TÉCNICO EM ENFERMAGEM

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "02.03.01 TÉCNICO EM ENFERMAGEM"

Transcrição

1 PROVA OBJETIVA ESCRITA Programa: Centro de Atenção Psicossocial - CAPS TÉCNICO EM ENFERMAGEM INSTRUÇÕES 1. Examine com atenção o Caderno de Prova e verifique se ele está completo. 2. Esta prova contém 40 questões, contendo 5 (cinco) alternativas: A, B, C, D, e E, para cada questão, sendo que somente UMA está correta. 3. Assegure-se que seus objetos ou aparelhos eletrônicos estejam devidamente desligados e guardados no envelope fornecido. 4. Após iniciar a prova o candidato poderá retirar-se da sala somente após 01(uma) hora. 5. Os 03 (três) últimos candidatos deverão aguardar até que o último candidato conclua sua prova para, em conjunto,assinar o termo de encerramento da prova. 6. Procure responder a todas as questões. Para cada questão, marque apenas uma resposta no Cartão-Resposta. Utilize somente caneta esferográfica azul ou preta. 7. Não destaque folhas da prova. 8. Não use corretivo no Cartão-resposta. 9. O Cartão-resposta é insubstituível. 10. Assine o Cartão-Resposta. 11. Ao concluir a prova você deverá devolver o cartão-resposta assinado, bem como devolver o caderno de prova, conforme item 3.10 do Edital CISAMESC 002/2010. Duração desta prova: 4 horas Boa Prova!

2 CONHECIMENTOS GERAIS 1. No Brasil, a Câmara de municipal, câmara de vereadores, ou câmera legislativa é o órgão da administração dos municípios, configurando-se como a assembléia de representantes dos cidadãos ali presentes. Assinale a alternativa incorreta sobre quando poderá ocorrer convocação extraordinária da Câmara de Araranguá: A. Pelo prefeito, quando este a entender necessária. B. Pelo Presidente da Câmara para o compromisso e a posse do Prefeito e do Vice-Prefeito. C. Pelo Presidente da Câmara ou a requerimento da maioria dos membros desta, em casos de urgência ou interesse público relevante. D. Pelo Secretário Municipal de planejamento. E. Pela Comissão Representativa da Câmara. 2. O município de Araranguá também ficou conhecido como a Cidade das Avenidas devido: A. Seu Rio que costeia as principais ruas do município. B. Seu traçado urbanístico de amplas ruas e avenidas estabelecido no século XIX. C. Seu traçado histórico que servia de passagem aos tropeiros que iam para Viamão e Lages. D. Seu desenvolvimento urbanístico que manteve as avenidas do século XVIII tornando-as patrimônio histórico. E. Seu planejamento de tornar o município uma cidade Histórica manteve o padrão das ruas e avenidas desde a chegada dos colonizadores. 3. As secretarias municipais são divisões administrativas das cidades. No município de Araranguá a Secretária de Administração tem a função de: A. Executar os serviços de expediente, protocolo e arquivos. B. Auxiliar os agricultores do município a terem melhores rendimentos na atividade agrícola. C. Controlar os lançamentos, arrecadações e fiscalização de tributos e demais rendas municipais. D. Desenvolver projetos para melhorar a infra-estrutura do município. E. Prestar atendimentos às famílias com situação de vulnerabilidade social. 4. No final do século XIX a vila de Araranguá também era conhecida como: A. Laguna. B. Conventos. C. Campinas. D. Eriringue. E. Cresciuma. 2

3 5. De acordo com o Art. 3 da Lei Orgânica do município de Araranguá são objetivos fundamentais dos cidadãos deste Município e de seus representantes, exceto: A. Assegurar a construção de uma sociedade livre, justa e solidária. B. Garantir o desenvolvimento local e regional. C. Contribuir para o desenvolvimento estadual e nacional. D. Promover o bem de todos, sem preconceito de origem, raça, sexo, cor, idade, e quaisquer outras formas de discriminação. E. Erradicar a pobreza e a marginalização e dar continuidade as desigualdades sociais na área urbana e rural. LÍNGUA PORTUGUESA A questão é começar Coçar e comer é só começar. Conversar e escrever também. Na fala, antes de iniciar, mesmo numa livre conversação, é necessário quebrar o gelo. Em nossa civilização apressada, o bom dia, o boa tarde, como vai? Já não funcionam para engatar conversa. Qualquer assunto servido, fala-se do tempo ou de futebol. No escrever também poderia ser assim, e deveria haver para a escrita algo como conversa vadia, com que divaga até encontrar assunto para um discurso encadeado. Mas, à diferença da conversa falada, nos ensinaram a escrever e na lamentável forma mecânica que supunha texto prévio, mensagem já elaborada. Escrevia-se o que antes se pensara. Agora entendo o contrário: escrever para pensar, uma outra forma de conversar. Assim fomos alfabetizados, em obediência a certos rituais. Formos induzidos a, desde o início, escrever bonito e certo. Era preciso ter um começo, um desenvolvimento e um fim predeterminados. Isso estragava, porque bitolava, o começo e todo o resto. Tentaremos agora ( quem? Eu e você, leitor) conversando entender como necessitamos nos reeducar para fazer do escrever um ato inaugural: não apenas a transcrição do que tínhamos em mente, do que já foi pensado ou dito, mas inauguração do próprio pensar. Pare aí, me diz você. O escrevente escreve antes, o leitor lê depois. Não!, lhe respondo. Não consigo escrever sem pensar em você por perto, espiando o que escrevo. Não me deixe falando sozinho. Pois é; escrever é isso aí: iniciar uma conversa com um interlocutor invisíveis, imprevisíveis, virtuais apenas, sequer imaginados de carne e ossos, mas sempre ativamente presentes. Depois é espichar conversas e novas interlocutores surgem, entram na roda, puxam assuntos. Termina-se sabe Deus onde. MARQUES, M.O Escrever é preciso Ao usar a escrita para tratar do próprio ato de escrever, o autor, no texto como um todo, revela intenção de explorar qual função da linguagem? A. Função Emotiva B. Função Referencial C. Função Fática D. Função Conotativa E. Função Metalingüística 3

4 Ah, um soneto... Meu coração é um almirante louco Que abandonou a profissão do mar E que a vai relembrando pouco a pouco Em casa a passear, a passear... No movimento ( eu mesmo me desloco) Nesta cadeira, só de imaginar O mar abandonado ficar em foco Nos músculos cansados de parar. Há saudades nas pernas e nos braços Há saudades no cérebro por fora. Há grandes raivas feitas de cansaços. Mas esta é boa! Era do coração Que eu falava... e onde diabo estou eu agora Com almirante em vez de sensação? Álvaro de Campos- Poema de Fernando Pessoa. 7. O desenvolvimento figurativo do texto ao seu ponto de partida é a utilização de uma linguagem: A. interrogação B. metonímia C. oposição D. reiteração E. metáfora Talvez pareça excessivo o escrúpulo do Cotrim, a quem não souber que ele possuía um caráter ferozmente honrado. Eu mesmo fui injusto com ele durante os anos que se seguiram ao inventário de meu pai. Reconheço que era um modelo. Argüiam-no de avareza, e cuido que tinham razão; mas a avareza é apenas a exageração de uma virtude, e as virtudes devem ser como os orçamentos: melhor é o saldo que o déficit. Como era muito seco de maneiras tinha inimigos, que chegavam a acusa-lo de bárbaro. O único fato alegado neste particular era o de mandar com freqüência escravos ao calabouço, donde eles desciam a escorrer sangue; mas, além de que ele só mandava os perversos e os fujões, ocorre que, tendo longamente contrabandeado em escravos, habituara-se de certo modo ao trato um pouco mais duro que esse gênero de negócio requeria, e não se pode honestamente atribuir à índole original de um homem o que é puro efeito de relações sociais Trecho do livro Memórias Póstumas de Brás Cubas- Machado de Assis 8. Neste trecho, Brás Cubas discute as acusações dirigidas a seu cunhado Cotrim. A argumentação ai apresentada. 4

