A importância da Inovaçã. ção o para as Micro, Secretaria de Comércio e Serviços Departamento de Micro, Pequenas e Médias M

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A importância da Inovaçã. ção o para as Micro, Secretaria de Comércio e Serviços Departamento de Micro, Pequenas e Médias M"

Transcrição

1 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio e Serviços Departamento de Micro, Pequenas e Médias M Empresas A importância da Inovaçã ção o para as Micro, Pequenas e Médias M Empresas Cândida Maria Cervieri Diretora de Micro, Pequenas e Médias Empresas - MDIC Joinville, setembro de 2009

2 Tópicos Cenário Nacional Desafios dos tempos atuais Marcos regulatórios O Conceito de Inovação O Sistema Nacional de Inovação A Política de Desenvolvimento Produtivo

3 Cenário Nacional Indicadores TOTAL ME e EPPs Part.% ME e EPPs Empresas formais em operaçã ção (2005) % Empresas formais (2006)* % Empregos formais (2006) % Faturamento das empresas formais (2005) R$ 244,3 bilhões R$ 58,6 bilhões 24% Empresas exportadoras (2007) ,6% Exportaçõ ções (2007) Compras Governamentais (2008) PIB (2006) Fonte: SECEX/MDIC, SEBRAE, MTE,Rais (*) Obs. Inclui somente os estabelecimentos com empregados. US$ 160,649 bilhões R$ 24,539 bilhões R$ 2,3 trilhões US$ 2,995 bilhões R$ 7,7 bilhões R$ 460 bilhões 1,9% 32% 20%

4 O Desafio dos Tempos atuais G L O B A L I Z A Ç Ã O Produtos Empresas/ Organizações Países Competência para Competir Valores Subjacentes Inovadores Qualidade assegurada Gestão Responsabilidade sócioambiental Capacidade de inovação Inseridos em blocos Acordos multilaterais Estabilidade de regras Sistemas nacionais de C, T &I Empresas inovadoras Educação Economia do conhecimento Economia da emoção Gestão do progresso

5 Marcos Regulatórios Lei Geral das MPEs - LC 123/2006 Estabelece regras para a concessão o de tratamento diferenciado e favorecido às MPEs com vistas a estimular o ambiente de inovaçã ção o destas empresas Diretriz Principal: Art. 65. A União, Estados, DF e Municípios, agências de fomento, ICTs,, núcleos n de inovaçã ção o tecnológica e instituiçõ ções de apoio manterão programas específicos para as MEs e EPPs Das obrigaçõ ções das entidades: (i) aplicaçã ção o de 20% dos recursos destinados à inovaçã ção; (ii) informar ao MCT os valores alocados e o percentual em relaçã ção o ao total dos recursos

6 Marcos Regulatórios Lei da Inovaçã ção Lei nº n /2004 Estímulo à inovaçã ção o em empresas: : o art. 19 prevê a possibilidade de aplicaçã ção o de subvençã ção o econômica para fins de desenvolvimento de processos e produtos inovadores nas empresas nacionais MPEs: Art. 21. As agências de fomento deverão promover, por meio de programas específicos, açõa ções de estímulo à inovaçã ção o nas MPEs,, inclusive mediante extensão o tecnológica realizada pelas ICT Fundos de Investimento: Art. 23. Fica autorizada a instituiçã ção o de fundos mútuos m de investimento em empresas cuja atividade principal seja a inovaçã ção

7 Pouca coordenaçã ção o entre órgãos de Governo Baixo aproveitamento do potencial das compras governamentais Altos custos de máquinas m e equipamentos Prazo longo na liberaçã ção o de fontes de financiamento Desconhecimento das empresas sobre meios de apoio à inovaçã ção Deficiência de gestão Gargalos encontrados Inovaçã ção - Gargalos Pouca aplicaçã ção o do conhecimento produzido nas universidades Barreiras para a criaçã ção o de empresas e de novos produtos Fonte: Plano de Mobilização Brasileira pela Inovação Tecnológica - estudo encomendado pela ABDI (Glauco Arbix Et Alii)

8 Estratégias de Inovaçã ção Plano de Metas para o País s (15 a 20 anos) Novo paradigma do conhecimento ocupa papel central nas novas relaçõ ções econômicas e sociais Inovaçã ção o no coraçã ção o das estratégias competitivas Ciência, tecnologia e educaçã ção como peças essenciais das estratégias de desenvolvimento Empresas no centro das atenções Inovaçã ção - Estratégias Investimentos orientados para aperfeiçoar PD&I organizaçõ ções nas Inovação compreendida como instrumento para aumentar e sustentar a competitividade da economia Fonte: Plano de Mobilização Brasileira pela Inovação Tecnológica - estudo encomendado pela ABDI (Glauco Arbix Et Alii)

9 Estratégias de Inovaçã Novas formas de diálogo entre os setores público p e privado pactos, foros e movimentos Consciência de que o grande esforço o de inovaçã ção está na MPE Fugir do paradoxo Sueco altos investimentos em P&D (5% do PIB) com menor resultado em desenvolvimento Papel das universidades Inovaçã ção - Estratégias ção (cont) Reorganizaçã ção o das instituiçõ ções envolvidas no fomento Fonte: Plano de Mobilização Brasileira pela Inovação Tecnológica - estudo encomendado pela ABDI (Glauco Arbix Et Alii)

10 Inovaçã ção - Mobilizaçã ção Mobilizaçã ção o para a Inovaçã ção Aprofundar o diálogo e constituir novos foros permanentes para o desenvolvimento da iniciativa nacional de inovaçã ção Criar uma malha mundial de pesquisadores brasileiros no exterior informação, captação de tendências, organização de prospectivas Organizar campanhas de divulgaçã ção o das leis e instrumentos Incentivar projetos empresariais de inovaçã ção o de médio porte Fonte: Plano de Mobilização Brasileira pela Inovação Tecnológica - estudo encomendado pela ABDI (Glauco Arbix Et Alii)

11 Conhecimento, além m de Capital e Trabalho

12 Política de Desenvolvimento Produtivo - PDP Política de Desenvolvimento Produtivo Brasileira: diretrizes Objetivo central da Política Dar sustentabilidade ao atual ciclo de expansão Desafios Ampliar capacidade de oferta Preservar robustez do Balanço o de Pagamentos Elevar a capacidade de inovaçã ção Fortalecer MPEs Macrometas 2010 Aumento da taxa de investimento Aumento das exportaçõ ções brasileiras no comércio Elevaçã ção o do dispêndio privado em P&D Ampliaçã ção o do número n de MPEs exportadoras

