Filosofia 10º Ano Ano letivo de 2015/2016 PLANIFICAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Filosofia 10º Ano Ano letivo de 2015/2016 PLANIFICAÇÃO"

Transcrição

1 I Iniciação à Atividade Filosófica 1. Abordagem introdutória à filosofia e ao filosofar PERCURSOS 10.º ANO Competências a desenvolver/objectivos a concretizar Recursos Estratégias Gestão 1.1. O que é a Filosofia? uma resposta inicial Logos Mito Vivido Pensado Objetivo Subjetivo Abstrato Concreto Identificar as perspectivas dos filósofos pré-socráticos como uma resposta racional face às explicações do mito; Reconhecer a Filosofia como atitude crítica e reflexiva; Distinguir o filósofo do sábio; Identificar as condições subjacentes ao aparecimento da Filosofia na Grécia; Reconhecer a Filosofia como sabedoria; Perceber que a filosofia e a ciência são distintas na sua concretização; Distinguir o abstrato do concreto e o objetivo do subjetivo; Caracterizar o conhecimento filosófico; Assimilar criticamente uma informação; Desenvolver a oralidade; Interpretar mensagens escritas; Produzir trabalhos escritos. Atividades do aluno - Realização de actividades 1.2. Quais são as questões da Filosofia? - alguns exemplos Problema Questão Identificar as questões da filosofia; Reconhecer a Filosofia como uma atitude questionadora; Perceber que as questões têm por base problemas e que levam a novos problemas; Caracterizar as questões filosóficas; Desenvolver a análise de problemas; Desenvolver a capacidade argumentativa; Identificar teses e argumentos A dimensão discursiva do trabalho filosófico Tese Conceito Entender a faceta argumentativa/discursiva do trabalho filosófico; Interiorizar os instrumentos lógicos do pensamento; 1

2 Juízo Raciocínio Proposição Argumento Identificar proposições; Perceber a Filosofia enquanto atividade interpretativa; Produzir trabalhos escritos; Desenvolver a capacidade argumentativa; Incrementar a capacidade reflexiva. 20 aulas de 45 II - A Ação Humana e os Valores 1. A ação humana Análise e compreensão do agir NO DE APOIO AO PROFESSOR Competências a desenvolver/ Objectivos a concretizar Recursos Estratégias Gestão 1.1. A rede conceptual da ação Ação Agente Intenção Motivo Fins Projeto Desejo Deliberação Discutir a especificidade e a complexidade humanas do agir; Constatar que a inteligência humana está ao serviço da ação; Reconhecer que o conceito de ação traduz apenas e só aquilo que fazemos consciente e voluntariamente; Caracterizar e relacionar as noções da rede conceptual da acção; Justificar a dificuldade inerente aos processos de deliberação e de decisão; Identificar, clarificar e relacionar de forma correta os conceitos a ; Desenvolver a leitura crítica da linguagem audiovisual. Actividades do aluno - Realização de atividades Decisão 1.2.Determinismo e liberdade na acção humana Determinismo Liberdade Causalidade Determinar e formular corretamente o problema subjacente ao debate determinismo versus liberdade; 2

3 Explicar a argumentação que sustenta a doutrina do determinismo; Reconhecer que, apesar do que nos diz a física, continuamos a ter de nós mesmos a conceção de seres livres e conscientes; Apresentar a solução compatibilista para o problema do debate determinismo versus liberdade; Sintetizar as respostas que cada uma das posições fornece para as perguntas «É o ser humano livre?» e «É o determinismo compatível com a tese do livre-arbítrio?»; Identificar e clarificar conceitos; Analisar teses e argumentos; Redigir composições de análise e de interpretação de textos que incidam sobre as perspetivas em confronto As condicionantes da ação humana Condicionantes Físicobiológicas Condicionantes Históricoculturais Reconhecer que a liberdade humana é causada, logo, não é absoluta; Caracterizar as condicionantes físico-biológicas e histórico-culturais; Relacionar a noção central de causalidade com o papel das condicionantes; Reconhecer que as condicionantes limitam a liberdade do agente mas, simultaneamente, abrem possibilidades; Perceber que a espécie humana não está «fechada» pelo determinismo físico-biológico; Desenvolver os domínios da conceptualização e da problematização. 20 aulas 3

4 II - A Acção Humana e os Valores 2. Os valores análise e compreensão da experiência valorativa Competências a desenvolver/ Objectivos a concretizar Recursos Estratégias Gestão 2.1.Valores e valoração a questão dos critérios valorativos Valor Preferência valorativa Critério valorativo Relativo Absoluto Reconhecer que a relação do homem com o mundo é valorativa; Relacionar as noções de facto e de valor; Reconhecer que o valor é uma qualidade adquirida e atribuída; Identificar as implicações das perspetivas objetivistas e subjetivistas dos valores; Explicar a não neutralidade dos valores, partindo da sua polaridade e ordenação hierárquica; Relacionar a ordenação hierárquica dos valores com a instauração de critérios valorativos; Distinguir diversos tipos de valores (éticos, estéticos, religiosos); Identificar e clarificar de forma correta os conceitos a ; Analisar e confrontar argumentos. Atividades do aluno - Realização de actividades 2.2.Valores e cultura a diversidade e o diálogo de culturas Diversidade Cultural Reconhecer a importância da cultura na definição de valores e de pautas de conduta comuns; Analisar criticamente a perspetiva etnocêntrica e as suas consequências; Fundamentar a insuficiência lógica do «argumento das diferenças culturais»; Problematizar as consequências do relativismo cultural; Justificar a importância de, num contexto de diálogo intercultural, respeitar a especificidade diferencial e, simultaneamente, definir critérios trans-subjetivos de valoração; Debater, numa perspectiva crítica, o conceito de tolerância; 4

5 Assumir posição pessoal relativamente às teses e argumentos apresentados; Redigir composições de análise e de interpretação da linguagem audiovisual; Desenvolver a leitura crítica da linguagem audiovisual. 20 aulas II - A Ação Humana e os Valores 3. Dimensões da ação humana e dos valores 3.1. A dimensão ético-política análise e compreensão da experiência convivencial Competências a desenvolver/ Objectivos a concretizar Recursos Estratégias Gestão Intenção ética e norma moral Ética Moral Normas Valores Caracterizar as noções de ética e de moral; Relacionar o domínio da moral com a exterioridade da norma; Relacionar o domínio da ética com a interioridade da intenção; Relacionar ética e moral; Clarificar o objectivo da ética enquanto filosofia moral; Identificar e clarificar de forma correta os conceitos a. Atividades do Aluno - Realização de actividades A dimensão pessoal e social da ética o si mesmo, o outro e as instituições Liberdade moral Determinar e formular corretamente o problema «Por que havemos de ser morais?»; Relacionar os conceitos de ação moral, liberdade, 5