5 A. Faz com que, ao defender Cotrim, ele contribua, ironicamente, para confirmar essas acusações. B. Confirma hipótese de que Machado de Assis, ao ascender socialmente, renegou suas origens e abandonou a critica ao comportamento das elites. C. Visa demonstrar que as praticas de Cotrim não contavam com a conivência de Brás Cubas e da sociedade da época. D. Comprova a convicção machadiana de que os homens nascem bons, a sociedade é que os corrompe. E. É moralmente impecável, pois distingue o licito do ilícito, condenando explicitamente os desvios, como o contrabando e a tortura. 9. Pelo visto, jamais sairá daqueles anos o prédio foi vendido a uma imobiliária e deve ser entregue no mês que vem para cumprir seu destino de edifício. No trecho acima estabelece-se uma relação de: A. Causa- e o travessão pode ser substituído pelo porque. B. Condição, e o travessão pode ser substituído por pois. C. Tempo, o travessão pode ser substituído pelo quando. D. Comparação, o travessão pode ser substituído por onde. E. Finalidade, o travessão pode ser substituído por depois que. 10. Os provérbios constituem um produto da sabedoria popular e, em geral, pretendem transmitir um ensinamento. A alternativa em que os dois provérbios remetem a ensinamentos semelhantes a linguagem informal é: A. Quem diz o que quer ouve o que não quer e Quem ama o feio, bonito lhe parece. B. Devagar se vai ao longe e De grão em grão, a galinha enche o papo. C. Mais vale um pássaro na mão do que dois voando e Não se devem atirar pérolas aos porcos. D. Quem casa quer casa e Santo de casa não faz milagre. E. Quem com ferro fere, com ferro será ferido e Cãs de ferreiro, espeto é de pau. MATEMÁTICA Fórmulas b V x = 2a V y = 4a 11. No período natalino há um aumento significativo do fluxo de correspondências entre as residências de um bairro. Suponha que o número de carteiros necessários para distribuir, em cada dia, as correspondências entre as 18x residências desse bairro seja dado por f(x) =, em que x é o 250+x número de residências e f(x) é o número de carteiros. Se foram necessários 3 5

6 carteiros para distribuir, em cada dia, estas correspondências, o número de residências desse bairro, que as receberam, é: A. 10 B. 20 C. 50 D. 40 E Identifique a única alternativa correta. A. Podemos formar com as letras da palavra SERTÃO 620 anagramas. B. 20 é o número de anagramas da palavra SERTÃO que iniciam com S e terminam em O. C. 144 é o número de anagramas da palavra SERTÃO onde as letras SRT aparecem juntas em qualquer ordem. D. O número de anagramas da palavra SERTÃO em que as letras A e O aparecem juntas e nessa ordem (ÃO) é 220. E. O número de anagramas da palavra SERTÃO onde as letras R e T aparecem nos extremos é O Sr Márcio é proprietário de uma pizzaria e faz entregas em domicílio num raio de 8km. Com ele trabalham 5 motoqueiros, que entregam, em média, 48 pizzas em 3 horas. Com o aumento das vendas, o Sr Márcio contratou mais 5 motoqueiros. Todos eles passam a trabalhar 5 horas por dia. Mantendo-se a média de entregas inicial, quantas pizzas poderão ser entregue ao todo? A. 160 B. 80 C. 40 D. 50 E Uma bola é lançada verticalmente para cima. A altura (h) em relação ao solo é dada em metros e o tempo (t) após o lançamento, em segundos. A equação que define este movimento é : h = - t 2 + 2t + 3. Nestas condições, o instante (t) em que a bola atinge sua altura máxima é: A. 1s B. 8s C. 4s D. 5s E. 12s 6

7 15. A figura mostra um edifício que tem 15 m de altura, com uma escada colocada a 8 m de sua base ligada ao topo do edifício. Nestas condições, o comprimento dessa escada é de: A. 12 m. B. 30 m. C. 15 m m D. 17 m. E. 20 m. INFORMÁTICA 16. Um usuário deseja digitar no MS-Word uma lista de itens, cada um deles começando por um asterisco, mas cada vez que ele pressiona a tecla Enter para passar para a linha seguinte, o asterisco se transforma em um marcador. Para resolver esse problema, o usuário deve percorrer a seguinte seqüência de comandos: A. Ferramentas > AutoCorreção > aba AutoTexto B. Formatar > Marcadores e numeração > botão Remover C. Formatar > Marcadores e numeração > botão Cancelar D. Ferramentas > Opções > AutoCorreção > AutoFormatação ao digitar E. Ferramentas > AutoCorreção > AutoFormatação ao digitar 17.Pode-se inserir um Hiperlink em um texto no MS Word, bastando, para isso, selecionar o texto e acionar o menu Inserir > Hiperlink e, logo após, preencher os parâmetros solicitados. O que é um Hiperlink? A. É um link para textos de outros documentos do Word. B. É um atalho para um editor de texto de páginas HTML. C. É uma palavra que estará sempre em destaque para ser lembrada e diferenciada das demais. D. É uma palavra ou texto que serve de atalho para Meus favoritos. E. É uma palavra ou texto que estará em destaque e cujo link, ao ser pressionado, juntamente com a tecla Crtl, exibirá a página da Internet associada no Internet Explorer. 18. Os botões da Barra de ferramentas representados pelos Ícones correspondem, respectivamente, a: A. Novo documento em branco, Abrir e Colunas. B. Novo documento em branco, Salvar e Visualizar impressão. C. Excluir documento, Abrir e Justificar. D. Fechar documento, Arquivar e Visualizar impressão. E. Fechar documento, Salvar e Justificar. 7

8 19. Ao se navegar pela internet através do MS-Internet Explorer, algumas vezes o ponteiro do mouse toma forma de uma mão fechada com um dedo indicador apontando. Isso significa que: A. O computador, nesse exato momento, esta sendo ocupado com uma outra tarefa; B. O ponteiro do mouse está sobre um hyperlink de um hipertexto; C. Pode ser perigoso clicar nesse ponto, sob o risco de ativar (ou pegar ) um vírus de computador; D. O ponteiro do mouse está sobre uma figura; E. Não significa nada em especial, é apenas uma configuração personalizada do usuário. 20. No editor de planilhas Eletrônicas Excel, o usuário preencheu uma planilha com valores numéricos inteiros, conforme indicado na figura a seguir,. Com a célula D5 já selecionada, digitou =SOMA( e, em seguida, com a tecla Ctrl pressionada, selecionou os intervalos de A1 até A4 e de D1 até D4. Finalmente, liberou a tecla Ctrl e teclou Enter. Após este procedimento, o valor que irá aparecer na célula D5 é igual a: A. 220 B. 426 C. 128 D. 92 E. 14 CONHECIMENTOS TÉCNICO-PROFISSIONAIS 21. O Sistema Único de Saúde estabelece que a saúde é um direito fundamental do ser humano, devendo o Estado prover as condições fundamentais ao seu pleno exercício. O Sistema Único de Saúde é regulamentado pela Lei Federal nº: A. 9394/1996. B. 8067/1990. C. 8080/1990. D. 9179/1996. E. 9080/

9 22. O Sistema Único de Saúde SUS garante o acesso de toda a população aos serviços de saúde, mediante o princípio da: A. Universalidade. B. Regionalização. C. Hierarquização. D. Descentralização. E. Organização 23. Segundo a Lei de 28 de dezembro de 1990, que trata da participação da comunidade no Sistema Único de Saúde - SUS, o Conselho Municipal de Saúde do Município deverá ter suas decisões homologadas pelo: A. Ministro da Saúde. B. Secretário do Conselho Municipal de Saúde. C. Secretário Estadual de Saúde. D. Secretário Municipal de Saúde. E. Administrador do Hospital. 24.O Técnico em Enfermagem, ao executar um procedimento pertinente às suas atribuições, sem o adequado conhecimento técnico-científico, estará expondo o paciente sob seus cuidados aos danos decorrentes de: A. Imprudência. B. Negligência. C. Imperícia. D. Omissão. E. Culpa 25. Para a utilização da autoclave na esterilização e processamento de materiais, é necessário que o auxiliar em enfermagem observe atentamente a condição de: A. Carregar o equipamento com material que requer tempo diferente de exposição, para facilitar o processo de esterilização. B. Utilizar 100% da capacidade da autoclave. C. Dispor o material, de modo a fixá-lo nas paredes da autoclave. D. Esterilizar o material a uma temperatura de 80º C, com tempo de exposição de uma hora. E. Utilizar 80% da capacidade da autoclave, de modo a facilitar a circulação do vapor. 26. A causa mais comum de acidentes ocupacionais envolvendo trabalhadores de enfermagem é determinada: A. Pela exposição a materiais perfuro-cortantes. B. Pelo uso de equipamento de proteção individual inadequado. C. Pelo cumprimento de jornadas de trabalho diferenciadas. D. Pela existência de iluminação artificial em detrimento da luz natural. E. Pela não existência de equipamentos de proteção individual. 9