13 Política de Desenvolvimento Produtivo Estrutura de Governança CNDI MDIC Coordenação Geral Casa Civil, MF, MPOG, MCT, MDIC, Conselho Gestor ABDI, BNDES, MF Secretaria Executiva Ações Sistêmicas Coord: MF Destaques Estratégicos Coord: ABDI 6 programas Programas Mobilizadores em Áreas Estratégicas Coord: MCT 6 programas Programas para o Fortalecimento da Competitividade Coord: MDIC 12 programas Programas para Consolidar e Expandir a Liderança Coord: BNDES

14 Política de Desenvolvimento Produtivo Destaque Estratégico - MPEs A agenda de trabalho do Destaque MPEs possui cerca de 65 ações, distribuídas entre os desafios Regulamentar e implementar a Lei Geral de MPEs Aumentar a participaçã ção o de MPEs nos mercados interno e externo Melhorar a gestão o e ampliar a capacidade de inovaçã ção o das MPEs Incentivar o associativismo e cooperativismo local e regional

15 Principais Resultados do Destaque MPEs - Desafio 3 Melhorar a gestão o e ampliar a capacidade de inovaçã ção o das MPEs 1. Curso técnico t para MEs e EPPs MDIC/CDT CDT-UnB Meta 2009: capacitar 200 empresários rios em 10 pólosp (DF, RS, AM, SC, MG, ES, BA, PE, CE e SP) Status (2009): 256 inscritos (resultado convergindo para a meta) 2. CRIATEC (Fundo de Investimento para Capitalizar as MPEs inovadoras de capital semente) BNDES/BNB Meta 2009: aprovar 12 investimentos (R$ 15 milhões) Status (ago/09): aprovadas 10 empresas pelo Comitê de Investimento do CRIATEC (R$ 13 milhões) (resultado convergindo para a meta) Meta 2010: aprovar 12 investimentos (R$ 15 milhões) 3. PRO-INOVA MCT/SETEC Meta 2008: 5 mil participantes nos seminários Status (2008): pessoas (meta superada) PDP/MPEs

16 Principais Resultados (cont.) PDP/MPEs 4. Financiamento de serviços tecnológicos pelo Cartão o BNDES Meta 2009: credenciar 30 fornecedores de serviços tecnológicos Status (2009): credenciados 7 fornecedores e em fase de credenciamento outros 14 (resultado convergindo para meta) 5. Cartilhas de inovaçã ção o para MPEs Meta 2009: distribuir 115 mil cartilhas Status (ago/09): Distribuídos 115 mil exemplares (meta alcançada) ada) 6. Workshops sobre Inovaçã ção o nas MPES - SEBRAE Meta 2009: : realizar 300 workshops para empresários rios Status (2009): realizados 184 workshops para empresários. rios. Estão o agendados mais 15 workshops até dez/09 (resultado convergindo para meta)

17 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio e Serviços Departamento de Micro, Pequenas e Médias M Empresas MUITO GRATA! CÂNDIDA Mª M CERVIERI Diretora do Departamento de Micro, Pequenas e Médias M Empresas

INSERÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO MERCADO INTERNACIONAL

INSERÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO MERCADO INTERNACIONAL Innovación en mecanismos de financiamiento para la internacionalización de las MiPYMES INSERÇÃO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS NO MERCADO INTERNACIONAL Papel da ABDI 05 de outubro de 2010 Montevidéu 1 A ABDI

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Foco e Prioridades Contexto Dimensões do Plano Brasil Maior Estrutura de Governança Principais Medidas Objetivos Estratégicos e

Leia mais

O BNDES E O FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO. Luciano Coutinho Presidente do BNDES

O BNDES E O FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO. Luciano Coutinho Presidente do BNDES O BNDES E O FINANCIAMENTO DO DESENVOLVIMENTO Luciano Coutinho Presidente do BNDES IBEF - 15 de junho de 2008 Sólidos fundamentos macroeconômicos garantem crescimento sustentado ü Grau de investimento e

Leia mais

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO DESENVOLVIMENTO INDUSTRIAL: UMA ANÁLISE DA PDP INSTITUTO BRASILEIRO DE EXECUTIVOS DE FINANÇAS / IBEF-SP São Paulo, 28

Leia mais

Comércio Exterior do Complexo Econômico-Industrial da Saúde

Comércio Exterior do Complexo Econômico-Industrial da Saúde Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria-Executiva Comércio Exterior do Complexo Econômico-Industrial da Saúde Ivan Ramalho Secretário-Executivo RIO DE JANEIRO, 19 DE MAIO

Leia mais

INOVAÇÃO E BIOTECNOLOGIA NA POLÍTICA INDUSTRIAL BRASILEIRA. FERNANDA DE NEGRI Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior

INOVAÇÃO E BIOTECNOLOGIA NA POLÍTICA INDUSTRIAL BRASILEIRA. FERNANDA DE NEGRI Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior INOVAÇÃO E BIOTECNOLOGIA NA POLÍTICA INDUSTRIAL BRASILEIRA FERNANDA DE NEGRI Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior INOVAÇÃO NO BRASIL INOVAÇÃO E P&D NA INDÚSTRIA BRASILEIRA A indústria

Leia mais

EMBRAPII Reunião da MEI/CNI

EMBRAPII Reunião da MEI/CNI Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Ministério da Educação EMBRAPII Reunião da MEI/CNI Ministro Marco Antonio Raupp 10 de maio de 2013 Plano Inova Empresa Investimento em inovação para elevar

Leia mais

ENCTI. Reunião do Conselho Superior de Inovação e Competitividade da Fiesp. Ministro Marco Antonio Raupp. 19 de abril de 2013

ENCTI. Reunião do Conselho Superior de Inovação e Competitividade da Fiesp. Ministro Marco Antonio Raupp. 19 de abril de 2013 ENCTI Estratégia Nacional 2012 2015 Ciência, Tecnologia e Inovação Reunião do Conselho Superior de Inovação e Competitividade da Fiesp Ministro Marco Antonio Raupp 19 de abril de 2013 Estrutura de produção

Leia mais

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS COMPLEXO INDUSTRIAL DE DEFESA (fortalecimento em setembro de 2008)

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS COMPLEXO INDUSTRIAL DE DEFESA (fortalecimento em setembro de 2008) Programas mobilizadores em áreas estratégicas PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS COMPLEXO INDUSTRIAL DE DEFESA (fortalecimento em setembro de 2008) 1 Complexo Industrial de Defesa (fortalecimento

