APLICAÇÃO DO LEAN THINKING NO SETOR DA SAÚDE

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "APLICAÇÃO DO LEAN THINKING NO SETOR DA SAÚDE"

Transcrição

1 APLICAÇÃO DO LEAN THINKING NO SETOR DA SAÚDE Enf. Alex Silva Chefe do Departamento de Emergência Adulto Novembro/2016 Escritório Corporativo da Qualidade

2 Pronto Socorro Adulto Pompeia Estrutura 6 - Box Triagem 2 - Leitos Emergência 13 - Leitos Observação 38 - Poltronas Medicação 18 Consultórios Ortopedia Sala de Sutura

3 Pronto Socorro Adulto Pompeia Protocolos Gerenciados Protocolo de Sepse Protocolo de Dor Torácica Protocolo de AVE

4 Foco: Pronto Socorro Adulto Unidade Pompeia Objetivo Específico Buscar resultados dramaticamente melhores Objetivo Global Ser o melhor pronto socorro de São Paulo e do Brasil

5 Resultados Esperados: Qualidade do atendimento; Satisfação de pacientes; Satisfação dos profissionais; Otimização de recursos; Redução de desperdícios;

6 Contextualização do Estado Anterior Mudança Estrutura Física do PSA (Obras, Reforma) Adaptação de Áreas Provisórias para atendimento dos pacientes Implantação de Sistema Informatizado (MV/PEP) Aumento de Demanda de Atendimentos no PSA (surto Dengue) Instabilidade de Processos, Rotinas, Fluxos no atendimento geral

7 Contextualização do Estado Anterior Aumento do índice de insatisfação dos pacientes/acompanhant es (manifestações SAC) Tempos de espera para atendimento elevados Gestão do fluxo de documentos inadequado para cenário pós implantação de prontuário eletrônico Dificuldade para alcançar a meta do préfaturamento

8 Contramedidas Adotadas Antes do Início do Projeto Lean

9

10

11

12 FLUXO DE DOCUMENTO Retirada de Senha (Totem) Classificação de Risco Sistema eletronico (SACR) Cadastro Cadastro eletronico MV-PEP Impressão da Guia TISS, recepcionista solicita assinatura do paciente, coloca a guia na pasta de cor conforme classificação, entrega nas mãos do paciente (orienta a entreguar para o médico). Atendimento Médico Sala de Emergência Paciente é encaminhado diretamente para atendimento, classificação é realizada dentro da sala e o familiar/acompanhante direcionado para cadastro. Documentos serão impressos e gerenciados pela equipe na sala. Consultórios Área para aplicação de imagem Área para com aplicação muito destaque. imagem Médico recebe a guia TISS do paciente e assina a mesma, realiza o atendimento via sistema eletronico, imprime ficha de atendimento, prescrição médica (medicamentos, exames e laboratório), receitas, solicitações de exames imagem (entrega pedido para o paciente) e encaminhamentos. O pedido do exame laboratorial sairá na impressora do DASA. Observação Medicações e/ou Exames Laboratoriais/imagem Exames de Imagem Alta do consultório V Encaminhar paciente para Encaminhar paciente para espera espera do SADT. da Medicação. Imprimir pedido do exame Imprimir ficha de atendimento, (entregar o pedido ao Médico entrega receita, Prescrição Médica, pedido de paciente). encaminhamentos, atestados exame imagem e vincular a pasta Ficha de atendimento, e orienta alta ao paciente. junto a Guia Tiss assinada, Prescrição Médica do manter na pasta e colocar no exame e Guia Tiss, manter acrilico de pendências. na pasta e colocar no Título da apresentação acrilico de pendencias. 00/00/00

13 ESCRITURÁRIO Retira as pastas dos acrilicos de pendências, checa assinaturas de guia Tiss e todos os documentos pertencentes ao atendimento, conforme direcionamento acima. Verificar o encaminhamento do paciente, sendo: SOMENTE Exames Laboratoriais Manter no posto do escriturário no acrilico de exame Laboratorial pendente. V Medicações + Exames Laboratoriais/imagem Encaminhar as pastas para a sala de medicação e colocar nos acrílicos de acordo com cor de classificação SOMENTE Exames de Imagem Manter no posto do escriturário no acrilico de exame de imagem pendente. Alta do consultório Encaminhar no posto do escriturário para baixa de alta. Laboratório Medicação Fluxo finalizado Visualizar exames pendentes no painel de controle BIO (exames já integrados) e acrílico de Exames Laboratoriais Pendentes. 1. Chama pacientes pela senha no controle de sala (considerar só exames fila do BIO e pacientes já acomodados em poltrona, pedido impresso no acrílico com identificação da poltrona onde paciente está acomodado). 2. Realiza a coleta de exames e se somente exames atende e conclui no controle de sala e se tiver medicações atende na tela de controle de sala. 3. Realizar anotação de coleta no sistema (documento padrão) - não será necessário imprimir. Enfermeiro/Téc Enf, retira as pastas do acrilico, separa de Área acordo para com classificação aplicação de de imagem risco. Chama paciente pela senha. Acomoda paciente em Aumento de Demanda na sala de Medicação? sala amarela ou verde. Identifica Avaliar se o paciente tem condições de realizar o exame de Prontuário com número de imagem antes da medicação. Se sim, encaminhar o paciente para poltrona correspondente. o SADT com o pedido e orientar a retornar para a sala de Identifica medicamentos medicação. Manter a pasta com os documentos no acrilico de prescritos retira os aguardo de medicação - no SADT. Considerar medicamentos na farmácia (já demanda nas sala verdes e amarela, caso capacidade máxima separados previamente pela instalada, abrir sala de medicação 21, direcionar pacientes com requisição). Organiza no balcão classificação verde ou preto. conforme prioridade de classificação e horário de prescrição para a equipe concluir o atendimento. v Título da apresentação v v 00/00/00

14 OBS: Não será necessário o acesso aos documentos impressos pela equipe de laborátório. O processo será via sistema eletronico. Administra os medicamentos conforme PM, realiza checagem dos medicamentos prescritos, anotação de enfermagem de admissão, imprime documento de anotação e anexa junto a pasta do paciente. Exame laboratorial + Medicação: encaminhar paciente para a espera da medicação se coleta antes da medicação. Somente exame Laboratorial: orientar o paciente a aguardar liberação dos resultados na sala de espera (reavaliação médica). Ao termino da Medicação, realiza anotação de enfermagem, imprime os documentos de anotação, anexa junto a pasta com os documentos do paciente e direciona o fluxo de encaminhamento, sendo: Área para aplicação de imagem Reavaliação Médica pós laudo de exame laboratorial. Reavaliação Médica pós medicação Exame de imagem pendente Alta pós medicação Manter no acrilico de reavaliação médica. Encaminhar o paciente para o SADT com o pedido e manter o prontuário no acrilico de reavaliação pós exame. Avaliar conformidade em todos os documentos (guia TISS, ficha de atendimento, PM com medicamentos checados, anotação de enfermagem de admissão e alta) Título da apresentação 00/00/00