6 A necessidade de fundamentação da moral análise comparativa de duas perspetivas filosóficas Ética, direito e política: - liberdade e justiça social - igualdade e diferenças - justiça e equidade Responsabilidade Consciência moral Consciência cívica Ação moral (nas perspetivas filosóficas de I. Kant e de J. Stuart Mill) Direito Política Estado Sociedade civil Liberdade política Justiça social Equidade responsabilidade e consciência moral; Reconhecer que colocar a questão «Porque havemos de ser morais?» é pedir razões para ir além do interesse pessoal e agir com base em juízos universalizáveis; Analisar criticamente alguns problemas globais - reconhecer que a globalização nos obriga a expandir no espaço e no tempo a concepção de comunidade moral e exige instituições justas; Pesquisar, seleccionar e interpretar informação; Negociar interpretações; Debater teses e argumentos; Desenvolver capacidades argumentativas orais e escritas; Redigir composições de análise e de interpretação de textos que incidam sobre o problema filosófico em questão. Analisar comparativamente a perspetiva deontológica de I. Kant e a perspetiva utilitarista de Stuart Mill, relativamente aos critérios de apreciação da moralidade dos atos humanos; Interiorizar conceitos, teses e argumentos das perspetivas equacionadas; Pesquisar e seleccionar informação; Confrontar as teses e a argumentação de um autor com as teses e argumentos alternativos; Redigir composições de análise e de interpretação de textos que incidam sobre as perspetivas em confronto. Reconhecer que o direito e a política são dimensões configuradoras da experiência convivencial; Determinar e formular corretamente o primeiro problema: «O que legitima a autoridade do Estado?»; Comparar a perspetiva de Aristóteles (perspetiva antiga sobre a relação entre o homem e o estado) com a de John Locke (perspetiva moderna sobre a relação entre o homem e o estado); Determinar e formular correctamente o segundo problema: «Como é possível uma sociedade justa?»; Caracterizar a perspetiva de Rawls; Interiorizar conceitos, teses e argumentos das perspetivas equacionadas; 6

7 17 Confrontar as teses e a argumentação de um autor com as teses e argumentos alternativos; Redigir composições de análise e de interpretação de textos que incidam sobre as perspetivas em confronto. 16 II - A ACÇÃO HUMANA E OS VALORES 30 aulas 3. DIMENSÕES DA ACÇÃO HUMANA E DOS VALORES (Opção entre 3.2 e 3.3) 3.2. A DIMENSÃO ESTÉTICA ANÁLISE E COMPREENSÃO DA EXPERIÊNCIA ESTÉTICA e 3.3. A DIMENSÃO RELIGIOSA ANÁLISE E COMPREENSÃO DA EXPERIÊNCIA RELIGIOSA Competências a desenvolver/ Objectivos a concretizar Recursos Estratégias Gestão A experiência e o juízo estéticos: - estética e filosofia da arte - a experiência estética - a justificação do juízo estético Estética Experiência estética Juízo estético Juízo de gosto Belo Reconhecer o significado filosófico do termo estética ; Caracterizar e discutir a noção de experiência estética; Reconhecer o problema da justificação do juízo estético; Caracterizar a resposta subjetivista e a resposta objetivista ao problema da justificação do juízo estético; Iniciar a leitura crítica da linguagem icónica. Actividades do aluno - Visualização, análise e discussão orientada de obras de arte; de perspetivas e teses sobre a criação artística; Sublime - Realização de atividades 7

8 debate de perspetivas; A criação artística e a obra de arte: - o problema da definição da arte; - arte e imitação; - arte e expressão; - arte e forma. Arte Teoria Imitação Expressão Forma Apreender o conceito de arte; Reconhecer e avaliar a teoria da arte como imitação; Analisar os diferentes momentos da criação artística; Problematizar diferentes perspetivas sobre a arte: arte como imitação, arte como expressão e tese formalista; Refletir sobre os conceitos de arte ao longo da história; Desenvolver a leitura crítica da linguagem icónica; Reconhecer os problemas subjacentes à actividade artística; Adquirir e utilizar de forma progressiva os conceitos estéticos; Confrontar as teses e os argumentos das diferentes perspetivas sobre a arte. - Visionamento e análise de filmes A Arte: produção e consumo, comunicação e conhecimento: - o valor intrínseco da arte; - o valor instrumental da arte A dimensão religiosa análise e compreensão da experiência religiosa A religião e o Produção Comunicação Conhecimento Valor intrínseco Valor instrumental Valor artístico Valor de mercado Religião Sentido da existência Transcendência Imanência Finitude Reconhecer a arte enquanto meio de comunicação; Identificar a arte como uma forma de conhecimento; Reconhecer os diversos problemas subjacentes à produção de arte; Problematizar a relação entre arte e consumo; Refletir sobre o papel social, económico e artístico dos artistas; Reflectir sobre as expressões artísticas contemporâneas; Debater as funções contemporâneas da arte; Desenvolver a leitura crítica da linguagem icónica; Confrontar as teses e os argumentos das diferentes perspetivas sobre a arte. Dado que esta rubrica pode mobilizar convicções pessoais, propõe-se que se dê especial atenção às competências fundamentais para intervir num debate: Organização de um debate: Pesquisa e selecção de informação adequada; Exposição de pontos de 20 aulas 8

9 sentido da existência a experiência da finitude e a abertura à transcendência A dimensão pessoal e social das religiões Religião, razão e fé tarefas e desafios da tolerância Divino Deus Igreja Culto Doutrina Dogma Razão Fé Tolerância Provas da existência de Deus Objeções às provas. Pesquisar,. Seleccionar informação,. Saber ouvir,. Saber expor. vista; Confronto de pontos de vista. 3 P II A AÇÃO HUMANA E OS VALORES 3. DIMENSÕES DA AÇÃO HUMANA E DOS VALORES (continuação) 3.4. Temas / Problemas do mundo contemporâneo. Temas / Problemas a (Optar por um) Competências a desenvolver/ Objectivos a concretizar Recursos Estratégias Gestão Temas / Problemas do mundo contemporâneo Os direitos humanos A responsabilidade ecológica A manipulação e os meios de comunicação de massas O racismo e a xenofobia O voluntariado e as novas dinâmicas da sociedade civil Perspetivar as características do mundo contemporâneo; Utilizar criteriosamente as fontes de informação; Operacionalizar a integração de saberes; Desenvolver a capacidade de problematização. Documentos - Visualização, análise e discussão orientada de filmes e documentários; 10 aulas Nota final: ao número total de aulas devem acrescentar-se 12 para a realização de testes de avaliação. 9

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N.º 1 DE GONDOMAR ANO LETIVO de 2014 / 2015

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N.º 1 DE GONDOMAR ANO LETIVO de 2014 / 2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS N.º 1 DE GONDOMAR ANO LETIVO de 014 / 015 PLANIFICAÇÃO de Filosofia 10º ANO Gestão Temporal do Programa UNIDADE CONTEÚDO LETIVOS I Módulo inicial II A acção humana e os valores 1.

