Agenda. O Diagnóstico Os Desafios A Estratégia Os Produtos a Promover Os Mercados A Promoção A Oferta

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Agenda. O Diagnóstico Os Desafios A Estratégia Os Produtos a Promover Os Mercados A Promoção A Oferta"

Transcrição

1

2 Agenda O Diagnóstico Os Desafios A Estratégia Os Produtos a Promover Os Mercados A Promoção A Oferta

3 O Diagnóstico

4 Turismo marítimo e costeiro Náutica de Recreio 60 Turismo Maritimo e Costeiro 123 Nautica de Recreio (Valores em Mil Milhões Euro)

5 Náutica Recreio Oferta Total nos Mercados Emissores LOCAL/GLOBA L 74% 27% PRIVADA/PUBLIC A 100% 0% PACOTE/PRODU TO 58% 42% ALOJAMENTO 50% 50% PREÇO 98% 2% 4 3,5 3 2,5 2 1,5 1 0,5 0 Local Oferta Alargada Reg. E Segurança 1 (Pouco Valorizado) a 5 (Muito Valorizado)

6 OPORTUNIDADES Crescimento da procura mundial por turismo náutico Tendências no Turismo (Destinos próximos, facilmente acessíveis, seguros, de natureza, protegidos) Abertura de novos mercados Estabilidade esperada na região Desenvolvimento da construção naval nacional Desenvolvimento do ecoturismo Reconhecimento da qualidade da oferta turística Investimento estrangeiro AMEAÇAS Risco de um desenvolvimento descontrolado do turismo náutico (perda de atratividade do produto) Conflitos com outros utilizadores dos mesmos recursos (outras formas de turismo, aquicultura, fairway, etc) Aumento da poluição ambiental Falta de consciência sobre a necessidade de proteção do ambiente e da biodiversidade Instabilidade politica e económica Planeamento de novas leis e regulamentos Surgimento de novas doenças infeciosas (Alarme Social)

7 PONTOS FORTES Posição geoestratégica no cruzamento de rotas e fluxos turísticos entre o norte e o sul da Europa, os continentes americano e europeu Boas condições climatéricas Excelente acessibilidade a preços concorrenciais Rico património natural e cultural, cultura de acolhimento e perceção de destino seguro Diversidade das costas portuguesas em espaço relativamente restrito e com boa acessibilidade permite a prática de modalidades náuticas em vários locais durante um mesmo dia Excelentes condições para a prática de modalidades náuticas em águas interiores rios, albufeiras, águas rápidas Algumas infraestruturas e equipamentos náuticos de boa qualidade Imagem de destino náutico a beneficiar da visibilidade de alguns eventos internacionais Dinâmica recente de alguma oferta de turismo náutico PONTOS FRACOS Qualidade muito heterogénea das infraestruturas e equipamentos náuticos e dos serviços disponibilizados; Rede de portos e marinas ainda insuficientemente articulada e com cobertura deficiente no espaço compreendido entre Tróia e a costa sul do Algarve; Enquadramento legislativo e regulamentar ainda desajustado, burocracia e dispersão dos serviços responsáveis pelo tratamento de assuntos da náutica; Insuficiente cultura marítima apesar dos progressos recentes em matéria de sensibilização da população jovem para a náutica Reduzida estruturação e integração da cadeia de valor da náutica, entre os diferentes segmentos e atividades e com reduzida projeção na oferta de produtos e serviços de maior valor acrescentado Oferta insuficiente de produtos turísticos, pouco inovadora e valorizada, constituída maioritariamente por produtos simples, de curta duração e pouco articulados com ofertas complementares Sazonalidade Reduzida promoção externa

8 Principais Conclusões da fase diagnóstico Existência de condições naturais e infraestruturas Oferta emergente, mas ainda de pequena dimensão Falta de uma estratégia conjunta Necessidade de promoção internacional

9 Os Desafios

10 Reforçar Desafios para a Náutica de Recreio A notoriedade Portugal de A sustentabilidade económica do setor A qualificação e diferenciação da Oferta A Falta de Competências A elevada Volatilidade da Procura Elevada Fragmentação da Oferta Ultrapassar

11 A Estratégia

12 O propósito O que nos move? Nós Acreditamos que Portugal é uma experiencia única, pela sua diversidade concentrada, para os amantes da Náutica de recreio Porque acreditamos? Porque concentramos num pequeno espaço de território, um mundo de recursos, identidade e tradição intimamente ligados à náutica Como o podemos materializar? Uma Oferta de Experiencias centradas nas atividades náuticas, que reúna o que de mais inesquecível podemos oferecer a quem nos visitar

13 A ESTRATÉGIA

14 Produtos a Promover

15 Turismo Aventura (Náutico) 1º Fase: Surf; Canoagem; Mergulho; Observação de espécies animais; Pesca desportiva; Passeios Embarcados; Águas brancas. Embarcações de Recreio Promoção conjunta das marinas, mais qualificadas Estágios Desportivos Oferta existente junto das Federações estrangeiras

16 Selecionar a Experiencia Avaliação da visibilidade de Mercado e Performance Potencial para Desenvolvimento Sustentado Valor e Identidade Histórica e Cultural Atividades de suporte Numero de atividades de suporte e complementares disponíveis Estatuto estratégico para o Turismo e Ligações Benefícios económicos e sociais Valor e Estado da Envolvente

17 Oferta Alargada Competências Viagens Animação Turística Atores Recursos Hotelaria Atividades Suporte Condições Meios Produto Náutico Envolvente

18 Junto de que mercados

19 Escandinávia Reino Unido Alemanha França

20 Para que tipo de clientes

21 Média de Idades dos Nautas Nível de Escolaridade dos Nautas Os clientes alvo estão cada vez mais à procura de novos destinos e experiências. Os requisitos mais importantes deste tipo de Clientes são: belas paisagens, contato com os habitantes locais, uma variedade de atividades, autenticidade, a sustentabilidade segurança, viagem tailor-made, habilidades de línguas e de cuidados com da envolvente. Estes clientes também gostam de sol, pelo que uma parte deles tende a desfrutar de uns dias na praia no final das suas férias.

