

Resultados 1º Semestre _ 2006

Resultados 1º Semestre _ 2006 Resultados 1º Semestre _ 2006 Comunicado Portugal Telecom Índice 01 Destaques financeiros 4 02 Destaques operacionais 6 03 Demonstração de resultados consolidados 9 04 Capex 17 05 Cash flow 18 06 Balanço

Leia mais

2008 Crescimento líquido de RGUs de 144,4 mil no 4T08 100 mil ZON Boxes instaladas

2008 Crescimento líquido de RGUs de 144,4 mil no 4T08 100 mil ZON Boxes instaladas ZON Multimédia Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Av. 5 de Outubro, n.º 208, Lisboa Capital Social: 3.090.968,28 Euros Número de Matrícula na Conservatória do

Leia mais

Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014

Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014 Resultado Líquido da Reditus aumenta 57,7% no 1º semestre de 2014 Proveitos Operacionais de 60,8 milhões de euros (+ 8,1%) EBITDA de 5,6 milhões de euros (+ 11,1%) Margem EBITDA 9,2% (vs. 8,9%) Resultado

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 COMUNICADO Página 1 / 9 RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 09 de Setembro de 2005 (Os valores apresentados neste comunicado reportam-se ao primeiro semestre de 2005, a não ser quando especificado

Leia mais

PT Multimedia Anuncia Resultados Auditados Relativos a 2005

PT Multimedia Anuncia Resultados Auditados Relativos a 2005 FACTO RELEVANTE PT- Multimédia Serviços de Telecomunicações e Multimédia, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Av. 5 de Outubro, n.º 208, Lisboa Capital Social: Euros 77.274.207 Matriculada na Conservatória

Leia mais

Divulgação de Resu l tados

Divulgação de Resu l tados Divulgação de Resu l tados Forte crescimento em todos os serviços core de telecomunicações, aceleração das tendências positivas nos indicadores financeiros Pela primeira vez desde o 4T12, a base de clientes

Leia mais

First Quarter 2009. Primeiro Semestre 2009

First Quarter 2009. Primeiro Semestre 2009 First Quarter 2009 Earnings Release Primeiro Semestre 2009 Resultados 6 Agosto 2009 01 Comunicado 30 Junho 2009 Portugal Telecom, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Avenida Fontes Pereira de Melo, 40, Lisboa

Leia mais

Relatório e contas consolidadas Primeiro semestre 2008

Relatório e contas consolidadas Primeiro semestre 2008 Relatório e contas consolidadas Primeiro semestre 2008 Sociedade aberta - Avenida Fontes Pereira de Melo, 40 1069-300 Lisboa - Capital social: 28.277.855,31 euros Matrícula na Conservatória do Registo

Leia mais

Portugal Telecom. Apresentação de Resultados Resultados do 1º Trimestre. 18 Maio 2006

Portugal Telecom. Apresentação de Resultados Resultados do 1º Trimestre. 18 Maio 2006 Portugal Telecom Apresentação de Resultados Resultados do 1º Trimestre 18 Maio 2006 Safe Harbour A presente release contém objectivos acerca de eventos futuros, de acordo com o U.S. Private Securities

Leia mais

SONAECOM RESULTADOS 1º TRIMESTRE 2007 JANEIRO - MARÇO

SONAECOM RESULTADOS 1º TRIMESTRE 2007 JANEIRO - MARÇO SONAECOM RESULTADOS 1º TRIMESTRE 2007 JANEIRO - MARÇO Índice 1. Mensagem de Paulo Azevedo, CEO da Sonaecom...2 2. Principais indicadores...4 3. Resultados consolidados...5 3.1. Demonstração de resultados

Leia mais

1º Semestre 2008. Resultados. Portugal Telecom

1º Semestre 2008. Resultados. Portugal Telecom 1º Semestre 2008 Resultados Portugal Telecom Comunicado Portugal Telecom, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Avenida Fontes Pereira de Melo, 40, Lisboa Capital Social: 28.277.855,31 euros Matriculada na

Leia mais

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL (Não Auditada) Sede: R. GENERAL NORTON DE MATOS, 68, PORTO NIPC: 502 293 225

INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL (Não Auditada) Sede: R. GENERAL NORTON DE MATOS, 68, PORTO NIPC: 502 293 225 INFORMAÇÃO TRIMESTRAL INDIVIDUAL (Não Auditada) Empresa: COFINA, SGPS, S.A. Sede: R. GENERAL NORTON DE MATOS, 68, PORTO NIPC: 502 293 225 Período de referência: Valores em Euros 1º Trimestre 3º Trimestre

