RELATÓRIO AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FACULDADE POLITÉCNICA DE UBERLÃNDIA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RELATÓRIO AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FACULDADE POLITÉCNICA DE UBERLÃNDIA 2009-2010"

Transcrição

1 RELATÓRIO AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL FACULDADE POLITÉCNICA DE UBERLÃNDIA UBERLÂNDIA, MG JANEIRO,

2 Este relatório aqui apresentado foi elaborado pela Comissão Própria de Avaliação da Faculdade Politécnica de Uberlândia em consonância com as orientações da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior e com a legislação específica do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior. 2

3 GRÁFICOS COM RESULTADOS OBTIDOS 3

4 ANEXO B GRÁFICOS POR SEGMENTO - DISCENTES EGRESSOS Os dados para a análise do perfil dos 700 alunos egressos, com conclusão de curso nos anos de 2008 e 2009, foram fornecidos pelo banco de dados da faculdade e no banco gerado pelos questionários respondidos por meio do Google Docs. Do total de questionários enviados por , 78 nos foi dado retorno, ou seja, 11% do total enviado. Assim, toda a análise realizada esta baseada nos questionários respondidos, ou seja, 78 questionários. Caracterização dos Alunos Egressos Além das questões referentes ao desempenho pedagógico-didático dos professores, no questionário de avaliação existe uma segunda parte de questões referentes à participação e rendimento dos alunos, nos estudo e atividades propostas pelos professores, e as impressões dos mesmos relativos à satisfação quanto às disciplinas e período do curso. Verificou-se que a maioria dos alunos egressos de 2008 e 2009(66%) se encontra na faixa etária entre 21 a 30 anos (tabela 01), demonstrando uma concentração de alunos em idade inferior a 31 anos, mantendo um perfil jovem. Em 2008 e 2009, 59% do total de alunos egressos que responderam o questionário são do sexo masculino e 41% do sexo feminino, conforme pode ser observado nas tabelas e gráficos a seguir. Tabela 01 Faixa etária na matrícula Idade Quantidade % Menores de 18 anos a 25 anos a 30 anos a 36 anos Acima de 37 anos Total ,00 % Fonte: Dados da Pesquisa 2010/1 Tabela 2 Alunos Egressos por sexo

5 SEXO Quantidade % Feminino 33 40% Masculino 50 60% TOTAL %. Gráfico 1 - Alunos egressos por sexo Do total de alunos egressos que responderam o questionário 60% são do sexo masculino e 40% do sexo feminino.. Gráfico 2 Faixa etária dos alunos. Do total de alunos egressos que responderam o questionário 5% possui menos de 20 anos, 34% entre 21 e 25, 31% entre 26 e 30, 16% entre 31 e 36 e 14% acima de 37 anos. Gráfico 3 - Distribuição de Alunos Egressos por Curso 5

6 Fonte: Dados da Pesquisa 2010/1 Tabela 03 Distribuição do número de alunos egressos por curso no período de , que responderam ao questionário. CURSO % de alunos Administração 17% Engenharia de Controle e Automação 13% Direito 11% Gestão em Recursos Humanos 12% Ciências Contábeis 10% Gestão Financeira 7% Sistema de Informação 7% Marketing 4% Engenharia Elétrica 6% Fonte: Dados da Pesquisa 2010/1 Gráfico 4 Turno. Do total de alunos egressos que responderam o questionário 100 % dos alunos cursam no período noturno. 6

7 Fonte: Dados da Pesquisa 2010/1 Gráfico 5 Ano da conclusão. Do total de alunos egressos que responderam o questionário o ano da conclusão de 11% dos alunos 2008/1, 23% 2008/2, 20% 2009/1 e 46% 2009/2. Fonte: Dados da Pesquisa 2010/1 Gráfico 6 Ao concluir o curso de graduação ANTERIORMENTE INFORMADO, com os conhecimentos adquiridos, como você se sente para enfrentar o mercado de trabalho? Do total de alunos egressos que responderam o questionário 5% se sente totalmente preparado, 35% muito preparado, 57% mais ou menos preparado e 4 % nada preparado. Fonte: Dados da Pesquisa 2010/1 7

8 Gráfico 7 - Avalie o grau de importância, para cada item na sua formação: Os conteúdos das disciplinas de formação geral do curso. Fonte: Dados da Pesquisa 2010/1 O gráfico 6 expressa os dados relativos ao grau de importância para cada item na sua formação. Observa-se assim que 31% dos alunos avaliaram como muito importante, 46 % importante e apenas 5% pouco importante. Gráfico 8 - Nível de Satisfação dos alunos egressos com os conteúdos das disciplinas de formação específica do curso. Fonte: Dados da Pesquisa 2010/1 Quanto à satisfação dos alunos com o conteúdo das disciplinas de formação específica do curso, percebe-se que 43% dos alunos concordam que são muito importantes, 56% afirmam importantes. Apenas 5% dos alunos egressos responderam pouco importantes. 8

9 Gráfico 9 - Nível de Satisfação dos alunos com os conteúdos das disciplinas semipresenciais. Quanto à satisfação dos alunos com o conteúdo das disciplinas semi-presenciais do curso (gráfico 9), percebe-se que 5% dos alunos concordam que é muito importante, 49% afirmam ser importante, e 34% dos alunos egressos responderam ser pouco importantes. 12% afirmam que esta modalidade de ensino não se aplica ao curso realizado por eles. Gráfico 10 - Nível de Satisfação dos alunos egressos com a adequação dos laboratórios para o pleno desenvolvimento das atividades acadêmicas Quanto à satisfação dos alunos com a adequação dos laboratórios (gráfico 9), percebe-se que 51% dos alunos concordam que é muito importante, 33% afirmam ser importante, e 10% dos alunos egressos responderam ser pouco importantes. 7% afirmam que esta modalidade de ensino não se aplica ao curso realizado por eles. 9

10 Gráfico 11 - Nível de Satisfação dos alunos egressos com o estágio curricular. Quanto à satisfação dos alunos com o estágio curricular (gráfico 10), percebe-se que 39% dos alunos concordam que é muito importante, 36% afirmam ser importante, e 7% dos alunos egressos responderam ser pouco importantes. 18% afirmam que esta modalidade de ensino não se aplica ao curso realizado por eles. Gráfico 12 - Nível de Satisfação dos alunos egressos com o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Quanto à satisfação dos alunos com o TCC (gráfico 11), percebe-se que 41% dos alunos concordam que é muito importante, 39% afirmam ser importante, e 14% dos alunos egressos responderam ser pouco importantes. 6% afirmam que esta modalidade de ensino não se aplica ao curso realizado por eles. 10

