Exportação de Farinhas e Gorduras de Origem Animal

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Exportação de Farinhas e Gorduras de Origem Animal"

Transcrição

1 14:58

2 Exportação de Farinhas e Gorduras de Origem Animal

3 Projeto Programa Brasileiro para a Expansão das Exportações das Farinhas e gorduras de origem animal Objetivo Identificar a situação encontrada pelas indústrias do setor para a exportação, bem como possíveis estratégias para minimizar dificuldades e expandir a comercialização de Farinhas e gorduras de origem animal no mundo.

4 Motivação O Programa brasileiro para expansão das exportações das farinhas e gorduras de origem animal visa suprir uma lacuna identificada pela Associação de Reciclagem Animal ABRA, que desde 2006 atua no setor

5 Parceria Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos - Apex-Brasil A Agência realiza ações diversificadas de promoção comercial que visam promover as exportações e valorizar os produtos e serviços brasileiros no exterior, como: missões prospectivas e comerciais rodadas de negócios apoio à participação de empresas brasileiras em grandes feiras internacionais visitas de compradores estrangeiros

6 App-2.pdf Identidade Visual

7 Objetivos do Projeto Ampliar a participação no mercado internacional das farinhas e gorduras de origem animal. Devem ainda ser destacados como objetivos decorrentes: Aumentar o número de Empresas Exportadoras; Promover a Diversificação dos Mercados Intensificar o Marketing Internacional Intensificar a Articulação Interna

8 Ações 1. Abertura de Mercados 2. Facilitadores 3. Informação sobre o Mercado 4. Barreiras à Exportação 5. Projetos/Ações

9 Principais Problemas Detectados Problemas Necessidade de melhorar a representação e iniciativas de promoção das exportações Ações a) Criação da Brazilian Renderes organização de apoio na representação em negociações internacionais, análise de mercado e promoção dos produtos (APEX- Brasil) b) Realização de missão com a União Européia Burocratização do sistema c) Reunião com embaixadas brasileira com o objetivo fortalecer as relações comerciais nos países alvo como Vietnã, Tailândia, Malásia dentre outras. d) Plano de ação preventiva (ex.bse atípica) 14:58

10 Metas Aumentar o Nível exportado de que representa 1,73% da produção nacional para 6% da produção nacional já no primeiro ano do projeto; Implementar um escritório de representação das farinhas e gorduras de origem animal na ASIA até o final de 2014.

11 Equipe do Projeto Gestora do Projeto Catia Macedo Promoção Comercial - Nuno Furtado Comunicação - Ana Paula Michnik Financeiro - Siderval Junior Secretario Executivo - Vinicius Oliveira Marketing - Igor Ribeiro Consultor Técnico Lucas Cypriano

12 Realizações até abril de 2013 Participação da Feira IPPE - International Poultry and Processing Expo (IPPE) Atlanta EUA de 28 a 30 de janeiro de contatos com possíveis compradores de diversos países dentre eles -Bangladesh, EUA, Argentina, Egito, Arábia Saudita, França, Holanda, África do Sul, México, Índia e Venezuela. Contato com a Associação Americana de Renderes

13 Realizações até abril de 2013 Participação na Feira VIV ASIA em Bangkok, Tailândia de 13 a 15 de março de contatos com possíveis compradores de diversos países dentre eles Tailândia, Bangladesh, África do Sul, México, Índia, Vietnã Durante a Feira tivemos uma reunião com o Consulado Brasileiro na Tailândia com o objetivo de melhorar as relações Comerciais.

14 Atividades em Andamento Projeto Comprador/Imagem Fenagra com 4 países convidados Tailândia, Vietnã, México e Malásia Avesui Florianópolis 14 a 16 de maio União Européia com o objetivo de verificação do sistema de produção da cadeia Pet Food o que inclui as farinhas e gorduras de origem animal, 15 a 26 de abril de 2013 Fórum de Sustentabilidade Realizado durante o Congresso Brasileiro de Avicultura em parceria com a UBABEF e Revista Feed&Food Elaboração do planejamento estratégico setorial para os próximos 5 anos com o objetivo de direcionar nossas ações Elaboração de novo projeto para apresentação à APEX- Brasil no mês de setembro

15 Por que participar Redução dos custos em participação de feiras internacionais; Ampliação da escala de produção; Absorção de novas tecnologias de produção; Acúmulo de conhecimento em marketing internacional; Redução das flutuações estacionais nas vendas; Efeito moral (motivador) sobre as empresas participantes; Aumento da competitividade perante os concorrentes internos; Acesso mais fácil às informações; Maior poder para negociar preços e prazo junto a fornecedores; Possibilidade de criação de uma marca forte; Aprimoramento do processo de gestão e produção.

16 Obrigada! Catia Macedo

Quem somos e o quê fazemos?

Quem somos e o quê fazemos? Quem somos e o quê fazemos? Uma entidade sem fins lucrativos dedicada a pensar estrategicamente o setor, conduzindo programas direcionados ao desenvolvimento tecnológico das empresas e a sua inserção no

Leia mais

EXPANSÃO DAS OPERAÇÕES INTERNACIONAIS

EXPANSÃO DAS OPERAÇÕES INTERNACIONAIS EXPANSÃO DAS OPERAÇÕES INTERNACIONAIS A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) atua para promover os produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos

Leia mais

Top 30 Líderes Mundiais em Importações de Produtos Farmacêuticos (valores de 2014)

Top 30 Líderes Mundiais em Importações de Produtos Farmacêuticos (valores de 2014) Top 30 Líderes Mundiais em Importações de Produtos Farmacêuticos (valores de 2014) No ranking dos principais importadores de produtos farmacêuticos do mundo, o Brasil se manteve na 16ª posição em 2013