22 Atividades Complementares realizadas por nautas, em percentagem Fontes de Recolha de Informação sobre um País

23 A Promoção

24 As ações de promoção Marketing Digital Presença em Eventos Internacionais Contacto Com Prescritores e Federações

25 Marketing Digital Na fase de lançamento da oferta, será importante uma ação nos principais eventos dos países emissores Marketing nas redes sociais : Os posts nas redes sociais permitem ampliar a exposição da marca e o relacionamento com os potenciais cliente. A ação passará por criar perfis e publicar partes do conteúdo do site, e outras informações que ajudem a atrair consumidores. Deverão ainda ser convidadas figuras publicas das diversas atividades a contribuir para as redes sociais, através das suas experiencias e testemunhos. Além disso, as redes sociais servem como plataforma para as ações de marketing viral, e para posicionar a marca nas pesquisas on-line. marketing : O marketing é uma poderosa ferramenta de comunicação. O site deve possuir uma área própria para registo, e serão lançadas campanhas temáticas direcionadas para atrair mais inscritos no mailing da marca. Serão enviadas newsletters regulares com informação e promoções. Marketing viral: O Marketing viral, será utilizado para difundir a marca junto dos consumidores alvo através de ações que trabalhem as suas emoções e motivações. Uma das grandes vantagens do marketing viral é o seu efeito multiplicador da comunicação, permitindo que milhares de consumidores tenham acesso a marca através da recomendação de outros consumidores. Para tal deverão ser produzidos um conjunto de vídeos que incorporem as experiencias na pratica das atividades náuticas mais procuradas. Publicidade on-line : Na internet a publicidade ajuda a dar maior exposição da marca, com ações específicas de publicidade, como banner, links patrocinados, vídeos.

26 Presença em Eventos Internacionais Na fase de lançamento da oferta, será importante a presença conjunta nos principais eventos dos países emissores Boot Düsseldorf, em 2014 estiveram presentes 1677 expositores na feira como plataforma de apresentação de seus produtos e serviços. A feira foi visitada por visitantes, dos quais eram estrangeiros. Helsinki Boat Show (Vene 15 Båt) é a principal feira náutica nos países nórdicos, abrangendo todos os aspetos relacionados com embarcações e atividades marítimas, tais como informações, apresentações e performances, experiências, ideias, orientação, acessórios para os barcos e outros Salon Nautique de Paris, um das maiores eventos do género no mundo recebendo cerca de 260 mil visitantes. The Outdoors Show,Londres apresenta produtos o exterior como: canoagem, ciclismo ou vela. Grandes promoções do retalho com apresentação de novos produtos.

27 Contacto Com Prescritores e Federações Na fase de lançamento da oferta, será importante o contacto comas principais entidades dos países emissores selecionados. A operacionalização desta atividade será suportada na rede lançada no projeto Portugal Náutico: A base de dados inclui 2617 entidades dos seguintes países: Alemanha; Espanha; França; Países escandinavos; Reino Unido. Serão organizados dois tipos de eventos: 1 roadshow em cada mercado alvo: com apresentação da oferta em clubes náuticos, federações e principais marinas 1 missão inversa por mercado alvo: serão convidados principais prescritores e operadores dos mercados alvo. Assim teremos 8 ações promocionais de contato direto

28 Quando o fazer Oferta Alargada Marketing Digital Marketing nas redes sociais : marketing : Marketing viral: Publicidade on-line : Presença em Eventos Internacionais Boot Düsseldorf Helsinki Boat Show Salon Nautique de Paris The Outdoors Show,Londres Contacto Com Prescritores e Federações 8 ações promocionais de contato direto 1 roadshow em cada mercado alvo 1 missão inversa por mercado alvo

29 A Oferta (Suporte)

30

Agenda. Principais Conclusões Da Fase De Diagnóstico Mercados - Alvo Cliente Tipo Segmentação Estratégia Proposta De Ação

Agenda. Principais Conclusões Da Fase De Diagnóstico Mercados - Alvo Cliente Tipo Segmentação Estratégia Proposta De Ação Agenda Principais Conclusões Da Fase De Diagnóstico Mercados - Alvo Cliente Tipo Segmentação Estratégia Proposta De Ação Principais Conclusões Da Fase De Diagnóstico Oportunidades Crescimento da procura

Leia mais

O PATRIMÓNIO NATURAL E O DO ALGARVE. Conversas sobre a Ria Formosa 3 de Março de 2011

O PATRIMÓNIO NATURAL E O DO ALGARVE. Conversas sobre a Ria Formosa 3 de Março de 2011 O PATRIMÓNIO NATURAL E O DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO DO ALGARVE Conversas sobre a Ria Formosa 3 de Março de 2011 1. PENT - estratégia para o desenvolvimento do Turismo em Portugal RCM 53/2007, de 04 de Abril

Leia mais

Promoção Externa do «Portugal Náutico» O Contributo da APPR

Promoção Externa do «Portugal Náutico» O Contributo da APPR Promoção Externa do «Portugal Náutico» O Contributo da APPR Seminário «Náutica - Desenvolvimento Económico e Cultura Marítima» 8 de Fevereiro 2012 Isolete Correia Presidente da APPR Isolete_correia@lusort.com

Leia mais

Agenda da Apresentação

Agenda da Apresentação Agenda da Apresentação Enquadramento SWOT Pontos fortes Pontos fracos Ameaças, riscos e constrangimentos Oportunidades O desafio para Portugal Fatores críticos de sucesso O projeto de Desenvolvimento da

Leia mais

contexto estratégico, económico e empresarial

contexto estratégico, económico e empresarial A Marina de Albufeira Uma história de 10 anos A Marina e a cidade de Albufeira, uma relação de futuro 1997 2001 2020 A Marina de Albufeira - descrição Albufeira Algarve - Portugal 475 postos de amarração

Leia mais

TURISMO NÁUTICO GERADOR DE RIQUEZA MARTINHO FORTUNATO

TURISMO NÁUTICO GERADOR DE RIQUEZA MARTINHO FORTUNATO TURISMO NÁUTICO GERADOR DE RIQUEZA MARTINHO FORTUNATO Setembro de 2009 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. PENT (Plano Estratégico Nacional do Turismo) 3. TURISMO NÁUTICO NA EUROPA E NO MUNDO 4. O SECTOR EM PORTUGAL

