PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO OPERADOR DE COMPUTADOR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO OPERADOR DE COMPUTADOR"

Transcrição

1 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO OPERADOR DE COMPUTADOR

2 Virgílio Augusto Sales Araripe REITOR Reuber Saraiva de Santiago PRÓ-REITOR DE ENSINO Zandra Maria Ribeiro Mendes Dumaresq PRÓ-REITORA DE EXTENSÃO Auzuir Ripardo de Alexandria PRÓ-REITOR DE PESQUISA José Orlando Medeiros da Silva DIRETOR DO CAMPUS ARACATI José Wally Mendonça Menezes COORDENAÇÃO PRONATEC - IFCE COMISSÃO DE ELABORAÇÃO / SISTEMATIZAÇÃO Evandro de Lima Rodrigues Francisca Raquel de Vasconcelos Silveira Paulo Alberto Melo Barbosa Rafael Bezerra Firmo REVISÃO TÉCNICO-PEDAGÓGICA Adriana Muniz Araújo

3 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 4 IDENTIFICAÇÃO DO CURSO... 5 JUSTIFICATIVA... 5 OBJETIVOS... 7 OBJETIVO GERAL... 7 OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 7 REQUISITOS E FORMAS DE ACESSO... 7 PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DO CURSO... 8 ORGANIZAÇÃO CURRICULAR... 8 ESTRUTURA CURRICULAR... 9 DIRETRIZES PEDAGÓGICAS...10 INDICADORES METODOLÓGICOS...11 CRITÉRIOS E PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM...11 INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS...12 PERFIL DO PESSOAL DOCENTE E TÉCNICO-ADMINISTRATIVO...12 CERTIFICADOS...15 REFERÊNCIAS...16 ANEXO I PROGRAMA DAS DISCIPLINAS DO NÚCLEO ARTICULADOR...17 ANEXO II PROGRAMA DAS DISCIPLINAS DO NÚCLEO TECNOLÓGICO...18

4 APRESENTAÇÃO O projeto pedagógico classificado como Curso de Formação Inicial e Continuada (FIC) em Operador de Computador, na modalidade presencial, tem como objetivo definir as diretrizes pedagógicas para o respectivo curso no âmbito do Instituto Federal do Ceará (IFCE) através do Programa Nacional de Acesso ao Ensino Técnico e Emprego (PRONATEC). A finalidade deste programa é expandir, interiorizar e democratizar a oferta de cursos de educação profissional técnica de nível médio presencial e a distância e de cursos e programas de formação inicial e continuada ou qualificação profissional; fomentar e apoiar a expansão da rede física de atendimento da educação profissional e tecnológica; contribuir para a melhoria da qualidade do ensino médio público, por meio da articulação com a educação profissional; ampliar as oportunidades educacionais dos trabalhadores, por meio do incremento da formação e qualificação profissional e estimular a difusão de recursos pedagógicos para apoiar a oferta de cursos de educação profissional e tecnológica. A Formação Inicial e Continuada são realizadas em cursos com carga horária mínima de 200 (duzentas) horas, definidos para efeito da oferta no âmbito da Bolsa-Formação no Guia FIC de Cursos. Mesmo havendo diretrizes curriculares, devem ser organizados de uma forma que mantenham a sinergia entre a flexibilidade, a interdisciplinaridade, a contextualização e a atualização permanente de seus currículos e programas (BRASIL, 2012). O presente projeto baseia-se nas bases legais da educação profissional e tecnológica brasileira da LDB nº 9.394/96 e atualizada pela Lei nº /08, e demais resoluções que normatizam a Educação Profissional brasileira, englobando a formação inicial e continuada/qualificação profissional. Este curso de Formação Inicial e Continuada em Operador de Computador, na modalidade presencial tem como princípio norteador propiciar uma formação humana e integral em que o objetivo profissionalizante não seja apenas orientado pelos interesses do mercado de trabalho, mas se constitua em uma possibilidade para a construção dos projetos de vida dos concludentes (FRIGOTTO, CIAVATTA e RAMOS, 2005). O projeto apresenta, portanto, os pressupostos teóricos, metodológicos e didáticopedagógicos estruturantes da proposta do curso em consonância com o Projeto Político Pedagógico Institucional, voltados ao processo de ensino e de aprendizagem. 4

5 IDENTIFICAÇÃO DO CURSO Nível: Formação Inicial e Continuada de Trabalhadores - FIC Modalidade: Formação Continuada Denominação do Curso: Operador de Computador Forma de Oferta: Presencial Tempo de duração do curso: 03 meses Turno de oferta: Vespertino Horário de oferta do curso: 13:15h às 17:25h Carga horária Total: 200h Número máximo de vagas do curso: 34 Instituição demandante: Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do município de Aracati-CE. JUSTIFICATIVA A formação inicial e continuada é concebida como uma oferta educativa voltada para educação profissional e tecnológica, promovendo qualificação, e o desenvolvimento profissional de trabalhadores nos mais variados níveis de escolaridade e de formação. Centra-se em ações pedagógicas, de natureza teórico-prática, visando formar, qualificar, requalificar e possibilitar tanto atualização quanto aperfeiçoamento profissional. Ligado ao conceito de politécnica, a formação inicial e continuada se estabelece no entrecruzamento dos eixos sociedade, cultura, trabalho, educação e cidadania, compromete-se com a melhoria da escolaridade, interligando formação humana e formação profissional,com vistas à aquisição de conhecimentos científicos, técnicos e tecnológicos, propícios ao desenvolvimento integral do sujeito. A partir da década de noventa, com a publicação da atual Lei de Diretrizes e Bases da Educação (Lei nº 9.394/96), a educação profissional passou por diversas mudanças nos seus direcionamentos filosóficos e pedagógicos. Mais recentemente, em 2008, as 5

6 instituições federais de educação profissional, foram reestruturadas para se configurarem em uma rede nacional de instituições públicas de EPT, denominando-se de Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia (IFs). Portanto, tem sido pauta da agenda de governo como uma política pública dentro de um amplo projeto de expansão e interiorização dessas instituições educativas. Nesse sentido, os Institutos Federais vêm se expandindo nos interiores não só do Ceará, mas em todos os estados do Brasil (há uma grande capilaridade no interior do país com 354 unidades instaladas e mais 46 previstas para serem inauguradas este ano, a rede chegará a 400 campi). De acordo com Pacheco (2010), os institutos federais de educação profissional e tecnológica respaldam-se nas ações de ensino, pesquisa e extensão, integrando-se a ciência, tecnologia e cultura, desenvolvendo a capacidade de investigação científica do estudante, essencial à construção da autonomia de cada indivíduo. A relação entre Ciência, Tecnologia e Sociedade está sempre presente nas considerações traçadas em programas de educação como na articulação de políticas públicas e educativas. Nos países desenvolvidos, esse trinômio: ciência, tecnologia e sociedade já é bastante valorizado e têm uma boa aceitação (KUMAR; CHUBIN, 2000). No âmbito do município de Aracati, litoral oeste do Ceará, a oferta do Curso FIC em Operador de Computador, na modalidade presencial, apresenta-se como uma boa opção para a atualização e a formação de profissionais da área, favorecendo a inserção no mundo do trabalho, tendo em vista o avanço tecnológico e a dimensão do fluxo de informatização das atividades nas diversas esferas produtivas que exigem o uso das novas tecnologias. De uma forma geral, a escassez de mão-de-obra qualificada e a crescente demanda do nosso município por este tipo de profissional justificam a oferta do curso de formação inicial em Operador de Computador, de forma a contribuir para o desenvolvimento da região, bem como suprir a carência profissional. Nessa perspectiva, o IFCE campus Aracati propõe-se a oferecer o curso de formação inicial e continuada em Operador de Computador, por entender que estará contribuindo para a elevação da qualidade dos serviços prestados à sociedade. 6

7 OBJETIVOS OBJETIVO GERAL O curso FIC em Operador de Computador, na modalidade presencial, tem como objetivo geral formar profissionais para atuar no processo de edição de textos, elaboração de planilhas eletrônicas e apresentação de slides. OBJETIVOS ESPECÍFICOS Proporcionar os conhecimentos básicos de informática; Oportunizar ao aluno condições para que desenvolva competências profissionais para atuar na operação de computadores, através da edição de textos, elaboração de planilhas eletrônicas e apresentação de slides; Contribuir para a formação critica e ética frente às inovações tecnológicas, avaliando seu impacto no desenvolvimento e na construção da sociedade; Prover o aluno do conhecimento legal e técnico-científico dos processos inerentes às funções de operação de computadores. REQUISITOS E FORMAS DE ACESSO O curso FIC em Operador de Computador, na modalidade presencial é destinado: ao público com faixa etária de 16 a 59 anos, estudantes do ensino médio da rede pública, inclusive da educação de jovens e adultos; beneficiários titulares e dependentes dos programas federais de transferência de renda entre outros que atenderem a critérios especificados no âmbito do Plano Brasil sem Miséria; pessoas com deficiência; povos indígenas, comunidades quilombolas e outras comunidades tradicionais; adolescentes e jovens em cumprimento de medidas socioeducativas; públicos prioritários dos programas do governo federal que se associem à Bolsa-Formação; e estudantes que tenham cursado o ensino médio completo em escola da rede pública ou em instituições privadas na condição de bolsista integral. 7