Leia mais

Apex-Brasil Resultados e ações de apoio ao exportador

Apex-Brasil Resultados e ações de apoio ao exportador Apex-Brasil Resultados e ações de apoio ao exportador Exportações Empresas apoiadas pela Apex-Brasil e Brasil APEX-BRASIL EM NÚMEROS JANEIRO a DEZEMBRO 2016 O TRABALHO DESENVOLVIDO PELA APEX-BRASIL JUNTO

Leia mais

REDE BRASILEIRA DE CENTROS INTERNACIONAIS DE NEGÓCIOS COORDENADA PELA CNI PRESENTE NOS 27 ESTADOS PARCEIROS NACIONAIS E INTERNACIONAIS

REDE BRASILEIRA DE CENTROS INTERNACIONAIS DE NEGÓCIOS COORDENADA PELA CNI PRESENTE NOS 27 ESTADOS PARCEIROS NACIONAIS E INTERNACIONAIS REDE BRASILEIRA DE CENTROS INTERNACIONAIS DE NEGÓCIOS COORDENADA PELA CNI PRESENTE NOS 27 ESTADOS PARCEIROS NACIONAIS E INTERNACIONAIS ÁREA INTERNACIONAL DA FIEP PROMOVER A INTERNACIONALIZAÇÃO DAS EMPRESAS

Leia mais

Programa de Internacionalização de Empresas Apex-Brasil. Apresentação: Juarez Leal

Programa de Internacionalização de Empresas Apex-Brasil. Apresentação: Juarez Leal Programa de Internacionalização de Empresas Apex-Brasil Apresentação: Juarez Leal A APEX-BRASIL A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos é um Serviço Social Autônomo vinculado ao

Leia mais

MDIC lança em Pernambuco Plano Nacional da Cultura Exportadora para aumentar exportações

MDIC lança em Pernambuco Plano Nacional da Cultura Exportadora para aumentar exportações MDIC lança em Pernambuco Plano Nacional da Cultura Exportadora para aumentar exportações Brasília O ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro, lança, na próxima terça-feira

Leia mais

Competitividade global: métodos e experiências

Competitividade global: métodos e experiências Competitividade global: métodos e experiências Nicola Minervini Caxias do Sul, RS 02/10/2013 Competitividade Método Inovação Internacionalização Os desafios da empresa na globalização Custo Brasil X

Leia mais

APLICAÇÃO DO BPM PARA REESTRUTURAÇÃO DO PORTFÓLIO DE SERVIÇOS DA APEX-BRASIL

APLICAÇÃO DO BPM PARA REESTRUTURAÇÃO DO PORTFÓLIO DE SERVIÇOS DA APEX-BRASIL APLICAÇÃO DO BPM PARA REESTRUTURAÇÃO DO PORTFÓLIO DE SERVIÇOS DA APEX-BRASIL BPM Congress Brasília, 27 de novembro de 2012. Carlos Padilla, CBPP, Assessor da Gerência de Negócios. PANORAMA DA APEX-BRASIL

Leia mais

Resultados de 2015 Perspectivas para Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio

Resultados de 2015 Perspectivas para Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Resultados de 2015 Perspectivas para 2016 Secretaria de Relações Internacionais do Agronegócio Agronegócio na Balança Comercial 300 250 37,9% 37,1% 39,5% 41,3% 43,0% 45,9% 50% 45% 40% 200 35% 30% US$ Bilhões

Leia mais

ESTRATEGIA GLOBAL DE SUCOS FAIRTRADE

ESTRATEGIA GLOBAL DE SUCOS FAIRTRADE ESTRATEGIA GLOBAL DE SUCOS FAIRTRADE (Rascunho 16-12-2015) Impacto para todos Antecedentes Queda do mercado dos sucos no nível mundial. Certificação empresas verticalizadas de suco de laranja em FT. Perda

Leia mais

Por que exportar? Tiago Terra Supervisor de Competitividade Apex-Brasil

Por que exportar? Tiago Terra Supervisor de Competitividade Apex-Brasil Por que exportar? Tiago Terra Supervisor de Competitividade Apex-Brasil Apex-Brasil A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, atua há anos para promover os estudos e serviços brasileiros

Leia mais

Wanessa Dose Bittar Formação Cursos Extras Experiências

Wanessa Dose Bittar Formação Cursos Extras Experiências Wanessa Dose Bittar Formação -Especializada em Engenharia de Produção ( UFJF) -Graduada em Educação Artística ( UFJF) -Técnica em Design ( CTU) Cursos Extras -Educação Empreendedora pelo Endeavor Brasil

Leia mais

PLANO DE APRESENTAÇÃO

PLANO DE APRESENTAÇÃO PLANO DE APRESENTAÇÃO Apex-Brasil Principais Soluções Programa de Internacionalização Ações de internacionalização e promoção para o México Juarez Leal Coordenador de Internacionalização A APEX-BRASIL

Leia mais

Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos

Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos Associação Nacional dos Exportadores de Sucos Cítricos VIII Congresso Brasileiro de Marketing Rural Como a agroindústria brasileira está se adaptando às exigências do mercado internacional São Paulo, 28

Leia mais

O papel da AICEP nas Feiras Internacionais. 20 de fevereiro de 2013

O papel da AICEP nas Feiras Internacionais. 20 de fevereiro de 2013 O papel da AICEP nas Feiras Internacionais 20 de fevereiro de 2013 Tópicos da apresentação 1. Feiras Internacionais no contexto da globalização 2. Papel da AICEP nas feiras internacionais 2.1 Organização

Leia mais

II FORTEC NE DINE/UFPE

II FORTEC NE DINE/UFPE II FORTEC NE DINE/UFPE NIT/PROPLAN/UECE Vladimir Spinelli Chagas Pró-Reitor PROPLAN Teresa Mota NIT Recife, 13 de abril, 2007 Recife, 13 de abril, 2007 Sumário Estrutura Objetivo Geral Objetivos Específicos

