PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PEDAGOGIA 2014

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PEDAGOGIA 2014"

Transcrição

1 PROJETO PEDAGÓGICO CURSO DE PEDAGOGIA 2014

2 PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE PEDAGOGIA

3 DADOS INSTITUCIONAIS UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL Mantenedora ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL LUTERANA DO BRASIL - AELBRA Presidente Paulo Augusto Seifert Vice-presidente Leonir Mittmann Diretor Executivo Romeu Forneck Mantida UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL Reitor Marcos Fernando Ziemer Vice-reitor Ricardo Willy Rieth Pró-Reitor de Planejamento e Administração José Paulinho Brand Pró-reitor Acadêmico Pedro Antonio González Hernández Capelão Geral Pastor Lucas André Albrecht Diretor(a) Geral do Campus Débora Borges Thomas Coordenador(a) de Ensino Edinara Silveira Zambrano Coordenador(a) do Curso de Pedagogia Rosane Pereira 2

4 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO CONTEXTUALIZAÇÃO DA MANTENEDORA Nome Endereço Atos legais Breve histórico Administração e Dirigentes CONTEXTUALIZAÇÃO DA MANTIDA Nome Endereço Atos legais/data publicação no DOU Missão e visão da IES issão ão Breve histórico da Instituição Dados socioeconômicos da região CONTEXTUALIZAÇÃO DO CURSO Denominação Endereço de funcionamento Atos legais de Autorização, Reconhecimento e Renovação de Reconhecimento do curso Número de vagas anuais Forma de acesso ao curso Turno de funcionamento Carga horária total Tempo mínimo e máximo para integralização Titulação conferida Modalidade Coordenação NDE (composição) Tempo médio de permanência do corpo docente no curso Breve histórico e justificativa do curso Missão do Curso ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA Políticas Institucionais no âmbito do curso (PDI) Perfil profissiográfico Objetivos do Curso pecíficos do Curso Estrutura Curricular mas de realização da interdisciplinaridade e flexibilidade

5 4.4.2 dos de integração entre teoria e prática Familiaridade com a modalidade a distancia Tecnologias de informação e comunicação Matriz Curricular Ementário/Bibliografia básica (3) e complementar (5) Processos Metodológicos Processos Avaliativos Estágio Curricular Atividades Complementares Trabalho de Curso Atendimento ao discente Integração com as redes públicas de ensino Temática da História e Cultura Afro-brasileira e Indígena Políticas de educação ambiental Educação em Direitos Humanos Ações implementadas em função dos processos de autoavaliação e de avaliação externa Apresentação/descrição das atividades envolvendo Pós-Graduação, Extensão e Pesquisa e indicação dos modos de integração com a Graduação Outras atividades pedagógicas Concepções basilares ACOMPANHAMENTO DO EGRESSO CORPO DOCENTE Coordenação de Curso NDE Corpo docente Capacitação no âmbito do curso e institucional PROJETO COACHING INSTALAÇÕES FÍSICAS Instalações gerais Ambientes e laboratórios específicos do curso Laboratório de Informática Biblioteca Acessibilidade REFERENCIAL BIBLIOGRAFICO

6 APRESENTAÇÃO A Universidade Luterana do Brasil vem especializando as funções que lhe competem no âmbito da sociedade brasileira (ensino, pesquisa e extensão), visando a formação do ser humano na sua integralidade, com o compromisso de contribuir não só com alternativas de solução às questões sociais vigentes, mas também com conquistas de novas tecnologias que possam propiciar melhoria da qualidade de vida do egresso como da comunidade local e regional. A oferta do curso de Pedagogia ULBRA/TORRES está vinculada ao compromisso do Campus de Torres com a formação de professores. Numa região que apresenta uma demanda cada vez maior, devido à expansão da escolaridade em todos os níveis de ensino, o Pedagogo tem mercado de trabalho ampliado, atendendo alunos oriundos de diversos municípios do Estado do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DA MANTENEDORA 1.1 Nome: Comunidade Evangélica Luterana São Paulo CELSP 1.2 Endereço: Rua Fioravante Milanez, 206, Centro, Canoas/RS CEP Telefone: Fax: Atos legais: Declarada de Utilidade Pública: Municipal, pelo Decreto nº 2, de 19 de janeiro de 1970, Estadual pelo Decreto , de 09 de novembro de 1970 e Federal, pelo Decreto , de 13 de abril de Estatuto - Registro de Pessoas Jurídicas do Cartório de Registro Especiais da Comarca de Canoas/RS, sob o número de ordem 878, do Livro A-6, fls. 83, em 07 de julho de Breve histórico: A Universidade Luterana do Brasil atua em consonância com a filosofia educacional da sua Mantenedora, a Comunidade Luterana São Paulo CELSP, expressa em seu estatuto, fundamentada na fé cristã proclamada nas Escrituras Sagradas do Antigo e Novo Testamentos e confessada nos credos ecumênicos e documentos confessionais da Igreja, reunidos no livro de Concórdia de A CELSP tem como princípio norteador divulgar a mensagem cristã, da verdade sobre Deus e Sua relação com a Humanidade. Como parte integrante desta missão, está o cultivo da mente, como expressa o lema da Universidade Veritas vos liberabit (A Verdade vos libertará), inspirado no texto bíblico de João 8:32:...conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Por esta razão, a CELSP mantém esta Universidade, cuja tarefa principal é descobrir e transmitir a verdade e ser modelo, um exemplo de instituição confessional cristã cuja meta é proporcionar uma formação integral do profissional, educando-o para a vida. Tendo em vista que uma ordem social justa e participativa não é obra do acaso, mas fruto do penoso trabalho histórico, a Igreja recorre à educação como meio para chamar o 5

7 homem à comunhão com Deus e habituá-lo à luta comum por uma sociedade melhor. Engaja-se, portanto, na educação para ser fiel aos seus objetivos específicos, a saber, buscar a formação do ser humano e o desenvolvimento da sociedade na perspectiva cristã e tudo o que isso implica na teoria e na prática. Está preocupada em oportunizar uma educação cristã a todos, visto que todos os seres humanos foram chamados à mesma glória do reino de Deus. Não admite preconceitos que promovam a discriminação da pessoa humana e afrontem a cidadania. Encara a educação não como simples transmissão de conhecimentos, mas como via de acesso, mediante a pesquisa, a novos conhecimentos, que resultem na melhoria das condições de vida no mundo. 1.5 Administração e Dirigentes: Presidente: Adilson Ratund Vice-presidente: Jair de Souza Junior Secretário: Ricardo Germano Zimmer Vice-secretário: Joanides Pontes Júnior Tesoureiro: Djenane Hans Albrecht Vice-tesoureiro: Silvio Eugenio Ilg 2 CONTEXTUALIZAÇÃO DA MANTIDA 2.1 Nome: Universidade Luterana do Brasil ULBRA 2.2 Endereço do Campus: Avenida Farroupilha, 8001 Bairro São José. Canoas CEP Atos legais/data publicação no DOU: Autorização: Decreto nº , de 12 de janeiro de Reconhecimento: Portaria Ministerial nº 681/89, de 07 de dezembro de Missão e visão da IES: A ULBRA assume como Missão Institucional desenvolver, difundir e preservar o conhecimento e a cultura pelo ensino, pesquisa e extensão buscando permanentemente a excelência no atendimento das necessidades de formação de profissionais qualificados e empreendedores nas áreas da educação, saúde e tecnologia Visão: A ULBRA buscará ser uma Instituição de referência no Ensino Superior em cada localidade em que atua e estar entre as dez melhores do país. 2.5 Breve histórico da Instituição e do Campus A Universidade Luterana do Brasil ULBRA, instituição de ensino superior multicampi, confessional e comunitária, dedicada à produção, preservação e divulgação 6

8 do conhecimento, reconhecida pelo Ministério de Educação mediante a Portaria nº 681/89 tem sede e foro em Canoas, Estado do Rio Grande do Sul. A ULBRA é mantida pela Comunidade Evangélica Luterana São Paulo CELSP, pessoa jurídica de direito privado, sem fins lucrativos, com sede e foro em Canoas (RS), que congrega escolas de educação básica e estabelecimentos de ensino superior. Com o desenvolvimento do município de Canoas, que hoje é o polo de uma das mais importantes áreas econômicas e industriais do Rio Grande do Sul, cresceu a necessidade de expansão da rede de ensino em todos os níveis. Em 1968, foi criado o Colégio Cristo Redentor, escola profissionalizante de Ensino Fundamental e Médio oferecendo então os Cursos Ginasial e Técnico em Secretariado. Com a demanda crescente por educação superior, em 1972 passou a funcionar, nas dependências desse colégio o Curso de Administração de Empresas. Novos cursos resultaram na criação das Faculdades Canoenses (1977) que com o crescimento, transferiu-se, em 1981, para campus próprio, que hoje é o Campus da ULBRA, em Canoas, a qual atingiu em 1988 o status de Universidade. A ULBRA possui Campi em nove municípios do Estado: Canoas, Cachoeira do Sul, Carazinho, Gravataí, Guaíba, Porto Alegre, São Jerônimo, Santa Maria e Torres atendendo mais de 34 mil alunos nos seus diversos cursos de graduação na modalidade presencial e mais de 14 mil alunos na modalidade de Educação a Distância. Acrescente-se, os alunos matriculados em cursos de pós-graduação lato sensu, nas modalidades presencial e a distância, e os cursos de stricto sensu (sete mestrados e três doutorados). Atualmente, milhares de alunos distribuídos em cursos de graduação, extensão e especialização a distância e nas disciplinas dos cursos presenciais que são ofertadas através desta modalidade comprovam o compromisso de qualidade da Instituição perante as demandas da sociedade. Os campi da Universidade localizam-se em regiões estratégicas do Estado e representam vetores de modificação e de difusão de conhecimento nestas regiões. 7