Leia mais

II. Produtos e Rede Luís Lopes, Administrador. Investor Day Lisboa, 17 de Janeiro 2008

II. Produtos e Rede Luís Lopes, Administrador. Investor Day Lisboa, 17 de Janeiro 2008 II. Produtos e Rede Luís Lopes, Administrador Investor Day Lisboa, 17 de Janeiro 2008 DISCLAIMER Esta apresentação contem declarações relativas ao futuro ( forward looking statements ), incluindo declarações

Leia mais

RELEASE. Portugal Telecom Resultados do 1º Semestre de 2005

RELEASE. Portugal Telecom Resultados do 1º Semestre de 2005 RELEASE Portugal Telecom Resultados do 1º Semestre de 2005 Lisboa, 15 de Setembro de 2005 A Portugal Telecom divulgou hoje os resultados auditados relativos ao primeiro semestre de 2005. No primeiro semestre

Leia mais

Resultados Anuais _ 2005

Resultados Anuais _ 2005 Resultados Anuais _ 2005 Facto Relevante Portugal Telecom Índice 01 Destaques financeiros 4 02 Destaques operacionais 7 03 Demonstração de resultados consolidados 10 04 Capex 18 05 Cash flow 19 06 Balanço

Leia mais

Conclusão da Fusão no dia 27 de agosto e eleição da nova Equipa de Gestão no dia 1 de outubro;

Conclusão da Fusão no dia 27 de agosto e eleição da nova Equipa de Gestão no dia 1 de outubro; 1 Destaques Tabela 1. Destaques 3T13 3T12 3T13 3T13 / 3T12 9M12 9M13 9M13 / 9M12 Destaques Operacionais Conjuntos ZON OPTIMUS (000') RGUs 7,349.6 7,266.3 (1.1%) 7,349.6 7,266.3 (1.1%) Acessos de TV 1,611.4

Leia mais

3. Oferta de produtos e serviços ZON

3. Oferta de produtos e serviços ZON AGENDA 1. A Empresa e a sua história 2. Contexto do mercado de Telecomunicações e Entretenimento em Portugal 3. Oferta de produtos e serviços ZON 4. Novos projectos e iniciativas estratégicas 12 REDE AVANÇADA

Leia mais

Divulgação de Resu l tados

Divulgação de Resu l tados Divulgação de Resu l tados CRESCIMENTO INTENSO, SUPORTADO POR UM FORTE INVESTIMENTO, IMPULSIONA O DESEMPENHO OPERACIONAL E A ACELERAÇÃO DA INVERSÃO DE TENDÊNCIAS FINANCEIRAS RESULTADOS CONSOLIDADOS Aceleração

Leia mais

02 _ Evolução dos negócios

02 _ Evolução dos negócios 02 _ Evolução dos negócios 30 Mercado doméstico 30 Rede fixa 34 Móvel Portugal TMN 38 Mercado internacional 38 Móvel Brasil Vivo 42 Outros negócios internacionais Portugal Telecom Relatório e contas consolidadas

Leia mais

Portugal Telecom Resultados dos Primeiros Nove Meses de 2005

Portugal Telecom Resultados dos Primeiros Nove Meses de 2005 RELEASE Portugal Telecom Resultados dos Primeiros Nove Meses de 2005 Lisboa, 2 de Novembro de 2005 A Portugal Telecom divulgou hoje os resultados não auditados relativos aos primeiros nove meses de 2005.

Leia mais

01 _ Evolução dos negócios

01 _ Evolução dos negócios 01 _ Evolução dos negócios 14 Mercado doméstico 14 Rede fixa 20 Móvel Portugal TMN 24 Multimédia PT Multimédia 28 Mercado internacional 28 Móvel Brasil Vivo 32 Outros negócios internacionais 01 _ Evolução

Leia mais

DADOS CHAVE. anexo, que estão de acordo com as regras Portuguesas de contabilidade.

DADOS CHAVE. anexo, que estão de acordo com as regras Portuguesas de contabilidade. PT MULTIMÉDIA.Com - Serviços de Acesso à Internet, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Avenida 5 de Outubro, nº. 206-2º., Lisboa Capital Social: 196.381.518,50 Euros Matriculada na Conservatória do Registo

Leia mais

Portugal Telecom. Relatório e contas consolidadas Primeiro semestre 2007

Portugal Telecom. Relatório e contas consolidadas Primeiro semestre 2007 Portugal Telecom Relatório e contas consolidadas Primeiro semestre 2007 Portugal Telecom, SGPS, SA Sociedade aberta Capital social 33.865.695 euros Matrícula na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa

Leia mais

Portugal Telecom Resultados do 1º Semestre de 2001

Portugal Telecom Resultados do 1º Semestre de 2001 Portugal Telecom Resultados do 1º Semestre de 2001 13 de Setembro de 2001 Princípios Contabilísticos Internacionais Síntese do 1º Semestre de 2001 Principais Acontecimentos do 1º Semestre Forte liderança

