Lista de problemas número 1. Exercícios de Refrigeração e Psicrometria A) REFRIGERAÇÃO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Lista de problemas número 1. Exercícios de Refrigeração e Psicrometria A) REFRIGERAÇÃO"

Transcrição

1 Lista de problemas número 1 Exercícios de Refrigeração e Psicrometria A) REFRIGERAÇÃO 1) Determinar as propriedades do R-134 nas seguintes condições: a) t = - 40 o C x = 1 b) p = 1 MPa t = 80 0 C c) p = 0.4 MPa t = 30 0 C d) h = 500 kj/ kg p = 1 MPa e) t = 10 0 C p = 0.2 MPa f) v = 0.06 m 3 / kg t = 80 o C g) t = 0 o C x = 0 i) h = 200 kj/ kg p = 1 MPa j) v = 0.02 m 3 / kg t = 180 o C 2) Um reservatório armazena R-134 e contém líquido na presença de vapor e está em um local onde a temperatura ambiente vale 40 o C. Qual a pressão em bar indicada pelo manômetro do reservatório? 3) Um sistema frigorífico com condensação a ar usa R-134 e atende a uma câmara para armazenagem de carne mantida a 0 o C. Sabendo que o diferencial térmico do evaporador vale 10 o C calcular em bar, as pressões manométricas de evaporação e condensação. 1

2 4) Um sistema de refrigeração que usa R- 134 atende a um recinto mantido a 10 o C. A carga térmica calculada vale 5 TR e o diferencial térmico do evaporador é 10 o C. Admitindo que a condensação seja a água e que o vapor na saída do evaporador é saturado seco calcular a vazão em massa circulada pelo compressor, a potência consumida pelo sistema sabendo que o rendimento do compressor vale 85% e o deslocamento volumétrico necessário sabendo que o rendimento volumétrico vale 80%. 5) Um compressor tem capacidade volumétrica de 35 m 3 /h e deve ser instalado em uma instalação frigorífica com condensação a ar, que usa R-134 e opera com temperatura de evaporação de 0 o C. Calcular a capacidade frigorífica em TR e o coeficiente de desempenho da instalação sabendo que o rendimento do compressor vale 80%. 6) Um aparelho de ar condicionado tem capacidade frigorífica de 3 TR e seu compressor consome uma potência de 14 kw. Calcule o coeficiente de desempenho do sistema de refrigeração, o calor dissipado no condensador e o consumo de energia em kw. 7) Uma válvula de expansão termostática com equalização interna carga de líquido opera em um sistema com temperaturas de evaporação e condensação de 0 o C e 40 o C. O superaquecimento fornecido pela válvula é de 10 o C. Sabendo que o refrigerante é o R134 calcule a pressão da mola e a vazão de refrigerante em kg/s que circula pela válvula admitindo que o refrigerante entre na válvula como líquido saturado. 8) Se a válvula do problema anterior fosse utilizada em um sistema que operasse com temperatura de evaporação de -20 o C com a mesma temperatura de condensação e a mesma regulagem de mola, estime o superaquecimento na saída do evaporador. 2

3 9) Calcule em m 3 /h o deslocamento volumétrico de um compressor alternativo, 4 cilindros, com diâmetro de 5 cm, curso de 4 cm e velocidade angular de 800 rotações por minuto. 10) Se o compressor do exemplo anterior fosse instalado em um sistema de refrigeração que usa R-134 e opera com temperaturas de evaporação e condensação de 0 o C e 50 o C estimar seu rendimento volumétrico e seu rendimento mecânico. OBS) Para a solução deste item use o gráfico existente na apostila de refrigeração. 3

4 B) PSICROMETRIA 1) Determinar, usando a Carta Psicrométrica, as propriedades do ar úmido a 101 kpa nas condições abaixo. a) tbs = 26 o C tpo = 15 o C b) tbs = 10 o C UR = 40% c) tpo = 10 o C tbu = 18 o C d) tpo = 10 o C UR = 40% e) tbs = 20 o C UR = 20% f) tbs = 30 o C tbu = 30 o C g) UR = 100% tbs = 20 o C h) UR = 40% h = 50 kj / kg g) tbu = 20 o C UR = 100% h) W = kg V / kg A tbs= 20 0 C 2) Uma vazão de 800 m 3 /h de ar saturado a 20 o C é aquecida por meio de resistências elétricas até uma umidade relativa final de 60%. Calcular a temperatura final e a potência elétrica em watts necessária ao aquecimento. 3) Deseja-se aquecer, em uma serpentina de vapor, 1000 m 3 / h de ar inicialmente a 20 o C com umidade relativa de 10% até uma temperatura final de 40 o C usando vapor d água que se condensa totalmente no processo. Sabendo que o calor latente de condensação do vapor vale 2400 kj / kg, calcular ao final do processo a umidade relativa, a temperatura de bulbo úmido, a 4

5 temperatura de orvalho e a vazão de vapor d água necessária ao aquecimento. 4) Se no problema anterior o aquecimento fosse realizado em uma serpentina de água quente, calcular a vazão de água em litros por hora adotando uma variação de temperatura da água de 10 o C. Calor específico da água: 4180 J / kg. K 5) Mistura-se uma corrente de 400 m 3 /h de ar a 30 o C com umidade relativa de 20% com outra corrente de 600 m 3 / h com temperaturas de bulbo seco e úmido valendo 40 o C e 28 o C. Calcular a temperatura, umidade relativa e entalpia da mistura. 6) Uma corrente de 1000 m 3 / h de ar a 40 o C e umidade relativa de 10% é umidificado com vapor d água até uma umidade relativa final de 40%. Determinar a umidade absoluta, a entalpia específica no estado final e a vazão de vapor d água em kg / h necessária à umidificação. 7) Ar úmido saturado a 10 o C é aquecido por meio de resistências elétricas até uma umidade relativa de 20% sofrendo em seguida um processo de resfriamento evaporativo em um lavador de ar, com eficiência de 80%. Determinar a temperatura de bulbo seco, a entalpia e a umidade absoluta ao final do processo. 8) Uma corrente de 2000 m 3 /h de ar a 26 o C com umidade relativa de 50% escoa sobre uma serpentina onde sofre um processo de resfriamento com desumidificação. Sabendo que a temperatura e a umidade relativa ao final do processo valem 15 o C e 90% calcular em watts a perda de calor do ar no processo, a massa de água condensada em litros por hora, o fator de by-pass da serpentina e a capacidade térmica da serpentina expressa em TR. 9) Uma corrente de 1000 m 3 /h de ar com temperatura de 15 o C e umidade relativa de 90% é insuflado em um recinto onde atinge uma temperatura e umidade relativa finais de 24 o C e 50%. 5

