Medir a Literacia Estatística

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Medir a Literacia Estatística"

Transcrição

1 Medir a Literacia Estatística

2 Conteúdo 1. A propósito da Literacia Estatística 2. O Índice: metodologia questionário 3. O caso português

3 1 A propósito da Literacia Estatística

4 A propósito da Literacia Estatística Este documento constitui a base de uma apresentação feita por Maria João Valente Rosa, partner da Social Data Lab e membro do board do ESAC - European Statistical Advisory Committee, na Conference of European Statistics Stakeholders. Esta conferência europeia foi preparada de modo a coincidir com o European Statistics Day, celebrado no dia 20 de Outubro.

5 A propósito da Literacia Estatística O actual dilúvio mundial de dados e de informação, fez dos números a base de uma nova linguagem. Podemos dizer que a Literacia Estatística se tornou numa competência essêncial nas nossas sociedades contemporâneas. A Literacia Estatística é, hoje, tão importante para a inclusão social e para uma cidadania activa como era, no passado, saber ler ou escrever. Podemos definir Literacia Estatística como uma competência individual para formar uma opinião a respeito da sociedade e do mundo onde vivemos, a partir da utilização e compreensão de dados estatísticos fiáveis. A Literacia Estatística guia o cidadão num caminhar interior, individual e racional na direcção de um conhecimento factual, protegendo-o da pressão emocional das crenças colectivas externas.

6 A propósito da Literacia Estatística Sabemos muito mais de Literacia Estatística do que no passado. Mas o que sabemos não é suficiente. Precisamos de descobrir: o impacto real de todos os nossos esforços para o melhoramento da Literacia Estatística, avaliando regularmente em países diferentes e de uma forma padronizada e comparável os nossos universos-alvo, sobretudo estudantes, utilizadores frequentes de dados estatísticos (ex. jornalistas) e população em geral; a actual contribuição da Literacia Estatística para o bem-estar económico e social das nossas sociedades, correlacionando (ou usando análise causal) este Índice com todas as outras variáveis sociais, económicas, culturais, ou até políticas.

7 A propósito da Literacia Estatística Seremos então capazes de saber se: a Literacia Estatística aumenta a produtividade ou o crescimento económico; a Literacia Estatística aumenta o empenhamento político e reduz a abstenção; a Literacia Estatística protege a democracia do «populismo» ou da ditadura; a Literacia Estatística ajuda a consciência ambiental e protege o Planeta; a ausência de Literacia Estatística custa mais ou menos do que os nossos esforços para a melhorar através da produção de dados estatísticos fiáveis e de qualidade.

8 A propósito da Literacia Estatística Melhorar a Literacia Estatística é um passo consensual e muito importante na direcção de uma melhor sociedade. Mas para melhorar precisamos de medir! O objectivo é medir a Literacia Estatística de uma forma padronizada, comparável e regular. Com esse propósito, a Social Data Lab lançou um projecto de criação de um instrumento de medição da Literacia Estatística. Esta apresentação pretende descrever essa aventura.

9 2 O Índice metodologia

10 O Índice: metodologia A Social Data Lab criou e desenvolveu, em Portugal, o Índice de Literacia Estatística. O Índice é o resultado da agregação de todos os indicadores, segundo o processo metodológico habitual: Conceito Dimensões Indicadores Índice O conceito O Índice de Literacia Estatística mede a competência de um indivíduo para formar uma opinião a respeito da sociedade e do mundo onde vive, a partir da utilização e compreensão de dados estatísticos fiáveis.

11 O Índice: metodologia O conceito de Literacia Estatística foi dividido em 4 dimensões principais: atitude & uso reconhecimento da importância da informação estatística/científica fiável (conhecimento e avaliação das fontes) interesse nos dados estatísticos (frequência com que os considera) compreensão familiaridade com os conceitos, representações e símbolos básicos das Estatísticas (%, médias ou gráficos evolutivos) Deste modo, qualquer medição deverá considerar todos estes elementos em simultâneo. avaliação capacidade para reconhecer os limites da informação estatística (inferência para um país a partir de um pequeno inquérito de rua) formação de uma opinião capacidade de interpretar a mensagem dos dados (transformar a informação numa narrativa)

12 O Índice: metodologia O alvo A ideia de base da medição é a de ter diversos indicadores do conceito que os investigadores e as entidades públicas ligadas aos dados estatísticos possam usar para conhecer a Literacia Estatística de vários tipos de populações estudantes avançados profissionais diversos (ex. jornalistas) população em geral de uma forma padronizada e comparável.

13 O Índice: metodologia O questionário O Índice foi desenvolvido pela Social Data Lab de acordo com as dimensões apresentadas, tendo sido produzido um questionário com 7 indicadores (perguntas). O questionário pode ser adaptado a diversos tipos de inquéritos: online/cawi Computer Assisted Web Interviewing face-to-face/capi Computer Assisted Personal Interviewing As perguntas também podem ser incluídas em inquéritos já existentes, como o Eurobarómetro, por exemplo. O que significa usar o mesmo Índice em todos os países.

14 O Índice: metodologia A ponderação Para construir o Índice, foi necessário relacionar as perguntas e as dimensões de modo a atribuir um peso a cada resposta de cada pergunta. Assim, as respostas de cada unidade estatística podem ser ponderadas para produzir um índice individual. O Índice varia entre 0 (mínimo) e 100 (máximo). Os pesos são os seguintes. Dimensões Atitude & uso Compreensão Avaliação Formação de uma opinião Pesos Perguntas 1 (10) & 2 (10) Perguntas 3 (15), 5 (10), 6 (10) & 7 (5) Pergunta 4 (20) Perguntas 6 (10) & 7 (10)

15 2 O Índice questionário

16 O Índice: questionário P.1. Das fontes de informação apresentadas em seguida, por favor seleccione as três que acha mais importantes para uma pessoa ter conhecimento e poder formar uma opinião acerca do que se vai passando no país e no mundo. LIVROS TÉCNICOS OU CIENTÍFICOS FILMES OU DOCUMENTÁRIOS NOTÍCIAS DA COMUNICAÇÃO SOCIAL DADOS ESTATÍSTICOS OFICIAIS OPINIÃO DE ESPECIALISTAS OPINIÃO DE AMIGOS OU CONHECIDOS DEBATES TELEVISIVOS NÃO SEI 10

17 O Índice: questionário P.2. Agora, por favor, indique a frequência com que presta atenção a dados ou indicadores estatísticos no seu dia-a-dia, por exemplo, quando vê televisão, lê livros, lê jornais e revistas, ou vai à internet. 10 pontos se escolhido SEMPRE MUITAS VEZES 6 pontos se escolhido DE VEZ EM QUANDO 3 pontos se escolhido POUCAS VEZES NUNCA NÃO SEI 10