Leia mais

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua do General Norton de Matos, 68, r/c Porto Pessoa Colectiva Número 502 293 225 Capital Social: 25.641.459 Euros Informação financeira do exercício de 2014 (não

Leia mais

Earnings Release. Press Release. Resultados anuais 2012. 28 de fevereiro de 2013

Earnings Release. Press Release. Resultados anuais 2012. 28 de fevereiro de 2013 2009 Earnings Release Resultados anuais 2012 Press Release 28 de fevereiro de 2013 01 Comunicado Lisboa, Portugal, 28 de fevereiro de 2013 A Portugal Telecom é um operador geograficamente diversificado,

Leia mais

PRIMEIRO SEMESTRE RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADAS. Portugal Telecom

PRIMEIRO SEMESTRE RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADAS. Portugal Telecom 2005 PRIMEIRO SEMESTRE RELATÓRIO E CONTAS CONSOLIDADAS Portugal Telecom A nossa Empresa A Portugal Telecom é um operador integrado de telecomunicações e multimédia, líder nos seus dois mercados estratégicos:

Leia mais

Mercados & Reguladores duas faces da mesma moeda Manuel Rosa da Silva Administrador Executivo

Mercados & Reguladores duas faces da mesma moeda Manuel Rosa da Silva Administrador Executivo Financiamento das Telecoms Mercados & Reguladores duas faces da mesma moeda Manuel Rosa da Silva Administrador Executivo III Forum Telecom & Media Diário Económico Lisboa, 22 de Setembro 2004 Agenda Wall

Leia mais

Primeiro Semestre 2013. Relatório e Contas Consolidadas

Primeiro Semestre 2013. Relatório e Contas Consolidadas Primeiro Semestre 2013 Relatório e Contas Consolidadas Portugal Telecom 01 Análise dos resultados consolidados 4 02 Análise operacional 16 Portugal 16 Mercado internacional 25 03 Recursos humanos 31 04

Leia mais

Earnings Release. Portugal Telecom. Relatório e contas consolidadas. Primeiro trimestre de 2013

Earnings Release. Portugal Telecom. Relatório e contas consolidadas. Primeiro trimestre de 2013 2009 Earnings Release Portugal Telecom Relatório e contas consolidadas Primeiro trimestre de 2013 Portugal Telecom Relatório e contas consolidadas Primeiro trimestre de 2013 01 Análise dos resultados consolidados

Leia mais

Nova estrutura organizacional implementada desde o final do ano, estando em curso o processo de restruturação;

Nova estrutura organizacional implementada desde o final do ano, estando em curso o processo de restruturação; Resultados Consolidados de 2013 Tabela 1. Destaques 2013 2012 2013 2013 / 2012 Destaques Financeiros Receitas de Exploração 1,473.7 1,426.8 (3.2%) EBITDA 541.4 536.6 (0.9%) Margem EBITDA 36.7% 37.6% 0.9pp

Leia mais

Resultados Consolidados a 30 de Junho de 2010 Informação Privilegiada (IFRS/IAS)

Resultados Consolidados a 30 de Junho de 2010 Informação Privilegiada (IFRS/IAS) Resultados Consolidados a 30 de Junho de 2010 Informação Privilegiada (IFRS/IAS) Volume de Negócios: 122,8 M (119,9 M em 6M09) 28 de Julho de 2010 1. Indicadores Chave O volume de negócios e o EBITDA apresentados

Leia mais

Grupo. Negócios. Rede Fixa. Serviço fixo de telefone

Grupo. Negócios. Rede Fixa. Serviço fixo de telefone Negócios do Grupo Rede Fixa Os proveitos operacionais dos negócios de rede fixa situaram-se em ıı49 milhões de euros no primeiro semestre de 2003, uma redução de 5,7% face a igual período do ano anterior,

Leia mais

3T12 TRADING UPDATE 0

3T12 TRADING UPDATE 0 TRADING UPDATE Lisboa, 8 novembro 2012 0 Aviso importante O presente comunicado contém objetivos acerca de eventos futuros, de acordo com o U.S. Private Securities Litigation Reform Act de 1995. Tais objetivos

Leia mais

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta

COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta COFINA, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua do General Norton de Matos, 68, r/c Porto Pessoa Colectiva Número 502 293 225 Capital Social: 25.641.459 Euros Informação financeira do terceiro trimestre

Leia mais

Destaques 1T14 1T13 4T13 1T14 1T14 / 4T13 1T14 / 1T13

Destaques 1T14 1T13 4T13 1T14 1T14 / 4T13 1T14 / 1T13 Destaques do 1T14 Tabela 1. Destaques 1T14 1T13 4T13 1T14 1T14 / 4T13 1T14 / 1T13 Destaques Operacionais RGUs Totais 7,295.4 7,213.0 7,215.2 0.0% (1.1%) RGUs Convergentes 0.0 212.4 555.8 161.6% n.a. %

Leia mais

Resultados do 1º trimestre de 2015

Resultados do 1º trimestre de 2015 Resultados do 1º trimestre de 2015 Grupo Media Capital, SGPS, S.A. 11º ano de liderança Liderança em Grupo de canais Número um no digital Novos conteúdos na área da ficção e entretenimento: A Única Mulher,

Leia mais

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014.

