ESTATÍSTICA DO MERCADO DE SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS ACESSÍVEIS AO PÚBLICO EM CABO VERDE ANO DE 2011

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTATÍSTICA DO MERCADO DE SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS ACESSÍVEIS AO PÚBLICO EM CABO VERDE ANO DE 2011"

Transcrição

1 ESTATÍSTICA DO MERCADO DE SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS ACESSÍVEIS AO PÚBLICO EM CABO VERDE ANO DE 2011

2 INDICADORES ESTATÍSTICOS DO ANO DE 2011 Índice INTRODUÇÃO PANORAMA GERAL SOBRE O SECTOR DAS COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS SERVIÇO DE TELEFONIA FIXA NÚMERO DE ASSINANTES E TAXA DE PENETRAÇÃO DA TELEFONIA FIXA TRÁFEGO CURSADO NA REDE FIXA (Minutos) SERVIÇO MÓVEL NÚMEROS DE ASSINANTES E TAXA PENETRAÇÃO TRÁFEGO NAS REDES MÓVEIS TRÁFEGO SMS SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET NÚMERO DE ASSINANTES DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET TELEVISÃO POR ASSINATURA (TVA) CONCLUSÃO Índice de Figuras e Quadros FIGURA 1 Nº DE ASSINANTES (MÓVEL/ FIXO/ INTERNET/ TVA)... 3 FIGURA 2 TAXA DE PENETRAÇÃO DA TELEFONIA FIXA... 4 QUADRO 1 EVOLUÇÃO DO NÚMERO DE ACESSOS INSTALADOS... 4 QUADRO 2 EVOLUÇÃO DO TRÁFEGO NA REDE FIXA... 5 FIGURA 3 DISTRIBUIÇÃO DO TRAFEGO CURSADO NA REDE FIXA... 5 FIGURA 4 DISTRIBUIÇÃO DO TRAFEGO NACIONAL CURSADO NA REDE FIXA... 6 QUADRO 3 EVOLUÇÃO DO NÚMERO DE ASSINANTES DAS REDES MÓVEIS... 7 FIGURA 5 NÚMERO DE ASSINANTES E TAXA DE PENETRAÇÃO DA TELEFONIA MÓVEL... 7 QUADRO 4 TRÁFEGO DE VOZ EM MINUTOS NAS REDES MÓVEIS... 8 FIGURA 6 DISTRIBUIÇÃO DO TRAFEGO CURSADO NAS REDES MÓVEIS... 9 FIGURA 7 DISTRIBUIÇÃO DO TRAFEGO DE ROAMING... 9 QUADRO 5 MENSAGENS ENVIADAS FIGURA 8 DISTRIBUIÇÃO DE MENSAGENS CURTAS ENVIADAS (SMS) FIGURA QUADRO 9 EVOLUÇÃO DE ASSINANTES DE INTERNET POR TECNOLOGIA DE ACESSO QUADRO 6 EVOLUÇÃO DO NÚMERO DE ACESSO A INTERNET FIGURA 10 DISTRIBUIÇÃO DE ASSINANTES DE INTERNET POR TECNOLOGIA DE ACESSO QUADRO 7 NÚMERO DE ASSINANTES DE TVA FIGURA 11 EVOLUÇÃO DO NÚMERO DE ASSINANTES DE TVA

3 INDICADORES ESTATÍSTICOS DO ANO DE 2011 INTRODUÇÃO A Agência Nacional das Comunicações (ANAC), entidade reguladora das Comunicações Electrónicas em Cabo Verde, através do presente documento procede à divulgação dos indicadores estatísticos do mercado dos serviços de comunicações electrónicas no âmbito do cumprimento das suas atribuições. O objectivo é facultar aos consumidores, potenciais investidores e ao público em geral, informações actualizadas e fiáveis que traduzam a real evolução do sector das comunicações em Cabo Verde, nomeadamente em termos de taxa de penetração, número de assinantes e tráfego nos diferentes serviços. Estão apresentados no presente compêndio a habitual evolução dos indicadores das Comunicações Electrónicas do ano 2000 até o Trata se de uma complicação de dados de taxa de penetração dos serviços de telefonia móvel e fixa, do serviço de internet e televisão por assinatura, bem como da evolução de tráfego de voz e de SMS quer a nível nacional como internacional de entrada e de saída. 2

4 1. PANORAMA GERAL SOBRE O SECTOR DAS COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS De uma forma geral, as medidas regulatórias que têm sido tomadas desde a aberturaa do mercado, trouxeram uma outra dinâmica ao sector das Comunicações electrónicas, sendo no entanto perceptível que muito há por fazer ainda em matéria de concorrência. As comunicações móveis continuam a liderar o crescimento, com uma penetração de 81%, sendo notória a tendência de estabilização desse crescimento a medida que a penetração aumenta. O número de assinantes de serviço fixo cresceu face ao ano de 2010 tendo atingido o maior número de acessos de sempre, atingindo mais de 74 mil no final de A figura seguinte mostra a evolução do número de utilizadores nos diversos serviços desde Figura 1 Nº de Assinantess (Móvel/ Fixo/ Internet/ TVA) Pelo gráfico da figura 1, nota-se o afastamento da curva relativa ao serviço móvel em relação aos outros serviços, o que prova o grande potencial do mercado móvel para prestação de diferentes tipos de serviços. Por seu lado, o serviço de internett tem mantido um crescimento acentuado em matéria de número de utilizadores, enquanto o serviço de televisão por assinatura também tem crescido. 3

5 INDICADORES ESTATÍSTICOS DO ANO DE SERVIÇO DE TELEFONIA FIXA 2.1. NÚMERO DE ASSINANTES E TAXA DE PENETRAÇÃO DA TELEFONIA FIXA O serviço fixo tradicional atingiu o maior número de acessos de sempre, tendo batido o recorde registado em 2004, atingindo em Dezembro de 2011 o número de atingindo uma penetração acima dos 15%, um valor considerável no contexto do continente africano, mas ainda baixo se comparados com outras paragens. Em relação a 2010 o crescimento foi de 3,4% provavelmente impulsionado pelo aumento de assinantes do serviço ADSL por parte de pessoas que não possuíam uma linha fixa. De salientar que ainda assim destes acessos, são linhas digitais equivalentes. Taxa de Penetração STF Taxa de penetração por cada 100 Habitantes 18% 16% 14% 12% 10% 8% 6% 4% 2% ,0 12,9% , , , ,0 15,7% 15,9% 16,1% 14,6% , , , , , ,0 15,4% 15,3% 15,1% 15,0% 14,8% 14,6% ,0 15,1% Número de Acessos Instalados 0% Figura 2 Taxa de penetração da telefonia fixa Acessos instalados Variação Anual Acessos Principais Total ,4% Acessos Analógicos ,6% Acessos Digitais equivalentes ,7% Quadro 3 Evolução do número de acessos instalados Apesar de em 2011 ter entrado em actividade um operador de serviço VoIP fixo e nómada, os valores aqui apresentados são apenas relativos ao serviço fixo tradicional, visto que os valores em 2011 são residuais. 4