8 Vale ressaltar, que os beneficiários citados acima caracterizam-se como prioritários, mas não exclusivos, podendo as vagas que permanecerem disponíveis serem ocupadas por outros públicos, através de inscrições on-line e cadastros de reserva. O acesso ao curso deve ser realizado por meio de processo de seleção, em parceria com a Prefeitura Municipal de Aracati. PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO DO CURSO O estudante egresso do curso FIC em Operador de Computador, na modalidade presencial, deve ter demonstrado avanços na aquisição de seus conhecimentos básicos, estando preparado para dar continuidade aos seus estudos. Do ponto de vista da qualificação profissional, deve estar qualificado ara atuar nas atividades relativas à área do curso para que possa desempenhar, com autonomia, suas atribuições, com possibilidades de (re)inserção positiva no mundo trabalho. Dessa forma, ao concluir a sua qualificação profissional, o egresso do curso de Operador de Computador deverá demonstrar um perfil que lhe possibilite: Conhecer os dispositivos de entrada e saída de um computador. Configurar sistema operacional, aplicativos de escritório e periféricos. Editar textos, elaborar planilhas eletrônicas e a apresentação de slides. Além das habilidades específicas da qualificação profissional, estes estudantes devem estar aptos a: adotar atitude ética no trabalho e no convívio social, compreendendo os processos de socialização humana em âmbito coletivo e percebendo-se como agente social que intervém na realidade; saber trabalhar em equipe; e ter iniciativa, criatividade e responsabilidade. ORGANIZAÇÃO CURRICULAR A organização curricular deste curso considera a necessidade de proporcionar qualificação profissional em Operador de Computador. Essa formação está comprometida 8

9 com a formação humana uma vez que propicia, ao educando, uma qualificação laboral relacionando currículo, trabalho e sociedade. Dessa forma, com base nos referenciais que estabelecem a organização por eixos tecnológicos, os cursos FIC do IFCE estão estruturados em núcleos politécnicos segundo a seguinte concepção: Núcleo articulador: compreende conhecimentos do ensino médio e da educação profissional, traduzidos em conteúdos de estreita articulação com o curso, por eixo tecnológico, representando elementos expressivos para a integração curricular. Pode contemplar bases científicas gerais que alicerçam suportes de uso geral tais como tecnologias de informação e comunicação, tecnologias de organização, higiene e segurança no trabalho, noções básicas sobre o sistema da produção social e relações entre tecnologia, natureza, cultura, sociedade e trabalho; Núcleo tecnológico: compreende conhecimentos de formação específica, de acordo com o campo de conhecimentos do eixo tecnológico, com a atuação profissional e as regulamentações do exercício da profissão. Deve contemplar outras disciplinas de qualificação profissional não contempladas no núcleo articulador. Além de toda a organização curricular que envolve as atividades convencionais de sala de aula, serão desenvolvidas atividades complementares, como visitas técnicas, eventos científicos, além de atividades culturais, políticas e sociais desenvolvidas pelos alunos durante o curso. Essas atividades complementares visam ampliar os horizontes de uma formação profissional, proporcionando uma formação sócio-cultural mais abrangente. ESTRUTURA CURRICULAR A matriz curricular do curso FIC em Operador de Computador, na modalidade presencial, está organizada por disciplinas, com uma carga-horária total de 160 horas, e com duração aproximadamente 03 meses. O Quadro 1 descreve a matriz curricular do curso e os Anexos I a II apresentam as ementas das disciplinas. As disciplinas que compõem a matriz curricular estão articuladas, fundamentadas na integração curricular numa perspectiva interdisciplinar e orientadas pelos perfis profissionais de conclusão, ensejando ao educando a formação de uma base de conhecimentos científicos e tecnológicos, bem como a aplicação de conhecimentos teórico-práticos específicos de uma área profissional, contribuindo para uma formação técnico-humanística. 9

10 Quadro 1 Matriz curricular do Curso FIC em Operador de Computador. MÓDULOS/DISCIPLINAS Número de aulas semanal por período/mês 1º 2º 3º 4º Carga-horária total Hora/ Hora aula Integração e Orientação Profissional Subtotal de carga-horária do núcleo articulador Núcleo Articulador Núcleo Tecnológico Introdução a Informática Editor de Textos Planilha Eletrônica Apresentação de Slides Edição de Imagem 4 12 Edição de Vídeo 4 10 Subtotal de carga-horária do núcleo tecnológico Total de carga-horária de disciplinas TOTAL DE CARGA-HORÁRIA *Observação: A hora-aula considerada possui 60 minutos. DIRETRIZES PEDAGÓGICAS O presente projeto pedagógico de curso deve ser o norteador do currículo no Curso FIC em Operador de Computador, na modalidade presencial. Caracteriza-se, portanto, como expressão coletiva, devendo ser avaliado periodicamente por todos os sujeitos envolvidos no PRONATEC do campus Aracati tendo como representante um profissional com competência para a referida prática pedagógica. Qualquer alteração deve ser vista sempre que se verificar, mediante avaliações sistemáticas anuais, defasagem entre perfil 10

11 de conclusão do curso, objetivos e organização curricular frente às exigências decorrentes das transformações científicas, tecnológicas, sociais e culturais. Considera-se a aprendizagem como um processo de construção de conhecimento, em que, partindo dos conhecimentos prévios dos alunos, os professores formatam estratégias de ensino de maneira a articular o conhecimento já visto e o conhecimento acadêmico, permitindo aos alunos desenvolver sua opinião crítica acerca do seu cotidiano. Nesse sentido, o curso orienta-se pelos seguintes princípios pedagógicos: aprendizagem e conhecimentos significativos; respeito ao ser e aos saberes dos estudantes; construção coletiva do conhecimento; vinculação entre educação e trabalho; interdisciplinaridade e avaliação como processo. INDICADORES METODOLÓGICOS A metodologia é um conjunto de procedimentos empregados para atingir os objetivos propostos, tendo os docentes como mediadores da transposição didática dos conhecimentos, auxiliando os alunos nas suas construções intelectuais e atitudinais. Este procedimento metodológico se faz através da elaboração, análise das aulas e das atividades realizadas; problematização do conhecimento, sem esquecer-se de considerar os diferentes ritmos de aprendizagens e a subjetividade do aluno; contextualização dos conhecimentos, junto ao aluno, valorizando seus saberes; elaboração de materiais didáticos adequados; utilização de recursos tecnológicos adequados ao público envolvido para subsidiar as atividades pedagógicas; encaminhamento ao apoio pedagógico os alunos que apresentarem dificuldades; diversificação das atividades acadêmicas e organização do ambiente educativo de modo a articular múltiplas atividades voltadas às diversas dimensões de formação dos jovens e adultos. CRITÉRIOS E PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO DA APRENDIZAGEM A avaliação da aprendizagem é um instrumento que deve funcionar como colaborador na verificação da aprendizagem, levando em consideração o predomínio dos aspectos qualitativos sobre os quantitativos. 11

12 A avaliação é concebida, portanto, como um diagnóstico que orienta o (re) planejamento das atividades, buscando promover o desenvolvimento cognitivo dos estudantes. No desenvolvimento deste curso, a avaliação do desempenho levará em consideração, aspectos de assiduidade e aproveitamento. A assiduidade diz respeito à frequência diária às aulas teóricas e práticas, aos trabalhos escolares, aos exercícios de aplicação e à realização das atividades. Vale ressaltar, o aluno que evadir-se durante os cinco primeiros dias do início do curso, terá sua matrícula cancelada. O aproveitamento é avaliado através de acompanhamento contínuo e processual do estudante, com vista aos resultados alcançados por ele nas atividades avaliativas. Ficará a critério de cada professor o cálculo da média exigida para a obtenção da conclusão do curso. Os instrumentos de acompanhamento e avaliação da aprendizagem poderão ser a observação processual e registro das atividades, avaliações escritas em grupo e individual, produção de portfólios, relatos escritos e orais, relatórios de trabalhos e projetos desenvolvidos e instrumentos específicos que possibilitem a auto avaliação (do docente e do estudante). INSTALAÇÕES E EQUIPAMENTOS As instalações disponíveis para o curso deverão conter: salas de aula, biblioteca, laboratório de informática, sala dos professores e banheiros. Os alunos matriculados no curso também poderão ter acesso a todos os setores do campus de Aracati. Contudo, na Biblioteca, não poderão fazer empréstimo dos títulos cadastrados. PERFIL DO PESSOAL DOCENTE E TÉCNICO-ADMINISTRATIVO e técnico- Os Quadros 2 e 3 descrevem, respectivamente, o pessoal docente administrativo necessários ao funcionamento do Curso. Quadro 2 Pessoal docente necessário ao funcionamento do curso. 12

