VICE-PRESIDENTE DA FIESP PRESIDENTE DO CONSIC CONSELHO SUPERIOR DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PRESIDENTE DO SINPROCIM / SINAPROCIM

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "VICE-PRESIDENTE DA FIESP PRESIDENTE DO CONSIC CONSELHO SUPERIOR DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PRESIDENTE DO SINPROCIM / SINAPROCIM"

Transcrição

1 PALESTRA: ENGº. JOSÉ CARLOS DE OLIVEIRA LIMA VICE-PRESIDENTE DA FIESP PRESIDENTE DO CONSIC CONSELHO SUPERIOR DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO PRESIDENTE DO SINPROCIM / SINAPROCIM 1

2 A FIESP REPRESENTA MAIS DE 100 ENTIDADES DA CADEIA PRODUTIVA DA CONSTRUÇÃO DESDE PROJETOS OU EXTRAÇÃO DE MINÉRIOS. NOSSAS AÇÕES ESTÃO VOLTADAS PARA O FOMENTO DO SETOR E NAS ESTRATÉGIAS DOS NEGÓCIOS, JUNTO COM AS AUTORIDADES BRASILEIRAS E AS COMUNIDADES INTERNACIONAIS. 2

3 NO BRASIL, A CADEIA PRODUTIVA GRANDE RELEVANCIA, POIS PIB, OU SEJA - DE TODA DA REPRESENTA CONSTRUÇÃO, MAIS DE A RIQUEZA PRODUZIDA NO 12% É DE DO BRASIL DISTRIBUÍDOS DA SEGUINTE FORMA: CONSTRUÇÃO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO MÁQUINAS E QUIPAMENTOS SERVIÇOS OUTROS MATERIAIS 3

4 APRESENTAMOS ESTUDO EM 29 DE NOVEMBRO/11, NA FIESP, QUE PROPÕE UMA POLÍTICA DE UM GRANDE ESTADO A MÉDIO E LONGO PRAZO. COM AÇÕES QUE ULTRAPASSAM OS EVENTOS COPA E OLIMPIADAS TANTO EM QUESTÕES HABITACIONAIS, COMO EM INFRAESTRUTURA, NOSSO OBJETIVO É COLOCAR O PAÍS ENTRE AS 5 PRINCIPAIS ECONOMIAS MUNDIAIS ATÉ

5 HÁ POUCO MAIS DE UMA DÉCADA, TÍNHAMOS ESTES PROBLEMAS: O BRASIL ENFRENTAVA CRISES ASIÁTICAS E RUSSAS, QUE CONTAGIAVAM OS PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO, ALÉM DO ARRISCADO CENÁRIO DE INVESTIMENTO. HOJE JÁ É DIFERENTE. COM AS AÇÕES RÁPIDAS DAS AUTORIDADES BRASILEIRAS E A RESPOSTA DO SETOR NO PERÍODO DA CRISE, ENTRAMOS NA ROTA DO DESENVOLVIMENTO CONTÍNUO. TRANSFORMANDO O BRASIL EM UM CELEIRO DE OPORTUNIDADES TEMOS MUITO AINDA O QUE FAZER, POR ISSO, PLANEJAMOS NOVAS METAS DE INVESTIMENTOS. COM ABERTURA, TAMBÉM, PARA OS INVESTIDORES INTERNACIONAIS TANTO NA HABITAÇÃO COMO NA INFRAESTRUTURA 5

6 A SITUAÇÃO ATUAL OPORTUNIDADES, QUE E PROJEÇÕES FUTURAS, ULTRAPASSAM OS EVENTOS GERAM DA COPA E OLIMPÍADAS 6

7 COM RELAÇÃO A HABITAÇÃO, TEMOS UM CENÁRIO INTERESSANTE 7

8 A FAIXA ETÁRIA DA POPULAÇÃO ECONOMICAMENTE ATIVA ESTÁ MUDANDO. TEMOS UMA NOVA DINÂMICA FAMILIAR. MAIS JOVENS ESTÃO CONSTITUINDO FAMÍLIAS. NA ECONOMIA E NO MERCADO DE TRABALHO, CRESCE A PARTICIPAÇÃO DA MULHER. RESULTANDO UM MELHOR PLANEJAMENTO FAMILIAR, E HABITAÇÕES COM MENOS PESSOAS. TUDO ISSO, PROVOCA, FORTE EXPANSÃO DA DEMANDA POR NOVAS MORADIAS. 8

9 A NOSSA ATUAL REALIDADE ECONOMICA E SOCIAL POSITIVA. É BASTANTE VIVEMOS ATUALMENTE UMA DIMINUIÇÃO DA DESIGUALDADE DAS CLASSES SOCIAIS E AUMENTANDO DA RENDA DA POPULAÇÃO ISSO É MOBILIDADE SOCIAL 9

10 PORÉM O DÉFICIT HABITACIONAL É DE APROXIMADAMENTE 6 MILHÕES DE MORADIAS. A REGIÃO SUDESTE E A NORDESTE, SÃO AS QUE DEMANDAM MAIOR NECESSIDADE DE MORADIAS 10

11 SOMANDO O ATUAL DÉFICIT, ATÉ 2022, TEREMOS QUE PRODUZIR MAIS DE 23 MILHÕES DE MORADIAS PARA ATENDER AS NOVAS FAMÍLIAS, PARA ELIMINAR A PRECARIEDADE, E REDUZIR A COABITAÇÃO 11

12 ISSO IMPLICA QUE TEREMOS UMA NECESSIDADE DE INVESTIMENTOS DE 250 BILHÕES DE REAIS TOTALIZANDO EM 12 ANOS MAIS DE 3 TRILHÕES DE REAIS. TANTO EM NOVAS MORADIAS, COMO EM REFORMAS. O QUE EQUIVALE A 1,8 TRILHÕES DE DOLARES 12

13 OS RECURSOS PÚBLICOS E PRIVADOS, DO FGTS FUNDO DE GARANTIA DE TEMPO DE SERVIÇO E SBPE SISTEMA BRASILEIRO DE POUPANÇA E EMPRÉSTIMOS, EMBORA CRESCENTES SÃO INSUFICIENTES PARA ATENDER TODA ESSA DEMANDA. AQUI TAMBÉM PRECISAMOS DE MAIS INVESTIMENTOS EXTERNOS. 13

14 VAMOS FALAR AGORA UM POUCO DE INFRAESTRUTURA NÃO ESQUEÇAM PRECISAMOS ESTAR ATÉ 2022 ENTRE AS 5 PRINCIPAIS ECONOMIAS MUNDIAIS. 14

15 SEGUNDO DADOS DO FORUM ECONOMICO MUNDIAL ENTRE 139 PAISES. O BRASIL ESTÁ EM POSIÇÃO MUITO INTERESSANTE PARA NÓS INVESTIDORES. 15

16 VEJAM OUTROS DADOS DO FÓRUM ENTRE NOTAS DE - EM ENERGIA 1A7 O BRASIL TEM : 5,1 - EM AEROPORTOS 4,0 - EM ESTRADAS E PORTOS 2,9 - EM FERROVIA 1,9 CONCLUINDO O BRASIL SÓ ESTÁ ACIMA DA MÉDIA MUNDIAL, EM ENERGIA. 16