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014. Resultados 3T14_ Novembro de 2014. Disclaimer Esta apresentação pode conter declarações baseadas em estimativas a respeito dos prospectos e objetivos futuros de crescimento da base de assinantes, um detalhamento

Leia mais

COMUNICADO 9M 2015 COMUNICADO 9M 2015. (Contas não auditadas)

COMUNICADO 9M 2015 COMUNICADO 9M 2015. (Contas não auditadas) COMUNICADO 9M 2015 (Contas não auditadas) 30 novembro 2015 1 1. EVOLUÇÃO DOS NEGÓCIOS 1.1. ÁREA FINANCEIRA A Área Financeira do Grupo concentra as atividades financeiras, incluindo a Orey Financial e as

Leia mais

COFINA, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta

COFINA, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta COFINA, S.G.P.S., S.A. Sociedade Aberta Sede: Rua do General Norton de Matos, 68, r/c Porto Pessoa Colectiva Número 502 293 225 Capital Social: 25.641.459 Euros EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE NO ANO DE 2006 Após

Leia mais

Telefônica Brasil Estratégia Segmentada para Maximizar Geração de Valor. Novembro de 2013.

Telefônica Brasil Estratégia Segmentada para Maximizar Geração de Valor. Novembro de 2013. Telefônica Brasil Estratégia Segmentada para Maximizar Geração de Valor Novembro de 2013. Continuamos evoluindo em nosso esforço de integração... Espaço TI Atenção ao Cliente Contratos Unificação e renegociação

Leia mais

Proveitos Operacionais da Reditus aumentam 12% no primeiro semestre de 2011

Proveitos Operacionais da Reditus aumentam 12% no primeiro semestre de 2011 Proveitos Operacionais da Reditus aumentam 12% no primeiro semestre de 2011 Proveitos Operacionais de 55,8 milhões EBITDA de 3,1 milhões Margem EBITDA de 5,6% EBIT de 0,54 milhões Resultado Líquido negativo

Leia mais

Comunicado de Resultados

Comunicado de Resultados Comunicado de Resultados Resultados Consolidados 30 de Junho de 2007 Sonae Distribuição S.G.P.S., SA Em destaque A Sonae Distribuição apresentou ao longo do primeiro semestre de 2007 um crescimento de

Leia mais

Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta

Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Av. Fontes Pereira de Melo, 14 10º -1050-121 Lisboa Capital Social: 118.332.445 Euros - NIPC e Mat. na C.R.C. de Lisboa sob

Leia mais

First Quarter 2009. Earnings Release. Primeiro Trimestre 2010 Press Release

First Quarter 2009. Earnings Release. Primeiro Trimestre 2010 Press Release First Quarter 2009 Earnings Release Primeiro Trimestre 2010 Press Release 6 de Maio 2010 01 Comunicado 31 de Março de 2010 Lisboa, Portugal, 6 de Maio de 2010 No 1T10, as receitas operacionais consolidadas

Leia mais

Grupo Reditus reforça crescimento em 2008

Grupo Reditus reforça crescimento em 2008 Grupo Reditus reforça crescimento em 2008 Nota Prévia Os resultados reportados oficialmente reflectem a integração do Grupo Tecnidata a 1 de Outubro de 2008, em seguimento da assinatura do contrato de

Leia mais

Resultados 1ºTrimestre 2009

Resultados 1ºTrimestre 2009 Informação Privilegiada Resultados 1ºTrimestre 2009 Estabilidade de Resultados Operacionais As contas apresentadas são não auditadas, consolidadas e reportadas em International Financial Reporting Standards

Leia mais

Comunicado. Resultados Anuais de 2006 (Não Auditados) Portugal Telecom

Comunicado. Resultados Anuais de 2006 (Não Auditados) Portugal Telecom Comunicado Resultados Anuais de 2006 (Não Auditados) Portugal Telecom Destaques Financeiros Portugal Telecom, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Avenida Fontes Pereira de Melo, 40, Lisboa Capital Social:

Leia mais

TIM Participações S.A. Resultados do 1T06. 5 de Maio de 2006

TIM Participações S.A. Resultados do 1T06. 5 de Maio de 2006 TIM Participações S.A. Resultados do 5 de Maio de 2006 1 Principais realizações Desempenho do Mercado Desempenho Financeiro 2 Status da Reestruturação Corporativa Principais realizações Melhorando a Estrutura

