CONTROLANDO A DPOC DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÓNICA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONTROLANDO A DPOC DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÓNICA"

Transcrição

1 CONTROLANDO A DPOC DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÓNICA 2008

2 Tradução Manuela Almendra Enfermeira Especialista em Enfermagem de Reabilitação; professora na Escola de Enfermagem da Universidade do Minho. Laurinda Miranda Enfermeira Especialista em Médico-cirúrgica Equipa de Enfermagem da Unidade de Cuidados de Medicina (2007) Hospital Sta Maria Maior EPE Barcelos Com autorização de SEPAR Área de Enfermería y Fisioterapia Editor Carme Hernandez Autores: J.Giner, R. Cabarcos, F. Burgos, M.Calpena, F. Morante, V.Macián, I.Andres, I. Martínez, M.Benito, G. Peces Barba. 2

3 ÍNDICE Pág. A DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÓNICA DEIXAR DE FUMAR AS BEBIDAS ALCOÓLICAS VACINAÇÃO TERAPIA MEDICAMENTOSA: INALADORES SPRAY CÂMARA DE INALAÇÃO PÓ NEBULIZAÇÃO COMPRIMIDOS OXIGÉNIO NO DOMICÍLIO MANTER UM PESO ADEQUADO TERAPIA RESPIRATÓRIA ELIMINAÇÃO DA EXPECTORAÇÃO MOVA-SE NÃO PARE SUBIR AS ESCADAS SONO E REPOUSO SEXUALIDADE CONSELHOS PRÁTICOS QUE CONTROLO DEVO FAZER PARA A VIGILÂNCIA DA MINHA DOENÇA? QUAIS OS FACTORES QUE PODEM INFLUENCIAR NEGATIVAMENTE A MINHA DOENÇA? COMO SEI QUE A MINHA DOENÇA ESTÁ AGRAVAR-SE? QUE DEVO FAZER? QUANDO DEVO OCORRER AO SERVIÇO DE URGÊNCIA? QUE ME FARÃO? CUIDAR DO CUIDADOR RECOMENDAÇÕES EM CASO DE URGÊNCIA CONTACTOS DE INTERESSE NOTAS

4 A DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÓNICA (DPOC) É provável que o seu médico já lhe tenha dito que a sua doença respiratória se chama DPOC Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica A DPOC é uma doença Crónica (não se vai embora), associada ao tabaco, à exposição profissional a poeiras e ao fumo, à utilização de fogão a madeira e carvão em recintos fechados, à exposição ao ar poluído. O factor genético também está associado a esta doença. Caracteriza-se por uma dificuldade da passagem de ar pelos brônquios (Obstrutiva), provocando os seguintes SINTOMAS: sensação de falta de ar DISPNEIA, ao andar ou com a actividade, mais evidente com o avançar da idade; tosse; expectoração. A Dispneia pode tê-la desde algum tempo, e em algumas ocasiões pode aumentar como: ao andar, quando realiza um esforço, quando está constipado ou tem uma infecção respiratória. A finalidade a que nos propomos é: 1- Ajudar a conhecer melhor a sua doença 2- Ajudar a aliviar a falta de ar - dispneia 3- Prevenir o agravamento da doença 4- Poder melhorar a sua qualidade de vida Em primeiro lugar vamos explicar-lhe como sabemos que você tem DPOC? O médico e o enfermeiro vão examiná-lo e perguntar-lhe sobre o consumo do tabaco, o seu trabalho, a sua casa, a dispneia, a tosse (sobretudo de manhã) e a expectoração. O exame que confirma a doença é a espirometria. É um exame fácil e sem dor, vai ter de respirar para um tubo que está ligado a uma máquina. A doença é classificada em LIGEIRA; MODERADA, GRAVE E MUITO GRAVE. O que lhe vamos propor são conselhos práticos para que SE SINTA MELHOR 4

5 DEIXAR DE FUMAR FUMAR É EXTREMAMENTE PREJUDICIAL PARA SI! Deixar de fumar é o melhor tratamento que pode fazer. Deixar de fumar é difícil, mas não impossível. Pode ocorrer que em certas ocasiões note um desejo irresistível de fumar, irritabilidade, ansiedade, aumento do apetite. Tranquilize-se, estes sintomas nunca devem ser uma desculpa para voltar a fumar. Os benefícios de deixar de fumar são imediatos e podem apreciar-se desde as primeiras horas. Para o conseguir recomendamos os seguintes conselhos: PREPARE-SE PARA DEIXAR DE FUMAR 1. Pense porque fuma cada vez que acende um cigarro; recorde que o tabaco é a primeira causa de morte evitável nos países desenvolvidos. 2. Procure motivação, escreva uma lista com os motivos que o levam a fumar; relembre sobre quando e quanto fuma. Crie uma folha de registo diário: Dia Hora Lugar/actividade Motivo 3. Evite as situações que associa com o hábito de fumar. 4. Este é o momento de tomar a decisão de deixar de fumar; reveja a sua lista de motivos para deixar de fumar, pense numa data ao fim de um período de quatro semanas. Marque o dia. 5

