Interligação entre Sistemas SMS e o Serviço de Mensagens Instantâneas do Second Life

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Interligação entre Sistemas SMS e o Serviço de Mensagens Instantâneas do Second Life"

Transcrição

1 Interligação entre Sistemas SMS e o Serviço de Mensagens Instantâneas do Second Life Pereira, Jean*; Valério, Sérgio*; Serôdio, Carlos**; Morgado, Leonel***; Mestre, Pedro**; Carvalho, Fausto**** * UTAD Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro ** CITAB - Centro de Investigação e de Tecnologias Agro-Ambientais e Biológicas, UTAD Universidade de Trásos-Montes e Alto Douro *** GECAD - Grupo de Investigação em Engenharia do Conhecimento e Apoio à Decisão, UTAD Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro **** PT Inovação Portugal Telecom Inovação S.A. Resumo: Este artigo apresenta um sistema para dotar o Second Life de comunicação e interacção com telemóveis no mundo exterior através de mensagens escritas curtas. Foi desenvolvida uma aplicação que permite o envio/recepção de texto através do Short Message Service de uma forma bidireccional, isto é, do Second Life para o telemóvel e viceversa. Esta aplicação permite ao utilizador in-world aceder às capacidades Short Message Service tal como acontece no uso de um dispositivo móvel físico. Palavras-chave: Second Life, SL, Short Message Service, SMS, Tomcat, Drupal Abstract: This article presents a system that provides Second Life users a way of interaction and communication with cellphones within the outer world using short messages. An application was developed that allows users to send and receive texts using the Short Message Service in a bidirectional way, that is, from Second Life to the cellphone and vice-versa. This application allows an in-world user to access Short Message Service capabilities as he/she would with a physical mobile device. Keywords: Second Life, SL, Short Message Service, SMS, Tomcat, Drupal 1 INTRODUÇÃO Esta aplicação nasce de um trabalho da disciplina Projecto da Licenciatura em Eng. Electrotécnica e de Computadores da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, em colaboração com a Portugal Telecom Inovação, S.A. Cada vez mais as telecomunicações se tornam parte essencial do dia-a-dia das pessoas. Tem-se assistido à convergência de vários serviços de telecomunicações (tendência que engloba também a Internet e as comunicações celulares), facilitando o acesso a serviços e informação por parte do utilizador onde quer que ele se encontre. Nesta perspectiva desenvolveu-se uma plataforma de interligação entre o Second Life (SL ) e o mundo físico recorrendo a um qualquer telemóvel através do serviço de mensagens curtas (SMS, Short Message Service). Assim procedeu-se a criação de uma aplicação bidireccional que permite o intercâmbio de mensagens de texto entre o SL e dispositivos móveis. Como complemento, é disponibilizado ao utilizador um site de apoio. Este site tem como funções apresentar o produto a potenciais utilizadores/consumidores bem como permitir a gestão dos diversos aspectos da sua conta, nomeadamente adicionar/remover contactos, ver o seu histórico pessoal de mensagens enviadas e recebidas, além de funcionalidades como o envio de SMS a partir do site para o SL ou para o exterior. 2 ESTADO DA ARTE O SL tem sido dos mundos virtuais que mais se tem destacado nos últimos anos (comscore, 2007), com relevo claro na comunicação social e no esforço de investigação científica e utilização empresarial. 1

2 As empresas e marcas cada vez mais investem neste mundo virtual (Economist, 2006), criando espaços, lojas e campanhas de publicidade, embora geralmente não tenham ainda um objectivo preciso a grande maioria visa apenas afirma a sua participação neste novo desenvolvimento tecnológico e adquirir know how quanto a formas de o potenciar. O SL permite a convergência de meios e ferramentas de comunicação permitindo assim a interacção activa com este mundo a partir do exterior. 2.1 Formas de comunicação entre o SL e o exterior O ambiente SL é constituído por terrenos virtuais, que podem conter avatares ou objectos. Estes últimos, por sua vez, podem conter variados recursos, incluindo outros objectos. Entre esses recursos contam-se os scripts, código de programas que se executam inteiramente dentro do mundo virtual. Os scripts são desenvolvidos na linguagem Linden Scripting Language (LSL) (wiki.secondlife.com), podendo ser utilizados quer para dar comportamentos visuais aos objectos, quer para interagir com os avatares, quer para processamento lógico-computacional diversificado, incluindo comunicação com sistemas exteriores ao SL, via Internet. Esta comunicação é possível através de três tipos de serviços (Jia Jia, 2007): envio e recepção de , chamadas de funções através de Extensible Markup Language Remote Procedure Call (XML-RPC) e pedidos por Hyper Text Transfer Protocol (HTTP). As características dos métodos de comunicação em SL estão sintetizadas na tabela I. TABELA I EARACTERÍSTICAS DOS MÉTODOS DE COMUNICAÇÃO EM SL Tipo Estabelecimento de comunicação Tamanho da Mensagem Atraso das Funções Bidireccional 4096 caracteres 20 segundos XML-RPC Pedido HTTP Unidireccional (Off- World In-World) Unidireccional (In- World Off- World) 254 caracteres 3 segundos 2048 caracteres Não se aplica contém o endereço para o qual ele deve responder. Caso já se saiba o endereço pode-se enviar o como é habitual. Funções de da linguagem LSL: ll (string endereço, string assunto, string mensagem): Esta função permite o envio de tendo um atraso de 20 segundos entre envios. llgetnext (string endereço, string assunto): Esta função permite a recepção de . Sempre que este método é invocado, desencadeia-se o seguinte evento: (string tempo, string endereço, string assunto, string mensagem, integer num_left) De referir que o corpo da mensagem de contém informações sobre o nome do objecto que o gerou e a respectiva localização. Figura 1- Comunicação por no SL A Linden Lab (LL ) limita o envio de para reduzir a carga nos servidores e prevenir o uso de spam, limitando a frequência com que um objecto pode envia-los. Assim, se o objectivo for a utilização deste método para o envio de um simples este é alcançado, mas se for pretendido o uso da informação contida no para realizar tarefas que estejam dependentes de tempo de resposta esta implementação torna-se limitada. O XML-RPC é um serviço disponibilizado pela LL através de servidores dedicados (Fig. 2). Figura 2 Comunicação por XML-RPC no SL (xmlrpc.secondlife.com) Recorrendo à criação de um objecto e de um script que faz uso de funções específicas da linguagem LSL, é possível comunicar por , pedidos HTTP e XML-RPC no SL. Aquando do envio de um (anónimo, 2006), (Fig. 1), é incluído no endereço a identificação do objecto que o originou, sendo a sintaxe deste Assim, para a recepção de no SL, o utilizador apenas necessita de responder ao recebido uma vez que este 2