13 Descrição Qtde Professor com graduação na área de Informática 04 Total de professores necessários 04 Quadro 3 Pessoal técnico-administrativo necessário ao funcionamento do curso. Descrição Orientador a) orientar e acompanhar o desempenho e a frequência dos estudantes sistematicamente, atuando em conjunto com os demais profissionais no diagnóstico do nível de conhecimento do discente e na construção de estratégias que favoreçam a permanência do aluno nos cursos PRONATEC, com a finalidade de evitar/reduzir a evasão; b) articular as ações de acompanhamento pedagógico relacionadas ao acesso, à permanência, ao êxito e à inserção socioprofissional; c) realizar atividades de divulgação junto aos demandantes, apresentando as ofertas da instituição; d) promover atividades de sensibilização e integração entre os estudantes e equipes da Bolsa-Formação; e) articular ações de inclusão produtiva em parceria com as agências do Serviço Nacional de Emprego (SINE); f) prestar serviços de atendimento e apoio acadêmico às pessoas com deficiência; g) participar de outras atividades necessárias para o bom desempenho do ensino no PRONATEC. Supervisor a) interagir com as áreas acadêmicas e organizar a oferta dos cursos em conformidade com o Guia PRONATEC de Cursos de Formação Inicial e Continuada e o Catálogo Nacional de Cursos Técnicos; b) coordenar a elaboração da proposta de implantação dos cursos, em articulação com as áreas acadêmicas, e sugerir as ações de suporte tecnológico necessárias durante o processo de formação, prestando informações ao coordenador-adjunto; c) coordenar o planejamento de ensino; d) assegurar a acessibilidade para a plena participação de pessoas com deficiência; e) apresentar ao coordenador-adjunto, ao final do curso ofertado, relatório das atividades e do desempenho dos estudantes; f) elaborar relatório sobre as atividades de ensino para encaminhar ao coordenador-geral ao final de cada semestre; g) ao final do curso, adequar e sugerir modificações na metodologia de Qtde

14 ensino adotada, realizar análises e estudos sobre o desempenho do curso; h) supervisionar a constante atualização, no SISTEC, dos registros de frequência e desempenho acadêmico dos beneficiários; i) fazer a articulação com a escola de ensino médio para que haja compatibilidade entre os projetos pedagógicos; j) exercer, quando couber, as atribuições de apoio às atividades acadêmicas e administrativas e de orientador; k) participar de outras atividades necessárias para o bom desempenho do ensino no PRONATEC. Orientador a) orientar e acompanhar o desempenho e a frequência dos estudantes sistematicamente, atuando em conjunto com os demais profissionais no diagnóstico do nível de conhecimento do discente e na construção de estratégias que favoreçam a permanência do aluno nos cursos PRONATEC, com a finalidade de evitar/reduzir a evasão; b) articular as ações de acompanhamento pedagógico relacionadas ao acesso, à permanência, ao êxito e à inserção sócio profissional; c) realizar atividades de divulgação junto aos demandantes, apresentando as ofertas da instituição; d) promover atividades de sensibilização e integração entre os estudantes e equipes da Bolsa-Formação; e) articular ações de inclusão produtiva em parceria com as agências do Serviço Nacional de Emprego (SINE); f) prestar serviços de atendimento e apoio acadêmico às pessoas com deficiência; g) participar de outras atividades necessárias para o bom desempenho do ensino no PRONATEC. Apoio às atividades administrativas e acadêmicas a) realizar a gestão acadêmica das turmas no SISTEC; b) acompanhar e subsidiar a atuação dos professores; c) auxiliar e orientar os professores no registro da frequência e do desempenho acadêmico dos estudantes no SISTEC; d) participar dos encontros de coordenação; e) realizar atividades de secretaria dos cursos ofertados no PRONATEC no âmbito da Bolsa-Formação: matrícula dos ser estudantes, emissão de certificados, entre outras atividades administrativas e de secretaria determinadas pelos coordenadores geral e adjunto; f) prestar apoio técnico em atividades laboratoriais ou de campo; g) prestar serviço de atendimento e apoio acadêmico às pessoas com deficiência; h) participar de outras atividades necessárias para o bom desempenho do

15 ensino no PRONATEC. Apoio às Atividades Administrativas e Financeiras. a) realizar apoio administrativo-financeiro dos cursos; b) organizar os pagamentos dos bolsistas; c) participar dos encontros de coordenação, promovidos pelos coordenadores e supervisores; d) realizar as atividades de secretaria dos cursos ofertados no âmbito da Bolsa Formação: alimentação do sistema financeiro vigente (SAPENET), elaborar relatórios, elaborar as rotinas relativas às despesas, backup diário de dados, folha de pagamento, e demais atividades administrativas determinadas pelos coordenadores e/ou supervisores; e) participar de outras atividades necessárias para o bom desempenho do ensino no PRONATEC. 01 CERTIFICADOS Após a integralização dos componentes curriculares do curso de formação inicial e continuada ou qualificação profissional em Operador de Computador, na modalidade presencial, após avaliação da Coordenação Geral do PRONATEC no IFCE campus Aracati, para os alunos que obtiverem aproveitamento satisfatório e frequência igual ou superior a 75% da carga horária total do curso. 15

16 REFERÊNCIAS BRASIL. Lei n de 20 de dezembro de Institui as Diretrizes e Base para a Educação Nacional. Acesso em 15 de março de Lei nº de 29 de dezembro de Institui a Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica, cria os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia e dá outras providências. Brasília/DF: Decreto Nº 5.154, de 23 de julho de Regulamenta o 2º do art. 36 e os arts. 39 a 41 da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, e dá outras providências. Brasília/DF: Presidência da Republica. Decreto Federal n de 13 de julho de Institui o PROEJA no Território Nacional. Brasília: <http://www4.planalto.gov.br/legislacao/legislacao- 1/decretos1/decretos1/2006> acesso em 15 de março de Presidência da Republica. Regulamentação da Educação à Distância. Decreto Federal n de 19 de dezembro de <http://www4.planalto.gov.br/legislacao/legislacao- 1/decretos1/decretos1/2005> acesso em 15 de março de IFCE/Instituto Federal do Ceará. Disponível em: <http://www.ifce.edu.br/instituicao/sobrenos.html>. Fortaleza/IFCE: IFRN, KUMAR, D. D.; CHUBIN, D. E. (Eds.). Science, technology and society: a sourcebook on research and practice. New York: Kluwer Academy, 2000 MTE/Ministério do Trabalho e Emprego. Classificação Brasileira de Ocupações. Disponível em:<http://www.mtecbo.gov.br/cbosite/pages/home.jsf>. Acesso em: 22 fev PACHECO, E.M. (2010). Os institutos federais: uma revolução na educação profissional e tecnológica. Natal: IFRN SETEC/Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica. PROEJA Formação Inicial e Continuada/ Ensino Fundamental - Documento Base - Brasília: SETEC/MEC, agosto de Documento Orientador para PROEJAFIC em Prisões Federais. Ofício Circular n 115/ DPEPT/SETEC/MEC. Brasília, 24 de agosto de Guia de Cursos FIC. Disponível em: <http://pronatecportal.mec.gov.br/arquivos/guia.pdf>. Acesso em: 22 fev

17 ANEXO I PROGRAMA DAS DISCIPLINAS DO NÚCLEO ARTICULADOR Curso: FIC em Formação Inicial em Operador de Computador Disciplina: Integração e Orientação Profissional Carga Horária: 20h EMENTA Mundo do trabalho; Ética e relações pessoais; Estudo e organização, motivação e desenvolvimento pessoal; Empreendedorismo e associativismo; Sustentabilidade e Meio Ambiente. PROGRAMA Objetivos Desenvolver no aluno a elevação da autoestima, o exercício da ética e da cidadania, a compreensão do multiculturalismo, da sustentabilidade, das formas de geração de renda e a inclusão sócio produtiva. Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos) Mundo do trabalho: desafios e possibilidades - O que é trabalho? - Trabalho e projetos pessoais - As transformações no mundo do trabalho e as novas tecnologias - Filme: "Os estagiários" Ética e relações pessoais Estudo e organização, motivação e desenvolvimento pessoal. - Estudar pra quê? - Hábitos eficazes para um estudo eficaz. - Motivação Filme A procura da felicidade Empreendedorismo e associativismo Sustentabilidade e Meio Ambiente Procedimentos Metodológicos Palestras de profissionais das áreas de afinidade com o conteúdo; realização de oficinas; apresentação de vídeos e filmes; estímulo à reflexão e pensamento crítico; discussão coletiva; socialização das produções individuais e coletivas. Recursos Didáticos Textos de livros, vídeos, filmes, computador, data-show. Participação, exposição de ideias, seminários. Avaliação 17