6 TOMOU UMA GRANDE DECISÃO 5. Comunique aos seus familiares, amigos e companheiros de trabalho. Calcule o dinheiro que gasta em fumar, pense no que pode fazer com o que poupa. Procure o apoio de algum familiar, amigo fumador para os dois deixarem ao mesmo tempo. Elimine de sua casa todos os objectos relacionados com o tabaco. A partir do dia assinalado para deixar de fumar, a sua vida ganhará em qualidade. ACTUE! QUE FAZER? 6. Levante-se um pouco mais cedo que o habitual, faça um pouco de exercício físico, beba água e sumos em quantidades abundantes. 7. Mantenha-se activo durante todo o dia. 8. Tome a decisão de não fumar CADA DIA. 9. Faça uma dieta rica em frutas e verduras, tente não beber as bebidas que costumava acompanhar com o tabaco, como por exemplo o café. 10. Se o desejo de fumar é muito forte, não se preocupe, relaxe respire profundamente, concentre-se no que está a fazer, recorde sempre que o desejo de fumar só dura 2 minutos depois desaparece. 11. Existem chicletes e medicamentos que podem ajudá-lo, mas pense que o sucesso depende do seu compromisso pessoal. Consulte os profissionais de saúde, pois podem ajudá-lo 12. Não ceda por um só cigarro, o desejo de fumar diminui depois da segunda ou terceira semana. FELICITE-SE CADA DIA QUE PASSA SEM FUMAR CORAGEM CERTO DE QUE CONSEGUIRÁ 6

7 AS BEBIDAS ALCOÓLICAS Beber álcool em excesso é prejudicial para diferentes partes do organismo: fígado; coração, sistema nervoso e pulmões. Pois reduz as defesas e piora a função respiratória. Sempre que não está contra-indicado pode tomar um copo de vinho ou cerveja à refeição, mas deve evitar beber à noite. VACINAS A gripe, é uma infecção que afecta o aparelho respiratório e pode ser grave nas pessoas que como você, apresentam uma maior sensibilidade das vias aéreas, por isso todos os anos deve vacinar-se contra a gripe. A pneumonia (infecção que afecta os pulmões) pode agravar a sua doença respiratória, para prevenir, e de acordo com o seu médico pode fazer a vacina anti pneumónica uma vez a cada 5 anos, se tiver mais de 65 anos. Não há problemas em administrá-las juntas. A equipa de saúde indicará quando deve tomá-las. 7

8 TERAPIA MEDICAMENTOSA: POR INALADOR No caso das doenças respiratórias não só é importante tomar a medicação que está prescrita mas também saber para que serve e como tomá-la PARA QUE SERVE 1. Broncodilatadores: aumentam o diâmetro dos brônquios, quando estes estão estreitos. Existem dois tipos: Inaladores: Acção Spray curta duração entre 4 a 6 horas Acção Câmara prolongada de inalação duração de 12 horas Pó Nebulizadores 2. Anticolinérgicos: actuam como os broncodilatadores Comprimidos 3.Anti-inflamatórios: Corticoídes: actuam desinflamando a mucosa brônquica. Com este tipo de medicamento não se notará de imediato o seu efeito, só passados vários dias e têm uma duração de 12 horas A equipa de saúde que o atende vai ensinar-lhe sobre a terapêutica e como a deve fazer. COMO TOMÁ-LA - Utilize-os na ordem adequada: primeiro os que têm efeito broncodilatador e depois os que têm efeito anti-inflamatório. - Horário: Tome como referência as horas das refeições (pela manhã utilize-os antes do pequeno-almoço; ao meio-dia - antes ou se preferir depois das refeições; à noite antes de jantar ou se preferir antes de se deitar). - Cuidados: Para evitar os problemas orais (candidiase), é importante que lave a boca e os dentes com pasta dentífrica, após administração dos inaladores. Tome sempre os medicamentos na dose e horas determinadas. DEVE TER SEMPRE À MÃO O INALADOR QUE FOI PRESCRITO PARA QUANDO SE ENCONTRA MAL. Na administração dos medicamentos por inalador é importante que realize a técnica de forma correcta para que o tratamento seja efectivo. Assim, como deve ter cuidados de manutenção e limpeza dos dispositivos. A equipa que o atende o instruirá da técnica correcta. 8

9 SOLUÇÃO PRESSURIZADA Destapar Agitar Expirar(soprar) Colocar na boca Começar a Inspirar( meter ar pela boca) Carregar Terminar de inspirar Aguentar a respiração Tapar Enxaguar a boca 9

