A construção do mapa temático em sala de aula

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A construção do mapa temático em sala de aula"

Transcrição

1 A construção do mapa temático em sala de aula Cássio Alves Prado Francisco Napolitano Leal Pedro Benetazzo Serrer Pedro Ivan Menezes de Carvalho Universidade de São Paulo Seção São Paulo Resumo Partimos do pressuposto que há um hiato de formação dos professores no que diz respeito ao ensino da linguagem constituinte dos chamados mapas temáticos. O mapa não serve apenas como ilustração, os mapas devem ser vistos e compreendidos. Como diz Jacques Bertin A linguagem gráfica dos mapas é algo que se aprende (1986). A finalidade da Oficina é construir junto com participantes um modelo de prática de exercícios que facilitam a compreensão não apenas da Cartografia Temática, mas de modo geral de toda a Geografia trabalhada no ensino médio. Através de exercícios de cartografia que instigam e fortalece a apreensão dos alunos, os professores participantes da oficina poderão aprender e depois aplicar tais exercícios em seus discentes. A Oficina será dividida em três pontos: 1º ponto será um exercício de variáveis visuais (formas de implantação e a sensação que é passada). 2 ponto uma discussão sobre erros cartográficos através de um pequeno texto de Jacques Bertin. 3º ponto será um exercício de Construção de Mapa Temático a partir do método das figuras geométricas proporcionais. Palavras-chave: Ensino; Linguagem; Cartografia Temática. Introdução A proposta que se apresenta é uma série de exercícios elaborados para se trabalhar com alunos do primeiro ano do ensino médio e tem por objetivo a construção de um mapa temático. Além disso, essa atividade procura tratar dos principais conceitos da linguagem gráfica, objetivando dar suporte à formação de estudantes mapeadores e ao 1

2 mesmo tempo críticos e observadores dos mapas existentes. A importância do mapa, como linguagem a serviço da Geografia no ensino é de conhecimento de todos. Porém é necessário desnaturalizar esse mapa e apresentá-lo como construção ou possibilidade de construção, portanto sujeito a erros possíveis de serem identificados e corrigidos. A iniciativa de preparar essa oficina foi baseada nas discussões realizadas no nosso grupo de estudos sobre Cartografia no Ensino Médio na Universidade de São Paulo sobre a orientação da Professora Doutora Fernanda Fonseca Padovesi, e também na própria experiência assistindo aulas no primeiro ano do ensino médio das escolas estaduais de São Paulo. Objetivo A oficina tem por objetivo elucidar a melhor abordagem da Cartografia e também a necessidade de desenvolvimento de recursos teórico metodológicos no campo da Cartografia, relacionando mais estreitamente as necessidades do ensino pelo mapa na sala de aula do ensino médio. Isso se dará com a discussão sobre quais são os elementos que compõem os mapas temáticos e como devem ser a interpretação e compreensão dos mesmos. Ademais, será discutida a importância da Cartografia Temática na apreensão de fenômenos. De maneira prática, será feita a construção de um mapa temático. Metodologia A parte prática da oficina consiste na realização de dois exercícios, um sobre variáveis visuais e outro uma construção de mapa temático. A parte teórica consiste em uma explicação sobre variáveis visuais e linguagens. A demonstração de erros cartográficos encontrados no cotidiano é ilustrativo para a reflexão sobre o olhar cartográfico. A duração proposta para a atividade é de 3 aulas de 50 minutos,(na apresentação da oficina no ENG teremos 3 horas e meia para apresentá-la) entretanto esse período pode variar a depender da turma que se trabalha. 1ª parte: Exercício de Variáveis Visuais As variáveis visuais se dividem em 3 formas modos de implantação: 2

3 - Ponto - Zona - Linha Estas formas podem passar ao leitor a sensação de: - Ordem - Quantidade -Desordem As variáveis visuais são noções bastante intuitivas, por isso é interessante que o próprio aluno (participantes da oficina) faça um esforço para chegar as suas conclusões independentemente. Para tanto elaboramos um exercício visando dar conta desses conceitos. Com os exercícios já prontos, aprofunda-se a parte teórica sobre o tema, onde se explica a aplicação das variáveis visuais. Após essa exposição é interessante que os alunos (participantes da oficina) sejam estimulados a identificar os erros cometidos no exercício anterior e refaçam-no. 2ª parte: Erros Cartográficos Nesta parte os erros cartográficos evidenciados por Bertin no seu texto Ver ou Ler, de 1968, serão focados. Além de explicar os erros cartográficos, serão elucidadas de forma clara e concisa as duas perguntas propostas por Bertin, as quais todo mapa deve responder: 1- Em tal lugar, o que há? 2- Tal fenômeno, qual sua Geografia? Depois de ter esclarecido o conteúdo haverá uma apresentação de uma série de mapas com erros e a partir disso um diálogo com os participantes da oficina, de modo que os participantes passem a identificar tais erros. 3ª parte: Exercício de Construção do Mapa Temático Para encerrar o processo de desnaturalização do mapa os participantes farão, eles próprios, um mapa. Pois bem, as possibilidades para essa etapa da atividade são várias, e é uma oportunidade dos participantes da oficina trazer a discussão acumulada até o momento para uma escala mais próxima do cotidiano dele mesmo, buscando representar 3

4 fenômenos da cidade ou região onde vivem. Após definir qual será a área representada, será elaborado um fundo de mapa com as divisões políticas em questão. É importante lembrar que essa divisão estará em consonância com os dados levantados. Esse fundo de mapa deve contar espaço para a elaboração de título e legenda. Com o fundo de mapa e a tabela de dados em mãos, o passo seguinte será trabalhar os dados de população absoluta (a partir daqui descreveremos as etapas do exemplo em questão), eles serão representados através do método da figuras geométricas proporcionais (círculos), para tanto é preciso antes chegar aos diâmetros desses círculos, para isso devesse tirar a raiz quadrada dos valores da tabela. É possível que os valores obtidos ainda não resultem em um bom mapa, para isso devesse obter uma constante, que multiplique ou divida os valores. Depois de achar valores satisfatórios, são desenhados os círculos com um compasso no centro geométrico das subdivisões políticas do fundo de mapa. A elaboração de um Histograma de Freqüência será necessário para a definição das classes de cores que serão divididos os dados relativos. Após essa classificação, os círculos desenhados deverão ser pintados, chegando ao fim da construção de um mapa quantitativo e ordenado. Material e Equipamento Necessário: computador e projetor. Para os participantes: lápis preto; borracha; lápis de cor; régua (preferência de 30cm); compasso. Bibliografia BERTIN, Jacques. Ver ou Ler Seleção de Textos (AGB), São Paulo, n.18, p.45-62, maio Sémiologie Graphique: les diagrammes les réseaux les cartes. Paris, Les Ré-impressions Neográfica e o tratamento gráfico da informação. Curitiba: Universidade Federal do Paraná p. BORD, Jean-Paul. O Geógrafo e o Mapa: ponto de vista e questionamento da parte de um geógrafo cartógrafo. In: Colóquio <<30 anos de semiologia gráfica>>. Tradução de 4