17 PORTANTO, ESSA É A QUALIDADE DA INFRAESTRUTURA GERAL BRASILEIRA, ONDE A MÉDIA MUNDIAL É 4,3 E A DO BRASIL É 3,8. ATRÁS DE PAISES COM MENOR MATURIDADE ECONOMICA 17

18 CONCLUSÃO AS OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS SÃO MUITO GRANDES E COMO JÁ DISSE, HÁ MUITO O QUE FAZER. SEM PLANEJAMENTO INTEGRADO NÃO HÁ INVESTIMENTOS. E ISSO É FUNDAMENTAL PARA O CRESCIMENTO DO PAÍS. 18

19 A META DE INVESTIMENTOS ATÉ 2022 SUPERA 2 TRILHÕES DE REAIS EM INFRAESTRUTURA... O QUE EQUIVALE A 1,18 TRILHÕES DE DOLARES 19

20 TODO ESSE MONTANTE DE INVESTIMENTO DEVERÁ SER TANTO PÚBLICO COMO PRIVADO. POR EXEMPLO: O BNDES BANCO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO ECONOMICO E SOCIAL, VEM ANO A ANO, AMPLIANDO SUA PARTICIPAÇÃO, NA LIBERAÇÃO DE VERBAS PARA INFRAESTRUTURA. MAS, NÃO É SUFICIENTE, PRECISAREMOS DE MAIS INVESTIMENTOS PRIVADOS 20

21 POIS BEM, VAMOS FALAR SOBRE EVENTOS ESPORTIVOS E SOBRE OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS 21

22 TANTO PARA A COPA, COMO PARA AS OLIMPIADAS, QUE TEM DIA E HORA PARA ACONTECER. VEREMOS NA SEQUENCIA, QUAIS SÃO AS METAS PARA INFRAESTRUTURA, POR PERÍODO DE EVENTO 22

23 23

24 EM TRANSPORTE A MÉDIA ANUAL SERÁ DE 18,8 BILHÕES DE DOLARES 24

25 ATUALMENTE PARA CADA 1 DOLAR DE INVESTIMENTO PÚBLICO EXISTE 28 CENTS DE DOLAR, DE INVESTIMENTO PRIVADO E MISTO. ATÉ 2022, ESSA RELAÇÃO SERÁ DE 1, PARA 3,35 US$. 25

26 COM RELAÇÃO A ENERGIA, A META ANUAL TAMBÉM SERÁ DE 18,8 BILHÕES DE DOLARES 26

27 NO TOCANTE A PETRÓLEO E GÁS NATURAL, AS METAS SÃO MAIORES, POIS O PRÉ-SAL EXIGIRÁ GRANDE VOLUME DE RECURSOS A MÉDIA ANUAL SERÁ DE 45 BILHÕES DE DOLARES. 27

28 EM TELECOMUNICAÇÕES, FALA-SE AMPLAMENTE DA NECESSIDADE DE MODERNIZAÇÃO E EXPANSÃO DOS SERVIÇOS PARA ESTE SEGMENTO, A META ANUAL SERÁ DE 4,5 BILHÕES DE DOLARES 28

29 E, COMPLETANDO ESSE CENÁRIO, PARA SANEAMENTO, A META ANUAL É DE 10 BILHÕES DE DOLARES. PARA TODO ESSE CONCEITO, FORAM CONSIDERADOS OS INVESTIMENTOS PÚBLICOS E PRIVADOS, NO CASO DE SANEAMENTO, RECURSOS PRÓPRIOS DAS OPERADORAS. 29

30 AINDA SOBRE O TEMA COPA E OLIMPÍADAS, OUTRO ESTUDO DO SETOR, FEITO PELA ERNST & YOUNG, CONFIRMA TODAS ESSAS NECESSIDADES DE INVESTIMENTOS, QUE SERÃO GRANDES OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS. VEJAM ALGUNS DADOS POR SETOR. - CONSTRUÇÃO CIVIL - ALIMENTOS E BEBIDAS - SERVIÇOS DE INFORMAÇÕES - TURISMO - HOTELARIA - E OUTROS 30

31 NESTE GRÁFICO, VEJAM OS DADOS SOBRE INVESTIMENTOS EM MÍDIA, ESTÁDIOS, HOTEIS, REURBANIZAÇÃO, SEGURANÇA, RODOVIAS, AEROPORTOS, TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO, ENERGIA. 31

32 VEJAM AQUI AS CIDADES QUE IRÃO SEDIAR QUAIS ESTÁDIOS SERÃO OS JOGOS DA COPA CONSTRUÍDOS E QUAIS SERÃO REFORMADOS ALÉM DE TODA A NECESSIDADE DE INFRAESTRUTURA URBANA TUDO ISSO SERÁ OPORTUNIDADE DE NEGÓCIO 32

33 JÁ PARA AS OLIMPÍADAS, OS PRINCIPAIS SETORES BENEFICIADOS, ESTÃO APONTADOS NESSE GRÁFICO. SENHORAS / SENHORES, QUERO DESTACAR QUE NO BRASIL HÁ MUITAS EM OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS, SEJAM ELAS PARCERIAS, JOINT-VENTURES, FUSÕES, AQUISIÇÕES OU AINDA EM NOVOS NEGÓCIOS, NUM AMBIENTE COM: SEGURANÇA JURÍDICA, ESTABILIDADE (ECONÔMICA E POLÍTICA). A SEGUIR, VEJAM QUE HÁ ESPAÇO PARA ESSE CRESCIMENTO. 33

34 POR EXEMPLO, NESTE RANKING A ITÁLIA OCUPA A 18ª POSIÇÃO, CONSIDERANDO A RELAÇÃO DOS INVESTIMENTOS INTERNACIONAIS APORTADOS NO BRASIL. 34

35 E QUE DESSES, 214 MILHÕES DE DOLARES, 35 MILHÕES SÃO DIRECIONADOS AO SETOR DA CONSTRUÇÃO, OU SEJÁ, NOSSO PAPEL, AQUI HOJE, É TRAZER ESSA PALAVRA DE OTIMISMO E CONFIANÇA, PARA AMPLIAR ESSE MERCADO. ESTAREMOS A DISPOSIÇÃO, PARA AUXILIÁ-LOS NESSES NOVOS NEGÓCIOS. 35

36 ESSE SETOR, DE PRÉ-FABRICADOS DE CONCRETO, CRESCEU MAIS DE 15% EM 2010, E SE ESPERA UM AUMENTO REPRESENTATIVO EM 2011, PORÉM NECESSITARÁ DE MAIS INVESTIMENTOS E NOVAS TECNOLOGIAS 36

37 37

38 INFORMO QUE TODOS OS DADOS DISPONÍVIES NO AQUI APRESENTADOS ESTÃO PORTAL OBERVATÓRIO DA CONSTRUÇÃO QUE É UM PROJETO DA FIESP E DA CADEIA PRODUTIVA EM TER EM UM ÚNICO LUGAR DE FORMA CONSOLIDADA AS PRINCIPAIS INFORMAÇÕES DO SETOR PARA AUXILIAR OS EMPRESÁRIOS NA TOMADA DE DECISÕES DE INVESTIMENTO. 38

