Defeitos osteoarticulares

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Defeitos osteoarticulares"

Transcrição

1 Osteoartrite

2 Descrição Osteoartrite ou doença articular degenerativa ( artrose ) caracteriza-se pela perda progressiva da cartilagem articular e alterações reacionais no osso subcondral e margens articulares, ocorrendo neoformação óssea (osteófitos)

3

4 Traumas excessivos Defeitos osteoarticulares Lesão da cartilagem articular Liberação de enzimas proteolíticas - condrócitos Degradação do colágeno e proteoglicanos Pressões aplicadas diretamente no osso trabecular Esclerose subcondral, osteócitos, cistos

5 Primária Secundária Osteoartrose

6 Localizada; Primária (idiopática) Generalizada: 3 ou mais áreas Outras: osteoartrose erosiva, condromalácia da patela

7 Secundária Congênita: luxação congênita do quadril Traumática: Traumas agudos ou crônicos Metabólicas: gota, hematomacrose Inflamatória: gota, psêudo-gota, psoríase Endocrina: acromegalia, hipotireoidismo Neuropática: DM, neuropatias periféricas

8 Manifestações clínicas Dor (progressiva, piora com movimentos, sustentação do peso, melhora com repouso) Limitação de movimentos Deformidades: nódulos, genu valgo, genu varo, halux valgo Creptação

9 Tratamento Medidas gerais e fisioterapticas: repouso, reduzir peso, calor local, trações, colar cervical Medicamentos: analgésicos, corticoterapias intraarticular e eventualmente sistêmica Cirurgias

10 Tratamento não medicamentoso 1) Esclarecimento sobre a doença: salientar que a doença não é sinônimo de envelhecimento, e está relacionada com a capacidade funcional, sendo que a intervenção terapêutica trará considerável melhora de qualidade de vida. 2) Motivar e envolver o paciente no seu tratamento, pois o paciente é um agente ativo no seu programa de reabilitação. 3) A prática de atividades esportivas deve ser estimulada, porém sob orientação de um profissional habilitado. 4) Orientação para cuidados com relação ao uso de rampas e escadas. 5) Orientação com relação à ergonomia do trabalho doméstico e ou profissional.

11 Tratamento não medicamentoso Exercícios 1) Fortalecimento ganho de massa muscular. 2) Aeróbios Condicionamento físico 3) Alongamento Flexibilidade

12 Exercícios Físicos Exercícios aeróbios: Dar preferência para exercícios que não sobrecarreguem ainda mais a articulação com osteoartrite Exercícios resistidos: reduzir amplitude de movimentos Exercícios de cadeia cinética aberta Redução da amplitude de movimentos, se necessário Respeitar limiar de dor

13 Condromalácia da patela Geralmente, o amolecimento e a degeneração da cartilagem articular da patela e é resultado de uso excessivo, traumatismo ou forças anormais sobre o joelho. Em adultos mais velhos, ela pode ser causada por artrite degenerativa. Dor sobre a patela e uma sensação de rangido quando o joelho é estendido são possíveis sinais dessa condição

14 Condromalácia patelar Causas da lesão: pequenos traumatismos repetitivos à cartilagem devido ao excesso de uso. Desalinhamento da patela. Fratura ou luxação prévia da patela. Sinais e sintomas: dor que piora após permanecer sentado por muito tempo, ao utilizar escadas ou levantar-se de uma posição estabelecida. Dor a palpação sobre a patela. Rangido ou sensação incômoda quando o joelho é estendido

15 Condromalácia patelar A limitação da atividade até a remissão da dor e a reintrodução gradua à atividade são importantes. O fortalecimento e alongamento do quadríceps contribuem para alívio da pressão sobre a patela. As atividades que aumentam a dor como flexão do joelho devem ser evitadas. Deve-se evitar estresses anormais sobre o joelho e manter músculos posteriores da coxa e o quadríceps fortes e flexíveis para prevenir essa condição

Semiologia do aparelho osteoarticular. Professor Ivan da Costa Barros

Semiologia do aparelho osteoarticular. Professor Ivan da Costa Barros Semiologia do aparelho osteoarticular Professor Ivan da Costa Barros IMPORTÂNCIA CLÍNICA 10% das consultas médicas Mais de 100 doenças Complicações não articulares Geralmente auto limitado 1 em 5 americanos

Leia mais

07/12/2015. Letícia Coutinho Lopes 1. Ossos e Articulações

07/12/2015. Letícia Coutinho Lopes 1. Ossos e Articulações Ossos e Articulações Profa. Letícia Coutinho Lopes Moura Tópicos da Aula A. Ossos B. Articulações 2 A. Ossos Modelagem, Remodelagem Óssea Microscopia da Modelagem Óssea Anormalidades de Desenvolvimento

Leia mais

A. Ossos B. Articulações. 2 Letícia C. L. Moura

A. Ossos B. Articulações. 2 Letícia C. L. Moura Ossos e Articulações Profa. Letícia Coutinho Lopes Moura Tópicos da aula A. Ossos B. Articulações 2 B. Articulações Artrites 3 Osteoartrite Doença articular degenerativa mais comum Degeneração cartilagem

Leia mais

Esta patologia ocorre quando existe um stress na epífise de crescimento próximo a área da tuberosidade tibial.

Esta patologia ocorre quando existe um stress na epífise de crescimento próximo a área da tuberosidade tibial. INTRODUÇÃO Osgood-Schlatter (OS) constitui uma doença osteo-muscular, extra articular, comum em adolescentes (esqueleto em desenvolvimento). Surge na adolescência na fase denominada estirão do crescimento.