Leia mais

COMUNICADO RESULTADOS TRIMESTRAIS (Não auditados) 28 de Maio de 2015

COMUNICADO RESULTADOS TRIMESTRAIS (Não auditados) 28 de Maio de 2015 COMUNICADO RESULTADOS TRIMESTRAIS (Não auditados) 28 de Maio de 2015 Sociedade Comercial Orey Antunes, S.A. Sociedade Aberta Rua Carlos Alberto da Mota Pinto, nº 17 6A, 1070-313 Lisboa Portugal Capital

Leia mais

31. A DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA

31. A DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA 31. A DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA A demonstração de fluxos de caixa é um mapa de fluxos que releva a entradas e as saídas de caixa, durante um exercício. A Demonstração de fluxos de caixa é estruturada

Leia mais

Relatório e Contas Consolidadas

Relatório e Contas Consolidadas Relatório e Contas Consolidadas 2006 Este documento substitui o anteriormente divulgado no dia 27 de Março de 2007 Sociedade aberta - Avenida Fontes Pereira de Melo, 40 1069-300 Lisboa - Capital social:

Leia mais

Destaques do trimestre

Destaques do trimestre Resultados 3T12 Destaques do trimestre 1 Empresa integrada é líder no índice de satisfação do cliente 2 Líder indiscutível nos segmentos de maior receita com foco na geração de valor 3 Melhora sequencial

Leia mais

Primeiro Trimestre 2013

Primeiro Trimestre 2013 2009 Earnings Release Primeiro Trimestre 2013 Press Release 23 de maio de 2013 01 Comunicado Lisboa, Portugal, 23 de maio de 2013 No 1T13, as receitas operacionais consolidadas ascenderam a 1.553 milhões

Leia mais

0. MENSAGEM DO CEO. Cláudia Azevedo. Sonae Capital, SGPS, SA Comunicado de Resultados 1T14 Pag. 2

0. MENSAGEM DO CEO. Cláudia Azevedo. Sonae Capital, SGPS, SA Comunicado de Resultados 1T14 Pag. 2 COMUNICADO DEE RESULTADOS 31 MARÇO 2014 0. MENSAGEM DO CEO Durante o ano de 2013, o Grupo Sonae Capital procedeu a uma profunda reflexão estratégica no sentido de definir o seu posicionamento actual, as

Leia mais

SONAECOM DIVULGA RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2003 (NÃO AUDITADOS).

SONAECOM DIVULGA RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2003 (NÃO AUDITADOS). SONAECOM DIVULGA RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2003 (NÃO AUDITADOS). (Tradução de versão original em Inglês) Todas as contas apresentadas estão de acordo com as normas internacionais de contabilidade

Leia mais

Enquadramento Página 1

Enquadramento Página 1 No âmbito do processo de adopção plena das Normas Internacionais de Contabilidade e de Relato Financeiro ("IAS/IFRS") e de modo a apoiar as instituições financeiras bancárias ("instituições") neste processo

Leia mais

COMUNICADO 1S 2015. COMUNICADO 1S 2015 (Contas não auditadas)

COMUNICADO 1S 2015. COMUNICADO 1S 2015 (Contas não auditadas) COMUNICADO 1S 2015 (Contas não auditadas) 31 agosto 2015 1. EVOLUÇÃO DOS NEGÓCIOS 1.1. ÁREA FINANCEIRA A Área Financeira do Grupo concentra as atividades financeiras, incluindo a Orey Financial, e as suas

Leia mais

Primeiro Trimestre 2011

Primeiro Trimestre 2011 2009 Earnings Release Primeiro Trimestre 2011 Press Release 26 de maio de 2011 01 Comunicado Lisboa, 26 de maio de 2011 Em resultado da transação da Vivo em 27 de setembro de 2010, a PT ajustou as suas

Leia mais

Índice. Principais Indicadores 4. Destaques 9M15 7. Órgãos Sociais 9. Relatório de Gestão 11. Demonstrações Financeiras Consolidadas 30

Índice. Principais Indicadores 4. Destaques 9M15 7. Órgãos Sociais 9. Relatório de Gestão 11. Demonstrações Financeiras Consolidadas 30 Relatório e Contas 2 Índice Principais Indicadores 4 Destaques 9M15 7 Órgãos Sociais 9 Relatório de Gestão 11 Evolução dos Negócios 12 Análise dos Resultados Consolidados 19 Demonstrações Financeiras Consolidadas

Leia mais

ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA)

ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA) 30 de Junho de 2005 ALTRI, S.G.P.S., S.A. (SOCIEDADE ABERTA) Relatório do Conselho de Administração Altri, S.G.P.S., S.A. (Sociedade Aberta) Contas Individuais Rua General Norton de Matos, 68 4050-424

