BM&FBOVESPA. 13 de maio de 2009

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "BM&FBOVESPA. 13 de maio de 2009"

Transcrição

1 BM&FBOVESPA Resultados do 1º Trimestre e de de maio de

2 Considerações Iniciais Esta apresentação pode conter certas declarações que expressam expectativas, crenças e previsões da administração sobre eventos ou resultados futuros. Tais declarações não são dados históricos, estando baseadas em dados competitivos, financeiros e econômicos disponíveis no momento e em projeções atuais acerca da indústria na qual a BM&F BOVESPA se insere. Os verbos antecipar, acreditar, estimar, esperar, prever, planejar, projetar, almejar e outros verbos similares têm a intenção de identificar estas declarações, as quais envolvem riscos e incertezas que podem resultar em diferenças materiais entre os dados atuais e as projeções desta apresentação e não garantem qualquer desempenho futuro da BM&F BOVESPA. Os fatores que podem afetar o desempenho incluem, mas não estão limitados a: (i) aceitação pelo mercado dos serviços prestado pela BM&F BOVESPA; (ii) volatilidade relacionada (a) à economia e ao mercado de valores mobiliários brasileiros e (b) à indústria altamente competitiva na qual a BM&F BOVESPA opera; (iii) alterações (a) na legislação e tributação nacional e estrangeira e (b) nas políticas governamentais relacionadas aos mercados financeiros e de valores mobiliários; (iv) crescimento da competição, com novos participantes nos mercados brasileiros; (v) habilidade em adaptar-se às rápidas mudanças no ambiente tecnológico, incluindo a implementação de funcionalidades otimizadas requeridas pelos clientes da BM&F BOVESPA; (vi) habilidade em manter um processo contínuo de introdução de competitivos novos produtos e serviços enquanto mantém a competitividade dos já existentes; (vii) habilidade em atrair novos clientes nas jurisdições nacional e estrangeira; (viii) habilidade em expandir a oferta de produtos da BM&F BOVESPA em jurisdições estrangeiras. Todas as declarações nesta apresentação são baseadas em informações e dados disponíveis na data em que foram feitas, a BM&F BOVESPA não se obriga a atualizá-las com base em novas informações ou desenvolvimentos futuros. Esta apresentação não se constitui em uma oferta de venda nem em uma solicitação de compra de qualquer valor mobiliário; tampouco deve haver qualquer venda de valor mobiliário onde tal oferta ou venda pudesse ser ilegal antes de registro ou qualificação de acordo com lei de valores mobiliários. Nenhuma oferta deve ser feita à exceção de um prospecto que atenda os requisitos da Instrução CVM 400 de 2003 e suas alterações. 2 2

3 Destaques do 1T09 (1T08 Pro Forma) RESULTADOS DO 1T09 LPA: R$ 0,11 comparado com R$ 0,11 no 1T08 (Pro forma) Lucro Líquido / Lucro Líquido Ajustado* (R$ milhões) -1,4% 12,2% Receita Líquida: queda de 20,1% em relação ao 1T08 Margem EBITDA: 55,8% no 1T09 (margem EBITDA Ajustada de 67,5%) vs. 68,5% no 1T08 Redução de despesas: queda de 17,4% entre o 1T08 e o 1T09 (excluindo os impactos da depreciação, custos de rescisão e do Plano de Opções) DESTAQUES Evolução do DMA no Segmento BM&F: em abril/09 o DMA foi responsável por 6,7% do volume total do segmento Globex e Algotraders: fluxo de ordens via Globex começou a crescer em Mar/09 e em Abril/09 o volume médio diário atingiu 13,6 mil; os Algotraders representaram 0,3% do volume total e 0,6% dos contratos de câmbio no 1T09 EBITDA / EBITDA Ajustado* (R$ milhões) 68,5% 68,5% 67,5% 55,8% -34,8% -21,3% Despesas / Despesas Ajustadas** (R$ milhões) Investidor Estrangeiro: fluxo positivo no 1T09 de R$ 1,3 bilhão, o mais alto em um ano, e R$ 5,7 bilhões em Abril Mega Bolsa: nova versão (V900) lançada em 28 de Abril reduzirá a latência em 41% 12,2% -17,4% Juros sobre o capital próprio: R$ 112 milhões a ser pago em Mai/09 * Lucro Líquido Ajustado e EBITDA Ajustado excluem custos de rescisão e do plano de stock options. ** Despesas ajustadas exclui depreciação e custos de rescisão do plano de stock options. 3 3

4 Sumário da Demonstração de Resultado Milhões de reais 1T09 1T08 Variação (Pro Forma) 1T09/1T08 Receita operacional bruta ,2% Receita operacional liquida ,1% Despesas operacionais ( ) ( ) 12,2% Resultado operacional ,3% Margem Operacional 53,0% 66,5% 13.5 p.p. Lucro líquido do período ,4% 14% Margem Líquida 71,7% 58,1% 13.6 p.p. EBITDA ,8% Margem EBITDA 55,8% 68,5% 12.7 p.p. Lucro por Ação 0,113 0,115 1,4% Lucro líquido ajustado ,2% Margem líquida ajustada 81,6% 58,1% 23.5 p.p. EBITDA ajustado ,3% Margem EBITDA ajustada 67,5% 68,5% 1.0 p.p. Receitas: a comparação entre o 1T08 e o 1T09 demonstra queda de 20,2%, principalmente devido à queda dos volumes negociados em ambos segmentos Despesas Operacionais Ajustadas: queda de 17,4% no 1T09 em relação ao 1T08 devido à redução de custos promovida no processo de integração Lucro Líquido Ajustado: no 1T09 os ajustes foram de R$ 31,4 milhões compostos por R$ 18,8 milhões das despesas com o Plano de Opções e R$ 12,6 milhões do impacto líquido de impostos dos custos com desligamento de funcionários. EBITDA Ajustado: no 1T09 os ajustes foram de R$ 36,8 milhões compostos por R$ 18,8 milhões das despesas com o Plano de Opções e R$ 18 milhões dos custos com desligamento de funcionários. 4 4

5 Receitas Composição das Receitas 1T09 1T09 1T08 Variação (Pro Forma) 1T09/1T08 Receita operacional bruta ,2% Segmento BM&F ,7% Derivativos neg. e/ou liq ,3% Câmbio neg. e/ou liq ,2% Ativos neg. e/ou liq ,9% Bolsa Brasileira de Mercadorias ,9% Banco ,5% Segmento Bovespa ,9% Neg. emolumentos de pregão ,8% Transações comp. e liq ,7% Emprést. de valores mobiliários ,2% Listagem de valores mobiliários ,1% Depositária, custódia e back office ,3% Acesso dos participantes de neg ,5% Outras receitas operacionais ,0% Vendors ,9% Tx. de classificação de mercadorias ,7% Dividendos Outras ,8% Receita operacional liquida ,1%, As receitas não ligadas ao trading aumentaram 16,5% no 1T09 (R$ 66,5 milhões) em relação ao 1T08 (R$ 57,1 milhões), decorrente principalmente de: Depositária: maior número de investidores (principalmente pessoas físicas), aumento de 12,3% Listagem: nova política de preços, aumento de 49,1% Acesso aos Sistemas de Negociação: implementação da política de acesso para corretoras,, aumento de 185,5% Vendors: maior número de usuários, aumento de 18,9% A participação das receitas não relacionadas à negociação e liquidação atingiu 18,9% no 1T09, enquanto no 1T08 foi de 13% 5 5