39 FINALIZANDO, REGISTRO MEU ESPECIAL AGRADECIMENTO: - AO GOVERNO ITALIANO - AS ENTIDADES EMPRESARIAIS QUE NOS ACOLHERAM - AO NOSSO PRESIDENTE PAULO SKAF - AOS EMPRESARIOS ITALIANOS, BRASILEIROS, E A TODOS AQUI PRESENTES 39

40 GOSTARIA TAMBÉM DE AGRADECER BRASILEIRA, QUE ESTÃO AQUI OS MEMBROS DA COMITIVA PARA AUXILIAR NO QUE FOR NECESSÁRIO 40

41 FAÇO AQUI UM DEPOIMENTO PESSOAL COMO EMPRESÁRIO E LÍDER DO SETOR DA CONSTRUÇÃO, NA FIESP, ACREDITO MUITO NO POTENCIAL DE CRESCIMENTO DO BRASIL, COMO VOCÊS ESTÃO ACOMPANHANDO. E CONVIDO TODOS A INVESTIR NO NOSSO PAÍS. POIS O RETORNO É CERTO. MILE GRAZIE. 41

Mercado Imobiliário. Desempenho recente e desafios para o Brasil. Fernando Garcia e Ana Maria Castelo

Mercado Imobiliário. Desempenho recente e desafios para o Brasil. Fernando Garcia e Ana Maria Castelo Mercado Imobiliário Desempenho recente e desafios para o Brasil Fernando Garcia e Ana Maria Castelo Os bons ventos no mercado imobiliário brasileiro Evolução dos financiamentos SBPE De janeiro a setembro,

Leia mais

Construção civil: desempenho em 2011 e perspectivas para /12/2011

Construção civil: desempenho em 2011 e perspectivas para /12/2011 Construção civil: desempenho em 2011 e perspectivas para 2012 6/12/2011 Desempenho e perspectivas A revisão do PIB Desempenho da cadeia em 2011 Perspectivas Revisão dos números do PIB 2009 Destaque: Os

Leia mais

ECO Economia Brasileira

ECO Economia Brasileira Federal University of Roraima, Brazil From the SelectedWorks of Elói Martins Senhoras Winter January, 2012 ECO 112 - Economia Brasileira Eloi Martins Senhoras Available at: http://works.bepress.com/eloi/124/

Leia mais

ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE - ETENE INFORME INDÚSTRIA E SERVIÇOS INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO NORDESTE

ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE - ETENE INFORME INDÚSTRIA E SERVIÇOS INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO NORDESTE O nosso negócio é o desenvolvimento ESCRITÓRIO TÉCNICO DE ESTUDOS ECONÔMICOS DO NORDESTE - ETENE INFORME INDÚSTRIA E SERVIÇOS INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA NO NORDESTE ANO IV Nº. 6 ABRIL 2010 2 O nosso

Leia mais

NAMING RIGHTS DE ESTÁDIOS E ARENAS NO BRASIL

NAMING RIGHTS DE ESTÁDIOS E ARENAS NO BRASIL NAMING RIGHTS DE ESTÁDIOS E ARENAS NO BRASIL O mercado brasileiro de futebol nos próximos anos será extremamente beneficiado pela construção e reforma de estádios com vistas à realização da Copa de 2014

Leia mais

O investimento direto estrangeiro e o Brasil. Elton Jony Jesus Ribeiro IPEA

O investimento direto estrangeiro e o Brasil. Elton Jony Jesus Ribeiro IPEA O investimento direto estrangeiro e o Brasil Elton Jony Jesus Ribeiro IPEA 1. O que é o IDE? Investimento de Portfólio X Investimento Direto Investimento de Portfólio: É baseado na percepção do ganho financeiro

Leia mais

Perspectivas de Negócios em Infraestrutura. novembro 2013

Perspectivas de Negócios em Infraestrutura. novembro 2013 Perspectivas de Negócios em Infraestrutura novembro 2013 Brasil no Mundo Globalizado - Importação e exportação manufaturas, commodities e serviços; - Crescimento da economia e aumento do consumo nos países

Leia mais

Crise X Oportunidades: Quais oportunidades o Brasil está tendo com a crise? Qual a previsão para o mercado de crédito, nos próximos anos?

Crise X Oportunidades: Quais oportunidades o Brasil está tendo com a crise? Qual a previsão para o mercado de crédito, nos próximos anos? Crise X Oportunidades: Quais oportunidades o Brasil está tendo com a crise? Qual a previsão para o mercado de crédito, nos próximos anos? Andrew Frank Storfer Vice Presidente da ANEFAC out 2009 CONJUNTURA

Leia mais

Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade

Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade Infraestrutura e Logística Reflexos na Competitividade Enaex Agosto, 2013 Luciano Coutinho Presidente 1 Brasil apresenta fundamentos compatíveis com o crescimento sustentável de Longo Prazo País possui

Leia mais

Construção civil: cenário atual e perspectivas 06/05/2015

Construção civil: cenário atual e perspectivas 06/05/2015 Construção civil: cenário atual e perspectivas 06/05/2015 Crescimento chinês da construção Taxa de crescimento entre 2007 a 2012 90% 82,61% 83,30% 80% 76,70% 70% 68,07% 60% 50% 40% 41,8% 30% 20% 10% 9,95%

Leia mais

Luciano Coutinho Presidente

Luciano Coutinho Presidente O papel do BNDES no desenvolvimento brasileiro nos próximos anos ANEFAC São Paulo, 30 de julho de 2012 Luciano Coutinho Presidente Papel dos Bancos de Desenvolvimento no mundo Apoiar e financiar o desenvolvimento

Leia mais

Perspectivas para 2012

Perspectivas para 2012 Abiplast Perspectivas para 2012 Antonio Delfim Netto 2 de Dezembro de 2011 São Paulo, SP 1 I.Mundo: Década de 80 e 2010 (% do PIB) 30% 23% 31% 24% 37% 22% 3,7% 3,3% 8% 7% 4,2% 4,0% 1,5% 1,2% Fonte: FMI,

Leia mais

Ingressos de IED diminuem 12,3% frente a 2014

Ingressos de IED diminuem 12,3% frente a 2014 São Paulo, 06 de outubro de 2015 AGOSTO DE 2015 Ingressos de IED diminuem 12,3% frente a 2014 Até agosto de 2015, os fluxos de investimento estrangeiro direto (IED) no Brasil totalizaram US$ 36,8 bilhões.

Leia mais

POR QUE FEIRAS EM TEMPOS DE CRISE?