6 Calcular em watts o calor sensível, o calor latente, o calor total e a massa de vapor em kg por hora absorvido pelo ar. 10) Um recinto tem cargas térmicas, sensível e latente, valendo respectivamente W e 9000 W. Calcular o fator de calor sensível do recinto. 11) As cargas térmicas, total e latente, de uma serpentina de um aparelho de ar condicionado valem W e 5000 W. Calcular o fator de calor sensível da serpentina. 12) Um recinto mantido a 24 o C e umidade relativa de 50% tem cargas térmicas, sensível e latente, valendo respectivamente watts e 6150 watts. Sabendo que a vazão de ar insuflada é de 8500 m 3 / h calcular as temperaturas de bulbo seco e úmido do ar de insuflamento de modo a garantir a temperatura e a umidade relativa do recinto. 13) Um recinto mantido a 24 o C com umidade relativa de 50% tem cargas térmica sensível e latente valendo respectivamente 5860 W e 2600 W. A temperatura de bulbo seco medida na saída da grelha vale 14 o C. Calcular a vazão de ar em m 3 /h e a temperatura de bulbo úmido de insuflamento. Despreze a variação de temperatura do ar no ventilador e no duto. 14) Ar com temperaturas de bulbo seco e bulbo úmido valendo 27 o C e 19.4 o C escoa em uma serpentina de onde sai a com temperaturas de bulbo seco e úmido de 15 o C e 14 o C. Calcular o fator de contacto, o fator de desvio (by-pass) e a temperatura de ponto de orvalho da serpentina. 15) Um recinto condicionado mantido a 24 o C com umidade relativa de 50% tem cargas térmicas, sensível e latente, valendo respectivamente W e 6885 W. A vazão de ar exterior, com temperaturas de bulbo seco e úmido, de 35 o C e 26.5 o C, é de 1020 m 3 /h. Sabendo que o ar é insuflado a 14 o C pede-se: 6

7 1) A capacidade frigorífica em TR da unidade compacta que atende ao recinto. 2) A vazão de ar para o dimensionamento da rede de dutos. 3) A vazão de ar para a seleção da veneziana de retorno. 4) A umidade relativa do ar insuflado. 5) A vazão de água em m 3 /h se o processo de resfriamento com desumidificação do ar fosse realizado na serpentina de água gelada de um fan-coil, adotando uma variação de temperatura de 6 o C para a água. 7

Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente.

Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente. Módulo VIII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Regime Permanente, Dispositivos de Engenharia com Escoamento e Regime Transiente. Bocais e Difusores São normalmente utilizados em motores

Leia mais

A psicrometria é a parte da termodinâmica que tem por objetivo o estudo das propriedade do ar úmido.

A psicrometria é a parte da termodinâmica que tem por objetivo o estudo das propriedade do ar úmido. 16 3 PSICROMETRIA A psicrometria é a parte da termodinâmica que tem por objetivo o estudo das propriedade do ar úmido. 3.1 CARTA PSICROMÉTRICA É um ábaco que permite representar graficamente as evoluções

Leia mais

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009

Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 Caderno de Provas REFRIGERAÇÃO E CLIMATIZAÇÃO Edital Nº. 04/2009-DIGPE 10 de maio de 2009 INSTRUÇÕES GERAIS PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA Use apenas caneta esferográfica azul ou preta. Escreva o seu nome

Leia mais

FENÔMENOS DE TRANSPORTE 2 CONDICIONAMENTO DE AR E PSICOMETRIA

FENÔMENOS DE TRANSPORTE 2 CONDICIONAMENTO DE AR E PSICOMETRIA FENÔMENOS DE TRANSPORTE 2 CONDICIONAMENTO DE AR E PSICOMETRIA DEFINIÇÃO "Ar condicionado é um processo de tratamento de ar, que visa controlar simultaneamente a temperatura, a umidade, a pureza e a distribuição

Leia mais

23/06/2010. Eficiência Energética: Regulamentação, Classificação e Conformidade Técnica. Roberto Lamberts

23/06/2010. Eficiência Energética: Regulamentação, Classificação e Conformidade Técnica. Roberto Lamberts Eficiência Energética: Regulamentação, Classificação e Conformidade Técnica Roberto Lamberts Oficina 09 junho de 2010 1 ETIQUETAGEM DE EDIFICAÇÕES Publicação: junho de 2009. EDIFÍCIOS ETIQUETADOS CETRAGUA

Leia mais

4 SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE CLIMATIZAÇÃO

4 SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE CLIMATIZAÇÃO 35 4 SISTEMAS E EQUIPAMENTOS DE CLIMATIZAÇÃO Em uma instalação de ar condicionado quando o circuito de refrigeração estiver desligado, teremos uma instalação de ventilação simples, onde são controlados

Leia mais

Evaporadores. Ciclo de refrigeração

Evaporadores. Ciclo de refrigeração Evaporadores Ciclo de refrigeração Evaporadores Função Extrair calor do meio a ser resfriado (ar, água ou outra substância). Processo Mudança de estado do gás refrigerante, da fase líquida para a fase

Leia mais

T (K) T (K) S (kj/kg K) S (kj/kg K)

T (K) T (K) S (kj/kg K) S (kj/kg K) Termodinâmica I Ano Lectivo 2007/08 1º Ciclo-2ºAno/2º semestre (LEAmb LEAN MEAer MEMec) 2º Exame, 11/Julho /2008 P1 Nome: Nº Sala Problema 1 (2v+2v+1v) Considere um sistema fechado constituído por um êmbolo

Leia mais

4ª aula Compressores (complemento) e Sistemas de Tratamento do Ar Comprimido

4ª aula Compressores (complemento) e Sistemas de Tratamento do Ar Comprimido 4ª aula Compressores (complemento) e Sistemas de Tratamento do Ar Comprimido 3ª Aula - complemento - Como especificar um compressor corretamente Ao se estabelecer o tamanho e nº de compressores, deve se

Leia mais

Módulo VII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Princípio de Conservação da Massa. Regime Permanente.