15 ESCRITURÁRIO (GESTOR DE FLUXO - DOCUMENTOS) Gerenciar todos os documentos separados na sala por acrilicos, organizando e direcionando as pendências, sendo: Reavaliação pós Exames Laboratoriais Reavaliação pós medicação Reavaliação pós Imagem Alta pós medicação Gerenciar no SISLU (gestor médico) liberação de laudo de exame e liberação de laudo na impressora. Encaminhar a pasta para o consultório médico responsável pela reavaliação. Acompanhar liberação de laudo no painel de sala de controle - liberação de laudo do SADT. Orientar paciente a retirada do laudo assinado pelo médico no SADT para encaminhar a reavaliação Escriturários: Avaliar conformidade em todos os documentos e assinaturas (guia TISS, ficha de atendimento, PM com medicamentos checados, anotação de enfermagem de admissão e alta). Fechar o prontuário para retirada do pré faturamento. Quando exame de Laboratório estiver liberado e impresso, colocar o laudo na pasta com todos os documentos para reavaliação. Encaminhar a pasta para o consultório médico responsável pela reavaliação. Quando exame de imagem estiver liberado, pegar a pasta com todos os documentos para reavaliação. Encaminhar a pasta para o consultório médico responsável pela reavaliação. Área para aplicação de imagem Fluxo finalizado Reavaliação médica Medico retira a pasta do acrilico de reavaliação, verifica a imagem ou laudo no sistema, chama o paciente através do painel de senha e realiza a reavaliação. Definição de conduta: -Alta; -Observação; -Internação. Escriturários: Recolhe todos os prontuários do acrílico de alta. Avaliar conformidade em todos os documentos e assinaturas (guia TISS, ficha de atendimento, PM com medicamentos checados, anotação de enfermagem de admissão e alta). Alta: Fechar o prontuário para retirada do pré faturamento. Observação/internação: Médico encaminha prontuário com guia tiss de internação e paciente junto, passa caso Título da apresentação 00/00/00 Fluxo finalizado

16 Início Projeto Lean - Contramedidas

17 Tempo de Espera para Triagem Área para aplicação de imagem Título da apresentação 00/00/00

18 Conformidade na Classificação de Risco Área para aplicação de imagem Título da apresentação 00/00/00

19 Tempo de Espera para Atendimento Médico (classificação verde) Área para aplicação de imagem Título da apresentação 00/00/00

20 Tempo de Espera para Medicação Sala Amarela Área para aplicação de imagem Título da apresentação 00/00/00

21 Tempo de Espera para Medicação Sala Verde Área para aplicação de imagem Título da apresentação 00/00/00

22 Performance Sistêmica Área para aplicação de imagem Título da apresentação 00/00/00

23 Manifestações Geral SAC PSA 2016 Área para aplicação de imagem Título da apresentação 00/00/00

24 Manifestações SAC Enfermagem PSA 2016 Área para aplicação de imagem Título da apresentação 00/00/00

25 Manifestações SAC Médico PSA 2016 Área para aplicação de imagem Título da apresentação 00/00/00

26 Pré-Faturamento PSA ANO 2015 ANO 2016 Área para aplicação de imagem Título da apresentação 00/00/00

27 Estado Futuro 2ª Fase do Projeto Mapear, planejar e implementar melhorias quanto a otimização do tempo nos processos de Laboratório Reduzir tempo de permanência Total do Paciente no PS Identificar pontos que impactam Mapear, planejar e implementar Área para aplicação de no imagem encaminhamento a unidade melhorias quanto a otimização do internação e ações para tempo nos processos de SADT otimização Mapear e elaborar ações dos Gaps que interferem na definição de conduta médica em até 3 horas na sala de observação Título da apresentação 00/00/00

28 Alex Sandro Araújo da Silva Chefe do Departamento de Emergência Adulto Área para aplicação de imagem Título da apresentação 00/00/00

ATENDIMENTO EMISSÃO DE GUIAS

ATENDIMENTO EMISSÃO DE GUIAS 82 5.2 RESULTADO DO PROCESSO 2: SATISFAÇÃO DO USUÁRIO Para controlar este processo foram utilizados os seguintess indicadores: - Atendimento na emissão de guias: visa verificar comoo o beneficiário está

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DE RISCO PROTOCOLO DE MANCHESTER. Ieda Marta Forte Coordenadora de Enfermagem UNIMED VALE DO SINOS

CLASSIFICAÇÃO DE RISCO PROTOCOLO DE MANCHESTER. Ieda Marta Forte Coordenadora de Enfermagem UNIMED VALE DO SINOS CLASSIFICAÇÃO DE RISCO PROTOCOLO DE MANCHESTER Ieda Marta Forte Coordenadora de Enfermagem UNIMED VALE DO SINOS PRONTO ATENDIMENTO DE NOVO HAMBURGO PANORAMA INTERNO ANTERIOR Priorização por ordem de chegada

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO FUNDAÇÃO FIAT SAÚDE E BEM ESTAR

1. IDENTIFICAÇÃO FUNDAÇÃO FIAT SAÚDE E BEM ESTAR 1 1 2 1. IDENTIFICAÇÃO FUNDAÇÃO FIAT SAÚDE E BEM ESTAR Razão Social: FUNDAÇÃO FIAT SAÚDE E BEM ESTAR CNPJ: 12.838.821/0001-80 Registro ANS: 41828-5 Inscrição Municipal: 130973/001-6 Inscrição Estadual:

Leia mais

Interface das Áreas do INTO RESUMO DE REVISÕES

Interface das Áreas do INTO RESUMO DE REVISÕES RESUMO DE REVISÕES Nº MÊS/ANO 1 / 6 MÊS/ANO DESCRIÇÃO PRÓX. REV. JAN/09 Emissão inicial JAN/12 MAI/12 Primeira revisão MAI/15 NOV/12 Segunda revisão NOV/15 SUMÁRIO 1 OBJETIVO 2 APLICAÇÃO 3 REFERÊNCIAS

Leia mais

Passo a Passo para Alterações Cadastrais. 1ª Etapa: Encaminhamento da solicitação de alteração de dados cadastrais

Passo a Passo para Alterações Cadastrais. 1ª Etapa: Encaminhamento da solicitação de alteração de dados cadastrais 1 Passo a Passo para Alterações Cadastrais 1ª Etapa: Encaminhamento da solicitação de alteração de dados cadastrais 1) A solicitação será efetuada pelo funcionário, que a encaminhará via sistema, para

Leia mais

Política de Avaliação Fisioterapêutica dos Pacientes e Continuidade do Cuidado NORMA Nº 001

Política de Avaliação Fisioterapêutica dos Pacientes e Continuidade do Cuidado NORMA Nº 001 1- Objetivo Página: 1/10 Estabelecer plano de cuidado e prestar atendimento fisioterapêutico às necessidades imediatas e continuadas do paciente interno e externo. 2- Definições 2.1 Plano de cuidado: visa