POR QUE FEIRAS EM TEMPOS DE CRISE? POR QUE FEIRAS EM TEMPOS DE CRISE? Ligia Amorim Diretora geral da NürnbergMesse Brasil 1ª vice-presidente do capítulo América Latina da UFIthe Global Association of the Exhibition Industry. Vice-presidente

Leia mais

CAIXA. Segmento Petróleo e Gás. Reunião da Diretoria do SINAVAL. Antonio Gil Silveira Gerente Regional

CAIXA. Segmento Petróleo e Gás. Reunião da Diretoria do SINAVAL. Antonio Gil Silveira Gerente Regional CAIXA Segmento Petróleo e Gás Reunião da Diretoria do SINAVAL Antonio Gil Silveira Gerente Regional Rio de Janeiro, 15 de Fevereiro de 2012 AGENDA CAIXA Resultados 2011 Experiência CAIXA Estratégia CAIXA

Leia mais

Infraestrutura no Brasil: desafios e oportunidades para a próxima década

Infraestrutura no Brasil: desafios e oportunidades para a próxima década SOBRATEMA FÓRUM BRASIL INFRAESTRUTURA 1 Infraestrutura no Brasil: desafios e oportunidades para a próxima década Paulo Resende 2010 UMA VISÃO GERAL SOBRE A INFRAESTRUTURA BRASILEIRA 2 2010 a 2020: um País

Leia mais

Variação do Produto Interno Bruto - PIB no ano de 2010

Variação do Produto Interno Bruto - PIB no ano de 2010 Variação do Produto Interno Bruto - PIB no ano de 2010 Em 2010, segundo divulgação do IBGE, o PIB brasileiro cresceu 7,5% em relação a 2009. O PIB atingiu R$ 3,675 trilhões (ou, à taxa de câmbio de R$

Leia mais

A Construção Civil e o Futuro do Crédito Imobiliário no Brasil

A Construção Civil e o Futuro do Crédito Imobiliário no Brasil A Construção Civil e o Futuro do Crédito Imobiliário no Brasil Paulo Safady Simão Presidente da CBIC Fortaleza - CE 18/03/2010 Representante nacional e internacional das entidades empresariais da Indústria

Leia mais

Painel 3: Indústria Brasileira do Aço As grandes questões: Mercado

Painel 3: Indústria Brasileira do Aço As grandes questões: Mercado Painel 3: Indústria Brasileira do Aço As grandes questões: Mercado Jefferson de Paula CEO ArcelorMittal Aços Longos Americas Central e do Sul São Paulo, 14 de julho de 2015 O PIB brasileiro cresceu de

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua

POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12. Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua POLÍTICAS PÚBLICAS Aula 12 Prof. a Dr. a Maria das Graças Rua PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO (PAC), criado pelo Decreto 6.025/2007 que define a estrutura formal da sua gestão. PAC medidas de estímulo

Leia mais

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE EM 2009

DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE EM 2009 DESEMPENHO DA INDÚSTRIA CATARINENSE EM 20 Em 20 a indústria catarinense enfrentou um ambiente econômico adverso, marcado por restrições de liquidez no mercado internacional e incertezas quanto ao futuro

Leia mais

Como Superar o Desafio do Financiamento dos Projetos de Infraestrutura? Thomaz Assumpção

Como Superar o Desafio do Financiamento dos Projetos de Infraestrutura? Thomaz Assumpção Como Superar o Desafio do Financiamento dos Projetos de Infraestrutura? Thomaz Assumpção A Urban Systems é uma empresa de Inteligência de Mercado e Soluções há 17 anos no mercado. Realizou mais de 700

Leia mais

SONDAGEM ESPECIAL RIO GRANDE DO SUL COPA DO MUNDO

SONDAGEM ESPECIAL RIO GRANDE DO SUL COPA DO MUNDO SONDAGEM ESPECIAL COPA DO MUNDO 72,7% dos empresários da construção civil do RS esperam impactos positivos com a realização da copa do mundo 39% acredita que esses impactos se materializem entre 2012-14

Leia mais

Estudo de Mercado sobre Distribuição e Logística em Angola

Estudo de Mercado sobre Distribuição e Logística em Angola Estudo de Mercado sobre Distribuição e Logística em Angola 1.População e Território 2.Modelo de Desenvolvimento 3.O Desafio da Diversificação 4.O Papel da Logística 5.A Rede de Distribuição 6.O Novo Quadro

Leia mais

Teleconferência dos Resultados 3T2009 Gerdau S.A. Consolidado IFRS

Teleconferência dos Resultados 3T2009 Gerdau S.A. Consolidado IFRS Teleconferência dos Resultados 3T2009 Gerdau S.A. Consolidado IFRS André Gerdau Johannpeter Diretor-Presidente e CEO Osvaldo B. Schirmer Vice-presidente e Diretor de RI 5 de novembro de 2009 Teleconferência

Leia mais

Indústria Química, Sociedade e Território: novos desafios para o Grande ABC

Indústria Química, Sociedade e Território: novos desafios para o Grande ABC Indústria Química, Sociedade e Território: novos desafios para o Grande ABC Luis Paulo Bresciani Consórcio Intermunicipal Grande ABC Universidade Municipal de São Caetano do Sul ciclo de debates A indústria

Leia mais

INDX apresenta alta de 2,67% em março

INDX apresenta alta de 2,67% em março INDX apresenta alta de 2,67% em março Dados de Março/11 Número 51 São Paulo O Índice do Setor Industrial (INDX), composto pelas ações mais representativas do segmento, encerrou o mês de março de 2010,

Leia mais

A ATUAÇÃO DA CAIXA NAS OPERAÇÕES DE INFRAESTRUTURA - PAC

A ATUAÇÃO DA CAIXA NAS OPERAÇÕES DE INFRAESTRUTURA - PAC A ATUAÇÃO DA CAIXA NAS OPERAÇÕES DE INFRAESTRUTURA - PAC Seminário Sistema Nacional de Fomento e o Crédito do Desenvolvimento: Condições e Possibilidades Carlos André Lins Rodriguez Gerente de Clientes

Leia mais

Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário

Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário Sondagem: Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário - 2012 ApresentAção A sondagem Expectativas Econômicas do Transportador Rodoviário 2012 apresenta a visão do empresário do transporte rodoviário

Leia mais

Situação atual da indústria química no Brasil e no Mundo: Perspectivas e ameaças

Situação atual da indústria química no Brasil e no Mundo: Perspectivas e ameaças Situação atual da indústria química no Brasil e no Mundo: Perspectivas e ameaças Gabriel Lourenço Gomes Chefe do Departamento de Indústria Química Junho 2011 Julho/2009 Importância da Indústria Química

Leia mais

24 OUT RIOCENTRO RIO DE JANEIRO

24 OUT RIOCENTRO RIO DE JANEIRO 24 OUT RIOCENTRO RIO DE JANEIRO UM DEBATE C-LEVEL SOBRE OS DESAFIOS E OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO DO SETOR DE ÓLEO E GÁS NO BRASIL INVESTIDORES, BANCOS E GRANDES EMPRESAS REUNIDAS PARA FALAR SOBRE O

Leia mais

ENCADEAMENTO PRODUTIVO Oportunidade para as pequenas empresas Bom negócio para as grandes

ENCADEAMENTO PRODUTIVO Oportunidade para as pequenas empresas Bom negócio para as grandes ENCADEAMENTO PRODUTIVO Oportunidade para as pequenas empresas Bom negócio para as grandes ENCADEAMENTOS PRODUTIVOS COMPETITIVIDADE SUSTENTABILIDADE INOVAÇÃO PRODUTIVIDADE CADEIA DE VALOR APRESENTAÇÃO O

Leia mais

Investimentos em Infraestrutura e Crescimento Econômico Brasileiro

Investimentos em Infraestrutura e Crescimento Econômico Brasileiro Investimentos em Infraestrutura e Crescimento Econômico Brasileiro Márcio Holland Secretário de Política Econômica Comissão de Infraestrutura do Senado Federal Brasília, 19 de maio de 2014 2 Por que investimentos