18 ANEXO II PROGRAMA DAS DISCIPLINAS DO NÚCLEO TECNOLÓGICO Curso: FIC em Formação Inicial em Operador de Computador Disciplina: Introdução a Informática Carga Horária: 20h EMENTA Histórico. Evolução da arquitetura dos Computadores. Tecnologias e aplicações de computadores. Tecnologia da Informação. Representação e processamento da informação. Tipos de sistemas operacionais. Arquitetura de computadores e Visão geral dos computadores modernos. Hardware e software. PROGRAMA Objetivos Capacitar o aluno a compreender o funcionamento dos softwares mais utilizados na plataforma operacional gráfica e selecionar e utilizar programas de aplicação a partir da avaliação das necessidades do usuário. Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos) INFORMÁTICA Evolução histórica e aplicações O computador: evolução histórica HARDWARE Componentes Funcionais do Computador Processamento (CPU e GPU) Armazenamento Comunicação Interface Tipos de computadores Dispositivos de entrada de dados, saída e interface SOFTWARE Sistemas Operacionais Utilitários e Aplicativos: Editor de Textos, Editores de apresentações e Planilha Procedimentos Metodológicos Aulas expositivas dialogadas e mediadas com atividades práticas no laboratório. Recursos Didáticos Quadro Branco; Laboratório de Informática; Projetor multimídia; Pincel e Apagador; Avaliação Avaliação do conteúdo teórico. Avaliação das atividades desenvolvidas em laboratório. Bibliografia BENINI FILHO, Pio Armando; MARCULA, Marcelo. Informática: Conceitos e Aplicações. 7. ed. São Paulo: Editora Érica, CARVALHO, João Antonio. Informática para Concursos. 4. ed. São Paulo: Editora Campus, MANZANO, André Luiz N. G.; MANZANO, Maria Izabel N. G. Estudo Dirigido de Informática Básica. 8. ed. rev. São Paulo: Editora Campus, MANZANO, André Luiz N. G.; MANZANO, Maria Izabel N. G. Informática Básica. 7. ed. rev. e amp. São Paulo: Editora Érica, SILVA, Mário Gomes da. Informática: Terminologia Básica, Microsoft Windows XP, Microsoft Word XP, Microsoft Excel XP, Microsoft Access XP e Microsoft Powerpoint XP. São Paulo: Editora Érica,

19 Curso: FIC em Formação Inicial em Operador de Computador Disciplina: Editor de Texto Carga Horária: 46h EMENTA Visão geral do editor de textos, digitação, manipulação e formatação do texto. Manipulação dos arquivos. Correção ortográfica. Configuração de página, margens, bordas e sombreamento, ferramentas de desenhos, tabelas. Capacitar o aluno a: PROGRAMA Objetivos Utilizar os recursos de edição de texto; Formatar texto; Configurar as páginas; Conhecer as ferramentas de desenho para textos; Manipular os arquivos. 1. VISÃO GERAL DO SOFTWARE 2. DIGITAÇÃO 3. MANIPULAÇÃO DE TEXTO 3.1. Copiar, recortar e colar texto Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos) 4. NOMEAR, SALVAR E ENCERRAR SESSÃO DE TRABALHO 4.1. Tipos de arquivos gerados pelo editor de texto 5. ABRIR DOCUMENTO GRAVADO 5.1. Modos de abertura do documento 6. IMPRIMINDO UM ARQUIVO 6.1. Visualizando a impressão 6.2. Imprimindo um documento 6.3. Configurando a impressora 7. FORMATAÇÃO DE FONTE 7.1. Fonte 7.2. Estilo 7.3. Tamanho 7.4. Cor 8. FORMATAÇÃO DE TEXTO 8.1. Recuos, tabulação, parágrafos, espaçamentos e margens 8.2. Marcadores e numeração 8.3. Capitular 9. CORREÇÃO ORTOGRÁFICA E DICIONÁRIO 19

20 10. INSERÇÃO DE QUEBRA DE PÁGINA 11. CONFIGURAÇÃO DE PÁGINAS Colunas 12. TABELAS Bordas e sombreamento 13. FERRAMENTAS DE DESENHO 14. INSERÇÃO DE IMAGENS E OBJETOS Cabeçalho e rodapé Caixa de texto Comentários Hiperlink Número de páginas Procedimentos Metodológicos Aulas expositivas dialogadas e mediadas com atividades práticas no laboratório. Quadro Branco; Laboratório de Informática; Projetor multimídia; Pincel e Apagador. Recursos Didáticos Avaliação Avaliação do conteúdo teórico. Avaliação das atividades desenvolvidas em laboratório. 20

21 Curso: FIC em Formação Inicial em Operador de Computador Disciplina: Planilha Eletrônica Carga Horária: 46h EMENTA Recursos para criação manual e automática de planilhas, gráficos, fórmulas, alterações na planilha, funções de estatística, integrações, Internet e outros. PROGRAMA Objetivos Este curso destina-se a todos os profissionais que atuam nas áreas financeiras e administrativas, e que necessitem agilizar os seus cálculos, Fluxos de Caixas, Projeções, etc. Portanto, podem se beneficiar dos recursos do Microsoft Excel que com suas ferramentas tornou muito mais fácil a criação de planilhas e personalização das pastas de trabalho. Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos) 1. CONHECENDO AS NOVIDADES DO MICROSOFT OFFICE EXCEL O que há de novo no Excel 2007? 1.2. Conhecendo a nova interface do usuário 1.3. Gerenciando coleções de dados maiores 1.4. Como usar o novo formato de arquivo do Microsoft Office 1.5. Formatando células e planilhas 1.6. Gerenciando tabelas de dados de forma eficiente 1.7. Criando fórmulas de maneira fácil com o recurso AutoCompletar Fórmula 1.8. Resumindo dados usando novas funções 1.9. Criando formatos condicionais avançados Criando gráficos mais atraentes Controlando impressões com mais cuidado 2. INICIANDO O MICROSOFT OFFICE EXCEL Novidades nas Barras 2.2. Personalizando seu Espaço de Trabalho 2.3. Recolha a Faixa de Opções 2.4. Use os atalhos do teclado para acessar os comandos 3. ENTENDENDO OS ENDEREÇOS DE CÉLULA 3.1. Endereços de Célula 4. NAVEGANDO NO MICROSOFT EXCEL 4.1. Movendo-se de uma célula para outra 4.2. Movimentação por meio do teclado de uma célula para outra 4.3. Movendo-se entre planilhas 4.4. Movimentação por meio do teclado entre planilhas 5. INCLUINDO E EDITANDO DADOS 21

22 5.1. Incluindo texto 5.2. Incluindo número e fórmulas 5.3. Editando dados 5.4. Teclas utilizadas na edição 5.5. Usando o Desfazer ou Refazer da Barra de Acesso Rápido 6. SALVANDO O ARQUIVO 6.1. Formatos do Microsoft Office Excel Salvar o arquivo 6.3. Teclas utilizadas para salvar 6.4. Salvando o arquivo automaticamente 7. SENHA PARA O ARQUIVO 7.1. Incluindo a senha 8. ABRINDO OS ARQUIVOS 8.1. Abrir um arquivo 8.2. Abrir um arquivo como cópia 8.3. Abrindo o arquivo com Senha 9. SELECIONAR CÉLULAS OU INTERVALOS ESPECÍFICOS 9.1. Selecionando intervalos 9.2. Selecionando linhas e colunas 9.3. Teclas utilizadas para seleção 10. INSERINDO E EXCLUINDO Inserindo linhas, colunas e células Excluindo linhas, colunas e células 11. MOVENDO E COPIANDO DADOS Mover ou copiar células inteiras Recortando Dados Colar Copiando formatos Teclas utilizadas para copiar, recortar ou colar 12. PREENCHENDO UM INTERVALO AUTOMATICAMENTE Utilizando a Alça de preenchimento Criando nossas próprias listas 13. TRABALHANDO COM OPÇÕES DE FORMATAÇÃO Formatando números Atribuindo formatos numéricos 22

