Escola Secundária 2-3 de Clara de Resende COD COD

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Escola Secundária 2-3 de Clara de Resende COD COD"

Transcrição

1 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico de 27 de outubro de 2015) No caso específico da disciplina de FILOSOFIA, do 10º ano de escolaridade, a avaliação incidirá ao nível do desempenho nas seguintes áreas: SABER: A - OBJETIVOS CONTEÚDOS Domínio dos objetivos conteúdos selecionados e estabelecidos nas planificações anuais da disciplina, de acordo e no cumprimento dos programas oficiais. No domínio cognitivo, os alunos devem atingir os seguintes objetivos gerais: 1. Apropriar-se progressivamente da especificidade da Filosofia; 2. Reconhecer o contributo específico da Filosofia para o desenvolvimento de um pensamento informado, metódico e crítico e para a formação de uma consciência atenta e eticamente responsável. OBJETIVOS 10º ano CONTEÚDOS Pretende-se que o aluno: 1. Compreenda a complexidade do conceito de Filosofia: -explicando o sentido etimológico do conceito; -identificando as características da Filosofia; -caraterizando a especificidade da Filosofia; -identificando questões filosóficas; -identificando áreas e problemas da Filosofia; -identificando as competências e os instrumentos lógicos indispensáveis ao trabalho filosófico enquanto atividade discursiva; -explicando as condições do aparecimento da Filosofia na Grécia; -iniciando o trabalho filosófico com a aplicação de uma metodologia: análise filosófica de texto Compreenda a especificidade do agir humano: I- MÓDULO INICIAL 1- Introdução à Filosofia e ao filosofar. 1.1-O que é a Filosofia? Uma resposta inicial: -sentido etimológico; -especificidade da Filosofia; -questões filosóficas e áreas temáticas. 1.2-A dimensão discursiva do trabalho filosófico: -competências específicas e instrumentos lógicos; -metodologias para o trabalho filosófico: práticas e aplicação. 1.3-A origem histórica da Filosofia: os pré-socráticos e Sócrates. II- A ação humana e os valores como questões filosóficas. 1

2 A) 1. A ação humana. B) -distinguindo os mais importantes conceitos da rede conceptual da ação: ação, agente, intenção, motivo, deliberação e decisão; -distinguindo ação de acontecimento; -reconhecendo a complexidade do agir humano: o voluntário e o involuntário; -formulando adequadamente o problema do livrearbítrio; -distinguindo diferentes respostas possíveis ao problema; -analisando o problema da compatibilidade entre o determinismo e a liberdade. - identificando e problematizando as condicionantes da ação Análise e compreensão do agir. A) A rede conceptual da ação: -o conceito de ação e a complexidade do agir: o voluntário e o involuntário; B) Determinismo e liberdade na ação humana: -o problema do livre-arbítrio: determinismo radical, libertismo e determinismo moderado; -O problema da compatibilidade entre o determinismo e a liberdade. -condicionantes da ação humana. 2- Análise e compreensão da experiência valorativa A) Caraterize a especificidade da experiência valorativa: -distinguindo juízo de fato de juízo de valor; -explicando o conceito de valor; -distinguindo os diferentes tipos de valores. -identificando as caraterísticas dos valores; -distinguindo as diferentes respostas ao problema da natureza dos valores. B) Analise a relação entre os valores e a cultura: -explicando as noções de Cultura, socialização, e aculturação; -relacionando etnocentrismo e relativismo cultural; -discutindo argumentos a favor e objeções ao relativismo cultural; -explicando a possibilidade do diálogo intercultural. 3. Distinga a intenção ética da norma moral: 3.1 -Clarificando o sentido dos conceitos intenção, norma, ética e moral; -Diferenciando o caráter teórico e reflexivo da ética do caráter factual e normativo da moral Reconheça as diferentes dimensões da ética: -Caraterizando a ação moral; -Explicando o aparente conflito entre a ética e o interesse pessoal; -Explicitando a noção de consciência moral Compare duas teorias acerca da fundamentação da moral: A) Valores e valoração a questão dos critérios valorativos: -Juízos de fato e juízos de valor; conceito e tipos de valores; características dos valores; -O problema da natureza dos valores: subjetivismo e objetivismo. B) Valores e cultura a diversidade e o diálogo de culturas: -Cultura, Socialização, aculturação; -Etnocentrismo e relativismo cultural; -Objeções ao relativismo cultural e a possibilidade do diálogo intercultural. 3- A AÇÃO HUMANA E OS VALORES ÉTICO- POLÍTICOS 3.1- Intenção ética e norma moral: -Intenção e norma; -Ética e moral; -Normas morais e normas jurídicas A dimensão pessoal e social: o si mesmo, o outro e as instituições: -Ação moral, consciência moral e responsabilidade moral; - o ser humano como ser moral e social; 3.3- A necessidade de fundamentação da moral análise comparativa de duas perspetivas filosóficas. 2

3 Uma teoria deontológica: o dever como Analisando e discutindo os fundamentos da teoria deontológica segundo a ética kantiana Analisando e discutindo os fundamentos da teoria consequencialista segundo a ética utilitarista de Stuart Mill. 4. Relacione os domínios da Ética, do Direito e 4.1- Política: -Clarificando os conceitos de Direito e Política; -Distinguindo Ética e Direito; fundamento da moralidade Kant: -Legalidade e moralidade; -O ideal moral: a vontade boa; -Dever e lei moral: o imperativo categórico; -Moralidade, autonomia e dignidade humana; -Fundamento e critério da moralidade; -Objeções Uma teoria consequencialista: a utilidade (princípio da maior felicidade) como fundamento da moralidade Stuart Mill: -o princípio da Utilidade ou da Maior Felicidade o hedonismo; -Distinção qualitativa do prazer; -O ideal moral: maximizar o bem a felicidade global. -Objeções. 4- Ética, Direito e Política O problema da justificação do Direito e da Política: -relações entre Ética, Direito e Política; -normas morais e normas jurídicas; -funções do Direito e da Política Analisando o problema da possibilidade de 5.2. uma sociedade justa: -explicando a teoria da justiça como equidade, enquanto resposta ao problema, formulada por J. Rawls. - Explicando objeções. 5- FILOSOFIA DA RELIGIÃO 5.1. Analise a especificidade da experiência religiosa: -Clarificando o conceito de religião na sua relação com a transcendência e com a imanência; -Distinguindo o sagrado do profano. Analise a relação entre a religião e o sentido da existência: -reconhecendo a religião como resposta ao problema do sentido da existência; 4.2- O problema da possibilidade de uma sociedade justa: -Liberdade e igualdade na sociedade moderna; -A justiça como equidade segundo John Rawls:. A Posição Original;. Os princípios da justiça; - Objeções. 5- FILOSOFIA DA RELIGIÃO 5.1- A experiência religiosa: -Aproximação ao conceito de religião transcendência e imanência; -O sagrado e o profano A experiência religiosa e o sentido da existência: 3

