Análise da Colaboração Científica sobre Empresas de Base Tecnológica. Analysis of Scientific Collaboration on Technology-Based Firms

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Análise da Colaboração Científica sobre Empresas de Base Tecnológica. Analysis of Scientific Collaboration on Technology-Based Firms"

Transcrição

1 Análise da Colaboração Científica sobre Empresas de Base Tecnológica Analysis of Scientific Collaboration on Technology-Based Firms Meire Ramalho de Oliveira, mestranda, UFSCar, Roberto Ferrari Júnior, doutor, UFSCar, Resumo O artigo identifica as relações de cooperação científica entre pesquisadores da área de Empresas de Base Tecnológica, por meio de indicadores da Web of Science. A análise demonstrou que pesquisadores dos Estados Unidos mantêm relações de cooperação principalmente com pesquisadores do Reino Unido, Canadá e China. Os resultados demonstram também que os institutos de pesquisa mais atuantes no assunto desenvolvem poucas relações de parceria: a Chalmers University of Technology com University of Nottingham. O objetivo é identificar a colaboração científica internacional sobre o tema Empresas de Base Tecnológica. Isto porque as relações que se formam entre os cientistas podem ser importantes para a percepção de oportunidades, trocas de informação e aumento do número de publicações. Palavras-chave colaboração científica; empresa de base tecnológica; EBT Abstract This paper identifies the scientific-cooperation relations among researchers studying technologybased firms. Data has been obtained from Web of Science. Results show that researchers from the United States develop cooperative research with researchers from the United Kingdom, Canada, and the China. Results also show that the major research institutes on the subject keep just a few scientific cooperation: Chalmers University of Technology cooperate with University of Nottingham. The objective is identify the international scientific collaboration about technologybased companies issue. This is because the relationships that form between scientists can be important for the perception of opportunities, information exchange and increase the number of publications. Key-words - scientific collaboration; technology-based companies; TBF 1. Introdução A colaboração científica ocorre por meio de um esforço conjunto e coordenado por resultados e responsabilidades compartilhadas, visando maximizar o potencial entre os grupos. Assim a colaboração científica cria uma fonte de apoio para melhorar o desempenho (BALANCIERI et al., 2005, p.1). 1

2 As relações de intercâmbio também podem ocorrer entre cientistas em eventos internacionais, parcerias em laboratórios e cooperação em projetos de pesquisa, culminando com aumento de produtividade entre todos os participantes (LIMA, FARIA E VELHO, 2007, p. 52). Dessa forma, os cientistas compartilham equipamentos, informações e ideias que podem resultar em pesquisas publicadas conjuntamente. Assim a colaboração ocorre quando se compartilha recursos intelectuais, econômicos ou físicos. Esta prática pode ser favorável para todos os lados, já que resulta em pesquisas mais aprofundadas e com visões diferenciadas entre os envolvidos. Além disso, é justificada pela interdisciplinaridade da ciência, e não se limita a proximidade física devido aos recursos tecnológicos atuais. (VANZ e STUMPF, 2010, p. 48) O objetivo desta pesquisa é identificar a colaboração científica internacional na área de empresas de base tecnológica. Isto porque as relações que se formam entre os cientistas podem ser importantes para a percepção de oportunidades, trocas de informação e aumento do número de publicações. 2. Importância da Análise da Cooperação Científica Segundo Balancieri et al. (2005, p.1), as redes científicas resultam em ganhos sociais, quando se compara a atuação de cientistas em separado ou trabalhando isoladamente, já que se resulta em uma ampliação de repertório de abordagens e ferramentas provenientes das trocas de informação e conhecimento entre os grupos, compartilhando esforços em busca de um determinado resultado. O estudo das redes sociais surge como uma forma de compreender as relações de colaboração científica, valendo-se de indivíduos, grupos e instituições, tanto nacionais, como as internacionais. (OLIVEIRA, SANTAREM e SANTAREM, 2009, p.311) Dessa maneira, as pesquisas que ocorrem de forma cooperativa acabam se tornando instrumentos de desenvolvimento e difusão tecnológica, podendo ser considerada como um estágio avançado das relações entre os atores (universidade, centros de pesquisa, órgãos de governo e empresas). Esse tipo de parceria contribui tanto para países desenvolvidos, quanto para os pertencentes ao grupo dos em desenvolvimento. Entretanto sua importância para países em desenvolvimento é ainda maior, já que os investimentos em pesquisa por parte das empresas é 2

3 relativamente baixo e eles não dispõem de estrutura e amadurecimento tecnológico, tendo como solução o envolvimento com universidades e empresas. Assim a cooperação pode surgir entre universidades e empresas. E tem por intuito de redução de custos e tempo de pesquisa, acesso a laboratórios, recursos humanos qualificados e aumentar a competividade. (LONGO e OLIVEIRA, 2000, p.4) 3. Metodologia Para a coleta de dados utilizou-se a base ISI Web of Science, com a expressão de busca truncada, ou seja, utilizando o sinal (*), com a finalidade de recuperar documentos com os seguintes radicais: "TECHNOLOG* BASE* ENTERPRISE*" OR "TECHNOLOG* BASE* COMPAN*" OR "TECHNOLOG* BASE* FIRM*" OR "TBF*" OR "TECHNOLOG* FIRM*" OR "TECHNOLOG* ENTERPRISE*" OR "TECHNOLOG* COMPAN*" OR "TECHNOLOG* BASE* SMALL* FIRM*" A busca foi realizada através do campo Topic da Web of Science, onde se puderam recuperar documentos que continham a expressão de busca no título, abstract e palavras-chave. A etapa de análise de resultados foi realizada com o software Vantage Point, uma vez que esse software é uma ferramenta utilizada para a contagem de volumes de texto estruturados visando obter padrões de relacionamentos entre os dados. Em seguida as redes foram construídas com o auxílio dos softwares Ucinet e NetDraw (VANTAGE POINT, 2010). 4. Resultados e Discussões O levantamento realizado a partir da Web of Science forneceu indicadores de publicações e ligações, através de mapas de co-autoria, úteis para a compreensão das parcerias que envolvem os estudos sobre empresas de base tecnológica. A Figura 1 fornece o número de publicações por países, onde os Estados Unidos aparece como líder, seguidos do Reino Unido e China. O gráfico representa apenas os países principais, ou seja, com maiores números de publicação. 3

4 Figura1: Número de Publicações por Países 4.1. As Relações de Cooperação entre Países Por meio da Figura 2 é possível perceber que os estudos sobre empresas de base tecnológica se concentram nos Estados Unidos e possuem ligações com Reino Unido. Existem também relações com o Canadá e China. A ligação com o Canadá pode ser favorecida pela proximidade geográfica. 4

