Introdução ao Controle de Versão com Git. Software Carpentry

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Introdução ao Controle de Versão com Git. Software Carpentry"

Transcrição

1 Introdução ao Controle de Versão com Git Software Carpentry

2 2

3 Sumário 1 Introdução ao Controle de Versão com Git 7 Pré-requisitos Tópicos Outros recursos Configurando o Git 9 Objetivos Proxy Criando um repositório 13 Objetivos Onde posso criar meu repositório? Monitorando alterações 15 Objetivos Onde estão minhas mudanças? Comitando alterações no Git Repositório bio Explorando o histórico 25 Objetivos Simplificando o Caso Comum Recuperando versões antigas de um arquivo

4 4 SUMÁRIO 6 Ignorando Arquivos 31 Objetivos Colaborando 35 Objetivos HTTPS vs SSH Proxy Gerenciadores de Senhas A opção -u Praticando sozinho Marcação de tempo no GitHub Conflitos 45 Objetivos Resolvendo conflitos que você criou Conflitos em arquivos que não são texto plano Ciência Aberta 51 Objetivo Controle de versão de cadernos de anotações científicos eletrônicos.. 52 Licenciamento Licenciamento de produtos que não são programas de computador 54 Hospedagem Posso utilizar uma licença aberta? Posso utilizar uma licença aberta? Meu trabalho pode ser público? Motivação 59 Por que utilizar Controle de Versão? Por que Git? Próximos Passos

5 SUMÁRIO 5 11 Referência 61 Configurando o Git Criando um repositório Monitorando alterações Explorando o histórico Ignorando Arquivos Colaborando Conflitos Ciência Aberta Glossário Discussão 65 Frequently Asked Questions More Advanced Git Configuration Styling Git s Log Version Controlling the Gitconfig Non-text Files Non-text Version Control Guia para Instrutores 71 Legend Overall Teaching Notes Setting Up Git Creating a Repository Tracking Changes Exploring History Ignoring Things Collaborating Conflicts Open Science

6 6 SUMÁRIO 14 Licença 75 Material Software Trademark

7 Capítulo 1 Introdução ao Controle de Versão com Git Lobisomem e Drácula foram contratados pelo Universal Missions (uma agência de serviços espaciais da Euphoric State University) para descobrir onde a companhia deveria enviar sue próximo robô explorador. Eles desejam trabalhar nos planos ao mesmo tempo mas tiveram problemas ao fazer isso no passado. Se eles trabalharem em turnos, cada um deles irá gastar muito tempo esperando o outro terminar mas se eles trabalharem em sua cópia e trocarem s com as mudanças alguma coisa acabará se perdendo, sendo reescrita ou duplicada. A solução é eles utilizarem controle de versão para gerenciar o trabalho. Controle de versão é melhor que trocar arquivos por pois: Nada que é salva no controle de versão pode ser perdido. Isso significa que ele pode ser utilizado como a ferramenta desfazer de um editor de texto e como todas as versões anteriores dos arquivos estão salvas sempre é possível voltar no tempo para saber quem escreveu o que em um dia particular ou que versão de um programa foi utilizado para gerar um resultado. Ele mantem um registro de quem fez cada mudança e quando ela foi feita e assim, se alguém tiver perguntas depois saberá a quem perguntar. É difícil (mas não impossível) de acidentalmente sobrescrever as mudanças de alguém: o sistema de controle de versão automaticamente avisa o usuário quando existe um conflito entre o trabalho de duas ou mais pessoas. Controle de versão é o caderno de laboratório do mundo digital: é o que profissionais utilizam para manter registro do que fizeram e para colaborar com outras pessoas. Todo grande projeto de desenvolvimento de software depende dele, e vários programadores também o utilizam para seus pequenos projetos. E ele não é utilizado apenas para software: livros (como esse), artigos, pequenos 7

8 8 CAPÍTULO 1. INTRODUÇÃO AO CONTROLE DE VERSÃO COM GIT conjuntos de dados, e qualquer coisa que é modificado ao longo do tempo ou precisa ser compartilhada pode e deveria ser armazenado em um sistema para controle de versão. Pré-requisitos Nessa lição utilizamos Git pela linha de comando e por isso espera-se uma experiência prévia com ela embora isso não seja obrigatório. Tópicos 1. Configurando o Git 2. Criando um repositório 3. Monitorando alterações 4. Explorando o histórico 5. Ignorando Arquivos 6. Colaborando 7. Conflitos 8. Ciência Aberta Outros recursos Motivação Referência Discussão Guia do Instrutor

9 Capítulo 2 Configurando o Git Objetivos Explicar os passos de inicialização e configuração necessários por máquina e por repositório. Nós vamos começar explorando como o controle de versão pode ser utilizado para manter o registro do que e de quando uma pessoa fez algo. Mesmo se você não estiver colaborando com outros, controle de versão é muito melhor que: 9

10 10 CAPÍTULO 2. CONFIGURANDO O GIT Piled Higher and Deeper by Jorge Cham, Na primeira vez que utilizamos Git em uma máquina, precisamos configurar algumas coisas. A seguir encontra-se o que Drácula fez para configurar seu novo notebook: $ git config --global user.name "Vlad Dracula"

11 PROXY 11 $ git config --global user. $ git config --global color.ui "auto" (Por favor, utilize seu nome e endereço de ao invés do de Drácula) Ele também configurou seu editor favorito utilizando a tabela a seguir. Editor nano Text Wrangler Sublime Text (Mac) Sublime Text (Win) Notepad++ (Win) Kate (Linux) Gedit (Linux) Configuration command $ git config --global core.editor "nano -w" $ git config --global core.editor "edit -w" $ git config --global core.editor "subl -n -w" $ git config --global core.editor "'c:/program files/sublime text 2/sublime_te $ git config --global core.editor "'c:/program files (x86)/notepad++/notepad++ $ git config --global core.editor "kate" $ git config --global core.editor "gedit -s" Os commandos do Git são escritos como git verbo, onde verbo é o que desejamos fazer. No caso anterior, estamos dizendo para o Git: nosso nome e endereço de , para colorir a saída, qual o nosso editor de texto favorito, e que queremos utilizar essas informações globalmente (i.e., para todo projeto). Os quatro comandos anteriores só precisam ser executados uma vez: a opção (em inglês denominada de flag) --global diz para o Git utilizar as configurações para todo projeto na máquina atual. You can check your settings at any time: $ git config --list Proxy Em alguns casos você precisa utilizar um proxy para se conectar a internet. Se esse for o seu caso você precisa informar o Git sobre o proxy: $ git config --global http.proxy proxy-url $ git config --global https.proxy proxy-url Para desabilitar o proxy, utilize

12 12 CAPÍTULO 2. CONFIGURANDO O GIT $ git config --global --unset http.proxy $ git config --global --unset https.proxy

13 Capítulo 3 Criando um repositório Objetivos Explicar como criar um repositório Git local. Uma vez que Git está configurado, podemos começar a utilizá-lo. Vamos criar um diretório para nosso trabalho: $ mkdir planetas $ cd planetas e dizemos para fazer do diretório um repositório um lugar onde Git irá armazenar as versões anteriores de nossos arquivos: $ git init Se utilizarmos ls para mostrar o conteúdo do diretório irá parecer que nada foi feito: $ ls Mas se adicionarmos a opção -a para mostrar todos os arquivos, iremos ver que Git criou um diretório oculto denominado.git: $ ls -a....git 13

14 14 CAPÍTULO 3. CRIANDO UM REPOSITÓRIO Git armazena informações sobre o projeto nesse subdiretório especial. Se deletarmos ele iremos perder o histórico do projeto. Podemos verificar que a configuração foi feita com sucesso requisitando o estado do nosso projeto para o Git: $ git status # On branch master # # Initial commit # nothing to commit (create/copy files and use "git add" to track) Onde posso criar meu repositório? A seguinte sequencia de comandos cira um repositório Git dentro de outro: cd mkdir alpha cd alpha git init mkdir beta cd beta git init # retorna para sua pasta de usuário # cria um novo repositório # muda o diretório atual para o diretório recém criado # transforma o diretório recém criado em um repositório Git # cria um subdiretório # muda o diretório atual para o subdiretório recém criado # transforma o subdiretório em um repositório Git Por que utilizar um repositório Git dentro de outro é uma péssima ideia?