Leia mais

DESAFIOS COMPETITIVOS E A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO

DESAFIOS COMPETITIVOS E A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO DESAFIOS COMPETITIVOS E A POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO PDP 2011-2014 PDP 2008-2010: RESULTADOS PDP 2008-2010: RESULTADOS (1 de 2) 425 MEDIDAS IMPLANTADAS ATÉ SETEMBRO DE 2010: 99% OPERACIONALIZADAS

Leia mais

O Complexo Industrial da Saúde na Inovação. "Políticas Públicas e Desenvolvimento Industrial do Setor Saúde BRITCHAM

O Complexo Industrial da Saúde na Inovação. Políticas Públicas e Desenvolvimento Industrial do Setor Saúde BRITCHAM O Complexo Industrial da Saúde na Inovação "Políticas Públicas e Desenvolvimento Industrial do Setor Saúde BRITCHAM ABIMO Associação Brasileira da Indústria de Artigos e Equipamentos Médicos, Odontológicos,

Leia mais

! " # $ % & ' ( ) &*+ #

!  # $ % & ' ( ) &*+ # ! "# $ % &'( ) &*+ # ' 1 "$,!-. /! / 0*1 Coordenações Setoriais 33"-&4536 "$7 8/ # 9$-:33"-&4536"-'7 Coordenações Sistêmicas Comércio Exterior Investimento Inovação Formação e Qualificação Profissional

Leia mais

PNBL Catalisador da Produção e Desenvolvimento Local

PNBL Catalisador da Produção e Desenvolvimento Local Ministério das Comunicações PNBL Catalisador da Produção e Desenvolvimento Local Otavio Caixeta Secretaria de Telecomunicações Ministério das Comunicações Brasília Maio/2013 PNBL- Objetivos Expandir a

Leia mais

Inovação como prioridade estratégica do BNDES

Inovação como prioridade estratégica do BNDES Inovação como prioridade estratégica do BNDES Helena Tenorio Veiga de Almeida APIMECRIO 20/04/2012 Histórico do apoio à inovação no BNDES 2 Histórico do apoio à inovação no BNDES 1950 Infraestrutura Econômica

Leia mais

Portfólio de Projetos Brasil

Portfólio de Projetos Brasil Portfólio de Projetos Brasil Oportunidades Empresariais e Profissionais Aguinaldo Diniz Filho Presidente da Associação Brasileira da Industria Têxtil e de Confecção Presidente da Cia de Fiação e Tecidos

Leia mais

Agenda da MEI Pedro Wongtschowski Presidente do Conselho de Administração da Ultrapar e Líder da MEI

Agenda da MEI Pedro Wongtschowski Presidente do Conselho de Administração da Ultrapar e Líder da MEI Agenda da MEI 2019-2020 Pedro Wongtschowski Presidente do Conselho de Administração da Ultrapar e Líder da MEI CT&I uma agenda fundamental para o Brasil Prioridades construídas em torno de visões de futuro,

Leia mais

Agenda da MEI :

Agenda da MEI : Agenda da MEI 2019-2020: Inovar para desenvolver a indústria do futuro Pedro Wongtschowski Presidente do Conselho de Administração do Ultrapar e Líder da MEI 23 de novembro de 2018 Países líderes em inovação

Leia mais

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO

INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO INOVAR E INVESTIR PARA SUSTENTAR O CRESCIMENTO Programas mobilizadores em áreas estratégicas PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS COMPLEXO INDUSTRIAL DA SAÚDE 2 Complexo Industrial da Saúde (CIS)

Leia mais

Sistema Brasileiro de Tecnologia Sibratec

Sistema Brasileiro de Tecnologia Sibratec Fórum Nacional CONSECTI Sistema Brasileiro de Tecnologia Sibratec O Papel dos Estados para a consolidação do Sistema Política de Desenvolvimento Produtivo - PDP Objetivo Central DAR SUSTENTABILIDADE AO

Leia mais

Apoio à Inovação. São Paulo, 03 de Outubro de 2017

Apoio à Inovação. São Paulo, 03 de Outubro de 2017 Apoio à Inovação São Paulo, 03 de Outubro de 2017 Classificação de porte Porte da Empresa MPMEs Micro Pequena Média Grande Receita Operacional Bruta Até R$ 2,4 milhões Até R$ 16 milhões Até R$ 300 milhões

Leia mais

Inovar para competir. Competir para crescer.

Inovar para competir. Competir para crescer. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Plano 2011/2014 SUMÁRIO Plano Brasil Maior...7 Dimensões do Plano...8 Dimensão Estruturante...11

Leia mais

OBJETIVO GERAL DA AGÊNCIA

OBJETIVO GERAL DA AGÊNCIA OBJETIVO GERAL DA AGÊNCIA O OBJETIVO GERAL DA ABDI É ARTICULAR, COORDENAR E PROMOVER A EXECUÇÃO DA PITCE EM INTERAÇÃO COM OS DIVERSOS ÓRGÃOS PÚBLICOS E COM A INICIATIVA PRIVADA. INSTITUCIONALIDADE CDE

Leia mais

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO 9º Diálogos da MEI ESTRATÉGIA NACIONAL DE CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO PARA O DESENVOLVIMENTO NACIONAL JAILSON BITTENCOURT DE ANDRADE SECRETÁRIO DE POLÍTICAS E PROGRAMAS

Leia mais

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS BIOTECNOLOGIA

PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS BIOTECNOLOGIA Programas mobilizadores em áreas estratégicas PROGRAMAS MOBILIZADORES EM ÁREAS ESTRATÉGICAS BIOTECNOLOGIA Legenda: Branco = PDP original Amarelo = modificação posterior ao lançamento da PDP Vermelho =

Leia mais

Mecanismos de Financiamento para a Indústria de P&G. Helena Tenório. Chefe do Departamento de Programas e Políticas do BNDES. 2 de julho de 2008

Mecanismos de Financiamento para a Indústria de P&G. Helena Tenório. Chefe do Departamento de Programas e Políticas do BNDES. 2 de julho de 2008 Mecanismos de Financiamento para a Indústria de P&G Helena Tenório Chefe do Departamento de Programas e Políticas do 2 de julho de 2008 Parceria Petrobras INVESTIMENTO FINANCIAMENTO Desenvolvimento da