5 Figura 2: Mapa de Co-autoria entre Países sobre Empresas de Base Tecnológica A Tabela 1 demonstra a produção científica dos países, bem como as relações que se formam entre eles. É possível notar que os Estados Unidos se relacionam com os principais países em número de publicações. Enquanto que o Reino Unido e a China também desenvolveram relações de parcerias entre os principais países. A relação com o Canadá é a segunda de maior importância e pode ser facilitada pela proximidade geográfica, uma vez que Oliveira, Santarem e Santarem (2009, p.311) indicam a proximidade geográfica, política e cultural como fatores que influenciam as colaborações na comunidade internacional. Enquanto que Vanz e Stumpf (2010, p.48) descrevem a proximidade física como um fator que encoraja a colaboração. 5

6 Tabela 1: Publicações por Países (Co-Autoria) Estados Reino China Suécia Canadá Unidos Unido Estados Unidos Reino Unido China Suécia Canadá As Relações entre as Instituições de Pesquisa Em relação aos institutos de pesquisa, os que apresentavam maior número de publicações são Chalmers University of Technology, University of Nottingham e Politecnico di Milano. Chalmers University of Technology é a instituição de pesquisa com maior número de publicações, empatada com a University of Nottingham (16 publicações), mantendo as principais relações de parceria e University of Nottingham com a instituição Politecnico di Milano.. 6

7 Figura 3: Relações entre as Instituições de Pesquisa 7

8 Por meio da Tabela 2 é possível perceber, que as principais universidades, em número de publicações mantêm poucas parcerias entre si. Tabela 2: Publicações por Instituição de Pesquisa (Co-Autoria) Chalmers UnivTechnol Univ Nottingham Politecn Milan Helsinki UnivTech Univ Cambridge Chalmers Univ 16 4 Technol Univ Nottingham Politecn Milan 1 15 Helsinki UnivTech 12 Univ Cambridge Relações entre os Autores Os autores que apresentaram maior número de publicações na área de empresas de base tecnológica foram Colombo, MG (Politecnico de Milano), Lindelof, P (Chalmers University of Technology) e Lofsten, H (Chalmers University of Technology) As relações de parceria entre Lindelof e Lofsten é facilitada por pertencerem a mesma instituição de pesquisa e são as maiores apresentadas nesta análise. 8

9 Figura 4: Relações entre os Autores De acordo com a Figura 4 é possível perceber outra relação de parceria entre Grilli, L e Colombo, MG, que também ocorre porque os dois pesquisadores pertencem também a mesma instituição de pesquisa, o Politecnico de Milano. Tabela 2: Publicações por Autores (Co-Autoria) COLOMBO, MG LINDELOF, P LOFSTEN, H AUTIO, E WRIGHT, M COLOMBO, 12 1 MG LINDELOF, P LOFSTEN, H AUTIO, E 9 WRIGHT, M Conclusão As instituições de pesquisa que produzem conhecimento sobre empresas de base tecnológica possuem poucas parcerias, representadas principalmente pela Chalmers University of Technology com University of Nottingham e Politecnico di Milano. Os Estados Unidos detêm o maior número de estudos sobre o tema e demonstra relações de parceria científica com Reino Unido, Canadá, e Finlândia. Os autores com maiores taxas de publicação são Colombo, MG (Politecnico de Milano), Lindelof, P (Chalmers University of Technology) e Lofsten, H (Chalmers University of Technology). Entre os principais autores participantes deste levantamento, as maiores relações de parceria ocorrem entre Lindelof e Lofsten, por atuarem na mesma instituição e manterem relações de cooperação. Melhorar as relações de parceria científica pode resultar em fortalecimento da área, isto porque os recursos tanto físicos, humanos, como de capital financeiro podem ser compartilhados, enquanto novas pesquisas podem ser estimuladas. 9

10 6. Referências Bibliográficas BALANCIERI et al. A Análise de Redes de Colaboração Científica sob as Novas Tecnologias de Informação e Comunicação: um estudo na Plataforma Lattes. Ciência da Informação, Brasília, v.34, n.1, p , jan./abr LIMA, R. A.; VELHO, L. M. L. S.; FARIA, L. I. L. Indicadores bibliométricos de cooperação científica internacional em bioprospecção. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 12, n. 1, p , jan./abr. 2007b. LONGO, W. P.; OLIVEIRA, A. R. P. Pesquisa Cooperativa e Centros de Excelência. Parcerias Estratégicas nr.9 outubro/2000. SANTAREM, L. G. da S. ; OLIVEIRA, E. F. T. ; SANTAREM SEGUNDO, J. E.. Análise das redes de colaboração científica através do estudo das co-autorias, nos cursos de pósgraduação do Brasil no tema Tratamento Temático da Informação. In: Nuria Lloret. (Org.). Nuevas perspectivas para la difusión y organización del conocimiento. 1 ed. Valencia: Universidad Politécnica de Valência, 2009, v. 2, p VANZ, Samile ; Stumpf, Ida Regina Chittó. Colaboração científica: revisão teóricoconceitual. Perspectivas em Ciência da Informação (Impresso), v. 15, p ,

REDE COLABORATIVA DOS PESQUISADORES DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA NO BRASIL

REDE COLABORATIVA DOS PESQUISADORES DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA NO BRASIL PÔSTER REDE COLABORATIVA DOS PESQUISADORES DOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM FONOAUDIOLOGIA NO BRASIL Jane Coelho Danuello, Jesús Pascual Mena-Chalco, Ely Francina Tannuri Oliveira Resumo: Esta pesquisa

Leia mais

LISTA DE AUTORIDADES DE INSTITUIÇÕES BRASILEIRAS DE ENSINO E PESQUISA PARA APOIO À ELABORAÇÃO DE INDICADORES DE COLABORAÇÃO CIENTÍFICA

LISTA DE AUTORIDADES DE INSTITUIÇÕES BRASILEIRAS DE ENSINO E PESQUISA PARA APOIO À ELABORAÇÃO DE INDICADORES DE COLABORAÇÃO CIENTÍFICA XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 LISTA DE AUTORIDADES

Leia mais

REDES DE COLABORAÇÃO NA PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA EM BIOLOGIA EVOLUTIVA: 2000-2012

REDES DE COLABORAÇÃO NA PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA EM BIOLOGIA EVOLUTIVA: 2000-2012 REDES DE COLABORAÇÃO NA PRODUÇÃO CIENTÍFICA BRASILEIRA EM BIOLOGIA EVOLUTIVA: 2000-2012 Dirce Maria Santin (UFRGS) dirsantin@yahoo.com.br Samile Andrea de Souza Vanz (UFRGS) samilevanz@terra.com.br Ida