10 CÂMARA DE INALAÇÃO Montar a câmara Destapar Agitar Expirar (soprar) Carregar Inspirar (a meter ar pela boca) Aguentar a respiração Enxaguar a boca USO ALTERNATIVO DA CÂMARA DE INALAÇÃO Carregar uma só vez Respirar 4 ou 5 vezes LAVAR A CÂMARA UMA VEZ POR SEMANA COM ÁGUA E SABÃO 10

11 PÓ SECO Destapar Carregar Expirar (soprar) Inspirar (a meter ar pela boca) Aguentar a respiração Enxaguar a boca 11

12 NEBULIZAÇÕES Material necessário. Nebulizador.. Máscara ou boquilha.. Medicamento a utilizar. Procedimento. Lavar as mãos.. Preparar o medicamento como lhe indicaram.. Introduzir o medicamento no nebulizador.. Sentar-se correctamente.. Colocar a máscara ou a boquilha.. Se estiver indicado pode fazer a nebulização com o oxigénio ligado.. Nebulizar o fármaco. Respirar lentamente até ao fim da medicação.. Se depois da nebulização sentir: nervosismo; pulso rápido; náuseas; vómito, comunique à equipa de saúde que cuida de si. Considerações especiais. Após a administração do fármaco, lave a boca.. Deve lavar com água e sabão as peças do nebulizador, secar e guardar para proteger do pó.. Tempo de nebulização: minutos.. A empresa fornecedora do nebulizador dará a assistência necessária na manutenção do aparelho e substituição de peças(1-3meses). 12

13 MEDICAMENTOS: Comprimidos Existem os que actuam como anti-inflamatórios a cortisona, que desinflamam a mucosa dos brônquios. Quando tiver que os tomar será sempre de uma forma doseada, respeite as indicações e diminuía a dose tal como é indicado. É preferível que a tome sempre de manhã. Os antibióticos actuam sobre as infecções causadas por bactérias. Se há um aumento da expectoração, alteração da sua cor passando a amarelo ou verde e há febre DEVE ACTUAR DE IMEDIATO. Comunicar à equipa de saúde que cuida de si. É fundamental que tome a medicação na hora e dose prescrita, assim como durante todo o tempo que está indicado. Os diuréticos devem tomar-se com cuidado. A sua acção consiste em eliminar líquidos, quando há sobrecarga no coração, edemas (pés inchados ). Devem realizar-se controlos analíticos e periódicos. Devem tomar-se sempre em jejum. Os expectorantes, ajudam a eliminar as secreções. Outros medicamentos: antiácidos e protectores gástricos para prevenir os problemas gástricos resultantes da medicação que toma. Se você sofre de outras doenças (hipertensão, cardíaca, próstata, cataratas, nervosismo, ou depressões, etc ) e precisa de medicação siga as indicações que o médico e enfermeiros lhe deram. Se estas doenças não estiverem bem controladas podem causar-lhe sérios problemas. Não se automedique sem controlo da equipa de saúde que o atende 13

14 OXIGÉNIO NO DOMICÍLIO Se tem prescrito oxigénio para fazer em casa, deve utilizá-lo no mínimo 15 horas dia (sempre durante a noite, depois das refeições, antes de qualquer esforço e quando está em casa). Menos de 15 horas, não produz nenhum benefício terapêutico. Quando tem mais dispneia falta de ar, faça-o durante todo o dia. O oxigénio está indicado porque está baixo no sangue (é determinado através de uma análise ao sangue ou por um oxímetro) e não porque tenha fadiga. O oxigénio não elimina a fadiga mas é uma parte importante no seu tratamento! O oxigénio apresenta-se sob várias formas: em garrafas contendo oxigénio gasoso sob elevada pressão e alta pureza; o concentrador capta e filtra altas concentrações de oxigénio do ar ambiente; e o oxigénio liquido. Tanto a forma de administração, o sistema a utilizar sondas nasais ou máscara, como a quantidade de oxigénio dependerá das suas necessidades e são indicadas pela equipa de saúde. Em nenhum caso se pode modificar a dosagem de oxigénio, pois pode causar danos ao seu organismo, se não recebe a quantidade de oxigénio adequado Precauções gerais: 1- Não colocar a fonte de oxigénio junto de fontes de calor cozinha, fornos, aquecedores, aparelhos eléctricos. 2- Não manipular os dispositivos. 3- Manter os dispositivos e seus acessórios em bom estado e substitui-los por novos quando necessário. 4 - Mantenha sempre os orifícios nasais limpos e evite as erosões nasais. 14