11 Gráfico 13 - Nível de Satisfação dos alunos egressos com a formação profissional voltada para o mercado de trabalho. Quanto à satisfação dos alunos com a formação profissional (gráfico 12), percebe-se que 65% dos alunos concordam que é muito importante, 28% afirmam ser importante, e 5% dos alunos egressos responderam ser pouco importante. Gráfico 14 - Nível de Satisfação dos alunos egressos com a participação em disciplinas optativas. Quanto à satisfação dos alunos com a participação em disciplinas optativas, (gráfico 13), percebe-se que 10% dos alunos concordam que é muito importante, 55% afirmam ser importante, e 22% dos alunos egressos responderam ser pouco importantes. 11% afirmam que esta modalidade de ensino não se aplica ao curso realizado por eles. Gráfico 16 - Nível de Satisfação dos alunos egressos com as atividades extracurriculares como seminários, palestras, workshops, semana acadêmica, etc. 11

12 Quanto à satisfação dos alunos com as atividades extra-curriculares (gráfico 13), percebe-se que 41% dos alunos concordam que é muito importante, 40% afirmam ser importante, e 12% dos alunos egressos responderam ser pouco importantes. 7% afirmam que esta modalidade de ensino não se aplica ao curso realizado por eles. Gráfico 16 - Nível de Satisfação dos alunos egressos com a contribuição dos docentes de seu curso para as atividades de ensino e o comprometimento com a sua aprendizagem. Quanto à satisfação dos alunos com a contribuição dos docentes para as atividades de ensino, (gráfico 15), percebe-se que 49% dos alunos concordam que é muito importante, 36% afirmam ser importante, e 6% dos alunos egressos responderam ser pouco importante. Gráfico 17 - Nível de Satisfação dos alunos egressos com o contato próximo com a coordenação do curso. 12

13 Quanto à satisfação dos alunos com o contato próximo a coordenação do curso, (gráfico 16), percebe-se que 47% dos alunos concordam que é muito importante, 43% afirmam ser importante, e 8% dos alunos egressos responderam ser pouco importante. Gráfico 18 - Nível de Satisfação dos alunos egressos com a formação ética para atuação profissional. Quanto à satisfação dos alunos com a formação ética para atuação profissional, (gráfico 17), percebe-se que 55% dos alunos concordam que é muito importante, 41% afirmam ser importante, e 4% dos alunos egressos responderam ser pouco importante. Gráfico 19 Nível de Satisfação dos alunos egressos com o currículo que valoriza as inovações tecnológicas e necessidades de mercado. 13

14 Quanto à satisfação dos alunos com a o currículo que valoriza as inovações tecnológicas e necessidades de mercado, (gráfico 18), percebe-se que 51% dos alunos concordam que é muito importante, 45% afirmam ser importante, e 5% dos alunos egressos responderam ser pouco importante. Gráfico 20 - Nível de Satisfação dos alunos egressos com a participação nas decisões referentes a problema do curso ou da Instituição. Quanto à satisfação dos alunos com a coordenação do curso, (gráfico 19), percebe-se que 40% dos alunos concordam que é muito importante, 48% afirmam ser importante, e 5% dos alunos egressos responderam ser pouco importantes. Gráfico 21 No que se refere o seu curso de graduação, avalie cada um dos ítens abaixo: Os conteúdos das disciplinas de formação geral/fundamentos do curso. No que se refere o seu curso de graduação, (gráfico 20), percebe-se que 13% dos alunos concordam que foram excelentes 69% afirmam ser bom, e 17% responderam ser regular. 14

15 Gráfico 22 Os conteúdos das disciplinas profissionalizantes do curso. Quanto aos conteúdos das disciplinas profissionalizantes do curso (gráfico 21), percebe-se que 13% dos alunos concordam que foram excelentes 63% afirmam ser bom, e 24% responderam ser regular. Gráfico 23 - Nível de Satisfação dos alunos egressos com as atividades práticas (laboratórios, informática, núcleo jurídico, etc.) proporcionados pelo curso. Quanto à satisfação dos alunos com a as atividades práticas (gráfico 22), percebe-se que 5% dos alunos concordam que foram excelentes 39% afirmam ser bom, 2% dos alunos egressos responderam ser regular. 7% afirmam que não se aplica. Gráfico 24 Nível de Satisfação dos alunos egressos com a pesquisa (iniciação científica). 15

16 Quanto à satisfação dos alunos com a pesquisa (iniciação científica) (gráfico 23), percebe-se que 8% dos alunos concordam que é excelente 40% afirmam ser bom, 25% dos alunos egressos responderam ser regular. 27% afirmam que não se aplica. Gráfico 25 Nível de Satisfação dos alunos egressos com a adequação física e do acervo da biblioteca para o pleno desenvolvimento das atividades acadêmicas. Quanto à satisfação dos alunos com a adequação física e do acervo da biblioteca, (gráfico 25), percebe-se que 20% dos alunos concordam que é excelente, 52% afirmam ser bom, e 25% dos alunos egressos responderam ser regular. Gráfico 26 Nível de Satisfação dos alunos egressos com os equipamentos de informática e áudio visual. 16

17 Quanto à satisfação dos alunos com os equipamentos de informática e áudio visual (gráfico 26), percebe-se que 7% dos alunos concordam que é excelente, 51% afirmam ser bom, e 40% dos alunos egressos responderam ser regular. Gráfico 27 Nível de Satisfação dos alunos egressos com as aulas/atividades ministradas pelos professores. Quanto à satisfação dos alunos com os equipamentos de informática e áudio visual (gráfico 27), percebe-se que 18% dos alunos concordam que é excelente, 69% afirmam ser bom, e 12% dos alunos egressos responderam ser regular. Gráfico 28 A vivência acadêmica, convivendo com os diferentes grupos sociais, intelectuais e étnico-raciais. 17

18 Quanto à vivência acadêmica, convivendo com os diferentes grupos sociais, intelectuais e étnico-raciais (gráfico 28), percebe-se que 23% dos alunos concordam que é excelente, 70% afirmam ser bom e 6% responderam ser regular. Gráfico 29 A sua efetiva participação no processo, ensino, aprendizagem. Quanto a sua efetiva participação no processo, ensino, aprendizagem (gráfico 29), percebe-se que 25% dos alunos concordam que é excelente, 64% afirmam ser bom e 10% responderam ser regular. Gráfico 30 Qual a sua situação profissional ao ingressar no curso? Do total de alunos egressos que responderam o questionário (gráfico 30), 78% estão empregados e 22% não estão empregados, conforme pode ser observado no gráfico a seguir. Gráfico 31 Média salarial 18