Leia mais

COORDENAÇÃO DO NÚCLEO CURRICULAR FLEXÍVEL PRÁTICAS EDUCATIVAS FICHA DE OBSERVAÇÃO - 1

COORDENAÇÃO DO NÚCLEO CURRICULAR FLEXÍVEL PRÁTICAS EDUCATIVAS FICHA DE OBSERVAÇÃO - 1 FICHA DE OBSERVAÇÃO - 1 ENFERMAGEM NOS CUIDADOS INTEGRAIS AO ADULTO E IDOSO NO PERÍODO PERI OPERATÓRIO Acadêmico: Curso: Período: Turno: Disciplina(s): Local: Campos de Observação: Profissional responsável

Leia mais

Manual Autorizador Web

Manual Autorizador Web Manual Autorizador Web Manual Autorizador Web É o sistema onde consultamos a Elegibilidade do pet para saber se o mesmo está APTO para atendimento, e onde fazemos a solicitação das guias referente aos

Leia mais

Versão: Índice Área: APOIO Área: ASSISTENCIAL Área: ATENDIMENTO Área: CONTROLADORIA Área: FATURAMENTO Área: FINANCEIRO Área: HOTELARIA

Versão: Índice Área: APOIO Área: ASSISTENCIAL Área: ATENDIMENTO Área: CONTROLADORIA Área: FATURAMENTO Área: FINANCEIRO Área: HOTELARIA 1 Versão: 2.2.1271 Índice Área: APOIO 02 Área: ASSISTENCIAL 03 Área: ATENDIMENTO 04 Área: CONTROLADORIA 06 Área: FATURAMENTO 07 Área: FINANCEIRO 08 Área: HOTELARIA 08 Área: SADT 08 Área: SUPRIMENTOS 08

Leia mais

Sistema Hospitalar - Prescrição Eletrônica v4.0

Sistema Hospitalar - Prescrição Eletrônica v4.0 Sistema Hospitalar - Prescrição Eletrônica v4.0 Manual do Usuário - Médico Versão 0.0 Histórico da Revisão DATA VERSÃO DESCRIÇÃO AUTOR 23/0/202 0.00 Criação do manual Silvio Zequinão 25/02/204 0.0 Revisão

Leia mais

Certificação Digital: O case do Samaritano

Certificação Digital: O case do Samaritano Certificação Digital: O case do Samaritano 04 de Maio de 2011 Gerenciamento de Informações nas Instituições em Saúde - Segurança" O objetivo é ser humano Índice I. O Hospital Samaritano II. III. IV. Implantação

Leia mais

Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado.

Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado. Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado. Uma maneira diferente de focar a avaliação. Processo interativo,

Leia mais

Universidade Federal Fluminense Faculdade de Medicina Planejamento e Gerência em Saúde II Estudo de Caso Serviço de Emergência ProntoBaby

Universidade Federal Fluminense Faculdade de Medicina Planejamento e Gerência em Saúde II Estudo de Caso Serviço de Emergência ProntoBaby Universidade Federal Fluminense Faculdade de Medicina Planejamento e Gerência em Saúde II Estudo de Caso Serviço de Emergência ProntoBaby Prof.ª Dra Luciana Alves Pereira Prof. Dr. Túlio Batista Franco

Leia mais

ADMISSÃO DA PACIENTE NA EMERGÊNCIA OBSTÉTRICA

ADMISSÃO DA PACIENTE NA EMERGÊNCIA OBSTÉTRICA ADMISSÃO DA PACIENTE NA ENFERMAGEM EMERGÊNCIA OBSTÉTRICA Rotinas Assistenciais da Maternidade-Escola da Universidade Federal do Rio de Janeiro ADMISSÃO DA PACIENTE NA EMERGÊNCIA OBSTÉTRICA É o atendimento

Leia mais

Intercâmbio Eletrônico Manual Detalhado Registro SADT - TISS

Intercâmbio Eletrônico Manual Detalhado Registro SADT - TISS Intercâmbio Eletrônico Manual Detalhado Registro SADT - TISS 1. Objetivos Melhorar a comunicação das solicitações de autorizações através do WAC (Portal Unimed) para atendimentos de beneficiários de outras

Leia mais

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR. Análise Crítica da Pré e Pós Certificação

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR. Análise Crítica da Pré e Pós Certificação ACREDITAÇÃO HOSPITALAR Análise Crítica da Pré e Pós Certificação A qualidade não é um conjunto de técnicas, é a maneira de pensar o seu próprio negócio e isso não da pra copiar. Fonte: hsm.com.br Hospital

Leia mais

Manual de Utilização do Módulo Operacional. í n d i c e. Passo 1: Visão geral 3. Passo 2: Como acessar o Consultório Online? 3

Manual de Utilização do Módulo Operacional. í n d i c e. Passo 1: Visão geral 3. Passo 2: Como acessar o Consultório Online? 3 í n d i c e Passo 1: Visão geral 3 Passo 2: Como acessar o Consultório Online? 3 Passo 3: Recursos disponíveis 4 Guias consulta / SADT (Solicitação, Execução com Guia e Autogerada): 4 Pesquisa de histórico

Leia mais

Matriz de Registros Controlados Revisão: 03 Página 1 de 9

Matriz de Registros Controlados Revisão: 03 Página 1 de 9 Matriz de Registros Controlados Revisão: 03 Página 1 de 9 Análise de Riscos Rede informatizada Senha Por produto Até revisar Ata de Reunião de Análise Crítica Qualidade Pasta Cronológica 2 anos Atas de

Leia mais

Gerenciador de Ambiente Laboratorial - GAL Manual do Usuário Módulo Controle de Qualidade Analítico

Gerenciador de Ambiente Laboratorial - GAL Manual do Usuário Módulo Controle de Qualidade Analítico Ministério da Saúde Secretaria Executiva Departamento de Informática do SUS DATASUS Gerenciador de Ambiente Laboratorial GAL Manual do Usuário Módulo Laboratório Manual de Operação_Módulo Laboratório_Controle

Leia mais

1. PROCESSO DE PREPARAÇÃO PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO OU TESE

1. PROCESSO DE PREPARAÇÃO PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO OU TESE PROCEDIMENTOS PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO/TESE E DIPLOMAÇÃO STRICTO SENSU 1. PROCESSO DE PREPARAÇÃO PARA DEFESA DE DISSERTAÇÃO OU TESE Aluno: Após integralizar os requisitos necessários para obtenção do

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE. Coordenadoria de Promoção da Segurança e Vigilância Ambiental. Análise de Riscos

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE. Coordenadoria de Promoção da Segurança e Vigilância Ambiental. Análise de Riscos UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE Coordenadoria de Promoção da Segurança e Vigilância Ambiental Análise de Riscos SIPAC/SIGAA Contato: cops@reitoria.ufrn.br 3342-2330 (Opção 1 Ramais 342; 343;

Leia mais

Bem-vindo ao curso para Atualização Profissional Anbima

Bem-vindo ao curso para Atualização Profissional Anbima Bem-vindo ao curso para Atualização Profissional Anbima Antes de iniciar seu processo de aprendizado, veja algumas orientações sobre o funcionamento deste curso. O curso foi desenvolvido pela professora