6 2.2. TRÁFEGO CURSADO NA REDE FIXA (Minutos) Como se pode verificar no Quadro 2, o tráfego cursado na rede fixa foi perto de 194 milhões de minutos, sendo que de uma forma geral teve um decréscimo face a 2010 em 3,,4%, tendo apenas o trafego fixo móvel e o trafego internacional de saída experimentado aumentos ligeiros (1,8% e 2,1% respectivamente). Trafego Trafego total na redee fixa Trafego Nacional na rede fixa Fixo Fixo Fixo Movel Fixo outros Internacional de entrada Com destino a rede fixa Com destino a rede movel Internacional de saída Origem Rede Fixa Origem Rede Móvel (Inclui Roaming) Quadro 4 Evolução do tráfego na rede fixa Ano Ano Variação Anual -3,4% -2,9% -3,0% 1,8% -14,8% -3,3% -4,3% -2,3% 2,1% 0,5% 3,6% Pelo Gráfico da Figura 3 nota se que a distribuição do trafego cursado na rede fixa é equilibrada a entre o nacional e o internacional, verificando se que no internacional, o trafego de entrada é claramente superior, representando quase 42% do total correspondente a mais de 81 milhões de minutos. Ainda pelo Quadro 2 se poderá ver que quer no trafego internacional de saída, quer de entrada, há um equilíbrio entre o trafego para a rede fixa e para as redes móveis. Figura 5 Distribuição do Trafego cursado na rede fixa 5

7 Por outroo lado, a distribuição do trafego nacional na rede fixa é, como seria de preverr dominadoo pela trafego Fixo Fixo com mais de 69 milhões de minutos (70% do total nacional), sendo que 22,1% é o trafego para a redes móveis e 8,2% representa outros destinos. Figura 6 Distribuição do Trafego Nacional cursado na rede fixa 6

8 3. SERVIÇO MÓVEL 3.1. NÚMEROS DE ASSINANTES E TAXA PENETRAÇÃO No final de 2011 os dados indicavam a existência assinantes do serviço móvel contra assinantes em 2010, representando um crescimento de 6%, o que equivale a uma penetração acima de 80 assinantes por cada 100 habitantes. Tal como em muitos mercados em crescimento, o assinante pré-pago domina claramente o mercado móvel cabo-verdiano representando 99% do total. No entanto, o numero de assinantes pós-pago tem demostradoo uma tendência crescentee muito superior a variação global, tendo crescido 30% face a N.º de Assinantes Parque Total Pré Pagos Pós pagos Variação anual % % % Quadro 7 Evolução do número de Assinantes das redes móveis Figura 8 Número de assinantes e taxaa de penetração da Telefonia Móvel 7

9 INDICADORES ESTATÍSTICOS DO ANO DE 2011 O mercado móvel demonstra ser de grande potencial com a penetração que regista neste momento, demonstrando que há condições para que plataformas de prestação de serviços podem aproveitar o alcance que esse mercado pode ter em Cabo Verde. A evolução para a 3ª geração, 3G, abre enormes expectativas para este mercado, alargando de forma inequívoca a gama de serviços que possam ser prestados nas redes móveis Entretanto, na interpretação destes indicadores, quer a nível do número de assinantes quer da taxa de penetração do STM há que se ter em conta vários factores tais como: a venda de prépagos na via pública, a utilização de cartões SIM exclusivamente para serviços de dados como é o caso dos terminais de pagamento da rede interbancária Vinti4, os cartões afectos a ofertas empresariais, etc. Além disso, há que levar em conta que muitos utilizadores são assinantes das duas operadoras, possuindo 2 ou mais cartões SIM, o que por um lado indica que ainda há ainda boa margem de crescimento para esse serviço TRÁFEGO NAS REDES MÓVEIS Perto de 412 milhões de minutos, foi o total de tráfego nas redes móveis no ano de 2011, crescendo em mais de 24 % em relação a 2010, como se pode ver no Quadro 4. Como seria de esperar, e se nota pelo gráfico da figura 6, o trafego On net é dominante, ultrapassando os 330,5 milhões de minutos (mais de 80% do total do trafego nas redes móveis), o que se traduz num crescimento de 16,3%. Por seu lado, o tráfego off net cresceu consideravelmente em relação ao ano anterior (26,1%), e representa 4,2% do total, enquanto que o tráfego móvel fixo sofreu um ligeiro decréscimo, sendo representa apenas 1,1% do trafego nas redes móveis. O trafego internacional de saída nas redes móveis tem de ser interpretado com reserva, uma vez que uma grande parte do trafego é escoado via rede fixa, daí que representa um valor bastante superior ao trafego de entrada. Trafego cursado nas redes móveis Variação anual Trafego On net ,3% Trafego off net ,1% Movel Fixo ,2% Internacional entrada ,3% Internacional de saída ,8% Trafego de roaming ,3% roaming in ,6% roaming out ,3% Trafego móvel total ,3% Quadro 9 Tráfego de voz em minutos nas redes móveis 8

10 Figura 10 Distribuição do Trafego cursado nas redes móveis O tráfego de roaming representa apenas 0,8% do trafego total nas redes móveis e continua a crescer a um ritmo baixo (3,6% em relação a 2010) e ainda assim tem sido fundamentalmentee devido ao roaming in que registou um acréscimo de 3,6%. Figura 11 Distribuição do trafego de roaming O tráfego de voz em roaming out continua pouco expressivo e representa apenas 4,4% do trafego total de roaming, demonstrando que não é um serviço muito utilizado pelos assinantess nacionais. Em relação ao ano anterior sofreu um decréscimo de 3,3%. 9

11 3.3. TRÁFEGO SMS Até 31 de Dezembro de 2011 tinham sido enviadas mais de 18,5 milhões de mensagens curtas de texto (SMS), representando um aumento de 15,6% em relação a Pelo gráfico da figura 7, nota se quase 88% das SMS enviados são nacionais, e 12% são internacionais. O número de SMS internacionais aumentou em cerca de 11% enquanto que os nacionais (quadro 6). SMS Variação Homóloga Total Nacionais Internacionais Quadro 12 Mensagens enviadas 15,6% 10,9% 49,0% Figura 13 Distribuição de mensagens curtas enviadas (SMS) 10

12 INDICADORES ESTATÍSTICOS DO ANO DE SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET Até Dezembro de 2011 o acesso através da rede fixa era o único disponível em todo o território nacional, sendo disponibilizado pela operadora histórica de internet que fornece serviço ADSL e contínua com ofertas dial up. A tecnologia Wireless wi fi tem sido utilizada como alternativa para os restantes operadores em actividade. Em Dezembro de 2011, as redes de comunicações móveis terrestres evoluíram para terceira geração (3G),tratando-se de um prenúncio de uma nova dinâmica no mercado de internet, devido ao grande potencial de crescimento do acesso a Banda Larga, não só pela mobilidade e qualidade, mas também devido à alta penetração das redes móveis no país. No entanto optou se por não incluir os dados relativos ao acesso a internet nesse via 3G uma vez que as plataformas das operadoras ainda não estavam consolidadas e não se encontrava definida a forma de apresentação dos indicadores, pelo que passam a ser considerados a partir de NÚMERO DE ASSINANTES DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET No acesso ao serviço de internet, houve um crescimento em 2011 face a 2010 de 23,1%, sendo que o número de assinantes está acima dos 21 mil, representando uma penetração de 4,3% (em termos de assinantes). Pelo Quadro 7 nota se que nos acessos via tecnologia ADSL e Dial up houve aumentos consideráveis (24,9 e 28,2 face a 2010 respectivamente), enquanto que o acesso via Dial up continua decrescendo (89%) havendo apenas 378 assinantes em Dezembro de DIAL UP ADSL Wi fi TOTAL Figura Quadro 14 Evolução de assinantes de internet por tecnologia de acesso 11