4 -reconhecendo respostas não religiosas ao i) a religião como resposta ao problema do problema do sentido da existência Analise as relações entre Razão e Fé: Reconhecendo que a razão não pode evitar o desafio da religião; -Reconhecendo que a religião não pode evitar o desafio da razão; -Discutindo argumentos a favor da existência de Deus: o argumento cosmológico ou da causa primeira, o argumento do desígnio ou teleológico e o argumento ontológico; - Discutindo um argumento contra a existência de Deus: o problema do mal. -Identificando momentos históricos de diálogo e de conflito entre a Filosofia e a religião. Distinga na religião a dimensão pessoal da dimensão social: -reconhecendo o carácter privado e íntimo da atitude religiosa; -reconhecendo o carácter público e institucional das religiões. -discutindo a tolerância e a intolerância religiosas. A)- Analise de forma informada e crítica a situação religiosa no mundo atual com os correspondentes problemas e desafios: -reconhecendo o problema da tolerância/intolerância religiosa e a necessidade e/ou possibilidade do diálogo inter-religioso como desafio e tarefa para as sociedades contemporâneas e para a paz mundial. B)- Adquira hábitos de estudo e trabalho autónomo: -utilizando diferentes fontes de informação; -elaborando um «ensaio filosófico». sentido da existência; ii)respostas não religiosas ao problema do sentido da existência : sentido subjetivo e sentido objetivo Religião, Razão e Fé tarefas e desafios da tolerância: -O problema da existência de Deus: Os argumentos cosmológico ou da causa primeira e teleológico ou do desígnio; O argumento ontológico. Argumento contra a existência de Deus: o problema do mal. -Momentos históricos da relação Razão Fé As dimensões pessoal e social das religiões e o problema da tolerância Tema/problema do mundo contemporâneo: A paz mundial e o diálogo inter-religioso. -A religião como caminho para a paz ou fonte de conflitos? -A necessidade e/ou possibilidade do diálogo entre as diferentes religiões. 4

5 FAZER: B CAPACIDADES Análise, síntese, aplicação, autonomia, conceptualização, reflexão crítica. Problematização, comunicação (argumentativa tanto oral como escrita), análise e interpretação de texto, elaboração do discurso escrito coerente e fundamentado. Capacidades transversais: A. Analisar e redigir textos numa perspetiva filosófica: o Identificar os elementos linguísticos e os elementos retóricos utilizados em textos de diferentes géneros; o Utilizar os elementos discursivos adequados ao texto argumentativo. B. Ampliar as capacidades básicas de discurso, informação, interpretação e comunicação: o Iniciar à discursividade e comunicação filosófica, desenvolvendo de forma progressiva as capacidades de expressão oral, de comunicação e de diálogo; o Iniciar ao conhecimento e utilização criteriosa das fontes de informação, designadamente obras de referência e novas tecnologias; o Iniciar à leitura da linguagem icónica e audiovisual, tendo por base instrumentos de descodificação e análise. Capacidades específicas conceptualizar, problematizar, argumentar: Relativas a conceitos 1. Identificar conceitos filosóficos num texto. 2. Clarificar o significado de conceitos. 3. Relacionar conceitos. 4. Aplicar conceitos. 5

6 Relativas a problemas 5. Identificar problemas filosóficos num texto. 6. Formular problemas filosóficos. 7. Situar problemas filosóficos nas principais áreas da Filosofia. 8. Mostrar a importância de um problema filosófico. 9. Relacionar problemas filosóficos. Relativas a teses e argumentos 10. Identificar teses que sejam respostas a problemas filosóficos. 11. Formular teses que se integrem em teorias da tradição filosófica. 12. Comparar teses distintas. 13. Explicar a pertinência de uma tese. 14. Identificar os argumentos que justificam ou refutam uma tese num texto. 15. Defender uma tese, apresentando razões ou argumentos e exemplos. 16. Criticar uma tese, apresentando objeções, argumentos ou contra-exemplos. SER: C ATITUDES Rigor e honestidade intelectual Interesse Empenho (esforço e dedicação pelas tarefas escolares) Abertura de espírito Sociabilidade (assiduidade e pontualidade, sentido de oportunidade de intervenção, respeito pela opinião dos outros, espírito de cooperação e de entreajuda) Curiosidade intelectual (espírito crítico e de questionamento face à informação e às situações). 6

Filosofia 10º Ano Ano letivo de 2015/2016 PLANIFICAÇÃO

Filosofia 10º Ano Ano letivo de 2015/2016 PLANIFICAÇÃO I Iniciação à Atividade Filosófica 1. Abordagem introdutória à filosofia e ao filosofar PERCURSOS 10.º ANO Competências a desenvolver/objectivos a concretizar Recursos Estratégias Gestão 1.1. O que é a

Leia mais

Escola Secundária 2-3 de Clara de Resende COD COD

Escola Secundária 2-3 de Clara de Resende COD COD CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico de 27 de outubro de 2015) No caso específico da disciplina de FILOSOFIA, do 11ºano de escolaridade, a avaliação incidirá ao nível do

Leia mais

Informação-Exame Final Nível de Escola para N.E.E. Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro Prova de Filosofia 10º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 225 2015 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FILOSOFIA MAIO 2017 Prova: 161

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FILOSOFIA MAIO 2017 Prova: 161 INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FILOSOFIA MAIO 2017 Prova: 161 Escrita 10.º e 11.º de Escolaridade (Portaria n.º 207/2008, de 25 de Fevereiro - Cursos Tecnológicos de informática; Contabilidade