15 Capítulo 4 Monitorando alterações Objetivos Passar o ciclo modicar-adicionar-salvar para um único arquivo e para múltiplos arquivos. Explicar onde a informação é armazenada em cada estágio. Vamos criar um arquivo chamado marte.txt que contém algumas notas sobre a sustentabilidade de uma base no planeta vermelho. (Iremos utilizar um editor chamado nano para editar o arquivo mas você pode utilizar o editor de sua preferência. Em particular, ele não precisa ser o mesmo editor informado para o Git). $ nano marte.txt Escreva o texto abaixo no arquivo marte.txt: Frio e seco, mas tudo é da minha cor favorita. marte.txt agora contem a seguinte linha: $ ls marte.txt $ cat marte.txt Frio e seco, mas tudo é da minha cor favorita. 15

16 16 CAPÍTULO 4. MONITORANDO ALTERAÇÕES Se verificarmos o estado do nosso projeto novamente, Git irá informar que ele encontrou um novo arquivo: $ git status # On branch master # # Initial commit # # Untracked files: # (use "git add <file>..." to include in what will be committed) # # marte.txt nothing added to commit but untracked files present (use "git add" to track) A mensagem untracked files significa que existe um arquivo no diretório que Git não está monitorando. Iremos dizer para o Git que ele deve fazê-lo utilizando git add: $ git add marte.txt e então verificamos alteração na mensagem de estado: $ git status # On branch master # # Initial commit # # Changes to be committed: # (use "git rm --cached <file>..." to unstage) # # new file: marte.txt # Git agora sabe que ele deve monitorar o arquivo marte.txt mas ele ainda não salvou nenhuma mudança para a posterioridade como um commit. Para fazer isso precisamos executar mais um comando: $ git commit -m "Começando a tomar notas sobre Marte como um base" [master (root-commit) f22b25e] Começando a tomar notas sobre Marte como um base 1 file changed, 1 insertion(+) create mode marte.txt

17 ONDE ESTÃO MINHAS MUDANÇAS? 17 Quando executamos git commit, Git pega todas as mudanças que informamos precisar serem salvas quando utilizamos git add e armazena uma cópia permanente dentro do diretório especial.git. Essa cópia permanente é denominada revisão é brevemente identificada por f22b25e. (Sua revisão pode ter um identificador diferente.) Utilizamos a opção -m (de mensagem ) para salvar um pequeno comentário que seja descritivo e específico que irá nos ajudar a lembrar depois o que fizemos e porque. Se apenas executarmos git commit sem a opção -m, Git irá iniciar nano (ou o editor que tivermos configurado no início) para que possamos escrever um comentário longo. Boas mensagens de commit iniciam com um curto sumário (menos de 50 caracteres) das alterações feitas no commit. Se você desejar adicionar mais detalhes, adicione uma linha em branco entre o sumário e suas notas adicionais. Se executarmos git status agora: $ git status # On branch master nothing to commit, working directory clean Git está dizendo que tudo está atualizado. Se desejarmos saber o que foi feito recentemente podemos pedir ao Git que mostre o histórico do projeto utilizando git log: $ git log commit f22b25e3233b4645dabd0d81e651fe074bd8e73b Author: Vlad Dracula Date: Thu Aug 22 09:51: Começando a tomar notas sobre Marte como um base git log lista todas as revisões salvas em um repositório na ordem cronológica reversa. Essa lista inclui, para cada revisão, o identificador completo da revisão (que inicia com os mesmos caracteres que o identificador curto impresso pelo comando git commit anteriormente), o autor da revisão, quando ela foi criada e o comentário dado à revisão quando ela foi criada. Onde estão minhas mudanças? Se executarmos ls agora continuamos a encontrar apenas um arquivo chamado marte.txt. Isso deve-se ao fato do Git salvar as informações

18 18 CAPÍTULO 4. MONITORANDO ALTERAÇÕES com histórico dos arquivos no diretório especial denominado.git mencionado anteriormente tal que nosso sitema de arquivos não fique cheio (e nós acidentalmente editemos ou removemos uma versão anterior. Agora suponha adicionou algumas informações ao arquivo. (Novamente, editaremos o arquivo utilizando o nano e utilizaremos o commando cat para mostrar o conteúdo do arquivo; você pode utilizar outro editor e não precisa do comando cat.) $ nano marte.txt $ cat marte.txt Frio e seco, mas tudo é da minha cor favorita. Duas luas pode ser um problema para o Lobisomem. Quando executamos o comando git status, ele irá informar que um arquivo sendo monitorado foi alterado: $ git status # On branch master # Changes not staged for commit: # (use "git add <file>..." to update what will be committed) # (use "git checkout -- <file>..." to discard changes in working directory) # # modified: marte.txt # no changes added to commit (use "git add" and/or "git commit -a") A última linha, no changes added to commit, é importante e nos avisa que nenhuma das mudanças feitas será salvo na próxima revisão. Embora tenhamos alterado o arquivo não informamos ao Git que queremos salvar essas mudanças (que iremos fazer utilizando git add). Para verificar as alterações nos arquivos utilizamos git diff, que irá mostrar a diferença entre o estado atual dos arquivo e a última revisão salva: $ git diff diff --git a/marte.txt b/mars.txt index df0654a..315bf3a a/marte.txt +++ b/marte.txt -1 +1,2 Frio e seco, mas tudo é da minha cor favorita. +Duas luas pode ser um problema para o Lobisomem.

19 ONDE ESTÃO MINHAS MUDANÇAS? 19 A saída parecer criptografada porque na verdade é uma série de comandos dizendo para programas como editores de texto e patch como reconstruir um arquivo partindo do outro. Podemos quebrar essa saída em algumas partes: 1. A primeira linha informa que Git utilizou o comando diff para comparar a versão antiga com a nova. 2. A segunda linha informa exatamente quais revisões Git está comparando: df0654a e 315bf3a são identificadores únicos gerados pelo computador para essas duas revisões. 3. As linhas restantes mostram o que realmente mudou e as linhas correspondentes. Em particular, o sinal + na primeira coluna indica onde adicionamos novas linhas. Vamos salvar nossas mudanças: $ git commit -m "Adicionado preocupação sobre o feito das luas de Marte no Lobisomem" # On branch master # Changes not staged for commit: # (use "git add <file>..." to update what will be committed) # (use "git checkout -- <file>..." to discard changes in working directory) # # modified: marte.txt # no changes added to commit (use "git add" and/or "git commit -a") Hoops: Git não salvou uma nova revisão porque esquecemos de utilizar o comando git add primeiro. Vamos corrigir isso: $ git add marte.txt $ git commit -m "Adicionado preocupação sobre o feito das luas de Marte no Lobisomem" [master 34961b1] Adicionado preocupação sobre o feito das luas de Marte no Lobisomem 1 file changed, 1 insertion(+) Git insiste que adicionemos os arquivos ao grupo a ser salvo antes de realmente criarmos uma nova revisão porque podemos não querer incluir todas as mudanças de uma vez. Por exemplo, suponha que estejamos adicionando algumas citações ao trabalho de nosso orientador na nossa tese. Pode ser que desejamos ter uma versão em que adicionamos as citações e as referências bibliográficas mas não desejamos incluir as mudanças na conclusão uma vez que ainda não terminamos esta. Para que isso seja possível, Git possui uma área temporária especial (em inglês denominada staging area) onde ele mantem o registro das alterações que foram

20 20 CAPÍTULO 4. MONITORANDO ALTERAÇÕES adicionadas ao conjunto a ser utilizado para o próximo commit (que ainda não foi feito). git add coloca as modificações nessa área e git commit move a informação dessa área para o armazenamento de longo termo na forma de um commit. Figura 4.1: The Git Staging Area Vamos verificar como nossas mudanças são transmitidas do nosso editor para a área temporária e posteriormente para o armazenamento de longo termo. Primeiro, precisamos adicionar uma nova linha ao arquivo: $ nano marte.txt $ cat marte.txt Frio e seco, mas tudo é da minha cor favorita. Duas luas pode ser um problema para o Lobisomem. Mas a Múmia irá apreciar a falta de humidade. $ git diff diff --git a/marte.txt b/mars.txt index 315bf3a..b36abfd a/marte.txt +++ b/marte.txt -1,2 +1,3 Frio e seco, mas tudo é da minha cor favorita. Duas luas pode ser um problema para o Lobisomem. +Mas a Múmia irá apreciar a falta de humidade. Até agora, tudo bem: adicionamos uma nova linha no final do arquivo (identificada com o sinal + na primeira coluna). Agora vamos colocar essa mudança na área temporária e verificar o que git diff informa:

21 ONDE ESTÃO MINHAS MUDANÇAS? 21 $ git add marte.txt $ git diff Não existe saída pois até onde o Git consegue informar não existe diferença entre o que foi pedido para salvar permanentemente e o arquivos no repositório. Entretanto, se pedirmos: $ git diff --staged diff --git a/marte.txt b/mars.txt index 315bf3a..b36abfd a/marte.txt +++ b/marte.txt -1,2 +1,3 Frio e seco, mas tudo é da minha cor favorita. Duas luas pode ser um problema para o Lobisomem. +Mas a Múmia irá apreciar a falta de humidade. será mostrado a diferença entre o último commit e as mudanças na área temporária. Vamos salvar nossa mudança: $ git commit -m "Discussão sobre o clima de Marte para a Múmia" [master f] Discussão sobre o clima de Marte para a Múmia 1 file changed, 1 insertion(+) e verificar o estado do repositório: $ git status # On branch master nothing to commit, working directory clean e também no histórico do que foi feito até agora: $ git log commit fbe2a98fb83f0ade869025dc2636b4dad5 Author: Vlad Dracula Date: Thu Aug 22 10:14: Discussão sobre o clima de Marte para a Múmia