Leia mais

ARTROPATIA DE CHARCOT (NEUROARTROPATIA DE CHARCOT)

ARTROPATIA DE CHARCOT (NEUROARTROPATIA DE CHARCOT) ARTROPATIA DE CHARCOT (NEUROARTROPATIA DE CHARCOT) MAURO FUCHS Rotina / consultório / Pé Diabético: prontuário/dia proprio ex. clínico/art/neuro hemograma glicemia HB glicosilada PT totais creatinina

Leia mais

Bursite Tem Cura? Causas, Tratamentos e Dicas Seg, 17 de Julho de :49 - Última atualização Seg, 17 de Julho de :53

Bursite Tem Cura? Causas, Tratamentos e Dicas Seg, 17 de Julho de :49 - Última atualização Seg, 17 de Julho de :53 Ao longo dos últimos anos, houve um aumento expressivo dos casos de pessoas que sofrem com problemas relacionados às dores articulares. As lesões causadas por esforços repetitivos fazem parte dos problemas

Leia mais

Data: 20/08/2014. Resposta Técnica 01/2014. Medicamento Material Procedimento X Cobertura

Data: 20/08/2014. Resposta Técnica 01/2014. Medicamento Material Procedimento X Cobertura Resposta Técnica 01/2014 Solicitante: Dr. Renato Dresch Juiz de direito Nº Processo: 9010665.22.2014.813.0024 Ré: Unimed de Belo Horizonte Data: 20/08/2014 Medicamento Material Procedimento X Cobertura

Leia mais

Lesões ortopédicas do posterior em pequenos animais

Lesões ortopédicas do posterior em pequenos animais Lesões ortopédicas do posterior em pequenos animais Displasia Coxo-femoral Luxação do quadril Necrose asséptica Ruptura do ligamento cruzado cranial Luxação patelar Fraturas Lesões ortopédicas do posterior

Leia mais

Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina

Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina Universidade Federal do Ceará Faculdade de Medicina É uma região anatômica que estabelece a contigüidade entre ossos ou cartilagens, permitindo que o movimento seja direcionado neste sentido. Cápsula sinovial

Leia mais

ANÁLISE QUANTITATIVA DA CONCESSÃO AUXÍLIO BENEFÍCIO ACIDENTÁRIO POR COXARTROSE NA ÚLTIMA DÉCADA NO BRASIL

ANÁLISE QUANTITATIVA DA CONCESSÃO AUXÍLIO BENEFÍCIO ACIDENTÁRIO POR COXARTROSE NA ÚLTIMA DÉCADA NO BRASIL ANÁLISE QUANTITATIVA DA CONCESSÃO AUXÍLIO BENEFÍCIO ACIDENTÁRIO POR COXARTROSE NA ÚLTIMA DÉCADA NO BRASIL Karinna Soares Oliveira¹; Marília Caroline Ventura Macedo¹; Thiago de Oliveira Assis¹ (Orientador)

Leia mais

Impacto Femoro Acetabular (IFA)

Impacto Femoro Acetabular (IFA) Impacto Femoro Acetabular (IFA) O Impacto Femoro Acetabular ou conflito entre a cabeça do fêmur e a borda do acetábulo. Isso ocorre por uma alteração mecânica e anatômica ocasionando uma incongruência

Leia mais

Artrose Tratamento Artroscópico

Artrose Tratamento Artroscópico 10º Congresso Brasileiro de Cirurgia do Joelho 11º Congresso Brasileiro de Artroscopia 14 a 17 de abril de 2004 Foz do Iguaçu - PR Artrose Tratamento Artroscópico Paulo Rockett Porto Alegre - RS 1 10º

Leia mais

Exame Físico Ortopédico

Exame Físico Ortopédico TAKE HOME MESSAGES! Exame Físico Ortopédico ANAMNESE REALIZAR UMA HISTÓRIA CLÍNICA DETALHADA, LEMBRANDO QUE DETALHES DA IDENTIFICAÇÃO COMO SEXO, IDADE E PROFISSÃO SÃO FUNDAMENTAIS, POIS MUITAS DOENÇAS

Leia mais

Rupturas do menisco. A articulação do joelho é formada pelos ossos: o osso da coxa (fêmur), o osso da perna (tíbia) e a patela.

Rupturas do menisco. A articulação do joelho é formada pelos ossos: o osso da coxa (fêmur), o osso da perna (tíbia) e a patela. Rupturas do menisco As lesões meniscais estão presente em quase todas as idades, sendo as mais comuns no joelho. Atletas, que praticam esportes de contato, têm mais chances de romper o menisco. Entretanto,

Leia mais

Doença inflamatória da coluna vertebral podendo ou não causar artrite em articulações periféricas e inflamação em outros órgãos como o olho.

Doença inflamatória da coluna vertebral podendo ou não causar artrite em articulações periféricas e inflamação em outros órgãos como o olho. O termo reumatismo, embora consagrado, não é um termo adequado para denominar um grande número de diferentes doenças que tem em comum o comprometimento do sistema músculo-esquelético, ou seja, ossos, cartilagem,

Leia mais

Sustentação do corpo Proteção dos órgãos nobres Cérebro Pulmões Coração.

Sustentação do corpo Proteção dos órgãos nobres Cérebro Pulmões Coração. ESQUELETO ARTICULAÇÃO LESÕES MUSCULARES, ESQUELÉTICAS E ARTICULARES Sustentação do corpo Proteção dos órgãos nobres Cérebro Pulmões Coração. Junção de ossos (dois ou mais) Estruturas Ligamentos Ligar ossos

Leia mais

Mielomeningocele. Tratamento Ortótico e cirúrgico das alterações de marcha

Mielomeningocele. Tratamento Ortótico e cirúrgico das alterações de marcha Lembrar de ALERGIA À LATEX Consenso Tratamento conservador entre 6 e 12 meses Seguimento continuo - avaliação clínica e muscular Definir nível motor - Torácico/Lombar alto - Lombar baixo - Sacal alto -

Leia mais

Letícia Coutinho Lopes 1

Letícia Coutinho Lopes 1 Ossos e Articulações Profa. Letícia Coutinho Lopes Moura Tópicos da aula A. Ossos B. Articulações 2 A. Ossos Modelagem, Remodelagem Óssea Crescimento e Desenvolvimento Ósseos Anormalidades de Desenvolvimento

