Mobilidade Urbana na área urbana de Tefé- AM: um estudo sobre o mototaxi como meio de deslocamento

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mobilidade Urbana na área urbana de Tefé- AM: um estudo sobre o mototaxi como meio de deslocamento"

Transcrição

1 Mobilidade Urbana na área urbana de Tefé- AM: um estudo sobre o mototaxi como meio de deslocamento Jouber da Costa e Silva¹ Universidade Federal do Amazonas-Ufam ¹ Mestrando em Geografia pela Universidade Federal do Amazonas

2 INTRODUÇÃO O uso do mototaxi tem se tornado um dos principais meios de deslocamento em muitas cidades do interior do Amazonas, pela a sua facilidade de locomoção baixo custo para manter o veículo em comparação com os demais meios motorizados. Em Tefé o serviço é prestado por cerca de 973 mototaxistas divididos pelos mais diversos turnos. O serviço atende a toda área urbana da cidade com um preço fixado pelas associações e sindicato, o serviço é regulamentado pelo município desde O presente artigo busca compreender o funcionamento das instituições públicas e privadas ligadas ao mototaxi, descrevendo as suas funções e atribuições e a partir delas analisar como funciona o serviço no município, além elaborar um mapa de onde estão instaladas os serviços ligados a manutenção dos veículos e as instituições ligadas ao serviço. Fundamentação Teórica Mobilidade urbana é definida como o deslocamento de pessoas e de cargas. Esses deslocamentos podem ser realizados de diversas formas, à pé, ônibus, bicicleta, automóveis, dentre outros. No Brasil há uma legislação específica para a mobilidade urbana, ela é regida pela Lei nº , de 3 de janeiro de Segundo o seu Art. 3 o, mobilidade urbana é definida como: conjunto organizado e coordenado dos modos de transporte, de serviços e de infraestruturas que garantem os deslocamentos de pessoas e cargas no território do Município. O fenômeno da popularização de transportes alternativos e individuais pode ser explicado a partir de vários fatores tais quais: a facilidade de locomoção mais rápida; a

3 desregulamentação; a ineficiência e o alto custo do transporte público; e o maior acesso às condições de comprar um veículo. [...] Mesmo para os trabalhadores que recebem vale-transporte apesar de terem garantidas suas viagens casa-trabalho, deixam de realizar outros deslocamentos em função do alto preço das passagens. Observa-se que o aumento de renda da população, principalmente a renda dos mais pobres, foi fator importante para inversão da tendência de queda do uso do transporte público coletivo por ônibus iniciada em meados da década de (VASCONCELLOS et al., 2011 p.50) Além desse quadro é importante frisar as lutas políticas em âmbito nacional e local sendo essa luta apoiada por muitos parlamentares e fortalecida pelo processo de desregulamentação. [ ] O moto-táxi encontrou terreno fértil no novo ambiente de desregulamentação e foi apoiado por muitos políticos e gestores públicos (VASCONCELLOS, 2008, p.131). No Brasil o mototaxi e o motofrete é regulamentado pela Lei de julho de 2009 essa legislação determinam os direitos e deveres dos profissionais de duas rodas deixando a regulamentação do serviço ao encargo de cada estado e município. Em Tefé o serviço foi regulado a partir da Lei municipal 039/2010, permitindo o serviço a pessoa física que possua capacidade formal para exercer a atividade e que esteja inserido em uma entidade associativa e representava da classe possa a concorrer a uma das oferecidas sendo a vaga intransferível ou negociadas por valores monetários sem o consentimento do órgão regulador. Segundo SHOR e COSTA (2010) a cidade de Tefé pode ser classificada como cidade média de responsabilidade territorial, pois Exerce uma função na rede que vai além das suas características em si, pois detém uma responsabilidade territorial que a torna um nódulo importante internamente na rede. Essa influência é devida a vários

4 fatores tais como a presença de determinados serviços que atraem pessoas de outros lugares e de alguns municípios no seu entorno, essa constante atração faz com que haja uma demanda de transporte no município. METODOLOGIA A temática foi desenvolvida a partir do trabalho de campo nos dias 10 a 12 de fevereiro de Visitamos o Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas Detran-Am, o Instituto municipal de trânsito INTRANS e a polícia militar do município que realiza operações para coibir possíveis irregularidades no trânsito da cidade, além dos órgão públicos foram visitadas três associações e um sindicato onde foram obtidos dados sobre o funcionamento do serviço na cidade assim como o perfil dos profissionais. RESUTADOS E DISCURSÕES O município possui quatro serviços regulamentados, taxi quatro rodas atendendo em três pontos das cidades, um no aeroporto, outro no porto e o último em frente a agência do banco do Brasil, o serviço de transporte de cagar que é realizado por veículos de pequeno e médio porte visto em sua maioria no porto da cidade, o ônibus rural é oferecido pela prefeitura e atende as comunidades rurais da cidade e o serviço de mototaxi. O serviço de mototaxi foi regulamentado em 2010 pela lei municipal 039/2010, ela determina o número de vagas para mototaxitas, além dos requisitos determinado na lei federal tais como, o uso de colete reflexivos, idade mínima de 21 anos, a lei municipal determina que todos eles sejam ligados a uma instituição representativa da categoria, inicialmente a lei determina uma proporção de vagas por instituição ficando: 300 vagas para a Assomot, 300 para Amut e 400 Sindmot. Embora a lei faça uma série de obrigações, deixa outros pontos em aberto tais como a questão da obrigatoriedade do uso da carteira nacional habilitação, a entrada de

5 novas associações e fiscalizações por parte do órgão que regulamenta o serviço, no entanto mesmo com a falta desses itens em lei é possível perceber uma organização bem consolidada por parte das associações, sindicato e profissionais no que se refere ao gerenciamento da atividade pela cidade, mas que deixa a desejar no que se refere ao cumprimento da legislação (carteira nacional de habilitação, seguro, idade mínima para exercer a profissão) deixando a responsabilidade ao encargo do mototaxista. O município possui um Sindicado de moto-táxi, a SINDMOTT, e três associações: Associação Unidos de Tefé AMUT, Associação de Mototáxi de Tefé ASSOMOT, Associação de Taxista de Motos de Tefé TEFEENSES. Segundo FILHO (2007) em 2002 existia um sindicato e duas associações tendo ao total 800 mototaxistas segundo a tabela abaixo: A SINDMOTT é a mais antiga existindo a 18 anos, possui sede própria sendo a primeira a ser criada na cidade, possui atualmente 650 sindicalizados trabalhando pela cidade ela foi formada em 1997 a partir de cinco associações que se juntaram e formaram o sindicato. ASSOMOT possui 13 anos de existência não possuindo uma sede própria, são cadastrados 106 associados. AMUT não possui sede própria, tendo 152 associados, existindo há 12 anos. A TEFEENSES com 65 associados, não tem sede própria possuindo 6 meses de funcionamento. O sindicato e as associações permitem que seus membros aluguem vendam ou transfiram as vagas servindo inclusive como herança, todas as associações possuem cadastros dos mototaxistas, cada uma dessas instituições possuem fichas dos membros cadastrados onde constam dados referente ao RG, CPF, endereço, o tempo de serviço.