18 O Índice: questionário P.3. Suponha que lê a seguinte notícia num jornal. Num inquérito a 20 pessoas encontradas na rua, 40% usavam óculos. Em sua opinião, neste conjunto de pessoas, há... (Por favor escolha a opção que melhor retrata a sua opinião) MAIS PESSOAS A USAR ÓCULOS MAIS PESSOAS A NÃO USAR ÓCULOS TANTAS PESSOAS A USAR COMO A NÃO USAR ÓCULOS NÃO PODEMOS TER A CERTEZA NÃO SEI 15 pontos se escolhido 15

19 O Índice: questionário P.4. E ainda a partir desta notícia: Num inquérito a 20 pessoas encontradas na rua, 40% usavam óculos. Acha que podemos saber se, na totalidade do país, há mais pessoas a usar óculos ou a não usar? (Por favor escolha a opção que melhor retrata a sua opinião) SIM, É POSSÍVEL SABER EM PRINCÍPIO SIM, MAS SERIA NECESSÁRIA MAIS INFORMAÇÃO EM PRINCÍPIO NÃO, MAS SERIA NECESSÁRIA MAIS INFORMAÇÃO NÃO, NÃO É POSSÍVEL SABER NÃO SEI 20 pontos se escolhido 20

20 O Índice: questionário P.5. Por favor leia mais esta notícia de jornal: Num inquérito a 10 pessoas, concluiu-se que elas tinham em média 2,5 filhos. Depois de ler esta notícia, o que podemos deduzir? (Por favor escolha a opção que melhor retrata a sua opinião) 25% DESTAS PESSOAS TÊM FILHOS TODAS ESTAS PESSOAS TÊM FILHOS NENHUMA DESTAS PESSOAS TEM 5 FILHOS ESTAS 10 PESSOAS TÊM, AO TODO, 25 FILHOS 10 pontos se escolhido TODAS ESTAS PESSOAS TÊM OU 2 OU 3 FILHOS NÃO SE PODEM TIRAR CONCLUSÕES 10 NÃO SEI

21 O Índice: questionário P.6. Por favor leia ainda mais esta notícia de jornal: Em 2010, o consumo de água de um certo país foi de 200 milhões de litros. Em 2015, o consumo foi de 300 milhões de litros. Depois de ler esta notícia, o que podemos deduzir? (Por favor escolha a opção que melhor retrata a sua opinião) O CONSUMO DE ÁGUA AUMENTOU 25% O CONSUMO DE ÁGUA AUMENTOU 50% O CONSUMO DE ÁGUA AUMENTOU 100% O CONSUMO DE ÁGUA AUMENTOU 150% NÃO SE PODEM TIRAR CONCLUSÕES NÃO SEI 20 pontos se escolhido 20

22 O Índice: questionário P.7. Para terminar, por favor observe estes dois gráficos relativos aos filhos dos habitantes de dois países. Os países têm o mesmo número de habitantes.

23 O Índice: questionário P.7. Para terminar, por favor observe estes dois gráficos relativos aos filhos dos habitantes de dois países. Os países têm o mesmo número de habitantes. Depois de ver estes gráficos, o que podemos deduzir? (Por favor escolha a opção que melhor retrata a sua opinião) AS PESSOAS DO PAÍS A TÊM MAIS FILHOS DO QUE AS DO PAÍS B NO PAÍS A HÁ MAIS PESSOAS COM FILHOS DO QUE NO PAÍS B AS PESSOAS DO PAÍS B TÊM MAIS FILHOS DO QUE AS DO PAÍS A NO PAÍS B HÁ MAIS PESSOAS COM FILHOS DO QUE NO PAÍS A NÃO SE PODEM TIRAR CONCLUSÕES NÃO SEI pontos se escolhido 15 pontos se escolhido

24 3 O caso português

25 O caso português Durante o mês de Setembro de 2016, a Social Data Lab aplicou o questionário a uma amostra representativa da população portuguesa: indivíduos, espalhados pelo Continente; 18 anos ou mais (18+); face-to-face/capi Computer Assisted Personal Interviewing; inquérito no lar do inquirido; quotas de sexo, idade, região, habitat, instrução e ocupação; trabalhos de campo realizados pela GfK Metris, empresa de estudos de mercado do Grupo GfK.

26 O caso português Resultados finais Por sexo: Por idade: Feminino29% 65 yo 24% 33% Masculino 36% 35 yo Total: 31% Por instrução: 4 y 24% 38% 12 y Por região: Interior 28%31% 32% Centro Litoral Grande Lisboa, Grande Porto & Norte Litoral

27 O caso português Mas temos de considerar o efeito dos macacos. Com essa preocupação, o mesmo inquérito foi aplicado a «macacos» surpreendidos (1.200 respostas aleatórias, de acordo com as possibilidades de resposta possíveis, para cada pergunta respondida pelos inquiridos). E eles obtiveram um Índice de Literacia Estatística de 23%. Por isso, temos de ser muito prudentes com as conclusões.

28 Medir a Literacia Estatística

Métodos de Amostragem. Carla Varão Cláudia Batista Vânia Martinho

Métodos de Amostragem. Carla Varão Cláudia Batista Vânia Martinho Métodos de Amostragem Carla Varão Cláudia Batista Vânia Martinho Objecto de interesse Objectivos finais da pesquisa Esquema Geral da Investigação Empírica Objecto teórico Enquadramento teórico Fases do

Leia mais

O Portugal que temos. o que imaginamos

O Portugal que temos. o que imaginamos O Portugal que temos e o que imaginamos 3 Religião Religião A esmagadora maioria dos portugueses declara pertencer à religião Católica. E esse valor não se tem alterado ao longo dos últimos anos. Em contrapartida,

Leia mais

INQUÉRITO SOBRE PERÍODOS DE FIDELIZAÇÃO

INQUÉRITO SOBRE PERÍODOS DE FIDELIZAÇÃO INQUÉRITO SOBRE PERÍODOS DE FIDELIZAÇÃO População residencial (Trabalho de campo realizado em outubro de 2016) Novembro de 2016 ANACOM 1. Introdução Na sequência da revisão da LCE que torna obrigatório

Leia mais

BARÓMETRO DE OPINIÃO PÚBLICA: Atitudes dos portugueses perante Leitura e o Plano Nacional de Leitura

BARÓMETRO DE OPINIÃO PÚBLICA: Atitudes dos portugueses perante Leitura e o Plano Nacional de Leitura BARÓMETRO DE OPINIÃO PÚBLICA: Atitudes dos portugueses perante Leitura e o Plano Nacional de Leitura António Firmino da Costa Elsa Pegado Patrícia Ávila CIES-ISCTE 2008 BARÓMETRO DE OPINIÃO PÚBLICA: Atitudes

Leia mais

METODOLOGIA 1 ÂMBITO DO INQUÉRITO

METODOLOGIA 1 ÂMBITO DO INQUÉRITO METODOLOGIA 1 ÂMBITO DO INQUÉRITO O Inquérito à Ocupação do Tempo (IOT) abrange o território do Continente e das Regiões Autónomas dos Açores e da Madeira, tendo-se estabelecido que os resultados deveriam

Leia mais

actividades de I&D e de Inovação nas empresas

actividades de I&D e de Inovação nas empresas Enquadramento à medição das actividades de I&D e de Inovação nas empresas Workshop: I&D e actividades de Inovação nas Empresas Maria João Valente Rosa Lisboa, 11 de Maio de 2009 Instrumentos Oficiais de

Leia mais

EXERCÍCIO Notícia sobre opinião pública relativamente a imigrantes ilegais. Que resposta dar e que atitude(s) tomar?