Leia mais

3/11/2010 LESÕES DO ESPORTE LESÕES DOS TECIDOS MUSCULOESQUELÉTICOS

3/11/2010 LESÕES DO ESPORTE LESÕES DOS TECIDOS MUSCULOESQUELÉTICOS LESÕES DO ESPORTE CLASSIFICAÇÃO GERAL AGUDA Lesão inicial, ocorre subtamente; Ex: fraturas, cortes, contusões. CRÔNICA Lesão que se desenvolve em um longo período ou perdura por muito tempo; Ex: cotovelo

Leia mais

Pós Graduação em. Exercício e lesões do Joelho. Prof. Dr. Rafael Cusatis Neto

Pós Graduação em. Exercício e lesões do Joelho. Prof. Dr. Rafael Cusatis Neto Pós Graduação em Exercício e lesões do Joelho Prof. Dr. Rafael Cusatis Neto 1 Articulação intermédia dos MMII Trabalha em compressão pela ação da gravidade Possui principalmente 01 grau de liberdade e,

Leia mais

Artrite reumatóide é uma doença inflamatória crônica de origem auto-imune que acomete principalmente articulações sinoviais, causando dores,

Artrite reumatóide é uma doença inflamatória crônica de origem auto-imune que acomete principalmente articulações sinoviais, causando dores, Artrite reumatóide é uma doença inflamatória crônica de origem auto-imune que acomete principalmente articulações sinoviais, causando dores, deformidades progressivas e incapacidade funcional. SINTOMAS

Leia mais

Estudo de caso: os efeitos da hidrocinesioterapia para paciente com artrose de quadril

Estudo de caso: os efeitos da hidrocinesioterapia para paciente com artrose de quadril Estudo de caso: os efeitos da hidrocinesioterapia para paciente com artrose de quadril FABIANA MAGALHAES NAVARRO(UNINGÁ)¹ MARIELLI MANZANO ARAUJO(G-UNINGÁ) 2 RESUMO Osteoartrose ou doença articular degenerativa,

Leia mais

Artroplastia de Ombro TRATAMENTO POR ARTROPLASTIA NAS FRATURAS DO ÚMERO PROXIMAL INDICAÇÃO. partes? rachadura da

Artroplastia de Ombro TRATAMENTO POR ARTROPLASTIA NAS FRATURAS DO ÚMERO PROXIMAL INDICAÇÃO. partes? rachadura da Artroplastia de Ombro TRATAMENTO POR NAS FRATURAS DO ÚMERO PROXIMAL INDICAÇÃO em 4 partes? tipo rachadura da cabeça umeral (split head) impactada cabeça atingindo 40% do colo anatômico FRATURAS DO ÚMERO

Leia mais

Modalidades fisioterapêuticas. Profa. Dra. Daniela Cristina Carvalho de Abreu Alunas PAE: Jaqueline Mello Porto Paola Errera Magnani

Modalidades fisioterapêuticas. Profa. Dra. Daniela Cristina Carvalho de Abreu Alunas PAE: Jaqueline Mello Porto Paola Errera Magnani Modalidades fisioterapêuticas Profa. Dra. Daniela Cristina Carvalho de Abreu Alunas PAE: Jaqueline Mello Porto Paola Errera Magnani - Analgesia - Diminuir rigidez matinal Fisioterapia OBJETIVOS - Aumentar

Leia mais

Lesões Meniscais. Anatomia. Tipos de Lesões

Lesões Meniscais. Anatomia. Tipos de Lesões Lesões Meniscais O joelho é uma das mais complexas articulações do corpo humano.. Lesões meniscais estão entre as lesões mais comuns do joelho. Atletas profissionais ou amadores, principalmente aqueles

Leia mais

PRINCÍPIOS E CONCEITOS DAS TÉCNICAS DE MOBILIZAÇÃO E MANIPULAÇÃO ARTICULAR. Tatiana Teixeira Álvares

PRINCÍPIOS E CONCEITOS DAS TÉCNICAS DE MOBILIZAÇÃO E MANIPULAÇÃO ARTICULAR. Tatiana Teixeira Álvares PRINCÍPIOS E CONCEITOS DAS TÉCNICAS DE MOBILIZAÇÃO E MANIPULAÇÃO ARTICULAR Tatiana Teixeira Álvares MOBILIZAÇÕES X MANIPULAÇÕES Movimentos clássicos que resulta de contrações musculares e movem o osso

Leia mais

SandraPais XVII FÓRUM DE APOIO AO DOENTE REUMÁTICO 10 E 11 OUTUBRO DE 2014

SandraPais XVII FÓRUM DE APOIO AO DOENTE REUMÁTICO 10 E 11 OUTUBRO DE 2014 SandraPais XVII FÓRUM DE APOIO AO DOENTE REUMÁTICO 10 E 11 OUTUBRO DE 2014 Uma degeneração focal das cartilagens articulares, com espessamento ósseo subcondral e proliferações osteocondrais marginais Dá

Leia mais

Ligamento Cruzado Posterior

Ligamento Cruzado Posterior O joelho é estabilizado por quatro ligamentos principais: 2 ligamentos colaterais (medial e lateral) e 2 ligamentos cruzados - anterior (frente) e posterior (costas). Os ligamentos cruzados originam-se

Leia mais

ALUNAS: MARIA VITÓRIA SILVA GOMES JULIANA FERREIRA WHIRILENE CASSIANO GINOELY SHIRLEY G. GÁRCIA

ALUNAS: MARIA VITÓRIA SILVA GOMES JULIANA FERREIRA WHIRILENE CASSIANO GINOELY SHIRLEY G. GÁRCIA ALUNAS: MARIA VITÓRIA SILVA GOMES JULIANA FERREIRA WHIRILENE CASSIANO GINOELY SHIRLEY G. GÁRCIA O sistema musculoesquelético é composto pelos ossos, músculos e articulações. Tecido ósseo Os ossos compõem

Leia mais

Lesões Traumáticas dos Membros Inferiores

Lesões Traumáticas dos Membros Inferiores Prof André Montillo Lesões Traumáticas dos Membros Inferiores Lesões do Joelho: Lesões Ósseas: Fratura Distal do Fêmur Fratura da Patela Fratura Proximal da Tíbia: Platô Tibial Anatomia: Lesões Traumáticas

Leia mais

Complementação de Reumatologia

Complementação de Reumatologia - GESEP I-Poliartrites com Repercussões Sistêmicas Complementação de Reumatologia A. R. S. de Sjögren E. S. P. (Esclerodermia) L. E. S. D. M. T. C. (Doença Mista do Tec. Conjuntivo) Vasculites Polidérmatomiosite

Leia mais

Poliomielite um novo Olhar, comemorando a Vida, cuidando da Saúde!