6 Os mototaxistas são identificados a partir da sua inscrição marcada no colete, cada associação possui uma cor SINDIMOT Amarelo, ASSOMOT Laranja, AMUT Azul, TEFEENSE Vermelho (foto 1). Dois diferenciais que podem ser destacados sobre os TEFEENSE é a única associação em que todos os seus membros são habilitados (Categoria A Motocicletas), outro ponto é que ela não cobra tarifa mensal no valor de 10,00 reais como as demais, pois parte dos seus rendimentos advém de propaganda fixada nos coletes dos mototaxistas. A tarifa para o uso do mototaxi na cidade é de 3,00 reais, com esse valor é possível ir em quase todos os lugares da cidade, para as regiões mais distante como o aeroporto de Tefé essa tarifa passa a ser 12,00 reais, existem algumas tarifas diferenciadas para estudantes desde que uniformizadas, eles pagam 2,00 reais, esses valores são obedecidos por todas as associações que realizam reuniões e definem a tarifa a ser cobrada pela cidade. Foto 1- Identificação dos mototaxistas a partir das cores da associação Fonte: Trabalho de campo em Tefé-Am Em todos os pontos visitados foi possível verificar uma multiplicidade no que se refere ao ambiente de trabalho, as várias associações podem explorar o mesmo lugar, assim como podem realizar viagens para toda área urbana inclusive ao aeroporto, no entanto não pode permanecer por muito tempo devido a um acordo da Empresa

7 Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária INFRAERO com o Sindicato com o sindicato dos taxistas de Tefé. A cidade possui três órgãos públicos ligados ao trânsito, o Departamento Estadual de Trânsito DETRAN que trabalha na regularização e despacho de documentos referente ao licenciamento de carros e que atua na fiscalização em conjunto com a polícia militar. O Instituto Municipal de Trânsito que trabalha com 44 agentes e tem como foco a prevenção e sinalização das vias atuando pouco na área da fiscalização devido a falta de uma legislação que municipalize o trânsito no município. A polícia militar trabalha na área de prevenção e fiscalização, o município possui um policial militar destacado que juntamente com um funcionário da prefeitura ou do DETRAN fazem rondas nas vias abordando os condutores que se mostram em desacordo com a legislação ou que não utilizam o equipamento de segurança, os veículos apreendidos são levados para uma instalação da prefeitura até a sua regularização junto ao DETRAN, essas fiscalizações são realizadas em dias alternados, os policiais designados no município pode apreender o veículo sem documento ou com alguma irregularidade, mas sem aferir o auto de infração uma vez que nenhum policial foi nomeado como agente de trânsito pelo DETRAN-Am, segundo a polícia militar as maiores ocorrências é em relação ao condutor são a falta da Carteira Nacional de Habilitação CNH e a falta do capacete principalmente para o carona, e a documentos veiculares vencidos. Segundo as associações e sindicato a falta da CNH por parte dos condutores de mototaxi ocorre devido ao longo período de espera para realizar os exames veiculares, que em média são realizados a cada 6 meses, segundo a norma da própria instituição cada processo de habilitação dura 1 ano, sendo assim, o condutor que for reprovado na primeira ou na segunda etapa já está eliminado tendo que abrir outra inscrição para poder ter a habilitação. Os TEFEENSES por outro lado não aceitam pessoas sem habilitação e com menos de 21 anos de idade para exercer a atividade. Filho (2011) em sua dissertação sobre o mototaxi nas cidades do Castanhal e Tefé afirma o transporte alternativo também contribuiu para o aumento do número de oficina mecânicas de motocicleta. Em nosso levantamento verificamos 7 oficinas

8 mecânicas todas concentradas no centro da cidade e com distâncias menores de 2 km de uma para a outra, a maioria dos postos de gasolina estão distribuídos ao longo da estrada do aeroporto, no geral verificamos que a maioria das instituições (públicas ou privadas) ligada ao serviço de mototaxi estão concentrado no centro, em hipótese isso acontece devido ao número de serviços e comércios que o centro oferece, as atividades bancarias e feiras, e ao embarque e desembarque de passageiros chegando através do porto de outros município e comunidades. Tefé. Abaixo um mapa retratando essa concentração de lugares ligados ao serviço em Mapa 1 Instituições ligadas ao Mototaxi O serviço de mototaxi em Tefé embora regulamento em lei municipal a mesma não abrangem algumas questões e essenciais de segurança e fiscalização veicular, o serviço em Tefé é bastante organizado e gerenciado pelas próprias associações e mototaxistas que dentre outras medidas asseguram a existência e reprodução do próprio sistema através de cadastramentos internos e identificação dos mesmos que rodam pelas

9 cidade, a concentração dos serviços ligados ao mototaxi no centro podem estar ligados ao fluxo de pessoas que chegam a cidade, recebe através do porto o que podemos verificar é que embora exista uma organização própria é necessário que o poder público municipal se posicione frente a questões ainda em aberto principalmente no que se refere ao uso dos equipamentos de segurança e ao treinamento dos profissionais na condução do transporte. REFERENCIAS BRASIL. Lei nº , de 3 de Julho de 2009.Coleção de lei da república federativa do Brasil. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 4 jan. 2012, Seção 1 p.4.

10 BRASIL. Lei nº , de 3 de Janeiro de 2012.Coleção de lei da república federativa do Brasil. Diário Oficial da União, Brasilia, DF, 4 jan. 2012, Seção 1 p.1. Departamento Nacional de Trânsito. Dísponivel em: < >.Acessado em: 17 de Junho d.e INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA, Censo Demográfico de Manaus de 2010, Amazonas, SALIM FILHO, M.T.Demandas e Políticas Públicas de Transporte Urbano, Dissertação, (Mestrado) Belém, UFPA/NAEA,2007. SCHOR, T.COSTA, D. Rede Urbana na Amazônia dos Grandes Rios: Uma Tipologia para as cidades na calha do rio solimões -Amazonas AM, Simpurb VASCONCELLOS, E. A. O custo social da motocicleta no Brasil. Revista dos Transportes Públicos, ANTP, São Paulo, P VASCONCELLOS, E. A; CARVALHO. C. H. R; PEREIRA, R. H. M. Transporte e Mobilidade Urbana. Brasília, DF: CEPAL. Escritório no Brasil/ IPEA.

CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO DECRETA:

CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO PAULO DECRETA: PROJETO DE LEI Nº. 243/2015 Dispõe sobre regulamentação do atendimento ao serviço de Transporte Individual de Passageiros, Táxi, em casos de solicitação por aplicativo (APP) ou internet, no Município de

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO À INICIAÇÃO CIENTÍFICA PAIC/UEA RELATÓRIO DE ATIVIDADE MENSAL

PROGRAMA DE APOIO À INICIAÇÃO CIENTÍFICA PAIC/UEA RELATÓRIO DE ATIVIDADE MENSAL PROGRAMA DE APOIO À INICIAÇÃO CIENTÍFICA PAIC/UEA Bolsista: Jouber da Costa e Silva Título do Projeto: RELATÓRIO DE ATIVIDADE MENSAL A mobilidade urbana na cidade de Manaus: uma análise dos transportes

Leia mais

Flávio Ahmed CAU-RJ 15.05.2014

Flávio Ahmed CAU-RJ 15.05.2014 Flávio Ahmed CAU-RJ 15.05.2014 O espaço urbano como bem ambiental. Aspectos ambientais do Estatuto da cidade garantia da qualidade de vida. Meio ambiente natural; Meio ambiente cultural; Meio ambiente

Leia mais

PROGRAMA DE APOIO À INICIAÇÃO CIENTÍFICA PAIC/UEA RELATÓRIO DE ATIVIDADE MENSAL

PROGRAMA DE APOIO À INICIAÇÃO CIENTÍFICA PAIC/UEA RELATÓRIO DE ATIVIDADE MENSAL PROGRAMA DE APOIO À INICIAÇÃO CIENTÍFICA PAIC/UEA Bolsista: Jouber da Costa e Silva Título do Projeto: RELATÓRIO DE ATIVIDADE MENSAL A mobilidade urbana na cidade de Manaus: uma análise dos transportes

Leia mais

PROJETO DE LEI 01-00105/2015 do Vereador Salomão Pereira (PSDB)

PROJETO DE LEI 01-00105/2015 do Vereador Salomão Pereira (PSDB) Secretaria Geral Parlamentar Secretaria de Documentação Equipe de Documentação do Legislativo PROJETO DE LEI 01-00105/2015 do Vereador Salomão Pereira (PSDB) Dispõe Introdução Municipal da Lei Federal

Leia mais

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS

POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS Seminário POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO DE MOTOS LEGISLAÇÃO, FISCALIZAÇÃO E POLÍTICA DE SEGURANÇA Brasília DF 13 de setembro de 2012 Regulamentação da atividade de mototaxista Mesmo diante da ausência

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE TRÂNSITO

POLÍTICA NACIONAL DE TRÂNSITO POLÍTICA NACIONAL DE TRÂNSITO INTRODUÇÃO A Associação Brasileira de Pedestres ABRASPE apresenta aqui sua sugestão para revisão do texto original de Política Nacional de Trânsito apresentado pelo Departamento

Leia mais

CLIENTE A Autoescola Paula está localizada na Avenida Paraná, nº 1641, no bairro Bacacheri, que compõe a região do Boa Vista. É um CFC de pequeno porte, que conta com 15 funcionários e 10 veículos. Oferecem

Leia mais

Estudo de Impacto Regulatório do Controle Metrológico em moto taxímetros.

Estudo de Impacto Regulatório do Controle Metrológico em moto taxímetros. Estudo de Impacto Regulatório do Controle Metrológico em moto taxímetros. Francisco Siqueira Tecnologista (Inmetro) Índice - Definição de competências; - Constituição Federal - Código Brasileiro de Trânsito

Leia mais

MOTOFRETISTA REGULAMENTADO! MOTOCICLISTA CONSCIENTE!

MOTOFRETISTA REGULAMENTADO! MOTOCICLISTA CONSCIENTE! SENADO FEDERAL COMISSÃO DE ASSUNTOS SOCIAIS Audiência Pública Discutir a Epidemia de Acidentes Envolvendo Motociclistas no Brasil Brasília, 29 de maio de 2012. MOTOFRETISTA REGULAMENTADO! MOTOCICLISTA

Leia mais

NÍVEL: Documento: Normas e procedimentos para condutores de veículos/2013.1

NÍVEL: Documento: Normas e procedimentos para condutores de veículos/2013.1 ELABORAÇÃO: Paula dos Santos Costa ANÁLISE CRÍTICA: Virginia de Paula Mesquita APROVAÇÃO: Antônio Reinaldo Santos Linhares DISTRIBUIÇÃO: (ÁREA): Frota - Este documento é válido em todo o comando de frota

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO

CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO DESPACHO 2007 N O PROJETO DE LEI Nº 1310/2007 INSTITUI O SERVIÇO E COLETA DE PEQUENAS CARGAS, MEDIANTE UTILIZAÇÃO DE MOTOCICLETAS, NO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO, DENOMINADO MOTO-FRETE, E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS.

Leia mais

Palestrante Engº Antônio Ferreira Silva EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA Julho/2011. www.fortaleza.ce.gov.br

Palestrante Engº Antônio Ferreira Silva EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA Julho/2011. www.fortaleza.ce.gov.br Sistema de Transporte por Mototáxi de Fortaleza Palestrante Engº Antônio Ferreira Silva EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA Julho/2011 Tópicos Serviço de Mototáxi Definição Características Modelo

Leia mais

Mobilidade Urbana COMO SE FORMAM AS CIDADES? 06/10/2014

Mobilidade Urbana COMO SE FORMAM AS CIDADES? 06/10/2014 Mobilidade Urbana VASCONCELOS, Eduardo Alcântara de. Mobilidade urbana e cidadania. Rio de Janeiro: SENAC NACIONAL, 2012. PLANEJAMENTO URBANO E REGIONAL LUCIANE TASCA COMO SE FORMAM AS CIDADES? Como um

Leia mais

Política Nacional de Mobilidade Urbana

Política Nacional de Mobilidade Urbana Ministério das Cidades SeMOB - Secretaria Nacional de Transportes e da Mobilidade Urbana Política Nacional de Mobilidade Urbana SIMT - Seminário Internacional Mobilidade e Transportes Agosto 2013 Estrutura

Leia mais

5.2. Programa de Mobilização e Desmobilização da Mão de Obra. Revisão 00 NOV/2013

5.2. Programa de Mobilização e Desmobilização da Mão de Obra. Revisão 00 NOV/2013 PROGRAMAS AMBIENTAIS 5.2 Programa de Mobilização e Desmobilização da Mão de Obra CAPA ÍNDICE GERAL 1. Introdução... 1 1.1. Ações já realizadas... 2 2. Justificativa... 6 3. Objetivos... 8 4. Área de abrangência...

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA

GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ SECRETARIA ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE CONSELHO ESTADUAL DE MEIO AMBIENTE - COEMA RESOLUÇÃO COEMA N 116, DE 03 DE JULHO DE 2014. Dispõe sobre as atividades de impacto ambiental

Leia mais

Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte

Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte Seminário de Mobilidade Urbana Planejamento da Mobilidade Urbana em Belo Horizonte Celio Bouzada 23 de Setembro de 2015 Belo Horizonte População de Belo Horizonte: 2,4 milhões de habitantes População da

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 506, DE 2 DE DEZEMBRO DE 1999. (D.O.E. 07.12.1999 - N... Ano...)