6 Margens Segmento BM&F - RPC (em R$) SEGMENTO BM&F -4.0% O RPC inferior do 1T09 deve-se à política de descontos vigente até 16/02/09 Segmento Bovespa (em Pontos Base) SEGMENTO BOVESPA A margem de negociação do mercado a vista manteve-se estável quando comparada ao 1T08 0.5% 6 6

7 Destaques Operacionais Segmento BM&F ADTV Total (milhares) Taxa de Juros em Reais (milhares) Taxa de Câmbio (milhares) Índices de Ações (milhares) * Até 8 de maio de

8 Destaques Operacionais Segmento BOVESPA Total ADTV (R$ milhões) Número Médio de Negócios (milhares) Número de Investidores (milhares) Turnover Velocity* (anualizado) * Até 11 de maio de ** Relação entre o volume negociado no mercado a vista e o valor de mercado das empresas listadas 8 8

9 Despesas Despesas Operacionais Ajustadas 1T09 1T09 1T08 Variação (Pro Forma) 1T09/1T08 Despesas operacionais ( ) ( ) 12,2% Pessoal (85.462) (54.968) 55,5% Processamento de dados (26.683) (35.567) 25,0% Depreciação e amortização (8.951) (7.777) 15,1% Serviços de terceiros (9.119) (9.228) 1,2% Manutenção em geral (2.826) (3.243) 12,9% Comunicações (4.991) (4.224) 18,2% Locações (825) (972) 15,1% Materiais de consumo (477) (516) 7,6% Promoção e divulgação (2.292) (7.153) 68,0% Impostos e taxas (495) (1.513) 67,3% Honorários do conselho (1.129) (2.036) 44,5% Diversas (5.510) (5.353) 2,9% Despesas Operacionais Ajustadas* ( ) ( ) 17,4% Pessoal Ajustado** (48.662) (54.968) 11,5% As despesas operacionais ajustadas do 1T09 (salvo impactos de depreciação, verbas rescisórias e custo do plano stock option) caíram 17,4% em relação ao 1T08 para R$ 103 milhões. A referida redução reflete as sinergias obtidas com a integração das duas companhias. As maiores quedas devem-se às seguintes linhas: Pessoal (ajustado): redução de 11,5% devido a cortes no quadro de funcionários; Processamento de dados: queda de 25%; Marketing: Queda de 68% * Excluindo depreciação, rescisões de pessoal e impactos do plano de stock options. ** Excluindo rescisões de pessoal e impactos do plano de stock options. 9 9

10 Processo de Integração Evolução Principais Iniciativas de redução de custo em 2009 Pregão: encerramento em Junho de 2009 Infra-estrutura: redução do número de prédios no centro de São Paulo (de 5 para 2) Filial: rearranjo das filiais remanescentes Quadro de Pessoal: finalizado em Março de 2009, redução de aproximadamente 30% do total de funcionários e terceiros. Despesas Operacionais Recorrentes (excluindo depreciação) no 1T09 foi de R$ 103,0 milhões Guidance das Despesas Operacionais i de R$ 450 milhões para o ano de 2009 (excluindo os impactos da depreciação e do plano de opções) * Despesas operacionais de 2007 ajustadas pela inflação. 10

11 Destaques financeiros Posição de Caixa: R$ 3.15 bilhões no final do ano (curto + longo prazos) Inclui recursos de terceiros de R$ 1,14 bilhão e R$ 610 milhões de recursos próprios Amortização do Ágio: R$ 245,5 milhões no 1T09 (impacto líquido de R$ 79,6 milhões) Taxa efetiva de imposto de 3,6% no 1T09 Proventos: distribuição de R$ 112 milhões em juros sobre capital próprio, equivalente a R$ 0,0559 por ação (valor líquido, já deduzido o imposto de renda na fonte, será de R$ 0,0475). Serão pagos em 29 de maio, tomando como base a posição acionária de 15 de maio de 2009 Programa de Recompra: até 71,3 milhões de ações. Programa encerrado conforme aprovação na RCA de 12 de maio de ,1% (45,7 milhões de ações) executado ao preço médio de R$ 5,85 Total de R$ 267,2 milhões Despesas de Leasing e Plano de Opções: Despesas sem impacto no caixa de R$ 19 milhões reconhecidas no 1T09 para ajustar a Demonstração dos Resultados ao novo padrão contábil, convergindo para o padrão IFRS 11

12 Novos Desenvolvimentos DMA e roteamento de ordens com a CME EVOLUÇÃO DMA Negócios realizados pelo DMA representaram 6,7% do total do Volume Médio Diário do Segmento BM&F em Abril de 2009 ROTEAMENTO DE ORDEM ACORDO COM A CME Group (GLOBEX) Fluxo inicial começou em Março 2009 e o Volume Médio Diário foi de 13,6 mil de contratos em Abril 2009 ALGOTRADERS NO SEGMENTO BM&F Os primeiros algotraders representaram 0,3% do volume geral no 1T09, sendo que em abril essa participação subiu para 0,5% do volume total e 1,8%do volume de contratos de taxas de câmbio. NOVOS ACORDOS Bloomberg Tradebook para o Segmento BM&F: Maio 2009 Thomson Reuters para o Segmento Bovespa: Agosto 2009 Evolução do DMA * Até 8 de maio de

13 Novos Desenvolvimentos Desenvolvimento Tecnológico SEGMENTO BM&F Maio Junho Conexão Bloomberg Tradebook ao Global Trading System (GTS) para fornecer aos clientes um sistema internacional de roteamento de ordens. GL Trade (GL Net) conectado ao GTS para fornecer aos clientes um sistema internacional de roteamento de ordens. Oferta de serviços de co-location (conectividade com o Sistema GTS) Fim do pregão viva-voz SEGMENTO BOVESPA Maio Implantação da nova versão do sistema eletrônico de negociação Mega Bolsa (V900) e redução de latência, atualmente estimada em 170 millisegundos, comparada anteriormente aos 290 millisegundos, que com a instalação da nova interface de comunicação externa do sistema (novo MultiGateway), prevista para julho de 2009, cairá para 15 millisegundos e nova redução de 8 millisegundos até dezembro de Redução do valor cobrado pelas ofertas inseridas no sistema eletrônico de negociação Mega Bolsa que não são fechadas, estimulando o desenvolvimento de algorithmic trading. 13