Leia mais

SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO

SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO MESTRADO SUGESTÕES PARA ARTICULAÇÃO ENTRE O MESTRADO EM DIREITO E A GRADUAÇÃO Justificativa A equipe do mestrado em Direito do UniCEUB articula-se com a graduação, notadamente, no âmbito dos cursos de

Leia mais

Educação além dos limites da sala de aula

Educação além dos limites da sala de aula Educação além dos limites da sala de aula Como a Brightspace passou a fazer parte da vida de 20.000 alunos da Universidade Tiradentes Visão Geral Com mais de 50 anos de tradição e reconhecido pioneirismo

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA OBSERVATÓRIO SÓCIO-AMBIENTAL

SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA OBSERVATÓRIO SÓCIO-AMBIENTAL SISTEMA DE INFORMAÇÃO PARA OBSERVATÓRIO SÓCIO-AMBIENTAL FICHA DE APRESENTAÇÃO SISTEMA INTERATIVO DE MONITORAÇÃO E PARTICIPAÇÃO PARA O APOIO À IMPLEMENTAÇÃO DA PLATAFORMA DE C O O P E R A Ç Ã O A M B I

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA CONSULTOR NACIONAL OPAS/OMS

TERMO DE REFERÊNCIA CONSULTOR NACIONAL OPAS/OMS TERMO DE REFERÊNCIA CONSULTOR NACIONAL OPAS/OMS 1.Objetivo geral: Apoiar tecnicamente a gestão e implementação das atividades dos Projetos de Fortalecimento da Assistência Farmacêutica (Termo de Cooperação

Leia mais

Eficiência Peso: 30.0

Eficiência Peso: 30.0 ANO: Ministério da Educação e Ciência Instituto Politécnico de Beja MISSÃO: O Instituto Politécnico de Beja é uma instituição de ensino superior ao serviço da sociedade, destinada à produção e difusão

Leia mais

Quando o assunto for pesquisa, inovação, educação e parcerias. Pense no Canadá Pense nas universidades canadenses

Quando o assunto for pesquisa, inovação, educação e parcerias. Pense no Canadá Pense nas universidades canadenses Pense no Canadá Pense nas universidades canadenses Quando o assunto for pesquisa, inovação, educação e parcerias Association of Universities and Colleges of Canada Pense no Canadá / Pense nas universidades

Leia mais

Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso

Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso Carta para a Preservação do Patrimônio Arquivístico Digital Preservar para garantir o acesso Considerando que a informação arquivística, produzida, recebida, utilizada e conservada em sistemas informatizados,

Leia mais

ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DE DEZ ANOS DOS CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DISTÚRBIOS DO DESENVOLVIMENTO.

ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DE DEZ ANOS DOS CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DISTÚRBIOS DO DESENVOLVIMENTO. ANÁLISE DA PRODUÇÃO CIENTÍFICA DE DEZ ANOS DOS CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DISTÚRBIOS DO DESENVOLVIMENTO. ANALYSES OF TEN YEARS OF SCIENTIFIC PRODUCTION OF THE JOURNAL CADERNOS DE PÓS-GRADUAÇÃO EM DISTÚRBIOS

Leia mais

Comportamento Humano: Liderança, Motivação e Gestão do Desempenho

Comportamento Humano: Liderança, Motivação e Gestão do Desempenho A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

Autor: Marcelo Leandro de Borba 1 Co-Autores: Luiz Melo Romão 2, Vanessa de Oliveira Collere 3, Sandra Aparecida Furlan 4, Claiton Emílio do Amaral 5

Autor: Marcelo Leandro de Borba 1 Co-Autores: Luiz Melo Romão 2, Vanessa de Oliveira Collere 3, Sandra Aparecida Furlan 4, Claiton Emílio do Amaral 5 O Ecossistema de Empreendedorismo Inovador no Norte Catarinense a parceria operacional/científica do Parque de Inovação Tecnológica de Joinville e Região e Perini Business Park Autor: Marcelo Leandro de

Leia mais

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web

Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Resumo. Desenvolvimento de um software de gerenciamento de projetos para utilização na Web Autor: Danilo Humberto Dias Santos Orientador: Walteno Martins Parreira Júnior Bacharelado em Engenharia da Computação

Leia mais

O papel dos docentes em programas de pós graduação: uma abordagem baseada em redes.

O papel dos docentes em programas de pós graduação: uma abordagem baseada em redes. O papel dos docentes em programas de pós graduação: uma abordagem baseada em redes. Maria Teresinha Tamanini Andrade 1, Marcos Grilo Rosa 2,4, Inácio de Sousa Fadigas 2, Hernane Borges de Barros Pereira

Leia mais

ROBSON FUMIO FUJII GOVERNANÇA DE TIC: UM ESTUDO SOBRE OS FRAMEWORKS ITIL E COBIT

ROBSON FUMIO FUJII GOVERNANÇA DE TIC: UM ESTUDO SOBRE OS FRAMEWORKS ITIL E COBIT ROBSON FUMIO FUJII GOVERNANÇA DE TIC: UM ESTUDO SOBRE OS FRAMEWORKS ITIL E COBIT LONDRINA - PR 2015 ROBSON FUMIO FUJII GOVERNANÇA DE TIC: UM ESTUDO SOBRE OS FRAMEWORKS ITIL E COBIT Trabalho de Conclusão

Leia mais

XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014. Eixo Temático: Gestão de bibliotecas universitárias (GBU)

XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014. Eixo Temático: Gestão de bibliotecas universitárias (GBU) 1 XVIII Seminário Nacional de Bibliotecas Universitárias SNBU 2014 Eixo Temático: Gestão de bibliotecas universitárias (GBU) MODELO DE INDICADORES PARA A BIBLIOTECA FCA/UNICAMP Modalidade da apresentação:

Leia mais

PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DE EXCELÊNCIA NO BRASIL: colaboração internacional e impacto na área de Zootecnia

PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DE EXCELÊNCIA NO BRASIL: colaboração internacional e impacto na área de Zootecnia PRODUÇÃO CIENTÍFICA DOS PROGRAMAS DE PÓS- GRADUAÇÃO DE EXCELÊNCIA NO BRASIL: colaboração internacional e impacto na área de Zootecnia Fabio Sampaio Rosas (UNESP) fabiosrosas@hotmail.com Maria Cláudia Cabrini

Leia mais

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso

Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso AUTO-AVALIAÇAO INSTITUCIONAL DO CURSO DE PEDAGOGIA FACED-UFAM / Professores Dimensão 1 - Organização Didático-Pedagógica do Curso Objetivos do Curso 01 - Tenho conhecimento do Projeto Pedagógico do Curso.