EXERCÍCIO Notícia sobre opinião pública relativamente a imigrantes ilegais. Que resposta dar e que atitude(s) tomar? EXERCÍCIO Notícia sobre opinião pública relativamente a imigrantes ilegais Que resposta dar e que atitude(s) tomar? Problema a dar resposta Como podemos nós, enquanto assessores do secretário de estado,

Leia mais

Análise da Mobilidade das Famílias Portuguesas ESTUDO QUANTITATIVO. Análise da Mobilidade das Famílias Portuguesas. APEME MAIO de 2008.

Análise da Mobilidade das Famílias Portuguesas ESTUDO QUANTITATIVO. Análise da Mobilidade das Famílias Portuguesas. APEME MAIO de 2008. ESTUDO QUANTITATIVO Análise da Mobilidade das Famílias Portuguesas Análise da Mobilidade das Famílias Portuguesas APEME MAIO de 2008 OBJECTIVOS OBJECTIVOS Com o presente estudo pretendeu-se identificar

Leia mais

Sondagem Aximage: Contratos de associação

Sondagem Aximage: Contratos de associação Sondagem Aximage: Contratos de associação Metodologia 1 FICHA TÉCNICA DESTINADA A PUBLICAÇÃO E ELABORADA DE ACORDO COM UM MODELO PROPOSTO À ERC PARA A IMPRENSA FICHA TÉCNICA Universo: indivíduos inscritos

Leia mais

Sondagem Aximage: Feriados Nacionais

Sondagem Aximage: Feriados Nacionais Sondagem Aximage: Feriados Nacionais Metodologia 1 FICHA TÉCNICA DESTINADA A PUBLICAÇÃO E ELABORADA DE ACORDO COM UM MODELO PROPOSTO À ERC PARA A IMPRENSA FICHA TÉCNICA Universo: indivíduos inscritos nos

Leia mais

Impacte da Lei de Prevenção do Tabagismo* na população de Portugal Continental

Impacte da Lei de Prevenção do Tabagismo* na população de Portugal Continental Impacte da Lei de Prevenção do Tabagismo* na população de Portugal Continental * Lei n.º 37/2007, de 14 de Agosto Direcção-Geral da Saúde com a colaboração do INSA Acompanhamento estatístico e epidemiológico

Leia mais

TIPOS DE PESQUISA. 1 Quanto à abordagem 1.1 Pesquisa qualitativa 1..2 Pesquisa quantitativa

TIPOS DE PESQUISA. 1 Quanto à abordagem 1.1 Pesquisa qualitativa 1..2 Pesquisa quantitativa Estrutura do artigo 1 Título do projeto 2 Introdução 3 Revisão bibliográfica (subdivisão) 4 Procedimentos metodológicos. 4.1 Escolher o tipo de pesquisa 4.2 Estabelecer população e amostra 4.3 Determinar

Leia mais

O valor da legendagem para Surdos

O valor da legendagem para Surdos O valor da legendagem para Surdos Colóquio Caminhos Surdos Coimbra, 5 Junho 2004 josélia neves Um estudo sobre legendagem para Surdos um trabalho científico com implicações pessoais e humanas Valor da

Leia mais

Genética Quantitativa. Recursos Computacionais. Estatística. no Processo da Pesquisa. Desenvolvimento Avícola. Nutrição Manejo. Modelos Estatísticos

Genética Quantitativa. Recursos Computacionais. Estatística. no Processo da Pesquisa. Desenvolvimento Avícola. Nutrição Manejo. Modelos Estatísticos Genética Quantitativa Recursos Computacionais Estatística no Processo da Pesquisa Desenvolvimento Avícola Modelos Estatísticos Nutrição Manejo Genética Quantitativa Definição do Problema Planejamento da

Leia mais

IV. Questionário aos professores e outros funcionários da escola.

IV. Questionário aos professores e outros funcionários da escola. IV. Questionário aos professores e outros funcionários da escola. Ex.mo/a Senhores/as Este questionário faz parte dum estudo que pretendemos realizar no âmbito da conclusão da etapa de Licenciatura, do

Leia mais

Competência Objeto de aprendizagem Habilidade

Competência Objeto de aprendizagem Habilidade Matemática 3ª Rosemeire Meinicke/Gustavo Lopes 6º Ano E.F. Competência Objeto de aprendizagem Habilidade H47- Resolver problemas que envolvam potenciação de números naturais. 1. Números naturais (N) 1.4-

Leia mais

Workshop sobre Inclusão e Formação Financeira com Bancos Centrais dos Países de Língua Portuguesa

Workshop sobre Inclusão e Formação Financeira com Bancos Centrais dos Países de Língua Portuguesa Workshop sobre Inclusão e Formação Financeira com Bancos Centrais dos Países de Língua Portuguesa Estratégia para a formação financeira Susana Narciso Departamento de Supervisão Comportamental 11 de julho

Leia mais

Situação dos migrantes e seus descendentes directos no mercado de trabalho Módulo ad hoc do Inquérito ao Emprego de 2008

Situação dos migrantes e seus descendentes directos no mercado de trabalho Módulo ad hoc do Inquérito ao Emprego de 2008 6. TEMA EM ANÁLISE Situação dos migrantes e seus descendentes directos no mercado de trabalho Módulo ad hoc do Inquérito ao Emprego de 2008 Graça Magalhães* Instituto Nacional de Estatística 1. Introdução

Leia mais

I Inquérito Nacional sobre Asma INASma

I Inquérito Nacional sobre Asma INASma I Inquérito Nacional sobre Asma INASma Sumário do Inquérito Nacional de Controlo da Asma Direcção Geral de Saúde Dezembro 2010 I Inquérito Nacional sobre Asma Direcção geral de saúde / Comissão de Acompanhamento

Leia mais

MÉTODOS QUANTITATIVOS APLICADOS

MÉTODOS QUANTITATIVOS APLICADOS MÉTODOS QUANTITATIVOS APLICADOS Mestrados de: Análise de Política Social, Ciências Económicas, Economia e Gestão de Ciência, Tecnologia e Inovação, Economia e Políticas Públicas Prova Época Recurso 21

Leia mais

1 Conceitos da qualidade

1 Conceitos da qualidade CURSOS DE NEUROFISIOLOGIA/ CARDIOPNEUMOLOGIA 1 Conceitos da qualidade Modelo de excelência Escola Superior de Saúde do Vale do Ave 2 1 Conceitos da qualidade 3 1 Conceitos da qualidade 4 1 Conceitos da