Módulo VII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Princípio de Conservação da Massa. Regime Permanente. Módulo VII - 1ª Lei da Termodinâmica Aplicada a Volume de Controle: Princípio de Conservação da Massa. Regime Permanente. Conservação da Massa A massa, assim como a energia, é uma propriedade que se conserva,

Leia mais

Considerações sobre psicrometria

Considerações sobre psicrometria Considerações sobre psicrometria utor: J. Fernando. ritto, engenheiro mecânico, sócio da driferco Engenharia, secretário da GEC-4 e membro do conselho editorial da revista SCC Contato: sbcc@sbcc.com.br

Leia mais

BOOSTER BOOSTER? Benefícios e vantagens PORQUE COMPRAR UM

BOOSTER BOOSTER? Benefícios e vantagens PORQUE COMPRAR UM Linha BOOSTER Agilidade, confiabilidade e eficiência BOOSTER Os compressores Schulz modelo SB, possuem como função principal elevar a pressão da rede de baixa pressão para até 40 bar (580 psi). Benefícios

Leia mais

Homologado pelos fabricantes de equipamentos

Homologado pelos fabricantes de equipamentos Homologado pelos fabricantes de equipamentos Confiabilidade e durabilidade são indispensáveis. A suspensão de uma sessão de radioterapia ou a perda de hélio em uma ressonância magnética precisam ser evitadas

Leia mais

TURMA DE ENGENHARIA - FÍSICA

TURMA DE ENGENHARIA - FÍSICA Prof Cazuza 1 (Uff 2012) O ciclo de Stirling é um ciclo termodinâmico reversível utilizado em algumas máquinas térmicas Considere o ciclo de Stirling para 1 mol de um gás ideal monoatônico ilustrado no

Leia mais

TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR

TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR TERMODINÂMICA EXERCÍCIOS RESOLVIDOS E TABELAS DE VAPOR Prof. Humberto A. Machado Departamento de Mecânica e Energia DME Faculdade de Tecnologia de Resende - FAT Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

Catálogo geral Fancoil

Catálogo geral Fancoil Catálogo geral Fancoil 1 Catálogo Técnico de unidades Intercambiadoras de calor Índice 1- Características Construtivas 3 2- Nomenclatura 4 3- Dados Nominais 5 4- Diâmetro dos coletores 7 5- Peso dos equipamentos

Leia mais

Bombas de Calor. O calor é o nosso elemento

Bombas de Calor. O calor é o nosso elemento Bombas de Calor 2º Seminário PPGS Carlos Barbosa TT/SPO-TRTR 1 Bombas de Calor Geotérmicas Índice Definições Funcionamento Performance Instalação Fontes de Problemas 2 Definições Definição de bomba de

Leia mais

CONTROLADORES PONTUAIS DE IRRIGAÇÃO

CONTROLADORES PONTUAIS DE IRRIGAÇÃO CONTROLADORES PONTUAIS DE IRRIGAÇÃO Adonai Gimenez Calbo & Washington L.C. Silva CAPÍTULO 10 Controladores de irrigação Irrigas são dispositivos pneumáticos que usam ar comprimido para acionar a aplicação

Leia mais

APLICAÇÕES ÁGUA QUENTE E VAPOR

APLICAÇÕES ÁGUA QUENTE E VAPOR O QUE É O VAPOR Como qualquer outro elemento, a água pode existir em estado sólido (gelo), líquido (água) e estado gasoso (). Neste capítulo, serão estudados os estados líquido e gasoso e a passagem de

Leia mais

Ar Condicionado e Refrigeração Carga Térmica

Ar Condicionado e Refrigeração Carga Térmica CARGA TÉRMICA Representa a quantidade de calor (sensível e/ou latente) a ser extraída do ar de um ambiente (no caso de verão) ou a ser fornecida ao ar de um ambiente (no caso de inverno) para que sejam

Leia mais

Capítulo XII. Ares condicionados. Condicionamento de energia. parte II. Necessidade real de ar condicionado de precisão

Capítulo XII. Ares condicionados. Condicionamento de energia. parte II. Necessidade real de ar condicionado de precisão 18 Capítulo XII Ares condicionados parte II Por Luís Tossi, John Niemann e Carlos Illuminati * Quais as principais diferenças dos sistemas de refrigeração destinados à missão crítica, se compararmos aos

Leia mais

Ventilação Aplicada à Engenharia de Segurança do Trabalho

Ventilação Aplicada à Engenharia de Segurança do Trabalho UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO ESPECIALIZAÇÃO em ENGENHARIA de SEGURANÇA do TRABALHO Ventilação Aplicada à Engenharia de Segurança do Trabalho (3ª Aula) Prof. Alex Maurício Araújo Recife - 2009 VGD

Leia mais

P.V 0, 248 kg R.T 4,12412.10. 273,15 20

P.V 0, 248 kg R.T 4,12412.10. 273,15 20 Um tanque rígido com 0,5 m contém hidrogênio à 20 º C e 600 kpa esta conectado com outro tanque rígido com 0,5 m também com hidrogênio. A pressão e a temperatura nesse segundo tanque são de 0 º C e 150

Leia mais

Funcionamento de uma Torre de Resfriamento de Água

Funcionamento de uma Torre de Resfriamento de Água Funcionamento de uma Torre de Resfriamento de Água Giorgia Francine Cortinovis (EPUSP) Tah Wun Song (EPUSP) 1) Introdução Em muitos processos, há necessidade de remover carga térmica de um dado sistema

Leia mais

SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO. Fábio Ferraz

SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO. Fábio Ferraz SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO Fábio Ferraz SISTEMAS DE REFRIGERAÇÃO Os principais sistemas de refrigeração são listados a seguir: Sistema de refrigeração por compressão; Sistema de refrigeração por absorção;

Leia mais

Módulo VIII Princípios da Psicrometria. Bulbo Seco e Úmido. Cartas Psicrométricas.

Módulo VIII Princípios da Psicrometria. Bulbo Seco e Úmido. Cartas Psicrométricas. Módulo VIII Princípios da Psicrometria. Bulbo Seco e Úmido. Cartas Psicrométricas. Ar Úmido Ar úmido significa uma mistura de ar seco (substância pura) mais vapor d água. É assumida que essa mistura comporta-se

Leia mais

14 CARGA TÉRMICA EM INSTALAÇÕES FRIGORÍFICAS

14 CARGA TÉRMICA EM INSTALAÇÕES FRIGORÍFICAS 177 14 CARGA TÉRMICA EM INSTALAÇÕES FRIGORÍFICAS Instalações frigoríficas são conjuntos de câmaras frias, que permitem, refrigerar, congelar e conservar pelo frio, produtos perecíveis, além de toda Infraestrutura

Leia mais

FCM 208 Física (Arquitetura)

FCM 208 Física (Arquitetura) Universidade de São Paulo Instituto de Física de São Carlos - IFSC FCM 208 Física (Arquitetura) Umidade e Conforto Prof. Dr. José Pedro Donoso O ar atmosférico contém sempre uma certa quantidade de vapor

Leia mais

AR COMPRIMIDO. Esse sistema compreende três componentes principais: o compressor, a rede de distribuição e os pontos de consumo.