Leia mais

Plano de Trabalho 2014-2016

Plano de Trabalho 2014-2016 Plano de Trabalho 2014-2016 Indicação das Prioridades da Rede para a BVS Brasil http://brasil.bvs.br/reuniao-redebvs-2014/ #bvsbrasil2014 Equipe MIP Modelo.bvs@bireme.org Produção de Fontes de Informação

Leia mais

O desafio de aumentar o impacto da ciência brasileira

O desafio de aumentar o impacto da ciência brasileira O desafio de aumentar o impacto da ciência brasileira Carlos Henrique de Brito Cruz Diretor Científico FAPESP 23/05/2013 desafio-impacto-confap-20130522.pptx; C.H. Brito Cruz e Fapesp 1 Desafios para a

Leia mais

PROJETO FEDERAÇÃO LUSÓFONA DE BIBLIOTECAS DIGITAIS EM CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO

PROJETO FEDERAÇÃO LUSÓFONA DE BIBLIOTECAS DIGITAIS EM CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO PROJETO FEDERAÇÃO LUSÓFONA DE BIBLIOTECAS DIGITAIS EM CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO Ferreira, S. M. S.P. 1 Universidade de São Paulo, Escola de Comunicações de Artes Weitzel, S. R. 2 Universidade Federal do

Leia mais

Boletim Benchmarking Internacional. Inteligência de Mercado

Boletim Benchmarking Internacional. Inteligência de Mercado Boletim Benchmarking Internacional Inteligência de Mercado Dezembro de 2012 Apresentação Visando contribuir para os objetivos estratégicos do SEBRAE, são apresentadas neste boletim informações relacionadas

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas:

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

Nossa atuação no setor financeiro

Nossa atuação no setor financeiro Nossa atuação no setor financeiro No mundo No Brasil O porte da equipe de Global Financial Services Industry (GFSI) da Deloitte A força da equipe do GFSI da Deloitte no Brasil 9.300 profissionais;.850

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO

A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO A IMPORTÂNCIA DO ESTÁGIO SANDUÍCHE E PÓS-DOUTORAL NO ENSINO DA PÓS-GRADUAÇÃO Isabela Almeida Pordeus Novembro 2009 A Pós-Graduação em Odontologia Evolução dos Programas: Odontologia Evolução do Programas

Leia mais

COLABORAÇÃO E PRODUTIVIDADE CIENTÍFICA NA UFRJ: identificação de autores por tipo de vínculo (2010)

COLABORAÇÃO E PRODUTIVIDADE CIENTÍFICA NA UFRJ: identificação de autores por tipo de vínculo (2010) COLABORAÇÃO E PRODUTIVIDADE CIENTÍFICA NA UFRJ: identificação de autores por tipo de vínculo (2010) 1 INTRODUÇÃO Roberto Mario Lovón Canchumani (IBCT) roblovonc@yahoo.com Jacqueline Leta (UFRJ) jleta@bioqmed.ufrj.br

Leia mais

EDITORAÇÃO ELETRÔNICA DE PERIÓDICOS DA ÁREA DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE

EDITORAÇÃO ELETRÔNICA DE PERIÓDICOS DA ÁREA DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE EDITORAÇÃO ELETRÔNICA DE PERIÓDICOS DA ÁREA DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE Eliane Apolinário Vieira Priscila Marylin de Almeida Arlete Inocencia Menezes Roni

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO Portaria nº 808, de 8 de junho de 00. Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior - SINAES. O MINISTRO DE

Leia mais

AULA 3 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

AULA 3 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA AULA 3 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA O que é uma fundamentação teórica É uma visão crítica da pesquisa existente que é significante para o trabalho que o aluno/pesquisador está desenvolvendo. Identifica e organiza

Leia mais

FONTES PARA O ESTUDO DO TURISMO

FONTES PARA O ESTUDO DO TURISMO REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA TURISMO PERIODICIDADE SEMESTRAL ANO III EDIÇÃO NÚMERO 4 JANEIRO DE 2006 FONTES PARA O ESTUDO DO TURISMO GUARALDO, Tamara de S. Brandão ACEG Faculdade de Ciências Humanas docente

Leia mais

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido

Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Ensino Vocacional, Técnico e Tecnológico no Reino Unido Apoiar a empregabilidade pela melhora da qualidade do ensino profissionalizante UK Skills Seminar Series 2014 15 British Council UK Skills Seminar

Leia mais

Comunidade de Prática Internacional para apoiar o fortalecimento e liderança da BIREME OPAS/OMS Fortalecimento institucional da BIREME OPAS/OMS

Comunidade de Prática Internacional para apoiar o fortalecimento e liderança da BIREME OPAS/OMS Fortalecimento institucional da BIREME OPAS/OMS Comunidade de Prática Internacional para apoiar o fortalecimento e liderança da BIREME OPAS/OMS Fortalecimento institucional da BIREME OPAS/OMS TERMOS DE REFERÊNCIA Versão 17/07/2012 No âmbito de um processo

Leia mais

Profa. Dra. Sheila Rodrigues de Sousa Porta PLANO DE AÇÃO 2013-2017

Profa. Dra. Sheila Rodrigues de Sousa Porta PLANO DE AÇÃO 2013-2017 UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA Escola Técnica de Saúde Profa. Dra. Sheila Rodrigues de Sousa Porta PLANO DE AÇÃO 2013-2017 Proposta de trabalho apresentada como pré-requisito para inscrição no processo

Leia mais

Profissionais graduados em Psicologia e Medicina que tenham interesse em atuar na área do trabalho e organizacional.

Profissionais graduados em Psicologia e Medicina que tenham interesse em atuar na área do trabalho e organizacional. A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

Público Alvo: Investimento. Disciplinas: Profissionais graduados, que lidam ou estejam interessados em atuar com gestão e marketing de serviços.