Leia mais

Manual Básico: As Contrapartidas do BGD

Manual Básico: As Contrapartidas do BGD Manual Básico: As Contrapartidas do BGD Sobre os Projetos Setoriais Os Projetos Setoriais fazem parte das ações da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) que visam

Leia mais

MADEIRA 2016 O Brasil e as negociações internacionais de comércio. Camila Sande Especialista em Negociações CNA

MADEIRA 2016 O Brasil e as negociações internacionais de comércio. Camila Sande Especialista em Negociações CNA MADEIRA 2016 O Brasil e as negociações internacionais de comércio Camila Sande Especialista em Negociações CNA 16 de junho de 2016 Agronegócio consumo doméstico e exportação Exportação Consumo Doméstico

Leia mais

SEGMENTAÇÃO DE EMPRESAS DE DESIGN

SEGMENTAÇÃO DE EMPRESAS DE DESIGN SEGMENTAÇÃO DE EMPRESAS DE DESIGN Segmentação de empresas de design por capacidade e maturidade de exportação e internacionalização de serviços de design. (Versão revisão pós validação 14.07) PROJETO SETORIAL

Leia mais

Projeto Setorial Integrado: Eletroeletrônicos Brasil

Projeto Setorial Integrado: Eletroeletrônicos Brasil Projeto Setorial Integrado: Eletroeletrônicos Brasil Parceria Apex / Sindvel O Sindicato das Indústrias de Aparelhos Elétricos, Eletrônicos e Similares do Vale da Eletrônica SINDVEL foi constituído em

Leia mais

Perspectivas do Comércio Exterior Brasileiro

Perspectivas do Comércio Exterior Brasileiro Reunião de Diretoria e Conselhos da Associação de Comércio Exterior do Brasil - AEB Perspectivas do Comércio Exterior Brasileiro Secretária de Comércio Exterior Ministério da Indústria, Comércio Exterior

Leia mais

Como trabalhamos na promoção comercial e atração de investimentos

Como trabalhamos na promoção comercial e atração de investimentos APEX-BRASIL Como trabalhamos na promoção comercial e atração de investimentos Inteligência Estratégica O QUE A APEX-BRASIL PODE FAZER PELA SUA EMPRESA EM EXPORTAÇÕES CAPACITAÇÃO PROMOÇÃO INTERNACIONALIZAÇÃO

Leia mais

Workshop da Cadeia Produtiva da Proteína Animal Componente FRANGO

Workshop da Cadeia Produtiva da Proteína Animal Componente FRANGO Workshop da Cadeia Produtiva da Proteína Animal Componente FRANGO Pauta Boas vindas Abertura Apresentação da Metodologia de Planejamento: próximos passos Caracterização da cadeia Validação dos Problemas:

Leia mais

PLANO NACIONAL DA CULTURA EXPORTADORA. Curitiba, 26 de abril de 2016

PLANO NACIONAL DA CULTURA EXPORTADORA. Curitiba, 26 de abril de 2016 PLANO NACIONAL DA CULTURA EXPORTADORA Curitiba, 26 de abril de 2016 Sumário Fundamentos do PNCE Referencial Estratégico do PNCE Gestão do Referencial Estratégico PNCE e Chama Empreendedora 2 FUNDAMENTOS

Leia mais

Liderança no contexto dos Sindicatos Patronais. ou Como promover o associativismo no Sindicato

Liderança no contexto dos Sindicatos Patronais. ou Como promover o associativismo no Sindicato Liderança no contexto dos Sindicatos Patronais ou Como promover o associativismo no Sindicato IDO - Países atendidos Colômbia Honduras El Salvador Guatemala Chile Brasil Angola Alemanha Mongólia Paquistão

Leia mais

ED 2133/12. 4 maio 2012 Original: inglês. Nota da OIC à Cúpula do G-20 Los Cabos, México, 18 e 19 de junho de 2012

ED 2133/12. 4 maio 2012 Original: inglês. Nota da OIC à Cúpula do G-20 Los Cabos, México, 18 e 19 de junho de 2012 ED 2133/12 4 maio 2012 Original: inglês P Nota da OIC à Cúpula do G-20 Los Cabos, México, 18 e 19 de junho de 2012 O Diretor-Executivo cumprimenta os Membros e, como decidido pelo Conselho em março de

Leia mais

ENCADEAMENTO PRODUTIVO. Luiz Barretto - Presidente

ENCADEAMENTO PRODUTIVO. Luiz Barretto - Presidente ENCADEAMENTO PRODUTIVO Luiz Barretto - Presidente MISSÃO DO SEBRAE Promover a competividade e o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios e fomentar o empreendedorismo para fortalecer a economia

Leia mais

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação

II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação II FÓRUM CPA Comissão Própria da Avaliação 25 de maio de 2016 EIXO 1: PLANEJAMENTO E AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Dimensão 8: Planejamento e avaliação Fragilidades Melhorar as reuniões da CPA e reestruturar

Leia mais

Tiago Terra Apex-Brasil. Por que exportar?