3 Através dele é possível invocar, a partir de sistemas informáticos exteriores ao SL, um procedimento (script) no mundo SL, usando o protocolo HTTP como meio de transporte e a linguagem Extensible Markup Language (XML) como código (anónimo, 2007). Deste modo, através de XML- RPC é possível fazer um pedido de execução de código a um objecto dentro do mundo SL, a partir de um sistema informático externo. No procedimento de comunicação é necessário estabelecer no SL um canal dedicado para a recepção de dados primeiro, isto é conseguido através da execução da seguinte função: llopenremotedatachannel(): Após a chamada desta função será retornado o canal de comunicação através do desencadear do evento remote_data. Nesse momento sera necessário informar o servidor externo de qual o canal por onde ele pode estabelecer a comunicação correctamente. Anteriormente no SL era usado o serviço de onde a mensagem continha o número do canal estabelecido. Com o aparecimento dos pedidos HTTP (Fig. 3), este processo tornou-se muito mais simples sendo assim a informação enviada através deste método. O servidor envia então os dados usando pacotes XML- RPC, que são recebidos pelo objecto através do evento remote_data, podendo gerar uma resposta com a função: llremotedatareply(): Existem várias desvantagens do uso do XML-RPC no SL para além de um atraso de 3 segundos. A principal desvantagem reside num problema de escalabilidade devido a existência de apenas 1 servidor (xmlrpc.secondlife.com) que trata de todos os pedidos deste tipo gerados in-world. Assim se a quantidade de transacções de objectos for elevada o seu desempenho será não será satisfatório. O tamanho da mensagem está limitado a 254 caracteres. Apenas é possível enviar um pedido de cada vez, assim, qualquer pedido pelo mesmo canal irá apagar o pedido anterior tendo isto implicações a considerar pois um objecto poderá receber mensagens mais rápido do que consegue responder, uma vez que o atraso da função de resposta ainda piora o problema. Para a resolução deste problema terá que ser feita a análise do propósito da sua utilização. Assim, se for necessário enviar vários pedidos a um objecto in-world e é esperada uma resposta, existe a possibilidade de os primeiros serem atrasados no servidor SL (xmlrpc.secondlife.com). Neste caso a sua resposta será enviada para pedidos posteriores sendo necessário garantir que não são enviados novos pedidos antes de ser recebida a resposta dos anteriores pedidos. Dado o XML-RPC necessitar do estabelecimento de um canal de comunicação, este ficará sempre dependente de outro método de comunicação para o seu funcionamento. Ainda a referir que este canal é alterado sempre que os avatares que armazenaram o objecto se desliguem do mundo virtual, existindo ainda outros factores tais como a saída de uma nova versão do SL ou indisponibilidade do servidor (Gwyneth Llewelyn, 2007). Finalmente, relativamente à comunicação através de pedidos HTTP, a LSL inclui funções que utilizam o protocolo HTTP para comunicar com servidores remotos, na Web. Os pedidos HTTP não são penalizados a nível de velocidade de comunicação; no entanto, existe um limite para quantos pedidos por proprietário/sim podem ser feitos, isto é, 20 pedidos a cada 25 segundos (Linden Research, 2008). De momento existem quatro tipos de funções, nomeadamente: string llescapeurl(string url): retorna a codificação UTF-8 para escapar códigos seleccionados. string llunescapeurl(string url): retorna os caracteres UTF-8 sem escapar códigos seleccionados. key llhttprequest(string url, list parameters, string body): solicita informações a partir de um servidor HTTP. Todos os pedidos HTTP necessitam de uma key que as identifica de modo a ser possível no seguimento identificar a resposta que ele gerou. Esta função invoca o evento: http_response(key request_id, integer status, list metadata, string body) Figura 3 Comunicação por pedidos HTTP no SL 2.2 Sistemas existentes para envio/recepção de SMS no SL Neste momento existem 3 sistemas de comunicação com SMS implementados no SL. Estes são o Vodafone InsideOut, o serviço de cabines telefónicas da operadora Swisscom Mobile e o serviço SMS/MMS da operadora espanhola Telefónica. O Vodafone InsideOut é uma aplicação que permite tanto troca de SMS como efectuar chamadas (Vodafone D2 GmbH, 2007). Para a sua utilização é necessário inicialmente adquirir o produto no sim da marca. A interface de utilizador é um Heads Up Display (HUD). Inicialmente o utilizador necessita de inserir e confirmar o registo introduzindo o número de telemóvel no site do serviço e fazer a confirmação através de envio de SMS. A partir daqui pode adicionar contactos e enviar/receber SMS. O envio de SMS a partir do SL é feito através da selecção no HUD, do contacto para o qual se pretende enviar a mensagem sendo que é posteriormente indicado o canal por onde se deve enviar a 3

4 mensagem através da linha de chat. O utilizador off-world para responder a uma mensagem enviada terá que o fazer para o número proprietário da marca que lhe enviou a SMS. A nível de animação, foi criado um telemóvel virtual com o propósito de mostrar aos outros avatares que o utilizador está a usar a aplicação. De referir que esta aplicação apenas permite a troca de SMS entre utilizadores registados no serviço. Uma pessoa não registada não pode enviar nem receber mensagens. Uma desvantagem da utilização deste produto é que presentemente a Vodafone está a utilizar um leque de números do plano de numeração da Alemanha o que torna dispendioso o serviço para utilizadores estrangeiros que pretendam responder a SMS ou efectuar chamadas. Para utilizar o serviço de cabines telefónicas da operadora Swisscom Mobile, o utilizador necessita inicialmente de se dirigir a uma destas cabines (há várias espalhadas pelo SL: são oferecidas gratuitamente e utilizadas como adereço em vários sims), seguir as instruções que lhe são dadas, nomeadamente a introdução do número de telemóvel real para registo no sistema. Todas as acções são efectuadas fazendo chat para o canal privado número 8, com a acção desejada (Starfruit.ch., 2007). Após o registo é recebida uma SMS no dispositivo móvel do utilizador contendo um código que terá que ser introduzido na cabine telefónica de modo a confirmar o registo. O processo encontra-se assim finalizado e o utilizador pode enviar SMS. Este sistema apresenta a desvantagem de apenas permitir o envio de SMS por uma pessoa de cada vez em cada cabine, tendo os utilizadores que fazer fila para ter acesso a uma. A comunicação é apenas unilateral, não permitindo a recepção de SMS no SL a partir de um dispositivo móvel. Fonte oficial da Telefónica (2008) relata a possibilidade de envio e recepção de SMS e MMS de e para o Second Life a partir da ilha no SL desta operadora espanhola. Devido à bidireccionalidade do serviço, é relatada a possibilidade da gravação de um vídeo com um telemóvel e envio de seguida desse vídeo para o SL, onde é transmitido numa aplicação própria. Esta informação foi disponibilizada no âmbito da participação da Telefónica no Mobile World Congress Neste momento não é possível confirmar esta fonte, pois o acesso à ilha é restrito. 2.3 Componentes tecnológicos Um visor facial HUD no SL é um interface especial que pode ser utilizado por um avatar sendo que quando este o esta a utilizar não é visível a outros avatares. A função principal deste é fornecer um interface visual mais detalhado de serviços e informações ou até controlo de aplicações in-world. 3 MODELO TECNOLÓGICO UTILIZADO A aplicação aqui proposta de interligação entre sistemas SMS e o serviço de mensagens instantâneas do SL tem como objectivo oferecer aos utilizadores do SL um serviço de SMS mais completo e mais versátil. Este serviço é constituído por duas partes, a entrega e a recepção de SMS. A entrega consiste em enviar uma mensagem instantânea do SL usando como meio de transporte a Internet até ao servidor cabendo a este proceder a respectiva entrega. A recepção é feita realizando o caminho inverso. O diagrama da figura 4 representa os componentes da aplicação apresentada neste artigo. Esta é constituída por um servidor Apache integrando tecnologia PHP e MySQL, um servidor Tomcat, para suporte a Java Server Pages (JSP), daemons em Java e um site de apoio. Figura 4 Diagrama da aplicação Foi criado um objecto para o registo dos utilizadores bem como outros dois responsáveis pelo envio e recepção de SMS. Assim é através do uso destes que se efectua a comunicação do SL com o servidor de uma forma bidireccional através de pedidos HTTP. No registo são enviados os dados do avatar para o servidor de modo a serem introduzidos numa base de dados MySQL cuja função é o armazenamento de todas as informações no servidor. No envio de SMS é feito um pedido HTTP ao servidor 1. Neste pedido encontra-se o número de destino, o nome do avatar e a mensagem que se pretende enviar. Estas informações são transmitidas para o servidor 1 recorrendo a uma página JSP que irá proceder ao armazenamento destas informações na base de dados. 4

