licenciaturas mestrados pós-graduações esad/lab

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "licenciaturas mestrados pós-graduações esad/lab"

Transcrição

1 A

2 Fundada em 1989, a esad, Escola Superior de Artes e Design de Matosinhos, é uma instituição de ensino superior privada que gradualmente se impôs como uma referência de qualidade ao nível da formação, investigação e dinamização no campo do design e das artes. O objectivo da esad é formar os alunos para a compreensão do papel do design e das artes e desenvolver a capacidade de intervenção crítica nos contextos nacionais e internacionais, ampliando competências ao nível da criatividade, da inovação, da crítica e da tecnologia. Desde a sua fundação, a esad apostou num ensino de qualidade e reflectiu sempre a consciência de que as escolas, para além de instituições conferidoras de graus académicos, devem assumir-se como instituições formadoras no sentido pleno do termo e como plataformas comunicantes entre a comunidade civil, a indústria e o mercado. Assim, a esad desenvolve a sua ambiciosa missão educar, melhorar, inovar orientada por um espírito em que a valorização do design e das artes reflecte um olhar atento sobre a realidade na qual a escola se integra e uma vontade de contribuir sempre para tornar essa realidade melhor. B

3 licenciaturas O 1º Ciclo, conducente ao grau de Licenciado, tem, em cada área específica, o intuito de garantir uma formação de excelência no design e nas artes, tendo presente o objectivo geral de contribuir para o progresso da sociedade, desenvolvendo e adequando as competências ao nível da criatividade, da inovação, da crítica e da tecnologia, de modo a assegurar uma resposta eficaz e pertinente às questões e problemas actualmente colocados. A Licenciatura em Design ramifica-se em quatro áreas de especialização: Design de Comunicação, Design de Interiores, Design de Produto e Design de Moda; e a Licenciatura em Artes permite a opção por uma de duas áreas de especialização: Artes Digitais e Multimédia ou Joalharia. Ambos os planos de estudos organizam-se em 3 anos (180 ECTS) e, ao longo deste percurso formativo, o número de unidades curriculares (UCs) específicas e de UCs optativas vai aumentando gradualmente, no sentido de corresponder, por um lado, à necessidade de efectivar a opção por uma das áreas de especialização garantindo conhecimentos de carácter mais orientado, competências técnicas e metodologias mais específicas e, por outro, à crescente consciência do aluno das suas necessidades/ exigências particulares de formação e/ou do seu perfil e papel profissional. mestrados Os cursos da esad fomentam a pluralidade de percursos de formação para irem ao encontro de desejos e anseios de realização individual. A flexibilização dos percursos académicos permite gerar mais-valias para os alunos, sobretudo através de um maior número de fases de formação. O 2º Ciclo, conducente ao grau de Mestre, pretende garantir o desenvolvimento do trabalho elaborado no ciclo anterior, proporcionar uma formação contínua e gradualmente mais exigente e acompanhar o desenvolvimento e maturidade do aluno, com o objectivo de preparar profissionais capazes de responder às necessidades das empresas e dos gabinetes de projecto e de certificar que neles se integram sem constrangimentos. O Mestrado em Design contempla 3 núcleos de especialização: Comunicação, Produto e Interiores. Estruturado em 2 anos (120 ECTS), o plano de estudos do Mestrado em Design concilia UCs de natureza teórica, projectual e laboratorial. O 1º ano é composto por uma UC teórica transversal, uma UC de domínio projectual (Projecto) e um conjunto de UCs específicas orientadas ao desenvolvimento de competências de carácter prático. O 2º ano completa este percurso de estudos com uma UC semestral, que garante o aprofundamento desejado do percurso formativo e a realização de um projecto, de um relatório de estágio ou de uma dissertação com a respectiva apresentação e defesa públicas. pós-graduações Como percurso alternativo de acesso ao grau de Mestre, a ESAD disponibiliza um conjunto de Pós- -Graduações, com creditação no seu Mestrado em Design. Estas formações correspondem a itinerários formativos em áreas específicas do design, que proporcionam aos seus participantes a aquisição e aprofundamento de conhecimentos, assim como o desenvolvimento de competências profissionais, procurando, por um lado, responder a necessidades emergentes do mercado de trabalho, e, por outro, munir os participantes de uma formação especializada e profissionalizante que se constitua como uma importante ferramenta em contexto empresarial. esad/lab A ESAD oferece, ainda, um vasto programa de Formação Aberta ESAD/LAB que possibilita, em curtos períodos de tempo, aos alunos que se encontram no percurso de Licenciatura e Mestrado, bem como a profissionais, a actualização de conhecimentos e a aquisição de novas competências, em áreas como o desenho, o vídeo, a animação, a modelação ou o game design. 2 3

4 mobilität mobility mobilnost liikuvus movilidad mobilitat liikkuvuus mobilité mobiliteit mobilitás mobilità mobilitāte mobilumas mobilità mobilności mobilitate hareketlilik mobilidade κινητικότητα תודיינה мобильность mobilidade internacional Promover a cidadania europeia, as relações interculturais na área do design e das artes e possibilitar aos alunos a frequência, por períodos de três meses a um ano, de universidades estrangeiras, são objectivos da ESAD, seja ao abrigo do Programa ERASMUS, seja ao abrigo de Acordos Bilaterais. A ESAD orgulha- -se também de atrair um elevado número de alunos estrangeiros (cerca de 10% dos alunos da ESAD em 2010/2011) e de ser visitada anualmente por muitos professores estrangeiros para orientarem workshops, proferirem conferências ou contactarem com os coordenadores de cada área de especialização Vantaa Saint Petersburg Tallinn Riga Glasgow Siauliai Gdansk Dublin Vilnius 2001/ / / /11 Lorient Nantes Amiens Paris Antwerp Brussels Liege Idar-Oberstein Eindhoven Hasselt Cologne Zurich Milan Ljubljana Graz Brescia Lodz Katowice Banská Bystrica Warsaw Budapest Iasi Alunos da esad no estrangeiro Alunos internacionais na ESAD Alemanha, Áustria, Bélgica, Escócia, Eslováquia, Eslovénia, Estónia, Espanha, Finlândia, França, Grécia, Holanda, Hungria, Irlanda, Israel, Itália, Letónia, Lituânia, Malta, Polónia, Roménia, Suíça, Turquia, Brasil, Canadá, Rússia. ESAD Asturias Zamora Segovia Montreal Rio de Janeiro Belo Horizonte Madrid La Rioja Burgos Soria Barcelona Castellon Tommelloso Valencia Ciudad Real Alcoy Murcia Orihuela Alicante Urbino Naples Malta Ioannina Athens Istambul Eskisehir Mytilini Izmir Burdur Antalya Ankara Adana Tel Aviv A ESAD tem hoje cerca de 70 parcerias com universidades estrangeiras, o que abre um vasto leque de escolhas aos alunos do 2º e 3º anos do curso de Licenciatura e também aos alunos do 2º Ciclo de Estudos (Mestrado). A ESAD procura possibilitar aos alunos que concluem o curso a realização de estágios em empresas estrangeiras, ao abrigo do Programa Leonardo, tendo estabelecido, para isso, uma parceria com a APGEI Porto. Para dar a possibilidade aos alunos do 2º Ciclo de Estudos de frequentarem, em tempo parcial ou integral, estágios curriculares, a ESAD tem procurado também, junto de universidades e empresas estrangeiras, assinar parcerias e protocolos de colaboração. 5