Tiago Terra Apex-Brasil. Por que exportar? Tiago Terra Apex-Brasil Por que exportar? Apex-Brasil A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, atua há anos para promover os estudos e serviços brasileiros no exterior e atrair

Leia mais

Regionalização e Segmentação do Turismo. Natal, 23 de março de 2010

Regionalização e Segmentação do Turismo. Natal, 23 de março de 2010 Regionalização e Segmentação do Turismo Natal, 23 de março de 2010 Núcleo Estratégico do Turismo Nacional Fórum Nacional dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Turismo Ministério do Turismo MTur Conselho

Leia mais

ANÁLISE DO MERCADO DE MILHO. Perspectivas para 2016 e Projeções para 2017

ANÁLISE DO MERCADO DE MILHO. Perspectivas para 2016 e Projeções para 2017 ANÁLISE DO MERCADO DE MILHO Perspectivas para 2016 e Projeções para 2017 ANÁLISE DO MERCADO DE MILHO LONGO PRAZO Consumo e Projeção do Consumo Mundial de Milho em Grão (em milhões de toneladas) 1.400 1.200

Leia mais

EXPORTA FÁCIL COMO IDENTIFICAR OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS NO EXTERIOR

EXPORTA FÁCIL COMO IDENTIFICAR OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS NO EXTERIOR COMO IDENTIFICAR OPORTUNIDADES DE NEGÓCIOS NO EXTERIOR Proibida a reprodução, ainda que parcial, sem autorização prévia do autor (Lei 9.610/98) Ferramentas de COMEX INVEST EXPORT BRASIL O governo federal,

Leia mais

A Apex-Brasil. Como funciona a Agência?

A Apex-Brasil. Como funciona a Agência? A Apex-Brasil Como funciona a Agência? Fundação e Missão A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) é um Serviço Social Autônomo que atua para: Promover os produtos e

Leia mais

Análisis Prospectivo del Comercio Agroalimentario Internacional. Prof. Dra. Susan E. Martins Cesar de Oliveira (Universidade de Brasília - UnB)

Análisis Prospectivo del Comercio Agroalimentario Internacional. Prof. Dra. Susan E. Martins Cesar de Oliveira (Universidade de Brasília - UnB) Análisis Prospectivo del Comercio Agroalimentario Internacional Prof. Dra. Susan E. Martins Cesar de Oliveira (Universidade de Brasília - UnB) ÍNDICE Tendências do mercado global; Perspectivas para o comércio

Leia mais

Estratégias e desafios de implementação dos ODS: o olhar da Comissão Nacional dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Estratégias e desafios de implementação dos ODS: o olhar da Comissão Nacional dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável Presidência da República Secretaria de Governo Secretaria Nacional de Articulação Social Estratégias e desafios de implementação dos ODS: o olhar da Comissão Nacional dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Leia mais

11 Seminário de Negócios Internacionais da Serra Gaúcha. CASE PERU E COLÔMBIA INTRAL S/A e ILUMATIC S/A

11 Seminário de Negócios Internacionais da Serra Gaúcha. CASE PERU E COLÔMBIA INTRAL S/A e ILUMATIC S/A 11 Seminário de Negócios Internacionais da Serra Gaúcha CASE PERU E COLÔMBIA INTRAL S/A e ILUMATIC S/A Reatores Eletrônicos Reatores de Descarga Luminária Fluorescentes Luminárias Decorativas LED Iluminação

Leia mais

Entraves às exportações brasileiras. Soraya Rosar Gerente Executiva Unidade de Negociações Internacionais

Entraves às exportações brasileiras. Soraya Rosar Gerente Executiva Unidade de Negociações Internacionais Entraves às exportações brasileiras Soraya Rosar Gerente Executiva Unidade de Negociações Internacionais Introdução Apesar de ser a sétima economia do mundo, o Brasil ocupa só a 22º colocação no ranking

Leia mais

ABEMEL ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS EXPORTADORES DE MEL

ABEMEL ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS EXPORTADORES DE MEL ABEMEL ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DOS EXPORTADORES DE MEL A ABEMEL Associação Brasileira dos Exportadores de Mel, fundada em 15 de agosto de 2003, é a entidade com maior representatividade das empresas beneficiadoras

Leia mais

Visão empresarial sobre os fatores internos que interferem no desempenho das exportações brasileiras

Visão empresarial sobre os fatores internos que interferem no desempenho das exportações brasileiras Visão empresarial sobre os fatores internos que interferem no desempenho das exportações brasileiras Sandra Rios Consultora da CNI Competitividade Brasileira nas Exportações GVcelog FGV-EAESP São Paulo,

Leia mais

PLANO DE TRABALHO 2011

PLANO DE TRABALHO 2011 Unidade Temática do Turismo Apresentada pela cidade Porto Alegre 1) Introdução PLANO DE TRABALHO 2011 Fortalecer o turismo internacional é um trabalho prioritário que deve ser cada vez mais consolidado

Leia mais

Ângela Ximenes Superintendente Executiva

Ângela Ximenes Superintendente Executiva Ângela Ximenes Superintendente Executiva Ecossistema de Capital Empreendedor Principais Atores ENTIDADES REPRESENTATIVAS ABVCAP, ABSTARTUPS, ANBIMA, ANPROTEC, ANJOS DO BRASIL, IBRI, IBGC, entidades setoriais

Leia mais

Trabalho da Disciplina de Economia Internacional e Geopolítica. Professor: Fernando Seabra Alunos: Ricieri Pereira Francisco Paulini

Trabalho da Disciplina de Economia Internacional e Geopolítica. Professor: Fernando Seabra Alunos: Ricieri Pereira Francisco Paulini Trabalho da Disciplina de Economia Internacional e Geopolítica. Professor: Fernando Seabra Alunos: Ricieri Pereira Francisco Paulini Produtos Exportados por Santa Catarina: 2002 e 2009 e Análise de Mercados

Leia mais

A internacionalização das empresas portuguesas

A internacionalização das empresas portuguesas A internacionalização das empresas portuguesas O Paradoxo da Globalização Motor de crescimento e aproximação de culturas 350 milhões de pessoas sairam da pobreza Fonte de instabilidade e de incerteza Pressão

Leia mais

PERSPECTIVAS DOS INVESTIDORES. sobre Private Equity e Venture Capital no Brasil

PERSPECTIVAS DOS INVESTIDORES. sobre Private Equity e Venture Capital no Brasil PERSPECTIVAS DOS INVESTIDORES sobre Private Equity e Venture Capital no Brasil A Associação Brasileira de Private Equity e Venture Capital é uma entidade sem fins lucrativos, em atividade desde o ano