Leia mais

TIPO DE PRESTADOR: PROFISSIONAIS DE TERAPIAS

TIPO DE PRESTADOR: PROFISSIONAIS DE TERAPIAS TIPO DE PRESTADOR: PROFISSIONAIS DE TERAPIAS APRESENTAÇÃO DO PROCESSO DE AUTORIZAÇÃO CONSULTA E SESSÕES DE TERAPIAS NO PORTAL DA FUNDAÇÃO FIAT SAÚDE E BEM ESTAR Setembro de 2016 PORTAL DO PRESTADOR APRESENTAÇÃO

Leia mais

USO INTERNO. SGT Sistema de Gerenciamento de Treinamentos

USO INTERNO. SGT Sistema de Gerenciamento de Treinamentos Sistema de Gerenciamento de Treinamentos CONFIDENCIAL SISTEMA DE GESTÃO DE TREINAMENTOS Sistema corporativo criado para gerenciamento e interface das evidências dos treinamentos da UNF, com foco nas empresas

Leia mais

Sistema AGHU. Manual da Enfermagem. Versão 4.0

Sistema AGHU. Manual da Enfermagem. Versão 4.0 Sistema AGHU Manual da Enfermagem Versão 4.0 Data: 11/08/2016 Pacientes Internados A enfermagem poderá acompanhar os pacientes internados e situação dos leitos através do censo diário da sua unidade. 1)

Leia mais

SISTEMA DE RECURSOS HUMANOS. RH Online

SISTEMA DE RECURSOS HUMANOS. RH Online Campus de Botucatu Sistema de Recursos Humanos SISTEMA DE RECURSOS HUMANOS RH Online Mônica Cristina Fumis do Carmo Faculdade de Medicina de Botucatu Seção Técnica de Desenv. Adm de RH / Serviço Técnico

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS POLÍTICA DE ADMISSÃO, ALTERAÇÕES CADASTRAIS E DESLIGAMENTO DE FUNCIONÁRIOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS POLÍTICA DE ADMISSÃO, ALTERAÇÕES CADASTRAIS E DESLIGAMENTO DE FUNCIONÁRIOS MANUAL DE PROCEDIMENTOS Data Elaboração: 15/06/2016 Código: PTI-02 Elaborado por: Julio Cezar Nicolosi Gerente TI Área Responsável: Tecnologia da Informação Revisado por: Gabriele G. Heilig Coord. de Auditoria

Leia mais

Guias TISS As condições de preenchimento dos campos são: 1.Obrigatório: a situação na qual o termo deve ser preenchido, incondicionalmente;

Guias TISS As condições de preenchimento dos campos são: 1.Obrigatório: a situação na qual o termo deve ser preenchido, incondicionalmente; Guia Guias TISS 3.02.01 No TISS 3.02.00 a ANS definiu novo layout para troca de informações entre operadoras e prestadores de serviços, na autorização, cobrança, demonstrativos de pagamento e recurso de

Leia mais

TUTORIAL RECOLHA DE NOTAS. Recolhimento Eletrônico de NF-e

TUTORIAL RECOLHA DE NOTAS. Recolhimento Eletrônico de NF-e TUTORIAL RECOLHA DE NOTAS Recolhimento Eletrônico de NF-e ÍNDICE Página 3 a 10 Download XML Página 11 a 18 Tutorial Envio Nota Fiscal Abastecimento Página 19 a 27 Tutorial Envio Nota Fiscal Manutenção

Leia mais

Controle de antimicrobianos: como eu faço? Rodrigo Duarte Perez Coordenador da C.C.I.H. do H.S.I. Blumenau / SC

Controle de antimicrobianos: como eu faço? Rodrigo Duarte Perez Coordenador da C.C.I.H. do H.S.I. Blumenau / SC Controle de antimicrobianos: como eu faço? Rodrigo Duarte Perez Coordenador da C.C.I.H. do H.S.I. Blumenau / SC Hospital Santa Isabel 22.900m² de área construída. N total de leitos: 250. 20 leitos provisórios

Leia mais

Sistema Fumproate - Inscrição

Sistema Fumproate - Inscrição CARTILHA PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS NO Sistema Fumproarte - Inscrição Manual do Usuário Índice 1. Introdução...2 2. Conceitos iniciais...2 3. Orientações Gerais...3 3.1. Segurança do Sistema... 3 3.2.

Leia mais

Patrícia Santiago Carvalho Supervisora Bloco Operatório Patrícia do Carmo Lourenço Enfermeira da Central de Material e Esterilização

Patrícia Santiago Carvalho Supervisora Bloco Operatório Patrícia do Carmo Lourenço Enfermeira da Central de Material e Esterilização Patrícia Santiago Carvalho Supervisora Bloco Operatório Patrícia do Carmo Lourenço Enfermeira da Central de Material e Esterilização Unimed São José dos Campos - SP INTRODUÇÃO A origem da Campanha Cirurgias

Leia mais

ATRIBUIÇÕES DO PESSOAL NA SALA DE OBSERVAÇÃO ( AMARELOS E VERDES )

ATRIBUIÇÕES DO PESSOAL NA SALA DE OBSERVAÇÃO ( AMARELOS E VERDES ) ATRIBUIÇÕES DO PESSOAL NA SALA DE OBSERVAÇÃO ( AMARELOS E VERDES ) DO SERVIÇO MÉDICO da emergência: Receber o paciente na sala de observação ( amarelos e verdes ), priorizando-o em relação aos consultórios

Leia mais

INTERNAÇÃO (Avenida do Contorno, 9530 )

INTERNAÇÃO (Avenida do Contorno, 9530 ) INTERNAÇÃO (Avenida do Contorno, 9530 ) Atualizado em 30/11/2015 INFORMAÇÕES IMPORTANTES Convênios Atendidos Todos listados no Manual do Faturamento O que compõe a Diária: Leito próprio (cama ou berço)

Leia mais

Utilização do Sistema Foundation Saúde

Utilização do Sistema Foundation Saúde Utilização do Sistema Foundation Saúde Versão 1 - ABR/2015 1 SUMÁRIO 1. Site...3 2. Trocar a senha...4 3. Menu Foundation...5 4.Envio de arquivos...6 5. Impressão do Protocolo...8 6. Erros...9 7. Consultar

Leia mais

Grupo de Estudos (Tiss 3.0) Faturamento

Grupo de Estudos (Tiss 3.0) Faturamento Grupo de Estudos (Tiss 3.0) Faturamento Rua Joaquim Cordeiro, 369 Bairro Cazeca Uberlândia/MG. CEP: 38400-030 Telefone: (34) 3236-9614 www.bolsin.net RESOLUÇÃO NORMATIVA - RN Nº 305, DE 9 DE OUTUBRO DE

Leia mais

PROTOCOLO DE EVASÃO. Data Versão/Revisões Descrição Autor 12/11/ Proposta inicial DP, AM, DL, MR

PROTOCOLO DE EVASÃO. Data Versão/Revisões Descrição Autor 12/11/ Proposta inicial DP, AM, DL, MR 1 de 9 PROTOCOLO Data de Emissão: Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta inicial DP, AM, DL, MR 1 Objetivo Resguardar direito do paciente em recusar tratamento

