ÂMBITO DE INGERÊNCIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO NAS FUNDAÇÕES - FGI - Escritório de Advocacia em Ter, 07 de Agosto de :10

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ÂMBITO DE INGERÊNCIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO NAS FUNDAÇÕES - FGI - Escritório de Advocacia em Ter, 07 de Agosto de :10"

Transcrição

1 Tema interessante, de grande aplicação relativamente à autuação das fundações, diz respeito ao âmbito de ingerência do Ministério Público nas referidas entidades. No Estado do Paraná, na missão de fiscalizar as fundações, o Órgão Ministerial tem invocado o artigo 61 da Resolução n.º 2.434/02 de sua Procuradoria Geral de Justiça. Referido dispositivo assim reza: 1 / 8

2 Art. 61. Os integrantes dos órgãos deliberativo, executivo e de fiscalização das fundações, e as empresas ou entidades das quais sejam aqueles ou seus parentes até 2º grau, diretores, gerentes, sócios ou acionistas, não poderão efetuar, com ditas fundações, negócios de qualquer natureza, direta ou indiretamente, salvo em favor da fundação, a título gratuito. Referida disposição, contudo, conflita não somente com a lei, mas principalmente com a Constituição Federal, senão veja-se. Como sabido, o artigo 22, inciso I da Constituição Federal prevê a competência privativa da União para legislar sobre direito civil e, portanto, sobre fundações. No exercício dessa atribuição, foi editado o Código Civil (Lei n.º /2002), que no Capítulo III do Título II disciplina a criação e o funcionamento das fundações, com seguinte redação no seu artigo 66: 2 / 8

3 Art. 66. Velará pelas fundações o Ministério Público do Estado onde situadas (sublinhamos). O Ministério Público, como se vê, não detém competência para legislar sobre fundações, porquanto a matéria foi normatizada no Código Civil, como decorrência da atribuição privativa da União contemplada na Constituição Federal. A atuação do órgão ministerial, portanto, consiste em velar ou fiscalizar as fundações, assegurando a observância da lei pelas referidas entidades. Segundo bem assinala José Eduardo Sabo PAES, analisando o alcance do termo velar constante do artigo 26 do Código Civil de 1916, reproduzido na norma acima transcrita: 3 / 8

4 Essa definição, embora esclarecendo alcance do verbo utilizado pelo artigo 26 do Código Civil, não define os contornos da atuação desse órgão do Ministério Público; ao contrário, deixa-a ampla demais, levando à falsa idéia de que a atribuição do Ministério Público no tocante às fundações é ilimitada, sem qualquer contorno legal, visto não existir, no ordenamento jurídico nacional, especificação taxativa das atribuições do Ministério Público em relação à tutela ou acompanhamento das fundações [...] [1] (sublinhamos). Pautado nessa premissa, a disposição contida no artigo 61 da Resolução n.º 2.434/02 da Procuradoria Geral de Justiça conflita de forma flagrante com o artigo 22, I da Constituição Federal, denotando inequívoca usurpação da competência da União, a qual cabe legislar, reafirme-se, de forma privativa sobre direito civil. Tanto que, desincumbindo-se desse mister, fez editar o Código Civil, que nenhuma vedação contempla ao tratar das contratações realizadas pelas fundações. 4 / 8

5 Ainda a respeito do tema, convém atentar para a lição de Gustavo Saad DINIZ, para quem o exercício das atribuições fiscalizadoras do Ministério Público que decorrem do sentido genérico da sua missão, envolve a atuação de caráter meramente administrativo, que dispensa a regulação nas leis processuais [2] (grifamos). Sendo assim, não poderia a Procuradoria Geral de Justiça ter legislado sobre matéria afeta às fundações, estabelecendo vedação não prevista em lei. No exercício de sua função de fiscalização, pode e, aliás, deve editar atos com a finalidade de disciplinar as previsões legais, mas jamais inovar o ordenamento jurídico, restringindo o exercício de direitos com a criação de óbices não contemplados pelo ente federativo dotado de competência constitucional para legislar a respeito do tema. A propósito do tema, segundo bem assenta Alexandre de MORAES, ao discorrer sobre as atribuições do Ministério Público previstas no artigo 129 da Constituição Federal, outras funçõ es podem ser previstas em nível estadual, seja pelas Constituições Estaduais, seja pelas diversas leis complementares dos Estados-membros, desde que adequadas à finalidade constitucional do Ministério Público [3] (grifamos). Note-se, que sequer o artigo 120 da Constituição do Estado do Paraná contempla 5 / 8

6 competência para que o órgão ministerial possa legislar sobre o tema em análise. Assim, não se nega em absoluto a relevância do Ministério Público, enquanto instituição incumbida da defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis razão pela qual, inclusive, dispõe de mecanismos judiciais para a realização dessas nobres funções. O que não se pode, evidentemente, é em nome dessa atuação extrapolar os limites traçados na Constituição Federal e na legislação infraconstitucional, como já anotado, restringindo direitos e garantias individuais, como a do livre exercício do trabalho, ofício ou profissão (CF - art. 5º, XIII). Tal proceder, para além disso, viola frontalmente direitos e garantias fundamentais, como aquela prevista no artigo 5º, inciso II da Constituição Federal, segundo a qual ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer alguma coisa senão em virtude de lei (grifamos). 6 / 8

7 Note-se, que a evidência da impossibilidade do Ministério Público legislar decorre do próprio artigo 127, 2º da Constituição Federal, que lhe atribui apenas a iniciativa de lei para as matérias afetas ao desempenho de suas atividades [4]. Aliás, segundo referida norma constitucional: 2º. Ao Ministério Público assegurada autonomia funcional e administrativa, podendo, observado o disposto no Art. 169, propor ao Poder Legislativo a criação e extinção de seus cargos e serviços auxiliares, provendo-os por concurso público de provas ou de provas e títulos, a política remuneratória e os planos de carreira; a lei disporá sobre sua organização e funcionamento (sublinhamos). Calha notar, ademais, que a Lei n.º 9.790/99, em seu artigo 4º, inciso VI aqui aplicável por analogia, contempla a possibilidade de contratação remunerada de dirigentes e prestadores de serviços das Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público, sem estabelecer qualquer restrição, muito menos em decorrência do exercício de outras funções pelos contratados ou de vínculo de parentesco. Sendo assim, se até mesmo tais entidades, que embora privadas desempenham atividades públicas em parceria com o Estado, podem remunerar seus dirigentes e contratados ainda que membros dos órgãos da entidade ou parentes, qual a razão de vedar semelhante procedimento para as fundações privadas? 7 / 8