13 No gráfico da figura 9 nota se que a tecnologia de acesso fixo via ADSL continua a ser claramentee dominante, visto que o acesso wireless via Wi fi embora tenha crescido 21% ainda é bastante baixo, e o número de acesso via dial up já é residual apesar de ainda se registar 378 assinantes. A 31 de Dezembro de 2011, total de assinantes do serviço de acesso à internett que utilizavam ADSL era de representando 92,7% do total, enquanto 5,7% utilizavam Wi Fi e apenas 1,7% utilizavam Dial up. Assinantes do serviço de acesso à Internet Total Parque Dial Up Parque ADSL Wireless Wi Fi Variação (%) 23,1% 89,2% 24,9% 28,2% Quadro 15 Evolução do número de acesso a Internet Figura 16 Distribuição de assinantes de internet por tecnologia de acesso As contrariedades dos operadores Wi-Fi resultam acima de tudo da dificuldade de acesso às infra-estruturass base, nomeadamente por causa de preços ainda pouco competitivos dos circuitos alugados e da não existência de oferta grossistas de banda larga. 12

14 5. TELEVISÃO POR ASSINATURAA (TVA) O serviço de televisão por assinatura em Cabo Verde é prestado por dois operadores licenciados e baseia-see em dois tipos de tecnologias que são IPTV e DVB-T, sendo que esta última se encontra ainda apenas disponível na cidade da Praia. Com algumas melhorias na qualidade do serviço, bem como a introdução de novos canais, o número de assinantes desse serviço cresceu 12% em relação ao ano de 2010, sendo que no entanto a penetração continua bastante baixo (pouco acima dos 2%). As causas desse baixo crescimento podem estar relacionados com o facto de os preços do serviço continuarem a ser algo elevados para o poder de compra dos cabo-verdianos, e também por um dos operadores continuar sem capacidades para cobrir outras áreas do território nacional, centrando os seuss serviços apenas na cidade da Praia. De salientar que continuam a existir os constrangimentos provocados pela existência de operadores estrangeiross via satélite não licenciados e de retransmissões ilegais de canais estrangeiros em quase todos os municípios. Número de Assinantes Variação (%) ,2% Quadro 17 Número de assinantes de TVA Figura 18 Evolução do número de assinantes de TVA Ainda assim, de uma forma geral a procura por este serviço tem crescido desde o seu aparecimento em Cabo Verde, sendo que no final de 2011 perfaziaa um total de assinantes. 13

15 INDICADORES ESTATÍSTICOS DO ANO DE CONCLUSÃO Na globalidade o acesso aos serviços cresceu no ano de 2011, mantendo se o domínio do mercado serviço móvel quer em termos de assinantes quer em termos de trafego. A rede fixa mantém o seu previsível comportamento estabilizado, mas com um crescimento ligeiramente maior em relação aos últimos anos, tendo atingido um valor mais alto de sempre em termos de acessos, com um número acima dos 74 mil e uma penetração de 15,1%. No que concerne ao segmento móvel, o número de assinantes cresceu 6% em 2011 em relação ao ano de A taxa penetração que em 2007 era de 32% (151,2 mil assinantes), e no final do ano de 2011 era acima de 80% ( assinantes) e com tendência crescente. Quanto ao tráfego na redes móveis, este cresceu 24% em relação a O serviço de acesso à Internet continua a sua tendência crescente (23,1% em relação a 2010), sendo que na modalidade de acesso via dial up continua em decréscimo atingindo um valor de 378 assinantes em todo o país. A taxa de penetração da televisão por assinatura continua a rondar os 2%, mas a tendência é de crescimento. 14

Neste particular, se trata da publicação e divulgação das estatísticas das telecomunicações em Cabo Verde referente ao ano 2007.

Neste particular, se trata da publicação e divulgação das estatísticas das telecomunicações em Cabo Verde referente ao ano 2007. COMPÊNDIO DAS ESTATÍSTICAS DOS MERCADOS DE SERVIÇOS PÚBLICOS DAS COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS EM CABO VERDE ANO 27. SECTOR DAS TELECOMUNICAÇÕES: Enquadramento A ANAC enquanto autoridade reguladora do sector

Leia mais

COMPÊNDIO DAS ESTATÍSTICAS DOS MERCADOS DE SERVIÇO PÚBLICOS DAS COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS E POSTAIS EM CABO VERDE DE 2009

COMPÊNDIO DAS ESTATÍSTICAS DOS MERCADOS DE SERVIÇO PÚBLICOS DAS COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS E POSTAIS EM CABO VERDE DE 2009 COMPÊNDIO DAS ESTATÍSTICAS DOS MERCADOS DE SERVIÇO PÚBLICOS DAS COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS E POSTAIS EM CABO VERDE DE 2009 Índice INTRODUÇÃO... 3 ENQUADRAMENTO... 3 1. SECTOR DAS COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS...

Leia mais

Radiografia do Sector das Telecomunicações de Cabo Verde

Radiografia do Sector das Telecomunicações de Cabo Verde Radiografia do Sector das Telecomunicações de Cabo Verde Associação Empresarial de Telecomunicações Radiografia do Sector das telecomunicações de Cabo Verde 2 Radiografia do Sector das telecomunicações

Leia mais

Entendimento do ICP-ANACOM. Originação de chamadas nas redes móveis nacionais

Entendimento do ICP-ANACOM. Originação de chamadas nas redes móveis nacionais Entendimento do ICP-ANACOM Originação de chamadas nas redes móveis nacionais I. Enquadramento Os serviços de originação de chamadas prestados pelos operadores móveis nacionais são definidos como os serviços

Leia mais

Características dos operadores

Características dos operadores RÉPUBLIQUE FRANÇAISE Junho de 21 Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 29 Características dos operadores Salvo indicação em contrário, os números apresentados neste documento

Leia mais

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 4.º TRIMESTRE DE 2009

INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 4.º TRIMESTRE DE 2009 INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA DO SERVIÇO DE ACESSO À INTERNET 4.º TRIMESTRE DE Índice 1. Evolução do número de prestadores habilitados para a prestação do Serviço de Acesso à Internet... 3 2. Número de clientes

Leia mais

Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia.

Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia. Sr. Secretário de Estado do Empreendorismo e da Inovação, caríssimos convidados, minhas senhoras e meus senhores, muito bom dia. Bem-vindos à Conferência da ANACOM. Antes de mais gostaria de agradecer

Leia mais

Relatório Estatístico Reclamações e Pedidos de Informação

Relatório Estatístico Reclamações e Pedidos de Informação Relatório Estatístico Reclamações e Pedidos de Informação 1.º Semestre de Índice Preâmbulo 3 Análise estatística 4 Anexos 14 2 Preâmbulo O presente relatório tem por objecto as solicitações recebidas no

Leia mais

Solução Base. Descrição do Serviço. A melhor solução de Internet e Voz para Profissionais e Empresas.