5 As mensagens são verificadas sequencialmente por um programa em Java no servidor 1 que após encontrar uma mensagem por enviar comunica-a a um modem GSM (Global System for Mobile communications) para proceder à entrega ao destinatário. No final deste processo a mensagem é marcada como enviada. De referir que está implementado um procedimento que permite taxar o envio de SMS por uma quantia variável. No caso da recepção de SMS no SL, esta é feita por duas etapas. A primeira etapa consiste em introduzir na base dados do servidor 1 a mensagem recebida pelo modem que está ligado ao servidor 2 através de um código Java presente nesse mesmo servidor. Assim a segunda etapa consiste na entrega dessa mesma mensagem no SL recorrendo ao objecto de recepção. Este faz pedidos temporizados ao servidor e caso exista alguma mensagem por ler é verificado se o avatar se encontra registado. De notar que a entrega por mensagem instantânea ao avatar está dependente do conhecimento do identificador unívoco (ID) deste. Caso o avatar não se encontre registado o seu ID é procurado recorrendo a um site público (forever - W-Hat Corporation, 2007) que contém registos de ID de avatares. Se for encontrado o ID nesse site ele é adicionado à base de dados da aplicação e a mensagem enviada por mensagem instantânea (Instant Message) ao avatar de destino. No caso de o utilizador já se encontrar já registado no serviço, a entrega é imediata, pois já é conhecido o ID. no nosso caso, é responsável pela comunicação com a rede de comunicações móveis celulares através de um modem GSM. O código JSP trata da apresentação da informação ao cliente enquanto o JavaBean é responsável pela lógica da aplicação. Para o armazenamento de dados escolheu-se a plataforma MySQL devido à rapidez de execução, alta fiabilidade e simplicidade de uso (MySQL AB, 2008), características relevantes na gestão de um fluxo elevado de SMS. 4.2 Descrição da utilização A comunicação com a aplicação no SL é feita através de mensagens normais de chat. Um avatar introduz numa mensagem de chat os dados, para um canal específico. Apresenta-se aqui o formato, vendo-se um exemplo na Fig. 5: /<Canal> <Número do dispositivo móvel> <Mensagem> Figura 5 Imagem exemplo de envio SMS Após a entrega do SMS o utilizador recebe uma mensagem no SL a informá-lo do êxito ou fracasso da entrega, Fig. 6. Figura 6 - Imagem de confirmação de SMS no SL 4 SISTEMA DESENVOLVIDO 4.1 Tecnologias utilizadas Para estabelecer um intercâmbio de informação entre o SL e o servidor externo optou-se pelo uso de JSP, uma vez que esta tecnologia permite a ligação com código Java, Hyper Text Markup Language (HTML), bases de dados e HTTP. A JSP aceita um conjunto de tags personalizadas que interagem com objectos Java no servidor sem a necessidade do código ser mostrado na página Web resultante. Assim, permite uma separação da camada de apresentação da lógica do site. A tecnologia JSP é baseada numa linguagem aberta (Java), suportada por uma vasta biblioteca, executável em múltiplas plataformas, factos que nos levaram a escolhê-la em detrimento de alternativas como Personal Home Page (PHP), ColdFusion ou Active Server Pages (ASP) (Medeiros, 2002). Ainda de referir que a separação entre a apresentação e a parte lógica traduz-se numa maior rapidez devido a uma transformação em código binário na memória. Esta separação é realizada usando um JavaBean (Sun Microsystems, 2008), que consiste numa classe da Java que, Cada SMS é acompanhada do número através do qual a ela se pode responder (Fig. 7). Figura 7 Imagem recepção de SMS no telemóvel (a barra preta oculta o número de resposta, que seria o do nosso sistema de testes) 5

6 Qualquer utilizador que pretenda enviar uma mensagem SMS para o SL terá que enviá-la para um número específico digitando inicialmente o nome do avatar a quem se destina seguido de um espaço, após o qual coloca a mensagem (Fig. 8), sendo esta entregue de forma automática pelo objecto de envio e recepção de SMS. Figura 8 Imagem do telemóvel a enviar SMS para o SL um utilizador que não inseriu o número pretendido nem a mensagem, bem como casos de omissão de apenas um destes elementos. Para qualquer destas situações é agora gerada uma mensagem de erro a alertar o utilizador para o acto específico que deve realizar a fim de enviar um SMS com êxito. Foi testado o envio de SMS a partir de outras plataformas, diferentes dos telemóveis comuns, isto é, o envio de SMS a partir de sites ou de serviços VoIP que permitem enviar SMS através da Internet. A aplicação não foi testada intensivamente em termos de tempos de envio/recepção de SMS entre o mundo SL e o mundo exterior (in-world off-world), mas os testes efectuados apresentaram resultados satisfatórios (na ordem de poucos segundos) e animadores, pois consideramos que permitem constatar a viabilidade da aplicação. Verificou-se que no caso de estar a ser enviado mais que uma SMS, enquanto o código JSP estivesse à espera de resposta do JavaBean, iria ocorrer uma paralisação do serviço ficando a JSP a espera por tempo indefinido. Este problema está a ser alvo de análise para sua efectiva resolução. Assim, sempre que uma mensagem SMS é recebida pelo servidor, esta é armazenada na base de dados onde o programa trata automaticamente do envio ao avatar a quem se destina, através de uma mensagem instantânea com o conteúdo do SMS (Fig.9). Figura 9 - Imagem recepção SMS no SL Foi criado um site na Web, de apoio ao utilizador, onde cada um pode consultar as SMS por si enviadas e recebidas, bem como editar uma lista de contactos. Foi ainda desenvolvida a possibilidade de o utilizador enviar mensagens a partir deste site sem ter que se encontrar in-world. 5 TESTES EFECTUADOS Efectuaram-se testes relacionados com a formatação dos dados a introduzir pela linha de chat do SL. Detectaram-se, numa primeira análise, alguns bugs quando um utilizador não respeitava a sintaxe prevista. Passou-se por isso a contar o número de algarismos contidos no número do telemóvel do destinatário, estando este limitado a 9 algarismos para impedir o envio para números estrangeiros. No que respeita ao conteúdo da mensagem a enviar, apenas é permitido ao utilizador enviar até 100 caracteres, devido ao facto de um SMS estar limitado a 160 e alguns destes serem utilizados para indicar ao utilizador que a SMS provém do SL. além do número para onde se pode responder. Foi verificado o caso de 6 CONCLUSÕES De momento a aplicação desenvolvida é bastante viável, mesmo em situações que não tinham sido previstas inicialmente como interacção com serviços VoIP e telefones fixos, possibilitando a escalabilidade no surgimento de novas ideias e aplicações a fim de se melhorar o produto desenvolvido. Futuramente pretendemos proceder a testes de utilização intensiva do produto, isto é, envio de grandes quantidades de SMS por utilizadores diferentes e registo do comportamento do serviço, bem como a resposta do site de apoio no que respeita a apresentação da informação armazenada numa base de dados. Pretende-se ainda criar um objecto pessoal (HUD) para cada utilizador do mundo SL, através do qual o avatar possa acrescentar e visualizar contactos directamente a partir do mundo SL, sem necessidade de utilizar o site, além de envio/recepção de SMS. Vários serviços mais podem ser concebidos para apoio, como sejam o backup dos contactos do utilizador por ou SMS, a possibilidade de o utilizador enviar um SMS simultaneamente para vários contactos, ou ainda dividir uma mensagem SMS em várias para ultrapassar o limite de 100 caracteres, por exemplo. Ou mesmo adaptar o sistema a pessoas portadoras de deficiência ou que requeiram mensagens em Unicode (árabe, hebraico, chinês, etc.). De um ponto de vista de comunicação empresarial o produto desenvolvido poderá ser adoptado em diversas vertentes tais como potenciar a comunicação e troca de informação entre utilizadores do SL e colaboradores de empresas, mesmo quando estes não estejam presentes no SL. 6