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida. 3º Trimestre 2016

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida. 3º Trimestre 2016 INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida 3º Trimestre 2016 Outubro 2016 Ficha Técnica Presidente Osvaldo Borges Vice-Presidente Celso

Leia mais

Escola: Nome: Nº: Turma:

Escola: Nome: Nº: Turma: Escola: Nome: Nº: Turma: Skimming e scanning Skimming e scanning são duas técnicas de leitura de textos. Utilizamos frequentemente estas duas técnicas em conjunto para poupar tempo na identificação, localização

Leia mais

1 Conceitos da qualidade

1 Conceitos da qualidade 1 Conceitos da qualidade Modelo de excelência Escola Superior de Saúde do Vale do Sousa/Escola Superior do Vale do Ave European Foundation of Quality Management 2 MODELO EFQM DE EXCELÊNCIA NA GESTÃO -Como

Leia mais

ROAMING INTERNACIONAL INFORMAÇÃO GERAL E DADOS ESPECÍFICOS SOBRE AS COMUNICAÇÕES REGULAMENTADAS PELA COMISSÃO EUROPEIA ABRIL 2007 DEZEMBRO 2009

ROAMING INTERNACIONAL INFORMAÇÃO GERAL E DADOS ESPECÍFICOS SOBRE AS COMUNICAÇÕES REGULAMENTADAS PELA COMISSÃO EUROPEIA ABRIL 2007 DEZEMBRO 2009 ROAMING INTERNACIONAL INFORMAÇÃO GERAL E DADOS ESPECÍFICOS SOBRE AS COMUNICAÇÕES REGULAMENTADAS PELA COMISSÃO EUROPEIA ABRIL 2007 DEZEMBRO 2009 Índice 1. O serviço de roaming internacional e a intervenção

Leia mais

1 Conceitos da qualidade

1 Conceitos da qualidade CURSOS DE NEUROFISIOLOGIA/ CARDIOPNEUMOLOGIA 1 Conceitos da qualidade Modelo de excelência Escola Superior de Saúde do Vale do Ave 2 1 Conceitos da qualidade MODELO EFQM DE EXCELÊNCIA NA GESTÃO -Como uma

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE ESTATÍSTICA

NOÇÕES BÁSICAS DE ESTATÍSTICA NOÇÕES BÁSICAS DE ESTATÍSTICA Tipos de Estatísticas Estatística descritiva É a parte mais conhecida. Quem vê o noticiário, na televisão ou nos jornais, sabe o quão freqüente é o uso de médias, índices

Leia mais

Licenciatura Ciência da Informação Unidade Curricular de Metodologia da Investigação

Licenciatura Ciência da Informação Unidade Curricular de Metodologia da Investigação Licenciatura Ciência da Informação Unidade Curricular de Metodologia da Investigação Junho 2013 Autores Francisco Azevedo Stigliano João Manuel Freixo Rodrigues Leite Tiago Jorge Marinho da Silva 2 Resumo

Leia mais

Metodologia Científica: METODOLOGIA EM PESQUISA 19/10/2015

Metodologia Científica: METODOLOGIA EM PESQUISA 19/10/2015 Metodologia Científica: METODOLOGIA EM PESQUISA Juliana Berg Pesquisa em Administração É um conjunto de abordagens, técnicas e processos utilizados pela ciência para formular e resolver problemas de aquisição

Leia mais

INQUÉRITO AOS MEIOS DE ACESSO AO SINAL DE TV

INQUÉRITO AOS MEIOS DE ACESSO AO SINAL DE TV INQUÉRITO AOS MEIOS DE ACESSO AO SINAL DE TV População residencial (Trabalho de campo em julho de 2016) Setembro de 2016 ANACOM 1. Introdução Apresenta-se de seguida uma síntese dos resultados do Inquérito

Leia mais

READ MOÇAMBIQUE E S C H B O R N, A L E M A N H A 2 5 D E O U T U B R O,

READ MOÇAMBIQUE E S C H B O R N, A L E M A N H A 2 5 D E O U T U B R O, Utilizar os Resultados da Avaliação de Estudantes para Reforçar a Qualidade da Educação e dos Sistemas READ MOÇAMBIQUE E S C H B O R N, A L E M A N H A 2 5 D E O U T U B R O, 2 0 1 1 SABER Resultados Comparativos

Leia mais

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL

2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL GRUPO DE ECONOMIA E CONTABILIDADE Cursos Científico-Humanísticos Ano Letivo 2014/2015 PLANIFICAÇÃO ANUAL SOCIOLOGIA (12º ano) Página 1 de 6 Competências Gerais Desenvolver a consciência dos direitos e

Leia mais

AULA Nº 7 METODOLOGIA CIENTÍFICA ALGUNS TIPOS DE PESQUISAS E SUAS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS. Prof. MSc. Fernando Soares da Rocha Júnior

AULA Nº 7 METODOLOGIA CIENTÍFICA ALGUNS TIPOS DE PESQUISAS E SUAS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS. Prof. MSc. Fernando Soares da Rocha Júnior AULA Nº 7 METODOLOGIA CIENTÍFICA ALGUNS TIPOS DE PESQUISAS E SUAS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS Prof. MSc. Fernando Soares da Rocha Júnior 1 AGENDA DA AULA O que é uma pesquisa?; Pesquisa quanto à abordagem;

Leia mais

Eleições Legislativas 2009

Eleições Legislativas 2009 Sondagem Aximage: Eleições Legislativas 2009 Metodologia 1 FICHA TÉCNICA DESTINADA A PUBLICAÇÃO E ELABORADA DE ACORDO COM UM MODELO PROPOSTO À ERC PARA A IMPRENSA FICHA TÉCNICA Universo: indivíduos inscritos

Leia mais

SENAI&'&ES& O"METODO"QUANTITATIVO" " " 26/06/14 MÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS & &

SENAI&'&ES& OMETODOQUANTITATIVO   26/06/14 MÉTODOS QUANTITATIVOS E QUALITATIVOS & & SENAI&'&ES& & & O"METODO"QUANTITATIVO" " " Prof."FÁBIO"CAMPOS" E O que é método? É a escolha de procedimentos sistemáticos para a descrição e explicação de fenômenos. O que são procedimentos metodológicos?