9 Figura 1: Unidades ULBRA no Brasil 2.6 ULBRA TORRES Significando um marco na história e uma relevante mudança na trajetória cultural e educacional da região, instala-se em Torres, no verão de 1992, a ULBRA Campus Torres, com uma proposta de desenvolvimento social, cultural e econômico. Realizando seu primeiro vestibular, abre vagas para os cursos de Administração, Direito, Pedagogia e Turismo. Em janeiro de 1997, a Universidade traz para a região o curso de Psicologia, seguido em 1998 pelos cursos de Odontologia e Arquitetura e Urbanismo. Posteriores a estes, as Licenciaturas começaram a ganhar espaço, através dos cursos de Matemática, Biologia, História. Letras e Educação Física. Em 2004 passa a expandir-se ainda mais colocando em funcionamento o curso de Enfermagem e, em 2006, a comunidade torrense foi privilegiada com o curso de Fisioterapia. A Universidade, em Torres, conta com uma área de mais de metros quadrados, abrigando mais de 72 salas de aula, salas administrativas, laboratórios, banheiros, além de biblioteca, espaço cultural, auditório, galpão crioulo, capela, dentária, restaurante, livraria e ginásio de esportes. Atende a região do Litoral Norte do Rio Grande do Sul e Sul de Santa Catarina, tanto no ensino quanto na extensão e pesquisa, realizando um trabalho multidisciplinar, desenvolvendo pesquisas recentes com enfoque em turismo, meio ambiente, educação e turismo. 8

10 A Universidade Luterana do Brasil está localizada à Rua Universitária, nº 1900, Bairro Parque do Balonismo, Torres/RS. A Universidade conta com laboratório de informática com acesso à Internet, vigilância permanente, laboratórios na área das licenciaturas, biologia e pedagogia, biblioteca com grande acervo literário nas mais diferentes áreas do conhecimento, além de dispor de pesquisa digitalizada, salas de projeção, ginásio poliesportivo, auditório devidamente equipado, sala de multimeios, sala de reuniões, assessoria pedagógica, pastoral universitária, tesouraria, central de atendimento ao aluno, apoio docente, centro de convenções, galpão crioulo, espaço cultural. Conta também com serviços terceirizados de estacionamento, restaurante universitário, agência de turismo, loja de materiais dentários e espaço criança. São 13 os cursos de graduação: Administração, Arquitetura e Urbanismo, Biologia, Direito, Educação Física, Enfermagem, Fisioterapia, Odontologia, Pedagogia, História, Matemática, Psicologia e Sistemas de Informação; 3 cursos tecnológicos: Análise e Sistemas, Design de Moda e Hotelaria e Eventos. Conta com os seguintes Centros de Apoio: SAJULBRA: com grande envolvimento do curso de Direito, presta atendimento à comunidade carente. LABIN: Laboratório de informática com infraestrutura adequada para atender professores e alunos. CLÍNICA DE PSICOLOGIA: presta atendimento à comunidade externa e atende às necessidade internas. CLÍNICA ODONTOLÓGICA: presta atendimento à comunidade externa. PASTORAL UNIVERSITÁRIA: atende principalmente acadêmicos, bem como professores, funcionários e familiares. LAPEM (Laboratório de Aprendizagem Pedagógica e Educação Matemática) atende alunos das escolas da região através de seus acadêmicos, bem como, os próprios acadêmicos do curso de Matemática. Cabe salientar que, em relação aos cursos de licenciatura (História, Matemática e Pedagogia), a instituição oferece bolsas de estudo (48,7%) para os acadêmicos que iniciaram o curso até , matriculando-se em, no mínimo 20 créditos. Já, para os ingressantes a partir de , a universidade oferece doze modalidades de bolsas de estudos (conforme Resolução Nº 38, do CONSUN, de setembro de 2010) as quais o acadêmico, através da ficha socioeconômica pode ser contemplado com descontos. 1 Ainda, importa dizer que, a partir de convênios, como o ULBRA/CIEE, muitos acadêmicos têm a possibilidade de manter-se matriculados no curso desejado e já estarem inseridos no mercado de trabalho. A ULBRA Torres têm aproximadamente alunos matriculados e frequentando os cursos de graduação. Possui 109 professores e 61 funcionários administrativos. 2.7 Dados socioeconômicos da região O Município de Torres, um dos mais antigos do Estado, é integrante da microrregião setentrional do Rio Grande do Sul. Está localizado a 197 km de Porto Alegre e 280km de Florianópolis. Os seus limites são: ao Sul, municípios de Dom Pedro de Alcântara e Arroio do Sal; ao Norte, Estado de Santa Catarina; ao Leste, Oceano Atlântico e a Oeste, Rio Mampituba. Possuía, em 2004, de acordo com os dados do FEE/RS, 1 Centro de Integração Empresa Escola 9

11 habitantes, em um território de 162,1 Km², o que resulta em 209,3 hab./km², tendo como principais vias de acesso a BR 101 e a Estrada do Mar (RS 389). O PIB per capita em 2008 era de R$ ,57 e a taxa de analfabetismo de 7,49%. Torres apresenta uma das mais valiosas forças econômicas da área nordestina do Estado do Rio Grande do Sul, sendo próspera no comércio, na indústria, na construção civil, no artesanato e no turismo. Sua agricultura é rica e farta, produzindo arroz, feijão, milho, banana, fumo, cana-de-açúcar e mandioca. Tem crescido muito a produção de tomate, pimentão, repolho e cenoura. Na produção de animais de corte, destaca-se o bovino. A região, pelas suas belezas naturais, seu clima ameno, a vastidão de suas brancas praias, atrai milhares de pessoas de todas as partes do Brasil e também dos países vizinhos. O setor secundário não possui uma atuação completa por causa da quase ausência de indústrias no município. A indústria é constituída de engenhos de cana-de-açúcar, destilarias de aguardente, serrarias, olarias, descascadores de arroz, estufas de fumo, fábricas de esquadrias, de móveis e de pequenas indústrias caseiras. As atividades comerciais são bem desenvolvidas principalmente nos meses de veraneio 3 CONTEXTUALIZAÇÃO DO CURSO 3.1 Denominação Curso de Pedagogia - Licenciatura 3.2 Endereço de funcionamento Rua Universitária, 1900 Parque do Balonismo Torres CEP Atos legais O Curso de Pedagogia na Universidade Luterana do Brasil foi reconhecido pela Portaria Ministerial nº 690 de 15/12/1989, Documento nº 349/90, publicado no Diário Oficial da União de 18/12/1989, Parecer CFE nº 904/89, de 07/11/1989. A Pedagogia trouxe às Licenciaturas uma proposta de formação acadêmica que, buscando integrá-las, oferece disciplinas comuns à Formação de Professores. Assim é que, na sua primeira Base Curricular, de 1989 até meados de 1996, encontramos uma base geral comum a todos os cursos de Ensino Superior/ULBRA, seguida de disciplinas de Fundamentos da Educação, Pedagógicas, Específicas por Habilitações, Práticas e Estágios. Em 1998, o Curso de Pedagogia passou a oferecer uma nova proposta curricular oferecendo habilitação Educação Infantil e Séries Iniciais. De 1998 a 2002, o curso fez alterações metodológicas no desenvolvimento da sua matriz curricular, para se inserir na concepção da formação do pedagogo educador - pesquisador, que se avizinhava e se concretizara no Parecer do CNE/CP 009/2001 aprovado em 08/05/2001, que estabelecia então as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Formação de Professores da Educação Básica, em nível superior, curso de licenciatura, de graduação plena. Em 2002, segundo semestre, passou a vigorar o PARECER 009/2001, orientando novas Matrizes Curriculares aos Cursos de Formação de Professores, em território nacional. Nosso curso implantou, então, um novo Projeto Pedagógico que orientou um 10

12 novo Paradigma Curricular que, principalmente, privilegiava a prática como componente curricular vivenciada ao longo do Curso, estágios supervisionados, a partir da segunda metade do Curso e horas de Atividades Complementares que dispunham à diversidade de expectativas profissionais e também regionais à Formação Docente. A ULBRA, movida por sua gestão acadêmica, aceita as peculiaridades e avança traçando novos rumos ao seu Ensino Superior a formalização dinâmica dos Ciclos de Formação que deverão nortear todo o paradigma pedagógico da Universidade, efetivamente, a partir de 2006/1. O Ensino Superior ULBRA Sede Canoas e Campi Sul, passa a constituir-se em três grandes Ciclos: o de Formação Geral, o de Formação Básica Profissional e o de Formação Profissional Específica. Nesta nova configuração, a Pedagogia localiza-se em responsabilidade na sua Área: Educação e Correlatos, constituída dos Cursos de Letras, Física, Matemática, Biologia, Educação Física, Geografia, Química, História, Artes Visuais e Filosofia, dentre as demais áreas também constituídas nesta nova organização acadêmica: Ciências Agrárias, Ciências Humanas e Sociais Aplicadas, Saúde e Bem-Estar Social, Tecnologia e Computação. Em 2006, realizaram-se os estudos sobre as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Pedagogia, a saber, Parecer CNE/CP n 5/2005. Estas Diretrizes apontam para significativas modificações no curso, entre elas, como a extinção das habilitações, e as novas finalidades. Entre 2005 e 2006, o Curso de Pedagogia organiza seus estudos acompanhando o desenvolvimento das prerrogativas do Conselho Nacional de Educação, nos termos das Diretrizes Curriculares Nacionais (Pareceres do CNE/CP 5/2005 e 3/2006 e Resolução CNE/CP 1/2006), que estabelecem como desenvolvimento do curso: a formação de Professores da Educação Infantil e dos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, incluindo a modalidade de Educação de Jovens e Adultos (EJA); dos cursos de Ensino Médio, na modalidade Normal, de educação profissional na área de serviços e apoio escolar e em outras áreas em que os conhecimentos pedagógicos estejam previstos. Além de gestão de escolas, sistemas e/ou ambientes educativos. O curso de Pedagogia na ULBRA, campus de Torres, autorizado pela Portaria nº 75, de 29 de janeiro de 1996, passa pelas reformulações destacadas anteriormente. 3.4 Número de vagas anuais 100 vagas 3.5 Forma de acesso ao curso O ingresso aos Cursos Superiores de Graduação tem como pré-requisito a posse de certificado de conclusão do ensino médio ou equivalente e somente é possível mediante classificação em processo seletivo, exceto nos casos previstos na legislação vigente. O processo seletivo é regulamentado pelo CONSUN com base em proposta apresentada pela Comissão Permanente do Vestibular, constituída por representantes de diferentes segmentos da Universidade. O processo seletivo é aberto por edital, publicado na forma da lei, do qual constam os cursos e vagas oferecidos, prazos, documentação, critérios de classificação e desempate e demais informações úteis. No vestibular, a ULBRA reserva até 10% (dez por cento) das vagas dos cursos, exceto para o curso de Medicina, para candidatos que desejam utilizar sua avaliação do 11

