Lesões Músculo-esqueléticas na Medicina Dentária

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Lesões Músculo-esqueléticas na Medicina Dentária"

Transcrição

1 Lesões Músculo-esqueléticas na Medicina Dentária Paula Carneiro, Mónica Barroso, Ana Cristina Braga Departamento de Produção e Sistemas Escola de Engenharia Universidade do Minho Workshop Atenção! Mais carga não Câmara Municipal de Guimarães, 31 de Outubro 2007

2 Objectivos: 1. Caracterização e avaliação da profissão de médico dentista quanto ao risco de ocorrência de LME, 2. Identificação dos principais factores de risco que contribuem para a ocorrência de LME, 3. Identificação e definição de soluções e recomendações com o intuito de melhorar as condições de trabalho dos médicos dentistas.

3 Caracterização da Profissão de Médico Dentista sob o Ponto de Vista Ergonómico: 1. Carácter repetitivo de gestos e movimentos, 2. Posturas incorrectas, 3. Aplicação de força muscular.

4 Caracterização da Profissão de Médico Dentista sob o Ponto de Vista Ergonómico: Stresse, Varizes, Dermatites nas mãos, Problemas oculares, Micoses nas unhas, Alergias, Perda de audição.

5 Metodologia aplicada: Desenvolvimento de questionário, Contacto com Ordem dos Médicos Dentistas, Distribuição do questionário, Tratamento estatístico da informação recolhida do questionário (SPSS, versão 12), Registo vídeo de algumas das principais actividades do médico dentista, Análise de risco de ocorrência de LME aplicação técnica RULA.

6 Resultados Obtidos: Aplicação e Tratamento da Informação Recolhida do Questionário Média da Idade = 36,1 anos, = 32,1 anos, Antiguidade profissão = 10,6 anos, = 7,5 anos, Horas semanais de trabalho cerca de 80% dos dentistas trabalham mais de 35 horas, Pausas cerca de 60% dos dentistas efectuam pausas, Posição de Trabalho mais de 95% trabalham sentados, Posicionamento relativamente ao paciente cerca de 90% trabalham à direita do paciente Ajustabilidade do mobiliário cerca de 95% dispõem de ajustabilidade no banco e cadeira do paciente e cerca de 73% na mesa de apoio,

7 Resultados Obtidos: Aplicação e Tratamento da Informação Recolhida do Questionário Sensação de dor ou desconforto relatada por cerca de 90% dos dentistas, Cerca de 80% dos dentistas associam a dor/desconforto com o exercício da profissão, Endodontia surge como a actividade mais frequentemente associada à sensação de dor/desconforto, Ausências ao trabalho devidas a dor/desconforto cerca de 88% não faltaram qualquer dia, Prática de actividade física afirmativo em cerca de 56% dos dentistas.

8 Resultados Obtidos: Aplicação e Tratamento da Informação Recolhida do Questionário Zonas com maior frequência de registo de dor ou desconforto

9 Resultados Obtidos: Análise dos Registos Vídeo Actividade Média Pontuação RULA Máxima Destartarização Dentisteria Prótese Endodontia Ortodontia Cirurgia Oral 5,4 6,3 5,9 5,3 6,5 5,0 5,8 6,4 6,1 5,7 6,6 5,0

10 Discussão e Conclusões: Aplicação e Tratamento da Informação Recolhida do Questionário 1. Existe uma elevada prevalência de queixas músculoesqueléticas por parte dos médicos dentistas, 2. Existe uma associação significativa entre as queixas músculoesqueléticas e o desempenho da medicina dentária. Esta é uma profissão de risco no que respeita a lesões músculo-esqueléticas, 3. O sexo feminino queixa-se com maior frequência de sentir dor ou desconforto. O mesmo sexo atribui, também mais frequentemente, a dor ou desconforto ao exercício da profissão, 4. Para estes profissionais, as zonas corporais mais afectadas pelas lesões músculo-esqueléticas são as costas, o pescoço e os ombros,

11 Discussão e Conclusões: Aplicação e Tratamento da Informação Recolhida do Questionário 5. Número de horas semanais de trabalho e hábito de efectuar ou não pausas, parecem não influenciar a sensação de dor ou desconforto, 6. As queixas de dor ou desconforto são mais frequentes nos dentistas mais novos e também nos que apresentam menor antiguidade na profissão.

12 Discussão e Conclusões: Análise dos Registos Vídeo A aplicação da técnica RULA permitiu verificar que existe um risco elevado, ou mesmo muito elevado, de ocorrência de distúrbios músculo-esqueléticos associado à execução das actividades analisadas, Destartarização Dentisteria Prótese Endodontia Ortodontia Cirurgia Oral 5,4 6,3 5,9 5,3 6,5 5,0 Níveis 3 e 4 Urgente ou muito urgente a investigação e alteração

13 Sugestões e Recomendações: De carácter genérico: Aumentar número diário de pausas, Promover alternância de consultas, Prática de exercício físico, Relacionadas com o exercício da profissão: Apoio dos braços, Utilização de visão indirecta (principalmente no maxilar superior), Reduzir trabalho muscular estático, Implementar micro pausas, Evitar abdução dos braços, Alternância entre raspagem de tártaro e polimento nas consultas de destartarização.

14 Sugestões e Recomendações: Relacionadas com o Equipamento e Instrumentos Utilizados: Alteração das pegas dos instrumentos evitar pegas de pinça, Promover alternância entre posição de pé e sentada, Utilizar banco com apoio lombar, Ajustamentos à inclinação do assento, Ajustamentos à altura do assento, Ajustamento na postura do paciente e na própria cadeira.

15 Muito Obrigada

Adaptação do trabalho ao homem. Pessoas diferentes Capacidades físicas e mentais diferentes.

Adaptação do trabalho ao homem. Pessoas diferentes Capacidades físicas e mentais diferentes. Adaptação do trabalho ao homem. Pessoas diferentes Capacidades físicas e mentais diferentes. Tarefas que exijam elevada acuidade visual Visão desfocada e sensação de olhos a arder. Teclar de forma incorrecta

Leia mais

Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia

Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia Ergonomia Corpo com Saúde e Harmonia Dr. Leandro Gomes Pistori Fisioterapeuta CREFITO-3 / 47741-F Fone: (16) 3371-4121 Dr. Paulo Fernando C. Rossi Fisioterapeuta CREFITO-3 / 65294 F Fone: (16) 3307-6555

Leia mais

CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE TAUBATÉ

CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS BIOLÓGICAS E SAÚDE SUBÁREA: FISIOTERAPIA INSTITUIÇÃO: FACULDADE ANHANGUERA DE TAUBATÉ TÍTULO: PREVALÊNCIA DE DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADO AO TRABALHO EM CIRURGIÕES-DENTISTAS ATUANTES NA REDE DO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE DO MUNICÍPIO DE CAÇAPAVA-SP CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS

Leia mais

Utilizadores de Computadores Conselhos ergonómicos

Utilizadores de Computadores Conselhos ergonómicos Utilizadores de Computadores Conselhos ergonómicos Ergonomia: Estuda a interacção física entre as pessoas e o seu trabalho adaptando este último, o equipamento e o ambiente de trabalho ao trabalhador.