Poliomielite um novo Olhar, comemorando a Vida, cuidando da Saúde! COMO TRATAR A FRAQUEZA MUSCULAR: EXCLUSIVO PARA SÍNDROME PÓS PÓLIO Esse artigo foi extraído do Manual de Diretrizes de Atenção à Reabilitação da Pessoa com Síndrome Pós-Poliomielite e Co-morbidades. Editado

Leia mais

BE066 Fisiologia do Exercício. Prof. Sergio Gregorio da Silva. É a habilidade de uma articulação se mover através de sua amplitude articular

BE066 Fisiologia do Exercício. Prof. Sergio Gregorio da Silva. É a habilidade de uma articulação se mover através de sua amplitude articular BE066 Fisiologia do Exercício Flexibilidade Prof. Sergio Gregorio da Silva Flexibilidade É a habilidade de uma articulação se mover através de sua amplitude articular É altamente adaptável e é! aumentada

Leia mais

Pé de Charcot. Pé de Charcot. Pé de Charcot. Ana Luisa Marques da Costa

Pé de Charcot. Pé de Charcot. Pé de Charcot. Ana Luisa Marques da Costa Ana Luisa Marques da Costa Neuro-artropatia descrito pela primeira vez em 1868 por J.-M.Charcot sendo por isso muitas vezes chamado, articulação de Charcot ou. Complicação importante da Diabetes de longa

Leia mais

Região FC especifica Ligação com os leucócitos

Região FC especifica Ligação com os leucócitos Anticorpos Porção FAB se liga ao antígeno (variável) Cadeia Leve Região FC especifica Ligação com os leucócitos Cadeia Pesada Anticorpos apresentam 3 modos de ação: 1- Opsonização: marcação do antigeno.

Leia mais

Procedimento x CID Principal

Procedimento x CID Principal Ministério da Saúde - MS Secretaria de Atenção à Saúde Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais do SUS Procedimento x CID Principal 03.01.07.010-5 ATENDIMENTO/ACOMPANHAMENTO

Leia mais

AVALIAÇÃO DO JOELHO. Clique para adicionar texto

AVALIAÇÃO DO JOELHO. Clique para adicionar texto AVALIAÇÃO DO JOELHO Clique para adicionar texto ANATOMIA PALPATÓRIA Fêmur Côndilos femurais ( Medial e Lateral ) Sulco Troclear ou Fossa Intercondiliana Epicôndilos femurais ( Medial e Lateral ) Tíbia

Leia mais

Prof. Kemil Rocha Sousa

Prof. Kemil Rocha Sousa Prof. Kemil Rocha Sousa Miostática (miogênica)- A unidade musculotendínea está adaptativamente encurtada com perda significativa de ADM, mas sem patologia muscular específica. Embora possa haver uma redução

Leia mais

ARTICULAÇÕES. Luxação Coxofemoral. Luxação Coxofemoral 12/09/2016. Saída da cabeça do fêmur do acetábulo. Sinais clínicos.

ARTICULAÇÕES. Luxação Coxofemoral. Luxação Coxofemoral 12/09/2016. Saída da cabeça do fêmur do acetábulo. Sinais clínicos. Luxação Coxofemoral ARTICULAÇÕES Saída da cabeça do fêmur do acetábulo Luxação Coxofemoral Sinais clínicos Membro menor e rotacionado p/ dentro Crepitação Dor súbita Diagnóstico: Radiográfico: VD (mostra

Leia mais

Lesões do ligamento cruzado anterior (LCA)

Lesões do ligamento cruzado anterior (LCA) Lesões do ligamento cruzado anterior (LCA) A lesão do ligamento cruzado anterior é uma das lesões mais comuns no joelho. Atletas que praticam esportes de alta demanda, amadores ou recreacionais, como o

Leia mais

MOBILIZAÇÕES DAS ARTICULAÇÕES PERIFÉRICAS

MOBILIZAÇÕES DAS ARTICULAÇÕES PERIFÉRICAS Pontifícia Universidade Católica de Goiás MOBILIZAÇÕES DAS ARTICULAÇÕES PERIFÉRICAS Professor Esp. Kemil Sousa DEFINIÇÃO Técnicas de terapia manual usadas para modular a dor e tratar as disfunções articulares

Leia mais

Biomecânica do. Complexo Articular do Joelho 08/08/2016. COMPLEXO ARTICULAR do JOELHO. Isabel Sacco

Biomecânica do. Complexo Articular do Joelho 08/08/2016. COMPLEXO ARTICULAR do JOELHO. Isabel Sacco Biomecânica do Complexo Articular do Joelho Isabel Sacco COMPLEXO ARTICULAR do JOELHO Atividades Vida Diária Atividade Física Atividades Esportivas Reabilitação Complexo Articular do Joelho Femorotibial

Leia mais

Metatarsalgias. Prof. Dr. Helencar Ignácio Dr. Márcio G Figueiredo

Metatarsalgias. Prof. Dr. Helencar Ignácio Dr. Márcio G Figueiredo Prof. Dr. Helencar Ignácio Dr. Márcio G Figueiredo Grupo de Cirurgia de Pé e Tornozelo Departamento de Ortopedia e Traumatologia do Hospital de Base Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto FUNFARME

Leia mais

DEFICIÊNCIA DO QI DO SHEN (RIM)

DEFICIÊNCIA DO QI DO SHEN (RIM) LOMBO-CIATALGIA Causas na Medicina Ocidental: Processo inflamatório local radicular, traumatismos, processos degenerativos, compressão, tumores, tensão ligamentar, osteoartrites (osteófitos), herniação

Leia mais

LABRUM ACETABULAR MARQUES, R. M. (2007) 1 O LABUM ACETABULAR.