5 Andréa de Castro Panizza. Anais XVI Encontro Nacional dos Geógrafos FONSECA, Fernanda Padovesi. A inflexibilidade do espaço cartográfico, uma questão para a Geografia: analise das discussões sobre o papel da Cartografia. Tese (doutorado em Geografia), FFLCH-USP, p. MARTINELLI, Marcello. Cartografia Temática: Caderno de Mapas São Paulo, EDUSP, Curso de Cartografia Temática São Paulo, Contexto, SIMIELLI, Maria Helena Ramos. Cartogrfia no Ensino Fundamental e Médio. In: CARLOS, Ana Fani Alessandri (Org.) A Geografia na Sala de Aula. São Paulo. Contexto,

6 6

MÓDULO 3 - CONTAR HISTÓRIAS COMO RECURSO PEDAGÓGICO E SENSIBILIZAÇÃO DE. Competências a serem Desenvolvidas:

MÓDULO 3 - CONTAR HISTÓRIAS COMO RECURSO PEDAGÓGICO E SENSIBILIZAÇÃO DE. Competências a serem Desenvolvidas: MÓDULO 3 - CONTAR HISTÓRIAS COMO RECURSO PEDAGÓGICO E SENSIBILIZAÇÃO DE EDUCADORES: INCLUSÃO DE PESSOAS COM DEFICIÊNCIAS Competências a serem Desenvolvidas: O participante desenvolve o recurso de contar

Leia mais

PLANO DE CURSO I EMENTA

PLANO DE CURSO I EMENTA Disciplina: Leituras Cartográficas e Interpretações Estatísticas I Carga horária total: 75 H PLANO DE CURSO I EMENTA Definições e esboço histórico da cartografia; Representações da Terra; Coordenadas;

Leia mais

Universidade sem Fronteiras GIED Grupo de Informática Educativa. Polígonos. Resumo Iconográfico. Pré-requisitos técnicos

Universidade sem Fronteiras GIED Grupo de Informática Educativa. Polígonos. Resumo Iconográfico. Pré-requisitos técnicos Polígonos Resumo Iconográfico Duração Pré-requisitos Pré-requisitos técnicos Estratégias Avaliação LEGENDA Uma hora-aula de 45 minutos Livro Didático Conhecimentos adquiridos em aaulas passadas Conhecimentos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS JATAÍ

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS JATAÍ UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CAMPUS JATAÍ 1 - DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Geografia Departamento/Setor: Geografia Disciplina: Didática para o ensino de Geografia II Código: Ano: 2012 Distribuição De

Leia mais

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 519

Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 519 Ministério da Educação UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Câmpus Medianeira PLANO DE ENSINO CURSO ENGENHARIA DE AMBIENTAL MATRIZ 519 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL - Abertura e aprovação do projeto do curso:

Leia mais

MÉTODOS DE REPRESENTAÇÃO DA CARTOGRAFIA TEMÁTICA: REPRESENTAÇÕES QUALITATIVAS MANIFESTAÇÃO PONTUAL

MÉTODOS DE REPRESENTAÇÃO DA CARTOGRAFIA TEMÁTICA: REPRESENTAÇÕES QUALITATIVAS MANIFESTAÇÃO PONTUAL MÉTODOS DE REPRESENTAÇÃO DA CARTOGRAFIA TEMÁTICA: REPRESENTAÇÕES QUALITATIVAS MANIFESTAÇÃO PONTUAL META Demonstrar a localização e a extensão dos fenômenos geográficos qualitativos a partir da manifestação

Leia mais

Cartografia temática com o QGIS

Cartografia temática com o QGIS Cartografia temática com o QGIS 02 Semiologia gráfica Instrutor: Delton Campanhã de Moraes Geógrafo, tecnólogo em banco de dados e especialista em geoprocessamento SEMIOLOGIA GRÁFICA Semiology of Graphics

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA - UFBA Instituto de Ciências Ambientais e Desenvolvimento Sustentável Cartografia Sistemática e Temática (IAD319) Prof. pablosantos@ufba.br 02 a Aula CARTOGRAFIA SISTEMÁTICA

Leia mais

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: IV CARGA HORÁRIA SEMANAL: 04 CRÉDITO: 04 CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 60 NOME DA DISCIPLINA: FUNDAMENTOS TEÓRICO-METODOLÓGICOS DA GEOGRAFIA NOME DO CURSO: PEDAGOGIA 2. EMENTA Geografia:

Leia mais

MÉTODOS DE REPRESENTAÇÃO DA CARTOGRAFIA TEMÁTICA: REPRESENTAÇÕES QUALITATIVAS MANIFESTAÇÃO LINEAR

MÉTODOS DE REPRESENTAÇÃO DA CARTOGRAFIA TEMÁTICA: REPRESENTAÇÕES QUALITATIVAS MANIFESTAÇÃO LINEAR MÉTODOS DE REPRESENTAÇÃO DA CARTOGRAFIA TEMÁTICA: REPRESENTAÇÕES QUALITATIVAS MANIFESTAÇÃO LINEAR META Demonstrar a localização e a extensão dos fenômenos geográficos que se diferenciam pela sua natureza

Leia mais

ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA NAS SÉRIES INICIAIS: UMA PROPOSTA PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES

ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA NAS SÉRIES INICIAIS: UMA PROPOSTA PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES ALFABETIZAÇÃO CARTOGRÁFICA NAS SÉRIES INICIAIS: UMA PROPOSTA PARA FORMAÇÃO DE PROFESSORES Wagner da Silva Dias (grupo de pesquisa Educação e Didática da Geografia: práticas interdisciplinares - FE/USP);

Leia mais

DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA

DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DIVISÃO DE ASSUNTOS ACADÊMICOS Secretaria Geral de Cursos PROGRAMA DE DISCIPLINA DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO CÓDIGO: EDU260 DISCIPLINA: ENSINO DA GEOGRAFIA CARGA HORÁRIA: 90h EMENTA: Geografia: conceitos

Leia mais

NÚMEROS E ÁLGEBRA FUNÇÕES

NÚMEROS E ÁLGEBRA FUNÇÕES Professores: Josiane Caroline Protti Disciplina: Matemática Ano: 1º ano E Período: 1º Bimestre - Atividades com os alunos para - Atividades dos livros didáticos e - Correção das atividades na lousa e individual.