Solução Base. Descrição do Serviço. A melhor solução de Internet e Voz para Profissionais e Empresas. Solução Base Descrição do Serviço A melhor solução de Internet e Voz para Profissionais e Empresas. O acesso Internet Banda Larga que evolui com as suas necessidades. Características Solução adequada para:

Leia mais

Banda larga: o fosso entre os países da Europa com melhores e piores desempenhos está a diminuir

Banda larga: o fosso entre os países da Europa com melhores e piores desempenhos está a diminuir IP/08/1831 Bruxelas, 28 de Novembro de 2008 Banda larga: o fosso entre os países da Europa com melhores e piores desempenhos está a diminuir De acordo com um relatório publicado hoje pela Comissão Europeia,

Leia mais

Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 2010

Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 2010 RÉPUBLIQUE FRANÇAISE Junho de 211 Números chave das comunicações electrónicas em França Números de 21 Características dos operadores Salvo precisión en contrario, los datos presentados en este documento

Leia mais

Resposta à Consulta Pública sobre VoIP Introdução

Resposta à Consulta Pública sobre VoIP Introdução Resposta à Consulta Pública sobre VoIP Introdução A Radiomóvel considera muito importante esta iniciativa da Anacom que vem no sentido de regular esta nova faceta da prestação de serviço telefónico, fruto

Leia mais

RELATÓRIO DA CONSULTA PÚBLICA SOBRE INTRODUÇÃO DE REDES DE COMUNICAÇÕES MÓVEIS TERRESTRES DE TERCEIRA E QUARTA GERAÇÃO (3G E 4G) EM CABO VERDE

RELATÓRIO DA CONSULTA PÚBLICA SOBRE INTRODUÇÃO DE REDES DE COMUNICAÇÕES MÓVEIS TERRESTRES DE TERCEIRA E QUARTA GERAÇÃO (3G E 4G) EM CABO VERDE RELATÓRIO DA CONSULTA PÚBLICA SOBRE INTRODUÇÃO DE REDES DE COMUNICAÇÕES MÓVEIS TERRESTRES DE TERCEIRA E QUARTA GERAÇÃO (3G E 4G) EM CABO VERDE MARÇO 2010 1 ÍNDICE I. INTRODUÇÃO...3 II. COMENTÁRIO GERAIS....

Leia mais

Larga Brasil 2005-2010

Larga Brasil 2005-2010 Barômetro Cisco de Banda Larga Brasil 2005-2010 Resultados de Junho de 2010 Preparado para Meta de Banda Larga em 2010 no Brasil: 15 milhões de conexões Elaborado por IDC Copyright 2010 IDC. Reproduction

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMUNICAÇÕES ELETRÓNICAS

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMUNICAÇÕES ELETRÓNICAS RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMUNICAÇÕES ELETRÓNICAS 2011 - Novembro de 2012 - ÍNDICE Sumário Executivo... 5 1 Objeto e método... 8 2 Comunicações fixas de voz... 9 2.1 Caraterização geral...

Leia mais

1. Destaques. Índice: Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 11 de fevereiro de 2010.

1. Destaques. Índice: Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 11 de fevereiro de 2010. Rio de Janeiro, RJ, Brasil, 11 de fevereiro de 2010. Embratel Participações S.A. ( Embrapar ) (BOVESPA: EBTP4, EBTP3) detém 99,2 porcento da Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. ( Embratel ), 100,0

Leia mais

Decisão sobre processo de controlo prévio da concentração Sonaecom/PT

Decisão sobre processo de controlo prévio da concentração Sonaecom/PT Decisão sobre processo de controlo prévio da concentração Sonaecom/PT Abel M. Mateus Presidente Autoridade da Concorrência Lisboa, de 22 Dezembro de 2006 A decisão Decisão de não oposição acompanhada da

Leia mais

PROJECTO DE REGULAMENTO PROCEDIMENTOS DE COBRANÇA E ENTREGA AOS MUNICÍPIOS DA TMDP (TAXA MUNICIPAL DE DIREITOS DE PASSAGEM)

PROJECTO DE REGULAMENTO PROCEDIMENTOS DE COBRANÇA E ENTREGA AOS MUNICÍPIOS DA TMDP (TAXA MUNICIPAL DE DIREITOS DE PASSAGEM) http://www.anacom.pt/template15.jsp?categoryid=110699 PROJECTO DE REGULAMENTO PROCEDIMENTOS DE COBRANÇA E ENTREGA AOS MUNICÍPIOS DA TMDP (TAXA MUNICIPAL DE DIREITOS DE PASSAGEM) A Lei das Comunicações

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º /X SERVIÇO UNIVERSAL DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º /X SERVIÇO UNIVERSAL DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA. Exposição de motivos Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º /X SERVIÇO UNIVERSAL DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA Exposição de motivos O enorme atraso na democratização do acesso à internet é um motivo de preocupação para

Leia mais

Telefone fixo... 94. Tabela 1 - Evolução dos prestadores do Serviço Telefónico Fixo (nº), 2001 a 2013... 94

Telefone fixo... 94. Tabela 1 - Evolução dos prestadores do Serviço Telefónico Fixo (nº), 2001 a 2013... 94 7. Telecomunicações Telefone fixo... 94 Tabela 1 - Evolução dos prestadores do Serviço Telefónico Fixo (nº), 2001 a 2013... 94 Figura 1 - Evolução dos prestadores do Serviço Telefónico Fixo (nº) 2001 a

Leia mais

VALOR DOS DIREITOS DE PROPRIEDADE INTELECTUAL NO SECTOR CULTURAL E CRIATIVO

VALOR DOS DIREITOS DE PROPRIEDADE INTELECTUAL NO SECTOR CULTURAL E CRIATIVO VALOR DOS DIREITOS DE PROPRIEDADE INTELECTUAL NO SECTOR CULTURAL E CRIATIVO A presente Nota Estatística visa apresentar informação relativa ao valor dos direitos de propriedade intelectual 1 no sector

Leia mais

III Fórum Lusófono das Comunicações Tendências, Panorama e Desafios do Roaming Internacional 25 e 26 de Abril 2012. Política de Preços de Roaming

III Fórum Lusófono das Comunicações Tendências, Panorama e Desafios do Roaming Internacional 25 e 26 de Abril 2012. Política de Preços de Roaming III Fórum Lusófono das Comunicações Tendências, Panorama e Desafios do Roaming Internacional 25 e 26 de Abril 2012 Política de Preços de Roaming ÍNDICE Introdução Regulação do Roaming Internacional na

Leia mais

DEFINIÇÃO E ANÁLISE DE MERCADOS RELEVANTES DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS E AS OBRIGAÇÕES A IMPOR AOS OPERADORES COM PODER DE MERCADO SIGNIFICATIVO

DEFINIÇÃO E ANÁLISE DE MERCADOS RELEVANTES DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS E AS OBRIGAÇÕES A IMPOR AOS OPERADORES COM PODER DE MERCADO SIGNIFICATIVO DEFINIÇÃO E ANÁLISE DE MERCADOS RELEVANTES DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS E AS OBRIGAÇÕES A IMPOR AOS OPERADORES COM PODER DE MERCADO SIGNIFICATIVO ÍNDICE 1. QUADRO LEGAL... 11 2. METODOLOGIA ESCOLHIDA...