Leia mais

CASE - MARKETING DE DESTINO PARA EVENTOS

CASE - MARKETING DE DESTINO PARA EVENTOS CASE - MARKETING DE DESTINO PARA EVENTOS Premissas Importantes Os eventos têm importância significativa na área do turismo, além de ser a atividade que mais crescem nesse segmento. Segundo Zanella (2003),

Leia mais

SEMINÁRIO DO SETOR PLÁSTICO DO BRASIL

SEMINÁRIO DO SETOR PLÁSTICO DO BRASIL SEMINÁRIO DO SETOR PLÁSTICO DO BRASIL VANDERLEI SIRAQUE Deputado Federal-PT-SP Presidente da Frente Parlamentar ABIPLAST Associação Brasileira da Indústria do Plástico ALESP Assembleia Legislativa de São

Leia mais

A importância da Inovaçã. ção o para as Micro, Secretaria de Comércio e Serviços Departamento de Micro, Pequenas e Médias M

A importância da Inovaçã. ção o para as Micro, Secretaria de Comércio e Serviços Departamento de Micro, Pequenas e Médias M Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio e Serviços Departamento de Micro, Pequenas e Médias M Empresas A importância da Inovaçã ção o para as Micro, Pequenas

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Secretaria de Comércio Exterior

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Secretaria de Comércio Exterior Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior O comércio exterior brasileiro e o desempenho do setor industrial Welber Barral Secretário SÃO PAULO (SP), 27

Leia mais

Aprendendo a Exportar Tecnologia e Gestão, Requisitos Técnicos e Promoção Comercial Exportage

Aprendendo a Exportar Tecnologia e Gestão, Requisitos Técnicos e Promoção Comercial Exportage Aprendendo a Exportar Tecnologia e Gestão, Requisitos Técnicos e Promoção Comercial Exportage Grupo Bárbara Lobo, Flávia Biagi, Jacqueline Hisatomi, Pedro Ornellas, Taiame Souza e Tatiana Tamagawa Gestão

Leia mais

PECUÁRIA. Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos

PECUÁRIA. Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos PECUÁRIA Novembro de 2017 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos DESEMPENHO DA PECUÁRIA o o Carne bovina O consumo doméstico de carne bovina registrou recuo nos dois últimos anos e ainda

Leia mais

BPM como subsídio à Gestão Estratégica Escritório de Gestão de Processos e Projetos Estratégicos. Secretaria Executiva/MEC

BPM como subsídio à Gestão Estratégica Escritório de Gestão de Processos e Projetos Estratégicos. Secretaria Executiva/MEC BPM como subsídio à Gestão Estratégica Escritório de Gestão de Processos e Projetos Estratégicos Secretaria Executiva/MEC Histórico do Escritório de Processos Mapeamento de Sistemas na Diretoria de TI

Leia mais

Portugal Uma estratégia para o crescimento Grupo de Trabalho III. Exportação e Subcontratação Especializada. Relatório sectorial

Portugal Uma estratégia para o crescimento Grupo de Trabalho III. Exportação e Subcontratação Especializada. Relatório sectorial Portugal Uma estratégia para o crescimento Grupo de Trabalho III. Exportação e Subcontratação Especializada Relatório sectorial 8 de Maio de 2017 Membros do Grupo de Trabalho... 2 Resumo executivo... 3

Leia mais

Perspectivas para a Política Comercial

Perspectivas para a Política Comercial Perspectivas para a Política Comercial FIESP Maio 2016 1 Cenário Econômico PIB Recessão e economia contraindo: Produto Interno Bruto do Brasil contraiu 3,8% em 2015 e prevê-se contração de 3,8% em 2016;

Leia mais

MDIC E A POLÍTICA DE APOIO A APLs

MDIC E A POLÍTICA DE APOIO A APLs XIII Seminário Nacional de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral X Encontro do Comitê Temático Rede Brasileira de APL de Base Mineral - CT RedeAPLmineral MDIC E A POLÍTICA DE APOIO A APLs Grupo de

Leia mais

Textos site Lux Brasil Revisado em 30/07/2014 Ana Maria Senatore

Textos site Lux Brasil Revisado em 30/07/2014 Ana Maria Senatore Textos site Lux Brasil Revisado em 30/07/2014 Ana Maria Senatore (ana@senatorecomunicacao.com) 1. Institucional Sobre a Abilux Entidade Executiva do Projeto Setorial Lux Brasil Criada em 1985, a Abilux

Leia mais

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Julho 2016

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Julho 2016 >> Exportações de produtos industriais Mato Grosso do Sul - Exportação de Produtos Industriais (Receita - US$) Grupos de Produtos Industriais Julho Janeiro a Julho 2015 2016 Var. % 2015 2016 Var. % Celulose

Leia mais

Para o turista chegar e querer voltar, o empresário tem que querer melhorar. MEDE - Turismo: inovação e competitividade com foco em resultados.

Para o turista chegar e querer voltar, o empresário tem que querer melhorar. MEDE - Turismo: inovação e competitividade com foco em resultados. Para o turista chegar e querer voltar, o empresário tem que querer melhorar. MEDE - Turismo: inovação e competitividade com foco em resultados. O MEDE é um plano de atendimento especializado do SEBRAE

Leia mais

DIÁLOGO DA INDÚSTRIA COM CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA

DIÁLOGO DA INDÚSTRIA COM CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA DIÁLOGO DA INDÚSTRIA COM CANDIDATOS À PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA José Rubens De La Rosa Presidente, Marcopolo 30/07/2014 1 O Brasil tem oportunidades, mas para aproveitá-las precisa vencer alguns desafios

Leia mais

Tiago Terra Apex-Brasil. Por que exportar?