13 Exame Nacional do Ensino Médio. Para a inscrição, o candidato se dirige ao campus no qual deseja estudar dentro dos prazos de inscrição, entrega o documento que comprove sua avaliação no ENEM e efetua o pagamento da taxa de inscrição, ou então, pode fazer o mesmo processo pela internet no site no link inscrição com ENEM. A Universidade está credenciada para participar do FIES e do PROUNI. Anualmente, antes de cada período letivo, a ULBRA torna público o seu catálogo institucional, que contém, no mínimo, os programas e cursos oferecidos, com seu conteúdo, duração e situação legal, os critérios de avaliação da aprendizagem, a qualificação de seu corpo docente, a descrição dos recursos materiais à disposição dos alunos, e o valor dos encargos educacionais e as normas de reajuste aplicáveis. A ULBRA também concede acesso extra-vestibular para diplomados, além de transferência interna e externa, desde que haja vaga no curso pretendido e em época prevista no Calendário Acadêmico. 3.6 Turno de funcionamento Noite 3.7 Carga horária total horas 3.8 Tempo para integralização Conforme a Resolução CONSUN nº 49/2012 o Curso de Pedagogia está organizado para integralização em sete semestres (3 anos e meio). O tempo máximo para a integralização é de quatorze semestres (7 anos). 3.9 Titulação conferida Licenciado em Pedagogia 3.10 Modalidade Presencial 3.11 Coordenação Profa. Ms. Rosane Cardoso Pereira - Coordenadora Profa. Ms. Viviann de Almeida Pereira- Coordenadora de Atividades 3.12 NDE Nome Titulação Função Regime de Trabalho Rosane Cardoso Pereira Mestre Professora Integral 12

14 Antonio Serafim Corrêa Doutor Professor Parcial Carmem Maria Oliveira de Azevedo Mestre Professora Parcial Clea Silvia Biasi Kras Dorutora Professora Parcial Viviann de Almeida Pereira Mestre Professora Parcial 3.13 Tempo médio de permanência do corpo docente no curso Nome Titulação Desde De Regime de Trabalho Antonio Serafim Corrêa Doutor 1993 Parcial José Alberto Chemim Mestre 1994 Parcial Carmem Maria Oliveira de Mestre 1993 Azevedo Parcial Cléa Silvia Biasi Krás Doutora 1992 Parcial Juliane Maria Puhl Gomes Mestre 2001 Parcial Luiz Carlos Garllip Especialista 1997 Horista Marjana Taborda Albrecht Especialista 2010 Parcial Marinei Lopes Pedralli Mestre 2005 Parcial Marlene Fernandes Brahm Especialista 1999 Horista Miguel Augusto Pinto Mestre 2008 Soares Parcial Neiva Maria Calliari Especialista 1994 Parcial Rita Marlei Teixeira Dalpiaz Especialista 1995 Parcial Rosane Sacandolara Mestre 1997 Zeferino Parcial Rosane Cardoso Pereira Mestre 2010 Integral Viviann de Almeida Pereira Mestre 207 Integral Walter Ari Dohnert Júnior Especialista 2004 Integral Breve histórico do curso A oferta do curso de Pedagogia ULBRA/TORRES está vinculada ao compromisso do Campus de Torres com a formação de professores. Numa região que apresenta uma demanda cada vez maior, devido à expansão da escolaridade em todos os níveis de ensino, o Pedagogo tem mercado de trabalho ampliado, atendendo alunos oriundos de diversos municípios do Estado do Rio Grande do Sul e Santa Catarina. 13

15 O Curso, em consonância, com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI/ULBRA busca contribuir para o desenvolvimento científico, educacional e social da região de sua abrangência, (Litoral Norte Gaúcho) do Estado e, por extensão, na sociedade brasileira como um todo. Por conseguinte, tem como objetivos gerais: a) Analisar, problematizar, contextualizar e sintetizar, de modo crítico e criativo, processos sociais implicados na formação profissional do sujeito cidadão. b) Orientar, mediar e avaliar o processo ensino-aprendizagem e comprometer-se diante de situações didáticas e pedagógicas, problematizando-as à construção do conhecimento, da autonomia e do posicionamento crítico frente às diversidades sociais e culturais dos ambientes educativos, na formação continuada e nas práticas investigativas, reflexivas e de inclusão social. c) Formar profissionais que configurem capacidades de produzir conhecimento sobre seu trabalho, de tomar decisões em favor da qualidade cognitiva das aprendizagens escolares e de atuar no processo constitutivo da cidadania do sujeito educando, pautando-se pelo respeito aos princípios éticos, às questões culturais, sociais e econômicas com atenção para o debate contemporâneo que busca a construção de uma sociedade mais justa, igualitária e de inclusão social, no que se refere à docência e à gestão em ambientes educativos. Deste modo, seu currículo está voltado para a realidade social e profissional local e regional. Integrando-se às diferentes modalidades de ensino, a fim de promover a integração entre as mesmas e o aproveitamento de estudos por parte dos discentes. Isto se constitui em um conjunto sequenciado de atividades e disciplinas, realizado em módulos consecutivos, objetivando um aumento da agilidade através do aproveitamento de estudos realizados, possibilitando a inserção do aluno na vida profissional, enquanto dá continuidade à sua formação acadêmica. Para isso, tem como prioridade o aperfeiçoamento constante e profundo de sua atividade acadêmica, buscando não só consolidar como ainda melhorar com substância seus resultados educacionais e de produção acadêmica, tanto em nível da Licenciatura, quanto da Pós Graduação e Extensão (integradas). Cultiva e promove, uma prática calcada em princípios éticos e cristãos que possibilite a construção do conhecimento técnico-científico, o aperfeiçoamento cultural e o desenvolvimento de um pensamento reflexivo, crítico e responsável, que impulsione a transformação sócio-política, cultural e educacional da sociedade. O Curso aborda diferentes áreas do conhecimento, envolvendo as ciências humanas, sociais e tecnológicas e propõe a habilitar para o exercício da docência em ambientes educativos escolares e não escolares para a Educação Infantil, Anos Iniciais do Ensino Fundamental, Educação de Jovens e Adultos, Magistério das matérias Pedagógicas do Ensino Médio da Gestão de Escolas, Sistemas e/ou Ambientes Educativos, de Apoio Escolar, além de atender, quando necessário, área onde seus Saberes e Competências se fazem necessário. Os acadêmicos participam de atividades de pesquisa e de extensão; de eventos promovidos pelo curso, como: Semana Acadêmica, Dia do Pedagogo, Jornadas Pedagógicas, Projetos Educacionais e atividades práticas no âmbito das diferentes disciplinas. Destacamos também a participação dos nossos acadêmicos nas Feiras de Livros da Região, no Balonismo de Torres e de Eventos Festivos do município do entorno, com trabalho de pinturas e recreação, dirigido às crianças. 14

16 O Curso coordena e promove o Simpósio Internacional e Fórum Nacional de Educação, ISSN X. Este evento favorece a formação complementar e extracurricular de seus acadêmicos e demais licenciaturas. Possibilita, ainda, o encontro dos pesquisadores locais e brasileiros na área e a comunicação/discussão de suas investigações, além da formação continuada de professores de Educação Básica e Superior da região do País e fora dele. O curso tem registrado na coordenação de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão o projeto de pesquisa: PERSPECTIVAS DE GESTÃO DEMOCRÁTICA NA REDE MUNICIPAL DE ENSINO DO LITORAL NORTE DO RIO GRANDE DO SUL PÓS-LEI Nº /95 E LDB Nº 9.394/96, do Prof. Dr. Antonio Serafim Pereira com o título FORMAÇÃO DOCENTE E INTERTEXTUALIDADE EDUCATIVA. Linha de pesquisa: Currículo, formação e gestão educacional. O LAPEM (Laboratório de Aprendizagem Pedagógica e Educação Matemática), por intermédio de seus acadêmicos, presta assessoria às escolas, através de palestras, cursos de formação continuada, empréstimo de materiais e oficinas pedagógicas. Há também o projeto de Boca Aberta para o Mundo, por meio do qual o curso de Pedagogia, em parceria com o curso de Odontologia, presta serviços de motivação e alerta à proteção da dentição infantil nas escolas públicas da região. Os professores do curso de Pedagogia também prestam serviços de consultoria e formação às escolas e municípios da região Missão do Curso O Curso de Pedagogia tem como missão o desenvolvimento, a formação e a diplomação de profissionais da Área da Educação com condições de construir coletivamente processos efetivos e qualificados de ensino-aprendizagem em diferentes ambientes educativos, destacando-se por uma qualificação científica consistente e pela contribuição na configuração de redes de socialização e de inclusão pautadas pela ética, pela solidariedade, sustentabilidade e pela responsabilidade social. 4 ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA 4.1 Políticas Institucionais no âmbito do curso (PDI) Frente aos desafios da contemporaneidade e considerando as orientações advindas das Diretrizes Curriculares Nacionais é essencial que, no curso de Pedagogia, a mobilização da dinâmica curricular se desenvolva pela programação de políticas e estratégias que permitam a articulação entre teoria e prática. Este princípio é definido pela capacidade de apreensão e exercício organizados pela reflexão sistemática que descreve e insere o aluno/docente nesta relação de reciprocidade situando-o num contexto de formação acadêmica plena. A perspectiva metodológica encaminha para uma construção de significados como processo norteador da proposta pedagógica, concebendo um educador comprometido com sua profissão em situações educativas. A Pesquisa e a Extensão, inseridas nos processos de Ensino, integram as atividades acadêmicas, imprimindo nos seus componentes curriculares valores éticos, estéticos, críticos, lúdicos e emancipatórios, entendida a investigação como prática educativa. 15

