Questão 2 Mostre a importância dos partidos políticos no processo de participação democrática brasileira.

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Questão 2 Mostre a importância dos partidos políticos no processo de participação democrática brasileira."

Transcrição

1 Disciplina: Sociologia Data: / /2012 Professor(a): Celso Luís Welter Turma: 3º ano Tipo de Atividade: trabalho de recuperação Segmento: EM Valor: 6 pontos Etapa: segunda Nome do(a) aluno(a): Caro(a) Aluno(a), Leia a sua atividade com bastante atenção. A interpretação das questões faz parte da avaliação. Redija suas respostas com caneta de tinta azul ou preta. Faça letra legível e evite rasuras. Evite o uso de corretivo. Nas questões abertas, procure dar respostas objetivas e que demonstrem com clareza o seu conhecimento sobre o assunto. Nota Questão 1 Levando em consideração os sistemas políticos e as formas de governo faça uma análise da política Brasileira desde 1822 até a atualidade indicando a organização política de cada período. Questão 2 Mostre a importância dos partidos políticos no processo de participação democrática brasileira.

2 Texto para as questões 3 e 4 Há, na prática democrática e nas idéias democráticas, uma profundidade e uma verdade muito maiores e superiores ao que a ideologia democrática percebe e deixa perceber. Dizemos que uma sociedade - e não um simples regime de governo - é democrática, quando, além de eleições, partidos políticos, divisão dos três poderes da república, respeito à vontade da maioria e das minorias, institui algo mais profundo, que é condição do próprio regime político, ou seja, quando institui direitos. (Marilena Chauí. Convite à Filosofia. São Paulo: Ática, 1995, p. 430 (com adaptações). QUESTÃO 3 Tendo em vista os assuntos abordados no texto, bem como as noções de democracia, ética e política, assinale a opção correta. a) ( ) Timocracia, na Grécia antiga, é o mesmo que Monocracia, pois ambos os termos se referem ao governo unificado. b) ( ) Na democracia grega antiga, mulheres, escravos, estrangeiros, pessoas de classe social inferior, simples soldados e camponeses pobres não participavam dos benefícios da cidadania. c) ( ) Oligarquia é a forma de go verno que reúne os melhores cidadãos para o exercício do governo. d) ( ) Na ética a Nicômaco, Aristóteles entende que a melhor constituição de governo é a democracia e a pior é a monarquia. QUESTÃO 4 Com relação ao confronto entre doutrinas democráticas, assinale a opção correta. a) ( ) A democracia iniciou -se na Grécia antiga, como ideal do melhor governo, e continua com a mesma estrutura até hoje. b) ( ) Fascismo, nazismo e integralismo são doutrinas socialistas totalitárias, opostas ao moderno sentido de democracia. c) ( ) O contrário de democracia é a plutocracia, em que há o governo dos melhores e a preponderância dos ricos. d) ( ) O marxismo não é uma doutrina comunista e sim, socialista, pois Karl Marx estudou uma doutrina sobre o bem-estar da sociedade. QUESTÃO 5 Toda cidade [polis], portanto, existe naturalmente, da mesma forma que as primeiras comunidades; aquela é o estágio final destas, pois a natureza de uma coisa é seu estágio final. (...) Estas considerações deixam claro que a cidade é uma criação natural, e que o homem é por natureza um animal social, e um homem que por natureza, e não por mero acidente, não fizesse parte de cidade alguma, seria desprezível ou estaria acima da humanidade. (ARISTÓTELES. Política. 3. ed. Trad. De Mário da Gama Kuri. Brasília: Ed. Universidade de Brasília, p. 15.) De acordo com o texto de Aristóteles, é correto afirmar que a polis: a) ( ) É instituída por uma convenção entre os homens. b) ( ) Existe por natureza e é da natureza humana buscar a vida em sociedade. c) ( ) Passa a existir por um ato de vontade dos deuses, alheia à vontade humana. d) ( ) É estabelecida pela vontade arbitrária de um déspota.

3 QUESTÃO 6 O direito de natureza, a que os autores geralmente chamam de jus naturale, é a liberdade que cada homem possui de usar seu próprio poder, da maneira que quiser, para a preservação de sua própria natureza, ou seja, de sua vida; e conseqüentemente de fazer tudo aquilo que seu próprio julgamento e razão lhe indiquem como meios adequados a esse fim. (HOBBES, Thomas. Leviatã. Trad. João Paulo Monteiro e Maria Beatriz Nizza da Silva. São Paulo: Abril Cultural, 1974). Com base no texto e nos conhecimentos sobre o Estado de natureza em Hobbes, considere as afirmativas a seguir. I. Todos os homens são igualmente vulneráveis à violência diante da ausência de uma autoridade soberana que detenha o uso da força. II. Em cada ser humano há um egoísmo na busca de seus interesses pessoais a fim de manter a própria sobrevivência. III. A competição e o desejo de fama passam a existir nos homens quando abandonam o Estado de natureza e ingressam no Estado social. IV. O homem é naturalmente um ser social, o que lhe garante uma vida harmônica entre seus pares. Estão corretas apenas as afirmativas: a) ( ) I e II. b) ( ) I e IV. c) ( ) III e IV. d) ( ) I, II e III. QUESTÃO 7 De acordo com Rousseau, A passagem do estado de natureza para o estado civil determina no homem uma mudança muito notável, substituindo na sua conduta o instinto pela justiça e dando às suas ações a moralidade que antes lhes faltava. (ROUSSEAU, Jean-Jacques. Do contrato social. São Paulo: Abril Cultural, Coleção Os Pensadores. p.36.) Sobre a passagem do estado de natureza para o estado civil, é correto afirmar que: a) ( ) o homem mantém a liberdade natural e o direito irrestrito, e ainda ganha uma moralidade muito particular guiada pelo seu puro apetite. b) ( ) o homem perde a liberdade natural e o direito à propriedade, mas adquire a obrigação de seguir sua própria vontade. c) ( ) o homem perde a liberdade natural e o direito ilimitado, mas ganha a liberdade civil e a propriedade de tudo o que possui. d) ( ) o homem mantém a liberdade natural e o direito ilimitado, mas abdica da liberdade civil em favor da liberdade moral. Questão 8 República é: a) ( ) ditadura do povo