LABRUM ACETABULAR MARQUES, R. M. (2007) 1 O LABUM ACETABULAR. LABRUM ACETABULAR MARQUES, R. M. (2007) 1 LABRUM ACETABULAR O Labrum Acetabular é uma espécie de moldura que reveste as bordas da cavidade acetabular do quadril e a mantém firmemente articulada à cabeça

Leia mais

Semiologia Reumatológica em Crianças

Semiologia Reumatológica em Crianças Semiologia Reumatológica em Crianças PGALS - Exame de triagem básica para problemas musculoesqueléticos em crianças na idade escolar, modificado Traduzido e adaptado de "pgals A SCREENING EXAMINATION OF

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ HOSPITAL DE CLÍNICAS CURITIBA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ HOSPITAL DE CLÍNICAS CURITIBA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ HOSPITAL DE CLÍNICAS CURITIBA Orto-Hemo HC-UFPR LUCIANO DA ROCHA LOURES PACHECO HC-UFPR Luciano Rocha Loures Pacheco COMPLICAÇÕES MUSCULOESQUELÉTICAS E ALTERNATIVAS TERAPÊUTICAS

Leia mais

Dores na coluna Lombalgia

Dores na coluna Lombalgia Lombalgia A dor lombar (ou lombalgia ou lumbago ou dor nas costas ) é a segunda queixa mais frequente em todo o mundo atrás apenas do resfriado comum e uma das maiores causas de absenteísmo ao trabalho

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº 987/2011 A CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO D E C R E T A :

PROJETO DE LEI Nº 987/2011 A CÂMARA MUNICIPAL DO RIO DE JANEIRO D E C R E T A : Autor(es): VEREADOR PAULO PINHEIRO PROJETO DE LEI Nº 987/2011 EMENTA: ALTERA A LEI N.º 5.146, DE 7 DE JANEIRO DE 2010, PARA INCLUIR A QUINZENA MUNICIPAL DE PREVENÇÃO ÀS DOENÇAS REUMÁTICAS NO CALENDÁRIO

Leia mais

AVALIAÇÃO DO JOELHO. Articulação Tibiofibular Superior: É uma articulação sinovial plana entre a tíbia e a cabeça da fíbula.

AVALIAÇÃO DO JOELHO. Articulação Tibiofibular Superior: É uma articulação sinovial plana entre a tíbia e a cabeça da fíbula. AVALIAÇÃO DO JOELHO 1. Anatomia Aplicada: Articulação Tibiofemoral: É uma articulação em dobradiça modificada que possui 2 graus de liberdade; Posição de repouso: 25 de flexão; Posição de aproximação máxima:

Leia mais

NOÇÕES DO SISTEMA ESQUELÉTICO OU

NOÇÕES DO SISTEMA ESQUELÉTICO OU NOÇÕES DO SISTEMA ESQUELÉTICO OU SISTEMA LOCOMOTOR OBJETIVOS Identificar as estruturas e funções dos ossos do sistema locomotor; Analisar a importância deste sistema para processo de movimentação e locomoção;

Leia mais

Fraturas e Luxações Prof Fabio Azevedo Definição Fratura é a ruptura total ou parcial da estrutura óssea 1 Fraturas Raramente representam causa de morte, quando isoladas. Porém quando combinadas a outras

Leia mais

Tratamento hidrocinesioterapêutico em pós-operatório de fratura de patela

Tratamento hidrocinesioterapêutico em pós-operatório de fratura de patela Tratamento hidrocinesioterapêutico em pós-operatório de fratura de patela FABIANA MAGALHÃES NAVARRO(UNINGÁ)¹ ANA PAULA PUPIN(G-UNINGÁ) 2 RESUMO A patela é vulnerável a dois tipos diferentes de trauma ou

Leia mais

Artigo de Revisão. Osteoartrose. Aloysio João Fellet

Artigo de Revisão. Osteoartrose. Aloysio João Fellet Artigo de Revisão Osteoartrose Aloysio João Fellet Professor titular de Reumatologia da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). Membro efetivo do Comitê Ibero-Americano de Reumatologia. Presidente

Leia mais

A terapia PST Ortho destina-se ao tratamento de um conjunto de doenças e lesões do aparelho locomotor, nomeadamente, da artrose.

A terapia PST Ortho destina-se ao tratamento de um conjunto de doenças e lesões do aparelho locomotor, nomeadamente, da artrose. PST (PULSE SIGNAL THERAPY) ORTHO PST (Pulse Signal Therapy) Ortho A terapia PST Ortho destina-se ao tratamento de um conjunto de doenças e lesões do aparelho locomotor, nomeadamente, da artrose. A artrose

Leia mais

Computadores e Sociedade Aula IX: Doenças

Computadores e Sociedade Aula IX: Doenças Computadores e Sociedade Aula IX: Doenças Elverton Fazzion 2017/01 Doença profissional x Doença do trabalho Doença profissional assim entendida a produzida ou desencadeada pelo exercício do trabalho peculiar

Leia mais

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Fisioterapia - Campus Mossoró) 3ª série

ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN Fisioterapia - Campus Mossoró) 3ª série - Semiologia Geral ANEXO 01 (Conteúdo do EXIN 2016.1 Fisioterapia - Campus Mossoró) 3ª série - Generalidades sobre diagnóstico e avaliação AVALIAÇÃO DIAGNOSTICA EM II - Avaliação da coluna (postura) -

Leia mais

Alterações no sistema músculo esquelético com o envelhecimento. Prof. Dra. Bruna Oneda

Alterações no sistema músculo esquelético com o envelhecimento. Prof. Dra. Bruna Oneda Alterações no sistema músculo esquelético com o envelhecimento Prof. Dra. Bruna Oneda Sistema músculo esquelético Compreende: Força muscular; Resistência muscular e Flexibilidade Sistema músculo esquelético