Público Alvo: Investimento. Disciplinas: Profissionais graduados, que lidam ou estejam interessados em atuar com gestão e marketing de serviços. A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

CNPq. Editais 2002. Chamada de Propostas/Projetos CIAM 10/2002. Colaboração Interamericana em Materiais - CIAM

CNPq. Editais 2002. Chamada de Propostas/Projetos CIAM 10/2002. Colaboração Interamericana em Materiais - CIAM CNPq Editais 2002 Chamada de Propostas/Projetos CIAM 10/2002 Colaboração Interamericana em Materiais - CIAM Prazo para submissão de propostas encerrado em 15/10/2002 1- Introdução O Conselho Nacional de

Leia mais

Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP. Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira

Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP. Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira Guia Básico de Utilização da Biblioteca Virtual da FAPESP Thais Fernandes de Morais Fabiana Andrade Pereira Centro de Documentação e Informação da FAPESP São Paulo 2015 Sumário Introdução... 2 Objetivos...

Leia mais

EDITAL PROPPG 14/2014 PDSE CAPES (Bolsas de doutorado sanduíche no exterior)

EDITAL PROPPG 14/2014 PDSE CAPES (Bolsas de doutorado sanduíche no exterior) EDITAL PROPPG 14/2014 PDSE CAPES (Bolsas de doutorado sanduíche no exterior) A Pró-reitora de Pesquisa e Pós Graduação PROPPG, em conjunto com a Coordenação do Programa de Pós-graduação em Fitotecnia PPGF,

Leia mais

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Elaborada pela Diretoria de Extensão e pela Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa

Leia mais

MAPEANDO AS CORRELAÇÕES ENTRE PRODUTIVIDADE E INVESTIMENTOS DE BOLSAS EM PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO: o caso da Universidade Federal de Goiás

MAPEANDO AS CORRELAÇÕES ENTRE PRODUTIVIDADE E INVESTIMENTOS DE BOLSAS EM PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO: o caso da Universidade Federal de Goiás MAPEANDO AS CORRELAÇÕES ENTRE PRODUTIVIDADE E INVESTIMENTOS DE BOLSAS EM PROGRAMAS DE PÓSGRADUAÇÃO: o caso da Universidade Federal de Goiás Dalton Lopes Martins (UFG) dmartins@gmail.com Arlon Silva (UFG)

Leia mais

Criando Processos de Negócio com Sucesso

Criando Processos de Negócio com Sucesso Criando de Negócio com Sucesso Professor Michael Rosemann, PhD, MBA Roger Tregear, Leonardo Consulting Business Process Management Group Disciplina de Sistemas da Informação Faculdade de Ciência e Tecnologa

Leia mais

Grupo de Estudos sobre Organização e Representação do Conhecimento. UNESP de Marília.

Grupo de Estudos sobre Organização e Representação do Conhecimento. UNESP de Marília. 1 Grupo de Estudos sobre Organização e Representação do Conhecimento UNESP de Marília. Pontos principais do texto: HJØRLAND, B. Towards a Theory of Aboutness, Subject, Topicality, Theme, Domain, Field,

Leia mais

EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES

EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES EXPERIÊNCIA DE USO DE ARQUITETURA CORPORATIVA NO PROJETO DE RES Rigoleta Dutra Mediano Dias 1, Lívia Aparecida de Oliveira Souza 2 1, 2 CASNAV, MARINHA DO BRASIL, MINISTÉRIO DA DEFESA, BRASIL Resumo: Este

Leia mais

ORIENTAÇÕES: NORMAS E PRAZOS PARA INSCRIÇÃO DE PROJETOS PARA A IV MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA REDE ESTADUAL DE ENSINO

ORIENTAÇÕES: NORMAS E PRAZOS PARA INSCRIÇÃO DE PROJETOS PARA A IV MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA REDE ESTADUAL DE ENSINO ORIENTAÇÕES: NORMAS E PRAZOS PARA INSCRIÇÃO DE PROJETOS PARA A IV MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA REDE ESTADUAL DE ENSINO 1 INTRODUÇÃO A Política Estadual de Educação Ambiental tem como princípios

Leia mais

Parque Científico e Tecnológico de Macaé

Parque Científico e Tecnológico de Macaé Parque Científico e Tecnológico de Macaé Carlos Eduardo Lopes da Silva¹ Ramon Baptista Narcizo² Joelson Tavares Rodrigues³ Resumo Este artigo apresenta os principais conceitos e estratégias que apóiam

Leia mais

Público Alvo: Investimento. Disciplinas:

Público Alvo: Investimento. Disciplinas: A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

Análise da Governança Corporativa como Determinante das Despesas de Auditoria e Consultoria no Brasil

Análise da Governança Corporativa como Determinante das Despesas de Auditoria e Consultoria no Brasil Rodrigo Telles Pires Hallak Análise da Governança Corporativa como Determinante das Despesas de Auditoria e Consultoria no Brasil Dissertação apresentada ao Programa de Pós- Graduação em Administração

Leia mais

Regimento Interno. Capítulo I Da natureza da Renoi. Capítulo II Dos objetivos da Renoi

Regimento Interno. Capítulo I Da natureza da Renoi. Capítulo II Dos objetivos da Renoi Rede Nacional de Observatórios de Imprensa Capítulo I Da natureza da Renoi Regimento Interno Art. 1º - A Rede Nacional de Observatórios de Imprensa Renoi - é uma rede de organizações e pessoas que atuam

Leia mais

O USO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES EM MICRO E PEQUENAS EMPRESAS* THE USE AND DEVELOPMENT OF SOFTWARE IN MICRO AND SMALL ENTERPRISES

O USO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES EM MICRO E PEQUENAS EMPRESAS* THE USE AND DEVELOPMENT OF SOFTWARE IN MICRO AND SMALL ENTERPRISES O USO E DESENVOLVIMENTO DE SOFTWARES EM MICRO E PEQUENAS EMPRESAS* THE USE AND DEVELOPMENT OF SOFTWARE IN MICRO AND SMALL ENTERPRISES Rodolfo Miranda Pereira 1 Tania Fatima Calvi Tait 2 Donizete Carlos

Leia mais

CITAÇÕES E ÍNDICE H: teste comparativo em pequena escala entre ISI-WOS e SCOPUS

CITAÇÕES E ÍNDICE H: teste comparativo em pequena escala entre ISI-WOS e SCOPUS PÔSTER IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA Uso estratégico das tecnologias em informação documentária CITAÇÕES E ÍNDICE H: teste comparativo em pequena escala entre

Leia mais

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional*

Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* Parâmetros para avaliação de mestrado profissional* 1. Natureza do mestrado profissional A pós-graduação brasileira é constituída, atualmente, por dois eixos claramente distintos: o eixo acadêmico, representado

Leia mais

LÍDERES DA CPLP ENCONTRO DE JOVENS. Este desafio é nosso! Iº ENCONTRO DE JOVENS LÍDERES COMUNIDADE DE PAÍSES DA CPLP NA DIÁSPORA PORTUGUESA