22 22 CAPÍTULO 4. MONITORANDO ALTERAÇÕES commit 34961b159c27df3b475cfe4415d94a6d1fcd064d Author: Vlad Dracula Date: Thu Aug 22 10:07: Adicionado preocupação sobre o feito das luas de Marte no Lobisomem commit f22b25e3233b4645dabd0d81e651fe074bd8e73b Author: Vlad Dracula Date: Thu Aug 22 09:51: Começando a tomar notas sobre Marte como um base Para recapitular, quando queremos adicionar mudanças no nosso repositório, primeiro precisamos adicionar os arquivos alterados para a área de transferência (git add) e então commitar as mudanças na área de transferência no repositório (git commit): Comitando alterações no Git Qual comando abaixo irá salvar as alterações de meu-arquivo.txt no meu repositório Git local? 1. $ git commit -m minhas mudanças recentes 2. $ git init meu-arquivo.txt $ git commit -m minhas mudanças recentes 3. $ git add meu-arquivo.txt $ git commit -m minhas mudanças recentes 4. $ git commit -m meu-arquivo.txt minhas mudanças recentes Repositório bio Crie um novo repositório Git no seu computador chamado bio. Escreva uma versão curta da sua bibliografia com três linhas no arquivo me.txt, salva suas mudanças. Depois, modifique uma das linhas e adicione uma quarta linha, mostre a alteração feita e desfaçaa.

23 REPOSITÓRIO BIO 23 Figura 4.2: The Git Commit Workflow

24 24 CAPÍTULO 4. MONITORANDO ALTERAÇÕES

25 Capítulo 5 Explorando o histórico Objetivos Identificar e usar números de revisões do Git. Comparar versões antigas de um arquivo com a atual. Restaurar versões antigas de arquivos. Se desejarmos ver o que alteramos, podemos utilizar git diff novamente, mas referindo-se a versões antigas utilizando a notação HEAD~1, HEAD~2 e assim por diante: $ git diff HEAD~1 marte.txt diff --git a/marte.txt b/mars.txt index 315bf3a..b36abfd a/marte.txt +++ b/marte.txt -1,2 +1,3 Frio e seco, mas tudo é da minha cor favorita. Duas luas pode ser um problema para o Lobisomem. +Mas a Múmia irá apreciar a falta de humidade. $ git diff HEAD~2 marte.txt diff --git a/marte.txt b/mars.txt index df0654a..b36abfd a/marte.txt +++ b/marte.txt 25

26 26 CAPÍTULO 5. EXPLORANDO O HISTÓRICO -1 +1,3 Frio e seco, mas tudo é da minha cor favorita. +Duas luas pode ser um problema para o Lobisomem. +Mas a Múmia irá apreciar a falta de humidade. Dessa forma, criamos uma sequência de revisões. A revisão mais recente nessa sequência é referenciada por HEAD e podemos referenciar revisões anteriores utilizando a notação com ~, tal que HEAD~1 (pronuncia-se head minus one ) significa a revisão anterior, enquanto HEAD~123 retorna 123 revisões do ponto em que estamos agora. Podemos também referenciar revisões anteriores utilizando a longa string de dígitos e letras impressas por git log. Essa longa string é única para as revisões e única realmente significa única: todo conjunto de mudanças em um conjunto de arquivos em cada máquina possui um identificador único de 40 caracteres. O nosso primeiro commit possui como identificado f22b25e3233b4645dabd0d81e651fe074bd8e73b. Então vamos tentar: $ git diff f22b25e3233b4645dabd0d81e651fe074bd8e73b marte.txt diff --git a/marte.txt b/mars.txt index df0654a..b36abfd a/marte.txt +++ b/marte.txt -1 +1,3 Frio e seco, mas tudo é da minha cor favorita. +Duas luas pode ser um problema para o Lobisomem. +Mas a Múmia irá apreciar a falta de humidade. A resposta do Git está correta mas digitar 40 caracteres aleatórios é inconveniente e por isso Git permite você digitar apenas os primeiros caracteres: $ git diff f22b25e marte.txt diff --git a/marte.txt b/mars.txt index df0654a..b36abfd a/marte.txt +++ b/marte.txt -1 +1,3 Frio e seco, mas tudo é da minha cor favorita. +Duas luas pode ser um problema para o Lobisomem. +Mas a Múmia irá apreciar a falta de humidade. Até agora aprendemos como salvar alterações nos arquivos e verificar as alterações realizadas. Como podemos recuperar um arquivo de uma versão antiga? Vamos supor que acidentalmente sobre escrevemos um de nossos arquivos.

27 OBJETIVOS 27 $ nano marte.txt $ cat marte.txt Teremos que produzir oxigênio para nosso consumo. git status irá informar que os arquivo foi alterado e que as alterações não foram salvas na área temporária: $ git status # On branch master # Changes not staged for commit: # (use "git add <file>..." to update what will be committed) # (use "git checkout -- <file>..." to discard changes in working directory) # # modified: marte.txt # no changes added to commit (use "git add" and/or "git commit -a") Podemos desfazer as mudanças utilizando o comando git checkout: We can put things back the way they were by using git checkout: $ git checkout HEAD marte.txt $ cat marte.txt Frio e seco, mas tudo é da minha cor favorita. Duas luas pode ser um problema para o Lobisomem. Mas a Múmia irá apreciar a falta de humidade. Como você pode adivinhar pelo verbo utilizado, git checkout checks out (i.e., restaura) uma versão anterior do arquivo. Nesse caso, estamos dizendo para o Git que queremos recuperar a versão do arquivo presente em HEAD, que corresponde a última versão salva. Se você você resolver resolver voltar para uma versão mais antiga você deve utilizar o identificado da respectiva versão: $ git checkout f22b25e marte.txt É importante lembrar que devemos utilizar o identificador da revisão anterior ao estado que desejamos desfazer. Um erro comum é utilizar o identificador da revisão na qual as alterações indesejadas foram feitas. No exemplo abaixo, queremos recuperar o estado anterior ao commit mais recente (HEAD~1), cuja identificação é f22b25e: O diagrama a seguir ilustra como o histórico de um arquivo deve ser (indo para antes de HEAD, a versão mais recente salva):

28 28 CAPÍTULO 5. EXPLORANDO O HISTÓRICO Figura 5.1: Git Checkout Figura 5.2: When Git Updates Revision Numbers

29 SIMPLIFICANDO O CASO COMUM 29 Simplificando o Caso Comum Se você tiver lido cuidadosamente a saída do comando git status você terá notado que ele encontra a seguinte dica: (use "git checkout -- <file>..." to discard changes in working directory) Como ela diz, git checkout irá restaurar os arquivos para o estado salvo em HEAD. O traço duplo, --, é necessário para separar o nome do arquivo a ser recuperado do comando propriamente dito: sem o traço duplo, Git tentará utilizar o nome do arquivo como o identificador da revisão. O fato de que os arquivos pode ser recuperados um por um tende a mudar a forma como as pessoas organizam seu trabalho. Se todo o trabalho consiste de um grande documento, será difícil (mas não impossível) de desfazer alguma mudança sem também desfazer outras, por exemplo desfazer as alterações na introdução sem também desfazer as alterações feitas na conclusão. Se a introdução e conclusão estiverem salvas em arquivos separados será muito mais fácil desfazer apenas as alterações em um dos arquivos. Recuperando versões antigas de um arquivo Jennifer fez alterações no seu script Python no qual ela estava trabalhando a duas semanas, e as alterações que ela fez essa manhã quebraram o script que não mais funciona. Ela já gastou em ~1h tentando corrigi-lo sem sucesso... Felizmente, ela esteve mantendo registro do seu trabalho utilizando Git! Qual comando a seguir permite ela recuperar a última versão salva do seu script Python chamado reducao-de-dados.py? 1. $ git checkout HEAD 2. $ git checkout HEAD reducao-de-dados.py 3. $ git checkout HEAD~1 reducao-de-dados.py 4. $ git checkout reducao-de-dados.py 5. 2 e 4

30 30 CAPÍTULO 5. EXPLORANDO O HISTÓRICO

31 Capítulo 6 Ignorando Arquivos Objetivos Configurar Git para ignorar arquivos específicos, e explicar porque isso é útil em alguns casos. Se tivermos arquivos que não desejamos serem monitorados pelo Git, por exemplo arquivos de backup criados pelo nosso editor ou arquivos intermediários criados durante a análise de dados. Vamos criar um exemplo bobo: $ mkdir resultados $ touch a.dat b.dat c.dat resultados/a.out resultados/b.out e verificar o que o Git diz: $ git status # On branch master # Untracked files: # (use "git add <file>..." to include in what will be committed) # # a.dat # b.dat # c.dat # resultados/ nothing added to commit but untracked files present (use "git add" to track) Colocando esses arquivos sob controle de versão é um desperdício de memória em disco. Algo pior é que ter eles listados toda vez pode reduzir nossa atenção para 31