Leia mais

Patologias dos membros inferiores

Patologias dos membros inferiores Disciplina de Traumato-Ortopedia e Reumatologia Patologias dos membros inferiores Prof. Marcelo Bragança dos Reis Introdução Doenças do quadril Doenças do joelho Doenças do pé e tornozelo Introdução Doenças

Leia mais

Os Benefícios da Atividade Física no Tratamento da Dependência Química. Benefícios Fisiológicos

Os Benefícios da Atividade Física no Tratamento da Dependência Química. Benefícios Fisiológicos Os Benefícios da Atividade Física no Tratamento da Dependência Química Fisioterapeuta Jussara Lontra Atividade Física expressão genérica que pode ser definida como qualquer movimento corporal, produzido

Leia mais

Artrite Idiopática Juvenil

Artrite Idiopática Juvenil www.printo.it/pediatric-rheumatology/br/intro Artrite Idiopática Juvenil Versão de 2016 2. DIFERENTES TIPOS DE AIJ 2.1 Existem tipos diferentes da doença? Existem várias formas de AIJ. Distinguem-se principalmente

Leia mais

Utilização de órteses na reabilitação de pacientes portadores de osteoporose vertebral

Utilização de órteses na reabilitação de pacientes portadores de osteoporose vertebral Utilização de órteses na reabilitação de pacientes portadores de osteoporose vertebral Marcelo J es us Jus tino Ares * A reabilitação na osteoporose tem como objetivos o alívio da dor, a preservação da

Leia mais

RUPTURA DE LIGAMENTO CRUZADO CRANIAL COM AVULSÃO PARCIAL DE LIGAMENTO CRUZADO CAUDAL-RELATO DE CASO

RUPTURA DE LIGAMENTO CRUZADO CRANIAL COM AVULSÃO PARCIAL DE LIGAMENTO CRUZADO CAUDAL-RELATO DE CASO 1 RUPTURA DE LIGAMENTO CRUZADO CRANIAL COM AVULSÃO PARCIAL DE LIGAMENTO CRUZADO CAUDAL-RELATO DE CASO Luiz Henrique Gil BOLFER 1, Letícia FANUCCHI 1, Raphael Verdum NUNES 1, Rodrigo Araújo FIGUEIREDO 1,

Leia mais

LINHA DE CUIDADO MÚSCULO ESQUELÉTICA

LINHA DE CUIDADO MÚSCULO ESQUELÉTICA LINHA DE CUIDADO MÚSCULO ESQUELÉTICA Nome da atividade: Estágio Supervisionado em Fisioterapia em Reumatologia Tipo de atividade: Disciplina de graduação Responsáveis: Profa Jane D arc Brito Lessa Profa

Leia mais

Síndromes de dor nos membros

Síndromes de dor nos membros www.printo.it/pediatric-rheumatology/br/intro Síndromes de dor nos membros Versão de 2016 10. Osteocondrose (sinônimos: osteonecrose, necrose avascular) 10.1 O que é? A palavra "osteocondrite" significa

Leia mais

Existem algumas enfermidades ósseas de causas desconhecidas, ou ainda, não muito bem definidas. Dentre essas, vale ressaltar:

Existem algumas enfermidades ósseas de causas desconhecidas, ou ainda, não muito bem definidas. Dentre essas, vale ressaltar: Radiologia das afecções ósseas II Existem algumas enfermidades ósseas de causas desconhecidas, ou ainda, não muito bem definidas. Dentre essas, vale ressaltar: Osteodistrofia Hipertrófica Outras enfermidades

Leia mais

Profa Dra Lilia de Souza Nogueira Departamento de Enfermagem Médico-Cirúrgica - EEUSP

Profa Dra Lilia de Souza Nogueira Departamento de Enfermagem Médico-Cirúrgica - EEUSP ENC 240 Enfermagem na Saúde do Adulto e do Idoso em Cuidados Clínicos e Cirúrgicos Controle da Imobilidade: contusão, entorse, distensão, luxação e fratura Departamento de Enfermagem Médico-Cirúrgica -

Leia mais

Traumatologia Infantil. O Esqueleto da Criança Não É O Esqueleto do Adulto em Miniatura

Traumatologia Infantil. O Esqueleto da Criança Não É O Esqueleto do Adulto em Miniatura O Esqueleto da Criança Não É O Esqueleto do Adulto em Miniatura Formação do Osso e Ossificação Esboço Cartilaginoso Pontos de Ossificação Primária Pontos de Ossificação Secundária Formação da Epífise

Leia mais

Ortopedia e Traumatologia Soluções inovadoras para Joelho

Ortopedia e Traumatologia Soluções inovadoras para Joelho Ortopedia e Traumatologia Soluções inovadoras para Joelho NexGen LPS, CR, LPS Flex y LCCK Osteoartrose Grupo de enfermidades que têm diferentes etiologias, porém similar biologia, morfologia e quadro clínico.

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. PROGRAMA DE DISCIPLINA/ ESTÁGIO Ano: 2008 IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DISCIPLINA OU ESTÁGIO SERIAÇÃO IDEAL

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA. PROGRAMA DE DISCIPLINA/ ESTÁGIO Ano: 2008 IDENTIFICAÇÃO CÓDIGO DISCIPLINA OU ESTÁGIO SERIAÇÃO IDEAL unesp UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA CAMPUS DE MARÍLIA Faculdade de Filosofia e Ciências PROGRAMA DE DISCIPLINA/ ESTÁGIO Ano: 2008 UNIDADE UNIVERSITÁRIA: Faculdade de Filosofia e Ciências CURSO: Fisioterapia

Leia mais

OR60 - Joelheira Articulada com Cintas Cruzadas. A compressão pode ser ajustada conforme a necessidade através das 2 (duas) faixas(superior

OR60 - Joelheira Articulada com Cintas Cruzadas. A compressão pode ser ajustada conforme a necessidade através das 2 (duas) faixas(superior LINHA SUIQFEJD LINHASUIQFEJD OR38 - Joelheira Articulada A Joelheira Articulada Hidrolight oferece ece compressão e maior estabilidade idade ao joelho. o. As 2 (duas) articulações com trava oferecem reforço