14 Novos Desenvolvimentos Desenvolvimento Tecnológico SEGMENTO BOVESPA Julho Agosto Autorização para funcionamento do modelo de acesso via provedor de DMA (Modelo DMA 2) no sistema Mega Bolsa (sujeito a aprovação da Comissão de Valores Mobiliários - CVM) Finalização do projeto de aumento da capacidade da clearing de renda variável (CBLC) para 1,5 milhão de negócios / dia Ofertas de serviços de co-location (conectividade ao sistema MegaBolsa) Conexão do sistema internacional de roteamento de ordens da Thomson Reuters ao Mega Bolsa para fornecer aos clientes sistema internacional de roteamento de ordens SEGMENTOS BM&F E BOVESPA Novembro Implatação de interface de comunicação externa integrada para Mega Bolsa e GTS permitindo o recebimento de market data ao Mega Bolsa e do GTS por meio de canal único. 14

15 Segmento Bovespa Segmento de Varejo Os investidores de varejo aumentaram sua participação no Volume Médio Diário da Bolsa em 33,5% no 1T09 se comparado aos 25,4% no 1T08. Negócios via Home Broker (DMA via internet para investidores de varejo) representaram 17,5% do total do volume negociado no 1T09 versus 11,1% no 1T08 Pessoas Físicas - % no volume total (1T09) Home Broker - % no volume total 15

16 Segmento Bovespa Fluxo de Investimento Estrangeiro No 1T09 o saldo do fluxo de investimento estrangeiro foi de R$ 1,3 bilhão,o melhor desde que o Brasil ganhou o grau de investimento (Maio 2008) Em Abril 2009, o saldo do fluxo de investimento estrangeiro foi de R$ 5,7 bilhões, o melhor mês desde Abril de

17 Nova Política de Preços Negociação BM&F: implantação da nova política de preços para o segmento BM&F baseada em volumes, com o objetivo de neutralidade quando comparada à Agosto de 2008: 16 de Fevereiro de 2009 Negociação BOVESPA e Serviços de Depositária Negociação: redução progressiva da taxa cobrada pela Clearing aos investidores de varejo e empresas privadas e públicas no mercado à vista em vigor a partir de 4 de Maio de 2009 Redução Progressiva: 0,0005% até Out 09; 0,0010% até Jan 10; 0,0015% a partir de Fev 2010 Depositária: adoção progressiva do percentual do sistema cobrado baseada em valores custodiados em vigor a partir de Maio 2009 Descontos Progressivos: 67% até Out 09; 33% até Jan 10; nova taxa completa da depositária a partir de Fev 2010 Empréstimo de Ações: rebate (5 pontos base) para os doadores, exceto para investidores não residentes: em vigor a partir de 4 Maio de 2009 Market Data: desde Abril 2009 acompanha preços internacionais 17

18 Resumo e Perspectivas Captura de sinergias: redução no número de pessoal e na infra-estrutura, rearranjo nas filiais remanescentes e fim do pregão viva-voz Baixa taxa efetiva de impostos por conta da amortização de ágio Mudanças graduais nas receitas: aumento das fontes não ligadas à negociação Resultados iniciais de novos produtos lançados nos últimos meses, tais como o DMA/GLOBEX com a atração de algorithmic traders no segmento BM&F e os ETFs Fluxo líquido de investimento estrangeiro no segmento Bovespa positivo Ibovespa subiu 35,8% (até 11 de maio) refletindo a recuperação no nível de preços das ações Elevação nos volumes de abril/09 e início de maio/09 em ambos os segmentos 18

19 APÊNDICE 19

20 R$ mil Demonstração de Resultados 1T09 vs 1T08 (Pro Forma) 1T09 1T08 Variação (Pro Forma) 1T09/1T08 Receita operacional lbruta ,2% Sist. de neg. e/ou liq. BM&F ,7% Sist. de neg. e/ou liq. Bovespa ,9% Outras receitas operacionais ,0% Deduções da receita (35.370) 370) (44.888) 21,2% 2% Receita operacional liquida ,1% Despesas operacionais ( ) ( ) 12,2% Resultado operacional ,3% Margem Operacional 53,0% 66,5% 13.5 p.p. Resultado financeiro ,8% Resultado antes da tributação sobre o lucro ,0% Imposto de renda e contribuição social (8.372) ( ) 92,5% Participação minoritária (295) ,3% Lucro líquido do período ,4% Margem Líquida 71,7% 58,1% 13.6 p.p. EBITDA ,8% Margem EBITDA 55,8% 68,5% 12.7 p.p. Lucro por Ação 0,113 0,115 1,4% Lucro líquido ajustado ,2% Margem líquida ajustada 81,6% 58,1% 23.5 p.p. EBITDA ajustado ,3% Margem EBITDA ajustada 67,5% 68,5% 1.0 p.p. 20

21 Balanço Patrimonial 31/03/2009 R$ mil ATIVO PASSIVO Circulante Circulante Caixa e aplicações financeiras Garantias recebidas Outros créditos Outros Realizável a longo prazo Exigível a longo prazo Aplicações financeiras Outros créditos Participações minoritárias Investimentos Imobilizado Patrimônio líquido Intangível TOTAL DO ATIVO TOTAL DO PASSIVO E PATRIMÔNIO LÍQUIDO

22 Apuração do Resultado Ajustado APURAÇÃO DO RESULTADO AJUSTADO R$ milhões 1T09 EBITDA (Societário) 176,7 (+) Ajustes Gastos com rescisão de funcionários (18,0) Despesa envolvendo ajuste de stock option (2) (18,8) EBITDA (Ajustado) 213,5 Lucro Líquido (Societário) 227,0 (+) Ajustes Gastos com rescisão de funcionários (1) (12,6) Despesa envolvendo ajuste de stock option (2) (18,8) Lucro Líquido (Ajustado) 258,3 (1) Esta despesa gerou efeito tributário de R$ 16MM dentro do 1T09, enquanto os R$ 2MM remanescentes foram reconhecidos em Abril. Desta forma, para fins de apuração do lucro líquido ajustado retiram se a parcela líquida de impostos do 1T09 e parcela integral do período posterior, conforme apresentado abaixo: Parcela reconhecida até 31/03 (16,0) Efeito líquido de impostos( desconto de 34%) (10,6) Parcela reconhecida após 31/03 (1) (2,0) TOTAL AJUSTADO (12,6) (2) A despesa envolvendo o ajuste de stock option é considerada indedutível perante a receita. Desta forma, basta adicioná la ao cálculo do lucro ajustado 22