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho ÁREA DE PESSOAL IT. 29 02 1 / 7 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para a realização das atividades da Área de Pessoal. 1. DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA CLT Consolidação das Leis Trabalhistas. DS. 06 Manual

Leia mais

1. Página Inicial. 2. Validação de Beneficiário. 3. Planos atendidos. 4. Autorizações. 5. Faturamento Digitação do Faturamento

1. Página Inicial. 2. Validação de Beneficiário. 3. Planos atendidos. 4. Autorizações. 5. Faturamento Digitação do Faturamento manual manual sumário 1. Página Inicial 2. Validação de Beneficiário 3. Planos atendidos 4. Autorizações 5. Faturamento 5.1. Digitação do Faturamento 5.2. Envio de Arquivo XML 5.3. Informe de Rendimento

Leia mais

P R O C E D I M E N T O O P E R A C I O N A L P A D R Ã O

P R O C E D I M E N T O O P E R A C I O N A L P A D R Ã O Encaminhamos pela presente, Norma e Procedimento que implanta e define a sistemática de do HOSPITAL SANTA ROSA. Controle Nome/Cargo Assinatura Elaborado por: Revisado por: Aprovado por: Allessandra Craice

Leia mais

REMUNERAÇÃO MÉDICA E MODELO ASSISTENCIAL E GERENCIAL

REMUNERAÇÃO MÉDICA E MODELO ASSISTENCIAL E GERENCIAL REMUNERAÇÃO MÉDICA E MODELO ASSISTENCIAL E GERENCIAL ENCONTRO NACIONAL UNIMED DE RECURSOS E SERVIÇOS PRÓPRIOS SÃO PAULO, 05 DE MAIO 2011 UNIMED SÃO JOSÉ DOS CAMPOS PAULO CESAR PRADO JR. GERENTE EXECUTIVO

Leia mais

MÓDULO 31: PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL - PCMSO

MÓDULO 31: PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL - PCMSO MÓD: 31 MANUAL DE PESSOAL VIG: 06.10.2014 1/3 MÓDULO 31: PROGRAMA DE CONTROLE MÉDICO DE SAÚDE OCUPACIONAL - PCMSO CAPÍTULO 2: REALIZAR EXAME MÉDICO PERIÓDICO ANEXOS: 1 Fluxo do Subprocesso de Realizar

Leia mais

Instruções de Uso Coordenadoria de Ensino, Pesquisa e Educação Permanente (CEPEP)/ISGH

Instruções de Uso Coordenadoria de Ensino, Pesquisa e Educação Permanente (CEPEP)/ISGH Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP) Instruções de Uso Coordenadoria de Ensino, Pesquisa e Educação Permanente (CEPEP)/ISGH Processos realizados no PEP Admissão de Pacientes; Prescrição Médica e de

Leia mais

Projetos e Metas do Intercâmbio Nacional para 2017

Projetos e Metas do Intercâmbio Nacional para 2017 Projetos e Metas do Intercâmbio Nacional para 2017 Carla Sales Ingressou no sistema Unimed em 1995 Unimed do Brasil; Participou dos processos ligados ao atendimento durante a Criação da Central Nacional

Leia mais

GERENCIAMENTO DE RISCO DE QUEDA

GERENCIAMENTO DE RISCO DE QUEDA 1 de 5 PROTOCOLO Data de Emissão: Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autores 1.00 Proposta inicial MGO,ESS,MRM,PAD,GAA,FCA,AMR,RRM 1 Objetivo Implantar um processo de assistência

Leia mais

MANUAL DE PROCESSOS AMB07A - PROVER EXA- MES DE IMAGEM AO PACIEN- TE AMBULATORIAL

MANUAL DE PROCESSOS AMB07A - PROVER EXA- MES DE IMAGEM AO PACIEN- TE AMBULATORIAL MANUAL DE PROCESSOS AMB07A - PROVER EXA- MES DE IMAGEM AO PACIEN- TE AMBULATORIAL SUMÁRIO GLOSSÁRIO (SIGLAS, SIGNIFICADOS)... 3 I. OBJETIVO DO PROCESSO... 5 II. ÁREAS ENVOLVIDAS... 5 III. DESCRIÇÃO DAS

Leia mais

Patricia Santiago Carvalho Grasiela Scavassa Costa Suelen Catarino Sampaio

Patricia Santiago Carvalho Grasiela Scavassa Costa Suelen Catarino Sampaio Patricia Santiago Carvalho Grasiela Scavassa Costa Suelen Catarino Sampaio Santos Dumont Hospital Média e alta complexidade Inaugurado em 2009 10 leitos UTI geral 10 leitos UCO 69 leitos de internações

Leia mais

QUALIFICAÇÃO DA REDE HOSPITALAR UNIMED VITÓRIA

QUALIFICAÇÃO DA REDE HOSPITALAR UNIMED VITÓRIA QUALIFICAÇÃO DA REDE HOSPITALAR UNIMED VITÓRIA 18 de Novembro de 2016 UNIMED VITÓRIA / ES 328.000 CLIENTES, SENDO DESTES, 32.000 EM ATENÇÃO PRIMÁRIA; 2.360 MÉDICOS COOPERADOS; 260 PRESTADORES DE SERVIÇO;

Leia mais

Manual de Uso. e-protocolo. (Apresentação on-line) v.1

Manual de Uso. e-protocolo. (Apresentação on-line) v.1 Manual de Uso e-protocolo (Apresentação on-line) Primeiro, acesse o site www.registradores.org.br. É possível realizar o acesso de três maneiras no menu lateral Serviços, dependendo do seu tipo de cadastro:

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão (POP) Núcleo de Segurança do Paciente - COSEP - NUVISAH Título: Mecanismos de Identificação do Paciente.

Procedimento Operacional Padrão (POP) Núcleo de Segurança do Paciente - COSEP - NUVISAH Título: Mecanismos de Identificação do Paciente. Procedimento Operacional Padrão (POP) Núcleo de Segurança do Paciente - COSEP - NUVISAH Título: Mecanismos de Identificação do Paciente. POP nº 01 - NUVISAH/HU Versão: 01 Próxima revisão: 11/09/2014 Elaborado

Leia mais

Índice. Como acessar o sistema?...3. Painel...3. Nova Solicitação...4. Prazos...5. Anexar Arquivos...5. Ícones...6

Índice. Como acessar o sistema?...3. Painel...3. Nova Solicitação...4. Prazos...5. Anexar Arquivos...5. Ícones...6 Nova Versão Índice Como acessar o sistema?...3 Painel...3 Nova Solicitação...4 Prazos...5 Anexar Arquivos...5 Ícones...6 Notificação de alteração de status...6 Status...6 Enviando uma Mensagem...7 Avaliação...7

Leia mais

Manual de emissão e impressão guias Padrão TISS 3.0.2

Manual de emissão e impressão guias Padrão TISS 3.0.2 Manual de emissão e impressão guias Padrão TISS 3.0.2 Pré requisito: O sistema WebPlan está homologado para os seguintes navegadores de internet: - Microsoft Internet Explorer Versão 9 ou superior. - Google

