PRESTAÇÃO DE CONTAS JULHO/ /07/2015 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO. Relatório de gestão dos serviços assistenciais

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRESTAÇÃO DE CONTAS JULHO/ /07/2015 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO. Relatório de gestão dos serviços assistenciais"

Transcrição

1 PRESTAÇÃO DE CONTAS JULHO/ /07/2015 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO V Relatório de gestão dos serviços assistenciais do Complexo Estadual do Cérebro: Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer e Hospital Estadual Anchieta, no Estado do Rio de Janeiro, pela entidade de direito privado sem fins lucrativos, qualificada como organização social.

2 PRESTAÇÃO DE CONTAS JULHO 2015 R E L A T Ó R I O D E G E S T Ã O D O E X E R C Í C I O D E CONTRATANTE: SECRETARIA DE ESTADO DE SAUDE DO RIO DE JANEIRO GOVERNADOR: LUIZ FERNANDO PEZÃO SECRETÁRIO DE ESTADO DE SAÚDE: FELIPE DOS SANTOS PEIXOTO CONTRATADA: PRÓ SAUDE ASSOCIAÇÃO BENEF. DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E HOSPITALAR ENTIDADE GERENCIADA: COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO RAZÃO SOCIAL: INSTITUTO ESTADUAL DO CÉREBRO PAULO NIEMEYER CNPJ: / ENDEREÇO: RUA DO RESENDE, 156 RIO JANEIRO/RJ RAZÃO SOCIAL: HOSPITAL ESTADUAL ANCHIETA CNPJ: / ENDEREÇO: CARLOS SEIDL, 785 RIO DE JANEIRO/RJ RESPONSÁVEIS PELA ORGANIZAÇÃO SOCIAL: JOSÉ DONIZETTI STOQUE REGINA AVELAR RUA RICARDO DUARTE ARRUDA P R E S T A Ç Ã O D E C O N T A S O R D I N Á R I A M E N S A L RIO DE JANEIRO, JULHO DE 2015 Relatório de gestão dos serviços assistenciais do Complexo Estadual do Cérebro: Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer e Hospital Estadual Anchieta, no Estado do Rio de Janeiro, pela entidade de direito privado sem fins lucrativos, qualificada como organização social. Página 1

3 1-INTRODUÇÃO A PRÓ-SAÚDE - Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar, entidade sem fins lucrativos, denominada como Organização Social vem através deste, demonstrar o resultado de Julho de 2015, referente ao contrato de gestão nº 009/2014, celebrado junto à Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro, tendo como por objeto operacionalizar a gestão dos serviços do Complexo Estadual Cérebro: Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer e Hospital Estadual Anchieta. 2-CONSIDERAÇÕES INICIAIS No mês de Julho/2015 a Pró Saúde - Associação Beneficente de Assistência Social e Hospitalar deu sequência na gestão dos serviços do Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer e Hospital Estadual Anchieta. Prestação de contas elaborada com base nos requisitos e metas propostas no contrato de gestão 009/ ORGANIZAÇÃO ADMINISTRATIVA Acompanhamento das obras do laboratório de patologia, laboratório de pesquisa, auditório, cozinha e segundo anexo do IECPN; Continuidade nos processos de Habilitações para o IECPN junto a SAECA/SES; Participação dos gestores e Diretorias em contribuição à elaboração do relatório para concorrer ao prêmio de qualidade PQ Rio; Divulgação e implantação do controle de acessos na unidade; Implantação da TV IECPN com informativos de prevenção de acidentes no lar; Reunião na SES com a equipe de Assessoria de Gestão, referente aos processos de habilitações e cadastros no SCNES, contando com a participação de diversas unidades; Implantação do setor de informação em conjunto com a telefonia; Implantado a nova rotina de distribuição do enxoval, visando facilitar o mapeamento do consumo por setor, reduzir a evasão e promover o consumo consciente; Treinamentos realizados com foco na segurança do paciente, capacitação técnica, desenvolvimento de liderança e gestão de conflitos, atividades de prevenção e de conservação da saúde do trabalhador; Implantado o Projeto Sala de Espera. Momento em que a equipe multidisciplinar promove um encontro para acolher e tirar as dúvidas dos familiares. Página 2

4 4- METAS QUANTITATIVAS SAÍDAS CIRÚRGICAS Gráfico SAÍDAS CLÍNICAS Gráfico 2 Página 3

5 4.3 - TOMOGRAFIA Gráfico HEMODINÂMICA Gráfico 4 Página 4

6 4.5 - RESSONÂNCIA MAGNÉTICA SEM SEDAÇÃO Gráfico RESSONÂNCIA MAGNÉTICA SOB SEDAÇÃO Gráfico 5.1 Página 5

7 5 -METAS QUALITATIVAS TAXA DE MORTALIDADE AJUSTADA POR ESCORE DE GRAVIDADE NAS UNIDADES DE CUIDADOS INTENSIVOS Meta <=1% Gráfico TAXA DE INFECÇÃO HOSPITALAR Meta <=5% Gráfico 07 Página 6

8 5.3 - TAXA DE SATISFAÇÃO DE USUÁRIOS Meta >=90% Gráfico TAXA DE PROFISSIONAIS MÉDICOS CADASTRADOS NO CNES Meta 100% Gráfico 09 Página 7

9 5.5 - TAXA DE REVISÃO DE PRONTUÁRIOS PELA COMISSÃO DE ÓBITO - COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO Meta 100% Gráfico TAXA DE REVISÃO DE PRONTUÁRIOS PELA CCIH Meta 100% Gráfico 11 Página 8

10 5.7 - TAXA DE SUSPENSÃO DE CIRURGIAS ELETIVAS Meta <10% Gráfico TAXA DE GLOSAS SOBRE O FATURAMENTO DOS SERVIÇOS HA- BILITADOS APRESENTADO PARA COBRANÇA AO SUS COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO Meta <5% Gráfico 13 Página 9

11 5.9. QUADRO DE METAS (COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO) 1 Mortalidade absoluta Mortalidade estimada por um índice prognóstico validado (APACHE ou equivalente, aferido na admissão depois do procedimento cirúrgico x 100 Quant Número de usuários com diagnóstico de infecção 2 Taxa de Infecção Hospitalar após 48h de internação (9) 4,6% <=5% Total de usuários internados (194) x Taxa de Satisfação dos Usuários Número de usuários satisfeitos (107) 100% >=90% Total de usuários pesquisados (107) x Atividades - Julho 2015 METAS QUALITATIVAS - COMPLEXO (IECPN E HEAN) Taxa de Mortalidade ajustada por escore de gravidade nas Unidades de Cuidados Intensivos Taxa de Profissionais médicos cadastrados no CNES Taxa de Revisão de Prontuários pela Comissão de Óbitos Taxa de Revisão de Prontuários pela Comissão de CCIH Taxa de Suspensão de cirurgias Eletivas Número de profissionais médicos cadastrados no CNES (218) Número de profissionais médicos cadastrados (218) X 100 Número de prontuários de usuários que vieram ao óbito revisados pela comissão de óbitos (16) Número de prontuários de usuários que vieram ao óbito (16) X 100 Número de prontuários de usuários com infecção revisados pela CCIH (9) Número de prontuários de usuários com infecção (9) x 100 Total de suspensões (8) Total de cirurgias eletivas agendadas ( 119 ) X 100 Meta 0,56% <=1% 100% 100% 100% 100% 100% 100% 6,72% <10% 8 Taxa de glosas sobre o faturamento dos serviços habilitados apresentado para cobrança ao SUS Total de AIH glosadas (7) Total de AIH referentes aos serviços habilitados apresentadas ao SUS (62) X ,3% <5% METAS QUANTITATIVAS Quant Meta 1 Saídas Cirúrgicas Saídas Cirurgicas IECPN Saídas Clínicas Saídas Clinicas IECPN (35 ) Saídas Clinicas HEAN (70) Ressonância Magnética Produção IECPN Ressonância Magnética sob sedação Produção IECPN Tomografia Computadorizada Produção IECPN Hemodinâmica Produção IECPN Página 10