Leia mais

Enquadramento Turismo Rural

Enquadramento Turismo Rural Enquadramento Turismo Rural Portugal é um País onde os meios rurais apresentam elevada atratividade quer pelas paisagens agrícolas, quer pela biodiversidade quer pelo património histórico construído o

Leia mais

TURISMO CULTURAL produto estratégico para Portugal. Abrantes, 2011

TURISMO CULTURAL produto estratégico para Portugal. Abrantes, 2011 TURISMO CULTURAL produto estratégico para Portugal Abrantes, 2011 O TURISMO CULTURAL HOJE 44 milhões de turistas procuram turismo cultural na Europa O património cultural motiva a viagem e, por isso, aproxima

Leia mais

TURISMO DE NATUREZA. AEP / Gabinete de Estudos

TURISMO DE NATUREZA. AEP / Gabinete de Estudos TURISMO DE NATUREZA AEP / Gabinete de Estudos Junho de 2008 1 1. Situação a nível europeu De acordo com o Estudo realizado por THR (Asesores en Turismo Hotelería y Recreación, S.A.) para o Turismo de Portugal,

Leia mais

TOURING CULTURAL produto estratégico para Portugal

TOURING CULTURAL produto estratégico para Portugal TOURING CULTURAL produto estratégico para Portugal O TURISMO CULTURAL HOJE 44 milhões de turistas procuram turismo cultural na Europa O património cultural aproxima civilizações e motiva a viagem A preservação

Leia mais

QuEm SomoS missão 5 DESIGN & ComuNICação PublICIDaDE EvENtoS PromoçõES WEb

QuEm SomoS missão 5 DESIGN & ComuNICação PublICIDaDE EvENtoS PromoçõES WEb QUEM SOMOS MISSÃO DESIGN & Comunicação Publicidade Eventos Promoções Web 5 9 11 13 15 17 Quem Somos 5 Somos uma agência de Design e Comunicação, criada para disponibilizar um vasto leque de soluções na

Leia mais

Contextualização Turismo Acessível para Todos oferta transversal a todos sem barreiras

Contextualização Turismo Acessível para Todos oferta transversal a todos sem barreiras Access Azores. Associação privada s/ fins lucrativos;. Constituída em 2014;. Idealizada no seio académico das Universidades de Coimbra e de Aveiro;. Professores, alunos e ex-alunos ligados ao setor do

Leia mais

TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015

TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015 TURISMO DE PORTUGAL HORIZONTE 2015 João Cotrim de Figueiredo 10 Out 2014 Turismo: crescimento e resiliência No século do Turismo? Mais de 1.100 milhões de turistas em 2014 OMT prevê crescimento médio anual

Leia mais

TURISMO RESIDENCIAL na estratégia de Turismo para Portugal

TURISMO RESIDENCIAL na estratégia de Turismo para Portugal TURISMO RESIDENCIAL na estratégia de Turismo para Portugal Agenda 1. O Turismo Residencial - efeito multiplicador na economia 2. Motivações para o produto 3. Fatores competitivos de Portugal como destino

Leia mais

Turismo de Natureza - Birdwatching

Turismo de Natureza - Birdwatching Turismo de Natureza - Birdwatching Organização e promoção da Oferta / Balanço da atividade Departamento de Desenvolvimento e Inovação 2013 Birdwatching O Birdwatching é uma atividade de lazer baseada na

Leia mais

Compromisso para o Crescimento Verde e o Turismo

Compromisso para o Crescimento Verde e o Turismo www.pwc.pt Compromisso para o Crescimento Verde e o Turismo 16 Cláudia Coelho Diretora Sustainable Business Solutions da Turismo é um setor estratégico para a economia e sociedade nacional o que se reflete

Leia mais

Home Quem Somos Produtos Vantagens Contactos. Apresentação Criada por SPICAROS Presentation Created by SPICAROS info@spicaros.com www.spicaros.

Home Quem Somos Produtos Vantagens Contactos. Apresentação Criada por SPICAROS Presentation Created by SPICAROS info@spicaros.com www.spicaros. .1 Spicaros é o resultado de 30 anos de trabalho de uma equipa global, constituída por profissionais altamente qualificados em distintos sectores de negócio. Aliando uma quantidade ímpar de conhecimentos,

Leia mais

CULTURA, HISTÓRIA E PATRIMÓNIO PILARES DO TURISMO NA REGIÃO CENTRO PORTUGAL

CULTURA, HISTÓRIA E PATRIMÓNIO PILARES DO TURISMO NA REGIÃO CENTRO PORTUGAL Colóquio PRAXIS III Relação Umbilical entre Turismo e Cultura Oportunidades e Desafios CULTURA, HISTÓRIA E PATRIMÓNIO PILARES DO TURISMO NA REGIÃO CENTRO PORTUGAL Pedro Machado ER Turismo Centro de Portugal

Leia mais

Plano de Ação 2016 GRACE

Plano de Ação 2016 GRACE Plano de Ação 2016 GRACE Mensagem da Direção É tempo de preparar mais um ano de intensa atividade do GRACE, procurando consolidar o capital de experiência e partilha acumulado e alargar novas perspetivas

Leia mais

Ações de capacitação empresarial

Ações de capacitação empresarial AÇÕES COLETIVAS - ATIVIDADES DE APOIO À EXPORTAÇÃO Acores Export -2016 Introdução Este documento é desenvolvido com base na informação recolhida junto das principais empresas exportadoras que contribuíram

Leia mais

Pelouro do Desporto Obras e Espaço Publico. Reunião Ordinária da Comissão Executiva do Conselho Desportivo Municipal

Pelouro do Desporto Obras e Espaço Publico. Reunião Ordinária da Comissão Executiva do Conselho Desportivo Municipal Pelouro do Desporto Obras e Espaço Publico Departamento de Desenvolvimento Social e Desporto Divisão de Desporto Reunião Ordinária da Comissão Executiva do Conselho Desportivo Municipal i S.C.C.M.S. -

Leia mais

Projeto de Cooperação PRODER Um outro Algarve

Projeto de Cooperação PRODER Um outro Algarve Projeto de Cooperação PRODER Um outro Algarve As três Associações de Desenvolvimento Local do Algarve, no âmbito do PRODER, estão a cooperar para criar uma marca regional para o Turismo de Natureza, uma

