I PESQUISA PARA MONITORAMENTO DE CARREIRAS DOS ALUNOS DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I PESQUISA PARA MONITORAMENTO DE CARREIRAS DOS ALUNOS DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS"

Transcrição

1 Centro Universitário de Belo Horizonte Uni-BH Curso de Relações Internacionais Laboratório Pedagógico de Relações Internacionais I PESQUISA PARA MONITORAMENTO DE CARREIRAS DOS ALUNOS DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DO UNI-BH Relatório Final 2008/2 Belo Horizonte, 20 de novembro de 2008

2 SUMÁRIO Introdução...03 Dados Respondentes Sexo Idade Empregados Turno em que estuda Setores Instituições e ocupações citadas Principais comentários Idiomas...12 Conclusão...14 Créditos

3 INTRODUÇÃO O Laboratório Pedagógico de Relações Internacionais desenvolveu, no segundo semestre de 2008, uma pesquisa a fim de investigar a inserção profissional dos alunos do curso. As ferramentas utilizadas para esse estudo foram diversas. Primeiramente, buscou-se conhecer o perfil do estudante de Relações Internacionais, identificando a presença/ausência de algumas características ou habilidades importantes para o mercado de trabalho. Observou-se também se o turno em que o aluno estuda influi na dificuldade em conseguir emprego (ou estágio). Constatar qual o setor (público, privado, terceiro setor ou academia) mais receptivo a estudantes de RI foi também um propósito dessa pesquisa. Dessa forma, os alunos podem saber onde é mais provável conseguir uma vaga e qual área ainda não foi explorada. Muitos ainda não conhecem o que faz um internacionalista, e apresentar a profissão ao mercado é um dos principais objetivos do Laboratório Pedagógico de Relações Internacionais, juntamente com a Ampliare, a Empresa Júnior de Relações Internacionais. Busca-se também conhecer quais são as ocupações mais citadas pelos alunos que trabalham, mesmo os que não atuam diretamente na área de RI. Conhecer algumas das instituições onde trabalham também é importante, pois é possível constatar se os alunos têm possibilidade de estágio em boas empresas, além da possibilidade buscar vagas em empresas da mesma área. Atuar como caixa de sugestões também é um objetivo desse estudo. Durante as pesquisas, os alunos expuseram suas opiniões, impressões e críticas. Dessa forma é possível saber o que lhes agrada ou aflige, quais são as facilidades e dificuldades com relação à sua inserção no mercado de trabalho e quais as suas sugestões para melhorar sua preparação. 3

4 DADOS 1-Respondentes: 171 Ingressos:169 (98,8 %) Desistentes: 2 (1,2%) Respondentes Ingressos Desistentes 1% 99% Pelo que se pode observar, o número de respondentes é bem significativo. Essa pesquisa foi feita inicialmente por e posteriormente através de fichas impressas, preenchidas pelos próprios alunos. Ressalta-se que esse formulário foi respondido voluntariamente pelos mesmos. 4

5 2- Sexo: Feminino: 98 (58,3 %) Masculino: 73 (42,7 %) Feminino Sexo Masculino 43% 57% Nota-se uma quantidade majoritária de pessoas do sexo feminino, mas não muito distante do número de alunos do sexo masculino. Isso pode ser constatado já que o curso de Relações Internacionais não privilegia nenhum dos sexos, sendo permitido que ambos se destaquem e desempenhem as mesmas tarefas. 5

6 3- Idade: : 102 (59,6%) : 50 (29,3%) : 16 ( 9,4%) -Mais de 30: 3 (1,7%) 9% 2% Idade 29% 60% mais de 30 A faixa etária predominante entre os alunos é a de 18 a 21 anos, seguida da faixa etária de 22 a 25 e, por último, entre 26 a 30 anos. O contingente de alunos com idade acima de 30 anos é pequeno. 6

7 4- Empregados: 93 (54,4%) ,40% ,60% Empregados Desempregados Contrariando parte do senso comum, os dados indicam um número expressivo de alunos que estão empregados, o que é bastante favorável ao curso. 7

8 5- Total de alunos que trabalham: 82 Alunos do turno da manhã que trabalham: 42(51,22%) Alunos do turno da noite que trabalham: 40(48,78%) Do total de alunos que trabalham, os números da pesquisa surpreendem ao mostrar um número maior de alunos do turno da manhã que trabalham, com relação aos do turno da noite. Mesmo o turno da noite tendo menos turmas, a estatística surpreende porque, costumeiramente, se acredita que alunos do turno da noite tendem a conseguir vagas mais facilmente, e que trabalhar estudando de manhã é muito mais difícil. Isso se deve à disponibilidade de empresas empregarem não por tempo integral, mas por meio período. Com a mudança na legislação sobre estágios, esse número de alunos com ocupação profissional tende a aumentar. 8

9 6- Setores: - Setor Público: 11 (11,9%) - Setor Privado: 53 (56,9%) - 3º setor: 0 % - Academia: 15 (16,1%) - Não especificado: 14 (15,1%) Setores 14% 15% 0% 11% 60% Privado Público Academia Terceiro setor Não especificado Há alunos do curso empregados em diversos setores do mercado. A pesquisa constatou que a maior parte dos alunos atua no setor privado, e em segundo lugar vem a Academia. Esta última está relacionada às oportunidades de estágio fornecidas pelo próprio curso de Relações Internacionais do UNI-BH, com vagas nos Laboratórios do curso e bolsas para projetos de extensão, pesquisa e monitorias. 9

10 7- Algumas Instituições: Privado: - FIAT Automóveis - Altas Comércio Exterior - MICAPEL (Mineração Capão das Pedras) - Accenture - Number One - PIF PAF Alimentos - Vallourec Mannesman - Banco Bonsucesso Público: -Câmara de Comércio Índia Brasil - Prefeitura de Belo Horizonte Academia: - UNI BH Algumas ocupações citadas: Professor de idiomas Estágio não especificado Estágio no UNI BH Secretária Bilíngüe / Assistente administrativa Observa-se por esse levantamento que as formas de atuação são diversas, e nem sempre o aluno tem conhecimento do leque de possibilidades à sua disposição. Grandes empresas do setor privado foram citadas, principalmente as multinacionais. Salienta-se que muitos que começam como estagiários podem ser efetivados e fazer carreira nessas empresas, de acordo com seu desempenho. Pode-se trabalhar também no setor público, em Câmaras de Comércio, Consulados, Prefeituras e outros órgãos governamentais. Escolas de idiomas também foram citadas. Embora essa atuação não esteja diretamente ligada com o curso, é também uma possibilidade para quem precisa trabalhar e ainda não encontrou uma vaga na área. 10