23 Destaques Operacionais Participação dos Investidores Segmento BM&F (Participação dos investidores no volume total) 2% 3% 3% 3% 8% 7% 8% 9% 9% 17% 18% 19% 21% 19% 3% 23% 22% 22% 22% 21% 49% 49% 47% 45% 48% 1T08 2T08 3T08 4T08 1T09 Inst. Financeiras Invest. Institucionais Invest. Estrangeiros Pes. Físicas Pes. Jurídicas Banco Central Segmento Bovespa (Participação dos investidores no volume total) 8% 8% 9% 6% 6% 2% 4% 2% 3% 2% 35% 35% 35% 36% 34% 29% 27% 28% 24% 24% 25% 26% 25% 31% 33% 1T08 2T08 3T08 4T08 1T09 Pes. Físicas Investidores Institucionais Investidores Estrangeiros Pes. Jurídicas Instituições Financeiras Outros 23

24 Segmento BM&F Evolução RPC BRL Produto 1T08 2T08 3T08 4T08 1T09 abr/09 mai/09* Tx. de Juros em Reais 1,102 1,064 1,268 1,164 0,886 0,921 0,963 Tx. de Juros em USD 1,078 1,057 0,960 1,777 1,554 1,859 2,050 Tx. de Câmbio 1,850 1,785 2,057 2,700 2,422 2,543 2,114 Índices de Ações 2,132 2,460 2,157 1,806 1,572 1,901 1,527 Commodities 3,283 3,892 3,814 3,126 2,077 2,411 2,043 Balcão 2,057 2,322 2,587 2,444 2,192 1,588 0,781 Web Trading 0,155 0,160 0,160 0,173 0,185 0,206 0,192 Total 1,401 1,381 1,598 1,789 1,345 1,440 1,373 * Até 8 de maio de

25 Conselho de Administração ( ) Membros Armínio Fraga (Presidente do CA)* - Gávea Investimentos Claudio Haddad* - Ibmec Fabio de Oliveira Barbosa* - Vale (CFO) José Roberto Mendonça de Barros* - Consultor e Economista Marcelo Fernandes Trindade* - Advogado Rene Marc Kern* - General Atlantic Renato Diniz Junqueira Intercap Candido Botelho Bracher Itau BBA Luis Stulhberger Credit Suisse Hedging-Griffo Craig Donohue CME Group Julio Siqueira de Araújo Bradesco (Vice-Presidente) *Independentes 25

26 BM&F Bovespa Relações com Investidores Web page: Telefone: / 3728 / 3729 /

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11.

A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. A BM&FBOVESPA S.A. anuncia os resultados do primeiro trimestre de 2009. O lucro líquido atingiu R$ 227 milhões com lucro por ação de R$ 0,11. O Lucro Líquido do 1T09 (sem ajustes) apresentou queda de 1,4%

Leia mais

BM&FBOVESPA. 18 de março de 2009

BM&FBOVESPA. 18 de março de 2009 BM&FBOVESPA Resultados do 4º Trimestre e de 2008 18 de março de 2009 1 Considerações Iniciais Esta apresentação pode conter certas declarações que expressam expectativas, crenças e previsões da administração

Leia mais

Apresentação dos Resultados do 2T13

Apresentação dos Resultados do 2T13 Apresentação dos Resultados do 2T13 09 de agosto de 2013 Considerações Iniciais Esta apresentação pode conter certas declarações que expressam expectativas, crenças e previsões da administração sobre eventos

Leia mais

Orçamentos de Despesas Ajustadas e de Investimentos

Orçamentos de Despesas Ajustadas e de Investimentos Orçamentos de Despesas Ajustadas e de Investimentos Despesas ajustadas para 2015 e investimentos para 2015 e 2016 ORÇAMENTOS Dez/2014 DE DESPESAS AJUSTADAS E INVESTIMENTOS Confidencial Restrita Confidencial

Leia mais

Resumo da Demonstração de Resultados (em R$ milhões) Variação

Resumo da Demonstração de Resultados (em R$ milhões) Variação BM&FBOVESPA ANUNCIA OS RESULTADOS DO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2015 Derivativos e outras receitas não ligadas a volumes direcionaram o crescimento na receita total Crescimento do lucro líquido ajustado 1 resultou,

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T14

Divulgação de Resultados 1T14 Divulgação de Resultados 1T14 A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity ( Fundos

Leia mais

Resumo da Demonstração de Resultados (em R$ milhões) Variação 3T15 3T14

Resumo da Demonstração de Resultados (em R$ milhões) Variação 3T15 3T14 BM&FBOVESPA ANUNCIA OS RESULTADOS DO TERCEIRO TRIMESTRE DE 2015 VALOR DE MERCADO R$20,1 bilhões (30/09/2015) AÇÕES EM CIRCULAÇÃO Média ponderada: 1.787.049.094 do período: 1.782.094.906 RATINGS Standard

Leia mais

BM&FBOVESPA divulga balanço de operações de novembro de 2010. Empréstimos de ações têm recorde de volume financeiro

BM&FBOVESPA divulga balanço de operações de novembro de 2010. Empréstimos de ações têm recorde de volume financeiro BM&FBOVESPA divulga balanço de operações de novembro de 2010 Empréstimos de ações têm recorde de volume financeiro Total de negócios com ETFs passa de 17,9 mil para 25,6 mil Futuro de juro (DI) totaliza

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T12. 10 de agosto de 2012

Apresentação de Resultados 2T12. 10 de agosto de 2012 Apresentação de Resultados 2T12 10 de agosto de 2012 Aviso Legal Esta apresentação contém certas declarações futuras e informações relacionadas à Companhia que refletem as visões atuais e/ou expectativas

Leia mais

BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS TRIMESTRAIS

BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS TRIMESTRAIS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS TRIMESTRAIS 3º trimestre de 2015 C O M E N T Á R I O S S O B R E O D E S E M P E N H O 3T15 Senhores (as) Acionistas, A BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros

Leia mais

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas)

TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) TELEFÔNICA DATA BRASIL HOLDING S.A. Resultado Consolidado para o Terceiro Trimestre de 2005 Publicação, 08 de novembro de 2005 (07 páginas) Para maiores informações, contatar: Daniel de Andrade Gomes TELEFÔNICA

Leia mais

Divulgação de Resultados 2014

Divulgação de Resultados 2014 São Paulo - SP, 10 de Fevereiro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private-equity

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00

RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 1T10 156.512.000,00 RELATÓRIO DE RELAÇÕES COM INVESTIDORES RESULTADOS 156.512.000,00 Resultados do RESULTADOS São Paulo, 14 de maio de 2010 A BRADESPAR [BM&FBOVESPA: BRAP3 (ON), BRAP4 (PN); LATIBEX: XBRPO (ON), XBRPP (PN)]

Leia mais

Divulgação de Resultados 1T15

Divulgação de Resultados 1T15 São Paulo - SP, 06 de Maio de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS TRIMESTRAIS

BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS TRIMESTRAIS DEMONSTRAÇÕES FINANCEIRAS TRIMESTRAIS 2º trimestre de 2014 C O M E N T Á R I O S S O B R E O D E S E M P E N H O 2T14 Senhores(as) Acionistas, A BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros

Leia mais

Home Broker e as novas ferramentas para o investidor. Os desafios de atrair mais investidores Pessoa Física para o Mercado

Home Broker e as novas ferramentas para o investidor. Os desafios de atrair mais investidores Pessoa Física para o Mercado Home Broker e as novas ferramentas para o investidor Os desafios de atrair mais investidores Pessoa Física para o Mercado A Evolução da Bolsa de Valores 1895: Fundação da Bolsa de Fundos Públicos de São

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O SPINELLI FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 55.075.238/0001-78 SETEMBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Spinelli Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS BICBANCO STOCK INDEX AÇÕES FUNDO DE INVESTIMENTO EM TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.) DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AO EXERCÍCIO FINDO EM 30 DE SETEMBRO

Leia mais

Apresentação de Resultados da Lopes 2008. Apresentação Marcos Lopes CEO Francisco Lopes COO Marcello Leone CFO e DRI

Apresentação de Resultados da Lopes 2008. Apresentação Marcos Lopes CEO Francisco Lopes COO Marcello Leone CFO e DRI Apresentação de Resultados da Lopes 2008 Apresentação Marcos Lopes CEO Francisco Lopes COO Marcello Leone CFO e DRI Aviso importante Esta apresentação não constitui uma oferta, convite ou pedido de qualquer

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VIDA FELIZ FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ 07.660.310/0001-81 OUTUBRO/2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o Vida Feliz Fundo de Investimento em Ações. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento do fundo,

Leia mais

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS

Ilmos. Senhores - Diretores e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS A-PDF MERGER DEMO PARECER DOS AUDITORES INDEPENDENTES São Paulo,04 de agosto de 2006. Ilmos. Senhores - es e Acionistas da LINK S/A CORRETORA DE CÂMBIO, TÍTULOS E VALORES MOBILIÁRIOS 1. Examinamos os balanços

Leia mais

Teleconferência Resultados 3T10

Teleconferência Resultados 3T10 Teleconferência Resultados 3T10 Sexta-feira, 5 de Novembro de 2010 Horário: 14:00 (horário de Brasília) 12:00 (horário US EDT) Tel: + 55 (11) 4688-6361 Código: LASA Replay: + 55 (11) 4688-6312 Código:

Leia mais

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014

Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta. Novembro de 2014 Resultado da Oferta Pública Voluntária de Permuta Novembro de 2014 OFERTA VOLUNTÁRIA DE PERMUTA DE AÇÕES No dia 30 de outubro realizamos o leilão da oferta voluntária. A adesão dos minoritários do Santander

Leia mais

Perguntas Frequentes - Tributação

Perguntas Frequentes - Tributação 1. Tributação do Ganho de Capital Perguntas Frequentes - Tributação 1.1 - Como é feita a tributação dos ganhos obtidos com a alienação de ações? A tributação é feita em bases mensais, ou seja: o ganho

Leia mais

IFRS EM DEBATE: Aspectos gerais do CPC da Pequena e Média Empresa

IFRS EM DEBATE: Aspectos gerais do CPC da Pequena e Média Empresa IFRS EM DEBATE: Aspectos gerais do CPC da Pequena e Média Empresa outubro/2010 1 SIMPLIFICAÇÃO DOS PRONUNCIAMENTOS: Pronunciamento CPC PME - Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas (225 páginas)

Leia mais

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF

I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 1 I. AMBIENTE DE MERCADO II. RESULTADOS III. NOVOS PROJETOS UTVM IV. NOVOS PROJETOS UF 2 Crédito ainda em Expansão, mas Desacelerando 30,7% Crescimento do Crédito 15,1% 20,6% 18,8% 16,4% 14,7% 11,7% 2008

Leia mais

Divulgação de resultados 3T13

Divulgação de resultados 3T13 Brasil Brokers divulga seus resultados do 3º Trimestre do ano de 2013 Rio de Janeiro, 13 de novembro de 2013. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no

Leia mais

Roteiro Específico OC 046/2010 07/10/2010

Roteiro Específico OC 046/2010 07/10/2010 OC 046/2010 07/10/2010 Índice 1. CAPTAR E MANTER CLIENTES... 4 2. GERENCIAR NEGÓCIO... 5 3. EECUTAR ORDENS... 6 4. COMPENSAR E LIQUIDAR... 6 5. FUNÇÃO TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO... 7 GLOSSÁRIO... 8 2 Definições

Leia mais

NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL

NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL NOVAS REGRAS CONTÁBEIS PARA 2010 CONTINUAÇÃO DE PADRONIZAÇÃO INTERNACIONAL CONTÁBIL Ana Beatriz Nunes Barbosa Em 31.07.2009, a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) aprovou mais cinco normas contábeis

Leia mais

CONFERENCE CALL DE APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DO 2T09 - GLOBEX. Rio de Janeiro, 11 de setembro de 2009.

CONFERENCE CALL DE APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DO 2T09 - GLOBEX. Rio de Janeiro, 11 de setembro de 2009. CONFERENCE CALL DE APRESENTAÇÃO DOS RESULTADOS DO 2T09 - GLOBEX Rio de Janeiro, 11 de setembro de 2009. 1 DRE PRO-FORMA Com objetivo de haver comparabilidade na análise de resultados, os comentários de

Leia mais

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO

CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP. PROF. Ms. EDUARDO RAMOS. Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO CONTABILIDADE SOCIETÁRIA AVANÇADA Revisão Geral BR-GAAP PROF. Ms. EDUARDO RAMOS Mestre em Ciências Contábeis FAF/UERJ SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. PRINCÍPIOS CONTÁBEIS E ESTRUTURA CONCEITUAL 3. O CICLO CONTÁBIL

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CLIC FUNDO DE INVEST. EM ACOES

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CLIC FUNDO DE INVEST. EM ACOES LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Novembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades.