10 27. A via para a administração de drogas e substâncias que oferece maior rapidez de absorção é a: A. Intramuscular. B. Venosa. C. Subcutânea. D. Oral. E. Enteral. 28. O efeito esperado com a aplicação de compressas quentes é: A. A diminuição da absorção. B. A vasoconstrição. C. O aumento da eliminação. D. A vasodilatação. E. A broncoconstrição. 29. O Técnico em Enfermagem do Centro de Atendimento Psicossocial (CAPS), a fim de obter êxito no seu trabalho, deve exercer as suas atividades respeitando o seguinte preceito: A. Manter-se afastado e distante dos clientes sob seus cuidados, a fim de evitar vínculos afetivos. B. Ser capaz de prestar cuidados diretos aos clientes e estabelecer uma comunicação interpessoal entre o profissional e o paciente. C. Agir com lentidão, pois qualquer atitude indicativa de pressa poderá levar o portador de doença mental a responder com agressividade. D. Comportar-se de forma discreta com os clientes, pois o risco de sofrer agressão súbita é muito grande. E. Ser capaz de prestar cuidados indiretos aos clientes e não estabelecer uma comunicação interpessoal entre o profissional e o paciente. 30. Uma das principais características da psicose, a ser observada pelo auxiliar de enfermagem do CAPS, é: A. O comportamento fóbico anormal. B. A lucidez excessivamente delirante. C. A alteração do nível de consciência. D. A ocorrência de alteração de humor. E. A ocorrência de alucinações 31. Uma característica marcante do movimento da reforma psiquiátrica brasileira diz respeito à: A. Transformação da assistência ao doente mental, com a construção de possibilidades de atenção que garantam a sua inserção e de sua família no projeto terapêutico. B. Defesa e consolidação do modelo hospitalocêntrico asilar como o melhor para o tratamento da pessoa com transtorno mental. C. Exclusão da família do projeto terapêutico, por entender ser esta a grande causa de transtorno mental. 10

11 D. Previsão de fechamento de todos os leitos de internação psiquiátrica, orientando que todo o tratamento ao doente acometido de transtorno mental seja desenvolvido em nível ambulatorial. E. Exclusão da sociedade do projeto terapêutico, por entender ser esta a grande causa de transtorno mental. 32. A síndrome aguda, caracterizada pela presença de sintomas psicóticos, tremores de extremidades e agitação psicomotora, desenvolvida no alcoolista crônico após a privação repentina do álcool, é conhecida como: A. Transtorno psicossomático. B. Síndrome delirante. C. Delirium tremens. D. Síndrome de Wernicke-Korsakoff. E. Síndrome psicótica. AS QUESTÕES DE Nº 13 A 15 TÊM COMO BASE A LEI Nº DE 06 DE ABRIL DE 2001, QUE DISPÕE SOBRE A PROTEÇÃO E OS DIREITOS DAS PESSOAS PORTADORAS DE TRANSTORNOS MENTAIS E REDIRECIONA O MODELO ASSISTENCIAL EM SAÚDE MENTAL. 33. De acordo com a legislação vigente, constitui direito da pessoa portadora de transtorno mental: A. Manter-se internada em hospital psiquiátrico, preferencialmente asilar, mediante intervenção medicamentosa. B. Ser tratada em ambiente terapêutico, pelos meios menos invasivos possíveis. C. Permanecer exclusivamente sob tutela familiar, que dispõe de todos os recursos afetivos necessários para lidar com o seu transtorno mental. D. Comparecer mensalmente à unidade de saúde apenas para apanhar as doses de medicamentos assegurados pelo programa. E. Ser tratada em ambiente hospitalar, pelos meios mais invasivos possíveis. 34. A internação hospitalar da pessoa portadora de transtorno mental, em qualquer de suas modalidades, somente será indicada quando: A. A possibilidade de cura for remota. B. A família manifestar cansaço e indisposição para cuidar do indivíduo. C. Os recursos extra-hospitalares se mostrarem insuficientes. D. O hospital psiquiátrico for dotado de estrutura com características asilares. E. A possibilidade de tratamento é remota. 35. A internação psiquiátrica somente será realizada mediante laudo médico circunstanciado que caracterize os seus motivos. A alternativa que melhor caracteriza uma das circunstâncias da internação psiquiátrica é: 11

12 A. Internação voluntária, aquela que se dá com o consentimento do usuário. B. Internação involuntária, aquela determinada pela justiça. C. Internação compulsória, aquela que ocorre por determinação extra-oficial. D. Internação involuntária, aquela que se dá pelo consenso do usuário e de seu familiar. E. Internação involuntária, aquela que ocorre por determinação extra-oficial. COM BASE NO TEXTO ABAIXO, RESPONDA ÀS QUESTÕES DE Nº 16 E 17. O Auxílio-reabilitação Psicossocial para pacientes acometidos de transtornos mentais egressos de instituições nosocomiais foi instituído pela Lei nº , de 31 de julho de 2003 e representa um avanço significativo em relação ao que já havia sido preconizado em 2001, no artigo 5º da Lei nº A Portaria GM /MS nº 2.077, de 31 de outubro de 2003, considera como egressos e possíveis beneficiários, para efeitos da Lei nº /2003, todas as pessoas portadoras de transtorno mental incluídas no cadastro de beneficiários potenciais do programa De Volta pra Casa e que estejam comprovadamente: A. Em tratamento ambulatorial contínuo por período nunca inferior a 3 (três) anos. B. Inscritos no programa de assistência farmacêutica psiquiátrica. C. Em situação clínica e social que justifique a internação hospitalar mais prolongada. D. Internados em hospital psiquiátrico por período ininterrupto igual ou superior a 2 (dois) anos. E. Em tratamento ambulatorial contínuo por período nunca inferior a 10 (dez) anos. 37. O pagamento do Auxílio-reabilitação Psicossocial será suspenso quando: A. A internação do beneficiário em hospital psiquiátrico se mostrar desnecessária. B. Os familiares do beneficiário já tiverem conseguido meios próprios para o auto- sustento. C. Os objetivos de reintegração social e autonomia do paciente não tiverem sido alcançados. D. A doença mental que motivou a internação se mantiver comprovadamente estacionária O Auxílio-reabilitação Psicossocial para pacientes acometidos de transtornos mentais egressos de instituições nosocomiais foi instituído pela Lei nº , de 31 de julho de 2003 e representa um avanço significativo em relação ao que já havia sido preconizado em 2001, no artigo 5º da Lei nº E. Os objetivos de reintegração social e autonomia do paciente já tiverem sido alcançados. 38. O Programa de Atenção Integral a Usuários de Álcool e outras Drogas, instituído pela Portaria GM /MS nº de 14 de outubro de 2004, estabelece como um dos seus principais componentes a atenção no CAPS - AD, ambulatórios e outras unidades extra-hospitalares especializadas, devendo, para tal, apresentar a seguinte característica: 12

13 A. Composição na rede assistencial de uma estrutura para atendimento às urgências e emergências psiquiátricas. B. Oferta, aos usuários de álcool e outras drogas e aos seus familiares, de acolhimento, atenção integral e estímulo à sua integração social e familiar. C. Atuação respeitando-se a lógica territorial, salvo em caso de ausência de recursos assistenciais similares, quando a clientela poderá ultrapassar os limites previstos para a abrangência dos serviços. D. Operacionalização da rede de serviços hospitalares de referência para a atuação integral junto aos usuários de álcool e outras drogas. E. Composição de uma rede assistencial com uma estrutura para atendimento dos casos de emergências psiquiátricas. COM BASE NO TEXTO DA PORTARIA ABAIXO, RESPONDA ÀS QUESTÕES DE Nº 19 E 20. A Portaria GM /MS nº 336 de 19 de fevereiro de 2002 que regulamenta, em parte, o disposto na Lei nº de 06 de abril de 2001, redireciona os modelos assistenciais no campo da saúde mental e define o funcionamento dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS). 39. Considerando-se que os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) poderão constituir-se em modalidades de serviço (I, II e III), definidos por ordem crescente de complexidade e abrangência, destaca-se como característica do CAPS I: A. A capacidade operacional para atendimento em municípios com população entre e habitantes. B. A existência de equipe técnica mínima para o atendimento de 30 pacientes por turno, tendo como limite máximo 45 pacientes /dia, em regime intensivo. C. A capacidade operacional para atendimento em municípios com população acima de habitantes. D. A existência de equipe técnica mínima para o atendimento de 40 pacientes por turno, tendo como limite máximo 60 pacientes /dia. E. A capacidade operacional para atendimento em municípios com população acima de habitantes. 40. Os CAPS deverão estar capacitados para o acompanhamento dos pacientes de forma intensiva, semi-intensiva e não intensiva, devendo, para isto, levar em consideração o quadro clínico atual, conforme cada caso. Neste sentido, é definido como atendimento intensivo aquele destinado aos pacientes que: A. Necessitam de acompanhamento semanal. B. Podem ter uma freqüência mensal de atendimento. C. Necessitam de acompanhamento diário. D. Podem ter freqüência esporádica de atendimento. E. Necessitam de acompanhamento quinzenal. 13