11 8- Alguns temas citados nos comentários, em ordem de freqüência: Três mais citados: 1-O curso precisa de uma melhor preparação voltada para a prática; 2-Dificuldade de inserção na área de RI; 3-Satisfação com o curso. Outros: - Deve haver maior divulgação do profissional de RI no mercado; - Elogios à pesquisa, por fornecer informações sobre a atuação dos alunos e ex-alunos; - Necessidade de mais atividades no curso (esportes, cursos, eventos...); - Dúvidas sobre em qual área atuar; - Atividades extras voltadas para cultura dos países (exemplo: culinária, roupa, prática em negociação, etiqueta). Através dessa pesquisa os alunos puderam expor suas opiniões e impressões a respeito do curso em si e do campo de Relações Internacionais. A crítica mais recorrente foi à ausência de disciplinas e eventos voltados para a prática, para preparar os alunos para atuarem profissionalmente. Muitos elogiaram o curso, os professores, a grade diversificada, a estrutura da faculdade, entre outros. A dificuldade de estágio para RI também foi apontada. 11

12 9- Idiomas citados: - Inglês - Espanhol - Francês - Italiano - Alemão - Holandês - Mandarim - Árabe - Finlandês - Russo - Japonês - Tcheco Quantos falam cada idioma, em ordem dos mais falados ( % em alunos entrevistados) : - Inglês: 94 (53,8% ) - Espanhol: 35 (20 %) - Francês: 9 (5,1 %) - Italiano: 5 (2,9 %) - Alemão: 3 (1,7 %) - Holandês: 3 (1,7%) (os idiomas abaixo são falados apenas em nível básico ou intermediário) - Mandarim - Árabe - Finlandês - Russo - Japonês - Tcheco Idiomas 6% 3%2%2% Ingles 23% 64% Espanhol Frances Italiano Alemão Holandes O assunto idiomas com certeza está diretamente ligado com o curso de Relações Internacionais. Seja em negócios internacionais, comércio exterior, 12

13 diplomacia ou em outra das diversas áreas de atuação do internacionalista, é fundamental para o profissional saber comunicar-se em outras línguas. Dentre os idiomas falados pelos alunos, destaca-se o inglês: pode-se dizer que língua vital para a profissão. A segunda mais falada é o espanhol, e a terceira, o francês. Nota-se também o surgimento do mandarim na lista, sugerindo que a emergência da China é vista como geradora de um bom campo de trabalho para os profissionais de RI. 13

14 CONCLUSÃO Pode-se dizer que a pesquisa obteve sucesso no objetivo proposto. Através da coleta e interpretação dos dados foi possível identificar, de forma geral, pontos positivos e negativos relativos à inserção profissional dos alunos de Relações Internacionais do Centro Universitário de Belo Horizonte. Alguns apontamentos favorecem algumas características do curso, como a diversidade da grade curricular. Essa diversidade faz com que os alunos consigam ver os fenômenos de diversos ângulos, à luz da economia, da política, da segurança, entre outros. Outro benefício fundamental é a capacidade do internacionalista de fazer a ponte entre áreas diferentes, já que durante a graduação teve contato com disciplinas que o ensinaram a lidar com tais sinapses. A realização de críticas por parte dos alunos também foi crucial, de forma que algumas mudanças sejam planejadas e efetuadas, buscando cada vez mais a melhoria do curso e a qualificação dos alunos. As informações obtidas serão fundamentais para a apresentação do profissional de RI para as empresas que ainda não conhecem o trabalho que é capaz de desempenhar. Conseqüentemente, mais oportunidades de estágio serão conseguidas e o campo das Relações Internacionais será conhecido por mais pessoas e empresas. O projeto do Curso de Relações Internacionais do UNI-BH é auxiliar os alunos no seu crescimento profissional e as instituições que os empregam, fornecendo profissionais de qualidade, que desempenham funções peculiares, conseqüência do curso preparado a partir das necessidades do mercado. 14

15 I PESQUISA PARA MONITORAMENTO DE CARREIRAS DOS ALUNOS DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DO UNI-BH (2008/2) Realização Laboratório Pedagógico de Relações Internacionais - LabPed Professor responsável: Dawisson Belém Lopes Estagiárias: Isabella Bretz e Thaís Tolentino Nossos agradecimentos a todos os que contribuíram com este levantamento de dados. 15

O Ingresso de Engenheiros Recém-formados no Mercado de Trabalho Brasileiro Análise geral das respostas recebidas. Sexo.

O Ingresso de Engenheiros Recém-formados no Mercado de Trabalho Brasileiro Análise geral das respostas recebidas. Sexo. Sexo Faixa Etária Feminino 24% Mais de 39 anos 30-39 anos 2,8% 20,2% Masculino 76% 25-29 anos 20-24 anos 34,0% 42,6% Menos de 20 anos 0,4% Total de respostas: 500 Total de respostas: 500 Perfil profissional

Leia mais

Departamento de Relações Internacionais. CSC - Centro de Serviços de Carreiras. Pesquisa Egressos 2007

Departamento de Relações Internacionais. CSC - Centro de Serviços de Carreiras. Pesquisa Egressos 2007 Departamento de Relações Internacionais CSC - Centro de Serviços de Carreiras Pesquisa Egressos 2007 Caracterização dos entrevistados Idade Casos % de 22 a 25 anos 94 47,2% de 26 a 28 anos 79 39,7% mais

Leia mais

VII CENSO DOS ALUNOS DE GRADUAÇÃO DA UERJ

VII CENSO DOS ALUNOS DE GRADUAÇÃO DA UERJ UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO- UERJ NÚCLEO DE INFORMAÇÃO E ESTUDOS DE CONJUNTURA NIESC/PRODEMAN SUB-REITORIA DE GRADUAÇÃO- SR-1 DEPARTAMENTO DE ORIENTAÇÃO E SUPERVISÃO PEDAGÓGICA - DEP Prezado

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010

III Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí III Jornada Científica 19 a 23 de Outubro de 2010 Empregabilidade: uma análise das competências e habilidades pessoais e acadêmicas desenvolvidas pelos graduandos do IFMG - Campus Bambuí, necessárias ao ingresso no mercado de trabalho FRANCIELE CLÁUDIA

Leia mais

FIPECAFI e IBRI divulgam resultado da 5ª Pesquisa sobre o Perfil e a Área de Relações com Investidores

FIPECAFI e IBRI divulgam resultado da 5ª Pesquisa sobre o Perfil e a Área de Relações com Investidores FIPECAFI e IBRI divulgam resultado da 5ª Pesquisa sobre o Perfil e a Área de Relações com Investidores Os resultados da 5ª Pesquisa sobre o perfil e a área de Relações com Investidores no Brasil divulgado

Leia mais

Objetivo do Programa

Objetivo do Programa Objetivo do Programa O Programa Futuros Engenheiros visa favorecer o desenvolvimento de competências técnicas e habilidades comportamentais de universitários dos cursos de Engenharia para atuar na indústria.