32 32 CAPÍTULO 6. IGNORANDO ARQUIVOS as mudanças que realmente importam. Vamos então dizer para o Git ignorar alguns arquivos. Fazemos isso criando um arquivo denominado.gitignore no diretório raiz do nosso projeto. $ nano.gitignore $ cat.gitignore *.dat resultados/ A primeira expressão no arquivo.gitignore diz para o Git ignorar todos os arquivos que terminam com.dat e a segunda expressão para ele ignorar todos os arquivos dentro do diretório resultados. (Se algum desses arquivos já está sendo monitorado pelo Git ele continuará sendo-o). Uma vez que criamos esse arquivo, a saída do comando git status é muito mais limpa. $ git status # On branch master # Untracked files: # (use "git add <file>..." to include in what will be committed) # #.gitignore nothing added to commit but untracked files present (use "git add" to track) A única alteração que Git nota é a criação do arquivo.gitignore. Inicialmente você pode pensar que você não quer monitorar esse arquivo mas todas as pessoas que fizerem uso do repositório provavelmente irão querer ignorar os mesmos arquivos que ignoramos. Por esse motivo, vamos adicionar o arquivo.gitignore ao nosso controle de versão: $ git add.gitignore $ git commit -m "Adicionado gitignore" $ git status # On branch master nothing to commit, working directory clean Como um bônus, utilizar.gitignore irá ajudar nos a evitar de acidentadamente adicionar arquivos indesejados.

33 OBJETIVOS 33 $ git add a.dat The following paths are ignored by one of your.gitignore files: a.dat Use -f if you really want to add them. fatal: no files added Se realmente desejarmos desobedecer nossas configurações presentes no.gitignore precisamos informar isso ao Git utilizando git add -f. Também podemos verificar o status dos arquivos ignorados utilizando: $ git status --ignored # On branch master # Ignored files: # (use "git add -f <file>..." to include in what will be committed) # # a.dat # b.dat # c.dat # resultados/ nothing to commit, working directory clean

34 34 CAPÍTULO 6. IGNORANDO ARQUIVOS

35 Capítulo 7 Colaborando Objetivos Explicar o que são repositórios remotos e por que eles são úteis. Explicar o que acontece quando um repositório remoto é clonado. Explicar o que acontece quando mudanças são obtidas e enviadas para um repositório remoto. Controle de versão começa a fazer falta quando começamos a colaborar com outras pessoas. Já temos quase todas as ferramentas necessárias para fazer isso, só falta aprendermos como copiar alterações de um repositório para outro. Sistemas como Git permite trocar alterações entre dois repositórios quaisquer. Na prática, entretanto, é mais fácil utilizar uma cópia como hub central e mantêlo em um servidor conectado à internet do que no notebook de alguém. Grande parte dos programadores utilizam serviços de hospedagem como GitHub ou BitBucket para armazenar esses cópias. Vamos explorar os pros e os contras dessa abordagem no final dessa lição. Vamos começar por compartilhar as mudanças que fizemos no nosso projeto com o mundo. Autentique-se no GitHub e clique no ícone no canto superior direito para criar um novo repositório denominado planetas: Nomeie o seu repositório de planetas e selecione Create Repository : Assim que o repositório for criado, GitHub irá mostrar uma página com uma URL e algumas informações de como configurar seu repositório local: Esse procedimento realiza os seguintes comandos nos servidores do GitHub: $ mkdir planetas $ cd planetas $ git init 35

36 36 CAPÍTULO 7. COLABORANDO Figura 7.1: Criando um novo repositório no GitHub (Passo 1) Figura 7.2: Criando um novo repositório no GitHub (Passo 2)

37 HTTPS VS SSH 37 Figura 7.3: Criando um novo repositório no GitHub (Passo 3) Nosso repositório local ainda contem nosso trabalho anterior no arquivo marte.txt mas o repositório remoto no GitHub não contem nenhum arquivo: O próximo passo é conectar esses dois repositórios. Fazemos isso transformando o repositório no GitHub um repositório remote para o repositório local. Na página inicial do repositório no GitHub encontra-se a string necessária para identificá-lo: Selecione HTTPS para alterar o protocolo SSH para HTTPS. HTTPS vs SSH Utilizamos HTTPS porque ele não requer configurações adicionais. Depois do workshop você pode querer configurar acesso via SSH, que é um pouco seguro, seguindo um dos tutoriais disponibilizados por GitHub, Atlassian/BitBucket e GitLab (esse é um vídeo). Copie essa URL do navegador, vá para seu repositório local e execute o comando: $ git remote add origin https://github.com/vlad/planetas Certifique-se de utilizar a URL do seu repositório ao invés da URL do Vlad: a única diferença deve ser seu nome de usuário no lugar de vlad. Você pode verificar que o comando anterior foi executado corretamente utilizando git remote -v:

38 38 CAPÍTULO 7. COLABORANDO Figura 7.4: Freshly-Made GitHub Repository Figura 7.5: Where to Find Repository URL on GitHub

39 PROXY 39 Figura 7.6: Changing the Repository URL on GitHub $ git remote -v origin origin https://github.com/vlad/planetas.git (push) https://github.com/vlad/planetas.git (fetch) O nome origin é o apelido local para seu repositório remoto: você pode utilizar outro apelido no lugar se você desejar, mas origin é a opção mais utilizada. Uma vez que o apelido origin está configurado, o comando a seguir irá copiar as alterações no repositório local para o repositório no GitHub: $ git push origin master Counting objects: 9, done. Delta compression using up to 4 threads. Compressing objects: 100% (6/6), done. Writing objects: 100% (9/9), 821 bytes, done. Total 9 (delta 2), reused 0 (delta 0) To https://github.com/vlad/planetas * [new branch] master -> master Branch master set up to track remote branch master from origin. Proxy Se a rede que você está conectado utiliza um proxy existe uma change do último comando ter falhado com Could not resolve hostname

TUTORIAL PRÁTICO SOBRE Git. Versão 1.1

TUTORIAL PRÁTICO SOBRE Git. Versão 1.1 TUTORIAL PRÁTICO SOBRE Git por Djalma Oliveira Versão 1.1 "Git é um sistema de controle de revisão distribuida, rápido e escalável" (tradução rápida do manual). Basicamente é

Leia mais

Git e contribuição para projetos Open Source. Bruno Orlandi

Git e contribuição para projetos Open Source. Bruno Orlandi Git e contribuição para projetos Open Source Bruno Orlandi Bruno Orlandi 4º Ano Ciências de Computação ICMC USP PET Computação HTML5 Web e Mobile Gosta de compartilhar conhecimento @BrOrlandi Instalando

Leia mais

Salvando modificações localmente (commit) Enviando modificações para o servidor (push) Sinalizando versão estável (tag)

Salvando modificações localmente (commit) Enviando modificações para o servidor (push) Sinalizando versão estável (tag) Salvando modificações localmente (commit) Enviando modificações para o servidor (push) Sinalizando versão estável (tag) Desfazendo modificações (reset) Verificar status de repositório 5 Não vamos fazer,

Leia mais

Agenda. Aprendendo Git/GitHub. Definições. Git. História 31/05/2012. Vantagem de usar controle de versão

Agenda. Aprendendo Git/GitHub. Definições. Git. História 31/05/2012. Vantagem de usar controle de versão Agenda Aprendendo Git/GitHub Luciana Balieiro Cosme IFNMG Montes Claros Sobre Git Instalação no Windows Comandos básicos Estrutura de um commit Branches GitHub Considerações finais Definições Git is an

Leia mais

Casa do Código Livros para o programador Rua Vergueiro, 3185-8º andar 04101-300 Vila Mariana São Paulo SP Brasil

Casa do Código Livros para o programador Rua Vergueiro, 3185-8º andar 04101-300 Vila Mariana São Paulo SP Brasil Casa do Código Todos os direitos reservados e protegidos pela Lei nº9.610, de 10/02/1998. Nenhuma parte deste livro poderá ser reproduzida, nem transmitida, sem autorização prévia por escrito da editora,

Leia mais

Controle de versão e fluxo de trabalho em projetos de desenvolvimento de software

Controle de versão e fluxo de trabalho em projetos de desenvolvimento de software Controle de versão e fluxo de trabalho em projetos de desenvolvimento de software Doutorado Multi-Institucional em Ciência da Computação UFBA UNIFACS UEFS terceiro@dcc.ufba.br 8 de novembro de 2008 Termos