23 13.3. Usando formatos numéricos Formatos numéricos e como funcionam Formatando informações de data e hora Usando atributos de fonte e cores Mudando os atributos de fonte Usando bordas e padrões Usando AutoFormatação Escolher um estilo de tabela ao criar uma tabela Aplicar um estilo de tabela a uma tabela existente Criar ou excluir um estilo de tabela personalizado Criar um estilo de tabela personalizado 14. REDIMENSIONANDO COLUNAS E LINHAS Definindo larguras de coluna Definindo alturas de linha Ocultando linhas ou colunas Exibindo linhas ou colunas ocultas 15. ALINHANDO OS DADOS NA CÉLULA Alinhando os dados 16. GUIA DE PLANILHAS Formatar Planilha Plano de Fundo Cor da guia Inserindo nova planilha Movendo ou copiando planilhas Excluindo planilhas 17. TRABALHANDO COM FÓRMULAS E FUNÇÕES Como funcionam as fórmulas Operadores matemáticos utilizados Ordem natural dos cálculos matemáticos Criando uma fórmula com o mouse 18. INCLUINDO, ALTERANDO, EXCLUINDO COMENTÁRIOS NAS CÉLULAS Funções básicas do Excel Funções básicas Exercício Fluxo de Caixa 19. PROTEÇÃO CÉLULAS, PLANILHA E PASTA 23

24 19.1. Desprotegendo a planilha Protegendo a pasta de trabalho Desprotegendo a pasta de trabalho 20. COMANDOS ESPECIAIS Dividir painéis Congelar painéis Remover a divisão de uma janela ou descongelar um painel 21. CRIAÇÃO DE GRÁFICOS Criando o gráfico 22. IMPRESSÃO Guia Página Guia Margens Cabeçalho/Rodapé Planilha Definido a área de impressão Adicionar células a uma área de impressão existente Limpando uma área de impressão Visualizando a planilha antes da impressão Imprimindo a planilha Procedimentos Metodológicos Aulas expositivas dialogadas, leitura e interpretação de dados, atividades práticas no laboratório, resolução de problemas. Quadro Branco; Laboratório de Informática; Projetor multimídia; Pincel e Apagador. Recursos Didáticos Avaliação A avaliação é um processo contínuo onde serão considerados aspectos qualitativos e quantitativos envolvidos no processo de ensino-aprendizagem no qual os alunos serão avaliados desde a sua participação nas atividades propostas, pontualidade e através de provas teóricas e práticas, participação em sala de aula. 24

25 Curso: FIC em Formação Inicial em Operador de Computador Disciplina: Apresentação de Slides EMENTA Trabalhar com programas de apresentação de slides. Capacitar o aluno a: PROGRAMA Objetivos Preparar apresentações de trabalhos utilizando slides. Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos) 1. VISÃO GERAL DO POWER POINT 1.1. Interface do Power Point 1.2. Criando uma nova apresentação 1.3. Salvando apresentações 1.4. Abrindo Apresentações 1.5. Inserindo e incluindo slides 1.6. Movendo e duplicando slides 2. TRABALHANDO COM TEXTO NO POWER POINT 2.1. Digitando textos 2.2. Formatando textos 2.3. Inserindo marcadores e numeração 3. INSERINDO OBJETOS 3.1. Inserindo clip-arts em slides 3.2. Inserindo imagens em slides 3.3. Inserindo sons 3.4. Inserindo tabelas 4. ANIMAÇÕES 4.1. Adicionando animações em textos e objetos 5. FINALIZANDO APRESENTAÇÕES 5.1. Trabalhando com temas 5.2. Configurando plano de fundo 5.3. Transição de slides Procedimentos Metodológicos Aulas expositivas e atividades práticas no laboratório. Quadro Branco; Laboratório de Informática; Projetor multimídia; Pincel e Apagador; Recursos Didáticos Carga Horária: 46h Avaliação A avaliação é um processo contínuo, onde os alunos serão avaliados desde a sua participação nas atividades propostas, pontualidade e através de provas teóricas e práticas, participação em sala de aula. 25

26 Curso: FIC em Formação Inicial em Operador de Computador Disciplina: Edição de Imagem Carga Horária: 12h EMENTA Introdução a ferramenta de edição de imagens CorelDraw X5. Criação de logotipos. Criação de Cartões. Criação de Objetos em 3D. Vetorização. PROGRAMA Objetivos Capacitar o aluno a compreender o funcionamento dos software utilizado possibilitando que o aluno venha a desenvolver as habilidades necessárias à criação e edição de imagens. Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos) 1. INTRODUÇÃO AO COREL DRAW X Ferramentas de Formas 1.2. Barras de Ferramentas 1.3. Paleta de cores 1.4. Zoon 1.5. Ferramentas de corte 1.6. Ferramenta de Preenchimento 2. DESENHO EM 2D 2.1. Criação de imagens através das formas 2.2. Mídia Artística 2.3. Logotipos 3. DESENHOS EM 3D 3.1. Criação de imagens através de formas avançadas 3.2. Sobreamento de imagens 3.3. Vetorização Procedimentos Metodológicos Aulas expositivas e atividades práticas no laboratório. Quadro Branco; Laboratório de Informática; Projetor multimídia; Pincel e Apagador; Recursos Didáticos Avaliação Avaliação do conteúdo teórico. Avaliação das atividades desenvolvidas em laboratório. 26

27 Curso: FIC em Formação Inicial em Operador de Computador Disciplina: Edição de Vídeo EMENTA Criação, Edição, Manipulação, Formatos e características de vídeo. PROGRAMA Carga Horária: 10h Objetivos Tem como principal finalidade possibilitar o aprendizado dos conceitos e técnicas de edição de vídeo e sua utilização prática. 1. CRIAÇÃO 1.1. Meios para obtenção de vídeo 1.2. Qualidade de captura 1.3. Tipos de resolução de vídeo 2. EDIÇÃO 2.1. Conhecer o Windows Movie Maker 2.2. Ferramentas de edição 2.3. Manipulação de vídeo 2.4. Recursos e efeitos aplicáveis a vídeo 3. CARACTERÍSTICAS DE VÍDEO 3.1. Técnicas de exibição e reprodução 3.2. Conversão de formatos 3.3. Exploração da capacidade criativa Bases Científico-Tecnológicas (Conteúdos) Procedimentos Metodológicos Aulas expositivas e atividades práticas no laboratório. Quadro Branco; Laboratório de Informática; Projetor multimídia; Pincel e Apagador; Recursos Didáticos Avaliação O estudante será avaliado mediante: participação em sala de aula; cumprimento das atividades solicitadas no prazo ao longo da duração da disciplina. Apresentação de projeto de vídeo com as técnicas aprendidas. 27

PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC

PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC Dados da Instituição Razão Social Esfera Administrativa Site de Instituição e do Programa Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal

Leia mais

Organograma do Pronatec/CEDAF 2014

Organograma do Pronatec/CEDAF 2014 Organograma do Pronatec/CEDAF 2014 Supervisor Financeiro Coordenação Geral Apoio Administrativo Supervisor de TI Apoio Financeiro Orientador Pedagógico Apoio Administrativo Avaliação dos Cursos Coordenação

Leia mais

DESCRITIVO DE CURSO. Profissionais que trabalham em escritórios e comunidade em geral. A Carga Horária Total do curso será de 160 horas/aula.

DESCRITIVO DE CURSO. Profissionais que trabalham em escritórios e comunidade em geral. A Carga Horária Total do curso será de 160 horas/aula. DESCRITIVO DE CURSO NOME DO CURSO: OPERADOR DE MICROCOMPUTADOR CBO 4121-10 (A, B, C, E, Y e Z) MODALIDADE: QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL BÁSICA Área: Tecnologia da Informação Nº 013 Atualização: Outubro de

Leia mais

CURSO DE CAPACITAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

CURSO DE CAPACITAÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE CAMPUS JOÃO CÂMARA COORDENAÇÃO DE GESTÃO DE PESSOAS CURSO DE CAPACITAÇÃO TECNOLOGIA

Leia mais

PROGRAMA ANALÍTICO DE DISCIPLINA CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO INTEGRADOS, CONCOMITANTES E SUBSEQUENTES CÓDIGO:

PROGRAMA ANALÍTICO DE DISCIPLINA CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO INTEGRADOS, CONCOMITANTES E SUBSEQUENTES CÓDIGO: MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUDESTE DE MINAS GERAIS PROGRAMA ANALÍTICO DE DISCIPLINA CURSOS TÉCNICOS

Leia mais

Curso de Informática Básica II (Windows / Internet / Word / Excel / Power Point)

Curso de Informática Básica II (Windows / Internet / Word / Excel / Power Point) Curso de Informática Básica II (Windows / Internet / Word / Excel / Power Point) Objetivos: Ao final do curso o treinando estará apto a compreender a importância da informática; definir termos e conceitos

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO E CULTURA PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE COMPUTADORES

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE COMPUTADORES Ministério da Educação - MEC Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica (SETEC) Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO MONTAGEM E MANUTENÇÃO DE

Leia mais

MS-Excel 2010 Essencial (I)

MS-Excel 2010 Essencial (I) MS-Excel 2010 Essencial (I) Carga Horária: 20 horas Objetivos: Este curso destina-se a todos os profissionais que atuam nas áreas financeiras e administrativas, e que necessitem agilizar os seus cálculos,

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 1º semestre EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO. SEMESTRE ou ANO DA TURMA: 1º semestre EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: Gestão e Negócios Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Bacharelado em Administração FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( x ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

PLANO DE AULA. IPD introdução a processamento de dados Componentes do computador, gabinete, memórias RAM e ROM, periféricos de entrada e saída.