Leia mais

IESG - INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GARÇA LTDA. Rua América, 281 Garça/SP CEP 17400-000 (14) 3407-2505 www.uniesp.edu.br/garca

IESG - INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GARÇA LTDA. Rua América, 281 Garça/SP CEP 17400-000 (14) 3407-2505 www.uniesp.edu.br/garca IESG - INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GARÇA LTDA. Rua América, 281 Garça/SP CEP 17400-000 (14) 3407-2505 www.uniesp.edu.br/garca PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DOS EGRESSOS O Instituto de Ensino de Garça,

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS INEP

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS INEP MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS INEP Alunos apontam melhorias na graduação Aumenta grau de formação dos professores e estudantes mostram que cursos possibilitam

Leia mais

6 Análise de necessidades

6 Análise de necessidades 55 6 Análise de necessidades Este capítulo apresenta os dados obtidos através do questionário mencionado no capítulo 5. Discuto o propósito de utilizá-lo para identificar as necessidades dos alunos. Em

Leia mais

IBRI e FIPECAFI divulgam resultado de Pesquisa do Profissional e Área de RI. Levantamento traça atual estágio das Relações com Investidores no Brasil

IBRI e FIPECAFI divulgam resultado de Pesquisa do Profissional e Área de RI. Levantamento traça atual estágio das Relações com Investidores no Brasil IBRI e FIPECAFI divulgam resultado de Pesquisa do Profissional e Área de RI Levantamento traça atual estágio das Relações com Investidores no Brasil A 6ª Pesquisa sobre a área e os profissionais de Relações

Leia mais

31956 Monografia II 31926

31956 Monografia II 31926 Currículo Novo 2006/01 Duração: 182 créditos 2.730h, acrescidas de 270h de atividades complementares, totalizando 3.000h 31544 Teoria das Organizações I - 31554 Matemática I - 31564 Teoria das Organizações

Leia mais

EIXO TECNOLÓGICO: DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA CAPACITAÇÃO

EIXO TECNOLÓGICO: DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA CAPACITAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA CAPACITAÇÃO Cursos destinados a pessoas com escolaridade variável, que objetivam desenvolver competências necessárias

Leia mais

REITORIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE (UNIBH) DIRETORIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA E PESQUISA EDITAL Nº 03/2013

REITORIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE (UNIBH) DIRETORIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA E PESQUISA EDITAL Nº 03/2013 REITORIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE (UNIBH) DIRETORIA DE EDUCAÇÃO CONTINUADA E PESQUISA EDITAL Nº 03/2013 Seleção de Bolsistas para o programa de Extensão Escola de Idiomas UniBH O Reitor

Leia mais

Estágio Supervisionado III

Estágio Supervisionado III Estágio Supervisionado III Prof. Jorge Fernandes de Lima Neto INSTRUÇÕES A) Minha visão do estágio supervisionado antes de iniciá-lo: Preencher esse formulário descrevendo sua visão de estágio. faça duas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Resolução n 69/ 2011 Aprova o Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em, Bacharelado, do Centro

Leia mais

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS

NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS NORMAS DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO PARA OS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS DA PUCRS CURSOS DE LICENCIATURA EM LETRAS: Habilitações: Língua Portuguesa e respectivas Literaturas Língua Espanhola e respectivas

Leia mais

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO CURSO: RELAÇÕES INTERNACIONAIS Missão A principal missão do Curso de Relações Internacionais é formar, a partir de pesquisa e desenvolvimento pedagógico próprios, mediante

Leia mais

CHAMADA PARA O VOLUNTARIADO PREBRASIL

CHAMADA PARA O VOLUNTARIADO PREBRASIL CONARE/MJ CHAMADA PARA O VOLUNTARIADO PREBRASIL 2013 O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), fundação pública vinculada à Secretaria de Assuntos Estratégicos da Presidência da República, o Alto

Leia mais

EDITAL SELEÇÃO DE ESTÁGIO DE DOCÊNCIA PARA ALUNOS DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE ASCES CIÊNCIAS HUMANAS, SOCIAIS APLICADAS E ENGENHARIAS

EDITAL SELEÇÃO DE ESTÁGIO DE DOCÊNCIA PARA ALUNOS DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE ASCES CIÊNCIAS HUMANAS, SOCIAIS APLICADAS E ENGENHARIAS EDITAL SELEÇÃO DE ESTÁGIO DE DOCÊNCIA PARA ALUNOS DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO DA FACULDADE ASCES CIÊNCIAS HUMANAS, SOCIAIS APLICADAS E ENGENHARIAS O Diretor da Faculdade Asces, no uso de suas atribuições

Leia mais

Data 2008 BLOCO I INFORMAÇÕES GERAIS

Data 2008 BLOCO I INFORMAÇÕES GERAIS COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA/FACESA INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS SEGMENTO: ALUNOS Data 2008 CURSO: Enfermagem / TURNO: Matutino SEMESTRE: Primeiro BLOCO I INFORMAÇÕES GERAIS P1. Sexo A) ( ) Feminino

Leia mais

Cross-Cultural Study of Leadership In Public Relations and Communication Management - Etapa Brasil. julho 2012

Cross-Cultural Study of Leadership In Public Relations and Communication Management - Etapa Brasil. julho 2012 Cross-Cultural Study of Leadership In Public Relations and Communication Management - Etapa Brasil julho 2012 Metodologia e Perfil de Entrevistados Método Amostra por conveniência Questionário (quantitativo)

Leia mais

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA

GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA GUIA DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNA 2013 ATIVIDADES COMPLEMENTARES O que são? São práticas acadêmicas de múltiplos formatos, obrigatórias, que podem ser realizadas dentro ou fora

Leia mais

Metodologia. Entrevistas com amostra de usuárias brasileiras de internet via questionário online.