A companhia permanece com o objetivo de investir seus recursos na participação do capital de outras sociedades. RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO Senhores Acionistas, Apresentamos as Demonstrações Financeiras da Mehir Holdings S.A. referente ao exercício social encerrado em 31 de dezembro de 2004 e as respectivas Notas

Leia mais

RESULTADOS DO 1T11. Destaques do Resultado

RESULTADOS DO 1T11. Destaques do Resultado RESULTADOS DO 1T11 CAPTAÇÃO RECORDE com mais de 73 mil novos alunos (24% acima do 1T10) Aumento de 21% no EBITDA, que totalizou R$48 milhões, e ganho de 1,9 p.p. na Margem, que atingiu 17,4% no 1T11 Rio

Leia mais

Divulgação de Resultados do 4T10

Divulgação de Resultados do 4T10 Divulgação de Resultados do 4T10 23 de fevereiro de 2011 Aviso Importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros.tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia,

Leia mais

Tributação. Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas

Tributação. Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas Tributação Mercado de Derivativos, Fundos e Clubes de Investimentos, POP e Principais Perguntas 1 Índice Imposto de Renda para Mercado de Opções 03 Exemplos de Apuração dos Ganhos Líquidos - Antes do Exercício

Leia mais

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015

RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 RESULTADOS 2T15 Teleconferência 10 de agosto de 2015 AVISO Nesta apresentação nós fazemos declarações prospectivas que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base crenças e suposições

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADIUS HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: Nº 10.446.951/0001-42

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADIUS HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: Nº 10.446.951/0001-42 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADIUS HEDGE FUNDO DE INVESTIMENTO MULTIMERCADO CNPJ: Nº Informações referentes à Abril de 2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o

Leia mais

EARNINGS RELEASE 2T14

EARNINGS RELEASE 2T14 Receita Bruta de R$ 241,8 milhões no e R$ 533,9 milhões no 1S14 Ebitda de R$ 21,2 milhões no e R$ 51,4 milhões no 1S14 São Paulo, 13 de agosto de 2014 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T11

Divulgação de Resultados 3T11 Divulgação de Resultados 3T11 15 de Novembro de 2011 Palestrantes Luis Eduardo Fischman Diretor Financeiro e de RI José Ricardo Brun Fausto Diretor Operacional 2 Disclaimer Esta apresentação não constitui

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 998, DE 21 DE MAIO DE 2004

RESOLUÇÃO Nº 998, DE 21 DE MAIO DE 2004 CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE RESOLUÇÃO Nº 998, DE 21 DE MAIO DE 2004 Aprova a NBC T 19.2 - Tributos sobre Lucros. O CONSELHO FEDERAL DE CONTABILIDADE, no exercício de suas atribuições legais e regimentais,

Leia mais

Conciliação do BR GAAP com o IFRS Resultado e Patrimônio Líquido em 31 de dezembro de 2008

Conciliação do BR GAAP com o IFRS Resultado e Patrimônio Líquido em 31 de dezembro de 2008 Bovespa: TPIS3 www.tpisa.com.br Departamento de RI Diretoria Ana Cristina Carvalho ana.carvalho@tpisa.com.br Gerência Mariana Quintana mariana.quintana@tpisa.com.br Rua Olimpíadas, 205-14º andar Fone +55

Leia mais

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48

PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 PORTO SEGURO ANUNCIA LUCRO LÍQUIDO DE R$110,9 MILHÕES OU R$0,48 POR AÇÃO ATÉ MAIO DE 2008. São Paulo, 02 de julho de 2008 Porto Seguro S.A. (BOVESPA: PSSA3), anuncia os resultados dos 5M08. As informações

Leia mais

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000)

DESTAQUES NO PERÍODO. Dados Financeiros (R$ x 1.000) Blumenau SC, 27 de julho de 2007 A Cremer S.A. (Bovespa: CREM3), distribuidora de produtos para a saúde e também líder na fabricação de produtos têxteis e adesivos cirúrgicos, anuncia hoje seus resultados

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011

Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 Abril Educação S.A. Informações Proforma em 30 de junho de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 30

Leia mais

1. Público-alvo. 2. Objetivos

1. Público-alvo. 2. Objetivos LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS dezembro/2013 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o. As informações completas sobre esse fundo podem ser obtidas no Prospecto e no Regulamento

Leia mais

Divulgação de Resultados 3T15

Divulgação de Resultados 3T15 São Paulo - SP, 4 de Novembro de 2015. A Tarpon Investimentos S.A. ( Tarpon ou Companhia ), por meio de suas subsidiárias, realiza a gestão de fundos e carteiras de investimentos em bolsa e private equity

Leia mais

Raízen Combustíveis S.A.

Raízen Combustíveis S.A. Balanço patrimonial consolidado e condensado (Em milhares de reais, exceto quando indicado de outra forma) Ativo 30.06.2014 31.03.2014 Passivo 30.06.2014 31.03.2014 Circulante Circulante Caixa e equivalentes

Leia mais

BICBANCO Stock Index Ações Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.

BICBANCO Stock Index Ações Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A. BICBANCO Stock Index Ações Fundo de Investimento em Títulos e Valores Mobiliários (Administrado pelo Banco Industrial e Comercial S.A.) Demonstrações Financeiras Referentes ao Exercício Findo em 30 de

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O CNPJ: Informações referentes a Setembro de 2015 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o As informações completas sobre esse fundo podem

Leia mais

Proposta de Administração

Proposta de Administração Proposta de Administração São Paulo, 19 de março de 2010. A BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros vem, por meio deste, submeter às Assembleias Gerais Ordinária e Extraordinária, a serem

Leia mais

Curso Introdução ao Mercado de Ações

Curso Introdução ao Mercado de Ações Curso Introdução ao Mercado de Ações Módulo 2 Continuação do Módulo 1 www.tradernauta.com.br Sistema de negociação da Bovespa e Home Broker Mega Bolsa Sistema implantado em 1997, é responsável por toda

Leia mais

RESULTADO DO 1º TRIMESTRE DE 2013

RESULTADO DO 1º TRIMESTRE DE 2013 RESULTADO DO 1º TRIMESTRE DE 2013 DASA divulga receita bruta de R$ 640,4 milhões e geração de caixa operacional de R$ 43,3 milhões no 1T13 Romeu Cortes Domingues Presidente do Conselho de Administração

Leia mais

Apresentação Investidores

Apresentação Investidores Apresentação Investidores Abril de 2011 Aviso Importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros.tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia, e envolve riscos

Leia mais

Apresentação de Resultados 2T11

Apresentação de Resultados 2T11 Apresentação de Resultados 2T11 Aviso Legal Aviso Legal Encontra-se em curso a distribuição pública inicial primária e secundária de certificados de depósitos de ações ( Units ) de emissão da Abril Educação

Leia mais

BM&FBOVESPA Resultados 3º Trimestre de de Novembro

BM&FBOVESPA Resultados 3º Trimestre de de Novembro BM&FBOVESPA Resultados 3º Trimestre de 2008 12 de Novembro 1 Considerações Iniciais Esta apresentação pode conter certas declarações que expressam expectativas, crenças e previsões da administração sobre

Leia mais

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12

EARNINGS RELEASE 2T12 e 1S12 São Paulo, 15 de agosto de 2012 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa de consolidação e gestão de marcas de lifestyle e moda premium do Brasil, anuncia hoje os resultados do segundo

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010

Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010 Brasil Brokers divulga seus resultados do 2º Trimestre de 2010 Rio de Janeiro, 16 de agosto de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (BM&FBovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de