Leia mais

Escola Secundária 2-3 de Clara de Resende COD COD

Escola Secundária 2-3 de Clara de Resende COD COD CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico de 27 de outubro de 2015) No caso específico da disciplina de FILOSOFIA, do 10º ano de escolaridade, a avaliação incidirá ao nível do

Leia mais

Ano Lectivo de 2011/2012 Planificação Anual Filosofia 10º Ano

Ano Lectivo de 2011/2012 Planificação Anual Filosofia 10º Ano I - Módulo inicial INICIAÇÃO À ACTIVIDADE FILOSÓFICA 1. Abordagem introdutória à filosofia e ao filosofar 1.1. O que é a? - uma resposta inicial Logos; Mito; Objectivo; Subjectivo; Abstracto; Concreto

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA FLOR ESCOLA EB2,3/S DE VILA FLOR DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS ÁREA DISCIPLINAR DE FILOSOFIA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA FLOR ESCOLA EB2,3/S DE VILA FLOR DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS ÁREA DISCIPLINAR DE FILOSOFIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VILA FLOR 151841 ESCOLA EB2,3/S DE VILA FLOR 346184 DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS ÁREA DISCIPLINAR DE PLANIFICAÇÃO ANUAL - ANO LETIVO 2016/ 2017 1 PLANIFICAÇÃO A

Leia mais

Planificação Anual - Disciplina Filosofia 10º Ano /2018

Planificação Anual - Disciplina Filosofia 10º Ano /2018 Planificação Anual - Disciplina Filosofia 10º Ano - 2017/2018 OBJECTIVOS GERAIS DO PROGRAMA DE FILOSOFIA 10º ANO Domínio cognitivo - Apropriar-se progressivamente da especificidade da filosofia Reconhecer

Leia mais

D.C.S.H. DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS. Ano Letivo de 2012 /2013 PLANIFICAÇÃO ANUAL. Filosofia 10º. Ano

D.C.S.H. DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS. Ano Letivo de 2012 /2013 PLANIFICAÇÃO ANUAL. Filosofia 10º. Ano D.C..H. DEPRTMENTO DE CIÊNCI OCII E HMN no etivo de 2012 /2013 PNIFICÇÃO N Filosofia 10º. no 1. Objectivos Gerais Domínio cognitivo Domínio dos valores e das atitudes Domínio das competências, métodos

Leia mais

FILOSOFIA Objeto de avaliação. Análise e interpretação. Problematização e conceptualização

FILOSOFIA Objeto de avaliação. Análise e interpretação. Problematização e conceptualização Informação-prova FILOSOFIA 2018 Prova 714 11.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) O presente documento divulga informação relativa à prova de exame final nacional do ensino secundário

Leia mais

Filosofia 2016 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

Filosofia 2016 INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Filosofia 2016 Prova 161 - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Leia mais

Informação-Exame Final Nível de Escola para N.E.E. Decreto-Lei n.º 3/2008, de 7 de janeiro Prova de Filosofia 10º e 11.º Anos de Escolaridade Prova 225 2015 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

No arquivo Exames e Provas podem ser consultados itens e critérios de classificação de provas desta disciplina.

No arquivo Exames e Provas podem ser consultados itens e critérios de classificação de provas desta disciplina. INFORMAÇÃO-PROVA FILOSOFIA 2017 Prova 714 11.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) O presente documento divulga informação relativa à prova de exame final nacional do ensino secundário

Leia mais

Racionalidade argumentativa e Filosofia

Racionalidade argumentativa e Filosofia Racionalidade argumentativa e Filosofia Conteúdos Competências a desenvolver / objetivos a concretizar Estratégias Recursos Avaliação Tempos 1. Argumentação e lógica formal 1.1 Distinção validade/verdade

Leia mais

FILOSOFIA. As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do Programa da disciplina.

FILOSOFIA. As informações apresentadas neste documento não dispensam a consulta da legislação referida e do Programa da disciplina. INFORMAÇÃO-EXAME FILOSOFIA 2017 Exame a Nível de Escola 225 11.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características do exame

Leia mais

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FILOSOFIA MAIO 2017 Prova: 161

INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FILOSOFIA MAIO 2017 Prova: 161 INFORMAÇÃO-PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA FILOSOFIA MAIO 2017 Prova: 161 Escrita 10.º e 11.º de Escolaridade (Portaria n.º 207/2008, de 25 de Fevereiro - Cursos Tecnológicos de informática; Contabilidade

Leia mais

Orientações para efeitos de avaliação sumativa externa das aprendizagens na disciplina de Filosofia. 10.º e 11.º Anos. Cursos Científico-humanísticos

Orientações para efeitos de avaliação sumativa externa das aprendizagens na disciplina de Filosofia. 10.º e 11.º Anos. Cursos Científico-humanísticos MINISTÉRIO DA EDUCAÇÂO E CIÊNCIA DIRECÇÃO-GERAL DE INOVAÇÃO E DE DESENVOLVIMENTO CURRICULAR Orientações para efeitos de avaliação sumativa externa das aprendizagens na disciplina de Filosofia 10.º e 11.º

Leia mais

No arquivo Exames e Provas podem ser consultados itens e critérios de classificação de provas desta disciplina.

No arquivo Exames e Provas podem ser consultados itens e critérios de classificação de provas desta disciplina. INFORMAÇÃO-PROVA FILOSOFIA Novembro de 2016 Prova 714 11.º Ano de Escolaridade (Decreto-Lei n.º 139/2012, de 5 de julho) O presente documento divulga informação relativa à prova de exame final nacional

Leia mais

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Cursos Científico-Humanísticos Ano Letivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL SOCIOLOGIA (12º ano) Página 1 de 6 Competências Gerais Desenvolver a consciência dos direitos e

Leia mais

INFORMAÇÃO-EXAME A NÍVEL DE ESCOLA FILOSOFIA 2017

INFORMAÇÃO-EXAME A NÍVEL DE ESCOLA FILOSOFIA 2017 INFORMAÇÃO-EXAME A NÍVEL DE ESCOLA FILOSOFIA 2017 PROVA 225 Cursos Científicos Humanísticos Artigo 20.º do Decreto- Lei n.º 3 / 2008, de 7 de janeiro 11.º Ano de Escolaridade Duração da Prova: 120 minutos

Leia mais

161 FILOSOFIA Informação PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

161 FILOSOFIA Informação PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 161 FILOSOFIA Informação PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA Ano: 2013 10º e 11º anos 1. Introdução O presente documento visa divulgar as características da prova de equivalência à frequência da disciplina

Leia mais

Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga. INFORMAÇÃO- Prova de Equivalência à Frequência Disciplina: Filosofia 2016

Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga. INFORMAÇÃO- Prova de Equivalência à Frequência Disciplina: Filosofia 2016 Conservatório de Música Calouste Gulbenkian de Braga INFORMAÇÃO- Prova de Equivalência à Frequência Disciplina: Filosofia 2016 Prova 161 Secundário / 11º Ano de escolaridade - Decreto-Lei n.º 139/2012,

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº1 DE GONDOMAR ANO LETIVO de 2014 / 2015

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº1 DE GONDOMAR ANO LETIVO de 2014 / 2015 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS Nº1 DE GONDOMAR ANO LETIVO de 2014 / 2015 PLANIFICAÇÃO de Filosofia 11º ANO Gestão Temporal do Programa UNIDADE CONTEÚDO TEMPOS unidade CONTEÚDO LETIVOS TEMPOS LETIVOS Racionalidade

Leia mais

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS

Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul FACULDADE DE FILOSOFIA E CIÊNCIAS HUMANAS EMENTAS DO CURSO DE FILOSOFIA Currículo Novo (a partir de 2010/1) NÍVEL I HISTÓRIA DA FILOSOFIA ANTIGA Reflexão acerca da transição do pensamento mítico ao filosófico. Estudo de problemas, conceitos e