Leia mais

Aspectos Radiológicos do Quadril Impacto Femoroacetabular

Aspectos Radiológicos do Quadril Impacto Femoroacetabular Aspectos Radiológicos do Quadril Impacto Femoroacetabular Felipe Victora Wagner Radiologia Músculo-Esquelética Impacto Femoroacetabular Importância Causa comum de osteoartrose do quadril Acomete pacientes

Leia mais

Fisioterapia na Saúde da Pessoa Idosa

Fisioterapia na Saúde da Pessoa Idosa Unidade 02 Fisioterapia na Saúde da Pessoa Idosa Disfunções Músculo-Esqueléticas Os objetivos dessa unidade são: Abordar os fatores de risco, as consequências e o tratamento fisioterápico de disfunções

Leia mais

Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional. Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João

Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional. Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João Departamento de Fisioterapia, Fonoaudiologia e Terapia Ocupacional Profa. Dra. Sílvia Maria Amado João Articulação do Quadril: É uma articulação sinovial esferóidea com 3 graus de liberdade; Posição de

Leia mais

Patologia do Joelho. Cadeira de Ortopedia - FML

Patologia do Joelho. Cadeira de Ortopedia - FML Patologia do Joelho EXAME CLÍNICO DOR Difusa no processo inflamatório e degenerativo; localizada quando o problema é mecânico RIGIDEZ Comum, podendo causar claudicação AUMENTO DE VOLUME - Localizado ou

Leia mais

AMPUTAÇÕES DE MEMBROS INFERIORES Prof: Alan de Souza Araujo

AMPUTAÇÕES DE MEMBROS INFERIORES Prof: Alan de Souza Araujo AMPUTAÇÕES DE MEMBROS INFERIORES Prof: Alan de Souza Araujo Introdução Segundo Carvalho (2003), amputação é uma palavra derivada do latim tendo o significado de ambi = ao redor de/em torno de e putatio

Leia mais

O QUE É REUMATISMO ÍNDICE DE ASSUNTOS PRESCRIÇÃO DO EXERCÍCIO NAS DOENÇAS REUMATOLÓGICAS

O QUE É REUMATISMO ÍNDICE DE ASSUNTOS PRESCRIÇÃO DO EXERCÍCIO NAS DOENÇAS REUMATOLÓGICAS PRESCRIÇÃO DO EXERCÍCIO NAS DOENÇAS REUMATOLÓGICAS PROF. DR. Wouber Hérickson de B. Vieira DEPARTAMENTO DE FISIOTERAPIA - UFRN ÍNDICE DE ASSUNTOS INTRODUÇÃO A REUMATOLOGIA Conceitos e princípios em reumatologia

Leia mais

26ª Reunião, Extraordinária Comissão de Assuntos Sociais

26ª Reunião, Extraordinária Comissão de Assuntos Sociais 26ª Reunião, Extraordinária Comissão de Assuntos Sociais Dr. Sandro José Martins Coordenador Geral de Atenção às Pessoas com Doenças Crônicas Diretoria de Atenção Especializada e Temática Secretaria de

Leia mais

AVALIAÇÃO DA COLUNA VERTEBRAL

AVALIAÇÃO DA COLUNA VERTEBRAL AVALIAÇÃO DA COLUNA VERTEBRAL COLUNA CERVICAL FUNÇÕES: Suporte e estabilidade à cabeça Dar mobilidade à cabeça Abrigar, conduzir e proteger a medula espinhal e a artéria vertebral INSPEÇÃO Postura Global

Leia mais

6/22/2015. Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc

6/22/2015. Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc Acupuntura na Osteoartrose Prof. Gustavo Vilela da Silveira, MSc Osteoartrose 1 Osteoartrose Outras denominações ; Artrose; Doença Articular Degenerativa; Artrite Degenerativa. 2 É a doença articular mais

Leia mais

Ebook-1 de DICAS As melhores dicas do dia a dia. Neste ebook você terá informações sobre uma técnica usada para alívio da dor muscular.

Ebook-1 de DICAS As melhores dicas do dia a dia. Neste ebook você terá informações sobre uma técnica usada para alívio da dor muscular. Ebook-1 de DICAS As melhores dicas do dia a dia Neste ebook você terá informações sobre uma técnica usada para alívio da dor muscular. Ilma Cabral Fisioterapeuta - Osteopata DO Crefito 15320 01/06/2016

Leia mais

Rua do Platão nº. 147 Zambujal São Domingos de Rana Tel Fax

Rua do Platão nº. 147 Zambujal São Domingos de Rana Tel Fax Rua do Platão nº. 147 Zambujal 2785 698 São Domingos de Rana Tel. 214 549 200 Fax. 214 549 208 E-mail: anea@anea.org.pt PONTO DE VISTA DE UMA ASSOCIAÇÃO DE DOENTES A ESPONDILITE ANQUILOSANTE, O QUE É?

Leia mais

Prof André Montillo UVA

Prof André Montillo UVA Prof André Montillo UVA Doença Articular Degenerativa Sinônimos: Osteoartrite Osteoartrose: Artrose Artrose Condramalácea Artrite Degenerativa Artrite Hipertrófica Artrite Deformante Doença Articular Degenerativa

Leia mais

FRAQUEZA MUSCULAR. Diagnóstico

FRAQUEZA MUSCULAR. Diagnóstico FRAQUEZA MUSCULAR Texto de apoio ao curso de Especialização Atividade Física Adaptada e Saúde Prof. Dr. Luzimar Teixeira A fraqueza muscular é um problema comum, mas, freqüentemente, tem significados diferentes

Leia mais

EXIN FISIOTERAPIA

EXIN FISIOTERAPIA EXIN FISIOTERAPIA 2016.2 SÉRIE 4MA e 4MB Assuntos Avaliação do Tônus e Força Muscular. Avaliação da Marcha. Noções de Avaliação em Fisioterapia Neurológica. ADF 3 Avaliação da Coordenação e Equilíbrio.