Leia mais

Apresentação de Resultados 4T11. 1º de Março de 2012

Apresentação de Resultados 4T11. 1º de Março de 2012 Apresentação de Resultados 4T11 1º de Março de 2012 Contax Visão Geral GRUPO CONTAX Operação em 4 países: Brasil, Colômbia, Argentina e Peru Líder na América Latina em serviços de relacionamento com consumidores

Leia mais

A Importância do Mercado Secundário

A Importância do Mercado Secundário A Importância do Mercado Secundário Apresentação ao Conselho Superior de Estudos Avançados CONSEA da FIESP Agosto / 2015 Agosto/2015 Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno X Público 1 Sobre a BM&FBOVESPA

Leia mais

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 1T15

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 1T15 TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 1T15 RESULTADOS FINANCEIROS CONSOLIDADOS RECEITA LÍQUIDA 300,1 361,1 20,3% EBITDA AJUSTADO 56,5 68,7 21,6% MARGEM EBITDA AJUSTADO 1 17,9% 18,4% 0,5 p.p. LUCRO LÍQUIDO AJUSTADO

Leia mais

BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros

BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros Demonstrações Financeiras de 2010 Senhores(as) Acionistas, RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO - 2010 A BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros (BM&FBOVESPA, Bolsa ou Companhia) submete à apreciação

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T05

Apresentação de Resultados 3T05 Apresentação de Resultados 3T05 Destaques Crescimento do Lucro Líquido foi de 316% no Terceiro Trimestre Crescimento da Receita no 3T05 A receita bruta foi maior em 71% (3T05x3T04) e 63% (9M05x9M04) Base

Leia mais

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza

Teleconferência de Resultados 1T15. 8 de maio de 2015. Magazine Luiza Teleconferência de Resultados 8 de maio de 2015 Magazine Luiza Destaques do Vendas E-commerce Despesas Operacionais EBITDA Luizacred Lucro Líquido Ganhos de market share, principalmente em tecnologia Receita

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADUAL IGB-30 FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADUAL IGB-30 FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O GRADUAL IGB-30 FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ: Nº 18.048.590/0001-98 Informações referentes a setembro de 2014 Esta lâmina contém um resumo das informações

Leia mais

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VITÓRIA RÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ: 05.384.841/0001-63. Informações referentes à MAIO de 2014

LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O VITÓRIA RÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES CNPJ: 05.384.841/0001-63. Informações referentes à MAIO de 2014 LÂMINA DE INFORMAÇÕES ESSENCIAIS SOBRE O Informações referentes à MAIO de 2014 Esta lâmina contém um resumo das informações essenciais sobre o VITÓRIA RÉGIA FUNDO DE INVESTIMENTO EM AÇÕES. As informações

Leia mais

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009

Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Brasil Brokers divulga seus resultados do 4º Trimestre de 2009 Rio de Janeiro, 10 de março de 2010. A Brasil Brokers Participações S.A. (Bovespa: BBRK3) uma empresa com foco e atuação no mercado de intermediação

Leia mais

Reestruturação Societária Grupo Telesp. Criando Valor

Reestruturação Societária Grupo Telesp. Criando Valor Reestruturação Societária Grupo Criando Valor Novembro, 1999 Índice 8 Visão Geral da Reestruturação 2 8 Passos da Reestruturação 3 8 Benefícios da Reestruturação 4 8 Bases da Reestruturação 5 8 As Relações

Leia mais

Resultado 1T12. Resultados 2T12 / 1S12

Resultado 1T12. Resultados 2T12 / 1S12 Resultado 1T12 Resultados / 1S12 15 de agosto de 2012 Eventos Extraordinários Correção da Baixa de Inventário de Anos Anteriores (R$ 20,3 milhões) Destruição de Obsoletos (R$ 34,4 milhões) (+) (-) (-)

Leia mais

F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de

F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro (Administrado pelo Banco Safra S.A.) Demonstrações financeiras em 31 de F.Q.S. DI - Fundo de Aplicação em Quotas de Fundos de Investimento Financeiro Demonstrações financeiras em 31 de março de 2004 e de 2003 e parecer dos auditores independentes Parecer dos auditores independentes

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - BANCO BRADESCO SA Versão : 2. Composição do Capital 1. Proventos em Dinheiro 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 5 Balanço Patrimonial Passivo 9 Demonstração do Resultado 12 Demonstração do Resultado

Leia mais

Resultados do 1T14 09 de Maio de 2014

Resultados do 1T14 09 de Maio de 2014 Resultados do T4 09 de Maio de 204 Destaques do T4 x T3 FINANCEIROS Receita Bruta: R$ 287,6 milhões 7,6% Lucro Líquido Ajustado (cash earnings): R$ 33,3 milhões 4,7% Unidade de Títulos e Valores Mobiliários:

Leia mais

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011

Abril Educação S.A. Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 Informações Pro Forma em 31 de dezembro de 2011 RESULTADOS PRO FORMA NÃO AUDITADOS CONSOLIDADOS DA ABRIL EDUCAÇÃO As informações financeiras consolidadas pro forma não auditadas para 31 de dezembro de

Leia mais

EARNINGS RELEASE 1T12

EARNINGS RELEASE 1T12 São Paulo, 16 de maio de 2012 - A Inbrands S.A. ( Inbrands ou Companhia ), uma empresa de consolidação e gestão de marcas de lifestyle e moda premium do Brasil, anuncia hoje os resultados do 1º trimestre

Leia mais

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas)

Notas explicativas da Administração às demonstrações financeiras Em 31 de dezembro de 2014 e 2013 (Valores em R$, exceto o valor unitário das cotas) 1. Contexto operacional O CLUBE DE INVESTIMENTO COPACABANA ( Clube ) constituído por número limitado de cotistas que tem por objetivo a aplicação de recursos financeiros próprios para a constituição, em

Leia mais

ÍNDICE. Definições... 5 Resumo das Características da Oferta... 7 2. INFORMAÇÕES SOBRE OS ADMINISTRADORES, CONSULTORES E AUDITORES

ÍNDICE. Definições... 5 Resumo das Características da Oferta... 7 2. INFORMAÇÕES SOBRE OS ADMINISTRADORES, CONSULTORES E AUDITORES ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO Definições... 5 Resumo das Características da Oferta... 7 2. INFORMAÇÕES SOBRE OS ADMINISTRADORES, CONSULTORES E AUDITORES Administradores da Emissora... 13 Coordenador Líder... 13

Leia mais

Resultados do 1T08. 14 de maio de 2008

Resultados do 1T08. 14 de maio de 2008 Resultados do 1T08 14 de maio de 2008 Destaques do Trimestre Desenvolvimento dos Negócios Início dos desembolsos das operações de FINAME e BNDES Automático Bim Promotora de Vendas fase piloto das operações

Leia mais

Earnings Release 1T15

Earnings Release 1T15 Santo André, 05 de maio de 2015: A CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. (BM&FBOVESPA: CVCB3), maior operadora de turismo das Américas, informa aos seus acionistas e demais participantes do mercado

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11)

DESTAQUES DO PERÍODO (2T11) QUALICORP REGISTRA CRESCIMENTO DO TRIMESTRE NO NÚMERO DE BENEFICIÁRIOS DE 18,5%, RECEITA LÍQUIDA DE 43,9%, EBITDA AJUSTADO DE 36,6% EM RELAÇÃO AO 2T10 1 São Paulo, 12 de agosto de 2011. A QUALICORP S.A.