02.06.01 TÉCNICO EM HIGIENE BUCAL THD TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL - TSB

02.06.01 TÉCNICO EM HIGIENE BUCAL THD TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL - TSB PROVA OBJETIVA ESCRITA Programa: Saúde Bucal e Centro de Especialidades Odontológicas - CEO 02.06.01 TÉCNICO EM HIGIENE BUCAL THD TÉCNICO EM SAÚDE BUCAL - TSB INSTRUÇÕES 1. Examine com atenção o Caderno

Leia mais

03.04.01 AGENTE DE COMBATE A DENGUE

03.04.01 AGENTE DE COMBATE A DENGUE PROVA OBJETIVA ESCRITA Programa: Combate à Dengue 03.04.01 AGENTE DE COMBATE A DENGUE INSTRUÇÕES 1. Examine com atenção o Caderno de Prova e verifique se ele está completo. 2. Esta prova contém 40 questões,

Leia mais

LEI Nº 10.216, DE 6 DE ABRIL DE 2001

LEI Nº 10.216, DE 6 DE ABRIL DE 2001 LEI Nº 10.216, DE 6 DE ABRIL DE 2001 Dispõe sobre a proteção e os direitos das pessoas portadoras de transtornos mentais e redireciona o modelo assistencial em saúde mental. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço

Leia mais

li'm(i)~mr:.\r&~ ~[~ ~~~ ~~~.l, ~~~:r,,~{íe.c.~ ~~ ~@)g ~ 1liiJ~mmrl!&

li'm(i)~mr:.\r&~ ~[~ ~~~ ~~~.l, ~~~:r,,~{íe.c.~ ~~ ~@)g ~ 1liiJ~mmrl!& li'm(i)~mr:.\r&~ ~[~ ~~~ ~~~.l, ~~~:r,,~{íe.c.~ ~~ ~@)g ~ 1liiJ~mmrl!& A RENTEGRACÃOSOCAL ~ É O MELHOR TRATAMENTO Na história da atenção às pessoas com transtornos mentais no Brasil, por muito tempo o

Leia mais

PARECER TÉCNICO I ANÁLISE E FUNDAMENTAÇÃO:

PARECER TÉCNICO I ANÁLISE E FUNDAMENTAÇÃO: PARECER TÉCNICO ASSUNTO: Solicitação de parecer acerca de Técnico de Enfermagem lotado no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) de transtorno mental acompanhar paciente internado em outra instituição,

Leia mais

Rede de Atenção Psicossocial

Rede de Atenção Psicossocial NOTA TÉCNICA 62 2011 Rede de Atenção Psicossocial Altera a portaria GM nº 1.169 de 07 de julho de 2005 que destina incentivo financeiro para municípios que desenvolvem Projetos de Inclusão Social pelo

Leia mais

Caso já seja usuário do SCAW siga as instruções a partir da página X.

Caso já seja usuário do SCAW siga as instruções a partir da página X. Caso já seja usuário do SCAW siga as instruções a partir da página X. Para iniciar o sistema dê um duplo clique no ícone, que se encontra na área de trabalho. 1 Login do sistema. Esta é a tela de login

Leia mais

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos

Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Capítulo 7 O Gerenciador de Arquivos Neste capítulo nós iremos examinar as características da interface do gerenciador de arquivos Konqueror. Através dele realizaremos as principais operações com arquivos

Leia mais

Unidade 1: O Painel de Controle do Excel *

Unidade 1: O Painel de Controle do Excel * Unidade 1: O Painel de Controle do Excel * material do 2010* 1.0 Introdução O Excel nos ajuda a compreender melhor os dados graças à sua organização em células (organizadas em linhas e colunas) e ao uso

Leia mais

O GEM é um software 100% Web, ou seja, você poderá acessar de qualquer local através da Internet.

O GEM é um software 100% Web, ou seja, você poderá acessar de qualquer local através da Internet. Olá! Você está recebendo as informações iniciais para utilizar o GEM (Software para Gestão Educacional) para gerenciar suas unidades escolares. O GEM é um software 100% Web, ou seja, você poderá acessar

Leia mais

SSE 3.0. Guia Rápido. Módulo Secretaria. Nesta Edição

SSE 3.0. Guia Rápido. Módulo Secretaria. Nesta Edição SSE 3.0 Guia Rápido Módulo Secretaria Nesta Edição 1 Acessando o Módulo Secretaria 2 Cadastros Auxiliares 3 Criação de Modelos Definindo o Layout do Modelo Alterando o Layout do Cabeçalho 4 Parametrização

Leia mais

MANUAL DO ALUNO EAD 1

MANUAL DO ALUNO EAD 1 MANUAL DO ALUNO EAD 1 2 1. CADASTRAMENTO NO AMBIENTE VIRTUAL DE APRENDIZAGEM Após navegar até o PORTAL DA SOLDASOFT (www.soldasoft.com.br), vá até o AMBIENTE DE APRENDIZAGEM (www.soldasoft.com.br/cursos).

Leia mais

Microsoft Office Excel

Microsoft Office Excel 1 Microsoft Office Excel Introdução ao Excel Um dos programas mais úteis em um escritório é, sem dúvida, o Microsoft Excel. Ele é uma planilha eletrônica que permite tabelar dados, organizar formulários,

Leia mais

MANUAL PAPELETA MOTORISTA Criado em: 15/02/2013 Atualizado em: 12/11/2014

MANUAL PAPELETA MOTORISTA Criado em: 15/02/2013 Atualizado em: 12/11/2014 O objetivo deste manual é explicar passo a passo o controle da papeleta do motorista realizado no SAT. De acordo com a LEI Nº 12.619, DE 30 DE ABRIL DE 2012, que pode ser acessada em: http://www.planalto.gov.br

Leia mais

Alterações/Desenvolvimento - Sistema OnixNet / TrucksNet

Alterações/Desenvolvimento - Sistema OnixNet / TrucksNet Alterações/Desenvolvimento - Sistema OnixNet / TrucksNet Comercial Cadastros o (202) Cadastro de Vendedores Flag Enviar Previsão: Flag Enviar Previsão: Foi inserido um novo flag no cadastro de vendedores.

Leia mais

Simulador ITIL Exame de Certificação da EXIM

Simulador ITIL Exame de Certificação da EXIM Simulador ITIL Exame de Certificação da EXIM WWW.ASASSOFTWARES.COM.BR Índice 1 Informações Básicas... 1 1.1 Sair da aplicação... 1 1.2 Testar aplicação... 1 1.3 Licenciando a aplicação... 1 1.4 Aceitar

Leia mais

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor.