Metodologia. Entrevistas com amostra de usuárias brasileiras de internet via questionário online. Assunto E-commerce Metodologia Entrevistas com amostra de usuárias brasileiras de internet via questionário online. Quantidade de entrevistas realizadas: 1.652 mulheres Perfil: 18 a 50 anos Mercado: Brasil

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE NIVELAMENTO CAPÍTULO I DA NATUREZA

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE NIVELAMENTO CAPÍTULO I DA NATUREZA FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE NIVELAMENTO CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º. A Faculdade Moraes Júnior Mackenzie Rio FMJ Mackenzie Rio, proporcionará aulas de Nivelamento

Leia mais

CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DA ESTRUTURA

CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO E DA ESTRUTURA UNIVERSIDADE DE SANTA CRUZ DO SUL UNISC CURSO DE LETRAS REGULAMENTO DOS ESTÁGIOS SUPERVISIONADOS EM LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA E LÍNGUAS ESTRANGEIRAS (INGLESA, ESPANHOLA E ALEMÃ) CAPÍTULO I DA DEFINIÇÃO

Leia mais

CNS - ISERJ: RETRATOS DA RESISTÊNCIA DISCENTE. Palavras-chave: Curso Normal Superior (CNS), perfil, pretensões e motivações.

CNS - ISERJ: RETRATOS DA RESISTÊNCIA DISCENTE. Palavras-chave: Curso Normal Superior (CNS), perfil, pretensões e motivações. 24 CNS - ISERJ: RETRATOS DA RESISTÊNCIA DISCENTE Profª Ms Angela Maria Venturini Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro/ISERJ RESUMO O Curso Normal Superior (CNS) do Instituto Superior de Educação

Leia mais

IAESTE: contribuindo com a internacionalização das Instituições de Ensino, dos alunos e dos professores. Paula Semer Prado Gerente Executiva

IAESTE: contribuindo com a internacionalização das Instituições de Ensino, dos alunos e dos professores. Paula Semer Prado Gerente Executiva IAESTE: contribuindo com a internacionalização das Instituições de Ensino, dos alunos e dos professores Paula Semer Prado Gerente Executiva Sobre a ABIPE Quem é ABIPE? Associação Brasileira de Intercâmbio

Leia mais

RELATÓRIO AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FACULDADE POLITÉCNICA DE UBERLÃNDIA 2009-2010

RELATÓRIO AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FACULDADE POLITÉCNICA DE UBERLÃNDIA 2009-2010 RELATÓRIO AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FACULDADE POLITÉCNICA DE UBERLÃNDIA 2009-2010 UBERLÂNDIA, MG JANEIRO, 2011 1 Este relatório aqui apresentado foi elaborado pela Comissão Própria de Avaliação da Faculdade

Leia mais

Participação de mulheres no mercado formal de trabalho em Diadema cresce, mas homens ainda são maioria.

Participação de mulheres no mercado formal de trabalho em Diadema cresce, mas homens ainda são maioria. BOLETIM DO OBSERVATÓRIO ECONÔMICO Agosto 2013 Nº1 População Economicamente Ativa representa 52,9% da população total em Diadema. A população de Diadema, conforme o Censo IBGE 2010, era de 386.089 habitantes.

Leia mais

HUMANAS. Página na web: www.fea.ufjf.br CIÊNCIAS ECONÔMICAS. Apresentação:

HUMANAS. Página na web: www.fea.ufjf.br CIÊNCIAS ECONÔMICAS. Apresentação: HUMANAS ADMINISTRAÇÃO Os alunos de Administração da UFJF graduam-se na modalidade Bacharelado e podem escolher entre as opções de especialização: Administração de Empresas e Administração Pública. O curso

Leia mais

Pesquisa Semesp 2009. Índice de Imagem e Reputação

Pesquisa Semesp 2009. Índice de Imagem e Reputação Pesquisa Semesp 2009 Índice de Imagem e Reputação Uma ferramenta estratégica para a qualidade de mercado Desvendar qual é a real percepção de seus públicos estratégicos com relação à atuação das instituições

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO

AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO AVALIAÇÃO DO CURSO DE TURISMO Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Turismo sobre a ESEC 4 3.2. Opinião dos alunos sobre

Leia mais

Metodologia e Amostra

Metodologia e Amostra Metodologia e Amostra Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas pessoais. Objetivo Geral Levantar o nível de satisfação dos estudantes com relação às FATECs

Leia mais

FICHA TÉCNICA. Cooperação, Parcerias e Contratos Internacionais. Relatório de Avaliação Final. Suzete Lopes suzetelopes@leaderconsulting.info.

FICHA TÉCNICA. Cooperação, Parcerias e Contratos Internacionais. Relatório de Avaliação Final. Suzete Lopes suzetelopes@leaderconsulting.info. FICHA TÉCNICA Título Organização Curso Relatório de Avaliação Final Suzete Lopes suzetelopes@leaderconsulting.info Cooperação, Parcerias e Contratos Internacionais Entidade Leader Consulting, 08 de Dezembro

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012

RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG 26/09/2012 RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA DE INTENÇÃO DE COMPRAS DIA DAS CRIANÇAS 2012 CONVÊNIO UCDB-ACICG-PMCG

Leia mais

EDITAL Nº 08/2014 - PROEX

EDITAL Nº 08/2014 - PROEX EDITAL Nº 08/2014 - PROEX 1. DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS DIVULGA O PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE FORMAÇÃO EM IDIOMA ESTRANGEIRO NA MODALIDADE DE CURSOS DE INGLÊS, FRANCÊS, ALEMÃO, ITALIANO E ESPANHOL.

Leia mais

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional*

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* 1. Natureza do mestrado profissional A pós-graduação brasileira é constituída, atualmente, por dois eixos claramente distintos: o eixo acadêmico, representado

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES - Curso de Comunicação Social

ATIVIDADES COMPLEMENTARES - Curso de Comunicação Social ATIVIDADES COMPLEMENTARES - Curso de Comunicação Social As Atividades Complementares são práticas acadêmicas, obrigatórias para os alunos do UniFIAMFAAM. Essas atividades são apresentadas sob múltiplos

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão.