CÂMARA MUNICIPAL DE MANAUS DIRETORIA LEGISLATIVA LEI Nº 506, DE 2 DE DEZEMBRO DE 1999. (D.O.E. 07.12.1999 - N... Ano...) LEI Nº 506, DE 2 DE DEZEMBRO DE 1999. (D.O.E. 07.12.1999 - N.... Ano...) DISPÕE SOBRE O TRANSPORTE INDIVIDUAL DE PASSAGEIROS ATRAVÉS DE TÁXI. O PREFEITO MUNICIPAL DE MANAUS no uso das atribuições que lhe

Leia mais

ANEXO I PROJETO BÁSICO LOCAÇÃO DE TRANSPORTE TERRESTRE (ÔNIBUS, MICRO ÔNIBUS E VANS)

ANEXO I PROJETO BÁSICO LOCAÇÃO DE TRANSPORTE TERRESTRE (ÔNIBUS, MICRO ÔNIBUS E VANS) ANEXO I PROJETO BÁSICO LOCAÇÃO DE TRANSPORTE TERRESTRE (ÔNIBUS, MICRO ÔNIBUS E VANS) PROJETO BÁSICO 2/5 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO ORGÃO / ENTIDADE PROPONENTE AADC - AGÊNCIA AMAZONENSE DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

REGULAMENTO DA MARATONA INTERMODAL

REGULAMENTO DA MARATONA INTERMODAL Página 1 de 5 REGULAMENTO DA MARATONA INTERMODAL O EVENTO A Rede RITMOS propõe para o Dia Mundial Sem Carro 2012 a realização de um formato diferente para o tradicional desafio intermodal: a Maratona Intermodal.

Leia mais

UNIVERSALIZAÇÃO DAS TELECOMUNICAÇÕES

UNIVERSALIZAÇÃO DAS TELECOMUNICAÇÕES UNIVERSALIZAÇÃO DAS TELECOMUNICAÇÕES Marcelo Rodrigues Superintendência de Universalização SUN São Paulo, 18 de Julho de 2011 Universalização - LGT é garantir o direito de acesso de toda pessoa ou instituição,

Leia mais

1 O texto da Constituição Federal de 1988 diz: Art. 7. São direitos dos trabalhadores urbanos e

1 O texto da Constituição Federal de 1988 diz: Art. 7. São direitos dos trabalhadores urbanos e 1 Introdução A presente pesquisa tem como objeto de estudo a inserção da pessoa com deficiência física no mercado de trabalho. Seu objetivo principal é o de compreender a visão que as mesmas constroem

Leia mais

Analisando viagens a pé e por bicicletas na integração com transporte de massa

Analisando viagens a pé e por bicicletas na integração com transporte de massa Analisando viagens a pé e por bicicletas na integração com transporte de massa Fernanda Borges Monteiro, Vânia Barcellos Gouvêa Campos arqnandy@gmail.com; vania@ime.eb.br Instituto Militar de Engenharia

Leia mais

MOBILIDADE URBANA EM PRESIDENTE PRUDENTE: O TRANSPORTE COLETIVO E SUAS POSSIBILIDADES

MOBILIDADE URBANA EM PRESIDENTE PRUDENTE: O TRANSPORTE COLETIVO E SUAS POSSIBILIDADES 480 MOBILIDADE URBANA EM PRESIDENTE PRUDENTE: O TRANSPORTE COLETIVO E SUAS POSSIBILIDADES Poliana de Oliveira Basso¹, Sibila Corral de Arêa Leão Honda². ¹Discente do curso de Arquitetura e Urbanismo da

Leia mais

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana. Relatório Geral 2011

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana. Relatório Geral 2011 Sistema de Informações da Mobilidade Urbana Relatório Geral 2011 Dezembro/2012 Relatório Geral 2011 1 Sumário executivo... 3 2 Mobilidade... 28 2.1 Valores para Brasil (municípios acima de 60 mil habitantes)...

Leia mais

CADASTRO ÚNICO POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA E SEUS DIREITOS

CADASTRO ÚNICO POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA E SEUS DIREITOS CADASTRO ÚNICO POPULAÇÃO EM SITUAÇÃO DE RUA E SEUS DIREITOS SABIA? VOCÊ As pessoas em situação de rua têm direito a estar no Cadastro Único. O que é o Cadastro Único? O Cadastro Único identifica quem são

Leia mais

DIRETORIA DE TRANSPORTES

DIRETORIA DE TRANSPORTES O que é concessão? É o instrumento previsto em Lei que possibilita a transferência da execução de determinado serviço público a particulares, através da celebração de um contrato, por prazo certo e determinado,

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO

GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO GOVERNO DO ESTADO DO MARANHÃO DEPARTAMENTO ESTADUAL DE TRÂNSITO COORDENADORIA DE EDUCAÇÃO PARA O TRÂNSITO EDITAL DE CONCURSO PREFEITO DEFENSOR DA VIDA NO TRÂNSITO A Diretoria Geral do Departamento Estadual

Leia mais

Estado do Mato Grosso Prefeitura Municipal de Colniza

Estado do Mato Grosso Prefeitura Municipal de Colniza Lei n.º 091-B/2002. Súmula: REGULAMENTA, DISCIPLINA O TRANSPORTE INDIVIDUAL DE PASSAGEIROS EM MOTOCICLETAS DE ALUGUEL MOTO-TÁXI E DETERMINA A LOCALIZAÇÃO DOS PONTOS, BEM COMO E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS Eu,

Leia mais

SEMINÁRIO POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO

SEMINÁRIO POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO SEMINÁRIO POLITICAS PARA O TRÂNSITO SEGURO Felipe Espíndola Carmona Brasília 13 de setembro de 2012. RS-2012 Ditado Africanos diz: O homem branco tem relógio mas não tem tempo! Vivemos em um período em

Leia mais

SIPS Sistema de Indicadores de Percepção Social

SIPS Sistema de Indicadores de Percepção Social SIPS Sistema de Indicadores de Percepção Social Mobilidade Urbana IPEA 24 de janeiro de 2011 Sumário 1. Introdução 2. Mobilidade e meios de transporte 3. Meios de transporte e questões de infraestrutura

Leia mais

O CONDOMÍNIO JÁ ANALISOU O PREÇO, NÃO ESQUEÇA DA QUALIDADE!!!

O CONDOMÍNIO JÁ ANALISOU O PREÇO, NÃO ESQUEÇA DA QUALIDADE!!! O CONDOMÍNIO JÁ ANALISOU O PREÇO, NÃO ESQUEÇA DA QUALIDADE!!! Como em qualquer segmento, quando fazemos uma licitação muitas vezes nos deparamos com propostas que aparentemente oferecem os mesmos serviços,

Leia mais

TABELA IV DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DO ESTADO DO PARÁ

TABELA IV DEPARTAMENTO DE TRÂNSITO DO ESTADO DO PARÁ Lei nº 5.055/82 Revogada a Tabela IV pela Lei 6.430/01, efeitos a partir de 28.12.01. Vide a Lei 6.279/99, que institui a Taxa de Segurança de órgãos do Sistema de Segurança Pública. Redação dada a Tabela

Leia mais

CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 001/2014 EDITAL DE CONCESSÃO DE PONTO DE TAXI

CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 001/2014 EDITAL DE CONCESSÃO DE PONTO DE TAXI CONCORRÊNCIA PÚBLICA Nº 001/2014 EDITAL DE CONCESSÃO DE PONTO DE TAXI O PREFEITO MUNICIPAL DE NOVA ALVORADA, no uso de suas atribuições e de conformidade com o disposto no Artigo 6º alínea XI da Lei Orgânica

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º 4.993, DE 2013 (Do Sr. Ademir Camilo)

PROJETO DE LEI N.º 4.993, DE 2013 (Do Sr. Ademir Camilo) CÂMARA DOS DEPUTADOS PROJETO DE LEI N.º 4.993, DE 2013 (Do Sr. Ademir Camilo) Altera a Lei nº 9.503, de 23 de setembro de 1997, que institui o Código de Trânsito Brasileiro, para dispor sobre Treinamento

Leia mais

Etapas para a Elaboração de Planos de Mobilidade Participativos. Nívea Oppermann Peixoto, Ms Coordenadora Desenvolvimento Urbano EMBARQ Brasil

Etapas para a Elaboração de Planos de Mobilidade Participativos. Nívea Oppermann Peixoto, Ms Coordenadora Desenvolvimento Urbano EMBARQ Brasil Etapas para a Elaboração de Planos de Mobilidade Participativos Nívea Oppermann Peixoto, Ms Coordenadora Desenvolvimento Urbano EMBARQ Brasil Novo cenário da mobilidade urbana Plano de Mobilidade Urbana:

Leia mais

(Adaptado de: . Acesso em: 26 jul. 2014.)

(Adaptado de: <http://www2.sabesp.com.br/mananciais/divulgacaositesabesp.aspx>. Acesso em: 26 jul. 2014.) GEOGRFI 1 Leia o texto e as figuras a seguir. O conhecimento da geografia contribui para que a sociedade tenha uma melhor compreensão dos problemas ambientais. falta d água no Sistema Cantareira do estado

Leia mais

Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy

Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy Pesquisa sobre municipalização do trânsito e regulamentação do exercício da atividade de moto taxista e de moto boy Tabulação dos Resultados da Pesquisa Objetivos: Diagnosticar a situação atual dos municípios

Leia mais

Princípios da nova visão de Mobilidade Urbana Mobilidade Sustentável

Princípios da nova visão de Mobilidade Urbana Mobilidade Sustentável Princípios da nova visão de Mobilidade Urbana Mobilidade Sustentável Diminuir a necessidade de viagens motorizadas: Posicionando melhor os equipamentos sociais, descentralizando os serviços públicos, ocupando

Leia mais

Guia para contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros sob regime de FRETAMENTO

Guia para contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros sob regime de FRETAMENTO Guia para contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros sob regime de FRETAMENTO 100 95 75 25 5 0 Introdução A Artesp tem a finalidade de regulamentar e fiscalizar todas as modalidades de serviços

Leia mais

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação FNDE

Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação FNDE Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação FNDE Área...8.515.876,00 km2 População... 190 Milhões de habitantes Urbana... 84,2% Rural 15,8% 1.787 municípios... + 50% Rural Ed. Básica... 53 milhões de

Leia mais

MOBILIDADE CENÁRIOS E TENDÊNCIAS DO SETOR DE TRANSPORTES EM SALVADOR. Palestrante: Horácio Brasil

MOBILIDADE CENÁRIOS E TENDÊNCIAS DO SETOR DE TRANSPORTES EM SALVADOR. Palestrante: Horácio Brasil MOBILIDADE CENÁRIOS E TENDÊNCIAS DO SETOR DE TRANSPORTES EM SALVADOR Palestrante: Horácio Brasil MAIO 2013 Var% 2011/2001 CRESCIMENTO POPULACIONAL 20,00 15,00 14,72 16,07 11,60 10,00 8,36 6,69 5,00 3,77

Leia mais

CATEGORIA C5 EVENTOS PROGRAMADOS IDENTIFICAÇÃO. Subtipos:

CATEGORIA C5 EVENTOS PROGRAMADOS IDENTIFICAÇÃO. Subtipos: Ministério do Turismo Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico Coordenação Geral de Regionalização Inventário da Oferta Turística uf:

Leia mais

MOBILIDADE URBANA SOBRE DUAS RODAS: UM OLHAR DE GÊNERO NO USO DAS CINQUENTINHAS NA SOCIEDADE E CONSUMO ATUAL

MOBILIDADE URBANA SOBRE DUAS RODAS: UM OLHAR DE GÊNERO NO USO DAS CINQUENTINHAS NA SOCIEDADE E CONSUMO ATUAL MOBILIDADE URBANA SOBRE DUAS RODAS: UM OLHAR DE GÊNERO NO USO DAS CINQUENTINHAS NA SOCIEDADE E CONSUMO ATUAL Micheline(1); Laura (2); Marília(3) (Micheline Cristina Rufino Maciel; Laura Susana Duque-Arrazola;

Leia mais

Diagnóstico de oportunidades de quebra de barreiras para acesso às políticas públicas da Agricultura Familiar em São Félix do Xingu, Pará.

Diagnóstico de oportunidades de quebra de barreiras para acesso às políticas públicas da Agricultura Familiar em São Félix do Xingu, Pará. TERMO DE REFERÊNCIA Diagnóstico de oportunidades de quebra de barreiras para acesso às políticas públicas da Agricultura Familiar em São Félix do Xingu, Pará. 1. Título: Diagnóstico de oportunidades para

Leia mais

PROGRAMAS MANTIDOS RESULTADOS ALCANÇADOS

PROGRAMAS MANTIDOS RESULTADOS ALCANÇADOS PROGRAMAS MANTIDOS RESULTADOS ALCANÇADOS OBJETIVO DOS PROGRAMAS PREVENIR ATITUDES INSEGURAS NO TRANSPORTE POR MEIO DA CONSCIENTIZAÇÃO DOS MOTORISTAS. META ATINGIR O NÍVEL ZERO EM ACIDENTES SÉRIOS. PRINCIPAL

Leia mais

Transporte Escolar nos Estados e no DF. Novembro/2011

Transporte Escolar nos Estados e no DF. Novembro/2011 Transporte Escolar nos Estados e no DF Novembro/2011 UFs onde existe terceirização total ou parcial (amostra de 16 UFs) AC AL AP AM DF GO MT MS PB PI RJ RN RO RR SE TO TERCEIRIZAÇÃO TERCEIRIZAÇÃO TERCEIRIZAÇÃO

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTOS Utilização de meios de transporte

NORMA DE PROCEDIMENTOS Utilização de meios de transporte pág.: 1/6 1 Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos a serem adotados para a utilização dos meios de transporte na COPASA MG. 2 Referências Para aplicação desta norma, poderá ser necessário consultar:

Leia mais

Fundação Institut o de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Instituto de Trânsito e Transporte e

Fundação Institut o de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Instituto de Trânsito e Transporte e Fundação Instituto de Pesquisa e Planejamento para o Desenvolvimento Sustentável de Joinville, Instituto de Trânsito e Transporte e Secretaria de Infraestrutura UMA UNIDADE DE MOBILIDADE E ACESSIBILIDADE

Leia mais

País predominantemente urbano: cerca de 80% da população brasileira mora em cidades.