Leia mais

22/08/2014. Tema 7: Ética e Filosofia. O Conceito de Ética. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes

22/08/2014. Tema 7: Ética e Filosofia. O Conceito de Ética. Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes Tema 7: Ética e Filosofia Profa. Ma. Mariciane Mores Nunes O Conceito de Ética Ética: do grego ethikos. Significa comportamento. Investiga os sistemas morais. Busca fundamentar a moral. Quer explicitar

Leia mais

III. RACIONALIDADE ARGUMEN NTATIVA E FILOSOFIA

III. RACIONALIDADE ARGUMEN NTATIVA E FILOSOFIA III. RACIONALIDADE ARGUMEN NTATIVA E FILOSOFIA 1. Argumentação e Lóg gica Formal 1.1. Distinção validade - verdade 1.2. Formas de Inferên ncia Válida. 1.3. Principais Falácias A Lógica: objecto de estudo

Leia mais

Currículo para o Século XXI: competências, conhecimentos e valores, numa escolaridade de 12 anos

Currículo para o Século XXI: competências, conhecimentos e valores, numa escolaridade de 12 anos Currículo para o Século XXI: competências, conhecimentos e valores, numa escolaridade de 12 anos Painel: As Ciências Sociais e Humanas no Currículo: os conhecimentos e as competências para construir sociedades

Leia mais

Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes PROVA GLOBAL DE INTRODUÇÃO À FILOSOFIA 10º ANO ANO LECTIVO 2001/2002

Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes PROVA GLOBAL DE INTRODUÇÃO À FILOSOFIA 10º ANO ANO LECTIVO 2001/2002 Escola Secundária Manuel Teixeira Gomes PROVA GLOBAL DE INTRODUÇÃO À FILOSOFIA 10º ANO ANO LECTIVO 2001/2002 Grupo I 1. Afirmar que a autonomia é uma das características da filosofia significa que A. A

Leia mais

1º Ciclo. Competências Gerais do Ensino Básico

1º Ciclo. Competências Gerais do Ensino Básico 1º Ciclo Ao longo do 1º ciclo do Ensino Básico, todos os alunos devem desenvolver as competências gerais do Ensino Básico. Competências Gerais do Ensino Básico 1. Mobilizar saberes culturais, científicos

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCANENA PEQUENOS GRANDES FILÓSOFOSS. 3º Ciclo do Ensino Básico

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCANENA PEQUENOS GRANDES FILÓSOFOSS. 3º Ciclo do Ensino Básico AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE ALCANENA PEQUENOS GRANDES FILÓSOFOSS Projecto de Filosofia para Pré Escolar, 1º, 2º e 3º Ciclo do Ensino Básico «já que pensar é, até certo ponto, assimilar a linguagem dos outros

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E.S.A.B. ESCOLA SECUNDÁRIA DE AVELAR BROTERO Filosofia 11º Ano Duração: 135m Ano letivo: 2015/2016 Matriz da Prova de Avaliação Sumativa Interna na Modalidade de Frequência não Presencial

Leia mais

A Acção e os Valores

A Acção e os Valores Módulo II A Acção Humana e os Valores Vimos no módulo anterior que a Filosofia se apresenta como reflexão crítica sobre o homem enquanto inserido num complexo tecido de relações com o mundo (natural e

Leia mais

1-Crescimento e desenvolvimento.

1-Crescimento e desenvolvimento. ESCOLA SECUNDÁRIA C/ 3º CICLO DE MANUEL DA FONSECA Curso : Científico -Humanístico de Ciências Socioeconómicas Matriz Economia c 12º ano CONTEÚDOS OBJECTIVOS / COMPETÊNCIAS TEMPO PREVISTO (TEMPOS 45 M)

Leia mais

INTRODUÇÃO 10.º ANO ENSINO SECUNDÁRIO FILOSOFIA APRENDIZAGENS ESSENCIAIS ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS

INTRODUÇÃO 10.º ANO ENSINO SECUNDÁRIO FILOSOFIA APRENDIZAGENS ESSENCIAIS ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS APRENDIZAGENS ESSENCIAIS ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS 10.º ANO ENSINO SECUNDÁRIO FILOSOFIA INTRODUÇÃO Enquanto componente da formação geral de todos os cursos científico-humanísticos do ensino secundário,

Leia mais

NÚCLEO GERADOR DOMÍNIOS CRITÉRIOS DE EVIDÊNCIA OBSERVADO NÚCLEO GERADOR DOMÍNIOS PROPOSTAS DE TRABALHO A DESENVOLVER PELO CANDIDATO OBSERVADO

NÚCLEO GERADOR DOMÍNIOS CRITÉRIOS DE EVIDÊNCIA OBSERVADO NÚCLEO GERADOR DOMÍNIOS PROPOSTAS DE TRABALHO A DESENVOLVER PELO CANDIDATO OBSERVADO GRUPO: ÁREA DE COMPETÊNCIAS-CHAVE CIDADANIA E PROFISSIONALIDADE NÚCLEO GERADOR DOMÍNIOS CRITÉRIOS DE EVIDÊNCIA OBSERVADO DIREITOS E DEVERES Identificar situações de autonomia e responsabilidades partilhadas

Leia mais

PLANIFICAÇÃO-2017/2018

PLANIFICAÇÃO-2017/2018 PLANIFICAÇÃO-2017/2018 ENSINO SECUNDÁRIO - PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE FILOSOFIA CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS OBJETIVOS OPERACIONALIZAÇÃO (DESCRITORES) ATIVIDADES E ESTRATÉGIAS 11º ANO DE ESCOLARIDADE MATERIAIS

Leia mais

OBRA DA ÉPOCA MODERNA: FUNDAMENTAÇÃO DA METAFÍSICA DOS COSTUMES, DE KANT

OBRA DA ÉPOCA MODERNA: FUNDAMENTAÇÃO DA METAFÍSICA DOS COSTUMES, DE KANT Ano lectivo de 2004 / 2005 FILOSOFIA 12º ANO PLANIFICAÇÃO OBRA DA ÉPOCA MODERNA: FUNDAMENTAÇÃO DA METAFÍSICA DOS COSTUMES, DE KANT ESCOLA SECUNDÁRIA ALBERTO SAMPAIO 1 Ano lectivo de 2004 / 2005 FILOSOFIA

Leia mais

Identificação das aprendizagens essenciais em filosofia by Apf e SPFis licensed under a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.

Identificação das aprendizagens essenciais em filosofia by Apf e SPFis licensed under a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4. Identificação das aprendizagens essenciais em filosofia by Apf e SPFis licensed under a Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional License. APRENDIZAGEM ESSENCIAL (Despacho

Leia mais

Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta.