Leia mais

Análise Financeira 2º semestre

Análise Financeira 2º semestre ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA DE VISEU DEPARTAMENTO DE GESTÃO Análise Financeira 2º semestre Caderno de exercícios CAP II Luís Fernandes Rodrigues António Manuel F Almeida CAPITULO II 2011 2012 Página

Leia mais

Resultados Consolidados 2001

Resultados Consolidados 2001 Resultados Consolidados 2001 Francisco Murteira Nabo Presidente Lisboa, 13 de Março 2002 Princípios Contabilísticos Internacionais A Portugal Telecom Grupo Empresarial Português de referência Maior valorização

Leia mais

Earnings Release. Press Release. Resultados anuais 2013. 19 de fevereiro de 2014

Earnings Release. Press Release. Resultados anuais 2013. 19 de fevereiro de 2014 2009 Earnings Release Resultados anuais 2013 Press Release 19 de fevereiro de 2014 01 Comunicado Lisboa, Portugal, 19 de fevereiro de 2014 As demonstrações financeiras consolidadas da PT são preparadas

Leia mais

SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, SA Sociedade Aberta

SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, SA Sociedade Aberta SAG GEST Soluções Automóvel Globais, SGPS, SA Sociedade Aberta Estrada de Alfragide, nº 67, Amadora Capital Social: 169.764.398 Euros sob o número único de matrícula e de pessoa colectiva 503 219 886 COMUNICADO

Leia mais

Índice. 1. Principais Indicadores 4. 2. Destaques 1T15 7. 3. Órgãos Sociais 9. 4. Relatório de Gestão 11. 5. Demonstrações Financeiras Consolidadas 28

Índice. 1. Principais Indicadores 4. 2. Destaques 1T15 7. 3. Órgãos Sociais 9. 4. Relatório de Gestão 11. 5. Demonstrações Financeiras Consolidadas 28 Relatório e Contas Índice 1. Principais Indicadores 4 2. Destaques 1T15 7 3. Órgãos Sociais 9 4. Relatório de Gestão 11 5. Demonstrações Financeiras Consolidadas 28 Destaques Operacionais (Milhares) RGUs

Leia mais

Oficinas E2 Poliempreende Instituto Politécnico de Coimbra. Introdução ao Modelo de Análise Económico-Financeira

Oficinas E2 Poliempreende Instituto Politécnico de Coimbra. Introdução ao Modelo de Análise Económico-Financeira Oficinas E2 Poliempreende Instituto Politécnico de Coimbra Introdução ao Modelo de Análise Económico-Financeira 18 de Maio de 2011 1 Modelo de análise económico-financeira 2 Modelo de análise económico-financeira

Leia mais

PLANO SUCINTO DE NEGÓCIO

PLANO SUCINTO DE NEGÓCIO 1. IDENTIFICAÇÃO DO PROJECTO PLANO SUCINTO DE NEGÓCIO Título do projecto: Nome do responsável: Contacto telefónico Email: 1.1. Descrição sumária da Ideia de Negócio e suas características inovadoras (Descreva

Leia mais

Lisboa, 29 de Outubro de 2007 Comunicado: Contas da IMPRESA em Setembro 2007 1. Principais factos em Setembro 2007

Lisboa, 29 de Outubro de 2007 Comunicado: Contas da IMPRESA em Setembro 2007 1. Principais factos em Setembro 2007 Lisboa, 29 de Outubro de 2007 Comunicado: Contas da IMPRESA em Setembro 2007 1. Principais factos em Setembro 2007 Receitas consolidadas de 62,6 M, uma subida de 10,8% no 3º trimestre, sendo de referir:

Leia mais

Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados dos Primeiros 9 Meses de 2013

Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados dos Primeiros 9 Meses de 2013 Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados dos Primeiros 9 Meses de 2013 No terceiro trimestre, reforçámos as nossas posições de liderança tanto na Polónia como em Portugal com aumento de quotas de mercado

Leia mais

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

Resultados Operacionais melhoram em 73,5% e Resultados líquidos (antes de mais valias) 15%

Resultados Operacionais melhoram em 73,5% e Resultados líquidos (antes de mais valias) 15% INAPA INVESTIMENTOS, PARTICPAÇÕES E GESTÃO, SA ( Sociedade Aberta ) Sede: Rua do Salitre, n.º 142, 1269-064, Lisboa Capital social: 27 237 013 Matrícula n.º 500 137 994 (anteriormente 36 338) da Conservatória

Leia mais

O EBITDA no 4T13 foi de 9,6 M, o que corresponde a uma margem EBITDA de 7 %

O EBITDA no 4T13 foi de 9,6 M, o que corresponde a uma margem EBITDA de 7 % DESTAQUES página 3 O total de Proveitos Operacionais foi de 592,9 M, a registar uma subida de 15 % quando comparado com o ano anterior, a refletir um crescimento significativo no volume de negócio das