Leia mais

ÁFRICA Caderno de atividades

ÁFRICA Caderno de atividades TURMA: ÁFRICA Caderno de atividades Grupo: GEOMORFOLOGIA Integrantes do grupo: NOME: Nº NOME: Nº NOME: Nº NOME: Nº NOME: Nº Data de início da elaboração do mapa: / / Data de conclusão da elaboração do

Leia mais

Método de prototipação em papel Comparativo dos métodos de avaliação

Método de prototipação em papel Comparativo dos métodos de avaliação Interface Homem/Máquina Aula 25 Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2011.1/tcc-00.184 Roteiro da Aula de

Leia mais

Frações. Resumo Iconográfico LEGENDA. Uma hora-aula de 45 minutos. Livro Didático. Conhecimentos adquiridos em aulas passadas. Objeto de Aprendizagem

Frações. Resumo Iconográfico LEGENDA. Uma hora-aula de 45 minutos. Livro Didático. Conhecimentos adquiridos em aulas passadas. Objeto de Aprendizagem Frações Resumo Iconográfico Duração Pré-requisitos Pré-requisitos técnicos Estratégias Avaliação LEGENDA Uma hora-aula de 45 minutos Conhecimentos adquiridos em aulas passadas Conhecimentos de Informática

Leia mais

UM ESTUDO SOBRE AS FORMAS GEOMÉTRICAS EM NOSSO COTIDIANO. Instituto de Ciências Exatas da Universidade Federal de Minas Gerais

UM ESTUDO SOBRE AS FORMAS GEOMÉTRICAS EM NOSSO COTIDIANO. Instituto de Ciências Exatas da Universidade Federal de Minas Gerais UM ESTUDO SOBRE AS FORMAS GEOMÉTRICAS EM NOSSO COTIDIANO Fernanda Lima Ferreira Instituto de Ciências Exatas da Universidade Federal de Minas Gerais Introdução O presente relato de experiência se refere

Leia mais

APRENDENDO COM O LUDO AÇÃO E RADICAL

APRENDENDO COM O LUDO AÇÃO E RADICAL ESCOLA ESTADUAL LUIS VAZ DE CAMÕES IPEZAL/ANGÉLICA- MS APRENDENDO COM O LUDO AÇÃO E RADICAL Ipezal/Angélica MS Abril 2012 ESCOLA ESTADUAL LUIS VAZ DE CAMÕES IPEZAL/ANGÉLICA- MS APRENDENDO COM O LUDO AÇÃO

Leia mais

MATEMÁTICA 3º ANO. Novo programa de matemática Objetivos específicos. Currículo Paulo VI. Números naturais. Relações numéricas Múltiplos e divisores

MATEMÁTICA 3º ANO. Novo programa de matemática Objetivos específicos. Currículo Paulo VI. Números naturais. Relações numéricas Múltiplos e divisores MATEMÁTICA 3º ANO NÚMEROS E OPERAÇÕES Tópicos Números naturais Relações numéricas Múltiplos e divisores Novo programa de matemática Objetivos específicos Realizar contagens progressivas e regressivas a

Leia mais

ROBÓTICA EDUCACIONAL

ROBÓTICA EDUCACIONAL Qualidade do Ensino e Gestão de Sala de Aula Objetivo -Relacionar estudos de conceitos multidisciplinares, como física, matemática, geografia entre outros; -Desenvolver o Protagonismo Juvenil (jovem sujeito

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA LICENCIATURA EM PEDAGOGIA EDC 284 DIDÁTICA DOCENTE: Amaleide Lima DISCENTES: Kleriston Fellipe Pinto da Conceição Marili Ribeiro Brito Rachel Nascimento da Rocha O planejamento

Leia mais

XVI ENCONTRO NACIONAL DE GEÓGRAFOS 25 A 31 DE JULHO DE 2010 PORTO ALEGRE CRISE, PRÁXIS E AUTONOMIA: ESPAÇOS DE RESISTÊNCIA E DE ESPERANÇAS

XVI ENCONTRO NACIONAL DE GEÓGRAFOS 25 A 31 DE JULHO DE 2010 PORTO ALEGRE CRISE, PRÁXIS E AUTONOMIA: ESPAÇOS DE RESISTÊNCIA E DE ESPERANÇAS 2ª Circular XVI ENCONTRO NACIONAL DE GEÓGRAFOS 25 A 31 DE JULHO DE 2010 PORTO ALEGRE CRISE, PRÁXIS E AUTONOMIA: ESPAÇOS DE RESISTÊNCIA E DE ESPERANÇAS Para desenvolver esta TEMÁTICA estamos propondo as

Leia mais

COLÉGIO SALESIANO SÃO JOSÉ PROJETO VIDAS SECAS, SECAS VIDAS! : O LEITOR COMO FOCO, O PROFESSOR COMO MEDIADOR.

COLÉGIO SALESIANO SÃO JOSÉ PROJETO VIDAS SECAS, SECAS VIDAS! : O LEITOR COMO FOCO, O PROFESSOR COMO MEDIADOR. COLÉGIO SALESIANO SÃO JOSÉ PROJETO VIDAS SECAS, SECAS VIDAS! : O LEITOR COMO FOCO, O PROFESSOR COMO MEDIADOR. Natal RN 2016 EVA CÉSAR KALYNE VARELA SANDRO SARAIVA YAMA ELICE WILLEN LOBATO COLÉGIO SALESIANO

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL. Documento(s) Orientador(es): Programa e Metas de Aprendizagem

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL. Documento(s) Orientador(es): Programa e Metas de Aprendizagem AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa e Metas de Aprendizagem 3º CICLO MATEMÁTICA 7ºANO TEMAS/DOMÍNIOS CONTEÚDOS OBJETIVOS

Leia mais

GEOTECNOLOGIAS APLICADAS AO ENSINO DE GEOGRAFIA, COM ÊNFASE NA APRENDIZAGEM CARTOGRÁFICA DO ENSINO FUNDAMENTAL II

GEOTECNOLOGIAS APLICADAS AO ENSINO DE GEOGRAFIA, COM ÊNFASE NA APRENDIZAGEM CARTOGRÁFICA DO ENSINO FUNDAMENTAL II GEOTECNOLOGIAS APLICADAS AO ENSINO DE GEOGRAFIA, COM ÊNFASE NA APRENDIZAGEM CARTOGRÁFICA DO ENSINO FUNDAMENTAL II Adson dos Santos Universidade Estadual de Feira de Santana- arh@uefs.br INTRODUÇÃO Como

Leia mais

MÉTODOS DE REPRESENTÇÃO DA CARTOGRAFIATEMÁTICA: REPRESENTAÇÕES DINÂMICAS E CARTOGRAFIA DE SÍNTESE

MÉTODOS DE REPRESENTÇÃO DA CARTOGRAFIATEMÁTICA: REPRESENTAÇÕES DINÂMICAS E CARTOGRAFIA DE SÍNTESE Aula MÉTODOS DE REPRESENTÇÃO DA CARTOGRAFIATEMÁTICA: REPRESENTAÇÕES DINÂMICAS E CARTOGRAFIA DE SÍNTESE META Representar os fenômenos quando estes variam no tempo e no espaço e apresentar como se processa

Leia mais

Planificação Anual. Matemática Dinâmica 7º ano Luísa Faria; Luís Guerreiro Porto Editora. 1 Números inteiros. 10 Sequências e Regularidades

Planificação Anual. Matemática Dinâmica 7º ano Luísa Faria; Luís Guerreiro Porto Editora. 1 Números inteiros. 10 Sequências e Regularidades 3º Período 2º Período 1º Período AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE CASTRO DAIRE Escola EBI de Mões Grupo de Recrutamento 500 MATEMÁTICA Ano lectivo 2012/2013 Planificação Anual Disciplina: Matemática Ano: 7º Carga

Leia mais

NA GAVETA DA MEMÓRIA...