Leia mais

PREVALÊNCIA DE LOMBALGIA EM ALUNOS DE FISIOTERAPIA E SUA RELAÇÃO COM A POSTURA SENTADA

PREVALÊNCIA DE LOMBALGIA EM ALUNOS DE FISIOTERAPIA E SUA RELAÇÃO COM A POSTURA SENTADA ISBN 978-85-61091-05-7 Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 PREVALÊNCIA DE LOMBALGIA EM ALUNOS DE FISIOTERAPIA E SUA RELAÇÃO COM A POSTURA SENTADA Juliana Camilla

Leia mais

A importância da Ergonomia Voltada aos servidores Públicos

A importância da Ergonomia Voltada aos servidores Públicos A importância da Ergonomia Voltada aos servidores Públicos Fisioterapeuta: Adriana Lopes de Oliveira CREFITO 3281-LTT-F GO Ergonomia ERGONOMIA - palavra de origem grega, onde: ERGO = trabalho e NOMOS

Leia mais

Risco de LMERT na industria Cerâmica

Risco de LMERT na industria Cerâmica Risco de LMERT na Industria Cerâmica,(c), DPS, Universidade do Minho Workshop atenção! Mais carga não Risco de LMERT na industria Cerâmica, Universidade do Minho Objectivos da Apresentação Objectivos do

Leia mais

AVALIAÇÃO DE RISCOS EM MEIO HOSPITALAR

AVALIAÇÃO DE RISCOS EM MEIO HOSPITALAR Serviço de Segurança e Saúde no Trabalho AVALIAÇÃO DE RISCOS EM MEIO HOSPITALAR Jorge Dias Médico do Trabalho, Assistente Graduado de Medicina do Trabalho Ana Catarina Lança TSSHT, Mestre em Saúde Ocupacional

Leia mais

TREINAMENTO VOCAL PODE SER FATOR PROTETOR CONTRA DORES

TREINAMENTO VOCAL PODE SER FATOR PROTETOR CONTRA DORES TREINAMENTO VOCAL PODE SER FATOR PROTETOR CONTRA DORES Autores: Thays Vaiano, Mara Behlau, Ana Cláudia Guerrieri Palavras Chave: Dor, Voz, canto Introdução: Dor pode ser definida como "experiência sensitiva

Leia mais

OMO NASCEU A PALAVRA ERGONOMIA?...3

OMO NASCEU A PALAVRA ERGONOMIA?...3 Índice ÍNDICE...2 COMO NASCEU A PALAVRA ERGONOMIA?...3 O QUE É A ERGONOMIA?...3 ERGONOMIA NO TRABALHO....3 POSIÇÕES CORRECTAS A TER NO TRABALHO....4 O EQUIPAMENTO ERGONÓMICO...6 MONITOR...7 TECLADOS E

Leia mais

Fundação Cardeal Cerejeira. Acção de Formação

Fundação Cardeal Cerejeira. Acção de Formação Fundação Cardeal Cerejeira Acção de Formação Formadoras: Fisioterapeuta Andreia Longo, Fisioterapeuta Sara Jara e Fisioterapeuta Tina Narciso 4º Ano de Fisioterapia da ESSCVP Em fases que o utente necessite

Leia mais

LER/DORT. www.cpsol.com.br

LER/DORT. www.cpsol.com.br LER/DORT Prevenção através s da ergonomia DEFINIÇÃO LER: Lesões por Esforços Repetitivos; DORT: Doenças Osteomusculares Relacionadas ao Trabalho; São doenças provocadas pelo uso inadequado e excessivo

Leia mais

Ergonomia é o estudo do. relacionamento entre o homem e o seu trabalho, equipamento e ambiente, e. particularmente a aplicação dos

Ergonomia é o estudo do. relacionamento entre o homem e o seu trabalho, equipamento e ambiente, e. particularmente a aplicação dos ERGONOMIA ERGONOMIA relacionamento entre o homem e o seu trabalho, equipamento e ambiente, e conhecimentos de anatomia, fisiologia e psicologia na solução dos problemas surgidos deste relacionamento. Em

Leia mais

ERGONOMIA Notas de Aula - Graduação

ERGONOMIA Notas de Aula - Graduação ERGONOMIA Notas de Aula - Graduação Análise Ergonômica do Trabalho - AET Ponto 02 Mario S. Ferreira Março, 2010 CONCEITUAÇÃO Análise Ergonômica do Trabalho Intervenção, no ambiente de trabalho, para estudo

Leia mais

Prof. Gustavo Suriani de Campos Meireles, M.Sc.

Prof. Gustavo Suriani de Campos Meireles, M.Sc. Pontifícia Universidade Católica de Goiás Departamento de Engenharia Curso de Graduação em Engenharia de Produção ENG 1090 Introdução à Engenharia de Produção Prof. Gustavo Suriani de Campos Meireles,

Leia mais

Sintomas da LER- DORT

Sintomas da LER- DORT LER-DORT A LER e DORT são as siglas para Lesões por Esforços Repetitivos e Distúrbios Osteo-musculares Relacionados ao Trabalho. Os termos LER/DORT são usados para determinar as afecções que podem lesar

Leia mais

3.2 Descrição e aplicação do instrumento de avaliação

3.2 Descrição e aplicação do instrumento de avaliação Após uma revisão literária dos vários autores que se debruçaram sobre a temática do nosso estudo, passamos a apresentar os procedimentos metodológicos adoptados no presente estudo. Neste capítulo apresentamos

Leia mais

SEGURANÇA NO TRABALHO AGRÍCOLA

SEGURANÇA NO TRABALHO AGRÍCOLA SEGURANÇA NO TRABALHO AGRÍCOLA PREVENÇÃO DOS RISCOS NA AGRICULTURA O CASO ESPECÍFICO DAS HÉRNIAS DISCAIS Exmo. Sr. Presidente da Assembleia Exma. Sras. Deputadas e Srs. Deputados Exmo. Sr. Presidente do

Leia mais

Adaptação do trabalho às pessoas.