12 6- OUTROS INDICADORES QUALITATIVOS NÃO PREVISTOS COMO METAS CONTRATUAIS RECURSOS HUMANOS Setor gestão de pessoas com intuito de apresentar as boas vindas aos profissionais admitidos no IECPN organizou a integração, contando com a participação de 29 profissionais. Com objetivo de capacitar os profissionais foram realizados treinamentos, onde contamos com a presença de 749 participantes. 6.2 AMBULATÓRIO No período vigente, foram realizadas um total de 1099 consultas ambulatoriais no Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer, referente a atendimentos de pacientes regulados pela Central Estadual de Regulação (1. Vez) e pacientes de retorno. Gráfico 14 Página 11

13 Gráfico 14.1 Foram abertas 651 agendas para consultas Ambulatoriais no Sistema Estadual de Regulação SER, totalizando 213 agendamentos durante a competência. Gráfico 15 Página 12

14 6.3 - CENTRO CIRÚRGICO Gráfico 16 Realizado protocolo de cirurgia segura em 100% dos pacientes submetidos a procedimentos no Centro Cirúrgico. Gráfico 17 Página 13

15 6.4 CUSTOS COM OPME Gráfico 18 Gráfico 19 Página 14

16 6.4.1 CUSTOS COM OPME HEMODINÂMICA Gráfico 20 Gráfico 21 Página 15

17 6.5 FISIOTERAPIA Gráfico NUTRIÇÃO Gráfico 23 Página 16

18 6.7 HOTELARIA Gráfico 24 Gráfico 25 Página 17

19 6.8 NEP (Núcleo de Educação Permanente) INTEGRAÇÃO DE NOVOS COLABORADORES TREINAMENTO DE LIDERANÇA HOTELARIA Página 18

20 TREINAMENTO DE CUIDADOS COM HEMOCOMPONENTES TREINAMENTO MANUSEIO DA CAVIDADE ORAL Página 19

21 TREINAMENTO BRIGADA DE INCÊNDIO TREINAMENTO DE CONTENÇÃO FÍSICA Página 20

22 PROJETO SALA DE ESPERA Momento em que a equipe multidisciplinar promove um encontro para acolher e tirar as dúvidas dos familiares. Página 21

23 ANIVERSARIANTES DO MÊS Página 22

24 6.9 COMISSÕES Durante a competência prosseguimos com assiduidade nos acompanhamentos e implantações das comissões, atendendo à legislação e regulamentação vigente. As evoluções são acompanhadas pelo nosso Núcleo Interno da Qualidade, Segurança do Paciente e Diretoria Técnica, contando com o envolvimento dos gestores, terceiros e profissionais médicos. COMISSÕES PERIDIOCIDADE 1. CCIH MENSAL 2.CIHDOTT MENSAL 3. CIPA MENSAL 4. ÓBITO MENSAL 5. FÁRMACO E TECNOVIGILÂNCIA MENSAL 6. PRONTUÁRIOS MENSAL 7. TRANSFUSIONAL TRIMESTRAL 8. NÚCLEO DE VIGILÂNCIA HOSPITALAR TRIMESTRAL 9. CGRRS TRIMESTRAL 10. CUIDADOS PALIATIVOS MENSAL 11.PREVENÇÃO E TRATAMENTO DE PELE BIMESTRAL 12.CONTINGÊNCIA MENSAL 13.QUALIDADE E SEGURANÇA DO PACIENTE MENSAL 14.SUSTENTABILIDADE TRIMESTRAL 15.PREVENÇAO DE RISCO COM MATERIAIS PERFURO CORTANTES TRIMESTRAL 16.GTH- COMISSÃO DE HUMANIZAÇÃO TRIMESTRAL 17.ÉTICA MÉDICA Aguardando CRM, ofício Já enviado para o CREMERJ Página 23

25 6.10 SESMT E SUSTENTABILIDADE Neste mês o SESMT, dentro de suas atividades prevencionistas e de conservação da saúde do trabalhador, efetuou: Vinte e nove colaboradores treinados no manual de biossegurança, aplicados junto a integração garantindo que todos os colaboradores ao entrarem no instituto, tenham conhecimento sobre as práticas seguras de trabalho dentro do ambiente hospitalar. Oito pessoas do setor de SHL treinadas com treinamento específico para coletores conforme exigido pelo PGRSS. Como rotina mensal foi efetuada 01(uma) inspeção nos equipamentos de combate a incêndio, extintores e mangueiras. Duas comissões coordenadas pelo SESMT tiveram reuniões realizadas, a CIPA e a Comissão de Contingências. Podemos destacar como ações destas comissões a revisão dos Mapas de Risco o treinamento de brigadistas de incêndio realizado nas dependências do instituto. Página 24

26 Pelo terceiro mês consecutivo não tivemos acidentes de trabalho caracterizado com CAT que mantém o resultado um índice de zero acidente de trabalhos evitáveis, traduzindo assim, que mantivemos um ambiente seguro no mês de julho. Três visitas externas de foram realizadas no Hospital Estadual Anchieta para alinhamento de ações do SESMT. Reforçadas as sinalizações dos extintores, sinalizadas as portas de vidro com inscrições puxe-empurre. O IECPN participou da Semana Interna de Prevenção de Acidentes do Hospital Estadual Anchieta com a Palestra sobre Insalubridade. Página 25

27 Feita a primeira troca de óleo pelo detergente com a empresa Eco Óleo Coleta de Óleo Ltda - SOS ÓLEO VEGETAL. Para dar suporte aos resíduos recicláveis que ficarão acondicionados para serem enviados para a reciclagem, o SESMT e a Sustentabilidade executaram um pallet de plástico com reaproveitamento de garrafas plásticas que são geradas no IECPN. Página 26

28 As plantas que foram plantadas na semana do meio ambiente já estão dando flores e conta com o cuidado e manutenção da equipe de hotelaria. IECPN HEAN Página 27

29 Visitamos a empresa São Nicolau Ltda., a qual futuramente irá receber nossas garrafas pets, o papel branco e o papelão gerado no IECPN. Foi confeccionado juntamente com o NEP um vídeo com a importância da água para a qualidade de vida, passará na televisão na recepção voltado para o público externo. Iniciamos o projeto do copo retrátil, já foram pedidos os copos para a entrega na primeira semana de agosto e confeccionados os adesivos que serão colados nos bebedouros. Página 28