8 Postas essas considerações, constata-se que a disposição contida no artigo 61 da Resolução n.º 2.434/02 da Procuradoria Geral de Justiça do Estado do Paraná mostra-se incompatível com a ordem constitucional e, portanto, inaplicável para a finalidade de imposição de qualquer sanção sobre as fundações em decorrência de fiscalizações realizadas pelo Ministério Público. [1] Fundações e entidades de interesse social: aspectos jurídicos, administrativos, contábeis e tributários. Brasília: Brasília Jurídica, p [2] Direito das fundações privadas: teoria geral e exercício de atividades econômicas. 2ª ed. Porto Alegre: Síntese, p [3] Direito constitucional. 16ª ed. São Paulo: Atlas, p [4] A propósito: MORAES, Alexandre de. Direito Constitucional. 16ª ed. São Paulo: Atlas, ps. 552/ / 8

LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Módulo Especial

LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Módulo Especial LEGISLAÇÃO ESPECÍFICA DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO Módulo Especial CONCURSO: Ministério Público da União CARGO: Técnico e Analista do MPU PROFESSOR: Rodolpho Bacchi Este curso é protegido por direitos

Leia mais

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988

CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL 1988 TÍTULO IV DA ORGANIZAÇÃO DOS PODERES CAPÍTULO IV DAS FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA Seção I Do Ministério Público Art. 127. O Ministério Público é instituição

Leia mais

Direito Processual. Ministério Público no Processo Penal. Professor Joerberth Nunes.

Direito Processual. Ministério Público no Processo Penal. Professor Joerberth Nunes. Direito Processual Ministério Público no Processo Penal Professor Joerberth Nunes www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Processual MINISTÉRIO PÚBLICO NO PROCESSO PENAL CONSTITUIÇÃO FEDERAL CAPÍTULO IV

Leia mais

A OBRIGATORIEDADE DE AS EMPRESAS PROMOVEREM O PREENCHIMENTO DE CARGOS COM PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA E REABILITADOS

A OBRIGATORIEDADE DE AS EMPRESAS PROMOVEREM O PREENCHIMENTO DE CARGOS COM PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA E REABILITADOS A OBRIGATORIEDADE DE AS EMPRESAS PROMOVEREM O PREENCHIMENTO DE CARGOS COM PESSOAS PORTADORAS DE DEFICIÊNCIA E REABILITADOS Dinorá Carla de Oliveira Rocha Fernandes 1 Nos últimos anos as empresas têm sido

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Direito Administrativo Introdução e Fundamentos Constitucionais da Licitação Professora Tatiana Marcello www.acasadoconcurseiro.com.br Direito Administrativo INTRODUÇÃO E FUNDAMENTOS CONSTITUCIONAIS DA

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: ÓRGÃOS

ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: ÓRGÃOS ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: ÓRGÃOS : Sentidos CONTEXTUALIZAÇÃO Papel do Estado COMPREENDENDO A TERMINOLOGIA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Sentido Objetivo Função Administrativa Hely Lopes: administração pública Foco

Leia mais

FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA: DEFENSORIA PÚBLICA E

FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA: DEFENSORIA PÚBLICA E FUNÇÕES ESSENCIAIS À JUSTIÇA: MINISTÉRIO PÚBLICO, DEFENSORIA PÚBLICA E ADVOCACIA Profª Me. Érica Rios erica.carvalho@ucsal.br MINISTÉRIO PÚBLICO Definição: instituição permanente e essencial à função jurisdicional

Leia mais

ARTIGO: O controle incidental e o controle abstrato de normas

ARTIGO: O controle incidental e o controle abstrato de normas ARTIGO: O controle incidental e o controle abstrato de normas Luís Fernando de Souza Pastana 1 RESUMO: Nosso ordenamento jurídico estabelece a supremacia da Constituição Federal e, para que esta supremacia

Leia mais

(TRT-RJ / TÉCNICO JUDICIÁRIO ÁREA ADMINISTRATIVA / CESPE / 2008) DIREITO CONSTITUCIONAL

(TRT-RJ / TÉCNICO JUDICIÁRIO ÁREA ADMINISTRATIVA / CESPE / 2008) DIREITO CONSTITUCIONAL DIREITO CONSTITUCIONAL 31. Acerca de competência legislativa, assinale a opção correta. (a) Compete aos estados legislar sobre direito agrário. (b) Segundo a teoria dos poderes remanescentes, hoje aplicada

Leia mais

1 Prazos de encaminhamento e de aprovação do projeto de LOA

1 Prazos de encaminhamento e de aprovação do projeto de LOA ESTUDO DE PONTOS CONTROVERSOS DA LOA Robison Carlos Miranda Pereira* Ementa: O objetivo deste estudo é apresentar a solução para três pontos controversos relacionados ao processo de elaboração e aprovação

Leia mais

TEMA 1: ORGANIZAÇÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA DO ESTADO BRASILEIRO

TEMA 1: ORGANIZAÇÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA DO ESTADO BRASILEIRO TEMA 1: ORGANIZAÇÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA DO ESTADO BRASILEIRO A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº, DE 2016 (DO SR. MAURÍCIO QUINTELLA LESSA)

PROJETO DE LEI Nº, DE 2016 (DO SR. MAURÍCIO QUINTELLA LESSA) PROJETO DE LEI Nº, DE 2016 (DO SR. MAURÍCIO QUINTELLA LESSA) Altera dispositivos da Lei nº 9.096, de 19 de setembro de 1995 (Lei dos Partidos Políticos). O Congresso Nacional decreta: Art. 1º - Fica alterado

Leia mais

STF CNJ STJ TST STM TSE TRT TRE TJM JEF JEC

STF CNJ STJ TST STM TSE TRT TRE TJM JEF JEC STF CNJ TSE TST STJ STM TRE TRT TU TRF TJ TJM TR TR JE JT JF JÚRI JD JÚRI CJM CJM JEF JEC STF CNJ TSE TST STJ STM TRE TRT TRF TJ TJM TU JE JT TR JF JÚRI JD JÚRI TR CJM CJM Justiça Especializa JEF Justiça