Leia mais

Introdução à Engenharia ENG1000

Introdução à Engenharia ENG1000 Introdução à Engenharia ENG1000 Aula Extra - Projetos e Controle de Versões 2016.1 Prof. Augusto Baffa Armazenando seu projeto Como armazenar versões? Não se preocupar Acumular

Leia mais

Introdução ao Git. Introdução ao GIT. Anderson Moreira. Baseado nos slides disponíveis em http//free electrons.com

Introdução ao Git. Introdução ao GIT. Anderson Moreira. Baseado nos slides disponíveis em http//free electrons.com Introdução ao GIT Introdução ao Git Anderson Moreira Copyright 2009, Free Electrons. Creative Commons BY SA 3.0 license Latest update: Aug 28, 2015, Document sources, updates and translations: http://free

Leia mais

Universidade de São Paulo Centro de Informática de Ribeirão Preto TUTORIAL HOTMAIL

Universidade de São Paulo Centro de Informática de Ribeirão Preto TUTORIAL HOTMAIL Universidade de São Paulo Centro de Informática de Ribeirão Preto TUTORIAL HOTMAIL Tutorial Hotmail Sobre o MSN Hotmail Acessando o Hotmail Como criar uma conta Efetuando o login Verificar mensagens Redigir

Leia mais

Versionamento de Código. Núcleo de Desenvolvimento de Software

Versionamento de Código. Núcleo de Desenvolvimento de Software Versionamento de Código Núcleo de Desenvolvimento de Software Por quê? Facilidades de utilizar um sistema de versionamento de código. Várias versões Quando se salva uma nova versão de um arquivo, a versão

Leia mais

Manual de Utilização do Tortoise SVN. Fábrica de Software. Algar Tecnologia Unidade BH

Manual de Utilização do Tortoise SVN. Fábrica de Software. Algar Tecnologia Unidade BH Manual de Utilização do Tortoise SVN Fábrica de Software Algar Tecnologia Unidade BH Revisão 1.2 Elaborado por Crhistian Souza EPG Sumário 1. Autenticando-se no SVN da Algar Tecnologia... 3 2. Trabalhando

Leia mais

Introdução ao Git. Laboratório de Programação. Luísa Lima, Pedro Vasconcelos, DCC/FCUP. Março 2015

Introdução ao Git. Laboratório de Programação. Luísa Lima, Pedro Vasconcelos, DCC/FCUP. Março 2015 Introdução ao Git Laboratório de Programação Luísa Lima, Pedro Vasconcelos, DCC/FCUP Março 2015 Porquê controlo de versões? Um sistema de controlo de versões (VCS) é um ferramenta integrada que possibilita

Leia mais

Manual de Usuário do UnB Webmail Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO

Manual de Usuário do UnB Webmail Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO Destinado aos usuários de e-mail da Universidade de Brasília MODO DINÂMICO Elaboração: Equipe de Suporte Avançado do CPD SA/SRS/CPD/UnB suporte@unb.br Universidade de Brasília Brasília / 2014 Resumo A

Leia mais

Padrões de configuração GIT

Padrões de configuração GIT UNIVERSIDADE CEUMA Padrões de configuração GIT Versão 1.2 12/12/2013 Este é um modelo de configuração para uso da ferramenta GIT adotada no Grupo Ceuma de Educação. Aqui encontram-se os padrões de configuração

Leia mais

VOLT DATA LAB OUTUBRO 2015. Tutorial ridiculamente detalhado e ilustrado para publicação de uma página web no GitHub Pages

VOLT DATA LAB OUTUBRO 2015. Tutorial ridiculamente detalhado e ilustrado para publicação de uma página web no GitHub Pages VOLT DATA LAB OUTUBRO 2015 Tutorial ridiculamente detalhado e ilustrado para publicação de uma página web no GitHub Pages * Este é um tutorial em fase beta escrito por @ProjetoStock, com base no curso

Leia mais

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter

Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter Índice Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter............... 1 Sobre a Instalação do IBM SPSS Modeler Server Adapter................ 1 Requisitos de

Leia mais

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br

Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Moodle FTEC Versão 2.0 Manual do Usuário Acesse a área de LOGIN do site da FTEC www.ftec.com.br Índice Como acessar o Moodle Editando seu PERFIL Editando o curso / disciplina no Moodle Incluindo Recursos

Leia mais

ACESSANDO O GITHUB E COMPARTILHANDO PROJETOS

ACESSANDO O GITHUB E COMPARTILHANDO PROJETOS ACESSANDO O GITHUB E COMPARTILHANDO PROJETOS O QUE É O GITHUB : O GitHub é uma plataforma online colaborativa criada para fins de compartilhamento de códigos e projetos entre programadores que desejam

Leia mais

MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO DO SOFTWARE E COMUNIDADES DO PORTAL DO SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO. Em construção

MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO DO SOFTWARE E COMUNIDADES DO PORTAL DO SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO. Em construção MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO DO SOFTWARE E COMUNIDADES DO PORTAL DO SOFTWARE PÚBLICO BRASILEIRO Em construção Índice 1. Introdução 2. Cadastrar e Logar no Portal 3. Plataforma de redes Sociais Noosfero 3.1.

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Se ainda tiver dúvidas entre em contato com a equipe de atendimento: Por telefone: 0800 642 3090 Por e-mail atendimento@oisolucoespraempresas.com.br Introdução... 3 1. O que é o programa Oi Backup Empresarial?...

Leia mais

Guia de administração. BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange. Versão: 4.1 Service pack: 4B

Guia de administração. BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange. Versão: 4.1 Service pack: 4B BlackBerry Professional Software para Microsoft Exchange Versão: 4.1 Service pack: 4B SWD-313211-0911044452-012 Conteúdo 1 Gerenciando contas de usuários... 7 Adicionar uma conta de usuário... 7 Adicionar

Leia mais

2. GERÊNCIA DE CONFIGURAÇÃO DE SOTWARE

2. GERÊNCIA DE CONFIGURAÇÃO DE SOTWARE 1. INTRODUÇÃO Constata se, atualmente, que organizações voltadas ao desenvolvimento de software, buscam alavancar seus níveis de competitividade, uma vez que o mercado de desenvolvimento de software apresenta

Leia mais

PLATAFORMA DE DESENVOLVIMENTO PINHÃO PARANÁ MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO CVS NO ECLIPSE

PLATAFORMA DE DESENVOLVIMENTO PINHÃO PARANÁ MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO CVS NO ECLIPSE PLATAFORMA DE DESENVOLVIMENTO PINHÃO PARANÁ MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO CVS NO ECLIPSE Agosto 2007 Sumário de Informações do Documento Tipo do Documento: Manual Título do Documento: MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO

Leia mais

Controle de Versão com GIT

Controle de Versão com GIT Controle de Versão com GIT Túlio Toffolo tulio@toffolo.com.br http://www.toffolo.com.br Conteúdo Extra Algoritmos e Estruturas de Dados História do GIT Linus usa BitKeeper para gerenciar o código de suas

Leia mais

Estratégia para fazer cópias de segurança ( backup ) em nuvem

Estratégia para fazer cópias de segurança ( backup ) em nuvem 1 de 20 Estratégia para fazer cópias de segurança ( backup ) em nuvem Resolvi documentar uma solução que encontrei para fazer minhas cópias de segurança. Utilizo um software gratuito chamado Cobian Backup

Leia mais

LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1

LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1 LISTA DE COMANDOS DO LINUX 1 Comandos para manipulação de diretório 1. ls Lista os arquivos de um diretório. 2. cd Entra em um diretório. Você precisa ter a permissão de execução para entrar no diretório.