Leia mais

Guia de Instrumentos de Apoio ao Desenvolvimento Industrial CNI,

Guia de Instrumentos de Apoio ao Desenvolvimento Industrial CNI, Guia de Instrumentos de Apoio ao Desenvolvimento Industrial CNI, 23.04.2012 Missão ABDI - Desenvolver ações estratégicas para a política industrial, promovendo o investimento produtivo, o emprego, a inovação

Leia mais

Controle Social, Transparência e Políticas Públicas

Controle Social, Transparência e Políticas Públicas Controle Social, Transparência e Políticas Públicas Pequenos Negócios 99% das empresas 3,6 milhões MEI 52% dos empregos 83% novas vagas na década 25% PIB Expansão contínua! Lei Geral da MPE 123/2006 Uma

Leia mais

ESTRATÉGIAS E DESAFIOS DE IMPLEMENTAÇÃO DOS ODS

ESTRATÉGIAS E DESAFIOS DE IMPLEMENTAÇÃO DOS ODS ESTRATÉGIAS E DESAFIOS DE IMPLEMENTAÇÃO DOS ODS Seminário FIESP: Agenda 2030 e o Setor Produtivo Gustavo Fontenele Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços - MDIC São Paulo, 22 de Novembro

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. POLÍTICA INDUSTRIAL SETORIAL demanda induzida do setor offshore desoneração na compra de insumos/partes/ peças financiamento com

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS COMPRAS GOVERAMENTAIS E INCENTIVOS À INOVAÇÃO. Eng. Fabián Yaksic Presidente

POLÍTICAS PÚBLICAS COMPRAS GOVERAMENTAIS E INCENTIVOS À INOVAÇÃO. Eng. Fabián Yaksic Presidente POLÍTICAS PÚBLICAS COMPRAS GOVERAMENTAIS E INCENTIVOS À INOVAÇÃO Eng. Fabián Yaksic Presidente São Paulo, março 2011 INSTITUTO DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO DO COMPLEXO ELETROELETRÔNICO E TECNOLOGIA

Leia mais

Financiamento da pesquisa: qual estratégia?

Financiamento da pesquisa: qual estratégia? Financiamento da pesquisa: qual estratégia? Wrana Panizzi Seminário Nacional de C&T do ANDES SN 17 e 18 de novembro de 2011 Universidade de Brasília Sumário Bases conceituais da política de CT&I Novas

Leia mais

Brasil: Política de Inovação

Brasil: Política de Inovação O Desafio da Inovação no Brasil Instituto de Estudos Avançados IEA/USP São Paulo, 25 de abril de 2008 Brasil: Política de Inovação Evando Mirra de Paula e Silva Diretor ABDI P I T C E Política, Tecnológica

Leia mais

PROPOSTAS PRIORITÁRIAS PARA A AGENDA DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS INOVADORAS

PROPOSTAS PRIORITÁRIAS PARA A AGENDA DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS INOVADORAS PROPOSTAS PRIORITÁRIAS PARA A AGENDA DE PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS INOVADORAS RICARDO FELIZZOLA CEO PARIT e LÍDER DA MEI 08 de junho de 2017 SEIS AGENDAS PARA FORTALECER A INDÚSTRIA DO BRASIL MARCO INSTITUCIONAL

Leia mais

Rede Nacional dos Institutos SENAI de Inovação

Rede Nacional dos Institutos SENAI de Inovação Rede Nacional dos Institutos SENAI de Inovação Como Ação Estruturante do Programa SENAI de Apoio à Competitividade da Indústria Brasileira SENAI Departamento Nacional São Paulo, 15 de Março de 2015 Agenda

Leia mais

A Cadeia Produtiva da Indústria: Desafios e Oportunidades

A Cadeia Produtiva da Indústria: Desafios e Oportunidades A Cadeia Produtiva da Indústria: Desafios e Oportunidades Workshop sobre o Marco Regulatório do Pré-Sal CNI 01.10.2009 Mensagem Inicial Pré-sal: Grande oportunidade para o Brasil Investimentos pré-sal:

Leia mais

Sobre o. Onde estamos. Para garantir o atendimento aos pequenos negócios, o Sebrae atua em todo o território nacional.

Sobre o. Onde estamos. Para garantir o atendimento aos pequenos negócios, o Sebrae atua em todo o território nacional. Sobre o Para garantir o atendimento aos pequenos negócios, o Sebrae atua em todo o território nacional. Além da sede nacional, em Brasília, a instituição conta com pontos de atendimento nas 27 Unidades

Leia mais

Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto de 2010

Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto de 2010 Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Comércio Exterior Integração Produtiva Brasil/Argentina Setor de Lácteos Cândida Maria Cervieri SECEX/MDIC Brasília, 03 de agosto

Leia mais

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO Balanço PDP de Janeiro de 2011

POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO Balanço PDP de Janeiro de 2011 POLÍTICA DE DESENVOLVIMENTO PRODUTIVO Balanço 2008-2010 PDP 2011-2014 21 de Janeiro de 2011 PDP 2011-2014 Guia da Reunião 1. Retomada da Política Industrial 1.1 PITCE 1.2 PDP 2. PDP 2008-2010: resultados

Leia mais

Políticas e Gestão da INOVAÇÃO

Políticas e Gestão da INOVAÇÃO Innovation Day São Paulo, 25 de março de 2015 Políticas e Gestão da INOVAÇÃO Gianna Sagazio D I S P Ê N D I O S N A C I O N A I S E M P&D E M R E L A Ç Ã O A O P I B ( % ) P a í s e s s e l e c i o n a

Leia mais

Construção de um pacto para o Plano Nacional de IoT

Construção de um pacto para o Plano Nacional de IoT Estudo IoT: Um Plano de Ação para o Brasil (2018-2022) Construção de um pacto para o Plano Nacional de IoT MEI Set 2017 Cláudia Prates (Diretora BNDES) O desenvolvimento de IoT demanda uma estratégia de

Leia mais

ATUAÇÃO INTEGRADA NA SAÚDE Novas Políticas Operacionais

ATUAÇÃO INTEGRADA NA SAÚDE Novas Políticas Operacionais ATUAÇÃO INTEGRADA NA SAÚDE Novas Políticas Operacionais FIESP São Paulo 07/02/2017 Estrutura da apresentação 1. Nova Estrutura de Atuação na Saúde 2. Orientações Estratégicas 3. Principais Mudanças 4.