Adaptação do trabalho às pessoas. NR- 17 Estabelece parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho

Leia mais

Agradecimentos. Guimarães, Outubro de 2004. Página i

Agradecimentos. Guimarães, Outubro de 2004. Página i Agradecimentos Num trabalho deste género é, de certo modo, normal surgirem algumas adversidades que, por vezes, nos levam a pensar que o fim é inalcançável! Algumas vezes esse pensamento passou pela minha

Leia mais

Conclusões CAPÍTULO 7 CONCLUSÕES. O Ambiente Interior e a Saúde dos Ocupantes de Edifícios de Habitação. 217

Conclusões CAPÍTULO 7 CONCLUSÕES. O Ambiente Interior e a Saúde dos Ocupantes de Edifícios de Habitação. 217 Conclusões CAPÍTULO 7 CONCLUSÕES O Ambiente Interior e a Saúde dos Ocupantes de Edifícios de Habitação. 217 Capítulo 7 7. CONCLUSÕES 7.1. CONSIDERAÇÕES FINAIS 7.2. SÍNTESE DE INOVAÇÃO 7.3. DESENVOLVIMENTOS

Leia mais

A gengivite é uma inflamação das gengivas provocada por acumulação de placa bacteriana e tártaro como consequência

A gengivite é uma inflamação das gengivas provocada por acumulação de placa bacteriana e tártaro como consequência Periodontologia É a disciplina da medicina dentária que se dedica à prevenção, diagnóstico e tratamento das doenças das gengivas e das estruturas de suporte dos dentes. A inflamação e o sangramento das

Leia mais

Influence of Stretching Program in Factory Workers, Prevalence of Musculoskeletal Symptoms

Influence of Stretching Program in Factory Workers, Prevalence of Musculoskeletal Symptoms Influence of Stretching Program in Factory Workers, Prevalence of Musculoskeletal Symptoms Prevalência de Sintomatologia Músculoesquelética em Operários Fabris, Comparação da sua Capacidade para o Trabalho

Leia mais

Universidade Nova de Lisboa ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA

Universidade Nova de Lisboa ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA REGULAMENTO O Regulamento do Curso de Especialização em Medicina do Trabalho (CEMT) visa enquadrar, do ponto de vista normativo, o desenvolvimento das actividades inerentes ao funcionamento do curso, tendo

Leia mais

Lista de verificação para a prevenção de más posturas de trabalho

Lista de verificação para a prevenção de más posturas de trabalho 45 Lista de verificação para a prevenção de más posturas de trabalho Parte A: Introdução Uma boa postura de trabalho é fundamental para prevenir lesões músculo-esqueléticas relacionadas com o trabalho

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO

CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO CURSO DE FORMAÇÃO INICIAL DE TÉCNICO DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO 1/19 Programa do curso Módulo Designação Duração (h) Componente Sócio-Cultural 1 Legislação, regulamentos e normas de segurança,

Leia mais

Mairá Moreno Lima. Rangel de Andrade Silva FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A. Usina Hidroelétrica de Porto Colômbia, Planura, Minas Gerais

Mairá Moreno Lima. Rangel de Andrade Silva FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A. Usina Hidroelétrica de Porto Colômbia, Planura, Minas Gerais ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO COMO FERRAMENTA PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA DE TRABALHADORES DO SETOR ADMINISTRATIVO DA EMPRESA FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A., UNIDADE DE PORTO COLÔMBIA, PLANURA,

Leia mais

NR 17 - ERGONOMIA. Portaria 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07

NR 17 - ERGONOMIA. Portaria 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07 NR 17 - ERGONOMIA Portaria 3.214, de 08 de junho de 1978 06/07 Esta Norma Regulamentadora visa a estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características psicofisiológicas

Leia mais

Ergo (trabalho) Nomos (regras)

Ergo (trabalho) Nomos (regras) ERGONOMIA Ergo (trabalho) Nomos (regras) Ergonomia é o estudo do relacionamento entre o homem e o seu trabalho, equipamentos, ferramentas e ambiente, visando à solução dos problemas surgidos desse relacionamento

Leia mais

Aula 03 Antropometria Prof. Mario S. Ferreira Junho, 2013

Aula 03 Antropometria Prof. Mario S. Ferreira Junho, 2013 Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Faculdade de Arquitetura e Urbanismo Curso de Especialização em Arquitetura da Habitação de Interesse Social ERGONOMIA E ACESSIBILIDADE Aplicada à

Leia mais

A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO

A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por A GESTÃO DA SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO UMA NOVA ABORDAGEM DE GESTÃO por Resolução do Conselho 2002/C161/01 Nova Estratégia Comunitária de Saúde e Segurança (2002 2006) Redução dos Acidentes de Trabalho

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XIX Gestão da Prevenção. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao.

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XIX Gestão da Prevenção. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao. Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XIX Gestão da Prevenção um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a expressa

Leia mais

X JORNADA DE FISIOTERAPIA DE DOURADOS I ENCONTRO DE EGRESSOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA UNIGRAN

X JORNADA DE FISIOTERAPIA DE DOURADOS I ENCONTRO DE EGRESSOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA UNIGRAN 65 Centro Universitário da Grande Dourados X JORNADA DE FISIOTERAPIA DE DOURADOS I ENCONTRO DE EGRESSOS DO CURSO DE FISIOTERAPIA DA UNIGRAN 66 ANÁLISE POSTURAL EM ADOLESCENTES DO SEXO FEMININO NA FASE

Leia mais

Norma de Orientação Farmacêutica Higienização das mãos Hygiènization des mains Hygienization of the hands

Norma de Orientação Farmacêutica Higienização das mãos Hygiènization des mains Hygienization of the hands p. 1 de 10k Norma de Orientação Farmacêutica Higienização das mãos Hygiènization des mains Hygienization of the hands 1ª EDIÇÃO Janeiro de p. 2 de 10k p. 3 de 10k Índice Introdução... 4 Campo de aplicação...

Leia mais

Biomecânica. A alavanca inter-resistente ou de 2º grau adequada para a realização de esforço físico, praticamente não existe no corpo humano.