LÍDERES DA CPLP ENCONTRO DE JOVENS. Este desafio é nosso! Iº ENCONTRO DE JOVENS LÍDERES COMUNIDADE DE PAÍSES DA CPLP NA DIÁSPORA PORTUGUESA ENCONTRO DE JOVENS Iº ENCONTRO DE JOVENS LÍDERES COMUNIDADE DE PAÍSES DA CPLP NA DIÁSPORA PORTUGUESA Aveiro, 22 a 24 de Junho de UNIVERSIDADE DE AVEIRO Entidades Promotoras Parceiros Apoios O que é o Festival

Leia mais

34 respostas. Resumo. 1. Qual sua principal ocupação ou vínculo institucional? 2. Como tomou conhecimento desta oficina? 1 of 7 15-06-2015 17:22

34 respostas. Resumo. 1. Qual sua principal ocupação ou vínculo institucional? 2. Como tomou conhecimento desta oficina? 1 of 7 15-06-2015 17:22 opensocialsciences@gmail.com 34 respostas Publicar análise Resumo 1. Qual sua principal ocupação ou vínculo institucional? Estudante d Estudante d Professor e Professor ou Trabalho e Funcionário Profissional

Leia mais

http://www.bvs.br/ Projeto 3A Capacitação no acesso às Fontes de Informação da BVS Saúde Pública 14 de janeiro de 2004

http://www.bvs.br/ Projeto 3A Capacitação no acesso às Fontes de Informação da BVS Saúde Pública 14 de janeiro de 2004 http://www.bvs.br/ 14 de janeiro de 2004 Introdução Este documento descreve o projeto para continuidade do programa de capacitação de produtores, intermediários e usuários na operação e uso da Biblioteca

Leia mais

Revisto e aprovado por Kâmia Preparado por Glayson Ferrari - Coordenador Executivo do PEA

Revisto e aprovado por Kâmia Preparado por Glayson Ferrari - Coordenador Executivo do PEA PNUD Angola PEA - Programa Empresarial Angolano Marco Lógico do Programa - 2011 Resultado Geral Revisto e aprovado por Kâmia Preparado por Glayson Ferrari - Coordenador Executivo do PEA Carvalho - Coordenadora

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas:

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

A PARTICIPAÇÃO EM GRUPOS DE PESQUISAS E A OPORTUNIDADE DE CRESCIMENTO E VISIBILIDADE DA ENFERMAGEM 1

A PARTICIPAÇÃO EM GRUPOS DE PESQUISAS E A OPORTUNIDADE DE CRESCIMENTO E VISIBILIDADE DA ENFERMAGEM 1 A PARTICIPAÇÃO EM GRUPOS DE PESQUISAS E A OPORTUNIDADE DE CRESCIMENTO E VISIBILIDADE DA ENFERMAGEM 1 NASCIMENTO, Letícia 2 ; NEVES, Eliane Tatsch 3 ; PIESZAK, Greice Machado 4 ; POTRICH, Tassiana 5 RESUMO

Leia mais

Curso Wikis Corporativos: ambientes estratégicos de colaboração e comunicação para empresas 2.0

Curso Wikis Corporativos: ambientes estratégicos de colaboração e comunicação para empresas 2.0 Curso Wikis Corporativos: ambientes estratégicos de colaboração e comunicação para empresas 2.0 Esta cada vez mais comum na web ambientes wikis. É um dos fatores principais no que vem sendo denominado

Leia mais

CHAMADA DE ARTIGOS do SUPLEMENTO TEMÁTICO A EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE

CHAMADA DE ARTIGOS do SUPLEMENTO TEMÁTICO A EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE 1 CHAMADA DE ARTIGOS do SUPLEMENTO TEMÁTICO A EDUCAÇÃO POPULAR EM SAÚDE NO SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE No dia 16 de novembro último, durante o 10o Congresso Brasileiro de Saúde Coletiva, realizado em Porto

Leia mais

Termo de Referência nº 2014.0918.00043-7. 1. Antecedentes

Termo de Referência nº 2014.0918.00043-7. 1. Antecedentes Termo de Referência nº 2014.0918.00043-7 Ref: Contratação de consultoria pessoa física para desenvolver o Plano de Uso Público para a visitação do Jardim Botânico do Rio de Janeiro concentrando na análise

Leia mais

Busca pela excelência em universidades no Brasil

Busca pela excelência em universidades no Brasil Busca pela excelência em universidades no Brasil Carlos Henrique de Brito Cruz Diretor Científico FAPESP 20130723 excellence-in-higher-ed-chbc20140122pptx; C.H. Brito Cruz e Fapesp 1 Determinants of Excellence

Leia mais

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010

MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 MINI STÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINI STRO P ORTARIA Nº 808, DE 18 DE JUNHO DE 2010 Aprova o instrumento de avaliação para reconhecimento de Cursos Pedagogia, no âmbito do Sistema Nacional de Avaliação

Leia mais

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância

A Escola. Com uma média de 1.800 alunos por mês, a ENAP oferece cursos presenciais e a distância A Escola A ENAP pode contribuir bastante para enfrentar a agenda de desafios brasileiros, em que se destacam a questão da inclusão e a da consolidação da democracia. Profissionalizando servidores públicos

Leia mais

Cooperação científica e técnica e o mecanismo de intermediação de informações

Cooperação científica e técnica e o mecanismo de intermediação de informações Página 144 VIII/11. Cooperação científica e técnica e o mecanismo de intermediação de informações A Conferência das Partes, Informando-se sobre o relatório do Secretário Executivo sobre as atividades do

Leia mais

I. De uma maneira geral, do que trata a sua pesquisa? Qual é a área temática?

I. De uma maneira geral, do que trata a sua pesquisa? Qual é a área temática? 1 SITES GOVERNAMENTAIS ENQUANTO MECANISMOS DE INFORMAÇÃO, TRANSPARÊNCIA E PARTICIPAÇÃO: TEORIA, INSTITUIÇÕES E ATORES Joscimar Souza Silva 1 Mestrando Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) Resumo:

Leia mais

Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero

Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil. Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Desenvolvimento de educação técnica e científica para a operação de centros de PD&I no Brasil Carlos Arruda, Erika Barcellos, Cleonir Tumelero Empresas Participantes do CRI Multinacionais Instituições

Leia mais

Foro Internacional sobre Modelos de Gestión de Investigación Científica para la Educación Superior

Foro Internacional sobre Modelos de Gestión de Investigación Científica para la Educación Superior Foro Internacional sobre Modelos de Gestión de Investigación Científica para la Educación Superior Primer Encuentro Internacional em América Latina de Las Redes AUIP, RECLA Y RUEPEP Manta, Ecuador, 24

