A - NO DOMÍNIO COGNITIVO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A - NO DOMÍNIO COGNITIVO"

Transcrição

1 1.0 - Apropriar-se progressivamente da especificidade da Filosofia Distinguir a racionalidade filosófica de outros tipos de racionalidade. OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA DE FILOSOFIA (11º Ano) A - NO DOMÍNIO COGNITIVO Reconhecer o trabalho filosófico como atividade interpretativa e argumentativa Reconhecer o carácter linguístico-retórico e lógico-argumentativo do discurso filosófico Reconhecer a Filosofia como um espaço de reflexão interdisciplinar Reconhecer o contributo específico da Filosofia para o desenvolvimento de um pensamento informado, metódico e crítico e para a formação de uma consciência atenta, sensível e eticamente responsável Adquirir instrumentos cognitivos, conceptuais e metodológicos fundamentais para o desenvolvimento do trabalho filosófico e transferíveis para outras aquisições cognitivas Adquirir informações seguras e relevantes para a compreensão dos problemas e dos desafios que se colocam às sociedades conrâneas nos domínios da ciência e da técnica Desenvolver um pensamento autónomo e emancipado que, por integração progressiva e criteriosa dos saberes parcelares, permita a elaboração de sínteses reflexivas pessoais, construtivas e abertas Desenvolver uma consciência crítica e responsável que, mediante a análise fundamentada da experiência, atenta aos desafios e aos riscos do presente, tome a seu cargo o cuidado ético pelo futuro. Elisabete Cró Grupo 410 Página 1/20

2 OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA DE FILOSOFIA (11º Ano) B - NO DOMÍNIO DAS ATITUDES E DOS VALORES Promover hábitos e atitudes fundamentais ao desenvolvimento cognitivo, pessoal e social Adquirir hábitos de estudo e de trabalho autónomo Desenvolver atitudes de discernimento crítico perante a informação e os saberes transmitidos Desenvolver atitudes de curiosidade, honestidade e rigor intelectuais Desenvolver o respeito pelas convicções e atitudes dos outros, descobrindo as razões dos que pensam de modo distinto Assumir as posições pessoais, com convicção e tolerância, rompendo com a indiferença Desenvolver atitudes de solidariedade social e participação na vida da comunidade Desenvolver um quadro coerente e fundamentado de valores Assumir o exercício da cidadania, informando-se e participando no debate dos problemas de interesse público, nacionais e internacionais. Elisabete Cró Grupo 410 Página 2/20

3 OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA DE FILOSOFIA (11º Ano) C - NO DOMÍNIO DAS COMPETÊNCIAS, MÉTODOS E INSTRUMENTOS Ampliar as competências básicas de discurso, informação, interpretação e comunicação Iniciar à discursividade filosófica, prestando particular atenção, nos discursos/textos, à análise das articulações lógico-sintáticas e à análise dos procedimentos retórico-argumentativos Iniciar à comunicação filosófica, desenvolvendo de forma progressiva as capacidades de expressão pessoal, de comunicação e de diálogo Iniciar ao conhecimento e utilização criteriosa das fontes de informação, designadamente obras de referência e novas tecnologias Dominar metodologias e técnicas de trabalho intelectual que potenciem a qualidade das aquisições cognitivas e assegurem a autoformação e a educação permanente Desenvolver práticas de exposição (oral e escrita) e de intervenção num debate, aprendendo a apresentar de forma metódica e compreensível as ideias próprias ou os resultados de consultas ou notas de leitura Iniciar às competências específicas de problematização, conceptualização e argumentação Reconhecer que os problemas são constitutivos e originários do ato de filosofar Questionar filosoficamente as pseudoevidências da opinião corrente, por forma a ultrapassar o nível do senso comum na abordagem dos problemas Determinar e formular adequadamente os principais problemas que se colocam no âmbito dos vários temas programáticos Desenvolver atividades específicas de clarificação conceptual: aproximação etimológica, aproximação semântica, aproximação predicativa, definição, classificação. Elisabete Cró Grupo 410 Página 3/20

4 OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA DE FILOSOFIA (11º Ano) C - NO DOMÍNIO DAS COMPETÊNCIAS, MÉTODOS E INSTRUMENTOS (continuação) Adquirir e utilizar de forma progressiva e correta os conceitos operatórios - transversais da Filosofia Identificar e clarificar de forma correta os conceitos nucleares relativos aos temas/problemas propostos à reflexão pelo programa Desenvolver atividades de análise e confronto de argumentos Iniciar às competências de análise e interpretação de textos e à composição filosófica Analisar a problemática sobre a qual um texto toma posição, identificando o tema/problema, a (s) tese (s) que defende ou a (s) resposta(s) que dá, as teses ou respostas que contraria ou as teses ou respostas que explicitamente refuta Analisar a concetualidade sobre a qual assenta um texto, identificando os termos ou conceitos nucleares do texto, explicitando o seu significado e as suas articulações Analisar a estrutura lógico-argumentativa de um texto, pesquisando os argumentos, dando conta do percurso argumentativo, explorando possíveis objeções e refutações Confrontar as teses e a argumentação de um texto com teses e argumentos alternativos Assumir posição pessoal relativamente às teses e aos argumentos em confronto Redigir composições de análise e de interpretação de textos que incidam sobre temas/problemas do programa efetivamente desenvolvidos nas aulas Desenvolver, seguindo planos / guiões ou modelos simples, temas / problemas programáticos, que tenham sido objeto de abordagem nas aulas. Elisabete Cró Grupo 410 Página 4/20

5 - Reconhecer o papel da lógica na construção e análise de argumentos. - Distinguir formas de inferência válida de formas de inferência inválida segundo a lógica aristotélica. - Definir lógica. - Distinguir e compreender argumentos, proposições e Conceitos. - Compreender os princípios fundamentais da lógica e as modalidades dos juízos. - Relacionar as noções de extensão e de compreensão dos termos/conceitos. - Apreender a qualidade/quantidade dos juízos/proposições. - Compreender a modalidade dos juízos. - Apreender a distribuição dos termos e suas regras. PLANIFICAÇÃO 1.º PERÍODO Recursos 1 - ARGUMENTAÇÃO E LÓGICA FORMAL 1.1- Distinção validade verdade/1.2 - Formas de inferência válida: - Definições:. Lógica; Raciocínio e Argumento. - Os princípios lógicos:. Identidade; Não-Contradição; 3.º Excluído e Razão Suficiente. - Definição de Lógica Formal. - Noção de conceito; extensão e compreensão de conceitos. - Noção de termo. - Tipos de termos. - Noção de juízo/proposição. - Modalidades de juízos/ proposições: - categóricos; condicionais e disjuntivos. (Juízos/Proposições - Combinação Qualidade/Quantidade: A; E; I; O. - Noção de Sujeito e de Predicado. - Distribuição dos Termos.. Exercícios de aplicação.. Exercícios de aplicação.. Exercícios de aplicação.. Exercícios de aplicação. - Análise de páginas do Manual. Gestão do Elisabete Cró Grupo 410 Página 5/20

6 - Distinguir e avaliar o argumento em função da validade e da verdade. - Definir validade dedutiva e avaliar a validade e Invalidade de um argumento - Definir validade indutiva e avaliar a validade e Invalidade de um argumento indutivo. - Clarificar e reconstruir argumentos recorrendo a Indicadores de premissa e de conclusão. - Definir silogismo e inferência PLANIFICAÇÃO 1.º PERÍODO Recursos Distinção validade-verdade/formas de inferência válida (continuação): - Distinção Verdade-Validade. - O Valor Lógica das Proposições - a Verdade.. Noção de Verdade e Validade. Exercícios de aplicação. - O valor Lógico dos Argumentos - a Validade.. Noção de Validade. - A Verdade não implica a Validade.. Noção de: Conteúdo e Forma. - A Validade não implica a Verdade. - Argumentos sólidos ou corretos. - Noção de Dedução e Indução. - Relação entre Premissas e Conclusão. - O Silogismo Categórico/Inferências Mediatas.. O que é inferir?. Noção de Inferência e Silogismo Categórico.. Exercícios de aplicação. Gestão do Elisabete Cró Grupo 410 Página 6/20