País predominantemente urbano: cerca de 80% da população brasileira mora em cidades. A Política de Mobilidade Urbana no desenvolvimento das cidades! AS CIDADES País predominantemente urbano: cerca de 80% da população brasileira mora em cidades. Processo de urbanização caracterizado pelo

Leia mais

O presente documento é uma divulgação oficial de todos os critérios e procedimentos estabelecidos pelo SESC para este processo seletivo.

O presente documento é uma divulgação oficial de todos os critérios e procedimentos estabelecidos pelo SESC para este processo seletivo. DESCRITIVO DO PROCESSO DE SELEÇÃO PARA O CARGO AUXILIAR ADMINISTRATIVO FUNÇÃO DESIGNER GRÁFICO (Grande São Paulo, Presidente Prudente e S.José do Rio Preto) O presente documento é uma divulgação oficial

Leia mais

POLÍTICA DE TRANSPORTE. Espaço exclusivo Caminhos Desobstruídos. Serviço em Rede. Operação Controlada Regularidade Confiabilidade

POLÍTICA DE TRANSPORTE. Espaço exclusivo Caminhos Desobstruídos. Serviço em Rede. Operação Controlada Regularidade Confiabilidade POLÍTICA DE TRANSPORTE QUALIFICAR O Serviço de Transporte por Ônibus Espaço exclusivo Caminhos Desobstruídos Serviço em Rede Flexibilidade de Trajetos Racionalidade de Caminhos Operação Controlada Regularidade

Leia mais

AVALIAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS/SISTEMAS EM CAMPO TESTE EM ESCALA REAL

AVALIAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS/SISTEMAS EM CAMPO TESTE EM ESCALA REAL ANEXO 4 AVALIAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS/SISTEMAS EM CAMPO TESTE EM ESCALA REAL CONCORRÊNCIA Nº 02/2012 ANEXO 4 - FL. 2 DA AVALIAÇÃO DOS EQUIPAMENTOS A empresa LICITANTE detentora da melhor proposta, deverá

Leia mais

REGULAMENTO DA MARATONA INTERMODAL 2013

REGULAMENTO DA MARATONA INTERMODAL 2013 Página 1 de 6 REGULAMENTO DA MARATONA INTERMODAL 2013 O EVENTO A Rede RITMOS das Cidades propõe para o Dia Mundial Sem Carro 2013 a realização de um desafio diferente: a Maratona Intermodal. Tendo como

Leia mais

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com.

Consórcio Fênix Rua Cândido Ramos nº550 - CEP 88090.800 Capoeiras - Florianópolis/SC - Brasil CNPJ 19.962.391/0001-53 sac@consorciofenix.com. 1 2 CONSÓRCIO FÊNIX PREFEITURA MUNICIPAL DE FLORIANÓPOLIS SECRETARIA MUNICIPAL DE MOBILIDADE URBANA - SMMU MANUAL DOS USUÁRIOS DO SISTEMA SIM MODALIDADE POR ÔNIBUS DIREITOS E DEVERES DAS PARTES ENVOLVIDAS

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

AVALIAÇÃO DE CONDUTORES

AVALIAÇÃO DE CONDUTORES AVALIAÇÃO DE CONDUTORES Autores FÁBIO MARIO DE OLIVEIRA FÁBIO ROBERTO RAMALHO PEREIRA JOÃO PEDRO CANTARIO DE OLIVEIRA ELEKTRO ELETRICIDADE E SERVIÇO SA RESUMO O projeto Avaliação de Condutores surgiu diante

Leia mais

Centro Educacional Juscelino Kubitschek

Centro Educacional Juscelino Kubitschek Centro Educacional Juscelino Kubitschek ALUNO: N.º: DATA: / /2011 ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIE: 6ª série/7 ano TURMA: TURNO: DISCIPLINA: GEOGRAFIA PROFESSOR: Equipe de Geografia Roteiro e lista de Recuperação

Leia mais

Políticas Públicas - Política Nacional de Mobilidade Urbana. Prof. Dr. Stavros Wrobel Abib

Políticas Públicas - Política Nacional de Mobilidade Urbana. Prof. Dr. Stavros Wrobel Abib Políticas Públicas - Política Nacional de Mobilidade Urbana Prof. Dr. Stavros Wrobel Abib ESTADO GOVERNO POLÍTICAS PÚBLICAS O Estado "O Estado é a nação politicamente organizada (política, social e juridicamente

Leia mais

ANÁLISE DO PADRÃO DE POLO GERADOR DE VIAGENS EM UMA INSTITUIÇÃO PÚBLICA DE ENSINO SUPERIOR NO INTERIOR DO NORDESTE

ANÁLISE DO PADRÃO DE POLO GERADOR DE VIAGENS EM UMA INSTITUIÇÃO PÚBLICA DE ENSINO SUPERIOR NO INTERIOR DO NORDESTE ANÁLISE DO PADRÃO DE POLO GERADOR DE VIAGENS EM UMA INSTITUIÇÃO PÚBLICA DE ENSINO SUPERIOR NO INTERIOR DO NORDESTE Ary Ferreira da Silva Sabrina Câmara de Morais ANÁLISE DO PADRÃO DE VIAGENS EM UMA INSTITUIÇÃO

Leia mais

Plano de Mobilidade Urbana Sustentável

Plano de Mobilidade Urbana Sustentável Viajeo Plus City Showcase in Latin America Plano de Mobilidade Urbana Sustentável Nívea Oppermann Peixoto, Ms Diretora de Desenvolvimento Urbano EMBARQ Brasil EMBARQ Brasil auxilia governos e empresas

Leia mais

No meio urbano o desenvolvimento econômico passa pela relação entre os indivíduos, as edificações e os meios de deslocamento.

No meio urbano o desenvolvimento econômico passa pela relação entre os indivíduos, as edificações e os meios de deslocamento. No meio urbano o desenvolvimento econômico passa pela relação entre os indivíduos, as edificações e os meios de deslocamento. Pólos Geradores de Tráfego As cidades brasileiras vivem um momento de mudança

Leia mais

QUESTIONÁRIO DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

QUESTIONÁRIO DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA Este questionário tem por objetivo fazer com que a sociedade participe da gestão pública, exercendo controle sobre as despesas efetuadas e orientando aos órgãos do governo para que adotem medidas que realmente

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONS-MON 04-09. 01 Vaga

TERMO DE REFERÊNCIA CONS-MON 04-09. 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS-MON 04-09 01 Vaga 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria de pessoa física para aprimoramento das estratégias e metodologias

Leia mais

IIIª Circunferência de Mobilidade Urbana de Florianópolis

IIIª Circunferência de Mobilidade Urbana de Florianópolis Documento confidencial para uso e informação do cliente IIIª Circunferência de Mobilidade Urbana de Florianópolis Dia Mundial sem Carro Divulgação Preliminar dos Resultados das Pesquisas Parte I Visão

Leia mais

Guia para compra de passagens e contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros. Suburbano e Rodoviário