5 O curso de Design de Comunicação tem por objectivo a formação de designers que possam dar resposta às solicitações dos diferentes organismos institucionais, públicos ou privados, nas áreas de identidade, editorial, cartaz, ilustração, embalagem, infografia, webdesign e type design. O plano de formação valoriza o raciocínio crítico e o pensamento sistémico; a experimentação e a resolução dinâmica de problemas; a criatividade e a curiosidade intelectual; e o desenvolvimento de competências interpessoais. A aproximação do aluno à realidade profissional tem por objectivo enriquecer a componente criativa e o reforço dos valores identitários da sua personalidade e individualidade, de modo a que desenvolva uma consciência crítica, cívica e ética face às questões do meio ambiente, da inclusão e da sustentabilidade, numa procura contínua da melhoria da qualidade de vida do Homem e das sociedades. O curso de Design de Interiores tem por objectivo a formação de profissionais que pretendam desenvolver competências de compreensão e transformação dos espaços, bem como a aprendizagem dos instrumentos projectuais inerentes aos campos arquitectónico, do equipamento e do mobiliário. A ténue e frágil separação disciplinar entre o design e a arquitectura permite ao aluno aprofundar uma sensibilidade muito própria no que diz respeito à noção de habitar como espaço de vivência. A essência do Design de Interiores será sempre em torno das pessoas e da forma como habitam os espaços. É finalidade deste curso encontrar um sentido mais profundo do habitar contemporâneo numa perspectiva sustentável e equilibrada de carácter social. A prática do projecto de Interiores exige uma instrução rigorosa, assim como um trabalho contínuo, e exprime-se como forma de arte, mas igualmente numa profissão técnica, sedutora e próspera. comunicação interiores licenciatura em design licenciatura em design 1ºANO 24 HS 60 ECTS 3ºANO 24 HS 60 ECTS 1ºANO 24 HS 60 ECTS 3ºANO 24 HS 60 ECTS Fundamentos do Design A Projecto II Comunicação A Fundamentos do Design A Projecto II Interiores A Desenho I A Digital Media Design A Desenho I A Laboratório Digital III A Laboratório Digital I A Design e Cultura Visual A Laboratório Digital I A Cultura do Habitar A Laboratório de Imagem A Produção Gráfica A Laboratório de Imagem A Sistemas Construtivos A Geometria e Projectação A Teoria do Design A Geometria e Projectação A Teoria do Design A História das Artes e do Design A História das Artes e do Design A Teoria da Percepção A 2 6 OPTATIVAS Teoria da Percepção A 2 6 OPTATIVAS Embalagem A Cor, Luz e Matéria S 3 4, Grafismos e Merchandising A Iluminotécnica S 3 4,5 2ºANO 23 HS 60 ECTS 2ºANO 23 HS 60 ECTS Modelação e Animação A Gestão, Orçamentação S 3 4, Projecto I Comunicação A Marketing, Comunicação e Branding S 3 4, Projecto I Interiores A 6 15 e Comunicação de Projecto Maquetagem e Prototipagem S 3 4, Visualização de Informação S 3 4, Laboratório Digital II A Laboratório Digital II A Técnicas de Representação no Espaço S 3 4, Desenho e Expressão Criativa A Desenho II A Desenho II A Vitrinismo e Visual Merchandising S 3 4, Fotografia A Ilustração A Construção para Interiores A Desenho e Expressão Criativa A 3 9 O aluno deverá seleccionar um conjunto de unidades Estudos de Tipografia A Laboratório de Materiais A 2 6 curriculares optativas até atingir o total de 18 ETCS Fotografia A História dos Media A História dos Interiores A 2 6 O aluno deverá seleccionar um conjunto de unidades Metodologias em Design A 2 6 (HS) Horas Semanais, (ECTS) European Credit Transfer Metodologias em Design A 2 6 curriculares optativas até atingir o total de 18 ETCS. and Accumulation System, (A) Anual, (S) Semestral (HS) Horas Semanais, (ECTS) European Credit Transfer and Accumulation System, (A) Anual, (S) Semestral 6 7

6 O curso de Design de Moda tem como principal objectivo formar profissionais capazes de propor soluções inovadoras e atentas às múltiplas solicitações de um mercado em grande e rápida transformação, assim como dar resposta a necessidades de formação concretas, gerindo o processo de desenvolvimento do projecto de moda nos seus aspectos tecnológicos e produtivos. O plano de formação baseia-se em diagnósticos de necessidades e observações críticas das actuais mudanças socioculturais, nas inovações tecnológicas e no uso de novos materiais, bem como na análise da realidade produtiva do meio em que se insere, adoptando uma efectiva ligação à indústria. O curso de Design de Produto tem como objectivo formar profissionais para integrarem a indústria e contribuírem para o seu desenvolvimento, através da visão crítica das condicionantes produtivas e de mercado. As unidades curriculares deste curso foram concebidas com vista a estimular fortemente a metodologia projectual reflexiva. Este curso pretende conduzir à elaboração de propostas que, congregando factores funcionais, estéticos, tecnológicos, sócio-económicos e culturais, de carácter relacional e sensorial, garantam o projecto de um universo de objectos e sistemas que contribuam de forma concreta para o desenvolvimento da sociedade. moda produto licenciatura em design licenciatura em design 1ºANO 24 HS 60 ECTS 3ºANO 24 HS 60 ECTS 1ºANO 24 HS 60 ECTS 3ºANO 24 HS 60 ECTS Fundamentos do Design A Projecto II Moda A Fundamentos do Design A Projecto II Produto A Desenho I A Desenho de Moda II A Desenho I A Laboratório Digital III A Laboratório Digital I A Correntes da Moda Contemporânea A Laboratório Digital I A Design de Produto Integrado A Laboratório de Imagem A Laboratório Digital de Moda A Laboratório de Imagem A Laboratório de Produto A Geometria e Projectação A Teoria do Design A Geometria e Projectação A Teoria do Design A Histórias das Artes e do Design A Histórias das Artes e do Design A Teoria da Percepção A 2 6 OPTATIVAS Teoria da Percepção A 2 6 OPTATIVAS Modelação e Produção A Desenvolvimento de Produto S 3 4,5 2ºANO 23 HS 60 ECTS Fotografia e Produção de Moda S 3 4,5 2ºANO 23 HS 60 ECTS Ergonomia S 3 4, Marketing e Publicidade na Moda S 3 4, Gestão do Produto S 3 4, Projecto I Moda A Padrões e Estamparia S 3 4, Projecto I Produto A Marcas e Estratégias de Produto S 3 4, Desenho II A Desenho e Expressão Criativa A Desenho II A Sketching e Rendering Manual S 3 4, Desenho de Moda I A Fotografia A Laboratório Digital II A Desenho e Expressão Criativa A Técnicas Produtivas A Laboratório de Materiais A História da Moda e da Joalharia A 2 6 O aluno deverá seleccionar um conjunto de unidades curriculares optativas até atingir o total de 18 ETCS. (HS) Horas Semanais, (ECTS) European Credit Transfer Modelos e Protótipos A História do Design Industrial A Laboratório de Materiais A Fotografia A 3 9 O aluno deverá seleccionar um conjunto de unidades curriculares optativas até atingir o total de 18 ETCS Metodologias em Design A 2 6 and Accumulation System, (A) Anual, (S) Semestral Metodologias em Design A 2 6 (HS) Horas Semanais, (ECTS) European Credit Transfer and Accumulation System, (A) Anual, (S) Semestral 8 9

7 O curso de Artes Digitais e Multimédia tem como objectivo a formação pluridisciplinar assente em temas que integram aspectos organizacionais, sociais e tecnológicos relacionados com a criação e aplicação de conteúdos multimédia. Com o intuito de formar criadores capazes de propor soluções inovadoras e de dar respostas ajustadas às solicitações do mercado, este plano curricular visa fornecer os meios adequados para a investigação e compreensão optimizada da linguagem dos media, assim como desenvolver capacidades narrativas que induzam o aluno à experimentação e à realização de soluções operativas em áreas de crescimento exponencial como a web, a animação e a produção audiovisual. artes digitais e multimédia O curso de Joalharia tem como objectivo a aposta na formação de criadores que invistam na arte, assim como o desenvolvimento de competências que permitam a sua integração em equipas multidisciplinares e a resposta às solicitações das indústrias do sector. Pretende promover o desenvolvimento de competências que tenham em conta preexistências para reinterpretar técnicas, matérias, modelos ou imagens simbólicas, e o incremento de aptidões que permitam articular estes aspectos com o recurso a materiais recentes e a tecnologias do domínio digital e da prototipagem. É privilegiada a aprendizagem pluridisciplinar, apresentando-se propostas criativas e alternativas para uma diversidade de imaginários emergentes, equacionando a jóia como meio de comunicação social, como contributo para a diferença e para a construção da imagem de cada indivíduo. A adaptação a novas situações de trabalho e a investigação são também áreas valorizadas. joalharia licenciatura em artes licenciatura em artes 1ºANO 24 HS 60 ECTS 3ºANO 24 HS 60 ECTS 1ºANO 24 HS 60 ECTS 3ºANO 24 HS 60 ECTS Fundamentos do Design A Projecto Multimédia A Fundamentos do Design A Projecto de Joalharia II A Desenho I A Motion Graphics A Desenho I A Laboratório Digital III A Laboratório Digital I A Narrativas Multimédia A Laboratório Digital I A Estudos de Joalharia Contemporânea A Laboratório de Imagem A Análise e Crítica dos Media A Laboratório de Imagem A Técnicas de Produção II A Geometria e Projectação A 3 6 Contemporâneos Geometria e Projectação A Teoria do Design A História das Artes e do Design A Teoria do Design A História das Artes e do Design A Teoria da Percepção A Teoria da Percepção A 2 6 OPTATIVAS OPTATIVAS Cinzelagem A 3 9 2ºANO 23 HS 60 ECTS Desenho para Ecrã A Desenho II A Laboratório de Som A Laboratório de Vídeo A Escrita Criativa e Processos Narrativos A Animação 3D A Produção Audiovisual A Web e Interfaces A Desenho e Expressão Criativa A Fotografia A 3 9 O aluno deverá seleccionar um conjunto de unidades curriculares optativas até atingir o total de 18 ETCS. 2ºANO 23 HS 60 ECTS Projecto de Joalharia I A Laboratório Digital II A Desenho II A Materiais e Tecnologias A Técnicas de Produção I A Anodização S 3 4, Esmaltes S 3 4, Gemologia S 3 4, Desenho e Expressão Criativa A Fotografia A 3 9 O aluno deverá seleccionar um conjunto de unidades curriculares optativas até atingir o total de 18 ETCS História dos Media A Metodologias em Design A 2 6 (HS) Horas Semanais, (ECTS) European Credit Transfer and Accumulation System, (A) Anual, (S) Semestral História da Moda e da Joalharia A Metodologias em Design A 2 6 (HS) Horas Semanais, (ECTS) European Credit Transfer and Accumulation System, (A) Anual, (S) Semestral 10 11