7 A nível de educação/formação, potencia a utilização do SL como receptor ou repositório de informações enviadas a partir de qualquer ponto por alunos e formandos, não apenas de locais onde disponham de uma ligação à Internet. Por exemplo, para registar num espaço SL relatos enviados durante uma visita de estudo ou por diversas equipas de um estudo de campo em ciências ambientais. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS comscore (2007). comscore Finds that Second Life Has a Rapidly Growing and Global Base of Active Residents. [On-line]; disponível em (acedido em 10 de Abril de 2008) Economist (2006). Globalization and the next dimenson: Multinationals enter Second Life. [On-line]; disponível em (acedido em 5 de Abril de 2008) Linden Research (2008). LSL Portal. [On-line]; disponível em (acedido em 6 de Novembro de 2007) Starfruit.ch (2007). SMS text messages. [On-line]; disponível em (acedido em 4 de Janeiro de 2008) Telefónica S.A (2007). Telefónica in the Mobile World Congress [On-line]; disponível em Movistar-O2_eng.pdf (acedido em 28 de Abril de 2008). forever - W-Hat Corporation (2007). Name2key. [On-line]; disponível em (acedido em 3 de Abril de 2008) MEDEIROS, Maysa Regina & CLARO, Daniela Barreiro (2002). Conhecendo ASP, PHP e JSP. [On-line]; disponível em (acedido em 8 de Novembro de 2007) Sun Microsystems (2008). Java SE Desktop Technologies. [On-line]; disponível em index.jsp (acedido em 12 de Dezembro de 2007) MySql AB (2008). Why MySQL. [On-line]; disponível em (acedido em 29 de Abril de 2008) Jia, Jia (2007). LSL Comunications in Second Life. [On-line]; disponível em (acedido em 28 de Novembro de 2007) Anónimo (2006). Ll [On-line]; disponível em (acedido em 7 de Novembro de 2007) Anónimo (2007). What is XML-RPC? [On-line]; disponível (acedido em 28 de Novembro de 2007) Gwyneth Llewelyn (2007). Figuring out your online status revisited [On-line]; disponível em (acedido em 15 de Novembro de 2007) Linden Research (2008). llhttprequest. [On-line]; disponível em (acedido em 27 de Abril de 2008) Vodafone D2 GmbH (2007). [On-line]; disponível em (acedido em 7 de Novembro de 2007) 7

Glossário de Internet

Glossário de Internet Acesso por cabo Tipo de acesso à Internet que apresenta uma largura de banda muito superior à da linha analógica. A ligação é feita com recurso a um modem (de cabo), que se liga à ficha de sinal de TV

Leia mais

Fábio Costa e Miguel Varela

Fábio Costa e Miguel Varela Sistema de Informação e Gestão dos Laboratórios do Departamento de Eng.ª Electrotécnica com Tecnologia RFID Projecto Final de Licenciatura em Eng. Electrotécnica e de Computadores Ramo de Electrónica e

Leia mais

API e Integraç ão. Inoxnet WebServices. Versã o 1.10. (c) EBASE Lda. www.inoxnet.com

API e Integraç ão. Inoxnet WebServices. Versã o 1.10. (c) EBASE Lda. www.inoxnet.com API e Integraç ão Inoxnet WebServices Versã o 1.10 (c) EBASE Lda www.inoxnet.com Índice INFORMAÇ ÃO SOBRE ESTE DOCUMENTO...3 Descrição geral... 3 Requisitos... 3 Termos... 4 Convenções... 4 INTRODUÇ ÃO...4

Leia mais

Manual Gespos SMS. (ultima revisão 20 Fev. 2003)

Manual Gespos SMS. (ultima revisão 20 Fev. 2003) Manual Gespos SMS (ultima revisão 20 Fev. 2003) Prezado Utilizador, É objectivo deste manual servir de ferramenta de formação para que o utilizador dos aplicativos Escripóvoa, possa de uma forma simples

Leia mais

Consulte a área Bancos Aderentes para saber em detalhe todas as informações relativas aos bancos aderentes.

Consulte a área Bancos Aderentes para saber em detalhe todas as informações relativas aos bancos aderentes. SERVIÇO MB Way O que é o MB Way? O MB Way é a primeira solução interbancária que permite fazer compras e transferências imediatas através de smartphone ou tablet. Basta aderir ao serviço num MULTIBANCO,

Leia mais

Gestão de projectos na Web

Gestão de projectos na Web Gestão de projectos na Web Relatório de desenho de alto nível Versão 1.0, 5 de Maio de 2003 Telmo Pedro Gomes Amaral (mee02013@fe.up.pt) (Grupo 15) Aplicações na Web Mestrado em Engenharia Electrotécnica

Leia mais

Manual do Utilizador

Manual do Utilizador Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra Departamento de Engenharia Electrotécnica e Computadores Software de Localização GSM para o modem Siemens MC35i Manual do Utilizador Índice

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia de Setúbal. Projecto Final

Escola Superior de Tecnologia de Setúbal. Projecto Final Instituto Politécnico de Setúbal Escola Superior de Tecnologia de Setúbal Departamento de Sistemas e Informática Projecto Final Computação na Internet Ano Lectivo 2002/2003 Portal de Jogos Executado por:

Leia mais

Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android. Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com.

Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android. Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com. Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com.br 08/2014 Agenda Introdução Conceitos Web Service Por que utilizar

Leia mais

Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source

Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source Vídeo Vigilância Abordagem Open-Source Alunos: Justino Santos, Paulo Neto E-mail: eic10428@student.estg.ipleiria.pt, eic10438@student.estg.ipleiria.pt Orientadores: Prof. Filipe Neves, Prof. Paulo Costa

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 13 Web Services Web Services

Leia mais

O que é a iniciativa de marcação de consultas pela Internet eagenda? Simplificar e melhorar o acesso a cuidados de saúde. O que é o eagenda?

O que é a iniciativa de marcação de consultas pela Internet eagenda? Simplificar e melhorar o acesso a cuidados de saúde. O que é o eagenda? O que é a iniciativa de marcação de consultas pela Internet Simplificar e melhorar o acesso a cuidados de saúde Pedir Receitas A de pela Internet, no âmbito do Programa Simplex, surge no seguimento do

Leia mais

Um sistema SMS 1 simplificado

Um sistema SMS 1 simplificado 1 Introdução Um sistema SMS 1 simplificado Projecto de Redes de Computadores I - 2007/2008 LEIC IST, Tagus Park 10 de Setembro de 2007 Pretende-se com este projecto que os alunos implementem um sistema

Leia mais

Perguntas frequentes. Gravador Philips para iphone

Perguntas frequentes. Gravador Philips para iphone Perguntas frequentes Gravador Philips para iphone Índice O que é necessário para criar um sistema de ditado profissional? 3 1. Software do servidor Web 2. Servidor Philips SpeechExec Mobile 3. Aplicação

Leia mais

Informática. Aula 9. A Internet e seu Uso nas Organizações

Informática. Aula 9. A Internet e seu Uso nas Organizações Informática Aula 9 A Internet e seu Uso nas Organizações Curso de Comunicação Empresarial 2º Ano O Que é a Internet? A Internet permite a comunicação entre milhões de computadores ligados através do mundo

Leia mais

Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen K3571. Concebido para a Vodafone

Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen K3571. Concebido para a Vodafone Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen K3571 Concebido para a Vodafone Bem-vindo ao mundo das comunicações móveis 1 Bem-vindo 2 Configuração da Connect Pen 3 Iniciar a aplicação 4 Ligar - Modo

Leia mais

Interface Homem Máquina para Domótica baseado em tecnologias Web

Interface Homem Máquina para Domótica baseado em tecnologias Web Interface Homem Máquina para Domótica baseado em tecnologias Web João Alexandre Oliveira Ferreira Dissertação realizada sob a orientação do Professor Doutor Mário de Sousa do Departamento de Engenharia

Leia mais

Mensagens instantâneas

Mensagens instantâneas 2007 Nokia. Todos os direitos reservados. Nokia, Nokia Connecting People, Nseries e N77 são marcas comerciais ou marcas registadas da Nokia Corporation. Os nomes de outros produtos e empresas mencionados

Leia mais

Enunciado de apresentação do projecto

Enunciado de apresentação do projecto Engenharia de Software Sistemas Distribuídos 2 o Semestre de 2009/2010 Enunciado de apresentação do projecto FEARSe Índice 1 Introdução... 2 2 Cenário de Enquadramento... 2 2.1 Requisitos funcionais...