Guia para compra de passagens e contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros. Suburbano e Rodoviário Guia para compra de passagens e contratação de Transporte Intermunicipal de Passageiros 100 95 Suburbano e Rodoviário 75 25 5 0 Introdução A Artesp tem a finalidade de regulamentar e fiscalizar todas as

Leia mais

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte (SisMob-BH)

Sistema de Informações da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte (SisMob-BH) modo ônibus metrô Sistema de Informações da Mobilidade Urbana de Belo Horizonte (SisMobBH) suplementar táxi distribuição modal com base em pesquisas Tabela 211 Indicadores de distribuição modal em Belo

Leia mais

Sumário PNAD/SIMPOC 2001 Pontos importantes

Sumário PNAD/SIMPOC 2001 Pontos importantes Sumário PNAD/SIMPOC 2001 Pontos importantes Sistema de pesquisas domiciliares existe no Brasil desde 1967, com a criação da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD; Trata-se de um sistema de pesquisas

Leia mais

INCUBADORA DE EMPRESAS I-DEIA EDITAL 01/2011 PROCEDIMENTOS PARA O PROCESSO SELETIVO

INCUBADORA DE EMPRESAS I-DEIA EDITAL 01/2011 PROCEDIMENTOS PARA O PROCESSO SELETIVO INCUBADORA DE EMPRESAS I-DEIA EDITAL 01/2011 PROCEDIMENTOS PARA O PROCESSO SELETIVO FEVEREIRO DE 2011 Telefones: (66) 3422 2461 / 6710 1 1. Apresentação da Incubadora de Empresas I-deia A Incubadora I-deia

Leia mais

CONSIDERANDO que este Conselho compete normatizar esse procedimento; R E S O L V E:

CONSIDERANDO que este Conselho compete normatizar esse procedimento; R E S O L V E: RESOLUÇÃO N o 03/90, CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Aprova as Normas para elaboração de Projetos de Cursos de Especialização (Pós-Graduação lato sensu ). O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Leia mais

SELO TRÂNSITO SEGURO REGULAMENTO E FORMULÁRIO

SELO TRÂNSITO SEGURO REGULAMENTO E FORMULÁRIO 2012 SELO TRÂNSITO SEGURO REGULAMENTO E FORMULÁRIO APRESENTAÇÃO Na busca constante para melhorar as condições de segurança dos motofretistas, a Prefeitura de São Paulo, através da Secretaria Municipal

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009.

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. 1 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. A Fundação Universidade do Tocantins UNITINS torna público

Leia mais

Estado de Mato Grosso do Sul A Pequena Cativante LEIN 1.195/2001

Estado de Mato Grosso do Sul A Pequena Cativante LEIN 1.195/2001 LEIN 1.195/2001 Institui o Serviço de Transporte Individual de Passageiros em Motocicletas de aluguel (Mototáxi) O Prefeito Municipal de Rio Brilhante, Estado de Mato Grosso do Sul, faz saber que a Câmara

Leia mais

Setor de Motocicletas

Setor de Motocicletas Setor de Motocicletas Produção anual: 1,6 milhões de unidades 5º maior produtor mundial Frota Nacional*: 20,7milhões (26% do total) Empregos gerados no segmento de motocicletas Diretos: 20 mil (fabricantes)

Leia mais

POR FAVOR, SEMPRE DESLIGUEM CELULARES e computadores!!! 2 o semestre de 2015

POR FAVOR, SEMPRE DESLIGUEM CELULARES e computadores!!! 2 o semestre de 2015 2º semestre de 2015 POR FAVOR, SEMPRE DESLIGUEM CELULARES e computadores!!! Universidade Presbiteriana Mackenzie Escola de Engenharia Depto. de Engenharia Civil 2 0 semestre de 2015 Aula 1 A Engenharia

Leia mais

SEMINÁRIO MOBILIDADE URBANA NO PLANO

SEMINÁRIO MOBILIDADE URBANA NO PLANO SEMINÁRIO MOBILIDADE URBANA NO PLANO ESTRATÉGICO- SP2040 Tema: Política de Estacionamento dos automóveis 09 DE FEVEREIRO DE 2011- AUDITÓRIO DO SEESP-SP PROGRAMAÇÃO Realização: SEESP-SP Quadro geral da

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GOTARDO CNPJ: 18.602.037/0001-55 Insc. Est. Isento São Gotardo Minas Gerais

PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO GOTARDO CNPJ: 18.602.037/0001-55 Insc. Est. Isento São Gotardo Minas Gerais LEI Nº. 1.937, DE 10 DE AGOSTO DE 2012. Dispõe sobre o serviço de Mototáxi E Motofrete no Município de São Gotardo e dá outras providências. O Povo do Município de São Gotardo, Estado de Minas Gerais,

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO. Subtipos:

IDENTIFICAÇÃO. Subtipos: Ministério do Turismo Secretaria Nacional de Políticas de Turismo Departamento de Estruturação, Articulação e Ordenamento Turístico Coordenação Geral de Regionalização Inventário da Oferta Turística uf:

Leia mais

CFMV Conselho Federal de Medicina Veterinária

CFMV Conselho Federal de Medicina Veterinária CFMV Conselho Federal de Medicina Veterinária Zoot. Adeilton Ricardo da Silva Conselheiro Efetivo Professor da FIMCA e UNIRON Agência IDARON adeiltonricardo@ibest.com.br Sistema CFMV/CRMV: É uma Autarquia

Leia mais

Parágrafo único. A instalação dos equipamentos e mobiliários referidos no art. 2º desta Lei deverá respeitar o direito à paisagem.

Parágrafo único. A instalação dos equipamentos e mobiliários referidos no art. 2º desta Lei deverá respeitar o direito à paisagem. LEI Nº 13.516, de 04 de outubro de 2005 Dispõe sobre a exploração da utilização e da comercialização, a título oneroso, das faixas de domínio e das áreas adjacentes às rodovias estaduais e federais delegadas

Leia mais

FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO URBANO

FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO URBANO FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO URBANO As condições para o financiamento do desenvolvimento urbano estão diretamente ligadas às questões do federalismo brasileiro e ao desenvolvimento econômico. No atual

Leia mais

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008

Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008 Ministério da Educação Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira RESUMO TÉCNICO CENSO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR 2008 Brasília DF 2009 SUMÁRIO LISTA DE TABELAS... 3 APRESENTAÇÃO...

Leia mais

Estabelece os requisitos mínimos e o termo de referência para realização de auditorias ambientais.

Estabelece os requisitos mínimos e o termo de referência para realização de auditorias ambientais. RESOLUÇÃO Nº 306, DE 5 DE JULHO DE 2002 Estabelece os requisitos mínimos e o termo de referência para realização de auditorias ambientais. O CONSELHO NACIONAL DO MEIO AMBIENTE-CONAMA, no uso das competências

Leia mais

EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA - ETUFOR

EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA - ETUFOR EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA - Objetivo Apresentar a e as principais características do STTP. Conceito de Transporte - Transporte é o movimento de pessoas e cargas de um ponto a outro utilizando

Leia mais

NOTA TÉCNICA No 1/2011

NOTA TÉCNICA No 1/2011 Agência Nacional de Vigilância Sanitária NOTA TÉCNICA No 1/2011 Esclarecimentos e orientações sobre o funcionamento de instituições que prestem serviços de atenção a pessoas com transtornos decorrentes

Leia mais

INOVAÇÕES DA LEI ESTADUAL (SP) N 15.179 DE 23 DE OUTUBRO DE 2013. REGULAMENTADO PELO DECRETO Nº 60.085, DE 22 DE JANEIRO DE 2014.