8 O designer é um profissional do projecto. A maturação de competências necessárias a estas práticas projectuais exige uma formação alargada, de carácter transdisciplinar, que possibilite a interligação da teorização, da experimentação e da produção em Design, sendo esta a missão do 2º Ciclo de estudos da ESAD. mestrado em design comunicação, interiores, produto O Mestrado em Design visa garantir o desenvolvimento das competências trabalhadas num primeiro ciclo de estudos, proporcionar uma formação contínua e gradualmente mais exigente e acompanhar o processo de desenvolvimento do aluno. Pretende, deste modo, preparar profissionais capazes de responder às necessidades das empresas e dos gabinetes de projecto e garantir que nelas são integrados sem constrangimentos. O plano de estudos do 2º Ciclo pretende dotar os alunos de referências conceptuais e projectuais que lhe permitam interligar a teorização, a experimentação e a produção em design, o que pressupõe a aquisição de instrumentos e de vocabulário de natureza mista, mediando teoria e prática. Ancorada em unidades curriculares teóricas, a afirmação da identidade de cada aluno emerge compulsivamente da sua prática projectual por via de uma conceptualização integrada, sistémica e holística do projecto. Esta abordagem procura sedimentar e desenvolver a capacidade de investigação como suporte dos processos criativos, bem como a capacidade de análise crítica do quotidiano e dos paradigmas projectuais, prevendo a transformação de uma realidade existente numa realidade desejável, satisfazendo necessidades individuais e colectivas, e visando a inclusão e a sustentabilidade. É de igual importância o desenvolvimento da capacidade de gestão da complexidade das relações estruturais e funcionais das sociedades e das suas organizações, garantindo a necessidade de condutas éticas e respeito pelos códigos deontológicos nas dinâmicas projectuais

9 docentes Andrew Howard Susanna Edwards José Bártolo Susana Barreto convidados Ian Noble John Bateson Afonso Borges Martin Conreen Eugene Dodd Paul Farrington George Hardie Andy Haslam Katharina Koall Martin McGrath Hamish Muir Mark Pawson David Preston Emílio Remelhe Lucienne Roberts Giles Rollestone Lawrence Zeegan Sanneke Duijf David Phillips APFEL O Design de Comunicação tem por objectivo desenvolver a compreensão dos diferentes processos, condições e propriedades, tanto do ponto de vista conceptual como prático, que informam e direccionam o processo de transformação da prática do design. O plano de estudos possui uma estrutura concebida para ajudar os estudantes a desenvolverem uma aprendizagem independente, incentivando a construção e exploração de projectos relacionados com áreas de interesse pessoal específico. A filosofia primordial do curso assenta no destaque dado à investigação, à metodologia e ao pensamento visual e possibilita que se explorem preocupações individuais, através de um estudo focado no design da comunicação visual. No centro do curso encontra-se o axioma design is thinking made visible. O curso é ministrado essencialmente em inglês. mestrado em design coordenação Andrew Howard comunicação 1 O Mestrado em Design de Comunicação incentiva os estudantes a dirigirem um olhar crítico aos elementos que constituem a comunicação visual contemporânea e a função mais ampla que esta ocupa na sociedade. O curso dá um especial realce ao design prático, apoiado por um estudo teórico e contextual e pela aplicação de metodologias claras de investigação. O curso possibilita aos alunos envolverem-se num nível mais profundo de compreensão da comunicação de mensagens e ideias, e desenvolverem um projecto pessoal independente orientado para a investigação destes princípios e para a sua aplicação a resultados significativos e eficazes. Os alunos que frequentarem o curso serão provenientes de múltiplas origens. Prevemos que entre os candidatos se contem designers gráficos, ilustradores, designers de informação, designers interactivos, designers web, professores de design, directores artísticos, arquitectos, directores criativos e historiadores de arte e design. A característica comum a todos os alunos que frequentarem o curso é o empenho colocado na exploração do design gráfico e na forma como se transmitem as ideias e os valores, bem como o desejo de saberem mais sobre a disciplina escolhida. Este Mestrado tem por objectivo promover o valor e o papel do design na sociedade: proporcionar às pessoas que possuem as aptidões criativas, analíticas e comunicacionais necessárias a evolução que lhes permita aguentar a mudança dos futuros ambientes de trabalho e a confiança e os conhecimentos para questionarem as ortodoxias em vigor na profissão do design gráfico. O corpo docente conta com a competência e o conhecimento dos melhores designers nacionais e internacionais, constituindo um colectivo institucional capaz de trazer para o curso as ideias e as práticas mais relevantes e a mais ampla experiência Publicação The Bookshop, Miguel Almeida. 2 Conjunto de cartazes Letterpress, Albert Jornet. 3 Livro The Airforce, Sílvia Fernandes. 1ºANO 20 HS 60 ECTS Estudos Contextuais A Projecto de Comunicação A Laboratório de Design de Comunicação A Estudos de Casos em Design A 3 9 2ºANO 12 HS 60 ECTS Práticas de Design de Comunicação S Projecto/Relatório de Estágio/Dissertação S

10 docentes Maria Milano Paolo Deganello Pedro Resende Leão Rui Canela José Bártolo convidados AA _ Arquitectos Anónimos Atelier do Corvo João Cruz João Mendes Ribeiro José António Teixeira / RAR Imobiliária Luís Pereira Miguel MOOV Nuno Valentim Arquitectos Pedro Figueiredo Sami Rintala Gagur Eggertsson / Massimiliano Spadoni / Paolo Mestriner François e Linde Burkhardt O Design de Interiores é uma disciplina de fronteira. Configura-se a partir de diversos âmbitos disciplinares, da arquitectura ao design, da arte à comunicação. O seu território é o espaço do habitar. É objectivo do Mestrado em Design de Interiores desenvolver competências projectuais que permitam a um profissional ser capaz de dar resposta às múltiplas e variadas necessidades, expectativas e desejos, explícitos ou implícitos, do futuro morador dos espaços projectados. Consequentemente será transversal ao curso uma análise dos modelos socioculturais da cidade contemporânea e os princípios da sustentabilidade. mestrado em design coordenação Maria Milano interiores 1 Intervindo, na maioria dos casos, a partir de uma preexistência, o designer de interiores terá de operar activando uma sensibilidade que lhe permita aproveitar ao máximo os elementos expressivos do espaço onde intervém. Terá que compreender a sua "disponibilidade" para se transformar num lugar onde se possam articular outras funções e uma nova história. O passado é um recurso e não um obstáculo à actualização das funções do habitar contemporâneo. O projecto do preexistente é um projecto de coexistências, de integrações e de sobreposições de memórias, concorrendo todas para a realização de um habitat denso de significado. Um tema subjacente ao curso será a convivência dialéctica entre as diversas modalidades do construir e do habitar, do passado e do presente, privilegiando uma postura projectual que valorize a conjugação de elementos recuperados, com fragmentos do passado "congelados" e com a integração de novos elementos. Neste contexto, o projecto do mobiliário será considerado uma ferramenta privilegiada de transformação e articulação funcional e figurativa dos espaços. O Mestrado em Design de Interiores é constituído por um 1º ano que irá consolidar os fundamentos do design de interiores, as técnicas construtivas, os instrumentos e as metodologias, a representação e a comunicação do projecto. O 2º ano irá constituir um momento de aprofundamento de temas, em função dos interesses e da vocação de cada estudante, que como trabalho final poderá desenvolver um projecto, uma dissertação ou um estágio numa empresa Projecto de Reabilitação, Elisabete Martins. 2 Concept Bookshop, Mafalda Moreira. 3 Projecto de Reabilitação, Soraia Santos. 1ºANO 20 HS 60 ECTS Estudos Contextuais A Projecto de Interiores A Laboratório de Design de Interiores A Modelos Virtuais Avançados A Técnicas de Construção para Interiores A 3 6 2ºANO 12 HS 60 ECTS Práticas de Design de Interiores S Projecto/Relatório de Estágio/Dissertação S