NA GAVETA DA MEMÓRIA... NA GAVETA DA MEMÓRIA... Adâni Corrêa Daniela Bortolon Uma vida sem memória, não é uma vida. Luis Buñel. 1) Leituras escolhidas e justificativa da escolha: # Gaveta dos guardados, Iberê Camargo; # Obras

Leia mais

ISBN Apresentação

ISBN Apresentação Serpentes e Escadas - TERMOQUÍMICA Apresentação Serpentes e Escadas é um jogo de percurso feito em tabuleiro. Sua origem é indiana e os registros mais antigos são do século XIII. Na ocasião, era utilizado

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GEOGRAFIA HUMANA Ano Lectivo 2016/2017

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular GEOGRAFIA HUMANA Ano Lectivo 2016/2017 Programa da Unidade Curricular GEOGRAFIA HUMANA Ano Lectivo 2016/2017 1. Unidade Orgânica Arquitectura e Artes (1º Ciclo) 2. Curso Arquitectura 3. Ciclo de Estudos 2º 4. Unidade Curricular GEOGRAFIA HUMANA

Leia mais

PLANOS DE AULA Tema: Megaeventos: Análise da copa 2014 e seus impactos socioespaciais

PLANOS DE AULA Tema: Megaeventos: Análise da copa 2014 e seus impactos socioespaciais UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PLANOS DE AULA 2013.2 Bolsistas: Cinddinesya Nogueira e Maíra Melo Turmas de atuação: 8º ano a e b Tema: Megaeventos: Análise da copa 2014 e seus impactos socioespaciais

Leia mais

ORIENTAÇO ES PARA DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE INTERVENÇA O

ORIENTAÇO ES PARA DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE INTERVENÇA O ORIENTAÇO ES PARA DESENVOLVIMENTO DO PROJETO DE INTERVENÇA O O QUE É UM PROJETO DE INTERVENÇÃO? Na perspectiva do desenvolvimento das habilidades e competência do eixo do Programa de Aprendizagem em Atenção

Leia mais

MATEMÁTICA 4º ANO. Novo programa de matemática Objetivos específicos. Ler e representar números, pelo menos até ao milhão.

MATEMÁTICA 4º ANO. Novo programa de matemática Objetivos específicos. Ler e representar números, pelo menos até ao milhão. MATEMÁTICA 4º ANO NÚMEROS E OPERAÇÕES Números naturais Relações numéricas Múltiplos e divisores Realizar contagens progressivas e regressivas a partir de números dados. Comparar números e ordená-los em

Leia mais

Transformação, institucionalização e conflito nas esferas espacial, econômica, social e política

Transformação, institucionalização e conflito nas esferas espacial, econômica, social e política iências Humanas E SUAS TEC ECNOLOGIAS Ficha de Estudo 96 Tema Transformação, institucionalização e conflito nas esferas espacial, econômica, social e política Tópico de estudo Representação espacial Entendendo

Leia mais

Unidade 1 Sobre o Trabalho de conclusão de curso

Unidade 1 Sobre o Trabalho de conclusão de curso Unidade 1 Sobre o Trabalho de conclusão de curso O Trabalho de Conclusão de Curso TCC é um requisito obrigatório para a conclusão do curso, realizada no final do Curso de Licenciatura em Pedagogia da Universidade

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em informática para Internet Integrado ao Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio. Habilitação Profissional: Técnico em informática para Internet Integrado ao Ensino Médio Plano de Trabalho Docente - 2015 Ensino Médio Código: 0262 ETEC ANHANQUERA Município: Santana de Parnaíba Área de Conhecimento: Matemática Componente Curricular: Matemática Série: 1ª Eixo Tecnológico:

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE MATEMÁTICA - 6.º ANO PERFIL DO ALUNO 1.º PERÍODO. DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS/CONTEÚDOS OBJETIVOS n.º de aulas

PLANO DE ESTUDOS DE MATEMÁTICA - 6.º ANO PERFIL DO ALUNO 1.º PERÍODO. DOMÍNIOS SUBDOMÍNIOS/CONTEÚDOS OBJETIVOS n.º de aulas DE MATEMÁTICA - 6.º ANO Ano Letivo 2014 2015 PERFIL DO ALUNO No domínio dos Números e Operações, o aluno deve ser capaz de conhecer e aplicar propriedades dos números primos; representar e comparar números

Leia mais

PROJETO: OPERAÇÕES COM NÚMEROS DECIMAIS

PROJETO: OPERAÇÕES COM NÚMEROS DECIMAIS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID) ESCOLA MUNICIPAL HERMANN GMEINNER Bolsistas: Jacqueline Cristina de Medeiros Supervisora: Patrícia

Leia mais

Planificação de uma Unidade de Aprendizagem

Planificação de uma Unidade de Aprendizagem Planificação de uma Unidade de Aprendizagem 1 Contexto Área curricular: Língua Portuguesa Tema: Texto lúdico-poético Nível: 1º Ciclo (4º Ano) Escola: Os alunos que frequentam esta escola, e particularmente

Leia mais

EXPOSIÇÃO ITINERANTE DE MAPAS NO CARIRI PARAIBANO NO CONTEXTO DAS AÇÕES DO - PIBID. ED DO CAMPO CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS

EXPOSIÇÃO ITINERANTE DE MAPAS NO CARIRI PARAIBANO NO CONTEXTO DAS AÇÕES DO - PIBID. ED DO CAMPO CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS EXPOSIÇÃO ITINERANTE DE MAPAS NO CARIRI PARAIBANO NO CONTEXTO DAS AÇÕES DO - PIBID. ED DO CAMPO CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS Fabiano Custódio de Oliveira 1 (UFCG); Maria José Barros da Silva (UFCG); Ranieli

Leia mais

2- Simbolização Cartográfica Manifestações qualitativas

2- Simbolização Cartográfica Manifestações qualitativas 2- Simbolização Cartográfica Manifestações qualitativas Fazemos leitura espacial quase todo o tempo! Seja quando estamos parados ou quando nos movimentamos. Nosso olho observa e analisa tudo que vemos

