MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE PELOTAS UNIDADE DE PASSO FUNDO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE PELOTAS UNIDADE DE PASSO FUNDO"

Transcrição

1 3. Controle de Acesso Permissões de Compartilhamento e Permissões NTFS Segurança, sem dúvidas, é um dos temas mais debatidos hoje, no mundo da informática. Nesse capitulo vamos estudar algumas opções do Windows XP Professional que ajudam a manter os seus arquivos mais protegidos, longe do alcance de intrusos. Trataremos sobre as permissões de compartilhamento e também permissões NTFS. Veremos como a correta configuração dessas permissões pode tornar o acesso aos seus arquivos bem mais seguro e protegido, com o acesso permitido apenas para os usuários habilitados através das permissões. Veremos como compartilhar uma Pasta, disponibilizando o seu conteúdo, para que seja acessado através da rede. Também aprenderemos a atribuir permissões de segurança permissões NTFS, para que somente usuários autorizados possam acessar as pastas compartilhadas. 3.1 Níveis de controle de acesso O Sistema permite dois tipos de níveis de controle de acesso a recursos: Em nível de compartilhamento - é controlado pelo Controlador de Domínio da Rede. Neste nível de segurança é controlado o acesso a recursos via rede. É como se fosse uma primeira porta" (controle de acesso em nível de compartilhamento) na qual somente podem "passar" (acessar via rede) quem tiver uma "chave" (permissão de acesso). Em nível de arquivo - é controlado através do Sistema de Arquivos do Windows. É um nível de segurança local, implementado internamente no sistema operacional em Sistemas de Arquivos que suportam este tipo de controle de acesso. É como se fosse uma "segunda porta" (controle de acesso em nível de arquivo) na qual somente podem "passar" (acessar o arquivo) quem tiver uma "chave" (permissão de acesso). 1

2 Seguindo este modelo, para você poder acessar um recurso compartilhado que tem dois níveis de controle de acesso, você necessariamente deverá ter os dois tipos de permissões de acesso: um para o nível de compartilhamento e outro para o nível de arquivo. Nota: o controle de Acesso em Nível de Arquivo só pode ser implementado em Sistemas de Arquivos que suportam este tipo de controle. Por exemplo, para Windows 95, que só suporta FAT, este tipo de controle de acesso é inexistente. Se o recurso está sob um sistema de arquivos que não suporta controle de acesso em nível de arquivo (por exemplo, FAT), para um usuário acessar um recurso através da rede ele precisa apenas da permissão de nível de compartilhamento. 3.2 Compartilhamento Quando compartilhamos uma pasta, estamos permitindo que o seu conteúdo seja acessado através da rede. Quando uma pasta é compartilhada, os usuários podem acessá-la através da rede, bem como o todo o conteúdo da pasta que foi compartilhada. Por exemplo, poderíamos criar uma pasta compartilhada onde seriam colocados documentos, orientações e manuais, de tal forma que estes possam ser acessados por qualquer estação conectada a rede. Ao compartilharmos uma pasta todo o conteúdo dessa pasta passa a estar disponível para ser acessada através da rede. Todas as subpastas da pasta compartilhada também estarão disponíveis para acesso através da rede. Para compartilhar uma pasta clique com o botão da direita e acesse compartilhamento. 2

3 3.3 Escondendo compartilhamentos Se você desejar que algum compartilhamento não seja visto no Ambiente de Rede, você deve simplesmente adicionar um caractere cifrão "$" após o nome de compartilhamento. Desta maneira, o recurso somente poderá ser acessado através de UNCs, do tipo \\nome_do_computador\compartilhamento$. 3.4 Permissões de Compartilhamento Quando uma pasta é compartilhada, não significa que o seu conteúdo deva ser acessado por todos os usuários da rede. Podemos restringir o acesso, de tal maneira que somente usuários autorizados tenham acesso à pasta compartilhada, isso é feito através de "Permissões de compartilhamento". Depois de criar compartilhamentos, você deve definir "quem pode acessar" e "como é o acesso" ao compartilhamento. Você define quem pode acessar o compartilhamento adicionando grupos ou usuários na lista de controle de acesso (ACL - Access Control List)do recurso compartilhado. Para cada membro da lista (grupo ou usuário) você deve definir como é o tipo de acesso ao compartilhamento: controle total, alterar, ler ou sem acesso Tipos de acesso a compartilhamentos Existem 4 tipos de acesso a compartilhamentos. O tipo de acesso Controle total é o menos restritivo, portanto é o que fornece mais permissões ao usuário ou grupo que tem este tipo de acesso. Todas permissões que um tipo oferece é englobado pelo tipo de menor restrição. 3

4 Controle total [Full Control] - Permite alterar permissões e tomar propriedade de pastas e arquivos (somente aplicável em partições NTFS) e todas permissões do tipo de acesso Alterar. Alterar [Change] - Permite criar arquivos e pastas, alterar dados em arquivos, excluir pastas e arquivos e todas permissões do tipo de acesso Ler. Ler [Read] - Permite visualizar nomes de arquivos e pastas, deslocar por sub-pastas, ler dados em arquivos e executar aplicativos. Sem acesso [No acess] - Impede acesso à pasta, sub-pasta e seus arquivos. Por exemplo, você usaria Sem acesso para um usuário que é membro de um grupo com permissão de acesso Controle total, mas não deseja que somente este usuário não tivesse acesso ao recurso Como controlar o acesso a recursos compartilhados Acesse as propriedades de um pasta compartilhado clicando com o botão direito do mouse no ícone da pasta compartilhada. Na janela de propriedades da pasta, acesse a opção Compartilhamento. Clique no botão Permissões. Abrirá uma janela apresentando uma lista de grupos e usuários que podem acessar o recurso (ACL). Note que o default para permissões de compartilhamento é para Todos acessarem. Você pode remover este item da lista clicando no botão Remover. Clique no botão Adicionar para associar um novo item na lista de acesso. Selecione um grupo ou usuário. Clique em Adicionar para adicionar o grupo ou usuário que você deseja adicionar. Adicione outros grupos ou usuários que você desejar. Selecione o tipo de acesso na caixa de seleção Tipo de Acesso que os grupos e usuários terão para acessar o recurso. 4

5 Clique em OK. 3.5 Implementando segurança NTFS Controle de acesso em nível de arquivo somente pode ser feito em sistemas de arquivos NTFS. Em sistemas de arquivos FAT somente é suportado controle de acesso em nível de compartilhamento. Ou seja, se alguém tiver acesso físico ao computador com uma partição FAT, ele terá controle total aos recursos do computador armazenados na partição FAT, enquanto que em uma partição NTFS, ele ainda terá que ter permissões de arquivo Permissões NTFS Permissões em nível de arquivo também são chamadas de Permissões NTFS, pois são implementadas pelo Sistema de Arquivos NTFS. Quando referimos a permissões de acesso em nível de arquivo, não estamos dizendo que as permissões são aplicáveis somente a arquivos, e sim que são implementadas pelo Sistema de Arquivos. O NTFS permite aplicar controle de acesso tanto para diretório quanto para arquivo. As permissões NTFS funcionam um pouco diferente das permissões de compartilhamento. Existem 6 permissões básicas NTFS, 2 a mais que as permissões de compartilhamento: Ler (R), Gravar (W), Executar (X), Excluir (D), Alterar permissões (P) e Apropriar-se (O). Dizemos básicas, pois elas podem ser combinadas, de maneira que podem formar permissões padrões ou permissões especiais. Em resumo temos: NTFS Compartilhamento Tipos de permissão Permite combinação de permissões Ler, Gravar, Executar, Excluir, Alterar permissões e Apropriar-se. Sim Controle total, Ler, Alterar e Sem Acesso Aplicabilidade Arquivos e pastas Somente a pastas Tipo segurança Local e em Rede Somente em Rede Permissões individuais, padrões e especiais As permissões NTFS individuais são aplicáveis para pasta e arquivo e têm efeitos diferentes em cada um. Permissão NTFS individual Ler (R) Gravar (W) Executar (X) pasta exibir nomes, atributos, proprietário e permissões da pasta adicionar arquivos e pastas, alterar atributos da pasta e exibir proprietário e permissões exibir atributos, proprietário e permissões, e alterar o nome da pasta arquivo Não exibir dados, atributos, proprietário e permissões do arquivo alterar dados, alterar atributos de arq., exibir proprietário e permissões. exibir atributos, proprietário e permissões e executar o arquivo Excluir (D) excluir a pasta excluir o arquivo 5