Utilize apenas caneta ou esferográfica de tinta indelével, azul ou preta. Teste Intermédio de Filosofia Teste Intermédio Filosofia Duração do Teste: 90 minutos 22.02.2011 10.º Ano de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de Março Utilize apenas caneta ou esferográfica

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 FILOSOFIA 11º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL

AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 FILOSOFIA 11º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL AGRUPAMENTO de ESCOLAS de SANTIAGO do CACÉM Ano Letivo 2015/2016 FILOSOFIA 11º ANO PLANIFICAÇÃO ANUAL Documento(s) Orientador(es): Programa da Disciplina ENSINO SECUNDÁRIO TEMAS/DOMÍNIOS CONTEÚDOS OBJETIVOS

Leia mais

Escola Secundária 2-3 de Clara de Resende COD COD

Escola Secundária 2-3 de Clara de Resende COD COD CRITÉRIOS ESPECÍFICOS DE AVALIAÇÃO (Aprovados em Conselho Pedagógico de 27 de outubro de 2015) No caso específico da disciplina de FILOSOFIA, do 11ºano de escolaridade, a avaliação incidirá ao nível do

Leia mais

Competências gerais. Princípios e valores orientadores do currículo. Competências gerais

Competências gerais. Princípios e valores orientadores do currículo. Competências gerais Currículo Nacional do Ensino Básico Competências Essenciais Competências gerais Princípios e valores orientadores do currículo A clarificação das competências a alcançar no final da educação básica toma

Leia mais

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIOECONÓMICAS- Grupo 430. Planificação Anual /Critérios de avaliação. Disciplina: SOCIOLOGIA 12.

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIOECONÓMICAS- Grupo 430. Planificação Anual /Critérios de avaliação. Disciplina: SOCIOLOGIA 12. AGRUPAMENTO DE ESCOLAS ANSELMO DE ANDRADE DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIOECONÓMICAS- Grupo 430 Planificação Anual /Critérios de avaliação Disciplina: SOCIOLOGIA 12.º ano 2016/2017 Domínio (Unidade/tema)

Leia mais

DATA DE ENTREGA 19/12/2016 VALOR: 20,0 NOTA:

DATA DE ENTREGA 19/12/2016 VALOR: 20,0 NOTA: DISCIPLINA: FILOSOFIA PROFESSOR: ENRIQUE MARCATTO DATA DE ENTREGA 19/12/2016 VALOR: 20,0 NOTA: NOME COMPLETO: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 3ª SÉRIE/EM TURMA: Nº: 01. RELAÇÃO DO CONTEÚDO

Leia mais

Objetividade e diálogo de culturas. A professora M. Clara Gomes

Objetividade e diálogo de culturas. A professora M. Clara Gomes Objetividade e diálogo de culturas A professora M. Clara Gomes A questão dos critérios valorativos levanta o problema da natureza dos juízos morais. O Subjetivismo moral é teoria que defende que os juízos

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM PLANIFICAÇAO DE OFICINA DE TEATRO ANO: 8º Ano ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/5

ESCOLA SECUNDÁRIA MANUEL DA FONSECA, SANTIAGO DO CACÉM PLANIFICAÇAO DE OFICINA DE TEATRO ANO: 8º Ano ANO LECTIVO: 2008/2009 p.1/5 p.1/5 SÓCIO-AFECTIVA 1. Dinâmica do Grupo 2. Dinâmica Individual 0. Aprofundar a dinâmica do Grupo Reconhecimento da nova realidade do Grupo. Comunicação com o outro e com o Grupo. Argumentação e negociação

Leia mais

Planificação Anual Filosofia 11º Ano de Escolaridade. Ano letivo 2014/2015. Prof. João Manuel Amaral da Silva

Planificação Anual Filosofia 11º Ano de Escolaridade. Ano letivo 2014/2015. Prof. João Manuel Amaral da Silva Governo dos Açores Escola Básica e Secundária Velas Planificação Anual Filosofia 11º Ano Escolarida Ano letivo 2014/2015 Prof. João Manuel Amaral da Silva Primeiro Período Temas/Conteúdos Percurso Aprendizagens

Leia mais

Informação n.º Data: Para: Direção-Geral da Educação. Inspeção-Geral de Educação e Ciência. Direções Regionais de Educação

Informação n.º Data: Para: Direção-Geral da Educação. Inspeção-Geral de Educação e Ciência. Direções Regionais de Educação Prova de Exame Nacional de Filosofia Prova 714 2013 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Para: Direção-Geral da Educação Inspeção-Geral de Educação e Ciência Direções Regionais de Educação Secretaria Regional

Leia mais

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MACEIRA

ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MACEIRA ESCOLA BÁSICA E SECUNDÁRIA DE MACEIRA Critérios de Avaliação de EMRC 2009 / 2010 1. CONSIDERAÇÕES GERAIS A base dos critérios de avaliação para o Segundo, Terceiro Ciclos do Ensino Básico e para o Ensino

Leia mais

INTRODUÇÃO 10.º ANO ENSINO SECUNDÁRIO LITERATURA PORTUGUESA APRENDIZAGENS ESSENCIAIS ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS

INTRODUÇÃO 10.º ANO ENSINO SECUNDÁRIO LITERATURA PORTUGUESA APRENDIZAGENS ESSENCIAIS ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS APRENDIZAGENS ESSENCIAIS ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS 10.º ANO ENSINO SECUNDÁRIO LITERATURA PORTUGUESA INTRODUÇÃO O papel da literatura é determinante na formação dos alunos, na vertente da experiência

Leia mais

DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 8º Ano

DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 8º Ano DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS 8º Ano 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS Promover o pensamento de uma forma criativa e crítica, relacionando evidências e explicações, confrontando diferentes

Leia mais

INTRODUÇÃO 10.º ANO ENSINO SECUNDÁRIO PORTUGUÊS APRENDIZAGENS ESSENCIAIS ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS

INTRODUÇÃO 10.º ANO ENSINO SECUNDÁRIO PORTUGUÊS APRENDIZAGENS ESSENCIAIS ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS ALUNOS APRENDIZAGENS ESSENCIAIS ARTICULAÇÃO COM O PERFIL DOS 10.º ANO ENSINO SECUNDÁRIO PORTUGUÊS INTRODUÇÃO A definição do objeto e dos objetivos para o ensino e a aprendizagem da língua portuguesa ao longo

Leia mais

- Diálogo professor aluno. - Teste de Diagnóstico. - Exposição do Professor. - Apresentação de esquemas e sínteses. - Organogramas conceptuais

- Diálogo professor aluno. - Teste de Diagnóstico. - Exposição do Professor. - Apresentação de esquemas e sínteses. - Organogramas conceptuais Definir lógica. Compreender o carácter formal da análise lógica dos argumentos. Distinguir e explicitar a relação entre a validade (formal) e a verdade (material). Distinguir argumentos dedutivos, indutivos

Leia mais

Clóvis de Barros Filho

Clóvis de Barros Filho Clóvis de Barros Filho Sugestão Formação: Doutor em Ciências da Comunicação pela USP (2002) Site: http://www.espacoetica.com.br/ Vídeos Produção acadêmica ÉTICA - Princípio Conjunto de conhecimentos (filosofia)

Leia mais

Aula 1: O que é a filosofia? Características e atitudes filosóficas Prof. Gilmar Dantas

Aula 1: O que é a filosofia? Características e atitudes filosóficas Prof. Gilmar Dantas Aula 1: O que é a filosofia? Características e atitudes filosóficas Prof. Gilmar Dantas A filosofia no Ensino Médio e a ditadura 1971 a disciplina de filosofia é retirada do Ensino Médio pelo Governo Militar