Leia mais

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira

O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira O turismo e o seu contributo para o desenvolvimento da Madeira Lisboa, 5 de Julho 2012 Bruno Freitas Diretor Regional de Turismo da Madeira O Destino Madeira A Região Autónoma da Madeira (RAM) ocupa, desde

Leia mais

ATRATIVIDADE EMPRESARIAL E PROJETOS DE ESTIMULO À ECONOMIA DA EUROREGIÃO

ATRATIVIDADE EMPRESARIAL E PROJETOS DE ESTIMULO À ECONOMIA DA EUROREGIÃO ATRATIVIDADE EMPRESARIAL E PROJETOS DE ESTIMULO À ECONOMIA DA EUROREGIÃO O PROJETO PROMOINVEST E A REDE Professor Augusto Medina Sociedade Portuguesa de Inovação FÓRUM DE DISCUSSÃO: A EUROACE e a ligação

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO VINHO NA PROMOÇÃO DO TURISMO. Fórum Anual Vinhos de Portugal 26 de novembro 2014 João Cotrim de Figueiredo

A IMPORTÂNCIA DO VINHO NA PROMOÇÃO DO TURISMO. Fórum Anual Vinhos de Portugal 26 de novembro 2014 João Cotrim de Figueiredo A IMPORTÂNCIA DO VINHO NA PROMOÇÃO DO TURISMO Fórum Anual Vinhos de Portugal 26 de novembro 2014 João Cotrim de Figueiredo O potencial competitivo de Portugal Vinhos únicos no mundo Porto e Madeira Vinhos

Leia mais

.: Instrumentos de financiamento de apoio à competitividade no âmbito do Portugal 2020. 14 de Janeiro de 2015

.: Instrumentos de financiamento de apoio à competitividade no âmbito do Portugal 2020. 14 de Janeiro de 2015 14 de Janeiro de 2015 O que é o Portugal 2020? O Portugal 2020 é um Acordo de Parceria assinado entre Portugal e a Comissão Europeia, que reúne a atuação dos 5 fundos estruturais e de investimento europeus

Leia mais

Empreender em Ecoturismo

Empreender em Ecoturismo Empreender em Ecoturismo Ricardo Barradas Olhão, 11 de Novembro de 2010 Empreender em Ecoturismo Ricardo Barradas Olhão, 11 de Novembro de 2010 1. Animação turística contextualização 2. Ecoturismo números

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Excelentíssimas Senhoras e Senhores Deputados,

Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Excelentíssimas Senhoras e Senhores Deputados, Excelentíssimo Senhor Presidente da Assembleia Legislativa da Madeira, Excelentíssimas Senhoras e Senhores Deputados, Encontro-me hoje aqui para, em nome do Governo Regional da Madeira, apresentar a Vossas

Leia mais

Objetivos: A melhoria da qualidade de vida das comunidades piscatórias; A valorização das raízes culturais e etnográficas de forma a estimular a

Objetivos: A melhoria da qualidade de vida das comunidades piscatórias; A valorização das raízes culturais e etnográficas de forma a estimular a ALDEIAS DE MAR Enquadramento Identificar uma estratégia corporizada através de um conjunto de projetos de âmbito empresarial, cultural, ambiental e social dirigidos às comunidades piscatórias. Criar uma

Leia mais

A Tecnologia da Informação aplicada no Desenvolvimento do Turismo na região Centro Oeste: Contextualização.

A Tecnologia da Informação aplicada no Desenvolvimento do Turismo na região Centro Oeste: Contextualização. Apresentação Condomínio de TI é a entidade de empresas ligadas a Tecnologia da Informação (TI) provendo um conjunto de todas as atividades e soluções providas por recursos de computação que visam permitir

Leia mais

RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS

RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS HOTELARIA RELATÓRIO DE CONJUNTURA AEP / GABINETE DE ESTUDOS Julho de 2005 A actividade da hotelaria insere-se na CAE 55 Alojamento e Restauração, que, por sua vez, integra o sector do turismo, um dos sectores

Leia mais

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS?

INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? INTERVENÇÃO DO SENHOR SECRETÁRIO DE ESTADO DO TURISMO NO SEMINÁRIO DA APAVT: QUAL O VALOR DA SUA AGÊNCIA DE VIAGENS? HOTEL TIVOLI LISBOA, 18 de Maio de 2005 1 Exmos Senhores ( ) Antes de mais nada gostaria

Leia mais

Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME Projetos Individuais

Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME Projetos Individuais Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME Projetos Individuais até concursos abertos 16 de abril de 2012 Sistema de Incentivos à Qualificação e Internacionalização de PME Projetos

Leia mais

Manual da Marca Priolo

Manual da Marca Priolo 2015 Manual da Marca Priolo Carta Europeia de Turismo Sustentável Terras do Priolo ÍNDICE RESUMO 01 1. NOTA INTRODUTÓRIA 02 1.1 Justificação da necessidade de criação da Marca Priolo 02 2. PROCEDIMENTO

Leia mais

Sessão de Divulgação do Sistema de Incentivo às Empresas Programa Operacional do Algarve PO Algarve 21

Sessão de Divulgação do Sistema de Incentivo às Empresas Programa Operacional do Algarve PO Algarve 21 Sessão de Divulgação do Sistema de Incentivo às Empresas Programa Operacional do Algarve PO Algarve 21 Biblioteca Municipal de Silves Sexta-Feira, 27 de Janeiro de 2012 Empresa Varzeamar Actividades Marítimo

Leia mais

Desafios do Turismo em Portugal 2014

Desafios do Turismo em Portugal 2014 Desafios do Turismo em Portugal 2014 Crescimento Rentabilidade Inovação 46% O Turismo em Portugal contribui com cerca de 46% das exportações de serviços e mais de 14% das exportações totais. www.pwc.pt

Leia mais

DOSSIER DO EXPOSITOR

DOSSIER DO EXPOSITOR DOSSIER DO EXPOSITOR DATAS E HORÁRIOS 26, 27 E 28 DE SETEMBRO 2014 ESPAÇO MULTIUSOS DE ALJEZUR SEXTA 26 17H00-23H00 SÁBADO 27 11H00-23H00 DOMINGO 28 09H30-12H00 (Profissional) 12H00-22H00 (Público em