Leia mais

LEGISLAÇÃO APLICADA AO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO PROF. GIL SANTOS

LEGISLAÇÃO APLICADA AO MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO PROF. GIL SANTOS AULA 1 EXERCÍCIOS DEFINIÇÃO MINISTÉRIO PÚBLICO 1)Ao tratar das funções essenciais à justiça, estabelece a Constituição Federal, com relação ao Ministério Público, que: A) incumbe-lhe a defesa da ordem

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 95, DE

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 95, DE SENADO FEDERAL PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 95, DE 2011 O CONGRESSO NACIONAL decreta: Altera a Lei nº 8.906, de 04 de julho de 1994, para ampliar o conceito de atividade de advocacia, atividade jurídica

Leia mais

MUNICÍPIO DE ROLADOR/RS. Parecer 039/13/PJM

MUNICÍPIO DE ROLADOR/RS. Parecer 039/13/PJM Parecer 039/13/PJM Consulente: Prefeito. Assunto: Controle preventivo de constitucionalidade. Referência: Processo Administrativo nº. 564/2013. Ementa: DIREITO CONSTITUCIONAL. PROCESSO LEGISLATIVO. PROJETO

Leia mais

Parecer PEC 241. Assim, buscando uma melhor compreensão do tema, procuramos estruturar o parecer no formato de perguntas e respostas.

Parecer PEC 241. Assim, buscando uma melhor compreensão do tema, procuramos estruturar o parecer no formato de perguntas e respostas. Parecer PEC 241 Na qualidade de assessor jurídico da ADUSB, nos fora solicitado a emissão de um parecer contendo as nossas primeiras impressões sobre a PEC 241 que tramita no Congresso Nacional. Assim,

Leia mais

08/12/2014. Constituição Federal. Ordem Social. Trabalho. Seguridade Social TÍTULO VIII - DA ORDEM SOCIAL. CAPÍTULO I - DISPOSIÇÃO GERAL (art.

08/12/2014. Constituição Federal. Ordem Social. Trabalho. Seguridade Social TÍTULO VIII - DA ORDEM SOCIAL. CAPÍTULO I - DISPOSIÇÃO GERAL (art. Constituição Federal TÍTULO VIII - DA ORDEM SOCIAL CAPÍTULO I - DISPOSIÇÃO GERAL (art. 193) CAPÍTULO II - DA SEGURIDADE SOCIAL Seção I - Disposições Gerais (arts. 194 e 195) Seção II - Da Saúde (arts.

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça

Conselho Nacional de Justiça Pedido de providências 0004523-31.2013.2.00.0000 Relator: Requerente: Requerido: CONSELHEIRO SAULO CASALI BAHIA SINDICATO DOS TRABALHADORES DO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DO MATO GROSSO DO SUL TRIBUNAL

Leia mais

42) Quanto aos elementos ou requisitos de validade dos atos administrativos não podemos afirmar:

42) Quanto aos elementos ou requisitos de validade dos atos administrativos não podemos afirmar: Finalmente, hoje, terminaremos os comentários ao simulado da 2ª Feira do Concurso. 41) Analise as situações abaixo e assinale a alternativa correta: I Ronaldo é Auditor Fiscal da Receita Federal aposentado

Leia mais

Arts. 92 ao 126 da CF

Arts. 92 ao 126 da CF Para adquirir a apostila de 300 Questões Fundamentadas do Poder Judiciário - acesse o site: www.odiferencialconcursos.com.br ESSA APOSTILA SERÁ ATUALIZADA ATÉ A DATA DO ENVIO S U M Á R I O Apresentação......3

Leia mais

RELATÓRIO. O i. Conselheiro Federal relator, Dr. Luiz Flávio Borges D Urso, sugeriu redação para o Regulamento Geral nos seguintes termos, verbis:

RELATÓRIO. O i. Conselheiro Federal relator, Dr. Luiz Flávio Borges D Urso, sugeriu redação para o Regulamento Geral nos seguintes termos, verbis: Proposição n. 49.0000.2016.000773-1/COP Origem: Presidente do Conselho Federal da OAB. Protocolo n. 49.0000.2016.000764-4. Assunto: Proposta de Provimento. Sociedades Individuais de Advocacia. Relator:

Leia mais

AULA 05: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA INDIRETA. Professor Thiago Gomes

AULA 05: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA INDIRETA. Professor Thiago Gomes AULA 05: ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA INDIRETA Professor Thiago Gomes 1. NOS CAPÍTULOS ANTERIORES... 2. CONTEXTUALIZAÇÃO x x x 3. Organização da Administração Pública Administração Direta Administração Indireta

Leia mais

2ª Fase Prática Tributaria Prof. Roberta Boldrin

2ª Fase Prática Tributaria Prof. Roberta Boldrin 2ª Fase Prática Tributaria Prof. Roberta Boldrin Determinada instituição de educação sem fins lucrativos foi autuada pelo Estado X, em razão do descumprimento de obrigação acessória prevista na legislação

Leia mais

LEGISLAÇÃO INSTITUCIONAL 2013

LEGISLAÇÃO INSTITUCIONAL 2013 LEGISLAÇÃO INSTITUCIONAL 2013 21. A função estabelecida constitucionalmente à Defensoria Pública consiste em (a) defender a ordem jurídica, o regime democrático e os interesses sociais e individuais indisponíveis.