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão. MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES Porto Alegre/RS 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O ESTÁGIO... 3 3. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DO ESTÁGIO... 3 4. OBJETIVOS DO ESTÁGIO... 3

Leia mais

Prof. Ana Cláudia Fleck Coordenadora da Academia de Professores da ESPM-Sul

Prof. Ana Cláudia Fleck Coordenadora da Academia de Professores da ESPM-Sul PROGRAMA GUIA ESPM-Sul Programa de Acompanhamento Discente e Excelência Profissional Prof. Ana Cláudia Fleck Coordenadora da Academia de Professores da ESPM-Sul Pensamento ESPM. São Paulo, 25/04/2014.

Leia mais

AIESEC visa promover a paz e o preenchimento das potencialidades humanas.

AIESEC visa promover a paz e o preenchimento das potencialidades humanas. A ORGANIZAÇÃO A AIESEC surgiu após a Segunda Guerra Mundial, em 1948, fundada por estudantes de sete países europeus com o propósito de promover o intercâmbio de técnicas administrativas e de recursos

Leia mais

1 O texto da Constituição Federal de 1988 diz: Art. 7. São direitos dos trabalhadores urbanos e

1 O texto da Constituição Federal de 1988 diz: Art. 7. São direitos dos trabalhadores urbanos e 1 Introdução A presente pesquisa tem como objeto de estudo a inserção da pessoa com deficiência física no mercado de trabalho. Seu objetivo principal é o de compreender a visão que as mesmas constroem

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES

CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR NÃO OBRIGATÓRIO CURSO DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS, BACHARELADO ESTÁGIO SUPERVISIONADO NÃO OBRIGATÓRIO Das disposições gerais O presente documento

Leia mais

Carga Horária. Unidade Acadêmica. Prérequisito. Componentes Curriculares. 1º Período

Carga Horária. Unidade Acadêmica. Prérequisito. Componentes Curriculares. 1º Período Componentes Curriculares 1º Período T P Núcleo Categoria Introdução ao Estudo das Relações Internacionais - Específica Obrigatória - Introdução à Economia - Correlata Obrigatória - FADIR Instituições de

Leia mais

CURSOS ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS

CURSOS ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS PROJETO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES ANO 2007 CURSOS ADMINISTRAÇÃO E CIÊNCIAS CONTÁBEIS INTRODUÇÃO: Tendo como objetivo propiciar ao aluno um conjunto de oportunidades que se refletirão, de forma direta

Leia mais

CNPJ: 41.478.561/0003-40 Av. Colares Moreira, n 443 Renascença São Luís/MA CEP 65075-970 Tel.: (98) 4009-7070 www.undb.edu.br

CNPJ: 41.478.561/0003-40 Av. Colares Moreira, n 443 Renascença São Luís/MA CEP 65075-970 Tel.: (98) 4009-7070 www.undb.edu.br A coordenação do curso de Sistemas de Informação realiza por meio do presente Edital o lançamento do Projeto de Pesquisa UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO AO PASSAGEIRO DE TRANSPORTE PÚBLICO, e convoca a comunidade

Leia mais

Pesquisa Semesp. A Força do Ensino Superior no Mercado de Trabalho

Pesquisa Semesp. A Força do Ensino Superior no Mercado de Trabalho Pesquisa Semesp A Força do Ensino Superior no Mercado de Trabalho 2008 Ensino superior é um forte alavancador da carreira profissional A terceira Pesquisa Semesp sobre a formação acadêmica dos profissionais

Leia mais

Oportunidades. Edições Especiais

Oportunidades. Edições Especiais Oportunidades O jornal que desde 2003 é a principal referência em informações sobre o mercado de trabalho no Espírito Santo está de cara nova. Uma publicação ainda mais completa e moderna, com as melhores

Leia mais

Cursos de Formação em Alternância na Banca Relatório de Follow-up 2010-2013 Lisboa e Porto

Cursos de Formação em Alternância na Banca Relatório de Follow-up 2010-2013 Lisboa e Porto Cursos de Formação em Alternância na Banca Relatório de Follow-up 2010-2013 Lisboa e Porto Outubro de 2015 Índice 1. Introdução... 3 2. Caraterização do Estudo... 4 3. Resultado Global dos Cursos de Lisboa

Leia mais

6 Metodologia. 6.1 Situando a pesquisa

6 Metodologia. 6.1 Situando a pesquisa 6 Metodologia Apresento neste capítulo a metodologia utilizada nesta pesquisa, o contexto em que ocorreu a coleta de dados, os participantes, os instrumentos usados e os procedimentos metodológicos para

Leia mais

Amway - Política de privacidade

Amway - Política de privacidade Amway - Política de privacidade Esta Política de Privacidade descreve como a Amway Brasil e determinadas filiadas, inclusive a Amway América Latina (conjuntamente Amway ) utilizam dados pessoais coletados

Leia mais

GTT 1 - A Descaracterização do Trabalho do Professor de Educação Física nas Atuais Políticas Públicas de Educação na RMBH

GTT 1 - A Descaracterização do Trabalho do Professor de Educação Física nas Atuais Políticas Públicas de Educação na RMBH Documento final do "Seminário: O trabalho docente em educação física face às atuais políticas públicas na educação na RMBH: Repercussões nas instituições Formadoras" O presente documento tem por finalidade

Leia mais

PORTARIA CE Nº 26, de 30 de junho de 2014.

PORTARIA CE Nº 26, de 30 de junho de 2014. PORTARIA CE Nº 26, de 30 de junho de 2014. Regulamenta o procedimento de concessão de créditos para as atividades complementares dos alunos dos Cursos de Graduação em Engenharia Industrial Madeireira ingressantes

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES 1 REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURRICULAR DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º - Este regulamento normatiza as atividades relacionadas ao Estágio Curricular do Curso de Administração

Leia mais

FACULDADE PROJEÇÃO DE CEILÂNDIA EDITAL DE PROCESSO SELETIVO INOVE CONSULTORIA JÚNIOR DA ESCOLA DE NEGÓCIOS PRIMEIRO SEMESTRE DE 2014

FACULDADE PROJEÇÃO DE CEILÂNDIA EDITAL DE PROCESSO SELETIVO INOVE CONSULTORIA JÚNIOR DA ESCOLA DE NEGÓCIOS PRIMEIRO SEMESTRE DE 2014 FACULDADE PROJEÇÃO DE CEILÂNDIA EDITAL DE PROCESSO SELETIVO INOVE CONSULTORIA JÚNIOR DA ESCOLA DE NEGÓCIOS PRIMEIRO SEMESTRE DE 2014 A Direção da Escola de Negócios da Faculdade Projeção de Ceilândia,

Leia mais

Formação Profissional em Psicologia Social: Um estudo sobre os interesses dos estudantes pela área.