4 b) ( ) governo de interesse de todos c) ( ) governo referido à coisa privada, mas do interesse de todos d) ( ) governo referido à coisa pública e de interesse de todo cidadão Questão 9 Um governo Aristocrático é: a) ( ) Um governo que privilegia a todos b) ( ) Poder do povo c) ( ) Poder dos mais qualificados e capazes d) ( ) Poder exercido pelos representantes legítimos do povo Questão 10 São formas de governo democrático: a) ( ) A democracia e a ditadura b) ( ) A república e a monarquía absoluta c) ( ) A república moderna e a democracia d) ( ) A democracia e o comunismo Questão 11 Não vivemos sozinhos no mundo, dividimos a nossa vida no mundo com outras pessoas iguais a nós com os mesmos direitos e com valor e dignidade. Quem valoriza e dá dignidade ás outras pessoas está valorizando e dignificando a si. Vivemos juntos no mundo. Dependemos uns dos outros e somos responsáveis uns pelos outros. O problema de outra pessoa é meu problema também. Por exemplo, se temos alguns colegas que conversam e atrapalham o bom andamento das aulas eles não somente se prejudicam, mas prejudicam a todos. Apreendemos menos com barulho. A pessoa que escolheu estudar e está na escola deve respeitar o estudo e a escola, principalmente, os outros que querem estudar. Dessa forma, somos responsáveis quando mesmo não querendo estar em um lugar respeitamos os que querem estar e merecem estar nele. (CLW) Explique os motivos pelos quais a vida em sociedade exige de todos a obrigação de respeitar regras e normas comuns e mostre quais as conseqüências do desrespeito dessas regras.

5 Questão 12 Quando destruímos um ambiente cultural ou natural importante para outros estamos invadindo o espaço do outro de modo desrespeitoso. (CLW) Justifique de modo argumentativo a afirmação feita no fragmento. Questão 13 Muitos querem aproveitar a vida, mas aproveitar o que se não sobrar nada. Queremos só ter benefícios. Não queremos contribuir com nada! Imaginemos uma sociedade na qual todos busquem unicamente benefícios. Isso seria possível? Se todos mentissem seria possível um diálogo, um entendimento? Dessa maneira, somos responsáveis pela nossa vida, pela dos outros e pelas coisas que nos cercam. Se todos no mundo só quisessem benefícios quem iria construir o mundo? O mundo é construído por todos e todos devem poder dele usufruir de modo igual sem privilégios. (CLW) A sociedade é uma construção coletiva. Nós a recebemos pronta, mas se não continuarmos o que outros fizeram ela irá acabar. Mostre de que maneira, na prática cotidiana, poderemos manter e ampliar as conquistas sociais.

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE HISTÓRIA Nome Nº Ano Data: Professor: Gabriela/ Fernanda Nota: (valor 1,0) 3 o.bimestre Neste bimestre, sua média foi inferior a 6,0 e você não assimilou os conteúdos mínimos

Leia mais

Declaração Universal dos Direitos Humanos

Declaração Universal dos Direitos Humanos Declaração Universal dos Direitos Humanos Preâmbulo Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e de seus Direitos iguais e inalienáveis é o fundamento

Leia mais

Adam Smith e o Nascimento da Economia Política Clássica

Adam Smith e o Nascimento da Economia Política Clássica Adam Smith e o Nascimento da Economia Política Clássica José Luis Oreiro Departamento de Economia UNB Pesquisador Nível N I do CNPq Reação a Filosofia Moral de Hobbes Hobbes: as ações a humanas são governadas

Leia mais

Professor de Antropologia da Universidade Estadual de Campinas.

Professor de Antropologia da Universidade Estadual de Campinas. * Os socialistas devem posicionar-se politicamente a favor de medidas (Projetos de Lei com cotas para estudantes negros e oriundos da escola pública, bem como o Estatuto da Igualdade Racial), na medida

Leia mais

Jean-Jacques Rousseau (1753) de Maurice Quentin de La Tour Da vontade geral surge o Estado

Jean-Jacques Rousseau (1753) de Maurice Quentin de La Tour Da vontade geral surge o Estado 1 JEAN-JACQUES ROUSSEAU: A VONTADE GERAL. Jean-Jacques Rousseau (1753) de Maurice Quentin de La Tour Da vontade geral surge o Estado Rousseau e a democracia direta 2 Assim como os demais pensadores políticos

Leia mais

A utopia platônica. Perspectiva política da alegoria da caverna: a sofocracia. Educação e política: as três classes

A utopia platônica. Perspectiva política da alegoria da caverna: a sofocracia. Educação e política: as três classes Ideias políticas Platão Pp. 311-312 A utopia platônica Perspectiva política da alegoria da caverna: a sofocracia Educação e política: as três classes A utopia platônica é elaborada na época da decadência,

Leia mais

Declaração Universal dos Direitos Humanos

Declaração Universal dos Direitos Humanos Declaração Universal dos Direitos Humanos Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e de seus direitos iguais e inalienáveis é o fundamento da liberdade,

Leia mais

Processo Seletivo/UFU - julho 2006-1ª Prova Comum - PROVA TIPO 1 SOCIOLOGIA QUESTÃO 51

Processo Seletivo/UFU - julho 2006-1ª Prova Comum - PROVA TIPO 1 SOCIOLOGIA QUESTÃO 51 SOCIOLOGIA QUESTÃO 51 Quanto ao contexto do surgimento da Sociologia, marque a alternativa correta. A) A Sociologia nasceu como ciência a partir da consolidação da sociedade burguesa urbana-industrial

Leia mais

Jimboê. História. Avaliação. Projeto. 5 o ano. 3 o bimestre

Jimboê. História. Avaliação. Projeto. 5 o ano. 3 o bimestre Professor, esta sugestão de avaliação corresponde ao terceiro bimestre escolar ou à Unidade 3 do Livro do Aluno. Projeto Jimboê 5 o ano Avaliação 3 o bimestre 1 Avaliação NOME: ESCOLA: PROFESSOR: TURMA:

Leia mais

COMPROMISSO COM A FAMILIA

COMPROMISSO COM A FAMILIA Rua Bela Vista, 220 Vila Camisão COMPROMISSO COM A FAMILIA A família é o objetivo central da Democracia Cristã, ação politica inspirada nos ideais do Cristianismo. Fomos nós, Social-Democrata-Cristãos,

Leia mais

2 -Observe as imagens de atividades e de objetos produzidos pelos antigos egípcios, entre 2000 e 1000 a.c.