Leia mais

Concurso para a Televisão Digital terrestre POSIÇÃO DA APRITEL

Concurso para a Televisão Digital terrestre POSIÇÃO DA APRITEL Concurso para a Televisão Digital terrestre POSIÇÃO DA APRITEL 1. Introdução Relativamente ao concurso da Televisão Digital Terrestre, a APRITEL apresenta as suas principais preocupações relativamente

Leia mais

EVOLUÇÃO DO SEGURO DE SAÚDE EM PORTUGAL

EVOLUÇÃO DO SEGURO DE SAÚDE EM PORTUGAL EVOLUÇÃO DO SEGURO DE SAÚDE EM PORTUGAL Ana Rita Ramos 1 Cristina Silva 2 1 Departamento de Análise de Riscos e Solvência do ISP 2 Departamento de Estatística e Controlo de Informação do ISP As opiniões

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA Folha de Informação Rápida. CONSTRUÇÃO 3º Trimestre 2013

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA Folha de Informação Rápida. CONSTRUÇÃO 3º Trimestre 2013 INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE CABO VERDE CABO VERDE INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE INQUÉRITO DE CONJUNTURA

Leia mais

Tarifário VPNCC-M- PROT_ON NET

Tarifário VPNCC-M- PROT_ON NET A sua empresa a comunicar sem limites. Chamadas de voz e SMS ilimitadas para todas as redes, desconto na aquisição de smartphones e acesso à internet no telemóvel. (Ver política de utilização responsável)

Leia mais

Relatório & C o n t a s de

Relatório & C o n t a s de Relatório & C o n t a s de 2010 Garantia Seguros Relatório & Contas de 2010 2 RELATÓRIO & CONTAS DE 2010 GARANTIA SEGUROS - RELATÓRIO & CONTAS DE 2010 3 Senhores Accionistas, No cumprimento dos preceitos

Leia mais

ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98

ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98 ESTRUTURA EMPRESARIAL NACIONAL 1995/98 NOTA METODOLÓGICA De acordo com a definição nacional, são pequenas e médias empresas aquelas que empregam menos de 500 trabalhadores, que apresentam um volume de

Leia mais

Gabinete do Governador e dos Conselhos

Gabinete do Governador e dos Conselhos Discurso do Governador do Banco de Cabo Verde, Carlos Burgo, no acto de inauguração da nova agência do Banco Africano de Investimento no Plateau, Cidade da Praia, 5 de Fevereiro de 2010. 1 Exmo. Sr. Presidente

Leia mais

Newsletter. Condições especiais para STFP Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Centro. Janeiro 2011. Campanha Colaboradores

Newsletter. Condições especiais para STFP Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Centro. Janeiro 2011. Campanha Colaboradores Newsletter Janeiro 2011 Campanha Colaboradores Condições especiais para STFP Sindicato dos Trabalhadores da Função Pública do Centro Principais Vantagens para Associados A Vodafone oferece condições especiais

Leia mais

REDES COMUNITÁRIAS. Casos Internacionais. Stokcab Municipios de Estocolmo. MetroWeb Municipios de Milão

REDES COMUNITÁRIAS. Casos Internacionais. Stokcab Municipios de Estocolmo. MetroWeb Municipios de Milão REDES COMUNITÁRIAS Casos Internacionais Stokcab Municipios de Estocolmo MetroWeb Municipios de Milão BorderLight.net Municipios da Suécia / Cidade de Uppsala Utopia.net Municipios do Estado do Utah 0 O

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 390/XI/1.ª SERVIÇO UNIVERSAL DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA

PROJECTO DE LEI N.º 390/XI/1.ª SERVIÇO UNIVERSAL DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA Grupo Parlamentar PROJECTO DE LEI N.º 390/XI/1.ª SERVIÇO UNIVERSAL DE ACESSO À INTERNET EM BANDA LARGA Exposição de motivos O acesso à internet assume hoje um papel crucial na nossa sociedade, devendo

Leia mais

UM ELEMENTO PARA A VIDA

UM ELEMENTO PARA A VIDA 1 2 UM ELEMENTO PARA A VIDA TELEVISÃO Até 90 canais e todas as funcionalidades avançadas INTERNET 100Mb de velocidade garantida, na Fibra TELEFONE Chamadas ilimitadas para redes fixas nacionais e internacionais

Leia mais

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS

RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS RELATÓRIO DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS 2010 - Setembro de 2011 - ÍNDICE Sumário Executivo... 5 1 Objecto e método... 8 2 Comunicações electrónicas em Portugal: evolução recente...

Leia mais

As necessidades dos utilizadores

As necessidades dos utilizadores As necessidades dos utilizadores Luis Salvador Pisco Comunicações Electrónicas enquanto Serviço Universal As comunicações enquanto SIEG: Integram os SIEG (serviços de interesse económico geral), prestados

Leia mais

3.2 Companhias de seguros

3.2 Companhias de seguros Desenvolvimento de produtos e serviços Tendo em conta o elevado grau de concorrência dos serviços bancários, os bancos têm vindo a prestar uma vasta gama de produtos e serviços financeiros, por um lado

Leia mais

INE divulgou Síntese Económica de Conjuntura 4.º Trimestre 2005

INE divulgou Síntese Económica de Conjuntura 4.º Trimestre 2005 Data Tema Acontecimento 21/02 Economia 01/03 Preços 01/03 Economia 01/03 Emprego 02/03 Indústria 03/03 Economia INE divulgou Síntese Económica de Conjuntura 4.º Trimestre 2005 http://www.ine.pt/prodserv/destaque/2006/d060221-2/d060221-2.pdf

Leia mais

Relatório de evolução da atividade seguradora

Relatório de evolução da atividade seguradora Relatório de evolução da atividade seguradora 1.º Semestre 214 I. Produção e custos com sinistros 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros

Leia mais

MOBILE MARKETING. Prof. Fabiano Lobo

MOBILE MARKETING. Prof. Fabiano Lobo MOBILE MARKETING Prof. Fabiano Lobo - Conforme estipulado no Termo de Uso, todo o conteúdo ora disponibilizado é de titularidade exclusiva do IAB ou de terceiros parceiros e é protegido pela legislação

Leia mais

Nota introdutória. PME em Números 1 IAPMEI ICEP

Nota introdutória. PME em Números 1 IAPMEI ICEP PME em Números PME em Números 1 Nota introdutória De acordo com o disposto na definição europeia 1, são classificadas como PME as empresas com menos de 250 trabalhadores cujo volume de negócios anual não

Leia mais

VoIP (Voz sobre IP): Trajetória Tecnológica e Perspectivas para o Brasil no cenário de Convergência Tecnológica

VoIP (Voz sobre IP): Trajetória Tecnológica e Perspectivas para o Brasil no cenário de Convergência Tecnológica IV CONGRESSO ACORN-REDECOM POLÍTICAS PÚBLICAS: IMPACTO SOCIOECONÔMICO DAS TICs NAS AMÉRICAS VoIP (Voz sobre IP): Trajetória e Perspectivas para o Brasil no cenário de Convergência Michele Cristina Silva

Leia mais

Competitividade e Inovação

Competitividade e Inovação Competitividade e Inovação Evento SIAP 8 de Outubro de 2010 Um mundo em profunda mudança Vivemos um momento de transformação global que não podemos ignorar. Nos últimos anos crise nos mercados financeiros,

Leia mais

Síntese. Perspectivas das Comunicações da OCDE : Edição 2003

Síntese. Perspectivas das Comunicações da OCDE : Edição 2003 Síntese Perspectivas das Comunicações da OCDE : Edição 2003 Overview OECD Communications Outlook : 2003 Edition As sínteses são excertos de publicações da OCDE, encontrando-se livremente disponíveis na

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hospedes 2º Trimestre 2015 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas e dos Serviços Divisão de Estatísticas do Turismo Av. Amilcar

Leia mais

www.telemar.com.br/ri Maio - 2004

www.telemar.com.br/ri Maio - 2004 Apresentação Corporativa Maio - 2004 Apresentação Telemar - Agenda 1. Destaques 2003/2004 1 2. Estratégia de Crescimento 3 3. Revisão do Resultado Operacional 12 4. Resultados Financeiros 20 1 Destaques