19 Do total de alunos egressos que responderam o questionário (gráfico 31), 30% recebem em até um salário mínimo, 48% de 1 a 3 salários mínimos, 12% de 4 a 6 salários mínimos, 4% de 7 a 10 salários mínimos e 2% acima de 10 salários mínimos, conforme pode ser observado no gráfico a seguir. Gráfico 32 Atualmente, qual a sua situação profissional? Do total de alunos egressos que responderam o questionário (gráfico 32), 84% estão empregados e 16% não estão empregados, conforme pode ser observado no gráfico a seguir. Gráfico 33 Quanto tempo transcorreu entre a sua formatura e seu primeiro emprego? 19

20 Quanto ao tempo transcorreu entre a sua formatura e seu primeiro emprego (gráfico 33), 76% responderam até 6 meses, 8% de 6 meses até 1 ano, 6% de 1 ano até 2 anos e 10% mais de 2 anos. Gráfico 34 Há relação entre a sua ocupação atual e a área de formação profissional? Quanto há relação entre a sua ocupação atual e a área de formação profissional (gráfico 34), percebe-se que 70% dos alunos afirmam que sim e 30% responderam que não. Gráfico 35 Você permanece na empresa onde trabalhava quando ingressou no curso? 20

21 Quanto à questão você permanece na empresa onde trabalhava quando ingressou no curso (gráfico 35), 40% dos alunos afirmaram que sim e 60% que não. Gráfico 36 Você atua no seu próprio negócio? Quanto à questão Você atua no seu próprio negócio (gráfico 36), 11% dos alunos egressos afirmaram que sim e 89% que não. Gráfico 37 Atualmente, qual é a sua média salarial? Do total de alunos egressos que responderam o questionário (gráfico 37), 14% recebem em até um salário mínimo, 43% de 1 a 3 salários mínimos, 22% de 4 a 6 salários mínimos, 16% de 7 a 10 salários mínimos e 5% acima de 10 salários mínimos, conforme pode ser observado no gráfico a seguir. Gráfico 38 Você está cursando Pós-graduação? 21

22 Quanto à questão Você está cursando Pós-graduação (gráfico 38), 20% dos alunos egressos afirmaram que sim e 80% que não. Gráfico 39 Em caso negativo, pretende cursar? Do total de alunos egressos que responderam o questionário (gráfico 39), 70% dos alunos afirmaram que sim e 11% responderam que não. Gráfico 40 Quais foram ou quais são as dificuldades encontradas no desempenho da profissão, em relação ao currículo cursado? Do total de alunos egressos que responderam o questionário (gráfico 40), 8% dos alunos afirmaram que a dificuldade encontra foi a carga horária teórica das disciplinas, em 22

23 um volume maior de 41% responderam que foi a carga horária prática das disciplinas, 10% dos alunos afirmaram que foi a pouca articulação entre as disciplinas, 14% responderam que foram as poucas flexibilizações na escolha de disciplinas de interresse e 27% falaram outra. Gráfico 41 Indique o grau de importância da competência empreendora para sua formação profissional. Quanto ao grau de importância da competência empreendora para sua formação profissional (gráfico 41), percebe-se que 57% dos alunos concordam que é muito importante, 33% afirmam ser importante, e 11% dos alunos egressos responderam ser pouco importante. Gráfico 42 Indique o grau de importância da competência de mudanças e inovação para sua formação profissional. Quanto ao grau de importância da competência de mudanças e inovação para sua formação profissional (gráfico 42), percebe-se que 58% dos alunos concordam que é muito importante, 39% afirmam ser importante, e 3% dos alunos egressos responderam ser pouco importante. 23

24 Gráfico 43 Indique o grau de importância da habilidade de liderança para sua formação profissional. Quanto ao grau de importância da habilidade de liderança para sua formação profissional (gráfico 43), percebe-se que 63% dos alunos concordam que é muito importante, 31% afirmam ser importante, e 5% dos alunos egressos responderam ser pouco importante. Gráfico 44 Indique o grau de importância da habilidade de relacionamento para sua formação profissional. Quanto ao grau de importância da habilidade de relacionamento para sua formação profissional (gráfico 44), percebe-se que 63% dos alunos concordam que é muito importante, 33% afirmam ser importante, e 5% dos alunos egressos responderam ser pouco importante. 24

25 Gráfico 45 Indique o grau de importância da habilidade de solução de problemas para sua formação profissional. Quanto ao grau de importância da habilidade de relacionamento para sua formação profissional (gráfico 45), percebe-se que 67% dos alunos concordam que é muito importante, 29% afirmam ser importante, e 4% dos alunos egressos responderam ser pouco importante. Gráfico 46 Indique o grau de importância da habilidade de negociação para sua formação profissional. Quanto ao grau de importância da habilidade de relacionamento para sua formação profissional (gráfico 46), percebe-se que 57% dos alunos concordam que é muito importante, 37% afirmam ser importante, e 5% dos alunos egressos responderam ser pouco importante. Gráfico 47 Qual o grau de importância de conhecimento específico que um profissional deve possuir. 25

26 Quanto ao grau de importância de conhecimento específico que um profissional deve possuir (gráfico 47), percebe-se que 65% dos alunos concordam que é muito importante, 31% afirmam ser importante, e 4% dos alunos egressos responderam ser pouco importante. Gráfico 48 Qual o grau de importância de conhecimentos gerais que um profissional deve possuir. Quanto ao grau de importância de conhecimentos gerais que um profissional deve possuir (gráfico 48), percebe-se que 64% dos alunos concordam que é muito importante, 34% afirmam ser importante, e 1% dos alunos egressos responderam ser pouco importante. Gráfico 49 Qual o grau de importância da visão ampla, profunda e articulada com as áreas de conhecimento, que um profissional deve possuir. 26

27 Quanto ao grau de importância da visão ampla, profunda e articulada com as áreas de conhecimento, que um profissional deve possuir (gráfico 49), percebe-se que 73% dos alunos concordam que é muito importante, 24% afirmam ser importante, e 1% dos alunos egressos responderam ser pouco importante. Gráfico 50 Qual o grau de importância do saber o que fazer e como fazer, que um profissional deve possuir. Quanto ao grau de importância do saber o que fazer e como fazer, que um profissional deve possuir (gráfico 50), percebe-se que 78% dos alunos concordam que é muito importante, 19% afirmam ser importante, e 2% dos alunos egressos responderam ser pouco importante. Gráfico 51 A imagem da Faculdade Politécnica de Uberlândia interferiu na sua inserção no mercado de trabalho. 27