17 4.2 Perfil profissiográfico O egresso do curso de Pedagogia deve possuir conhecimentos teórico-científico que, através de suas inserções crítico-reflexivas em instituições educacionais e outros espaços educativos, promova o desenvolvimento e a valorização dos seres humanos, pela elaboração e construção dos processos de ENSINAR e de APRENDER, participando na construção de uma sociedade democrática, justa, inclusiva e solidária. O Curso tem como pressuposto central que o egresso saiba mobilizar-se na articulação de conhecimentos transformando-os em ação docente e gestora compreendendo a coerência entre o referencial de sua preparação e constituição organizacional dos locais de atuação profissional. Competências do Licenciado em Pedagogia O egresso do curso de Pedagogia deverá estar apto a: demonstrar conhecimento das tecnologias de informação e comunicação aplicadas a educação, adequando-as aos processos didático pedagógicos e ao desenvolvimento de aprendizagens significativas; identificar problemas socioculturais e educacionais com postura investigativa, integrativa e propositiva, em face de diferentes linguagens e realidades complexas, com vistas a contribuir para a superação dos processos de exclusão; atuar na gestão das instituições onde se insere, contribuindo na elaboração, implementação, coordenação, acompanhamento e avaliação dos processos pedagógicos; atuar com postura ética e política em espaços escolares e não escolares com vistas a promover a aprendizagem das pessoas em diferentes fases do desenvolvimento humano, em diversos níveis e modalidades educacionais; participar da gestão das instituições em que atuem planejando, executando, acompanhando e avaliando projetos e programas educacionais, em ambientes escolares e não escolares; prestar serviços especializados à comunidade, estabelecendo com esta uma relação de dialogicidade e de reciprocidade através de sua ação competente, responsável e comprometida com a docência, com a gestão e com os processos de apoio educacional; contextualizar em ambientes escolares e não escolares as diferentes temáticas referentes as questões étnico raciais, ao meio ambiente, a cultura afro-brasileira e aos direitos humanos; exercer a docência mantendo a coerência entre as decisões didáticometodológicas e os pressupostos epistemológicos; propor estratégias diversificadas de avaliação da aprendizagem e, a partir de seus resultados, desencadear propostas de (intervenções) pedagógicas; investir na sua formação continuada com vistas ao atendimento das demandas sociais e educacionais. investigar, analisar e refletir sobre a realidade e a produzir saberes pedagógicos, mediando, planejando, executando e avaliando com vistas às construções das práticas educacionais que vinculem conhecimentos e valores necessários à sociedade contemporânea; propor estratégias pedagógicas inovadoras nos diversos ambientes educativos. 16

18 4.3 Objetivos ral do Curso Formar profissionais capacitados para atuarem na docência em Educação Infantil e nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental, nos cursos de Ensino Médio, na modalidade Normal, e em cursos de Educação Profissional na área de serviços e apoio escolar, bem como em outras áreas nas quais sejam previstos conhecimentos pedagógicos pecíficos do Curso Fomentar os estudos das diferentes concepções epistemológicas que orientam as práticas docentes na Educação Infantil, nos anos iniciais do ensino Fundamental e nas Matérias Pedagógicas do Ensino Médio de forma a qualificar os processos pedagógicos; Promover a construção de saberes relacionados ao desenvolvimento e aprendizagem de crianças, jovens e adultos inseridos em diversidade de contextos, com vistas ao processo inclusivo; Propiciar elementos para as ações de planejamento, execução e avaliação, do trabalho pedagógico em ambientes escolares e não escolares, a partir do entendimento das dinâmicas institucionais e seus processos de gestão participativa; Incentivar o trabalho de pesquisa e de extensão visando ao desenvolvimento da ciência e da tecnologia com vistas à produção e divulgação dos conhecimentos construídos. 4.4 Estrutura Curricular A matriz curricular do curso de Pedagogia está estruturada em 08 semestres letivos, ao longo dos quais estão distribuídas as disciplinas do núcleo de estudos básicos, do núcleo de aprofundamento e diversificação de estudos, bem como as atividades complementares vinculadas ao núcleo de estudos integradores. Já no primeiro semestre o aluno entra em contato com o universo infantil, ao mesmo tempo em que cursa as primeiras disciplinas que dão base à profissão docente, e que se distribuem do início ao fim do curso, de forma a ancorar os conhecimentos que se constroem por meio das diferentes disciplinas teóricas, metodológicas e das vivências obtidas junto aos quatro estágios, situados do quinto ao sétimo semestre do curso. A partir do sexto semestre são focadas as disciplinas que tratam da educação e da gestão em ambientes formais e não formais de ensino, permitindo ao aluno uma visão bem mais abrangente das possibilidades da ação docente e gestora em diferentes campos de atuação, numa visão integrativa e propositiva. As disciplinas do último semestre, por sua vez, permitem revisitar toda a formação do aluno, estabelecendo relações entre os saberes e fazeres construídos ao longo da formação docente. As atividades complementares, vinculadas ao núcleo de estudos integradores, por sua vez, são realizadas ao longo de toda a formação acadêmica, proporcionando aos alunos o exercício do ensino, da pesquisa e da extensão, monitoradas pelo corpo docente. 17

19 Na matriz curricular estão presentes quatro disciplinas de formação geral, ofertadas pela Universidade para todos os cursos: Comunicação e Expressão, Instrumentalização Científica, Cultura Religiosa e Sociedade e Contemporaneidade, com 68 horas cada, totalizando 272 horas. São ofertadas, também, disciplinas de formação pedagógica comuns a todos os cursos de licenciatura da Universidade, a saber: 1) Psicologia do Desenvolvimento e da Aprendizagem; 2) Filosofia da Educação; 3) Escola e Currículo; 4) Projetos Interdisciplinares; 5) Didática: Organização do Trabalho Pedagógico; 6) Políticas e Normas da Educação Básica; 7) Educação Inclusiva. Também a disciplina de LIBRAS compõe a matriz dos cursos de licenciatura. A oferta destas disciplinas a todos os cursos permite uma vivência interdisciplinar ímpar aos licenciados. As disciplinas citadas acima possuem 68 horas cada, totalizando 544 horas de disciplinas compartilhadas as de realização da interdisciplinaridade e flexibilidade Dentro dessa concepção, a matriz curricular do Curso de Pedagogia procura estabelecer caminhos para uma perfeita construção dos saberes interdisciplinares. A interdisciplinaridade é estimulada pela inter-relação dos componentes curriculares internos de um mesmo Ciclo (seja o Geral, o Básico-Profissional e/ou o Profissional) seja desses Ciclos, por sua vez interseccionados. Da mesma forma, efetiva-se a interdisciplinaridade por meio do entrecruzamento com outras áreas do saber, tanto por meio de articulações cognoscentes, como no cursar de eixos de outros cursos o que é proporcionado pela complementaridade dos eixos Optativos. A partir desse processo de conhecimento e formação, prepara-se o aluno para atuar em consonância com a complementação de dois princípios fundamentais da Educação: a unidade e a diversidade. A inter-relação desses princípios mantém o homem fiel à sua vocação democrática. As ementas e os programas dos eixos são passíveis de mudanças sempre que haja necessidade de atender às novas demandas educacionais e sociais. As readequações de procedimentos hão de refletir na condução da aplicação teórico prática dos programas dos eixos, pois estes objetivam formar competências para que se coadunem com a contextualização socioeducacional. O curso, no seu processo de desenvolvimento, alterou a estrutura curricular com o objetivo de aproximar o aluno do mercado de trabalho, ampliando, com a mudança realizada, as competências do profissional egresso no campo da Educação. Os principais critérios para selecionar o referencial bibliográfico são: a relevância e a adequação aos objetivos do curso, no que se refere ao perfil do profissional que se deseja formar, em consonância com as necessidades da realidade socioeducacional. Além disso, também é levada em conta, como critério, a construção progressiva do conhecimento, por parte do acadêmico, ao longo do curso dos de integração entre teoria e prática A formação docente exige a articulação teórica-prática, sob pena de tornar-se destituída de significado. Assim, as diferentes disciplinas e estudos propostos pelo curso buscam incitar cotidianamente à articulação entre as teorias estudadas na esfera acadêmica e a sua manifestação no âmbito das práticas realizadas nos diferentes espaços educativos. Isto pode dar-se pela análise da realidade, em exercícios de 18

20 diagnóstico e leitura de situações de ensino e aprendizagem; na articulação de conceitos e suas manifestações nos ambientes educativos; na criação e aplicação de ferramentas pedagógicas a situações específicas; na avaliação de cases e resultados das avaliações escolares e institucionais e também no estímulo à proposição de estratégias inovadoras para questões educacionais iliaridade com a modalidade a distancia O Curso possui familiaridade com a modalidade de educação a distância, tendo em vista a oferta de disciplinas na modalidade EAD conectado, observado o limite de 20% previsto em lei para esta modalidade de oferta nos cursos de graduação presencial. Neste sentido, o curso oferece três disciplinas da sua matriz curricular que podem ser cursadas na modalidade à distância: 1) Políticas e Normas da Educação Básica; 2) Psicologia do Desenvolvimento e da Aprendizagem; 3) Educação Inclusiva. Estas disciplinas são oferecidas dentro da plataforma net aula, a qual possui todos os recursos necessários para esta modalidade de ensino, sendo utilizada amplamente nos cursos de graduação a distância da Universidade gias de informação e comunicação Na perspectiva de formar cidadãos aptos a interagir em um mundo em constantes transformações, o curso oportuniza aos alunos o contato com as tecnologias da informação e da comunicação utilizando o LABIN Laboratório de Informática, como também na educação corporativa e em outros espaços de aprendizagem. Por outro lado, a utilização da net aula como recurso possibilita inúmeras interações. 4.5 Matriz Curricular CÓDIGO DISCIPLINAS SEM CH CRED SEQ ATIVIDADES COMPLEMENTARES COMUNICACAO E EXPRESSAO HISTORIA DA EDUCACAO PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO E DA APRENDIZAGEM LUDICIDADE E PSICOMOTRICIDADE ARTE E EDUCACAO FILOSOFIA DA EDUCACAO DESENVOLVIMENTO DA LINGUAGEM HUMANA LITERATURA INFANTO-JUVENIL FUNDAMENTOS TEORICOS E METODOLOGICOS DA EDUCACAO INFANTIL ESCOLA E CURRICULO