6 Alterar Permissões(P) alterar permissões alterar permissões Apropriar-se (O) apropriar-se da pasta apropriar-se do arquivo Raramente você utilizará as permissões NTFS individuais isoladamente. Geralmente você utilizará permissões NTFS padrões que consistem de combinações de permissões NTFS individuais. Permissões NTFS padrões facilitam a atribuição de permissões, uma vez que formam as combinações de permissões NTFS individuais mais utilizadas. Existem 7 permissões NTFS padrões para pastas e 4 permissões NTFS para arquivos. As permissões NTFS padrões para pastas é definido por dois tipos de combinações de permissões individuais. A primeira combinação, dentro do primeiro parênteses da permissão na tabela, define como é a permissão do próprio pasta. No segundo parênteses define como será a permissão de um arquivo que for criado na pasta. Permissão NTFS padrões para pastas O usuário não pode acessar de qualquer Sem acesso (Nenhum)(Nenhum) maneira, mesmo sendo membro de algum grupo que permita acesso O usuário pode somente listar os arquivos e Mostrar (RX)(Não subpastas da pasta e mudar para uma especificado) subpastas do pasta. Ele não pode ler arquivos criados nesta pasta. Ler. (RX)(RX) O usuário pode ler o conteúdo dos arquivos e executar os aplicativos da pasta Alterar (RWXD)(RWXD) O usuário pode ler, adicionar, excluir e alterar Adicionar Adicionar e Ler Controle total (WX)(Não especificado) (RWX)(RX) (Todos)(Todos) arquivos. O usuário pode adicionar arquivos, mas não pode visualizar o conteúdo do pasta. O usuário pode ler e adicionar arquivos à pasta, mas não pode alterá-los. O usuário pode ler e alterar arquivos, adicionar novos arquivos, alterar permissões para a pasta e seus arquivos e apropriar-se da pasta e de seus arquivos. Existem 4 permissões NTFS para arquivos: Permissão NTFS padrões para arquivos O usuário não pode acessar o arquivo de Sem Acesso (Nenhum) nenhuma maneira, mesmo se for membro de um grupo que tenha recebido concessão de acesso ao arquivo. Ler (RX) O usuário pode ler o conteúdo do arquivo e executá-lo, caso seja um aplicativo. Alterar (RWXD) O usuário pode ler, modificar e excluir o arquivo. Controle total (Todos) O usuário pode ler, modificar, excluir, definir permissões e se apropriar do arquivo. 6

7 Existe uma fonte de dúvida quando é utilizado o termo "permissão de acesso Ler". Rigorosamente não tem como saber se é a permissão individual Ler(R) ou a permissão padrão Ler(RX). Usualmente, quando diz-se somente "permissão Ler", sem especificar se é individual, ou padrão, considera-se que se trata da permissão padrão Ler(RX), que é mais usada que a outra. Você também pode fazer uso das permissões de acesso especial, que consiste das combinações de permissões individuais não-padrões. Permissões especiais permitem você personalizar seu conjunto de permissões individuais. Teoricamente, é possível utilizar 4089 permissões especiais para pastas e 60 permissões especiais para arquivos, que correspondem às combinações possíveis de permissões de acesso individuais não-padrão (corresponde a (2 6 x 2 6-7) permissões padrões para pastas, totalizando 4089 permissões e (2 6-4) permissões padrões para arquivos = 60). Neste conjunto enorme de permissões padrões, nem todas permissões especiais farão sentido, ou terão alguma utilidade Como as permissões NTFS são aplicadas As permissões NTFS são cumulativas, consistindo na união de todas as permissões individuais. Por exemplo, se o grupo Vendedores tem permissão Ler (RX) e o grupo Gerentes tem permissão Alterar (RWXD) para a pasta TABELAS e se o gerente de vendas Aníbal faz parte dos dois grupos, ele terá como resultado a permissão Alterar (RWXD) para a pasta. Nosso exemplo, se Aníbal também pertencesse ao grupo Despedidos que tem permissão Sem Acesso à pasta TABELAS, ele ficaria impossibilitado de acessar a pasta. Arquivos e sub-pastas herdam as permissões da pasta onde são criados. Por exemplo, se você criar um sub-pasta de uma pasta com permissão de acesso Alterar para o grupo Vendas e Ler para o grupo Treinamento, ele vai ter esta mesma permissão da pasta. Arquivos por outro lado herdam as permissões definidas no "segundo parênteses" da definição de permissão do arquivo. Por exemplo um arquivo obteria a permissão Ler (RX) se fosse criado em uma pasta com a permissão Adicionar e Ler (RWX)(RX). As permissões para arquivos sempre se sobrepõem às permissões para pastas. Por exemplo, se você têm um usuário com permissão Sem Acesso para uma pasta e Alterar (RWXD) para um arquivo desta pasta, ele poderá ler, gravar, executar ou excluir este arquivo fazendo uso de UNCs, por exemplo: Executando a linha de comando notepad \\Proteus\Apostilas\Sem_acesso\notas.txt, onde sem_acesso é uma pasta com permissão padrão Sem acesso, notas.txt é um arquivo com permissão Alterar. A permissão padrão Controle total permite exclusão de arquivos ou subpastas dentro da pasta, mesmo que as permissões dos arquivos ou subpastas não tenham dado esta permissão. Esta é a única exceção à regra onde as permissões de arquivos sempre se sobrepõem às permissões para pastas. Isto se deve à necessidade do NT ser compatível com aplicativos POSIX, que necessita conformidade com sistema de arquivos Unix. Por exemplo, se você tivesse um arquivo com permissão Sem acesso em uma pasta com permissão NTFS Controle total para Todos, este arquivo poderia ser excluído. Para solucionar este tipo de problema, você poderia 7