28 Quanto à imagem da Faculdade Politécnica de Uberlândia interferiu na sua inserção no mercado de trabalho (gráfico 51), percebe-se que 78% dos alunos concordam que é muito importante, 19% afirmam ser importante, e 2% dos alunos egressos responderam ser pouco importante. Gráfico 52 Você recomendaria a Faculdade Politécnica de Uberlândia? Quanto à questão Você recomendaria a Faculdade Politécnica de Uberlândia (gráfico 52), percebe-se que 80% dos alunos egressos recomendariam sim e 20% não. 28

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS Aprovado na Reunião do CONASU em 21/01/2015. As Faculdades Integradas Ipitanga FACIIP consciente da importância do acompanhamento de seus egressos, possui um canal

Leia mais

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS - PAE

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS - PAE CENTRO DE ENSINO ATENAS MARANHENSE FACULDADE ATENAS MARANHESE DIREÇÃO ACADÊMICA CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS - PAE SÃO LUIS MA 2009 DIRETORIA ACADÊMICA Diretor

Leia mais

CURSO = Administração - FIC

CURSO = Administração - FIC Sua Vez qualidade do atendimento. 23 Ausente 1 Média 4,00 Modelo padrão,953 Sua Vez qualidade do atendimento. a 1 1 4,2 4,3 4,3 3 4 16,7 17,4 21,7 4 11 45,8 47,8 69,6 5 7 29,2 30,4 100,0 Total 23 95,8

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2014/01 a 2014/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Análise

Leia mais

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização

DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização DIMENSÃO 2: - Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão - Respectivas normas de operacionalização 2.1 - GRADUAÇÃO 2.1.1. Descrição do Ensino de Graduação na UESC Cursos: 26 cursos regulares

Leia mais

IESG - INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GARÇA LTDA. Rua América, 281 Garça/SP CEP 17400-000 (14) 3407-2505 www.uniesp.edu.br/garca

IESG - INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GARÇA LTDA. Rua América, 281 Garça/SP CEP 17400-000 (14) 3407-2505 www.uniesp.edu.br/garca IESG - INSTITUTO DE ENSINO SUPERIOR DE GARÇA LTDA. Rua América, 281 Garça/SP CEP 17400-000 (14) 3407-2505 www.uniesp.edu.br/garca PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DOS EGRESSOS O Instituto de Ensino de Garça,

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO INTRODUÇÃO PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO (PPC) Articulação com o Plano de Desenvolvimento Institucional PDI Projeto Político Pedagógico Indissociabilidade entre ensino, pesquisa

Leia mais

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2º RELATÓRIO PARCIAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente Antônio Carlos Mantida: Faculdade Presidente Antônio Carlos de Araguari

Leia mais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais

PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais PROJETO DE CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU Gestão e Relações Internacionais IDENTIFICAÇÃO DO CURSO Curso de Especialização em Gestão e Relações Internacionais Área de Conhecimento: Ciências Sociais Aplicadas

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA INSTITUCIONAL: Avaliação dos alunos egressos de Direito

RELATÓRIO DE PESQUISA INSTITUCIONAL: Avaliação dos alunos egressos de Direito RELATÓRIO DE PESQUISA INSTITUCIONAL: Avaliação dos alunos egressos de Direito CARIACICA-ES ABRIL DE 2011 FACULDADE ESPÍRITO SANTENSE DE CIÊNCIAS JURÍDICAS Pesquisa direcionada a alunos egressos dos cursos

Leia mais

FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CORPO DOCENTE - 2014.1

FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CORPO DOCENTE - 2014.1 FACULDADE INTERNACIONAL DO DELTA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA QUESTIONÁRIO DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CORPO DOCENTE - 2014.1 A Comissão Própria de Avaliação (CPA) é o órgão responsável por coordenar,

Leia mais

Acompanhamento de egressos e criação de oportunidades de formação

Acompanhamento de egressos e criação de oportunidades de formação Acompanhamento de egressos e criação de oportunidades de formação A Universidade de Mogi das Cruzes UMC possui uma política de acompanhamento de egressos que se iniciou em 1998 ao constituir um banco de

Leia mais

PROPAV COCENAI RELATÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

PROPAV COCENAI RELATÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PROPAV COCENAI RELATÓRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Introdução O PROPAV foi instituído para permitir à Universidade uma revisão geral de seus cursos e métodos de ensino, buscando a opinião dos docentes e discentes

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES O Diretor da FAPE Faculdade de Presidente Epitácio, no uso de suas atribuições, faz divulgar o presente

Leia mais

Bacharelado em Humanidades

Bacharelado em Humanidades UNIVERSIDADE DA INTEGRAÇÃO INTERNACIONAL DA LUSOFONIA AFRO-BRASILEIRA PRÓ-REITORIA DE GRADUAÇÃO COORDENAÇÃO DE ENSINO COORDENAÇÃO DE CURSO Bacharelado em Humanidades 1. Perfil do Egresso Em consonância

Leia mais

DISCIPLINA: ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES (AAC)

DISCIPLINA: ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES (AAC) Escola de Enfermagem Wenceslau Braz DISCIPLINA: ATIVIDADES ACADÊMICAS COMPLEMENTARES (AAC) INTRODUÇÃO O Projeto Pedagógico do Curso de Enfermagem da Escola de Enfermagem Wenceslau Braz (EEWB) da cidade

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC

PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC 1 PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO - PPC O PPC, Projeto Pedagógico de Curso, é o instrumento de concepção de ensino e aprendizagem de um curso e apresenta características de um projeto, no qual devem ser definidos

Leia mais

ASSOCIACAO EDUCACIONAL DE ENSINO SUPERIOR UNIAO DAS FACULDADES DOS GRANDES LAGOS RELATÓRIO GERAL DE REPOSTA DE PROFESSORES. 2º SEMESTRE DE 2013

ASSOCIACAO EDUCACIONAL DE ENSINO SUPERIOR UNIAO DAS FACULDADES DOS GRANDES LAGOS RELATÓRIO GERAL DE REPOSTA DE PROFESSORES. 2º SEMESTRE DE 2013 ASSOCIACAO EDUCACIONAL DE ENSINO SUPERIOR UNIAO DAS FACULDADES DOS GRANDES LAGOS RELATÓRIO GERAL DE REPOSTA DE PROFESSORES. 2º SEMESTRE DE 2013 1.1 Organização Institucional Q1 Cumprimento da missão da

Leia mais

Documento orientador de um curso que traduz as políticas acadêmicas institucionais