11 docentes José Simões Rui Pedro Freire Lucio Magri José Luís Ferreira José Bártolo Almiro Amorim Dirk Loyens João Cruz José Luís Simão Katja Tschimmel Pedro Figueiredo convidados António Completo António Ramos Gearoid O'Conchubhair Carlos Relvas Mónica Oliveira O Design de Produto tem assumido um papel interveniente no nosso meio ambiente, com influência no dia-a-dia, sendo cada vez mais globalizado e assumindo-se o seu ciclo de vida como um factor fundamental ao seu desenvolvimento. O design de produto incorpora diferentes aspectos do processo de desenvolvimento, como a forma, a função, a produção, os custos, as vendas, a sustentabilidade, a durabilidade e a reutilização. Deve também incluir os mecanismos do negócio em todas as suas fases de desenvolvimento. As questões referentes à conceptualização, modelação e prototipagem devem ser convenientemente integradas para um resultado final mais ajustado aos objectivos. Cabe ao designer o papel e o dever social de pensar cuidadosa e responsavelmente as necessidades do utilizador e, num sentido mais lato, as da sociedade, considerando as suas inerentes especificidades. mestrado em design coordenação José Simões produto 1 1º Prémio Concurso de Design Zipy, Ana Rita Ferrão Gil (leitor mp5). 2 Veículo Eléctrico de Mobilidade Global, projecto de Mestrado, Rui Pedro Freire. 1 2 A área de especialização em Produto do Mestrado em Design tem como objectivo a aquisição de conhecimentos e o desenvolvimento de competências no âmbito dos processos do design integrado de produto e suas interfaces. O plano de estudos encontra-se organizado de modo a que os alunos possam compreender e aplicar novas competências na resolução sustentada de problemas específicos e contextualizados de design, como complemento às competências previamente adquiridas na Licenciatura. O design de produtos inovadores nas áreas da medicina, da reabilitação, do automóvel, do divertimento e do consumo é assumido como estratégico, procurando responder às necessidades do mercado e dos produtores de objectos. Os alunos, inseridos tanto quanto possível em equipas multidisciplinares, desempenharão actividades projectuais assistidas por métodos exigentes e contemporâneos de desenvolvimento de produto, incluindo tecnologias de design avançadas para planear, gerir e executar as mesmas. No final do curso, os alunos deverão ser capazes de definir estratégias de desenvolvimento de produto baseadas em referências do meio exterior (estudos de mercado, análise comportamental de consumidores, cenários de futuro e tendências, políticas governamentais locais e globais e novos materiais e tecnologias) e de empresa (tipologia de produto, identidade e marca, missão e visão, recursos técnicos e humanos, etc.), para a inovação e concepção de produtos em contextos reais de projecto, passíveis de colocação no mercado. Os alunos do Mestrado em Design de Produto serão potencialmente candidatos a empregos como designers e/ ou coordenadores de equipas de desenvolvimento de produto, consultores em inovação de produto e de marca. Terão competências para incutir e implementar estratégias sustentadas de desenvolvimento de produto, e para criar novos e inovadores produtos, visando o seu sucesso comercial e a aceitação e satisfação do cliente. 1ºANO 20 HS 60 ECTS 2ºANO 12 HS 60 ECTS Estudos Contextuais A Projecto de Produto A Laboratório de Design de Produto A Modelos Virtuais Avançados A Engenharia do Produto A Práticas de Design de Produto S Projecto/Relatório de Estágio/Dissertação S

12 Ciclo de Conferências ESAD TALKS 2011/2012; conferência de George Hardie. 21

13 eventos A ESAD tem vindo a concretizar um programa alargado de seminários, conferências, workshops e exposições, de forma a proporcionar um ambiente crítico e de reflexão em torno dos temas mais pertinentes no campo do design, a nível nacional e internacional. A realização de importantes exposições internacionais, em conjunto com exposições internas promovidas por professores e alunos, dinamizam o espaço da escola e proporcionam uma aprendizagem mais interactiva e dinâmica. A relação com a sociedade é fundamental para o sucesso dos objectivos da ESAD. A aposta em projectos de índole industrial e comunicacional, sob a alçada do Departamento de Investigação em Design Industrial e do Departamento de Comunicação e Projecto, em convivência com diversas empresas, tem garantido a implementação no mercado de diversos produtos e serviços desenvolvidos na escola Exposição David Carson Design, Espaço Quadra, Mercado Municipal de Matosinhos, Conferência de Lucienne Roberts, ciclo ESAD TALKS. 3 Exposição As Saias da Maria, de Maria Gambina, Espaço Quadra 2011/

14 prémios Através dos seus alunos, a ESAD tem participado em inúmeros concursos nacionais e internacionais, obtendo as mais diversas distinções, das quais são exemplos os prémios alcançados com a Bombay Sapphire, Caixa Geral de Depósitos, Cevisama, Chaumont, Clat5 / Apdes, Clube Português de Artes e Ideias, Chevrolet, HP/MTV, Gillette Triumph, Modtíssimo, World Diamond Centre, Massimo Dutti, RAR Imobiliária, entre muitos outros º Prémio Concurso VIP Joias, Áurea Praga (anel). 2 1.º Prémio Electrolux Design Lab, Vítor Carvalho (Lunch Tab). 3 Menção Honrosa Concurso Prints s Student Cover, Filipa Gagean (Design, Culture, Youth)

15 books.esad condições gerais de acesso Os projectos de maior relevância promovidos pela ESAD, sejam concursos internacionais, exposições, workshops ou matérias de reflexão e investigação académica, são editados, podendo algumas destas publicações ser adquiridas numa montra online. São disso exemplo os livros 2nd Skin Cork Jewellery, Do Habitar ou Paolo Deganello As Razões do Meu Projecto Radical. De destacar ainda a edição recente da revista PLI Arte e Design e do livro Processo Criativos. licenciaturas Concurso regular 12.º ano concluído 1 dos exames nacionais Desenho (706) Geometria Descritiva (708) História da Cultura e das Artes (724) Concurso anos concluídos até 31 de Dezembro Pré-candidatura Entrevista Provas de História das Artes e Desenho (matérias idênticas aos programas das unidades curriculares do Ensino Secundário) Concursos especiais Mudanças de curso, transferências, titulares de curso superior (português ou estrangeiro), reingressos Documentação Boletim de candidatura Ficha ENES (concurso regular) Original ou fotocópia autenticada do Certificado de Habilitações (c/ a indicação das unidades curriculares realizadas, no caso de mudança de curso) Fotocópia do Cartão de Cidadão/Bilhete de Identidade/Passaporte Fotocópia do Cartão de Contribuinte Informação As candidaturas à Licenciatura podem ser efectuadas na Internet, através do site candidaturas.esad.pt mestrados Concurso regular Titulares de grau de licenciado ou equivalente (mínimo de 180 ects) Entrevista com análise de portefólio e curriculum vitæ Documentação Boletim de candidatura Fotocópias dos Certificados de Habilitações (autenticadas no caso de alunos externos) Fotocópia do Cartão de Cidadão/Bilhete de Identidade/Passaporte Fotocópia do Cartão de Contribuinte Portefólio Curriculum vitæ Requerimento de creditação de competências académicas e profissionais (caso se aplique) Informação As candidaturas ao Mestrado podem ser efectuadas na Internet, através do site candidaturas.esad.pt 26 27

16 condições gerais de acesso mobilidade internacional erasmus Candidaturas Learning agreement Contrato Erasmus Cartão de estudante Erasmus Carta de aceitação da universidade estrangeira Transcript of records Cartão europeu de seguro de doença Carta de confirmação de chegada e partida pré-candidatura até Fevereiro Documentação Ficha de candidatura Declaração LLP Erasmus Carta de recomendação esad/lab Informação Programa de formação aberta de curta duração Horário pós-laboral (19h30-23h) Certificação Transferência de créditos (ECTS) mediante apresentação de declaração de frequência no Ensino Superior/Certificado de Habilitações Pré-candidaturas info Director Pedagógico Prof. José Simões Director Mestrado Profa. Joana Santos Presidente Conselho Científico Prof. José Bártolo esad Escola Superior de Artes e Design Av. Calouste Gulbenkian Senhora da Hora Matosinhos, Portugal t f