AR COMPRIMIDO. Esse sistema compreende três componentes principais: o compressor, a rede de distribuição e os pontos de consumo. AR COMPRIMIDO Nos diversos processos industriais, os sistemas de ar comprimido desempenham papel fundamental na produção e representam parcela expressiva do consumo energético da instalação. Entretanto,

Leia mais

Água quente e vapor condensadoras evaporadoras água gelada aplicações especiais

Água quente e vapor condensadoras evaporadoras água gelada aplicações especiais Água quente e vapor condensadoras evaporadoras água gelada aplicações especiais Fábrica: Av. Brasil, 20.151 Coelho Neto Rio de Janeiro CEP 21.530-000 Telefax: (21 3372-8484 vendas@trocalor.com.br www.trocalor.com.br

Leia mais

Resfriamento evaporativo: poupando a energia e o meio ambiente

Resfriamento evaporativo: poupando a energia e o meio ambiente Resfriamento evaporativo: poupando a energia e o meio ambiente EVAPORATIVE COOLING AIR CONDITIONING SYSTEM: SAVING ENERGY AND THE ENVIRONMENT José Rui Camargo Departamento de Engenharia Mecânica Universidade

Leia mais

CURSOS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL CALENDÁRIO 2013

CURSOS DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL CALENDÁRIO 2013 S DE QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL CALENDÁRIO 2013 1 - Curso de Simulação de Edificações com o EnergyPlus (Edição 1) 8 e 9 de março 15 e 16 de março 5 e 6 de abril 19 e 20 de abril 2 - Curso de Psicrometria

Leia mais

Ar Condicionado Central VRF Ar de Confiança

Ar Condicionado Central VRF Ar de Confiança Impression TM Ar Condicionado Central VRF Ar de Confiança Impression Ar condicionado Central VRF Perfil do Produto A linha de produtos Impression é um novo conceito de condicionador de ar inteligente VRF

Leia mais

NOTAS DE AULA. Indústria Klabin - Fabricadora de Papel e Celulose S.A. Unidade de Negócio Paraná, Monte Alegre. Fonte: Velázquez (2006)

NOTAS DE AULA. Indústria Klabin - Fabricadora de Papel e Celulose S.A. Unidade de Negócio Paraná, Monte Alegre. Fonte: Velázquez (2006) NOTAS DE AULA Indústria Klabin - Fabricadora de Papel e Celulose S.A. Unidade de Negócio Paraná, Monte Alegre. Fonte: Velázquez (2006) Prof a Sílvia M.S.G. Velázquez Página 1 INTRODUÇÃO À TERMODINÂMICA

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA DO ESTADO DE SÃO PAULO

SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA DO ESTADO DE SÃO PAULO FL.: 1/8 SECRETARIA DE ESTADO DA CULTURA DO ESTADO DE SÃO PAULO SISTEMA DO AR CONDICIONADO CENTRO DE CULTURA, MEMÓRIA E ESTUDOS DA DIVERSIDADE SEXUAL DO ESTADO DE SÃO PAULO. LOJAS 515 e 518 - METRÔ REPÚBLICA

Leia mais

Secador e filtros para ar e gases. Garantia de ar comprimido puro e seco, aumento de produtividade e melhora na qualidade do ar na linha de produção.

Secador e filtros para ar e gases. Garantia de ar comprimido puro e seco, aumento de produtividade e melhora na qualidade do ar na linha de produção. Secador e filtros para ar e gases Garantia de ar comprimido puro e seco, aumento de produtividade e melhora na qualidade do ar na linha de produção. Secador e filtros para ar e gases Garantia de ar comprimido

Leia mais

1975-2014. On-Line. Conheça o grupo LAVOR www.lavorwash.com.br

1975-2014. On-Line. Conheça o grupo LAVOR www.lavorwash.com.br 1975-2014 Desde de 1975 a Lavor é uma das maiores fabricantes mundiais de sistemas de limpeza de alta tecnologia, constando atualmente com 7 fábricas no mundo. A Lavor projeta e produz máquinas para utilizações

Leia mais

Como mostra a tabela abaixo, quanto mais frio o ar, menor será o conteúdo de água, sob a forma de vapor.

Como mostra a tabela abaixo, quanto mais frio o ar, menor será o conteúdo de água, sob a forma de vapor. O AR ATMOSFÉRICO 1 - Composição O ar puro e seco é incolor, sem gosto e sem cheiro. É formado por uma mistura de gases na seguinte proporção (aproximada) Nitrogênio = 78 % Oxigênio = 21 % Outros gases

Leia mais

EQUILÍBRIO DA ATMOSFERA

EQUILÍBRIO DA ATMOSFERA EQUILÍBRIO DA ATMOSFERA AS CONDIÇÕES DE EQUILÍBRIO DO AR ATMOSFÉRICO. ESTÃO SEMPRE RELACIONADAS COM AS VARIAÇÕES DE TEMPERATURA DO AR AMBIENTE EM CONFRONTO COM A TEMPERATURA DE UMA PARCELA DE AR. VARIAÇÃO

Leia mais

CAPÍTULO II. 2.1. Ar Condicionado, refrigeração e refrigerante utilizado.

CAPÍTULO II. 2.1. Ar Condicionado, refrigeração e refrigerante utilizado. CAPÍTULO II 2 Ar condicionado automotivo. 2.1. Ar Condicionado, refrigeração e refrigerante utilizado. O condicionamento do ar é o processo que regula, artificialmente, a temperatura, o fluxo de ar, a

Leia mais

Atividade Complementar Plano de Estudo

Atividade Complementar Plano de Estudo 1. (Uerj 2014) Um sistema é constituído por uma pequena esfera metálica e pela água contida em um reservatório. Na tabela, estão apresentados dados das partes do sistema, antes de a esfera ser inteiramente

Leia mais

3 Bancada Experimental

3 Bancada Experimental Capítulo 3. Bancada Experimental -------------------------------------------------------------------- 29 3 Bancada Experimental Foi projetado e construído um aparato experimental para avaliar o desempenho

Leia mais

COMPRESSORES A PARAFUSO ROTATIVO

COMPRESSORES A PARAFUSO ROTATIVO COMPRESSORES A PARAFUSO ROTATIVO Compressor com sistema de válvula termostática, válvula de segurança, válvula de pressão mínima, separador e conexões para otimizar o funcionamento, coligados diretamente

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS E ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL. Cargo: ENGENHEIRO / ÁREA: MECÂNICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS E ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL. Cargo: ENGENHEIRO / ÁREA: MECÂNICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO PRÓ-REITORIA DE GESTÃO DE PESSOAS E ASSISTÊNCIA ESTUDANTIL CONCURSO PÚBLICO Edital 001/2014 Cargo: ENGENHEIRO / ÁREA: MECÂNICA Instruções 1. Aguarde autorização para

Leia mais

Aula 23 Trocadores de Calor

Aula 23 Trocadores de Calor Aula 23 Trocadores de Calor UFJF/Departamento de Engenharia de Produção e Mecânica Prof. Dr. Washington Orlando Irrazabal Bohorquez Definição: Trocadores de Calor Os equipamentos usados para implementar

Leia mais

Índice 1.0. HISTÓRICO DO AR CONDICIONADO... 4 2.0. CONCEITOS FUNDAMENTAIS... 6. 2.1. Calor... 6 2.2. Intensidade... 7 2.3. Quantidade de Calor...