Documento orientador de um curso que traduz as políticas acadêmicas institucionais Documento orientador de um curso que traduz as políticas acadêmicas institucionais Construção coletiva a partir das experiências, coordenada pelo Colegiado do Curso de Graduação (art. 34 do Regimento Geral

Leia mais

Acompanhamento de egressos e criação de oportunidades de formação

Acompanhamento de egressos e criação de oportunidades de formação Acompanhamento de egressos e criação de oportunidades de formação A Universidade de Mogi das Cruzes UMC possui uma política de acompanhamento de egressos que se iniciou em 1998 ao constituir um banco de

Leia mais

Instrumento: Docentes

Instrumento: Docentes COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CAMPUS PRESIDENTE EPITÁCIO CURSO: TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Resultado da Autoavaliação Institucional Instrumento: Docentes Presidente Epitácio -

Leia mais

Al. dos Pamaris, 308 Moema São Paulo / SP - CEP: 04086-020 Fone: 11 5535-1397 Fax: 11 5531-5988 www.humus.com.br

Al. dos Pamaris, 308 Moema São Paulo / SP - CEP: 04086-020 Fone: 11 5535-1397 Fax: 11 5531-5988 www.humus.com.br PALESTRAS E CURSOS IN COMPANY PARA O ENSINO SUPERIOR ACADÊMICOS A Coordenação de Curso e sua Relevância no Processo de Competitividade e Excelência da IES Acessibilidade: requisito legal no processo de

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CURSO DE GRADUAÇÃO PRESENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Identificação do Curso Nome do Curso: Sistemas de Informação Titulação: Bacharelado Modalidade de ensino: Presencial

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM DESIGN DE MODA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 Curso Superior em Tecnologia em Design de Moda Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2014/01 a 2014/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Análise dos resultados

Leia mais

Faculdade Escola Paulista de Direito

Faculdade Escola Paulista de Direito REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO São Paulo 2014 ESCOLA PAULISTA DE DIREITO REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO ATIVIDADES COMPLEMENTARES As atividades

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2014/01 a 2014/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Análise dos resultados

Leia mais

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de GESTÃO E LIDERANÇA EM INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO

Aprovação do curso e Autorização da oferta. PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO FIC de GESTÃO E LIDERANÇA EM INSTITUIÇÕES PÚBLICAS DE ENSINO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA CÂMPUS LAGES Aprovação do curso e Autorização da oferta PROJETO

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.

ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados. PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com. ENADE e CPC Como compreender seu desempenho e estratégias de melhoria de resultados PROF. AMÉRICO DE ALMEIDA FILHO aalmeidaf@yahoo.com.br CPC Conceito Preliminar de Curso 1 - Nota dos Concluintes no ENADE

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTOAVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2014/01 a 2014/02 APRESENTAÇÃO O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão.

MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES. Coordenação de Estágio e Trabalho de Conclusão. MANUAL DE ESTÁGIO CIÊNCIAS CONTÁBEIS Profa. LUCIANE ALVES FERNANDES Porto Alegre/RS 2014 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. O ESTÁGIO... 3 3. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL DO ESTÁGIO... 3 4. OBJETIVOS DO ESTÁGIO... 3

Leia mais

PROGRAMA DE ESTÁGIO 2013

PROGRAMA DE ESTÁGIO 2013 PROGRAMA DE ESTÁGIO 2013 Estamos em busca de jovens talentos! Cavalcante Ramos Advogados através do seu programa de estágio tem como objetivo proporcionar ao estagiário o conhecimento das rotinas forenses

Leia mais

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE NIVELAMENTO CAPÍTULO I DA NATUREZA

FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE NIVELAMENTO CAPÍTULO I DA NATUREZA FACULDADE MORAES JÚNIOR MACKENZIE RIO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE NIVELAMENTO CAPÍTULO I DA NATUREZA Art. 1º. A Faculdade Moraes Júnior Mackenzie Rio FMJ Mackenzie Rio, proporcionará aulas de Nivelamento

Leia mais

Introdução à Engenharia de Controle e Automação

Introdução à Engenharia de Controle e Automação Introdução à Engenharia de Controle e Automação O CURSO DE ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO DA FACIT Renato Dourado Maia Faculdade de Ciência e Tecnologia de Montes Claros Fundação Educacional Montes

Leia mais

RELATÓRIO GERAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2014

RELATÓRIO GERAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2014 RELATÓRIO GERAL AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2014 2014 Dados da Instituição FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS DO SUL DE MINAS - FACESM Código: 508 Faculdade privada sem fins lucrativos Estado: Minas Gerais

Leia mais

Reitor Prof. Dr. Reinaldo Centoducatte. Vice-Reitora Profª. Drª. Ethel Leonor Noia Maciel

Reitor Prof. Dr. Reinaldo Centoducatte. Vice-Reitora Profª. Drª. Ethel Leonor Noia Maciel Reitor Prof. Dr. Reinaldo Centoducatte Vice-Reitora Profª. Drª. Ethel Leonor Noia Maciel PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Pró-Reitoria de Graduação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*)

RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) RESOLUÇÃO Nº 6, DE 10 DE MARÇO DE 2004 (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Ciências Contábeis, bacharelado, e dá outras providências. O Presidente da Câmara de Educação

Leia mais

O Curso de Administração da ESAG. Prof. Dr. Nério Amboni (ESAG/UDESC) 2011.2

O Curso de Administração da ESAG. Prof. Dr. Nério Amboni (ESAG/UDESC) 2011.2 O Curso de Administração da ESAG Prof. Dr. Nério Amboni (ESAG/UDESC) 2011.2 Missão da ESAG A ESAG tem por missão realizar o ensino, a pesquisa, a extensão, de modo articulado, a fim de contribuir na formação

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO BELAS ARTES DE SÃO PAULO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO

CENTRO UNIVERSITÁRIO BELAS ARTES DE SÃO PAULO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO CENTRO UNIVERSITÁRIO BELAS ARTES DE SÃO PAULO CURSO DE ARQUITETURA E URBANISMO CACCAU Centro de Atividades Complementares do Curso de Arquitetura e Urbanismo REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Nas

Leia mais

PROPAV COCENAI RELATÓRIO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL: GESTÃO DA COMUNICAÇÃO INTEGRADA. (Habilitações: Jornalismo e Publicidade e Propaganda )

PROPAV COCENAI RELATÓRIO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL: GESTÃO DA COMUNICAÇÃO INTEGRADA. (Habilitações: Jornalismo e Publicidade e Propaganda ) PROPAV COCENAI RELATÓRIO CURSO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL: GESTÃO DA COMUNICAÇÃO INTEGRADA. (Habilitações: Jornalismo e Publicidade e Propaganda ) Introdução O PROPAV foi instituído para permitir à Universidade

Leia mais

O Ingresso de Engenheiros Recém-formados no Mercado de Trabalho Brasileiro Análise geral das respostas recebidas. Sexo.