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas:

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

ESTUDO SOBRE A APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA NA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES

ESTUDO SOBRE A APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA NA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES ESTUDO SOBRE A APRENDIZAGEM DA DOCÊNCIA NA ATUAÇÃO NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA: UMA ANÁLISE DA PERCEPÇÃO DOS PROFESSORES Nara Dias Brito 1 ; Daniel Mill 2 Grupo 2.1. Docência na educação a distância: Formação

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CAMPUS DE FOZ DO IGUAÇU CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS PLANO DE TRABALHO 2012-2015

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CAMPUS DE FOZ DO IGUAÇU CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS PLANO DE TRABALHO 2012-2015 UNIVERSIDADE ESTADUAL DO OESTE DO PARANÁ CAMPUS DE FOZ DO IGUAÇU CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS PLANO DE TRABALHO 2012-2015 CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E APLICADAS DO CAMPUS DE FOZ DO IGUAÇU PROF.

Leia mais

La Relación entre Investigación y Posgrado

La Relación entre Investigación y Posgrado La Relación entre Investigación y Posgrado Maria de Fátima Sonati Profesora Titular y Asesora de la Vice- Rectoría de Posgrado (periodo 06/2009-04/2013) Universidade Estatal de Campinas-UNICAMP - Brasil

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS IS/TI

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS IS/TI COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS IS/TI DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência se necessário.

Leia mais

Projeto BVS-SP-1.9 Publicação eletrônica de textos completos em Saúde Pública (15 de outubro de 1999)

Projeto BVS-SP-1.9 Publicação eletrônica de textos completos em Saúde Pública (15 de outubro de 1999) BIREME/OPAS/OMS BVS Saúde Pública Projeto BVS-SP-1.9 Publicação eletrônica de textos completos em Saúde Pública (15 de outubro de 1999) 1. Introdução Este documento descreve o projeto para o desenvolvimento

Leia mais

As Agendas de Inovação dos Territórios Algumas reflexões INSERIR IMAGEM ESPECÍFICA

As Agendas de Inovação dos Territórios Algumas reflexões INSERIR IMAGEM ESPECÍFICA INSERIR IMAGEM ESPECÍFICA 1 O que é Inovação? Produção, assimilação e exploração com êxito da novidade, nos domínios económico e social. Livro Verde para a Inovação (Comissão Europeia, 1995) 2 Os territórios

Leia mais

ESCOLA DE DEFESA. Pesquisa em Estudos da Paz e da Guerra. Prof. Dr. Carlos Frederico Coelho cafrecoelho@gmail.com 08 Jul 2015

ESCOLA DE DEFESA. Pesquisa em Estudos da Paz e da Guerra. Prof. Dr. Carlos Frederico Coelho cafrecoelho@gmail.com 08 Jul 2015 ESCOLA DE DEFESA Pesquisa em Estudos da Paz e da Guerra Prof. Dr. Carlos Frederico Coelho cafrecoelho@gmail.com 08 Jul 2015 Prof. Carlos Coelho - Graduação em Ciências Jurídicas e Sociais na Faculdade

Leia mais

PROJETO CIDADÃO EM REDE: DE CONSUMIDOR A PRODUTOR DE INFORMAÇÃO SOBRE O TERRITÓRIO PLANO DE TRABALHO

PROJETO CIDADÃO EM REDE: DE CONSUMIDOR A PRODUTOR DE INFORMAÇÃO SOBRE O TERRITÓRIO PLANO DE TRABALHO PROJETO CIDADÃO EM REDE: DE CONSUMIDOR A PRODUTOR DE INFORMAÇÃO SOBRE O TERRITÓRIO PLANO DE TRABALHO CONVÊNIO DE COOPERAÇÃO TECNOLÓGICA PRODEB-UFBA PRODEB/DSS Diretoria de Sistemas e Serviços UFBA/LCAD

Leia mais

Plug and Play Tech Center é o maior centro de incubação tecnológica de Silicon Valley e trabalha com 220 start-ups em 3 edifícios diferentes na Bay

Plug and Play Tech Center é o maior centro de incubação tecnológica de Silicon Valley e trabalha com 220 start-ups em 3 edifícios diferentes na Bay Plug and Play Tech Center é o maior centro de incubação tecnológica de Silicon Valley e trabalha com 220 start-ups em 3 edifícios diferentes na Bay Area. 47 Parceiros Internacionais Canadian Trade Commissioner

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 133/2014-CEPE, DE 22 DE MAIO DE 2014.

RESOLUÇÃO Nº 133/2014-CEPE, DE 22 DE MAIO DE 2014. RESOLUÇÃO Nº 133/2014-CEPE, DE 22 DE MAIO DE 2014. Aprova o Regulamento do Programa Casulo Sócio-Tecnológico de Apoio e Desenvolvimento em Gestão Social, Inovação e sustentabilidade. O CONSELHO DE ENSINO,

Leia mais

Resumo de Editais Abertos Capes

Resumo de Editais Abertos Capes Resumo de Editais Abertos Capes www.capes.gov.br/editais/abertos Programa Capes/MINCyT O objetivo do Programa Capes/MINCyT é estimular, por meio de projetos conjuntos de pesquisa, o intercâmbio de docentes

Leia mais

COOPERAÇÃO ENTRE PORTUGAL E ANGOLA EM C&T

COOPERAÇÃO ENTRE PORTUGAL E ANGOLA EM C&T A cooperação Bilateral Angola - Portugal: estado atual e reforço futuro WORKSHOP PROGRAMA HORIZONTE 2020: COOPERAÇÃO EM INVESTIGAÇÃO E INOVAÇÃO ENTRE ANGOLA E A UNIÃO EUROPEIA Luanda, 3 e 4 de outubro

Leia mais

Plan International e IIDAC com recursos do Fundo União Europeia

Plan International e IIDAC com recursos do Fundo União Europeia INSTITUTO INTERNACIONAL PARA O DESENVOLVIMENTO DA CIDADANIA TERMO DE REFERÊNCIA No. 012/2015 PARA CONTRATAÇÃO DE PESSOA FÍSICA/JURÍDICA CONSULTOR POR PRODUTO 1. PROJETO Pontes para o Futuro 2. RECURSOS

Leia mais

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: Graduados em nível superior que atuam ou pretendem atuar na docência em instituições de ensino superior.