Leia mais

MÉTODOS DE REPRESENTAÇÃO DA CARTOGRAFIA TEMÁTICA: REPRESENTAÇÕES QUALITATIVAS MANIFESTAÇÃO ZONAL

MÉTODOS DE REPRESENTAÇÃO DA CARTOGRAFIA TEMÁTICA: REPRESENTAÇÕES QUALITATIVAS MANIFESTAÇÃO ZONAL MÉTODOS DE REPRESENTAÇÃO DA CARTOGRAFIA TEMÁTICA: REPRESENTAÇÕES QUALITATIVAS MANIFESTAÇÃO ZONAL META Demonstrar a extensão e a distribuição dos fenômenos geográficos qualitativos a partir da manifestação

Leia mais

ESCOLA E B 2,3/S MIGUEL LEITÃO DE ANDRADA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRÓGÃO GRANDE DEPARTAMENTO DAS CIÊNCIAS EXATAS 2015/2016

ESCOLA E B 2,3/S MIGUEL LEITÃO DE ANDRADA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRÓGÃO GRANDE DEPARTAMENTO DAS CIÊNCIAS EXATAS 2015/2016 ESCOLA E B 2,3/S MIGUEL LEITÃO DE ANDRADA - AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PEDRÓGÃO GRANDE DEPARTAMENTO DAS CIÊNCIAS EXATAS 2015/2016 PLANIFICAÇÃO DE MATEMÁTICA 6ºANO 1º Período 2º Período 3º Período Apresentação,

Leia mais

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO

COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO COMO ELABORAR UM ARTIGO CIENTÍFICO 1 INTRODUÇÃO As orientações aqui apresentadas são baseadas na norma da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) para apresentação de artigos científicos impressos:

Leia mais

A maestria de Pierre Monbeig

A maestria de Pierre Monbeig A maestria de Pierre Monbeig [ The mastery of Pierre Monbeig Eduardo Dutenkefer 1 Fernanda Padovesi Fonseca 2 Jaime Tadeu Oliva 3 DUTENKEFER, Eduardo; FONSECA, Fernanda Padovesi; OLIVA, Jaime Tadeu. A

Leia mais

Os vários tipos de Mapas

Os vários tipos de Mapas MAPAS TEMÁTICOS Os vários tipos de Mapas Os mapas temáticos existem em uma variedade considerável. Cada tipo representa melhor algum tipo de dado. A informação no nível do endereço demanda um tipo de mapa

Leia mais

Projeto CONDIGITAL ESQUADRINHANDO Guia do Professor

Projeto CONDIGITAL ESQUADRINHANDO Guia do Professor Projeto CONDIGITAL ESQUADRINHANDO Guia do Professor Página 1 de 6 Guia do Professor Introdução A utilização de jogos digitais, como objetos de aprendizagem, tem sido difundida atualmente como uma forma

Leia mais

Cartografia Tátil na sala de aula E. E. João XXIII

Cartografia Tátil na sala de aula E. E. João XXIII Cartografia Tátil na sala de aula E. E. João XXIII Sala 14 Sessão 1 Profª Elizandra Maria Aleixo Realização: Foco As atividades realizadas em sala de aula na disciplina de Geografia são desenvolvidas de

Leia mais

Plano de Ensino Docente. TURMA: 2º semestre

Plano de Ensino Docente. TURMA: 2º semestre Plano de Ensino Docente IDENTIFICAÇÃO CURSO: Licenciatura em Matemática FORMA/GRAU:( ) integrado ( ) subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado (x) licenciatura ( ) tecnólogo MODALIDADE: ( x ) Presencial

Leia mais

PLANO DE ENSINO. DISCIPLINA: DIDÁTICA CARGA HORÁRIA: 80 PROFESSOR: Vallace Chriciano Souza Herran

PLANO DE ENSINO. DISCIPLINA: DIDÁTICA CARGA HORÁRIA: 80 PROFESSOR: Vallace Chriciano Souza Herran / PLANO DE ENSINO DISCIPLINA: DIDÁTICA CARGA HORÁRIA: 80 PROFESSOR: Vallace Chriciano Souza Herran OBJETIVO GERAL: Estabelecer a discussão crítica sobre os princípios e os pressupostos históricos, filosóficos,

Leia mais

PROPOSTA ATIVIDADES COM O JCLIC

PROPOSTA ATIVIDADES COM O JCLIC PROPOSTA ATIVIDADES COM O JCLIC 1 Título: Fisionomia do Relevo 2 Autor: Nilse Lúcia Girotto 3 Aplicativo utilizado: JClic: Palavras Cruzadas 4 Disciplina: Geografia 5 Objetivos / Expectativas de aprendizagem:

Leia mais

PIBID 2011 SUBPROJETO LETRAS

PIBID 2011 SUBPROJETO LETRAS PIBID 2011 SUBPROJETO LETRAS PLANOS DE AULAS BOLSISTAS: Jéssica Pereira, Denise Oliveira e Taiana Azevedo DATA DA AULA: 10 /09/2012 AULA No.: 1 PLANO DE AULA CONTEÚDOS: Dinâmica de grupo OBJETIVO GERAL:

Leia mais

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO. Plano da Unidade

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO. Plano da Unidade Unidade de Ensino: OPERAÇÕES COM NÚMEROS RACIONAIS ABSOLUTOS (adição e subtracção). Tempo Previsto: 3 semanas O reconhecimento do conjunto dos racionais positivos, das diferentes formas de representação

Leia mais

Caderno 1: 30 minutos. Tolerância: 10 minutos. (com recurso à calculadora)

Caderno 1: 30 minutos. Tolerância: 10 minutos. (com recurso à calculadora) PROVA FINAL DO 2.º CICLO DO ENSINO BÁSICO Matemática/Prova 62/2.ª Chamada/2012 Decreto-Lei n.º 6/2001, de 18 de janeiro A PREENCHER PELO ESTUDANTE Nome completo Documento de identificação CC n.º ou BI

Leia mais

Tema do projeto Aonde vou me divertir? Refletindo o uso dos equipamentos públicos de lazer na cidade de Natal RN

Tema do projeto Aonde vou me divertir? Refletindo o uso dos equipamentos públicos de lazer na cidade de Natal RN I. Plano de Aula: PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA (PIBID) Data: 18 a 22 de março de 2013 Duração da aula: Duas aulas de 50 min Bolsista: Cinddinesya Nogueira/ Elisabeth Araújo Escola:

Leia mais

METODOLOGIA DE PROJETO

METODOLOGIA DE PROJETO METODOLOGIA DE PROJETO DE INTERIORES AULA 09: ESPAÇO E ORGANIZAÇÃO. PROJETANDO OS ESPAÇOS Disciplina do Curso Superior em Design de Interiores da UNAES/Anhanguera Educacional Arq. Urb. Octavio F. Loureiro

Leia mais

MANUAL DO AVALIADOR O

MANUAL DO AVALIADOR O MANUAL DO AVALIADOR O que é uma Feira de Ciência? É uma exposição que divulga os resultados de experimentos ou de levantamentos realizados, com rigor científico, por alunos, sob a orientação de um professor.