Leia mais

Relatório de atividades 13 de julho a 09 de agosto de 2015

Relatório de atividades 13 de julho a 09 de agosto de 2015 13 de julho a 09 de agosto de 2015 13 de julho Reunião Plenária do Deconcic A reunião contou com a participação do Secretário Nacional de Transportes e Mobilidade Urbana do Ministério das Cidades, Dario

Leia mais

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES. ROAD SHOW LEILÃO 700MHz

MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES. ROAD SHOW LEILÃO 700MHz MINISTÉRIO DAS COMUNICAÇÕES ROAD SHOW LEILÃO 700MHz INDICADORES DE AMBIENTE 2 POPULAÇÃO BRASILEIRA divisão demográfica Região Norte 16,9 milhões de habitantes Região Nordeste 55,8 milhões de habitantes

Leia mais

Economia Brasileira Ciclos do Pós-Guerra

Economia Brasileira Ciclos do Pós-Guerra Economia Brasileira Ciclos do Pós-Guerra Hildo Meirelles de Souza Filho Ciclos do crescimento 1947-1980, taxas de crescimento do PIB 15,0 10,0 5,0-1948 1950 1952 1954 1956 1958 1960 1962 1964 1966 1968

Leia mais

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento Agenda Contexto O Nordeste Territorial Fórum de Governança da Atividade Econômica Formas de Financiamento Área de atuação do BNB Nordeste: 1.554,4 mil Km 2 Semi-árido: 974,4 mil Km 2 (62,7% do território

Leia mais

Brasil perde fatia da riqueza mundial

Brasil perde fatia da riqueza mundial Boletim Econômico Edição nº 32 junho de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Brasil perde fatia da riqueza mundial 1 Peso econômico menor no mundo Levantamento feito com base

Leia mais

Início da Marca. Líder mundial na fabricação de componentes para elevadores fluidodinâmicos; Mais de grupos componentes instalados no mundo;

Início da Marca. Líder mundial na fabricação de componentes para elevadores fluidodinâmicos; Mais de grupos componentes instalados no mundo; Início da Marca Líder mundial na fabricação de componentes para elevadores fluidodinâmicos; Mais de 750.000 grupos componentes instalados no mundo; Capacidade de produção de 30 mil equipamentos / ano.

Leia mais

PAULO FERRAZ GUIMARÃES ATUAÇÃO REGIONAL DO BNDES. Cadernos do Desenvolvimento vol. 5 (7), outubro 2010

PAULO FERRAZ GUIMARÃES ATUAÇÃO REGIONAL DO BNDES. Cadernos do Desenvolvimento vol. 5 (7), outubro 2010 240 PAULO FERRAZ GUIMARÃES ATUAÇÃO REGIONAL DO BNDES O presente texto tem por objetivo fazer um breve relato da atuação regional recente do BNDES baseado na apresentação realizada no Seminário de Comemoração

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Evolução e Perspectivas do Crédito Imobiliário: Os Fatores que o Impulsionaram e Perspectivas para os Próximos Anos Economista José Pereira

Leia mais

Mercado global de mídia e entretenimento vai movimentar US$ 2,14 trilhões em 2020

Mercado global de mídia e entretenimento vai movimentar US$ 2,14 trilhões em 2020 Mercado global de mídia e entretenimento vai movimentar US$ 2,14 trilhões em 2020 Enviado por DA REDAÇÃO 10-Jun-2016 PQN - O Portal da Comunicação A receita global do setor de mídia e entretenimento deve

Leia mais

Cidadãos Inteligentes

Cidadãos Inteligentes Cidadãos Inteligentes Senador Walter Pinheiro Março/2015 Agenda O panorama brasileiro Oportunidades Smart People 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Panorama 8.00 6.00 4.00

Leia mais

Cenário macroeconômico São Paulo, dezembro 2009

Cenário macroeconômico São Paulo, dezembro 2009 Cenário macroeconômico 2009-2016 São Paulo, dezembro 2009 2015 2016 2013 2014 2011 2012 2009 2010 Cenário macroeconômico 2009-2016 Equipe DIRETOR DO PROJETO: SUPERVISOR: COORDENADOR: CORPO TÉCNICO: Cesar

Leia mais

MPE INDICADORES Pequenos Negócios

MPE INDICADORES Pequenos Negócios MPE INDICADORES Pequenos Negócios no Brasil Categorias de pequenos negócios no Brasil MPE Indicadores MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL (MEI) Receita bruta anual de até R$ 60 mil MICROEMPRESA Receita bruta

Leia mais

Financiamento de Projetos de Infra-estrutura da Indústria de Petróleo e Gás no Brasil

Financiamento de Projetos de Infra-estrutura da Indústria de Petróleo e Gás no Brasil Financiamento de Projetos de Infra-estrutura da Indústria de Petróleo e Gás no Brasil João Carlos Cavalcanti Superintendente da Área de Infra-Estrutura Salvador, 16 de novembro de 2005 www.bndes.gov.br

Leia mais

BNDES e o apoio à Infraestrutura. Agosto de 2016

BNDES e o apoio à Infraestrutura. Agosto de 2016 BNDES e o apoio à Infraestrutura Agosto de 2016 Quem somos Fundado em 20 de Junho de 1952. Empresa pública de propriedade integral da União. Instrumento chave para implementação da política industrial,

Leia mais

Recomendação de políticas Desenvolvimento de habilidades de próxima geração

Recomendação de políticas Desenvolvimento de habilidades de próxima geração Recomendação de políticas Desenvolvimento de habilidades de próxima A oportunidade A computação em nuvem e os recursos inovadores liberam o potencial para impulsionar o crescimento econômico significativo

Leia mais

Jogos Olímpicos Rio Maio/2016

Jogos Olímpicos Rio Maio/2016 Jogos Olímpicos Rio 2016 Maio/2016 2 de 45 OBJETIVO Mapear as opiniões e as percepções dos brasileiros em geral e dos moradores da cidade do Rio de Janeiro em relação aos Jogos Olímpicos Rio 2016. AMOSTRA

Leia mais

NOTAS SOBRE A GESTÃO ESPORTIVA RESUMO

NOTAS SOBRE A GESTÃO ESPORTIVA RESUMO NOTAS SOBRE A GESTÃO ESPORTIVA Antonio Flávio Testa RESUMO No Brasil, a percepção do mercado esportivo ainda é muito amadora. Além disso, é muito fragmentada e não há convergência entre os setores públicos

Leia mais

SEMINÁRIO PARANÁ MICE SEBRAE PR 28 DE MAIO DE 2015 (TURISMO DE NEGÓCIOS E EVENTOS)

SEMINÁRIO PARANÁ MICE SEBRAE PR 28 DE MAIO DE 2015 (TURISMO DE NEGÓCIOS E EVENTOS) SEMINÁRIO PARANÁ MICE SEBRAE PR 28 DE MAIO DE 2015 (TURISMO DE NEGÓCIOS E EVENTOS) Cenários das feiras de negócios no Paraná O ESTADO DO PARANÁ E AS POSSIBILIDADES DE FEIRAS DE NEGÓCIOS Comerciais (varejo)