Leia mais

CCI.Courier. Troca de dados de encomenda entre o PC da quinta e o terminal. Manual de instruções. Referência: CCI.Courier v2.0

CCI.Courier. Troca de dados de encomenda entre o PC da quinta e o terminal. Manual de instruções. Referência: CCI.Courier v2.0 CCI.Courier Troca de dados de encomenda entre o PC da quinta e o terminal Manual de instruções Referência: CCI.Courier v2.0 Copyright 2014 Copyright by Competence Center ISOBUS e.v. Albert-Einstein-Str.

Leia mais

Copyright 2008 GrupoPIE Portugal, S.A.

Copyright 2008 GrupoPIE Portugal, S.A. WinREST Sensor Log A Restauração do Séc. XXI WinREST Sensor Log Copyright 2008 GrupoPIE Portugal, S.A. 2 WinREST Sensor Log Índice Índice Pag. 1. WinREST Sensor Log...5 1.1. Instalação (aplicação ou serviço)...6

Leia mais

E-Marketing: Tecnologias de informação e de comunicação UFCD E-MARKETING: TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

E-Marketing: Tecnologias de informação e de comunicação UFCD E-MARKETING: TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO E-Marketing: Tecnologias de informação e de comunicação UFCD E-MARKETING: TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO AERLIS Sintra Março 2015 RESUMO DA AULA ANTERIOR RESUMO DA AULA ANTERIOR Destaques sobre

Leia mais

Controlo de acesso a salas de formação para formações síncronas no Second Life

Controlo de acesso a salas de formação para formações síncronas no Second Life Controlo de acesso a salas de formação para formações síncronas no Second Life Pedro Salvado, Bruno Santos UTAD - Universidade Trás-os-Montes e Alto Douro, Dep. Engenharias, Vila Real, Portugal Pedro.mpt@gmail.com;

Leia mais

www.f2b.com.br 18/04/2006 Micropagamento F2b Web Services Web rev 00

www.f2b.com.br 18/04/2006 Micropagamento F2b Web Services Web rev 00 www.f2b.com.br 18/04/2006 Micropagamento F2b Web Services Web rev 00 Controle de Revisões Micropagamento F2b Web Services/Web 18/04/2006 Revisão Data Descrição 00 17/04/2006 Emissão inicial. www.f2b.com.br

Leia mais

SICOP Sistema de Inovação, Controlo e Optimização de Produtos

SICOP Sistema de Inovação, Controlo e Optimização de Produtos SICOP Sistema de Inovação, Controlo e Optimização de Produtos Célia Alves, Liliana Monteiro, Fernanda Barbosa, Ana Borges, Jorge Barbosa* Resumo De modo a facilitar e estandardizar o ciclo de desenvolvimento,

Leia mais

Engenharia de Software Sistemas Distribuídos. 2º Semestre, 2007/2008. Departamento Engenharia Informática. Enunciado do projecto: Loja Virtual

Engenharia de Software Sistemas Distribuídos. 2º Semestre, 2007/2008. Departamento Engenharia Informática. Enunciado do projecto: Loja Virtual Engenharia de Software Sistemas Distribuídos 2º Semestre, 2007/2008 Departamento Engenharia Informática Enunciado do projecto: Loja Virtual Fevereiro de 2008 Índice Índice...2 Índice de Figuras...3 1 Introdução...4

Leia mais

Catálogo IDA de INSTRUMENTOS e TÉCNICAS COMUNS. Interchange of Data between Administrations COMISSÃO EUROPEIA

Catálogo IDA de INSTRUMENTOS e TÉCNICAS COMUNS. Interchange of Data between Administrations COMISSÃO EUROPEIA Interchange of Data between Administrations COMISSÃO EUROPEIA DIRECÇÃO- GERAL DA EMPRESA INTERCHANGE OF DATA BETWEEN ADMINISTRATIONS PROGRAMME Catálogo IDA de INSTRUMENTOS Interchange of Data between Administrations

Leia mais

Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen K3772-Z

Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen K3772-Z Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen K3772-Z Bem-vindo ao mundo da Banda Larga Móvel 1 2 3 4 5 6 8 9 9 10 12 Bem-vindo Configuração da Connect Pen Iniciar a aplicação Ligar Janela Normal Definições

Leia mais

Grupo I [6v] Considere o seguinte extracto de um programa de definição de uma calculadora apenas com a função soma de dois valores reais

Grupo I [6v] Considere o seguinte extracto de um programa de definição de uma calculadora apenas com a função soma de dois valores reais Número: Nome: Página 1 de 5 LEIC/LERC 2012/13, Repescagem do 1º Teste de Sistemas Distribuídos, 25 de Junho de 2013 Responda no enunciado, apenas no espaço fornecido. Identifique todas as folhas. Duração:

Leia mais

Instruções para aceder ao correio electrónico via web

Instruções para aceder ao correio electrónico via web Caro utilizador(a) Tendo por objectivo a melhoria constante das soluções disponibilizadas a toda a comunidade do Instituto Politécnico de Santarém, tanto ao nível de serviços de rede como sistema de informação.

Leia mais

EasyNews, um projecto!

EasyNews, um projecto! EasyNews, um projecto! >Francisco Vitor Gomes Salvador Capitão Art Introdução O presente artigo foi elaborado com o intuito de dar a conhecer o trabalho desenvolvido no âmbito da Unidade Curricular de

Leia mais

Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen. Concebido para a Vodafone

Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen. Concebido para a Vodafone Manual de Utilização Rápida Vodafone Connect Pen Concebido para a Vodafone 1 Bem-vindo ao mundo das comunicações móveis 1 2 3 4 5 6 8 9 9 10 13 2 Bem-vindo Configuração da sua Connect Pen Iniciar o software

Leia mais

CC SMS Manual do Utilizador

CC SMS Manual do Utilizador CC SMS Manual do Utilizador Global Id - Creative Thinkers 2011 Índice Manual do Utilizador 02 Acerca do CC SMS 03 Instalação 04 Visão Geral 05 Sms 05 Noções Básicas e Requisitos 05 Envio de SMS 06 Como

Leia mais

BlackBerry Internet Service. Versão: 4.5.1. Manual do Utilizador

BlackBerry Internet Service. Versão: 4.5.1. Manual do Utilizador BlackBerry Internet Service Versão: 4.5.1 Manual do Utilizador Publicado: 2014-01-09 SWD-20140109134740230 Conteúdos 1 Como começar... 7 Acerca dos planos de serviço de mensagens para o BlackBerry Internet

Leia mais

PHC Mensagens SMS CS

PHC Mensagens SMS CS PHC Mensagens SMS CS O potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC O envio de mensagens a múltiplos destinatários em simultâneo. Uma comunicação com sucesso: ganhos de tempo e de dinheiro

Leia mais

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº7

Redes de Computadores. Trabalho de Laboratório Nº7 Redes de Computadores Curso de Eng. Informática Curso de Eng. de Electrónica e Computadores Trabalho de Laboratório Nº7 Análise do tráfego na rede Protocolos TCP e UDP Objectivo Usar o Ethereal para visualizar

Leia mais

Especificação Técnica ACSS

Especificação Técnica ACSS Especificação Técnica ACSS ET.ACSS.011-2011 Serviço de Registo de Requisições de MCDT Interface para recepção de requisições electrónicas ICS DESCRITORES Sistema de recepção de requisições de meios complementares

Leia mais

Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet

Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet Alternativas de aplicação do serviço GPRS da rede celular GSM em telemetria pela Internet Marcos R. Dillenburg Gerente de P&D da Novus Produtos Eletrônicos Ltda. (dillen@novus.com.br) As aplicações de

Leia mais

OurDocs. Sistemas Distribuídos Engenharia de Software. Sistema de gestão documental. ic-sod@mega.ist.utl.pt ic-es@mega.ist.utl.pt