30 Realizamos ação social voluntária na Instituição de acolhimento Casa da Criança em Rio Bonito. Página 29

31 7 - CONSIDERAÇÕES FINAIS IECPN O quadro de metas e os gráficos que competem às metas contratuais retratam a somatória do Complexo Estadual do Cérebro (Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer e Hospital Estadual Anchieta). Continuamos com baixo número de pacientes regulados para os ambulatórios do IECPN, fonte principal de captação de pacientes, onde 67% do total de agendas disponibilizadas não foram utilizadas. Devido à falta de recursos, estamos enfrentando grandes dificuldades em relação a atrasos de pagamentos com nossos Prestadores de Serviços Médicos PJ, Fornecedores de Materiais e Medicamentos e Prestadores de Serviços como um todo. A dificuldade de aquisição e contratação é cada dia maior, onde ficamos vulneráveis a escassez de insumos ou até mesmo a não prestação de serviços das contratadas. Página 30

PRESTAÇÃO DE CONTAS MAIO/ /05/2015 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO. Relatório de gestão dos serviços assistenciais

PRESTAÇÃO DE CONTAS MAIO/ /05/2015 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO. Relatório de gestão dos serviços assistenciais PRESTAÇÃO DE CONTAS MAIO/2015 31/05/2015 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO V Relatório de gestão dos serviços assistenciais do Complexo Estadual do Cérebro: Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer e Hospital

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS JULHO/2014

PRESTAÇÃO DE CONTAS JULHO/2014 PRESTAÇÃO DE CONTAS JULHO/2014 31/07/2014 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO V Relatório de gestão dos serviços assistenciais do Complexo Estadual do Cérebro: Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer e Hospital

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS AGOSTO/2014

PRESTAÇÃO DE CONTAS AGOSTO/2014 PRESTAÇÃO DE CONTAS AGOSTO/2014 31/08/2014 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO V Relatório de gestão dos serviços assistenciais do Complexo Estadual do Cérebro: Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer e

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS JUNHO/2015 30/06/2015 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO. Relatório de gestão dos serviços assistenciais

PRESTAÇÃO DE CONTAS JUNHO/2015 30/06/2015 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO. Relatório de gestão dos serviços assistenciais PRESTAÇÃO DE CONTAS JUNHO/2015 30/06/2015 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO V Relatório de gestão dos serviços assistenciais do Complexo Estadual do Cérebro: Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer e Hospital

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS JANEIRO/2014

PRESTAÇÃO DE CONTAS JANEIRO/2014 PRESTAÇÃO DE CONTAS JANEIRO/2014 31/01/2014 HOSPITAL ESTADUAL ALBERTO TORRES V. Relatório referente a execução do Contrato de Gestão 31/2012 sobre as ações executadas sobre o apoio ao gerenciamento e execução

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS FEVEREIRO/2015

PRESTAÇÃO DE CONTAS FEVEREIRO/2015 PRESTAÇÃO DE CONTAS FEVEREIRO/2015 11/03/2015 HOSPITAL ESTADUAL ROCHA FARIA CAMPO GRANDE / RJ V. Relatório referente ao Contrato de Gestão 30/2012 sobre os serviços assistenciais da Maternidade, Odontologia

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS JANEIRO/2015 31/01/2015 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO. Relatório de gestão dos serviços assistenciais

PRESTAÇÃO DE CONTAS JANEIRO/2015 31/01/2015 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO. Relatório de gestão dos serviços assistenciais PRESTAÇÃO DE CONTAS JANEIRO/2015 31/01/2015 COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO V Relatório de gestão dos serviços assistenciais do Complexo Estadual do Cérebro: Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer e

Leia mais

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes

Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Estratégias da Implantação para a Conquista da Certificação ONA no Hospital Municipal de Mogi das Cruzes Nossa história Cenário Cenário Nossa história Setores Previsão segundo o Plano de Trabalho Quando

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS SET/2013

PRESTAÇÃO DE CONTAS SET/2013 PRESTAÇÃO DE CONTAS SET/2013 30/09/2013 COMPLEXO ESTADUAL DE SAÚDE V Relatório de gestão dos serviços assistenciais do Complexo Estadual de Saúde - CES, no Estado do Rio de Janeiro, pela entidade de direito

Leia mais

COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO - INSTITUTO ESTADUAL DO CÉREBRO PAULO NIEMEYER E HOSPITAL ESTADUAL ANCHIETA AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE

COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO - INSTITUTO ESTADUAL DO CÉREBRO PAULO NIEMEYER E HOSPITAL ESTADUAL ANCHIETA AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE COMPLEXO ESTADUAL DO CÉREBRO - INSTITUTO ESTADUAL DO CÉREBRO PAULO NIEMEYER E HOSPITAL ESTADUAL ANCHIETA AÇÕES DE SUSTENTABILIDADE Nome: Natalia Rente Nunes Telefone: (21) 2277-9417 / (21) 98738-0349 E-mail:

Leia mais

Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças Gerência de Contratos e Convênios ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO

Superintendência de Gestão, Planejamento e Finanças Gerência de Contratos e Convênios ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO ANEXO II METAS DE PRODUÇÃO 1. ATIVIDADES MÍNIMAS A REALIZAR 1.1. ASSISTÊNCIA HOSPITALAR Produção. 1.1.1. Realizar, no mínimo, 90% da meta estabelecida no Plano de Metas de 1.1.2. O indicador de aferição

Leia mais

Secretaria de Estado da Saúde SP Coordenadoria de Regiões de Saúde - CRS. Painel Santa Casa SUStentável

Secretaria de Estado da Saúde SP Coordenadoria de Regiões de Saúde - CRS. Painel Santa Casa SUStentável Painel Santa Casa SUStentável Em 11 de dezembro de 2013 foi realizado o lançamento do Programa de auxílio às Santas Casas e hospitais filantrópicos do Estado de São Paulo. O projeto, conhecido como Santa

Leia mais

metas do plano de trabalho

metas do plano de trabalho Associação das Pioneiras Sociais Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação Acompanhamento das metas do plano de trabalho 2016 Acompanhamento das metas do plano de trabalho 2016 1º semestre 2016 Conforme

Leia mais

MANUAL DE AVALIAÇÃO DE MEDICINA HIPERBÁRICA

MANUAL DE AVALIAÇÃO DE MEDICINA HIPERBÁRICA MANUAL DE AVALIAÇÃO DE MEDICINA HIPERBÁRICA Versão 2014 Entidades Associadas Sumário Seção 1 Estrutura Organizacional 1.1. Liderança 1.2. Equipe Médica 1.3. Equipe de Enfermagem 1.4. Gestão de Pessoas

Leia mais

QUALIFICAÇÃO DA REDE HOSPITALAR UNIMED VITÓRIA

QUALIFICAÇÃO DA REDE HOSPITALAR UNIMED VITÓRIA QUALIFICAÇÃO DA REDE HOSPITALAR UNIMED VITÓRIA 18 de Novembro de 2016 UNIMED VITÓRIA / ES 328.000 CLIENTES, SENDO DESTES, 32.000 EM ATENÇÃO PRIMÁRIA; 2.360 MÉDICOS COOPERADOS; 260 PRESTADORES DE SERVIÇO;

Leia mais

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO

CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONTRATO DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE ENGENHARIA DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO Pelo presente instrumento particular, de um lado, a EMPRESA, qualificada no TERMO DE ADESÃO À PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE

Leia mais

Cronograma de Educação Permanente 2016

Cronograma de Educação Permanente 2016 Cronograma de Educação Permanente 2016 JANEIRO FEVEREIRO Atendimento ao cliente s Favorecer diálogos sobre boas práticas de atendimento ao cliente. quimioterapia, equipe do SAME e colaboradores. MARÇO

Leia mais

TERMO TÉCNICO PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA

TERMO TÉCNICO PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA TERMO TÉCNICO PARA ELABORAÇÃO DE PROPOSTA CONTRATAÇÃO DE PESSOA JURÍDICA ESPECIALIZADA PARA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS MÉDICOS EM CLINICA MÉDICA E MEDICINA INTESIVA ADULTO PROCEDIMENTO DE CONTRATAÇÃO DE SERVIÇOS

Leia mais

XXX CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO DESAFIOS DA POLÍTICA NACIONAL DE REGULAÇÃO

XXX CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO DESAFIOS DA POLÍTICA NACIONAL DE REGULAÇÃO Ministério da Saúde - MS Secretaria de Atenção à Saúde - SAS Departamento de Regulação, Avaliação e Controle de Sistemas - DRAC Coordenação Geral de Regulação e Avaliação - CGRA XXX CONGRESSO DE SECRETÁRIOS

Leia mais

Hospital Estadual Rocha Faria RJ PRÓ-SAÚDE ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E HOSPITALAR EDITAL DE SELEÇÃO Nº 008/2012

Hospital Estadual Rocha Faria RJ PRÓ-SAÚDE ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E HOSPITALAR EDITAL DE SELEÇÃO Nº 008/2012 PRÓ-SAÚDE ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DE ASSISTÊNCIA SOCIAL E HOSPITALAR Serviço Público Estadual Processo: E-08/7782/2012 Data: 26/12/2012 Fls. 1 Rubrica: LFS ID. 500.5891-6 EDITAL DE SELEÇÃO Nº 008/2012 Seleção

Leia mais

Soluções que facilitam a gestão da saúde

Soluções que facilitam a gestão da saúde Soluções que facilitam a gestão da saúde A Hospidata Mais eficiência na gestão de saúde Empresa do grupo MV, líder brasileira em soluções de tecnologia para gestão da saúde, a Hospidata oferece um portfólio

Leia mais

3 INDICADORES QUANTITATIVOS

3 INDICADORES QUANTITATIVOS 3 INDICADORES QUANTITATIVOS Saídas Hospitalares Serviços Contratados Saídas Hospitalares Clínica Médica Clínica Cirúrgica TOTAL DE SAÍDAS Meta Média Meta Jul Ago Set Out Nov 136 163 150 228 228 217 154

Leia mais

Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96

Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96 Hospital Privado Capital Fechado com fins lucrativos Geral e de Médio Porte Selado Qualidade Programa CQH desde 2008 Média e alta complexidade 96 leitos 19 leitos de UTI 5 Salas Cirúrgicas 300 Cirurgias/mês

Leia mais

Recursos Próprios 2013

Recursos Próprios 2013 Recursos Próprios 2013 " Serviços Próprios de Atendimento Pré-Hospitalar (SOS) e Assistência Domiciliar ( Home- Care): reconhecendo a importância destas modalidades assistenciais para o cliente e para

Leia mais

Hospital Summit Terceirização de Serviços Médicos

Hospital Summit Terceirização de Serviços Médicos 15/03/2017 Hospital Summit Terceirização de Serviços Médicos Modelo Adotado Grupo São Lucas Ribeirania Ribeirão Preto Dr Pedro Antonio Palocci o Médico Pediatra formado pela XXIIIª Turma da FMRP-USP 1979

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS FEVEREIRO/2014

PRESTAÇÃO DE CONTAS FEVEREIRO/2014 PRESTAÇÃO DE CONTAS FEVEREIRO/2014 28/02/2014 V Relatório de gestão dos serviços assistenciais da Unidade Ortopedia/Traumatologia, Anestesiologia e Neurocirurgia do Hospital Estadual Getúlio Vargas no

Leia mais

RESUMO DAS ATIVIDADES DE JANEIRO A JUNHO/2013.

RESUMO DAS ATIVIDADES DE JANEIRO A JUNHO/2013. RESUMO DAS ATIVIDADES DE JANEIRO A JUNHO/2013. Hospital de pequeno porte, Filantrópico, sem fins lucrativos, conveniado com o SUS Sistema Único de Saúde, conforme metas de quantidade e qualidade. METAS

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS ABRIL/2014

PRESTAÇÃO DE CONTAS ABRIL/2014 PRESTAÇÃO DE CONTAS ABRIL/2014 30/04/2014 HOSPITAL ESTADUAL ALBERTO TORRES V. Relatório referente a execução do Contrato de Gestão 31/2012 sobre as ações executadas sobre o apoio ao gerenciamento e execução

Leia mais

Hotelaria. Reunião 05/08/2015

Hotelaria. Reunião 05/08/2015 Hotelaria Reunião 05/08/2015 PAUTA Definição dos indicadores; Registros das informações; Adesão ao programa; Participação dos hospitais; Estudo de Caso (próxima reunião); Índice do Quilo de Roupa Lavada

Leia mais

RELATÓRIO DE GESTÃO DA SAHUDES

RELATÓRIO DE GESTÃO DA SAHUDES RELATÓRIO DE GESTÃO DA SAHUDES A Sociedade de Apoio, Humanização e Desenvolvimento de Serviços de Saúde SAHUDES, devidamente qualificada como Organização Social, titulação deferida através do Decreto Municipal

Leia mais

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde

Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde Tipologia dos Estabelecimentos de Saúde O Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde - CNES foi implantado em 29 de dezembro de 2000, através da Portaria SAS n.º 511. O CNES abrange a todos os estabelecimentos

Leia mais

SERVIÇO DE ATENÇÃO AO PORTADOR DE OBESIDADE GRAVE

SERVIÇO DE ATENÇÃO AO PORTADOR DE OBESIDADE GRAVE Procedimento Operacional Padrão (POP) SERVIÇO DE PSICOLOGIA POP nº 04 PSI/HU Hospital Universitário Prof. Polydoro Ernani de São Thiago da Universidade Federal de Santa Catarina SERVIÇO DE ATENÇÃO AO PORTADOR

Leia mais

RELATÓRIO DETALHADO DO QUADRIMESTRE ANTERIOR 1º E 2º QUADRIMESTRE

RELATÓRIO DETALHADO DO QUADRIMESTRE ANTERIOR 1º E 2º QUADRIMESTRE RELATÓRIO DETALHADO DO QUADRIMESTRE ANTERIOR 1º E 2º QUADRIMESTRE ANO 2013 Conforme previsto no art. 36 da Lei Complementar N.º 141/2012, o Relatório Detalhado do Quadrimestral Anterior contém informações

Leia mais

Guias TISS As condições de preenchimento dos campos são: 1.Obrigatório: a situação na qual o termo deve ser preenchido, incondicionalmente;

Guias TISS As condições de preenchimento dos campos são: 1.Obrigatório: a situação na qual o termo deve ser preenchido, incondicionalmente; Guia Guias TISS 3.02.01 No TISS 3.02.00 a ANS definiu novo layout para troca de informações entre operadoras e prestadores de serviços, na autorização, cobrança, demonstrativos de pagamento e recurso de

Leia mais

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 191

Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 191 Câmara Municipal de Volta Redonda RJ PROGRAMA Nº - 191 Manutenção e Operacionalização do SAH Promover a instalação de ferramentas de gestão que permitam o perfeito gerenciamento das informações dos diversos

Leia mais

Agenda Regulatória. Secretário Executivo da ANS. São Paulo, 05 de novembro de Debates GVSaúde João Luis Barroca

Agenda Regulatória. Secretário Executivo da ANS. São Paulo, 05 de novembro de Debates GVSaúde João Luis Barroca Agenda Regulatória ANS Debates GVSaúde João Luis Barroca Secretário Executivo da ANS São Paulo, 05 de novembro de 2012 Evolução do Processo de Regulação Até 1997 1997 1998 1999 2000 Debates no Congresso

Leia mais

Ações que contribuem para a Qualidade de Vida dos colaboradores do Complexo Hospital Estadual de Ribeirão Preto, Prof. Dr. Carlos Eduardo Martinelli.