15 O CONCENTRADOR DE OXIGÉNIO O concentrador de oxigénio é o mais recomendado para o domicílio. Saiba que ele extrai o oxigénio do ar e o concentra para que depois você o possa fazer. Este aparelho mede cerca de 60 cm de altura, dispõe de rodas e necessita de estar ligado à corrente eléctrica para funcionar. Dispõe de um sistema de alarme e de um contador de horas. A empresa fornecedora desta terapêutica deve realizar a manutenção periódica do sistema e proporcionará uma garrafa de oxigénio comprimido para situações de emergência. O consumo de energia eléctrica deverá ser comparticipada. PRECAUÇÕES COM O CONCENTRADOR 1. Colocar o concentrador pelo menos a 15 cm da parede ou de um móvel; É aconselhável que não o coloque no local onde dorme; 2. Deve mover sempre o aparelho na vertical; 3. Deve esperar sempre entre 5 a 10 minutos, desde que liga o concentrador até à sua utilização; 4. Sempre que não está ser utilizado deve estar desligado; 5. Pode colocar-se uma manta por baixo do aparelho, para amortizar o ruído. Não deve tapar-se nunca o concentrador. O filtro externo do concentrador deve ser retirado uma vez por semana para limpeza (com água e sabão), colocá-lo quando está seco. Esta operação deve ser realizada com o aparelho desligado. 15

16 OXIGÉNIO LÍQUIDO Se você utiliza oxigénio líquido, saiba que este está armazenado num grande cilindro. Quando o sistema é accionado o oxigénio líquido evapora-se transformando-se em gasoso pronto a utilizar. Pesa 40Kg, dura mais que o oxigénio comprimido, contudo também é muito mais caro. A parte portátil do sistema, uma mochila, recarrega-se a partir da parte fixa, deve fazê-lo num local arejado e quando o vai utilizar. A sua duração varia segundo o fluxo utilizado, oscilando entre as 6-7 horas a 2 litros por minuto. PRECAUÇÕES COM O OXIGÉNIO LÍQUIDO - O oxigénio líquido, ao estar a baixas temperaturas, pode produzir queimaduras em contacto com a pele. Se ocorrem fugas, há que procurar não tocar na zona e avisar a empresa fornecedora. Se você utiliza as GARRAFAS DE OXIGÉNIO, saiba que a sua duração depende do seu tamanho e do fluxo de oxigénio que utiliza. 16

17 MANTER UM PESO ADEQUADO Tanto o excesso de peso como o peso baixo é prejudicial para si. Portanto, deve manter uma dieta equilibrada para conseguir um peso óptimo. Para isso é necessário uma dieta rica em frutas, verduras e proteínas. É importante ter em atenção ao número de refeições e à quantidade. Quando se encontra bem 1. Dieta equilibrada 3-4 refeições por dia 2. Controlo periódico do peso 3. Evitar digestões pesadas 4. Evite a prisão de ventre Quando se encontra mal 1. Ingira comidas ligeiras, várias vezes ao dia e pouco abundantes 5 a 6 refeições ligeiras. 2. Evite digestões pesadas, alimentos flatulentos couve-flor; cebolas, e a ingestão excessiva de hidratos de carbono pão, massas, batata, arroz 3. É importante aumentar o aporte de cálcio, que se encontra no leite e seus derivados, quando está a tomar cortisona. A MELHOR BEBIDA É A ÁGUA, recomenda-se que beba diariamente 1,5 litros, pois ajudará a fluidificar as secreções. 17

18 TERAPIA RESPIRATÓRIA A respiração significa vida; mas quando temos um transtorno respiratório, o que é natural e fácil torna-se difícil. Para aliviar a dispneia, que você sente, ensinámo-lo a controlar a sua respiração para que possa viver melhor. Todos os exercícios que lhe vamos propor, devem ser acompanhados por uma respiração adequada. CONTROLO DA RESPIRAÇÃO Começaremos com uns exercícios que você deve realizar deitado, para respirar melhor e fazer com que a respiração seja mais lenta e tranquila possível. Se precisar pode colocar almofadas na cabeça. Repita os exercícios várias vezes, e de modo a sentir-se cómodo. EXERCÍCIOS NA POSIÇÃO DE DEITADO Deitado, coloque as mãos completamente relaxadas sobre o abdómen. Inspire lenta e profundamente através do nariz, vai sentir o abdómen a aumentar e as suas mãos a moverem-se, mantenha o ar durante 1 ou 2 segundos, seguidamente solte o ar lentamente com os lábios franzidos até soltar todo o ar contido no abdómen. Continue deitado, mas agora coloque as suas mãos sobre as últimas costelas, próximas da cintura. EXERCÍCIOS NA POSIÇÃO DE SENTADO Inspire lenta e profundamente através do nariz sentindo que as costelas se movem, aumentando o volume da caixa torácica inferior. Mantenha o ar durante 1 ou 2 segundos, seguidamente solte o ar lentamente com os lábios franzidos até soltar todo o ar. Notará que o volume da caixa torácica diminui. 18