8 atribuir para a pasta todas as permissões individuais (RWXOPD) para Todos em vez de Controle total. Quando permissões NTFS e compartilhamento são combinadas, o tipo de permissão que vale é a mais restritiva Copiando e movendo arquivos NTFS * Quando uma pasta é copiada, ela e suas subpastas com seus conteúdos herdam as permissões da pasta de destino. O mesmo é válido para cópias de arquivos. * Quando uma pasta é movida para um mesma unidade de volume NTFS, ele e suas subpastas com seus conteúdos têm suas permissões preservadas. Quando é movido para unidades de volume NTFS diferentes (C: para D:, por exemplo), as permissões são herdadas da pasta de destino, funcionando como uma cópia. * Quando você copia ou move arquivos e pastas em volume FAT para volumes NTFS, todos os arquivos e pastas movidos herdam as permissões definidas pelo pasta de origem. * Quando você copia ou move arquivos e pastas em volumes NTFS para volumes FAT, você perde todas as definições de permissões contidas em todos arquivos e pastas. Não tem como recuperar as permissões perdidas Como a propriedade é aplicada Quando um usuário cria ou copia um arquivo ou pasta ele se torna o proprietário deste arquivo ou pasta. Além do conceito de permissão de acesso, é necessário ter conhecimento de propriedade, que permite certos "direitos" especiais ao proprietário: O proprietário pode sempre alterar as permissões de seus arquivos ou pastas, mesmo que a permissão do arquivo ou pasta não permita. Um usuário do grupo Administradores pode sempre apropriar-se de um arquivo ou pasta, porém nenhum usuário pode transferir propriedade, inclusive usuários do grupo Administradores. Este é um recurso interessante, pelo ponto de vista da segurança: se um "intruso" obter acesso aos seus arquivos e necessitar apropriar-se de algum deles, ele não terá como devolver a propriedade do arquivo para você, e assim ele poderá adulterar ou ler os arquivos apropriados, mas sempre deixará uma "pista' de quem foi o intruso, uma vez que o nome de usuário permanecerá "gravado" na propriedade do arquivo ou pasta. Quando um usuário é membro do grupo Administradores, a propriedade de arquivos e pastas criadas é atribuída ao grupo Administradores e não para o usuário Como atribuir permissões NTFS A atribuição de permissões NTFS é parecida com a atribuição de permissões de compartilhamento. Você inicia da mesma forma, clicando com o botão direito na pasta ou arquivo e acessando a opção propriedades. A seguir mostraremos como atribuir permissões NTFS para um pasta. Atribuir permissões para arquivo é semelhante a atribuição de permissões para pastas, porém é mais simples. Na opção propriedades de um pasta, clique em Segurança. A opção Compartilhamento, trata das permissões de compartilhamento e já foi visto anteriormente e a opção Segurança, trata das permissões NTFS. Clique no botão Avançado. 8

9 Selecione o grupo que você deseja atribuir acesso. Ajuste o tipo de acesso e clique em Ok. Selecione o tipo de acesso desejado que o(s) grupo(s) adicionados terão. No exemplo, escolhemos Adicionar e Ler. Você voltará para a janela `Permissões de pasta". Note as modificações efetuadas na ACL. 9

10 Exemplos de utilização de permissões NTFS A seguir apresentamos exemplos práticos para atribuição de permissões (NTFS e de compartilhamento) para pastas compartilhados no servidor. Não queira seguir os exemplos a seguir como regra geral, pois são exemplos subjetivos. Caberá ao administrador fazer uso do conhecimento e bom senso para utilizar as permissões de acesso mais convenientes para cada caso, aumentando ou diminuindo a segurança. Pastas de programas Um serviço comum de servidores é como servidor de aplicações. Você pode economizar espaço de disco nas estações, instalando apenas um aplicativo no servidor, em vez de vários aplicativos idênticos nas estações. Uma configuração padrão poderia ser: Atribua à pasta superior do compartilhamento acesso especial para Administradores (grupo local), com todas permissões individuais atribuídas para pastas (RWXPDO) e arquivos (RWXPDO). Remova todas as atribuições de permissões para os outros grupos. Atribuir todas permissões individuais é melhor que usual atribuição default Controle total, uma vez que isto impedirá que outros usuários excluam arquivos ou sub-pastas dentro da pasta, quando as permissões destes arquivos ou sub-pastas não permitir exclusão (veja o item "Como as permissões NTFS são aplicadas", neste capítulo). Atribua à pasta compartilhada permissões de acesso de compartilhamento Controle total para Administradores e Ler para Usuários. Para permissões NTFS atribua permissões de acesso Ler (RX)(RX) para Usuários e acesso especial (RXP)(RXP) para Administradores. A atribuição de permissão de compartilhamento Controle total para Administradores é útil para Administradores poderem administrar o compartilhamento remotamente, executando tarefas de troca de tipo de permissão para o compartilhamento, por exemplo. Remova sempre a permissão default Controle total para Todos, e atribua Ler para Usuários. O grupo Usuários é mais seletivo, uma vez que inclui somente usuários cadastrados no domínio, enquanto que o grupo Todos pode incluir usuários de outros domínios confiáveis. Atribuir aos programas permissões de Ler(RX) tanto para Usuários quanto para Administradores previne contra problemas com vírus e cavalos de tróia. O único inconveniente para este tipo de permissão é que o Administrador terá que lhe atribuir a permissão para pasta Gravar (W) quando for instalar um novo 10

11 programa e retirar a permissão, quando terminar de instalar. Você poderia fazer exceções à regra quando um programa específico tiver que gravar na pasta que ele está armazenado. Neste caso, você teria que permitir Gravar (W) para Usuários e Administradores na pasta do programa. Pastas de dados Geralmente você poderia utilizar compartilhamentos de dados para armazenar arquivos de dados como documentos, planilhas, arquivos de banco de dados, etc. Usar compartilhamento de dados em servidores permite fazer backup de dados mais facilmente. Uma maneira de aplicar segurança em tais compartilhamentos é a seguinte: Atribua a pasta superior do compartilhamento acesso especial para Administradores (grupo local), com todas permissões individuais atribuídas para pastas (RWXPDO) e arquivos (RWXPDO). Remova todas as atribuições de permissões para os outros grupos. As razões são as mesmas para pastas de compartilhamentos de programas. Crie uma pasta de compartilhada de Dados, atribuindo permissão de compartilhamento e NTFS Controle total para Administradores. Remova qualquer outra permissão extra. Ter esta pasta compartilhada Dados permite que Administradores acessem mais facilmente a pasta, para executar tarefas administrativas. Crie sub-pastas da pasta compartilhada de Dados, atribuindo permissão de compartilhamento Controle total para Administradores e Alterar para grupos relacionados a pasta compartilhada. Atribua permissão NTFS Controle total para Administradores e para o Proprietário Criador, para grupos relacionado, atribua Alterar e ler. Desta maneira, grupos poderão acessar pastas que lhe são úteis. Por exemplo, Gerentes poderiam acessar as pastas Gerência e Vendas, enquanto Vendedores poderiam acessar Vendas. 11