Leia mais

Especial Lucro dos Bancos

Especial Lucro dos Bancos Boletim Econômico Edição nº 90 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Especial Lucro dos Bancos 1 Tabela dos Lucros em 2014 Ano Banco Período Lucro 2 0 1 4 Itaú Unibanco

Leia mais

Formador de Mercado DEP Diretoria de Engenharia de Produtos

Formador de Mercado DEP Diretoria de Engenharia de Produtos Formador de Mercado DEP Diretoria de Engenharia de Produtos FORMADOR Março/2015 DE MERCADO Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno Público 1 Agenda Papel do Formador de Mercado (FM) Relações de

Leia mais

LUCRO DO SUBMARINO SOBE 316% NO TERCEIRO TRIMESTRE 2005

LUCRO DO SUBMARINO SOBE 316% NO TERCEIRO TRIMESTRE 2005 LUCRO DO SUBMARINO SOBE 316% NO TERCEIRO TRIMESTRE 2005 São Paulo, 07 de Novembro de 2005 - O Submarino S.A. (Bovespa: SUBA3), empresa líder dentre aquelas que operam exclusivamente no varejo eletrônico

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DO SEGMENTO BOVESPA: AÇÕES, FUTUROS E DERIVATIVOS DE AÇÕES. Capítulo Revisão Data

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DO SEGMENTO BOVESPA: AÇÕES, FUTUROS E DERIVATIVOS DE AÇÕES. Capítulo Revisão Data 4 / 106 DEFINIÇÕES AFTER-MARKET período de negociação que ocorre fora do horário regular de Pregão. AGENTE DE COMPENSAÇÃO instituição habilitada pela CBLC a liquidar operações realizadas pelas Sociedades

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15 Relações com Investidores DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 1T15 Apresentação: José Rubens de la Rosa CEO José Antonio Valiati CFO & Diretor de Relações com Investidores Thiago Deiro Gerente Financeiro & de

Leia mais

Resultados 3T10. Novembro, 2010 FLRY3

Resultados 3T10. Novembro, 2010 FLRY3 Resultados 3T10 FLRY3 A marca mais valiosa no setor de saúde Brasileiro A 6ª marca mais valiosa entre as empresas de serviços A 25ª marca mais valiosa no Brasil Millward Brand / BrandAnalytics A Empresa

Leia mais

Mercado a Termo de Ações

Mercado a Termo de Ações Prof Giácomo Diniz Módulo I Dfiiã Definição Tradicional i São acordos fechados entre partes de compra e venda de um determinadoativo. Nahoradacontrataçãoaspartesestabelecemo preço para a liquidação em

Leia mais

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2

ITR - Informações Trimestrais - 31/03/2012 - TECNISA S/A Versão : 1. Composição do Capital 1. Balanço Patrimonial Ativo 2 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 2 Balanço Patrimonial Passivo 3 Demonstração do Resultado 4 Demonstração do Resultado Abrangente 5 Demonstração

Leia mais

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p.

Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. Lucro Líquido de R$ 239 milhões no 1T15, crescimento de 34%; Margem EBITDA de 9,6%, com aumento de 0,7 p.p. No 1T15, a receita líquida totalizou R$ 5,388 bilhões, estável em relação ao 1T14 excluindo-se

Leia mais

Resultados 1T15. 08 de maio de 2015

Resultados 1T15. 08 de maio de 2015 Resultados 1T15 08 de maio de 2015 2 Principais destaques do 1T15 Crescimento da receita líquida de 23%, sendo de 2 dígitos em todas unidades de negócio no comparativo ano vs. ano, favorecidas por 83%

Leia mais

Evolução do lucro líquido (em milhões de reais) - jan fev mar abr mai jun jul ago set

Evolução do lucro líquido (em milhões de reais) - jan fev mar abr mai jun jul ago set DISCUSSÃO E ANÁLISE PELA ADMINISTRAÇÃO DO RESULTADO NÃO CONSOLIDADO DAS OPERACÕES: PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2001 COMPARATIVO AO PERÍODO DE JANEIRO A SETEMBRO DE 2000 (em milhões de reais, exceto

Leia mais

1T09 Divulgação de Resultados

1T09 Divulgação de Resultados Divulgação de Resultados Relações com Investidores: Frederico Dan Shigenawa Diretor de RI ir@tig.bm Sobre a TIG: A TIG Holding Ltd. (nova denominação da Tarpon Investment Group Ltd.) investe em companhias

Leia mais

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011

ATIVO Explicativa 2012 2011 PASSIVO Explicativa 2012 2011 ASSOCIAÇÃO DIREITOS HUMANOS EM REDE QUADRO I - BALANÇO PATRIMONIAL EM 31 DE DEZEMBRO (Em reais) Nota Nota ATIVO Explicativa PASSIVO Explicativa CIRCULANTE CIRCULANTE Caixa e equivalentes de caixa 4 3.363.799

Leia mais

RESULTADOS 3T11. Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades. 4 de novembro de 2011

RESULTADOS 3T11. Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades. 4 de novembro de 2011 RESULTADOS 3T11 Grupo Pão de Açúcar e Globex Utilidades 4 de novembro de 2011 ELETRO GPA ALIMENTAR AGENDA RESULTADOS Supermercados Proximidade Atacarejo Postos e Drogarias Hipermercado Lojas Especializadas

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC)

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC) 1 de 5 31/01/2015 14:52 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC) A Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC) passou a ser um relatório obrigatório pela contabilidade para todas as sociedades de capital aberto

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005

DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 DIVULGAÇÃO DE RESULTADOS 4T05 e 2005 Americana SP, 23 de março de 2005 A VIVAX S.A. (Bovespa: VVAX11), ou Companhia, segunda maior operadora de TV a Cabo do Brasil, em número de assinantes, e uma das principais

Leia mais

Curso Extensivo de Contabilidade Geral

Curso Extensivo de Contabilidade Geral Curso Extensivo de Contabilidade Geral Adelino Correia 4ª Edição Enfoque claro, didático e objetivo Atualizado de acordo com a Lei 11638/07 Inúmeros exercícios de concursos anteriores com gabarito Inclui

Leia mais