2 -Observe as imagens de atividades e de objetos produzidos pelos antigos egípcios, entre 2000 e 1000 a.c. História 6 ano O Egito e o rio Nilo 1-Identifique os principais aspectos geográficos relacionados ao território do Egito Antigo. 2 -Observe as imagens de atividades e de objetos produzidos pelos antigos

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 42 Discurso na reunião da Academia

Leia mais

Atividades Acadêmico-Científico- -Culturais: Diversidade Cultural. O Brasil é um País Multirracial. Contextualização. Teleaula 1.

Atividades Acadêmico-Científico- -Culturais: Diversidade Cultural. O Brasil é um País Multirracial. Contextualização. Teleaula 1. Atividades Acadêmico-Científico- -Culturais: Diversidade Cultural Teleaula 1 Profa. Dra. Marcilene Garcia de Souza tutorialetras@grupouninter.com.br O Brasil é um País Multirracial Letras Contextualização

Leia mais

Comportamento ético do Contador - Conciliando Interesses, Administrando pessoas, informações e recursos.

Comportamento ético do Contador - Conciliando Interesses, Administrando pessoas, informações e recursos. Comportamento ético do Contador - Conciliando Interesses, Administrando pessoas, informações e recursos. Thiago Silva Lima Resumo A contabilidade é um ramo muito importante em se falando de ética já que

Leia mais

INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Aula 3.2 Conteúdo: A escola Platônica

INTERATIVIDADE FINAL CONTEÚDO E HABILIDADES DINÂMICA LOCAL INTERATIVA. Aula 3.2 Conteúdo: A escola Platônica Aula 3.2 Conteúdo: A escola Platônica 2 Habilidades: Conhecer os principais pontos das ideias de Platão para interpretar a realidade diária. 3 REVISÃO Sócrates: o homem Grande questão: o que é a essência

Leia mais

PROJETO ATUALIDADE EM FOCO

PROJETO ATUALIDADE EM FOCO Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha PRODUÇÃO TEXTUAL Nº3 ENTREGA: 17/ 03/ 2016 2º Ano do Ensino Médio Nome do aluno: Professor (a): DISCIPLINA:

Leia mais

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação

COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação COLÉGIO XIX DE MARÇO excelência em educação 1ª PROVA PARCIAL DE CIÊNCIAS Aluno(a): Nº Ano: 6º Turma: Data: 02/04/2011 Nota: Professora: Karina Valor da Prova: 50 pontos Assinatura do responsável: Orientações

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS REGULAMENTO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA FACULDADE ARTHUR THOMAS CAPÍTULO I DA NATUREZA E DOS OBJETIVOS Art. 1º. Este Regulamento estabelece as políticas básicas das

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Plano de Trabalho Docente - 2015

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Plano de Trabalho Docente - 2015 Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Plano de Trabalho Docente - 2015 ETEC Monsenhor Antônio Magliano Código: 088 Município: Garça S.P. Área de conhecimento: Ciências Humanas e suas Tecnologias

Leia mais

VESTIBULAR 2013 1ª Fase REDAÇÃO. Instruções Gerais: Instruções para a prova de Redação:

VESTIBULAR 2013 1ª Fase REDAÇÃO. Instruções Gerais: Instruções para a prova de Redação: Instruções Gerais: VESTIBULAR 2013 1ª Fase REDAÇÃO Hoje você deverá elaborar uma Redação e responder às questões de Língua Portuguesa e de Inglês. Você terá 4 horas para realizar as três provas. O verso

Leia mais

O que é Comunicação?

O que é Comunicação? O que é Comunicação? Comunicar-se é mais do que expressar ideias ou trocar pontos de vista. É o processo pelo qual nos relacionamos com os outros e buscamos informações essenciais para nossa vida diária,

Leia mais

As Novas Tecnologias no Processo Ensino-Aprendizagem da Matemática

As Novas Tecnologias no Processo Ensino-Aprendizagem da Matemática A UTILIZAÇÃO DE BLOGs COMO RECURSO PEDAGÓGICO NA EDUCAÇÃO MATEMÁTICA Maria Angela Oliveira Oliveira Universidade Estadual Paulista Julio de Mesquita Filho matematicangela2007@yahoo.com.br Resumo: O Mini-Curso

Leia mais

Prémio Cooperação e Solidariedade António Sérgio Formulário de candidatura Boas Práticas

Prémio Cooperação e Solidariedade António Sérgio Formulário de candidatura Boas Práticas Prémio Cooperação e Solidariedade António Sérgio Formulário de candidatura Boas Práticas 1. Identificação do Candidato 1.1. Nome da pessoa/organização: 1.2. Número de identificação (BI ou CC): de / / ou

Leia mais

Objetivo da aula: Origens da ciência econômica. A Economia Política e sua critica (aula 1 Adam Smith)

Objetivo da aula: Origens da ciência econômica. A Economia Política e sua critica (aula 1 Adam Smith) Ciências Sociais (P.I) A Economia Política e sua critica (aula 1 Adam Smith) Temática: Economia e funcionamento social: fundamentos Adam Smith. Profa. Luci Praun Objetivo da aula: Conhecer as formulações

Leia mais

VERSÃO RESPOSTAS PROVA DE MARKETING

VERSÃO RESPOSTAS PROVA DE MARKETING UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO E CONTABILIDADE DE RIBEIRÃO PRETO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE ORGANIZAÇÕES PROCESSO SELETIVO DOUTORADO - TURMA 2011 VERSÃO

Leia mais

INSTRUMENTOS DA APLICAÇÃO

INSTRUMENTOS DA APLICAÇÃO INSTRUMENTOS DA APLICAÇÃO FORMULÁRIO DE RASTREAMENTO DE UNIDADE 913000001-7 5º ano Ana Maria COORDENADOR DE AVALIAÇÃO 000.000.000-00 Ana Maria Ana Maria DIRETOR DA UNIDADE ESCOLAR Pacote:913000001-7 913000001-7

Leia mais

PLANO DE AULA/ROTINA DIÁRIA

PLANO DE AULA/ROTINA DIÁRIA EJA Ensino Fundamental 2º Segmento GOVERNO DO ESTADO DO AMAZONAS PLANO DE AULA/ROTINA DIÁRIA Fase/Ano: 4ª Fase 6º e 7º Ano Ano Letivo: 2014 Componente Curricular: Geografia Professores do Estúdio: Jefferson

Leia mais

CIÊNCIAS. Utilizando as palavras do quadro abaixo, complete adequadamente as frases: (6 2cd)

CIÊNCIAS. Utilizando as palavras do quadro abaixo, complete adequadamente as frases: (6 2cd) Nome do Aluno Turma 4º ANO Carteira Nº Questões 9 Tipo Data 19/mar/10 Disciplina CIÊNCIAS Bimestre 1º Nota Pensando no que você estudou sobre habitat, nicho ecológico e ecossistema, resolva sua prova com

Leia mais

LOGOTIPO OU LOGOMARCA?