INOVAÇÕES DA LEI ESTADUAL (SP) N 15.179 DE 23 DE OUTUBRO DE 2013. REGULAMENTADO PELO DECRETO Nº 60.085, DE 22 DE JANEIRO DE 2014. INOVAÇÕES DA LEI ESTADUAL (SP) N 15.179 DE 23 DE OUTUBRO DE 2013. REGULAMENTADO PELO DECRETO Nº 60.085, DE 22 DE JANEIRO DE 2014. INNOVATIONS OF STATE LAW (SP) N 15,179 OCTOBER 23, 2013. REGULATED BY THE

Leia mais

Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem?

Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem? SAIBA TUDO SOBRE O ENEM 2009 Qual a principal diferença entre o Enem tradicional e o novo Enem? Até 2008, o Enem era uma prova clássica com 63 questões interdisciplinares, sem articulação direta com os

Leia mais

SELO TRÂNSITO SEGURO REGULAMENTO E FORMULÁRIO

SELO TRÂNSITO SEGURO REGULAMENTO E FORMULÁRIO 2010 SELO TRÂNSITO SEGURO REGULAMENTO E FORMULÁRIO APRESENTAÇÃO O aumento da mortalidade e da morbidade de acidentes envolvendo motocicletas representa um desafio para a missão de garantir segurança para

Leia mais

Programas e Projetos de Mobilidade Urbana Camboriú SC

Programas e Projetos de Mobilidade Urbana Camboriú SC Programas e Projetos de Mobilidade Urbana Camboriú SC MAIO.2012 Mobilidade Urbana Legislações em Ordem Cronológica Lei Municipal Complementar Nº 10/2007 Institui o Plano Diretor de Desenvolvimento Territorial

Leia mais

Plano de ações para segurança no corredor ferroviário

Plano de ações para segurança no corredor ferroviário Plano de ações para segurança no corredor ferroviário Fase 3 Elaboração das propostas Etapa 3.1, 3.2 e 3.4 Concepção, análise e detalhamento das propostas Página 1 de 10 Sumário 2.5. Plano de ações para

Leia mais

LEI MUNICIPAL Nº 4.688, DE 07 DE DEZEMBRO DE 2012.

LEI MUNICIPAL Nº 4.688, DE 07 DE DEZEMBRO DE 2012. -Disciplina o exercício das atividades dos profissionais de moto-táxi, dispondo sobre regras de segurança na prestação de serviços de transporte remunerado em motocicletas, no município de Tatuí e dá outras

Leia mais

Mobilidade Caminhos para o Futuro

Mobilidade Caminhos para o Futuro EVENTO DIÁLOGOS CAPITAIS: METRÓPOLES BRASILEIRAS O FUTURO PLANEJADO Mobilidade Caminhos para o Futuro Ricardo Young PPS Vereador Município de SP ricardoyoungvereador http://www.ricardoyoung.com.br/ 21/JULHO/2014

Leia mais

CÓPIA NÃO CONTROLADA

CÓPIA NÃO CONTROLADA 2/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 3 2. CONDIÇÕES GERAIS... 3 2.1. Campo de Aplicação... 3 2.2. Responsabilidades... 3 2.2.1. Diretor do Projeto... 3 2.2.2. Diretor de Construção... 3 2.2.3. Demais Diretores e

Leia mais

PESQUISA DE MOBILIDADE DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO PRINCIPAIS RESULTADOS PESQUISA DOMICILIAR DEZEMBRO DE 2013

PESQUISA DE MOBILIDADE DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO PRINCIPAIS RESULTADOS PESQUISA DOMICILIAR DEZEMBRO DE 2013 PESQUISA DE MOBILIDADE DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO PRINCIPAIS RESULTADOS PESQUISA DOMICILIAR DEZEMBRO DE 2013 SUMÁRIO Página Capítulo 3 Objetivos, conceitos utilizados e metodologia 12 Dados socioeconômicos

Leia mais

Desenvolvimento e utilização do Painel de Auditoria Contínua Agências pela Auditoria Interna do Banco do Brasil

Desenvolvimento e utilização do Painel de Auditoria Contínua Agências pela Auditoria Interna do Banco do Brasil PRÁTICA 1) TÍTULO Desenvolvimento e utilização do Painel de Auditoria Contínua Agências pela Auditoria Interna do Banco do Brasil 2) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA - limite de 8 (oito) páginas: A Auditoria Interna

Leia mais

O PREFEITO MUNICIPAL DE PARELHAS, ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, usando das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município.

O PREFEITO MUNICIPAL DE PARELHAS, ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE, usando das atribuições que lhe são conferidas pela Lei Orgânica do Município. DECRETO Nº 011/2014, DE 09 DE ABRIL DE 2014. Altera o Anexo I do Decreto n 007/2014, que dispõe sobre as atribuições, escolaridade e salários dos cargos destinados ao Concurso Público do Município de Parelhas/RN.

Leia mais

ANEXO ÚNICO RESOLUÇÃO CRM-SC N 166, DE 16/8/2015 DESCRIÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES E REQUISITOS PARA A OCUPAÇÃO DO CARGO DE CONTADOR

ANEXO ÚNICO RESOLUÇÃO CRM-SC N 166, DE 16/8/2015 DESCRIÇÃO DAS ATRIBUIÇÕES E REQUISITOS PARA A OCUPAÇÃO DO CARGO DE CONTADOR RESOLUÇÃO CRM-SC Nº 166/2015 Institui na estrutura administrativa de pessoal do CRM-SC o cargo de contador e dá outras providências. O Conselho Regional de Medicina do Estado de Santa Catarina, instituição

Leia mais

Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1

Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1 Síntese dos direitos dos passageiros do transporte em autocarro 1 O Regulamento (UE) n.º 181/2011 (a seguir designado por «Regulamento») é aplicável a partir de 1 de março de 2013. Estabelece um conjunto

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO RCVB (RECIFE CONVENTION &VISITORS BUREAU) PARA A CONSOLIDAÇÃO DO TURISMO DE EVENTOS EM RECIFE.

A IMPORTÂNCIA DO RCVB (RECIFE CONVENTION &VISITORS BUREAU) PARA A CONSOLIDAÇÃO DO TURISMO DE EVENTOS EM RECIFE. A IMPORTÂNCIA DO RCVB (RECIFE CONVENTION &VISITORS BUREAU) PARA A CONSOLIDAÇÃO DO TURISMO DE EVENTOS EM RECIFE. Autor: ANTÔNIO CARLOS DE SOUZA E SÁ FILHO Introdução O Turismo de Eventos está em plena ascensão

Leia mais