Leia mais

São Paulo, 17 de Agosto de 2012

São Paulo, 17 de Agosto de 2012 São Paulo, 17 de Agosto de 2012 Discurso do Presidente do Banco Central do Brasil, Alexandre Tombini, no 22º Congresso da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores - Fenabrave Senhoras

Leia mais

Pesquisa Anual da Indústria da Construção. Paic /6/2012

Pesquisa Anual da Indústria da Construção. Paic /6/2012 Pesquisa Anual da Indústria da Construção Paic - 2010 15/6/2012 Características metodológicas Resultados gerais Estrutura das receitas, dos custos e despesas, e do investimento em 2007/2010 Estrutura regional

Leia mais

Fórum. Financeiro. temas em discussão 24 OUT RIOCENTRO RIO DE JANEIRO

Fórum. Financeiro. temas em discussão 24 OUT RIOCENTRO RIO DE JANEIRO Fórum Financeiro temas em discussão 24 OUT RIOCENTRO RIO DE JANEIRO UM DEBATE C-LEVEL SOBRE OS DESAFIOS E OPORTUNIDADES DE FINANCIAMENTO DO SETOR DE ÓLEO E GÁS NO BRASIL INVESTIDORES, BANCOS E GRANDES

Leia mais

ULTRAPAR ULTRAPAR. Grupo Santander Banespa Quarta Conferência Anual Junho/03

ULTRAPAR ULTRAPAR. Grupo Santander Banespa Quarta Conferência Anual Junho/03 ULTRAPAR ULTRAPAR Grupo Santander Banespa Quarta Conferência Anual Junho/03 de negócios ULTRAPAR ULTRAGAZ Distribuidora de GLP (gás de cozinha) no Brasil OXITENO Produtora de químicos e petroquímicos ULTRACARGO

Leia mais

O FUTURO NÓS CONSTRUÍMOS SUA MARCA EM EVIDÊNCIA. no maior evento da indústria da construção na América Latina. VISITE FOZ DO IGUAÇU

O FUTURO NÓS CONSTRUÍMOS SUA MARCA EM EVIDÊNCIA. no maior evento da indústria da construção na América Latina. VISITE FOZ DO IGUAÇU O FUTURO NÓS CONSTRUÍMOS SUA MARCA EM EVIDÊNCIA no maior evento da indústria da construção na América Latina. VISITE FOZ DO IGUAÇU 88º ENCONTRO NACIONAL DA INDÚSTRIA DA CONSTRUÇÃO TEMA 2016 O futuro nós

Leia mais

CONTEXTO DA ECONOMIA E SEUS REFLEXOS NA AMÉRICA LATINA

CONTEXTO DA ECONOMIA E SEUS REFLEXOS NA AMÉRICA LATINA CONTEXTO DA ECONOMIA E SEUS REFLEXOS NA AMÉRICA LATINA AMÉRICA LATINA AMÉRICA LATINA Quatro desafios da economia da América Latina em 2015 Crescimento moderado da economia global; Queda do preço das comodities

Leia mais

Brasil Um mercado atraente para a indústria automotiva

Brasil Um mercado atraente para a indústria automotiva Brasil Um mercado atraente para a indústria automotiva Apresentação Sindipeças Elaboração: Assessoria Econômica São Paulo, fevereiro de 2013 Conteúdo Mercado Automotivo Brasileiro Investimentos da Indústria

Leia mais

O MTUR e a Copa 2014 Copa do Mundo da FIFA 2014 Encontro Econômico Brasil- Alemanha 2009 Vitória ES - Brasil 30 de agosto a 1º de setembro

O MTUR e a Copa 2014 Copa do Mundo da FIFA 2014 Encontro Econômico Brasil- Alemanha 2009 Vitória ES - Brasil 30 de agosto a 1º de setembro Copa do Mundo da FIFA Encontro Econômico Brasil- Alemanha 2009 2014 Vitória ES - Brasil 30 de agosto a 1º de setembro O MTUR e a Ponto de partida : garantias oferecidas pelo governo federal, estados e

Leia mais

Plano Nacional de Turismo

Plano Nacional de Turismo Plano Nacional de Turismo 2011-2015 Conceito Conjunto de diretrizes, metas e programas que orientam a atuação do Ministério do Turismo, em parceria com outros setores da gestão pública nas três esferas

Leia mais

Compras Públicas como Investimento Social

Compras Públicas como Investimento Social Compras Públicas como Investimento Social a) Importância das MPES para a Economia Brasileira Micro e pequenas empresas (MPEs) representam 99% das empresas formalizadas no Brasil, 52% dos empregos formais

Leia mais

Política Governamental Brasileira de Fomento à Exploração Mineral e Propostas de Aprimoramento

Política Governamental Brasileira de Fomento à Exploração Mineral e Propostas de Aprimoramento Política Governamental Brasileira de Fomento à Exploração Mineral e Propostas de Aprimoramento Claudio Scliar Secretário de Geologia, Mineração e Transformação Mineral / MME 24 de Maio POLÍTICA MINERAL

Leia mais

17% dos jovens (de 18 a 24 anos) chegam

17% dos jovens (de 18 a 24 anos) chegam Menos de 17% dos jovens (de 18 a 24 anos) chegam ao ensino superior NO BRASIL, A EDUCAÇÃO PROFISSIONAL AINDA É ESCOLHA DE POUCOS 76,8% Áustria 44,3% França 69,7% Finlândia 51,5% Alemanha 38,8% Portugal

Leia mais

Inovação como prioridade estratégica do BNDES

Inovação como prioridade estratégica do BNDES Inovação como prioridade estratégica do BNDES Helena Tenorio Veiga de Almeida APIMECRIO 20/04/2012 Histórico do apoio à inovação no BNDES 2 Histórico do apoio à inovação no BNDES 1950 Infraestrutura Econômica

Leia mais

Acumulado até novembro registra IED de US$ 52,7 bilhões

Acumulado até novembro registra IED de US$ 52,7 bilhões São Paulo, 18 de janeiro de 2016 NOVEMBRO DE 2015 Acumulado até novembro registra IED de US$ 52,7 bilhões No acumulado até novembro, os fluxos de investimento estrangeiro direto (IED) no Brasil totalizaram

Leia mais

Coletiva de Imprensa. Resultados de 2016 e Perspectivas para Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente. São Paulo, 24 de Janeiro de 2017

Coletiva de Imprensa. Resultados de 2016 e Perspectivas para Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente. São Paulo, 24 de Janeiro de 2017 Coletiva de Imprensa Resultados de 2016 e Perspectivas para 2017 Gilberto Duarte de Abreu Filho Presidente São Paulo, 24 de Janeiro de 2017 Índice 1. Conjuntura Econômica 2. Construção Civil 3. Financiamento

Leia mais

O Brasil possui uma população de , com uma densidade demográfica de 22,42 hab/km²;

O Brasil possui uma população de , com uma densidade demográfica de 22,42 hab/km²; A POPULAÇÃO BRASILEIRA Características Gerais O Brasil possui uma população de 191.715.083, com uma densidade demográfica de 22,42 hab/km²; A população brasileira ocupa o território de modo bastante irregular.