LOGOTIPO OU LOGOMARCA? E-book para Empreendedores LOGOTIPO OU LOGOMARCA? Dicas para criar um( a ) logo de sucesso www.logovia.com.br A equipe do Logovia deseja que a leitura deste e-book seja agravável e que expanda seu entendimento

Leia mais

Disciplina: Tendências Teórico-Metodológicas do Serviço Social na Contemporaneidade

Disciplina: Tendências Teórico-Metodológicas do Serviço Social na Contemporaneidade Disciplina: Tendências Teórico-Metodológicas do Serviço Social na Contemporaneidade Código: SSO- Semestre: 2013.1 Créditos: 04 - Carga Horária: 60 hs Horário 6ª feira 08:20 11:50hs. Professores: Hélder

Leia mais

UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU ESCOLA TÉCNICA VALE DO ITAJAI TÍTULO NOME

UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU ESCOLA TÉCNICA VALE DO ITAJAI TÍTULO NOME UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU ESCOLA TÉCNICA VALE DO ITAJAI TÍTULO NOME BLUMENAU 2008 NOME DO(S) AUTOR(ES) DO TRABALHO ( quando em grupo os nomes em ordem alfabética ) TÍTULO DO TRABALHO Trabalho apresentado

Leia mais

CENTRO EDUCACIONAL SIGMA

CENTRO EDUCACIONAL SIGMA 5ºAno 1.5 CIÊNCIAS 4º período 10 de dezembro de 2015 Cuide da organização da sua prova. Escreva de forma legível. Fique atento à ortografia e elabore respostas claras. Tudo isso será considerado na correção.

Leia mais

c- Muitas vezes nos deparamos com situações em que nos sentimos tão pequenos e às vezes pensamos que não vamos dar conta de solucioná-las.

c- Muitas vezes nos deparamos com situações em que nos sentimos tão pequenos e às vezes pensamos que não vamos dar conta de solucioná-las. FICHA DA SEMANA 5º ANO A e B Instruções: 1- Cada atividade terá uma data de realização e deverá ser entregue a professora no dia seguinte; 2- As atividades deverão ser copiadas e respondidas no caderno,

Leia mais

Magistério profético na construção da Igreja do Porto

Magistério profético na construção da Igreja do Porto Magistério profético na construção da Igreja do Porto Excertos do pensamento de D. António Ferreira Gomes entre 1969-1982 A liberdade é sem dúvida um bem e um direito, inerente à pessoa humana, mas é antes

Leia mais

LVIII Fórum Estadual de Conselheiros Tutelares. A Política de Educação e Projeto Político Pedagógico para o Enfrentamento à Violência nas Escolas

LVIII Fórum Estadual de Conselheiros Tutelares. A Política de Educação e Projeto Político Pedagógico para o Enfrentamento à Violência nas Escolas LVIII Fórum Estadual de Conselheiros Tutelares A Política de Educação e Projeto Político Pedagógico para o Enfrentamento à Violência nas Escolas Apresentação: Cândido Portinari: painel Guerra e Paz A criança

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA ARTÍSTICA ANTÓNIO ARROIO 2010 / 2011 PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 2.ª FASE. 139-Português

ESCOLA SECUNDÁRIA ARTÍSTICA ANTÓNIO ARROIO 2010 / 2011 PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 2.ª FASE. 139-Português ESCOLA SECUNDÁRIA ARTÍSTICA ANTÓNIO ARROIO 2010 / 2011 PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 2.ª FASE 139-Português Decreto Lei n.º 74 / 2004, de 26 de Março Duração: 120 minutos - Identifique claramente

Leia mais

EAA Editora ARARA AZUL Ltda Revista Virtual de Cultura Surda ENTREVISTA. Carilissa Dall Alba

EAA Editora ARARA AZUL Ltda Revista Virtual de Cultura Surda ENTREVISTA. Carilissa Dall Alba EAA Editora ARARA AZUL Ltda Revista Virtual de Cultura Surda IDENTIFICAÇÃO Nome: Cidade: Estado: País: Formação: Profissão: Local de Trabalho: Local de Estudo: Contatos: Santa Maria RS Brasil Mestrado

Leia mais

REGULAMENTO. III Concurso de Redação do Jogue Limpo DO OBJETIVO. Geral

REGULAMENTO. III Concurso de Redação do Jogue Limpo DO OBJETIVO. Geral REGULAMENTO III Concurso de Redação do Jogue Limpo DO OBJETIVO Geral Estimular a reflexão sobre o exercício da cidadania em crianças e jovens, alunos de escolas públicas dos lugares discriminados no item

Leia mais

Organização da Disciplina. Técnicas de Negociação e Mediação. Aula 1. Contextualização. O Conflito. Instrumentalização

Organização da Disciplina. Técnicas de Negociação e Mediação. Aula 1. Contextualização. O Conflito. Instrumentalização Técnicas de Negociação e Mediação Aula 1 Prof. Me. Fernando Eduardo Mesadri Organização da Disciplina Conceitos de conflitos Dificuldades para lidar com os conflitos Movimentos de rompimento dos paradigmas

Leia mais

ANUALIZAÇÃO 2015/2016

ANUALIZAÇÃO 2015/2016 ESCOLA EB 3,3/S DE VILA FLOR HISTÓRIA E GEOGRAFIA DE PORTUGAL 6º ANO ANUALIZAÇÃO 2015/2016 OBJETIVOS CONTEÚDOS AVALIAÇÃO GESTÃO LETIVA (POR PERÍODO) - Conhecer a sociedade portuguesa no século XVIII -

Leia mais

Leônidas Siqueira Duarte 1 Universidade Estadual da Paraíba UEPB / leonidas.duarte@hotmail.com 1. INTRODUÇÃO

Leônidas Siqueira Duarte 1 Universidade Estadual da Paraíba UEPB / leonidas.duarte@hotmail.com 1. INTRODUÇÃO REFLEXÕES SOBRE ASPECTOS TEÓRICOS E METODOLÓGICOS DO ENSINO DE GEOGRAFIA PRATICADO POR PROFESSORES CURSISTAS DA ESPECIALIZAÇÃO EM FUNDAMENTOS DA EDUCAÇÃO UEPB 2013/2014 Leônidas Siqueira Duarte 1 Universidade