O Ingresso de Engenheiros Recém-formados no Mercado de Trabalho Brasileiro Análise geral das respostas recebidas. Sexo. Sexo Faixa Etária Feminino 24% Mais de 39 anos 30-39 anos 2,8% 20,2% Masculino 76% 25-29 anos 20-24 anos 34,0% 42,6% Menos de 20 anos 0,4% Total de respostas: 500 Total de respostas: 500 Perfil profissional

Leia mais

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação

Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Diretrizes curriculares nacionais e os projetos pedagógicos dos cursos de graduação Curso de Atualização Pedagógica Julho de 2010 Mediador: Adelardo Adelino Dantas de Medeiros (DCA/UFRN) Diretrizes Curriculares

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Dados de Identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo

Leia mais

O MBA CONTROLLER foi lançado em 1994 e é o mais tradicional MBA do mercado brasileiro

O MBA CONTROLLER foi lançado em 1994 e é o mais tradicional MBA do mercado brasileiro MBA Controller Ao cursar o MBA CONTROLLER FIPECAFI/ANEFAC, o aluno convive com pessoas de diferentes perfis entre os mais diversos segmentos de mercado e com a experiência profissional exigida para que

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS APLICADOS A GESTÃO EMPRESARIAL

PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS APLICADOS A GESTÃO EMPRESARIAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO CAMPUS UBERLÂNDIA CENTRO COORDENAÇÃO DE PESQUISA, PÓS-GRADUAÇÃO E INOVAÇÃO PÓS-GRADUAÇÃO

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE PSICOLOGIA

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE PSICOLOGIA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE PSICOLOGIA 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor POTENC. PTO. A MELHOR. FRAGIL. 1 -

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENFERMAGEM UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE ENFERMAGEM 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor 1 - O professor comparece com regularidade

Leia mais

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE FISIOTERAPIA

UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE FISIOTERAPIA UNIVERSIDADE DE RIO VERDE CPA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO DE AUTOAVALIAÇÃO 2011 2012 FACULDADE DE FISIOTERAPIA 1 Dimensão 2 - Acadêmico avaliando professor POTENC. PTO. A MELHOR. FRAGIL. 1

Leia mais

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia

Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia Universidade do Vale do Paraíba Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas e Comunicação Curso Superior de Tecnologia em Gastronomia PASSO A PASSO PARA ATIVIDADES PRÁTICAS COMPLEMENTARES São atividades obrigatórias

Leia mais

Data 2008 BLOCO I INFORMAÇÕES GERAIS

Data 2008 BLOCO I INFORMAÇÕES GERAIS COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA/FACESA INSTRUMENTO DE COLETA DE DADOS SEGMENTO: ALUNOS Data 2008 CURSO: Enfermagem / TURNO: Matutino SEMESTRE: Primeiro BLOCO I INFORMAÇÕES GERAIS P1. Sexo A) ( ) Feminino

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIADA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIADA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIADA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2013/01 a 2013/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Diagnóstico geral

Leia mais

Projeto Pedagógico do Curso

Projeto Pedagógico do Curso Projeto Pedagógico do Curso Fundamentação Diretrizes curriculares do MEC Diretrizes curriculares da SBC Carta de Princípios da UNICAP Projeto Pedagógico Institucional da UNICAP Diretrizes Curriculares

Leia mais

PROPAV COCENAI RELATÒRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO COM HABILITAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR. Introdução 3DUWH&217(;78$/,=$d 2'$%$6('($78$dÆ2'$68%&20,66 2

PROPAV COCENAI RELATÒRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO COM HABILITAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR. Introdução 3DUWH&217(;78$/,=$d 2'$%$6('($78$dÆ2'$68%&20,66 2 PROPAV COCENAI RELATÒRIO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO COM HABILITAÇÃO EM COMÉRCIO EXTERIOR Introdução 3DUWH&217(;78$/,=$d 2'$%$6('($78$dÆ2'$68%&20,66 2,%$6('($78$d 2'$68%&20,66 2,&XUVRVGHJUDGXDomRRIHUHFLGRVQDiUHDGD6XEFRPLVVmR

Leia mais

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do

crítica na resolução de questões, a rejeitar simplificações e buscar efetivamente informações novas por meio da pesquisa, desde o primeiro período do Dimensão 2 As políticas para o ensino, a pesquisa, a pós-graduação, a extensão e as respectivas normas de operacionalização, incluídos os procedimentos para estímulo à produção acadêmica, as bolsas de

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008.

CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. CURSO DE GRADUAÇÃO TECNOLÓGICA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS RECONHECIDO conforme PORTARIA nº 295, de 25 de Junho de 2008. Título: Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Turno: Noturno

Leia mais

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO

NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO NORMATIZAÇÃO E REGULAÇÃO DOS DOCUMENTOS OFICIAIS DAS INSTITUIÇÕES DE EDUCAÇÃO SUPERIOR LASSALISTA CURSOS DE GRADUAÇÃO PROVÍNCIA LA SALLE BRASIL - CHILE APRESENTAÇÃO O Setor de Educação Superior da Província

Leia mais

PROGRAMA DE COOPERAÇÃO CAPES/BRANETEC R E L A T Ó R I O

PROGRAMA DE COOPERAÇÃO CAPES/BRANETEC R E L A T Ó R I O PROGRAMA DE COOPERAÇÃO CAPES/BRANETEC R E L A T Ó R I O 1. DADOS PESSOAIS: 1.1 Nome Completo: 1.2. CPF: 1.3. Passaporte/Identidade: 1.4. Sexo: F ( ) M ( ) 1.5. Data de Nascimento: 1.6. Local de Nascimento:

Leia mais

PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2. Noturno

PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2. Noturno PROPOSTA CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS 2012.2 DENOMINAÇÃO: PORTARIA DE AUTORIZAÇÃO: PORTARIA DE RECONHECIMENTO: REGIME ESCOLAR: NÚMERO DE VAGAS ANUAIS: TURNOS DE FUNCIONAMENTO: NÚMERO DE ALUNOS POR TURMA:

Leia mais

INSTITUTO METROPOLITANO DE ENSINO SUPERIOR NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO EM EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

INSTITUTO METROPOLITANO DE ENSINO SUPERIOR NÚCLEO DE ASSESSORAMENTO EM EDUCAÇÃO PERMANENTE EM SAÚDE ATIVIDADES COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES A partir das Diretrizes Curriculares dos Cursos de Graduação do Ministério da Educação, as Atividades Complementares passaram a figurar como importante componente dos Cursos Superiores