12 Usuários que tivessem acesso a uma pasta, poderiam incluir dados na pasta, mas somente o criador do documento (dado) poderia excluí-lo. Os outros usuários poderiam apenas ler (RX) o arquivo. Administradores poderiam fazer livremente a manutenção dos arquivos, excluindo arquivos desnecessários, por exemplo. Pastas base Pastas base são pastas onde usuários armazenam informações pessoais. Para criar pastas bases compartilhadas, siga o seguinte esquema: Compartilhe um pasta usuários, que servirá como ponto de administração de pastas base. Utilize a permissão de compartilhamento e NTFS Controle total para Administradores e Ler para Usuários. O único inconveniente deste tipo de esquema é que quando um usuário se conecta em um drive mapeado em sua pasta base, ele é posicionado na pasta USUÁRIOS e não na sua pasta. Por exemplo, o usuário Rnunes se conecta na unidade mapeada de Z:\ para d:\usuários\rnunes, mas sempre que ele visualiza o pasta Z:, ele está na verdade na pasta d:\usuários. Você poderia resolver este inconveniente criando um compartilhamento para cada usuário, porém isto seria ruim para domínios com quantidade muito grande de usuários. Em algumas instalações do NT, é criada automaticamente uma pasta chamada Users, você pode utilizá-la ou eliminá-la e usar outra criada por você, sem nenhum problema. Crie pastas de usuários através do Gerenciador de usuários para domínios, preenchendo o campo Pasta base com uma letra de unidade mapeada para a pasta base. A melhor maneira de criar pastas base de usuários é através do gerenciador de usuários. Quando você preenche, por exemplo, o campo pasta base com a letra de unidade Z: e o mapeia para \\servidor\usrs\%username%, ele cria automaticamente a pasta base no compartilhamento USRS com nome do usuário, atribui propriedade para o usuário e permissão de controle total ao usuário. Ao criar esta pasta base, ele não herda as permissões da pasta em que ela é criada, portanto administradores não terão nenhuma permissão de acesso à pasta a não ser que se apropriem dela. 12

13 Pastas públicas Pastas públicas são úteis para que usuários tenham um acesso facilitado comum para troca e compartilhamento de arquivos que não necessitam de muita segurança ou propriedade. Em volumes NTFS, crie compartilhamentos com permissões de compartilhamento e NTFS Alterar atribuído a Usuários. A permissão NTFS Alterar é melhor que Controle total, uma vez que Alterar não permite apropriar da pasta. 13

Permissões de compartilhamento e NTFS - Parte 1

Permissões de compartilhamento e NTFS - Parte 1 Permissões de compartilhamento e NTFS - Parte 1 Autor: Júlio Battisti - Site: www.juliobattisti.com.br Segurança, sem dúvidas, é um dos temas mais debatidos hoje, no mundo da informática. Nesse tutorial

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ. Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM. Manual

UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ. Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM. Manual UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM Manual DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DIRGTI 2015 Sumário 1. Introdução... 3 2. Acessando o serviço...

Leia mais

Compartilhamento de pasta/arquivos/impressora no Windows XP SP2

Compartilhamento de pasta/arquivos/impressora no Windows XP SP2 1 Compartilhamento de pasta/arquivos/impressora no Windows XP SP2 Quando se loga no Windows XP através de um domínio o procedimento de compartilhamento de pasta/arquivos e impressora é realizado de uma

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES Professor Carlos Muniz Atualizar um driver de hardware que não está funcionando adequadamente Caso tenha um dispositivo de hardware que não esteja funcionando corretamente

Leia mais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais

Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Laboratório de Redes de Computadores e Sistemas Operacionais Windows 2003 Server: Criando e Gerenciando Pastas Compartilhadas Fabricio Breve Fundamentos Ter um servidor em execução não significa que ele

Leia mais

3. No painel da direita, dê um clique com o botão direito do mouse em qualquer espaço livre (área em branco).

3. No painel da direita, dê um clique com o botão direito do mouse em qualquer espaço livre (área em branco). Permissões de compartilhamento e NTFS - Parte 2 Criando e compartilhando uma pasta - Prática Autor: Júlio Battisti - Site: www.juliobattisti.com.br Neste tópico vamos criar e compartilhar uma pasta chamada

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

AULA 4 Sistemas Operacionais

AULA 4 Sistemas Operacionais AULA 4 Sistemas Operacionais Disciplina: Introdução à Informática Professor: Gustavo Leitão Email: gustavo.leitao@ifrn.edu.br Sistemas Operacionais Conteúdo: Continuação S.O Funções Básicas Sistema de

Leia mais

Manual de Instalação e OPERAÇÃO

Manual de Instalação e OPERAÇÃO FlexBackup DESCRIÇÃO O FlexBackup é um programa criado para efetuar o backup (cópia de segurança) dos bancos de dados, dos sistemas desenvolvidos pela Devices Informática. INSTALANDO O FlexBackup O FlexBackup

Leia mais

Introdução... 1. Instalação... 2

Introdução... 1. Instalação... 2 ONTE DO Introdução... 1 O que é IPP?... 1 Qual é a função de um software Samsung IPP?... 1 Instalação... 2 Requisitos do sistema... 2 Instalar o software Samsung IPP... 2 Desinstalar o software Samsung

Leia mais

Guia de administração. BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange. Versão: 4.1 Service pack: 4B

Guia de administração. BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange. Versão: 4.1 Service pack: 4B BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange Versão: 4.1 Service pack: 4B SWD-313211-0911044452-012 Conteúdo 1 Gerenciando contas de usuários... 7 Adicionar uma conta de usuário... 7 Adicionar

Leia mais

Windows Explorer. Prof. Valdir

Windows Explorer. Prof. Valdir Do Inglês Explorador de Janelas, o é o programa para gerenciamento de discos, pastas e arquivos no ambiente Windows. É utilizado para a cópia, exclusão, organização e movimentação de arquivos além de criação,

Leia mais

Melhor do que driblar os vírus de pendrive, é não pegá-los! Mas como fazer isto?

Melhor do que driblar os vírus de pendrive, é não pegá-los! Mas como fazer isto? Melhor do que driblar os vírus de pendrive, é não pegá-los! Mas como fazer isto? Por padrão, a maioria dos pendrives vêm formatados com o padrão conhecido como FAT32. Este padrão já meio antigo, é muito

Leia mais

Manual de Administração

Manual de Administração Gerência de Informática Repositório de Documentos do GHC Manual de Administração Versão 1.1 Novembro de 2015 Repositório de Documentos do GHC Manual de Administração Índice 1 Acesso ao Sistema...3 2 Adicionar

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Compartilhamento de Arquivos no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução...

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Neste tutorial apresentarei o serviço DFS Distributed File System. Veremos quais as vantagens

Neste tutorial apresentarei o serviço DFS Distributed File System. Veremos quais as vantagens Neste tutorial apresentarei o serviço DFS Distributed File System. Veremos quais as vantagens em utilizar este serviço para facilitar a administração de pastas compartilhadas em uma rede de computadores.

Leia mais

SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS COM VÍRUS EM PENDRIVE NO SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS XP OBS: Antes de inicializar, faça um BACKUP de seu pendrive!

SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS COM VÍRUS EM PENDRIVE NO SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS XP OBS: Antes de inicializar, faça um BACKUP de seu pendrive! SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS COM VÍRUS EM PENDRIVE NO SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS XP OBS: Antes de inicializar, faça um BACKUP de seu pendrive! 1 - Após realizar o backup, formate o pendrive como fat32. Clique

Leia mais

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INDICE 1. INTRODUÇÃO 2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO 2.1. COMPARTILHANDO O DIRETÓRIO DO APLICATIVO 3. INTERFACE DO APLICATIVO 3.1. ÁREA DO MENU 3.1.2. APLICANDO A CHAVE DE LICENÇA AO APLICATIVO 3.1.3 EFETUANDO

Leia mais

Manual do Usuário Cyber Square

Manual do Usuário Cyber Square Manual do Usuário Cyber Square Criado dia 27 de março de 2015 as 12:14 Página 1 de 48 Bem-vindo ao Cyber Square Parabéns! Você está utilizando o Cyber Square, o mais avançado sistema para gerenciamento

Leia mais

AULA 06 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS

AULA 06 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS AULA 06 CRIAÇÃO DE USUÁRIOS O Windows XP fornece contas de usuários de grupos (das quais os usuários podem ser membros). As contas de usuários são projetadas para indivíduos. As contas de grupos são projetadas

Leia mais

Sistema de Digitalização e Gerenciamento de Arquivos On-Line

Sistema de Digitalização e Gerenciamento de Arquivos On-Line Sistema de Digitalização e Gerenciamento de Arquivos On-Line O aplicativo Aplicativo com quase 3 anos de mercado, onde gerencia atualmente mais de 500.000 arquivos sendo eles entre digitalizados ou anexados

Leia mais

Cookies. Krishna Tateneni Jost Schenck Tradução: Lisiane Sztoltz

Cookies. Krishna Tateneni Jost Schenck Tradução: Lisiane Sztoltz Krishna Tateneni Jost Schenck Tradução: Lisiane Sztoltz 2 Conteúdo 1 Cookies 4 1.1 Política............................................ 4 1.2 Gerenciamento....................................... 5 3 1

Leia mais

FAQ Como compartilhar arquivos e pastas? Compartilhamento no Windows 7

FAQ Como compartilhar arquivos e pastas? Compartilhamento no Windows 7 FAQ Como compartilhar arquivos e pastas? v.1.1 01 de setembro de 2015 Compartilhamento no Windows 7 1. Crie uma nova pasta: 1. Vá até o local (Por exemplo, unidade Documentos (D:) ou Área de Trabalho)

Leia mais

Banco de Dados BrOffice Base

Banco de Dados BrOffice Base Banco de Dados BrOffice Base Autor: Alessandro da Silva Almeida Disponível em: www.apostilando.com 27/02/2011 CURSO TÉCNICO EM SERVIÇO PÚBLICO Apostila de Informática Aplicada - Unidade VI Índice Apresentação...

Leia mais

Iniciação à Informática

Iniciação à Informática Meu computador e Windows Explorer Justificativa Toda informação ou dado trabalhado no computador, quando armazenado em uma unidade de disco, transforma-se em um arquivo. Saber manipular os arquivos através

Leia mais

Índice. Manual Backup Online. 03 Capítulo 1: Visão Geral

Índice. Manual Backup Online. 03 Capítulo 1: Visão Geral Índice 03 Capítulo 1: Visão Geral 04 Capítulo 2: Conta de Usuário 04 Criação 08 Edição 09 Grupo de Usuários 10 Informações da Conta 12 Capítulo 3: Download do Backup Online Embratel 16 Capítulo 4: Cópia

Leia mais

Trabalhando com banco de dados

Trabalhando com banco de dados Avançado Trabalhando com Aprenda a manipular dados no Excel com a ajuda de outros aplicativos da suíte Office Armazenar e organizar informações são tarefas executadas diariamente por todos nós. Desde o

Leia mais

1- Requisitos mínimos. 2- Instalando o Acesso Full. 3- Iniciando o Acesso Full pela primeira vez

1- Requisitos mínimos. 2- Instalando o Acesso Full. 3- Iniciando o Acesso Full pela primeira vez Manual Conteúdo 1- Requisitos mínimos... 2 2- Instalando o Acesso Full... 2 3- Iniciando o Acesso Full pela primeira vez... 2 4- Conhecendo a barra de navegação padrão do Acesso Full... 3 5- Cadastrando

Leia mais

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04

Guia de Prática. Windows 7 Ubuntu 12.04 Guia de Prática Windows 7 Ubuntu 12.04 Virtual Box e suas interfaces de rede Temos 04 interfaces de rede Cada interface pode operar nos modos: NÃO CONECTADO, que representa o cabo de rede desconectado.

Leia mais

Usar Atalhos para a Rede. Logar na Rede

Usar Atalhos para a Rede. Logar na Rede GUIA DO USUÁRIO: NOVELL CLIENT PARA WINDOWS* 95* E WINDOWS NT* Usar Atalhos para a Rede USAR O ÍCONE DA NOVELL NA BANDEJA DE SISTEMA Você pode acessar vários recursos do software Novell Client clicando

Leia mais

Implementando e Gerenciando Diretivas de Grupo

Implementando e Gerenciando Diretivas de Grupo Implementando e Gerenciando Diretivas de João Medeiros (joao.fatern@gmail.com) 1 / 37 Introdução a diretivas de grupo - GPO Introdução a diretivas de grupo - GPO Introdução a diretivas de grupo Criando

Leia mais

Certificado Digital A1

Certificado Digital A1 Certificado Digital A1 Geração Todos os direitos reservados. Imprensa Oficial do Estado S.A. - 2012 Página 1 de 41 Pré-requisitos para a geração Dispositivos de Certificação Digital Para que o processo

Leia mais

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9

GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 GLADIADOR INTERNET CONTROLADA v.1.2.3.9 Pela grande necessidade de controlar a internet de diversos clientes, a NSC Soluções em Informática desenvolveu um novo produto capaz de gerenciar todos os recursos

Leia mais

GABARITO B. 1 manuel@carioca.br MPRJ TSAD TSPR TNAI/2007

GABARITO B. 1 manuel@carioca.br MPRJ TSAD TSPR TNAI/2007 EDITORA FERREIRA PROVAS MPRJ TÉCNICO SUPERIOR ADMINISTRATIVO TSAD TÉCNICO SUPERIOR PROCESSUAL TSPR TÉCNICO DE NOTIFICAÇÃO E ATOS INTIMATÓRIOS TNAI NCE UFRJ NOÇÕES DE INFORMÁTICA CORREÇÃO GABARITO COMENTADO

Leia mais

MDaemon GroupWare. Versão 1 Manual do Usuário. plugin para o Microsoft Outlook. Trabalhe em Equipe Usando o Outlook e o MDaemon

MDaemon GroupWare. Versão 1 Manual do Usuário. plugin para o Microsoft Outlook. Trabalhe em Equipe Usando o Outlook e o MDaemon MDaemon GroupWare plugin para o Microsoft Outlook Trabalhe em Equipe Usando o Outlook e o MDaemon Versão 1 Manual do Usuário MDaemon GroupWare Plugin for Microsoft Outlook Conteúdo 2003 Alt-N Technologies.

Leia mais

DRIVE CONTÁBIL NASAJON

DRIVE CONTÁBIL NASAJON DRIVE CONTÁBIL NASAJON Módulo Gestão de Documentos Versão 1.0 Manual do Usuário 1 Sumário Os Módulos do Gerenciador de NFe: Informações Básicas Primeiro Acesso: Requisitos Acesso ao Drive Contábil Nasajon

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

Novell. Novell Teaming 1.0. novdocx (pt-br) 6 April 2007 EXPLORAR O PORTLET BEM-VINDO DESCUBRA SEU CAMINHO USANDO O NOVELL TEAMING NAVIGATOR

Novell. Novell Teaming 1.0. novdocx (pt-br) 6 April 2007 EXPLORAR O PORTLET BEM-VINDO DESCUBRA SEU CAMINHO USANDO O NOVELL TEAMING NAVIGATOR Novell Teaming - Guia de início rápido Novell Teaming 1.0 Julho de 2007 INTRODUÇÃO RÁPIDA www.novell.com Novell Teaming O termo Novell Teaming neste documento se aplica a todas as versões do Novell Teaming,