Leia mais

Manual Geral de Aplicação Universal Entrada 2008

Manual Geral de Aplicação Universal Entrada 2008 Universal Entrada 2008 Programa Programa - Manual do Aplicador Teste Universal - 2008 Teste Cognitivo Leitura/Escrita e Matemática Caro alfabetizador(a): Se você está recebendo este material, é porque

Leia mais

Curso de Especialização em DIREITO EMPRESARIAL

Curso de Especialização em DIREITO EMPRESARIAL Curso de Especialização em DIREITO EMPRESARIAL ÁREA DO CONHECIMENTO: Direito. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Direito Empresarial. PERFIL PROFISSIONAL: Conhecer a doutrina,

Leia mais

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A SUA INTERDISCIPLINARIDADE

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A SUA INTERDISCIPLINARIDADE A EDUCAÇÃO AMBIENTAL E A SUA INTERDISCIPLINARIDADE INTRODUÇÃO Autor: Franklin Vieira de Sá Instituição: Universidade Federal do Piauí E-mail: frankkkfalcon@hotmail.com A temática de Educação Ambiental

Leia mais

Uma formação dos professores que vai além dos saberes a serem ensinados

Uma formação dos professores que vai além dos saberes a serem ensinados Uma formação dos professores que vai além dos saberes a serem ensinados Philippe Perrenoud Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação Universidade de Genebra 2012 Endereços Internet http://www.unige.ch/fapse/sse/teachers/perrenoud/

Leia mais

Vivendo em grupo. Que sugestão você daria a dona Rosa para que as galinhas não se bicassem?...

Vivendo em grupo. Que sugestão você daria a dona Rosa para que as galinhas não se bicassem?... A UU L AL A Vivendo em grupo Todos os dias, pela manhã e à tarde, dona Rosa chamava suas galinhas para lhes dar comida. Elas vinham correndo e, assim que chegavam, dona Rosa começava a jogar o milho ou

Leia mais

#PESQUISA CONEXÃO ABAP/RS E O MERCADO PUBLICITÁRIO GAÚCHO NOVEMBRO DE 2015

#PESQUISA CONEXÃO ABAP/RS E O MERCADO PUBLICITÁRIO GAÚCHO NOVEMBRO DE 2015 #PESQUISA CONEXÃO ABAP/RS E O MERCADO PUBLICITÁRIO GAÚCHO NOVEMBRO DE 2015 Metodologia e Perfil da Amostra Quem entrevistamos, como e onde? Perfil Objetivos Tomadores de decisão em Agências de Propaganda

Leia mais

15. ESTÁGIOS CURRICULARES DO BACHARELADO EM TEOLOGIA

15. ESTÁGIOS CURRICULARES DO BACHARELADO EM TEOLOGIA 15. ESTÁGIOS CURRICULARES DO BACHARELADO EM TEOLOGIA O Estágio Supervisionado profissionalizante é uma atividade do Curso Regular de Bacharel em Teologia, visando ir além do aspecto meramente teórico.

Leia mais

O COOPERATIVISMO E A REFORMA AGRÁRIA POPULAR

O COOPERATIVISMO E A REFORMA AGRÁRIA POPULAR O COOPERATIVISMO E A REFORMA AGRÁRIA POPULAR Universidad Nacional Mayor de San Marcos Lima Perú 24 y 25 de junio de 2015 Luis Carlos Costa Eng. Agrônomo MST Paraná/Brasil MST 31 anos de luta! Apresentação

Leia mais

Exemplo COMO FAZER UM TRABALHO ESCOLAR O QUE DEVE CONSTAR EM UM TRABALHO ESCOLAR? Um Trabalho Escolar que se preze, de nível fundamental, deve conter:

Exemplo COMO FAZER UM TRABALHO ESCOLAR O QUE DEVE CONSTAR EM UM TRABALHO ESCOLAR? Um Trabalho Escolar que se preze, de nível fundamental, deve conter: COMO FAZER UM TRABALHO ESCOLAR O QUE DEVE CONSTAR EM UM TRABALHO ESCOLAR? Um Trabalho Escolar que se preze, de nível fundamental, deve conter: 1. Capa 2. Folha de Rosto 3. Sumário 4. Introdução 5. Texto

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DE RELATÓRIO DE CONCLUSÃO DE ESTÁGIO Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil Subsecretaria de Gestão Coordenadoria de Gestão de Pessoas Coordenação de Desenvolvimento Pessoal Gerência de Desenvolvimento

Leia mais

Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948)

Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948) Declaração Universal dos Direitos Humanos (1948) PREÂMBULO Considerando que o reconhecimento da dignidade inerente a todos os membros da família humana e dos seus direitos iguais e inalienáveis constitui

Leia mais

RU Reunião de Unidade Tema: As 50 Melhores Dicas para uma Consultora de sucesso!!!!!!

RU Reunião de Unidade Tema: As 50 Melhores Dicas para uma Consultora de sucesso!!!!!! RU Reunião de Unidade Tema: As 50 Melhores Dicas para uma Consultora de sucesso!!!!!! Conhecimento gera Crescimento!! Porque você pode! 1 - Dizer SIM ao convite da Oportunidade Perfeita 2 - Ter sempre

Leia mais

Koinonia, descobrindo a alegria de pertencer.

Koinonia, descobrindo a alegria de pertencer. ESTUDO 07 TENHAM IGUAL CUIDADO UNS PELOS OUTROS Sinônimos: Cooperem, com igual cuidado, em favor uns dos outros. Sejam solícitos uns para com os outros. Todas as partes tenham o mesmo interesse umas pelas

Leia mais

Como você reage diante do que você ouve, vê, escuta e sente? 10.04.2016 slide 1

Como você reage diante do que você ouve, vê, escuta e sente? 10.04.2016 slide 1 Como você reage diante do que você ouve, vê, escuta e sente? 10.04.2016 slide 1 Como você reage diante do que você...? Ouve? Vê? 10.04.2016 slide 2 Como você reage diante do que você...? Escuta? Sente?