Leia mais

EMIGRAÇÃO EM PORTUGAL (2003): MAIORITARIAMENTE TEMPORÁRIA

EMIGRAÇÃO EM PORTUGAL (2003): MAIORITARIAMENTE TEMPORÁRIA Estatísticas Migratórias - Emigração 2003 11 de Junho de 2004 EMIGRAÇÃO EM PORTUGAL (2003): MAIORITARIAMENTE TEMPORÁRIA Não tendo as características e o volume de outros tempos, a emigração portuguesa

Leia mais

ORGANIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS

ORGANIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS ORGANIZAÇÃO E TRATAMENTO DE DADOS Principles and Standards for School Mathematics (2000) Este documento reforça a ênfase dada no anterior documento, da importância e da adequabilidade, às crianças mais

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida. 2º Trimestre 2015

INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE. INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida. 2º Trimestre 2015 INSTITUTO NACIONAL DE ESTATISTICA CABO VERDE INQUÉRITO DE CONJUNTURA NO CONSUMIDOR Folha de Informação Rápida 2º Trimestre 2015 Julho 2015 Ficha Técnica Presidente Antonio Duarte Editor Instituto Nacional

Leia mais

2012/13. Inquérito aos Estudantes de Mestrado e Doutoramento. Avaliaça o dos Cursos da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa

2012/13. Inquérito aos Estudantes de Mestrado e Doutoramento. Avaliaça o dos Cursos da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa 2012/13 Inquérito aos Estudantes de Mestrado e Doutoramento Avaliaça o dos Cursos da Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa Julho 2013 Índice Introdução...

Leia mais

Representações e atitudes dos lisboetas face à homossexualidade Programa de Ocupação Cientifica de Jovens nas Férias

Representações e atitudes dos lisboetas face à homossexualidade Programa de Ocupação Cientifica de Jovens nas Férias Representações e atitudes dos lisboetas face à homossexualidade Programa de Ocupação Cientifica de Jovens nas Férias Investigadores responsáveis: André Afonso Catarina Delgado Inês Tavares Helena Figueiredo

Leia mais

Boletim de voto A - Idêntico ao que é utilizado actualmente. Boletim A1 - Círculo de Beja

Boletim de voto A - Idêntico ao que é utilizado actualmente. Boletim A1 - Círculo de Beja Boletim de voto A - Idêntico ao que é utilizado actualmente Boletim A1 - Círculo de Beja GOSTARIAMOS DE LHE PEDIR QUE VOTASSE UTILIZANDO O BOLETIM DE VOTO EM ANEXO. Formato do Boletim: Folha A4 vertical.

Leia mais

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 Português (2.º Ciclo) Perfil de Aprendizagens Específicas

ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 Português (2.º Ciclo) Perfil de Aprendizagens Específicas ESCOLA BÁSICA DE MAFRA 2016/2017 Português (2.º Ciclo) Perfil de Aprendizagens Específicas (ponto 2 do artigo 7º do Despacho Normativo nº1-f/2016, de 5 de abril) 5.º Ano Interpretar textos orais breves.

Leia mais

EUROBARÓMETRO 65 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA PRIMAVERA

EUROBARÓMETRO 65 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA PRIMAVERA Standard Eurobarometer European Commission EUROBARÓMETRO 65 OPINIÃO PÚBLICA NA UNIÃO EUROPEIA PRIMAVERA 2006 RELATÓRIO NACIONAL Standard Eurobarometer 65 / Spring 2006 TNS Opinion & Social SUMÁRIO EXECUTIVO

Leia mais

COMISSÃO EUROPEIA CONTRA O RACISMO E A INTOLERÂNCIA

COMISSÃO EUROPEIA CONTRA O RACISMO E A INTOLERÂNCIA CRI(98)30 Version portugaise Portuguese version COMISSÃO EUROPEIA CONTRA O RACISMO E A INTOLERÂNCIA RECOMENDAÇÃO DE POLÍTICA GERAL N. 4 DA ECRI: INQUÉRITOS NACIONAIS SOBRE A EXPERIÊNCIA E A PERCEPÇÃO DA

Leia mais

PROGRAMA DA FORMAÇÃO - CÂMARA E ILUMINAÇÃO PARA AUDIOVISUAIS

PROGRAMA DA FORMAÇÃO - CÂMARA E ILUMINAÇÃO PARA AUDIOVISUAIS DESIGNAÇÃO Nome: Câmara e Iluminação para Audiovisuais Carga horária total: 300 horas Acreditação profissional: n/a Forma de organização da formação: Presencial Público-alvo: Estudantes e profissionais

Leia mais

Jovens de hoje e de antigamente: cidadania e sociabilidades

Jovens de hoje e de antigamente: cidadania e sociabilidades Ocupação científica dos Jovens nas férias Ciência Viva 2012 Jovens de hoje e de antigamente: cidadania e sociabilidades Beatriz Gomes, Cláudia Espadinha, Cláudia Domingues, Raquel Gomes, Rita Campos, Vera

Leia mais

Tabela comparativa. Aprendizagens Essenciais vs Metas Curriculares INGLÊS, 7.º ANO

Tabela comparativa. Aprendizagens Essenciais vs Metas Curriculares INGLÊS, 7.º ANO Tabela comparativa vs INGLÊS, 7.º ANO / Inglês, 7.º ano Compreensão Oral Compreensão Oral Seguir instruções detalhadas dadas pelo professor (L8.1); identificar o conteúdo principal do que se ouve e vê

Leia mais

Eleições Autárquicas 2005 Matosinhos. Sondagem Marktest. Jornal de Notícias / TSF Out.05

Eleições Autárquicas 2005 Matosinhos. Sondagem Marktest. Jornal de Notícias / TSF Out.05 Eleições Autárquicas 2005 Matosinhos Sondagem Marktest para Jornal de Notícias / TSF Out.05 Marktest Dir.Estudos Sectoriais 1 Out.2005 Indice I. Ficha Técnica da Sondagem 1. Universo 2. Amostra 3. Modo

Leia mais

Notas sobre a população a quebra do número de casamentos

Notas sobre a população a quebra do número de casamentos Maria João Valente Rosa* Análise Social, vol. XXXIV (156), 2000, 791-796 Notas sobre a população a quebra do número de casamentos Viver a dois (com um parceiro conjugal) é uma situação maioritária nas

Leia mais

Prof. Lorí Viali, Dr.

Prof. Lorí Viali, Dr. Prof. Lorí Viali, Dr. viali@mat.ufrgs.br http://www.mat.ufrgs.br/~viali/ Distribuição Conjunta Suponha que se queira analisar o comportamento conjunto das variáveis X = Grau de Instrução e Y = Região

Leia mais

Supporting Information I

Supporting Information I Journal of Integrated Coastal Zone Management / Revista de Gestão Costeira Integrada, 16(2):195-206 (2016) http://www.aprh.pt/rgci/pdf/rgci-610_correia.pdf DOI: 10.5894/rgci610 Correia & Pereira (2016)

Leia mais

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTENTES DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E BIBLIOTECA Relatório

AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTENTES DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E BIBLIOTECA Relatório [Escreva texto] AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS UTENTES DO CENTRO DE DOCUMENTAÇÃO E BIBLIOTECA 2012 Relatório Realização: Alexandre Boavida Vicente Bruno Gonçalves Ramos Maria João Teixeira Barreiro Coordenação:

Leia mais

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular OPÇÃO III - TECNOLOGIAS DIGITAIS AVANÇADAS Ano Lectivo 2010/2011