Formação Profissional em Psicologia Social: Um estudo sobre os interesses dos estudantes pela área. Formação Profissional em Psicologia Social: Um estudo sobre os interesses dos estudantes pela área. Autores: Ligia Claudia Gomes de Souza Universidade Salgado de Oliveira Faculdades Integradas Maria Thereza.

Leia mais

SALA DE ESPERA DIREITOS DOS IDOSOS: SUBPROJETO DO NÚCLEO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, JURÍDICA E DE ESTUDOS SOBRE A PESSOA IDOSA

SALA DE ESPERA DIREITOS DOS IDOSOS: SUBPROJETO DO NÚCLEO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, JURÍDICA E DE ESTUDOS SOBRE A PESSOA IDOSA 110. ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( x ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( ) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA SALA DE ESPERA DIREITOS DOS IDOSOS: SUBPROJETO DO NÚCLEO

Leia mais

PROPAV COCENAI RELATÒRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO COM HABILITAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR. Introdução 3DUWH&217(;78$/,=$d 2'$%$6('($78$dÆ2'$68%&20,66 2

PROPAV COCENAI RELATÒRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO COM HABILITAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR. Introdução 3DUWH&217(;78$/,=$d 2'$%$6('($78$dÆ2'$68%&20,66 2 PROPAV COCENAI RELATÒRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO COM HABILITAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR Introdução 3DUWH&217(;78$/,=$d 2'$%$6('($78$dÆ2'$68%&20,66 2,%$6('($78$d 2'$68%&20,66 2,&XUVRVGHJUDGXDomRRIHUHFLGRVQDiUHDGD6XEFRPLVVmR

Leia mais

PRÓ- REITORIA DE PESQUISA, PÓS- GRADUAÇÃO, EXTENSÃO E CULTURA GERÊNCIA DE PÓS- GRADUAÇÃO PROGRAMA DE MESTRADO ACADÊMICO EM COMPUTAÇÃO APLICADA

PRÓ- REITORIA DE PESQUISA, PÓS- GRADUAÇÃO, EXTENSÃO E CULTURA GERÊNCIA DE PÓS- GRADUAÇÃO PROGRAMA DE MESTRADO ACADÊMICO EM COMPUTAÇÃO APLICADA PRÓ- REITORIA DE PESQUISA, PÓS- GRADUAÇÃO, EXTENSÃO E CULTURA GERÊNCIA DE PÓS- GRADUAÇÃO PROGRAMA DE MESTRADO ACADÊMICO EM COMPUTAÇÃO APLICADA NORMAS PARA O ESTÁGIO DE DOCÊNCIA Em sua Seção III, Regimento

Leia mais

DADOS ESTATÍSTICOS DOS CURSOS DE BACHARELADO E DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIAS EM DETERMINADAS ÁREAS DA ADMINISTRAÇÃO

DADOS ESTATÍSTICOS DOS CURSOS DE BACHARELADO E DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIAS EM DETERMINADAS ÁREAS DA ADMINISTRAÇÃO Resultados do ENADE 2012 e do Censo da Educação Superior 2013 dos Cursos de Bacharelado em Administração e dos Cursos Superiores de Tecnologia em determinadas áreas da Administração Bahia Janeiro de 2015

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO. CURSO: Comercio Exterior

REGULAMENTO DE ESTÁGIO. CURSO: Comercio Exterior REGULAMENTO DE ESTÁGIO CURSO: Comercio Exterior Fevereiro 2008 APRESENTAÇÃO CAPÍTULO I Art. 1º De acordo com regulamento de estágio da Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina - O Estágio

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE REGULAMENTO DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC MINAS UNIDADE BELO HORIZONTE CAPÍTULO I DO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Art. 1º - O programa de Iniciação Científica da

Leia mais

CRIAÇÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO

CRIAÇÃO DE CURSO DE GRADUAÇÃO U N I V E R S I D A D E F E D E R A L D A B A H I A P r ó - R e i t o r i a d e E n s i n o d e G r a d u a ç ã o Palácio da Reitoria - Rua Augusto Viana s/n - Canela - 40.110-060 - Salvador Bahia E-mails:

Leia mais

Regulamento das Atividades Complementares

Regulamento das Atividades Complementares Regulamento das Atividades Complementares Estabelece normas para o funcionamento das Atividades Complementares do sistema seriado dos cursos de Administração com linha de formação específica em Administração

Leia mais

EDITAL 005 /2012 DG/CEPR

EDITAL 005 /2012 DG/CEPR COLÉGIO ESTADUAL DO PARANÁ ENSINO FUNDAMENTAL, MÉDIO E PROFISSIONAL AVENIDA JOÃO GUALBERTO, 250 ALTO DA GLÓRIA CURITIBA PARANÁ celemcelicep@cep.pr.gov.br CELEM/CEP: 3304-8958 EDITAL 005 /2012 DG/CEPR PROCESSO

Leia mais

EDITAL Nº 03/2014 - PROEX

EDITAL Nº 03/2014 - PROEX EDITAL Nº 03/2014 - PROEX DIVULGA O PROCESSO SELETIVO DE ESTUDANTES DE GRADUAÇÃO E PÓS- GRADUAÇÃO PARA O PROGRAMA DE FORMAÇÃO EM IDIOMA ESTRANGEIRO NA MODALIDADE DE CURSOS DE INGLÊS, FRANCÊS, ALEMÃO E

Leia mais

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE

POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE POLÍTICA DE VOLUNTARIADO DA CEMIG SAÚDE Av. Barbacena, 472 8º andar Barro Preto CEP: 30190-130 Belo Horizonte/MG Tel.: 3253.4917 E-mail: renata.gontijo@cemigsaude.org.br Portal Corporativo: www.cemigsaude.org.br

Leia mais

RELAÇÃO DE ATIVIDADES

RELAÇÃO DE ATIVIDADES MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DA 13ª REGIÃO PROJETO TRABALHO DE TODOS COORDENAÇÃO GERAL - ETAPA ITAPORANGA (09 A 11/03/2015) RELAÇÃO DE ATIVIDADES

Leia mais

Prepare-se para Faculdade. Leticia Bechara Pedagoga e Coordenadora Trevisan Escola de Negócios

Prepare-se para Faculdade. Leticia Bechara Pedagoga e Coordenadora Trevisan Escola de Negócios Prepare-se para Faculdade Leticia Bechara Pedagoga e Coordenadora Trevisan Escola de Negócios Sucesso $$$ sonho habilidade Passos para Faculdade 1- Conhecer você mesmo. 2- Características da faculdade.