Leia mais

O Plano de Ação de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional PACTI

O Plano de Ação de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional PACTI VIII CONFERÊNCIA ANPEI BELO HORIZONTE O Plano de Ação de Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento Nacional PACTI 2007-2010 19/05/2008 Ministério da Ciência e Tecnologia Apresentação Cenário

Leia mais

PRINCIPAL INSTRUMENTO DE ESTÍMULO ÀS ATIVIDADES DE PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO NAS EMPRESAS BRASILEIRAS

PRINCIPAL INSTRUMENTO DE ESTÍMULO ÀS ATIVIDADES DE PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO NAS EMPRESAS BRASILEIRAS TICS e ECONOMIA LEI DO BEM PRINCIPAL INSTRUMENTO DE ESTÍMULO ÀS ATIVIDADES DE PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO NAS EMPRESAS BRASILEIRAS ABARCA TODOS SETORES DA ECONOMIA FUNDAMENTAL PARA SUSTENTAR O

Leia mais

Plano BrasilMaior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano BrasilMaior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano BrasilMaior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior O PBM: Éa PolíticaIndustrial, Tecnológica, de Serviçose de Comércio Exterior para o período 2011/14 (Governo

Leia mais

V Simpósio Sindusfarma-IPS/FIP-ANVISA

V Simpósio Sindusfarma-IPS/FIP-ANVISA V Simpósio Sindusfarma-IPS/FIP-ANVISA Fomento à exportação de fármacos e medicamentos: panorama, desafios e oportunidades Bruno Duarte Coordenador-Geral do Complexo Químico e da Saúde Departamento de Investimentos

Leia mais

Avanço do Marco Institucional da Inovação no Brasil

Avanço do Marco Institucional da Inovação no Brasil Avanço do Marco Institucional da Inovação no Brasil Pedro Wongtschowski Grupo Ultra 2ª Reunião do Comitê de Líderes 2015 31 de julho anos Tempo necessário para atingirmos 2% do investimento em P&D em relação

Leia mais

Capacitação empresarial para o Setor de Cerâmica Vermelha

Capacitação empresarial para o Setor de Cerâmica Vermelha Chamada: 1ª Chamada Edição: 2016-2019 Estado: Rio Grande do Setor: Cerâmica Capacitação empresarial para o Setor de Cerâmica Vermelha Início: 01/01/2017 Termino: 31/12/2018 Número do Projeto: 50 T erritório:

Leia mais

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL POLO NAVAL E OFFSHORE DE RIO GRANDE E ENTORNO. Rio Grande, 29 de outubro de 2013

ARRANJO PRODUTIVO LOCAL POLO NAVAL E OFFSHORE DE RIO GRANDE E ENTORNO. Rio Grande, 29 de outubro de 2013 ARRANJO PRODUTIVO LOCAL POLO NAVAL E OFFSHORE DE RIO GRANDE E ENTORNO Rio Grande, 29 de outubro de 2013 SUMÁRIO 1) Histórico do APL, Modelo de Governança e Projetos Prioritários 2) Plano de Desenvolvimento

Leia mais

IoT.BR PLANO NACIONAL DE INTERNET DAS COISAS

IoT.BR PLANO NACIONAL DE INTERNET DAS COISAS IoT.BR PLANO NACIONAL DE INTERNET DAS COISAS Internet das Coisas é a infraestrutura global que possibilita a prestação de serviços de valor adicionado pela conexão (física ou virtual) de coisas com dispositivos

Leia mais

VIII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS

VIII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS VIII SIMPÓSIO BRASILEIRO DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FLORESTAIS Paradigmas do Plano Nacional de Educação e seu reflexo na formação de recursos humanos em nível de Pós-Graduação Stricto Sensu, especialmente

Leia mais

Os desafios do desenvolvimento brasileiro e a inovação

Os desafios do desenvolvimento brasileiro e a inovação Federação das Indústrias do Estado do Ceará Sistema FIEC Fortaleza, 18 de novembro de 2011 Os desafios do desenvolvimento brasileiro e a inovação João Carlos Ferraz Vice-Presidente 1 Mundo 2 Crise de longa

Leia mais

COMPRAS GOVERNAMENTAIS: O USO DO PODER DE COMPRA DO ESTADO PARA INCENTIVOS ÀS PEQUENAS EMPRESAS

COMPRAS GOVERNAMENTAIS: O USO DO PODER DE COMPRA DO ESTADO PARA INCENTIVOS ÀS PEQUENAS EMPRESAS COMPRAS GOVERNAMENTAIS: O USO DO PODER DE COMPRA DO ESTADO PARA INCENTIVOS ÀS PEQUENAS EMPRESAS Santo Domingo - 18/10/2011 ATÉ 10 10 A 100 > 100 PROBLEMA: Concentração da Receita Bruta (por número de empresas

Leia mais

Cadeia de Petróleo e Gás:

Cadeia de Petróleo e Gás: Contexto: Lançamento do Plano Brasil Maior Atuação da CNI, em conjunto com entidades parceiras, para o detalhamento de agendas de política industrial Parceria com a ONIP Organização Nacional da Indústria

Leia mais

SEGURANÇA HÍDRICA PARA A PRODUÇÃO INDUSTRIAL. Patrícia Boson

SEGURANÇA HÍDRICA PARA A PRODUÇÃO INDUSTRIAL. Patrícia Boson SEGURANÇA HÍDRICA PARA A PRODUÇÃO INDUSTRIAL Patrícia Boson titaboson@gmail.co Agosto de 2017 CENÁRIO DISPONIBILIDADE HÍDRICA/CONJUNTURA ÁGUA NO MUNDO DISPONIBILIDADE HÍDRICA/CONJUNTURA ÁGUA NO BRASIL

Leia mais

Esquemas de Colaboração com Bancos de Desenvolvimento e Agencias de Fomento no Brasil

Esquemas de Colaboração com Bancos de Desenvolvimento e Agencias de Fomento no Brasil Esquemas de Colaboração com Bancos de Desenvolvimento e Agencias de Fomento no Brasil Divisão de Mercados de Capital e Instituições Financeiras (CMF) Banco Interamericano de Desenvolvimento BID e os Bancos

Leia mais

Projeto ABDI: Experiências Internacionais (Síntese Parcial)

Projeto ABDI: Experiências Internacionais (Síntese Parcial) Estratégias de Inovação em Sete Países: EUA, Canadá, França, Irlanda, Finlândia, Reino Unido e Japão Projeto ABDI: Experiências Internacionais (Síntese Parcial) Observatório da inovação ABDI - 1º de Outubro

Leia mais

Secretaria Especial da Micro e Pequena Empresa - SEMPE

Secretaria Especial da Micro e Pequena Empresa - SEMPE Secretaria Especial da Micro e Pequena Empresa - SEMPE 27% PIB e 54% dos empregos formais. MPEs são o pilar central da economia. PEQUENOS NEGÓCIOS GRANDES NÚMEROS Público: 8 milhões de MPE 7,4 milhões

Leia mais

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer.