Leia mais

Filosofia 2016 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

Filosofia 2016 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Filosofia 2016 Prova 161 - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA FLOR ESCOLA EB2,3/S DE VILA FLOR DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS ÁREA DISCIPLINAR DE FILOSOFIA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA FLOR ESCOLA EB2,3/S DE VILA FLOR DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS ÁREA DISCIPLINAR DE FILOSOFIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA FLOR 151841 ESCOLA EB2,3/S DE VILA FLOR 346184 DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS ÁREA DISCIPLINAR DE PLANIFICAÇÃO ANUAL - ANO LETIVO 2016/ 2017 1 PLANIFICAÇÃO A

Leia mais

Ano Lectivo de 2011/2012 Planificação Anual Filosofia 10º Ano

Ano Lectivo de 2011/2012 Planificação Anual Filosofia 10º Ano I - Módulo inicial INICIAÇÃO À ACTIVIDADE FILOSÓFICA 1. Abordagem introdutória à filosofia e ao filosofar 1.1. O que é a? - uma resposta inicial Logos; Mito; Objectivo; Subjectivo; Abstracto; Concreto

Leia mais

No arquivo Exames e Provas podem ser consultados itens e critérios de classificação de provas desta disciplina.

No arquivo Exames e Provas podem ser consultados itens e critérios de classificação de provas desta disciplina. INFORMAÇÃO-PROVA FILOSOFIA 2017 Prova 714 11.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) O presente documento divulga informação relativa à prova de exame final nacional do ensino secundário

Leia mais

D.C.S.H. DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS. Ano Letivo de 2012 /2013 PLANIFICAÇÃO ANUAL. Filosofia 10º. Ano

D.C.S.H. DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS. Ano Letivo de 2012 /2013 PLANIFICAÇÃO ANUAL. Filosofia 10º. Ano D.C..H. DEPRTMENTO DE CIÊNCI OCII E HMN no etivo de 2012 /2013 PNIFICÇÃO N Filosofia 10º. no 1. Objectivos Gerais Domínio cognitivo Domínio dos valores e das atitudes Domínio das competências, métodos

Leia mais

No arquivo Exames e Provas podem ser consultados itens e critérios de classificação de provas desta disciplina.

No arquivo Exames e Provas podem ser consultados itens e critérios de classificação de provas desta disciplina. INFORMAÇÃO-PROVA FILOSOFIA Novembro de 2016 Prova 714 11.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) O presente documento divulga informação relativa à prova de exame final nacional

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS EMENTAS DO CURSO DE FILOSOFIA Currículo Novo (a partir de 2010/1) NÍVEL I HISTÓRIA DA FILOSOFIA ANTIGA Reflexão acerca da transição do pensamento mítico ao filosófico. Estudo de problemas, conceitos e

Leia mais

Cotações. Prova Escrita de Filosofia. 10.º Ano de Escolaridade Março de Duração da prova: 90 minutos. 3 Páginas

Cotações. Prova Escrita de Filosofia. 10.º Ano de Escolaridade Março de Duração da prova: 90 minutos. 3 Páginas Prova Escrita de Filosofia Versão A 10.º Ano de Escolaridade Março de 2016 Duração da prova: 90 minutos 3 Páginas Leia atentamente o enunciado Para cada resposta, identifique o grupo e o item. Apresente

Leia mais

Orientações para efeitos de avaliação sumativa externa das aprendizagens na disciplina de Filosofia. 10.º e 11.º Anos. Cursos Científico-humanísticos

Orientações para efeitos de avaliação sumativa externa das aprendizagens na disciplina de Filosofia. 10.º e 11.º Anos. Cursos Científico-humanísticos MINISTÉRIO DA EDUCAÇÂO E CIÊNCIA DIRECÇÃO-GERAL DE INOVAÇÃO E DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR Orientações para efeitos de avaliação sumativa externa das aprendizagens na disciplina de Filosofia 10.º e 11.º

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E.S.A.B. ESCOLA SECUNDÁRIA DE AVELAR BROTERO Filosofia 11º Ano Duração: 135m Ano letivo: 2015/2016 Matriz da Prova de Avaliação Sumativa Interna na Modalidade de Frequência não Presencial

Leia mais

Racionalidade argumentativa e Filosofia

Racionalidade argumentativa e Filosofia Racionalidade argumentativa e Filosofia Conteúdos Competências a desenvolver / objetivos a concretizar Estratégias Recursos Avaliação Tempos 1. Argumentação e lógica formal 1.1 Distinção validade/verdade

Leia mais

OBRA DA ÉPOCA MODERNA: FUNDAMENTAÇÃO DA METAFÍSICA DOS COSTUMES, DE KANT

OBRA DA ÉPOCA MODERNA: FUNDAMENTAÇÃO DA METAFÍSICA DOS COSTUMES, DE KANT Ano lectivo de 2004 / 2005 FILOSOFIA 12º ANO PLANIFICAÇÃO OBRA DA ÉPOCA MODERNA: FUNDAMENTAÇÃO DA METAFÍSICA DOS COSTUMES, DE KANT ESCOLA SECUNDÁRIA ALBERTO SAMPAIO 1 Ano lectivo de 2004 / 2005 FILOSOFIA

Leia mais

Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Teste Intermédio de Filosofia Teste Intermédio Filosofia Duração do Teste: 90 minutos 22.02.2011 10.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Utilize apenas caneta ou esferográfica

Leia mais

22/08/2014. Tema 7: Ética e Filosofia. O Conceito de Ética. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes

22/08/2014. Tema 7: Ética e Filosofia. O Conceito de Ética. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes Tema 7: Ética e Filosofia Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes O Conceito de Ética Ética: do grego ethikos. Significa comportamento. Investiga os sistemas morais. Busca fundamentar a moral. Quer explicitar

Leia mais

Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO

Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO ATITUDES E VALORES (5%) CONHECIMENTOS E CAPACIDADES (95%) Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN 2016/2017 Português Leitura/ Educação Literária Componente escrita: Compreensão de textos escritos

Leia mais

Fundamentos Pedagógicos e Estrutura Geral da BNCC. BNCC: Versão 3 Brasília, 26/01/2017

Fundamentos Pedagógicos e Estrutura Geral da BNCC. BNCC: Versão 3 Brasília, 26/01/2017 Fundamentos Pedagógicos e Estrutura Geral da BNCC BNCC: Versão 3 Brasília, 26/01/2017 1 INTRODUÇÃO 1.3. Os fundamentos pedagógicos da BNCC Compromisso com a formação e o desenvolvimento humano global (dimensões

Leia mais

MORAL E ÉTICA. Consciência Moral: noção de bem e mal/certo e errado/justo e injusto.