Biomecânica. A alavanca inter-resistente ou de 2º grau adequada para a realização de esforço físico, praticamente não existe no corpo humano. Biomecânica Parte do conhecimento da Ergonomia aplicada ao trabalho origina-se no estudo da máquina humana. Os ossos, os músculos, ligamentos e tendões são os elementos dessa máquina que possibilitam realizar

Leia mais

Laboratório de Análise de Movimento: pilares técnico-científicos. Miguel Velhote Correia João Manuel R. S. Tavares Jorge G.

Laboratório de Análise de Movimento: pilares técnico-científicos. Miguel Velhote Correia João Manuel R. S. Tavares Jorge G. Laboratório de Análise de Movimento: pilares técnico-científicos Miguel Velhote Correia João Manuel R. S. Tavares Jorge G. Barbosa Sumário Motivação e objectivos do projecto Análise clínica da marcha Recursos

Leia mais

Postura. As posturas prolongadas podem prejudicar os músculos e as articulações.

Postura. As posturas prolongadas podem prejudicar os músculos e as articulações. Postura A postura é, freqüentemente, determinada pela natureza da tarefa ou do posto de trabalho. Um porteiro de hotel tem uma postura estática, enquanto um carteiro passa a maior parte do tempo andando.

Leia mais

ESTUDO SOBRE OS SINTOMAS DAS LER/DORT EM OPERADORES DE COMPUTADORES NA CIDADE DE SANTA MARIA (RS).

ESTUDO SOBRE OS SINTOMAS DAS LER/DORT EM OPERADORES DE COMPUTADORES NA CIDADE DE SANTA MARIA (RS). ESTUDO SOBRE OS SINTOMAS DAS LER/DORT EM OPERADORES DE COMPUTADORES NA CIDADE DE SANTA MARIA (RS). Daniel Donida Schlottfeldt Graduando de Engenharia de Produção e Tecnologia de Segurança no Trabalho UNISA

Leia mais

Dra. Sandra Camacho* IMPORTÂNCIA DA ACTIVIDADE FÍSICA

Dra. Sandra Camacho* IMPORTÂNCIA DA ACTIVIDADE FÍSICA Uma cadeira e uma garrafa de água O que podem fazer por si Dra. Sandra Camacho* IMPORTÂNCIA DA ACTIVIDADE FÍSICA A prática de uma actividade física regular permite a todos os indivíduos desenvolverem uma

Leia mais

VII Jornadas Técnicas de Segurança no Trabalho

VII Jornadas Técnicas de Segurança no Trabalho VII Jornadas Técnicas de Segurança no Trabalho MANIPULAÇÃO MANUAL DE CARGAS (MMC) Fatores de Risco e Avaliação Ana Sofia Colim A Problemática da MMC Legislação Decreto-Lei 330/93 Métodos de Avaliação de

Leia mais

RELAÇÃO DA POSTURA ADOTADA PARA DORMIR E A QUEIXA DE LOMBALGIA

RELAÇÃO DA POSTURA ADOTADA PARA DORMIR E A QUEIXA DE LOMBALGIA ISBN 978-85-61091-05-7 V EPCC Encontro Internacional de Produção Científica Cesumar 27 a 30 de outubro de 2009 RELAÇÃO DA POSTURA ADOTADA PARA DORMIR E A QUEIXA DE LOMBALGIA Fernanda Cristina Pereira 1

Leia mais

CENSO DE ERGONOMIA. Autores: Hudson de Araújo Couto e Otacílio dos Santos Cardoso

CENSO DE ERGONOMIA. Autores: Hudson de Araújo Couto e Otacílio dos Santos Cardoso CENSO DE ERGONOMIA Autores: Hudson de Araújo Couto e Otacílio dos Santos Cardoso Descrição Geral Trata-se de uma ferramenta formulada à base de questionário podendo ser auxiliada por entrevista, através

Leia mais

Ergonomia. Lombalgias, Manejo de cargas, Posição estática, Trabalho na posição sentada e em pé. Prof.ª Kalyne de Menezes Bezerra Cavalcanti

Ergonomia. Lombalgias, Manejo de cargas, Posição estática, Trabalho na posição sentada e em pé. Prof.ª Kalyne de Menezes Bezerra Cavalcanti Ergonomia Lombalgias, Manejo de cargas, Posição estática, Trabalho na posição sentada e em pé Prof.ª Kalyne de Menezes Bezerra Cavalcanti Natal/RN Fevereiro de 2011 Postura Um dos caminhos para encontrar

Leia mais

Título: AVALIAÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR POR MEIO DA ANÁLISE ERGONÔMICA EM FUNCIONÁRIOS DA INDÚSTRIA CAMERA.

Título: AVALIAÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR POR MEIO DA ANÁLISE ERGONÔMICA EM FUNCIONÁRIOS DA INDÚSTRIA CAMERA. Título: AVALIAÇÃO DA SAÚDE DO TRABALHADOR POR MEIO DA ANÁLISE ERGONÔMICA EM FUNCIONÁRIOS DA INDÚSTRIA CAMERA. AQUINO, Ariane; HAAS, Daniela; PIRES, Ana Helena Braga; VIDAL, Paula Cristina V. Universidade

Leia mais

Prof. Paulo C. Barauce Bento. Ergonomia. UFPR 2007 ETAPAS. Prof. Paulo C. Barauce Bento. Ergonomia. UFPR 2007. Prof. Paulo C.

Prof. Paulo C. Barauce Bento. Ergonomia. UFPR 2007 ETAPAS. Prof. Paulo C. Barauce Bento. Ergonomia. UFPR 2007. Prof. Paulo C. Ergonomia Posto de trabalho Menor unidade produtiva Aplicação da antropometria no design do local de trabalho Homem e seu local de trabalho Fábrica / escritório > conjunto de postos Análise do posto Enfoque

Leia mais

Carina José Caires Figueira Teles

Carina José Caires Figueira Teles Carina José Caires Figueira Teles Avaliação do Grau de Conhecimento dos Médicos Dentistas em Relação à Aplicação da Ergonomia na Medicina Dentária Universidade Fernando Pessoa - Faculdade de Ciências da

Leia mais

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XXVI Vibrações. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao.

Segurança e Higiene do Trabalho. Volume XXVI Vibrações. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção. www.oportaldaconstrucao. Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XXVI Vibrações um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a expressa autorização

Leia mais

Qualidade de vida laboral

Qualidade de vida laboral Qualidade de vida laboral Qualidade de vida laboral INTRODUÇÃO: Prevenir doenças ocupacionais (DORT Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho / LER Lesões por Esforços Repetitivos) decorrentes

Leia mais

metodologias de análise de risco em tarefas de manipulação manual de cargas Universidade do Minho

metodologias de análise de risco em tarefas de manipulação manual de cargas Universidade do Minho metodologias de análise de risco em tarefas de manipulação manual de cargas Pedro Arezes, A. Sérgio Miguel & Ana Colim Universidade do Minho Projecto 069APJ/06 Apoio Introdução Manipulação Manual de Cargas

Leia mais

VOCÊ JÁ PENSOU NA SUA POSTURA HOJE?