OurDocs. Sistemas Distribuídos Engenharia de Software. Sistema de gestão documental. ic-sod@mega.ist.utl.pt ic-es@mega.ist.utl.pt Sistemas Distribuídos Engenharia de Software 2º Semestre, 2006/2007 Departamento Engenharia Informática Enunciado do projecto: OurDocs Sistema de gestão documental ic-sod@mega.ist.utl.pt ic-es@mega.ist.utl.pt

Leia mais

Kassius Vargas Prestes

Kassius Vargas Prestes Kassius Vargas Prestes Agenda 1. Introdução Web Services 2. XML, SOAP 3. Apache Tomcat 4. Axis 5. Instalação Tomcat e Axis 6. Criação de um Web Service 7. Criação de um cliente Baixar http://www.inf.ufrgs.br/~kvprestes/webservices/

Leia mais

Sistema de Tratamento Automático da Declaração de Introdução no Consumo e do Documento Administrativo de Acompanhamento

Sistema de Tratamento Automático da Declaração de Introdução no Consumo e do Documento Administrativo de Acompanhamento AUTOR: DGITA DATA: 2007-02-22 VERSÃO: 1.0 Sistema de Tratamento Automático da Declaração de Introdução no Consumo e do Documento Administrativo de Acompanhamento Sistema de Impostos Especiais sobre o Consumo

Leia mais

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa

Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Desenvolvendo e Integrando Serviços Multiplataforma de TV Digital Interativa Agenda Introdução Aplicações interativas de TV Digital Desafios de layout e usabilidade Laboratório de usabilidade Desafios

Leia mais

3 ao Quadrado - Agenda Web

3 ao Quadrado - Agenda Web 3 ao Quadrado - Agenda Web Relatório de Gestão de Projectos de Software - Grupo A - LEIC 2001/2002 http://gnomo.fe.up.pt/gps01a João Montenegro - ei97023@fe.up.pt André Teixeira - ei97024@fe.up.pt Carlos

Leia mais

Manual do utilizador das funções avançadas do sistema de correio de voz Cisco Unity Express 7.0.2

Manual do utilizador das funções avançadas do sistema de correio de voz Cisco Unity Express 7.0.2 Manual do utilizador das funções avançadas do sistema de correio de voz Cisco Unity Express 7.0.2 Última actualização: 12 March 2009 Este manual fornece informações sobre a utilização das funções de correio

Leia mais

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos

UNIVERSIDADE. Sistemas Distribuídos UNIVERSIDADE Sistemas Distribuídos Ciência da Computação Prof. Jesus José de Oliveira Neto Web Services Web Services Existem diferentes tipos de comunicação em um sistema distribuído: Sockets Invocação

Leia mais

Comunicações a longas distâncias

Comunicações a longas distâncias Comunicações a longas distâncias Ondas sonoras Ondas electromagnéticas - para se propagarem exigem a presença de um meio material; - propagam-se em sólidos, líquidos e gases embora com diferente velocidade;

Leia mais

Introdução à Internet

Introdução à Internet Introdução à Internet Paulo Santos v. 2.0-2012 1 Índice 1 Introdução à Internet... 3 1.1 Conceitos base... 3 1.1.1 O que é a internet?... 3 1.1.2 O que é preciso para aceder à internet?... 3 1.1.3 Que

Leia mais

Comunicação entre Processos

Comunicação entre Processos Comunicação entre Processos Comunicação entre Processos - Sistemas Operacionais fornecem mecanismos para comunicação entre processos (IPC), tal como filas de mensagens, semáfaros e memória compartilhada.

Leia mais

FICHA DE CURSO. 1. Designação do Curso: 2. Denominação do Diploma ou Certificado. 3. Objectivos Gerais e Enquadramento: 4.

FICHA DE CURSO. 1. Designação do Curso: 2. Denominação do Diploma ou Certificado. 3. Objectivos Gerais e Enquadramento: 4. 1. Designação do Curso: Curso de Especialização Pós-Graduada em Computação Móvel Aplicada 2. Denominação do Diploma ou Certificado Diploma de Pós-Graduação em Computação Móvel Aplicada 3. Gerais e Enquadramento:

Leia mais

COMPARANDO APLICAÇÃO WEB SERVICE REST E SOAP

COMPARANDO APLICAÇÃO WEB SERVICE REST E SOAP COMPARANDO APLICAÇÃO WEB SERVICE REST E SOAP Cleber de F. Ferreira¹, Roberto Dias Mota¹. ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil cleberferreirasi@hotmail.com, motaroberto@hotmail.com Resumo.

Leia mais

Manual Internet. Professora: Elisa Carvalho elisa_castro@sapo.pt http://elisacarvalho.no.sapo.pt

Manual Internet. Professora: Elisa Carvalho elisa_castro@sapo.pt http://elisacarvalho.no.sapo.pt Manual Internet Professora: Elisa Carvalho elisa_castro@sapo.pt http://elisacarvalho.no.sapo.pt Fevereiro de 2006 Índice Internet... 2 Correio electrónico... 2 Os endereços... 2 Lista de correio... 2 Grupos

Leia mais

ESTUDO SOBRE AS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO HOSPEDEIRAS SUPORTADAS PELA FERRAMENTA HTML. Aluno: Rodrigo Ristow Orientador: Wilson Pedro Carli

ESTUDO SOBRE AS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO HOSPEDEIRAS SUPORTADAS PELA FERRAMENTA HTML. Aluno: Rodrigo Ristow Orientador: Wilson Pedro Carli ESTUDO SOBRE AS LINGUAGENS DE PROGRAMAÇÃO HOSPEDEIRAS SUPORTADAS PELA FERRAMENTA HTML Aluno: Rodrigo Ristow Orientador: Wilson Pedro Carli Objetivo; Roteiro da Apresentação Visão Geral sobre Internet,

Leia mais

Departamento de Engenharia Informática Engenharia de Software, Sistemas Distribuídos. Requisitos para a 3ª entrega do projecto.

Departamento de Engenharia Informática Engenharia de Software, Sistemas Distribuídos. Requisitos para a 3ª entrega do projecto. Departamento de Engenharia Informática Engenharia de Software, Sistemas Distribuídos Requisitos para a 3ª entrega do projecto Loja Virtual 5 de Maio de 2008 Índice Índice...2 1 Sumário...3 2 Requisitos...3

Leia mais

Departamento de Informática

Departamento de Informática Departamento de Informática Licenciatura em Engenharia Informática Sistemas Distribuídos exame de recurso, 9 de Fevereiro de 2012 1º Semestre, 2011/2012 NOTAS: Leia com atenção cada questão antes de responder.

Leia mais

Webmail FEUP. Rui Tiago de Cruz Barros tiago.barros@fe.up.pt

Webmail FEUP. Rui Tiago de Cruz Barros tiago.barros@fe.up.pt Webmail FEUP Rui Tiago de Cruz Barros tiago.barros@fe.up.pt Mestrado Integrado em Engenharia Informática e Computação Interacção Pessoa-Computador Junho 2013 Índice Índice 1. Introdução 2. Webmail FEUP

Leia mais

Relatório Preliminar de. Projecto de Telecomunicações em Contexto Empresarial II. VoIP Desenvolvimento de Aplicações em Plataformas Open Source

Relatório Preliminar de. Projecto de Telecomunicações em Contexto Empresarial II. VoIP Desenvolvimento de Aplicações em Plataformas Open Source Relatório Preliminar de Projecto de Telecomunicações em Contexto Empresarial II VoIP Desenvolvimento de Aplicações em Plataformas Open Source Cândido Silva Av. dos Descobrimentos, 333 4400-103 Santa Marinha

Leia mais

Aplicações de Escritório Electrónico

Aplicações de Escritório Electrónico Universidade de Aveiro Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Águeda Curso de Especialização Tecnológica em Práticas Administrativas e Tradução Aplicações de Escritório Electrónico Folha de trabalho

Leia mais

Manual de utilização do Moodle

Manual de utilização do Moodle Manual de utilização do Moodle Docentes Universidade Atlântica 1 Introdução O conceito do Moodle (Modular Object Oriented Dynamic Learning Environment) foi criado em 2001 por Martin Dougiamas, o conceito