Leia mais

Portal do Docente. Veja abaixo o esquema de funcionalidades disponíveis. Apenas os docentes e

Portal do Docente. Veja abaixo o esquema de funcionalidades disponíveis. Apenas os docentes e Portal do Docente Os professores da instituição poderão cadastrar manifestações para a ouvidoria e acompanhá-las. Além disso, podem ser designados para dar uma resposta para manifestações cadastradas por

Leia mais

Desenvolvimento de um Conjunto de Processos de Governança de Tecnologia de Informação para uma Instituição de Ensino Superior

Desenvolvimento de um Conjunto de Processos de Governança de Tecnologia de Informação para uma Instituição de Ensino Superior Desenvolvimento de um Conjunto de Processos de Governança de Tecnologia de Informação para uma Instituição de Ensino Superior Ângela F. Brodbeck (Escola de Administração) Jussara I. Musse (Centro de Processamento

Leia mais

Gordura (g/100g) Mínimo de 3,0. Sólidos Não-Gordurosos (g/100g) Mínimo de 8,4. Acidez em ácido lático (g/100ml) 0,14 a 0,18

Gordura (g/100g) Mínimo de 3,0. Sólidos Não-Gordurosos (g/100g) Mínimo de 8,4. Acidez em ácido lático (g/100ml) 0,14 a 0,18 1. INTRODUÇÃO Atualmente se compreende como leite de qualidade os que seguem os parâmetros de composição química eigidos pela Instrução Normativa Nº62 (IN 62) do MAPA e que sejam seguidos procedimentos

Leia mais

A Vale/PASA tem duas datas de pagamento no mês. Sendo assim, fique atento às datas de entrega de suas guias e notas fiscais neste ano que se inicia.

A Vale/PASA tem duas datas de pagamento no mês. Sendo assim, fique atento às datas de entrega de suas guias e notas fiscais neste ano que se inicia. Rio de Janeiro, 23 de dezembro de 2014. PASA/CE 19/14 Assunto: Orientações para 2015 Prezado(a) credenciado(a), Seguem informações pertinentes ao cronograma de entrega de Guias TISS e Notas Fiscais para

Leia mais

Portal Webrecivil Módulo CPF

Portal Webrecivil Módulo CPF Portal Webrecivil Módulo CPF Manual do usuário Data: 21/12/2015 Versão documento: 1.0 Prefácio 1. COMO LOGAR NO SISTEMA WEBRECIVIL... 03 2. COMO ACESSAR O MÓDULO CPF... 03 3. ENTENDENDO A TELA DO CPF...

Leia mais

Para acessar o novo Portal do SAEPRO digite em seu navegador de internet: saepro.jundiai.sp.gov.br

Para acessar o novo Portal do SAEPRO digite em seu navegador de internet: saepro.jundiai.sp.gov.br Para acessar o novo Portal do SAEPRO digite em seu navegador de internet: saepro.jundiai.sp.gov.br Você também pode acessar o portal SAEPRO a partir do portal da Prefeitura do Município de Jundiaí. O ícone

Leia mais

MANUAL DO CLIENTE SISTEMA DE AGENDAMENTO ELETRÔNICO SAÚDE OCUPACIONAL

MANUAL DO CLIENTE SISTEMA DE AGENDAMENTO ELETRÔNICO SAÚDE OCUPACIONAL MANUAL DO CLIENTE SISTEMA DE AGENDAMENTO ELETRÔNICO SAÚDE OCUPACIONAL ÍNDICE: A) PARA ACESSAR A PÁGINA DA SAÚDE OCUPACIONAL B) LOGAR A PÁGINA WEB C) REALIZAR UM EXAME ADMISSIONAL D) REALIZAR UM EXAME DEMISSIONAL,

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DA FARMÁCIA AGHU

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DA FARMÁCIA AGHU MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DA FARMÁCIA AGHU Pré- requisitos: - Perfil de acesso do funcionário - Cadastro do funcionário na farmácia que poderá ocorrer a dispensação. - Cadastro das unidades de internação.

Leia mais

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 0558-2009-01 MÉDICO FISIATRA DS/REABILITAÇÃO R$ 4.105,18-20 horas semanais SESI-SP

EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 0558-2009-01 MÉDICO FISIATRA DS/REABILITAÇÃO R$ 4.105,18-20 horas semanais SESI-SP EDITAL DE PROCESSO SELETIVO Nº 0558-2009-01 MÉDICO FISIATRA DS/REABILITAÇÃO R$ 4.105,18-20 horas semanais SESI-SP A Diretoria de Recursos Humanos do SESI-SP abre inscrições para candidatos interessados

Leia mais

EDMS: conceito básico

EDMS: conceito básico EDMS Engineering Document Management System Gestão Eletrônica de Documentos - GED EDMS: conceito básico Propósito: Gerenciar documentos técnicos da empresa durante todo o Ciclo de Vida, seja na fase de

Leia mais

Orientações: Teleconsultorias Clínica e de Organização do Processo de Trabalho

Orientações: Teleconsultorias Clínica e de Organização do Processo de Trabalho telessaude.sc.gov.br telessaude.sc@saude.sc.gov.br (48) 3212 3505 Orientações: Teleconsultorias Clínica e de Organização do Processo de Trabalho O que é? Consulta registrada e realizada entre trabalhadores,

Leia mais

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos Gestão de Processos na Saúde Marcelo.Aidar@fgv.br 1 Gestão de Processos Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos 2 O Ambiente de Negócios e os Stakeholders AMBIENTE DE AÇÃO INDIRETA

Leia mais

Debate em foco Tendências e Inovação no Segmento Hospitalar. Inovação na Farmácia Hospitalar

Debate em foco Tendências e Inovação no Segmento Hospitalar. Inovação na Farmácia Hospitalar Debate em foco Tendências e Inovação no Segmento Hospitalar Inovação na Farmácia Hospitalar Nossa instituição hoje 439 Leitos Operacionais UTI com 57 leitos Unidades Críticas 62 leitos 19 Salas Cirúrgicas

Leia mais

P R O C E D I M E N T O O P E R A C I O N A L P A D R Ã O

P R O C E D I M E N T O O P E R A C I O N A L P A D R Ã O Encaminhamos pela presente, Norma e Procedimento que implanta e define a sistemática de Admissão de Paciente na Sala de Pós-Operatório Imediato de Cirurgia Cardíaca na Unidade de tratamento Intensivo cardiológica

Leia mais

Guia do Paciente Unidades de Pronto Atendimento

Guia do Paciente Unidades de Pronto Atendimento Guia do Paciente Unidades de Pronto Atendimento Seja bem-vindo! Este guia foi desenvolvido especialmente para orientá-lo durante a permanência no Pronto Atendimento. A leitura deste material é muito importante.