Leia mais

Curso de Graduação Oceanologia. DESAFIOS ALÉM DA ACADEMIA: Análise da Situação Profissional dos Egressos do Curso de Oceanologia da FURG

Curso de Graduação Oceanologia. DESAFIOS ALÉM DA ACADEMIA: Análise da Situação Profissional dos Egressos do Curso de Oceanologia da FURG Curso de Graduação Oceanologia DESAFIOS ALÉM DA ACADEMIA: Análise da Situação Profissional dos Egressos do Curso de Oceanologia da FURG Prof. LUIZ CARLOS KRUG O Curso de Graduação em Oceanologia da Fundação

Leia mais

Consulta Pública ESTRATÉGIAS

Consulta Pública ESTRATÉGIAS Plano Municipal de Educação PME Secretaria Municipal de Educação São Francisco do Sul Fórum Municipal de Educação Consulta Pública META 3: Universalizar, até 2016, o atendimento escolar para toda a população

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA EXPERIÊNCIA EM PESQUISA NA GRADUAÇÃO PARA O CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO NA VISÃO DE ALUNOS DE DOIS PROGRAMAS DE MESTRADO*

CONTRIBUIÇÕES DA EXPERIÊNCIA EM PESQUISA NA GRADUAÇÃO PARA O CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO NA VISÃO DE ALUNOS DE DOIS PROGRAMAS DE MESTRADO* CONTRIBUIÇÕES DA EXPERIÊNCIA EM PESQUISA NA GRADUAÇÃO PARA O CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO NA VISÃO DE ALUNOS DE DOIS PROGRAMAS DE MESTRADO* Maria Benedita Lima Pardo Tatiana Cardoso Andrade Ilka Thiziane Teixeira

Leia mais

Comissão da Área de Odontologia Relatório da Avaliação do triênio 2004-2006 Apreciação e informações sobre a avaliação:

Comissão da Área de Odontologia Relatório da Avaliação do triênio 2004-2006 Apreciação e informações sobre a avaliação: Comissão da Área de Odontologia Relatório da Avaliação do triênio 2004-2006 Apreciação e informações sobre a avaliação: A comissão se reuniu no período de 6 a 10 de agosto de 2007 na FINATEC, UNB, Brasília

Leia mais

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA A concepção que fundamenta os processos educacionais das Instituições da Rede Federal de Educação

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA COE COMISSÃO DE ORIENTAÇÃO DE ESTÁGIOS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DEPARTAMENTO DE FARMÁCIA COE COMISSÃO DE ORIENTAÇÃO DE ESTÁGIOS À Comunidade Acadêmica do Curso de Farmácia da UFPR. A Comissão Orientadora de Estágios (COE) do curso de Farmácia elaborou este documento com o objetivo de esclarecer as dúvidas referentes aos estágios

Leia mais

446, 23/01/2014, 24/01/2014 PARECER CEE/PE Nº 143/2013-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM

446, 23/01/2014, 24/01/2014 PARECER CEE/PE Nº 143/2013-CES APROVADO PELO PLENÁRIO EM INTERESSADA: UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO UPE FACULDADE DE CIÊNCIAS DA ADMINISTRAÇÃO - FCAP ASSUNTO: RENOVAÇÃO DO RECONHECIMENTO DO CURSO SUPERIOR SEQUENCIAL DE FORMAÇÃO ESPECÍFICA EM GESTÃO IMOBILIÁRIA

Leia mais

GRADE CURRICULAR. SLAD101 Fundamentos de Ciência Política 4 60 -- CCAUX. SLAD102 Fundamentos de Economia 4 60 -- CCAUX

GRADE CURRICULAR. SLAD101 Fundamentos de Ciência Política 4 60 -- CCAUX. SLAD102 Fundamentos de Economia 4 60 -- CCAUX GRADE CURRICULAR 1º Semestre SL0001 Introdução ao Estu das Relações Internacionais SLAD101 Fundamentos de Ciência Política SL0002 História Econômica, Política e Social Geral SLAD102 Fundamentos de Economia

Leia mais

Cours de Français pour Débutants FFLCH EPUSP Module 3

Cours de Français pour Débutants FFLCH EPUSP Module 3 Cours de Français pour Débutants FFLCH EPUSP Module 3 Veja como montar um currículo para conseguir o primeiro emprego Candidato deve adequar o documento para cada oportunidade de trabalho. Segundo especialista,

Leia mais

DIRETRIZES E NORMAS PARA O ESTÁGIO NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO

DIRETRIZES E NORMAS PARA O ESTÁGIO NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO DIRETRIZES E NORMAS PARA O ESTÁGIO NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ARQUITETURA E URBANISMO PARAÍBA DO SUL RJ 2014 2 DA NATUREZA Art. 1. Os alunos do curso de graduação em Arquitetura e Urbanismo da Faculdade

Leia mais

Ações e Projetos Sociais

Ações e Projetos Sociais Ações e Projetos Sociais 1º - TROTE SOLIDÁRIO O Trote Solidário tem como objetivo principal atender às necessidades das Instituições beneficentes carentes da região de Barretos através da arrecadação e

Leia mais

Universidade Estadual de Londrina CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA

Universidade Estadual de Londrina CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ZOOTECNIA PROPOSTA 1 Curso Nome(s) do(s) Curso(s) ZOOTECNIA Código e-mec 56129 Conceito ENADE 4 Coordenador da Proposta (Tutor do Grupo) ANA MARIA BRIDI 2 Caracterização da Proposta 2.1Área de Conhecimento (código

Leia mais

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008

PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG ESCOLA DE DESIGN ED COORDENAÇÃO DE EXTENSÃO NUCLEO INTEGRADOR DE PRÁTICAS PEDAGÓGICAS - NIPP PROGRAMA INSTITUCIONAL DE MONITORIA VOLUNTÁRIA 2008 Aprovado pelo

Leia mais

REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO REGULAMENTO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Coordenador do Curso de Administração Prof. Marcos Eduardo dos Santos Supervisor de Estágio do Curso Prof. Marcos Eduardo dos Santos JUIZ DE

Leia mais

Pesquisa de Perfil, Expectativas e Percepção de Qualidade. Alunos de Programas de MBA 2013