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 125/IX ACESSO UNIVERSAL À INTERNET EM BANDA LARGA. Exposição de motivos

PROJECTO DE LEI N.º 125/IX ACESSO UNIVERSAL À INTERNET EM BANDA LARGA. Exposição de motivos PROJECTO DE LEI N.º 125/IX ACESSO UNIVERSAL À INTERNET EM BANDA LARGA Exposição de motivos Segundo a Autoridade Nacional de Comunicações (ANACOM), existiam quase 4 milhões (3 912 000) de utilizadores da

Leia mais

UM ELEMENTO PARA A VIDA

UM ELEMENTO PARA A VIDA 1 2 UM ELEMENTO PARA A VIDA TELEVISÃO Até 85 canais e todas as funcionalidades avançadas INTERNET 100Mb de velocidade garantida, na Fibra TELEFONE Chamadas ilimitadas para redes fixas nacionais e internacionais

Leia mais

Portugal Telecom. Apresentação de Resultados Resultados do 1º Trimestre. 18 Maio 2006

Portugal Telecom. Apresentação de Resultados Resultados do 1º Trimestre. 18 Maio 2006 Portugal Telecom Apresentação de Resultados Resultados do 1º Trimestre 18 Maio 2006 Safe Harbour A presente release contém objectivos acerca de eventos futuros, de acordo com o U.S. Private Securities

Leia mais

Pack Negócios Global 0 (1) 12 24 36. Pack Negócios Rede 0 (1) 12 24 36. Valor mensal por minutos (2) 0 7,95 15,30 22,41

Pack Negócios Global 0 (1) 12 24 36. Pack Negócios Rede 0 (1) 12 24 36. Valor mensal por minutos (2) 0 7,95 15,30 22,41 A sua empresa a comunicar sem limites. Chamadas de voz e SMS ilimitadas para todas as redes, desconto na aquisição de smartphones e acesso à internet no telemóvel. (1) Possibilidade de subscrever 1GB de

Leia mais

DESCONTOS EXCLUSIVOS PARA COLABORADORES

DESCONTOS EXCLUSIVOS PARA COLABORADORES 1 DESCONTOS EXCLUSIVOS PARA COLABORADORES 2 AS MELHORES VANTAGENS ESTÃO NO MEO Mais de 220 canais incluindo os seus favoritos Canais e Aplicações Interativas exclusivas VideoClube com os últimos êxitos

Leia mais

Redução acentuada das tarifas das mensagens de texto, das chamadas e dos serviços de dados em roaming a partir de 1 de Julho

Redução acentuada das tarifas das mensagens de texto, das chamadas e dos serviços de dados em roaming a partir de 1 de Julho IP/09/620 Estrasburgo, 22 de Abril de 2009 Redução acentuada das tarifas das mensagens de texto, das chamadas e dos serviços de dados em roaming a partir de 1 de Julho Uma mensagem de texto enviada do

Leia mais

SUMÁRIO. 3º Trimestre 2009 RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE SEGURADORA. Produção de seguro directo. Custos com sinistros

SUMÁRIO. 3º Trimestre 2009 RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE SEGURADORA. Produção de seguro directo. Custos com sinistros SUMÁRIO Produção de seguro directo No terceiro trimestre de, seguindo a tendência evidenciada ao longo do ano, assistiu-se a uma contracção na produção de seguro directo das empresas de seguros sob a supervisão

Leia mais

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0

Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Barômetro Cisco de Banda Larga 2.0 Brasil Dezembro de 2012 Preparado para Copyright IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved. Agenda Introdução Descrição do projeto Resultados

Leia mais

RENAULT: A MARCA LÍDER DO MERCADO HÁ 16 ANOS DACIA: A MARCA COM O MELHOR DESEMPENHO DO TOP 20

RENAULT: A MARCA LÍDER DO MERCADO HÁ 16 ANOS DACIA: A MARCA COM O MELHOR DESEMPENHO DO TOP 20 COMUNICADO DE IMPRENSA 8 de Janeiro de 2014 RENAULT: A MARCA LÍDER DO MERCADO HÁ 16 ANOS DACIA: A MARCA COM O MELHOR DESEMPENHO DO TOP 20 Com uma quota de mercado de 12,9% (Veículos de Passageiros + Comerciais

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões SUMÁRIO I PRODUÇÃO E CUSTOS COM SINISTROS 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros

Leia mais

Inclusão Financeira Digital. Setembro 2015

Inclusão Financeira Digital. Setembro 2015 Inclusão Financeira Digital Setembro 2015 2 A inclusão financeira tem vindo a conquistar ao longo dos últimos anos um lugar de destaque no panorama mundial. Este facto é demonstrado tanto pelo foco que

Leia mais

Em 2007, por cada indivíduo nascido em Portugal, foram criadas 1,6 empresas

Em 2007, por cada indivíduo nascido em Portugal, foram criadas 1,6 empresas Em 2007, por cada indivíduo nascido em Portugal, foram criadas 1,6 empresas O Instituto Nacional de Estatística apresentou os primeiros resultados 1 sobre o empreendedorismo em Portugal para o período

Leia mais

Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta

Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Semapa - Sociedade de Investimento e Gestão, SGPS, S.A. Sociedade Aberta Sede: Av. Fontes Pereira de Melo, 14 10º -1050-121 Lisboa Capital Social: 118.332.445 Euros - NIPC e Mat. na C.R.C. de Lisboa sob

Leia mais

PT Wi-Fi: Internet em Movimento

PT Wi-Fi: Internet em Movimento PT Wi-Fi: Internet em Movimento Clipping de Media (05 a 09 de Dezembro de 2003) Meio: Diário Económico Data: 09 de Dezembro de 2003 Pág.: 6 Meio: Jornal de Negócios Data: 09 de Dezembro de 2003 Pág.: 8

Leia mais

QUESTIONÁRIO ANUAL DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS (2010) Informação referente ao ano 2009

QUESTIONÁRIO ANUAL DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS (2010) Informação referente ao ano 2009 QUESTIONÁRIO ANUAL DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS (200) Informação referente ao ano 2009 PARTE II - INDICADORES FINANCEIROS E DE ACTIVIDADE DOS OPERADORES/PRESTADORES DE REDES E SERVIÇOS DE COMUNICAÇÕES

Leia mais

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS. Parecer

ASSEMBLEIA DA REPÚBLICA COMISSÃO DE ASSUNTOS EUROPEUS. Parecer Parecer COM(2013)627 Proposta de REGULAMENTO DO PARLAMENTO EUROPEU E DO CONSELHO que estabelece medidas respeitantes ao mercado único europeu das comunicações eletrónicas e destinadas a criar um continente

Leia mais

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS RECOMENDAÇÃO DA COMISSÃO. sobre a oferta de linhas alugadas na União Europeia

COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS RECOMENDAÇÃO DA COMISSÃO. sobre a oferta de linhas alugadas na União Europeia PT PT PT COMISSÃO DAS COMUNIDADES EUROPEIAS Bruxelas, 21.1.2005 C(2005) 103/2 RECOMENDAÇÃO DA COMISSÃO sobre a oferta de linhas alugadas na União Europeia Parte 1 Principais condições de oferta grossista

Leia mais

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO

RELATÓRIO DE EVOLUÇÃO ASF Autoridade de Supervisão de Seguros e Fundos de Pensões SUMÁRIO I PRODUÇÃO E CUSTOS COM SINISTROS 1. Análise global 2. Ramo Vida 3. Ramos Não Vida a. Acidentes de Trabalho b. Doença c. Incêndio e Outros