UNIVERSIDADE LUSÍADA DE LISBOA. Programa da Unidade Curricular OPÇÃO III - TECNOLOGIAS DIGITAIS AVANÇADAS Ano Lectivo 2010/2011 Programa da Unidade Curricular OPÇÃO III TECNOLOGIAS DIGITAIS AVANÇADAS Ano Lectivo 2010/2011 1. Unidade Orgânica Ciências Humanas e Sociais (1º Ciclo) 2. Curso Comunicação e Multimédia 3. Ciclo de Estudos

Leia mais

Exemplo (tabela um) distribuições marginais enquanto que. Distribuição Conjunta

Exemplo (tabela um) distribuições marginais enquanto que. Distribuição Conjunta Distribuição Conjunta Suponha que se queira analisar o comportamento conjunto das variáveis = de Instrução e = Região de procedência. Neste caso, a distribuição de freqüências é apresentada como uma tabela

Leia mais

ZA5968. Flash Eurobarometer 408 (European Youth) Country Questionnaire Portugal

ZA5968. Flash Eurobarometer 408 (European Youth) Country Questionnaire Portugal ZA98 Flash Eurobarometer 08 (European Youth) Country Questionnaire Portugal FL08 European Youth PT D Poderia dizer-me a sua idade? (ESCREVER - SE "RECUSA" CÓDIGO '99') D Sexo Masculino Feminino D Que idade

Leia mais

Inquérito aos Docentes e Investigadores sobre a Reorganização da Rede de Ensino Superior e Financiamento. Sumário Executivo

Inquérito aos Docentes e Investigadores sobre a Reorganização da Rede de Ensino Superior e Financiamento. Sumário Executivo Associação Sindical de Docentes e investigadores Inquérito aos Docentes e Investigadores sobre a Reorganização da Rede de Ensino Superior e Financiamento Sumário Executivo dezembro de 2013 Lisboa - Av.

Leia mais

Métodos Empíricos de Pesquisa I. } Análise Bidimensional

Métodos Empíricos de Pesquisa I. } Análise Bidimensional Métodos Empíricos de Pesquisa I } Análise Bidimensional 1 Aula de hoje } Temas } Associação entre variáveis } Qualitativas e Quantitativas } Covariância: conceitos e propriedades } Coeficiente de correlação

Leia mais

Eleições Autárquicas 2005 Lisboa. Sondagem Marktest. Jornal de Notícias / TSF Out.05

Eleições Autárquicas 2005 Lisboa. Sondagem Marktest. Jornal de Notícias / TSF Out.05 Eleições Autárquicas 2005 Lisboa Sondagem Marktest para Jornal de Notícias / TSF Out.05 Marktest Dir.Estudos Sectoriais 1 Out.2005 Indice I. Ficha Técnica da Sondagem 1. Universo 2. Amostra 3. Modo de

Leia mais

UC/UFCD: Cultura, Língua e Comunicação Formador [a]: Vítor Dourado Formando: Fernanda Piçarra. Data 10/05/10

UC/UFCD: Cultura, Língua e Comunicação Formador [a]: Vítor Dourado Formando: Fernanda Piçarra. Data 10/05/10 Na minha opinião, o filme retrata muita tecnologia, e espero que, de futuro, não seja nada assim. Pessoalmente assusta-me pensar que iríamos andar na rua e encontrarmo-nos mais robots do que pessoas. Seria

Leia mais

Perfil dos consumidores de TDT e de Televisão Paga em Portugal

Perfil dos consumidores de TDT e de Televisão Paga em Portugal Perfil dos consumidores de TDT e de Televisão Paga em Portugal Documento suplementar do relatório "A Televisão Digital Terrestre em Portugal: Futuro e Desafios Dados: Inquérito ao Consumo de notícias 2016

Leia mais

MEIOS DE ACESSO AO SINAL DE TV

MEIOS DE ACESSO AO SINAL DE TV MEIOS DE ACESSO AO SINAL DE TV População residencial (Trabalho de campo em junho de 2017) Agosto de 2017 ANACOM 1. Introdução Apresenta-se de seguida uma síntese dos resultados do Barómetro de Telecomunicações

Leia mais

RELATÓRIO DE RESULTADOS DO ESTUDO SOBRE ELEIÇÕES & INTERNET JUNHO DE 2009

RELATÓRIO DE RESULTADOS DO ESTUDO SOBRE ELEIÇÕES & INTERNET JUNHO DE 2009 RELATÓRIO DE RESULTADOS DO ESTUDO SOBRE ELEIÇÕES & INTERNET JUNHO DE 2009 Netsonda - Network Research Quem Somos? A Netsonda, em actividade desde Julho de 2000, é líder e pioneira em Portugal na recolha

Leia mais

Sequência didática Práticas pedagógicas e cinema: contribuições à Educação Ambiental Crítica

Sequência didática Práticas pedagógicas e cinema: contribuições à Educação Ambiental Crítica Sequência didática Práticas pedagógicas e cinema: contribuições à Educação Ambiental Crítica Objetivos: - Discutir concepções da Educação Ambiental crítica em sala de aula; - Estimular a divulgação de

Leia mais

BIBLIOTECAS ESCOLARES AUTO-AVALIAÇÃO BIBLIOTECA ESCOLAR DE MARRAZES 2009/2010

BIBLIOTECAS ESCOLARES AUTO-AVALIAÇÃO BIBLIOTECA ESCOLAR DE MARRAZES 2009/2010 BIBLIOTECAS ESCOLARES AUTO-AVALIAÇÃO BIBLIOTECA ESCOLAR DE MARRAZES 2009/2010 ONTEM... tendo magníficas colecções de informação, um ambiente físico inspirador ou uma rede avançada de tecnologia de informação.

Leia mais

BARÓMETRO TRIMESTRAL DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL 4º TRIMESTRE DE 2014 RELATÓRIO DE RESULTADOS

BARÓMETRO TRIMESTRAL DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL 4º TRIMESTRE DE 2014 RELATÓRIO DE RESULTADOS BARÓMETRO TRIMESTRAL DO COMÉRCIO ELECTRÓNICO EM PORTUGAL 4º TRIMESTRE DE 2014 RELATÓRIO DE RESULTADOS Índice Introdução 03 Ficha Técnica 05 Sumário Executivo 06 Relatório de Resultados 07 Entidades Inquiridas

Leia mais

Apresentação. CAEd versão1.0. CAEd Cálculo Acústico de Edifícios. Jorge Patrício. Luís Santos Lopes

Apresentação. CAEd versão1.0. CAEd Cálculo Acústico de Edifícios. Jorge Patrício. Luís Santos Lopes CAEd Cálculo Acústico de Edifícios Autores: João Mariz Graça Jorge Patrício Luís Santos Lopes Lisboa, Junho de 2008 1 Introdução O programa CAEd foi desenvolvido por João Mariz da Graça, Jorge Patrício

Leia mais

Colaboração Instituto Nacional de Estatística. Rede de Bibliotecas Escolares

Colaboração Instituto Nacional de Estatística. Rede de Bibliotecas Escolares Colaboração Instituto Nacional de Estatística Rede de Bibliotecas Escolares António Nogueira * No ano em que decorre o 75º Aniversário da criação do Instituto Nacional de Estatística e o 14º ano de existência