Leia mais

Discurso. (Em Defesa da Autonomia)

Discurso. (Em Defesa da Autonomia) Discurso (Em Defesa da Autonomia) Combato politicamente o Governo Regional socialista há mais de 14 anos. Sempre considerei e continuo a considerar que os Açores estão a perder tempo com a estratégia de

Leia mais

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA PONTA DOS DEDOS: COMO ENSINAR DEFICIENTES VISUAIS?

A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA PONTA DOS DEDOS: COMO ENSINAR DEFICIENTES VISUAIS? A EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA PONTA DOS DEDOS: COMO ENSINAR DEFICIENTES VISUAIS? Weffenberg Silva Teixeira Mercia Helena Sacramento Morgana Maria Arcanjo Bruno Universidade Católica de Brasília Práticas pedagógicas

Leia mais

FILOSOFIA - 3 o ANO MÓDULO 14 A DEMOCRACIA GREGA

FILOSOFIA - 3 o ANO MÓDULO 14 A DEMOCRACIA GREGA FILOSOFIA - 3 o ANO MÓDULO 14 A DEMOCRACIA GREGA Como pode cair no enem (ENEM) Mirem-se no exemplo Daquelas mulheres de Atenas Vivem pros seus maridos Orgulho e raça de Atenas. (BUARQUE, C.; BOAL, A. Mulheres

Leia mais

11. Ciclo de Gestão do Governo Federal

11. Ciclo de Gestão do Governo Federal Marco Legal: Constituição de 1988 11. Ciclo de Gestão do Governo Federal Instrumentos: Planejamento Orçamento Finanças Controle LDO PPA LOA Elementos Normativos: Plano Plurianual - PPA, Lei de Diretrizes

Leia mais

M U L H E R E S D O B R A S I L. Setembro2015

M U L H E R E S D O B R A S I L. Setembro2015 M U L H E R E S D O B R A S I L Setembro2015 COMITÊ SOCIAL A Voz das Mulheres Palestra Andrea Chamma Cristina Schulman Maria Elisa Curcio Inegociáveis Não advogamos em causa própria; Todo o trabalho deve

Leia mais

Mobilidade: implicações económicas. Prof. João Confraria ( UCP )

Mobilidade: implicações económicas. Prof. João Confraria ( UCP ) Mobilidade Uma presença pervasiva no quotidiano das sociedades modernas 21 de Outubro de 2004 Hotel Le Meridien Mobilidade: implicações económicas Prof. João Confraria ( UCP ) Patrocínio Organização Mobilidade:

Leia mais

Evangelizadora, antes de mais, em razão do seu nome. A Universidade Católica não é

Evangelizadora, antes de mais, em razão do seu nome. A Universidade Católica não é A UNIVERSIDADE CATÓLICA E A SUA PROJECÇÃO EVANGELIZADORA A Universidade Católica, pela sua identidade e missão, tem um indeclinável projecto de evangelização. A Universidade Católica é, por definição,

Leia mais

O SUJEITO DOS DIREITOS HUMANOS

O SUJEITO DOS DIREITOS HUMANOS O SUJEITO DOS DIREITOS HUMANOS Marconi Pequeno * * Pós-doutor em Filosofia pela Universidade de Montreal. Docente do Programa de Pós-Graduação em Filosofia e membro do Núcleo de Cidadania e Direitos Humanos

Leia mais

Ismênia Pires. Obra - Operários Tarsila do Amaral 1933

Ismênia Pires. Obra - Operários Tarsila do Amaral 1933 Ismênia Pires Obra - Operários Tarsila do Amaral 1933 Agenda de Hoje Compreendermos melhor : exige um grande esforço vontade verdadeira muito empenho, pois o conforto do já conhecido e sabido, é irresistível

Leia mais

ÉTICA E MORAL. profa. Karine Pereira Goss

ÉTICA E MORAL. profa. Karine Pereira Goss profa. Karine Pereira Goss Muitas vezes utiliza-se esses termos como sinônimos. Mas há diferenças entre eles, embora se relacionem estreitamente. MORAL é um conjunto de normas que regulam o comportamento

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 30 DE JANEIRO SEDE DA PREFEITURA

Leia mais

CONTROLE DA QUALIDADE TOTAL (TQC)

CONTROLE DA QUALIDADE TOTAL (TQC) CONTROLE DA QUALIDADE TOTAL (TQC) Professor: Leandro Zvirtes UDESC/CCT 1 Objetivos de uma empresa Objetivo principal Pessoas Meios Satisfação das necessidades das pessoas CONSUMIDORES EMPREGADOS ACIONISTAS

Leia mais

Processo de planejamento participativo do Plano Diretor Aspectos metodológicos

Processo de planejamento participativo do Plano Diretor Aspectos metodológicos Processo de planejamento participativo do Plano Diretor Aspectos metodológicos Não existe no Estatuto das Cidades uma discrição minuciosa de um procedimento a ser seguido para elaboração dos Planos Diretores,

Leia mais

Curso de Especialização DIREITO AMBIENTAL

Curso de Especialização DIREITO AMBIENTAL Curso de Especialização DIREITO AMBIENTAL ÁREA DO CONHECIMENTO: Direito Meio ambiente. NOME DO CURSO: Curso de Pós-Graduação Lato Sensu, especialização em Direito Ambiental. PERFIL PROFISSIONAL: Conhecer

Leia mais

Todas as crianças, tenham ou não deficiências, têm direito a educação. enhuma criança deve ser considerada ineducável.

Todas as crianças, tenham ou não deficiências, têm direito a educação. enhuma criança deve ser considerada ineducável. TRECHOS DA PALESTRA DE MARIA AMELIA VAMPRÉ XAVIER, DA SEADS E DA FEDERAÇÃO ACIO AL DAS APAES, O ROTARY CLUBE-AEROPORTO, EM 3 DE OVEMBRO DE 2009 SOBRE O TEMA: A SITUAÇÃO DAS CRIA ÇAS O MU DO E SEU DIREITO

Leia mais

BIOLOGIA QUÍMICA HISTÓRIA GEOGRAFIA SOCIOLOGIA

BIOLOGIA QUÍMICA HISTÓRIA GEOGRAFIA SOCIOLOGIA UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO PROCESSO DE INGRESSO NA UPE Sistema Seriado de Avaliação CADERNO DE PROVA - 2ºDIA BIOLOGIA QUÍMICA HISTÓRIA GEOGRAFIA SOCIOLOGIA DADOS DE IDENTIFICAÇÃO DO CANDIDATO Não deixe