21 PROJETOS INTERDISCIPLINARES PRODUÇÃO TEXTUAL DIDATICA: ORGANIZACAO DO TRABALHO PEDAGOGICO EDUCAÇÃO MUSICAL FUNDAMENTOS DA AÇÃO PEDAGÓGICA ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO ORGANIZACAO DOS TEMPOS E ESPACOS NA INFANCIA POLÍTICAS E NORMAS DA EDUCAÇÃO BÁSICA FUNDAMENTOS TEORICOS E METODOLOGICOS DOS ANOS INICIAIS LÍNGUA PORTUGUESA NOS ANOS INICIAIS FUNDAMENTOS TEORICOS E METODOLOGICOS DA MATEMATICA FUNDAMENTOS TEORICOS E METODOLOGICOS DAS CIENCIAS HUMANAS FUNDAMENTOS TEORICOS E METODOLOGICOS DAS CIENCIAS NATURAIS ESTAGIO CURRICULAR: EDUCAÇÃO INFANTIL EDUCACAO DE JOVENS E ADULTOS INSTRUMENTALIZACAO CIENTIFICA PSICOLOGIA DO DESENVOLVIMENTO E APRENDIZAGEM: ADOLESCÊNCIA E VIDA ADULTA GESTÃO DE PROCESSOS AVALIATIVOS EDUCACAO INCLUSIVA ESTAGIO CURRICULAR: ANOS INICIAIS E/OU EJA-AI INTRODUCAO A PSICOPEDAGOGIA METODOLOGIA DO ENSINO DA MATEMÁTICA APLICADA À EDUCAÇÃO INFANTIL E ANOS INCIAIS GESTÃO DA EDUCAÇÃO BÁSICA PROCESSOS INVESTIGATIVOS NA EDUCACAO PEDAGOGIA E AMBIENTES NAO ESCOLARES ESTAGIO CURRICULAR: FORMAÇÃO PEDAGÓGICA E

22 EDUCAÇÃO PROFISSIONAL EM AE OU ANE SOCIOLOGIA DA EDUCACAO PEDAGOGIA SOCIAL CULTURA RELIGIOSA SOCIEDADE E CONTEMPORANEIDADE TECNOLOGIA DA INFORMACAO E COMUNICACAO NA EDUCACAO ESTAGIO CURRICULAR: GESTÃO EM AE OU ANE LIBRAS DINÂMICAS INTERPESSOAIS: VISÃO INTERDISCIPLINAR ETICA: EDUCACAO E TRABALHO PSICODINAMICA DA APRENDIZAGEM Total de horas/aula: Ementário/Bibliografia básica (3) e complementar (5) Disciplina Ementa Bibliografia Básica Bibliografia Complementar Comunica Leitura e CORREA, Vanessa Loureiro. ANDRADE, Maria Margarida de; ção e compreensão de Língua Portuguesa: da HENRIQUES, Antonio. Língua Expressão textos. Gêneros oralidade à escrita. Curitiba: Portuguesa: noções básicas para textuais. IESDE/Curitiba, cursos superiores. 8.ed. São Linguagem verbal e KOCH, Ingedore Villaça. O Paulo: Atlas, não-verbal. texto e a construção dos ANDRADE, Maria Margarida de; Linguagem literária. sentidos. São Paulo: Contexto, MEDEIROS, João Bosco. Variação da língua, Comunicação em Língua considerando as MARTINS, Dileta; Portuguesa. São Paulo: Atlas, minorias étnicas. ZILBERKNOP, Lúbia Da oralidade à Português instrumental. 25 ed. ANTUNES, Irandé. Lutar com escrita. Coesão São Paulo: Sagra/ Luzzato, palavras: coesão e coerência. São textual. Coerência e Paulo: Parábola Editorial, lógica. Acentuação CEGALLA, Domingos Paschoal. e uso do hífen. Novíssima gramática da língua Concordância e portuguesa. 46ª.ed. São Paulo: regência. Redação Nacional, História da Educação acadêmica. Linguagem e carreira profissional Estudo analíticocrítico-temporal da história da educação com ênfase no pensamento ARANHA, Maria Lúcia de Arruda. História da Educação. 2ª ed. Revista e atualizada, são Paulo: editora Moderna, 2001 ÁRIES, Philipe. História Social da criança e da família. Rio de LEDUR, Paulo Flávio. Guia Prático da Nova Ortografia: as mudanças do Acordo Ortográfico. 2.ed. Porto Alegre, RS: AGE, ARMANE, Domingos. Como Elaborar Projetos? Guia Pratico para Elaboração e Gestão de Projetos Sociais. Porto Alegre: Tomo Editorial, GONH, Maria da Glória. Educação 21

23 Psicologia do Desenvolv imento e da Aprendiza gem Ludicidad e e Psicomotr icidade moderno e contemporâneo através das temáticas, numa perspectiva de transversalidade que envolve as mudanças de paradigmas, tendo como referência especial a realidade histórica educacional das sociedades Estudos históricos e sociais da constituição da Psicologia como ciência e seus pressupostos teóricos. Pesquisa, análise e configurações conceituais acerca do desenvolvimento humano em seu ciclo vital de base biopsicossocial, cognitiva e cultural. As teorias de aprendizagem propondo reflexões contextualizadas sobre a temática. Fundamentos teórico-práticos de procedimentos psicomotores que estabelecem a mediação e integração entre o agir, sentir e pensar no desenvolvimento infantil. A ludicidade como instrumento da expressividade, afetividade e imaginação possibilitando a relação entre a construção do corpo e a construção da Janeiro: Zahar, GADOTTI, Moacir. História das Ideias Pedagógicas. São Paulo: Ática, 2002 FERREIRA, Berta Weil ; RIES, Bruno Edgar (Org.) Psicologia e Educação : desenvolvimento humano. v. 1 e 2. Porto Alegre : Editora da PUCRS, GERRIG, Richard J. ; ZIMBARDO, Philip G. A psicologia e a vida. Porto Alegre : Artmed, PAPALIA, Diana. Desenvolvimento Humano. Porto Alegre : Artmed, não formal e cultura do 3º setor. São Paulo: editora Cortez, GUARESCHI, Alcide Pedrinho. Sociologia crítica: alternativas de mudança. Porto Alegre. Mundo Jovem, 2006 LEHENBAUER, Silvana ET AL (org.). O Ensino Fundamental no Século XXI: Questões e Desafios. Canoas: Editora da Ulbra, MORIN, Edgar. O método: o conhecimento do conhecimento. Porto Alegre: Sulina, ARCE, Alessandra. Friedrich Froebel: o pedagogo dos jardins de infância. Petrópolis: Vozes, p. (Coleção educação e conhecimento). CANDAU, Vera Maria (Org.) Somos todos iguais? Escola, discriminação e educação em direitos humanos. Rio de Janeiro : DP&A, DESSEN, M. A.; COSTA Jr., A. I. A ciência do desenvolvimento humano. Porto Alegre: Artmed, EIZIRIK, Cláudio Laks ; KAPCZINSKI, Flávio ; BASSOLS, Ana Margareth (Org.) O ciclo da vida humana : uma perspectiva psicodinâmica. Porto Alegre : Artmed, FERREIRA, Maria Elisa Caputo ; GUIMARÃES, Marly. Educação Inclusiva. Rio de Janeiro : DP&A, ANTUNES, Celso. Alfabetização moral em sala de aula e em casa, do nascimento aos 12 anos. 6.ed. Petrópolis: Vozes, PAPALIA, Diane E.: OLDS, Sally Wendkos; FELDMAN, Ruth Duskin. DESSEN, M. A. ; COSTA Jr., A. I. A ciência do desenvolvimento humano. Porto Alegre : Artmed, ARNAIZ Sánchez, Pilar. (org) A psicomotricidade na educação infantil: uma prática preventiva e educativa. Porto Desenvolvimento Humano. Paulo: McGraw-Hill, São Alegre: ARTMED, WEISS, Maria Lucia Lemme / SANCHEZ, MARTINEZ, Pilar Marta Arnaiz; Rabadán; WEISS, Alba Maria Lemme PEÑALVER, Iolanda. A WAK Vencendo As psicomotricidade na educação Dificuldades De infantil: uma prática preventiva e Aprendizagem Escolar. Wak, educativa. POA: ARTMED SCOZ, Beatriz. Psicopedagogia e realidade escolar : o problema escolar e de aprendizagem. 15. ed. Petrópolis : Vozes,