Ações que contribuem para a Qualidade de Vida dos colaboradores do Complexo Hospital Estadual de Ribeirão Preto, Prof. Dr. Carlos Eduardo Martinelli. Ações que contribuem para a Qualidade de Vida dos colaboradores do Complexo Hospital Estadual de Ribeirão Preto, Prof. Dr. Carlos Eduardo Martinelli. Histórico Em janeiro de 2008, foi celebrado Convênio

Leia mais

Associação das Pioneiras Sociais. Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação

Associação das Pioneiras Sociais. Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação Associação das Pioneiras Sociais Rede SARAH de Hospitais de Reabilitação REDE SARAH DE HOSPITAIS UNIDADE BELO HORIZONTE 13 ANOS DE PRGSS REDE SARAH DE HOSPITAIS DE REABILITAÇÃO SARAH BELO HORIZONTE Dados

Leia mais

Profissional Técnico de Nível Médio. Profissional de Nível Médio. Curitiba PR Interior do Paraná

Profissional Técnico de Nível Médio. Profissional de Nível Médio. Curitiba PR Interior do Paraná Força de Trabalho Os 8.647 empregados do quadro próprio estão distribuídos em três carreiras: profissional de nível médio (5.105 empregados), profissional técnico de nível médio (2.049 empregados) e profissional

Leia mais

Campinas. Amil Life O mesmo cuidado de antigamente com toda a tecnologia de hoje. O olho no olho com seu médico de confiança voltou. amil.com.

Campinas. Amil Life O mesmo cuidado de antigamente com toda a tecnologia de hoje. O olho no olho com seu médico de confiança voltou. amil.com. Amil Life O mesmo cuidado de antigamente com toda a tecnologia de hoje. O olho no olho com seu médico de confiança voltou. Tabela de Preços Julho-2016 amil.com.br Confira onde encontrar as unidades do

Leia mais

PRESTAÇÃO DE CONTAS NOVEMBRO/ /11/2013

PRESTAÇÃO DE CONTAS NOVEMBRO/ /11/2013 PRESTAÇÃO DE CONTAS NOVEMBRO/2013 30/11/2013 V Relatório de gestão dos serviços assistenciais da Unidade Ortopedia/Traumatologia, Anestesiologia e Neurocirurgia do Hospital Estadual Getúlio Vargas no Estado

Leia mais

1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE

1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE EXPERIÊNCIA DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE Título 1. DIVULGAÇÃO DA CARTA DOS DIREITOS DOS USUÁRIOS DO SUS: UM RELATO DE DO PET URGÊNCIA E EMERGÊNCIA NO HOSPITAL GERAL CLÉRISTON ANDRADE Classificação 2.SUPERVISÃO EM ENFERMAGEM E OS MODELOS ORGANIZACIONAIS:

Leia mais

PORTARIA Nº 1.703/GM Em 17 de agosto de 2004.

PORTARIA Nº 1.703/GM Em 17 de agosto de 2004. 1 de 5 12/03/2014 11:52 PORTARIA Nº 1.703/GM Em 17 de agosto de 2004. Destina recurso de incentivo à contratualização de Hospitais de Ensino Públicos e Privados, e dá outras providências. O MINISTRO DE

Leia mais

Boas Práticas em Serviços de

Boas Práticas em Serviços de FEIRA+FÓRUM FÓRUM HOSPITALAR 2011 24 de Maio de 2011 São Paulo SP Boas Práticas em Serviços de Saúde Maria Angela da Paz Gerência Geral de Tecnologia em Serviço de Saúde - GGTES - ANVISA Noção Matemática

Leia mais

SERVIÇO SOCIAL E A MEDICINA PREVENTIVA

SERVIÇO SOCIAL E A MEDICINA PREVENTIVA SERVIÇO SOCIAL E A MEDICINA PREVENTIVA NOSSA CASA A importância do Trabalho em Equipe Multidisciplinar Assistente Social Enfermeira Técnicos de enfermagem Fisioterapeuta Nutricionista Médico Psicólogo

Leia mais

Prof. Márcio Batista

Prof. Márcio Batista Prof. Márcio Batista OBJETIVOS DA AULA Conhecer os principais conceitos em farmácia hospitalar. Conhecer os aspectos técnicos e legais de localização, construção e instalação e estruturação da farmácia

Leia mais

Código Descrição Código Descrição

Código Descrição Código Descrição VI - TABELA DE DOMÍNIO TABELAS Código Descrição Código Descrição 01 02 03 04 Lista de Procedimentos Médicos AMB 90 Lista de Procedimentos Médicos AMB 92 Lista de Procedimentos Médicos AMB 96 Lista de Procedimentos

Leia mais

PORTARIA Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012

PORTARIA Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 PORTARIA Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 A Secretária de Atenção à Saúde - Substituta, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria nº 3.088/GM/MS, de 23 de dezembro de 2011, que institui a Rede

Leia mais

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA/SAS Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012

Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA/SAS Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde PORTARIA/SAS Nº 953, DE 12 DE SETEMBRO DE 2012 A Secretária de Atenção à Saúde - Substituta, no uso de suas atribuições, Considerando a Portaria nº 3.088/GM/MS,

Leia mais

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos

Gestão de Processos. Gestão de Processos na Saúde. Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos Gestão de Processos na Saúde Marcelo.Aidar@fgv.br 1 Gestão de Processos Identificação, mapeamento, redesenho e aprimoramento dos processos 2 O Ambiente de Negócios e os Stakeholders AMBIENTE DE AÇÃO INDIRETA

Leia mais

POLÍTICA NACIONAL DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR

POLÍTICA NACIONAL DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR NOTA TÉCNICA 02 2006 POLÍTICA NACIONAL DE INTERNAÇÃO DOMICILIAR 1 Brasília, 10 de fevereiro de 2006. I. Introdução: NOTA TÉCNICA 02 2006 O Ministério da Saúde está propondo a implantação da Política Nacional

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE SÃO PAULO A POLÍTICA ESTADUAL DE REGULAÇÃO E A CROSS

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DE SÃO PAULO A POLÍTICA ESTADUAL DE REGULAÇÃO E A CROSS A POLÍTICA ESTADUAL DE REGULAÇÃO E A CROSS 13/08/2013 Portaria GM/MS 399/2006 diretrizes do pacto pela saúde. Portaria GM/MS 1.559/2008 institui a Política Nacional de Regulação do Sistema Único de Saúde.