VOCÊ JÁ PENSOU NA SUA POSTURA HOJE? VOCÊ JÁ PENSOU NA SUA POSTURA HOJE? Dicas Gerais para uma Boa Postura 1) Manter o topo da tela ao nível dos olhos e distante cerca de um comprimento de braço (45cm ~ 70cm); 2) Manter a cabeça e pescoço

Leia mais

Análise de DORT na instalação de forros térmicos através da Análise Ergonômica do Trabalho

Análise de DORT na instalação de forros térmicos através da Análise Ergonômica do Trabalho Análise de DORT na instalação de forros térmicos através da Análise Ergonômica do Trabalho Lizandra Garcia Lupi Vergara (UTESC) lizandra@eps.ufsc.br Lúcia Lunelli (UTESC) lucialunelli@ig.com.br Wagner

Leia mais

QUESTIONÁRIO N.º. 1-Sexo: 3- Nacionalidade: 4-Estado Civil: 5-Grau de ensino (completo): 4 anos de escolaridade 11 anos de escolaridade

QUESTIONÁRIO N.º. 1-Sexo: 3- Nacionalidade: 4-Estado Civil: 5-Grau de ensino (completo): 4 anos de escolaridade 11 anos de escolaridade QUESTIONÁRIO N.º O presente inquérito tem como objectivo registar as opiniões dos trabalhadores que trabalham na Construção Civil, com vista a recolher informações relativamente às condições ambientais

Leia mais

REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PRÓTESE SOBRE IMPLANTES

REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PRÓTESE SOBRE IMPLANTES REGULAMENTO DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PRÓTESE SOBRE IMPLANTES 1. FINALIDADE O Curso de Especialização em Prótese sobre Implantes tem uma duração de 3 semestres e tem por finalidade a formação de técnicos

Leia mais

NORMA REGULAMENTADORA NR 17

NORMA REGULAMENTADORA NR 17 NORMA REGULAMENTADORA NR 17 NORMA REGULAMENTADORA - NR 17 ERGONOMIA 17.1. Esta Norma Regulamentadora visa a estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às características

Leia mais

Os seus dentes, naturalmente. sãos. PRGF -Endoret BENEFÍCIOS DO PLASMA RICO EM FATORES DE CRESCIMENTO bioseguro 100 % autólogo patenteado

Os seus dentes, naturalmente. sãos. PRGF -Endoret BENEFÍCIOS DO PLASMA RICO EM FATORES DE CRESCIMENTO bioseguro 100 % autólogo patenteado Os seus dentes, naturalmente sãos PRGF -Endoret BENEFÍCIOS DO PLASMA RICO EM FATORES DE CRESCIMENTO bioseguro 100 % autólogo patenteado PRGF -Endoret O QUE É O PLASMA RICO EM FACTORES DE CRESCIMENTO? INVESTIGAÇÃO

Leia mais

1 INTRODUÇÃO. Ergonomia aplicada ao Design de produtos: Um estudo de caso sobre o Design de bicicletas 1 INTRODUÇÃO

1 INTRODUÇÃO. Ergonomia aplicada ao Design de produtos: Um estudo de caso sobre o Design de bicicletas 1 INTRODUÇÃO O presente trabalho foi elaborado com o objetivo mostrar ser viável o uso de bicicletas que proporcionem conforto e segurança e advertir para o surgimento de fisiopatologias nos usuários de bicicletas.

Leia mais

Artigo publicado na Revista CEPPG Nº 24 1/2011 ISSN 1517-8471 Páginas 79 à 88

Artigo publicado na Revista CEPPG Nº 24 1/2011 ISSN 1517-8471 Páginas 79 à 88 Artigo publicado na Revista CEPPG Nº 24 1/2011 ISSN 1517-8471 Páginas 79 à 88 ERGONOMIA APLICADA EM MOBILIÁRIO DE SECRETÁRIA Josiane Lino da Silva 1 Cristina Freire da Silva 2 RESUMO A presente pesquisa

Leia mais

Centro de Fitness. Conforme EN1176 e EN957

Centro de Fitness. Conforme EN1176 e EN957 Centro de Fitness Conforme EN1176 e EN957 2 Centro de Fitness Indice MATERIAIS E TECNOLOGIA Pág. 3 MODELOS STANDARD Modelo Twister - 01 Pág. 4 Modelo Bicicleta - 02 Pág. 5 Modelo Stepper - 03 Pág. 6 Modelo

Leia mais

Treinar primeiro os grandes grupos musculares (tab. 1) Alternar os movimentos de flexão / extensão (tab. 2) Alternar tronco e m. superiores / m.

Treinar primeiro os grandes grupos musculares (tab. 1) Alternar os movimentos de flexão / extensão (tab. 2) Alternar tronco e m. superiores / m. CONSTRUÇÃO de PROGRAMAS de TREINO 8 Objectivos Selecção dos Exercicíos Organização dos exercicíos Frequência de Treino Selecção das Cargas Selecção do nº. de Repetições Selecção do nº. de Séries e Pausas

Leia mais

Coluna no lugar certo Fisioterapeutas utilizam método que reduz dores nas costas em poucas sessões e induz paciente a fazer exercícios em casa

Coluna no lugar certo Fisioterapeutas utilizam método que reduz dores nas costas em poucas sessões e induz paciente a fazer exercícios em casa Atualizado aos domingos ESTADO DE MINAS Coluna no lugar certo Fisioterapeutas utilizam método que reduz dores nas costas em poucas sessões e induz paciente a fazer exercícios em casa Ellen Cristie Dores

Leia mais

A investigação da dor no paciente idoso e ardência bucal. Paulo Pimentel

A investigação da dor no paciente idoso e ardência bucal. Paulo Pimentel A investigação da dor no paciente idoso e ardência bucal Paulo Pimentel Sistema Estomatognático Mastigação, fala, digestão e deglutição Paladar, respiração Defesa e reconhecimento imunológico Estética,

Leia mais

Pr evenção da LER/DOR T: o que a ergonomia pode oferecer AUTORA Regina Heloisa Maciel