7 PLANIFICAÇÃO 1.º PERÍODO Percurso - Aprender o silogismo categórico, a sua constituição, as figuras, a forma, o modo e regras a aplicar tendo como objetivo testar a Validade deste tipo de argumento. - Saber construir silogismos válidos. - Reconhecer as falácias formais relativas ao silogismo. Conceitos Chave Distinção validade-verdade/formas de inferência válida (conclusão): - Elementos que constituem o Silogismo Categórico: Termo Maior; Menor e Médio; Proposições: Premissa Maior e Premissa Menor. - A Forma do Silogismo. - O Modo do Silogismo. - As Figuras do Silogismo: 1.ª; 2.ª; 3.ª e 4.ª -As Regras do Silogismo Categórico: Regras dos Termos e das Proposições - Como construir um Silogismo. 1.3 Principais falácias formais: (Opção pela abordagem da Lógica Aristotélica) - Falácias do Silogismo ou falácias formais:. Falácia do Quarto Termo ou do Termo Médio Ambíguo;. Falácia do Termo Médio Não Distribuído; Falácia da Ilícita Maior e Falácia da Ilícita Menor. das Aprendizagem. Exercícios de aplicação. - Resolução de uma ficha formativa para revisão da matéria dada. - Esclarecimento de dúvidas para o Teste Escrito. Recursos/Materiais Gestão do - Matriz para o Teste Escrito de Filosofia. - Resolução de uma ficha formativa para revisão da matéria dada. - Teste Escrito de Filosofia. - Teste sumativo.. Lógica formal/lógica informal; Conceito/termo; Juízo/proposição; Inferência/raciocínio/Argumento; Princípio de Identidade; Não contradição; Terceiro Excluído e Razão Suficiente; Validade/Verdade; Sujeito/Predicado; Forma/Conteúdo; Indução/Dedução; Argumento Sólido ou Correto; Silogismo; Premissa Maior; Premissa Menor; Termo Maior; Termo Menor; Termo Médio; Falácia; Falácia Formal; Sofisma; Paralogismo. Elisabete Cró Grupo 410 Página 7/20

8 - Analisar o papel da retórica e da lógica informal na construção e análise crítica dos discursos argumentativos. - Identificar e definir argumentos informais. - Caracterizar a lógica informal - Compreender a importância da argumentação. - Distinguir lógica formal de lógica informal e demonstração de argumentar. - Analisar o papel do orador, do auditório e do discurso na comunicação argumentativa. - Conhecer domínios de aplicação da retórica. PLANIFICAÇÃO 1.º PERÍODO Recursos 2 - ARGUMENTAÇÃO E RETÓRICA O domínio do discurso Argumentativo - a procura de adesão do auditório.. Noção de Lógica Informal. - Argumentação Não Formal e Demonstração.. O que é Argumentar? - Argumentação e Demonstração - Diferenças. - A relação necessária ao Auditório.??? - O Auditório e o Orador. - Estratégias de persuasão: Ethos; Pathos e Logos - A retórica e a argumentação.. Noção de retórica.. Exercícios de aplicação.???? - TPC - Leitura da rubrica: "Os grandes oradores e os seus auditórios" (Manual pág. 58). Gestão do Elisabete Cró Grupo 410 Página 8/20

9 - Avaliar criticamente diferentes discursos: políticos, publicitários e de opinião. - Identificar a estrutura de um texto argumentativo. - Analisar anúncios publicitários. - Conhecer algumas regras para construir bons argumentos. - Identificar diferentes tipos de argumentos. PLANIFICAÇÃO 1.º PERÍODO Recursos O domínio do discurso Argumentativo - a procura de adesão do auditório (conclusão). - As estruturas da retórica. - Discurso político, Opinião Pública e Propaganda O Discurso Argumentativo - Principais Tipos de Argumentos e Falácias Informais. - O que é o Discurso Argumentativo? - Características do Discurso Argumentativo. - Argumentação e Comunicação. - Tipos de Discursos Persuasivos:. Judicial (Tribunais); Publicidade e Políticos. - Regras para construir bons Argumentos. - Tipos de Argumentos informais:. Entimema; Exemplo e Analogia.. Exercícios de aplicação. - Análise de estratos de discursos do Presidente Obama para revisão do: Ethos Pathos e Logos. Gestão do Elisabete Cró Grupo 410 Página 9/20

10 PLANIFICAÇÃO 1.º PERÍODO Recursos Gestão do - Identificar falácias informais O Discurso Argumentativo - Principais Tipos de Argumentos e Falácias Informais (continuação). - Tipos de Falácias Informais.. Noção de Falácia Informal. - Falácias da Irrelevância:. Falácia ad baculum ou argumento do recurso à força;. Falácia ad misericordiam ou argumento do apelo à misericórdia;. Falácia ad hominem ou argumento contra a pessoa/homem;. Falácia ad verecundiam ou argumento do apelo à autoridade;. Falácia ad ignorantiam ou argumento do apelo à ignorância. - Falácias da insuficiência de dados:. Falácia da falsa causa (non causa pro causa e post hoc, ergo propter hoc);. Falácia da petição de princípio ou falácia circular ou petitio principii.. Exercícios de aplicação.. Texto O amor é uma falácia de M. Sulman Elisabete Cró Grupo 410 Página 10/20

11 PLANIFICAÇÃO 1.º PERÍODO Recursos Gestão do O Discurso Argumentativo - Principais Tipos de Argumentos e Falácias Informais (conclusão). - Identificar falácias informais. Conceitos chave - Falácias da ambiguidade:. Falácia do terceiro excluído ou falso dilema; - Falácia da derrapagem ou bola de neve ou declive ardiloso; - Falácia do boneco de palha ou do espantalho.. Exercícios de aplicação. - Preenchimento de uma Ficha Formativa para Revisão de algumas Falácias. - Ficha Formativa Retórica; Orador/auditório; opinião pública; Argumentação/demonstração; Falácia/Falácia informal; Ethos; Pathos; Logos; Opinião pública; Filosofia/sofística. Elisabete Cró Grupo 410 Página 11/20

12 PLANIFICAÇÃO 1.º PERÍODO Recursos/Materiais Gestão do - Reconhecer o contributo positivo da retórica para a democracia grega. - Caracterizar o movimento sofista. 3 - ARGUMENTAÇÃO E FILOSOFIA Filosofia, retórica e democracia.. Noção de Democracia. - Os Sofistas.. Quem são afinal os Sofistas?. Qual era o conteúdo do seu ensino? Indicações para a realização de um Trabalho Individual (Anúncio Publicitário) para entregar no 2.º Período dia 17 de janeiro e Apresentação Oral nos dias 30 e 31 de janeiro. - Preenchimento de uma Grelha de Autoavaliação - Indicadores Comportamentais. Trabalho Individual (Anúncio Publicitário). Grelha de Autoavaliação - Explicar o método e objetivos do movimento sofista. - - Reconhecer que os objetivos e o método de ensino dos sofistas foram alvo de críticas ferozes. - Debater, numa perspetiva crítica, o papel dos sofistas. - Evidenciar os objetivos do método socrático. 3 - ARGUMENTAÇÃO E FILOSOFIA (Continuação) Filosofia, retórica e democracia (Continuação). - Em que consiste a prática metodológica dos sofistas. - 1.º Momento da formação sofística: a erística e a dialética. - 2.º Momento da formação sofística: a retórica. - Mérito dos sofistas. - Sócrates e Platão contra a retórica sofística/a Retórica ao serviço da Filosofia. - Sócrates:. Em que consiste o método Socrático? 2.º PERÍODO - Análise de um esquema sobre os sofistas. - Comentário de textos sobre os sofistas. - Leitura da organização de ideias. - Resolução de atividades. - Esquema sobre os sofistas. Visionamento do filme Grécia Cadinho da Civilização episódio 3 - Análise de textos do manual. Elisabete Cró Grupo 410 Página 12/20