Tiago Terra Apex-Brasil. Por que exportar? Tiago Terra Apex-Brasil Por que exportar? Apex-Brasil A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos, atua há anos para promover os estudos e serviços brasileiros no exterior e atrair

Leia mais

Instituto Sindipeças de Educação Corporativa

Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Instituto Sindipeças de Educação Corporativa 2016 Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Missão Oferecer soluções educacionais para elevar a competitividade e a sustentabilidade do setor de autopeças.

Leia mais

Móveis e Artigos para decoração nos Países Árabes

Móveis e Artigos para decoração nos Países Árabes Móveis e Artigos para decoração nos Países Árabes Câmara de Comércio Árabe Brasileira São Paulo Setembro de 2006 Negociando com os Árabes Câmara de Comércio Árabe Brasileira São Paulo Agosto 2006 Os Países

Leia mais

Cobertura de, aproximadamente, 7% do PIB mundial

Cobertura de, aproximadamente, 7% do PIB mundial São Paulo Brasil I Outubro 2015 Comércio e Investimento Comércio e Investimento Acordos comerciais em vigor Acordos comerciais assinados, que ainda não entraram em vigor Acordos de Cooperação em Investimento

Leia mais

Visão do Setor Industrial Brasileiro sobre o Acordo de Paris

Visão do Setor Industrial Brasileiro sobre o Acordo de Paris Visão do Setor Industrial Brasileiro sobre o Acordo de Paris Shelley de Souza Carneiro Gerente Executivo de Meio Ambiente e Sustentabilidade Confederação Nacional da Indústria - CNI Sumário O que é a CNI?

Leia mais

2.5 Desenvolvimento de Mercados

2.5 Desenvolvimento de Mercados 2.5 Desenvolvimento de Mercados Por que Desenvolvimento de Mercados? O mercado influencia a competitividade das empresas. A dimensão do mercado doméstico gera escala, permite a existência de uma base industrial

Leia mais

Departamento de Negociações Internacionais (DNI) Divisão de Negociações Extra-Regionais do Mercosul -I (DNC I)

Departamento de Negociações Internacionais (DNI) Divisão de Negociações Extra-Regionais do Mercosul -I (DNC I) Acordos Extra-Regionais no âmbito do MERCOSUL: Oportunidades de Negócios para a Região Amazônica Francisco Cannabrava Departamento de Negociações Internacionais Ministério i i das Relações Exteriores Departamento

Leia mais

Ciência Regulatória: a regulação como instrumento de fomento às pesquisas de novas tecnologias em saúde. Brasília, 22/06/2016

Ciência Regulatória: a regulação como instrumento de fomento às pesquisas de novas tecnologias em saúde. Brasília, 22/06/2016 Ciência Regulatória: a regulação como instrumento de fomento às pesquisas de novas tecnologias em saúde. JARBAS BARBOSA Diretor-Presidente ANVISA Brasília, 22/06/2016 A ANVISA Primeira Agência da área

Leia mais

Agenda de Ações PDA

Agenda de Ações PDA Agenda de Ações PDA - 2013 Planejamento Estratégico O PDA fornece metodologia e facilitadores para a realização de duas reuniões de planejamento, com duração de oito horas cada. Esse processo possibilita

Leia mais

Instituto Sindipeças de Educação Corporativa

Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Maio 2014 Instituto Sindipeças de Educação Corporativa Missão Oferecer soluções educacionais para elevar a competitividade e a sustentabilidade do setor de

Leia mais

Câmara de Comércio e Indústria Árabe- Portuguesa

Câmara de Comércio e Indústria Árabe- Portuguesa Câmara de Comércio e Indústria Árabe- Portuguesa Empresa Portuguesa Criamos Fabricamos Exportamos História Inicio de atividade em 2012; Foco no mercado privado; Internacionalização 2015; Plano de fabrico/exportação

Leia mais

O Panorama da Citricultura no Mundo Paraná 17/02/2011. Christian Lohbauer Presidente da CitrusBR

O Panorama da Citricultura no Mundo Paraná 17/02/2011. Christian Lohbauer Presidente da CitrusBR O Panorama da Citricultura no Mundo Paraná 17/02/2011 Christian Lohbauer Presidente da CitrusBR A CitrusBR Fundada em Junho de 2009 por quatro empresas cuja produção conjunta de suco de laranja corresponde

Leia mais

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento

Agenda. Contexto. O Nordeste Territorial. Fórum de Governança da Atividade Econômica. Formas de Financiamento Agenda Contexto O Nordeste Territorial Fórum de Governança da Atividade Econômica Formas de Financiamento Área de atuação do BNB Nordeste: 1.554,4 mil Km 2 Semi-árido: 974,4 mil Km 2 (62,7% do território

Leia mais

O Brasil de hoje e perspectivas para o futuro na visão do MDIC

O Brasil de hoje e perspectivas para o futuro na visão do MDIC O Brasil de hoje e perspectivas para o futuro na visão do Câmara de Indústria, Comércio e Serviços de Caxias do Sul Marcos Pereira Ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços Caxias do Sul, 02

Leia mais

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Dezembro 2016

Comércio Exterior de Mato Grosso do Sul / Desempenho Industrial Dezembro 2016 >> Exportações de produtos industriais Mato Grosso do Sul - Exportação de Produtos Industriais (Receita - US$) Grupos de Produtos Industriais Dezembro Janeiro a Dezembro 2015 2016 Var. % 2015 2016 Var.