Pr evenção da LER/DOR T: o que a ergonomia pode oferecer AUTORA Regina Heloisa Maciel Pr evenção da LER/DOR T: o que a ergonomia pode oferecer AUTORA Regina Heloisa Maciel Psicóloga formada pelo Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo, 1977. MSc em Applied Psychology - Ergonomics

Leia mais

MEDIAKIT 2014 PERFIL DO LEITOR UMA SOLUÇÃO DE COMUNICAÇÃO INTEGRADA: Nível Hierárquico. Distribuição Regional

MEDIAKIT 2014 PERFIL DO LEITOR UMA SOLUÇÃO DE COMUNICAÇÃO INTEGRADA: Nível Hierárquico. Distribuição Regional MEDIAKIT 2014 PERFIL DO LEITOR UMA SOLUÇÃO DE COMUNICAÇÃO INTEGRADA: Dirigida aos profissionais de medicina Dentária Importante ferramenta de trabalho e formação profissional Espaço privilegiado de relação

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Cooperação, Parcerias e Contratos Internacionais. Relatório de Avaliação Final. Suzete Lopes suzetelopes@leaderconsulting.info.

FICHA TÉCNICA. Cooperação, Parcerias e Contratos Internacionais. Relatório de Avaliação Final. Suzete Lopes suzetelopes@leaderconsulting.info. FICHA TÉCNICA Título Organização Curso Relatório de Avaliação Final Suzete Lopes suzetelopes@leaderconsulting.info Cooperação, Parcerias e Contratos Internacionais Entidade Leader Consulting, 08 de Dezembro

Leia mais

I CONGRESSO LONDRINENSE DE ODONTOLOGIA IV CONGRESSO ODONTOLÓGICO DA UEL

I CONGRESSO LONDRINENSE DE ODONTOLOGIA IV CONGRESSO ODONTOLÓGICO DA UEL I CONGRESSO LONDRINENSE DE ODONTOLOGIA IV CONGRESSO ODONTOLÓGICO DA UEL ENCONTRO DA PÓS-GRADUAÇÃO NORMAS GERAIS PARA APRESENTAÇÃO DE TRABALHOS As apresentações poderão ser realizadas na forma de PÔSTER

Leia mais

Controle e Mapeamento de Doenças Ósteo-musculares. José Waldemir Panachão Médico do Trabalho Health Total - TRF3

Controle e Mapeamento de Doenças Ósteo-musculares. José Waldemir Panachão Médico do Trabalho Health Total - TRF3 Controle e Mapeamento de Doenças José Waldemir Panachão Médico do Trabalho Health Total - TRF3 O porque da realização do controle no TRF da 3ª região : 1. Procura espontânea dos Servidores 2. Processos

Leia mais

DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO EM PROFISSIONAIS DA LIMPEZA

DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO EM PROFISSIONAIS DA LIMPEZA DISTÚRBIOS OSTEOMUSCULARES RELACIONADOS AO TRABALHO EM PROFISSIONAIS DA LIMPEZA ROSEMARA SANTOS DENIZ AMARILLA (1), BRUNO BORSATTO (2), RODRIGO EDUARDO CATAI (3) (1) Mestrado em Engenharia Civil / UTFPR

Leia mais

ANÁLISE ERGONÔMICA DO POSTO DE TRABALHO EM UMA REVENDA DE INSUMOS AGRÍCOLA

ANÁLISE ERGONÔMICA DO POSTO DE TRABALHO EM UMA REVENDA DE INSUMOS AGRÍCOLA ANÁLISE ERGONÔMICA DO POSTO DE TRABALHO EM UMA REVENDA DE INSUMOS AGRÍCOLA 1 LUIZIANE DALLAVECHIA, 2 FRANCIANNE BARONI ZANDONADI 1 Bacharel em Engenheira de Produção Agroindustrial (UNEMAT) e Estudante

Leia mais

INDAGAR E REFLECTIR PARA MELHORAR. Elisabete Paula Coelho Cardoso Escola de Engenharia - Universidade do Minho elisabete@dsi.uminho.

INDAGAR E REFLECTIR PARA MELHORAR. Elisabete Paula Coelho Cardoso Escola de Engenharia - Universidade do Minho elisabete@dsi.uminho. INDAGAR E REFLECTIR PARA MELHORAR Elisabete Paula Coelho Cardoso Escola de Engenharia - Universidade do Minho elisabete@dsi.uminho.pt Este trabalho tem como objectivo descrever uma experiência pedagógica

Leia mais

Perfil do egresso Profissional generalista, e com possibilidades de aprofundamento em áreas específicas, consciente de suas responsabilidades no

Perfil do egresso Profissional generalista, e com possibilidades de aprofundamento em áreas específicas, consciente de suas responsabilidades no Perfil do egresso Profissional generalista, e com possibilidades de aprofundamento em áreas específicas, consciente de suas responsabilidades no processo saúde/doença, com sólida formação técnico-científica,

Leia mais

ABRCOLUNA Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna

ABRCOLUNA Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna ABRCOLUNA Associação Brasileira de Reabilitação de Coluna Guia de Exercícios preventivos para a Coluna Vertebral Dr. Coluna 01 Helder Montenegro Fisioterapeuta Guia de Exercícios Dr Coluna 2012.indd 1

Leia mais

DOCUMENTO METODOLÓGICO

DOCUMENTO METODOLÓGICO REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO DOCUMENTO METODOLÓGICO Inquérito ao Sistema Educativo Regional Código: 47 Versão: 1.0 INTRODUÇÃO A necessidade de formular Políticas

Leia mais

PREVENÇÃO ÀS LER/DORT

PREVENÇÃO ÀS LER/DORT PREVENÇÃO ÀS LER/DORT Introdução Durante os dias 19, 20 e 23 de julho o Datafolha ouviu os trabalhadores paulistanos sobre sua vida no trabalho (atividades desempenhadas, carga horária, realização de horas

Leia mais

DOSSIER. Tratar sem riscos. Doenças ocupacionais

DOSSIER. Tratar sem riscos. Doenças ocupacionais Doenças ocupacionais Tratar sem riscos As proteínas contidas no látex podem causar alergias e irritações quando se dá um contacto permanente s pessoas que visitam o consultório do médico A dentista talvez