Leia mais

Agenda 2017 Ano novo, novo ciclo as visões das empresas para um mundo de transformações aceleradas

Agenda 2017 Ano novo, novo ciclo as visões das empresas para um mundo de transformações aceleradas Agenda Ano novo, novo ciclo as visões das empresas para um mundo de transformações aceleradas Agenda Pergunta a responder... Para onde vão a economia, o ambiente de negócios e a gestão empresarial em?

Leia mais

PEA 2200 Energia, Meio Ambiente e Sustentabilidade

PEA 2200 Energia, Meio Ambiente e Sustentabilidade PEA 2200 Energia, Meio Ambiente e Sustentabilidade Aula 4 Eficiência Energética e Uso Racional de Energia slide 1 / 22 EFICIÊNCIA ENERGÉTICA & USO RACIONAL DE ENERGIA DEFINIÇÕES: Uso racional da energia:

Leia mais

Desenvolvimento Produtivo Além da Indústria - O Papel dos Serviços

Desenvolvimento Produtivo Além da Indústria - O Papel dos Serviços Desenvolvimento Produtivo Além da Indústria - O Papel dos Serviços Jorge Arbache UnB e BNDES FGV-SP 27/5/2014 As opiniões são do autor e não necessariamente refletem as visões do BNDES 1 Vivemos uma nova

Leia mais

SEMINÁRIO INTERNACIONAL Painel: Experiências bem-sucedidas em CT&I: das estratégias de financiamento à vanguarda na gestão empresarial

SEMINÁRIO INTERNACIONAL Painel: Experiências bem-sucedidas em CT&I: das estratégias de financiamento à vanguarda na gestão empresarial SEMINÁRIO INTERNACIONAL Painel: Experiências bem-sucedidas em CT&I: das estratégias de financiamento à vanguarda na gestão empresarial SÉRGIO PAUPÉRIO SÉRIO FILHO DEZEMBRO/2015 24 QUEM SOMOS De origem

Leia mais

O desafio da produtividade

O desafio da produtividade O desafio da produtividade 21º Seminário Dia da Qualidade Caxias CIC Renato da Fonseca Caxias do Sul, RS, 20/07/2015 Roteiro 1. O estado da indústria e da economia brasileira 2. Baixa competitividade:

Leia mais

II CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES

II CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES II CONFERÊNCIA ESTADUAL DAS CIDADES PROPOSTAS PRIORITÁRIAS: 1. PARTICIPAÇÃO E CONTROLE SOCIAL Criar o Conselho Estadual da cidade e apoiar a criação dos conselhos municipais, de forma paritária, de caráter

Leia mais

Plano Metropolitano de Habitação. Plano Metropolitano de Habitação de Interesse Social da Região Metropolitana de Campinas

Plano Metropolitano de Habitação. Plano Metropolitano de Habitação de Interesse Social da Região Metropolitana de Campinas Plano Metropolitano de Habitação de Interesse Social da Região Metropolitana de Campinas Apresentado pelo representante do Ministério das Cidades Histórico Aprovado pelo Conselho de Desenvolvimento

Leia mais

PROJETO RUMOS DA INDÚSTRIA PAULISTA INVESTIMENTOS

PROJETO RUMOS DA INDÚSTRIA PAULISTA INVESTIMENTOS PROJETO RUMOS DA INDÚSTRIA PAULISTA INVESTIMENTOS Janeiro/2015 SUMÁRIO Em, menos indústrias paulistas investiram em relação a 2013. Dentre as que investiram, um percentual maior apenas continuou projetos

Leia mais

TEOTONIO COSTA REZENDE

TEOTONIO COSTA REZENDE TEOTONIO COSTA REZENDE Sumário Balanço 2016 Projeções 2017 Pontos de Atenção Curto Prazo Penalizando o Longo Prazo Uma visão do futuro Balanço de Contratações Crédito Imobiliário - Evolução da Contratação

Leia mais

Confira o perfil de cada um dos setores segundo a divisão adotada pela CNM/CUT/CUT:

Confira o perfil de cada um dos setores segundo a divisão adotada pela CNM/CUT/CUT: Mapeamento do Emprego e Desempenho da Indústria Metalúrgica do Brasil 1 O presente trabalho, elaborado pelos Técnicos da Subseção do DIEESE (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos),

Leia mais

Para mim é sempre uma honra vir ao Congresso Nacional, lugar que frequentei durante alguns anos como senador.

Para mim é sempre uma honra vir ao Congresso Nacional, lugar que frequentei durante alguns anos como senador. DISCURSO DO MINISTRO DOS TRANSPORTES, ANTONIO CARLOS RODRIGUES, NA COMISSÃO GERAL DA CÂMARA DOS DEPUTADOS, EM 13 DE AGOSTO DE 2015 Senhor presidente. Senhoras e senhores. Bom dia. Para mim é sempre uma

Leia mais

Fortaleza. 5ª cidade em população: 2,45 milhões 9ª colocada em PIB 18ª capital em rendimento mensal total domiciliar per capita nominal (R$ 701,00)

Fortaleza. 5ª cidade em população: 2,45 milhões 9ª colocada em PIB 18ª capital em rendimento mensal total domiciliar per capita nominal (R$ 701,00) 5ª cidade em população: 2,45 milhões 9ª colocada em PIB 18ª capital em rendimento mensal total domiciliar per capita nominal (R$ 701,00) Classificação por renda domiciliar per capita Renda Domiciliar Per

Leia mais

Mercado imobiliário: Desafios e perspectivas para 2007

Mercado imobiliário: Desafios e perspectivas para 2007 Mercado imobiliário: Desafios e perspectivas para 2007 20 de março de 2007 João Crestana Vice-presidente de Incorporação do Secovi-SP Crédito Imobiliário Período Negro 1986 a 2001 Extinção do BNH Distribuição

Leia mais

O m ercado de crédito e o papel do B N D ES

O m ercado de crédito e o papel do B N D ES O m ercado de crédito e o papel do B N D ES Demian Fiocca Presidente do BNDES FELABAN 13 DE NOVEMBRO DE 2006 www.bndes.gov.br 1 O CRÉDITO NA AMÉRICA LATINA A relação Crédito/PIB na América Latina é expressivamente

Leia mais

PROJEÇÕES DO MERCADO DE SEGUROS PARA O PERÍODO DE 2016 A 2019 SÍNTESE

PROJEÇÕES DO MERCADO DE SEGUROS PARA O PERÍODO DE 2016 A 2019 SÍNTESE PROJEÇÕES DO MERCADO DE SEGUROS PARA O PERÍODO DE 2016 A 2019 SÍNTESE O trabalho de projeções do mercado de seguros, previdência privada e capitalização, realizado pela SISCORP, é desenvolvido com detalhes

Leia mais

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira

Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira Desafios e Perspectivas da Economia Brasileira 39º Prêmio Exportação Rio Grande do Sul - 2011 Alexandre Tombini Presidente do Banco Central do Brasil 20 de Junho de 2011 Conquistas da Sociedade Brasileira

Leia mais

Indústria do Esporte. Patrocínio direto no futebol brasileiro

Indústria do Esporte. Patrocínio direto no futebol brasileiro Indústria do Esporte Patrocínio direto no futebol brasileiro Abril 2011 Patrocínio Direto no Futebol Brasileiro Receitas com patrocínio direto no futebol brasileiro atingiram R$ 435 milhões em 2009 O valor