Plano Brasil Maior 2011/2014. Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer. Plano Brasil Maior A Política Industrial Brasileira A Política industrial brasileira tem claro foco em inovação e adensamento produtivo

Leia mais

Ministério de Minas e Energia Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral. APLs de Base Mineral Experiências Nacionais

Ministério de Minas e Energia Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral. APLs de Base Mineral Experiências Nacionais Ministério de Minas e Energia Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral APLs de Base Mineral Experiências Nacionais Belém 3 de abril de 2012 Políticas Públicas de apoio ao desenvolvimento

Leia mais

INOVAÇÃO COMO ESTRATÉGIA AO CRESCIMENTO DA INDÚSTRIA

INOVAÇÃO COMO ESTRATÉGIA AO CRESCIMENTO DA INDÚSTRIA 31 de outubro de 2016 INOVAÇÃO COMO ESTRATÉGIA AO CRESCIMENTO DA INDÚSTRIA Paulo Mól Superintendente do IEL A economia brasileira está perdendo competitividade ÍNDICE GLOBAL DE COMPETITIVIDADE 2016/17

Leia mais

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Inovação. Nelson Akio Fujimoto Secretário de Inovação

Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Inovação. Nelson Akio Fujimoto Secretário de Inovação Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior Secretaria de Inovação Nelson Akio Fujimoto Secretário de Inovação Plano Brasil Maior 2011/2014 Inovar para competir. Competir para crescer.

Leia mais

Lei do Bem. Oportunidades de melhoria. 13 de junho de Pedro Passos Presidente do Conselho da Natura e Líder da MEI

Lei do Bem. Oportunidades de melhoria. 13 de junho de Pedro Passos Presidente do Conselho da Natura e Líder da MEI Lei do Bem Oportunidades de melhoria Pedro Passos Presidente do Conselho da Natura e Líder da MEI 13 de junho de 2018 MOBILIZAÇÃO PELA EMPRESARIAL INOVAÇÃO SEIS AGENDAS PARA FORTALECER A INDÚSTRIA DO BRASIL

Leia mais

Estudo dos mecanismos de financiamento para as atividades do INPE Versão Preliminar

Estudo dos mecanismos de financiamento para as atividades do INPE Versão Preliminar Workshop Intermediário do Planejamento Estratégico do INPE, 14-15 de setembro de 2006 Estudo dos mecanismos de financiamento para as atividades do INPE Versão Preliminar Grupo Temático 05 Financiamento

Leia mais

Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Complexo Eletroeletrônico e Tecnologia da Informação

Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Complexo Eletroeletrônico e Tecnologia da Informação Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento Tecnológico do Complexo Eletroeletrônico e Tecnologia da Informação Constituído pela ABINEE Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica Entidade civil

Leia mais

CONTRIBUINDO PARA A COMPETITIVIDADE SUSTENTÁVEL

CONTRIBUINDO PARA A COMPETITIVIDADE SUSTENTÁVEL CONTRIBUINDO PARA A COMPETITIVIDADE SUSTENTÁVEL Uma organização autossustentável e não Governamental, que atua através de um sistema de Rede de Comitês, utilizando trabalho voluntário. Agentes Multiplicadores

Leia mais

Área de Insumos Básicos AIB

Área de Insumos Básicos AIB Área de Insumos Básicos AIB Departamento de Indústria de Base - DEINB Paulo Sergio Moreira da Fonseca Setembro de 2009 1 Nossa História! " #! $ %& '(! "! Áreas de atuação Inovação Cartão BNDES Infraestrutura

Leia mais

APLs como Estratégia de Desenvolvimento Atuação do Governo Federal nos últimos 12 anos

APLs como Estratégia de Desenvolvimento Atuação do Governo Federal nos últimos 12 anos XIII Seminário Nacional de Arranjos Produtivos Locais de Base Mineral X Encontro do Comitê Temático Rede Brasileira de APL de Base Mineral - CT RedeAPLmineral APLs como Estratégia de Desenvolvimento Atuação

Leia mais

Gerência de Políticas Públicas

Gerência de Políticas Públicas Gerência de Políticas Públicas Principais projetos para 2015 Educação Empreendedora Consultoria Gestão Inovação Resultados 0800 570 0800 / www.sebrae-rs.com.br AMBIENTE DE NEGÓCIOS DESFAVORÁVEL Concorrência

Leia mais

Marco Legal de CT&I PARA FORTALECER O ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO NO BRASIL. Zil Miranda Diretoria de Inovação. Agosto 2018

Marco Legal de CT&I PARA FORTALECER O ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO NO BRASIL. Zil Miranda Diretoria de Inovação. Agosto 2018 Marco Legal de CT&I PARA FORTALECER O ECOSSISTEMA DE INOVAÇÃO NO BRASIL Zil Miranda Diretoria de Inovação Agosto 2018 MEI MOBILIZAÇÃO EMPRESARIAL PELA INOVAÇÃO 2008 2018 Necessidade do empresariado ter

Leia mais

Objetivos Estratégicos Perspectiva: Competência. Ampliar a disponibilidade de competências necessárias à atuação do SNF

Objetivos Estratégicos Perspectiva: Competência. Ampliar a disponibilidade de competências necessárias à atuação do SNF 1 Objetivos Estratégicos Perspectiva: Competência Ampliar a disponibilidade de competências necessárias à atuação do SNF Assegurar a capacitação técnica das Instituições pertencentes ao SNF, aperfeiçoando

Leia mais

Evolução da abordagem em clusters A experiência do Estado de Minas Gerais - Brasil

Evolução da abordagem em clusters A experiência do Estado de Minas Gerais - Brasil Evolução da abordagem em clusters A experiência do Estado de Minas Gerais - Brasil Objetivo Apresentar a evolução do posicionamento do Sebrae-MG na abordagem dos clusters/apls com foco na competitividade

Leia mais

SEMINÁRIO COMPLEXO INDUSTRIAL DA SAÚDE Painel 3: Estímulo à inovação, pesquisa e desenvolvimento. Palestrante: Franco Pallamolla