Leia mais

Guião de exploração pedagógica painel 8. Autoria: Maria José Marques

Guião de exploração pedagógica painel 8. Autoria: Maria José Marques Autoria: Maria José Marques A Exposição Itinerante Santillana é da autoria de Maria José Marques e foi exibida pela primeira vez na Universidade de Verão Santillana, nos dias 9, 10 e 11 de julho de 2012,

Leia mais

Acção Local de Estatística Aplicada

Acção Local de Estatística Aplicada Acção Local de Estatística Aplicada Parceria Propósito Disponibilizar instrumentos para apoio ao ensino e à aprendizagem da Estatística, em acesso livre! Como? (Edutainment) Entretenimento Estatística

Leia mais

População, Recursos e Ambiente

População, Recursos e Ambiente Instituto Superior Técnico População, Recursos e Ambiente Prof. Henrique Miguel Pereira Exame - 2 a Época 1 de Fevereiro de 2006 Duração: 2h15m A primeira parte do exame consiste em perguntas de escolha

Leia mais

18% DOS RESIDENTES EM RISCO DE POBREZA.

18% DOS RESIDENTES EM RISCO DE POBREZA. Rendimento e Condições de Vida 2006 15 de Janeiro de 2008 18% DOS RESIDENTES EM RISCO DE POBREZA. O Instituto Nacional de Estatística apresenta os principais indicadores sobre o risco de pobreza e a desigualdade

Leia mais

Questionário. Redes sociais e consumos culturais: Facebook como agenda cultural

Questionário. Redes sociais e consumos culturais: Facebook como agenda cultural Questionário Redes sociais e consumos culturais: Facebook como agenda cultural A aplicação deste questionário tem como objectivo estudar as práticas culturais e as redes sociais, no âmbito do mestrado

Leia mais

Acesso à informação em dispositivos móveis: Oportunidades, Riscos, Desafios. Cristina Ponte FCSH/NOVA

Acesso à informação em dispositivos móveis: Oportunidades, Riscos, Desafios. Cristina Ponte FCSH/NOVA Acesso à informação em dispositivos móveis: Oportunidades, Riscos, Desafios Cristina Ponte FCSH/NOVA Estrutura da apresentação O contexto de leitura: convergência dos meios, agregadores de informação Crescendo

Leia mais

Resultados sob embargo até divulgação pelo JN, DN, RTP e Antena 1 no dia 5 de Março à 01h00

Resultados sob embargo até divulgação pelo JN, DN, RTP e Antena 1 no dia 5 de Março à 01h00 SONDAGEM SOBRE CRISE ECONÓMICA E REFORMA DO ESTADO CESOP/UCP PARA ANTENA 1, RTP, JN E DN Resultados sob embargo até divulgação pelo JN, DN, RTP e Antena 1 no dia 5 de Março à 01h00 0. Ficha técnica Ficha

Leia mais

Dicas sobre produção mediática: A produção de uma notícia para o média escolar

Dicas sobre produção mediática: A produção de uma notícia para o média escolar Sobre este documento Este documento tem por objetivo dar algumas sugestões e dicas acerca da produção de um trabalho jornalístico, nas suas diferentes fases, tendo em conta o contexto educativo e o enquadramento

Leia mais

DISCIPLINA DE GEOGRAFIA 8.º Ano

DISCIPLINA DE GEOGRAFIA 8.º Ano 1. COMPETÊNCIAS ESSENCIAIS COMPETÊNCIAS GERAIS - Usa correctamente a língua portuguesa para comunicar adequadamente e para estruturar o pensamento próprio. (C. Geral 3) - Adopta metodologias personalizadas

Leia mais

Determinantes de saúde

Determinantes de saúde 1ª Conferência do Inquérito Nacional de Saúde com Exame Físico: um olhar atento à saúde dos portugueses Determinantes de saúde Eugénio Cordeiro 1 J Santos 2, L Antunes 2,S Namorado 2, AJ Santos 2, I Kislaya

Leia mais

ESTUDOS CORRELACIONAIS E ESTUDOS CAUSAL-COMPARATIVOS. Ana Henriques Carla Neves Idália Pesquita Mestrado em Educação Didáctica da Matemática

ESTUDOS CORRELACIONAIS E ESTUDOS CAUSAL-COMPARATIVOS. Ana Henriques Carla Neves Idália Pesquita Mestrado em Educação Didáctica da Matemática 1 ESTUDOS CORRELACIONAIS E ESTUDOS CAUSAL-COMPARATIVOS Ana Henriques Carla Neves Idália Pesquita Mestrado em Educação Didáctica da Matemática 1. Introdução A compreensão do comportamento humano tanto a

Leia mais

Probabilidade e Estatística

Probabilidade e Estatística Aula 3 Professora: Rosa M. M. Leão Probabilidade e Estatística Conteúdo: 1.1 Por que estudar? 1.2 O que é? 1.3 População e Amostra 1.4 Um exemplo 1.5 Teoria da Probabilidade 1.6 Análise Combinatória 3

Leia mais

Conteúdo: Aula 2. Probabilidade e Estatística. Professora: Rosa M. M. Leão

Conteúdo: Aula 2. Probabilidade e Estatística. Professora: Rosa M. M. Leão Aula 2 Professora: Rosa M. M. Leão Probabilidade e Estatística Conteúdo: 1.1 Por que estudar? 1.2 O que é? 1.3 População e Amostra 1.4 Um exemplo 1.5 Teoria da Probabilidade 1.6 Análise Combinatória 3

Leia mais

Rendimento e Condições de Vida 2008 (Dados Provisórios)

Rendimento e Condições de Vida 2008 (Dados Provisórios) Rendimento e Condições de Vida 2008 (Dados Provisórios) 15 de Julho de 2009 O risco de pobreza manteve-se em 18% e a Desigualdade continuou a descer Segundo os resultados provisórios do Inquérito às Condições

Leia mais

BANCO DE PORTUGAL Eurosistema CENTRAL DE BALANÇOS CONSELHO SUPERIOR DE ESTATÍSTICA

BANCO DE PORTUGAL Eurosistema CENTRAL DE BALANÇOS CONSELHO SUPERIOR DE ESTATÍSTICA BANCO DE PORTUGAL Eurosistema ESTATÍSTICAS STICAS DA CENTRAL DE BALANÇOS CONSELHO SUPERIOR DE ESTATÍSTICA, TÓPICOS 1. A do 2. Resultados da intervenção do sobre os dados individuais das empresas 3. Principais

Leia mais

Indicadores de Desempenho

Indicadores de Desempenho Indicadores de Desempenho 1 Conceito Características mensuráveis de processos, produtos ou serviços, utilizadas pela organização para acompanhar, avaliar e melhorar o seu desempenho. OS INDICADORES NECESSITAM