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS 1 REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art.1º O presente regulamento tem por finalidade estabelecer normas para a realização e o registro das Atividades Complementares nos

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS BAMBUÍ

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS BAMBUÍ INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE MINAS GERAIS CAMPUS BAMBUÍ RELATÓRIO DO QUESTIONÁRIO APLICADO AO CURSO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO II SEMESTRE/2014 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO (CPA)

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

O FUTURO PROFISSIONAL DOS TÉCNICOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS CAMBORIÚ

O FUTURO PROFISSIONAL DOS TÉCNICOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS CAMBORIÚ O FUTURO PROFISSIONAL DOS TÉCNICOS DO INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE CÂMPUS CAMBORIÚ Caroline Estercio 1 ; Valéria Machado 2 ; Roberta Raquel 3 RESUMO O presente trabalho tem como objetivo identificar o

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

RELATÓRIO FINAL DO I FÓRUM DE DEBATES SOBRE QUALIFICAÇÃO E REQUALlFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE SECRETARIADO

RELATÓRIO FINAL DO I FÓRUM DE DEBATES SOBRE QUALIFICAÇÃO E REQUALlFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE SECRETARIADO RELATÓRIO FINAL DO I FÓRUM DE DEBATES SOBRE QUALIFICAÇÃO E REQUALlFICAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE SECRETARIADO Realizado em 29 de agosto de 2002, em Recife/PE, durante o XIII Congresso Nacional de Secretariado.

Leia mais

Parágrafo Único. As Atividades Complementares não se confundem com as disciplinas do Curso de Direito.

Parágrafo Único. As Atividades Complementares não se confundem com as disciplinas do Curso de Direito. REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO Dispõe sobre as Atividades Complementares do Curso de Direito do Centro Universitário do Cerrado-Patrocínio UNICERP. Capítulo I Das Disposições

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014/2018

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014/2018 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO 2014/2018 CURSO DE ENGENHARIA INDUSTRIAL MADEIREIRA 1 PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DA UNIDADE 2014/2018 APRESENTAÇÃO O Curso de Engenharia Industrial Madeireira da UFPR foi criado

Leia mais

ESTÁGIO CURRICULAR. Segue descrito abaixo o Regulamento de Estágio Curricular. REGULAMENTO DE ESTÁGIO PARA INICIAÇÃO PROFISSIONAL

ESTÁGIO CURRICULAR. Segue descrito abaixo o Regulamento de Estágio Curricular. REGULAMENTO DE ESTÁGIO PARA INICIAÇÃO PROFISSIONAL ESTÁGIO CURRICULAR Segue descrito abaixo o Regulamento de Estágio Curricular. REGULAMENTO DE ESTÁGIO PARA INICIAÇÃO PROFISSIONAL Introdução O presente Regulamento constitui um documento interno do curso

Leia mais

Comissão Própria de Avaliação - CPA

Comissão Própria de Avaliação - CPA AVALIAÇÃO DO CEFET-RJ PELOS DISCENTES -2010/2 A avaliação das Instituições de Educação Superior tem caráter formativo e visa o aperfeiçoamento dos agentes da comunidade acadêmica e da Instituição como

Leia mais

FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE CONSELHEIRO LAFAIETE

FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE CONSELHEIRO LAFAIETE 1 FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE CONSELHEIRO LAFAIETE RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO (Síntese dos resultados) COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA Mantenedora: Fundação Presidente

Leia mais

PUBLICIDADE E PROPAGANDA

PUBLICIDADE E PROPAGANDA PUBLICIDADE E PROPAGANDA Nome IES: UNIVERSIDADE DE CUIABÁ - UNIC 1 CURSO: AGRONOMIA Dados de identificação da Universidade de Cuiabá - UNIC Dirigente da Mantenedora Presidente: Ed. Rodrigo Calvo Galindo

Leia mais

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES

REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES REGULAMENTO DE ATIVIDADES COMPLEMENTARES Art. 1º. O presente Regulamento baseia-se na obrigatoriedade do cumprimento de horas destinadas as Atividades Complementares dos Cursos de Graduação da Faculdade

Leia mais

Consulta Pública para aprimoramento do. Instrumento de Acreditação das Escolas Médica

Consulta Pública para aprimoramento do. Instrumento de Acreditação das Escolas Médica Consulta Pública para aprimoramento do Instrumento de Acreditação das Escolas Médica Estamos disponibilizando para sugestões, avaliação e comentários o instrumento que será utilizado para a acreditação

Leia mais

CNS - ISERJ: RETRATOS DA RESISTÊNCIA DISCENTE. Palavras-chave: Curso Normal Superior (CNS), perfil, pretensões e motivações.

CNS - ISERJ: RETRATOS DA RESISTÊNCIA DISCENTE. Palavras-chave: Curso Normal Superior (CNS), perfil, pretensões e motivações. 24 CNS - ISERJ: RETRATOS DA RESISTÊNCIA DISCENTE Profª Ms Angela Maria Venturini Instituto Superior de Educação do Rio de Janeiro/ISERJ RESUMO O Curso Normal Superior (CNS) do Instituto Superior de Educação

Leia mais

FORMULÁRIO PARA A CONSOLIDAÇÃO DAS QUESTÕES ABERTAS

FORMULÁRIO PARA A CONSOLIDAÇÃO DAS QUESTÕES ABERTAS 1 FORMULÁRIO PARA A CONSOLIDAÇÃO DAS ABERTAS COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇAO INSTITUCIONAL CPA FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE CONGONHAS Responderam a este primeiro grupo de questões abertas

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE BACHARELADO E LICENCIATURA DA UTFPR Resolução

Leia mais

ATIVIDADES COMPLEMENTARES

ATIVIDADES COMPLEMENTARES ATIVIDADES COMPLEMENTARES A partir das Diretrizes Curriculares, as Atividades Complementares constituem-se, também, em um dos componentes dos Cursos Superiores. As Diretrizes Curriculares objetivam servir

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 05/12 CAEPE

RESOLUÇÃO Nº 05/12 CAEPE RESOLUÇÃO Nº 05/12 CAEPE REVOGA A PORTARIA N.º 26/10 E DISPÕE SOBRE AS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE GRADUAÇÃO DOS CURSOS SUPERIORES DA FACULDADE DE TECNOLOGIA TECBRASIL FTECBRASIL O de Conselho de Administração,