Leia mais

Ano 5º Ano. Eixo de Formação Eixo de Formação Profissional. Professor(es) Ms. Demétrius Amaral Beltrão Ms Julio Cesar da Silva Tavares

Ano 5º Ano. Eixo de Formação Eixo de Formação Profissional. Professor(es) Ms. Demétrius Amaral Beltrão Ms Julio Cesar da Silva Tavares Página 1 de 5 A EMENTA Licitações e Contratos Administrativos. Tipos de atividade administrativa: Serviços Públicos e Limitação da autonomia privada (Poder de polícia). Ordenamento urbano e estatuto da

Leia mais

1. Primeiras reflexões: a base, o ponto de partida 15

1. Primeiras reflexões: a base, o ponto de partida 15 Sumário Apresentação 11 1. Primeiras reflexões: a base, o ponto de partida 15 1.1. Uma escola justa em uma sociedade injusta? 17 1.2. O que seria a escola justa: a contribuição de Dubet 19 1.3. A justiça

Leia mais

THOMAS HOBBES LEVIATÃ MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL

THOMAS HOBBES LEVIATÃ MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL THOMAS HOBBES LEVIATÃ ou MATÉRIA, FORMA E PODER DE UM ESTADO ECLESIÁSTICO E CIVIL Thomas Hobbes é um contratualista teoria do contrato social; O homem natural / em estado de natureza para Hobbes não é

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA DE BOLSAS IBERO-AMERICANAS. ESTUDANTES DE LICENCIATURA E MESTRADO. SANTANDER UNIVERSIDADES CONVOCATÓRIA 2016/17

REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA DE BOLSAS IBERO-AMERICANAS. ESTUDANTES DE LICENCIATURA E MESTRADO. SANTANDER UNIVERSIDADES CONVOCATÓRIA 2016/17 REGULAMENTO GERAL DO PROGRAMA DE BOLSAS IBERO-AMERICANAS. ESTUDANTES DE LICENCIATURA E MESTRADO. SANTANDER UNIVERSIDADES CONVOCATÓRIA 2016/17 No espírito das orientações, propostas e conclusões contidas

Leia mais

Aula demonstrativa Apresentação... 2 Negação de Proposições e Leis de De Morgan... 3 Relação das questões comentadas... 9 Gabaritos...

Aula demonstrativa Apresentação... 2 Negação de Proposições e Leis de De Morgan... 3 Relação das questões comentadas... 9 Gabaritos... Aula demonstrativa Apresentação... 2 Negação de Proposições e Leis de De Morgan... 3 Relação das questões comentadas... 9 Gabaritos... 11 1 Apresentação Olá, pessoal! Tudo bem com vocês? Vamos sair na

Leia mais

Fundamentos da Educação

Fundamentos da Educação Fundamentos da Educação Aula 2 Fundamentos Históricos da Educação Profª MSc. Marta Ouchar de Brito Fundamentos Históricos da Educação Ú Educação no Egito Ú Educação na Grécia Ú Educação em Roma Ú Educação

Leia mais

GESTÃO ESTRATÉGICA 21/03/2011 UNIVERSIDADE GAMA FILHO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

GESTÃO ESTRATÉGICA 21/03/2011 UNIVERSIDADE GAMA FILHO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO UNIVERSIDADE GAMA FILHO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO GESTÃO ESTRATÉGICA Prof. Marcelo Lisboa Luz VISÃO Aonde a empresa quer chegar Explicitação do que se idealiza Envolve desejos, valores, vontades, sonhos e

Leia mais

Data: 06 a 10 de Junho de 2016 Local: Rio de Janeiro

Data: 06 a 10 de Junho de 2016 Local: Rio de Janeiro Data: 06 a 10 de Junho de 2016 Local: Rio de Janeiro Justificativas O Estado contemporâneo busca superar uma parte substantiva dos obstáculos que permeiam as políticas públicas e as ações privadas através

Leia mais

Piraí é mais Cultura. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente)

Piraí é mais Cultura. Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Piraí é mais Cultura Mostra Local de: Piraí do Sul Categoria do projeto: I Projetos em andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: Secretaria de Cultura de Piraí do Sul Cidade:

Leia mais

Sinais da. Boa Nutrição. Alice Silveira Granado. CRN 3 : 17638 Nutricionista

Sinais da. Boa Nutrição. Alice Silveira Granado. CRN 3 : 17638 Nutricionista ç Sinais da ç Boa Nutrição Alice Silveira Granado CRN 3 : 17638 Nutricionista Crescimento Adequado Funcionamento Regular do Intestino Dentes Fortes e Saudáveis Bom Apetite Boa Imunidade Peso Adequado Pele

Leia mais

Segue o texto do Dr. Mário Sérgio Vasconcelos para o I Encontro Temático de Marília. Seguir o padrão dos textos anteriores.

Segue o texto do Dr. Mário Sérgio Vasconcelos para o I Encontro Temático de Marília. Seguir o padrão dos textos anteriores. Aprender a Fazer Produções Educacionais Curitiba, maio de 2007-05-23 Segue o texto do Dr. Mário Sérgio Vasconcelos para o I Encontro Temático de Marília. Seguir o padrão dos textos anteriores. Professor

Leia mais

ATRIBUTOS ou DIREITOS da PERSONALIDADE

ATRIBUTOS ou DIREITOS da PERSONALIDADE ATRIBUTOS ou DIREITOS da PERSONALIDADE Existem direitos denominados personalíssimos porque incidem sobre bens que estão intimamente ligados à pessoa humana, são intransmissíveis e irrenunciáveis, não podendo

Leia mais

UM JOGO BINOMIAL 1. INTRODUÇÃO

UM JOGO BINOMIAL 1. INTRODUÇÃO 1. INTRODUÇÃO UM JOGO BINOMIAL São muitos os casos de aplicação, no cotidiano de cada um de nós, dos conceitos de probabilidade. Afinal, o mundo é probabilístico, não determinístico; a natureza acontece

Leia mais

Gerência de Projetos e Manutenção de Software Aula 1- Apresentação do Curso. Andréa Magalhães Magdaleno andrea@ic.uff.br

Gerência de Projetos e Manutenção de Software Aula 1- Apresentação do Curso. Andréa Magalhães Magdaleno andrea@ic.uff.br Gerência de Projetos e Manutenção de Software Aula 1- Apresentação do Curso Andréa Magalhães Magdaleno andrea@ic.uff.br Agenda Apresentações Motivação Escopo do curso Como será o curso? APRESENTAÇÕES Apresentações

Leia mais

Vila Praia de Âncora Monopólio privado do 3º ciclo com escola pública disponível do outro lado da Rua.