13 PLANIFICAÇÃO 2.º PERÍODO - Compreender o método socrático. - Conhecer a retórica platónica e os aspetos nucleares da Teoria das Formas ou Ideias. - Conhecer domínios de aplicação da retórica. - Expor os argumentos filosóficos contra os maus usos da retórica. - Distinguir persuasão de manipulação. - Refletir sobre o caráter argumentativo e persuasivo do discurso publicitário e político. Recursos Filosofia, retórica e democracia (Continuação). - O Método Socrático (fases: Ironia e Maiêutica). - Platão:. A retórica em Platão.. O Método Dialético e a Teoria das Formas ou Ideias Persuasão e Manipulação ou os dois usos da Retórica.. O bom uso da Retórica - a Persuasão.. O mau uso da Retórica - a Manipulação. - A sedução. - O discurso publicitário. - A estrutura da mensagem. - O discurso político.. Análise de textos do manual. - Análise de textos. - Apresentação oral de Trabalhos (Anúncio Publicitário). - Análise da Organização de Ideias. - Leitura da organização de ideias. - Resolução de atividades. Gestão do Conceitos chave Democracia; Filosofia/sofística; Persuasão/manipulação. Elisabete Cró Grupo 410 Página 13/20

14 PLANIFICAÇÃO 2.º PERÍODO Recursos Gestão do - Problematizar a atualidade das teses aristotélicas relativamente à retórica Filosofia, Argumentação e Verdade: a Solução Aristotélica. - A retórica em Aristóteles. - Análise de Textos. - Leitura da Organização de Ideias. - Resolução de Atividades. Conceitos chave Verdade/ realidade/ Ser; Doxa/aletheia; Bem. Elisabete Cró Grupo 410 Página 14/20

15 PLANIFICAÇÃO 2.º PERÍODO (Continuação) IV O CONHECIMENTO E A RACIONALIDADE CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA Recursos Gestão do - Descrever e interpretar a atividade cognoscitiva. - Identificar a contribuição de Platão para a clarificação do conceito de conhecimento. - Refletir criticamente sobre o conhecimento. - Distinguir conhecimento percetivo de conhecimento racional. - Identificar a estrutura e os elementos constituintes do ato de conhecer. - Analisar e comparar duas teorias explicativas do conhecimento. - Conhecer as características fundamentais do racionalismo cartesiano e do empirismo de Hume. - Conhecer as características fundamentais do apriorismo kantiano. - Compreender a possibilidade e natureza do conhecimento. Conceitos chave 1 DESCRIÇÃO E INTERPRETAÇÃO DA ATIVIDADE COGNOSCITIVA 1.1 Estrutura do ato de conhecer.. Os problemas do conhecimento. Tipos de conhecimento.. Noção de sensação e perceção.. Fatores que intervêm na organização da perceção. - Descrição fenomenológica do ato de conhecer. 1.2 Análise comparativa de duas teorias explicativas do conhecimento. - A origem do conhecimento. - O Racionalismo (Platão e Descartes). - O empirismo (John Locke e David Hume). - O apriorismo de Kant. - Possibilidade do Conhecimento: Dogmatismo e Ceticismo. - Natureza do Conhecimento: Realismo e Idealismo. Análise de págs. do manual.. Interpretação de um esquema sobre o Conhecimento. Análise e esquema do texto de N. Hartmann. - Leitura da Organização de Ideias. - Resolução de exercícios. - Análise de textos. Conhecimento; Sensação/perceção; fenomenologia; Sujeito/objeto; Linguagem; realidade Análise de págs. do manual. - Análise de textos. Elisabete Cró Grupo 410 Página 15/20

16 - Analisar o estatuto do conhecimento científico. - Avaliar e distinguir diferentes níveis de conhecimento. PLANIFICAÇÃO 3.º PERÍODO IV O CONHECIMENTO E A RACIONALIDADE CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA Recursos Gestão do 2 O ESTATUTO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO 2.1 Conhecimento vulgar e conhecimento científico. - Distinguir conhecimento vulgar de conhecimento científico. - Reconhecer a importância do método na construção da ciência. - Avaliar a especificidade da metodologia científica e a interdependência das diferentes fases do método científico. - Compreender a importância das posições críticas de karl Popper em relação do conhecimento científico. - Distinguir dois critérios de validação das hipóteses: verificabilidade e falsificabilidade. - Diferenças entre o conhecimento vulgar e científico. 2.2 Ciência e construção validade e verificabilidade das hipóteses. - Ciência e Método. - Noção de Método Científico. - Fases do Método Científico: Observação; Hipótese; Experimentação e Lei. - O Problema da Indução. - O Problema da Indução/As Tentativas de Resolução do Problema do Princípio Indutivo. - Karl Popper. - Karl Popper e o Falsificacionismo. - Popper e o Problema da Indução em Ciência. - Teoria Corroborada. - As limitações ao Falsificacionismo. - Leitura da Organização de Ideias. - Resolução de Atividades - Leitura da Organização de Ideias. - Resolução de atividades. - Teste intermédio - Teste Sumativo Elisabete Cró Grupo 410 Página 16/20

17 Conceitos chave Conhecimento vulgar/científico; racionalidade científica; método da ciência; validade das hipóteses - verificabilidade e falsificabilidade; PLANIFICAÇÃO 3.º PERÍODO IV O CONHECIMENTO E A RACIONALIDADE CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA - Avaliar a importância da contribuição de Thomas Kuhn para a compreensão do desenvolvimento da ciência. 2 O ESTATUTO DO CONHECIMENTO CIENTÍFICO A Racionalidade Científica e a questão da Objetividade. - Thomas Kuhn. - Thomas Kuhn e a questão do Progresso da Ciência. Recursos - Leitura da Organização de Ideias. - Resolução de Atividades - Leitura da Organização de Ideias. - Resolução de atividades. - Preenchimento de uma Ficha com os conceitos fundamentais deste Epistemólogo: Gestão do - Esclarecimento de Dúvidas para o Teste Escrito. - Matriz para o Teste Escrito. - Teste Escrito de Filosofia. - Teste Sumativo Conceitos chave Paradigma; Ciência Normal; Comunidade Científica; Anomalia; Crise; Ciência Extraordinária; Revolução Científica Elisabete Cró Grupo 410 Página 17/20

18 - Conhecer alguns problemas da cultura científica tecnológica. - Reconhecer os problemas que as alterações climáticas e o aquecimento global provocarão na Terra. Conceitos chave PLANIFICAÇÃO 3.º PERÍODO IV O CONHECIMENTO E A RACIONALIDADE CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA 3.- Temas Problemas da Cultura Científica-Tecnológica A Ciência o Poder e os Riscos. - Alterações Climáticas e Aquecimento Global. Recursos - Preenchimento de uma grelha - Visionamento de um filme Efeito de Estufa; Alterações Climáticas; Princípio da Precaução. - Análise de Textos. filme: "Uma verdade Inconveniente". V - UNIDADE FINAL - DESAFIOS E HORIZONTES DA FILOSOFIA Grelha - Registo de Observação de Atitudes. Gestão do - Clarificar a dimensão ativa e criadora da existência humana A Filosofia e o Sentido Finitude e Temporalidade - A tarefa de se Ser no Mundo. - O Problema do Sentido. - O Homem é a Criatura que se Sabe Mortal. - Reflexão sobre o Mito de "Sísifo" ou o Homem Absurdo. - Como Havemos de Viver?. Análise de Textos. - Apresentações Orais. - Autoavaliação. Conceitos chave Elisabete Cró Grupo 410 Página 18/20