Leia mais

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano Informática Aplicada Aula 2 Windows Vista Professora: Cintia Caetano AMBIENTE WINDOWS O Microsoft Windows é um sistema operacional que possui aparência e apresentação aperfeiçoadas para que o trabalho

Leia mais

Instalação - SGFLeite 1

Instalação - SGFLeite 1 Instalação SGFLeite Sistema Gerenciador de Fazenda de Leite Instalação - SGFLeite 1 Resumo dos Passos para instalação do Sistema Este documento tem como objetivo auxiliar o usuário na instalação do Sistema

Leia mais

Guia de Inicialização para o Windows

Guia de Inicialização para o Windows Intralinks VIA Versão 2.0 Guia de Inicialização para o Windows Suporte 24/7/365 da Intralinks EUA: +1 212 543 7800 Reino Unido: +44 (0) 20 7623 8500 Consulte a página de logon da Intralinks para obter

Leia mais

1. Alterações no Menu de Acesso do Gerenciador de Sistemas

1. Alterações no Menu de Acesso do Gerenciador de Sistemas BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO CONTROLE DE PERMISSÕES DE ACESSO No Gerenciador de Sistemas, efetuadas alterações na forma de permissão de acesso às empresas, às rotinas dos módulos e acesso ao cadastro de

Leia mais

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - MILLENNIUM

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - MILLENNIUM GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - MILLENNIUM ÍNDICE ITEM Página 1. Objetivo... 3 2. Requisitos... 3 3. Diretório do Millennium... 3 4. Procedimento para Transferência de Servidor... 3 4.1 Compartilhamento

Leia mais

Configurando um Grupo Doméstico e Compartilhando arquivos no Windows 7

Configurando um Grupo Doméstico e Compartilhando arquivos no Windows 7 Configurando um Grupo Doméstico e Compartilhando arquivos no Windows 7 Para criar um grupo doméstico e compartilhar arquivos é necessário que tenhamos pelo menos dois computadores ligados entre si (em

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Redes de Computadores II

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Redes de Computadores II Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Redes de Computadores II Em um computador baseado no Windows, você pode compartilhar arquivos entre usuários remotos (outro computador). Os usuários remotos se conectam

Leia mais

Instalação e Configuração do AD DS no Windows Server 2012 R2 INSTALAÇÃO DO SERVIÇOS DE DOMÍNIO DO ACTIVE DIRECTORY (AD DS)

Instalação e Configuração do AD DS no Windows Server 2012 R2 INSTALAÇÃO DO SERVIÇOS DE DOMÍNIO DO ACTIVE DIRECTORY (AD DS) Instalação e Configuração do AD DS no Windows Server 2012 R2 Sumário... 2 Criando as Unidades Organizacionais... 16 Criando Grupos... 17 Criação de Usuários.... 20 Habilitando a Lixeira do AD DS.... 24

Leia mais

Expresso Livre Correio Eletrônico

Expresso Livre Correio Eletrônico Expresso Livre Correio Eletrônico 1. EXPRESSO LIVRE Para fazer uso desta ferramenta de correio eletrônico acesse seu Navegador de Internet e digite o endereço eletrônico expresso.am.gov.br. Figura 1 A

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Ferramenta de Backup

MANUAL DO USUÁRIO. Software de Ferramenta de Backup MANUAL DO USUÁRIO Software de Ferramenta de Backup Software Ferramenta de Backup Parabéns, você acaba de adquirir um produto com a qualidade e segurança Intelbras. Este manual serve como referência para

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SISTEMA DE ARQUIVOS

ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SISTEMA DE ARQUIVOS ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS OPERACIONAIS SISTEMA DE ARQUIVOS DISTRIBUÍDOS (DFS) Visão geral sobre o Sistema de Arquivos Distribuídos O Sistema de Arquivos Distribuídos(DFS) permite que administradores do

Leia mais

ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO. 04 2 ACESSO AOS SISTEMAS. 05 3 DOCUMENTOS MANUTENÇÃO. 08 08 3.2 10 3.3 OCR. 11 4 REGISTRO DE DOCUMENTOS. 13 5 GERANDO DOCUMENTOS

ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO. 04 2 ACESSO AOS SISTEMAS. 05 3 DOCUMENTOS MANUTENÇÃO. 08 08 3.2 10 3.3 OCR. 11 4 REGISTRO DE DOCUMENTOS. 13 5 GERANDO DOCUMENTOS ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO... 04 2 ACESSO AOS SISTEMAS... 05 3 DOCUMENTOS MANUTENÇÃO... 08 3.1Tipos de Documentos... 08 3.2 Relações entre Documentos... 10 3.3 OCR... 11 4 REGISTRO DE DOCUMENTOS... 13 5 GERANDO

Leia mais

1 Arquivamento de e-mails

1 Arquivamento de e-mails 1 Arquivamento de e-mails Um arquivamento nada mais é do que uma base de dados com a estrutura idêntica ao seu correio padrão, com utilização similar, mas que por definição serve para armazenar documentos

Leia mais

Software : Sistema Gerenciador DataClarus Dificuldade : ( ) Fácil (X) Médio ( ) Avançado - Página 1 de 5 Instalando duas empresas no mesmo servidor

Software : Sistema Gerenciador DataClarus Dificuldade : ( ) Fácil (X) Médio ( ) Avançado - Página 1 de 5 Instalando duas empresas no mesmo servidor Dificuldade : ( ) Fácil (X) Médio ( ) Avançado - Página 1 de 5 O sistema DataClarus permite compartilhar dados entre duas empresas instaladas no mesmo servidor, assim você poderá ter os dados de clientes

Leia mais

Certificado Digital A1

Certificado Digital A1 Abril/ Certificado Digital A1 Geração Página 1 de 32 Abril/ Pré requisitos para a geração Dispositivos de Certificação Digital Para que o processo de instalação tenha sucesso, é necessário obedecer aos

Leia mais

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02

ArpPrintServer. Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 ArpPrintServer Sistema de Gerenciamento de Impressão By Netsource www.netsource.com.br Rev: 02 1 Sumário INTRODUÇÃO... 3 CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DO SISTEMA... 3 REQUISITOS DE SISTEMA... 4 INSTALAÇÃO

Leia mais

Como funciona? SUMÁRIO

Como funciona? SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Introdução... 2 2. Benefícios e Vantagens... 2 3. Como utilizar?... 2 3.1. Criar Chave / Senha de Usuário... 2 3.2. Recursos da Barra Superior... 2 3.2.1. Opções... 3 3.2.1.1. Mover Para...