SEMINÁRIO COMPLEXO INDUSTRIAL DA SAÚDE Painel 3: Estímulo à inovação, pesquisa e desenvolvimento. Palestrante: Franco Pallamolla SEMINÁRIO COMPLEXO INDUSTRIAL DA SAÚDE Painel 3: Estímulo à inovação, pesquisa e desenvolvimento Palestrante: Franco Pallamolla 1. A INDÚSTRIA MÉDICO-HOSPITALAR E ODONTOLÓGICA Mais de 460 empresas atuam

Leia mais

PLANODE AÇÃO

PLANODE AÇÃO PLANODE AÇÃO 2007-2010 Guilherme Henrique Pereira Secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação Ministério da Ciência e Tecnologia C,T&I como Política de Estado - Foco dos investimentos Modernização

Leia mais

Rodrigo da Rocha Loures Presidente do CONIC-FIESP. São Paulo,07de Outubrode 2014

Rodrigo da Rocha Loures Presidente do CONIC-FIESP. São Paulo,07de Outubrode 2014 Estratégias para a Inovação e Empreendedorismo Ecossistemas Regionais de Inovação, por meio do Empreendedorismo de Base Tecnológica e empresas Startups de Classe Mundial Visão de Futuro (2022), Competitividade

Leia mais

Internet das Coisas: um plano de ação para o Brasil

Internet das Coisas: um plano de ação para o Brasil Internet das Coisas: um plano de ação para o Brasil Carlos Azen Gerente da Indústria de TIC no BNDES 12/04/2018 Conteúdo O estudo Internet das Coisas: um plano para o Brasil Iniciativas do BNDES para IoT

Leia mais

Complexo Econômico-Industrial da Saúde: uma visão geral

Complexo Econômico-Industrial da Saúde: uma visão geral Complexo Econômico-Industrial da Saúde: uma visão geral Seminário sobre Complexo Econômico-Industrial da Saúde BNDES / Ministério da Saúde Carlos A. Grabois Gadelha Vice-Presidência de Produção e Inovação

Leia mais

DRF 214/ Unidade de Políticas Públicas e de Desenvolvimento Territorial

DRF 214/ Unidade de Políticas Públicas e de Desenvolvimento Territorial DRF 214/2015 - Unidade de Políticas Públicas e de Desenvolvimento Territorial Assunto: Proponente: Estratégia Nacional de Desenvolvimento Territorial Unidade de Políticas Públicas e de Desenvolvimento

Leia mais

Políticas de Ciência, Tecnologia e de Inovação para o Setor de RFID no Brasil

Políticas de Ciência, Tecnologia e de Inovação para o Setor de RFID no Brasil 1 Políticas de Ciência, Tecnologia e de Inovação para o Setor de RFID no Brasil Henrique de Oliveira Miguel MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E INOVAÇÃO Secretaria de Política de Informática 2 Mercado

Leia mais

O papel do governo na promoção de CT&I no Brasil A importância do FNDCT para o desenvolvimento da Pesquisa e Inovação. Luiz Antonio Rodrigues Elias

O papel do governo na promoção de CT&I no Brasil A importância do FNDCT para o desenvolvimento da Pesquisa e Inovação. Luiz Antonio Rodrigues Elias Fórum RNP/CONSECTI 2016 8 a 10 de novembro de 201 Brasília, Memorial JK O papel do governo na promoção de CT&I no Brasil A importância do FNDCT para o desenvolvimento da Pesquisa e Inovação Luiz Antonio

Leia mais

Integre esta rede de relacionamento & amplie o alcance de sua marca! ENCONTROS DA CONSTRUÇÃO 2016

Integre esta rede de relacionamento & amplie o alcance de sua marca! ENCONTROS DA CONSTRUÇÃO 2016 Integre esta rede de relacionamento & amplie o alcance de sua marca! ENCONTROS DA CONSTRUÇÃO 2016 OS ENCONTROS Há 10 anos, o CTE realiza Encontros de profissionais da cadeia produtiva da construção. OS

Leia mais

Espírito Santo: Oportunidades e Negócios. 19 de outubro de 2017

Espírito Santo: Oportunidades e Negócios. 19 de outubro de 2017 Espírito Santo: Oportunidades e Negócios 19 de outubro de 2017 Histórico Fundado em 1988, o Centro Capixaba de Desenvolvimento Metalmecânico, é resultado de um Convênio de Cooperação Técnica e Financeira

Leia mais

PROGRAMAS ESTRUTURANTES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS

PROGRAMAS ESTRUTURANTES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS PROGRAMAS ESTRUTURANTES E OBJETIVOS ESTRATÉGICOS AGENDA 1. Reflexão participação da comunidade 2. Redefinição dos Programas Estruturantes 3. Reorganização dos 4. Redefinição dos 5. Novo Calendário de Entregas

Leia mais

Inovação no Brasil: Políticas Públicas e Estratégias Empresariais

Inovação no Brasil: Políticas Públicas e Estratégias Empresariais Inovação no Brasil: Políticas Públicas e Estratégias Empresariais Ricardo Sennes rsennes@prospectivaconsultoria.com.br Observatório da Inovação e Competitividade Instituto de Estudos Avançados Universidade

Leia mais

ELEMENTOS DE EXPERIÊNCIA DA EMBRAPA NA GESTÃO DA INOVAÇÃO PARA A AGRICULTURA BRASILEIRA

ELEMENTOS DE EXPERIÊNCIA DA EMBRAPA NA GESTÃO DA INOVAÇÃO PARA A AGRICULTURA BRASILEIRA ELEMENTOS DE EXPERIÊNCIA DA EMBRAPA NA GESTÃO DA INOVAÇÃO PARA A AGRICULTURA BRASILEIRA Painel: Cases de Sucesso em Inovação de Produtos e Processos VIII Conferência ANPEI de Inovação Tecnológica: Estruturando

Leia mais

Missão do BNDES MPME. Promover o desenvolvimento econômico e social. Redução das desigualdades sociais e regionais Geração de emprego e renda

Missão do BNDES MPME. Promover o desenvolvimento econômico e social. Redução das desigualdades sociais e regionais Geração de emprego e renda BNDES APLs como Estratégia de Desenvolvimento de MPMEs Brasília DF novembro 2007 Missão do BNDES Promover o desenvolvimento econômico e social Redução das desigualdades sociais e regionais Geração de emprego