Leia mais

MATERIAIS EDUCATIVOS MAR MUSEU DE ARTE DO RIO

MATERIAIS EDUCATIVOS MAR MUSEU DE ARTE DO RIO MATERIAIS EDUCATIVOS MAR MUSEU DE ARTE DO RIO Livros do aluno Escola do olhar Rio de imagens uma paisagem em construção A apresentação de paisagens do Rio de Janeiro em diferentes épocas, representadas

Leia mais

Matemática. 2.º Ciclo do Ensino Básico. Prova 62 INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

Matemática. 2.º Ciclo do Ensino Básico. Prova 62 INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Matemática 2016 Prova 62 2.º Ciclo do Ensino Básico O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência do 2º. Ciclo

Leia mais

EMEF PROFESSORA MARIA MARGARIDA ZAMBON BENINI PIBID. Plano de aula 4 Abril de Ângulos

EMEF PROFESSORA MARIA MARGARIDA ZAMBON BENINI PIBID. Plano de aula 4 Abril de Ângulos EMEF PROFESSORA MARIA MARGARIDA ZAMBON BENINI PIBID Plano de aula 4 Abril de 2015 Ângulos Bolsistas: Mévelin Maus, Patrícia Lombelo, Natacha Subtil. Supervisora: Marlete Basso Roman Disciplina: Matemática

Leia mais

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO Plano da Unidade

ESCOLA BÁSICA INTEGRADA DE ANGRA DO HEROÍSMO Plano da Unidade Unidade de Ensino: OPERAÇÕES COM NÚMEROS RACIONAIS ABSOLUTOS (adição e subtracção). Tempo Previsto: 3 semanas O reconhecimento do conjunto dos racionais positivos, das diferentes formas de representação

Leia mais

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA

ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA ROTEIRO DE RECUPERAÇÃO DE GEOGRAFIA Nome: Nº 1 a. Série Data: / / Professores: Fabiana, Adriana, Nelson Nota: (valor: 1,0) 1º bimestre A - Introdução Neste bimestre, sua média foi inferior a 6,0 e você

Leia mais

Plano Curricular de Matemática 6ºAno - 2º Ciclo

Plano Curricular de Matemática 6ºAno - 2º Ciclo Plano Curricular de Matemática 6ºAno - 2º Ciclo Domínio Conteúdos Metas Nº de Tempos Previstos Numeros e Operações Geometria Números naturais - Números primos; - Crivo de Eratóstenes; - Teorema fundamental

Leia mais

SMA 0186 PRÁTICA DO ENSINO DE MATEMÁTICA I- 2011

SMA 0186 PRÁTICA DO ENSINO DE MATEMÁTICA I- 2011 SMA 0186 PRÁTICA DO ENSINO DE MATEMÁTICA I- 2011 Responsável: Dra. Miriam Cardoso Utsumi Horário: quarta-feira 16:10h as 17:50h, sala : LEM Atendimento a alunos: PRESENCIALMENTE apenas às terças e quintas:

Leia mais

Oficina Regionalização: dividindo o espaço CH / EF Sequência Didática

Oficina Regionalização: dividindo o espaço CH / EF Sequência Didática Oficina Regionalização: dividindo o espaço CH / EF Sequência Didática Objetivos: A Oficina, Regionalização: dividindo o espaço, tem como objetivo proporcionar reflexões sobre a importância de se organizar

Leia mais

Símbolos Ordenados. PONTOS LINHAS ÁREAS ORDEM relevo e outros, se manifestam de forma contínua no espaço ou no tempo, ou obedecem uma hierarquia de

Símbolos Ordenados. PONTOS LINHAS ÁREAS ORDEM relevo e outros, se manifestam de forma contínua no espaço ou no tempo, ou obedecem uma hierarquia de 14- Simbolização Cartográfica Manifestações Ordenadas Além das manifestações qualitativas, Símbolos Cartográficos Ordenados quantitativas e dinâmicas, alguns fenômenos espaciais, como os fatores climáticos

Leia mais

REGRAS PARA REALIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES BASEADA NAS NORMAS DA ABNT MANUAL DO ALUNO. Nome:

REGRAS PARA REALIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES BASEADA NAS NORMAS DA ABNT MANUAL DO ALUNO. Nome: REGRAS PARA REALIZAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES BASEADA NAS NORMAS DA ABNT MANUAL DO ALUNO Nome: ORIENTAÇÃO PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS ESCOLARES (Baseado nas normas da ABNT) Associação Brasileira de Normas

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES 1 RELATO

ESPECIFICAÇÕES 1 RELATO Este material foi elaborado como requisito de avaliação final da oficina Apoio ao Uso dos Recursos do Portal Dia-a-dia Educação na Prática Pedagógica, sob orientação do(a) docente, assessor(a) pedagógico(a)

Leia mais

Professora: Jordana Costa

Professora: Jordana Costa Professora: Jordana Costa Cartografia Cartografia, segundo a ABNT é definida como: A arte de levantamento, construção e edição de mapas e cartas de qualquer natureza. Função principal: Representar a realidade

Leia mais

Matemática na Vida. Série: Razão e Proporção A Divisão e suas Interpretações

Matemática na Vida. Série: Razão e Proporção A Divisão e suas Interpretações Matemática na Vida Série: Razão e Proporção A Divisão e suas Interpretações Resumo No primeiro momento do segundo vídeo da série Razão e Proporção, Euclides, nosso personagem principal, vai à festa de

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE DOBRADURAS DE PAPEL NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA

UTILIZAÇÃO DE DOBRADURAS DE PAPEL NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA UTILIZAÇÃO DE DOBRADURAS DE PAPEL NO ENSINO E APRENDIZAGEM DE MATEMÁTICA Shirley Aparecida de Morais Escola 31 de março shiamo@seed.pr.gov.br Rita de Cássia Amaral Vieira rcamaral@hotmail.comr Samantha

Leia mais

Oficina de Álgebra. Oficina CNI EF / Álgebra 1 Material do aluno. Setor de Educação de Jovens e Adultos. Caro aluno,

Oficina de Álgebra. Oficina CNI EF / Álgebra 1 Material do aluno. Setor de Educação de Jovens e Adultos. Caro aluno, _ Caro aluno, Oficina de Álgebra Objetiva-se, com essa atividade, que o uso da linguagem algébrica seja interpretado como um recurso que permite modelar uma situação-problema apresentada. As situações