Leia mais

ERGONOMIA: CONSIDERAÇÕES RELEVANTES PARA O TRABALHO DE ENFERMAGEM

ERGONOMIA: CONSIDERAÇÕES RELEVANTES PARA O TRABALHO DE ENFERMAGEM ERGONOMIA: CONSIDERAÇÕES RELEVANTES PARA O TRABALHO DE ENFERMAGEM ROSÂNGELA MARION DA SILVA 1 LUCIMARA ROCHA 2 JULIANA PETRI TAVARES 3 O presente estudo, uma pesquisa descritiva bibliográfica, tem por

Leia mais

ANÁLISE ERGONÓMICA DE POSTOS DE TRABALHO

ANÁLISE ERGONÓMICA DE POSTOS DE TRABALHO Ergonomics Section Finnish Institute of Occupational Health ANÁLISE ERGONÓMICA DE POSTOS DE TRABALHO Tradução e adaptação de L. Gomes da Costa Universidade do Minho - Escola de Engenharia Análise Ergonómica

Leia mais

CAPITULO III METODOLOGIA

CAPITULO III METODOLOGIA CAPITULO III METODOLOGIA A metodologia seguida neste trabalho é referente a um estudo descritivo e quantitativo. Isto porque a natureza do trabalho desenvolve-se na correlação e comparação entre as diferentes

Leia mais

Métodos Treino e. CEF Cardio - Resumo

Métodos Treino e. CEF Cardio - Resumo Métodos Treino e Máquinas Cardiovasculares CEF Cardio - Resumo 3 Vias de ressíntese Energia (revisão) Conceito Resistência (fadiga) Níveis de Intensidade Metabólica Métodos de Treino Cardiovascular Máquinas

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO: JULHO 2004. Fisiot. Ana Barros TSA Cláudia Raminhos TSA Esmeralda Pereira TSA Marta Franco TSA Susana Santos TSA Vera Ferreira

GRUPO DE TRABALHO: JULHO 2004. Fisiot. Ana Barros TSA Cláudia Raminhos TSA Esmeralda Pereira TSA Marta Franco TSA Susana Santos TSA Vera Ferreira GRUPO DE TRABALHO: JULHO 2004 Fisiot. Ana Barros TSA Cláudia Raminhos TSA Esmeralda Pereira TSA Marta Franco TSA Susana Santos TSA Vera Ferreira O nosso objectivo constante é a completa realização do potencial

Leia mais

Quando falamos de prevenção no âmbito da Segurança, Higiene e Saúde no. Trabalho, estamos a falar de um conjunto de actividades que têm como objectivo

Quando falamos de prevenção no âmbito da Segurança, Higiene e Saúde no. Trabalho, estamos a falar de um conjunto de actividades que têm como objectivo 1 - Em que consiste a prevenção? Quando falamos de prevenção no âmbito da Segurança, Higiene e Saúde no Trabalho, estamos a falar de um conjunto de actividades que têm como objectivo eliminar ou reduzir

Leia mais

Nome da Empresa Pessoa de Contacto Cargo Consultor Data

Nome da Empresa Pessoa de Contacto Cargo Consultor Data 01 Nome da Empresa Pessoa de Contacto Cargo Consultor Data O presente questionário deve ser utilizado em complemento dos Questionários de Avaliação Financeira, de Gestão e Excelência Módulos Base dos Índices

Leia mais

ANÁLISE ERGONÔMICA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO DOS DENTISTAS: UMA COMPARAÇÃO ENTRE A REDE PÚBLICA E O SETOR PRIVADO.

ANÁLISE ERGONÔMICA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO DOS DENTISTAS: UMA COMPARAÇÃO ENTRE A REDE PÚBLICA E O SETOR PRIVADO. ! "#$ " %'&)(*&)+,.- /10.2*&4365879&4/1:.+58;.2*=?5.@A2*3B;.- C)D 5.,.5FE)5.G.+ &4- (IHJ&?,.+ /?=)5.KA:.+5MLN&OHJ5F&4E)2*EOHJ&)(IHJ/)G.- D - ;./);.& ANÁLISE ERGONÔMICA DAS CONDIÇÕES DE TRABALHO DOS

Leia mais

PROPOSTA DE CARREIRA PARA OS TÉCNICOS SUPERIORES DA ÁREA DA SAÚDE EM REGIME DE CIT. Capítulo I Objecto e Âmbito Artigo 1.º Objecto

PROPOSTA DE CARREIRA PARA OS TÉCNICOS SUPERIORES DA ÁREA DA SAÚDE EM REGIME DE CIT. Capítulo I Objecto e Âmbito Artigo 1.º Objecto PROPOSTA DE CARREIRA PARA OS TÉCNICOS SUPERIORES DA ÁREA DA SAÚDE EM REGIME DE CIT Capítulo I Objecto e Âmbito Artigo 1.º Objecto 1 - O presente Decreto-Lei estabelece o regime jurídico da carreira dos

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 2.891, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2002

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 2.891, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2002 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO E PESQUISA RESOLUÇÃO N.º 2.891, DE 28 DE FEVEREIRO DE 2002 Define o currículo do Curso de Graduação em Odontologia. O REITOR

Leia mais

Programa Nacional de Promoção da Saúde Oral Termos de Referência para a Contratualização em 2007

Programa Nacional de Promoção da Saúde Oral Termos de Referência para a Contratualização em 2007 Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Normativa Assunto: Para: Contacto na DGS: Programa Nacional de Promoção da Saúde Oral Termos de Referência para a Contratualização em 2007 Todos os

Leia mais

INSTABILIDADE E LUXAÇÃO DO OMBRO. A instabilidade do ombro é definida como a incapacidade para manter

INSTABILIDADE E LUXAÇÃO DO OMBRO. A instabilidade do ombro é definida como a incapacidade para manter INSTABILIDADE E LUXAÇÃO DO OMBRO Centro da Articulação gleno umeral Labrum Ligamentos gleno-umerais e capsula Primal pictures INTRODUÇÃO A instabilidade do ombro é definida como a incapacidade para manter

Leia mais

TABELA DE Preços Particular

TABELA DE Preços Particular TABELA DE Preços Particular 01 CONSULTA A1.01.01.01 Primeira consulta de medicina dentária 20,00 A1.01.01.05 Consulta de urgência 02 MEDICINA DENTÁRIA PREVENTIVA A2.01.01.01 Selamento de fissuras A2.02.01.DD

Leia mais

G82-27000 INITIAL CORDED MULTIMEDIA KEYBOARD. Instruções de utilização. 6440528-03 PT Aug 2009 (G82-27000 = Mod. G270)