PLANO DE AULA. IPD introdução a processamento de dados Componentes do computador, gabinete, memórias RAM e ROM, periféricos de entrada e saída. 1 AULA 01. CURSO: INFORMÁTICA BÁSICA - MATUTINO Sensibilização e contextualização do programa IPD introdução a processamento de dados Componentes do computador, gabinete, memórias RAM e ROM, periféricos

Leia mais

Conteúdos dos Cursos de Excel

Conteúdos dos Cursos de Excel Conteúdos dos Cursos de Excel Excel 2007 - Nível 1 (Essencial) Carga Horária: 20 horas Objetivos: Este curso destina-se a todos os profissionais que atuam nas áreas financeiras e administrativas, e que

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC RODRIGUES DE ABREU Código: 135 Município: Bauru - SP Eixo Tecnológico: Segurança Habilitação Profissional: Técnico de nível médio de Técnico em Segurança

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA EIXO TECNOLÓGICO: LICENCIATURA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( X ) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE:

Leia mais

EMENTA DO CURSO INFORMÁTICA BÁSICA

EMENTA DO CURSO INFORMÁTICA BÁSICA EMENTA DO CURSO INFORMÁTICA BÁSICA OBJETIVO A informática está presente em praticamente todos os setores da vida moderna. Atualmente ter o conhecimento básico de como utilizar um computador é fundamental.

Leia mais

APOSTILA INFORMÁTICA EMPRESARIAL

APOSTILA INFORMÁTICA EMPRESARIAL APOSTILA INFORMÁTICA EMPRESARIAL Apostila Active Brasil de Informática Empresarial Daniel de Menezes Gularte Omar Queiroz A livre distribuição dessa cópia está proibida, sendo de material exclusivo do

Leia mais

Informática :: Presencial

Informática :: Presencial MAPA DO PORTAL (HT T P: //WWW. PORT AL DAINDUST RIA. COM. B R/CNI/MAPADOSIT E /) SITES DO SISTEMA INDÚSTRIA (HT T P: //WWW. PORT AL DAINDUST RIA. COM. B R/CANAIS/) CONT AT O (HT T P: //WWW. PORT AL DAINDUST

Leia mais

Plano de Ensino/Plano de Trabalho Docente

Plano de Ensino/Plano de Trabalho Docente Plano de Ensino/Plano de Trabalho Docente IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: Ambiente, Saúde e Segurança CURSO: Técnico em Meio Ambiente FORMA/GRAU:( )integrado (X)subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado

Leia mais

Plano de Curso de Montador e Reparador Computadores

Plano de Curso de Montador e Reparador Computadores Governo do Estado do Rio de Janeiro Secretaria de Estado de Ciência e Tecnologia Fundação de Apoio a Escola Técnica Plano de Curso de Montador e Reparador Computadores Título do Curso Montador e Reparador

Leia mais

EMENTA DO CURSO INFORMÁTICA BÁSICA

EMENTA DO CURSO INFORMÁTICA BÁSICA EMENTA DO CURSO INFORMÁTICA BÁSICA OBJETIVO No curso Informática Básica o participante vai aprender: os recursos básicos do Sistema Operacional Windows XP, a utilizar o editor de texto Word e trabalhar

Leia mais

PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC

PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC Dados da Instituição Razão Social Esfera Administrativa Site de Instituição Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de

Leia mais

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares

CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares C M E CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO NATAL/RN RESOLUÇÃO Nº 003/2011 CME Estabelece normas sobre a Estrutura, Funcionamento e Organização do trabalho pedagógico da Educação de Jovens e Adultos nas unidades

Leia mais

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso AUTO-AVALIAÇAO INSTITUCIONAL DO CURSO DE PEDAGOGIA FACED-UFAM / Professores Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso Objetivos do Curso 01 - Tenho conhecimento do Projeto Pedagógico do Curso.

Leia mais

PLANO DE ENSINO/AULA

PLANO DE ENSINO/AULA GOVERNO DO DISTRITO FEDERAL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE GESTÃO PEDAGÓGICA E INCLUSÃO EDUCACIONAL COORDENAÇÃO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ESCOLA TÉCNICA DE BRASÍLA PLANO DE ENSINO/AULA

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. Habilitação Profissional: TÉCNICO EM PROGRAMAÇÃO DE

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EMENTA Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO: TECNOLOGIA EM SISTEMAS PARA INTERNET FORMA/GRAU:( )integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura

Leia mais

Barra de Títulos. Barra de Menu. Barra de Ferramentas. Barra de Formatação. Painel de Tarefas. Seleção de Modo. Área de Trabalho.

Barra de Títulos. Barra de Menu. Barra de Ferramentas. Barra de Formatação. Painel de Tarefas. Seleção de Modo. Área de Trabalho. Conceitos básicos e modos de utilização das ferramentas, aplicativos e procedimentos do Sistema Operacional Windows XP; Classificação de softwares; Principais operações no Windows Explorer: criação e organização

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

3 Processamento de Dados e Sistemas de Informações Contábil-Financeiros, 12

3 Processamento de Dados e Sistemas de Informações Contábil-Financeiros, 12 Apresentação, xiii Prefácio, xv Parte I Introdução ao Problema, 1 1 Introdução, 3 1.1 Problema, 3 1.2 Proposta, 5 2 A Organização, 7 2.1 Visão da empresa, 7 2.2 Sistema empresa, 9 3 Processamento de Dados

Leia mais

INFORMÁTICA BÁSICA E AVANÇADA COM INTERNET

INFORMÁTICA BÁSICA E AVANÇADA COM INTERNET *Plano Instrucional INFORMÁTICA BÁSICA E AVANÇADA COM INTERNET Curso Mercado de Trabalho: Cursos Afins: Total de Horas: Informática básica e avançada com internet Áreas administrativas, escritórios, comércio,

Leia mais

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional

REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS. PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional REFERENCIAIS ESTRATÉGICOS Projeto de Lei nº 8.035, de 2010 PLANO NACIONAL DE EDUCAÇÃO 2011-2020: metas que envolvem a Educação Profissional O PNE é formado por: 10 diretrizes; 20 metas com estratégias

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Prof. Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de TÉCNICO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico ETEC Rodrigues de Abreu Código: 135 Município: Bauru SP Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança Habilitação Profissional: Técnico em Enfermagem Qualificação:

Leia mais

Sumário. Conteúdo Certificação OFFICE 2010

Sumário. Conteúdo Certificação OFFICE 2010 Conteúdo Certificação OFFICE 2010 Sumário Access 2010... 2 Excel Core 2010... 3 Excel Expert 2010... 4 Outlook 2010... 5 PowerPoint 2010... 8 Word Core 2010... 9 Word Expert 2010... 10 Access 2010 1. Gerenciando

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

Power Point. Autor: Paula Pedone

Power Point. Autor: Paula Pedone Power Point Autor: Paula Pedone INTRODUÇÃO O POWER POINT é um editor de apresentações, pertencente ao Pacote Office da Microsoft. Suas principais características são: criação de apresentações através da

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 201 Ensino Técnico ETEC DR. FRANCISCO NOGUEIRA DE LIMA Código: 0059 Município: Casa Branca Área Profissional: Eixo Tecnológico: Ambiente, Saúde e Segurança Habilitação Profissional:

Leia mais

PROJETO CURSO DE INFORMÁTICA

PROJETO CURSO DE INFORMÁTICA PROJETO CURSO DE INFORMÁTICA 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1.1. TÍTULO: Curso Básico de LibreOffice.org 1.2. CURSO: Curso de Capacitação - Servidores Públicos 1.3.1. IDENTIFICAÇÃO DO(A) PROFESSOR(A) /PROPONENTE