17 30

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

COORDENADOR Prof. Doutor Armando Vilas-Boas

COORDENADOR Prof. Doutor Armando Vilas-Boas COORDENADOR Prof. Doutor Armando Vilas-Boas CANDIDATURAS 1ª Fase: A partir de 1 de Abril a 1 de Agosto 2ª Fase: De 2 de Agosto a 31 de Outubro REQUISITOS/ ACESSOS Ser titular do grau de licenciado ou equivalente

Leia mais

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA INED INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROJETO EDUCATIVO MAIA PROJETO EDUCATIVO I. Apresentação do INED O Instituto de Educação e Desenvolvimento (INED) é uma escola secundária a funcionar desde

Leia mais

FUNDAÇÃO MINERVA CULTURA ENSINO E INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA NOTA EXPLICATIVA

FUNDAÇÃO MINERVA CULTURA ENSINO E INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA NOTA EXPLICATIVA NOTA EXPLICATIVA DA AQUISIÇÃO DE COMPETÊNCIAS NO ÂMBITO DO 1º CICLO DE ESTUDOS DO CURSO DE LICENCIATURA/MESTRADO INTEGRADO EM ARQUITECTURA, CONDUCENTE AO GRAU DE LICENCIADO EM CIÊNCIAS DA ARQUITECTURA.

Leia mais

NCE/10/00411 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/00411 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/00411 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Iade Instituto De Artes Visuais,

Leia mais

Produção Multimédia Interactiva

Produção Multimédia Interactiva Produção Multimédia Interactiva Candidaturas 2012/13 secretaria@ipa.univ.pt http://pmi.ipa.univ.pt www.ipa.univ.pt IPA Instituto Superior Autónomo de Estudos Politécnicos No IPA prosseguimos os seguintes

Leia mais

Instituto Superior da Maia ISMAI CET. Realização de Eventos Multimédia

Instituto Superior da Maia ISMAI CET. Realização de Eventos Multimédia Instituto Superior da Maia ISMAI CET Realização de Eventos Multimédia CoordenadorA Professora Doutora Célia Sousa Vieira cvieira@ismai.pt fundamentos e Objectivos A área de formação deste CET reside nos

Leia mais

a favor do contributo profissional e cívico dos arquitectos Os anos do mandato que terminámos foram anos difíceis para a profissão.

a favor do contributo profissional e cívico dos arquitectos Os anos do mandato que terminámos foram anos difíceis para a profissão. Projecto Os anos do mandato que terminámos foram anos difíceis para a profissão. Tempo de escassa encomenda e recursos económicos e consequentemente de alteração de paradigmas sociais e profissionais.

Leia mais

Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado

Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado Edital 4ª Edição 2012-2013 Barreiro, Julho de 2012 Pós-Graduação Conservação e Reabilitação do Edificado 1 ENQUADRAMENTO A Pós-Graduação em Conservação

Leia mais

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES

ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES ISAL INSTITUTO SUPERIOR DE ADMINISTRAÇÃO E LÍNGUAS PLANO DE ATIVIDADES 2015 2 Formar gestores e quadros técnicos superiores, preparados científica e tecnicamente para o exercício de funções na empresa

Leia mais

design de jogos digitais o essencial da licenciatura

design de jogos digitais o essencial da licenciatura design de jogos digitais o essencial da licenciatura ÍNDICE ciclo de estudos plano de estudos metodologias de ensino perfil de saída candidaturas ipb virtual Dados do ciclo de estudos ciclo de estudos

Leia mais

Perfil Profissional de Treinador

Perfil Profissional de Treinador Programa Nacional de FORMAÇÃO de Treinadores Grau4 Perfil Profissional de Treinador Perfil Profissional - GRAU IV A formação de Grau IV consubstancia o topo da hierarquia profissional da actividade de

Leia mais

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança)

Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) Mestrado em Sistemas Integrados de Gestão (Qualidade, Ambiente e Segurança) 1 - Apresentação Grau Académico: Mestre Duração do curso: : 2 anos lectivos/ 4 semestres Número de créditos, segundo o Sistema

Leia mais

Estudos em Direito. 2º Ciclo Mestrado. Apresentação. Ano Lectivo 2010 2011

Estudos em Direito. 2º Ciclo Mestrado. Apresentação. Ano Lectivo 2010 2011 Estudos em Direito 2º Ciclo Mestrado Ano Lectivo 2010 2011 Apresentação O 2º Ciclo de Estudos em Direito tem a designação internacional corrente de Master. Com a oferta do seu Programa de Mestrados 2º

Leia mais

Membro da direcção da Revista Intervenção Social Investigadora do CLISSIS Doutoranda em Serviço Social

Membro da direcção da Revista Intervenção Social Investigadora do CLISSIS Doutoranda em Serviço Social A investigação do Serviço Social em Portugal: potencialidades e constrangimentos Jorge M. L. Ferreira Professor Auxiliar Universidade Lusíada Lisboa (ISSSL) Professor Auxiliar Convidado ISCTE IUL Diretor

Leia mais

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/28031 Relatório preliminar da CAE (Poli) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora:

Leia mais

O ensino da ETIC é orientado para a prática e integra projetos reais no contexto da formação.

O ensino da ETIC é orientado para a prática e integra projetos reais no contexto da formação. PORQUÊ A ETIC? QUE TIPO DE CURSOS ENCONTRO NA ETIC? QUAIS AS ÁREAS DE ENSINO E OS RESPETIVOS CURSOS HND - HIGHER NATIONAL DIPLOMA (2 ANOS)? QUAIS AS ÁREAS DE ENSINO E RESPETIVOS CURSOS ANUAIS (1 ANO)?

Leia mais

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012

Programa. Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 Programa Empreendedorismo Cultural e Indústrias Criativas 2012 3 Hemisfério esquerdo responsável pelo pensamento lógico e pela competência

Leia mais

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO

PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO PRESSUPOSTOS BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO NO ALENTEJO ÍNDICE 11. PRESSUPOSTO BASE PARA UMA ESTRATÉGIA DE INOVAÇÃO 25 NO ALENTEJO pág. 11.1. Um sistema regional de inovação orientado para a competitividade

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: História da Educação (Regime a Distância) Edição Instituto de Educação da Universidade de

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: Administração Educacional Edição Instituto de Educação da Universidade de Lisboa julho de

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: LICENCIATURA EM ARTES VISUAIS MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Artes Visuais busca formar profissionais habilitados para a produção, a pesquisa

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

Eixos Estratégicos Objectivos Estratégicos Objectivos Operacionais Acções. 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias

Eixos Estratégicos Objectivos Estratégicos Objectivos Operacionais Acções. 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias 1. Oferta Formativa 1.1. Dinamizar e consolidar a oferta formativa 1.1.1.Aumentar a oferta formativa nas áreas das artes e das tecnologias 1.1.2. Promover o funcionamento de ciclos de estudos em regime

Leia mais

INSTITUTO SUPERIOR DOM AFONSO III. Regulamento do Mestrado em Marketing Comunicação Multimédia. Artigo 1º

INSTITUTO SUPERIOR DOM AFONSO III. Regulamento do Mestrado em Marketing Comunicação Multimédia. Artigo 1º INSTITUTO SUPERIOR DOM AFONSO III Regulamento do Mestrado em Marketing Comunicação Multimédia Artigo 1º O Instituto Superior Dom Afonso III (INUAF), concede o grau de Mestre na especialidade de Marketing,

Leia mais

Um mar de oportunidades. Mestrado em Gestão Portuária. Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique.

Um mar de oportunidades. Mestrado em Gestão Portuária. Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Um mar de oportunidades Mestrado em Gestão Portuária Mensagem do Presidente da ENIDH Escola Superior Náutica Infante D. Henrique A ENIDH é a Escola Superior pública portuguesa que assegura a formação de

Leia mais

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação

Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Executive Revolution Programs Competitive intelligence e inovação Neste curso serão abordadas as melhores práticas que permitem gerir estrategicamente a informação, tendo em vista a criação de valor para

Leia mais

Rua Faria Guimarães, 494 2º Esq. 4000-205 Porto +351 965 371 568 olinda@mdemaria.com www.mdemaria.com

Rua Faria Guimarães, 494 2º Esq. 4000-205 Porto +351 965 371 568 olinda@mdemaria.com www.mdemaria.com CURRICULUM VITAE olinda martins 01.junho.2012 INFORMAÇÃO PESSOAL nome filiação data de nascimento naturalidade bilhete de identidade contribuinte estado civil carta de condução Maria Olinda Carneiro Martins

Leia mais

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Empreendedorismo

O Social pela Governança. Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Empreendedorismo O Social pela Governança Mestrados Profissionalizantes Planos Curriculares Empreendedorismo 2 ÍNDICE EMPREENDEDORISMO... 3 OBJECTIVOS... 3 DESTINATÁRIOS... 4 CONDIÇÕES DE ACESSO E SELECÇÃO DOS CANDIDATOS...