Leia mais

METAS DE DESEMPENHO, INDICADORES E PRAZOS DE EXECUÇÃO

METAS DE DESEMPENHO, INDICADORES E PRAZOS DE EXECUÇÃO METAS DE DESEMENHO, INDICADORES E RAZOS DE EXECUÇÃO HOSITAL ESCOLA MUNICIAL ROF. DOUTOR HORÁCIO CARLOS ANEUCCI/UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS/UFSCar OUTUBRO DE 2014 SUMÁRIO 1. Indicadores... 2 2. Quadro

Leia mais

COORDENAÇÃO DO NÚCLEO CURRICULAR FLEXÍVEL PRÁTICAS EDUCATIVAS FICHA DE OBSERVAÇÃO - 1

COORDENAÇÃO DO NÚCLEO CURRICULAR FLEXÍVEL PRÁTICAS EDUCATIVAS FICHA DE OBSERVAÇÃO - 1 FICHA DE OBSERVAÇÃO - 1 ENFERMAGEM NOS CUIDADOS INTEGRAIS AO ADULTO E IDOSO NO PERÍODO PERI OPERATÓRIO Acadêmico: Curso: Período: Turno: Disciplina(s): Local: Campos de Observação: Profissional responsável

Leia mais

ADITIVO CONTRATUAL EXTENSÃO PARA COBERTURAS AMBULATORIAIS CONTRATO N CLÁUSULA PRIMEIRA - DAS PARTES CONTRATANTES:

ADITIVO CONTRATUAL EXTENSÃO PARA COBERTURAS AMBULATORIAIS CONTRATO N CLÁUSULA PRIMEIRA - DAS PARTES CONTRATANTES: ADITIVO CONTRATUAL EXTENSÃO PARA COBERTURAS AMBULATORIAIS CONTRATO N CLÁUSULA PRIMEIRA - DAS PARTES CONTRATANTES: QUALIFICAÇÃO DA CONTRATADA: PROMED ASSISTÊNCIA MÉDICA LTDA., doravante denominada CONTRATADA,

Leia mais

Atendimento. Cadastramento de Guias; Saída da clínica (SADT/Internação); Atenção nos status dos procedimentos; 20/08/2014

Atendimento. Cadastramento de Guias; Saída da clínica (SADT/Internação); Atenção nos status dos procedimentos; 20/08/2014 Treinamento Grupo IV Prestadores PJ Cadastramento de Guias; Atendimento Saída da clínica (SADT/Internação); Atenção nos status dos procedimentos; 1 Atendimento Status dos Procedimentos Status NEGADO, verificar

Leia mais

REGULAÇÃO NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS. Setembro/2010

REGULAÇÃO NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS. Setembro/2010 MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Regulação, Avaliação e Controle de Sistemas Coordenação Geral de Regulação e Avaliação REGULAÇÃO NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE SUS Setembro/2010

Leia mais

Hospital de Clínicas da UFTM. Macroproblema 1: falta de gestão adequada

Hospital de Clínicas da UFTM. Macroproblema 1: falta de gestão adequada Hospital de Clínicas da UFTM Macroproblema 1: falta de gestão adequada 2016 MP1. Falta de gestão adequada NC1. Falta de um projeto de comunicação interna NC2. Falta de fluxos e rotinas administrativas

Leia mais

Planejamento Estratégico em Gestão de Pessoas

Planejamento Estratégico em Gestão de Pessoas Planejamento Estratégico em Gestão de Pessoas Prof. Dr. Amarilio Vieira de Macedo Neto PRESIDENTE do HCPA Departamento de Cirurgia da FAMED/UFRGS Serviço de Cirurgia Torácica do HCPA aneto@hcpa.edu.br

Leia mais

Fórum de Custos. Gestão Corporativa de Faturamento Automatização de Indicadores Corporativos

Fórum de Custos. Gestão Corporativa de Faturamento Automatização de Indicadores Corporativos Fórum de Custos Gestão Corporativa de Faturamento Automatização de Indicadores Corporativos Mauricio Rodrigues Loures - Diretoria Financeira Corporativa Selma Santos Gerente Corporativo de Faturamento

Leia mais

CUIDAR DE VOCÊ. ESSE É O PLANO

CUIDAR DE VOCÊ. ESSE É O PLANO Página 1 de 18 Manual do Reembolso Unimed Cerrado CUIDAR DE VOCÊ. ESSE É O PLANO 2016 1 Página 2 de 18 Sumário APRESENTAÇÃO... 3 DIRETRIZES DO REEMBOLSO... 4 PRINCIPAIS DÚVIDAS SOBRE O REEMBOLSO... 5 REEMBOLSO

Leia mais

ALTERAÇÃO NAS TABELAS DE HABILITAÇÃO E SERVIÇO/CLASSIFICAÇÃO DO SCNES Diário Oficial da União Nº 178 Seção 1, quinta-feira, 13 de setembro de 2012

ALTERAÇÃO NAS TABELAS DE HABILITAÇÃO E SERVIÇO/CLASSIFICAÇÃO DO SCNES Diário Oficial da União Nº 178 Seção 1, quinta-feira, 13 de setembro de 2012 Circular 365/2012 São Paulo, 14 de setembro de 2012. PROVEDOR(A) ADMINISTRADOR(A) ALTERAÇÃO NAS TABELAS DE HABILITAÇÃO E SERVIÇO/CLASSIFICAÇÃO DO SCNES Diário Oficial da União Nº 178 Seção 1, quinta-feira,

Leia mais

Principais alternativas para a otimização e a diminuição de falhas no Faturamento Hospitalar

Principais alternativas para a otimização e a diminuição de falhas no Faturamento Hospitalar Principais alternativas para a otimização e a diminuição de falhas no Faturamento Hospitalar AGENDA 1. A Qualirede 2. Cenário das cobranças e dos pagamentos 3. Dificuldades no faturamento hospitalar 4.

Leia mais

COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE. (85)

COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE. (85) COMISSÃO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE nucit@saude.ce.gov.br (85) 3101-5234 SEMINÁRIO DE AVALIAÇÃO DE TECNOLOGIAS EM SAÚDE E SAÚDE BASEADA EM EVIDÊNCIAS 5 e 6 de Maio de 2009 Fortaleza / CE Comissão

Leia mais

OBJETIVO ESTRATÉGICO 1: Identificar 80% do quadro de pessoal técnico-administrativo da UERJ em 6 meses.

OBJETIVO ESTRATÉGICO 1: Identificar 80% do quadro de pessoal técnico-administrativo da UERJ em 6 meses. SRH - SUPERINTENDÊNCIA DE RECURSOS HUMANOS MISSÃO DA UNIDADE: Promover as políticas de recursos humanos contribuindo para o funcionamento e aprimoramento das atividades desenvolvidas pela Universidade.