Leia mais

Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Informação e Comunicação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE

Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete. Sistema de Informação e Comunicação - REDE SOCIAL DE ALCOCHETE . Sistema de Informação e Comunicação da Rede Social de Alcochete . Objectivos e Princípios Orientadores O Sistema de Informação e Comunicação (SIC) da Rede Social de Alcochete tem como objectivo geral

Leia mais

Estratégia de Eficiência Colectiva PROVERE. Criação de uma Região de Excelência para o Ecoturismo no Interior do Algarve e Costa Vicentina

Estratégia de Eficiência Colectiva PROVERE. Criação de uma Região de Excelência para o Ecoturismo no Interior do Algarve e Costa Vicentina Estratégia de Eficiência Colectiva PROVERE Criação de uma Região de Excelência para o Ecoturismo no Interior do Algarve e Costa Vicentina Acerca do... Turismo de Natureza Ecoturismo, Turismo Ambiental,

Leia mais

Maria João Carneiro mjcarneiro@ua.pt Diogo Soares da Silva diogo.silva@ua.pt Vítor Brandão vmbrandao@ua.pt Elisabete Figueiredo elisa@ua.

Maria João Carneiro mjcarneiro@ua.pt Diogo Soares da Silva diogo.silva@ua.pt Vítor Brandão vmbrandao@ua.pt Elisabete Figueiredo elisa@ua. Maria João Carneiro mjcarneiro@ua.pt Diogo Soares da Silva diogo.silva@ua.pt Vítor Brandão vmbrandao@ua.pt Elisabete Figueiredo elisa@ua.pt Universidade de Aveiro, Portugal Avaliar os discursos sobre o

Leia mais

Gabinete Projetos Especiais Projeto: PORTUGAL NAUTICO (Jan 14 Jun15) I. O desafio para Portugal

Gabinete Projetos Especiais Projeto: PORTUGAL NAUTICO (Jan 14 Jun15) I. O desafio para Portugal Gabinete Projetos Especiais Projeto: PORTUGAL NAUTICO (Jan 14 Jun15) I. O desafio para Portugal Para melhor explicar a definição dos objetivos estratégicos interessa, primeiro de tudo, definir os FATORES

Leia mais

Estratégias da ART para Desenvolvimento do Turismo Subaquático nos Açores

Estratégias da ART para Desenvolvimento do Turismo Subaquático nos Açores Turismo Subaquático nos Açores I. Enquadramento POTRAA Plano de Ordenamento Turístico da RAA Estratégia de desenvolvimento sustentável do sector do turismo e o modelo territorial para os Açores Linhas

Leia mais

Portugal 2020. CCILC, Junho 2014

Portugal 2020. CCILC, Junho 2014 Portugal 2020 CCILC, Junho 2014 Internacionalização: Quando? Para Quem? PME Organizações Onde? Regiões Como valorizar? + RH +Inovação O Quê? Que Investimentos? Quais? Temas Prioridades Objetivos Internacionalização:

Leia mais

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS PEQUENOS negócios no BRASIL 99% 70% 40% 25% 1% do total de empresas brasileiras da criação de empregos formais da massa salarial do PIB das exportações

Leia mais

ECO XXI Acção de formação. 11 de fevereiro de 2014 Amadora

ECO XXI Acção de formação. 11 de fevereiro de 2014 Amadora ECO XXI Acção de formação 11 de fevereiro de 2014 Amadora Júri Sérgio Guerreiro Director do Departamento de Estudos e Planeamento António Fontes Director, Área Institucional Ana Isabel Fonseca Moiteiro

Leia mais

1. Eixo(s) em que se insere Eixo 3 Qualidade de vida nas zonas rurais e diversificação da economia rural

1. Eixo(s) em que se insere Eixo 3 Qualidade de vida nas zonas rurais e diversificação da economia rural MEDIDA 3.1 Diversificação da Economia e Criação de Emprego 1. Eixo(s) em que se insere Eixo 3 Qualidade de vida nas zonas rurais e diversificação da economia rural 2. Enquadramento Regulamentar Artigo

Leia mais

Internacionalização do setor de Atividades de Mar, Rio & Natureza

Internacionalização do setor de Atividades de Mar, Rio & Natureza Internacionalização do setor de Atividades de Mar, Rio & Natureza 1 História ATP A Associação de Turismo do Porto e Norte, A.R. Porto Convention & Visitors Bureau (ATP) é uma organização sem fins lucrativos,

Leia mais

O Enoturismo em Portugal Caracterização da oferta e da procura Apresentação de resultados

O Enoturismo em Portugal Caracterização da oferta e da procura Apresentação de resultados O Enoturismo em Portugal Caracterização da oferta e da procura Apresentação de resultados 26 de novembro 2014 Teresa Ferreira DPE/Departamento de Desenvolvimento e Inovação 1.Enquadramento 2. Caraterização

Leia mais

Portugal: Destino Competitivo?

Portugal: Destino Competitivo? Turismo O Valor Acrescentado da Distribuição Portugal: Destino Competitivo? Luís Patrão Turismo de Portugal, ip Em 2006 Podemos atingir 7.000 milhões de euros de receitas turísticas Teremos perto de 37,5

Leia mais

Comunicação: Turismo de Natureza e o Município de Aljezur

Comunicação: Turismo de Natureza e o Município de Aljezur Comunicação: Turismo de Natureza e o Município de Aljezur Exmos. Membros da mesa, Exmo. Sr. Professor Adão Flores, Exmo. Sr. Eng. João Ministro, Srenhores empresários, Minhas senhoras, Meus Senhores, Se

Leia mais

MINHO INovação 2014/2020

MINHO INovação 2014/2020 MINHO INovação 2014/2020 O MINHO IN Estratégia de Eficiência Coletiva O Minho IN é estratégia de eficiência coletiva, isto é uma ação conjunta assente numa parceria que partilha um objetivo em concreto:

Leia mais

O ENOTURISMO. Conceito:

O ENOTURISMO. Conceito: Conceito: O conceito de enoturismo ainda está em formação e, a todo o momento, vão surgindo novos contributos; Tradicionalmente, o enoturismo consiste na visita a vinhas, estabelecimentos vinícolas, festivais