Leia mais

EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação)

EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação) EXECUTIVE MASTER OF FASHION BUSINESS (Pós-graduação) Rua Castilho 90 2ºesq 1250-071 Lisboa, Portugal Rua José Gomes Ferreira nº219 - Aviz 4150-442 Porto, Portugal info@beill.pt / www.beill.pt Sobre A Beill

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTROLO DE GESTÃO E FISCALIDADE PARA PME S

PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTROLO DE GESTÃO E FISCALIDADE PARA PME S PÓS-GRADUAÇÃO EM CONTROLO DE GESTÃO E FISCALIDADE PARA PME S CÂMARA DO COMÉRCIO DE ANGRA DO HEROÍSMO E INSTITUTO SUPERIOR DE ECONOMIA E GESTÃO Angra do Heroísmo 2010/2011 1 Objectivos Este curso de pós-graduação

Leia mais

REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS

REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Faculdade de Ciências Sociais e Humanas REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM RELAÇÕES INTERNACIONAIS Artigo 1º Natureza O presente regulamento

Leia mais

CTSP e Pós-Graduações THE MARKETING SCHOOL. porto. aveiro. lisboa

CTSP e Pós-Graduações THE MARKETING SCHOOL. porto. aveiro. lisboa CTSP e Pós-Graduações THE MARKETING SCHOOL porto. aveiro. lisboa LICENCIATURA & MESTRADO THE MARKETING SCHOOL Somos uma escola vocacionada essencialmente para as empresas e mercados. Queremos qualificar

Leia mais

Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL

Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL Changing lives. Opening minds. Mobilidade de Estudantes Sessão de Esclarecimento 2015/2016 janeiro 2015 Núcleo de Relações Internacionais do ISEL ERASMUS + Uma porta aberta para a Europa : O novo programa

Leia mais

Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas

Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas Os Cursos de Especialização Tecnológica Em Portugal Nuno Mangas Fórum novo millenium Nuno Mangas Covilhã, 22 Setembro 2011 Índice 1 Contextualização 2 Os CET em Portugal 3 Considerações Finais 2 Contextualização

Leia mais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. Gestão Logística

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. Gestão Logística Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Sines Tecnopolo Pós-Graduação Gestão Logística Edital 1ª Edição 2012 1 Enquadramento Tem vindo a ser reconhecida, por políticas governamentais

Leia mais

Formadores (1º ano) Locais das oficinas. Data limite de inscrições

Formadores (1º ano) Locais das oficinas. Data limite de inscrições Sementes para a Criatividade É uma acção de formação constituída por duas oficinas, uma de escrita criativa e outra de artes plásticas, em que se prevê: a criação de uma narrativa ilustrada que será submetida

Leia mais

REGULAMENTO PARA A CREDITAÇÃO DA FORMAÇÃO. Artigo 1º Objectivo e âmbito

REGULAMENTO PARA A CREDITAÇÃO DA FORMAÇÃO. Artigo 1º Objectivo e âmbito REGULAMENTO PARA A CREDITAÇÃO DA FORMAÇÃO Artigo 1º Objectivo e âmbito 1. O presente Regulamento estabelece as normas relativas aos processos de creditação no ISCIA para efeitos do disposto no artigo 45.º

Leia mais

Mestrado Construção Civil. Edital 3ª Edição 2011-2012

Mestrado Construção Civil. Edital 3ª Edição 2011-2012 Mestrado Construção Civil Edital 3ª Edição 2011-2012 Barreiro, Maio de 2011 ENQUADRAMENTO O curso de Mestrado em Construção Civil da Escola Superior de Tecnologia do Barreiro do Instituto Politécnico de

Leia mais

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016

GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 GUIA do ESTUDANTE ERASMUS+ 2015-2016 Esclarecimentos de dúvidas/informações adicionais: Carolina Peralta/Isabel Silva Gabinete de Relações Internacionais - GRI Rua de Santa Marta, 47, 1º Piso sala 112-1169-023

Leia mais

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços

Gestão Empresarial. Comércio e Serviços Curso de Gestão Empresarial para Comércio e Serviços PROMOÇÃO: COLABORAÇÃO DE: EXECUÇÃO: APRESENTAÇÃO: > A aposta na qualificação dos nossos recursos humanos constitui uma prioridade absoluta para a Confederação

Leia mais

CURSOS DE FORMAÇÃO COM ANIMAÇÃO NO PLANO DE ESTUDOS

CURSOS DE FORMAÇÃO COM ANIMAÇÃO NO PLANO DE ESTUDOS CURSOS DE FORMAÇÃO COM ANIMAÇÃO NO PLANO DE ESTUDOS Portugal, 2010 Documento elaborado pelo grupo de trabalho designado como Formação com base em orientações determinadas no encontro nacional de profissionais

Leia mais

Curso de Técnico Comercial Bancário

Curso de Técnico Comercial Bancário Curso de Técnico Comercial Bancário Este curso é integralmente financiado pelo Estado Português e Fundo Social Europeu não tendo quaisquer custos para os participantes. OBJECTIVOS Os Cursos de Aprendizagem

Leia mais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais

Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica. Sines Tecnopolo. Pós-Graduação. MBA em Negócios Internacionais Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Sines Tecnopolo Pós-Graduação MBA em Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2012-2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. VIEIRA DE CARVALHO SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS BÁSICA E SECUNDÁRIA DR. VIEIRA DE CARVALHO SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO OBJETIVOS Os cursos artísticos especializados têm como objectivos proporcionar formação artística, preparando profissionais para diferentes ramos artísticos e fomentar práticas artísticas individuais e

Leia mais

Instituto de Educação

Instituto de Educação Instituto de Educação Universidade de Lisboa Oferta Formativa Pós-Graduada Mestrado em Educação Especialização: Educação Intercultural Edição Instituto de Educação da Universidade de Lisboa julho de 2015

Leia mais

Licenciatura em Informática Licenciatura em Engenharia Multimédia

Licenciatura em Informática Licenciatura em Engenharia Multimédia Ensinar a saber fazer Profissionais com Futuro desde 1990 L I C E N C I A T U R A S ADEQUADAS AO PROCESSO DE BOLONHA Licenciatura em Informática Licenciatura em Engenharia Multimédia A estratégia do ISTEC

Leia mais

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional*

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* 1. Natureza do mestrado profissional A pós-graduação brasileira é constituída, atualmente, por dois eixos claramente distintos: o eixo acadêmico, representado

Leia mais

REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING

REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS EM COMUNICAÇÃO E MARKETING O presente regulamento foi homologado pelo Presidente da ESEV, a 18

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus

Escola Superior de Educação João de Deus Regulamento do 2.º Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Mestre em Educação Especial: Domínio Cognitivo e Motor Artigo 1.º Objectivos Os objectivos dos cursos de Mestrado (2.º ciclo), da Escola Superior

Leia mais

Agrupamento de Escolas Dr. Vieira de Carvalho SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO

Agrupamento de Escolas Dr. Vieira de Carvalho SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO OBJECTIVOS Os cursos artísticos especializados têm como objectivos proporcionar formação artística, preparando profissionais para diferentes ramos artísticos e fomentar práticas artísticas individuais

Leia mais

PROJECTO DE LEI N.º 422/VIII

PROJECTO DE LEI N.º 422/VIII PROJECTO DE LEI N.º 422/VIII OBRIGA À DIVULGAÇÃO, POR ESCOLA E POR DISCIPLINA, DOS RESULTADOS DOS EXAMES DO 12.º ANO DE ESCOLARIDADE, BEM COMO DE OUTRA INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR QUE POSSIBILITE O CONHECIMENTO

Leia mais

Escola Superior de Educação João de Deus

Escola Superior de Educação João de Deus Regulamento do 2.º Ciclo de Estudos Conducente ao Grau de Mestre em Educação pela Arte Artigo 1.º Objectivos Os objectivos dos cursos de mestrado (2.º ciclo), da Escola Superior de Educação João de Deus

Leia mais

PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO EM COACHING EXECUTIVO

PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO EM COACHING EXECUTIVO PROGRAMA DE CERTIFICAÇÃO EM COACHING EXECUTIVO de acção mediante a aquisição de novas formas de pensamento que lhes permitam levar a cabo diferentes acções. O percurso formativo do coach está dividido