Pesquisa de Perfil, Expectativas e Percepção de Qualidade. Alunos de Programas de MBA 2013 Pesquisa de Perfil, Expectativas e Percepção de Qualidade Alunos de Programas de MBA 2013 Tópicos Sobre a Anamba Objetivos da Pesquisa Metodologia Principais Resultados Sobre a Anamba Tem por missão contribuir

Leia mais

Prof. Ericksson Rocha e Almendra UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO almendra@.superest.ufrj.br

Prof. Ericksson Rocha e Almendra UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO almendra@.superest.ufrj.br ESCOLA POLITÉCNICA COBENGE 2014 (Forum Estudantil) Mobilidade Estudantil Internacional e Nacional Mobilidade Internacional na Escola Politécnica da UFRJ Diretoria Adjunta de Relações Internacionais Cenário

Leia mais

5- Cite, em ordem de preferência, três profissões que você mais gostaria de exercer: 1º 2º 3º

5- Cite, em ordem de preferência, três profissões que você mais gostaria de exercer: 1º 2º 3º 18. DICAS PARA A PRÁTICA Orientação para o trabalho A- Conhecimento de si mesmo Sugestão: Informativo de Orientação Vocacional Aluno Prezado Aluno O objetivo deste questionário é levantar informações para

Leia mais

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA

NORMAS DE ESTÁGIO DO CURSO DE ENGENHARIA MECÂNICA 2015 SUMÁRIO 1 - DISPOSIÇÕES PRELIMINARES... 3 2 - OBJETIVO DO ESTÁGIO SUPERVISIONADO... 3 3 - ACOMPANHAMENTO E ORGANIZAÇÃO DO ESTÁGIO OBRIGATÓRIO... 4 4 - EXEMPLO DE ÁREAS PARA REALIZAÇÃO DO ESTÁGIO...

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

[ OBJETIVOS ESPECÍFICOS

[ OBJETIVOS ESPECÍFICOS [ [ OBJETIVOS ESPECÍFICOS Promover formação geral e ampla com conhecimentos sobre economia nacional e internacional, sobre tradições, costumes e culturas dos diferentes países do mundo, legislação internacional

Leia mais

CARREIRAS. Área de humanidades. CARREIRA 105 Arquitetura - FAU. CARREIRA 100 Administração - Ribeirão Preto. CARREIRA 110 Arquitetura - São Carlos

CARREIRAS. Área de humanidades. CARREIRA 105 Arquitetura - FAU. CARREIRA 100 Administração - Ribeirão Preto. CARREIRA 110 Arquitetura - São Carlos Área de humanidades CARREIRAS NOTA: A DURAÇÃO DOS CURSOS DA USP É COMPUTADA EM SEMESTRES. NA DURAÇÃO DOS CURSOS QUE ENVOLVEM ESTÁGIO CURRICULAR OBRIGATÓRIO ESTÃO INCLUÍDAS TODAS AS ATIVIDADES NECESSÁ-

Leia mais

REITORIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNI-BH EDITAL Nº 02/2015 PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL PARA GRADUAÇÃO

REITORIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNI-BH EDITAL Nº 02/2015 PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL PARA GRADUAÇÃO REITORIA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO UNI-BH EDITAL Nº 02/2015 PROGRAMA DE INTERCÂMBIO INTERNACIONAL PARA GRADUAÇÃO A Vice-Reitora do Centro Universitário UniBH, Professora Vânia Amorim Café de Carvalho, no

Leia mais

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE

OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE OS CONHECIMENTOS DE ACADÊMICOS DE EDUCAÇÃO FÍSICA E SUA IMPLICAÇÃO PARA A PRÁTICA DOCENTE Maria Cristina Kogut - PUCPR RESUMO Há uma preocupação por parte da sociedade com a atuação da escola e do professor,

Leia mais

Manual. Por: PET ADM UFMG. Um guia para conhecer melhor a faculdade

Manual. Por: PET ADM UFMG. Um guia para conhecer melhor a faculdade Manual Do Calouro Por: PET ADM UFMG Um guia para conhecer melhor a faculdade índice PET ADM UFMG Capítulo 1 O curso de Administração Capítulo 2 Oportunidades UFMG Capítulo 3 - Espaços mais importantes

Leia mais

(67È*,26(025*$1,=$d (6,17(51$&,21$,6. Ser estudante universitário ou recém graduado.

(67È*,26(025*$1,=$d (6,17(51$&,21$,6. Ser estudante universitário ou recém graduado. (67È*,26(025*$1,=$d (6,17(51$&,21$,6 ÈUHDGR &RQKHFLPHQWR 7HPSRGH GXUDomR 5HTXLVLWRV &DUDFWHUtVWLFDVGR(VWiJLR $,(6(& Várias. Normalmente, as vagas são para Administração, Marketing, Contabilidade, Relações

Leia mais

Edital de Monitoria do Curso de Nutrição

Edital de Monitoria do Curso de Nutrição Edital de Monitoria do Curso de Nutrição 2014.1 REGULAMENTO DA MONITORIA A prática de monitoria consiste na atuação docente de alunos que auxiliam outros alunos no processo de ensino-aprendizagem. O Curso

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO Pró-reitoria de Graduação. Edital nº 18/2015

CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO Pró-reitoria de Graduação. Edital nº 18/2015 CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO Edital nº 18/2015 PROCESSO SELETIVO PARA INGRESSO NA RESIDÊNCIA MÉDICA DO CENTRO UNIVERSITÁRIO FRANCISCANO EM MARÇO DE 2016 A Coordenação dos Programas de Residência Médica

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES

ATIVIDADES COMPLEMENTARES PRÓ-REITORIA ACADÊMICA BURITIS / CARLOS LUZ / SILVA LOBO ATIVIDADES COMPLEMENTARES As Atividades Complementares, conforme as Diretrizes Curriculares do MEC, são atividades extracurriculares obrigatórias

Leia mais

AUTORAS ROSANGELA SOUZA

AUTORAS ROSANGELA SOUZA AUTORAS ROSANGELA SOUZA Especialista em Gestão Empresarial com MBA pela FGV e Professora de Estratégia na Pós-Graduação da FGV. Desenvolveu projetos acadêmicos sobre segmento de idiomas, planejamento estratégico

Leia mais

Estudar Ciência, Engenharia e Management na França

Estudar Ciência, Engenharia e Management na França Estudar Ciência, Engenharia e Management na França 0 PORQUE A MOBILIDADE INTERNACIONAL? Desenvolver a abertura internacional Em primeiro uma atitude: ela se concretisa por uma disposição e uma capacidade

Leia mais