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE GERIATIA E GERONTOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GERONTOLOGIA BIOMÉDICA

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE GERIATIA E GERONTOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GERONTOLOGIA BIOMÉDICA PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE GERIATIA E GERONTOLOGIA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GERONTOLOGIA BIOMÉDICA DENISE BASTIANI EFICÁCIA DE UM PROGRAMA DE EXERCÍCIOS DOMICILIARES

Leia mais

Cinesiologia. Lesões tronco. Prof. Dr. Matheus M. Gomes

Cinesiologia. Lesões tronco. Prof. Dr. Matheus M. Gomes Cinesiologia Lesões tronco Prof. Dr. Matheus M. Gomes 1 Função do Profissional de EF Conhecer as principais lesões do sistema musculoesquelético Elaborar programas de exercícios que minimizem a recorrência

Leia mais

ERGONOMIA. Prof.ª Rosana Abbud

ERGONOMIA. Prof.ª Rosana Abbud ERGONOMIA Prof.ª Rosana Abbud ERGONOMIA CIÊNCIA QUE ESTUDA A ADAPTAÇÃO DO POSTO DE TRABALHO AO HOMEM, BEM COMO A FORMA DAS FERRAMENTAS DE ACORDO COM A SUA FUNÇÃO. EXEMPLOS FORMATO DE TALHERES E ESCOVAS

Leia mais

Sistema muscular Resistência Muscular Localizada Flexibilidade Osteoporose Esteróides Anabolizantes

Sistema muscular Resistência Muscular Localizada Flexibilidade Osteoporose Esteróides Anabolizantes MÚSCULOS, ARTICULAÇÕES, FORÇA, FLEXIBILIDADE E ATIVIDADE FÍSICAF Sistema muscular Resistência Muscular Localizada Flexibilidade Osteoporose Esteróides Anabolizantes APARELHO LOCOMOTOR HUMANO Constituição

Leia mais

Osteoartrose. Ms. Roberpaulo Anacleto

Osteoartrose. Ms. Roberpaulo Anacleto Osteoartrose Ms. Roberpaulo Anacleto Introdução Sinônimos: Osteoartrite; Doença Articular Degenerativa Não há sintomas sistêmicos Locais mais acometidos: Membros inferiores e segmentos vertebrais. Associação:

Leia mais

Escrito por Vipgospel Sex, 06 de Dezembro de :00 - Última atualização Sex, 06 de Dezembro de :05

Escrito por Vipgospel Sex, 06 de Dezembro de :00 - Última atualização Sex, 06 de Dezembro de :05 Carregar bolsas ou mochilas pesadas, postura errada, não se acomodar na cadeira, dirigir muito, ter sobrepeso ou levar uma vida sedentária. Se você se encaixa em uma (ou mais) dessas situações, provavelmente

Leia mais

Sistema muculoesquelético. Prof. Dra. Bruna Oneda

Sistema muculoesquelético. Prof. Dra. Bruna Oneda Sistema muculoesquelético Prof. Dra. Bruna Oneda Sarcopenia Osteoporose A osteoporose é definida como uma desordem esquelética que compromete a força dos ossos acarretando em aumento no risco de quedas.

Leia mais

Coluna lombar. Características gerais: 5 vértebras 1 curvatura lordose fisiológica

Coluna lombar. Características gerais: 5 vértebras 1 curvatura lordose fisiológica COLUNA LOMBAR Coluna lombar Características gerais: 5 vértebras 1 curvatura lordose fisiológica 2 tipos de Articulações: Intervertebral cartilaginosa Proc. Articulares - sinovial Coluna lombar Coluna lombar

Leia mais

Patologias, Planos de Tratamento e Reabilitação. Técnicas cirúrgicas, Tratamento Conservativo e Medicina Complementar: Quando, O Quê, Como e Por que?

Patologias, Planos de Tratamento e Reabilitação. Técnicas cirúrgicas, Tratamento Conservativo e Medicina Complementar: Quando, O Quê, Como e Por que? Patologias, Planos de Tratamento e Reabilitação Técnicas cirúrgicas, Tratamento Conservativo e Medicina Complementar: Quando, O Quê, Como e Por que? DIA 1 (21 de Abril) 08:00-08:15 Boas Vindas; Introduções;

Leia mais

Cassio Nobre - Personal trainner e Consultori

Cassio Nobre - Personal trainner e Consultori Cassio Nobre - Personal trainner e Consultori cassiosantan@hotmail.com Dados da Avaliação Nome: Ricardo Chagas Rodrigues Idade: 62 Anos Data: 31/01/2017-11:52 Email: ricrodrigues@uol.com.br Etnia: Branco

Leia mais

XXIV Reunião Clínico - Radiológica. Dr. RosalinoDalazen.

XXIV Reunião Clínico - Radiológica. Dr. RosalinoDalazen. XXIV Reunião Clínico - Radiológica Dr. RosalinoDalazen www.digimaxdiagnostico.com.br CASO CLÍNICO Paciente C.R.S., 58 anos, procurou atendimento médico por dor e suspeita de artrose nos joelhos. CASO CLÍNICO

Leia mais

Amplitude de Movimento. Amplitude de Movimento. Tipos de ADM 27/2/2012

Amplitude de Movimento. Amplitude de Movimento. Tipos de ADM 27/2/2012 Amplitude de Movimento Amplitude de Movimento Professora: Christiane Riedi Daniel É o movimento completo de uma articulação ADM completa depende de: ADM Articular termos como flexão, extensão... goniometria

Leia mais

LITERATURA CURCUMIN C3 COMPLEX ANTI-INFLAMATÓRIO E ANTIOXIDANTE

LITERATURA CURCUMIN C3 COMPLEX ANTI-INFLAMATÓRIO E ANTIOXIDANTE CURCUMIN C3 COMPLEX ANTI-INFLAMATÓRIO E ANTIOXIDANTE Fator de Correção: Não se aplica Fator de Equivalência: Não se aplica Parte utilizada: Raíz Uso: Interno A osteoartrite (OA), artrose ou osteoartrose,

Leia mais