Leia mais

Lei remuneração de dirigentes: Uma discussão sobre a nova realidade do Terceiro Setor

Lei remuneração de dirigentes: Uma discussão sobre a nova realidade do Terceiro Setor Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400 - ramal 1529 (núcleo de relacionamento) Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 Higienópolis

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE MINERAÇÃO ANM

AGÊNCIA NACIONAL DE MINERAÇÃO ANM AGÊNCIA NACIONAL DE MINERAÇÃO ANM MP n. 791 de 25/07/2017 14 de Setembro 2017 Cronologia DNPM / ANM 1934 - Criação do Departamento Nacional da Produção Mineral (DNPM) (Decreto 23.9790); 1960 criação do

Leia mais

Direito Constitucional 3º semestre Professora Ilza Facundes. Repartição de Competência

Direito Constitucional 3º semestre Professora Ilza Facundes. Repartição de Competência Direito Constitucional 3º semestre Professora Ilza Facundes Repartição de Competência Repartição de Competência na CF/88 Noções Básicas: Em 1988, a Assembleia Nacional Constituinte tinha numa das mãos

Leia mais

JOSIANE MINARDI TRIBUTÁRIO TEORIA E PRÁTICA. revista e atualizada. edição. 1ª e 2ª FASES

JOSIANE MINARDI TRIBUTÁRIO TEORIA E PRÁTICA. revista e atualizada. edição. 1ª e 2ª FASES JOSIANE MINARDI TRIBUTÁRIO TEORIA E PRÁTICA 7 edição revista e atualizada 1ª e 2ª FASES 2017 CAPÍTULO 2 Competência Tributária Os tributos serão inseridos no ordenamento jurídico por meio da competência

Leia mais

Por que a lei não se aplica ao regime da complementariedade dos serviços de saúde?

Por que a lei não se aplica ao regime da complementariedade dos serviços de saúde? Por que a lei 13019 não se aplica ao regime da complementariedade dos serviços de saúde? Lenir Santos I Introdução Trata-se de breve análise da aplicabilidade da Lei nº 13019, de 2014, ao regime de complementariedade

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO RIO DE JANEIRO. Professor Gilcimar Rodrigues

MINISTÉRIO PÚBLICO RIO DE JANEIRO. Professor Gilcimar Rodrigues MINISTÉRIO PÚBLICO RIO DE JANEIRO Professor Gilcimar Rodrigues CONCEITO/DEFINIÇÃO MINISTÉRIO PÚBLICO (Art. 127, CF) (art. 1, Lei 8.625) (art. 1, LC 106/2003) INSTITUIÇÃO PERMANENTE Essencial à Justiça

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS SOBRE OS PRINCÍPIOS REGENTES DA ATIVIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Everaldo Rocha Bezerra Costa Procuradoria Federal junto à UFG

NOÇÕES BÁSICAS SOBRE OS PRINCÍPIOS REGENTES DA ATIVIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Everaldo Rocha Bezerra Costa Procuradoria Federal junto à UFG NOÇÕES BÁSICAS SOBRE OS PRINCÍPIOS REGENTES DA ATIVIDADE DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Everaldo Rocha Bezerra Costa Procuradoria Federal junto à UFG I INTRODUÇÃO II PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA A administração

Leia mais

Excelentíssimo Senhor Procurador-Geral de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul

Excelentíssimo Senhor Procurador-Geral de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul Excelentíssimo Senhor Procurador-Geral de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul Representação para interposição de Ação Direita de Inconstitucionalidade em face da Lei Complementar Estadual nº 14.836,

Leia mais

Maria Augusta Vilela

Maria Augusta Vilela Maria Augusta Vilela A fiscalização consiste em examinar uma atividade, para comprovar se cumpre as normas em vigor (www.conceito.de). organização criada por vontade do Estado, com o fim de executar

Leia mais

RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA N 03/2014

RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA N 03/2014 RECOMENDAÇÃO ADMINISTRATIVA N 03/2014 O MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DO PARANÁ, por seu Promotor de Justiça que adiante assina, no uso de suas atribuições legais, CONSIDERANDO o contido no artigo 127 da

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado da União

TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS. Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado da União TERCEIRIZAÇÃO DE SERVIÇOS Autor: Sidnei Di Bacco/Advogado da União LEI 8.666/1993 Art. 71. O contratado é responsável pelos encargos trabalhistas, previdenciários, fiscais e comerciais resultantes da execução

Leia mais

Decisão Processo

Decisão Processo Decisão Processo 0806916120164058300 O Município de Recife ajuizou a presente ação ordinária em desfavor da União, representada pela Procuradoria da Fazenda Nacional, alegando em síntese que em 13.01.2016,

Leia mais

PARECER JURÍDICO Nº 003/2012 SSCP/GSJ

PARECER JURÍDICO Nº 003/2012 SSCP/GSJ PARECER JURÍDICO Nº 003/2012 SSCP/GSJ Processo: 80/2012 Objeto: Projeto de Lei nº 00011/2012 Autor: Vereador Aguilar Ribeiro da Silva EMENTA: ENCAMINHA PROJETO DE LEI DENOMINA LOGRADOURO. Relatório O presente

Leia mais

NOTA TÉCNICA Nº 04/2017/CONAMP

NOTA TÉCNICA Nº 04/2017/CONAMP NOTA TÉCNICA Nº 04/2017/CONAMP Tema: Processo CNMP nº0.00.002.000698/2017-08 Ementa: Procedimento de Estudos e Pesquisas nº 04/2017 visando a realização de pesquisa, estudos, análises e a apresentação

Leia mais

TEMA Nº 3: AGÊNCIAS REGULADORAS NO DIREITO BRASILEIRO

TEMA Nº 3: AGÊNCIAS REGULADORAS NO DIREITO BRASILEIRO TEMA Nº 3: AGÊNCIAS REGULADORAS NO DIREITO BRASILEIRO Modelo brasileiro A REGULAÇÃO NO BRASIL Compreende uma pluralidade de entes com função regulatória Entes reguladores em geral -> Autarquias comuns

Leia mais

DIREITO PADRÃO DE RESPOSTA

DIREITO PADRÃO DE RESPOSTA QUESTÃO n o 1 a) A inconstitucionalidade de um ato normativo pode ser formal ou material, o que significa dizer que um ato pode desrespeitar a Constituição tanto pela forma como foi aprovado (desrespeitando

Leia mais

PONTO 1: Administração Pública PONTO 2: Administração Direta PONTO 3: Administração Indireta PONTO 4: Autarquias 1. ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

PONTO 1: Administração Pública PONTO 2: Administração Direta PONTO 3: Administração Indireta PONTO 4: Autarquias 1. ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 1 DIREITO ADMINISTRATIVO PONTO 1: Administração Pública PONTO 2: Administração Direta PONTO 3: Administração Indireta PONTO 4: Autarquias 1. ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA EM SENTIDO FORMAL