Índice 1.0. HISTÓRICO DO AR CONDICIONADO... 4 2.0. CONCEITOS FUNDAMENTAIS... 6. 2.1. Calor... 6 2.2. Intensidade... 7 2.3. Quantidade de Calor... 1 Introdução O Ar Condicionado Central possui uma série de detalhes para que ele funcione de acordo com o esperado. Um bom projeto, uma instalação criteriosa, além evidentemente de equipamentos eficientes

Leia mais

O primeiro CHILLER nacional para área médico hospitalar

O primeiro CHILLER nacional para área médico hospitalar O primeiro CHILLER nacional para área médico hospitalar A América Latina escolheu a REFRISAT Seu processo pede a REFRISAT faz. Desde sua fundação em 1976, a REFRISAT é reconhecida principalmente por sua

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 APLICAÇÃO DE UM SISTEMA DE REFRIGERAÇÃO COM FLUIDO SECUNDÁRIO TERMOACUMULADO PARA CÂMARA DE ESTOCAGEM DE ALIMENTOS RESUMO JULIANO JOSÉ FIORI 1, MARCIU JOSÉ RENO 2, NATÁLIA BELCHIOR, VIVALDO SILVEIRA JÚNIOR

Leia mais

Refrigeração e Ar-Condicionado

Refrigeração e Ar-Condicionado Refrigeração e Ar-Condicionado Parte II Ciclo de Compressão, Balanço de Energia Trocadores de Calor, Dispositivos de Expansão Prof. Luiz Carlos Martinelli Jr. - DeTEC. SUMÁRIO INTRODUÇÃO...3 CICLO TEÓRICO

Leia mais

Trabalho Prático MEDIDA DA CONDUTIVIDADE TÉRMICA DE DIFERENTES MATERIAIS

Trabalho Prático MEDIDA DA CONDUTIVIDADE TÉRMICA DE DIFERENTES MATERIAIS Trabalho Prático MEDIDA DA CONDUTIVIDADE TÉRMICA DE DIFERENTES MATERIAIS Objectivo - Determinação da condutividade térmica de 5 diferentes materiais de construção. 1. Introdução O calor pode ser transferido

Leia mais

Se um sistema troca energia com a vizinhança por trabalho e por calor, então a variação da sua energia interna é dada por:

Se um sistema troca energia com a vizinhança por trabalho e por calor, então a variação da sua energia interna é dada por: Primeira Lei da Termodinâmica A energia interna U de um sistema é a soma das energias cinéticas e das energias potenciais de todas as partículas que formam esse sistema e, como tal, é uma propriedade do

Leia mais

ANALISADORES DE GASES

ANALISADORES DE GASES BGM BOMBA DE SUCÇÃO SÉRIE COMPACTA ANALISADORES DE GASES Descrição: Gera uma depressão no processo, succionando a amostra e criando a vazão exata para atender o tempo necessário de condicionamento do gás

Leia mais

ESTUDO DOS MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA

ESTUDO DOS MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA ESTUDO DOS MOTORES DE COMBUSTÃO INTERNA Luiz Atilio Padovan Prof. Eng. Agrônomo EVOLUÇÃO DA MECANIZAÇÃO 1 TREM DE FORÇA SISTEMA MECÂNICO Diferencial Motor Câmbio Embreagem FUNCIONAMENTO DO MOTOR Motor

Leia mais

NR 13 NORMA REGULAMENTADORA 13

NR 13 NORMA REGULAMENTADORA 13 NR 13 NORMA REGULAMENTADORA 13 CUSTOS VISÍVEIS MÃO DE OBRA MATERIAIS SERVIÇOS DE TERCEIROS C U S T O S I N V I S I V E I S CUSTO DE MANUTENÇÃO / CUSTOS TOTAIS CUSTO DE MANUTENÇÃO / FATURAMENTO CUSTOS

Leia mais

Desumidificador. Desidrat Plus IV Desidrat Plus V

Desumidificador. Desidrat Plus IV Desidrat Plus V Desumidificador Desidrat Plus IV Desidrat Plus V Obrigado por escolher esse produto. Por favor, leia esse manual de instrução antes de usar o aparelho. Índice: Introdução do Produto... 1 Instrução de Uso...

Leia mais

3 Projeto do condicionador

3 Projeto do condicionador 3 Projeto do condicionador O projeto de um sistema térmico é um processo que envolve a aplicação de princípios físicos, materiais e dispositivos para controle e gerenciamento de fluxos de calor e massa.

Leia mais

Condicionamento de Ar

Condicionamento de Ar Condicionamento de Ar Instituto Federal de Brasília Sumário Introdução Tipos de Condicionadores de ar Vantagens e desvantagens Introdução Refrigeração por Compressão de Vapor Introdução Refrigeração por

Leia mais

AR CONDICIONADO SOLAR

AR CONDICIONADO SOLAR ISO 9001 : 2008 Engenharia do Ar Condicionado De 08/04/2013 a 12/04/2013 Capítulo Especial sobre AR CONDICIONADO SOLAR Local: Hotel Windsor Guanabara Av. Presidente Vargas, 392 Centro Rio de Janeiro RJ

Leia mais

Serviço duplo Theta BFC, SGE, SGS para capacidade de aquecimento de 20/30/40 kw

Serviço duplo Theta BFC, SGE, SGS para capacidade de aquecimento de 20/30/40 kw Serviço duplo heta BFC, SGE, SGS para capacidade de aquecimento de 20/30/40 kw Módulo para aquecimento através da instalação de água quente para uso doméstico Serpentina de placas com bomba de AQS, válvula

Leia mais

Ar Condicionado. Linha Mini Split. Linha Completa para o Conforto Térmico. piso teto

Ar Condicionado. Linha Mini Split. Linha Completa para o Conforto Térmico. piso teto Ar Condicionado Linha Mini Split VOCÊ CRIA O AMBIENTE, NÓS CRIAMOS O CLIMA. CASSETE piso teto Linha Completa para o Conforto Térmico Cassete Apresentação Os aparelhos Cassete são discretos tanto por seu

Leia mais

FIPAI Fundação para o Incremento da Pesquisa e do Aperfeiçoamento Industrial Tomada de Preço nº. 003/2013 Processo Finep nº 01.09.0563.