Público Alvo: Investimento: Disciplinas: Graduados em nível superior que atuam ou pretendem atuar na docência em instituições de ensino superior. A Universidade Católica Dom Bosco - UCDB com mais de 50 anos de existência, é uma referência em educação salesiana no país, sendo reconhecida como a melhor universidade particular do Centro-Oeste (IGC/MEC).

Leia mais

Padrão de Príncipes, Critérios e Indicadores para Florestas Modelo. Rede Ibero-Americana de Florestas Modelo 2012

Padrão de Príncipes, Critérios e Indicadores para Florestas Modelo. Rede Ibero-Americana de Florestas Modelo 2012 Meta superior (RIABM 2011): A Floresta Modelo é um processo em que grupos que representam uma diversidade de atores trabalham juntos para uma visão comum de desenvolvimento sustentável em um território

Leia mais

25 parceiros em rede

25 parceiros em rede CAAST-NET PLUS: EU-Africa knowledge and network support to HLPD Cooperaçãoeminvestigaçãoe inovaçãoentre África sub-sariana e Europa Maria Maia, FCT, Portugal caast-net-plus.org CAAST-Net Plusé um projeto

Leia mais

WORLDSKILLS... PROMOVENDO A EXCELÊNCIA ENTRE AS OCUPAÇÕES. v1 2

WORLDSKILLS... PROMOVENDO A EXCELÊNCIA ENTRE AS OCUPAÇÕES. v1 2 WORLDSKILLS... PROMOVENDO A EXCELÊNCIA ENTRE AS OCUPAÇÕES v1 2 3 v2 CONTEÚDO MoVE international 3 Aprendizagem para a Vida 4 5 O Caminho para a identidade profissional 6 7 Líderes na preparação 8 9 Fortalecendo

Leia mais

Programa de Capacitação

Programa de Capacitação Programa de Capacitação 1. Introdução As transformações dos processos de trabalho e a rapidez com que surgem novos conhecimentos e informações têm exigido uma capacitação permanente e continuada para propiciar

Leia mais

A Educação a Distância como Estratégia de Implementação de Política Pública: a experiência da EAD-ENSP/Fiocruz

A Educação a Distância como Estratégia de Implementação de Política Pública: a experiência da EAD-ENSP/Fiocruz Fundação Oswaldo Cruz 2º Encontro de Educação a Distância para a Rd Rede de Escolas de Governo A Educação a Distância como Estratégia de Implementação de Política Pública: a experiência da EAD-ENSP/Fiocruz

Leia mais

http://www.puc-rio.br/ensinopesq/ccci/ Novembro de 2014

http://www.puc-rio.br/ensinopesq/ccci/ Novembro de 2014 a http://www.puc-rio.br/ensinopesq/ccci/ Novembro de 2014 Metas e Desafios da Internacionalização na PUC-Rio A Internacionalização na PUC-Rio Estrutura acadêmico-administrativa Coordenação Central de Internacionalização:

Leia mais

Communication On Progress (COP) 2012/2013 da Via Gutenberg

Communication On Progress (COP) 2012/2013 da Via Gutenberg Communication On Progress (COP) 2012/2013 da Via Gutenberg Introdução Este documento registra ações realizadas no período de setembro de 2012 a setembro de 2013 pela Via Gutenberg Consultoria em Entretenimento

Leia mais

Gestão e Formação Pedagógica em: Administração, Inspeção, Orientação e Supervisão Objetivo do curso:

Gestão e Formação Pedagógica em: Administração, Inspeção, Orientação e Supervisão Objetivo do curso: Com carga horária de 720 horas o curso Gestão e Formação Pedagógica em: Administração, Inspeção, Orientação e Supervisão é desenvolvido em sistema modular, com 01 encontro por bimestre (total de encontros

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. II Encontro Brasil-Canadá de Educação Profissional e Tecnológica

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. II Encontro Brasil-Canadá de Educação Profissional e Tecnológica MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO II Encontro Brasil-Canadá de Educação Profissional e Tecnológica Novembro de 2011 2 Descrição 2 Ação anual realizada para promoção do intercâmbio de instituições de educação profissional

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR

PÓS-GRADUAÇÃO EM DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR PÓS-GRADUAÇÃO EM DOCÊNCIA DO ENSINO SUPERIOR Instituição Certificadora: FALC Amparo Legal: Resolução CNE CES 1 2001 Resolução CNE CES 1 2007 Carga Horária: 460h Período de Duração: 12 meses (01 ano) Objetivos:

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

Ciência Política no Brasil: história, conceitos e métodos

Ciência Política no Brasil: história, conceitos e métodos Ciência Política no Brasil: história, conceitos e métodos PROJETO APRESENTADO PELA ABCP À FUNDAÇÃO FORD E AO INSTITUTE FOR INTERNATIONAL EDUCATION (IIE). Leonardo Avritzer Carlos R. S. Milani Rachel Meneguello

Leia mais

49 o CONSELHO DIRETOR 61 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL

49 o CONSELHO DIRETOR 61 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL ORGANIZAÇÃO PAN-AMERICANA DA SAÚDE ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE 49 o CONSELHO DIRETOR 61 a SESSÃO DO COMITÊ REGIONAL Washington, D.C., EUA, 28 de setembro a 2 de outubro de 2009 CD49.R10 (Port.) ORIGINAL:

Leia mais

DIVULGAÇÃO DE TERMINOLOGIAS EM PORTUGÊS E POLÍTICAS LINGUÍSTICAS

DIVULGAÇÃO DE TERMINOLOGIAS EM PORTUGÊS E POLÍTICAS LINGUÍSTICAS VIII Jornada Científica REALITER Terminologia e Políticas linguísticas DIVULGAÇÃO DE TERMINOLOGIAS EM PORTUGÊS E POLÍTICAS LINGUÍSTICAS Maria da Graça Krieger (kriegermg@gmail.com) Universidade do Vale

Leia mais

Estatuto do Fórum Internacional de Plataformas Nacionais de ONGs

Estatuto do Fórum Internacional de Plataformas Nacionais de ONGs Estatuto do Fórum Internacional de Plataformas Nacionais de ONGs Preâmbulo O Fórum Internacional de Plataformas Nacionais de ONGs (FIP) foi criado em outubro de 2008, em Paris, pelo conjunto de 82 plataformas

Leia mais

Ensinar ciências fazendo ciência com professores e alunos da educação básica

Ensinar ciências fazendo ciência com professores e alunos da educação básica Ensinar ciências fazendo ciência com professores e alunos da educação básica Pavão, Antonio, C.¹, Rocha, Claudiane, F..S.², Silva, Ana, P.³ Espaço Ciência - www.espacociencia.pe.gov.br pavao@ufpe.br¹,

Leia mais