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N, DE 2012

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N, DE 2012 PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO N, DE 2012 Altera dispositivos da Constituição Federal para assegurar a participação da Ordem dos Advogados do Brasil em todas as fases dos concursos públicos de prova

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO 2013

DIREITO ADMINISTRATIVO 2013 DIREITO ADMINISTRATIVO 2013 31. Dentre as características passíveis de serem atribuídas aos contratos de concessão de serviço público regidos pela Lei no 8.987/95, pode-se afirmar corretamente que há (a)

Leia mais

A REGULAÇÃO COMO DIREITO FUNDAMENTAL E O PRINCÍPIO DA

A REGULAÇÃO COMO DIREITO FUNDAMENTAL E O PRINCÍPIO DA 1 / N A REGULAÇÃO COMO DIREITO FUNDAMENTAL E O PRINCÍPIO DA VEDAÇÃO DO RETROCESSO Liliane Sonsol Gondim Bacharela em Direito, Especialista em Direito Constitucional e em Direito Ambiental, Universidade

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br A ação penal popular no ordenamento jurídico brasileiro Liduina Araujo Batista * O presente estudo trata da discussão acerca da possibilidade, ou não, de existência, em nosso ordenamento

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO E CONSTITUCIONAL 2014

DIREITO ADMINISTRATIVO E CONSTITUCIONAL 2014 DIREITO ADMINISTRATIVO E CONSTITUCIONAL 2014 51. "José da Silva, Senador da República, discursa na tribuna do Senado defendendo a legalização do aborto para mulheres grávidas que não tenham constituído

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 6.966, DE 2006 (Apenso: PL nº 2.880/2008) Cria a profissão de Cuidador Autor: Deputado INOCÊNCIO OLIVEIRA Relatora: Deputada GORETE

Leia mais

1ª) A lei de 2011 autorizou a CRIAÇÃO da empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH; pelo (a):

1ª) A lei de 2011 autorizou a CRIAÇÃO da empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH; pelo (a): 1ª) A lei 12.550 de 2011 autorizou a CRIAÇÃO da empresa pública denominada Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares - EBSERH; pelo (a): A) Poder Legislativo. B) Poder Executivo C) Poder Judiciário D)

Leia mais

ESTUDA A ESTRUTURA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA

ESTUDA A ESTRUTURA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA ESTUDA A ESTRUTURA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA UNIÃO ADMINISTRAÇÃO DIRETA ( Centralizada ou Central ) SÃO PESSOAS JURÍDICAS ESTADOS DF MUNICÍPIOS SÃO ENTES FEDERATIVOS PREVISTOS NA CF/88 SÃO REGIDOS PREDOMINANTEMENTE

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL DE 1ª INSTÂNCIA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO MARANHÃO 5ª VARA =============================================== D E C I S Ã O

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL DE 1ª INSTÂNCIA SEÇÃO JUDICIÁRIA DO MARANHÃO 5ª VARA =============================================== D E C I S Ã O Processo nº 32921-53.2010.4.01.3700 Classe: 32921-53.2010.4.01.3700 Autor: MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL Réu: CAIXA ECONÔMICA FEDERAL D E C I S Ã O Trata-se de apreciação de liminar, em sede de ação civil

Leia mais

ÓRGÃO ESPECIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA

ÓRGÃO ESPECIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ÓRGÃO ESPECIAL DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA Representante: Exmo. Senhor Prefeito do Município de Barra do Piraí Representado: Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal do Município de Barra do Piraí Relator:

Leia mais

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO

PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO PROPOSTA DE EMENDA À CONSTITUIÇÃO Prevê a edição de lei complementar relativamente à conceituação de pequeno Município, aos princípios de que trata o art. 37 da Constituição e às normas gerais aplicáveis

Leia mais

Questões fundamentadas da DIVISÃO DE COMPETÊNCIAS ART. 21 a 24 da CF

Questões fundamentadas da DIVISÃO DE COMPETÊNCIAS ART. 21 a 24 da CF APOSTILA AMOSTRA Para adquirir a apostila de 200 Questões Fundamentadas da Divisão de Competências Art. 21 a 24 da CF acesse o site: www.odiferencialconcursos.com.br S U M Á R I O Apresentação......3 Questões......4

Leia mais

f ÅâÄtwÉ wx IED / V Çv t céä à vt `öüv t cxä áátü INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO CIÊNCIA POLÍTICA

f ÅâÄtwÉ wx IED / V Çv t céä à vt `öüv t cxä áátü INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO CIÊNCIA POLÍTICA INTRODUÇÃO AO ESTUDO DO DIREITO CIÊNCIA POLÍTICA 01) Não se enquadra na subdivisão de "Público" o direito: a) Constitucional b) Administrativo. c) Judiciário / processual. d) Penal. e) Comercial. 02) Não

Leia mais

Questão 01 ESAF/PGFN-Procurador da Fazenda Nacional/2015

Questão 01 ESAF/PGFN-Procurador da Fazenda Nacional/2015 Questão 01 ESAF/PGFN-Procurador da Fazenda Nacional/2015 Sobre a competência tributária prevista no CTN, assinale a opção incorreta. a) Os tributos cuja receita seja distribuída, no todo ou em parte, a

Leia mais

SIMPLES NACIONAL. Histórico e Fundamentos Legais. Maio/2008

SIMPLES NACIONAL. Histórico e Fundamentos Legais. Maio/2008 SIMPLES NACIONAL Histórico e Fundamentos Legais Maio/2008 1 FUNDAMENTOS LEGAIS Dispositivos Constitucionais: Art. 179 Art. 146, III, d e único (redação da EC 42/2003) Art. 94 do ADCT LC 123/2006 - Estatuto

Leia mais

AS ENTIDADES POLÍTICO-ADMINISTRATIVAS

AS ENTIDADES POLÍTICO-ADMINISTRATIVAS AS ENTIDADES POLÍTICO-ADMINISTRATIVAS CONCEITO Segundo Marcelo Alexandrino, a Uniao e entidade federativa autonoma em relacao aos estadosmembros e municipios. E pessoa juridica de direito publico interno,