Racionalidade argumentativa e Filosofia

Racionalidade argumentativa e Filosofia Racionalidade argumentativa e Filosofia Conteúdos Competências a desenvolver / objetivos a concretizar Estratégias Recursos Avaliação Tempos 1. Argumentação e lógica formal 1.1 Distinção validade/verdade

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 FILOSOFIA 11º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 FILOSOFIA 11º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 FILOSOFIA 11º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa da Disciplina ENSINO SECUNDÁRIO TEMAS/DOMÍNIOS CONTEÚDOS OBJETIVOS

Leia mais

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros CURSO CIENTÍFICO-HUMANÍSTICO SECUNDÁRIO Planificação Anual 2012-2013 FILOSOFIA

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E.S.A.B. ESCOLA SECUNDÁRIA DE AVELAR BROTERO Filosofia 11º Ano Duração: 135m Ano letivo: 2015/2016 Matriz da Prova de Avaliação Sumativa Interna na Modalidade de Frequência não Presencial

Leia mais

Escola Secundária 2-3 de Clara de Resende COD COD

Escola Secundária 2-3 de Clara de Resende COD COD CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico de 27 de outubro de 2015) No caso específico da disciplina de FILOSOFIA, do 11ºano de escolaridade, a avaliação incidirá ao nível do

Leia mais

III. RACIONALIDADE ARGUMEN NTATIVA E FILOSOFIA

III. RACIONALIDADE ARGUMEN NTATIVA E FILOSOFIA III. RACIONALIDADE ARGUMEN NTATIVA E FILOSOFIA 1. Argumentação e Lóg gica Formal 1.1. Distinção validade - verdade 1.2. Formas de Inferên ncia Válida. 1.3. Principais Falácias A Lógica: objecto de estudo

Leia mais

PERÍODO TEMA / UNIDADE SUB-TEMA / CONTEÚDO AULAS AVALIAÇÃO (meios e instrumentos)

PERÍODO TEMA / UNIDADE SUB-TEMA / CONTEÚDO AULAS AVALIAÇÃO (meios e instrumentos) AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Escola Básica e Secundária Dr. Vieira de Carvalho Departamento de Ciências Sociais e Humanas Planificação Anual de Filosofia - 11º ano Ano Letivo 2014/2015

Leia mais

Informação-Exame Final Nível de Escola para N.E.E. Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro Prova de Filosofia 10º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 225 2015 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

- Diálogo professor aluno. - Teste de Diagnóstico. - Exposição do Professor. - Apresentação de esquemas e sínteses. - Organogramas conceptuais

- Diálogo professor aluno. - Teste de Diagnóstico. - Exposição do Professor. - Apresentação de esquemas e sínteses. - Organogramas conceptuais Definir lógica. Compreender o carácter formal da análise lógica dos argumentos. Distinguir e explicitar a relação entre a validade (formal) e a verdade (material). Distinguir argumentos dedutivos, indutivos

Leia mais

Filosofia 2016 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

Filosofia 2016 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Filosofia 2016 Prova 161 - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Leia mais

No arquivo Exames e Provas podem ser consultados itens e critérios de classificação de provas desta disciplina.

No arquivo Exames e Provas podem ser consultados itens e critérios de classificação de provas desta disciplina. INFORMAÇÃO-PROVA FILOSOFIA 2017 Prova 714 11.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) O presente documento divulga informação relativa à prova de exame final nacional do ensino secundário

Leia mais

Planificação Anual Filosofia 11º Ano de Escolaridade. Ano letivo 2014/2015. Prof. João Manuel Amaral da Silva

Planificação Anual Filosofia 11º Ano de Escolaridade. Ano letivo 2014/2015. Prof. João Manuel Amaral da Silva Governo dos Açores Escola Básica e Secundária Velas Planificação Anual Filosofia 11º Ano Escolarida Ano letivo 2014/2015 Prof. João Manuel Amaral da Silva Primeiro Período Temas/Conteúdos Percurso Aprendizagens

Leia mais

No arquivo Exames e Provas podem ser consultados itens e critérios de classificação de provas desta disciplina.

No arquivo Exames e Provas podem ser consultados itens e critérios de classificação de provas desta disciplina. INFORMAÇÃO-PROVA FILOSOFIA Novembro de 2016 Prova 714 11.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) O presente documento divulga informação relativa à prova de exame final nacional

Leia mais

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FILOSOFIA MAIO 2017 Prova: 161

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FILOSOFIA MAIO 2017 Prova: 161 INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FILOSOFIA MAIO 2017 Prova: 161 Escrita 10.º e 11.º de Escolaridade (Portaria n.º 207/2008, de 25 de Fevereiro - Cursos Tecnológicos de informática; Contabilidade

Leia mais

UNIDADE III RACIONALIDADE UNIDADE IV O CONHECIMENTO E A RACIONALIDADE UNIDADE V DESAFIOS ARGUMENTATIVA E FILOSOFIA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA

UNIDADE III RACIONALIDADE UNIDADE IV O CONHECIMENTO E A RACIONALIDADE UNIDADE V DESAFIOS ARGUMENTATIVA E FILOSOFIA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA Í N D I C E UNIDADE III RACIONALIDADE ARGUMENTATIVA E FILOSOFIA Argumentação e lógica formal Cálculo proposicional Argumentação e retórica Argumentação e filosofia UNIDADE IV O CONHECIMENTO E A RACIONALIDADE

Leia mais

Escola Secundária c/ 3.º Ciclo de Manuel da Fonseca, Santiago do Cacém. Grupo Disciplinar: 410 Ano Lectivo 2008/2009 Disciplina: Filosofia 11.

Escola Secundária c/ 3.º Ciclo de Manuel da Fonseca, Santiago do Cacém. Grupo Disciplinar: 410 Ano Lectivo 2008/2009 Disciplina: Filosofia 11. Escola Secundária c/ 3.º Ciclo Manuel da Fonseca, Santiago do Cacém III Tema 1 1.1. 1.2. Racionalida argumentativa e Filosofia Argumentação e lógica formal Distinção valida-verda Clarificação das noções

Leia mais

ÍNDICE. Bibliografia CRES-FIL11 Ideias de Ler

ÍNDICE. Bibliografia CRES-FIL11 Ideias de Ler ÍNDICE 1. Introdução... 5 2. Competências essenciais do aluno... 6 3. Como ler um texto... 7 4. Como ler uma pergunta... 8 5. Como fazer um trabalho... 9 6. Conteúdos/Temas 11.º Ano... 11 III Racionalidade

Leia mais

Lógica Proposicional. 1- O que é o Modus Ponens?

Lógica Proposicional. 1- O que é o Modus Ponens? 1- O que é o Modus Ponens? Lógica Proposicional R: é uma forma de inferência válida a partir de duas premissas, na qual se se afirma o antecedente do condicional da 1ª premissa, pode-se concluir o seu

Leia mais

Planificação da disciplina de Geografia 9º Ano Ano letivo 2014/2015

Planificação da disciplina de Geografia 9º Ano Ano letivo 2014/2015 Planificação da disciplina de Geografia 9º Ano Ano letivo 2014/2015 Nº de aulas (45 minutos) 1º Período 2º Período 3º Período Total Previstas 41 31 27 99 /Correção 6 6 6 18 Tema 4: As atividades económicas*

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos.

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de Filosofia 11.º Ano de Escolaridade Prova 714/2.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE CURSO

CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: FILOSOFIA Código: ENF 304 Pré requisito: Nenhum Período Letivo: 2014.1 Professor:

Leia mais

2012 COTAÇÕES. Prova Escrita de Filosofia. 11.º Ano de Escolaridade. Prova 714/2.ª Fase. Critérios de Classificação GRUPO I GRUPO II GRUPO III

2012 COTAÇÕES. Prova Escrita de Filosofia. 11.º Ano de Escolaridade. Prova 714/2.ª Fase. Critérios de Classificação GRUPO I GRUPO II GRUPO III EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Filosofia.º Ano de Escolaridade Prova 74/2.ª Fase Critérios de Classificação Páginas 202 COTAÇÕES GRUPO I......