Leia mais

Manifesto europeu para o turismo náutico sustentável

Manifesto europeu para o turismo náutico sustentável INTRODUÇÃO Através de várias iniciativas, incluindo as declarações sobre turismo de Manila e Haia, a comunidade internacional confirmou a importância do papel do turismo de veicular o desenvolvimento social

Leia mais

P l a n o d e A c t i v i d a d e s

P l a n o d e A c t i v i d a d e s P l a n o d e A c t i v i d a d e s A n o d e 2 0 0 9 A TURIHAB Associação do Turismo de Habitação, em 2009, desenvolverá as suas acções em três vertentes fundamentais: a Internacionalização através do

Leia mais

ENERGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DA CPLP

ENERGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DA CPLP I CONFERÊNCIA ENERGIA PARA O DESENVOLVIMENTO DA CPLP EVENTO CARBONO ZERO CADERNO DE PATROCINADOR ÍNDICE 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 ENQUADRAMENTO A ENERGIA NA CPLP ESTRUTURA DO EVENTO LOCAL ALTO PATROCÍNIO

Leia mais

Federação Portuguesa de Canoagem

Federação Portuguesa de Canoagem Federação Portuguesa de Canoagem Eleições Ciclo Olímpico 2012 a 2016 Carlos Cunha de Sousa Este documento serve para apresentar a todos, as linhas orientadoras para o mandato que me proponho fazer enquanto

Leia mais

Consultoria Estratégica

Consultoria Estratégica Quem somos e o que fazemos A Select Advisor é uma empresa de Consultoria Estratégica Ajudamos à criação de valor, desde a intenção de investimento e angariação de parcerias até ao apoio de candidaturas

Leia mais

Palmela - Experiências com Sabor

Palmela - Experiências com Sabor Promover a notoriedade da marca turística Palmela, como território associado à gastronomia, aos produtos locais de qualidade e às boas experiências que proporciona a quem o visita. Objectivo global Incentivar

Leia mais

HOTELARIA E GOLFE EM PORTUGAL. 20 de Janeiro 2006

HOTELARIA E GOLFE EM PORTUGAL. 20 de Janeiro 2006 HOTELARIA E GOLFE EM PORTUGAL 20 de Janeiro 2006 ÍNDICE 1. PONTOS FORTES E FRACOS DO DESTINO 2. OS HOTÉIS TIVOLI E O GOLFE 3. VANTAGENS DO SEGMENTO GOLFE PARA OS HOTÉIS 4. FACTORES CRÍTICOS DE SUCESSO

Leia mais

Discriminação AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO 79 80 81 82 83 84. Restauração, Intervenção da Praça General Tibúrcio - Fortaleza Histórica

Discriminação AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO 79 80 81 82 83 84. Restauração, Intervenção da Praça General Tibúrcio - Fortaleza Histórica CUSTO PREVISTO DA AÇÃO (R$) - 200.000,00 45.000,00 194.960,00 400.000,00 80.000,00 550.000,00 1. CONDIÇÕES DE ACEITAÇÃO 1.1 Atende aos componentes dos Termos de Referência? 1.2 Escala da ação é compatível

Leia mais

A COMUNICAÇÃO DO DESTINO PORTUGAL A ASCENSÃO DO ONLINE

A COMUNICAÇÃO DO DESTINO PORTUGAL A ASCENSÃO DO ONLINE A COMUNICAÇÃO DO DESTINO PORTUGAL A ASCENSÃO DO ONLINE As pessoas passam mais tempo online do que em todos os outros meios juntos 10,7 horas por dia de consumo total de todos os mídia 5,6 dessas horas

Leia mais

Discriminação AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO 37 38 39 40 41 42

Discriminação AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO 37 38 39 40 41 42 085/230 - Terezinha - CUSTO PREVISTO DA AÇÃO (R$) - 500.000,00 120.000,00 5.200.000,00 693.000,00 2.790.000,00 8.000.000,00 1. CONDIÇÕES DE ACEITAÇÃO 1.1 Atende aos componentes dos Termos de Referência?

Leia mais

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO::

::ENQUADRAMENTO ::ENQUADRAMENTO:: ::ENQUADRAMENTO:: :: ENQUADRAMENTO :: O actual ambiente de negócios caracteriza-se por rápidas mudanças que envolvem a esfera politica, económica, social e cultural das sociedades. A capacidade de se adaptar

Leia mais

Combinamos a nossa experiência em todas as vertentes do marketing digital

Combinamos a nossa experiência em todas as vertentes do marketing digital Combinamos a nossa experiência em todas as vertentes do marketing digital Com o crescimento exponencial da utilização da Internet, nomeadamente na procura de bens e serviços, as empresas encontraram neste

Leia mais

PLANO DE COMUNICAÇÃO PARA A SENSIBILIZAÇÃO E PRESERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO GEOLÓGICO E AMBIENTAL E PARA PROMOVER O TURISMO NA REGIÃO

PLANO DE COMUNICAÇÃO PARA A SENSIBILIZAÇÃO E PRESERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO GEOLÓGICO E AMBIENTAL E PARA PROMOVER O TURISMO NA REGIÃO PARQUE NATURAL DAS SERRAS DE AIRE E CANDEEIROS 2014-2020 PLANO DE COMUNICAÇÃO PARA A SENSIBILIZAÇÃO E PRESERVAÇÃO DO PATRIMÓNIO GEOLÓGICO E AMBIENTAL E PARA PROMOVER O TURISMO NA REGIÃO Sistema de Apoio

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA

CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA CÂMARA MUNICIPAL DE LISBOA 1. ENQUADRAMENTO Nos últimos 3 anos e meio a Câmara Municipal de Lisboa vem desenvolvendo uma estratégia para a valorização económica da cidade e captação de investimento (http://www.cm-lisboa.pt/investir)

Leia mais

Análise SWOT. Área: Território. Rede Social. - Novo Acesso Rodoviário - Qualidade do Ambiente - Recursos Naturais

Análise SWOT. Área: Território. Rede Social. - Novo Acesso Rodoviário - Qualidade do Ambiente - Recursos Naturais Área: Território - Novo Acesso Rodoviário - Qualidade do Ambiente - Recursos Naturais - Dinamização da Exploração dos Recursos Naturais para Actividades Culturais e Turísticas - Localização Geográfica

Leia mais

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012

Apoio à Internacionalização. CENA 3 de Julho de 2012 Apoio à Internacionalização CENA 3 de Julho de 2012 Enquadramento Enquadramento Comércio Internacional Português de Bens e Serviços Var. 13,3% 55,5 68,2 57,1 73,4 48,3 60,1 54,5 66,0 67,2 61,7 Exportação

Leia mais

*Todos os direitos reservados.