MORAL E ÉTICA. Consciência Moral: noção de bem e mal/certo e errado/justo e injusto. MORAL E ÉTICA O homem é um ser dotado de senso moral. Consciência Moral: noção de bem e mal/certo e errado/justo e injusto. Senso moral se manifesta em sentimentos, atitudes, juízos de valor Moral vem

Leia mais

Teorias éticas. Capítulo 20. GRÉCIA, SÉC. V a.c. PLATÃO ARISTÓTELES

Teorias éticas. Capítulo 20. GRÉCIA, SÉC. V a.c. PLATÃO ARISTÓTELES GRÉCIA, SÉC. V a.c. Reflexões éticas, com um viés político (da pólis) _ > como deve agir o cidadão? Nem todas as pessoas eram consideradas como cidadãos Reflexão metafísica: o que é a virtude? O que é

Leia mais

Ficha de filosofia. A necessidade de fundamentação da moral Análise comparativa de duas perspectivas filosóficas. Fundamento e critérios da moralidade

Ficha de filosofia. A necessidade de fundamentação da moral Análise comparativa de duas perspectivas filosóficas. Fundamento e critérios da moralidade Ficha de filosofia A necessidade de fundamentação da moral Análise comparativa de duas perspectivas filosóficas Fundamento e critérios da moralidade Ética deontológica Ética consequencialista Respeito

Leia mais

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Cursos Científico-Humanísticos Ano Letivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL SOCIOLOGIA (12º ano) Página 1 de 6 Competências Gerais Desenvolver a consciência dos direitos e

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo 2012/13

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo 2012/13 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo 2012/13 Quadro de síntese 2º Ciclo Domínios da Avaliação 0 Saber / 0 Saber Fazer 70% "0 Ser / Saber Ser" 25% Língua Portuguesa Inglês "0 Ser / 5% /Saber Ser" " O Saber /

Leia mais

Reflexão sobre os resultados do Exame de Filosofia 2012, 1.ª fase Grupo Disciplinar de Filosofia

Reflexão sobre os resultados do Exame de Filosofia 2012, 1.ª fase Grupo Disciplinar de Filosofia Reflexão sobre os resultados do Exame de Filosofia 2012, 1.ª fase Grupo Disciplinar de Filosofia Escola Secundária Poeta Joaquim Serra A Coordenadora: Maria João P. Mendes 2012/2013 Índice Introdução...

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja Psicologia B 12º ano Ano lectivo 2011/2012 Critérios de avaliação Competências: Equacionar a Psicologia no panorama geral das ciências; Capacidades de

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º CICLO ANO LETIVO 2014 /15. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo 2014/15

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º CICLO ANO LETIVO 2014 /15. CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo 2014/15 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2º Ciclo 2014/15 Quadro de síntese 2º Ciclo Domínios da Avaliação Ponderação 0 Saber / 0 Saber Fazer 70% Português Inglês "0 Ser / Saber Ser" 25% "0 Ser / 5% /Saber Ser" " O Saber

Leia mais

CIDADANIA E MUNDO ATUAL

CIDADANIA E MUNDO ATUAL CIDADANIA E MUNDO ATUAL COMPETÊNCIAS (1) TRANSVERSAIS Promoção da educação para a cidadania A língua materna enquanto dimensão transversal Utilização das novas tecnologias de informação Competências Transversais

Leia mais

Resolução CEB nº 3, de 26 de junho de Apresentado por: Luciane Pinto, Paulo Henrique Silva e Vanessa Ferreira Backes.

Resolução CEB nº 3, de 26 de junho de Apresentado por: Luciane Pinto, Paulo Henrique Silva e Vanessa Ferreira Backes. Resolução CEB nº 3, de 26 de junho de 1998 Apresentado por: Luciane Pinto, Paulo Henrique Silva e Vanessa Ferreira Backes. Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para o Ensino Médio. O Presidente

Leia mais

Planificação Anual Filosofia 11º Ano de Escolaridade. Ano letivo 2014/2015. Prof. João Manuel Amaral da Silva

Planificação Anual Filosofia 11º Ano de Escolaridade. Ano letivo 2014/2015. Prof. João Manuel Amaral da Silva Governo dos Açores Escola Básica e Secundária Velas Planificação Anual Filosofia 11º Ano Escolarida Ano letivo 2014/2015 Prof. João Manuel Amaral da Silva Primeiro Período Temas/Conteúdos Percurso Aprendizagens

Leia mais

O. 8. BITTÇ~R EDU~RDO. Curso de Etica Jurídica. É ti c a geral e profissional. 12ª edição, revista, atualizada e modificada ..

O. 8. BITTÇ~R EDU~RDO. Curso de Etica Jurídica. É ti c a geral e profissional. 12ª edição, revista, atualizada e modificada .. EDU~RDO O. 8. BITTÇ~R "" Curso de Etica Jurídica É ti c a geral e profissional 12ª edição, revista, atualizada e modificada.. ~ o asaraiva SUMÁRIO Prefácio... 15 Apresentação... 19 PARTE I-Ética Geral

Leia mais

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância Colégio Valsassina Modelo pedagógico do jardim de infância Educação emocional Aprendizagem pela experimentação Educação para a ciência Fatores múltiplos da inteligência Plano anual de expressão plástica

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MACEIRA

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MACEIRA ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MACEIRA Critérios de Avaliação de EMRC 2009 / 2010 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS A base dos critérios de avaliação para o Segundo, Terceiro Ciclos do Ensino Básico e para o Ensino

Leia mais

Inês Muller EXAME FILOSOFIA Orlando Farinha

Inês Muller EXAME FILOSOFIA Orlando Farinha 1 PREPARAÇÃO DO EXAME DE FILOSOFIA 11º ANO II A AÇÃO HUMANA E OS VALORES 1. A ação humana análise e compreensão do agir 1.1. A Rede Conceptual da Ação Entende- se por rede conceptual da ação o conjunto