Leia mais

Manual do Ambiente Moodle para Alunos

Manual do Ambiente Moodle para Alunos UNIVERSIDADE FEDERAL DA FRONTEIRA SUL Manual do Ambiente Moodle para Alunos Versão 1.0b Setembro/2011 Direitos Autorais: Essa apostila está licenciada sob uma Licença Creative Commons 3.0 Atribuição de

Leia mais

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO

1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO 1 ÍNDICE 1 REQUISITOS BÁSICOS PARA INSTALAR O SMS PC REMOTO... 3 1.1 REQUISITOS BASICOS DE SOFTWARE... 3 1.2 REQUISITOS BASICOS DE HARDWARE... 3 2 EXECUTANDO O INSTALADOR... 3 2.1 PASSO 01... 3 2.2 PASSO

Leia mais

Guia do Usuário do Gateway do Avigilon Control Center. Versão 5.4.2

Guia do Usuário do Gateway do Avigilon Control Center. Versão 5.4.2 Guia do Usuário do Gateway do Avigilon Control Center Versão 5.4.2 2006-2014 Avigilon Corporation. Todos os direitos reservados. A menos que seja expressamente concedido por escrito, nenhuma licença é

Leia mais

Spam Manager. Guia do Administrador da Quarentena

Spam Manager. Guia do Administrador da Quarentena Spam Manager Guia do Administrador da Quarentena Guia do Administrador da Quarentena do Spam Manager Versão da documentação: 1.0 Avisos legais Avisos legais Copyright Symantec Corporation 2013. Todos os

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CERCOMP (CENTRO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS) TUTORIAL DE USO DO WEBMAIL - UFG

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CERCOMP (CENTRO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS) TUTORIAL DE USO DO WEBMAIL - UFG UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CERCOMP (CENTRO DE RECURSOS COMPUTACIONAIS) TUTORIAL DE USO DO WEBMAIL - UFG Página 1 de 26 Sumário Introdução...3 Layout do Webmail...4 Zimbra: Nível Intermediário...5 Fazer

Leia mais

Seu manual do usuário BLACKBERRY INTERNET SERVICE http://pt.yourpdfguides.com/dref/1117388

Seu manual do usuário BLACKBERRY INTERNET SERVICE http://pt.yourpdfguides.com/dref/1117388 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para BLACKBERRY INTERNET SERVICE. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a

Leia mais

BlackBerry Desktop Software. Versão: 7.1. Guia do usuário

BlackBerry Desktop Software. Versão: 7.1. Guia do usuário BlackBerry Desktop Software Versão: 7.1 Guia do usuário Publicado: 2012-06-05 SWD-20120605130141061 Conteúdo Aspectos básicos... 7 Sobre o BlackBerry Desktop Software... 7 Configurar seu smartphone com

Leia mais

Parte 5 - Criação de cursos à distância no Modelo Fechado

Parte 5 - Criação de cursos à distância no Modelo Fechado Parte 5 - Criação de cursos à distância no Modelo Fechado Neste capítulo iremos estudar como montar um curso à distância que, embora acessível via a Internet, tenha acesso controlado. Para isto, teremos

Leia mais

Neste tutorial apresentarei o serviço DFS Distributed File System. Veremos quais as vantagens

Neste tutorial apresentarei o serviço DFS Distributed File System. Veremos quais as vantagens Neste tutorial apresentarei o serviço DFS Distributed File System. Veremos quais as vantagens em utilizar este serviço para facilitar a administração de pastas compartilhadas em uma rede de computadores.

Leia mais

Instalação do VOL Backup para Desktops

Instalação do VOL Backup para Desktops Este é o guia de instalação e configuração da ferramenta VOL Backup para desktops. Deve ser seguido caso você queira instalar ou reinstalar o VOL Backup em sistemas Windows 2000, XP, Vista ou 7, 32 ou

Leia mais

Novell. Novell Teaming 1.0. novdocx (pt-br) 6 April 2007 EXPLORAR O PORTLET BEM-VINDO DESCUBRA SEU CAMINHO USANDO O NOVELL TEAMING NAVIGATOR

Novell. Novell Teaming 1.0. novdocx (pt-br) 6 April 2007 EXPLORAR O PORTLET BEM-VINDO DESCUBRA SEU CAMINHO USANDO O NOVELL TEAMING NAVIGATOR Novell Teaming - Guia de início rápido Novell Teaming 1.0 Julho de 2007 INTRODUÇÃO RÁPIDA www.novell.com Novell Teaming O termo Novell Teaming neste documento se aplica a todas as versões do Novell Teaming,

Leia mais

Sumário INTRODUÇÃO... 3. 1. Acesso ao Ambiente do Aluno... 4. 2. Ferramentas e Configurações... 5. 2.1 Ver Perfil... 5. 2.2 Modificar Perfil...

Sumário INTRODUÇÃO... 3. 1. Acesso ao Ambiente do Aluno... 4. 2. Ferramentas e Configurações... 5. 2.1 Ver Perfil... 5. 2.2 Modificar Perfil... Sumário INTRODUÇÃO... 3 1. Acesso ao Ambiente do Aluno... 4 2. Ferramentas e Configurações... 5 2.1 Ver Perfil... 5 2.2 Modificar Perfil... 6 2.3 Alterar Senha... 11 2.4 Mensagens... 11 2.4.1 Mandando

Leia mais

BlackBerry Internet Service. Versão: 4.5.1. Guia do usuário

BlackBerry Internet Service. Versão: 4.5.1. Guia do usuário BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1 Guia do usuário Publicado: 09/01/2014 SWD-20140109134951622 Conteúdo 1 Primeiros passos... 7 Sobre os planos de serviço de mensagens oferecidos para o BlackBerry

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS APLICATIVOS HÍBRIDOS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS APLICATIVOS HÍBRIDOS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS APLICATIVOS HÍBRIDOS Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza ROTEIRO Introdução PhoneGap PhoneGap Build GitHub INTRODUÇÃO Aplicativos nativos É

Leia mais

Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação.

Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação. Julgue os itens a seguir referentes a conceitos de software livre e licenças de uso, distribuição e modificação. 1.Todo software livre deve ser desenvolvido para uso por pessoa física em ambiente com sistema

Leia mais

CURSOS A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO

CURSOS A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO CURSOS A DISTÂNCIA UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO TUTORIAL PARA TUTORES PLATAFORMA MOODLE OURO PRETO 2014 1 SUMÁRIO 1. PRIMEIRO ACESSO À PLATAFORMA... 03 2. PLATAFORMA DO CURSO... 07 2.1 Barra de Navegação...

Leia mais

Instalando e Ativando o Smaart 7

Instalando e Ativando o Smaart 7 Instalando e Ativando o Smaart 7 A Instalação do Smaart 7 da Rational Acoustics consiste em instalar o software e depois registrar e ativar a sua instalação. Abaixo explicaremos estes passos. Instalação

Leia mais

Norton Internet Security Guia do Usuário

Norton Internet Security Guia do Usuário Guia do Usuário Norton Internet Security Guia do Usuário O software descrito neste guia é fornecido sob um contrato de licença e pode ser usado somente conforme os termos do contrato. Documentação versão

Leia mais

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux

SOFTWARE LIVRE. Distribuições Live CD. Kernel. Distribuição Linux SOFTWARE LIVRE A liberdade de executar o programa, para qualquer propósito. A liberdade de estudar como o programa funciona, e adaptá-lo para as suas necessidades. Acesso ao código-fonte é um pré-requisito

Leia mais

Manual do Usuário Microsoft Apps for Symbian

Manual do Usuário Microsoft Apps for Symbian Manual do Usuário Microsoft Apps for Symbian Edição 1.0 2 Sobre os aplicativos da Microsoft Sobre os aplicativos da Microsoft Os aplicativos Microsoft oferecem aplicativos corporativos Microsoft para o

Leia mais

Evolução do Portal do Software Público Brasileiro:

Evolução do Portal do Software Público Brasileiro: Evolução do Portal do Software Público Brasileiro: pesquisa e desenvolvimento para uma nova geração integrada de plataformas abertas e colaborativas Workow da nova plataforma "Portal do Software Público

Leia mais

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS - APLICATIVOS HÍBRIDOS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS - APLICATIVOS HÍBRIDOS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza PROGRAMAÇÃO PARA DISPOSITIVOS MÓVEIS - APLICATIVOS HÍBRIDOS Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza ROTEIRO Introdução PhoneGap PhoneGap Build GitHub INTRODUÇÃO Aplicativos nativos

Leia mais

Guia de Inicialização para o Windows

Guia de Inicialização para o Windows Intralinks VIA Versão 2.0 Guia de Inicialização para o Windows Suporte 24/7/365 da Intralinks EUA: +1 212 543 7800 Reino Unido: +44 (0) 20 7623 8500 Consulte a página de logon da Intralinks para obter

Leia mais

Sistemas Enturma: Manual de Ferramentas do Usuário

Sistemas Enturma: Manual de Ferramentas do Usuário versão do manual: 1 1 Apresentação A evolução da tecnologia vem provocando uma revolução no ensino. O acesso à Internet e a disseminação do uso do computador vêm mudando a forma de produzir, armazenar

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 5 - Iniciando o modo texto. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática

Sistema Operacional Unidade 5 - Iniciando o modo texto. QI ESCOLAS E FACULDADES Curso Técnico em Informática Sistema Operacional Unidade 5 - Iniciando o modo texto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 OPERANDO EM MODO TEXTO... 3 Abrindo o terminal... 3 Sobre o aplicativo Terminal... 3 AS CORES

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ. Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM. Manual

UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ. Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM. Manual UNIVERSIDADE TECNOLOGIA FEDERAL DO PARANÁ Owncloud SERVIÇO DE COMPARTILHAMENTO EM NUVEM Manual DIRETORIA DE GESTÃO DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DIRGTI 2015 Sumário 1. Introdução... 3 2. Acessando o serviço...

Leia mais

O sistema operacional recomendado deve ser o Windows 2003, Windows 2000 ou Windows XP (nessa ordem de recomendação).