Leia mais

Disciplina: Filosofia Série: 10 Unidade: Primeira Content Area: Philosophy Grade 10 Quarter I

Disciplina: Filosofia Série: 10 Unidade: Primeira Content Area: Philosophy Grade 10 Quarter I Disciplina: Filosofia Série: 10 Unidade: Primeira Content Area: Philosophy Grade 10 Quarter I 1.1 1.2 1.3 Conhecimento filosófico, religioso, científico e senso comum. Filosofia e lógica. Milagre Grego.

Leia mais

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E SOCIEDADE. O que é Ciência?

CIÊNCIA, TECNOLOGIA E SOCIEDADE. O que é Ciência? CIÊNCIA, TECNOLOGIA E SOCIEDADE O que é Ciência? O QUE É CIÊNCIA? 1 Conhecimento sistematizado como campo de estudo. 2 Observação e classificação dos fatos inerentes a um determinado grupo de fenômenos

Leia mais

Filosofia COTAÇÕES GRUPO I GRUPO II GRUPO III. Teste Intermédio de Filosofia. Teste Intermédio. Duração do Teste: 90 minutos

Filosofia COTAÇÕES GRUPO I GRUPO II GRUPO III. Teste Intermédio de Filosofia. Teste Intermédio. Duração do Teste: 90 minutos Teste Intermédio de Filosofia Teste Intermédio Filosofia Duração do Teste: 90 minutos 20.04.2012 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março 1. 2. COTAÇÕES GRUPO I 1.1.... 10 pontos

Leia mais

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: FILOSOFIA Código: ENF 304 Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2016.2 Professor:

Leia mais

Escola Básica e Secundária de Velas. Planificação Anual Filosofia 11º Ano de Escolaridade. Ano letivo 2012/2013. Professores João Silva e Mário Lopes

Escola Básica e Secundária de Velas. Planificação Anual Filosofia 11º Ano de Escolaridade. Ano letivo 2012/2013. Professores João Silva e Mário Lopes Escola Básica e Secundária de Velas Planificação Anual Filosofia 11º Ano de Escolaridade Ano letivo 2012/2013 Professores João Silva e Mário Lopes PRIMEIRO PERÍODO Argumentação e lógica formal Distinção

Leia mais

2012 COTAÇÕES. Prova Escrita de Filosofia. 11.º Ano de Escolaridade. Prova 714/1.ª Fase. Critérios de Classificação GRUPO I GRUPO II GRUPO III

2012 COTAÇÕES. Prova Escrita de Filosofia. 11.º Ano de Escolaridade. Prova 714/1.ª Fase. Critérios de Classificação GRUPO I GRUPO II GRUPO III EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Filosofia.º Ano de Escolaridade Prova 74/.ª Fase Critérios de Classificação Páginas 202 COTAÇÕES GRUPO I....

Leia mais

- OBJECTIVOS DO TRABALHO: - Criação de uma campanha publicitária subordinada ao tema do consumismo

- OBJECTIVOS DO TRABALHO: - Criação de uma campanha publicitária subordinada ao tema do consumismo ANEXO 2 - CONTEXTO TEMÁTICO: Estrutura do discurso argumentativo - ASSUNTOS: -Ethos, Phatos e Logos - OBJECTIVOS DO TRABALHO: - Criação de uma campanha publicitária subordinada ao tema do consumismo -

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Português

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Português CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO E CLASSIFICAÇÃO Disciplina: Português Ensino Básico Ano letivo: 16/17 5º ANO Perfil de Aprendizagens Específicas O aluno é capaz: Domínios Interpretar discursos orais breves (Referir

Leia mais

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Professor: Ana Paula dos Santos Lima Titulação: Doutora em Ensino, Filosofia e História das Ciências pela UFBA/UEFS

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS. Professor: Ana Paula dos Santos Lima Titulação: Doutora em Ensino, Filosofia e História das Ciências pela UFBA/UEFS CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS Componente Curricular: Filosofia Código: CTB - 110 CH Total: 60h Pré-requisito: Filosofia Geral Período Letivo: 2014. 2 Turma: 1º semestre Professor: Ana Paula dos Santos Lima

Leia mais

Reflexão sobre os resultados do Exame de Filosofia 2012, 1.ª fase Grupo Disciplinar de Filosofia

Reflexão sobre os resultados do Exame de Filosofia 2012, 1.ª fase Grupo Disciplinar de Filosofia Reflexão sobre os resultados do Exame de Filosofia 2012, 1.ª fase Grupo Disciplinar de Filosofia Escola Secundária Poeta Joaquim Serra A Coordenadora: Maria João P. Mendes 2012/2013 Índice Introdução...

Leia mais

Curso de Especialização Lato Sensu - Ensino de Ciências - EaD

Curso de Especialização Lato Sensu - Ensino de Ciências - EaD Curso de Especialização Lato Sensu - Ensino de Ciências - EaD CÂMPUS FLORIANÓPOLIS MATRIZ CURRICULAR Módulo 1 Carga horária total: 210 Introdução ao Estudo a Distância Introdução à Pesquisa em Ensino de

Leia mais

P S I C O L O G I A B 1 2 º A N O

P S I C O L O G I A B 1 2 º A N O DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS GRUPO 10º B FILOSOFIA P S I C O L O G I A B 1 2 º A N O D I S POSITIVO DE AV AL I AÇ Ã O (Versão de 2010-2011) Psicologia B Avaliação / Pág. 1 de 8 1. MATRIZES

Leia mais

1º Ciclo. Competências Gerais do Ensino Básico

1º Ciclo. Competências Gerais do Ensino Básico 1º Ciclo Ao longo do 1º ciclo do Ensino Básico, todos os alunos devem desenvolver as competências gerais do Ensino Básico. Competências Gerais do Ensino Básico 1. Mobilizar saberes culturais, científicos

Leia mais

Sumário Capítulo 1 Produção textual Capítulo 2 Alguns problemas da norma culta Capítulo 3

Sumário Capítulo 1 Produção textual Capítulo 2 Alguns problemas da norma culta Capítulo 3 Sumário Capítulo 1 Produção textual Algumas noções básicas introdutórias... 1 1. Aspecto estético... 2 2. Aspecto gramatical... 2 3. Aspecto estilístico...2 4. Aspecto estrutural... 2 Capítulo 2 Alguns

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio

Plano de Trabalho Docente Ensino Médio Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Médio Etec Etec: PROFESSORA NAIR LUCCAS RIBEIRO Código: 156 Município: TEODORO SAMPAIO Área de conhecimento: Ciências da Natureza, Matemática e suas tecnologias Componente

Leia mais

Resumo de Filosofia. Preposição frase declarativa com um certo valor de verdade

Resumo de Filosofia. Preposição frase declarativa com um certo valor de verdade Resumo de Filosofia Capítulo I Argumentação e Lógica Formal Validade e Verdade O que é um argumento? Um argumento é um conjunto de proposições em que se pretende justificar ou defender uma delas, a conclusão,

Leia mais

OBRA DA ÉPOCA MODERNA: FUNDAMENTAÇÃO DA METAFÍSICA DOS COSTUMES, DE KANT

OBRA DA ÉPOCA MODERNA: FUNDAMENTAÇÃO DA METAFÍSICA DOS COSTUMES, DE KANT Ano lectivo de 2004 / 2005 FILOSOFIA 12º ANO PLANIFICAÇÃO OBRA DA ÉPOCA MODERNA: FUNDAMENTAÇÃO DA METAFÍSICA DOS COSTUMES, DE KANT ESCOLA SECUNDÁRIA ALBERTO SAMPAIO 1 Ano lectivo de 2004 / 2005 FILOSOFIA