2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. TJ-SP INFORMÁTICA CARLOS VIANA 2012 Copyright. Curso Agora Eu Passo - Todos os direitos reservados ao autor. 1. ( VUNESP - 2011 - TJM-SP - Windows XP; ) Analise as afirmativas referentes ao MS-Windows

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior Mozart de Melo Alves Júnior WORD 2000 INTRODUÇÃO: O Word é um processador de texto com recursos de acentuação, formatação de parágrafo, estilo de letras diferentes, criação de tabelas, corretor ortográfico,

Leia mais

FEMA Fundação Educacional Machado de Assis INFORMÁTICA Técnico em Segurança do Trabalho P OW ERPOI NT. Escola Técnica Machado de Assis Imprensa

FEMA Fundação Educacional Machado de Assis INFORMÁTICA Técnico em Segurança do Trabalho P OW ERPOI NT. Escola Técnica Machado de Assis Imprensa P OW ERPOI NT 1 INTRODUÇÃO... 3 1. Iniciando o PowerPoint... 3 2. Assistente de AutoConteúdo... 4 3. Modelo... 5 4. Iniciar uma apresentação em branco... 6 5. Modo de Exibição... 6 6. Slide Mestre... 7

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR/SBOT PARA SECRETÁRIAS 1 - A TELA AGENDA 1.1 - TIPOS DE AGENDA 1.1.1 AGENDA NORMAL 1.1.2 AGENDA ENCAIXE 2 - AGENDANDO CONSULTAS 2.1 - AGENDANDO UMA CONSULTA NA

Leia mais

Ministério da Cultura

Ministério da Cultura Ministério da Cultura MANUAL DO PROPONENTE: PROPOSTAS VERSÃO 1.1 HISTÓRICO DE REVISÃO Data Versão Descrição Autor 10/11/2011 1.0 Criação do documento. Aline Oliveira - MINC 07/01/2013 1.1 Atualização do

Leia mais

Tutorial do administrador do HelpCenterLive (Sistema de Ajuda)

Tutorial do administrador do HelpCenterLive (Sistema de Ajuda) Tutorial do administrador do HelpCenterLive (Sistema de Ajuda) Sumário Introdução...3 Entrar (Login)...3 Página Inicial (Home Page)...4 Ajuda...5 Conversação (Chat)...6 Mensagens Registradas...7 Registros...8

Leia mais

Livro Caixa. www.controlenanet.com.br. Copyright 2015 - ControleNaNet

Livro Caixa. www.controlenanet.com.br. Copyright 2015 - ControleNaNet www.controlenanet.com.br Copyright 2015 - ControleNaNet Conteúdo Tela Principal... 3 Como imprimir?... 4 As Listagens nas Telas... 7 Clientes... 8 Consulta... 9 Inclusão... 11 Alteração... 13 Exclusão...

Leia mais

Guia Rápido de Uso. Aqui seguem os tópicos tratados nesse guia, para que você aprenda a usar o Sistema HOT SMS. SUMÁRIO

Guia Rápido de Uso. Aqui seguem os tópicos tratados nesse guia, para que você aprenda a usar o Sistema HOT SMS. SUMÁRIO 1 Guia Rápido de Uso Aqui seguem os tópicos tratados nesse guia, para que você aprenda a usar o Sistema HOT SMS. SUMÁRIO 1 Acesso ao sistema...3 2 Entenda o Menu...4 3 Como enviar torpedos...6 3.1 Envio

Leia mais

PROVA DE CONHECIMENTO ESPECÍFICO INSTRUTOR DE INFORMÁTICA

PROVA DE CONHECIMENTO ESPECÍFICO INSTRUTOR DE INFORMÁTICA PROVA DE CONHECIMENTO ESPECÍFICO INSTRUTOR DE INFORMÁTICA Questão 21 Assinale a alternativa incorreta de acordo com a Norma Regulamentadora 17 item 17.4.3, que aborda a ergonomia no ambiente de trabalho:

Leia mais

SuperStore. Sistema para Automação de Óticas. MANUAL DO USUÁRIO (Módulo Vendas e Caixa)

SuperStore. Sistema para Automação de Óticas. MANUAL DO USUÁRIO (Módulo Vendas e Caixa) SuperStore Sistema para Automação de Óticas MANUAL DO USUÁRIO (Módulo Vendas e Caixa) Contato: (34) 9974-7848 http://www.superstoreudi.com.br superstoreudi@superstoreudi.com.br SUMÁRIO 1 Vendas... 3 1.1

Leia mais

Para resolver as questões abaixo considere o Sistema Operacional Microsoft Windows Vista

Para resolver as questões abaixo considere o Sistema Operacional Microsoft Windows Vista Nome: Gabarito Para resolver as questões abaixo considere o Sistema Operacional Microsoft Windows Vista 1) O Centro das configurações do Windows, onde pode ser acessado cada um dos dispositivos componentes

Leia mais

Manual da AGENDA GRACES 2011

Manual da AGENDA GRACES 2011 1 Agenda Graces Manual da AGENDA GRACES 2011 O Sistema Agenda Graces integrada ao Sistema Graces e Agenda Graces Grátis foi desenvolvido pela empresa Quorum Informática. Este Manual tem por objetivo atender

Leia mais

AQUI SEGUEM OS TÓPICOS TRATADOS NESSE GUIA, PARA QUE VOCÊ APRENDA A USAR O SISTEMA CLUBE TURISMO MOBILE.

AQUI SEGUEM OS TÓPICOS TRATADOS NESSE GUIA, PARA QUE VOCÊ APRENDA A USAR O SISTEMA CLUBE TURISMO MOBILE. GUIA RÁPIDO DE USO AQUI SEGUEM OS TÓPICOS TRATADOS NESSE GUIA, PARA QUE VOCÊ APRENDA A USAR O SISTEMA CLUBE TURISMO MOBILE. 1 Acesso ao sistema...3 2 Entenda o Menu...3 2.1 Contatos...3 2.2 Mensagens...4

Leia mais

Manual usuario sipon. Índice. Introdução. Características do Sistema. De Wiki Intranet. 1 Introdução 1.1 Características do Sistema

Manual usuario sipon. Índice. Introdução. Características do Sistema. De Wiki Intranet. 1 Introdução 1.1 Características do Sistema Manual usuario sipon De Wiki Intranet Índice 1 Introdução 1.1 Características do Sistema 1.2 Regras Gerais (Tipos de Jornada, Prazos, Tolerância, Justificativas, Limites do Banco de Horas etc) 1.2.1 Tipos

Leia mais

Introdução... 1. Instalação... 2

Introdução... 1. Instalação... 2 ONTE DO Introdução... 1 O que é IPP?... 1 Qual é a função de um software Samsung IPP?... 1 Instalação... 2 Requisitos do sistema... 2 Instalar o software Samsung IPP... 2 Desinstalar o software Samsung

Leia mais

Novell. Novell Teaming 1.0. novdocx (pt-br) 6 April 2007 EXPLORAR O PORTLET BEM-VINDO DESCUBRA SEU CAMINHO USANDO O NOVELL TEAMING NAVIGATOR

Novell. Novell Teaming 1.0. novdocx (pt-br) 6 April 2007 EXPLORAR O PORTLET BEM-VINDO DESCUBRA SEU CAMINHO USANDO O NOVELL TEAMING NAVIGATOR Novell Teaming - Guia de início rápido Novell Teaming 1.0 Julho de 2007 INTRODUÇÃO RÁPIDA www.novell.com Novell Teaming O termo Novell Teaming neste documento se aplica a todas as versões do Novell Teaming,

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: MONITOR DE INCLUSÃO DIGITAL CADERNO DE PROVAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE BOM DESPACHO-MG PROCESSO SELETIVO SIMPLIFICADO - EDITAL 001/2009 CARGO: MONITOR DE INCLUSÃO DIGITAL CADERNO DE PROVAS CADERNO DE PROVAS 1 A prova terá a duração de duas horas, incluindo o tempo necessário para o preenchimento do gabarito. 2 Marque as respostas no caderno de provas, deixe para preencher o gabarito depois

Leia mais

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP

Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Informática básica: Sistema operacional Microsoft Windows XP...1 Iniciando o Windows XP...2 Desligar o computador...3 Área de trabalho...3

Leia mais

Guia Rápido para Acesso, Preenchimento e Envio Formulário de Cadastro da Empresa e Formulário de Projeto

Guia Rápido para Acesso, Preenchimento e Envio Formulário de Cadastro da Empresa e Formulário de Projeto EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA MCTI/AEB/FINEP/FNDCT Subvenção Econômica à Inovação Transferência de Tecnologia do SGDC 01/2015 Transferência de Tecnologia Espacial no Âmbito do Decreto nº 7.769 de 28/06/2012

Leia mais

Manual do Usuário Central de Agendamento. Versão 1.1

Manual do Usuário Central de Agendamento. Versão 1.1 Manual do Usuário Central de Agendamento Versão 1.1 Maio, 2014 Central de Agendamento Manual de utilização Tribunal de Justiça do Estado da Bahia Setor: Coordenação de Sistemas - COSIS Histórico de Revisões

Leia mais

NOÇÕES DE INFORMÁTICA. Letra E, a única opção existente no Windows 7. Todas as demais são fictícias.