Leia mais

Programa de formaça o de Word Nível 1 (482)

Programa de formaça o de Word Nível 1 (482) Programa de formaça o de Word Nível 1 (482) Conteúdo Denominação do curso de formação:... 1 Objetivo Geral... 1 Destinatários... 1 Requisitos... 1 Critérios de seleção dos formandos... 2 Modalidade e forma

Leia mais

FIC FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA CURSO DE CONTROLADOR E PROGRAMADOR DE PRODUÇÃO

FIC FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA CURSO DE CONTROLADOR E PROGRAMADOR DE PRODUÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE SANTA CATARINA CAMPUS JARAGUÁ DO SUL FIC FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA CURSO DE CONTROLADOR E PROGRAMADOR DE

Leia mais

Ensino Técnico. Ensino Técnico

Ensino Técnico. Ensino Técnico Ensino Técnico PLANO DE TRABALHO DOCENTE 1º Semestre/2015 Ensino Técnico Código: 262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Componente Curricular: Aplicativos Informatizados Eixo Tecnológico: Gestão

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Professor Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Logística

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FORMAÇÃO INICIAL EM LINUX Campus Lages Junho/204 Parte (solicitante) DADOS DO CAMPUS PROPONENTE. Campus: Instituto Federal de Santa Catarina Campus Lages. 2. Endereço/CNPJ/Telefone

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO PROFISSIONAL Plano de Trabalho Docente 2015 ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça / SP EE: Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação

Leia mais

Pacote Office. Subtítulo

Pacote Office. Subtítulo Pacote Office Subtítulo Sobre a APTECH A Aptech é uma instituição global, modelo em capacitação profissional, que dispõe de diversos cursos com objetivo de preparar seus alunos para carreiras em Tecnologia

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2010. Ensino Técnico. Habilitação Profissional: habilitação Profissional técnica de nível médio de técnico em administração

Plano de Trabalho Docente 2010. Ensino Técnico. Habilitação Profissional: habilitação Profissional técnica de nível médio de técnico em administração Plano de Trabalho Docente 2010 Ensino Técnico ETEc de Ribeirão Pires Código: 141 Município: Ribeirão Pires/Mauá Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: habilitação Profissional técnica

Leia mais

Diretrizes de Apoio às Ações de Extensão no IFRS Campus Osório

Diretrizes de Apoio às Ações de Extensão no IFRS Campus Osório Diretrizes de Apoio às Ações de Extensão no IFRS Campus Osório O presente documento visa orientar a estruturação de propostas de Extensão vinculadas ao - Campus Osório. Este instrumento consta das diretrizes

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec: Professor Mário Antônio Verza Código: 164 Município: Palmital Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Serviços Jurídicos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 52/11. Aprova Bolsa Formação do PRONATEC

RESOLUÇÃO Nº 52/11. Aprova Bolsa Formação do PRONATEC RESOLUÇÃO Nº 52/11. Aprova Bolsa Formação do PRONATEC O CONSELHO SUPERIOR DO INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ, no uso de suas atribuições legais e estatutárias, e, tendo vista o contido no parecer exarado pelo

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: CONTROLE E PROCESSOS INDUSTRIAIS Habilitação Profissional: Técnica de Nível

Leia mais

ITINERÁRIOS FORMATIVOS: CAMINHOS POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL

ITINERÁRIOS FORMATIVOS: CAMINHOS POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL ITINERÁRIOS FORMATIVOS: CAMINHOS POSSÍVEIS NA EDUCAÇÃO PROFISSIONAL Resumo Gabriel Mathias Carneiro Leão1 - IFPR, UFPR Rosane de Fátima Batista Teixeira2 - IFPR Grupo de Trabalho Cultura, Currículo e Saberes

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL DEPARTAMENTO REGIONAL DO ESPÍRITO SANTO GERÊNCIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA PLANO DO CURSO OPERADOR DE COMPUTADOR QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL BÁSICA EIXO

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: Dr. José Luiz Viana Coutinho Código: 073 Município: Jales Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Habilitação Profissional

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2010. Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de Técnico em Secretariado

Plano de Trabalho Docente 2010. Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de Técnico em Secretariado Plano de Trabalho Docente 2010 Ensino Técnico ETEC Suzano Código: 146 Município: Suzano Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional Técnica de Nível Médio de Técnico em Secretariado Qualificação

Leia mais

CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD

CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Turismo Pós-Graduação em Gestão de Negócios CICLO DE APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL DOS SERVIDORES MUNICIPAIS DE MARICÁ- RJ EDITOR DE TEXTO - WORD EMENTA

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO PARANÁ CÂMPUS CURITIBA Pró-Reitoria de Extensão, Pesquisa e Inovação Diretoria de Extensão e Políticas de Inclusão

Leia mais

Formação em Gestão Acadêmica

Formação em Gestão Acadêmica PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAL COORDENAÇÃO DE ENSINO E INTEGRAÇÃO ACADÊMICA NÚCLEO DE FORMAÇÃO PARA DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR Formação em Gestão Acadêmica Cruz das Almas-BA

Leia mais

Instrumento de Avaliação

Instrumento de Avaliação Monitoramento e Avaliação do Bolsa-Formação 2012 - Instrumento_de_Avaliação - # 42 Instrumento de Avaliação {{>toc}} I - Contextualização da Unidade Ofertante a. Nome da mantenedora; b. Base legal da mantenedora

Leia mais

Programa de formaça o de Power Point Nível 1 (482)

Programa de formaça o de Power Point Nível 1 (482) Programa de formaça o de Power Point Nível 1 (482) Conteúdo Denominação do curso de formação:... 1 Objetivo Geral... 1 Destinatários... 1 Requisitos... 1 Critérios de seleção dos formandos... 1 Modalidade

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) Operador de Computador Florestal 2014 Reitora da Universidade Federal de Viçosa Nilda de Fátima Ferreira Soares Pró-Reitor de Ensino Vicente

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC de ALMOXARIFE. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC de ALMOXARIFE. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Plano de Trabalho Docente 2015

Unidade de Ensino Médio e Técnico - Cetec. Plano de Trabalho Docente 2015 Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: São Carlos SP Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Recursos Humanos Qualificação:

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) Montador e Reparador de Computadores Florestal 2014 Reitora da Universidade Federal de Viçosa Nilda de Fátima Ferreira Soares Pró-Reitor

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

Plano de Curso. Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de Ensino e Desenvolvimento Agrário de Florestal

Plano de Curso. Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de Ensino e Desenvolvimento Agrário de Florestal Plano de Curso Dados da Instituição Razão Social Esfera Administrativa Site de Instituição Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de Ensino e Desenvolvimento Agrário de Florestal

Leia mais

PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC. Apresentação do Curso. Especialista M.B.A em Gestão de Pessoas

PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC. Apresentação do Curso. Especialista M.B.A em Gestão de Pessoas PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC Dados da Instituição Razão Social Esfera Administrativa Site de Instituição Universidade Federal de Viçosa - Campus UFV Florestal Central de

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC)

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA (FIC) INGLÊS INTERMEDIÁRIO Florestal 2014 Reitora da Universidade Federal de Viçosa Nilda de Fátima Ferreira Soares Pró-Reitor de Ensino Vicente

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL Introdução Aula 03: Pacote Microsoft Office 2007 O Pacote Microsoft Office é um conjunto de aplicativos composto, principalmente, pelos

Leia mais

Informática. Aula: 04/06. Prof. Márcio Hollweg. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.