19 EXERCÍCIOS NA POSIÇÃO DE SENTADO Deve realizar estes exercícios sentado numa cadeira, com as costas direitas, as pernas ligeiramente afastadas e os pés bem apoiados no chão. Ponha as mãos cruzadas sobre os joelhos. Inspire pelo nariz, e ao mesmo tempo eleve os braços formando um V com eles. Expire pela boca com os lábios franzidos e baixe lentamente os braços, voltando a colocar as mãos cruzadas sobre os joelhos. Repita várias vezes o exercício. Ponha a mão direita sobre o ombro direito, dobrando o cotovelo. Deite o ar fora com os lábios franzidos enquanto vai baixando o tronco até apoiar o cotovelo sobre o joelho esquerdo. Seguidamente, inspire pelo nariz e eleve o cotovelo até ao ombro. Repita várias vezes este exercício com o braço direito. Depois de um descanso repita os exercícios com o braço esquerdo.! ESTES EXERCÍCIOS DEVEM REALIZAR-SE DIARIAMENTE! ELIMINAÇÃO DA EXPECTORAÇÃO Com a tosse, limpam-se as vias respiratórias, por isso é importante e necessária. Para que a tosse seja eficaz, deve inspirar (colher ar) fundo pelo nariz de seguida soltar o ar com força e com a boca aberta. Repetir este procedimento. DEVE MANTER AS VIAS RESPIRATÓRIAS LIMPAS.! BEBA 1,5 LITROS DE ÁGUA POR DIA 19

20 MOVA-SE NÃO PARE A dispneia falta de ar, fará com que você prefira estar sentado a mexer-se. Se passar muitas horas sentado mais difícil será o movimento. Deve caminhar, começando por pequenas distâncias e cada vez aguentará mais. Sentir falta de ar com o exercício não é perigoso.! CAMINHE TODOS AS DIAS! SUBIR ESCADAS Deve fazê-lo, calmamente e com uma respiração correcta. Seguidamente dizemos-lhe como fazer: 1- No primeiro degrau colha o ar pelo nariz inspire 2- Suba os degraus que puder, 1,2,3, soprando expirando 3- Pare e tome ar pelo nariz 4- Siga subindo, 1, 2 ou 3 degraus e soprando Depois destes exercícios continuaremos a ensinar-lhe uma série de propostas que o podem ajudar como estratégias de enfrentar a dispneia. 20

21 SONO E REPOUSO As pessoas que sofrem de DPOC, durante o sono têm uma redução do oxigénio no sangue, uma diminuição do reflexo da tosse e por isso retêm as secreções brônquicas. Isto, junto com outros factores de risco (obesidade, hábito tabágicos ) podem produzir o Síndrome de Apneia do Sono. Se ocorrerem períodos de sono durante o dia deve comunicar ao pneumologista, para este avaliar e efectuar provas específicas para avaliar a qualidade do sono. SEXUALIDADE É possível que não se atreva a perguntar abertamente sobre se é perigoso manter relações sexuais, ou como a sua doença pode interferir sobre estas. A actividade sexual é importante. É normal o aumento da frequência respiratória e cardíaca durante a actividade sexual. A fadiga, a dispneia, a baixa de oxigénio ou os efeitos produzidos pela medicação podem reduzir o seu desejo sexual, mas estas circunstâncias não devem ser uma limitação para a realização da sua sexualidade. Por isso propomos: 1. A habitação deve ter uma temperatura adequada. 2. Evite relações sexuais após as refeições. 3. Planeie um período de descanso prévio realize os exercícios de respiração; relaxamento e higiene brônquica. 4. Adopte uma postura cómoda, evitando posições que suportam o peso, é preferível a utilização de posições passivas (de lado, sentados cara a cara). 5. Se faz oxigénio pode utilizá-lo antes de relação. Também pode utilizar a medicação inaladora, antes e depois da relação sexual. 21

22 CONSELHOS PRÁTICOS 1. Ambiente de casa: Mantenha um ambiente húmido - a humidade óptima é de 45% e uma temperatura de 19/21 o C. 2. Clima: O frio e as mudanças de temperatura são inimigos das doenças respiratórias. Proteja-se e evite-os. 3. Viagens e férias: Planeie as suas férias com antecedência, deve ter em conta a altitude do lugar para onde vai, pois não deve exceder 1500 metros. Se pretende viajar de avião e precisa de oxigénio, deve avisar com tempo suficiente a companhia aérea, assim como deve fazer uma avaliação clínica prévia e ser dado aconselhamento sobre a oxigenoterapia durante o voo. Pode ter que fazer um seguro de viagem. 4. Vestuário: A roupa deve ser adequada à época do ano, sem exagerar na quantidade de peças. A roupa deve ser folgada e de fácil colocação. Não utilizar cintos, fachas ou cintas que comprimam o tórax. 5. Sono: Estabeleça rotinas para dormir, levantar-se e descansar. Não durma sestas superiores a 90 minutos. Evite ingerir cafeína e álcool. 6. Lazer: Mantenha o interesse em realizar actividades sociais. Utilize estratégias de distracção: técnicas de relaxamento; ouvir música; jogos 22