Leia mais

PT MULTIMEDIA APRESENTA RESULTADOS AUDITADOS RELATIVOS AO EXERCÍCIO DE 2003 E PROPOSTA DE DISTRIBUIÇÃO DE DIVIDENDOS

PT MULTIMEDIA APRESENTA RESULTADOS AUDITADOS RELATIVOS AO EXERCÍCIO DE 2003 E PROPOSTA DE DISTRIBUIÇÃO DE DIVIDENDOS FACTO RELEVANTE PT MULTIMEDIA APRESENTA RESULTADOS AUDITADOS RELATIVOS AO EXERCÍCIO DE 2003 E PROPOSTA DE DISTRIBUIÇÃO DE DIVIDENDOS Lisboa, Portugal, 4 de Março de 2004 A PT Multimedia divulga os resultados

Leia mais

Reuters: BANIF.LS Bloomberg: BANIF PL ISIN: PTBAF0AM0002 www.banif.pt/investidores 1S2015 RESULTADOS CONSOLIDADOS. Informação não auditada.

Reuters: BANIF.LS Bloomberg: BANIF PL ISIN: PTBAF0AM0002 www.banif.pt/investidores 1S2015 RESULTADOS CONSOLIDADOS. Informação não auditada. Reuters: BANIF.LS Bloomberg: BANIF PL ISIN: PTBAF0AM0002 www.banif.pt/investidores 2015 1S2015 RESULTADOS CONSOLIDADOS Lisboa, 7 de Agosto de 2015 Informação não auditada. RESULTADOS CONSOLIDADOS: Janeiro

Leia mais

Portugal Telecom. Relatório e contas consolidadas Primeiro semestre 2006

Portugal Telecom. Relatório e contas consolidadas Primeiro semestre 2006 Portugal Telecom Relatório e contas consolidadas Primeiro semestre 2006 Portugal Telecom, SGPS, SA Sociedade Aberta Capital social 395.099.775 Matrícula na Conservatória do Registo Comercial de Lisboa

Leia mais

Apresentação dos Resultados 2T06

Apresentação dos Resultados 2T06 Apresentação dos Resultados 2T06 Aviso Legal Esta apresentação contém considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e às perspectivas

Leia mais

SUMÁRIO. 3º Trimestre 2009 RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE SEGURADORA. Produção de seguro directo. Custos com sinistros

SUMÁRIO. 3º Trimestre 2009 RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE SEGURADORA. Produção de seguro directo. Custos com sinistros SUMÁRIO Produção de seguro directo No terceiro trimestre de, seguindo a tendência evidenciada ao longo do ano, assistiu-se a uma contracção na produção de seguro directo das empresas de seguros sob a supervisão

Leia mais

Portugal Telecom. Zeinal Bava CFO do Grupo Portugal Telecom. Governo das Sociedades e a Transparência das Empresas Cotadas

Portugal Telecom. Zeinal Bava CFO do Grupo Portugal Telecom. Governo das Sociedades e a Transparência das Empresas Cotadas Portugal Telecom Governo das Sociedades e a Transparência das Empresas Cotadas Zeinal Bava CFO do Grupo Portugal Telecom Lisboa, 12 de Dezembro de 2002 Estrutura do Grupo PT Comunicações PT Móveis PT Prime

Leia mais

Enquadramento Page 1. Objectivo. Estrutura do documento. Observações. Limitações

Enquadramento Page 1. Objectivo. Estrutura do documento. Observações. Limitações Objectivo No âmbito do processo de adopção plena das Normas Internacionais de Contabilidade e de Relato Financeiro ("IAS/IFRS") e de modo a apoiar as instituições financeiras bancárias ("instituições")

Leia mais

Negócio Multimédia. Zeinal Bava Membro da CE e CEO PTM

Negócio Multimédia. Zeinal Bava Membro da CE e CEO PTM Negócio Multimédia Zeinal Bava Membro da CE e CEO PTM PT Multimedia - Síntese Tv por Subscrição 1º operador de TV por subscrição em Portugal 1º fornecedor de acesso à internet de Banda Larga em Portugal

Leia mais

ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS GOTE - SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO DE SEGUROS, LDA

ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS GOTE - SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO DE SEGUROS, LDA ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS GOTE - SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO DE SEGUROS, LDA ANO : 2011 ÍNDICE 1 - Identificação da entidade 1.1 Dados de identificação 2 - Referencial contabilístico de preparação das

Leia mais

UPSELL NEGÓCIO FIBRA. Em VIGOR ATÉ 6 JANEIRO 2016

UPSELL NEGÓCIO FIBRA. Em VIGOR ATÉ 6 JANEIRO 2016 UPSELL NEGÓCIO FIBRA Em VIGOR ATÉ 6 JANEIRO 2016 Aviso: A reprodução ou comunicação, escrita ou verbal, ainda que parcial, deste documento, sem aprovação prévia da NOS, SGPS, S.A. é estritamente proibida