O sistema operacional recomendado deve ser o Windows 2003, Windows 2000 ou Windows XP (nessa ordem de recomendação). Módulo Nota Fiscal Eletrônica Sispetro Roteiro de Instalação Módulo Autenticador NFE Pré-Requisitos O sistema operacional recomendado deve ser o Windows 2003, Windows 2000 ou Windows XP (nessa ordem de

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do

Leia mais

Guia de Usuário do Gateway do Avigilon Control Center. Versão 5.6

Guia de Usuário do Gateway do Avigilon Control Center. Versão 5.6 Guia de Usuário do Gateway do Avigilon Control Center Versão 5.6 2006-2015 Avigilon Corporation. Todos os direitos reservados. A menos que seja expressamente concedida por escrito, nenhuma licença será

Leia mais

Instalação e Configuração do AD DS no Windows Server 2012 R2 INSTALAÇÃO DO SERVIÇOS DE DOMÍNIO DO ACTIVE DIRECTORY (AD DS)

Instalação e Configuração do AD DS no Windows Server 2012 R2 INSTALAÇÃO DO SERVIÇOS DE DOMÍNIO DO ACTIVE DIRECTORY (AD DS) Instalação e Configuração do AD DS no Windows Server 2012 R2 Sumário... 2 Criando as Unidades Organizacionais... 16 Criando Grupos... 17 Criação de Usuários.... 20 Habilitando a Lixeira do AD DS.... 24

Leia mais

Manual do Usuário Microsoft Apps

Manual do Usuário Microsoft Apps Manual do Usuário Microsoft Apps Edição 1 2 Sobre os aplicativos da Microsoft Sobre os aplicativos da Microsoft Os aplicativos da Microsoft oferecem aplicativos para negócios para o seu telefone Nokia

Leia mais

Guia do Produto Revisão A. Software Cliente do McAfee Secure Web Mail 7.0.0

Guia do Produto Revisão A. Software Cliente do McAfee Secure Web Mail 7.0.0 Guia do Produto Revisão A Software Cliente do McAfee Secure Web Mail 7.0.0 COPYRIGHT Copyright 2011 McAfee, Inc. Todos os direitos reservados. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida, transmitida,

Leia mais

MIGRANDO PARA ZIM 8.50 (UNIX/WINDOWS)

MIGRANDO PARA ZIM 8.50 (UNIX/WINDOWS) ZIM TECHNOLOGIES DO BRASIL MIGRANDO PARA ZIM 8.50 (UNIX/WINDOWS) Próx Antes de Iniciar O objetivo deste documento é apresentar o processo de Migração para o Zim 8.50 (UNIX/Windows). Para maiores informações

Leia mais

Certificado Digital A1

Certificado Digital A1 Certificado Digital A1 Geração Todos os direitos reservados. Imprensa Oficial do Estado S.A. - 2012 Página 1 de 41 Pré-requisitos para a geração Dispositivos de Certificação Digital Para que o processo

Leia mais

ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS. 10.0.0.0 até 10.255.255.255 172.16.0.0 até 172.31.255.255 192.168.0.0 até 192.168.255.255. Kernel

ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS. 10.0.0.0 até 10.255.255.255 172.16.0.0 até 172.31.255.255 192.168.0.0 até 192.168.255.255. Kernel ENDEREÇOS DE REDE PRIVADOS Foram reservados intervalos de endereços IP para serem utilizados exclusivamente em redes privadas, como é o caso das redes locais e Intranets. Esses endereços não devem ser

Leia mais

NOMES: Leonardo Claro Diego Lage Charles Tancredo Márcio Castro

NOMES: Leonardo Claro Diego Lage Charles Tancredo Márcio Castro NOMES: Leonardo Claro Diego Lage Charles Tancredo Márcio Castro O MySQL Cluster é versão do MySQL adaptada para um ambiente de computação distribuída, provendo alta disponibilidade e alta redundância utilizando

Leia mais

INTRODUÇÃO. A SKA preparou este documento técnico com o objetivo de auxiliar seus clientes a realizar a instalação do SolidWorks 2010.

INTRODUÇÃO. A SKA preparou este documento técnico com o objetivo de auxiliar seus clientes a realizar a instalação do SolidWorks 2010. Guia de Instalação do SolidWorks 2010 INTRODUÇÃO A SKA preparou este documento técnico com o objetivo de auxiliar seus clientes a realizar a instalação do SolidWorks 2010. O SolidWorks pode ser instalado

Leia mais

Lazarus pelo SVN Linux/Windows

Lazarus pelo SVN Linux/Windows Lazarus pelo SVN Linux/Windows Sei que não faltam artigos sobre como obter e compilar o Lazarus e o FPC pelo SVN, mas sei também que nunca é de mais divulgar um pouco mais e talvez escrever algo diferente.

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM HYPER-V 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep

Leia mais

INTRODUÇÃO. A SKA preparou este documento técnico com o objetivo de auxiliar seus clientes a realizar a instalação do SolidWorks 2009.

INTRODUÇÃO. A SKA preparou este documento técnico com o objetivo de auxiliar seus clientes a realizar a instalação do SolidWorks 2009. Guia de Instalação do SolidWorks 2009 INTRODUÇÃO A SKA preparou este documento técnico com o objetivo de auxiliar seus clientes a realizar a instalação do SolidWorks 2009. O SolidWorks pode ser instalado

Leia mais

Usando o Outlook MP Geral

Usando o Outlook MP Geral Usando o Outlook MP Geral Este guia descreve o uso do Outlook MP. Este guia é baseado no uso do Outlook MP em um PC executando o Windows 7. O Outlook MP pode ser usado em qualquer tipo de computador e

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de resposta do ponto de extremidade do URL. url_response série 4.1

CA Nimsoft Monitor. Guia do Probe Monitoramento de resposta do ponto de extremidade do URL. url_response série 4.1 CA Nimsoft Monitor Guia do Probe Monitoramento de resposta do ponto de extremidade do URL url_response série 4.1 Aviso de copyright do CA Nimsoft Monitor Este sistema de ajuda online (o Sistema ) destina-se

Leia mais

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG

Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Manual de Instalação: Agente do OCS Inventory NG Abril 2013 Sumário 1. Agente... 1 2. Onde instalar... 1 3. Etapas da Instalação do Agente... 1 a. Etapa de Instalação do Agente... 1 b. Etapa de Inserção

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO. Plataforma Windows. Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes da Silva, Tiago França Melo de Lima

GUIA DE INSTALAÇÃO. Plataforma Windows. Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes da Silva, Tiago França Melo de Lima Laboratório de Engenharia e Desenvolvimento de Sistemas LEDS/UFOP Universidade Federal de Ouro Preto UFOP GUIA DE INSTALAÇÃO Plataforma Windows Relatório Técnico Versão 0.1 (201305032030) Leandro Gomes

Leia mais

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos

Partição Partição primária: Partição estendida: Discos básicos e dinâmicos Partição Parte de um disco físico que funciona como se fosse um disco fisicamente separado. Depois de criar uma partição, você deve formatá-la e atribuir-lhe uma letra de unidade antes de armazenar dados

Leia mais

Usar FTK Imager para gerar evidências, exportar arquivos de evidências, criar imagens forenses e converter imagens existentes.

Usar FTK Imager para gerar evidências, exportar arquivos de evidências, criar imagens forenses e converter imagens existentes. AccessData BootCamp Forensic Toolkit, FTK Imager, Password Recovery Toolkit and Registry Viewer O curso AccessData BootCamp fornece conhecimento e habilidade necessária para instalar, configurar e o uso

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX NETDEEP SECURE COM VIRTUAL BOX 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do seu firewall Netdeep Secure em um

Leia mais

Guia do Usuário do Avigilon Control Center Server

Guia do Usuário do Avigilon Control Center Server Guia do Usuário do Avigilon Control Center Server Versão 4.10 PDF-SERVER-D-Rev1_PT Copyright 2011 Avigilon. Todos os direitos reservados. As informações apresentadas estão sujeitas a modificação sem aviso

Leia mais

Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04

Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04 Tutorial para Instalação do Ubuntu Server 10.04 Autor: Alexandre F. Ultrago E-mail: ultrago@hotmail.com 1 Infraestrutura da rede Instalação Ativando o usuário root Instalação do Webmin Acessando o Webmin

Leia mais

COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD

COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD COORDENAÇÃO DE ENSINO A DISTÂNCIA - EaD TUTORIAL MOODLE VERSÃO ALUNO Machado/MG 2013 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 4 2. EDITANDO O PERFIL... 5 2.1 Como editar o perfil?... 5 2.2 Como mudar a senha?... 5 2.3

Leia mais

MDaemon GroupWare. Versão 1 Manual do Usuário. plugin para o Microsoft Outlook. Trabalhe em Equipe Usando o Outlook e o MDaemon

MDaemon GroupWare. Versão 1 Manual do Usuário. plugin para o Microsoft Outlook. Trabalhe em Equipe Usando o Outlook e o MDaemon MDaemon GroupWare plugin para o Microsoft Outlook Trabalhe em Equipe Usando o Outlook e o MDaemon Versão 1 Manual do Usuário MDaemon GroupWare Plugin for Microsoft Outlook Conteúdo 2003 Alt-N Technologies.