FIPAI Fundação para o Incremento da Pesquisa e do Aperfeiçoamento Industrial Tomada de Preço nº. 003/2013 Processo Finep nº 01.09.0563. ESPECIFICAÇÕES DOS EQUIPAMENTOS LOTE 01 Especificar Sistema de Geração de Ar Comprimido, incluindo compressor, secador por adsorção e filtros coalescentes Diagrama Pneumático. Confirmar detalhes com equipe

Leia mais

CALORIMETRIA, MUDANÇA DE FASE E TROCA DE CALOR Lista de Exercícios com Gabarito e Soluções Comentadas

CALORIMETRIA, MUDANÇA DE FASE E TROCA DE CALOR Lista de Exercícios com Gabarito e Soluções Comentadas COLÉGIO PEDRO II PRÓ-REITORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA, EXTENSÃO E CULTURA PROGRAMA DE RESIDÊNCIA DOCENTE RESIDENTE DOCENTE: Marcia Cristina de Souza Meneguite Lopes MATRÍCULA: P4112515 INSCRIÇÃO: PRD.FIS.0006/15

Leia mais

Secador de Ar por Refrigeração CPX. Produtos de Alta Performance. Desenvolvidos para você!

Secador de Ar por Refrigeração CPX. Produtos de Alta Performance. Desenvolvidos para você! Secador de Ar por Refrigeração CPX 2011 Produtos de Alta Performance. Desenvolvidos para você! Secador de Ar CPX 2. Condensados O ar comprimido produzido pelos compressores contém vapor de água que poderá

Leia mais

Comunicado Técnico nº 5

Comunicado Técnico nº 5 Comunicado Técnico nº 5 O Uso do Vapor e das Caldeiras na Gestão da Umidade nas Algodoeiras Giancarlo Goldoni Jr. 1. O que é vapor? O vapor pode ser definido como um gás resultante da mudança de estado

Leia mais

Propriedades de uma Substância Pura

Propriedades de uma Substância Pura Propriedades de uma Substância Pura A substância pura Composição química invariável e homogênea. Pode existir em mais de uma fase, porém sua composição química é a mesma em todas as fases. Equilíbrio Vapor-líquido-sólido

Leia mais

Aula 2: Calorimetria

Aula 2: Calorimetria Aula 2: Calorimetria Imagine uma xícara de café quente e uma lata de refrigerante gelada em cima de uma mesa. Analisando termicamente, todos nós sabemos que com o passar do tempo a xícara irá esfriar e

Leia mais

Geradoras de água quente ("caldeiras") Soluções eficientes e sustentáveis para aquecimento de água, geração de vapor e cogeração

Geradoras de água quente (caldeiras) Soluções eficientes e sustentáveis para aquecimento de água, geração de vapor e cogeração Geradoras Logano e controladores Logamatic 1 Geradoras de água quente ("caldeiras") Soluções eficientes e sustentáveis para aquecimento de água, geração de vapor e cogeração 2 Geradoras Logano e controladores

Leia mais

Universidade Federal do Piauí Mestrado em Agronomia Clima e Agricultura. Umidade do ar. Francisco Edinaldo Pinto Mousinho

Universidade Federal do Piauí Mestrado em Agronomia Clima e Agricultura. Umidade do ar. Francisco Edinaldo Pinto Mousinho Universidade Federal do Piauí Mestrado em Agronomia Clima e Agricultura Umidade do ar Francisco Edinaldo Pinto Mousinho Teresina, março-2010 Umidade do ar A água é a única substância que ocorre nas três

Leia mais

Curso de Farmácia. Operações Unitárias em Indústria Prof.a: Msd Érica Muniz 6 /7 Período DESTILAÇÃO

Curso de Farmácia. Operações Unitárias em Indústria Prof.a: Msd Érica Muniz 6 /7 Período DESTILAÇÃO Curso de Farmácia Operações Unitárias em Indústria Prof.a: Msd Érica Muniz 6 /7 Período DESTILAÇÃO 1 Introdução A destilação como opção de um processo unitário de separação, vem sendo utilizado pela humanidade

Leia mais

Estalo Desenvolvimento e Tecnologia Rua Ismael Carlos Correia, 107 CEP 89221-520 - Joinville - SC estalo@estalo.com.br

Estalo Desenvolvimento e Tecnologia Rua Ismael Carlos Correia, 107 CEP 89221-520 - Joinville - SC estalo@estalo.com.br Estalo Thermal Design Conteúdo Apresentação...4 1.1 O QUE É O ESTALO THERMAL DESIGN?...4 1.2 ONDE ELE SE APLICA?...4 1.3 COMO SE REALIZA A ENTRADA DE DADOS?...4 Ajuda para utilização do programa...5 2.1

Leia mais

Tecnologia solar de alta eficiência para aquecimento de água

Tecnologia solar de alta eficiência para aquecimento de água [ Ar ] [ Água ] [ Terra ] Tecnologia Solar [ Buderus ] Tecnologia solar de alta eficiência para aquecimento de água Coletores Logasol Controladores Logamatic Estação Logasol Vasos de expansão Bomba circuladora

Leia mais

cap. 4 - GERADORES DE VAPOR

cap. 4 - GERADORES DE VAPOR cap. 4 - GERADORES DE VAPOR 1 - Introdução Vapor de água é usado como meio de geração, transporte e utilização de energia desde os primórdios do desenvolvimento industrial. Inúmeras razões colaboraram

Leia mais

754/2014-6 EMBRAMAR COMERCIO E SERVIÇOS EM GERAL LTDA ME. R$ 239,90 70.0

754/2014-6 EMBRAMAR COMERCIO E SERVIÇOS EM GERAL LTDA ME. R$ 239,90 70.0 ITEM QTDE UND DESCRICAO PAMCS Empresa Valor SALDO. Unitário 1 70.0 UN CIRCULADOR DE AR. CIRCULADOR DE AR TURBO CIRCULADOR, 45CM. POTENCIA: 150W COM 3 VELOCIDADES. INCLINAVEL: PERMITE DIRECIONAR O AR DE