Leia mais

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO PARA O TRABALHO NA ENFERMAGEM Ampliando Conhecimentos

PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO PARA O TRABALHO NA ENFERMAGEM Ampliando Conhecimentos PROGRAMA DE QUALIFICAÇÃO PARA O TRABALHO NA ENFERMAGEM Ampliando Conhecimentos Autores Ananda Hoffmann Sandra da Silva Kinalski Silvia Furian El Ammar Ijuí, Rio Grande do Sul Objetivos Qualificar Técnicos

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA ENTREGA MENSAL DE DOCUMENTAÇÃO DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS CAJAMAR SKF FÁBRICA JORANESIA C.D SKF CAJAMAR ICS EXTERNO -SF

PROCEDIMENTO PARA ENTREGA MENSAL DE DOCUMENTAÇÃO DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS CAJAMAR SKF FÁBRICA JORANESIA C.D SKF CAJAMAR ICS EXTERNO -SF PROCEDIMENTO PARA ENTREGA MENSAL DE DOCUMENTAÇÃO DE OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS CAJAMAR SKF FÁBRICA JORANESIA C.D SKF CAJAMAR ICS EXTERNO -SF ÍNDICE Dica! Para ler sobre um Tópico, clique na Página relacionada

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CARIRI DIRETORIA DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL REGISTRO NACIONAL DE ESTRANGEIRO (RNE)

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CARIRI DIRETORIA DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL REGISTRO NACIONAL DE ESTRANGEIRO (RNE) UNIVERSIDADE FEDERAL DO CARIRI DIRETORIA DE COOPERAÇÃO INTERNACIONAL REGISTRO NACIONAL DE ESTRANGEIRO (RNE) Instruções para Tirar RNE na Polícia Federal e CPF nos Correios O documento de permanência temporária

Leia mais

Manual Operacional Autorização WEB

Manual Operacional Autorização WEB Manual Operacional Autorização WEB ÍNDICE Capítulo I Autorização Web 03 1.1 Acesso ao site 03 1.2 Login e senha 03 1.3 Página inicial 04 1.4 Emissão de guias 05 1.4.1 Guia de consulta 05 1.4.2 Guia de

Leia mais

NORMAS DE ATENDIMENTO A CONVÊNIOS E PARTICULARES

NORMAS DE ATENDIMENTO A CONVÊNIOS E PARTICULARES NORMAS DE ATENDIMENTO A CONVÊNIOS E PARTICULARES Conceitos CONSULTAS Atendimentos sem urgência por ordem de chegada. Não existe dentro do Pronto-Socorro e em nenhum local do hospital prévia marcação de

Leia mais

GERIR O TRÂMITE DE EXPEDIENTES 1 OBJETIVO

GERIR O TRÂMITE DE EXPEDIENTES 1 OBJETIVO Proposto por: Serviço de Mensageria () Analisado por: Diretor do Departamento de Infraestrutura Operacional (DEIOP) Aprovado por: Diretor Geral da Diretoria- Geral de Logística (DGLOG) 1 OBJETIVO Estabelecer

Leia mais

Manual de navegação ao Portal AMS TISS

Manual de navegação ao Portal AMS TISS Manual de navegação ao Portal AMS TISS Sumário Página Inicial... 3 Item de menu: Beneficiário Validação... 9 Item de Menu: Autorização... 11 Item de Menu: Digitação de Faturamento... 24 Item de Menu: Transferência

Leia mais

Passo a Passo para Solicitação de Reembolso do Benefício Farmácia

Passo a Passo para Solicitação de Reembolso do Benefício Farmácia Passo a Passo para Solicitação de Página 1 Introdução Os empregados da Petrobras poderão utilizar o sistema Botão Compartilhado Web para registrar a sua solicitação de reembolso do benefício farmácia.

Leia mais

Módulo Prontuário de Saúde do Sistema de Recursos Humanos da UFRGS

Módulo Prontuário de Saúde do Sistema de Recursos Humanos da UFRGS Módulo Prontuário de Saúde do Sistema de Recursos Humanos da UFRGS Instituição: Universidade Federal do Rio Grande do Sul Autores: Ricardo Vieira Analista de Tecnologia da Informação José Luis Machado

Leia mais

Sistema de Gestão de reservas Online

Sistema de Gestão de reservas Online Sistema de Gestão de reservas Online Sumário 1. Objetivo... 2. Fluxo processo...... 2.1 Planejamento... 2.2 Logística... 3. Sistema de Gestao de reservas... 3.1 Acesso planejamento... 3.2 Radar... 3.3

Leia mais

Intercâmbio Eletrônico Diretoria de Integração Cooperativista e Mercado Dr. Valdmário Rodrigues Jr

Intercâmbio Eletrônico Diretoria de Integração Cooperativista e Mercado Dr. Valdmário Rodrigues Jr Intercâmbio Eletrônico Diretoria de Integração Cooperativista e Mercado Dr. Valdmário Rodrigues Jr Clientes no Intercâmbio Intercâmbio Eletrônico Nacional Intercâmbio Um diferencial da marca e um desafio

Leia mais

Manual WAC TISS Solicitação de SP/SADT. Unimed Pelotas:: Manual WAC TISS SADT

Manual WAC TISS Solicitação de SP/SADT. Unimed Pelotas:: Manual WAC TISS SADT Manual WAC TISS 3.02.00 Solicitação de SP/SADT Unimed Pelotas:: Manual WAC TISS SADT 1 Apresentação A partir do dia 31 de agosto de 2014, passa a vigorar a versão 3.02.00 do Padrão para Troca de Informação

Leia mais

MANUAL DE PROCESSOS EME01 - INTERNAR PACIENTE DO PRONTO SOCORRO

MANUAL DE PROCESSOS EME01 - INTERNAR PACIENTE DO PRONTO SOCORRO MANUAL DE PROCESSOS EME01 - INTERNAR PACIENTE DO PRONTO SOCORRO SUMÁRIO GLOSSÁRIO (SIGLAS, SIGNIFICADOS)... 3 I. OBJETIVO DO PROCESSO... 5 II. ÁREAS ENVOLVIDAS... 5 III. DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES... 5 IV.

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA INVENTÁRIO

ORIENTAÇÕES PARA INVENTÁRIO AMBC Consultoria e Desenvolvimento de Sistemas Ltda. 1/5 Procedimentos Corporate Systems ORIENTAÇÕES PARA INVENTÁRIO Versão 1.0 11/05/2016 São Paulo AMBC Consultoria e Desenvolvimento de Sistemas Ltda.