Vila Praia de Âncora Monopólio privado do 3º ciclo com escola pública disponível do outro lado da Rua. Vila Praia de Âncora Monopólio privado do 3º ciclo com escola pública disponível do outro lado da Rua. N a verdade, na escola básica do Vale do Âncora, em Vila Praia de Âncora, podemos usar, e com mais

Leia mais

EDUCADOR, MEDIADOR DE CONHECIMENTOS E VALORES

EDUCADOR, MEDIADOR DE CONHECIMENTOS E VALORES EDUCADOR, MEDIADOR DE CONHECIMENTOS E VALORES BREGENSKE, Édna dos Santos Fernandes* Em seu livro, a autora levanta a questão da formação do educador e a qualidade de seu trabalho. Deixa bem claro em diversos

Leia mais

ÍNDICE. 1.1 Apresentação do Centro...2. 1.2 Direitos...2. 1.3 - Deveres...3. 1.4 - Organização...3

ÍNDICE. 1.1 Apresentação do Centro...2. 1.2 Direitos...2. 1.3 - Deveres...3. 1.4 - Organização...3 ÍNDICE I - 1.1 Apresentação do Centro...2 1.2 Direitos......2 1.3 - Deveres...3 1.4 - Organização...3 II Voluntariado 2.1 Apresentação do Voluntário...4 2.2 Perfil do Voluntário...5 2.3 Funções...6 2.4

Leia mais

Ensino Fundamental II

Ensino Fundamental II Ensino Fundamental II Valor: 2,0 Nota: Data: / /2016 Professora: Angela Disciplina: Geografia Nome: n o : Ano: 6º 1º bimestre Trabalho de Recuperação de Geografia Orientações: - Leia atentamente as questões

Leia mais

Visita à Odebrecht 16 de Abril de 2015

Visita à Odebrecht 16 de Abril de 2015 Visita à Odebrecht 16 de Abril de 2015 Introdução Poucas empresas se consolidam no mercado por tanto tempo e com tamanha qualidade, tradição e compromisso na prestação de seus serviços. A 80 anos a Odebrecht

Leia mais

Dados internacionais de catalogação Biblioteca Curt Nimuendajú

Dados internacionais de catalogação Biblioteca Curt Nimuendajú Catalogação: Cleide de Albuquerque Moreira Bibliotecária/CRB 1100 Revisão: Elias Januário Revisão Final: Karla Bento de Carvalho Consultor: Luís Donisete Benzi Grupioni Projeto Gráfico/Diagramação: Fernando

Leia mais

DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO:

DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO: DISCIPLINA: FILOSOFIA PROFESSOR: ENRIQUE MARCATTO DATA: 18/12/2015 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 2ª TURMA: Nº: I N S T R U Ç Õ E S 1. Este trabalho contém

Leia mais

1. O rapaz da história faz realmente uma sopa de pedras? Explique.

1. O rapaz da história faz realmente uma sopa de pedras? Explique. Nome: Data: Unidade 1 Leia o texto a seguir e depois responda às questões de 1 a 9. A sopa de pedras Um rapaz pobre e faminto andava pelo campo em busca de alimento. Teve uma ideia e resolveu colocá-la

Leia mais

Associação Fundo Jovem Tsedaká

Associação Fundo Jovem Tsedaká Associação Fundo Jovem Tsedaká O Fundo Jovem é uma organização sem fins lucrativos, focada em dar acesso ao ensino superior a estudantes provenientes de famílias de baixa renda. Além disso mobiliza jovens

Leia mais

IUS RESUMOS. Direitos Políticos. Organizado por: Samille Lima Alves

IUS RESUMOS. Direitos Políticos. Organizado por: Samille Lima Alves Direitos Políticos Organizado por: Samille Lima Alves SUMÁRIO I. DIREITOS POLÍTICOS... 3 1. Caracterizando os Direitos Políticos... 3 1.1 Conceito de Direitos Políticos... 3 1.2 Direitos políticos, nacionalidade

Leia mais

ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PROGRAMA DE PROCEDIMENTO

ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PROGRAMA DE PROCEDIMENTO ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE LIMPEZA E DESOBSTRUÇÃO DE INFRAESTRUTURAS DA AdCA PROGRAMA DE PROCEDIMENTO Página 1 de 11 ÁGUAS DO CENTRO ALENTEJO, S.A. PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE

Leia mais

IESA- ESTUDO DIRIGIDO 1º SEMESTRE 7º ANO- MANHÃ E TARDE- CIÊNCIAS PROFESSORAS: CLÁUDIA, CELIDE E IGNÊS. Aluno(a): Turma:

IESA- ESTUDO DIRIGIDO 1º SEMESTRE 7º ANO- MANHÃ E TARDE- CIÊNCIAS PROFESSORAS: CLÁUDIA, CELIDE E IGNÊS. Aluno(a): Turma: IESA- ESTUDO DIRIGIDO 1º SEMESTRE 7º ANO- MANHÃ E TARDE- CIÊNCIAS PROFESSORAS: CLÁUDIA, CELIDE E IGNÊS Aluno(a): Turma: Querido (a) aluno (a), Este estudo dirigido foi realizado para que você revise os

Leia mais

MUNICÍPIOS DA PENÍNSULA DE SETÚBAL ASSOCIAÇÕES ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2016 BASQUETEBOL REGULAMENTO

MUNICÍPIOS DA PENÍNSULA DE SETÚBAL ASSOCIAÇÕES ESCOLAS JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2016 BASQUETEBOL REGULAMENTO JOGOS DO FUTURO DA REGIÃO DE SETÚBAL 2016 BASQUETEBOL REGULAMENTO 1. Organização A organização da competição de Basquetebol dos Jogos do Futuro da Região de Setúbal 2016 é da responsabilidade da Câmara

Leia mais

Agrupamento de Escolas da Damaia

Agrupamento de Escolas da Damaia Agrupamento de Escolas da Damaia Grupo de Educação Especial Unidade de Apoio Especializado à Multideficiência 2/3 ciclo Visita de Estudo à Hípica de Oeiras Visita de Estudo ao Centro Cultural de Belém

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2014

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2014 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2014 Reconhece a essencialidade do serviço de acesso à internet em banda larga e altera a Lei nº 9.472, de 16 de julho de 1997, para prever sua prestação em regime público.

Leia mais