24 identidade. Arte e Educação Estudo da Arte nas linguagens Cênicas e Visuais, tendo como sinalizador a edificação dos pilares da educação, do ser critico e sensível, do fazer criativo, da convivência plural, do conhecer multicultural, que revelam a sensibilidade formativa no processo de análise e pesquisa dos aportes teóricos, epistemológicos e metodológicos da Arte-Educação, ressignificando linguagens corporais e visuais em expressão, formatividade e representação. BARBOSA, Ana Mae Tavares Bastos. A imagem no ensino da arte: anos oitenta e novos tempos. 5. ed. São Paulo : Perspectiva, Arte/educação: Como Mediação Cultural e Social: 1 ed. UNESP SCHLICHTA, Consuelo Alcioni Borba Duarte. Artes visuais e música. Curitiba: IESDE/Curitib a, ABRAMOVICH, Fany. Literatura Infantil: gostosuras e bobices. São Paulo: Scipione, BARBOSA, Ana Mae; COUTINHO, Rejane Galvão. Arte/educação como mediação cultural e social. São Paulo : UNESP, REVERBEL, Olga. Um caminho do teatro na escola. São Paulo: Scipione, SANTOS, Jose Osmando Gomes; RODRIGES, Jader. Aprender Brincando dinâmicas muitas dinâmicas. Vozes, PELLEGRINI, Domingos. Família composta: teatro. Brasília. Ministério da Educacao, Filosofia da Educação Desenvolv imento da Linguage A educação na contextualização e perspectiva filosófica sócio educacional, por meio da reflexão das necessidades e desafios na visão do homem, da sociedade, enfatizando os aspectos, antropológicos, epistemológicos e suas implicações no fazer pedagógico e na construção de um novo ethos. As diferenças entre língua, linguagem e fala. Teorias e CHARLOT, Bernard.Da relação com o saber: elementos para uma teoria [impresso e on-line]; tradução Bruno Magne. Porto Alegre: ARTMED, GHIRALDELLI JÚNIOR, Paulo.Filosofia e história da educação brasileira: da colônia ao governo Lula. 2 ed. Barueri: Manole MORIN, Edgar. Educação e complexidade: os sete saberes e outros ensaios.5. ed. São Paulo : Cortez, JOSÉ, Elizabete Assunção; COELHO, Maria Teresa. Problemas de Aprendizagem. GESSER, Verônica, PUNTEL Solange (Org.) Teóricos e teorias: presença na educação. Mostafa. Itajaí: UNIVALI, p. (Coleção plurais educacionais)v. 9. HYPOLITO, ÁlvaroMoreira, GANDIN Luís Armando. (Org.) Educação em tempos de incertezas 2. Ed. Belo Horizonte: Autêntica, p. PERIN, Martha Sozo. O pensar que redimensiona a educação: professores e alunos no diálogo do conhecimento. Porto Alegre: Alcance, p. PETRAGLIA, Izabel Cristina.Edgar Morin:aeducaçãoea complexidade do ser e do saber. Ed. 8..Petrópolis: Vozes, (Educação e conhecimento). RIOS, Terezinha Azerêdo. Compreender e ensinar: por uma docência da melhor qualidade. 7 ed. São Paulo : Cortez, JERUSALINSKY, Alfredo. Saber falar: como se adquire a língua? Petrópolis, Vozes,

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PEDAGOGIA Disciplina: Comunicação e Expressão Ementa: A leitura como vínculo leitor/texto através do conhecimento veiculado pelo texto escrito. Interpretação:

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO EM EDUCAÇÃO INFANTIL SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização:

Leia mais

PEDAGOGIA. 1. ATIVIDADES COMPLEMENTARES O aluno deve comprovar 100h de atividades no decorrer do curso.

PEDAGOGIA. 1. ATIVIDADES COMPLEMENTARES O aluno deve comprovar 100h de atividades no decorrer do curso. PEDAGOGIA Ementas das Disciplinas 1. ATIVIDADES COMPLEMENTARES O aluno deve comprovar 100h de atividades no decorrer do curso. 2. COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO Leitura e compreensão de textos. Gêneros textuais.

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PEDAGOGIA Comunicação e Expressão: Leitura e compreensão de textos. Gêneros textuais. Linguagem verbal e não verbal. Linguagem literária. Variação da língua,

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2010.2 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Carga Horária: 30 h/a Prática: 30 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU

CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU CENTRO DE ESTUDO DE PÓS-GRADUAÇÃO PROPOSTA DE CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU 2013 INTRODUÇÃO: O presente trabalho apresenta a relação de Cursos de Pós-Graduação Lato Sensu a serem reorganizados no

Leia mais

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Artes Visuais busca formar profissionais habilitados para a produção, a pesquisa

Leia mais

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso AUTO-AVALIAÇAO INSTITUCIONAL DO CURSO DE PEDAGOGIA FACED-UFAM / Professores Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso Objetivos do Curso 01 - Tenho conhecimento do Projeto Pedagógico do Curso.

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

INSTITUTO SINGULARIDADES CURSO PEDAGOGIA MATRIZ CURRICULAR POR ANO E SEMESTRE DE CURSO

INSTITUTO SINGULARIDADES CURSO PEDAGOGIA MATRIZ CURRICULAR POR ANO E SEMESTRE DE CURSO INSTITUTO SINGULARIDADES CURSO PEDAGOGIA MATRIZ CURRICULAR POR ANO E SEMESTRE DE CURSO 1º N1 1. Espaços e Práticas Culturais 40h N1 2. Oficina de Artes Visuais 80h N1 3. Prática de Leitura e escrita 80h

Leia mais

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997

Universidade Estadual do Centro-Oeste Reconhecida pelo Decreto Estadual nº 3.444, de 8 de agosto de 1997 RESOLUÇÃO Nº 119-COU/UNICENTRO, DE 27 DE DEZEMBRO DE 2013. ALTERADA A NOMENCLATURA DESSE CURSO PARA LICENCIATURA EM PSICOLOGIA COMPLEMENTAÇÃO, CONFORME RESOLUÇÃO Nº 182/2014-GR/UNICENTRO. Aprova o Projeto

Leia mais

CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância

CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância CATÁLOGO DO CURSO DE PEDAGOGIA Modalidade a Distância ATOS LEGAIS DO CURSO: Nome do Curso: Pedagogia Tempo de Integralização: Mínimo: 8 semestres Máximo: 14 semestres Nome da Mantida: Centro Universitário

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 1 EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS 2015.1 BRUSQUE (SC) 2015 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 INVESTIGAÇÃO DA PRÁTICA DOCENTE I... 4 02 LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO... 4 03 PROFISSIONALIDADE DOCENTE... 4 04 RESPONSABILIDADE

Leia mais

EDITAL Nº 001/2014 DED/PROEN/IFAM ANEXO I QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS POR DISCIPLINAS E CURSOS LICENCIATURA EM FÍSICA.

EDITAL Nº 001/2014 DED/PROEN/IFAM ANEXO I QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS POR DISCIPLINAS E CURSOS LICENCIATURA EM FÍSICA. EDITAL Nº 00/204 DED/PROEN/IFAM ANEXO I QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS POR DISCIPLINAS E CURSOS LICENCIATURA EM FÍSICA Módulo I Educação a Distância e Ambiente Virtual de Aprendizagem História e

Leia mais

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE

Faculdades Integradas do Vale do Ivaí Instituto Superior de Educação - ISE DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO 1 Do estágio curricular supervisionado A modalidade de Estágio Supervisionado é uma importante variável a ser considerada no contexto de perfil do egresso. A flexibilidade prevista

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE. Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE EDUCAÇÃO FÍSICA E ESPORTE Curso: Licenciatura em Educação Física Projeto Pedagógico Ingressantes em 2007 Dados: Sigla: Licenciatura em Educação Física Área: Biológicas

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

CRIAÇÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO

CRIAÇÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D A B A H I A P r ó - R e i t o r i a d e E n s i n o d e G r a d u a ç ã o Palácio da Reitoria - Rua Augusto Viana s/n - Canela - 40.110-060 - Salvador Bahia E-mails:

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n. 66/ 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Computação, Licenciatura

Leia mais

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA

CURSO DE PEDAGOGIA EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE PEDAGOGIA 1 CURSO DE EMENTÁRIO DAS DISCIPLINAS BRUSQUE (SC) 2012 2 SUMÁRIO 1ª FASE... 4 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL... 4 02 INVESTIGAÇÃO PEDAGÓGICA: DIVERSIDADE CULTURAL NA APRENDIZAGEM... 4 03 METODOLOGIA CIENTÍFICA...

Leia mais

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional)

COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão. Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) COORDENADORA: Profa. Herica Maria Castro dos Santos Paixão Mestre em Letras (Literatura, Artes e Cultura Regional) Universidade Federal de Roraima UFRR Brasil Especialista em Alfabetização (Prática Reflexiva

Leia mais

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME)

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) Palmas 2010 1. Apresentação O Núcleo de Apoio Didático e Metodológico NADIME é o órgão da Faculdade Católica do Tocantins responsável pela efetivação da

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N. 4.638, DE 25 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Educação Física do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo busca preencher

Leia mais

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do Dimensão 2 As políticas para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, as bolsas de

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO 1 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 24/2007 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Graduação em Pedagogia, na

Leia mais

Pós graduação EAD Área de Educação

Pós graduação EAD Área de Educação Pós graduação EAD Área de Educação Investimento: a partir de R$ 109,00 mensais. Tempo de realização da pós graduação: 15 meses Investimento: R$109,00 (acesso ao portal na internet e livros em PDF). Ou

Leia mais

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO

CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO CHECK-LIST PARA ELABORAÇÃO DO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO Com a finalidade de otimizar o processo de elaboração e avaliação dos Projetos Pedagógicos do Cursos (PPC), sugere-se que os itens a seguir sejam

Leia mais

Diretrizes Curriculares Nacionais e com a Legislação Interna, tendo como princípio a compreensão da informática em suas bases epistemológicas de

Diretrizes Curriculares Nacionais e com a Legislação Interna, tendo como princípio a compreensão da informática em suas bases epistemológicas de RESOLUÇÃO Nº 014/2010 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Licenciatura em Informática, da Escola Superior de Tecnologia, da Universidade do Estado do Amazonas. O REITOR, EM EXERCÍCIO, DA UNIVERSIDADE

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC 1 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC O PPC, Projeto Pedagógico de Curso, é o instrumento de concepção de ensino e aprendizagem de um curso e apresenta características de um projeto, no qual devem ser definidos

Leia mais

ANEXO I - EDITAL Nº 15/2015 QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS POR DISCIPLINA E CURSOS LICENCIATURA EM FÍSICA