Leia mais

2013 COTAÇÕES. Prova Escrita de Filosofia. 11.º Ano de Escolaridade. Prova 714/2.ª Fase. Critérios de Classificação GRUPO I GRUPO II GRUPO III

2013 COTAÇÕES. Prova Escrita de Filosofia. 11.º Ano de Escolaridade. Prova 714/2.ª Fase. Critérios de Classificação GRUPO I GRUPO II GRUPO III EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 9/202, de de julho Prova Escrita de Filosofia.º Ano de Escolaridade Prova 74/2.ª Fase Critérios de Classificação Páginas 20 COTAÇÕES GRUPO I.... pontos

Leia mais

Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático 2012/2013

Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático 2012/2013 Critérios de Avaliação dos CEF Curso de Operador Informático Língua Portuguesa 2012/2013 ATITUDES Formação para a cidadania. Apresentação dos materiais necessários, cumprimento de tarefas propostas, assiduidade,

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO GRUPO DISCIPLINAR DE BIOLOGIA E GEOLOGIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO A avaliação é uma componente essencial do processo de ensino-aprendizagem e deve ser sistemática e cuidadosa para ser objetiva e rigorosa.

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO VISUAL 8ºANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO VISUAL 8ºANO PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO VISUAL 8ºANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO O aluno è capaz de: analisar o fenómeno de decomposição da cor; interpretar e distinguir contributos de teóricos da luz-cor;

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCANENA PEQUENOS GRANDES FILÓSOFOSS. 3º Ciclo do Ensino Básico

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCANENA PEQUENOS GRANDES FILÓSOFOSS. 3º Ciclo do Ensino Básico AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCANENA PEQUENOS GRANDES FILÓSOFOSS Projecto de Filosofia para Pré Escolar, 1º, 2º e 3º Ciclo do Ensino Básico «já que pensar é, até certo ponto, assimilar a linguagem dos outros

Leia mais

E S C O L A S E C U N D Á R I A D E C A L D A S D A S T A I P A S

E S C O L A S E C U N D Á R I A D E C A L D A S D A S T A I P A S MÓDULO 1 Área I A Pessoa Unidade Temática 1 O SUJEITO LÓGICO-PSICOLÓGICO Tema-problema: 1.2 PESSOA E CULTURA DURAÇÃO DE REFERÊNCIA (AULAS): 15 APRESENTAÇÃO: Com este Tema-problema reconhecer-se-á que partilhamos

Leia mais

Planificação anual de Português 12º ano

Planificação anual de Português 12º ano Planificação anual de Português 12º ano 1 OBJETIVOS Desenvolver os processos linguísticos, cognitivos e metacognitivos necessários à operacionalização de cada uma das competências de compreensão e produção

Leia mais

CURSO DE DIREITO. Professor: Ana Paula dos Santos Lima Titulação: Doutora em Ensino, Filosofia e História das Ciências pela UFBA/ UEFS PLANO DE CURSO

CURSO DE DIREITO. Professor: Ana Paula dos Santos Lima Titulação: Doutora em Ensino, Filosofia e História das Ciências pela UFBA/ UEFS PLANO DE CURSO CURSO DE DIREITO Componente Curricular: Filosofia Código: DIR-112 CH Total: 60 h Pré-requisito: - Período Letivo: 2016.1 Turma: 2º semestre Professor: Ana Paula dos Santos Lima Titulação: Doutora em Ensino,

Leia mais

Competências globais a serem adquiridas na série

Competências globais a serem adquiridas na série PLANO DE ENSINO - 2016 Disciplina: Língua Portuguesa 9º ANO Professor: Ricardo Andrade Competências globais a serem adquiridas na série.fundamentar uma aprendizagem significativa, desenvolvendo múltiplas

Leia mais

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Cursos Científico-Humanísticos Ano Letivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL SOCIOLOGIA (12º ano) Página 1 de 6 Competências Gerais Desenvolver a consciência dos direitos e

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS EMENTAS DO CURSO DE FILOSOFIA Currículo Novo (a partir de 2010/1) NÍVEL I HISTÓRIA DA FILOSOFIA ANTIGA Reflexão acerca da transição do pensamento mítico ao filosófico. Estudo de problemas, conceitos e

Leia mais

2- Competências a Desenvolver

2- Competências a Desenvolver ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE TURISMO 1º ANO - ANO LETIVO 2014/15 PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA: TURISMO-INFORMAÇÃO E ANIMAÇÃO TURÍSTICA Componente de Formação Técnica 1- Elenco

Leia mais

Exposição do professor; Diálogo orientado professor/aluno e aluno/aluno; Comunicação dos trabalhos realizados, individualmente e/ou em grupo;

Exposição do professor; Diálogo orientado professor/aluno e aluno/aluno; Comunicação dos trabalhos realizados, individualmente e/ou em grupo; ENSINO SECUNDÁRIO PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE ÁRES DE INTEGRAÇÃO 10º ANO DE ESCOLARIDADE CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS METAS/OBJETIVOS OPERACIONALIZAÇÃO (DESCRITORES) ATIVIDADES E ESTRATÉGIAS MATERIAIS CURRICULARES

Leia mais

Exposição do professor; Diálogo orientado professor/aluno e aluno/aluno; Comunicação dos trabalhos realizados, individualmente e/ou em grupo;

Exposição do professor; Diálogo orientado professor/aluno e aluno/aluno; Comunicação dos trabalhos realizados, individualmente e/ou em grupo; ENSINO SECUNDÁRIO PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE ÁRES DE INTEGRAÇÃO 10º ANO DE ESCOLARIDADE CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS METAS/OBJETIVOS OPERACIONALIZAÇÃO (DESCRITORES) ATIVIDADES E ESTRATÉGIAS MATERIAIS CURRICULARES

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA PLANIFICAÇÃO A LONGO/MÉDIO PRAZO

ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA PLANIFICAÇÃO A LONGO/MÉDIO PRAZO ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA PLANIFICAÇÃO A LONGO/MÉDIO PRAZO - Ano Letivo 014/ 015 ENSINO VOCACIONAL 1º Ano MATEMÁTICA Para estes estudantes, a disciplina de Matemática terá de assumir uma forma necessariamente

Leia mais

Ano Lectivo de 2011/2012 Planificação Anual Filosofia 10º Ano

Ano Lectivo de 2011/2012 Planificação Anual Filosofia 10º Ano I - Módulo inicial INICIAÇÃO À ACTIVIDADE FILOSÓFICA 1. Abordagem introdutória à filosofia e ao filosofar 1.1. O que é a? - uma resposta inicial Logos; Mito; Objectivo; Subjectivo; Abstracto; Concreto

Leia mais

O objectivo da argumentação é estudar as estratégias capazes de tornar os argumentos convincentes.

O objectivo da argumentação é estudar as estratégias capazes de tornar os argumentos convincentes. Francisco Cubal Chama-se argumentação à actividade social, intelectual e discursiva que, utilizando um conjunto de razões bem fundamentadas (argumentos), visa justificar ou refutar uma opinião e obter

Leia mais

Disciplina de Matemática. Critérios de Avaliação do Ensino Secundário

Disciplina de Matemática. Critérios de Avaliação do Ensino Secundário AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº 2 DE BEJA ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO D. MANUEL I ANO LECTIVO DE 2015-2016 DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E CIÊNCIAS EXPERIMENTAIS Disciplina de Matemática Critérios de Avaliação

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Agrupamento de Escolas Fernão de Magalhães Departamento Curricular do 1º Ciclo Ano Letivo 2015/2016 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Avaliação das Atitudes/Comportamentos

Leia mais

Lógica informal. Desidério Murcho King's College London

Lógica informal. Desidério Murcho King's College London Lógica informal Desidério Murcho King's College London A lógica informal é o estudo dos aspectos lógicos da argumentação que não dependem exclusivamente da forma lógica, contrastando assim com a lógica

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Na folha de respostas, indique de forma legível a versão da prova (Versão 1 ou Versão 2).