23 7. O Banho: Se ao tomar banho tem falta de ar coloque um banco no poliban ou na banheira, lave-se sentado. Use uma esponja de cabo comprido para lavar as costas e os pé. Peça ajuda para lavar as zonas que implicam mais esforço. Não utilize toalha mas um roupão atoalhado para secar o corpo sem esforço. 8. Poluição: Evite o uso substâncias com cheiros fortes lacas, tintas, ambientadores insecticidas, etc. pois podem produzir irritação. Cozinhe com as janelas abertas. Feche as janelas quando há muita poluição no ar exterior. Não deixar fumar dentro de casa. 9. Grupos de apoio: Relacione-se com pessoas que têm a mesma doença. Contacte as Associações de pessoas com DPOC 23

24 QUE CONTROLO DEVO FAZER PARA A VIGILÂNCIA DA MINHA DOENÇA? Não faltar às consultas periódicas do médico e/ou de cinesiterapia respiratória. Aí vai ser auscultado e questionado sobre o tratamento que está a fazer farmacológico e o programa de reabilitação pulmonar. Também serão realizadas sessões de educação para a saúde para melhorar o tratamento e a sua qualidade de vida.! DEVE LEVAR SEMPRE O TRATAMENTO QUE ESTÁ A FAZER! Em algumas das consultas podem ser pedidos alguns exames complementares, que são: Análises de sangue: para controlo. Deve ir em jejum mas pode fazer os seus medicamentos inaladores. Espirometria: para controlar a evolução da sua doença e a eficácia do tratamento instaurado. Não precisa de jejum. Deverá informar-se se pode tomar os medicamentos ou não. Gasimetria arterial: para conhecer o nível de oxigénio e de anidrido carbónico que tem no sangue. Não necessita de jejum. Pode tomar os medicamentos. Se faz oxigénio em casa deve comunicar à equipa de saúde. Prova necessária para saber se você necessita de oxigénio ou não. 24

25 Radiografia ao tórax Prova da marcha de 6 minutos: pode tomar a medicação. Leve a medicação como precaução. Leve sapatos e roupa cómoda. Colheita de expectoração: pode realizá-la em casa, levando-a imediatamente para análise. Não tome antibióticos nas 48 horas anteriores. Lave a boca. Deve ter um frasco estéril. O melhor momento para colher a expectoração é de manhã em jejum. Realize a técnica de drenagem de secreções e uma tosse dirigida para conseguir colher um produto com qualidade. Estudo do sono: pode tomar a medicação e levá-la para o hospital. Comunique se utiliza medicação para dormir, e se faz oxigénio m casa ou qualquer outro aparelho para tratamento respiratório domiciliário. 25

26 QUE FACTORES PODEM INFLUENCIAR NEGATIVAMENTE A MINHA DOENÇA? 1- Continuar a fumar 2- Não realizar o tratamento tal como está prescrito 3- Não realizar a técnica inalatória correctamente 4- Não controlar doenças associadas 5- Não cumprir as consultas programadas 6- Sinais de ansiedade e depressão, que são frequentes nesta doença, mas para os quais se deve procurar solução. 7- Problemas sociais e familiares 26

27 COMO SEI QUE A MINHA DOENÇA ESTÁ AGRAVAR-SE? QUE DEVO FAZER? Por causa de uma infecção respiratória, ou por outros motivos o funcionamento do aparelho respiratório pode descompensar. Por isso você deve conhecer os SINAIS DE ALARME e as acções que deve tomar: 1. AUMENTO DA DISPNEIA (falta de ar), mais do que o habitual: Tome a medicação em SOS, sem ultrapassar a dose limite Fique tranquilo em casa, descansar na posição de cocheiro (sente-se na cadeira com os pés separados e apoiados no chão, incline-se para a frente). Também pode ficar de pé, inclinado para a frente, apoiado numa mesa, ou inclinando-se sobre ela. Realize a respiração correcta autocontrolo respiração Se faz oxigénio, coloque-o na dose prescrita, NÃO A AUMENTE. Mova-se mais lentamente, de forma a conservar energia! SE NÃO MELHORAR CONTACTE A EQUIPA DE SAÚDE QUE O ATENDE! 2. AUMENTO DAS SECREÇÕES (expectoração) Aumento do volume mais do que o habitual, mudança na cor mais amarelas ou verdes, ou apresentam um aumento da consistência - mais espessas e com dificuldade em expectorar. 27

28 Beba mais água. Realize a auto drenagem de secreções, manobras de auto percussão e solicite a tosse. Coloque o termómetro avalie a febre. Se o problema não se soluciona e a temperatura é superior a 38.º recorrer ao médico de família/serviço de urgência. 3. EDEMAS PÉS E PERNAS INCHADAS Beba menos líquidos. Eleve os pés. Avalie a cor das pernas. Se a situação não melhorar deve recorrer ao serviço de urgência. 4. DOR COSTAL Recorra ao seu médico e explique o tipo de dor, se não ficar controlada recorra ao serviço de urgência 5. SONOLÊNCIA DURANTE O DIA E PROBLEMAS EM DORMIR À NOITE 6. DORES DE CABEÇA PELA MANHÃ 7. ALTERAÇÕES DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA: IRRITABILIDADE, CONFUSÃO MENTAL. 28