Leia mais

BACKUP ONLINE PASSOS PARA CONFIGURAÇÃO INICIAL DO PRODUTO

BACKUP ONLINE PASSOS PARA CONFIGURAÇÃO INICIAL DO PRODUTO BACKUP ONLINE PASSOS PARA CONFIGURAÇÃO INICIAL DO PRODUTO Criação de Conta de Usuário...03 Edição da Conta de Usuário...10 Download do Backup Online Embratel...10 Descrição dos Conjuntos de Cópia de Segurança...19

Leia mais

INSTALAÇÃO DO MICROSOFT WINDOWS SHAREPOINT SERVICES 2.0

INSTALAÇÃO DO MICROSOFT WINDOWS SHAREPOINT SERVICES 2.0 CAPÍTULO 18 INSTALANDO E CONFIGURANDO O MICROSOFT OFFICE PROJECT SERVER 2003 INSTALAÇÃO DO MICROSOFT WINDOWS SHAREPOINT SERVICES 2.0 Antes de começar a instalação do Microsoft Office Project Server 2003

Leia mais

Sistema de Controle de Cheques GOLD

Sistema de Controle de Cheques GOLD Sistema de Controle de Cheques GOLD Cheques GOLD é um sistema para controlar cheques de clientes, terceiros ou emitidos. Não há limitações quanto as funcionalidades do programa, porém pode ser testado

Leia mais

Portal do Senac: Área Exclusiva para Alunos Manual de Navegação e Operação

Portal do Senac: Área Exclusiva para Alunos Manual de Navegação e Operação Portal do Senac: Área Exclusiva para Alunos Índice 1. Introdução... 4 2. Acessando a área exclusiva... 5 3. Trocando a senha... 6 4. Mensagens... 7 4.1. Conhecendo a tela principal... 7 4.2. Criando uma

Leia mais

Atualizando do Windows XP para o Windows 7

Atualizando do Windows XP para o Windows 7 Atualizando do Windows XP para o Windows 7 Atualizar o seu PC do Windows XP para o Windows 7 requer uma instalação personalizada, que não preserva seus programas, arquivos ou configurações. Às vezes, ela

Leia mais

Introdução ao Tableau Server 7.0

Introdução ao Tableau Server 7.0 Introdução ao Tableau Server 7.0 Bem-vindo ao Tableau Server; Este guia orientará você pelas etapas básicas de instalação e configuração do Tableau Server. Em seguida, usará alguns dados de exemplo para

Leia mais

Google Drive: Acesse e organize seus arquivos

Google Drive: Acesse e organize seus arquivos Google Drive: Acesse e organize seus arquivos Use o Google Drive para armazenar e acessar arquivos, pastas e documentos do Google Docs onde quer que você esteja. Quando você altera um arquivo na web, no

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO ÍNDICE Relatórios Dinâmicos... 3 Requisitos de Sistema... 4 Estrutura de Dados... 5 Operadores... 6 Tabelas... 7 Tabelas x Campos... 9 Temas... 13 Hierarquia Relacionamento...

Leia mais

Principais Característic

Principais Característic Principais Característic Características as Software para agendamento e controle de consultas e cadastros de pacientes. Oferece ainda, geração de etiquetas, modelos de correspondência e de cartões. Quando

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Se ainda tiver dúvidas entre em contato com a equipe de atendimento: Por telefone: 0800 642 3090 Por e-mail atendimento@oisolucoespraempresas.com.br Introdução... 3 1. O que é o programa Oi Backup Empresarial?...

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Manual de Utilização Índice 1 Introdução...2 2 Acesso ao Sistema...3 3 Funcionamento Básico do Sistema...3 4 Tela Principal...4 4.1 Menu Atendimento...4 4.2 Menu Cadastros...5 4.2.1 Cadastro de Médicos...5

Leia mais

SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS COM VÍRUS EM PENDRIVE NO SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS 7 OBS: Antes de inicializar, faça um BACKUP de seu pendrive!

SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS COM VÍRUS EM PENDRIVE NO SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS 7 OBS: Antes de inicializar, faça um BACKUP de seu pendrive! SOLUÇÃO PARA PROBLEMAS COM VÍRUS EM PENDRIVE NO SISTEMA OPERACIONAL WINDOWS 7 OBS: Antes de inicializar, faça um BACKUP de seu pendrive! 1 - Após realizar o backup, formate o pendrive como fat32. Clique

Leia mais

Manual Instalação Pedido Eletrônico

Manual Instalação Pedido Eletrônico Manual Instalação Pedido Eletrônico 1 Cliente que não utiliza o Boomerang, mas possui um sistema compatível. 1.1 Instalação do Boomerang Inserir o CD no drive do computador, clicar no botão INICIAR e em

Leia mais

Dicas para usar melhor o Word 2007

Dicas para usar melhor o Word 2007 Dicas para usar melhor o Word 2007 Quem está acostumado (ou não) a trabalhar com o Word, não costuma ter todo o tempo do mundo disponível para descobrir as funcionalidades de versões recentemente lançadas.

Leia mais

Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010.

Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010. Manual do Usuário Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010. Impresso no Brasil. Sujeito a alterações técnicas. A reprodução deste documento,

Leia mais

MANUAL DE EXPORTAÇÃO DE CERTIFICADO SERVIDOR WEB APACHE PARA SERVIDOR WEB MICROSOFT IIS

MANUAL DE EXPORTAÇÃO DE CERTIFICADO SERVIDOR WEB APACHE PARA SERVIDOR WEB MICROSOFT IIS MANUAL DE EXPORTAÇÃO DE CERTIFICADO SERVIDOR WEB APACHE PARA SERVIDOR WEB MICROSOFT IIS Para confecção desse manual, foi usado o Sistema Operacional Windows XP Professional com SP2, Servidor Web Microsoft

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Criação de Formulários no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Criação de Formulários no Google Drive Introdução...

Leia mais

ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL

ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL Documento: Tutorial Autor: Iuri Sonego Cardoso Data: 27/05/2005 E-mail: iuri@scripthome.cjb.net Home Page: http://www.scripthome.cjb.net ALTERNATIVA PARA CONEXÃO VIA INTERNET DE IP MASCARADO A IP REAL

Leia mais

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - SLIM

GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - SLIM GUIA MUDANÇA E FORMATAÇÃO DE SERVIDOR - SLIM ÍNDICE ITEM Página 1. Objetivo... 3 2. Requisitos... 3 3. Diretório do Slim... 3 4. Procedimento para Transferência de Servidor... 3 4.1 Compartilhamento da

Leia mais

TEXTO 2 INCLUSÃO E EXCLUSÃO DE USUÁRIOS (PARTICIPANTES) NO CURSO E CRIAÇÃO DE GRUPOS MANUAIS E AUTOMATICAMENTE

TEXTO 2 INCLUSÃO E EXCLUSÃO DE USUÁRIOS (PARTICIPANTES) NO CURSO E CRIAÇÃO DE GRUPOS MANUAIS E AUTOMATICAMENTE 1 TEXTO 2 INCLUSÃO E EXCLUSÃO DE USUÁRIOS (PARTICIPANTES) NO CURSO E CRIAÇÃO DE GRUPOS MANUAIS E AUTOMATICAMENTE Acompanhamento de conclusão: aqui você pode ativar o rastreamento de conclusão das atividades.

Leia mais

Sou o professor Danilo Augusto, do TIParaConcursos.net, e lá costumo trabalhar temas relacionados a Redes de Computadores e Sistemas Operacionais.

Sou o professor Danilo Augusto, do TIParaConcursos.net, e lá costumo trabalhar temas relacionados a Redes de Computadores e Sistemas Operacionais. Olá nobre concurseiro e futuro servidor público! Sou o professor Danilo Augusto, do TIParaConcursos.net, e lá costumo trabalhar temas relacionados a Redes de Computadores e Sistemas Operacionais. Essa

Leia mais

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova.