Leia mais

Sistema de Fluxo de Água Variável Oferecendo resfriamento de conforto superior. 60 Hz e 50 Hz

Sistema de Fluxo de Água Variável Oferecendo resfriamento de conforto superior. 60 Hz e 50 Hz Sistema de Fluxo de Variável Oferecendo resfriamento de conforto superior 60 Hz e 50 Hz Solução inovadora de conforto A Trane, líder global no fornecimento de sistemas, soluções e serviços HVAC, oferece

Leia mais

Linha completa de aquecimento para banho e piscina Coletores solares Heliotek A força da nova geração

Linha completa de aquecimento para banho e piscina Coletores solares Heliotek A força da nova geração Linha completa de aquecimento para banho e piscina Coletores solares Heliotek A força da nova geração Ao contrário dos coletores comuns, que perdem a eficiência com o passar dos anos, os novos coletores

Leia mais

04/05/2012 TROCADORES DE CALOR

04/05/2012 TROCADORES DE CALOR TROCADORES DE CALOR Trocador ou permutador de calor é um equipamento utilizado para aquecer, resfriar, vaporizar ou condensar fluídos de acordo com as necessidades do processo, utilizando-se uma parede

Leia mais

ECONOMIA DE ENERGIA ELETRICA COM USO RACIONAL DE AR COMPRIMIDO

ECONOMIA DE ENERGIA ELETRICA COM USO RACIONAL DE AR COMPRIMIDO ECONOMIA DE ENERGIA ELETRICA COM USO RACIONAL DE AR COMPRIMIDO CONSUMO DE ENERGIA E AR COMPRIMIDO NA INDÚSTRIA Consumo de Energia 20% 50% 30% Fornec.de ar Refrigeração Outros Consumo de Ar Comprimido 10%

Leia mais

AEFICIÊNCIA. Chillers Turbotosi MS220 - Condensação a Ar Dados Técnicos R134A SEM ÓLEO EVAPORADOR INUNDADO OPERAÇÃO RESFRIAMENTO COMPRESSOR CENTRÍFUGO

AEFICIÊNCIA. Chillers Turbotosi MS220 - Condensação a Ar Dados Técnicos R134A SEM ÓLEO EVAPORADOR INUNDADO OPERAÇÃO RESFRIAMENTO COMPRESSOR CENTRÍFUGO MS220 - Condensação SEM ÓLEO AEFICIÊNCIA EVAPORADOR INUNDADO OPERAÇÃO RESFRIAMENTO COMPRESSOR CENTRÍFUGO REFRIGERANTE R134A CONDENSADOR AXIAL Seleção Rápida - Turbotosi com Condensação MODELO CAPACIDADE

Leia mais

2363 - Pesquisa de corpo estranho. (a) kcal/. kg ºC (b) joule/molg.ºk (c) Torr. 1/molg.ºK (d) At.m 3 /molg.ºk (e) At.l/molg.ºK

2363 - Pesquisa de corpo estranho. (a) kcal/. kg ºC (b) joule/molg.ºk (c) Torr. 1/molg.ºK (d) At.m 3 /molg.ºk (e) At.l/molg.ºK 10 2361 - Em um recipiente de capacidade igual a 10 litros reuniram 5 litros de hidrogênio é pressão de 20 atmosferas e 10 litros de oxigênio à pressão de 10 atmosferas. A pressão final é: (a) 10 atmosferas

Leia mais

Termostatos Digitais para Fancoil Série T6000

Termostatos Digitais para Fancoil Série T6000 Instruções de Instalações Data de Publicação Série T2000 1º de Julho de 2003 Termostatos Digitais para Fancoil Série T6000 Aplicação IMPORTANTE: Utilize o Termostato Digital para Fancoils da Série T6000

Leia mais

Compressor de Ar Portátil de Alta Pressão

Compressor de Ar Portátil de Alta Pressão Compressor de Ar Portátil de Alta Pressão (200BAR/3000PSI/20MPa) 0 Atenção Importante! Este COMPRESSOR DE AR PORTÁTIL DE ALTA PRESSÃO deve ser utilizado exclusivamente para a recarga do ar comprimido diretamente

Leia mais

Inversores de Freqüência na Refrigeração Industrial

Inversores de Freqüência na Refrigeração Industrial ersores de Freqüência na Refrigeração Industrial Os inversores de freqüência possuem um vasto campo de aplicações dentro da área de refrigeração industrial. São utilizados nas bombas de pressurização,

Leia mais

Disciplina : Hidráulica e Pneumática Aula 1: Introdução

Disciplina : Hidráulica e Pneumática Aula 1: Introdução Curso: Técnico em Mecânica Disciplina : Hidráulica e Pneumática Aula 1: Introdução Prof. Evandro Rodrigo Dário, Dr. Eng. Estrutura da aula Introdução O circuito H&P quanto ao fluido Aplicações e exemplos

Leia mais

Exercício 1: Calcular a declividade média do curso d água principal da bacia abaixo, sendo fornecidos os dados da tabela 1:

Exercício 1: Calcular a declividade média do curso d água principal da bacia abaixo, sendo fornecidos os dados da tabela 1: IPH 111 Hidráulica e Hidrologia Aplicadas Exercícios de Hidrologia Exercício 1: Calcular a declividade média do curso d água principal da bacia abaixo, sendo fornecidos os dados da tabela 1: Tabela 1 Características

Leia mais

COMPLEMENTAÇÃO DE LAUDO TÉCNICO NOVO PAVILHÃO DO PEA - CAD. 590

COMPLEMENTAÇÃO DE LAUDO TÉCNICO NOVO PAVILHÃO DO PEA - CAD. 590 COMPLEMENTAÇÃO DE LAUDO TÉCNICO NOVO PAVILHÃO DO PEA - CAD. 590 QUESITOS PROPOSTOS PELA PROMOTORIA: 1) O que é Tbu Tbs TG UR e var fl. 6 Tbu temperatura de bulbo úmido Tbs temperatura de bulbo seco TG

Leia mais

GERADORES DE VAPOR GERADORES DE VAPOR

GERADORES DE VAPOR GERADORES DE VAPOR Universidade Federal do Paraná Curso de Engenharia Industrial Madeireira MÁQUINAS TÉRMICAS AT-056 M.Sc. Alan Sulato de Andrade alansulato@ufpr.br 1 DEFINIÇÃO: Geradores de Vapor (GV s) podem ser considerados

Leia mais

Desenvolvimento de projetos de sistemas de ar condicionado para salas limpas. qualidade do ar

Desenvolvimento de projetos de sistemas de ar condicionado para salas limpas. qualidade do ar Arquivo Nova Técnica Desenvolvimento de projetos de sistemas de ar condicionado para salas limpas 14 Para o desenvolvimento do projeto de climatização de salas limpas, o ponto de partida é a análise da

Leia mais

AR CONDICIONADO E CO-GERAÇÃO DE ENERGIA

AR CONDICIONADO E CO-GERAÇÃO DE ENERGIA 1 SEMINÁRIO DE ENGENHARIA DE ENERGIA PUC-MINAS - 20 de Abril de 2007 AR CONDICIONADO E CO-GERAÇÃO DE ENERGIA Marco Tulio Starling de Vasconcellos marcotulio@tuma.com.br - Tel: (31) 2111-0053 www.tuma.com.br

Leia mais

Chamamos de sistema individual quando um equipamento alimenta um único aparelho.