Leia mais

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa

Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Instituto Superior de Engenharia de Lisboa Regulamento dos cursos do ciclo de estudos conducente ao grau de licenciado O presente regulamento estabelece as normas que complementam as que decorrem do regime

Leia mais

NCE/11/01396 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/11/01396 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/11/01396 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: E.I.A. - Ensino, Investigação

Leia mais

APRENDER COM A DIVERSIDADE CURSO DE FORMAÇÃO APRENDER COM A DIVERSIDADE. Promoção da Aprendizagem Intercultural em Contextos de Educação Não Formal

APRENDER COM A DIVERSIDADE CURSO DE FORMAÇÃO APRENDER COM A DIVERSIDADE. Promoção da Aprendizagem Intercultural em Contextos de Educação Não Formal CURSO DE FORMAÇÃO APRENDER Promoção da Aprendizagem Intercultural em Contextos de Educação Não Formal 18 DE FEVEREIRO A 13 DE MARÇO DE 2008 A inducar (http://www.inducar.pt) é uma organização de direito

Leia mais

5.5.2.1. MESTRADO EM DESPORTO, ESPECIALIZAÇÕES EM TREINO DESPORTIVO, CONDIÇÃO FÍSICA E SAÚDE, DESPORTO DE NATUREZA, EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

5.5.2.1. MESTRADO EM DESPORTO, ESPECIALIZAÇÕES EM TREINO DESPORTIVO, CONDIÇÃO FÍSICA E SAÚDE, DESPORTO DE NATUREZA, EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR 5.5.2. CURSOS DE FORMAÇÃO AVANÇADA (2.º CICLO MESTRADOS) E PÓS-GRADUAÇÃO 5.5.2.1. MESTRADO EM DESPORTO, ESPECIALIZAÇÕES EM TREINO DESPORTIVO, CONDIÇÃO FÍSICA E SAÚDE, DESPORTO DE NATUREZA, EDUCAÇÃO FÍSICA

Leia mais

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência. Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187

SUPLEMENTO I SÉRIE ÍNDICE. Ministério da Educação e Ciência. Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187 I SÉRIE Quarta-feira, 26 de setembro de 2012 Número 187 ÍNDICE SUPLEMENTO Ministério da Educação e Ciência Portaria n.º 292-A/2012: Cria uma experiência-piloto de oferta formativa de cursos vocacionais

Leia mais

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014

MBA Negócios Internacionais. Edital 1ª Edição 2013-2014 MBA Negócios Internacionais Edital 1ª Edição 2013-2014 Sines, Junho de 2013 1 Enquadramento O MBA em Negócios Internacionais é um curso de pós-graduação desenvolvido pela Escola Superior de Ciências Empresariais

Leia mais

Contabilidade e Fiscalidade

Contabilidade e Fiscalidade www. indeg. iscte-iul. pt ARTICULA OS PRINCIPAIS TEMAS DE RELEVÂNCIA ATUAL E FUTURA NA ÁREA DA ATRAVÉS DE UMA ESTRUTURA PROGRAMÁTICA SÓLIDA E ABRANGENTE NA ÁREA CIENTÍFICA DA CONTABILIDADE Contabilidade

Leia mais

FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE

FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE FACULDADE DE LETRAS DA UNIVERSIDADE DE COIMBRA REGULAMENTO DO SEGUNDO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU DE MESTRE O presente Regulamento tem como lei habilitante o Decreto-Lei nº 74/2006, de 24 de Março,

Leia mais

PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação

PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação Versão de Abril de 2014 APRESENTAÇÃO DO PEDIDO A1. Instituição de ensino superior

Leia mais

REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO

REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO REFERENCIAL DO CURSO DE COORDENAÇÃO DE Área de Formação 862 Segurança e Higiene no Trabalho Formação Profissional Contínua/de Especialização ÍNDICE 1- ENQUADRAMENTO... 3 2- OBJECTIVO GERAL... 4 3- OBJECTIVOS

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO SERVIÇO DE PSICOLOGIA E ORIENTAÇÃO PSICÓLOGA ÁUREA SANTOS OBJECTIVOS Os cursos artísticos especializados têm como objectivos proporcionar formação artística, preparando profissionais para diferentes ramos artísticos e fomentar práticas

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Departamento de Gestão e Economia REGULAMENTO DO 2º CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTES AO GRAU DE MESTRE EM MARKETING Artigo 1.º Criação A Universidade da Beira Interior, através

Leia mais

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM

CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM CANDIDATURA À DIRECÇÃO DA UNIDADE DE INVESTIGAÇÃO DO INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Pedro Jorge Richheimer Marta de Sequeira Marília Oliveira Inácio Henriques 1 P á g i n a 1. Enquadramento da Candidatura

Leia mais

Plano de Atividades 2014

Plano de Atividades 2014 Plano de Atividades 2014 Escola de Ciências Universidade do Minho 1. Missão A Escola de Ciências tem como missão gerar, difundir e aplicar conhecimento no âmbito das Ciências Exatas e da Natureza e domínios

Leia mais

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva

Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Implementação do Processo de Avaliação Inclusiva Na parte final da fase 1 do projecto Processo de Avaliação em Contextos Inclusivos foi discutido o conceito processo de avaliação inclusiva e prepararam-se

Leia mais

EngIQ. em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química. Uma colaboração:

EngIQ. em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química. Uma colaboração: EngIQ Programa de Doutoramento em Engenharia da Refinação, Petroquímica e Química Uma colaboração: Associação das Indústrias da Petroquímica, Química e Refinação (AIPQR) Universidade de Aveiro Universidade

Leia mais

Curso de Educação e Formação em Desenho Assistido por Computador / Construção Civil

Curso de Educação e Formação em Desenho Assistido por Computador / Construção Civil Curso de Educação e Formação em Desenho Assistido por Computador / Construção Civil Saída Profissional: Operador CAD Certificação ao nível do 9º Ano / Nível II Laboral Bem-Vindo/a à FLAG! A FLAG é uma

Leia mais

Pós-Graduação Gestão Hoteleira

Pós-Graduação Gestão Hoteleira Coordenação: Mestre Filipe Ferrão Pós-Graduação Gestão Hoteleira O Curso de Pós-Graduação em Gestão de Hotelaria visa proporcionar uma especializada, que alie o conhecimento das técnicas de gestão fundamentais

Leia mais

Presidente do Instituto Politécnico da Guarda

Presidente do Instituto Politécnico da Guarda Pós-Graduações A formação ao longo da vida é hoje uma necessidade indiscutível que constitui uma oportunidade a não perder por parte da instituição. A aposta nas pós-graduações deve ser incrementada, e

Leia mais

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento

CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento CEF/0910/26436 Relatório final da CAE (Univ) - Ciclo de estudos em funcionamento Caracterização do ciclo de estudos Perguntas A.1 a A.9 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade

Leia mais

ÍNDICE APRESENTAÇÃO 02 HISTÓRIA 02 OBJECTIVOS 02 CURSOS 04 CONSULTORIA 06 I&D 07 DOCENTES 08 FUNDEC & IST 09 ASSOCIADOS 10 PARCERIAS 12 NÚMEROS 13

ÍNDICE APRESENTAÇÃO 02 HISTÓRIA 02 OBJECTIVOS 02 CURSOS 04 CONSULTORIA 06 I&D 07 DOCENTES 08 FUNDEC & IST 09 ASSOCIADOS 10 PARCERIAS 12 NÚMEROS 13 ÍNDICE APRESENTAÇÃO 02 HISTÓRIA 02 OBJECTIVOS 02 CURSOS 04 CONSULTORIA 06 I&D 07 DOCENTES 08 FUNDEC & IST 09 ASSOCIADOS 10 PARCERIAS 12 NÚMEROS 13 QUEM SOMOS FUNDEC APRESENTAÇÃO HISTÓRIA OBJECTIVOS A

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE CURRICULAR

REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE CURRICULAR REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE CURRICULAR DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL CURSOS LIVRES ACTIVIDADES EXTRA-CURRICULARES REGULAMENTO INTERNO DA UNIDADE CURRICULAR DE DESENVOLVIMENTO PESSOAL Secção I Disposições

Leia mais

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL

GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL CADERNOS DE MUSEOLOGIA Nº 28 2007 135 GESTÃO MUSEOLÓGICA E SISTEMAS DE QUALIDADE Ana Mercedes Stoffel Fernandes Outubro 2007 QUALIDADE E MUSEUS UMA PARCERIA ESSENCIAL INTRODUÇÃO Os Sistemas da Qualidade