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO

EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO EMENTAS DAS DISCIPLINAS DO CURSO DE LICENCIATURA EM FILOSOFIA 1º PERÍODO FIL02457 - FILOSOFIA POLÍTICA I (60 h, OBR) O homem e sua ação política. A noção de polis no pensamento grego antigo e seus desdobramentos

Leia mais

A ÉTICA NA HISTÓRIA DO PENSAMENTO

A ÉTICA NA HISTÓRIA DO PENSAMENTO SOFISTAS Acreditavam num relativismo moral. O ceticismo dos sofistas os levava a afirmar que, não existindo verdade absoluta, não poderiam existir valores que fossem validos universalmente. A moral variaria

Leia mais

Ensino Religioso nas Escolas Públicas

Ensino Religioso nas Escolas Públicas Ensino Religioso nas Escolas Públicas Fundamentação legal: Constituição Federal de 1988: qdo reconhece os direitos sociais dos cidadãos e estabelece a promoção da cidadania e da dignidade como dever do

Leia mais

INTRODUÇÃO À FILOSOFIA MORAL (conclusão)

INTRODUÇÃO À FILOSOFIA MORAL (conclusão) INTRODUÇÃO À FILOSOFIA MORAL (conclusão) 25 DE FEVEREIRO DE 2013 (6ª aula) Sumário da Aula Anterior: Egoísmo ético: definição, pontos fortes e fragilidades. Utilitarismo. O Princípio da Utilidade. Utilitarismo

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 FILOSOFIA 11º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 FILOSOFIA 11º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 FILOSOFIA 11º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa da Disciplina ENSINO SECUNDÁRIO TEMAS/DOMÍNIOS CONTEÚDOS OBJETIVOS

Leia mais

Informação Prova de equivalência à frequência

Informação Prova de equivalência à frequência 1. INTRODUÇÃO O presente documento publicita a informação relativa à prova de equivalência à frequência do Ensino Secundário da disciplina de Psicologia B, a realizar em 2016, a nível de escola, de acordo

Leia mais

Disciplina: Filosofia Série: 10 Unidade: Primeira Content Area: Philosophy Grade 10 Quarter I

Disciplina: Filosofia Série: 10 Unidade: Primeira Content Area: Philosophy Grade 10 Quarter I Disciplina: Filosofia Série: 10 Unidade: Primeira Content Area: Philosophy Grade 10 Quarter I 1.1 1.2 1.3 Conhecimento filosófico, religioso, científico e senso comum. Filosofia e lógica. Milagre Grego.

Leia mais

1º Ciclo. Competências Gerais do Ensino Básico

1º Ciclo. Competências Gerais do Ensino Básico 1º Ciclo Ao longo do 1º ciclo do Ensino Básico, todos os alunos devem desenvolver as competências gerais do Ensino Básico. Competências Gerais do Ensino Básico 1. Mobilizar saberes culturais, científicos

Leia mais

LÓGICA JURÍDICA E A NOVA RETÓRICA

LÓGICA JURÍDICA E A NOVA RETÓRICA LÓGICA JURÍDICA E A NOVA RETÓRICA RENÉ DESCATES (1596-1650) HANS KELSEN (1881-1973) Kelsen pregava uma objetividade ao ordenamento jurídico, a tal ponto que o juiz, ao prolatar uma sentença, por exemplo,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCANENA PEQUENOS GRANDES FILÓSOFOSS. 3º Ciclo do Ensino Básico

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCANENA PEQUENOS GRANDES FILÓSOFOSS. 3º Ciclo do Ensino Básico AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCANENA PEQUENOS GRANDES FILÓSOFOSS Projecto de Filosofia para Pré Escolar, 1º, 2º e 3º Ciclo do Ensino Básico «já que pensar é, até certo ponto, assimilar a linguagem dos outros

Leia mais

Conceito de Moral. O conceito de moral está intimamente relacionado com a noção de valor

Conceito de Moral. O conceito de moral está intimamente relacionado com a noção de valor Ética e Moral Conceito de Moral Normas Morais e normas jurídicas Conceito de Ética Macroética e Ética aplicada Vídeo: Direitos e responsabilidades Teoria Exercícios Conceito de Moral A palavra Moral deriva

Leia mais

DISCIPLINA: Psicologia B CÓDIGO DA PROVA: 340

DISCIPLINA: Psicologia B CÓDIGO DA PROVA: 340 DISCIPLINA: Psicologia B CÓDIGO DA PROVA: 340 CICLO: Secundário ANO DE ESCOLARIDADE: 12º 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de exame de equivalência à frequência

Leia mais

NODARI, Paulo César. Sobre ética: Aristóteles, Kant e Levinas. Caxias do Sul: Educs, 2010

NODARI, Paulo César. Sobre ética: Aristóteles, Kant e Levinas. Caxias do Sul: Educs, 2010 NODARI, Paulo César. Sobre ética: Aristóteles, Kant e Levinas. Caxias do Sul: Educs, 2010 12 Daniel José Crocoli * A obra Sobre ética apresenta as diferentes formas de se pensar a dimensão ética, fazendo

Leia mais

Cursos Profissionais Disciplina: PORTUGUÊS Anos: 10º; 11º e 12º

Cursos Profissionais Disciplina: PORTUGUÊS Anos: 10º; 11º e 12º PARÂMETROS GERAIS DE AVALIAÇÃO Integração escolar e profissionalizante Intervenções e Atividades na sala de aula: PESOS PARÂMETROS ESPECÍFICOS INSTRUMENTOS Peso 2 Peso 5 Comportamento-assiduidade-pontualidadecumprimento

Leia mais

VALOR E VALORAÇÃO CRITÉRIOS VALORATIVOS

VALOR E VALORAÇÃO CRITÉRIOS VALORATIVOS Valor VALOR E VALORAÇÃO CRITÉRIOS VALORATIVOS Critério de orientação. Guia para a ação humana, atribuído pelo homem às coisas, seres e acontecimentos, em função da relação que com eles estabelece. Diz

Leia mais

Critérios específicos de avaliação HISTÓRIA 3.º ciclo Ano letivo

Critérios específicos de avaliação HISTÓRIA 3.º ciclo Ano letivo Objeto de avaliação Conhecimentos e Capacidades Específicos Critérios específicos de avaliação HISTÓRIA 3.º ciclo Ano letivo 2016-2017 Itens/Parâmetros Compreensão histórica (Temporalidade Espacialidade