Informática. Aula: 04/06. Prof. Márcio Hollweg. www.conquistadeconcurso.com.br. Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM. Informática Aula: 04/06 Prof. Márcio Hollweg UMA PARCERIA Visite o Portal dos Concursos Públicos WWW.CURSOAPROVACAO.COM.BR Visite a loja virtual www.conquistadeconcurso.com.br MATERIAL DIDÁTICO EXCLUSIVO

Leia mais

Manual do Estagiário 2008

Manual do Estagiário 2008 Manual do Estagiário 2008 Sumário Introdução... 2 O que é estágio curricular... 2 Objetivos do estágio curricular... 2 Duração e carga horária do estágio curricular... 3 Requisitos para a realização do

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES PLANIFICAÇÃO DISCIPLINA. TECNOLOGIAS da INFORMAÇÃO e COMUNICAÇÃO (TIC) 7º Ano. Ano letivo 2014-2015

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES PLANIFICAÇÃO DISCIPLINA. TECNOLOGIAS da INFORMAÇÃO e COMUNICAÇÃO (TIC) 7º Ano. Ano letivo 2014-2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES PLANIFICAÇÃO da DISCIPLINA de TECNOLOGIAS da INFORMAÇÃO e COMUNICAÇÃO (TIC) 7º Ano Ano letivo 2014-201 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. FRANCISCO SANCHES Desenvolvimento

Leia mais

PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC

PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC PLANO DE CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DO PRONATEC Dados da Instituição Razão Social Esfera Administrativa Site de Instituição e do Programa Supervisor do Curso Titulação Nome do Curso Características

Leia mais

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área;

a importância de formar profissionais para atuar nos campos de trabalho emergentes na área; SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n. 66/ 2012 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Computação, Licenciatura

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC Ferramentas Online. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC Ferramentas Online. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

O Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores possui flexibilidade para atender dois tipos de certificações intermediárias, que são:

O Curso Superior de Tecnologia em Redes de Computadores possui flexibilidade para atender dois tipos de certificações intermediárias, que são: 1) Formas de participação do Corpo Discente: O Colegiado do Curso é um órgão consultivo, deliberativo e normativo, onde é possível a participação do corpo discente nas decisões que competem a exposição

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de INFORMÁTICA II - FERRAMENTAS PARA ESCRITÓRIO. Parte 1 (Solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de INFORMÁTICA II - FERRAMENTAS PARA ESCRITÓRIO. Parte 1 (Solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

Disciplina: Informática Introdução à Microinformática (1/3) Carga-Horária: 23 h (30 h/a)

Disciplina: Informática Introdução à Microinformática (1/3) Carga-Horária: 23 h (30 h/a) Disciplina: Informática Introdução à Microinformática (1/3) Carga-Horária: 23 h (30 h/a) Mostrar a evolução do computador ao longo da história; Propiciar ao aluno conhecimentos básicos sobre os computadores

Leia mais

Plano de Aula - Excel 2010 - cód. 4097 16 Horas/Aula

Plano de Aula - Excel 2010 - cód. 4097 16 Horas/Aula Aula 1 Capítulo 1 - Introdução ao Microsoft Excel 2010 Aula 2 Capítulo 2 - Pastas e Células Aula 3 Capítulo 3 - Planilhas Plano de Aula - Excel 2010 - cód. 4097 16 Horas/Aula 1.1. Novidades do Excel 2010...

Leia mais

Microsoft Word 11/10/2012. Agenda. Introdução. Introdução. Introdução. Curso Conexão Noções de Informática. Aula 6 Microsoft Office

Microsoft Word 11/10/2012. Agenda. Introdução. Introdução. Introdução. Curso Conexão Noções de Informática. Aula 6 Microsoft Office Curso Conexão Noções de Informática Agenda Microsoft Office: Microsoft Word; Microsoft Excel; Microsoft PowerPoint. Aula 6 Microsoft Office Email: leomezzomo@hotmail.com Site: leomezzomo.xpg.com.br O Microsoft

Leia mais

Turma. PowerPoint 2003

Turma. PowerPoint 2003 PowerPoint 2003 Apresentação O Power Point é um aplicativo do Microsoft Office direcionado à criação de apresentações. Com ele você poderá criar rapidamente slides com esquemas, textos animados, sons e

Leia mais

Programa de formaça o de Power Point Nível 1 (482)

Programa de formaça o de Power Point Nível 1 (482) Programa de formaça o de Power Point Nível 1 (482) Conteúdo Denominação do curso de formação:... 1 Objetivo Geral... 1 Destinatários... 1 Requisitos... 1 Critérios de seleção dos formandos... 1 Modalidade

Leia mais

FEMA Fundação Educacional Machado de Assis INFORMÁTICA Técnico em Segurança do Trabalho P OW ERPOI NT. Escola Técnica Machado de Assis Imprensa

FEMA Fundação Educacional Machado de Assis INFORMÁTICA Técnico em Segurança do Trabalho P OW ERPOI NT. Escola Técnica Machado de Assis Imprensa P OW ERPOI NT 1 INTRODUÇÃO... 3 1. Iniciando o PowerPoint... 3 2. Assistente de AutoConteúdo... 4 3. Modelo... 5 4. Iniciar uma apresentação em branco... 6 5. Modo de Exibição... 6 6. Slide Mestre... 7

Leia mais

Ficha Técnica. Pré-requisitos: não há pré-requisitos. O aluno inicia o curso de Windows 8 com uma introdução à informática.

Ficha Técnica. Pré-requisitos: não há pré-requisitos. O aluno inicia o curso de Windows 8 com uma introdução à informática. Windows 8 O Windows está presente na maior parte dos computadores, seja para uso pessoal ou profissional. Quem vai começar a usar um computador precisa saber trabalhar bem com ele. O Windows 8 é o Sistema

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Monsenhor Antonio Magliano Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio

Leia mais

O 1º Ciclo do Ensino Básico é um espaço privilegiado onde se proporcionam aos alunos aprendizagens mais ativas e significativas,

O 1º Ciclo do Ensino Básico é um espaço privilegiado onde se proporcionam aos alunos aprendizagens mais ativas e significativas, O 1º Ciclo do Ensino Básico é um espaço privilegiado onde se proporcionam aos alunos aprendizagens mais ativas e significativas, pois este é um dos meios de socialização e da aquisição das primeiras competências

Leia mais

PLANO DE ENSINO CURSO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO INTEGRADO EM SEGURANÇA DO TRABALHO

PLANO DE ENSINO CURSO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO INTEGRADO EM SEGURANÇA DO TRABALHO PLANO DE ENSINO CURSO DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL TÉCNICO DE NÍVEL MÉDIO INTEGRADO EM SEGURANÇA DO TRABALHO Componente Curricular: Informática e Português Instrumental Carga Horária: 90h Período Letivo: 2015/01

Leia mais

Microsoft PowerPoint 2003

Microsoft PowerPoint 2003 Página 1 de 36 Índice Conteúdo Nº de página Introdução 3 Área de Trabalho 5 Criando uma nova apresentação 7 Guardar Apresentação 8 Inserir Diapositivos 10 Fechar Apresentação 12 Abrindo Documentos 13 Configurar

Leia mais

Agente Administrativo do MTE

Agente Administrativo do MTE PowerPoint 2003 Apresentação O Power Point é um aplicativo do Microsoft Office direcionado à criação de apresentações. Com ele você poderá criar rapidamente slides com esquemas, textos animados, sons e

Leia mais

Pós-graduação Lato Sensu em Informática Aplicada na Educação

Pós-graduação Lato Sensu em Informática Aplicada na Educação Pós-graduação Lato Sensu em Informática Aplicada na Educação 1. Público Alvo Este curso de Pós-Graduação Lato Sensu é destinado principalmente a alunos graduados em cursos da área de Educação (Pedagogia

Leia mais

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA

ROBERTO OLIVEIRA CUNHA LEIAME Apresentação Nenhuma informação do TUTORIAL DO MICRO- SOFT OFFICE POWER POINT 2003 poderá ser copiada, movida ou modificada sem autorização prévia e escrita do Programador Roberto Oliveira Cunha.

Leia mais

MANUAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO EM SAÚDE

MANUAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO EM SAÚDE 1 MANUAL DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO EM SAÚDE Olinda PE Agosto / 2014 2 Introdução As atividades complementares representam um conjunto de atividades extracurriculares que

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec Etec: PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Técnico em Administração Qualificação:

Leia mais

PRÉ-REQUISITOS CARGA-HORÁRIA A QUEM SE DESTINA:

PRÉ-REQUISITOS CARGA-HORÁRIA A QUEM SE DESTINA: EMENTA: INTRODUÇÃO AO BROFFICE/LIBREOFFICE Visão geral do BrOffice/LibreOffice; Por que usar o BrOffice? Instalando o BrOffice/LibreOffice; Iniciando o BrOffice/LibreOffice; A partir de documento existente;

Leia mais

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007

RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 RESOLUÇÃO UnC-CONSEPE 040/2007 Aprova a Reformulação do Regimento da Educação a Distância O Reitor da Universidade do Contestado, no uso de suas atribuições, de acordo com o Art. 25 do Estatuto da Universidade

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC Programador de Dispositivos Móveis. Parte 1 (solicitante)

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC Programador de Dispositivos Móveis. Parte 1 (solicitante) MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC de Inglês básico.

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC PRONATEC de Inglês básico. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO PEDAGÓGICO

Leia mais

ANEXO III. Regulamentação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado na Modalidade Educação de Jovens e Adultos. Capítulo I Da admissão

ANEXO III. Regulamentação da Educação Profissional Técnica de Nível Médio Integrado na Modalidade Educação de Jovens e Adultos. Capítulo I Da admissão ANEXO III ORGANIZAÇÃO DIDÁTICA DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA SERTÃO PERNANBUCANO Resolução nº 031/2010 De 30 de setembro de 2010 Regulamentação da Educação Profissional Técnica

Leia mais