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. Na folha de respostas, indique de forma legível a versão da prova (Versão 1 ou Versão 2). EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Prova Escrita de Filosofia 11.º Ano de Escolaridade Prova 714/2.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30

Leia mais

Planejamento Anual 2015 Disciplina: Língua Portuguesa: Ação Série: 3º ano Ensino: Médio Professor: André

Planejamento Anual 2015 Disciplina: Língua Portuguesa: Ação Série: 3º ano Ensino: Médio Professor: André Objetivos Gerais: Planejamento Anual 2015 Disciplina: Língua Portuguesa: Ação Série: 3º ano Ensino: Médio Professor: André # Promover as competências necessárias para as práticas de leitura e escrita autônomas

Leia mais

Disciplina: ECONOMIA 1/7 COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER. Nº horas ESTRATÉGIAS RECURSOS AVALIAÇÃO CONTEÚDOS. Módulo 1 - A Economia e o Problema Económico

Disciplina: ECONOMIA 1/7 COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER. Nº horas ESTRATÉGIAS RECURSOS AVALIAÇÃO CONTEÚDOS. Módulo 1 - A Economia e o Problema Económico Módulo 1 - A Economia e o Problema Económico 1. A Economia no contexto das ciências sociais 2. O objecto de estudo da Economia 2.1. O problema económico e a necessidade de efectuar escolhas 2.2. O custo

Leia mais

Prova Escrita de Filosofia

Prova Escrita de Filosofia EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova Escrita de Filosofia 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova 714/Época Especial 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

Planificação Anual ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS DAS TAIPAS CURSO PROFISIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO DE EQUIPAMENTOS INFORMÁTICOS

Planificação Anual ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS DAS TAIPAS CURSO PROFISIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO DE EQUIPAMENTOS INFORMÁTICOS Planificação Anual CURSO PROFISIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO DE EQUIPAMENTOS INFORMÁTICOS DISCIPLINA: (12.ºano) DOCENTE: Cláudia Lobato ANO LECTIVO: 2010/2011 1 Planificação Anual Temas, Unidades Temáticas,

Leia mais

Ciências Naturais 5º ano

Ciências Naturais 5º ano Departamento de Matemática e Ciências Experimentais Escola E.B.,3 Dr. António Chora Barroso Ciências Naturais 5º ano Planificação a Longo Prazo 013/014 Planificação, finalidades e avaliação Grupo Disciplinar

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÂO DA DISCIPLINA DE PORTUGUÊS 2º CICLO ANO LETIVO 2015 / 2016 DOMÍNIOS DE APRENDIZAGEM DOMÍNIOS DE REFERÊNCIA PONDERAÇÃO INSTRUMENTOS DE

Leia mais

Roteiro para Recuperação anual Filosofia 2014

Roteiro para Recuperação anual Filosofia 2014 CENTRO EDUCACIONAL JUSCELINO KUBITSCHEK 6º Ano Ensino Fundamental 5ª série (6º Ano): Unidade 3 do livro: O homem é a medida de todas as coisas O que é o homem? O homem é uma máquina que pensa. O homem

Leia mais

EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO. Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos.

EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO. Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova Escrita de Filosofia 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova 714/2.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO. Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos.

EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO. Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova Escrita de Filosofia 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova 714/2.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

COLÉGIO SHALOM ENSINO MEDIO 1 ANO - filosofia. Profº: TONHÃO Disciplina: FILOSOFIA Aluno (a):. No.

COLÉGIO SHALOM ENSINO MEDIO 1 ANO - filosofia. Profº: TONHÃO Disciplina: FILOSOFIA Aluno (a):. No. COLÉGIO SHALOM ENSINO MEDIO 1 ANO - filosofia 65 Profº: TONHÃO Disciplina: FILOSOFIA Aluno (a):. No. ROTEIRO DE RECUERAÇÃO ANUAL 2016 Data: / / FILOSOFIA 1º Ano do Ensino Médio 1º. O recuperando deverá

Leia mais

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES

FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES FORMAÇÃO PEDAGÓGICA INICIAL DE FORMADORES ACÇÃO TIPO: Formação Pedagógica Inicial de Formadores PÚBLICO ALVO: Futuros formadores, formadores sem formação pedagógica. DURAÇÃO: 96 Horas N.º de ACÇÕES: 1

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA. PLANIFICAÇÃO A LONGO/MÉDIO PRAZO - Ano Letivo 2014 / 2015 CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO TIPO 2 2.º ANO

ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA. PLANIFICAÇÃO A LONGO/MÉDIO PRAZO - Ano Letivo 2014 / 2015 CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO TIPO 2 2.º ANO ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA PLANIFICAÇÃO A LONGO/MÉDIO PRAZO - Ano Letivo 2014 / 2015 CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO TIPO 2 2.º ANO MATEMÁTICA APLICADA Para estes estudantes, a disciplina de Matemática terá

Leia mais

Uma Leitura Sobre as Escolhas dos Conteúdos.

Uma Leitura Sobre as Escolhas dos Conteúdos. Uma Leitura Sobre as Escolhas dos Conteúdos. Os conteúdos disciplinares devem ser tratados, na escola, de modo contextualizado, estabelecendo-se, entre eles, relações interdisciplinares e colocando sob

Leia mais

LÓGICA I. André Pontes

LÓGICA I. André Pontes LÓGICA I André Pontes 1. Conceitos fundamentais O que é a Lógica? A LÓGICA ENQUANTO DISCIPLINA Estudo das leis de preservação da verdade. [Frege; O Pensamento] Estudo das formas válidas de argumentos.

Leia mais

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no de 05/12/02 DOU de 06/12/02 Componente Curricular: Filosofia PLANO DE CURSO

COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no de 05/12/02 DOU de 06/12/02 Componente Curricular: Filosofia PLANO DE CURSO COLEGIADO DO CURSO DE DIREITO Autorizado pela Portaria no 3.355 de 05/12/02 DOU de 06/12/02 Componente Curricular: Filosofia Código: DIR-112 Pré-requisito: Filosofia Geral Período Letivo: 2013.1 Professor:

Leia mais

EDUCAÇÃO VISUAL 3ºCICLO DO ENSINO BÁSICO

EDUCAÇÃO VISUAL 3ºCICLO DO ENSINO BÁSICO CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS Os Conteúdos Programáticos estão enunciados segundo o programa em vigor e as Metas Curriculares definidas pelo ministério da Educação e Ciência.* 9.ºANO 1º Período 39/42 aulas previstas

Leia mais

ESCOLA ESTADUAL WINSTON CHURCHILL PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA KIT AMIGO TEMA 4: PENSAMENTO LÓGICO

ESCOLA ESTADUAL WINSTON CHURCHILL PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA KIT AMIGO TEMA 4: PENSAMENTO LÓGICO ESCOLA ESTADUAL WINSTON CHURCHILL PIBID PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA KIT AMIGO TEMA 4: PENSAMENTO LÓGICO SEQUÊNCIA DIDÁTICA TEMA: PENSAMENTO LÓGICO 1-Título: Pensamento Lógico

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA 5ºANO

PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA 5ºANO PLANO DE ESTUDOS DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA 5ºANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO O aluno é capaz de: 1.1: Identificar o conceito de tecnologia e diferenciá-lo da noção de técnica. 1.2: Distinguir contextos

Leia mais

EMENTÁRIO DO CURSO DE FILOSOFIA FAM

EMENTÁRIO DO CURSO DE FILOSOFIA FAM 1 FACULDADE ARQUIDIOCESANA DE MARIANA Rodovia dos Inconfidentes, km 108-35420-000 Mariana MG - Fone: 31 3558 1439 / 3557 1220 Credenciada pelo MEC pela Portaria nº 2.486, de 12 de setembro de 2003 EMENTÁRIO