Leia mais

Direito Administrativo

Direito Administrativo Direito Administrativo DEMONSTRATIVA Professor Edson Marques www.pontodosconcursos.com.br Olá, bem-vindo ao nosso curso para o concurso de Auditor-Fiscal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

Leia mais

PROVA ESCRITA PRELIMINAR PARA CLASSE INICIAL DA CARREIRA DO MINISTÉRIO PÚBLICO - RJ (PROMOTOR DE JUSTIÇA SUBSTITUTO)

PROVA ESCRITA PRELIMINAR PARA CLASSE INICIAL DA CARREIRA DO MINISTÉRIO PÚBLICO - RJ (PROMOTOR DE JUSTIÇA SUBSTITUTO) PROVA ESCRITA PRELIMINAR PARA CLASSE INICIAL DA CARREIRA DO MINISTÉRIO PÚBLICO - RJ (PROMOTOR DE JUSTIÇA SUBSTITUTO) PRINCÍPIOS INSTITUCIONAIS DO MINISTÉRIO PÚBLICO 89. Considerando os princípios institucionais

Leia mais

FUNÇÕES E COMPETÊNCIAS DOS PODERES MUNICIPAIS

FUNÇÕES E COMPETÊNCIAS DOS PODERES MUNICIPAIS FUNÇÕES E COMPETÊNCIAS DOS PODERES MUNICIPAIS ROBERTO KURTZ PEREIRA MUNICÍPIO Posição do Município na Federação. A Constituição Federal de 1988, elevou o Município como ente federativo. Consagrou a autonomia

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE PROCURADORIA PARECER PRÉVIO

CÂMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE PROCURADORIA PARECER PRÉVIO CÂMARA MUNICIPAL DE PORTO ALEGRE PROCURADORIA PROC. Nº 1073/10 PLL Nº 047/10 PARECER PRÉVIO É submetido a exame desta Procuradoria, para parecer prévio, o Projeto de Lei, em epígrafe, de iniciativa parlamentar

Leia mais

TRIBUNAL PLENO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE Nº 94190/ CLASSE CNJ - 95 COMARCA DE VÁRZEA GRANDE

TRIBUNAL PLENO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE Nº 94190/ CLASSE CNJ - 95 COMARCA DE VÁRZEA GRANDE REQUERENTE(S): PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA ADJUNTA DO ESTADO DE MATO GROSSO REQUERIDO(S): MUNICÍPIO DE VÁRZEA GRANDE CÂMARA MUNICIPAL DE VÁRZEA GRANDE Número do Protocolo: 94190/2016 Data de Julgamento:

Leia mais

FGV SEJAP/MA AGENTE PENITENCIÁRIO 2013

FGV SEJAP/MA AGENTE PENITENCIÁRIO 2013 FGV SEJAP/MA AGENTE PENITENCIÁRIO 2013 01. Acerca dos direitos fundamentais inscritos na Constituição de 1988, assinale a afirmativa correta. (A) A Constituição, em garantia ao princípio da igualdade,

Leia mais

As diferentes modalidades de gestão no SUS

As diferentes modalidades de gestão no SUS XXVII CONGRESSO DE SECRETÁRIOS MUNICIPAIS DE SAÚDE DO ESTADO DE SÃO PAULO As diferentes modalidades de gestão no SUS Lenir Santos Março 2013 LENIR SANTOS março de 13 1 FORMAS DE GESTÃO DO SUS ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Direito Tributário. Aula 03. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Direito Tributário. Aula 03. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Direito Tributário Aula 03 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

O Conselho Geral delibera, nos termos do parecer jurídico que se anexa à presente deliberação e para o qual se remete: Tendo em conta a imposição

O Conselho Geral delibera, nos termos do parecer jurídico que se anexa à presente deliberação e para o qual se remete: Tendo em conta a imposição Deliberação pública Deliberação 20140510.11.5 Definição do procedimento adotado pela Câmara dos Solicitadores quando lhe é diretamente solicitado uma desassociação de agente de execução Tendo em consideração

Leia mais

Número:

Número: Tribunal de Justiça do Estado do Maranhão PJe - Processo Judicial Eletrônico Consulta Processual 30/09/2016 Número: 0857074-64.2016.8.10.0001 Classe: MANDADO DE SEGURANÇA Órgão julgador: 4ª Vara da Fazenda

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO 571 PROCURADOR MUNICIPAL EDITAL 07 ANEXO III

CONCURSO PÚBLICO 571 PROCURADOR MUNICIPAL EDITAL 07 ANEXO III CONCURSO PÚBLICO 571 PROCURADOR MUNICIPAL EDITAL 07 ANEXO III DOMÍNIO LÍNGUÍSTICO PARA AS 05 QUESTÕES Os pontos do quesito domínio linguístico foram atribuídos com base na quantidade de erros de pontuação,

Leia mais

Papel do Município no Licenciamento Ambiental

Papel do Município no Licenciamento Ambiental Papel do Município no Licenciamento Ambiental Vivian do Carmo Bellezzia Advogada Mestranda em Direito Ambiental pela ESDHC Especialista em Direito Público pela PUC-MINAS Especialista em Filosofia pela

Leia mais

LEI MUNICIPAL 2.828/2015 ARAUCÁRIA

LEI MUNICIPAL 2.828/2015 ARAUCÁRIA Curitiba, 27 de julho de 2016. GERÊNCIA JURÍDICA Nota Técnica nº 17/2016 Documento Solicitante Advogado LEI MUNICIPAL 2.828/2015 ARAUCÁRIA COORDENADOR DO CONSELHO DE RELAÇÕES DO TRABALHO DA FIEP CHRISTIAN

Leia mais

PARECER: 02/2015 ASSESSORIA JURIDICA Requerente: Mesa Diretora da Câmara Municipal de Rafael Godeiro.

PARECER: 02/2015 ASSESSORIA JURIDICA Requerente: Mesa Diretora da Câmara Municipal de Rafael Godeiro. PARECER: 02/2015 ASSESSORIA JURIDICA Requerente: Mesa Diretora da Câmara Municipal de Rafael Godeiro. ASSUNTO: Contratação de Servidores Temporários para Atender as Necessidades da Administração Municipal.