Leia mais

Módulo 3 Estratégia de Melhoria da CV. Desenhar um projeto de melhoria da cadeia. cadeia e estratégia. Análise da

Módulo 3 Estratégia de Melhoria da CV. Desenhar um projeto de melhoria da cadeia. cadeia e estratégia. Análise da Módulo Estratégia de Melhoria da CV Desenhar um projeto de melhoria da cadeia Módulos Delimitação do projeto Análise da cadeia e estratégia Implementação Monitoria 0 Decisão sobre engajamento na promoção

Leia mais

FORUM URBANO MUNDIAL 5 Rio de Janeiro de março, 2010

FORUM URBANO MUNDIAL 5 Rio de Janeiro de março, 2010 FORUM URBANO MUNDIAL 5 Rio de Janeiro 22-26 de março, 2010 ESTUDO DE CASO: Projeto de Desenvolvimento Econômico Regional do Ceará (Cidades do Ceara Cariri Central) Emanuela Rangel Monteiro CONTEXTUALIZAÇÃO

Leia mais

Saldo da conta de serviços do Balanço de Pagamentos (US$): Exportações Importações Saldo 73,0 77,8 83,3 36,4 38,1 37,5 40,7

Saldo da conta de serviços do Balanço de Pagamentos (US$): Exportações Importações Saldo 73,0 77,8 83,3 36,4 38,1 37,5 40,7 o o o Relevância do Comércio Exterior de Serviços O comércio exterior de serviços do Brasil representa 5,59% do PIB, bem abaixo da realidade mundial, que alcança o patamar de 12,1% do PIB mundial (Banco

Leia mais

A A DEMANDA de PAPEL MUNDIAL e SUSTENTABILIDADE. 2o. CONGRESSO FLORESTAL DO MATO GROSSO DO SUL 8 de Junho de 2010

A A DEMANDA de PAPEL MUNDIAL e SUSTENTABILIDADE. 2o. CONGRESSO FLORESTAL DO MATO GROSSO DO SUL 8 de Junho de 2010 A A DEMANDA de PAPEL MUNDIAL e SUSTENTABILIDADE 2o. CONGRESSO FLORESTAL DO MATO GROSSO DO SUL 8 de Junho de 2010 CONTEÚDO 1. PERFIL DO SETOR BRASILEIRO DE C&P 2. OVERVIEW DO SETOR BRASILEIRO DE C&P 3.

Leia mais

Vale do Rio Doce tem fábrica no Bahrein e vai fazer pesquisa mineral na Arábia Saudita

Vale do Rio Doce tem fábrica no Bahrein e vai fazer pesquisa mineral na Arábia Saudita Agência de Notícias Brasil-Árabe - SP 23/03/2004-00:00 Vale do Rio Doce tem fábrica no Bahrein e vai fazer pesquisa mineral na Arábia Saudita Na segunda reportagem da série sobre as maiores empresas exportadoras

Leia mais

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira 1. Por que acreditamos no Soja Plus? 2. Como produziremos grandes resultados? 3. O que já realizamos em 2011? 4. O que estamos realizando

Leia mais

AMCHAM BRASIL SÃO PAULO OBJETIVOS E METAS DO GOVERNO TEMER PARA O COMÉRCIO EXTERIOR

AMCHAM BRASIL SÃO PAULO OBJETIVOS E METAS DO GOVERNO TEMER PARA O COMÉRCIO EXTERIOR AMCHAM BRASIL SÃO PAULO PALESTRA OBJETIVOS E METAS DO GOVERNO TEMER PARA O COMÉRCIO EXTERIOR JOSÉ AUGUSTO DE CASTRO São Paulo, 30 de agosto de 2016 2 EXPORTAÇÕES POR FATOR AGREGADO, EM TONELADAS Em milhões

Leia mais

DESENVOLVENDO COMPETÊNCIAS PARA O SUCESSO NUM MUNDO GLOBAL

DESENVOLVENDO COMPETÊNCIAS PARA O SUCESSO NUM MUNDO GLOBAL DESENVOLVENDO COMPETÊNCIAS PARA O SUCESSO NUM MUNDO GLOBAL Num mundo onde o jogo competitivo ocorre cada vez mais globalmente é fundamental a preparação de líderes capazes de lidar com os impactos de tal

Leia mais

INSTITUTO EDUCACIONAL DE CASTRO. CASE: APEX DO BRASIL Um estudo sobre o fomento da Internacionalização de empresas Nacionais.

INSTITUTO EDUCACIONAL DE CASTRO. CASE: APEX DO BRASIL Um estudo sobre o fomento da Internacionalização de empresas Nacionais. INSTITUTO EDUCACIONAL DE CASTRO CASE: APEX DO BRASIL Um estudo sobre o fomento da Internacionalização de empresas Nacionais. CASTRO 2012 1 ALOIZIO JUNIOR ALMEIDA DA PAZ ZIARESKI EVERSON DA SILVA SILVEIRA

Leia mais

Caminhos para melhorar o acesso a mercado das exportações brasileiras

Caminhos para melhorar o acesso a mercado das exportações brasileiras Caminhos para melhorar o acesso a mercado das exportações brasileiras Fórum Estadão de Competitividade Carlos Eduardo Abijaodi Diretor de Desenvolvimento Industrial Confederação Nacional da Indústria 1

Leia mais

Comunicação & Relações Governamentais

Comunicação & Relações Governamentais Plano de Ação Comunicação & Relações Governamentais Data: 06.dezembro.2013 Eng. Antonio E. F. Müller Presidente História Associação Brasileira de Engenharia Industrial Entidade civil sem fins lucrativos

Leia mais

Mercado internacional do agro - análise FEVEREIRO/2017

Mercado internacional do agro - análise FEVEREIRO/2017 Mercado internacional do agro - análise FEVEREIRO/2017 Exportações tem caído em valores Balança Agrícola Brasileira US$ Bilhões Fonte: AgroStat a partir dos dados da SECEX/MDIC Dados extraídos em 06/01/2017.