Leia mais

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR. Análise Crítica da Pré e Pós Certificação

ACREDITAÇÃO HOSPITALAR. Análise Crítica da Pré e Pós Certificação ACREDITAÇÃO HOSPITALAR Análise Crítica da Pré e Pós Certificação A qualidade não é um conjunto de técnicas, é a maneira de pensar o seu próprio negócio e isso não da pra copiar. Fonte: hsm.com.br Hospital

Leia mais

Acreditação. Acreditação

Acreditação. Acreditação Acreditação Acreditação 1621132 - Produzido em Abril/2011 Acreditação Rumo ao processo de Acreditação Hospitalar e gestão da melhoria contínua, é importante salientar as principais diferenças entre licenciamento,

Leia mais

Legenda da Guia de Serviços Profissionais/Serviço Auxiliar de Diagnóstico e Terapia (SP/SADT)

Legenda da Guia de Serviços Profissionais/Serviço Auxiliar de Diagnóstico e Terapia (SP/SADT) na Registro ANS 1 Registro ANS String 6 Registro da operadora de plano privado de assistência à saúde na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Número da no prestador 2 Nº da no prestador 0 Número

Leia mais

REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS. Programa SOS Emergências. Ministério da Saúde Brasil. Lançamento Nacional em 08/11/2011

REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS. Programa SOS Emergências. Ministério da Saúde Brasil. Lançamento Nacional em 08/11/2011 REDE DE ATENÇÃO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS Programa SOS Emergências Ministério da Saúde Brasil Ação Estratégica do Ministério da Saúde para as Portas de Entrada Hospitalares Prioritárias Lançamento Nacional

Leia mais

COMUNICAÇÃO DE PROGRESSO

COMUNICAÇÃO DE PROGRESSO COMUNICAÇÃO DE PROGRESSO COMUNICATTION ON PROGRESS - COP São Paulo 2016 1.Apresentação Situada em posição estratégica na Vila Guilherme - Zona Norte de São Paulo a A.S. Transportes Ltda. é uma empresa

Leia mais

Regulação em Saúde no SUS e o Pacto Federativo.

Regulação em Saúde no SUS e o Pacto Federativo. Cláudio Tavares - Diretor de Regulação, Avaliação e Controle da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (DRAC/SMS) Regulação em Saúde no SUS e o Pacto Federativo. Experiência do Município de Goiânia no

Leia mais

CENTRO DE PROCEDIMENTO E APOIO

CENTRO DE PROCEDIMENTO E APOIO CENTRO DE PROCEDIMENTO E APOIO Zona Norte Zona Leste Av. Água Fria, 135- Santana Av. Celso Garcia, 4974 -Tatuapé Para atender as necessidades de mercado e se tornar ainda mais competitiva, a Unimed adotou

Leia mais

ANEXO I NORMAS DE HABILITAÇÃO PARA A ATENÇÃO ESPECIALIZADA NO PROCESSO TRANSEXUALIZADOR

ANEXO I NORMAS DE HABILITAÇÃO PARA A ATENÇÃO ESPECIALIZADA NO PROCESSO TRANSEXUALIZADOR ANEXO I NORMAS DE HABILITAÇÃO PARA A ATENÇÃO ESPECIALIZADA NO PROCESSO TRANSEXUALIZADOR 1. NORMAS DE HABILITAÇÃO PARA A MODALIDADE AMBULATORIAL 1.1. A Modalidade Ambulatorial consiste nas ações de âmbito

Leia mais

Participação dos Consórcios Intermunicipais de Saúde de MG no processo de credenciamento/contratação de serviços no SUS/MG

Participação dos Consórcios Intermunicipais de Saúde de MG no processo de credenciamento/contratação de serviços no SUS/MG Participação dos Consórcios Intermunicipais de Saúde de MG no processo de credenciamento/contratação de serviços no SUS/MG Jacqueline D. B. Lobo Leite Autoridade Sanitária / Auditoria Assistencial GAA/SR

Leia mais

Anexo III Documentos, informações e regras necessárias para análise de autorização de serviços/itens relacionados ao atendimento Ambulatorial.

Anexo III Documentos, informações e regras necessárias para análise de autorização de serviços/itens relacionados ao atendimento Ambulatorial. São Paulo, 2016. Caro Prestador, Para melhor atendê-los e reforçar o compromisso da Seguros Unimed com seus clientes, expomos nesse comunicado algumas regras importantes relativas aos processos de autorizações,

Leia mais

POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO HOSPITALAR PNHOSP M A R I A F Á T I M A D A C O N C E I Ç Ã O

POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO HOSPITALAR PNHOSP M A R I A F Á T I M A D A C O N C E I Ç Ã O POLITICA NACIONAL DE ATENÇÃO HOSPITALAR PNHOSP 1 M A R I A F Á T I M A D A C O N C E I Ç Ã O PRINCIPAIS ASPECTOS DAS PORTARIAS 3390/13 (PNHOSP); 3.410/13 (CONTRATUALIZAÇÃO); 142/14 (IGH); e, 2.839/14 (Prorrogação

Leia mais

GUIA DE SERVIÇO PROFISSIONAL / SERVIÇO AUXILIAR DE DIAGNÓSTICO E TERAPIA - SP/SADT

GUIA DE SERVIÇO PROFISSIONAL / SERVIÇO AUXILIAR DE DIAGNÓSTICO E TERAPIA - SP/SADT Logo da Empresa GUIA DE SERVIÇO PROFISSIONAL / SERVIÇO AUXILIAR DE DIAGNÓSTICO E TERAPIA - SP/SADT 2- Nº Guia no Prestador 12345678901234567890 1 - Registro ANS 3 Número da Guia Principal 4 - Data da Autorização

Leia mais

Ações da Anvisa na segurança dos serviços de saúde"

Ações da Anvisa na segurança dos serviços de saúde Ações da Anvisa na segurança dos serviços de saúde" QUALIHOSP São Paulo 18/04/2011 Maria Angela da Paz Gerência Geral de Tecnologia em Serviço de Saúde - GGTES - ANVISA AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

Leia mais

QUEM SOMOS NOSSO COMPROMISSO

QUEM SOMOS NOSSO COMPROMISSO PROTEÇÃO ASSESSORIA / CONSULTORIA / TREINAMENTOS / PLANOS DE EMERGÊNCIAS BRIGADA DE EMERGÊNCIAS - TRABALHO EM ALTURA - ESPAÇOS CONFINADOS - PRIMEIROS SOCORROS QUEM SOMOS A SS Treinamentos iniciou suas

Leia mais

VISITA TÉCNICA AO HOSPITAL DE URGÊNCIA DE GOIÂNIA - HUGO

VISITA TÉCNICA AO HOSPITAL DE URGÊNCIA DE GOIÂNIA - HUGO VISITA TÉCNICA AO HOSPITAL DE URGÊNCIA DE GOIÂNIA - HUGO Com o objetivo de conhecer a estrutura e o funcionamento da saúde pública estadual o Presidente da Comissão de Saúde e Promoção Social (CSPS), o

Leia mais

HOSPITAL DAS CLÍNICAS FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU UNESP

HOSPITAL DAS CLÍNICAS FACULDADE DE MEDICINA DE BOTUCATU UNESP Seguem abaixo os ramais com suas respectivas classificações. RAM AL LOCAL CLASSIF. 6284 Acesso Legal - Rafael 2 6412 Agendamento - Bloco 2 6425 Agendamento - Núcleo - Administração 4 6427 Agendamento -

Leia mais

PORTARIA Nº 2.352/GM Em 26 de outubro de 2004.