Leia mais

Planificação Anual ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS DAS TAIPAS CURSO PROFISIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO DE EQUIPAMENTOS INFORMÁTICOS

Planificação Anual ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS DAS TAIPAS CURSO PROFISIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO DE EQUIPAMENTOS INFORMÁTICOS Planificação Anual CURSO PROFISIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO DE EQUIPAMENTOS INFORMÁTICOS DISCIPLINA: (12.ºano) DOCENTE: Cláudia Lobato ANO LECTIVO: 2010/2011 1 Planificação Anual Temas, Unidades Temáticas,

Leia mais

Data: Para: Inspeção-Geral de Educação. Direções Regionais de Educação. Escolas com ensino secundário CIREP FERLAP CONFAP

Data: Para: Inspeção-Geral de Educação. Direções Regionais de Educação. Escolas com ensino secundário CIREP FERLAP CONFAP Prova de Exame Nacional de Filosofia Prova 714 2012 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Decreto-Lei n.º 74/2004, de 26 de março Para: Direção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular Inspeção-Geral

Leia mais

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VIZELA VIZELA Escola sede: ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS DE VIZELA INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE SOCIOLOGIA

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VIZELA VIZELA Escola sede: ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS DE VIZELA INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE SOCIOLOGIA AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE VIZELA VIZELA Escola sede: ESCOLA SECUNDÁRIA DE CALDAS DE VIZELA INFORMAÇÃO PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA DE SOCIOLOGIA Prova: 344 / 2015 12.º Ano de Escolaridade Formação

Leia mais

ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010 / 2011 Ciências Naturais 8º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período

ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010 / 2011 Ciências Naturais 8º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período ESCOLA E.B. 2,3 PEDRO DE SANTARÉM Ano lectivo 2010 / 2011 Ciências Naturais 8º Ano PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período Objectivos / Competências Relembrar quais são os sistemas terrestres Compreender que os

Leia mais

Grupo I Para cada uma das questões que se seguem assinala a opção correta

Grupo I Para cada uma das questões que se seguem assinala a opção correta Grupo I Para cada uma das questões que se seguem assinala a opção correta 1. A filosofia é: a) Um conjunto de opiniões importantes. b) Um estudo da mente humana. c) Uma atividade que se baseia no uso crítico

Leia mais

Cotações. Prova Escrita de Filosofia. 10.º Ano de Escolaridade Março de Duração da prova: 90 minutos. 3 Páginas

Cotações. Prova Escrita de Filosofia. 10.º Ano de Escolaridade Março de Duração da prova: 90 minutos. 3 Páginas Prova Escrita de Filosofia Versão A 10.º Ano de Escolaridade Março de 2016 Duração da prova: 90 minutos 3 Páginas Leia atentamente o enunciado Para cada resposta, identifique o grupo e o item. Apresente

Leia mais

MORAL E ÉTICA. Consciência Moral: noção de bem e mal/certo e errado/justo e injusto.

MORAL E ÉTICA. Consciência Moral: noção de bem e mal/certo e errado/justo e injusto. MORAL E ÉTICA O homem é um ser dotado de senso moral. Consciência Moral: noção de bem e mal/certo e errado/justo e injusto. Senso moral se manifesta em sentimentos, atitudes, juízos de valor Moral vem

Leia mais

DATA: VALOR: 20 pontos NOTA: NOME COMPLETO:

DATA: VALOR: 20 pontos NOTA: NOME COMPLETO: DISCIPLINA: FILOSOFIA PROFESSOR: ENRIQUE MARCATTO DATA: VALOR: 20 pontos NOTA: NOME COMPLETO: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 3ª EM TURMA: Nº: I N S T R U Ç Õ E S 1. Esta atividade contém

Leia mais

EFA NS C P 5 _ D E O N T O L O G I A E P R I N C Í P I O S É T I C O S

EFA NS C P 5 _ D E O N T O L O G I A E P R I N C Í P I O S É T I C O S Ética e Moral EFA NS C P 5 _ D E O N T O L O G I A E P R I N C Í P I O S É T I C O S 2009/2010 Valores No mundo contemporâneo o Homem já não segue valores modelos mas cria os seus próprios valores em função

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO ANUAL

ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL ESTREMOZ PLANIFICAÇÃO ANUAL ESCOLA SECUNDÁRIA/3 RAINHA SANTA ISABEL 402643 - ESTREMOZ Competências Gerais PLANIFICAÇÃO ANUAL DISCIPLINA: LITERATURA PORTUGUESA 2016-2017 - 10º Ano COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS Leitura / Oralidade Seguir

Leia mais

INFORMAÇÃO- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA

INFORMAÇÃO- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA PROVA 344 INFORMAÇÃO- PROVA DE EQUIVALÊNCIA À FREQUÊNCIA 12º Ano de Escolaridade CURSOS CIENTÍFICO-HUMANÍSTICOS SOCIOLOGIA ANO LECTIVO 2011/2012 Tipo de prova: Escrita Duração (em minutos): 90 TEMAS CONTEÚDOS

Leia mais

Valores e valoração Fontes: páginas 87 à 99 do manual

Valores e valoração Fontes: páginas 87 à 99 do manual Valores e valoração Fontes: páginas 87 à 99 do manual 1- Qual a relação entre a ação e o valor? Para agir temos de decidir, e decidir implica escolher. Para escolher temos de preferir umas opções a outras,

Leia mais

Reflexão sobre os resultados do Exame de Filosofia 2012, 1.ª fase Grupo Disciplinar de Filosofia

Reflexão sobre os resultados do Exame de Filosofia 2012, 1.ª fase Grupo Disciplinar de Filosofia Reflexão sobre os resultados do Exame de Filosofia 2012, 1.ª fase Grupo Disciplinar de Filosofia Escola Secundária Poeta Joaquim Serra A Coordenadora: Maria João P. Mendes 2012/2013 Índice Introdução...

Leia mais

Formador Residente, Maurício Ferreira

Formador Residente, Maurício Ferreira A Compreensão do Oral A compreensão do oral consiste na atribuição de significado a cadeias fónicas produzidas de acordo com a gramática da língua. Formador Residente, Maurício Ferreira Factores de compreensão

Leia mais

Ficha de filosofia. A necessidade de fundamentação da moral Análise comparativa de duas perspectivas filosóficas. Fundamento e critérios da moralidade

Ficha de filosofia. A necessidade de fundamentação da moral Análise comparativa de duas perspectivas filosóficas. Fundamento e critérios da moralidade Ficha de filosofia A necessidade de fundamentação da moral Análise comparativa de duas perspectivas filosóficas Fundamento e critérios da moralidade Ética deontológica Ética consequencialista Respeito

Leia mais

PLANO DE ESTUDOS DE EMRC 8.º ANO

PLANO DE ESTUDOS DE EMRC 8.º ANO DE EMRC 8.º ANO Ano Letivo 2015 2016 PERFIL DO ALUNO O aluno, no final do 8.º ano, deve atingir as metas abaixo indicadas, nos seguintes domínios: Religião e Experiência Religiosa Construir uma chave de