Leia mais

Resultados de Junho de 2014

Resultados de Junho de 2014 Junho / 2014 Resultados de Junho de 2014 - Exportação: US$ 20,5 bi, em valor, e média diária de US$ 1,023 bilhão; sobre mai-14, aumento de 3,6%, pela média diária; sobre jun-13, redução de 3,5%, pela média

Leia mais

Figura 1 Destino das exportações do Brasil (acumulado em 12 meses, em bilhões US$ de Maio/2017)

Figura 1 Destino das exportações do Brasil (acumulado em 12 meses, em bilhões US$ de Maio/2017) Ano V Julho/217 O Boletim de Comércio Exterior de Jul./217 traz informações dos principais destinos dos itens exportados por Brasil, estado de São Paulo, Região Metropolitana de Ribeirão Preto (RMRP),

Leia mais

META DA TAXA SELIC 14,5% 14,25% 13,75% 13,75% 13,5% 13,00% 13,25% 12,75% 12,25% 11,75% 12,75% 12,25% 12,75% 12,50% 12,5% 12,00%

META DA TAXA SELIC 14,5% 14,25% 13,75% 13,75% 13,5% 13,00% 13,25% 12,75% 12,25% 11,75% 12,75% 12,25% 12,75% 12,50% 12,5% 12,00% abr-08 ago-08 dez-08 abr-09 ago-09 dez-09 abr-10 ago-10 dez-10 abr-11 ago-11 dez-11 abr-12 ago-12 dez-12 abr-13 ago-13 dez-13 abr-14 ago-14 dez-14 abr-15 ago-15 dez-15 abr-16 ago-16 dez-16 META DA TAXA

Leia mais

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE)

Missão. Visão. Objetivos Estratégicos (OE) Identidade Organizacional - Acesso à informação - IBAMA - Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos R O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) é uma autarquia

Leia mais

PNBL Catalisador da Produção e Desenvolvimento Local

PNBL Catalisador da Produção e Desenvolvimento Local Ministério das Comunicações PNBL Catalisador da Produção e Desenvolvimento Local Otavio Caixeta Secretaria de Telecomunicações Ministério das Comunicações Brasília Maio/2013 PNBL- Objetivos Expandir a

Leia mais

Cinema, Soft Power e os BRICS

Cinema, Soft Power e os BRICS Seminário Cinema, Soft Power e os BRICS Mostra Internacional de Cinema de São Paulo Debora Ivanov 27/10/2016 Diretrizes Diretrizes das ações internacionais realizadas pela ANCINE 1. Estímulo à realização

Leia mais

+ 250 movimentos associados + 36 mil jovens empreendedores

+ 250 movimentos associados + 36 mil jovens empreendedores Desde 1998 Presente em 24 estados + 250 movimentos associados + 36 mil jovens empreendedores Independente, apartidária e multi-setorial Protagonismo... INSTITUCIONAL Conselhos Temáticos CNI Fórum Permanente

Leia mais

Agenda MEI de Inovação e Manufatura Avançada

Agenda MEI de Inovação e Manufatura Avançada 10 Diálogos da MEI Agenda MEI de Inovação e Gilberto Peralta - GE Salvador, 04 de abril de 2016 A Economia Digital revolucionará o cotidiano das pessoas e das empresas, transformando nosso dia-a-dia Internet

Leia mais

REALIZAÇÃO DO PLANO DE AÇÃO 2012

REALIZAÇÃO DO PLANO DE AÇÃO 2012 REALIZAÇÃO DO PLANO DE AÇÃO 2012 Plenamente Realizado Parcialmente Realizado Não Realizado Relacionamento Fortalecer delegações brasileiras para os congressos COF e EFC Articular a agenda dos associados

Leia mais

Sustentabilidade nos negócios. Fernando Carvalho Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle

Sustentabilidade nos negócios. Fernando Carvalho Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle Sustentabilidade nos negócios Fernando Carvalho Departamento de Planejamento, Orçamento e Controle Sustentabilidade nos Negócios Agenda Um pouco do do Bradesco Sustentabilidade e o Bradesco Planejamento

Leia mais

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Uma Proposta de Construção Coletiva de Sustentabilidade na Região da Costa das Baleias - BA

PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Uma Proposta de Construção Coletiva de Sustentabilidade na Região da Costa das Baleias - BA PLANO DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Uma Proposta de Construção Coletiva de Sustentabilidade na Região da Costa das Baleias - BA CRONOLOGIA DA CONSTRUÇÃO DA PROPOSTA 1- A proposta surgiu a partir de uma

Leia mais

META DA TAXA SELIC 14,5% 13,75% 14,25% 13,75% 13,5% 13,25% 12,75% 13,00% 12,75% 12,50% 12,00% 12,25% 11,75% 12,5% 11,25% 11,00% 10,50% 11,25% 11,25%

META DA TAXA SELIC 14,5% 13,75% 14,25% 13,75% 13,5% 13,25% 12,75% 13,00% 12,75% 12,50% 12,00% 12,25% 11,75% 12,5% 11,25% 11,00% 10,50% 11,25% 11,25% mar-08 jul-08 nov-08 mar-09 jul-09 nov-09 mar-10 jul-10 nov-10 mar-11 jul-11 nov-11 mar-12 jul-12 nov-12 mar-13 jul-13 nov-13 mar-14 jul-14 nov-14 mar-15 jul-15 nov-15 META DA TAXA SELIC Cenário básico

Leia mais

2º Seminário sobre Comércio Internacional CNI-IBRAC Política Comercial no Novo Governo

2º Seminário sobre Comércio Internacional CNI-IBRAC Política Comercial no Novo Governo 2º Seminário sobre Comércio Internacional CNI-IBRAC Política Comercial no Novo Governo André Alvim de Paula Rizzo Secretário Executivo da CAMEX Confederação Nacional da Indústria - CNI Brasília, 12 de

Leia mais