*Todos os direitos reservados. *Todos os direitos reservados. A cada ano, as grandes empresas de tecnologia criam novas ferramentas Para o novo mundo digital. Sempre temos que nos renovar para novas tecnologias, a Karmake está preparada.

Leia mais

ANEXO B Hierarquização dos projetos através da metodologia Delphi

ANEXO B Hierarquização dos projetos através da metodologia Delphi ANEXO B Hierarquização dos projetos através da metodologia Delphi Discriminação AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO AÇÃO s CUSTO PREVISTO DA AÇÃO (R$) - 500.000,00 1.000.000,00 2.850.000,00 170.000,00 30.000,00 1.120.000,00

Leia mais

Sessão de apresentação. 08 de julho de 2015

Sessão de apresentação. 08 de julho de 2015 REDE INTERMUNICIPAL DE PARCERIAS DE APOIO AO EMPREENDEDORISMO E ÀS EMPRESAS, COM IMPACTO NO DESENVOLVIMENTO ECONÓMICO E SOCIAL DA REGIÃO DO ALGARVE Sessão de apresentação. 08 de julho de 2015 1 1 CONTEÚDOS

Leia mais

Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural

Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural No período compreendido entre os dias 16 e 19 do mês de setembro de 2004, realizou-se a Primeira Feira Nacional do Turismo Rural - 1º FEIRATUR,

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Internacionalização da Arquitetura Brasileira

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Internacionalização da Arquitetura Brasileira PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Internacionalização da Arquitetura Brasileira PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO SETORIAL PARA INTERNACIONALIZAÇÃO DA ARQUITETURA BRASILEIRA AMBIENTE EXTERNO WORKSHOP APRESENTAÇÃO PES AMBIENTE

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO 2014/2020 FARROUPILHA - RS

PLANO DE DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO 2014/2020 FARROUPILHA - RS PLANO DE DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO 2014/2020 FARROUPILHA - RS 22 de Outubro de 2014 AGENDA Relembrar o conceito de Plano Municipal de Turismo Etapas percorridas no desenvolvimento do PMT de Farroupilha

Leia mais

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa Diagnóstico do Sistema de Investigação e Inovação: Desafios, forças e fraquezas rumo a 2020 FCT - A articulação das estratégias regionais e nacional - Estratégia de Especialização Inteligente para a Região

Leia mais

Entre esses eventos, destacam-se, recentemente:

Entre esses eventos, destacam-se, recentemente: Resumo Com a criação do Ministério do Turismo em 2003, o Brasil passa a ter, pela primeira vez em sua história, um ministério voltado exclusivamente para a atividade turística. A partir de então a Embratur

Leia mais

A AICEP e os Apoios à Internacionalização

A AICEP e os Apoios à Internacionalização A AICEP e os Apoios à Internacionalização Guimarães, 12 de junho de 2015 Índice 1. Enquadramento / Desafios 2. A aicep Portugal Global 3. Produtos e serviços AICEP 4. O Processo de Internacionalização

Leia mais

Consulta - Serviços de consultoria para elaboração de Diagnósticos e Guião para qualificação de fornecedores no âmbito do PORTUGAL SOU EU

Consulta - Serviços de consultoria para elaboração de Diagnósticos e Guião para qualificação de fornecedores no âmbito do PORTUGAL SOU EU Consulta - Serviços de consultoria para elaboração de Diagnósticos e Guião para qualificação de fornecedores no âmbito do PORTUGAL SOU EU Abril 2014 Conteúdo 1. Introdução... 2 2. Enquadramento... 2 3.

Leia mais

PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO

PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO PROGRAMA OPERACIONAL COMPETITIVIDADE E INTERNACIONALIZAÇÃO Jorge Abegão Secretário-Técnico do COMPETE Coimbra, 28 de janeiro de 2015 Estratégia Europa 2020 ESTRATÉGIA EUROPA 2020 CRESCIMENTO INTELIGENTE

Leia mais

01 de Novembro de 2013. Construção

01 de Novembro de 2013. Construção 01 de Novembro de 2013 Construção Revista de Imprensa 01-11-2013 1. (PT) - Diário de Notícias, 01/11/2013, Soares da Costa ganha obra nos EUA 1 2. (PT) - Exame, 01/11/2013, A força do betão 2 3. (PT) -

Leia mais

Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2. 1. Antecedentes

Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2. 1. Antecedentes Termo de Referência nº 2014.0918.00040-2 Ref: Contratação de consultoria pessoa física para realização de um plano de sustentabilidade financeira para o Jardim Botânico do Rio de Janeiro, no âmbito da

Leia mais

TURISMO. o futuro, uma viagem...

TURISMO. o futuro, uma viagem... TURISMO o futuro, uma viagem... PLANO NACIONAL DO TURISMO 2007-2010 OBJETIVOS Desenvolver o produto turístico brasileiro com qualidade, contemplando nossas diversidades regionais, culturais e naturais.