Leia mais

MÓDULO N.º 3 MERCADOS DE BENS E SERVIÇOS E DE FATORES PRODUTIVOS

MÓDULO N.º 3 MERCADOS DE BENS E SERVIÇOS E DE FATORES PRODUTIVOS ESCOLA SECUNDÁRIA JOÃO GONÇALVES ZARCO-402011 MÓDULO N.º 3 MERCADOS DE BENS E SERVIÇOS E DE FATORES PRODUTIVOS CURSO PROFISSIONAL DE RESTAURAÇÃO- MESA E BAR ECONOMIA PLANIFICAÇÃO MODULAR CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS

Leia mais

UNIDADE III RACIONALIDADE UNIDADE IV O CONHECIMENTO E A RACIONALIDADE UNIDADE V DESAFIOS ARGUMENTATIVA E FILOSOFIA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA

UNIDADE III RACIONALIDADE UNIDADE IV O CONHECIMENTO E A RACIONALIDADE UNIDADE V DESAFIOS ARGUMENTATIVA E FILOSOFIA CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA Í N D I C E UNIDADE III RACIONALIDADE ARGUMENTATIVA E FILOSOFIA Argumentação e lógica formal Cálculo proposicional Argumentação e retórica Argumentação e filosofia UNIDADE IV O CONHECIMENTO E A RACIONALIDADE

Leia mais

Escola Secundária/3 de Felgueiras Planificação da Disciplina de E.M.R.C. 9º Ano 2012/2013

Escola Secundária/3 de Felgueiras Planificação da Disciplina de E.M.R.C. 9º Ano 2012/2013 1 A Dignidade da Pessoa Humana Dignidade e inviolabilidade da vida humana: declarações de direitos e perspetiva da Igreja Católica. A vida: condição de possibilidade de todos os outros valores A vida como

Leia mais

Ensino Religioso nas Escolas Públicas

Ensino Religioso nas Escolas Públicas Ensino Religioso nas Escolas Públicas Fundamentação legal: Constituição Federal de 1988: qdo reconhece os direitos sociais dos cidadãos e estabelece a promoção da cidadania e da dignidade como dever do

Leia mais

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Ciências Naturais / CEF COZINHA -2º ano Planificação a Longo Prazo 2012-2013

Leia mais

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância

Colégio Valsassina. Modelo pedagógico do jardim de infância Colégio Valsassina Modelo pedagógico do jardim de infância Educação emocional Aprendizagem pela experimentação Educação para a ciência Fatores múltiplos da inteligência Plano anual de expressão plástica

Leia mais

Versão A. Grupo I (10 x 3 = 30 pontos) Assinala a alternativa correta

Versão A. Grupo I (10 x 3 = 30 pontos) Assinala a alternativa correta Versão A Grupo I (10 x 3 = 30 Assinala a alternativa correta 1.A filosofia não é uma ciência: a) Porque a filosofia consiste na procura do conhecimento factual. b) Porque os problemas e métodos da filosofia

Leia mais

ESCOLA ARTÍSTICA SOARES DOS REIS DISCIPLINA DE IMAGEM E SOM B - 12º Ano Ano lectivo 2011 / 2012 : Nuno Lacerda PLANIFICAÇÃO ANUAL

ESCOLA ARTÍSTICA SOARES DOS REIS DISCIPLINA DE IMAGEM E SOM B - 12º Ano Ano lectivo 2011 / 2012 : Nuno Lacerda PLANIFICAÇÃO ANUAL ESCOLA ARTÍSTICA SOARES DOS REIS DISCIPLINA DE IMAGEM E SOM B - 12º Ano Ano lectivo 2011 / 2012 : Nuno Lacerda PLANIFICAÇÃO ANUAL 1º Período Imagem e Som B 12º 2011/2012 I - Práticas da imagem e do som:

Leia mais

Filosofia e Ética. Professor Ronaldo Coture

Filosofia e Ética. Professor Ronaldo Coture Filosofia e Ética Professor Ronaldo Coture Quais os conceitos da Disciplina de Filosofia e Ética? Compreender os períodos históricos do pensamento humano. Conceituar a teoria axiológica dos valores. Conceituar

Leia mais

Disciplina: Filosofia Série: 10 Unidade: Primeira Content Area: Philosophy Grade 10 Quarter I

Disciplina: Filosofia Série: 10 Unidade: Primeira Content Area: Philosophy Grade 10 Quarter I Disciplina: Filosofia Série: 10 Unidade: Primeira Content Area: Philosophy Grade 10 Quarter I 1.1 1.2 1.3 Conhecimento filosófico, religioso, científico e senso comum. Filosofia e lógica. Milagre Grego.

Leia mais

Ano Letivo: 2014 / 2015 Ano de Escolaridade: 1º

Ano Letivo: 2014 / 2015 Ano de Escolaridade: 1º 1.º CEB Agrupamento de Escolas Ano Letivo: 2014 / 2015 Ano de Escolaridade: 1º Saber escutar para reproduzir pequenas mensagens e Compreensão do oral Leitura Escrita para cumprir ordens e pedidos Prestar

Leia mais

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE LÌNGUA PORTUGUESA UNIDADE DE FORMAÇÃO: 14 TEXTOS NARRATIVOS / DESCRITIVOS

PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE LÌNGUA PORTUGUESA UNIDADE DE FORMAÇÃO: 14 TEXTOS NARRATIVOS / DESCRITIVOS PLANIFICAÇÃO DA DISCIPLINA DE LÌNGUA PORTUGUESA UNIDADE DE FORMAÇÃO: 14 TEXTOS NARRATIVOS / DESCRITIVOS SUB-UNIDADE/ MÓDULO Textos narrativos / descritivos Literatura de viagens/aventuras CONTEÚDOS COMPETÊNCIAS

Leia mais

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: FILOSOFIA Código: ENF 304 Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2016.2 Professor:

Leia mais

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros

Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros Agrupamento de Escolas General Humberto Delgado Sede na Escola Secundária/3 José Cardoso Pires Santo António dos Cavaleiros CURSO CIENTÍFICO-HUMANÍSTICO SECUNDÁRIO Planificação Anual 2012-2013 FILOSOFIA

Leia mais

PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO 2015/2016 EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA 5º ANO METAS CURRICULARES OBJETIVOS GERAIS/DESCRITORES

PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO 2015/2016 EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA 5º ANO METAS CURRICULARES OBJETIVOS GERAIS/DESCRITORES DEPARTAMENTO DE EXPRESSÕES ARTÍSTICAS ARTES VISUAIS - GRUPO de RECRUTAMENTO - Cód. 240 ENSINO REGULAR 2º CICLO PLANIFICAÇÃO A LONGO PRAZO 2015/2016 EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA 5º ANO METAS CURRICULARES DOMÍNIO

Leia mais

Fundamentos Pedagógicos e Estrutura Geral da BNCC. BNCC: Versão 3 Brasília, 26/01/2017

Fundamentos Pedagógicos e Estrutura Geral da BNCC. BNCC: Versão 3 Brasília, 26/01/2017 Fundamentos Pedagógicos e Estrutura Geral da BNCC BNCC: Versão 3 Brasília, 26/01/2017 1 INTRODUÇÃO 1.3. Os fundamentos pedagógicos da BNCC Compromisso com a formação e o desenvolvimento humano global (dimensões