Leia mais

CURRÍCULO DISCIPLINAR

CURRÍCULO DISCIPLINAR CURRÍCULO DISCIPLINAR 1º CEB 4º ANO 1º CEB 4º Ano de escolaridade Número de aulas previstas no ano letivo 2017/18: 1º Período 64 2º Período 55 170 dias letivos 3º Período 51 PORTUGUÊS DOMÍNIO: ORALIDADE

Leia mais

Grupo B Estruturas de Repetição

Grupo B Estruturas de Repetição Grupo B Estruturas de Repetição Exercício Descrição 1. Escrever um algoritmo que lê 5 valores para a, um de cada vez, e conta quantos destes valores são negativos, escrevendo esta informação. 2. Escrever

Leia mais

1. METODOLOGIA 1.1. PROBLEMÁTICA

1. METODOLOGIA 1.1. PROBLEMÁTICA 1. METODOLOGIA A realização de uma dissertação exige a utilização de uma metodologia científica, como base de partida para a aquisição e tratamento de conhecimentos. É através da metodologia que se estuda,

Leia mais

Aprendizagem ao Longo da Vida Inquérito à Educação e Formação de Adultos 2007

Aprendizagem ao Longo da Vida Inquérito à Educação e Formação de Adultos 2007 Aprendizagem ao Longo da Vida Inquérito à Educação e Formação de Adultos 2007 25 de Novembro de 2009 A publicação Aprendizagem ao Longo da Vida Inquérito à Educação e Formação de Adultos 2007, apresenta,

Leia mais

ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE

ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE ATLAS DO PLANO NACIONAL DE SAÚDE 06 Como se Nasce, Vive e Morre 090 06. Como se Nasce, Vive e Morre? Atlas do Plano Nacional de Saúde Como se Nasce, Vive e Morre? Considerações Gerais A Esperança de Vida

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS MUNICIPES. Câmara Municipal de Mogadouro

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS MUNICIPES. Câmara Municipal de Mogadouro RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DA SATISFAÇÃO DOS MUNICIPES Câmara Municipal de Mogadouro ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 2 2. A IMPORTÂNCIA DE MEDIR A SATISFAÇÃO DOS CLIENTES... 2 3. OBJETIVOS... 2 4. METODOLOGIA... 2

Leia mais

METODOLOGIA DE AMOSTRAGEM

METODOLOGIA DE AMOSTRAGEM METODOLOGIA DE AMOSTRAGEM 1. População Alvo: A população alvo para este estudo é constituída por indivíduos residentes em Portugal com idades iguais ou superiores a 18 anos, não institucionalizadas. Excluem-se

Leia mais

Inquérito às Necessidades de Formação Profissional das Empresas

Inquérito às Necessidades de Formação Profissional das Empresas REGIÃO AUTÓNOMA DOS AÇORES SECRETARIA REGIONAL DA EDUCAÇÃO E CIÊNCIA DIRECÇÃO REGIONAL DO TRABALHO E QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL OBSERVATÓRIO DO EMPREGO E FORMAÇÃO PROFISSIONAL Inquérito às Necessidades

Leia mais

Resumo e Reflexão do artigo: Descobrir o princípio alfabético, por Ana Cristina Silva

Resumo e Reflexão do artigo: Descobrir o princípio alfabético, por Ana Cristina Silva Instituto Politécnico de Setúbal Escola Superior de Educação Licenciatura em Educação Básica - 3º ano, turma B U.C.: Introdução à Didáctica do Português Docentes: Helena Camacho 2009/2010 Resumo e Reflexão

Leia mais

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL

AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL AVALIAÇÃO DO CURSO DE COMUNICAÇÃO ORGANIZACIONAL Outubro 2009 ÍNDICE 1. Introdução 3 2. População e Amostra 3 3. Apresentação de Resultados 4 3.1. Opinião dos alunos de Comunicação Organizacional sobre

Leia mais

Ano Lectivo 2006/2007 3º Ciclo 7º Ano

Ano Lectivo 2006/2007 3º Ciclo 7º Ano AGRUPAMENTO VERTICAL DE ESCOLAS DR. VIEIRA DE CARVALHO Planificação DISCIPLINA DE GEOGRAFIA Ano Lectivo 2006/2007 3º Ciclo 7º Ano Unidade Didáctica Conteúdos Competências Específicas Avaliação A TERRA

Leia mais

Sondagem Aximage: TEMAS DE EVENTUAL ATRITO ENTRE GOVERNO E APOIO PARLAMENTAR

Sondagem Aximage: TEMAS DE EVENTUAL ATRITO ENTRE GOVERNO E APOIO PARLAMENTAR Sondagem Aximage: TEMAS DE EVENTUAL ATRITO ENTRE GOVERNO E APOIO PARLAMENTAR Metodologia 1 FICHA TÉCNICA DESTINADA A PUBLICAÇÃO E ELABORADA DE ACORDO COM UM MODELO PROPOSTO À ERC PARA A IMPRENSA FICHA

Leia mais

O que é o PISA? O estudo PISA foi lançado pela OCDE (Organização para o Desenvolvimento e Cooperação Económico), em 1997.

O que é o PISA? O estudo PISA foi lançado pela OCDE (Organização para o Desenvolvimento e Cooperação Económico), em 1997. O que é o PISA? O estudo PISA foi lançado pela OCDE (Organização para o Desenvolvimento e Cooperação Económico), em 1997. Os resultados obtidos nesse estudo permitem: monitorizar, de uma forma regular,

Leia mais

A Qualidade da Democracia e da Governação em Cabo Verde

A Qualidade da Democracia e da Governação em Cabo Verde WWW.AFROBAROMETER.ORG A F R O S O N D A G E M Estudos de Mercado, Inquéritos de Opinião e Consultoria Económica A Qualidade da Democracia e da Governação em Cabo Verde Resultados da AFROBAROMETRO Round

Leia mais

Estratégias para a publicação e divulgação de conteúdos digitais

Estratégias para a publicação e divulgação de conteúdos digitais Estratégias para a publicação e divulgação de conteúdos digitais A experiência da Biblioteca de Arte da Fundação Calouste Gulbenkian Ana Paula Gordo Biblioteca de Arte Áreas de especialização História

Leia mais

Sondagem Aximage: Barómetro Político Fevereiro 2017

Sondagem Aximage: Barómetro Político Fevereiro 2017 Sondagem Aximage: Barómetro Político Fevereiro 2017 Metodologia 1 FICHA TÉCNICA DESTINADA A PUBLICAÇÃO E ELABORADA DE ACORDO COM UM MODELO PROPOSTO À ERC PARA A IMPRENSA FICHA TÉCNICA Universo: indivíduos

Leia mais

Case study. Ciclo de Conferências UM ALERTA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL EMPRESA ENVOLVIMENTO

Case study. Ciclo de Conferências UM ALERTA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL EMPRESA ENVOLVIMENTO Case study 2010 Ciclo de Conferências UM ALERTA GLOBAL PARA O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL EMPRESA Fundada em 1876, a Caixa Geral de Depósitos é o banco público português e o maior grupo financeiro nacional.

Leia mais