Leia mais

NET, Claro e Embratel se unem para transformar a oferta de telecomunicações e entretenimento no Brasil

NET, Claro e Embratel se unem para transformar a oferta de telecomunicações e entretenimento no Brasil NET, Claro e Embratel se unem para transformar a oferta de telecomunicações e entretenimento no Brasil Empresas investem na integração das suas redes e lançam a mais completa oferta convergente de serviços

Leia mais

BARÓMETRO PME COMÉRCIO E SERVIÇOS 4º TRIMESTRE 2013 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS

BARÓMETRO PME COMÉRCIO E SERVIÇOS 4º TRIMESTRE 2013 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 14 DE ABRIL 2014 BARÓMETRO PME COMÉRCIO E SERVIÇOS PRINCIPAIS RESULTADOS 1.1 - EVOLUÇÃO DO VOLUME DE NEGÓCIOS Volume de Negócios no 4º Trimestre de 2013 (t.v.h.) Aumentou em 42,5%

Leia mais

Condições de oferta e de utilização de Serviços de Comunicações Eletrónicas

Condições de oferta e de utilização de Serviços de Comunicações Eletrónicas Condições de oferta e de utilização de Serviços de Comunicações Eletrónicas Conteúdo 1. Identificação... 3 2. Serviços... 4 2.1. Serviços de Voz... 4 2.1.1. SIP Trunk /Voip... 4 2.1.2. IPBX... 4 2.1.3.

Leia mais

SERVIÇOS MÓVEIS INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA

SERVIÇOS MÓVEIS INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇOS MÓVEIS INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA 4.º TRIMESTRE DE 2013 Índice SUMÁRIO... 5 1. Taxa de penetração do serviço móvel... 7 2. Estações móveis / equipamentos de utilizador ativos... 8 3. Distribuição

Leia mais

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO N 095-LC

PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO N 095-LC Empresa PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO NET FONE VIA EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO N 095-LC Empresa Brasileira de Telecomunicações S.A. EMBRATEL. Nome do Plano Plano NET FONE VIA EMBRATEL PAS 095-LC Modalidade

Leia mais

Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais

Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais Exmo Senhor Presidente da Associação Angolana de Bancos Sr. Amílcar Silva Dignos Presidentes dos Conselhos de Administração e das Comissões Executivas dos bancos comerciais Estimados Bancários Minhas Senhoras

Leia mais

Conjuntura da Construção n.º 36. Construção em 2009 verificou dois andamentos

Conjuntura da Construção n.º 36. Construção em 2009 verificou dois andamentos Associações Filiadas: AECOPS Associação de Empresas de Construção e Obras Públicas e Serviços AICCOPN Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas ANEOP Associação Nacional dos Empreiteiros

Leia mais

CRONOGRAMA DOS PROGRAMAS DE ACÇÃO

CRONOGRAMA DOS PROGRAMAS DE ACÇÃO E1.1 Revisão do quadro regulamentar aplicável às telecomunicações quer ao nível comunitário, quer nacional e adaptação da actividade do ICP ao novo enquadramento 1. Participação, na esfera comunitária,

Leia mais

PROJECTO DE DECISÃO. Introdução do Sistema GSM-R e definição do respectivo tipo de autorização

PROJECTO DE DECISÃO. Introdução do Sistema GSM-R e definição do respectivo tipo de autorização PROJECTO DE DECISÃO Introdução do Sistema GSM-R e definição do respectivo tipo de autorização 1. Introdução A CEPT desenvolveu, desde 1995, acções no sentido de definir os requisitos de espectro e de âmbito

Leia mais

Resumo do Barômetro Cisco Banda Larga Brasil 2005-2010

Resumo do Barômetro Cisco Banda Larga Brasil 2005-2010 Copyright 2008 IDC. Reproduction is forbidden unless authorized. All rights reserved. Resumo do Barômetro Cisco Banda Larga Brasil 2005-2010 Resultados de Dezembro/2008 Preparado para Meta de Banda Larga

Leia mais

01 _ Evolução dos negócios

01 _ Evolução dos negócios 01 _ Evolução dos negócios 14 Mercado doméstico 14 Rede fixa 20 Móvel Portugal TMN 24 Multimédia PT Multimédia 28 Mercado internacional 28 Móvel Brasil Vivo 32 Outros negócios internacionais 01 _ Evolução

Leia mais

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015

Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde Estatísticas do Turismo Movimentação de Hóspedes 1º Tr. 2015 1 FICHA TÉCNICA Presidente António dos Reis Duarte Editor Instituto Nacional de Estatística Direcção de Método e Gestão de Informação Serviço de Conjuntura Direcção de Contas Nacionais, Estatísticas Económicas

Leia mais

O ALOJAMENTO NO TERRITÓRIO DOURO ALLIANCE - EIXO URBANO DO DOURO

O ALOJAMENTO NO TERRITÓRIO DOURO ALLIANCE - EIXO URBANO DO DOURO O ALOJAMENTO NO TERRITÓRIO DOURO ALLIANCE - EIXO URBANO DO DOURO Vila Real, Março de 2012 ÍNDICE INTRODUÇÃO... 4 CAPITULO I Distribuição do alojamento no Território Douro Alliance... 5 CAPITULO II Estrutura

Leia mais

RELATÓRIO ACTIVIDADE SEGURADORA ANO-2008 ÍNDICE GERAL BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE

RELATÓRIO ACTIVIDADE SEGURADORA ANO-2008 ÍNDICE GERAL BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE RELATÓRIO ACTIVIDADE SEGURADORA ANO-2008 BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE ÍNDICE GERAL BANCO CENTRAL DE SÃO TOMÉ E PRÍNCIPE ASSUNTO PÁGINA EVOLUÇÃO DA ACTIVIDADE SEGURADORA EM STP 1. ENQUADRAMENTO

Leia mais

Mobilidade da Vodafone

Mobilidade da Vodafone UNE - Unidade de Negócio Empresas 16/09/2008 Eduardo Tavares Acesso à Internet, Aplicações e e-mail no seu telemóvel Com o E-mail Móvel da Vodafone tem um acesso permanente e imediato ao seu e-mail, agenda

Leia mais

3. POPULAÇÃO E INDICADORES DEMOGRÁFICOS

3. POPULAÇÃO E INDICADORES DEMOGRÁFICOS 3. POPULAÇÃO E INDICADORES DEMOGRÁFICOS 37 38 3.1. Introdução Para a interpretação dos dados de saúde, quer de morbilidade quer de mortalidade, e nomeadamente para, com base nesses dados, se fazer o planeamento

Leia mais

Objectivo da PG Web Marketing

Objectivo da PG Web Marketing GUIÃO DO PLANO/PROJECTO DE WEB MARKETING ALZIRA MARQUES E FILIPE PINTO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM WEB MARKETING Objectivo da PG Web Marketing Slide #2 Preparar o formando para a elaboração de um plano de

Leia mais

ARTIGO 29.º - Grupo de Protecção de Dados Pessoais

ARTIGO 29.º - Grupo de Protecção de Dados Pessoais ARTIGO 29.º - Grupo de Protecção de Dados Pessoais 12054/02/PT WP 69 Parecer 1/2003 sobre o armazenamento dos dados de tráfego para efeitos de facturação Adoptado em 29 de Janeiro de 2003 O Grupo de Trabalho