Leia mais

Desenho Técnico. Introdução. Prof. João Paulo Barbosa

Desenho Técnico. Introdução. Prof. João Paulo Barbosa Desenho Técnico Introdução Prof. João Paulo Barbosa Introdução O desenho técnico é uma forma de expressão gráfica que visa a representação de forma, dimensão e posição de objetos de acordo com as diferentes

Leia mais

1ª Aula. Tema: Duração da aula: 1.1. Sumário Objectivos de aprendizagem: 1.3. Principais dificuldades previstas Desenvolvimento da aula:

1ª Aula. Tema: Duração da aula: 1.1. Sumário Objectivos de aprendizagem: 1.3. Principais dificuldades previstas Desenvolvimento da aula: : Tema: Desenhar gráficos: barras e de dispersão. Duração da aula: Duas aulas de 45 min. 1ª Aula 1.1. Sumário Pretende-se construir um gráfico de barras para representar a distância média ao sol dos planetas

Leia mais

Início da unidade de trabalho, pequena explicação aos alunos da mesma

Início da unidade de trabalho, pequena explicação aos alunos da mesma MASCARILHA DE CARNAVAL Ano Letivo: 2012/2013 DOMÍNIOS OBJETIVOS DESCRITORES ATIVIDADES MATERIAIS / RECURSOS CALENDARIZAÇÃO AVALIAÇÃO Técnica Produzir objectos plásticos explorando temas, ideias e situações

Leia mais

OFICINA DE FORMAÇÃO GEOGEBRA UMA VISITA AOS PROGRAMAS DE MATEMÁTICA DOS 2º E 3º CICLOS. Professora: Elsa Maria Sousa Dias

OFICINA DE FORMAÇÃO GEOGEBRA UMA VISITA AOS PROGRAMAS DE MATEMÁTICA DOS 2º E 3º CICLOS. Professora: Elsa Maria Sousa Dias OFICINA DE FORMAÇÃO GEOGEBRA UMA VISITA AOS PROGRAMAS DE MATEMÁTICA DOS 2º E 3º CICLOS Professora: Elsa Maria Sousa Dias Actividade: Estudo do gráfico da Função Afim Formador: Luís Roçadas Enquadramento

Leia mais

Informação - Ficha de Avaliação Global de Matemática 4.º ano. 1.º Ciclo do Ensino Básico maio de 2016

Informação - Ficha de Avaliação Global de Matemática 4.º ano. 1.º Ciclo do Ensino Básico maio de 2016 Agrupamento de Escolas de Marrazes Cód. 1609 Informação - Ficha de Avaliação Global de Matemática.º ano 1.º Ciclo do Ensino Básico maio de 016 O presente documento divulga informação relativa à ficha de

Leia mais

Algumas definições sobre Projetos

Algumas definições sobre Projetos Algumas definições sobre Projetos...entende-se por projeto um modo de agir do ser humano que define quem ele pretende ser e como se lançar em busca de metas (Machado, 2000). Não se faz projeto quando só

Leia mais

SOLUÇÕES DE PROBLEMAS TENDO SUPORTE AS QUESTÕES DA OBMEP. Palavras-chave: Educação Matemática. Olimpíadas de Matemática. Leitura e Escrita Matemática.

SOLUÇÕES DE PROBLEMAS TENDO SUPORTE AS QUESTÕES DA OBMEP. Palavras-chave: Educação Matemática. Olimpíadas de Matemática. Leitura e Escrita Matemática. SOLUÇÕES DE PROBLEMAS TENDO SUPORTE AS QUESTÕES DA OBMEP Mariane Kneipp Giareta 1 Neuza Terezinha Oro 1 Rosa Maria Tagliari Rico 1 Paula Boito 2 Juliano Zanon 2 RESUMO: A presente oficina é resultado do

Leia mais

Teoria Elementar dos Erros, precisão e acurácia e Escala. ProfªMA Agnes Silva de Araujo

Teoria Elementar dos Erros, precisão e acurácia e Escala. ProfªMA Agnes Silva de Araujo Teoria Elementar dos Erros, precisão e acurácia e Escala ProfªMA Agnes Silva de Araujo AULA 04 Objetivos Apresentar as diferentes classificações de erros de observação; Levar a compreensão a relação entre

Leia mais

CARTOGRAFIA TEMÁTICA PARTE II MATRIZES E DIAGRAMAS. Geografia Organização e Elaboração: Profa. Dra. Andréia Medinilha Pancher

CARTOGRAFIA TEMÁTICA PARTE II MATRIZES E DIAGRAMAS. Geografia Organização e Elaboração: Profa. Dra. Andréia Medinilha Pancher CARTOGRAFIA TEMÁTICA PARTE II MATRIZES E DIAGRAMAS Geografia Organização e Elaboração: Profa. Dra. Andréia Medinilha Pancher Tabelas e Gráficos TABELAS Cabeçalho ou título Título: o quê, onde e quando

Leia mais

DESENHO GEOMÉTRICO AULA 3T EXERCÍCIOS RESOLVIDOS

DESENHO GEOMÉTRICO AULA 3T EXERCÍCIOS RESOLVIDOS 1 DESENHO GEOMÉTRICO AULA 3T EXERCÍCIOS RESOLVIDOS 1. SÃO DADOS 3 SEGMENTOS, a = 3 cm, b = 2 cm e c = 2,5 cm. PEDE-SE ENCONTRAR A QUARTA PROPORCIONAL ENTRE a, b e c : PROCESSO I - Consideremos os 3 segmentos

Leia mais

PLANO DE CURSO. CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de , DOU de

PLANO DE CURSO. CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de , DOU de CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Reconhecimento Renovado pela Portaria MEC nº 264 de 14.07.11, DOU de 19.07.11. Componente Curricular: ESTÁGIO I Código: CTB-381 Pré-requisito: MPC (CTB190) Período Letivo: 2016.1

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE. DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS Grupo 230. Planificação Anual / Critérios de Avaliação

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE. DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS Grupo 230. Planificação Anual / Critérios de Avaliação DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS Grupo 230 Planificação Anual / Critérios de Avaliação Disciplina: Matemática 6.º ano 2016 / 2017 Domínio (Unidade/ Tema) Subdomínio/ Conteúdos Meta de

Leia mais

Planificação a médio e longo prazo. Matemática B. 11º Ano de escolaridade. Total de aulas previstas: 193. Ano letivo 2015/2016

Planificação a médio e longo prazo. Matemática B. 11º Ano de escolaridade. Total de aulas previstas: 193. Ano letivo 2015/2016 Planificação a médio e longo prazo Matemática B 11º Ano de escolaridade. Total de aulas previstas: 193 Ano letivo 2015/2016 Professor responsável: Paulo Sousa I O programa Matemática B do 11º Ano - Página