Leia mais

Apoio à Inovação. São Paulo, 03 de Outubro de 2017

Apoio à Inovação. São Paulo, 03 de Outubro de 2017 Apoio à Inovação São Paulo, 03 de Outubro de 2017 Classificação de porte Porte da Empresa MPMEs Micro Pequena Média Grande Receita Operacional Bruta Até R$ 2,4 milhões Até R$ 16 milhões Até R$ 300 milhões

Leia mais

A Importância Estratégica dos ODS e Exemplos de Sucesso na Implementação. 20ª Semana do Meio Ambiente FIESP São Paulo, 7 de junho de 2018

A Importância Estratégica dos ODS e Exemplos de Sucesso na Implementação. 20ª Semana do Meio Ambiente FIESP São Paulo, 7 de junho de 2018 A Importância Estratégica dos ODS e Exemplos de Sucesso na Implementação 20ª Semana do Meio Ambiente FIESP São Paulo, 7 de junho de 2018 1 Agenda 2030 Oportunidades e Desafios Até 2030 o Brasil e outros

Leia mais

A Nova Agenda Carlos Américo Pacheco São Paulo, 08 de novembro de 2006

A Nova Agenda Carlos Américo Pacheco São Paulo, 08 de novembro de 2006 Ciência, Tecnologia e Inovação A Nova Agenda Carlos Américo Pacheco São Paulo, 08 de novembro de 2006 Inovação e Desenvolvimento Tecnológico desempenho inovador insuficiente seleto grupo de empresas competitivas

Leia mais

Encontro Nacional de Comércio Exterior ENAEX 2016

Encontro Nacional de Comércio Exterior ENAEX 2016 Encontro Nacional de Comércio Exterior ENAEX 2016 PAINEL V - EXPORTAÇÃO DE SERVIÇOS: UM MUNDO PARA SER CONQUISTADO Edna Cesetti Departamento de Competitividade Internacional em Comércio e Serviços (DECIN)

Leia mais

Inovar e investir para sustentar o crescimento

Inovar e investir para sustentar o crescimento Inovar e investir para sustentar o crescimento Inovar e investir para sustentar o crescimento c a p í t u l o s 1 2 3 4 5 6 7 p á g i n a s Uma política de desenvolvimento produtivo para consolidar o

Leia mais

Políticas de CT&I para Pesquisa e Inovação: Novo Marco Legal

Políticas de CT&I para Pesquisa e Inovação: Novo Marco Legal MINISTÉRIO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA, INOVAÇÕES E COMUNICAÇÕES Políticas de CT&I para Pesquisa e Inovação: Novo Marco Legal Jorge Mario Campagnolo, D.Sc. Diretor de Políticas e Programas de Apoio à Inovação

Leia mais

Plano de Desenvolvimento, Sustentabilidade e Inovação do Setor de Mineração e Transformação Mineral

Plano de Desenvolvimento, Sustentabilidade e Inovação do Setor de Mineração e Transformação Mineral Inova Mineral Plano de Desenvolvimento, Sustentabilidade e Inovação do Setor de Mineração e Transformação Mineral Articulação e participação MME, ABDI, MCTI, CETEM, MDIC, empresas e ICT s Crédito e renda

Leia mais

Antes de 1950 o que havia era apenas um tímido apoio à pesquisa;

Antes de 1950 o que havia era apenas um tímido apoio à pesquisa; FINANCIAMENTO À PESQUISA Breve Histórico Antes de 1950 o que havia era apenas um tímido apoio à pesquisa; 1951 Criação do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (atual CNPq); 1951

Leia mais

Apoio à Inovação. Novembro 2009

Apoio à Inovação. Novembro 2009 Apoio à Inovação Novembro 2009 Agenda O BNDES Inovação Política de Inovação do BNDES Instrumentos de Apoio à Inovação Linhas Programas Fundos Produtos Prioridades 1950 1960 1970 1980 1990 Infra-estrutura

Leia mais

Estratégias Empresariais na caminhada Rumo à Indústria 4.0

Estratégias Empresariais na caminhada Rumo à Indústria 4.0 Estratégias Empresariais na caminhada Rumo à Indústria 4.0 Carlos Alberto Schneider, Prof. Dr.-Ing. Presidente do Conselho de Curadores da Fundação CERTI Porto Alegre, 27 de outubro de 2017 Designação

Leia mais

Internet das Coisas: um plano de ação para o Brasil

Internet das Coisas: um plano de ação para o Brasil Internet das Coisas: um plano de ação para o Brasil Diogo Bezerra Borges Analista em Ciência e Tecnologia Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações Secretaria de Políticas Digitais Coordenação-Geral

Leia mais

Agenda. Inovação. A Finep. Instrumentos de Apoio (Reembolsável, Não-Reembolsável, Fundos) Números da FINEP (Liberações)

Agenda. Inovação. A Finep. Instrumentos de Apoio (Reembolsável, Não-Reembolsável, Fundos) Números da FINEP (Liberações) Agenda Inovação A Finep Instrumentos de Apoio (Reembolsável, Não-Reembolsável, Fundos) Números da FINEP (Liberações) Inova Brasil (Condições de Financiamento, Processo de Análise e Contratação, Garantias)

Leia mais

APLICAÇÃO DO BPM PARA REESTRUTURAÇÃO DO PORTFÓLIO DE SERVIÇOS DA APEX-BRASIL

APLICAÇÃO DO BPM PARA REESTRUTURAÇÃO DO PORTFÓLIO DE SERVIÇOS DA APEX-BRASIL APLICAÇÃO DO BPM PARA REESTRUTURAÇÃO DO PORTFÓLIO DE SERVIÇOS DA APEX-BRASIL BPM Congress Brasília, 27 de novembro de 2012. Carlos Padilla, CBPP, Assessor da Gerência de Negócios. PANORAMA DA APEX-BRASIL

Leia mais

ORÇAMENTO DE C&T cortes e consequências para o desenvolvimento do País

ORÇAMENTO DE C&T cortes e consequências para o desenvolvimento do País ORÇAMENTO DE C&T cortes e consequências para o desenvolvimento do País GIANNA SAGAZIO DIRETORA DE INOVAÇÃO CNI 10 de outubro de 2017 Índice Global de Competitividade 2016-2017 3 anos seguidos perdendo

Leia mais

Fórum Regional da Bacia de Santos

Fórum Regional da Bacia de Santos Fórum Regional da Bacia de Santos 1º WORKSHOP DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS Santos 30 de Outubro de 2006 Objetivo do Prominp Maximizar a participação da indústria nacional de bens e serviços, em bases competitivas

Leia mais