Leia mais

MANUAL E DICAS ASSISTENTE VIRTUAL (AV) ADS DIGITAL (WWW.ADSDIGITAL.COM.BR) VERSÃO DO ASSISTENTE VIRTUAL: 1.3.1 POR

MANUAL E DICAS ASSISTENTE VIRTUAL (AV) ADS DIGITAL (WWW.ADSDIGITAL.COM.BR) VERSÃO DO ASSISTENTE VIRTUAL: 1.3.1 POR MANUAL E DICAS DO ASSISTENTE VIRTUAL (AV) POR ADS DIGITAL (WWW.ADSDIGITAL.COM.BR) VERSÃO DO ASSISTENTE VIRTUAL: 1.3.1 ÍNDICE Introdução...3 Requisitos e Restrições do Assistente...3 Diferenças da Versão

Leia mais

Guia do Usuário do Servidor do Avigilon Control Center

Guia do Usuário do Servidor do Avigilon Control Center Guia do Usuário do Servidor do Avigilon Control Center Versão 5.0.2 PDF-SERVER5-A-Rev2_PT Copyright 2013 Avigilon. Todos os direitos reservados. A informação apresentada está sujeita a alteração sem aviso

Leia mais

Capítulo 1: Introdução...3

Capítulo 1: Introdução...3 F-Secure Anti-Virus for Mac 2014 Conteúdo 2 Conteúdo Capítulo 1: Introdução...3 1.1 O que fazer após a instalação...4 1.1.1 Gerenciar assinatura...4 1.1.2 Abrir o produto...4 1.2 Como me certificar de

Leia mais

Andarta - Guia de Instalação. Guia de Instalação

Andarta - Guia de Instalação. Guia de Instalação Guia de Instalação 29 de setembro de 2010 1 Sumário Introdução... 3 Os Módulos do Andarta... 4 Instalação por módulo... 6 Módulo Andarta Server... 6 Módulo Reporter... 8 Módulo Agent... 9 Instalação individual...

Leia mais

Guia do Calc. Capítulo 11 Compartilhando e Revisando Documentos

Guia do Calc. Capítulo 11 Compartilhando e Revisando Documentos Guia do Calc Capítulo 11 Compartilhando e Revisando Documentos Direitos Autorais Este documento é protegido por Copyright 2010 por seus contribuidores listados abaixo. Você pode distribuir e/ou modificar

Leia mais

XXIV SEMANA MATEMÁTICA

XXIV SEMANA MATEMÁTICA XXIV SEMANA ACADÊMICA DA MATEMÁTICA Minicurso: Criação e Desenvolvimento de Cursos Online via Moodle Projeto de Extensão: Uma Articulação entre a Matemática e a Informática como Instrumento para a Cidadania

Leia mais

Introdução aos Projectos

Introdução aos Projectos Introdução aos Projectos Categoria Novos Usuários Tempo necessário 20 minutos Arquivo Tutorial Usado Iniciar um novo arquivo de projeto Este exercício explica a finalidade ea função do arquivo de projeto

Leia mais

administração Guia de BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1

administração Guia de BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1 BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1 Guia de administração Publicado: 16/01/2014 SWD-20140116140606218 Conteúdo 1 Primeiros passos... 6 Disponibilidade de recursos administrativos... 6 Disponibilidade

Leia mais

Copyright 2015 Mandic Cloud Solutions - Somos Especialistas em Cloud. www.mandic.com.br

Copyright 2015 Mandic Cloud Solutions - Somos Especialistas em Cloud. www.mandic.com.br Sumário 1. Boas vindas... 4 2. Dashboard... 4 3. Cloud... 5 3.1 Servidores... 5 o Contratar Novo Servidor... 5 o Detalhes do Servidor... 9 3.2 Cloud Backup... 13 o Alteração de quota... 13 o Senha do agente...

Leia mais

Avaya DEFINITY Servers, Avaya S8100, S8300, e S8700 Media Servers 555-233-830 Edição 2

Avaya DEFINITY Servers, Avaya S8100, S8300, e S8700 Media Servers 555-233-830 Edição 2 0 Visão geral Propósito Esta introdução contém informações gerais e dicas sobre como usar o seu CD-ROM da Avaya. Facilidades Essa oferta é direcionada para todos os usuários que quiserem ter acesso à documentação

Leia mais

Apresentação. Estamos à disposição para quaisquer dúvidas e sugestões! Atenciosamente, Equipe do Portal UNESC

Apresentação. Estamos à disposição para quaisquer dúvidas e sugestões! Atenciosamente, Equipe do Portal UNESC Sumário Apresentação... 1 1. Orientações Iniciais... 2 2. Recursos... 4 2.1 Rótulos... 4 2.2 Página de Texto Simples... 8 2.3 Página de Texto Formatado... 12 2.4 Site... 16 2.5 Arquivo... 21 2.6 Pasta

Leia mais

Por: Rafael Nink de Carvalho www.linuxeducacional.com www.rafaelnink.com

Por: Rafael Nink de Carvalho www.linuxeducacional.com www.rafaelnink.com L I N2 U0 X0 9 Manual de Instalação do Linux Educacional 3.0 Por: Rafael Nink de Carvalho ü Configurando o SETUP do computador ü Rodando a versão Live CD ü Instalando o Linux www.linuxeducacional.com Educacional

Leia mais

Manual da Ferramenta Metadata Editor

Manual da Ferramenta Metadata Editor 4 de março de 2010 Sumário 1 Introdução 3 2 Objetivos 3 3 Visão Geral 3 3.1 Instalação............................. 3 3.2 Legenda.............................. 4 3.3 Configuração Inicial........................

Leia mais

SUAP MÓDULO PROTOCOLO SUAP MÓDULO PROTOCOLO MANUAL DO USUÁRIO

SUAP MÓDULO PROTOCOLO SUAP MÓDULO PROTOCOLO MANUAL DO USUÁRIO MANUAL DO USUÁRIO Versão 1.0 2010 1 1. INTRODUÇÃO Administradores públicos defrontam-se diariamente com grandes dificuldades para fazer com que processos administrativos, documentos, pareceres e informações

Leia mais

Novell Vibe 3.4. Novell. 1º de julho de 2013. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos

Novell Vibe 3.4. Novell. 1º de julho de 2013. Inicialização Rápida. Iniciando o Novell Vibe. Conhecendo a interface do Novell Vibe e seus recursos Novell Vibe 3.4 1º de julho de 2013 Novell Inicialização Rápida Quando você começa a usar o Novell Vibe, a primeira coisa a se fazer é configurar sua área de trabalho pessoal e criar uma área de trabalho

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

IBM Connections Plug-In for Microsoft Outlook Ajuda da Instalação

IBM Connections Plug-In for Microsoft Outlook Ajuda da Instalação IBM Connections Versão 4.5 IBM Connections Plug-In for Microsoft Outlook Ajuda da Instalação Aviso da Edição Nota: Antes de usar estas informações e o produto suportado por elas, leia as informações em

Leia mais

Linux. Educacional. Tutorial Buzzword

Linux. Educacional. Tutorial Buzzword Linux Educacional Tutorial Buzzword Para trabalhar com o programa Buzzword online, é necessário que crie uma conta no site. Para isso acesse o endereço - https://buzzword.acrobat.com/ Para criar uma conta

Leia mais

O aplicativo de desktop Novell Filr é compatível com as seguintes versões do sistema operacional Windows:

O aplicativo de desktop Novell Filr é compatível com as seguintes versões do sistema operacional Windows: Readme do aplicativo de desktop Novell Filr Abril de 2015 1 Visão geral do produto O aplicativo de desktop Novell Filr permite que você sincronize os seus arquivos do Novell Filr com o sistema de arquivos

Leia mais

EDITORA FERREIRA MP/RJ_EXERCÍCIOS 01

EDITORA FERREIRA MP/RJ_EXERCÍCIOS 01 EDITORA FERREIRA MP/RJ NCE EXERCÍCIOS 01 GABARITO COMENTADO 01 Ao se arrastar um arquivo da pasta C:\DADOS para a pasta D:\TEXTOS utilizando se o botão esquerdo do mouse no Windows Explorer: (A) o arquivo

Leia mais

CSAU 10.0. Guia: Manual do CSAU 10.0 como implementar e utilizar.

CSAU 10.0. Guia: Manual do CSAU 10.0 como implementar e utilizar. CSAU 10.0 Guia: Manual do CSAU 10.0 como implementar e utilizar. Data do Documento: Janeiro de 2012 Sumário 1. Sobre o manual do CSAU... 3 2. Interface do CSAU 10.0... 4 2.1. Início... 4 2.2. Update...

Leia mais