Leia mais

Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados do Ano de 2013

Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados do Ano de 2013 Jerónimo Martins SGPS, S.A. Resultados do Ano de 2013 Todas as áreas de negócio do Grupo registaram crescimentos de vendas acima do mercado, respondendo positivamente aos desafios colocados pelo ambiente

Leia mais

ALVES RIBEIRO - INVESTIMENTOS FINANCEIROS, SGPS, S.A. ANEXO ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS INDIVIDUAIS EM 31 DE DEZEMBRO DE 2008 (Montantes em Euros, excepto quando expressamente indicado) 1. NOTA INTRODUTÓRIA

Leia mais

Resultados Consolidados

Resultados Consolidados Resultados Consolidados 2013 1. MENSAGEM DO PRESIDENTE DA COMISSÃO EXECUTIVA 2013 constitui um marco no processo de reposicionamento e recuperação da Inapa. Para além da melhoria do desempenho económico

Leia mais

Jerónimo Martins, SGPS, S.A. Resultados do Primeiro Trimestre de 2006

Jerónimo Martins, SGPS, S.A. Resultados do Primeiro Trimestre de 2006 Jerónimo Martins, SGPS, S.A. Resultados do Primeiro Trimestre de 2006 1. Sumário Para mais informação contactar: Cláudia Falcão claudia.falcao@jeronimomartins.pt (+351-21 752 61 05) Hugo Fernandes hugo.fernandes@jeronimomartins.pt

Leia mais

ANEXOS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS GOTE - SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO DE SEGUROS, LDA

ANEXOS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS GOTE - SOCIEDADE DE MEDIAÇÃO DE SEGUROS, LDA ANEXOS ÀS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS ANO : 2010 ÍNDICE 1 - Identificação da entidade 1.1 Dados de identificação 2 - Referencial contabilístico de preparação das demonstrações financeiras 2.1 Referencial

Leia mais

------------------------------CONTABILIDADE FINANCEIRA I------------------------------

------------------------------CONTABILIDADE FINANCEIRA I------------------------------ ------------------------------CONTABILIDADE FINANCEIRA I------------------------------ Fluxos empresariais: Tipos de fluxos Perspectiva Quadros demonstrativos contabilísticos Externos: Despesas Receitas

Leia mais

CONTABILIDADE FINANCEIRA II. 2ª Frequência. Responda a cada grupo em folha separada

CONTABILIDADE FINANCEIRA II. 2ª Frequência. Responda a cada grupo em folha separada CONTABILIDADE FINANCEIRA II Equipa Docente: Data: 8 de Janeiro de 2008 Cristina Neto de Carvalho Duração: 2 horas Sofia Pereira 2ª Frequência Responda a cada grupo em folha separada A Ibersol tem como

Leia mais

Resultados Consolidados

Resultados Consolidados Resultados Consolidados 2012 1. MENSAGEM DO PRESIDENTE DA COMISSÃO EXECUTIVA 2012 foi marcado por enormes desafios, ao nível macroeconómico e sectorial, tendo o Grupo ajustado a sua estratégia e organização

Leia mais

Resultados 1T11. 4 de Maio de 2011. www.edprenovaveis.com

Resultados 1T11. 4 de Maio de 2011. www.edprenovaveis.com Resultados 1T11 4 de Maio de 2011 www.edprenovaveis.com Agenda I Destaques do 1T11 II Performance Operacional e Financeira do 1T11 III Perspectivas e Conclusão Destaques do 1T11 Elevada performance operacional

Leia mais

COMUNICADO Resultados Consolidados do BCP no segundo trimestre de 2003

COMUNICADO Resultados Consolidados do BCP no segundo trimestre de 2003 BANCO COMERCIAL PORTUGUÊS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Praça D. João I, 28, Porto Mat. CRC do Porto: 40.043 NIPC: 501.525.882 Capital Social Registado: 3.257.400.827 Euros COMUNICADO Resultados Consolidados

Leia mais

A PORTUGAL TELECOM APRESENTA OS RESULTADOS AUDITADOS RELATIVOS AO EXERCÍCIO DE 2002

A PORTUGAL TELECOM APRESENTA OS RESULTADOS AUDITADOS RELATIVOS AO EXERCÍCIO DE 2002 RELEASE A PORTUGAL TELECOM APRESENTA OS RESULTADOS AUDITADOS RELATIVOS AO EXERCÍCIO DE 2002 Lisboa, 6 de Março de 2003 A Portugal Telecom (PT) (BVLP: PTCO.IN; NYSE: PT) divulgou hoje os resultados auditados

Leia mais