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec Professora Ermelinda Giannini Teixeira Código: 187 Município: SANTANA DE PARNAIBA Eixo Tecnológico: Gestão e Negócio Habilitação Profissional: Técnico

Leia mais

PROAP - Pró Reitoria de Administração e Planejamento

PROAP - Pró Reitoria de Administração e Planejamento PROAP - Pró Reitoria de Administração e Planejamento Detalhamento das Funções do Sistema PMI - Plano de Metas Institucional Este módulo tem como objetivo mostrar como é feita a inserção de metas no site,

Leia mais

1. REDISTRIBUIÇÃO ENTRE VARAS

1. REDISTRIBUIÇÃO ENTRE VARAS Procedimento Operacional Padrão nº 4 REDISTRIBUIÇÃO DE PROCESSOS Este Procedimento Operacional Padrão descreve as ações que deverão ser adotadas pelos servidores para a redistribuição de processos entre

Leia mais

PROTOCOLO PARA COLETA DE HEMOCULTURA

PROTOCOLO PARA COLETA DE HEMOCULTURA PARA COLETA 1 de 5 Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta inicial EB, MS RESUMO Descrever técnica correta para coleta de hemocultura e conduta frente a possíveis

Leia mais

Guia de Uso. Certisign MobileID - Apple IOS

Guia de Uso. Certisign MobileID - Apple IOS Certisign Certificadora Digital Certisign 2016 2/67 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 3 3. REQUISITOS... 3 4. SOLICITAÇÃO DO CERTIFICADO DIGITAL PARA O MOBILEID... 4 5. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO

Leia mais

TEMPORADA 2016 SRS. COORDENADORES E PROFESSORES,

TEMPORADA 2016 SRS. COORDENADORES E PROFESSORES, TEMPORADA 2016 SRS. COORDENADORES E PROFESSORES, SEGUE UM PASSO A PASSO PARA INSCRIÇÃO PARA NOVAS ESCOLAS DA LIGA LE2 TEMPORADA 2016. QUALQUER DÚVIDA ENVIE UM EMAIL PARA O SEU COORDENADOR DE MODALIDADE.

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho

SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE IT Instrução de Trabalho OUVIDORIA IT. 11 11 1 / 5 1. OBJETIVO Estabelecer diretrizes para o atendimento ao profissional, empresa e leigo, bem como, à sociedade em geral que faça uso dos serviços prestados pelos profissionais

Leia mais

Consultório Online Manual de Utilização do Módulo Operacional. í n dice. Passo 1: Visão geral 3 Passo 2: Como acessar o Consultório Online?

Consultório Online Manual de Utilização do Módulo Operacional. í n dice. Passo 1: Visão geral 3 Passo 2: Como acessar o Consultório Online? í n dice Passo 1: Visão geral 3 Passo 2: Como acessar o Consultório Online? 3 Passo 3: Recursos disponíveis 4 Guias consulta / SADT (Solicitação, Execução com Guia e Autogerada): 4 Pesquisa de histórico

Leia mais

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde O Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES foi implantado em 29 de dezembro de 2000, através da Portaria SAS n.º 511. O CNES abrange a todos os estabelecimentos

Leia mais

ANEXO I QUADRO DE VAGAS EQUIPE DE APOIO UPA PREFEITURA MUNICIPAL TATUI INSTITUTO HYGIA SAÚDE E DESENVOLVIMENTO SOCIAL SALÁRIO BASE

ANEXO I QUADRO DE VAGAS EQUIPE DE APOIO UPA PREFEITURA MUNICIPAL TATUI INSTITUTO HYGIA SAÚDE E DESENVOLVIMENTO SOCIAL SALÁRIO BASE ANEXO I QUADRO DE VAGAS EQUIPE DE APOIO UPA PREFEITURA MUNICIPAL TATUI INSTITUTO HYGIA SAÚDE E DESENVOLVIMENTO SOCIAL CARGO CARGA HORÁRIA VAGAS VAGAS PCD REQUISITOS ATRIBUIÇÕES SALÁRIO BASE ANALISTA DPTO

Leia mais

MANUAL DE USO DO SUPORTE

MANUAL DE USO DO SUPORTE MANUAL DE USO DO SUPORTE Buscando melhorar o nível dos nossos serviços, investimos na aquisição de um sistema especialista em atendimento (Qualitor), onde implementaremos as práticas de ITIL¹ e SLA² no

Leia mais

RETIRADA DE INTRODUTOR VASCULAR FEMURAL

RETIRADA DE INTRODUTOR VASCULAR FEMURAL 1 de 7 PROTOCOLO Data de Emissão: Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta inicial RN, JM 1 Objetivo: A realização da retirada do introdutor femoral realizada pelo

Leia mais

MEDICAMENTO DE USO PRÓPRIO - DOMICILIAR

MEDICAMENTO DE USO PRÓPRIO - DOMICILIAR 1 de 5 PROTOCOLO Data de Emissão: Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta CESC, FA, LAS, RFC. 1 Objetivo Validar Estabelecer processo de segurança para o paciente

Leia mais

Preencher Formulário de Avaliação do Gestor. Avaliação de Desempenho

Preencher Formulário de Avaliação do Gestor. Avaliação de Desempenho Preencher Formulário de Avaliação do Gestor Sumário 1. Introdução... 3 2. Acessar o Portal... 3 3. Consulta Histórico Avaliação de Competências... 5 4. Preencher formulárioo de avaliação... 6 2 1. Introdução

Leia mais

A Função de Compliance na Banca Comercial Objetivos Gerais: Já faz algum tempo que as Auditorias das organizações expandiram muito o escopo de seus trabalhos e a complexidade das suas atividades e, como

Leia mais

UNIMED SANTA BARBÁRA D OESTE AMERICANA E NOVA ODESSA. Manual Médico EMED Manual Versão 1.3

UNIMED SANTA BARBÁRA D OESTE AMERICANA E NOVA ODESSA. Manual Médico EMED Manual Versão 1.3 UNIMED SANTA BARBÁRA D OESTE AMERICANA E NOVA ODESSA Manual Médico EMED 2.2.6 Manual Versão 1.3 Sumário 1. MÓDULO CLÍNICO... 4 1.1. Como acessar o sistema... 4 1.2. Alterar Senha... 5 1.3. Assinatura de

Leia mais

São Paulo, 09 de Abril de Ofício Lote III n.º 004/2010

São Paulo, 09 de Abril de Ofício Lote III n.º 004/2010 Ofício Lote III n.º 004/2010 São Paulo, 09 de Abril de 2010. Prezada Senhora, Através deste, encaminhamos o Relatório dos Indicadores Gerais de Acompanhamento e Avaliação da Gestão, dos Indicadores de

Leia mais

MANUAL DE PROCESSOS INF03 - ACOMPANHAR PROJETO DE OBRA

MANUAL DE PROCESSOS INF03 - ACOMPANHAR PROJETO DE OBRA MANUAL DE PROCESSOS INF03 - ACOMPANHAR PROJETO DE OBRA SUMÁRIO GLOSSÁRIO (SIGLAS, SIGNIFICADOS)... Erro! Indicador não definido. I. OBJETIVO DO PROCESSO... 5 II. ÁREAS ENVOLVIDAS... 5 III. DESCRIÇÃO DAS

Leia mais

GUIA PRÁTICO DO ALUNO PÓS-GRADUAÇÃO EAD

GUIA PRÁTICO DO ALUNO PÓS-GRADUAÇÃO EAD GUIA PRÁTICO DO ALUNO PÓS-GRADUAÇÃO EAD Sumário APRESENTAÇÃO...03 1. PORTAL UNIVERSITÁRIO...04 1.1. PERFIL...06 1.2. PROTOCOLO...06 1.3. NOTAS...09 1.4. FINANCEIRO...10 1.5. HORÁRIO...10 1.6. BIBLIOTECA

Leia mais