PORTARIA Nº 2.352/GM Em 26 de outubro de 2004. PORTARIA Nº 2.352/GM Em 26 de outubro de 2004. Regulamenta a alocação dos recursos financeiros destinados ao processo de contratualização constante do Programa de Reestruturação dos Hospitais de Ensino

Leia mais

Rotatividade de Pessoal

Rotatividade de Pessoal Rotatividade de Pessoal 4 3 2,2 2,2 2,2 % 2 1 1,28 1,47 1,79 Representa o movimento de entradas e saídas de empregados Regime de contratação CLT Taxa de Absenteísmo Geral 2,5 2 % 1,5 1,21 1,28 1,96,96,96,5

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO

CURSO DE ATUALIZAÇÃO CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde DESENVOLVIMENTO DA GESTÃO DO TRABALHO E SAÚDE DO TRABALHADOR DA SAÚDE Adryanna Saulnier Bacelar Moreira Márcia Cuenca

Leia mais

Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado.

Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado. Define-se Acreditação como um sistema de avaliação e certificação da qualidade de serviços de saúde, voluntário, periódico e reservado. Uma maneira diferente de focar a avaliação. Processo interativo,

Leia mais

Legenda da Guia de Resumo de Internação

Legenda da Guia de Resumo de Internação na Registro ANS 1 Registro ANS String 6 Registro da operadora de plano privado de assistência à saúde na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Número da no prestador Número da de solicitação de internação

Leia mais

SEGURANÇA PARA TERCEIROS

SEGURANÇA PARA TERCEIROS 1 de 8 PROTOCOLO Data de Emissão: Histórico de revisão e Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 1.00 Proposta inicial J.S.C 1 Objetivo Este protocolo fixa os requisitos a serem observados quando

Leia mais

Legenda da Guia de Resumo de Internação

Legenda da Guia de Resumo de Internação PADRÃO TISS COMPONENTE DE CONTEÚDO E ESTRUTURA Formulário do Plano de Contingência Legenda da Guia de Resumo de Internação Registro ANS 1 Registro ANS String 6 Registro da operadora de plano privado de

Leia mais

GNT Saúde Suplementar. Goiânia, 31 de Março e 01 de Abril de 2017

GNT Saúde Suplementar. Goiânia, 31 de Março e 01 de Abril de 2017 GNT Saúde Suplementar Goiânia, 31 de Março e 01 de Abril de 2017 Goiânia, 31 de Março e 01 de Abril de 2017 DRG e sua aplicabilidade na Saúde Suplementar GOLDETE PRISZKULNIK Executiva Médica em Gestão

Leia mais

Descrever os processos necessários para cadastro, liberação de perfil, vinculação de assinaturas digitalizadas.

Descrever os processos necessários para cadastro, liberação de perfil, vinculação de assinaturas digitalizadas. Setor: Escritório da Qualidade Pág. 1 de 10 Código:.QLD.NOR.002 Versão: 00 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA / NÍVEL DE DISTRIBUIÇÃO... 2 3. SIGLAS UTILIZADAS... 2 4. GLOSSÁRIO / CONCEITOS... 2 5.

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE: TÓPICOS ESPECIAIS PARA ACREDITAÇÃO NÍVEL I - MANUAL BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO (ONA)

GESTÃO DA QUALIDADE: TÓPICOS ESPECIAIS PARA ACREDITAÇÃO NÍVEL I - MANUAL BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO (ONA) GESTÃO DA QUALIDADE: TÓPICOS ESPECIAIS PARA ACREDITAÇÃO NÍVEL I - MANUAL BRASILEIRO DE ACREDITAÇÃO (ONA) Enf. Roberto Nascimento de Albuquerque FUNDAMENTOS DA ACREDITAÇÃO Os requisitos do Manual Brasileiro

Leia mais

PORTARIA Nº 1.663, DE 6 DE AGOSTO DE 2012

PORTARIA Nº 1.663, DE 6 DE AGOSTO DE 2012 PORTARIA Nº 1.663, DE 6 DE AGOSTO DE 2012 Dispõe sobre o Programa SOS Emergências no âmbito da Rede de Atenção às Urgências e Emergências (RUE). O MINISTRO DE ESTADO DA SAÚDE, no uso das atribuições que

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA AUDIÊNCIA PÚBLICA

CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA AUDIÊNCIA PÚBLICA Discutir a situação da pediatria no âmbito do Sistema Único de Saúde SUS e na Saúde Suplementar. Brasília, DF, 27 de maio

Leia mais

CMB - X Congresso Nacional das Operadoras e Hospitais em Saúde Suplementar Painel: Melhorando a Gestão em Operadoras e Hospitais - Operadoras

CMB - X Congresso Nacional das Operadoras e Hospitais em Saúde Suplementar Painel: Melhorando a Gestão em Operadoras e Hospitais - Operadoras CMB - X Congresso Nacional das Operadoras e Hospitais em Saúde Suplementar Painel: Melhorando a Gestão em Operadoras e Hospitais - Operadoras 22/07/2015 4º no Ranking nacional Medicina de Grupo 1º Empresa

Leia mais

processamento de amostras biológicas e a transferência da unidade administrativa central.

processamento de amostras biológicas e a transferência da unidade administrativa central. UNIMED LITORAL Com 23 anos existência a UNIMED Litoral, tem sua área de atuação em 13 municípios - Itajaí, Balneário Camboriú, I t a p e m a, P o r t o B e l o, B o m b i n h a s, C a m b o r i ú, Navegantes,

Leia mais

A N E X O III A T R I B U I Ç Õ E S

A N E X O III A T R I B U I Ç Õ E S A N E X O III A T R I B U I Ç Õ E S MÉDICO CIRURGIÃO VASCULAR Realizar procedimentos diagnósticos e terapêuticos, inclusive em Hemodinâmica; Prescrever e ministrar tratamento para as diversas afecções

Leia mais

Manual de Preenchimento dos formulários da TISS. Versão

Manual de Preenchimento dos formulários da TISS. Versão Manual de Preenchimento dos formulários da TISS Versão 3.02.00 Agosto/2014 u Página 2 de 58 Sumário Instruções Gerais... 4 Guia de Consulta... 5 Guia de Serviço Profissional/Serviço Auxiliar de Diagnóstico

Leia mais

COMISSÃO DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ PARANÁ: AÇÕES NO ANO DE 2009

COMISSÃO DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ PARANÁ: AÇÕES NO ANO DE 2009 COMISSÃO DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO DO MUNICÍPIO DE MARINGÁ PARANÁ: AÇÕES NO ANO DE 2009 Robsmeire Calvo Melo Zurita 1 ; Alessandra Massi Puziol Alves 2 Neide Barboza Lopes 3 INTRODUÇÃO: No Brasil ainda

Leia mais

PADRÃO TISS. Cléia Delfino do Nascimento Representante da SBPC/ML no COPISS

PADRÃO TISS. Cléia Delfino do Nascimento Representante da SBPC/ML no COPISS Fonte: www.ans.gov.br TISS Troca de Informação em Saúde Suplementar PADRÃO TISS Cléia Delfino do Nascimento Representante da SBPC/ML no COPISS cleia@sluzia.com.br Conceito É um padrão de Troca de Informação

Leia mais

COMISSÃO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS RELATÓRIO DE PRODUTIVIDADE

COMISSÃO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS RELATÓRIO DE PRODUTIVIDADE COMISSÃO DE GERENCIAMENTO DE RESÍDUOS RELATÓRIO DE PRODUTIVIDADE - 2012 Capacitação / Aulas / Cursos / Palestras oferecidas: Realizada capacitação de 2336 pessoas, com intenção de sensibilizar os servidores

Leia mais