NOÇÕES DE INFORMÁTICA. Letra E, a única opção existente no Windows 7. Todas as demais são fictícias. CURSO: Câmara Municipal de São José dos Campos DISCIPLINA: Informática INSTRUTOR: Fernando Nishimura de Aragão NOÇÕES DE INFORMÁTICA 31. O sistema operacional Windows 7, em sua configuração padrão, permite

Leia mais

MANUAL PORTAL ACADÊMICO

MANUAL PORTAL ACADÊMICO MANUAL PORTAL ACADÊMICO Sumário Sumário... 2 1. Apresentação... 3 2. Navegação no site da Escola do Legislativo... 4 3. Ministrante... 6 3.1.Cadastro de ministrante... 6 3.2. Preencher os campos... 7 3.3

Leia mais

A.B.P. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PSIQUIATRIA

A.B.P. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PSIQUIATRIA A.B.P. ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE PSIQUIATRIA Talvane M. de Moraes Médico especialista em psiquiatria forense Livre Docente e Doutor em Psiquiatria Professor de psiquiatria forense da Escola da Magistratura

Leia mais

G-Bar. Módulo Básico Versão 4.0

G-Bar. Módulo Básico Versão 4.0 G-Bar Software para Gerenciamento de Centrais de Corte e Dobra de Aço Módulo Básico Versão 4.0 Pedidos de Vendas Manual do Usuário 1 As informações contidas neste documento, incluindo links, telas e funcionamento

Leia mais

Saúde Mental passo a passo: como organizar a rede de saúde mental no seu município?

Saúde Mental passo a passo: como organizar a rede de saúde mental no seu município? Saúde Mental passo a passo: como organizar a rede de saúde mental no seu município? 1) Como deve ser a rede de saúde mental no seu município? A rede de saúde mental pode ser constituída por vários dispositivos

Leia mais

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS

HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS HELP DE UTILIZAÇÃO DO SISTEMA ONLINE DOCTOR PARA SECRETÁRIAS 1 - A TELA AGENDA 1.1 - TIPOS DE AGENDA 1.1.1 AGENDA NORMAL 1.1.2 AGENDA ENCAIXE 2 - AGENDANDO CONSULTAS 2.1 - AGENDANDO UMA CONSULTA NA AGENDA

Leia mais

V.1.0 SIAPAS. Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde. Contas Médicas

V.1.0 SIAPAS. Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde. Contas Médicas 2014 V.1.0 SIAPAS Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde Contas Médicas SIAPAS Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde Módulos CONTAS MÉDICAS Capa

Leia mais

SISTEMA DE COMUNICAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇOS GERAIS - COMUNICA. Manual do Usuário

SISTEMA DE COMUNICAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇOS GERAIS - COMUNICA. Manual do Usuário SISTEMA DE COMUNICAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇOS GERAIS - COMUNICA Manual do Usuário Título SISTEMA DE COMUNICAÇÃO DO SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DE SERVIÇOS GERAIS - COMUNICA

Leia mais

Autorizador Plasc TISS Web. - Manual de Instrução-

Autorizador Plasc TISS Web. - Manual de Instrução- Autorizador Plasc TISS Web - Manual de Instrução- A ANS estabeleceu um padrão de Troca de Informação em Saúde Suplementar - TISS para registro e intercâmbio de dados entre operadoras de planos privados

Leia mais

SAÚDE CONNECT 03.010 AUTORIZAÇÃO

SAÚDE CONNECT 03.010 AUTORIZAÇÃO SAÚDE CONNECT 03.010 AUTORIZAÇÃO AUTORIZAÇÃO... 2 1. INFORMAÇÕES COMUNS DAS GUIAS AUTORIZAÇÃO.... 2 2. GUIA DE CONSULTA... 7 3. GUIA DE SP/SADT... 9 4. PRÉ-AUTORIZAÇÃO DE SP/SADT... 13 5. ANEXO SOLICITAÇÃO

Leia mais

Manual do Usuário - Processo Certificado de Registro Pessoa Física Manual Operacional Certificado de Registro Pessoa Física CRPF

Manual do Usuário - Processo Certificado de Registro Pessoa Física Manual Operacional Certificado de Registro Pessoa Física CRPF Manual Operacional Certificado CRPF Abril Curitiba - PR 1 Sumário 1 OBJETIVO 6 2 ACESSO INICIAL PARA TODOS OS USUÁRIOS (CAC S) 7 2.1 REALIZANDO O PRIMEIRO CADASTRO. 8 2.1.1 CPF 8 2.1.2 TAPE 8 2.1.3 CÓDIGO

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL Introdução Aula 03: Pacote Microsoft Office 2007 O Pacote Microsoft Office é um conjunto de aplicativos composto, principalmente, pelos

Leia mais

MANUAL DO OFICIAL DE JUSTIÇA

MANUAL DO OFICIAL DE JUSTIÇA MANUAL DO OFICIAL DE JUSTIÇA TRIBUNAL DE JUSTIÇA DE MATO GROSSO Janeiro 2012 Conteúdo Elaboração do projeto... 3 1. Acesso ao Sistema... 4 2. Tipo de Certificado... 4 2.1. Navegador padrão para acessar

Leia mais

Manual Laboratório. ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014

Manual Laboratório. ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 2014 Manual Laboratório ICS Sistemas de Gestão em Saúde ICS 01/01/2014 Sumário Acesso ao Sistema... 2 Menu Cadastros... 4 Cadastro de usuários... 4 Inclusão de Novo Usuário... 5 Alteração de usuários...

Leia mais

Manual Simulador de Loja

Manual Simulador de Loja Manual Simulador de Loja Índice Início Menu Loja Modelo Loja Modelo Menu Criar Minha Loja Criar Minha Loja Abrir Projeto Salvo Teste Seu Conhecimento 0 04 05 08 09 8 9 0 Início 5 4 Figura 00. Tela inicial.

Leia mais

FAQ Sistema Eletrônico de Informações SEI-MP

FAQ Sistema Eletrônico de Informações SEI-MP FAQ Sistema Eletrônico de Informações SEI-MP 1. Quem pode obter o acesso ao SEI-MP? O SEI-MP está disponível apenas para usuários e colaboradores internos do MP. Usuários externos não estão autorizados

Leia mais

CERTIDÕES UNIFICADAS

CERTIDÕES UNIFICADAS CERTIDÕES UNIFICADAS Manual de operação Perfil Cartório CERTUNI Versão 1.0.0 MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Departamento de Inovação Tecnológica Divisão de Tecnologia da Informação Sumário LISTA DE FIGURAS... 2

Leia mais

EXCELENTE Controle Escolar

EXCELENTE Controle Escolar EXCELENTE Controle Escolar Tutorial Excelente Controle Escolar 1 Cadastro de Alunos... 2 2 Cadastro de séries... 4 3 Relatórios... 5 3.1 Como Gerar... 5 3.2 Consolidado (Médias e desvio Padrão)... 7 3.3

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Manual de Utilização Google Grupos Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Utilização do Google Grupos Introdução... 3 Página

Leia mais

Este arquivo está disponível em: http://www.unesc.net/diario/manual

Este arquivo está disponível em: http://www.unesc.net/diario/manual Este arquivo está disponível em: http://www.unesc.net/diario/manual Diário On-line Apresentação ----------------------------------------------------------------------------------------- 5 Requisitos Básicos

Leia mais

Como funciona? SUMÁRIO

Como funciona? SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Introdução... 2 2. Benefícios e Vantagens... 2 3. Como utilizar?... 2 3.1. Criar Chave / Senha de Usuário... 2 3.2. Recursos da Barra Superior... 2 3.2.1. Opções... 3 3.2.1.1. Mover Para...

Leia mais

❶ No Sistema Gênesis, na Aba ESTOQUE

❶ No Sistema Gênesis, na Aba ESTOQUE ❶ No Sistema Gênesis, na Aba ESTOQUE a) Checagem de Estoque - Verifique o estoque dos produtos desejados. b) Listar produtos com a quantia de estoque mínimo atingido: ESTOQUE / RELATÓRIO / ALERTA DE COMPRA

Leia mais

A Estação da Evolução

A Estação da Evolução Microsoft Excel 2010, o que é isto? Micorsoft Excel é um programa do tipo planilha eletrônica. As planilhas eletrônicas são utilizadas pelas empresas pra a construção e controle onde a função principal

Leia mais

O WINDOWS 98 é um sistema operacional gráfico, multitarefa, produzido pela Microsoft.