Leia mais

O JOGO DOS DISCOS INTRODUÇÃO DISCUSSÃO PROCEDIMENTO ORIENTAÇÃO PARA O PROFESSOR

O JOGO DOS DISCOS INTRODUÇÃO DISCUSSÃO PROCEDIMENTO ORIENTAÇÃO PARA O PROFESSOR MATEMATICA 2 2 O JOGO DOS DISCOS ORIENTAÇÃO PARA O PROFESSOR INTRODUÇÃO Através desse jogo bem interessante o professor pode abordar o conceito de probabilidade geométrica, que normalmente não é visto

Leia mais

Diego Aparecido Maronese Matemática. Íria Bonfim Gaviolli Matemática

Diego Aparecido Maronese Matemática. Íria Bonfim Gaviolli Matemática Edital Pibid n 11 /2012 CAPES PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA - PIBID Plano de Atividades (PIBID/UNESPAR) Tipo do produto: Plano de Aula 1 IDENTIFICAÇÃO SUBPROJETO MATEMÁTICA/FECEA:

Leia mais

Ficha de Unidade Curricular

Ficha de Unidade Curricular Ficha de Unidade Curricular Unidade Curricular Designação Forma e Design (prática laboratorial) Área Científica: Design de Produto Ciclo de Estudos: Licenciatura Carácter: Obrigatória Semestre: 1º ECTS:

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL MARECHAL RONDON ANA PATRÍCIA PICOLO FÁBIO JOSÉ DE ARAUJO GIOVANA FERREIRA APRENDENDO GEOMETRIA PLANA E ESPACIAL COM AS TECNOLOGIAS

ESCOLA ESTADUAL MARECHAL RONDON ANA PATRÍCIA PICOLO FÁBIO JOSÉ DE ARAUJO GIOVANA FERREIRA APRENDENDO GEOMETRIA PLANA E ESPACIAL COM AS TECNOLOGIAS ESCOLA ESTADUAL MARECHAL RONDON ANA PATRÍCIA PICOLO FÁBIO JOSÉ DE ARAUJO GIOVANA FERREIRA APRENDENDO GEOMETRIA PLANA E ESPACIAL COM AS TECNOLOGIAS NOVA ANDRADINA - MS MAIO DE 2009 ESCOLA ESTADUAL MARECHAL

Leia mais

PROGRAMA DE DISCIPLINA

PROGRAMA DE DISCIPLINA PROGRAMA DE DISCIPLINA Disciplina: Fundamentos e Metodologia nos Anos Iniciais do Ensino Fundamental II Código da Disciplina: EDU 325 Curso: Pedagogia Semestre de oferta da disciplina: 5º Faculdade responsável:

Leia mais

PLANO DE CURSO. Código: Carga Horária: 40 Créditos: 02 Pré-requisito(s): Período: III Ano: 2015.

PLANO DE CURSO.   Código: Carga Horária: 40 Créditos: 02 Pré-requisito(s): Período: III Ano: 2015. CNPJ: 0.866./0001-9 e Inscrição Municipal nº 00.1- PLANO DE CURSO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Curso: Licenciatura em Letras Vernáculas. Disciplina: Linguística-III Professor: Wellington Neves Vieira e-mail:

Leia mais

Escola Vasco da Gama de Sines

Escola Vasco da Gama de Sines Escola Vasco da Gama de Sines Matemática - 7º Ano 2010/2011 / 06 / 2011 6º Teste de Avaliação - Global Duração: 90 minutos Nome: Nº: Turma: Classificação: Enc. Educação: Professora: Material necessário:

Leia mais

As primeiras noções de mapa e a importância da Geografia nas séries iniciais

As primeiras noções de mapa e a importância da Geografia nas séries iniciais As primeiras noções de mapa e a importância da Geografia nas séries iniciais Ler e buscar informações Nas aulas de Geografia, é importante que a criança tenha espaço para desenhar e representar as situações,

Leia mais

Cálculos Fracionários

Cálculos Fracionários Cálculos Fracionários Resumo Iconográfico Duração Pré-requisitos Pré-requisitos técnicos Estratégias Avaliação LEGENDA Uma hora-aula de 45 minutos Livro Didático Conhecimentos adquiridos em aulas passadas

Leia mais

1.ª Parte do Workshop "Planeamento e Avaliação de Projectos Sociais"

1.ª Parte do Workshop Planeamento e Avaliação de Projectos Sociais 1.ª Parte do Workshop "Planeamento e Avaliação de Projectos Sociais" O workshop decorreu no dia 11 de Abril de 2007 com horário compreendido entre as 10-13h e as 14-17h na sala de formação do Monte - ACE

Leia mais

Atividade: A matemática das plantas de casas e mapas.

Atividade: A matemática das plantas de casas e mapas. Atividade: A matemática das plantas de casas e mapas. Introdução Nessa atividade será proposto que o aluno escolha um dos passeios: a visita a casa da arquiteta ou um passeio pela cidade com o Pai de Luca.

Leia mais

Operações com Números Decimais

Operações com Números Decimais Operações com Números Decimais Resumo Iconográfico Duração Pré-requisitos Pré-requisitos técnicos Estratégias Avaliação LEGENDA Uma hora-aula de 45 minutos Livro Didático Conhecimentos adquiridos em aaulas

Leia mais

Elementos de Cartografia Sistemática. Prof. Dr. Alfredo Pereira de Queiroz Filho

Elementos de Cartografia Sistemática. Prof. Dr. Alfredo Pereira de Queiroz Filho Elementos de Cartografia Sistemática Prof. Dr. Alfredo Pereira de Queiroz Filho 2015 Escala cartográfica 1. Significados do termo Escala é um atributo fundamental das pesquisas geográficas. Entretanto,

Leia mais

INFORMAÇÃO PROVA FINAL A NÍVEL DE ESCOLA. 2º Ciclo do Ensino Básico / 6º Ano

INFORMAÇÃO PROVA FINAL A NÍVEL DE ESCOLA. 2º Ciclo do Ensino Básico / 6º Ano INFORMAÇÃO PROVA FINAL A NÍVEL DE ESCOLA Matemática Prova 52 / 1ª FASE 2º Ciclo do Ensino Básico / 6º Ano Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro 2014 1. Introdução O presente documento visa divulgar as

Leia mais

A TABELA PERIÓDICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO DE UMA ESCOLA PÚBLICA

A TABELA PERIÓDICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO DE UMA ESCOLA PÚBLICA A TABELA PERIÓDICA NO PROCESSO DE ENSINO E APRENDIZAGEM DE ALUNOS DO ENSINO MÉDIO DE UMA ESCOLA PÚBLICA Eryca Vanessa Gonçalves Dantas (1); Priscila Batista Pereira (1); Marcella Ferreira Alves de Lima(2);Maraísa

Leia mais