Leia mais

Pós-Graduação em Administração e Gestão de Escolas

Pós-Graduação em Administração e Gestão de Escolas Pós-Graduação em Administração e Gestão de Escolas ENQUADRAMENTO DO CURSO As escolas são estabelecimentos aos quais está confiada uma missão de serviço público, que consiste em dotar todos e cada um dos

Leia mais

Regulamento Atividades Complementares. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL

Regulamento Atividades Complementares. Faculdade da Cidade de Santa Luzia - FACSAL Regulamento Atividades Complementares Faculdade da Cidade de Santa Luzia - 2014 Regulamento das Atividades Complementares CAPÍTULO I DA CARACTERIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Artigo 1º - As Atividades

Leia mais

Regulamento de Transição Curricular e Plano de Creditações para o Ano Letivo 2015/2016

Regulamento de Transição Curricular e Plano de Creditações para o Ano Letivo 2015/2016 Regulamento de Transição Curricular e Plano de Creditações para o Ano Letivo 201/201 Os cursos de 1º ciclo da ESCS, estruturam- se num Plano de Estudos de seis semestres curriculares num total de 180 ECTS

Leia mais

Universidade Nova de Lisboa ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA

Universidade Nova de Lisboa ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA REGULAMENTO O Regulamento do Curso de Especialização em Medicina do Trabalho (CEMT) visa enquadrar, do ponto de vista normativo, o desenvolvimento das actividades inerentes ao funcionamento do curso, tendo

Leia mais

Gestão de Resíduos e Empreendedorismo nas Escolas. - Ano Lectivo 2010/2011 -

Gestão de Resíduos e Empreendedorismo nas Escolas. - Ano Lectivo 2010/2011 - Gestão de Resíduos e Empreendedorismo nas Escolas - Ano Lectivo 2010/2011 - Empreendedorismo como ensiná-lo aos nossos jovens? Contudo, e mesmo sendo possível fazê-lo, o espírito empresarial não é normalmente

Leia mais

NCE/10/01121 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/01121 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/01121 Relatório preliminar da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universitas, Crl A.1.a. Descrição

Leia mais

O Que São os Serviços de Psicologia e Orientação (SPO)?

O Que São os Serviços de Psicologia e Orientação (SPO)? O Que São os Serviços de Psicologia e Orientação (SPO)? São unidades especializadas de apoio educativo multidisciplinares que asseguram o acompanhamento do aluno, individualmente ou em grupo, ao longo

Leia mais

Os Cursos de Licenciatura e de Mestrado:

Os Cursos de Licenciatura e de Mestrado: Departamento de Educação Física F e Desporto SEMINÁRIO Educação Física e Desporto O Processo Bolonha, Estágios e Saídas Profissionais 26 de Junho de 2007 Os Cursos de Licenciatura e de Mestrado: Jorge

Leia mais

Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas

Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas Dinamizar o Empreendedorismo e promover a Criação de Empresas À semelhança do que acontece nas sociedades contemporâneas mais avançadas, a sociedade portuguesa defronta-se hoje com novos e mais intensos

Leia mais

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista

Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique. Programa de Acção. Luis Filipe Baptista Candidatura a Presidente da Escola Superior Náutica Infante D. Henrique Programa de Acção Luis Filipe Baptista ENIDH, Setembro de 2013 Motivações para esta candidatura A sociedade actual está a mudar muito

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO F O R M A Ç Ã O A V A N Ç A D A CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA MEMBROS DA ORDEM DOS ENGENHEIROS ENQUADRAMENTO O CEGE/ISEG é um centro de investigação e projectos do ISEG Instituto

Leia mais

Programa Avançado de Gestão

Programa Avançado de Gestão PÓS GRADUAÇÃO Programa Avançado de Gestão Com o apoio de: Em parceria com: Nova School of Business and Economics Com o apoio de: PÓS GRADUAÇÃO Programa Avançado de Gestão A economia Angolana enfrenta hoje

Leia mais

Fundação LIGA. Instituição academicamente adscrita à. Universidade Fernando Pessoa

Fundação LIGA. Instituição academicamente adscrita à. Universidade Fernando Pessoa Pós-Graduação Consultoria em Acessibilidades Fundação LIGA Instituição academicamente adscrita à Universidade Fernando Pessoa Objectivos A presente pós-graduação tem como objectivo a identificação das

Leia mais

PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA

PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA UNIVERSIDADE DO PORTO PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA LITERACIA FINANCEIRA DA U.PORTO Outubro de 2012 Enquadramento do programa na Estratégia Nacional de Formação Financeira Plano Nacional de Formação Financeira

Leia mais

PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação

PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação PEDIDO DE ACREDITAÇÃO PRÉVIA DE NOVO CICLO DE ESTUDOS (PAPNCE) (Ensino Universitário e Politécnico) Guião de apresentação Versão de Setembro de 2013 APRESENTAÇÃO DO PEDIDO A1. Instituição de ensino superior

Leia mais

REGULAMENTO DO CENTRO DE ATIVIDADES E RECURSOS CAR

REGULAMENTO DO CENTRO DE ATIVIDADES E RECURSOS CAR REGULAMENTO DO CENTRO DE ATIVIDADES E RECURSOS CAR INDÍCE A) Noção... 2 B) Objetivos... 2 C) Destinatários... 2 D) Serviços do Centro de Atividades e Recursos (C.A.R.)... 2 E) Atividades... 3 F) Condições

Leia mais

Pós-Graduação em. MARKETING E GESTÃO COMERCIAL de Serviços Financeiros INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO BANCÁRIA

Pós-Graduação em. MARKETING E GESTÃO COMERCIAL de Serviços Financeiros INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO BANCÁRIA BSUPERIOR DE GESTÃO INSTITUTO Pós-Graduação em MARKETING E GESTÃO COMERCIAL de Serviços Financeiros 2005 2006 Associação Portuguesa de Bancos INSTITUTO SUPERIOR DE GESTÃO B ISGB THE PORTUGUESE SCHOOL OF

Leia mais

Regulamento do Curso de Mestrado em Desporto

Regulamento do Curso de Mestrado em Desporto Escola Superior de Desporto de Rio Maior (ESDRM) Instituto Politécnico de Santarém (IPS) Regulamento do Curso de Mestrado em Desporto Artigo 1º Natureza e âmbito de aplicação 1. O curso pretende atingir

Leia mais

O Storytelling. T- Story NEWSLETTER. Junho 2013 1ª Edição. Porquê utilizar o Storytelling

O Storytelling. T- Story NEWSLETTER. Junho 2013 1ª Edição. Porquê utilizar o Storytelling Apresentamos a newsletter oficial do projeto T-Story - Storytelling Aplicado à Educação e Formação, um projeto financiado pela ação transversal Atividade-chave 3 Tecnologias de Informação e Comunicação,

Leia mais

NCE/10/00116 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos

NCE/10/00116 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos NCE/10/00116 Relatório final da CAE - Novo ciclo de estudos Caracterização do pedido Perguntas A.1 a A.10 A.1. Instituição de ensino superior / Entidade instituidora: Universidade Do Minho A.1.a. Descrição

Leia mais

Realizou-se dia 24 de Março, na Maia, nas instalações da Sonae Learning Center, a 6ª sessão da CoP, desta vez presencial.

Realizou-se dia 24 de Março, na Maia, nas instalações da Sonae Learning Center, a 6ª sessão da CoP, desta vez presencial. CoP de Gestão do Conhecimento Notas da sessão presencial de 24 de Março de 2014 Realizou-se dia 24 de Março, na Maia, nas instalações da Sonae Learning Center, a 6ª sessão da CoP, desta vez presencial.

Leia mais

Banca, Seguros e Mercados Financeiros

Banca, Seguros e Mercados Financeiros Associação Centro de Incubação de Empresas de Base Tecnológica Vasco da Gama Sines Tecnopolo Pós-Graduação Banca, Seguros e Mercados Financeiros Edital 2ª Edição 2011 1 Enquadramento A Escola Superior

Leia mais

FICHA TÉCNICA DO CURSO ADOBE MUSE: CRIE E PUBLIQUE O SEU SITE EDIÇÃO Nº 01/2012

FICHA TÉCNICA DO CURSO ADOBE MUSE: CRIE E PUBLIQUE O SEU SITE EDIÇÃO Nº 01/2012 FICHA TÉCNICA DO CURSO ADOBE MUSE: CRIE E PUBLIQUE O SEU SITE EDIÇÃO Nº 01/2012 1. DESIGNAÇÃO DO CURSO Adobe Muse: crie e publique o seu site 2. COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER Acesso a novas oportunidades:

Leia mais