Leia mais

Extracção de Anúncios e Notificação de Utilizadores do Site do Emprego Científico da Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Extracção de Anúncios e Notificação de Utilizadores do Site do Emprego Científico da Fundação para a Ciência e a Tecnologia Extracção de Conhecimento da Internet Mestrado em Inteligência Artificial e Computação Extracção de Anúncios e Notificação de Utilizadores do Site do Emprego Científico da Fundação para a Ciência e a Tecnologia

Leia mais

1ª Edição Outubro de 2007

1ª Edição Outubro de 2007 1 Ficha Técnica Título: Manual de utilização da ELGG - Aluno Autoria: Célia Tavares Direcção Pedagógica e Técnica: Paula Peres Copyright: Projecto de Apoio On-line 1ª Edição Outubro de 2007 O Manual de

Leia mais

Seu manual do usuário NOKIA 6630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/381534

Seu manual do usuário NOKIA 6630 http://pt.yourpdfguides.com/dref/381534 Você pode ler as recomendações contidas no guia do usuário, no guia de técnico ou no guia de instalação para. Você vai encontrar as respostas a todas suas perguntas sobre a no manual do usuário (informação,

Leia mais

VRM Monitor. Ajuda Online

VRM Monitor. Ajuda Online VRM Monitor pt Ajuda Online VRM Monitor Índice pt 3 Índice 1 Introdução 3 2 Vista geral do sistema 3 3 Getting started 4 3.1 Iniciar o VRM Monitor 4 3.2 Iniciar o Configuration Manager 4 4 Configurar

Leia mais

Portal AEPQ Manual do utilizador

Portal AEPQ Manual do utilizador Pedro Gonçalves Luís Vieira Portal AEPQ Manual do utilizador Setembro 2008 Engenharia Informática - Portal AEPQ Manual do utilizador - ii - Conteúdo 1 Introdução... 1 1.1 Estrutura do manual... 3 1.2 Requisitos...

Leia mais

Estrutura de um endereço de Internet

Estrutura de um endereço de Internet Barras do Internet Explorer Estrutura de um endereço de Internet Na Internet, cada servidor tem uma identificação única, correspondente ao endereço definido no IP (Internet Protocol). Esse endereço é composto

Leia mais

YMT REQUISITOS FUNCIONAIS + REFLEXÃO VIABILIDADE TÉCNICA

YMT REQUISITOS FUNCIONAIS + REFLEXÃO VIABILIDADE TÉCNICA REQUISITOS FUNCIONAIS + REFLEXÃO VIABILIDADE TÉCNICA YMT DeCA NTC ANO3 PROJECTO NTC SEM2 RENATO COSTA RICARDO CARVALHO TIAGO FIGUEIREDO MARTIM SANTOS JOÃO ELVAS REQUISITOS FUNCIONAIS 1. Paradigma de interacção

Leia mais

Por razões de segurança não guardamos as passwords (palavra-passe) dos acessos aos sites. Será necessário gerar uma nova password.

Por razões de segurança não guardamos as passwords (palavra-passe) dos acessos aos sites. Será necessário gerar uma nova password. 1 de 7 11-11-2010 09:17 Painel de Administração cpanel Instruções Iniciais Estamos muito gratos por ter escolhido alojar o seu site na IBERWEB. Em caso de dúvidas, por favor contacte de imediato o nosso

Leia mais

I. INTRODUÇÃO. SEINON Sistema Energético INtegral ONline. A melhor energia é a que não se consome

I. INTRODUÇÃO. SEINON Sistema Energético INtegral ONline. A melhor energia é a que não se consome I. INTRODUÇÃO SEINON Sistema Energético INtegral ONline A melhor energia é a que não se consome O sistema SEINON é uma ferramenta de gestão de consumo de energia que permite de forma simples e automática

Leia mais

Internet ou Net. É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns.

Internet ou Net. É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns. Internet Internet ou Net É uma rede mundial de computadores ligados entre si através s de linhas telefónicas comuns. Como Comunicam os computadores Os computadores comunicam entre si utilizando uma linguagem

Leia mais

Lisboa, 18 de Janeiro de 2004

Lisboa, 18 de Janeiro de 2004 Lisboa, 18 de Janeiro de 2004 Realizado por: o Bruno Martins Nº 17206 o Cátia Chasqueira Nº 17211 o João Almeida Nº 17230 1 Índice 1 Índice de Figuras... 3 2 Versões... 4 3 Introdução... 5 3.1 Finalidade...

Leia mais

Web Browser como o processo cliente. Servidor web com páginas estáticas Vs. Aplicações dinâmicas para a Web:

Web Browser como o processo cliente. Servidor web com páginas estáticas Vs. Aplicações dinâmicas para a Web: Web Browser como o processo cliente Servidor web com páginas estáticas Vs Aplicações dinâmicas para a Web: 1 Cliente Web browser HTTP porto 80 Servidor web... JDBC RMI XML... Base de Dados Aplicação em

Leia mais

Manual de Utilizador Documentos de Transporte. TOConline. Suporte. Página - 1

Manual de Utilizador Documentos de Transporte. TOConline. Suporte. Página - 1 TOConline Suporte Página - 1 Documentos de Transporte Manual de Utilizador Página - 2 Índice Criação de um documento de transporte... 4 Definições de empresa- Criação de moradas adicionais... 9 Comunicação

Leia mais

Introdução à Informática

Introdução à Informática Introdução à Informática Aula 23 http://www.ic.uff.br/~bianca/introinfo/ Aula 23-07/12/2007 1 Histórico da Internet Início dos anos 60 Um professor do MIT (J.C.R. Licklider) propõe a idéia de uma Rede

Leia mais

Manual do utilizador. Aplicação de agente

Manual do utilizador. Aplicação de agente Manual do utilizador Aplicação de agente Versão 8.0 - Otubro 2010 Aviso legal: A Alcatel, a Lucent, a Alcatel-Lucent e o logótipo Alcatel-Lucent são marcas comerciais da Alcatel-Lucent. Todas as outras

Leia mais

www.enviarsms.smsvianetportugal.com Descrição de Como Utilizar

www.enviarsms.smsvianetportugal.com Descrição de Como Utilizar www.enviarsms.smsvianetportugal.com Descrição de Como Utilizar Este interface de utilizador, do serviço www.smsvianetportugal.com, permite a ceder à mesma conta de cliente, que através do interface simplesms.smsvianetportugal.

Leia mais

NETALARM GATEWAY. Manual do Usuário

NETALARM GATEWAY. Manual do Usuário Índice 1. Introdução...3 2. Requisitos Mínimos de Instalação...3 3. Instalação...3 4. Inicialização do Programa...5 5. Abas de Configuração...6 5.1 Aba Serial...6 5.2 Aba TCP...7 5.2.1 Opções Cliente /

Leia mais

FEUP 2006/2007 Mestrado em Tecnologias Multimédia Doc. Apresentação V0

FEUP 2006/2007 Mestrado em Tecnologias Multimédia Doc. Apresentação V0 FEUP 2006/2007 Mestrado em Tecnologias Multimédia Doc. Apresentação V0 TÍTULO: Animatic - Marionetas Digitais Interactivas ORIENTADORES: Professor Doutor Aníbal Ferreira Professor Doutor Rui Torres ALUNO:

Leia mais

Desenvolva o potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC

Desenvolva o potencial das comunicações imediatas com mensagens SMS PHC PHC Mensagens SMS CS DESCRITIVO O módulo PHC Mensagens SMS CS permite o envio de mensagens a múltiplos destinatários em simultâneo, sem ser necessário criar e enviar uma a uma. Comunique com mais sucesso:

Leia mais

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos MÓDULO VII Acesso a Bases de Dados via Web Duração: 50 tempos Conteúdos (1) Conceitos