O WINDOWS 98 é um sistema operacional gráfico, multitarefa, produzido pela Microsoft. WINDOWS O WINDOWS 98 é um sistema operacional gráfico, multitarefa, produzido pela Microsoft. Área de Trabalho Ligada a máquina e concluída a etapa de inicialização, aparecerá uma tela, cujo plano de fundo

Leia mais

MANUAL RASTREAMENTO 2013

MANUAL RASTREAMENTO 2013 MANUAL RASTREAMENTO 2013 Visão Geral O menu geral é o principal módulo do sistema. Através do visão geral é possível acessar as seguintes rotinas do sistema: Sumário, localização, trajetos, últimos registros.

Leia mais

PMAT. Sistema de Análise e Acompanhamento de Operações. Manual. Desenvolvido pelo BNDES AS/DEGEP

PMAT. Sistema de Análise e Acompanhamento de Operações. Manual. Desenvolvido pelo BNDES AS/DEGEP PMAT Sistema de Análise e Acompanhamento de Operações Manual 1 Índice 1. O que é o Sistema de Análise e Acompanhamento de Operações PMAT... 3 2. Acessando o sistema pela primeira vez Download... 3 3. Fluxogramas

Leia mais

Sistema Auto Frota. Itaú Seguros de Auto e Residência S.A. Itaú Seguros de Auto e Residência S.A.

Sistema Auto Frota. Itaú Seguros de Auto e Residência S.A. Itaú Seguros de Auto e Residência S.A. Sistema Auto Frota Itaú Seguros de Auto e Residência S.A Como Acessar Acesse o Portal do corretor www.itauseguros.com.br/portal, no caminho: Home> Meus Negócios> Cotações e Propostas> Auto Frota> Cotação

Leia mais

Manual de Publicaça o no Blog da Aça o TRIBOS nas Trilhas da Cidadania

Manual de Publicaça o no Blog da Aça o TRIBOS nas Trilhas da Cidadania Manual de Publicaça o no Blog da Aça o TRIBOS nas Trilhas da Cidadania Sumário Objetivos do Blog... 2 Log-in... 3 Esqueci minha senha... 4 Utilizando o Blog... 5 Encontrando seu Blog... 5 Conhecendo o

Leia mais

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano

Informática Aplicada. Aula 2 Windows Vista. Professora: Cintia Caetano Informática Aplicada Aula 2 Windows Vista Professora: Cintia Caetano AMBIENTE WINDOWS O Microsoft Windows é um sistema operacional que possui aparência e apresentação aperfeiçoadas para que o trabalho

Leia mais

Página 1. Manual do Operador de Caixa

Página 1. Manual do Operador de Caixa Página 1 Manual do Operador de Caixa Página 2 Sumário Conhecendo a tela de abertura do sistema... 03 Tela principal do sistema... 05 Tela de consulta... 06 Inserir clientes na venda... 07 Funções especiais...

Leia mais

Portal Sindical. Manual Operacional Empresas/Escritórios

Portal Sindical. Manual Operacional Empresas/Escritórios Portal Sindical Manual Operacional Empresas/Escritórios Acesso ao Portal Inicialmente, para conseguir acesso ao Portal Sindical, nos controles administrativos, é necessário acessar a página principal da

Leia mais

Vendas. Manual do Usuário. Copyright 2014 - ControleNaNet

Vendas. Manual do Usuário. Copyright 2014 - ControleNaNet Manual do Usuário Copyright 2014 - ControleNaNet Conteúdo A Ficha de Vendas...3 Os Recibos...6 Como imprimir?...7 As Listagens...9 Clientes... 10 Consulta... 11 Inclusão... 13 Alteração... 14 Exclusão...

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO DE ATENÇÃO DOMICILIAR

MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO DE ATENÇÃO DOMICILIAR MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO DE ATENÇÃO DOMICILIAR SAF SUL Qd. 02, Bl. E/F, Ed. Premium Torre II Auditório Sala 05 Telefone: (61) 3315 9052

Leia mais

MANUAL DE MEMBRO COMUNIDADE DO AMIGO

MANUAL DE MEMBRO COMUNIDADE DO AMIGO SUMÁRIO Efetuando o Login na comunidade... 3 Esqueceu sua senha?... 3 Página Principal... 4 Detalhando o item Configurações... 5 Alterar Foto... 5 Alterar Senha... 5 Dados Pessoais... 6 Configurações de

Leia mais

Manual do Sistema Lisura Unimed Norte Nordeste

Manual do Sistema Lisura Unimed Norte Nordeste Manual do Sistema Lisura Unimed Norte Nordeste 1 - Informações Gerais 1.1 - Compatibilidade O Sistema Lisura é um sistema web, o que significa que ele poderá funcionar em qualquer computador que esteja

Leia mais

Treinamento Módulo Contas a Pagar

Treinamento Módulo Contas a Pagar Contas a Pagar Todas as telas de cadastro também são telas de consultas futuras, portanto sempre que alterar alguma informação clique em Gravar ou pressione F2. Teclas de atalho: Tecla F2 Gravar Tecla

Leia mais

Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010.

Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010. Manual do Usuário Este documento consiste em 25 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Março de 2010. Impresso no Brasil. Sujeito a alterações técnicas. A reprodução deste documento,

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA 1 NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA TUTORIAL DE USO DA FERRAMENTA ANO 2012 2 Sumário 1 Nota Fiscal de Serviços eletrônica - NFS-e... 3 1.1 Considerações Iniciais... 3 1.2 Legislação... 3 1.3 Definição...

Leia mais

A.S. Sistemas Rua Prof. Carlos Schlottfeldt, 10A Clélia Bernardes Viçosa MG CEP 36570-000 Telefax: (31) 3892 7700 dietpro@dietpro.com.

A.S. Sistemas Rua Prof. Carlos Schlottfeldt, 10A Clélia Bernardes Viçosa MG CEP 36570-000 Telefax: (31) 3892 7700 dietpro@dietpro.com. Sumário Principais Características...5 Configuração necessária para instalação...6 Conteúdo do CD de Instalação...7 Instruções para Instalação...8 Solicitação da Chave de Acesso...22 Funcionamento em Rede...26

Leia mais

Manual NFSe - Prestadores e Tomadores de Serviço

Manual NFSe - Prestadores e Tomadores de Serviço VALPARAÍSO DE GOIÁS quarta-feira, 28 de outubro de 2014 Manual NFSe - Prestadores e Tomadores de Serviço ÍNDICE Legislação Cadastrando A Senha Eletrônica Acessando O Sistema De Nfs- E Pela Primeira Vez

Leia mais

Para iniciar um Inventário, clique no botão Inserir ( primeiramente os campos solicitados na aba Identificação.

Para iniciar um Inventário, clique no botão Inserir ( primeiramente os campos solicitados na aba Identificação. Incluir um Inventário Para iniciar um Inventário, clique no botão Inserir ( primeiramente os campos solicitados na aba Identificação. ) e preencha Clique na aba Itens e depois no botão Carregar Produtos

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Desktop

MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Desktop MANUAL DE UTILIZAÇÃO Aplicativo Controle de Estoque Desktop 1 1 INICIANDO O APLICATIVO PELA PRIMEIRA VEZ... 3 2 PÁGINA PRINCIPAL DO APLICATIVO... 4 2.1 INTERFACE INICIAL... 4 3 INICIANDO PROCESSO DE LEITURA...

Leia mais

SIASP SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE ALMOXARIFADO SERVIÇOS E PATRIMÔNIO MANUAL DO USUÁRIO

SIASP SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE ALMOXARIFADO SERVIÇOS E PATRIMÔNIO MANUAL DO USUÁRIO MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SECRETARIA EXECUTIVA SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO GERAL DE MODERNIZAÇÃO E INFORMÁTICA SIASP SISTEMA DE ADMINISTRAÇÃO DE ALMOXARIFADO

Leia mais

Questão - 01. Essência do Excel 2003...