ANEXO I - EDITAL Nº 15/2015 QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS POR DISCIPLINA E CURSOS LICENCIATURA EM FÍSICA INSTITUTO FEDERAL DO AMAZONAS PRÓ-REITORIA DE ENSINO PROCESSO SELETIVO DO 2º SEMESTRE 205 ANEXO I - EDITAL Nº 5/205 QUADRO GERAL DE DISTRIBUIÇÃO DE VAGAS POR DISCIPLINA E CURSOS LICENCIATURA EM FÍSICA

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS

EMENTAS DAS DISCIPLINAS EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO ENSINO A DISTÂNCIA (EAD) DE PEDAGOGIA (LICENCIATURA) 1. COMUNICAÇÃO E EXPRESSÃO A leitura como vínculo leitor/texto, através da subjetividade contextual, de atividades de

Leia mais

ITINERÁRIOS FORMATIVOS: CAMINHOS POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

ITINERÁRIOS FORMATIVOS: CAMINHOS POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ITINERÁRIOS FORMATIVOS: CAMINHOS POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Resumo Gabriel Mathias Carneiro Leão1 - IFPR, UFPR Rosane de Fátima Batista Teixeira2 - IFPR Grupo de Trabalho Cultura, Currículo e Saberes

Leia mais

CETEC EDUCACIONAL S.A. Mantenedora FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ETEP. Mantida

CETEC EDUCACIONAL S.A. Mantenedora FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ETEP. Mantida CETEC EDUCACIONAL S.A Mantenedora FACULDADE DE TECNOLOGIA DE SÃO JOSÉ DOS CAMPOS - ETEP Mantida PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE TECNOLOGIA EM GESTÃO DA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SÃO JOSÉ DOS CAMPOS 1 SUMÁRIO

Leia mais

Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS

Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS Curso de Especialização Educação Infantil 2ª Edição EMENTA DAS DISCIPLINAS Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem da Criança de 0 a 5 anos Docente do Curso Gilza Maria Zauhy Garms Total da Carga

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR 1.ª SÉRIE DE OFERTA 99-8791-04 DIDÁTICA 160 0 160 99-8792-04

MATRIZ CURRICULAR 1.ª SÉRIE DE OFERTA 99-8791-04 DIDÁTICA 160 0 160 99-8792-04 Curso: Graduação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA PLENA MATRIZ CURRICULAR SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização: A) TEMPO TOTAL - MÍNIMO = 04 (QUATRO) ANOS LETIVOS - MÁXIMO

Leia mais

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa EDUCAÇÃO INFANTIL JUSTIFICATIVA O momento social, econômico, político e histórico em que vivemos está exigindo um novo perfil de profissional, de cidadão: informado, bem qualificado, crítico, ágil, criativo,

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 Aprova a Reformulação do Regimento da Educação a Distância O Reitor da Universidade do Contestado, no uso de suas atribuições, de acordo com o Art. 25 do Estatuto da Universidade

Leia mais

O Papel do Pedagogo na Escola Pública CADEP

O Papel do Pedagogo na Escola Pública CADEP O Papel do Pedagogo na Escola Pública CADEP O Papel do Pedagogo na Escola Pública 1 A construção histórica do Curso de Pedagogia 2 Contexto atual do Curso de Pedagogia 3 O trabalho do Pedagogo prática

Leia mais

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI

Projeto Pedagógico Institucional PPI FESPSP FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI FUNDAÇÃO ESCOLA DE SOCIOLOGIA E POLÍTICA DE SÃO PAULO PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL PPI Grupo Acadêmico Pedagógico - Agosto 2010 O Projeto Pedagógico Institucional (PPI) expressa os fundamentos filosóficos,

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID DETALHAMENTO DO SUBPROJETO 1. Unidade: 2. Área do Subprojeto: Dourados 3. Curso(s) envolvido(s) na proposta: Letras - Inglês Obs.: Para proposta

Leia mais

resgate de um processo pedagógico autônomo, de qualidade e que também podem somar-se às problematizações e às reflexões que se realizam nos

resgate de um processo pedagógico autônomo, de qualidade e que também podem somar-se às problematizações e às reflexões que se realizam nos RESUMO PDI PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL, PPI PROJETO PEDAGÓGICO INSTITUCIONAL E PPC PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO, ENTRE O DITO E O FEITO ESTUDOS DE CASO MÚLTIPLOS / IES/ RS BRASIL 2007/2008. Autora

Leia mais

Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia

Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia Currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia 1. Componentes curriculares O currículo do Curso de Licenciatura em Filosofia engloba as seguintes dimensões. 1.1. Conteúdos de natureza teórica Estes conteúdos

Leia mais

MUNICÍPIO DE FLORIANÓPOLIS CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

MUNICÍPIO DE FLORIANÓPOLIS CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO MUNICÍPIO DE FLORIANÓPOLIS CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO RESOLUÇÃO Nº 02/2010 Estabelece Normas Operacionais Complementares em conformidade com o Parecer CNE/CEB nº 06/2010, Resoluções CNE/CEB nº 02/2010

Leia mais

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A

Ementário do Curso de Pedagogia, habilitações: Educação Infantil e Séries Iniciais 2008.1A 01 BIOLOGIA EDUCACIONAL Fase: 1ª Prática: 15 h/a Carga Horária: 60 h/a Créditos: 4 A biologia educacional e os fundamentos da educação. As bases biológicas do crescimento e desenvolvimento humano. A dimensão

Leia mais

Documento orientador de um curso que traduz as políticas acadêmicas institucionais

Documento orientador de um curso que traduz as políticas acadêmicas institucionais Documento orientador de um curso que traduz as políticas acadêmicas institucionais Construção coletiva a partir das experiências, coordenada pelo Colegiado do Curso de Graduação (art. 34 do Regimento Geral

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Bacharelados, Licenciaturas e Cursos Superiores de Tecnologia (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação Bacharelados, Licenciaturas e Cursos Superiores de Tecnologia (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco. Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas

Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco. Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas Curso: Pedagogia ( 1 ª Licenciatura) I Bloco Fundamentos Epistemológicos de Pedagogia 60 horas Metodologia Científica 60 horas História da Educação 60 horas Sociologia da Educação I 60 horas Filosofia

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº. 93 DE JUNHO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº. 93 DE JUNHO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS RESOLUÇÃO Nº. 93 DE JUNHO DE 2014 O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS,

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NORMAS OPERACIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DOS ESTUDOS COMPLEMENTARES

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NORMAS OPERACIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DOS ESTUDOS COMPLEMENTARES REGULAMENTO INSTITUCIONAL DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES NORMAS OPERACIONAIS PARA ACOMPANHAMENTO E REGISTRO DOS ESTUDOS COMPLEMENTARES O Parecer do CNE/CES nº 492/2001, assim define as atividades complementares:

Leia mais

XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME

XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME XXV ENCONTRO NACIONAL DA UNCME Os desafios da Educação Infantil nos Planos de Educação Porto de Galinhas/PE Outubro/2015 Secretaria de Educação Básica CONCEPÇÃO DE EDUCAÇÃO INFANTIL É direito dos trabalhadores

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE PEDAGOGIA, Licenciatura REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente documento

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação presencial e a distância MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares C M E CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NATAL/RN RESOLUÇÃO Nº 003/2011 CME Estabelece normas sobre a Estrutura, Funcionamento e Organização do trabalho pedagógico da Educação de Jovens e Adultos nas unidades

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA

UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA RESOLUÇÃO/UEPB/CONSEPE/003/2009. UNIVERSIDADE ESTADU DA PARAÍBA APROVA O PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA LICENCIATURA PLENA, DO CENTRO DE EDUCAÇÃO - CEDUC, QUE REFORMULA

Leia mais

ANEXO E: EMENTÁRIO DO CURRÍCULO 13

ANEXO E: EMENTÁRIO DO CURRÍCULO 13 ANEXO E: EMENTÁRIO DO CURRÍCULO 13 I CICLO DE ESTUDOS INTERDISCIPLINARES (1º e 2º semestres): FUNDAMENTOS DA FORMAÇÃO DO PEDAGOGO EMENTÁRIO: O I Ciclo do Curso de Pedagogia do UniRitter desenvolve os fundamentos

Leia mais

ESTÁGIO DOCENTE DICIONÁRIO

ESTÁGIO DOCENTE DICIONÁRIO ESTÁGIO DOCENTE Ato educativo supervisionado realizado no contexto do trabalho docente que objetiva a formação de educandos que estejam regularmente frequentando cursos e/ou programas de formação de professores

Leia mais

Ednei Nunes de Oliveira - Candidato a Diretor. Por uma EaD focada no aluno e na qualidade com inovação: crescer com justiça e humanização.