Leia mais

NOVAS MÍDIAS DIGITAIS - AULA 01 - APRESENTAÇÃO

NOVAS MÍDIAS DIGITAIS - AULA 01 - APRESENTAÇÃO NOVAS MÍDIAS DIGITAIS - AULA 01 - APRESENTAÇÃO O QUE É MÍDIA DIGITAL? É conjunto de meios de comunicação baseados em tecnologia digital, permitindo a distribuição de informação na forma escrita, sonora

Leia mais

WebSphere_Integration_Developer_D_Jan06 Script

WebSphere_Integration_Developer_D_Jan06 Script WebSphere_Integration_Developer_D_Jan06 Script 1a Nesta demonstração, Will Dunlop, um programador de integração da JK, utiliza o IBM, [ IBM], ou WID para construir um novo serviço orientado para os processos

Leia mais

Trabalho sobre o Facebook. De Sistemas Formador Tomás Lima

Trabalho sobre o Facebook. De Sistemas Formador Tomás Lima Trabalho sobre o Facebook De Sistemas Formador Tomás Lima Formando Marco Silva S - 13 Índice Facebook... 3 Porque todas essas perguntas para criar um perfil?... 3 O Facebook fornece várias maneiras de

Leia mais

REDES INTEGRADAS DE TELECOMUNICAÇÕES II 2005 / 2006

REDES INTEGRADAS DE TELECOMUNICAÇÕES II 2005 / 2006 UNIVERSIDADE NOVA DE LISBOA Faculdade de Ciências e Tecnologia Departamento de Engenharia Electrotécnica REDES INTEGRADAS DE TELECOMUNICAÇÕES II 2005 / 2006 Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e

Leia mais

Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema de Gestão de Bases de Dados

Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema de Gestão de Bases de Dados Curso Profissional de Técnico de Multimédia 12ºAno Disciplina: Sistemas de Informação Módulo 6: Linguagem de Programação IV 6.1. Introdução 6.2. Bases de Dados 6.2.1. Visão Estrutural 6.2.2. SGBD: Sistema

Leia mais

Área de Administração

Área de Administração Área de Administração versão 1.1 Partir de 2012/01/14 aplica-se para a versão phpcontact 1.2.x www.phpcontact.net Geral A área de administração é utilizado para uma fácil configuração do software elaboraçao

Leia mais

Apresentação da plataforma

Apresentação da plataforma SMS CORPORATIVO Apresentação da plataforma Vitor Lopes Maio de 2010 Conteúdo 1. VISÃO GERAL... 3 1.1 COBERTURA SMS NO BRASIL... 3 2. VANTAGENS DO SMS... 4 2.1 SMS É A FERRAMENTA QUE ESTÁ MAIS PRÓXIMA DO

Leia mais

Service Oriented Architecture SOA

Service Oriented Architecture SOA Service Oriented Architecture SOA Arquitetura orientada aos serviços Definição: Arquitetura de sistemas distribuídos em que a funcionalidade é disponibilizada sob a forma de serviços (bem definidos e independentes)

Leia mais

1.1 A abordagem seguida no livro

1.1 A abordagem seguida no livro 1- Introdução A área de administração de sistemas e redes assume cada vez mais um papel fundamental no âmbito das tecnologias da informação. Trata-se, na realidade, de uma área bastante exigente do ponto

Leia mais

Implementação de Asterisk (IP PBX) Henrique Cavadas 200803845 José Figueiredo 200604114

Implementação de Asterisk (IP PBX) Henrique Cavadas 200803845 José Figueiredo 200604114 Implementação de Asterisk (IP PBX) Henrique Cavadas 200803845 José Figueiredo 200604114 20 de Dezembro de 2014 Serviços de Comunicações Conteúdo 1 Introdução 2 2 Contextualização 3 2.1 PBX...................................

Leia mais

Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador. Viva o momento

Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador. Viva o momento Vodafone ADSL Station Manual de Utilizador Viva o momento 3 4 5 5 6 6 7 8 9 12 12 14 16 17 18 19 20 21 22 22 23 23 24 24 24 25 26 27 Ligar o Router LEDs Configuração do Router Aceder à ferramenta de configuração

Leia mais

Introdução ao PHP. Prof. Késsia Marchi

Introdução ao PHP. Prof. Késsia Marchi Introdução ao PHP Prof. Késsia Marchi PHP Originalmente PHP era um assíncrono para Personal Home Page. De acordo com convenções para atribuições de nomes recursivas do GNU foi alterado para PHP Hypertext

Leia mais

SERVIÇOS DE VALOR ACRESCENTADO BASEADOS NO ENVIO DE MENSAGEM

SERVIÇOS DE VALOR ACRESCENTADO BASEADOS NO ENVIO DE MENSAGEM SERVIÇOS DE VALOR ACRESCENTADO BASEADOS NO ENVIO DE MENSAGEM - Decreto-Lei n.º 177/99, de 21 de Maio, alterado pela Lei n.º 95/2001, de 20 de Agosto e pelo Decreto-Lei n.º 63/2009, de 10 de Março - Denominação

Leia mais

JSR 120 (SMS), JSR 205 (WMAPI 2.0) JULIAN PRADA SANIMIGUEL Grupo 6

JSR 120 (SMS), JSR 205 (WMAPI 2.0) JULIAN PRADA SANIMIGUEL Grupo 6 JSR 120 (SMS), JSR 205 (WMAPI 2.0) e JSR 180 (SIP) JULIAN PRADA SANIMIGUEL Grupo 6 Protocolo SIP Desenho do Protocolo Funcionamento do Protocolo API JSR 180 (SIP) Exemplos Protocolo de iniciação de sessão

Leia mais

Guião para as ferramentas etwinning

Guião para as ferramentas etwinning Guião para as ferramentas etwinning Registo em etwinning Primeiro passo: Dados de quem regista Segundo passo: Preferências de geminação Terceiro passo: Dados da escola Quarto passo: Perfil da escola Ferramenta

Leia mais

Serviço de Localização Celular Manual de utilização do cartão

Serviço de Localização Celular Manual de utilização do cartão Serviço de Celular Manual de utilização do cartão Telecel Comunicações Pessoais, SA R. Tomás da Fonseca Centro Empresarial Torres de Lisboa Torre A 14º Piso 1649-092 Lisboa Tel: 217225000 Fax: 217222139

Leia mais

Enunciado do Projecto

Enunciado do Projecto C O M P U T A Ç Ã O M Ó V E L 2 0 0 7 / 2 0 0 8 Enunciado do Projecto 17 de Março de 2008 1. Objectivos Desenvolver uma aplicação num domínio aplicacional específico que envolva replicação e sincronização

Leia mais

INTERNET. TCP/IP protocolo de comunicação sobre o qual se baseia a Internet. (conjunto de regras para a comunicação entre computadores)

INTERNET. TCP/IP protocolo de comunicação sobre o qual se baseia a Internet. (conjunto de regras para a comunicação entre computadores) TCP/IP protocolo de comunicação sobre o qual se baseia a Internet. (conjunto de regras para a comunicação entre computadores) A cada computador integrado na rede é atribuído um número IP que o identifica

Leia mais

Sistemas Distribuídos na Web. Pedro Ferreira DI - FCUL

Sistemas Distribuídos na Web. Pedro Ferreira DI - FCUL Sistemas Distribuídos na Web Pedro Ferreira DI - FCUL Arquitetura da Web Criada por Tim Berners-Lee no CERN de Geneva Propósito: partilha de documentos Desde 1994 mantida pelo World Wide Web Consortium

Leia mais

Universidade Federal de Juiz de Fora Ciência da Computação Sistemas Distribuídos Professor Ciro Barbosa

Universidade Federal de Juiz de Fora Ciência da Computação Sistemas Distribuídos Professor Ciro Barbosa Universidade Federal de Juiz de Fora Ciência da Computação Sistemas Distribuídos Professor Ciro Barbosa Web Service Plínio Antunes Garcia Sam Ould Mohamed el Hacen Sumário Introdução conceitual O Web Service

Leia mais