Questão - 01. Essência do Excel 2003... Valdir Questão - 01 Como deve proceder o usuário do Microsoft para que sejam atualizados os cálculos das funções ou fórmulas utilizadas nas planilhas? a) Pressionar a tecla F9 no teclado b) Pressionar

Leia mais

Universidade Federal de Mato Grosso. Secretaria de Tecnologias da Informação e Comunicação. SISCOFRE Sistema de Controle de Frequência MANUAL

Universidade Federal de Mato Grosso. Secretaria de Tecnologias da Informação e Comunicação. SISCOFRE Sistema de Controle de Frequência MANUAL Universidade Federal de Mato Grosso Secretaria de Tecnologias da Informação e Comunicação SISCOFRE Sistema de Controle de Frequência MANUAL Versão 2.1 2013 Cuiabá MT Sumário Usuários do SISCOFRE... 3 Fases

Leia mais

SI-AIU SISTEMA DE APURAÇÂO DE IMUNOBIOLÓGICOS UTILIZADOS

SI-AIU SISTEMA DE APURAÇÂO DE IMUNOBIOLÓGICOS UTILIZADOS MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE VIGILÂNCIA EM SAÚDE DEPARTAMENTO DE VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA COORDENAÇÃO GERAL DO PROGRAMA NACIONAL DE IMUNIZAÇÕES MS / - Departamento de Informática do SUS SIPPS - Equipe

Leia mais

MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO

MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO MANUAL EXPORTAÇÃO IMPORTAÇÃO Diretoria de Vigilância Epidemiológica/SES/SC 2006 1 Módulo 04 - Exportação e Importação de Dados Manual do SINASC Módulo Exportador Importador Introdução O Sistema SINASC

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Manual de Utilização Índice 1 Introdução...2 2 Acesso ao Sistema...3 3 Funcionamento Básico do Sistema...3 4 Tela Principal...4 4.1 Menu Atendimento...4 4.2 Menu Cadastros...5 4.2.1 Cadastro de Médicos...5

Leia mais

ÍNDICE. 2.1. Funcionalidades... 5

ÍNDICE. 2.1. Funcionalidades... 5 ÍNDICE 1. PRIMEIRO ACESSO AO SITE... 3 2. MAPA DO SITE... 4 2.1. Funcionalidades... 5 3. ENVIO DE COBRANÇAS ELETRÔNICAS... 5 3.1. Solicitações... 7 3.1.1. Internação... 7 3.1.2. Prorrogação... 8 3.1.3.

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO

SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO RM Agilis Manual do Usuário Ouvidoria, Correspondência Interna, Controle de Processos, Protocolo Eletrônico, Solicitação de Manutenção Interna, Solicitação de Obras em Lojas,

Leia mais

Manual do Usuário Cidadão SIC Serviço de informação ao cidadão

Manual do Usuário Cidadão SIC Serviço de informação ao cidadão Manual do Usuário Cidadão SIC Serviço de informação ao cidadão NOVOSIS 3ª Versão Conteúdo Introdução... 3 Principais recursos:... 4 Para o cidadão:... 4 Para os órgãos públicos:... 4 Como Utilizar o SIC...

Leia mais

Manual de usuário da TDI 3 PANASONIC TDE/NCP e NS1000

Manual de usuário da TDI 3 PANASONIC TDE/NCP e NS1000 Manual de usuário da TDI 3 PANASONIC TDE/NCP e NS1000 2013 Innova Soluções Tecnológicas Este documento contém 17 páginas. Elaborado por: Innova Tecnologia de Soluções. Liberado em Dezembro de 2013. Impresso

Leia mais

Manual para Envio de Petição Inicial

Manual para Envio de Petição Inicial Manual para Envio de Petição Inicial 1. Após abrir a página do PROJUDI, digite seu usuário e senha 1.1. Para advogados o usuário é o cpf.adv (ex: 12345678900.adv) 1.2. Após digitar os dados (login e senha),

Leia mais

SISTEMA AGHOS. Manual de Regulação Ambulatorial de Consultas Especializadas

SISTEMA AGHOS. Manual de Regulação Ambulatorial de Consultas Especializadas AGHOS - GESTÃO E REGULAÇÃO ASSISTENCIAL E FINANCEIRA DE SAÚDE MÓDULO DE REGULAÇÃO AMBULATORIAL DE CONSULTAS ESPECIALIZADAS ESPECIALIZADAS Manual de Regulação Ambulatorial de Consultas Especializadas SISTEMA

Leia mais

Iniciação à Informática

Iniciação à Informática Meu computador e Windows Explorer Justificativa Toda informação ou dado trabalhado no computador, quando armazenado em uma unidade de disco, transforma-se em um arquivo. Saber manipular os arquivos através

Leia mais

GERENCIAMENTO DE NF-e (VEND0079)

GERENCIAMENTO DE NF-e (VEND0079) GERENCIAMENTO DE NF-e (VEND0079) 1. IDENTIFICAÇÃO DAS INFORMAÇÕES NA TELA.... 2 2. FUNCIONALIDADES.... 3 2.1 EMISSÕES DE NOTAS... 3 2.2 DESTINATÁRIO DE NF-E... 4 2.3 ENVIAR NOTA POR E-MAIL... 7 2.4 VISUALIZAÇÃO...

Leia mais

Navegando no produto e utilizando esse material de apoio, você descobrirá os benefícios do IOB Online Regulatório, pois só ele é:

Navegando no produto e utilizando esse material de apoio, você descobrirá os benefícios do IOB Online Regulatório, pois só ele é: 1. CONCEITO Completo, prático e rápido. Diante do aumento da complexidade da tributação e do risco fiscal, pelos desafios de conhecimento e capacitação e pela velocidade para acompanhar mudanças na legislação,

Leia mais

EXEMPLO DE COMO FAZER UMA MALA DIRETA

EXEMPLO DE COMO FAZER UMA MALA DIRETA EXEMPLO DE COMO FAZER UMA MALA DIRETA OBS: Para esta nota de aula foi utilizada como referência: Apostila Mala Direta Santos, Jorge Rodrigues dos. Foram adaptados os comando para utilizar mala direta no

Leia mais

Tutorial Web Mail. Acesso e Utilização. MPX Brasil Cuiabá/MT: Av. Mal Deodoro, 1522 B Centro Norte. Contato: (65) 3364-3132 cuiaba@mpxbrasil.com.

Tutorial Web Mail. Acesso e Utilização. MPX Brasil Cuiabá/MT: Av. Mal Deodoro, 1522 B Centro Norte. Contato: (65) 3364-3132 cuiaba@mpxbrasil.com. Tutorial Web Mail Acesso e Utilização Como acessar meu e-mail institucional? 1. Para acessar seu e-mail institucional, acesse primeiramente o site ao qual ele pertence, por exemplo o e-mail contato@alianca.to.gov.br

Leia mais

Associação Educacional Dom Bosco Curso de Engenharia 1º ano

Associação Educacional Dom Bosco Curso de Engenharia 1º ano Formatação condicional utilizando o valor da célula O que é? Algumas vezes é preciso destacar os valores, ou seja, como colocar em vermelho ou entre parênteses, os negativos, e de outra cor os positivos,

Leia mais

AGHOS - GESTÃO E REGULAÇÃO ASSISTENCIAL E FINANCEIRA DE SAÚDE MÓDULO DE REGULAÇÃO AMBULATORIAL DE CONSULTAS ESPECIALIZADAS

AGHOS - GESTÃO E REGULAÇÃO ASSISTENCIAL E FINANCEIRA DE SAÚDE MÓDULO DE REGULAÇÃO AMBULATORIAL DE CONSULTAS ESPECIALIZADAS Manual de Regulação Ambulatorial de Consultas Especializadas SISTEMA AGHOS Versão 01.2011 ÍNDICE INTRODUÇÃO...3 1. O SISTEMA...4 1.1 Acesso ao Sistema AGHOS:...4 1.2 Teclas de funções do Sistema:...5 1.3

Leia mais

WORD. Professor: Leandro Crescencio E-mail: leandromc@inf.ufsm.br. http://www.inf.ufsm.br/~leandromc. Colégio Politécnico 1

WORD. Professor: Leandro Crescencio E-mail: leandromc@inf.ufsm.br. http://www.inf.ufsm.br/~leandromc. Colégio Politécnico 1 WORD Professor: Leandro Crescencio E-mail: leandromc@inf.ufsm.br http://www.inf.ufsm.br/~leandromc Colégio Politécnico 1 WORD Mala direta Cartas Modelo Mesclar Etiquetas de endereçamento Formulários Barra

Leia mais