Ednei Nunes de Oliveira - Candidato a Diretor. Por uma EaD focada no aluno e na qualidade com inovação: crescer com justiça e humanização. PROGRAMA DE TRABALHO PARA O QUADRIÊNIO 2015-2019 DOS CANDIDATOS À DIREÇÃO DA FACULDADE DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA (EAD) DA UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS Ednei Nunes de Oliveira - Candidato a Diretor

Leia mais

OBJETIVO: 1 - GERAL 2 - ESPECÍFICOS

OBJETIVO: 1 - GERAL 2 - ESPECÍFICOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS PRÓ-REITORIA DE ENSINO COORDENADORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO INFORMAÇÕES PARA DIVULGAÇÃO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU NA INTERNET Curso de Especialização Lato Sensu

Leia mais

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas

Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Projeto Político-Pedagógico Estudo técnico de seus pressupostos, paradigma e propostas Introdução A Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional afirma que cabe aos estabelecimentos de ensino definir

Leia mais

INÉDITO! COM ÁREAS DE CONCENTRAÇÃO

INÉDITO! COM ÁREAS DE CONCENTRAÇÃO GRUPO SANTA RITA INSCRIÇÕES ABERTAS! PÓS-GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO LATO SENSU MENSALIDADE R e R$ MEC CURSOS AUTORIZADOS s o lu ç ã o C N E /C n ES 1, º. 7 149, /2 6 / 8 FACULDADES EDUCAÇÃO COM ÁREAS DE

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

PARECER. Justificativa

PARECER. Justificativa Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Goiás IFG - Campus Anápolis Departamento das Áreas Acadêmicas Parecer: Do:

Leia mais

Bacharelado em Serviço Social

Bacharelado em Serviço Social Informações gerais: Bacharelado em Serviço Social Duração do curso: 04 anos (08 semestres) Horário: Vespertino e Noturno Número de vagas: 300 vagas anuais Coordenador do Curso: Profª Ms. Eniziê Paiva Weyne

Leia mais

O Ensino a Distância nas diferentes Modalidades da Educação Básica

O Ensino a Distância nas diferentes Modalidades da Educação Básica O Ensino a Distância nas diferentes Modalidades da Educação Básica Francisco Aparecido Cordão Conselheiro da Câmara de Educação Básica do CNE facordao@uol.com.br 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16

Leia mais

CAMPANHA NACIONALDE ESCOLAS DA COMUNIDADE - CNEC FACULDADE CENECISTA DE CAMPO LARGO FACECLA CURSO DE PEDAGOGIA

CAMPANHA NACIONALDE ESCOLAS DA COMUNIDADE - CNEC FACULDADE CENECISTA DE CAMPO LARGO FACECLA CURSO DE PEDAGOGIA CAMPANHA NACIONALDE ESCOLAS DA COMUNIDADE - CNEC FACULDADE CENECISTA DE CAMPO LARGO FACECLA CURSO DE PEDAGOGIA O curso de Pedagogia, Licenciatura da FACECLA de acordo com as Diretrizes Curriculares de

Leia mais

PROFLETRAS R E G I M E N T O

PROFLETRAS R E G I M E N T O PROFLETRAS R E G I M E N T O CAPÍTULO I - CAPITULO II - CAPÍTULO III - CAPÍTULO IV - CAPÍTULO V - CAPÍTULO VI - CAPÍTULO VII - CAPÍTULO VIII - Das Finalidades Das Instituições Associadas Da Organização

Leia mais

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização 2.1 - GRADUAÇÃO 2.1.1. Descrição do Ensino de Graduação na UESC Cursos: 26 cursos regulares

Leia mais

PLANO DE TRABALHO Período: 2014/2015 1 CONTEXTO INSTITUCIONAL

PLANO DE TRABALHO Período: 2014/2015 1 CONTEXTO INSTITUCIONAL PLANO DE TRABALHO Período: 2014/2015 1 CONTEXTO INSTITUCIONAL De 1999 até o ano de 2011 o Instituto Adventista de Ensino do Nordeste (IAENE) congregava em seu espaço geográfico cinco instituições de ensino

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004.

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004. 1 CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO N 7, DE 31 DE MARÇO DE 2004. (*) (**) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Educação Física,

Leia mais

Nossa inserção na Graduação se dá por meio da Unidade Curricular Educação e Comunicação na Prática Médica.

Nossa inserção na Graduação se dá por meio da Unidade Curricular Educação e Comunicação na Prática Médica. Ao longo desses 15 anos o CEDESS congrega atividades de ensino, pesquisa e extensão, nos níveis de graduação e pós-graduação lato e stricto sensu e tem por objeto de estudo o binômio Educação e Saúde.

Leia mais

3 a 5. 6 a 10. 11 a 14. Faixa Etária Prevista. Etapa de Ensino. Duração. Educação Infantil. anos. Ensino Fundamental: Anos Iniciais. 5 anos.

3 a 5. 6 a 10. 11 a 14. Faixa Etária Prevista. Etapa de Ensino. Duração. Educação Infantil. anos. Ensino Fundamental: Anos Iniciais. 5 anos. Etapa de Ensino Faixa Etária Prevista Duração Educação Infantil 3 a 5 anos Ensino Fundamental: Anos Iniciais 6 a 10 anos 5 anos Ensino Fundamental: Anos Finais 11 a 14 anos 4 anos EDUCAÇÃO INFANTIL EDUCAÇÃO

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FACULDADE SUMARÉ

REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FACULDADE SUMARÉ REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FACULDADE SUMARÉ 2008 CAPÍTULO I DA CONCEPÇÃO E FINALIDADE Art. 1º. Respeitada a legislação vigente, as normas específicas aplicáveis a cada curso e, em

Leia mais

RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 031/2013 (PARECER Nº 031/2013 CONSUN)

RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 031/2013 (PARECER Nº 031/2013 CONSUN) RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 031/2013 (PARECER Nº 031/2013 CONSUN) Dispõe sobre a criação do Programa Arte na Escola. O Presidente do Conselho Universitário CONSUN da Universidade do Contestado - UnC, no uso de

Leia mais

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância)

Instrumento de Avaliação de Cursos de Graduação em Direito (presencial e a distância) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira Inep Diretoria de Avaliação da Educação Superior DAES Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior Sinaes

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, DE 15 DE MAIO DE 2006. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, DE 15 DE MAIO DE 2006. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CONSELHO PLENO RESOLUÇÃO CNE/CP Nº 1, DE 15 DE MAIO DE 2006. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais para o Curso de Graduação em Pedagogia, licenciatura. O Presidente

Leia mais

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO PORTARIA Nº 586/10/GS/SEDUC/MT

ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO PORTARIA Nº 586/10/GS/SEDUC/MT ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO PORTARIA Nº 586/10/GS/SEDUC/MT Dispõe sobre os critérios para atribuição do professor articulador e professor da sala de recursos multifuncionais

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - NEAD

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - NEAD REGULAMENTO DO NÚCLEO DE EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA - NEAD A política de Educação a Distância EAD está claramente expressa em diversos documentos e regulamentos internos da instituição Regulamento do NEAD Os

Leia mais

DEMOCRACIA, ÉTICA E RENOVAÇÃO

DEMOCRACIA, ÉTICA E RENOVAÇÃO PLANO DE GESTÃO CANDIDATURA A DIREÇÃO GERAL DO IFSC CÂMPUS CHAPECÓ ROBERTA PASQUALLI DIRETORA GERAL LUIS FERNANDO POZAS DIRETOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO ELIANDRO LUIZ MINSKI DIRETOR DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

SIC 56/07. Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007.

SIC 56/07. Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007. SIC 56/07 Belo Horizonte, 8 de novembro de 2007. 1. DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO, PELO INEP, DOS INSTRUMENTOS DE AVALIAÇÃO PARA O CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR E SEUS PÓLOS DE APOIO

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social O Projeto pedagógico do Curso de Serviço Social do Pólo Universitário de Rio das Ostras sua direção social, seus objetivos, suas diretrizes, princípios,

Leia mais

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008

RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 CONSUC Parecer 12/2008 Aprovado em 02/12/2008 RESOLUÇÃO N 012, de 02 de dezembro de 2008 Cria o Núcleo de Educação a Distância (NEAD) e aprova seu Regimento Interno O DIRETOR GERAL DA FACULDADE DAS AMÉRICAS,

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE

REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE REGULAMENTO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE - PADI DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÂ DO NORTE 2013 REGULAMENTO DO PROGRAMA DE APOIO AO DISCENTE PADI DA FACULDADE DE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE GUARANTÃDO

Leia mais

PROGRAMA DA DISCIPLINA

PROGRAMA DA DISCIPLINA UPE Campus Petrolina PROGRAMA DA DISCIPLINA Curso: GRADUAÇÃO EM PEDAGOGIA - LICENCIATURA Disciplina: ESTÁGIO I Carga Horária: 90h Teórica: Prática: 80h Semestre: 2013.2 Professora: Claudia Mara Soares

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação?

PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? PÓS-GRADUAÇÃO CAIRU O QUE VOCÊ PRECISA SABER: Por que fazer uma pós-graduação? O mercado do trabalho está cada vez mais exigente. Hoje em dia, um certificado de pós-graduação é imprescindível para garantia

Leia mais

AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 1. FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA OU QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL

AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL 1. FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA OU QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL GLOSSÁRIO EDUCAÇÃO PROFISSIONAL SENAC DIRETORIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL RIO DE JANEIRO NOVEMBRO/2009 AÇÕES DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Ações educativas destinadas ao desenvolvimento de competências necessárias

Leia mais

Concepções e qualidade da Educação Superior a Distância : a experiência da Universidade Aberta do Brasil- UAB.

Concepções e qualidade da Educação Superior a Distância : a experiência da Universidade Aberta do Brasil- UAB. Concepções e qualidade da Educação Superior a Distância : a experiência da Universidade Aberta do Brasil- UAB. Profa. Dra. Nara Maria Pimentel Diretora de Ensino de Graduação da UnB Presidente do Fórum

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE EDUCAÇÃO FÍSICA, LICENCIATURA REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO Das Disposições Gerais O presente

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa

Centro de Estudos Avançados em Pós Graduação e Pesquisa GESTÃO EDUCACIONAL INTEGRADA: Oferecendo 04 Habilitações: supervisão de ensino, orientação educacional, inspeção de ensino e administração escolar. JUSTIFICATIVA O Curso de Especialização em Gestão Educacional

Leia mais

FACULDADE PASCHOAL DANTAS

FACULDADE PASCHOAL DANTAS FACULDADE PASCHOAL DANTAS PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO ÊNFASE GESTÃO DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SÃO PAULO - SP NOVEMBRO DE 2008 ÍNDICE 1. Visão e Missão da FPD...3 2. ORGANIZAÇÃO

Leia mais

POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA

POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ME FACULDADE INTEGRADA DE SANTA MARIA PRELIMINARES POLÍTICA DE ENSINO DA FISMA Santa Maria, RS Junho - 2010 1 SUMÁRIO 1. POLÍTICA DE ENSINO DE GRADUAÇÃO... 1 2. POLÍTICAS DE ENSINO

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO ELABORAÇÃO DO PPC INTRODUÇÃO O Projeto Pedagógico de Curso (PPC) deve orientar a ação educativa, filosófica e epistemológica do mesmo, explicitando fundamentos políticos,

Leia mais