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS - INEP DIRETORIA DE AVALIAÇÃO PARA CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS - INEP DIRETORIA DE AVALIAÇÃO PARA CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS - INEP DIRETORIA DE AVALIAÇÃO PARA CERTIFICAÇÃO DE COMPETÊNCIAS Exame Nacional de Certificação de Competências de Jovens e

Leia mais

Unidade 2: História da Filosofia. Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes

Unidade 2: História da Filosofia. Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes Unidade 2: História da Filosofia Filosofia Serviço Social Igor Assaf Mendes Períodos Históricos da Filosofia Filosofia Grega ou Antiga (Séc. VI a.c. ao VI d.c.) Filosofia Patrística (Séc. I ao VII) Filosofia

Leia mais

CALENDARIZAÇÃO COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES DE APRENDIZAGEM AVALIAÇÃO. Observação e análise de mapas, cronologias, gráficos,

CALENDARIZAÇÃO COMPETÊNCIAS CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS ACTIVIDADES DE APRENDIZAGEM AVALIAÇÃO. Observação e análise de mapas, cronologias, gráficos, HISTÓRIA 3º Ciclo E. B. 9º Ano 2014-2015 Planificação de Unidade TEMA I. A Europa e o Mundo no limiar do século XX SUBTEMA I.1. Hegemonia e declínio da influência europeia CONCEITOS: Imperialismo, Colonialismo,

Leia mais

EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PUBLICIDADE E PROPAGANGA

EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PUBLICIDADE E PROPAGANGA EMENTAS DAS DISCIPLINAS CURSO DE GRADUAÇÃO DE PUBLICIDADE E PROPAGANGA 1) ASSESSORIA E CONSULTORIA EM COMUNICAÇÃO O mapeamento do campo de atuação em assessoria e consultoria em comunicação, baseado na

Leia mais

I N F O R M A Ç Ã O PROVA DE E Q U I V A L Ê N C I A À F R E Q U Ê N C I A

I N F O R M A Ç Ã O PROVA DE E Q U I V A L Ê N C I A À F R E Q U Ê N C I A Ministério da Educação e Ciência Agrupamento de Escolas de Anadia Ano letivo de 2015-2016 I N F O R M A Ç Ã O PROVA DE E Q U I V A L Ê N C I A À F R E Q U Ê N C I A CICLO CÓDIGO - DISCIPLINA ANO DE ESCOLARIDADE

Leia mais

VALOR E VALORAÇÃO CRITÉRIOS VALORATIVOS

VALOR E VALORAÇÃO CRITÉRIOS VALORATIVOS Valor VALOR E VALORAÇÃO CRITÉRIOS VALORATIVOS Critério de orientação. Guia para a ação humana, atribuído pelo homem às coisas, seres e acontecimentos, em função da relação que com eles estabelece. Diz

Leia mais

Engenharias Metodologia Científica 1º semestre Iolanda Cláudia Sanches Catarino

Engenharias Metodologia Científica 1º semestre Iolanda Cláudia Sanches Catarino Engenharias Metodologia Científica 1º semestre Iolanda Cláudia Sanches Catarino TELE AULA 1 Cientificidade do conhecimento Resumo Unidade de Ensino: 1 Competência da Unidade de Ensino: Resumo: Palavras-chave:

Leia mais

Teorias éticas. Capítulo 20. GRÉCIA, SÉC. V a.c. PLATÃO ARISTÓTELES

Teorias éticas. Capítulo 20. GRÉCIA, SÉC. V a.c. PLATÃO ARISTÓTELES GRÉCIA, SÉC. V a.c. Reflexões éticas, com um viés político (da pólis) _ > como deve agir o cidadão? Nem todas as pessoas eram consideradas como cidadãos Reflexão metafísica: o que é a virtude? O que é

Leia mais

Textos, filmes e outros materiais. Habilidades e Competências. Conteúdos/ Matéria. Categorias/ Questões. Tipo de aula. Semana

Textos, filmes e outros materiais. Habilidades e Competências. Conteúdos/ Matéria. Categorias/ Questões. Tipo de aula. Semana PLANO DE CURSO DISCIPLINA: FILOSOFIA DO DIREITO (CÓD.: ENEX 60110) ETAPA: 2ª TOTAL DE ENCONTROS: 15 SEMANAS Semana Conteúdos/ Matéria Categorias/ Questões Tipo de aula Habilidades e Competências Textos,

Leia mais

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja

Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja Escola Secundária com 3º Ciclo D. Manuel I de Beja Psicologia B 12º ano Ano lectivo 2011/2012 Critérios de avaliação Competências: Equacionar a Psicologia no panorama geral das ciências; Capacidades de

Leia mais

Pensar de modo autônomo e A filosofia, a curiosidade e o Capítulo 1: Decifra-me ou te devoro

Pensar de modo autônomo e A filosofia, a curiosidade e o Capítulo 1: Decifra-me ou te devoro PRIMEIRO ANO DO ENSINO MÉDIO QUADRO CURRICULAR FILOSOFIA TEMAS NOÇÕES/CONCEITOS HABILIDADES O olhar filosófico Pensar de modo autônomo e A filosofia, a curiosidade e o Capítulo 1: Decifra-me ou te devoro

Leia mais

ÉTICA E MORAL. O porquê de uma diferenciação? O porquê da indiferenciação? 1

ÉTICA E MORAL. O porquê de uma diferenciação? O porquê da indiferenciação? 1 ÉTICA E MORAL O porquê de uma diferenciação? O porquê da indiferenciação? 1 Ética e Moral são indiferenciáveis No dia-a-dia quando falamos tanto usamos o termo ética ou moral, sem os distinguirmos. Também

Leia mais

PARADIGMAS SOCIOLÓGICOS DECORREM DA FORMA DE VER A RELAÇÃO ENTRE O INDIVÍDUO E A SOCIEDADE.

PARADIGMAS SOCIOLÓGICOS DECORREM DA FORMA DE VER A RELAÇÃO ENTRE O INDIVÍDUO E A SOCIEDADE. PARADIGMAS SOCIOLÓGICOS DECORREM DA FORMA DE VER A RELAÇÃO ENTRE O INDIVÍDUO E A SOCIEDADE. 1. Teorias que consideram que a sociedade é uma instância que se impõe aos indivíduos sendo estes produto dessa

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA DISCIPLINA DE FILOSOFIA

ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA DISCIPLINA DE FILOSOFIA Modelo formal para a criação de um trabalho escrito em Filosofia Capa: ESCOLA SECUNDÁRIA DE LEAL DA CÂMARA DISCIPLINA DE FILOSOFIA Nome do Autor: Tema: Problemas do mundo contemporâneo Subtema: Igualdade

Leia mais

Aula 2. Módulo I Educação Ambiental e Sustentabilidade. Curso de Atualização em Educação Ambiental e Sustentabilidade. Jaqueline Figuerêdo Rosa

Aula 2. Módulo I Educação Ambiental e Sustentabilidade. Curso de Atualização em Educação Ambiental e Sustentabilidade. Jaqueline Figuerêdo Rosa www.cursoeduambientalifbaiano.wordpress.com Curso de Atualização em Educação Ambiental e Sustentabilidade Módulo I Educação Ambiental e Sustentabilidade Aula 2 Jaqueline Figuerêdo Rosa Mas, o que é Educação

Leia mais