Leia mais

2- Competências a Desenvolver

2- Competências a Desenvolver ESCOLA SECUNDÁRIA DE AMORA CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE TURISMO 1º ANO - ANO LETIVO 2014/15 PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA: TURISMO-INFORMAÇÃO E ANIMAÇÃO TURÍSTICA Componente de Formação Técnica 1- Elenco

Leia mais

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: FILOSOFIA Código: ENF 304 Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2016.2 Professor:

Leia mais

- Diálogo professor aluno. - Teste de Diagnóstico. - Exposição do Professor. - Apresentação de esquemas e sínteses. - Organogramas conceptuais

- Diálogo professor aluno. - Teste de Diagnóstico. - Exposição do Professor. - Apresentação de esquemas e sínteses. - Organogramas conceptuais Definir lógica. Compreender o carácter formal da análise lógica dos argumentos. Distinguir e explicitar a relação entre a validade (formal) e a verdade (material). Distinguir argumentos dedutivos, indutivos

Leia mais

NÚCLEO GERADOR DOMÍNIOS CRITÉRIOS DE EVIDÊNCIA OBSERVADO NÚCLEO GERADOR DOMÍNIOS PROPOSTAS DE TRABALHO A DESENVOLVER PELO CANDIDATO OBSERVADO

NÚCLEO GERADOR DOMÍNIOS CRITÉRIOS DE EVIDÊNCIA OBSERVADO NÚCLEO GERADOR DOMÍNIOS PROPOSTAS DE TRABALHO A DESENVOLVER PELO CANDIDATO OBSERVADO GRUPO: ÁREA DE COMPETÊNCIAS-CHAVE CIDADANIA E PROFISSIONALIDADE NÚCLEO GERADOR DOMÍNIOS CRITÉRIOS DE EVIDÊNCIA OBSERVADO DIREITOS E DEVERES Identificar situações de autonomia e responsabilidades partilhadas

Leia mais

Área: Formação Pessoal e Social. Domínio: Identidade / Auto - estima (5anos)

Área: Formação Pessoal e Social. Domínio: Identidade / Auto - estima (5anos) Domínio: Identidade / Auto - estima (5anos) - No final da educação pré-escolar, a criança identifica as suas características individuais, manifestando um sentimento positivo de identidade e tendo consciência

Leia mais

Clóvis de Barros Filho

Clóvis de Barros Filho Clóvis de Barros Filho Sugestão Formação: Doutor em Ciências da Comunicação pela USP (2002) Site: http://www.espacoetica.com.br/ Vídeos Produção acadêmica ÉTICA - Princípio Conjunto de conhecimentos (filosofia)

Leia mais

Curso Vocacional de Turismo e Restauração Higiene e Nutrição / 3º Ciclo Planificação a Longo Prazo

Curso Vocacional de Turismo e Restauração Higiene e Nutrição / 3º Ciclo Planificação a Longo Prazo Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Curso Vocacional de Turismo e Restauração Higiene e Nutrição / 3º Ciclo Planificação

Leia mais

Proposta Curricular de Duque de Caxias

Proposta Curricular de Duque de Caxias ESTADO DO RIO DE JANEIRO PREFEITURA MUNICIPAL DE DUQUE DE CAXIAS SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO PEDAGÓGICO DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO BÁSICA DIVISÃO DE EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA,

Leia mais

A - NO DOMÍNIO COGNITIVO

A - NO DOMÍNIO COGNITIVO 1.0 - Apropriar-se progressivamente da especificidade da Filosofia. 1.1. - Distinguir a racionalidade filosófica de outros tipos de racionalidade. OBJETIVOS GERAIS DA DISCIPLINA DE FILOSOFIA (11º Ano)

Leia mais

ÉTICA E MORAL. O porquê de uma diferenciação? O porquê da indiferenciação? 1

ÉTICA E MORAL. O porquê de uma diferenciação? O porquê da indiferenciação? 1 ÉTICA E MORAL O porquê de uma diferenciação? O porquê da indiferenciação? 1 Ética e Moral são indiferenciáveis No dia-a-dia quando falamos tanto usamos o termo ética ou moral, sem os distinguirmos. Também

Leia mais

DATA DE ENTREGA 19/12/2016 VALOR: 20,0 NOTA:

DATA DE ENTREGA 19/12/2016 VALOR: 20,0 NOTA: DISCIPLINA: FILOSOFIA PROFESSOR: ENRIQUE MARCATTO DATA DE ENTREGA 19/12/2016 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 3ª SÉRIE/EM TURMA: Nº: 01. RELAÇÃO DO CONTEÚDO

Leia mais

Critérios de Avaliação da Disciplina de Geografia - 3º Ciclo

Critérios de Avaliação da Disciplina de Geografia - 3º Ciclo Critérios de Avaliação da Disciplina de Geografia - 3º Ciclo A função de avaliação corresponde à análise cuidada das aprendizagens conseguidas relativamente às planeadas, devendo traduzir-se numa descrição

Leia mais

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5. * Consegue compreender aquilo que ouve.

COMPETÊNCIAS ESPECÍFICAS NÍVEL 2 NÍVEL 3 NÍVEL 4 NÍVEL 5. * Consegue compreender aquilo que ouve. PORTUGUÊS 3º CICLO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO COMPREENSÃO DO ORAL Compreensão de formas complexas do oral, exigidas para o prosseguimento de estudos e para a entrada na vida profissional. * Capacidade de extrair

Leia mais

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO

CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS º PERÍODO CURSO: PEDAGOGIA EMENTAS - 2016.1 1º PERÍODO DISCIPLINA: HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO Estudo da história geral da Educação e da Pedagogia, enfatizando a educação brasileira. Políticas ao longo da história engendradas

Leia mais

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO

CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Agrupamento de Escolas Fernão de Magalhães Departamento Curricular do 1º Ciclo Ano Letivo 2015/2016 CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO PARA O 1º CICLO DO ENSINO BÁSICO Avaliação das Atitudes/Comportamentos