Vamos criar uma nova Página chamada Serviços. Clique em Adicionar Nova. 3.5 Páginas: Ao clicar em Páginas, são exibidas todas as páginas criadas para o Blog. No nosso exemplo já existirá uma página com o Título Página de Exemplo, criada quando o WorPress foi instalado. Ao

Leia mais

CRIANDO BANCOS DE DADOS NO SQL SERVER 2008 R2 COM O SQL SERVER MANAGEMENT STUDIO

CRIANDO BANCOS DE DADOS NO SQL SERVER 2008 R2 COM O SQL SERVER MANAGEMENT STUDIO CRIANDO BANCOS DE DADOS NO SQL SERVER 2008 R2 COM O SQL SERVER MANAGEMENT STUDIO Antes de criarmos um novo Banco de Dados quero fazer um pequeno parênteses sobre segurança. Você deve ter notado que sempre

Leia mais

Manual Captura S_Line

Manual Captura S_Line Sumário 1. Introdução... 2 2. Configuração Inicial... 2 2.1. Requisitos... 2 2.2. Downloads... 2 2.3. Instalação/Abrir... 3 3. Sistema... 4 3.1. Abrir Usuário... 4 3.2. Nova Senha... 4 3.3. Propriedades

Leia mais

Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Sumário. Formatar como Tabela

Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Aula 01 - Formatações prontas e condicionais. Sumário. Formatar como Tabela Aula 01 - Formatações prontas e Sumário Formatar como Tabela Formatar como Tabela (cont.) Alterando as formatações aplicadas e adicionando novos itens Removendo a formatação de tabela aplicada Formatação

Leia mais

CPqD Gestão Pública. Gestão Escolar Guia de treinamento. Versão do produto: 4.0.0 Edição do documento: 2.0 Abril de 2010

CPqD Gestão Pública. Gestão Escolar Guia de treinamento. Versão do produto: 4.0.0 Edição do documento: 2.0 Abril de 2010 CPqD Gestão Pública Gestão Escolar Guia de treinamento Versão do produto: 4.0.0 Edição do documento: 2.0 Abril de 2010 CPqD Gestão Pública Gestão Escolar Guia de treinamento Versão do produto: 4.0.0 Edição

Leia mais

Boolean Sistemas 2 MANUAL DA ROTINA MENU DOS SISTEMAS Atualizado em Maio/2006

Boolean Sistemas 2 MANUAL DA ROTINA MENU DOS SISTEMAS Atualizado em Maio/2006 Boolean Sistemas 2 MANUAL DA ROTINA DE MENU DOS SISTEMAS Atualizado em Maio/2006 Empresas Especiais Suporte 2.01. Cadastro das empresas 2.02. Relação das empresas 2.03. Controle das emissões 2.04. Exclusão

Leia mais

MANUAL C R M ÍNDICE. Sobre o módulo de CRM... 2. 1 Definindo a Campanha... 3

MANUAL C R M ÍNDICE. Sobre o módulo de CRM... 2. 1 Definindo a Campanha... 3 ÍNDICE Sobre o módulo de CRM... 2 1 Definindo a Campanha... 3 1.1 Incluir uma campanha... 3 1.2 Alterar uma campanha... 4 1.3 Excluir... 4 1.4 Procurar... 4 2 Definindo os clientes para a campanha... 4

Leia mais

IMPORTANTE: O sistema Off-line Dr.Micro é compatível com os navegadores Mozilla Firefox e Internet Explorer.

IMPORTANTE: O sistema Off-line Dr.Micro é compatível com os navegadores Mozilla Firefox e Internet Explorer. CONFIGURANDO O SISTEMA OFFLINE DR.MICRO IMPORTANTE: O sistema Off-line Dr.Micro é compatível com os navegadores Mozilla Firefox e Internet Explorer. 1- Ao acessar a plataforma online a opção Minha Escola

Leia mais

COMO INSTALAR O CATÁLOGO

COMO INSTALAR O CATÁLOGO Este guia tem por finalidade detalhar as etapas de instalação do catálogo e assume que o arquivo de instalação já foi baixado de nosso site. Caso não tenho sido feita a etapa anterior favor consultar o

Leia mais

Prática de Windows. Prof. Marcelo Walter UFPE

Prática de Windows. Prof. Marcelo Walter UFPE Prática de Windows Prof. Marcelo Walter UFPE Revisão março 2008 1 Ícones Visão geral do Windows Área de Trabalho Relógio Botão Iniciar Barra de Tarefas 2 BARRA DE TAREFAS É considerada a âncora da interface

Leia mais

Microsoft Access XP Módulo Um

Microsoft Access XP Módulo Um Microsoft Access XP Módulo Um Neste primeiro módulo de aula do curso completo de Access XP vamos nos dedicar ao estudo de alguns termos relacionados com banco de dados e as principais novidades do novo

Leia mais

Usuários. Manual. Pergamum

Usuários. Manual. Pergamum Usuários Manual Pergamum Sumário 1 APRESENTAÇÃO... 1-2 2 CADASTRANDO UM NOVO USUÁRIO/OPERADOR... 2-1 3 UTILIZANDO O MÓDULO DE USUÁRIOS... 3-2 3.1 CONFIGURAÇÃO DE GUIAS NO EXPLORER... 3-3 4 CADASTRO...

Leia mais

INDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONFIGURAÇÃO MÍNIMA... 4 3. INSTALAÇÃO... 4 4. INTERLIGAÇÃO DO SISTEMA... 5 5. ALGUNS RECURSOS... 6 6. SERVIDOR BAM...

INDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONFIGURAÇÃO MÍNIMA... 4 3. INSTALAÇÃO... 4 4. INTERLIGAÇÃO DO SISTEMA... 5 5. ALGUNS RECURSOS... 6 6. SERVIDOR BAM... 1 de 30 INDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. CONFIGURAÇÃO MÍNIMA... 4 3. INSTALAÇÃO... 4 3.1. ONDE SE DEVE INSTALAR O SERVIDOR BAM?... 4 3.2. ONDE SE DEVE INSTALAR O PROGRAMADOR REMOTO BAM?... 4 3.3. COMO FAZER

Leia mais

Active Directory Windows 2000 Server

Active Directory Windows 2000 Server 1 Active Directory Windows 2000 Server Essa tela é exibida após a configuração e a ativação, onde é informado o nome do domínio, entre outras configurações não essenciais para nosso presente estudo. 2

Leia mais

Manual de Utilização do Zimbra

Manual de Utilização do Zimbra Manual de Utilização do Zimbra Compatível com os principais navegadores web (Firefox, Chrome e Internet Explorer) o Zimbra Webmail é uma suíte completa de ferramentas para gerir e-mails, calendário, tarefas

Leia mais

Guia de Atualização do Windows XP para Windows 7

Guia de Atualização do Windows XP para Windows 7 Guia de Atualização do Windows XP para Windows 7 Conteúdo Etapa 1: Saiba se o computador está pronto para o Windows 7... 3 Baixar e instalar o Windows 7 Upgrade Advisor... 3 Abra e execute o Windows 7

Leia mais

Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base. fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org

Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base. fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org Conectando Bancos de Dados Microsoft Access no BrOffice.org Base fornecido pelo Projeto de Documentação do BrOffice.org Índice 1 Introdução...2 1.1 Versão... 2 1.2 Licenciamento...2 1.3 Mensagem do Projeto

Leia mais

Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br

Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br CRONOGRAMA INFORMÁTICA TJ-SC Prof.: MARCIO HOLLWEG mhollweg@terra.com.br AULA 1 7 AULAS 2 E 3 PLANILHAS ELETRÔNICAS AULAS 4 E 5 EDITORES DE TEXTO AULA 6 INTERNET AULA 7 SEGURANÇA AULA 8 REVISÃO / EXERCÍCIOS

Leia mais