Leia mais

Administração. Curso de Graduação Bacharelado em

Administração. Curso de Graduação Bacharelado em Curso de Graduação Bacharelado em Administração O curso de Administração está enquadrado como uma ciência social aplicada. Estuda-se em profundidade técnicas e instrumentos analíticos, além de simulações

Leia mais

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social

ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social ORGANIZAÇÃO CURRICULAR do Curso de Serviço Social O Projeto pedagógico do Curso de Serviço Social do Pólo Universitário de Rio das Ostras sua direção social, seus objetivos, suas diretrizes, princípios,

Leia mais

www.pucrs.br/pos *AVALIAÇÃO CAPES POR QUE A PUCRS?

www.pucrs.br/pos *AVALIAÇÃO CAPES POR QUE A PUCRS? A Pós-Graduação da PUCRS é a porta de entrada para um novo momento da sua vida profissional e acadêmica. Você pode ampliar habilidades, fomentar ideias e adquirir conhecimento com experiências inovadoras

Leia mais

APÊNDICE 1 QUESTIONÁRIO PARA O/A PROFESSOR/A DE GEOGRAFIA ENSINO MÉDIO

APÊNDICE 1 QUESTIONÁRIO PARA O/A PROFESSOR/A DE GEOGRAFIA ENSINO MÉDIO APÊNDICE 1 QUESTIONÁRIO PARA O/A PROFESSOR/A DE GEOGRAFIA MÉDIO Código: E P 1ª PARTE SEXO: ( ) FEMININO ( ) MASCULINO FAIXA ETÁRIA: ( ) menos de 25 anos de idade ( ) entre 26 e 35 anos de idade ( ) entre

Leia mais

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido)

PROJETO POLÍTICO PEDAGÓGICO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. (Resumido) FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS E ADMINISTRATIVAS DE CACHOEIRO DE ITAPEMIRIM ES Curso de Administração reconhecido pelo Decreto Federal nº 78.951, publicado no D.O.U. de 16-12-1976 Curso de Ciências Contábeis

Leia mais

AS PERSPECTIVAS DA PROFISSÃO CONTÁBIL PARA OS FORMANDOS EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO INSTITUTO DE ESTUDOS SUPERIORES DA AMAZÔNIA IESAM

AS PERSPECTIVAS DA PROFISSÃO CONTÁBIL PARA OS FORMANDOS EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO INSTITUTO DE ESTUDOS SUPERIORES DA AMAZÔNIA IESAM AS PERSPECTIVAS DA PROFISSÃO CONTÁBIL PARA OS FORMANDOS EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS DO INSTITUTO DE ESTUDOS SUPERIORES DA AMAZÔNIA IESAM Lidiane Nazaré da Silva Dias Instituto de Estudos Superiores da Amazônia

Leia mais

A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição.

A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição. A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição. TURMA 3 Master in Business Administration Especialização Lato-Sensu GESTÃO ESTRATÉGICA DA PRODUÇÃO E QUALIDADE GESTÃO FARMACEUTICA EMPRESARIAL

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS INEP

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS INEP MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS INEP Alunos apontam melhorias na graduação Aumenta grau de formação dos professores e estudantes mostram que cursos possibilitam

Leia mais

APRESENTAÇÃO ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO DA FFB

APRESENTAÇÃO ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO DA FFB APRESENTAÇÃO ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO DE DIREITO DA FFB As Atividades Complementares constituem um conjunto de estratégias pedagógicas-didáticas que permitem, no âmbito do currículo, a articulação

Leia mais

A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição.

A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição. A escolha é sempre sua. O conhecimento é a nossa contribuição. TURMA 3 Master in Business Administration Especialização Lato-Sensu GESTÃO ESTRATÉGICA DA PRODUÇÃO E QUALIDADE GESTÃO FARMACEUTICA EMPRESARIAL

Leia mais

FACULDADE CENECISTA DE SETE LAGOAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE CENECISTA DE SETE LAGOAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE CENECISTA DE SETE LAGOAS CURSO DE ADMINISTRAÇÃO PROJETO INTEGRADOR 1º SEMESTRE DE 2015 1 - APRESENTAÇÃO O projeto integrador possibilita a visão crítica e integrada dos conhecimentos, buscando

Leia mais

31956 Monografia II 31926

31956 Monografia II 31926 Currículo Novo 2006/01 Duração: 182 créditos 2.730h, acrescidas de 270h de atividades complementares, totalizando 3.000h 31544 Teoria das Organizações I - 31554 Matemática I - 31564 Teoria das Organizações

Leia mais

ROLL DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

ROLL DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO ROLL DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO DISCIPLINAS CARGA HORÁRIA Linguagem e Interpretação de Texto 80 Contabilidade I 80 Economia 80 Matemática 80 Teoria Geral da Administração

Leia mais

CURSO DE GRADUAÇÃO EM TURISMO (BACHARELADO)

CURSO DE GRADUAÇÃO EM TURISMO (BACHARELADO) CURSO DE GRADUAÇÃO EM TURISMO (BACHARELADO) O Curso de Graduação em Turismo da Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ibitinga foi reformulado no ano de 2008, tendo a proposta de adaptação do seu

Leia mais

DIREITO. Pós-Graduação

DIREITO. Pós-Graduação DIREITO Pós-Graduação QUEM SOMOS PARA PESSOAS QUE TÊM COMO OBJETIVO DE VIDA ATUAR LOCAL E GLOBALMENTE, SER EMPREENDEDORAS, CONECTADAS E BEM POSICIONADAS NO MERCADO, PROPORCIONAMOS UMA FORMAÇÃO DE EXCELÊNCIA,

Leia mais

REGULAMENTO INTERNO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES FACESA

REGULAMENTO INTERNO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES FACESA REGULAMENTO INTERNO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES FACESA CAPÍTULO I DAS DEFINIÇÕES DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES Art.1º. As atividades complementares são componentes curriculares que possibilitam o reconhecimento,

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. Capítulo I Das Disposições Gerais

REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS. Capítulo I Das Disposições Gerais REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Dispõe sobre as Atividades Complementares do Curso Superior de Tecnologia em Análise e

Leia mais

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL

APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL APRESENTAÇÃO INSTITUCIONAL UNIDADE SANTO AMARO São Paulo, fevereiro de 2012 NOSSA MISSÃO Proporcionar acesso a um ensino de qualidade para diferentes segmentos da população, criando vínculos fortes e duradouros

Leia mais

Metodologia e Amostra

Metodologia e Amostra Metodologia e Amostra Pesquisa quantitativa, com aplicação de questionário estruturado através de entrevistas pessoais. Objetivo Geral Levantar o nível de satisfação dos estudantes com relação às FATECs

Leia mais