Leia mais

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL

ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL ESTRUTURA ORGÂNICA E FUNCIONAL Diretor Geral O Diretor Geral supervisiona e coordena o funcionamento das unidades orgânicas do Comité Olímpico de Portugal, assegurando o regular desenvolvimento das suas

Leia mais

Calçado português reforça aposta no mercado alemão

Calçado português reforça aposta no mercado alemão Calçado português reforça aposta no mercado alemão O mercado alemão é uma prioridade estratégica para a indústria portuguesa de calçado. Por esse motivo, a presença nacional na GDS, o grande evento do

Leia mais

ACQUALIVEEXPO. Painel A INTERNACIONALIZAÇÃO DO SECTOR PORTUGUÊS DA ÁGUA EVOLUÇÃO DO SECTOR DA ÁGUA NOS BALCÃS: O EXEMPLO DA SÉRVIA

ACQUALIVEEXPO. Painel A INTERNACIONALIZAÇÃO DO SECTOR PORTUGUÊS DA ÁGUA EVOLUÇÃO DO SECTOR DA ÁGUA NOS BALCÃS: O EXEMPLO DA SÉRVIA ACQUALIVEEXPO Painel A INTERNACIONALIZAÇÃO DO SECTOR PORTUGUÊS DA ÁGUA EVOLUÇÃO DO SECTOR DA ÁGUA NOS BALCÃS: O EXEMPLO DA SÉRVIA Lisboa, 22 de Março de 2012 1 1. Introdução A diplomacia económica é um

Leia mais

1. ENQUADRAMENTO DO SECTOR DO TURISMO

1. ENQUADRAMENTO DO SECTOR DO TURISMO 1 1. ENQUADRAMENTO DO SECTOR DO TURISMO As perspetivas de futuro do turismo a nível mundial, incluindo a sua contribuição para o desenvolvimento económico e social, são cada vez mais importantes. Existe

Leia mais

Seminário. Apresentação das Conclusões. Promotor

Seminário. Apresentação das Conclusões. Promotor Seminário Apresentação das Conclusões Promotor Reuniões Técnicas Planos Estratégicos Ciclo de Debates Mobilidade e Transportes Saúde, Apoio Social, Segurança Social e Proteção Civil (Março, 2012) Educação,

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO

DOCUMENTO DE TRABALHO DOCUMENTO DE TRABALHO Grupo de trabalho 3 ÁREAS PROTEGIDAS POTENCIAIS ADERENTES À CETS PROGRAMA: Quinta 23 de Novembro: 10:00-13:00 h Introdução à CETS e processo de adesão 14:30-16:00 h Exemplos de Parques

Leia mais

Percepção de Portugal no mundo

Percepção de Portugal no mundo Percepção de Portugal no mundo Na sequência da questão levantada pelo Senhor Dr. Francisco Mantero na reunião do Grupo de Trabalho na Aicep, no passado dia 25 de Agosto, sobre a percepção da imagem de

Leia mais

Projecto Oura Paddle School

Projecto Oura Paddle School A Equipa: Pedro Carrilho Bacharel em Turismo e Pós- graduação em Gestão Hoteleira pela Universidade ISLA Monitor internacional ASI Stand Up Paddle Curso de Educação Física pela Xistarca/Cefad Curso Europeu

Leia mais

INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS. Novembro de 2014

INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS. Novembro de 2014 INOVAÇÃO E COMPETITIVIDADE DE DESTINOS TURÍSTICOS Novembro de 2014 1 Competitividade de Destinos Emergência nos estudos sobre estratégia empresarial Indústria, empresas, países, organizações Diferentes

Leia mais

Algarve Nature Week - Internet

Algarve Nature Week - Internet Algarve Nature Week - Internet Revista de Imprensa 10-03-2015 1. (PT) - Opção Turismo Online, 09032015, RTA promove evento dedicado ao turismo de natureza 1 2. (PT) - Algarve Notícias Online, 08032015,

Leia mais

CURSO FERRAMENTAS DE GESTÃO IN COMPANY

CURSO FERRAMENTAS DE GESTÃO IN COMPANY CURSO FERRAMENTAS DE GESTÃO IN COMPANY Instrumental e modular, o Ferramentas de Gestão é uma oportunidade de aperfeiçoamento para quem busca conteúdo de qualidade ao gerenciar ações sociais de empresas

Leia mais

Marca Priolo Balanço do desenvolvimento e implementação (2013-2014)

Marca Priolo Balanço do desenvolvimento e implementação (2013-2014) 2015 Marca Priolo Balanço do desenvolvimento e implementação (2013-2014) Azucena de la Cruz Martin Gabinete CETS Terra do Priolo 01-01-2015 Marca Priolo Balanço do desenvolvimento e implementação (2013-2014)

Leia mais

Turismo de (bons) negócios. 26 KPMG Business Magazine

Turismo de (bons) negócios. 26 KPMG Business Magazine Turismo de (bons) negócios 26 KPMG Business Magazine Segmento ganha impulso com eventos internacionais e aumento da demanda interna Eventos mobilizaram mais de R$ 20,6 bilhões em 2011 A contagem regressiva

Leia mais

Programa de Qualificação e Valorização do Alojamento Local

Programa de Qualificação e Valorização do Alojamento Local Programa de Qualificação e Valorização do Sharing Economy.2 Sharing Economy.3 RNAL fev/2016 Oferta disponível 23 885 14 212 Unidades de Entidades/ Empresas Gestoras Norte 2 749 (11%) Centro 1 820 (8%)

Leia mais

A evolução no setor da hotelaria e turismo. Qual é o espaço para os websites dos hotéis

A evolução no setor da hotelaria e turismo. Qual é o espaço para os websites dos hotéis ÍNDICE Introdução A evolução no setor da hotelaria e turismo Qual é o espaço para os websites dos hotéis Como garantir que o consumidor irá visitar o website de um hotel As vantages que um bom website

Leia mais

Termo de Referência nº 2014.0918.00043-7. 1. Antecedentes

Termo de Referência nº 2014.0918.00043-7. 1. Antecedentes Termo de Referência nº 2014.0918.00043-7 Ref: Contratação de consultoria pessoa física para desenvolver o Plano de Uso Público para a visitação do Jardim Botânico do Rio de Janeiro concentrando na análise

Leia mais

Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Economia Solidária A Santa Maria que Queremos

Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de Economia Solidária A Santa Maria que Queremos Planilha de Objetivos e Ações Viabilizadoras GT de A Santa Maria que Queremos Visão: Que Santa Maria e região sejam referências no fortalecimento de um novo modelo de organização e sustentabilidade da

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMPAIO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SAMPAIO 10º Ano Disciplina: Turismo Informação e Animação Turística Ano Letivo 2015/1 MÓDULO 1 CONCEITOS E FUNDAMENTOS DO TURISMO 1. O Conceito do Turismo 1.1. Noção de Turismo 1.2. Classificações do Turismo 1..

Leia mais