Chamamos de sistema individual quando um equipamento alimenta um único aparelho. AULA 11 SISTEMA PREDIAIS DE ÁGUA QUENTE 1. Conceito e classificação O sistema de água quente em um edificação é totalmente separado do sistema de água-fria. A água quente deve chegar em todos os pontos

Leia mais

Sistema de ar condicionado com Fluxo de Refrigerante Variável

Sistema de ar condicionado com Fluxo de Refrigerante Variável 2009 Sistema de ar condicionado com Fluxo de Refrigerante Variável As melhores soluções: versatilidade, eficiência, sustentabilidade ambiental com a nova linha MULTI V 2009 Sistema de ar condicionado com

Leia mais

Caldeiras Manoel O. A. Méndez

Caldeiras Manoel O. A. Méndez Caldeiras Manoel O. A. Méndez FEAU - Faculdade de Engenharia Arquitetura e Urbanismo 12 de agosto de 2015 Manoel Méndez Caldeiras 1/24 Sumário Introdução 1 Introdução 2 Descoberta do vapor Uso do vapor

Leia mais

Sistemas de Climatização

Sistemas de Climatização Sistemas de Climatização PROFESSOR: FÁBIO FERRAZ 1 SISTEMAS DE CLIMATIZAÇÃO Climatizar ambientes - processo de tratamento de ar em recintos fechados, de modo a controlar simultaneamente a sua temperatura,

Leia mais

Conheça o Sistema Flex da Peugeot, interessante - por HUGOMELO

Conheça o Sistema Flex da Peugeot, interessante - por HUGOMELO Conheça o Sistema Flex da Peugeot, interessante - por HUGOMELO Conheça as características e os procedimentos para manutenção e diagnóstico do sistema de injeção eletrônica dos motores 1.4 e 1.6 bicombustíveis

Leia mais

Verdemar é o primeiro supermercado da América Latina que utiliza CO 2 como fluido refrigerante

Verdemar é o primeiro supermercado da América Latina que utiliza CO 2 como fluido refrigerante Relato de caso Verdemar é o primeiro supermercado da América Latina que utiliza CO 2 como fluido refrigerante Fachada do supermercado Verdemar, primeiro supermercado na América Latina com CO 2 Projeto

Leia mais

PLASTEEL MASSA 4:1 PLASTEEL MASSA

PLASTEEL MASSA 4:1 PLASTEEL MASSA PLASTEEL MASSA 4:1 PLASTEEL MASSA 4:1 é um composto epóxi bi-componente com carga metálica, característica de massa na cor preta, pode ser aplicado com espátula, cura a frio, substituindo de maneira muito

Leia mais

UM OLHAR SOBRE O COMPRESSOR NOS CONSULTÓRIOS E CLÍNICAS ODONTOLÓGICAS

UM OLHAR SOBRE O COMPRESSOR NOS CONSULTÓRIOS E CLÍNICAS ODONTOLÓGICAS UM OLHAR SOBRE O COMPRESSOR NOS CONSULTÓRIOS E CLÍNICAS ODONTOLÓGICAS NAS INSPEÇÕES DE CONSULTÓRIOS E CLÍNICAS ODONTOLÓGICAS ATÉ RECENTEMENTE NÃO ERA DADA A DEVIDA ATENÇÃO AO COMPRESSOR - TIPO - LOCAL

Leia mais

NOVAS TECNOLOGIAS PARA ISOLAMENTO Palestra TÉRMICO DE TUBULAÇÕES E DUTOS

NOVAS TECNOLOGIAS PARA ISOLAMENTO Palestra TÉRMICO DE TUBULAÇÕES E DUTOS NOVAS TECNOLOGIAS PARA ISOLAMENTO Palestra TÉRMICO DE TUBULAÇÕES E DUTOS 1 EFEITOS DA UMIDADE NO DESEMPENHO E VIDA ÚTIL DE INSTALAÇÕES HVAC-R Palestrante Antonio Luís de Campos Mariani Escola Politécnica

Leia mais

BOMBAS DE CALOR PARA A.Q.S. AQUASMART AQUASMART SPLIT SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE

BOMBAS DE CALOR PARA A.Q.S. AQUASMART AQUASMART SPLIT SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE BOMBAS DE CALOR PARA A.Q.S. AQUASMART AQUASMART SPLIT SOLUÇÕES DE ÁGUA QUENTE Índice Bombas de Calor para A.Q.S. Um novo grau de eficiência Sistemas eficientes de aquecimento de águas 03 Serviços de Apoio

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ TÁRIK LINHARES TEBCHIRANI

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ TÁRIK LINHARES TEBCHIRANI UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ TÁRIK LINHARES TEBCHIRANI ANÁLISE TERMODINÂMICA EXPERIMENTAL DE UM SISTEMA DE AR CONDICIONADO SPLIT UTILIZANDO UM TROCADOR DE CALOR LINHA DE SUCÇÃO/LINHA DE LÍQUIDO CURITIBA

Leia mais

MERCOFRIO 2000 - CONGRESSO DE AR CONDICIONADO, REFRIGERAÇÃO, AQUECIMENTO E VENTILAÇÃO DO MERCOSUL PROGRAMA DE SELEÇÃO DE FAN-COILS

MERCOFRIO 2000 - CONGRESSO DE AR CONDICIONADO, REFRIGERAÇÃO, AQUECIMENTO E VENTILAÇÃO DO MERCOSUL PROGRAMA DE SELEÇÃO DE FAN-COILS ERCOFRIO 2000 - CONGRESSO DE AR CONDICIONADO, REFRIGERAÇÃO, AQUECIENTO E VENTILAÇÃO DO ERCOSUL PROGRAA DE SELEÇÃO DE FAN-COILS João C. B. Schmitt - e-mail jschmitt @portoweb.com.br Universidade Federal

Leia mais