29 SE APESAR DE TUDO TIVER QUE RECORRER AO SERVIÇO DE URGÊNCIA O QUE ME FARÃO? 1. Vão perguntar-lhe o motivo por o qual foi ao serviço de urgência e os sintomas que está sentindo. 2. Podem realizar uma oximetria (colocação de um sensor no dedo), ou uma gasimetria (para conhecerem a quantidade de oxigénio no sangue). 3. Espirometria forçada. 4. Radiografia de Tórax. 5. Análise de sangue. Após ser observado pela equipa de saúde, esta pode decidir, segundo os dados obtidos nas provas realizadas e na resposta ao tratamento instaurado no serviço de urgência: pode ocorrer 1. Pode ir para casa com tratamento, e controlado pelo seu médico de família. 2. Pode ir para casa com tratamento e ser visitado por equipas multidisciplinares (médico, enfermeira, e outros) durante os primeiros dias. 3. Pode ter de ficar internado no hospital. 4. Pode ser transferido para outro hospital. 29

30 CUIDAR DO CUIDADOR O cuidador é aquele que assiste na identificação, prevenção, ou tratamento da doença ou incapacidade. POR PARTE DOS PROFISSIONAIS DE SAÚDE 1. Educar/Instruir para a gestão da doença da pessoa que está ao seu cuidado. 2. Dar apoio emocional e logístico, facilitando o manuseamento dos instrumentos dentro do âmbito domiciliário. 3. Facilitar o acesso a: associações das pessoas com DPOC, psicólogos, assistentes sociais, e pessoal da saúde. 4. Detectar problemas familiares/sociais e económicos que dificultam a boa evolução do processo de adaptação. POR PARTE DA PESSOA COM DPOC 1. Auto responsabilizar-se pela doença. Não utilizar o cuidador como o centro da doença. 2. Criar um bom clima familiar. Adaptar a nova situação à estrutura familiar, evitando situações limites. 3. Não fazer sentir o cuidador culpado pela sua situação. 30

31 RECOMENDAÇÕES EM CASO DE URGÊNCIA Sempre que tenha algum problema, você deve recorrer ao médico do serviço de urgência ou de família. Sobretudo recorde que você DEVE PEDIR AJUDA SEMPRE QUE EXISTA: 1. Aumento da dispneia, mais do que o habitual e que não cede com as medidas que anteriormente recomendamos (ficar tranquilo em casa, utilizar os inaladores prescritos para situações de urgência.) 2. Aumento das secreções e alteração da cor (mais muco que o habitual e a cor amarela ou esverdeada), apresenta também uma alteração da consistência das secreções (muco mais espesso) incapaz de as expectorar. 3. Aparecimento de febre, medida com termómetro. 4. Pés inchados edema. 5. Dor nas costas. 6. Sonolência mais sono que o habitual, durante o dia e dificuldade em dormir à noite. 7. Dores de cabeça pela manhã. 8. Alterações do estado de consciência: irritabilidade, confusão mental 31

Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR?

Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR? Doenças Respiratórias O QUE SÃO E COMO AS PREVENIR? O NÚMERO DE PESSOAS AFETADAS POR DOENÇAS RESPIRATÓRIAS EVITÁVEIS NÃO PÁRA DE AUMENTAR. AS CRIANÇAS E OS MAIS VELHOS SÃO OS MAIS ATINGIDOS. SÃO DOENÇAS

Leia mais

A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da

A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da 2 A pneumonia é uma doença inflamatória do pulmão que afecta os alvéolos pulmonares (sacos de ar) que são preenchidos por líquido resultante da inflamação, o que dificulta a realização das trocas gasosas.

Leia mais

GRIPE A (H1N1) v Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar

GRIPE A (H1N1) v Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar GRIPE A (H1N1) v Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar Informação para Professores Agosto de 2009 Direcção-Geral da Saúde (www.dgs.pt) Direcção de Serviços de Promoção e Protecção da Saúde Gripe

Leia mais

Frio» Recomendações gerais

Frio» Recomendações gerais No domicílio Antes do Inverno, verifique os equipamentos de aquecimento da sua casa; Se tiver lareira mande limpar a chaminé, se necessário; Mantenha a casa arejada, abrindo um pouco a janela/porta para

Leia mais

Desportistas. Recomendações para Ondas de Calor. Saúde e Desenolvimento Humano

Desportistas. Recomendações para Ondas de Calor. Saúde e Desenolvimento Humano A prática regular e moderada da actividade física pode trazer benefícios substanciais para a saúde da população, como seja reduzir para metade o risco de doenças coronárias, baixar o risco de desenvolver