Leia mais

Barômetro Cisco de Banda Larga Brasil 2005-2010

Barômetro Cisco de Banda Larga Brasil 2005-2010 Barômetro Cisco de Banda Larga Brasil 2005-2010 Resultados de Junho/2008 Preparado para Meta de Banda Larga em 2010 no Brasil: 15 milhões de conexões Mauro Peres, Country Manager IDC Brasil Copyright 2008

Leia mais

1. Introdução. 2. O pedido

1. Introdução. 2. O pedido http://www.anacom.pt/template31.jsp?categoryid=227462 Deliberação de 11.1.2007 FUNDAMENTAÇÃO PARA O SENTIDO PROVÁVEL DE DECISÃO SOBRE A CRIAÇÃO DE CÓDIGOS ESPECÍFICOS NO PLANO NACIONAL DE NUMERAÇÃO PARA

Leia mais

O ESCONDIDO VALOR ECONÓMICO DOS SEGUROS

O ESCONDIDO VALOR ECONÓMICO DOS SEGUROS O ESCONDIDO VALOR ECONÓMICO DOS SEGUROS A economia mundial, em 2011, ficou marcada pela crise da dívida soberana de países da zona euro, pela desalavancagem do setor bancário devido a maiores exigências

Leia mais

As experiências de pagamento são um dos mais fiáveis indicadores sobre o risco de incumprimento de uma empresa.

As experiências de pagamento são um dos mais fiáveis indicadores sobre o risco de incumprimento de uma empresa. Dun-Trade As experiências de pagamento são um dos mais fiáveis indicadores sobre o risco de incumprimento de uma empresa. O que é o DUN-Trade? é um programa de partilha de informação, totalmente gratuito,

Leia mais

DESTAQUE. Informação à Comunicação Social. Inquéritos de Conjuntura às Empresas Abril de 2013. 11 Abril de 2013

DESTAQUE. Informação à Comunicação Social. Inquéritos de Conjuntura às Empresas Abril de 2013. 11 Abril de 2013 Inquéritos de Conjuntura às Empresas Abril de 2013 11 Abril de 2013 No 1º trimestre de 2013, constata-se que o indicador de clima 1 manteve a tendência descendente dos últimos trimestres, ou seja, o ritmo

Leia mais

SALÃO AUTOMÓVEL AEP / GABINETE DE ESTUDOS

SALÃO AUTOMÓVEL AEP / GABINETE DE ESTUDOS SALÃO AUTOMÓVEL AEP / GABINETE DE ESTUDOS MARÇO DE 2009 1 MERCADO AUTOMÓVEL 1. Vendas de ligeiros de passageiros novos na Europa Tendo como fonte o Comunicado de 16 de Janeiro de 2009 divulgado pela ACAP,

Leia mais

Algar Telecom registra lucro de R$ 71 milhões em 2009

Algar Telecom registra lucro de R$ 71 milhões em 2009 Algar Telecom registra lucro de R$ 71 milhões em 2009 EBITDA atingiu a soma de R$ 391 milhões no ano passado São Paulo, 24 de março de 2010 A Algar Telecom, empresa de telecomunicações do Grupo Algar,

Leia mais

02 _ Evolução dos negócios

02 _ Evolução dos negócios 02 _ Evolução dos negócios 30 Mercado doméstico 30 Rede fixa 34 Móvel Portugal TMN 38 Mercado internacional 38 Móvel Brasil Vivo 42 Outros negócios internacionais Portugal Telecom Relatório e contas consolidadas

Leia mais

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1

RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 COMUNICADO Página 1 / 9 RESULTADOS CONSOLIDADOS A 30 DE JUNHO DE 2005 1 09 de Setembro de 2005 (Os valores apresentados neste comunicado reportam-se ao primeiro semestre de 2005, a não ser quando especificado

Leia mais

Relatório de Regulação. Situação das Comunicações Relatório de Actividades

Relatório de Regulação. Situação das Comunicações Relatório de Actividades Relatório de Regulação Situação das Comunicações Relatório de Actividades 000 Nota de Abertura Estrutura do Relatório Nota de Abertura Nota de Abertura A actividade de regulação do ICP Autoridade Nacional

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS

RELATÓRIO ANUAL DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS RELATÓRIO ANUAL DE ACOMPANHAMENTO DOS MERCADOS DE COMUNICAÇÕES ELECTRÓNICAS 2006 Outubro de 2007 ÍNDICE 1. Sumário... 6 2. Objecto e Método...11 3. Sector das Comunicações Electrónicas em Portugal...13

Leia mais

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA

APRESENTAÇÃO CORPORATIVA APRESENTAÇÃO CORPORATIVA Julho de 2011 Mercado Brasileiro de Telecomunicações Oi: Perfil, Cobertura e Estratégia Resultados Operacionais e Financeiros Aliança com a Portugal Telecom e Aumento de Capital

Leia mais

Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013

Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013 Estatísticas do Turismo 2013 24 de junho de 2014 Não residentes foram cruciais para o crescimento da atividade turística em 2013 Em 2013, de acordo com os dados provisórios da Organização Mundial de Turismo,

Leia mais

Barômetro. Cisco. Banda Larga. Análise de mercado. 2 o Trimestre/2006. 3 a Edição Setembro/2006

Barômetro. Cisco. Banda Larga. Análise de mercado. 2 o Trimestre/2006. 3 a Edição Setembro/2006 Barômetro Cisco Banda Larga da Análise de mercado 2 o Trimestre/2006 3 a Edição Setembro/2006 Barômetro Cisco da Banda Larga Introdução Você está recebendo a nova edição do Barômetro Cisco da Banda Larga,

Leia mais

SERVIÇOS MÓVEIS INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA

SERVIÇOS MÓVEIS INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA SERVIÇOS MÓVEIS INFORMAÇÃO ESTATÍSTICA 1.º TRIMESTRE DE 2014 Índice SUMÁRIO... 4 1. Taxa de penetração do serviço móvel... 6 2. Estações móveis / equipamentos de utilizador ativos... 7 3. Distribuição

Leia mais

nº 3 Novembro 2009 MERCADOS O VINHO NOS E.U.A. BREVE CARACTERIZAÇÃO DO SECTOR

nº 3 Novembro 2009 MERCADOS O VINHO NOS E.U.A. BREVE CARACTERIZAÇÃO DO SECTOR nº 3 Novembro 29 MERCADOS O VINHO NOS E.U.A. BREVE CARACTERIZAÇÃO DO SECTOR O VINHO NOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA BREVE CARACTERIZAÇÃO DO SECTOR Índice 1. INTRODUÇÃO 2 2. PRODUÇÃO 3 3. EXPORTAÇÃO 5 4.

Leia mais

Artigo Opinião AEP /Novembro 2010 Por: Agostinho Costa

Artigo Opinião AEP /Novembro 2010 Por: Agostinho Costa Artigo Opinião AEP /Novembro 2010 Por: Agostinho Costa COMO ESTIMULAR A MUDANÇA NA SUA EMPRESA Parte II «O novo líder é aquele que envolve as pessoas na acção, que transforma seguidores em líderes, e que

Leia mais

Condições Especiais para Inscritos no Conselho Distrital da Madeira Ordem dos Advogados Portugueses

Condições Especiais para Inscritos no Conselho Distrital da Madeira Ordem dos Advogados Portugueses Condições Especiais para Inscritos no Conselho Distrital da Madeira Ordem dos Advogados Portugueses 1. Proposta de Condições Comerciais 1.1 Posicionamento Proposta de condições especiais de tarifas e de

Leia mais