G82-27000 INITIAL CORDED MULTIMEDIA KEYBOARD. Instruções de utilização. 6440528-03 PT Aug 2009 (G82-27000 = Mod. G270) G82-27000 INITIAL CORDED MULTIMEDIA KEYBOARD Instruções de utilização 6440528-03 PT Aug 2009 (G82-27000 = Mod. G270) Ocupação das teclas Reproduzir/Pausa Som mais baixo Som ligado/desligado Calculadora

Leia mais

ESPECIALIDADE MEDICINA DENTÁRIA

ESPECIALIDADE MEDICINA DENTÁRIA ESPECIALIDADE MEDICINA DENTÁRIA Cirurgia Oral A Cirurgia Oral é uma especialidade da Medicina Dentária que inclui o diagnóstico e o tratamento cirúrgico de patologias dos tecidos moles e tecidos duros

Leia mais

ERGONOMIA - Adaptação das Condições de Trabalho. Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 18/12/2012. Sumário:

ERGONOMIA - Adaptação das Condições de Trabalho. Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 18/12/2012. Sumário: ERGONOMIA - Adaptação das Condições de Trabalho Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 18/12/2012. Sumário: 1 - Introdução 2 - Conceito e Objetivo 3 - Análise Ergonômica do Trabalho 3.1

Leia mais

Efeito agudo do treino de Pilates sobre as dores de costas em Idosos

Efeito agudo do treino de Pilates sobre as dores de costas em Idosos Efeito agudo do treino de Pilates sobre as dores de costas em Idosos Clarissa Biehl Printes (Ph.D.) cbprintes.isce@gmail.com Porto Alegre, 2015 Introdução A literatura descreve que 70 a 85% da população

Leia mais

FITNESSGRAM. O Fitnessgram é um programa de educação e avaliação da aptidão física relacionada com a saúde.

FITNESSGRAM. O Fitnessgram é um programa de educação e avaliação da aptidão física relacionada com a saúde. Professora de Educação Física HelenaMiranda FITNESSGRAM O Fitnessgram é um programa de educação e avaliação da aptidão física relacionada com a saúde. Todos os elementos incluídos no Fitnessgram foram

Leia mais

Antropometria. A antropometria estuda as dimensões físicas e proporções do corpo humano.

Antropometria. A antropometria estuda as dimensões físicas e proporções do corpo humano. Antropometria A antropometria estuda as dimensões físicas e proporções do corpo humano.. O conhecimento dessas medidas e como saber usá-las é muito importante na determinação dos diversos aspectos relacionados

Leia mais

O IMPACTO DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL NO AUMENTO DA FLEXIBILIDADE

O IMPACTO DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL NO AUMENTO DA FLEXIBILIDADE O IMPACTO DO PROGRAMA DE GINÁSTICA LABORAL NO AUMENTO DA FLEXIBILIDADE UM ESTUDO QUANTO À APLICABILLIDADE DO PROGRAMA PARA COLETORES DE LIXO DO MUNICÍPIO DE NITERÓI ALESSANDRA ABREU LOUBACK, RAFAEL GRIFFO

Leia mais

Gestão Ergonômica e Programas de Ergonomia na Empresa

Gestão Ergonômica e Programas de Ergonomia na Empresa Gestão Ergonômica e Programas de Ergonomia na Empresa Ms. João Eduardo de Azevedo Vieira Fisioterapeuta (PUC-PR / 2000) Esp. Fisiologia do Exercício e do Desporto (IBPEX / 2001) Esp. Fisioterapia do Trabalho

Leia mais

ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO EM UMA EMPRESA BENEFICIADORA DE ACRÍLICOS NA REGIÃO DE JOINVILLE-SC

ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO EM UMA EMPRESA BENEFICIADORA DE ACRÍLICOS NA REGIÃO DE JOINVILLE-SC 1 ANÁLISE ERGONÔMICA DO TRABALHO EM UMA EMPRESA BENEFICIADORA DE ACRÍLICOS NA REGIÃO DE JOINVILLE-SC Thatiana Prado Brito* RESUMO Dentre as preocupações das empresas na melhoria da qualidade e competitividade

Leia mais

AÇÕES PREVENTIVAS DE ERGONOMIA EM BLOCO OPERATÓRIO. Alexandre Lemo. Analista de Qualidade, Segurança e Ergonomia. a.lemo@ig.com.br

AÇÕES PREVENTIVAS DE ERGONOMIA EM BLOCO OPERATÓRIO. Alexandre Lemo. Analista de Qualidade, Segurança e Ergonomia. a.lemo@ig.com.br AÇÕES PREVENTIVAS DE ERGONOMIA EM BLOCO OPERATÓRIO Alexandre Lemo Analista de Qualidade, Segurança e Ergonomia a.lemo@ig.com.br Quando se fala em Ergonomia, qual a primeira informação que vem à sua cabeça?

Leia mais

Instituto Politécnico de Beja Escola Superior de Saúde de Beja Curso de Licenciatura em Enfermagem 2º Ano / 2º Semestre U.C. Enfermagem Cirúrgica

Instituto Politécnico de Beja Escola Superior de Saúde de Beja Curso de Licenciatura em Enfermagem 2º Ano / 2º Semestre U.C. Enfermagem Cirúrgica Instituto Politécnico de Beja Escola Superior de Saúde de Beja Curso de Licenciatura em Enfermagem 2º Ano / 2º Semestre U.C. Enfermagem Cirúrgica Intervenções de Enfermagem à pessoa submetida a amputação

Leia mais

METALÚRGICA LTDA PROGRAMA DE ERGONOMIA RECIFE (PE) JULHO / 2010

METALÚRGICA LTDA PROGRAMA DE ERGONOMIA RECIFE (PE) JULHO / 2010 METALÚRGICA LTDA PROGRAMA DE ERGONOMIA RECIFE (PE) JULHO / 2010 PROERGO julho/2010 Pág. 1/7. I N D I C E 1. - APRESENTAÇÃO 2. - OBJETIVO 3. - INTRODUÇÃO 4. - EMPRESA BENEFICIADA 5. - CAMPO DE APLICAÇÃO

Leia mais

Sumário. Prefácio Dra. Lin Tchia Yeng 10. O sono 87 Atividades com o bebê 93

Sumário. Prefácio Dra. Lin Tchia Yeng 10. O sono 87 Atividades com o bebê 93 Sumário Prefácio Dra. Lin Tchia Yeng 10 1. Corpo e movimento 12 Introdução 13 O movimento 15 O gesto 15 Organização motora 16 Gestos e posturas do cotidiano 18 Prevenir, o melhor remédio 20 Fixação e alternância

Leia mais