Leia mais

P S I C O L O G I A B 1 2 º A N O

P S I C O L O G I A B 1 2 º A N O DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS GRUPO 10º B FILOSOFIA P S I C O L O G I A B 1 2 º A N O D I S POSITIVO DE AV AL I AÇ Ã O (Versão de 2010-2011) Psicologia B Avaliação / Pág. 1 de 8 1. MATRIZES

Leia mais

Textos, filmes e outros materiais. Habilidades e Competências. Conteúdos/ Matéria. Categorias/ Questões. Tipo de aula. Semana

Textos, filmes e outros materiais. Habilidades e Competências. Conteúdos/ Matéria. Categorias/ Questões. Tipo de aula. Semana PLANO DE CURSO DISCIPLINA: FILOSOFIA DO DIREITO (CÓD.: ENEX 60110) ETAPA: 2ª TOTAL DE ENCONTROS: 15 SEMANAS Semana Conteúdos/ Matéria Categorias/ Questões Tipo de aula Habilidades e Competências Textos,

Leia mais

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros CURSO CIENTÍFICO-HUMANÍSTICO SECUNDÁRIO Planificação Anual 2012-2013 FILOSOFIA

Leia mais

Introdução...1. Parte I A Religião e o Mundo do Trabalho

Introdução...1. Parte I A Religião e o Mundo do Trabalho SUMÁRIO Introdução...1 Parte I A Religião e o Mundo do Trabalho Capítulo 1 Religião, Direitos Humanos e Espaço Público: Algumas Nótulas Preliminares...7 1. Religião e Direitos Humanos...7 2. O Regresso

Leia mais

Escola Secundária c/ 3.º Ciclo de Manuel da Fonseca, Santiago do Cacém. Grupo Disciplinar: 410 Ano Lectivo 2008/2009 Disciplina: Filosofia 11.

Escola Secundária c/ 3.º Ciclo de Manuel da Fonseca, Santiago do Cacém. Grupo Disciplinar: 410 Ano Lectivo 2008/2009 Disciplina: Filosofia 11. Escola Secundária c/ 3.º Ciclo Manuel da Fonseca, Santiago do Cacém III Tema 1 1.1. 1.2. Racionalida argumentativa e Filosofia Argumentação e lógica formal Distinção valida-verda Clarificação das noções

Leia mais

Critérios de Avaliação de Educação Tecnológica 5ºAno

Critérios de Avaliação de Educação Tecnológica 5ºAno Técnica T5 Dominios Aptidões /Capacidades/Conhecimentos 1.1: Identificar o conceito de tecnologia e diferenciá-lo da noção de técnica Reconhecer o papel da tecnologia. Discriminar a relevância do objeto

Leia mais

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE FRANCÊS Componente de Formação Complementar Curso Vocacional de Informática e Multimédia Ano letivo 2015/2016

PLANIFICAÇÃO ANUAL DE FRANCÊS Componente de Formação Complementar Curso Vocacional de Informática e Multimédia Ano letivo 2015/2016 PLANIFICAÇÃO ANUAL DE FRANCÊS Componente de Formação Complementar Curso Vocacional de Informática e Multimédia Ano letivo 2015/2016 Competências Transversais Promoção da educação para a cidadania A língua

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 160 aprovado pela portaria Cetec nº 138 de 04 / 10 /2012 Etec Professora Ermelinda Giannini Teixeira Código: 187 Município: Santana de Parnaíba

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2016 Ensino Técnico Plano de Curso nº 246 aprovado pela portaria Cetec nº 181 de 26/09/2013 Etec Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Ética aplicada: ética, moral, valores e virtudes. Professora Renata Lourdes.

Ética aplicada: ética, moral, valores e virtudes. Professora Renata Lourdes. Ética aplicada: ética, moral, valores e virtudes Professora Renata Lourdes. renatalourdesrh@hotmail.com CONCEITO DE ÉTICA Estudo dos juízos de apreciação referentes à conduta humana suscetível de qualificação

Leia mais

Normas de funcionamento das disciplinas de História e Geografia

Normas de funcionamento das disciplinas de História e Geografia Direcção Regional de Educação do Centro MATERIAL NECESSÁRIO PARA A AULA Manual Escolar Caderno Diário Contrato Pedagógico Plano Individual de Trabalho ( PIT) Fichas de avaliação Caderneta escolar Outro

Leia mais

INTRODUÇÃO À FILOSOFIA MORAL

INTRODUÇÃO À FILOSOFIA MORAL INTRODUÇÃO À FILOSOFIA MORAL 13 & 15 DE FEVEREIRO DE 2013 (3ª aula) Sumário da Aula Anterior: Definições de Ética. Teorias consequencialistas e teorias deontológicas. Definições de Bioética. A Bioética

Leia mais

Ano Lectivo 2006/2007 3º Ciclo 7º Ano

Ano Lectivo 2006/2007 3º Ciclo 7º Ano AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação DISCIPLINA DE GEOGRAFIA Ano Lectivo 2006/2007 3º Ciclo 7º Ano Unidade Didáctica Conteúdos Competências Específicas Avaliação A TERRA

Leia mais

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DISCIPLINA : METODOLOGIA DA PESQUISA ASSUNTO: MORAL E ÉTICA

CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DISCIPLINA : METODOLOGIA DA PESQUISA ASSUNTO: MORAL E ÉTICA CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DISCIPLINA : METODOLOGIA DA PESQUISA ASSUNTO: MORAL E ÉTICA PROFESSOR : Romilson Lopes Sampaio MORAL E ÉTICA Etimologia Ética é originada

Leia mais

Grupo de Reflexão Ética APCP

Grupo de Reflexão Ética APCP Grupo de Reflexão Ética APCP Processo de tomada de decisão Problema Decisão/ Deliberação Ato: Intervenção profissional Diagnóstico Deliberação Intervenções Diagnóstico Deliberação: Qual o plano terapêutico

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO Sede - Escola Secundária do Restelo

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO Sede - Escola Secundária do Restelo AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO RESTELO Sede - Escola Secundária do Restelo CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO 2014/2015 1º CICLO 1. Critérios Gerais Evolução da aquisição das aprendizagens; Utilização correta da língua

Leia mais

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC PAULINO BOTELHO Código: 091 Município: ETEC Paulino Botelho Eixo Tecnológico: Gestão e Negócios Habilitação Profissional: Habilitação Profissional Técnica

Leia mais

Curso Vocacional de Saúde e Ambiente Noções Básicas de Saúde / 3º Ciclo Planificação a Longo Prazo

Curso Vocacional de Saúde e Ambiente Noções Básicas de Saúde / 3º Ciclo Planificação a Longo Prazo Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Curso Vocacional de Saúde e Ambiente Noções Básicas de Saúde / 3º Ciclo Planificação

Leia mais

EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO. Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos.

EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO. Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova Escrita de Filosofia 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova 714/2.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO. Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos.

EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO. Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. EXAME FINAL NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Prova Escrita de Filosofia 11.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova 714/2.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância:

Leia mais

APRENDER E ENSINAR CIÊNCIAS NATURAIS NO ENSINO FUNDAMENTAL Apresentação do PCN (Parâmetros Curriculares Nacionais) de Ciências Naturais

APRENDER E ENSINAR CIÊNCIAS NATURAIS NO ENSINO FUNDAMENTAL Apresentação do PCN (Parâmetros Curriculares Nacionais) de Ciências Naturais APRENDER E ENSINAR CIÊNCIAS NATURAIS NO ENSINO FUNDAMENTAL Apresentação do PCN (Parâmetros Curriculares Nacionais) de Ciências Naturais INTRODUÇÃO Para o ensino de Ciências Naturais é necessária a construção

Leia mais

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos.

Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30 minutos. EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho Prova Escrita de Filosofia 11.º Ano de Escolaridade Prova 714/1.ª Fase 8 Páginas Duração da Prova: 120 minutos. Tolerância: 30

Leia mais

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 2

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 2 ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL MÓDULO 2 Índice 1. Ética Geral...3 1.1 Conceito de ética... 3 1.2 O conceito de ética e sua relação com a moral... 4 2 1. ÉTICA GERAL 1.1 CONCEITO DE ÉTICA Etimologicamente,

Leia mais

O ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA ORIENTAÇÕES LEGAIS

O ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA ORIENTAÇÕES LEGAIS O ENSINO RELIGIOSO NA ESCOLA ORIENTAÇÕES LEGAIS A CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 210 DETERMINA O ENSINO RELIGIOSO, MESMO FACULTATIVO PARA O ALUNO, DEVE ESTAR PRESENTE COMO DISCIPLINA DOS HORÁRIOS NORMAIS DA

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ELIAS GARCIA CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 2016/2017 A AVALIAÇÃO EM EDUCAÇÃO PRÉ-ESCOLAR 1 INTRODUÇÃO Enquadramento Normativo Avaliar o processo e os efeitos, implica

Leia mais

Ética Prof. Vitor Maciel. iversidade Federal da Bahia

Ética Prof. Vitor Maciel. iversidade Federal da Bahia Ética Prof. Vitor Maciel iversidade Federal da Bahia A Ética responde à pergunta: - Como viver? O que é a Ética? A palavra ética vem do grego ethos, que significa, caráter do sujeito, maneira habitual

Leia mais

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO

CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO Departamento 1º Ciclo Grupos: 110 2016/2017 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PINHEL CRITÉRIOS GERAIS DE AVALIAÇÃO DEPARTAMENTO CURRICULAR DO 1.º CICLO DO ENSINO BÁSICO UTILIZADOR Critérios

Leia mais

A construção da Base. Setembro. Abril de Maio de I n í c i o. elaboração. Versão 2: 9 mil Educadores. Versão 3: MEC entrega a Base ao CNE

A construção da Base. Setembro. Abril de Maio de I n í c i o. elaboração. Versão 2: 9 mil Educadores. Versão 3: MEC entrega a Base ao CNE A construção da Base 2014 Setembro de 2015 Maio de 2016 Abril de 2017 I n í c i o elaboração Versão 1: 12 milhões contribuições Versão 2: 9 mil Educadores Versão 3: MEC entrega a Base ao CNE A Base Define

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE CURSO

CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: FILOSOFIA Código: ENF 304 Pré requisito: Nenhum Período Letivo: 2014.1 Professor:

Leia mais

Escola Secundária/3 de Felgueiras Planificação da Disciplina de E.M.R.C. 9º Ano 2012/2013

Escola Secundária/3 de Felgueiras Planificação da Disciplina de E.M.R.C. 9º Ano 2012/2013 1 A Dignidade da Pessoa Humana Dignidade e inviolabilidade da vida humana: declarações de direitos e perspetiva da Igreja Católica. A vida: condição de possibilidade de todos os outros valores A vida como

Leia mais

Planejamento Anual 2015 Disciplina: Língua Portuguesa: Ação Série: 3º ano Ensino: Médio Professor: André

Planejamento Anual 2015 Disciplina: Língua Portuguesa: Ação Série: 3º ano Ensino: Médio Professor: André Objetivos Gerais: Planejamento Anual 2015 Disciplina: Língua Portuguesa: Ação Série: 3º ano Ensino: Médio Professor: André # Promover as competências necessárias para as práticas de leitura e escrita autônomas

Leia mais

Competências globais a serem adquiridas na série

Competências globais a serem adquiridas na série PLANO DE ENSINO - 2016 Disciplina: Língua Portuguesa 9º ANO Professor: Ricardo Andrade Competências globais a serem adquiridas na série.fundamentar uma aprendizagem significativa, desenvolvendo múltiplas

Leia mais

3.1 FUNDAMENTOS BIOLÓGICOS DA MORALIDADE: AGRESSIVIDADE E EMPATIA A ÉTICA EVOLUCIONÁRIA A PRODUÇÃO CULTURAL DA MORALIDADE

3.1 FUNDAMENTOS BIOLÓGICOS DA MORALIDADE: AGRESSIVIDADE E EMPATIA A ÉTICA EVOLUCIONÁRIA A PRODUÇÃO CULTURAL DA MORALIDADE ÍNDICE AGRADECIMENTOS XV PREÂMBULO XIX INTRODUÇÃO XXIII SER MORAL É A ESSÊNCIA DA CONDIÇÃO HUMANA XXIII ESTRUTURA DA DISSERTAÇÃO XXVI PARTE I PSICOLOGIA DA MORALIDADE: REVISÃO E CRÍTICA CAPÍTULO 1. GÉNESE

Leia mais