Leia mais

SEPLAN TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014 SEPLAN SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

SEPLAN TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014 SEPLAN SECRETARIA DE ESTADO DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO SEPLAN TRANSPORTE COMO CHAVE PARA O SUCESSO DA COPA DE 2014 AGENDA ESTRATÉGIA PERSPECTIVAS ECONÔMICAS MATRIZ DE RESPONSABILIDADES MONOTRILHO CONSIDERAÇÕES FINAIS ESTRATÉGIA Concepção Planejamento Execução

Leia mais

Modelo de desenvolvimento brasileiro (Crescimento econômico com inclusão social)

Modelo de desenvolvimento brasileiro (Crescimento econômico com inclusão social) GOVERNO FEDERAL E O DESENVOLVIMENTO DA REGIÃO NORTE Esther Bemerguy de Albuquerque SPI / MP Manaus, Maio de 2014 Modelo de desenvolvimento brasileiro (Crescimento econômico com inclusão social) Objetivos

Leia mais

Potencial da Indústria do Esporte no Brasil

Potencial da Indústria do Esporte no Brasil Potencial da Indústria do Esporte no Brasil setembro / 2010 Perspectivas Globais (indústria do esporte) Participação do esporte no PIB das nações desenvolvidas entre 2,0% e 2,5%. Na década d de 1990 participação

Leia mais

2.1 - SISTEMA ECONÔMICO

2.1 - SISTEMA ECONÔMICO Sistemas Econômicos 2.1 - SISTEMA ECONÔMICO Um sistema econômico pode ser definido como a forma na qual uma sociedade está organizada em termos políticos, econômicos e sociais para desenvolver as atividades

Leia mais

PANORAMA MACROECONÔMICO FÓRUM FINANCEIRO, COPLACANA PIRACICABA 30/11/2015

PANORAMA MACROECONÔMICO FÓRUM FINANCEIRO, COPLACANA PIRACICABA 30/11/2015 PANORAMA MACROECONÔMICO FÓRUM FINANCEIRO, COPLACANA PIRACICABA 30/11/2015 Contas Nacionais Contas Nacionais Contas Nacionais Contas Nacionais Contas Nacionais Inflação Taxa de Câmbio Taxa de Câmbio Taxa

Leia mais

Remoção de habitantes (famílias) de áreas de risco: solução para evitar tragédias. (?)

Remoção de habitantes (famílias) de áreas de risco: solução para evitar tragédias. (?) Remoção de habitantes (famílias) de áreas de risco: solução para evitar tragédias. (?) Áreas de Risco São áreas consideradas impróprias ao assentamento humano por estarem sujeitas a riscos naturais. Exemplo:

Leia mais

Megaeventos Esportivos: Uma Análise Econômica da Copa do Mundo de Futebol FIFA 2014, na Cidade de Natal/RN, Brasil

Megaeventos Esportivos: Uma Análise Econômica da Copa do Mundo de Futebol FIFA 2014, na Cidade de Natal/RN, Brasil Megaeventos Esportivos: Uma Análise Econômica da Copa do Mundo de Futebol FIFA 2014, na Cidade de Natal/RN, Brasil Discente: Elaine Carvalho de Lima Orientadora: Drª Maria do Livramento M. Clementino Natal/RN

Leia mais

CASE - MARKETING DE DESTINO PARA EVENTOS

CASE - MARKETING DE DESTINO PARA EVENTOS CASE - MARKETING DE DESTINO PARA EVENTOS Premissas Importantes Os eventos têm importância significativa na área do turismo, além de ser a atividade que mais crescem nesse segmento. Segundo Zanella (2003),

Leia mais

Composição da Área de Floresta Plantada no Brasil

Composição da Área de Floresta Plantada no Brasil Composição da Área de Floresta Plantada no Brasil Curitiba Fevereiro, 2014 1. INTRODUÇÃO Com objetivo de disponibilizar informação qualificada ao mercado de base florestal, a CONSUFOR desenvolveu uma pesquisa

Leia mais

Complexo Industrial da Saúde no Brasil Financiamento e Trajetória de Atuação do BNDES. Pedro Palmeira Filho 7º ENIFarMed São Paulo - agosto de 2013

Complexo Industrial da Saúde no Brasil Financiamento e Trajetória de Atuação do BNDES. Pedro Palmeira Filho 7º ENIFarMed São Paulo - agosto de 2013 Complexo Industrial da Saúde no Brasil Financiamento e Trajetória de Atuação do BNDES Pedro Palmeira Filho 7º ENIFarMed São Paulo - agosto de 2013 Agenda Evolução da indústria farmacêutica brasileira Atuação

Leia mais

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano SETORES DA ECONOMIA. Prof. Esp. Claudimar Fontinele

Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano SETORES DA ECONOMIA. Prof. Esp. Claudimar Fontinele Ciências Humanas e Suas Tecnologias - Geografia Ensino Médio, 3º Ano SETORES DA ECONOMIA Prof. Esp. Claudimar Fontinele ATIVIDADE ECONÔMICA PRIMÁRIA OU SETOR PRIMÁRIO DA ECONOMIA Denomina-se como Setor

Leia mais

Construir Parcerias quer dizer ter a oportunidade e a coragem de empreender, no mercado dos Países de Língua Portuguesa, de forma a se obter um

Construir Parcerias quer dizer ter a oportunidade e a coragem de empreender, no mercado dos Países de Língua Portuguesa, de forma a se obter um CRESCIMENTO DESENVOLVIMENTO PARCERIAS Construir Parcerias quer dizer ter a oportunidade e a coragem de empreender, no mercado dos Países de Língua Portuguesa, de forma a se obter um espaço (CONFEDERAÇÃO

Leia mais

PAIC confirma que 2005 não foi um ano bom para grande parte das empresas da construção

PAIC confirma que 2005 não foi um ano bom para grande parte das empresas da construção PAIC confirma que 2005 não foi um ano bom para grande parte das empresas da construção O balanço de final do ano de 2005 já mostrará que se não foi um ano perdido, os resultados frustraram as expectativas

Leia mais

IDH e Globalização. Uma longa viagem começa com um único passo (Lao Tsé).

IDH e Globalização. Uma longa viagem começa com um único passo (Lao Tsé). IDH e Globalização. Uma longa viagem começa com um único passo (Lao Tsé). O termo está vinculado à situação econômica e social das nações ricas ; Para atingir este estado, um país precisa de: 1. Controle

Leia mais

ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 PORTUGAL 2020

ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 PORTUGAL 2020 ACORDO DE PARCERIA 2014-2020 PORTUGAL 2020 1 Portugal 2020, o Acordo de Parceria (AP) que Portugal irá submeter à Comissão Europeia estrutura as intervenções, os investimentos e as prioridades de financiamento

Leia mais

2.6 Relações de Trabalho

2.6 Relações de Trabalho Por que Relações de Trabalho? No Brasil, o sistema legal e institucional que rege o mercado de trabalho é defasado, rígido e juridicamente inseguro, o que compromete a competitividade das empresas e o

Leia mais