Leia mais

D E C I S Ã O M O N O C R Á T I C A

D E C I S Ã O M O N O C R Á T I C A EXECUÇÃO FISCAL. DÉBITO DE PEQUENO VALOR. INTERESSE PROCESSUAL. RESERVA LEGAL. REMISSÃO. 1. A Fazenda Pública tem o poder-dever de cobrar seus créditos independentemente do seu valor. Somente a lei pode

Leia mais

Lei nº de Dispõe sobre a profissão de Bombeiro Civil e dá outras providências.

Lei nº de Dispõe sobre a profissão de Bombeiro Civil e dá outras providências. Lei nº 11.901 de 12.01.2009 Dispõe sobre a profissão de Bombeiro Civil e dá outras providências. O Presidente da República Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: Art.

Leia mais

Entidades fundacionais as fundações públicas Conceito

Entidades fundacionais as fundações públicas Conceito 28 comum a todos os consorciados que, de forma isolada, não poderiam alcançar. Assim, os entes federativos firmam um contrato sem fins lucrativos, após a devida autorização legislativa de cada um, possibilitando

Leia mais

DA ORGANIZAÇÃO POLÍTICO ADMINISTRATIVA ARTIGOS 18 E 19 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL

DA ORGANIZAÇÃO POLÍTICO ADMINISTRATIVA ARTIGOS 18 E 19 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL DA ORGANIZAÇÃO POLÍTICO ADMINISTRATIVA ARTIGOS 18 E 19 DA CONSTITUIÇÃO FEDERAL A organização político administrativa da República Federativa do Brasil compreende a União, os Estados, o Distrito Federal,

Leia mais

N O T A T É C N I C A

N O T A T É C N I C A N O T A T É C N I C A A ASSOCIAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DO RIO GRANDE DO SUL AMP/RS, entidade de classe que congrega Promotores e Procuradores de Justiça, vem respeitosamente à presença de Vossa Excelência,

Leia mais

MÓDULO 01 DIREITO TRIBUTÁRIO OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA E FATO GERADOR. EVOLUIR CONCURSOS PLANILHA 08

MÓDULO 01 DIREITO TRIBUTÁRIO OBRIGAÇÃO TRIBUTÁRIA E FATO GERADOR. EVOLUIR CONCURSOS PLANILHA 08 Questão 01 FGV/Pref. Recife Auditor do Tesouro Municipal/2014 Assinale a opção que indica um efeito do fato gerador. a) Fixa a hipótese de incidência do tributo. b) Determina o regime jurídico da obrigação

Leia mais

20/11/2014. Direito Constitucional Professor Rodrigo Menezes AULÃO DA PREMONIÇÃO TJ-RJ

20/11/2014. Direito Constitucional Professor Rodrigo Menezes AULÃO DA PREMONIÇÃO TJ-RJ Direito Constitucional Professor Rodrigo Menezes AULÃO DA PREMONIÇÃO TJ-RJ 1 01. A Constituição Federal de 1988 consagra diversos princípios, os quais exercem papel extremamente importante no ordenamento

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA 1 COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI N o 111, DE 2011 Altera a Lei nº 8.078, de 11 de setembro de 1990, para incluir nova hipótese de cláusula contratual abusiva. Autor: Deputado

Leia mais

PARTICIPAÇÃO DA MAGISTRATURA DO TRABALHO NOS FÓRUNS REGIONAIS DA REFORMA DA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA SUGESTÃO DE TEMAS MATÉRIA CONSENSUAL RETIRADA DO

PARTICIPAÇÃO DA MAGISTRATURA DO TRABALHO NOS FÓRUNS REGIONAIS DA REFORMA DA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA SUGESTÃO DE TEMAS MATÉRIA CONSENSUAL RETIRADA DO PARTICIPAÇÃO DA MAGISTRATURA DO TRABALHO NOS FÓRUNS REGIONAIS DA REFORMA DA LEGISLAÇÃO TRABALHISTA SUGESTÃO DE TEMAS MATÉRIA CONSENSUAL RETIRADA DO CONJUNTO DE DELIBERAÇÕES DOS CONAMAT, PROGRAMA DA DIRETORIA

Leia mais

Apresentação da Disciplina

Apresentação da Disciplina ESTÁGIO SUPERVISIONADO EM DIREITO TRIBUTÁRIO APRESENTAÇÃO DA DISCIPLINA, EMENTA E INFORMAÇÕES CORRELATAS Prof. Thiago Gomes Apresentação da Disciplina 1. IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Estágio Supervisionado

Leia mais

SIGILO BANCÁRIO E A JURISPRUDÊNCIA DO STF. Marcus Vinicius Noronha Área Jurídica do BNDES

SIGILO BANCÁRIO E A JURISPRUDÊNCIA DO STF. Marcus Vinicius Noronha Área Jurídica do BNDES SIGILO BANCÁRIO E A JURISPRUDÊNCIA DO STF Marcus Vinicius Noronha Área Jurídica do BNDES Definição do Sigilo Bancário I) o direito individual de clientes e de terceiros à manutenção da confidencialidade

Leia mais

LEI Nº 4.249, DE 17 DE DEZEMBRO DE Art. 2º - Considera-se necessidade temporária de. I - assistência a situações de emergência e de

LEI Nº 4.249, DE 17 DE DEZEMBRO DE Art. 2º - Considera-se necessidade temporária de. I - assistência a situações de emergência e de LEI Nº 4.249, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2002. Dispõe sobre a contratação por tempo determinado para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público, nos termos do inciso IX do artigo 37 da

Leia mais

Da Advocacia Pública arts , e Seção III Da Advocacia e da Defensoria Pública arts

Da Advocacia Pública arts , e Seção III Da Advocacia e da Defensoria Pública arts ADVOCACIA CF/1988 - Título IV - Da Organização dos Poderes; Capítulo IV - Das Funções Essenciais à Justiça; Seção II Da Advocacia Pública arts. 131-132, e Seção III Da Advocacia e da Defensoria Pública

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Recursos Humanos NOTA TÉCNICA Nº 545/2009/COGES/DENOP/SRH/MP

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Recursos Humanos NOTA TÉCNICA Nº 545/2009/COGES/DENOP/SRH/MP MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO Secretaria de Recursos Humanos NOTA TÉCNICA Nº 545/2009/COGES/DENOP/SRH/MP ASSUNTO: Aplicabilidade do inciso X do art. 117 da Lei nº 8.112/1990 Referência:

Leia mais

Entidades fundacionais as fundações públicas Conceito

Entidades fundacionais as fundações públicas Conceito 2.6.2. Entidades fundacionais as fundações públicas 2.6.2.1. Conceito O Código Civil dispõe, em seu art. 40, que as pessoas jurídicas serão de direito público e de direito privado, e, em seu art. 44, que

Leia mais

Conselho Nacional de Justiça

Conselho Nacional de Justiça Conselho Nacional de Justiça PEDIDO DE PROVIDÊNCIAS Nº 0002043-22.2009.2.00.0000 RELATOR REQUERENTE REQUERIDO : JOSÉ ADONIS CALLOU DE ARAÚJO SÁ : ASSOCIAÇÃO DOS JUÍZES FEDERAIS DO BRASIL - AJUFE : CONSELHO

Leia mais

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 3.831, DE 2015

COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 3.831, DE 2015 COMISSÃO DE CONSTITUIÇÃO E JUSTIÇA E DE CIDADANIA PROJETO DE LEI Nº 3.831, DE 2015 Estabelece normas gerais para a negociação coletiva na administração pública direta, nas autarquias e nas fundações públicas

Leia mais

Luís Roberto Barroso

Luís Roberto Barroso Brasília, 17 de dezembro de 2008. Excelentíssimo Senhor Senador GARIBALDI ALVES FILHO M.D. Presidente do Senado Federal Senhor Presidente: Examinei, com a imparcialidade que se impunha e com a objetividade

Leia mais

PARECER JURÍDICO. É o relatório. Opino.

PARECER JURÍDICO. É o relatório. Opino. PARECER JURÍDICO PROJETO DE LEI Nº 48/2014 EMENTA: OBRIGA CLINICAS GERIATRICAS, CASAS DE REPOUSO E DEMAIS INSTITUIÇÕES PRIVADAS DESTINADAS AO ATENDIMENTO DE IDOSOS A INSTALAREM, EM SUAS DEPENDÊNCIAS INTERNAS,

Leia mais

REGIME JURÍDICO DO ESTAGIÁRIO DO MINISTÉRIO PÚBLICO LEI N /08, LEI N /93 (LONMP) E RES. N

REGIME JURÍDICO DO ESTAGIÁRIO DO MINISTÉRIO PÚBLICO LEI N /08, LEI N /93 (LONMP) E RES. N REGIME JURÍDICO DO ESTAGIÁRIO DO MINISTÉRIO PÚBLICO LEI N. 11.788/08, LEI N. 8.625/93 (LONMP) E RES. N. 42/09-CNMP DIFERENÇAS ENTRE O ESTÁGIO ESTUDANTIL E O ESTÁGIO PROFISSIONAL 1 A CO NSULTA Hugo Nigro

Leia mais

Concurso: Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Disciplina: Agências Reguladoras e Legislação Básica. Cargo: Técnico Administrativo

Concurso: Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Disciplina: Agências Reguladoras e Legislação Básica. Cargo: Técnico Administrativo Concurso: Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) Disciplina: Agências Reguladoras e Legislação Básica Cargo: Técnico Administrativo Prof. Aristócrates Carvalho. Questão 26. Enunciado: No que concerne

Leia mais

Contabilidade Pública. Aula 2. Apresentação. Aula 2. Orçamento Público. O orçamento nacional deve ser equilibrado

Contabilidade Pública. Aula 2. Apresentação. Aula 2. Orçamento Público. O orçamento nacional deve ser equilibrado Contabilidade Pública Aula 2 Apresentação Prof. Me. Adilson Lombardo Aula 2 Orçamento Público: conceito e finalidades. O orçamento nacional deve ser equilibrado As dívidas públicas devem ser reduzidas...

Leia mais

DELIBERAÇÃO N.º 923/2016

DELIBERAÇÃO N.º 923/2016 1 DELIBERAÇÃO N.º 923/2016 1. A pretensão de acesso aos dados pessoais constantes de recibo de vencimento de trabalhadores objeto de processo de execução A Comissão Nacional de Proteção de Dados (CNPD)

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS E INCLUSÃO SOCIAL: AS CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS COMO FINANCIAMENTO DESSAS POLÍTICAS

POLÍTICAS PÚBLICAS E INCLUSÃO SOCIAL: AS CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS COMO FINANCIAMENTO DESSAS POLÍTICAS POLÍTICAS PÚBLICAS E INCLUSÃO SOCIAL: AS CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS COMO FINANCIAMENTO DESSAS POLÍTICAS Hallana Maria Santiago CANEDO 1 Resumo: Em um singelo estudo das contribuições sociais buscou-se esclarecer

Leia mais

TEMA 1: ORGANIZAÇÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA DO ESTADO BRASILEIRO

TEMA 1: ORGANIZAÇÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA DO ESTADO BRASILEIRO TEMA 1: ORGANIZAÇÃO POLÍTICO-ADMINISTRATIVA DO ESTADO BRASILEIRO A República Federativa do Brasil, formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, constitui-se em Estado

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Espírito Santo

PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA FEDERAL Seção Judiciária do Espírito Santo 4ª VARA FEDERAL CÍVEL Fls 189 Autor: CONSELHO REGIONAL DE SERVIÇO SOCIAL CRESS 17ª REGIÃO/ES Réu: ESTADO DO ESPÍRITO SANTO Juiz Federal: Dr. RICARLOS ALMAGRO VITORIANO CUNHA Sentença Tipo A SENTENÇA Trata-se

Leia mais

QUESTÕES DE CONCURSOS FISCAL DE RENDAS ICMS/RJ

QUESTÕES DE CONCURSOS FISCAL DE RENDAS ICMS/RJ QUESTÕES DE CONCURSOS FISCAL DE RENDAS ICMS/RJ - 2009 01 Assinale a alternativa que defina corretamente o poder regulamentar do chefe do Executivo, seja no âmbito federal, seja no estadual. a) O poder

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Controle de constitucionalidade no Estado de Sergipe. A legislação municipal e o controle concentrado Carlos Henrique dos Santos * O controle de constitucionalidade é um meio indireto

Leia mais