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo do Ensino Básico de Amora PLANIFICAÇÃO ANUAL /2015 DISCIPLINA: Português CURSO: PROFISSIONAL

Escola Secundária com 3º Ciclo do Ensino Básico de Amora PLANIFICAÇÃO ANUAL /2015 DISCIPLINA: Português CURSO: PROFISSIONAL COMPETÊNCIAS GERAIS Compreensão oral / Leitura o Antecipar significados o Distinguir diferentes tipos de texto o Apreender sentidos explícitos o Inferir sentidos implícitos o Distinguir factos de opiniões

Leia mais

Os conteúdos programáticos serão trabalhados de acordo com os seguintes parâmetros:

Os conteúdos programáticos serão trabalhados de acordo com os seguintes parâmetros: 3º ciclo Oferta Complementar: Apoio ao estudo da disciplina de Português Domínios Ponderação Componente cognitiva (capacidades e conhecimentos) Oralidade Leitura Escrita Gramática 80% Componente socioafetiva

Leia mais

Argumentação e filosofia

Argumentação e filosofia Argumentação e filosofia 1- Compreender a origem histórica da rivalidade existente entre Filosofia e Retórica. O pensamento racional teve origem na Grécia antiga, na necessidade do desenvolvimento da Polis

Leia mais

METODOLGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA

METODOLGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação METODOLGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA Prof. José Geraldo Mill Diretor de Pós-Graduação A origem do conhecimento Conhecer: É buscar explicações para os fatos que podem

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA. CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO - Tipo 3 - Ano Letivo 2014/2015

ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA. CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO - Tipo 3 - Ano Letivo 2014/2015 ESCOLA SECUNDÁRIA COM 3º CICLO DE AMORA 1º CURSOS DE EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO - Tipo 3 - Ano Letivo 2014/2015 1 I - AVALIAÇÃO: Escola Secundária com 3º Ciclo do Ensino Básico de Amora Planificação CEF 1º Ano

Leia mais

UNIDADE IV - LEITURA COMPLEMENTAR

UNIDADE IV - LEITURA COMPLEMENTAR UNIDADE IV - LEITURA COMPLEMENTAR Alunos (as), Para que vocês encontrem mais detalhes sobre o tema Métodos Científicos, sugerimos a leitura do seguinte texto complementar, desenvolvido pelos professores

Leia mais

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio

Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL. Ensino Médio Ensino Técnico Integrado ao Médio FORMAÇÃO GERAL Ensino Médio Etec Etec: Professor Massuyuki Kawano Código: 136 Município: Tupã/SP Área de conhecimento: Ciências da Natureza Componente Curricular: Biologia

Leia mais

Exercícios de lógica -sensibilização

Exercícios de lógica -sensibilização Exercícios de lógica -sensibilização 1. Lógica matemática: Qual a lógica da seqüência dos números e quem é x? 2,4,4,6,5,4,4,4,4,x? 2. Charadas: lógica filosófica. Um homem olhava uma foto, e alguém lhe

Leia mais

Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO

Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO ATITUDES E VALORES (5%) CONHECIMENTOS E CAPACIDADES (95%) Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN 2016/2017 Português Leitura/ Educação Literária Componente escrita: Compreensão de textos escritos

Leia mais

NATUREZA DO CONHECIMENTO

NATUREZA DO CONHECIMENTO NATUREZA DO CONHECIMENTO CONHECER E PENSAR Conhecer e pensar são uma necessidade para o ser humano e indispensável para o progresso. Sabemos que existimos porque pensamos. Se nada soubéssemos sobre o universo

Leia mais

ESCOLA EB 2,3 DR. ANTÓNIO CHORA BARROSO ANO LETIVO 2013/2014. Planificação a Longo Prazo. Matemática 9º ano

ESCOLA EB 2,3 DR. ANTÓNIO CHORA BARROSO ANO LETIVO 2013/2014. Planificação a Longo Prazo. Matemática 9º ano ESCOLA EB 2,3 DR. ANTÓNIO CHORA BARROSO ANO LETIVO 203/204 Planificação a Longo Prazo Matemática 9º ano Finalidades, avaliação e organização temporal Grupo Disciplinar 500 Departamento de Matemática e

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CURSOS PROFISSIONAIS

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CURSOS PROFISSIONAIS AGRUPAMENTO DE ESCOLAS CIDADE DO ENTRONCAMENTO 170586 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CURSOS PROFISSIONAIS 2016-2019 Índice 1. CURSOS PROFISSIONAIS MATRIZES CURRICULARES... 5 1.1. Matriz Curricular dos Cursos Profissionais

Leia mais

Aula Véspera UFU Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Professor Uilson Fernandes Uberaba 16 Abril de 2015

Aula Véspera UFU Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Professor Uilson Fernandes Uberaba 16 Abril de 2015 Aula Véspera UFU 2015 Colégio Cenecista Dr. José Ferreira Professor Uilson Fernandes Uberaba 16 Abril de 2015 NORTE DA AVALIAÇÃO O papel da Filosofia é estimular o espírito crítico, portanto, ela não pode

Leia mais

Curso Vocacional de Turismo e Restauração Higiene e Nutrição / 3º Ciclo Planificação a Longo Prazo

Curso Vocacional de Turismo e Restauração Higiene e Nutrição / 3º Ciclo Planificação a Longo Prazo Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Curso Vocacional de Turismo e Restauração Higiene e Nutrição / 3º Ciclo Planificação

Leia mais

Exposição do professor; Diálogo orientado professor/aluno e aluno/aluno; Recolha e tratamento da informação;

Exposição do professor; Diálogo orientado professor/aluno e aluno/aluno; Recolha e tratamento da informação; ENSINO SECUNDÁRIO PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE ECONOMIA C 12º ANO DE ESCOLARIDADE CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS METAS/OBJETIVOS OPERACIONALIZAÇÃO (DESCRITORES) ATIVIDADES E ESTRATÉGIAS MATERIAIS CURRICULARES

Leia mais

A teoria do conhecimento

A teoria do conhecimento conhecimento 1 A filosofia se divide em três grandes campos de investigação. A teoria da ciência, a teoria dos valores e a concepção de universo. Esta última é na verdade a metafísica; a teoria dos valores

Leia mais

Planificação Desenho A 10º Ano

Planificação Desenho A 10º Ano Planificação Desenho A 10º Ano Ano lectivo 2013/2014 O programa é elaborado dentro dos princípios de flexibilidade, continuidade e adequação à realidade. Também de acordo com as indicações referente aos

Leia mais

AULA 01 Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos

AULA 01 Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos 1 AULA 01 Diretrizes para a leitura, análise e interpretação de textos Ernesto F. L. Amaral 08 de março de 2012 Metodologia (DCP 033) Fonte: Severino, Antônio Joaquim. 2007. Metodologia do trabalho científico.

Leia mais

FILOSOFIA BREVE PANORAMA GERAL FILOSOFIA ANTIGA

FILOSOFIA BREVE PANORAMA GERAL FILOSOFIA ANTIGA FILOSOFIA BREVE PANORAMA GERAL FILOSOFIA ANTIGA SOBRE FILOSOFIA DEFINIÇÃO TRADICIONAL (segundo a perspectiva ocidental) TEOLOGIA CIÊNCIA certezas dúvidas Bertrand Russell (1872-1970) utiliza seus temas

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO ANUAL

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO ANUAL ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 - ESTREMOZ Competências Gerais PLANIFICAÇÃO ANUAL DISCIPLINA: LITERATURA PORTUGUESA 2016-2017 - 10º Ano COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS Leitura / Oralidade Seguir

Leia mais

Versão 1. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Versão 1. Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Teste Intermédio de Filosofia Versão 1 Teste Intermédio Filosofia Versão 1 Duração do Teste: 90 minutos 20.04.2012 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Na folha de respostas,

Leia mais