Leia mais

03/08/2014. Sistematização da assistência de enfermagem ao paciente portador de doença pulmonar obstrutiva crônica DEFINIÇÃO - DPOC

03/08/2014. Sistematização da assistência de enfermagem ao paciente portador de doença pulmonar obstrutiva crônica DEFINIÇÃO - DPOC ALGUNS TERMOS TÉCNICOS UNESC FACULDADES - ENFERMAGEM PROFª.: FLÁVIA NUNES Sistematização da assistência de enfermagem ao paciente portador de doença pulmonar obstrutiva crônica Ortopneia: É a dificuldade

Leia mais

As disfunções respiratórias são situações que necessitam de intervenções rápidas e eficazes, pois a manutenção da função

As disfunções respiratórias são situações que necessitam de intervenções rápidas e eficazes, pois a manutenção da função As disfunções respiratórias são situações que necessitam de intervenções rápidas e eficazes, pois a manutenção da função respiratória é prioritária em qualquer situação de intercorrência clínica. O paciente

Leia mais

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Perguntas Frequentes Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a

Leia mais

QUALIDADE DO AR INTERIOR

QUALIDADE DO AR INTERIOR QUALIDADE DO AR INTERIOR POR DIA OS NOSSOS PULMÕES FILTRAM CERCA DE 13. 000 LITROS DE AR! A POLUIÇÃO EM AMBIENTES FECHADOS É UMA DAS PRINCIPAIS CAUSAS DE DOENÇAS RESPIRATÓRIAS A maior parte das nossas

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa

Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Ministério da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Assunto: Para: Contacto na DGS: Ondas de calor medidas de prevenção Recomendações dirigidas à população Conhecimento de todos os estabelecimentos

Leia mais

Insuficiência respiratória aguda. Prof. Claudia Witzel

Insuficiência respiratória aguda. Prof. Claudia Witzel Insuficiência respiratória aguda O que é!!!!! IR aguda Incapacidade do sistema respiratório de desempenhar suas duas principais funções: - Captação de oxigênio para o sangue arterial - Remoção de gás carbônico

Leia mais

O que você pode fazer a respeito de uma doença pulmonar chamada DPOC

O que você pode fazer a respeito de uma doença pulmonar chamada DPOC Iniciativa Global Para A Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica O que você pode fazer a respeito de uma doença pulmonar chamada DPOC Adultos com dificuldade de respirar ou com tosse que não vai embora podem

Leia mais

Estes artigos estão publicados no sítio do Consultório de Pediatria do Dr. Paulo Coutinho. http://www.paulocoutinhopediatra.pt

Estes artigos estão publicados no sítio do Consultório de Pediatria do Dr. Paulo Coutinho. http://www.paulocoutinhopediatra.pt Estes artigos estão publicados no sítio do Consultório de Pediatria do Dr. Paulo Coutinho. Pág. 01 A bronquiolite é uma infeção respiratória causada por vírus, ocorrendo em crianças com menos de 2 anos.

Leia mais

Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor

Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor MINISTÉRIO DA SAÚDE ADMINISTRAÇÃO REGIONAL DE SAÚDE DO ALGARVE DEPARTAMENTO DE SAÚDE PÚBLICA Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor Durante os meses de Verão as temperaturas podem

Leia mais

GESTOS QUE SALVAM Departamento de Formação em Emergência Médica janeiro de 2014

GESTOS QUE SALVAM Departamento de Formação em Emergência Médica janeiro de 2014 GESTOS QUE SALVAM Departamento de Formação em Emergência Médica janeiro de 2014 Gestos que Salvam O que fazer? EM CASO DE EMERGÊNCIA O QUE FAZER Número Europeu de Emergência LIGAR PARA O NÚMERO EUROPEU

Leia mais

DIVISÃO DESENVOLVIMENTO SOCIAL GABINETE DE DESPORTO

DIVISÃO DESENVOLVIMENTO SOCIAL GABINETE DE DESPORTO DIVISÃO DESENVOLVIMENTO SOCIAL GABINETE DE DESPORTO TÉCNICAS DE ANIMAÇÃO PARA IDOSOS Introdução Uma velhice tranquila é o somatório de tudo quanto é beneficio do organismo, como por exemplo, exercícios

Leia mais

SAÚDE.sempre. Gripe. newsletter. medidas de auto cuidado. Secretaria Regional dos Assuntos Sociais

SAÚDE.sempre. Gripe. newsletter. medidas de auto cuidado. Secretaria Regional dos Assuntos Sociais Janeiro * 2014 Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais, IP-RAM Gripe medidas de auto cuidado newsletter Secretaria Regional dos Assuntos Sociais Ficha Técnica Newsletter - Janeiro de 2014

Leia mais

o Ressonar e a Apneia de Sono

o Ressonar e a Apneia de Sono o Ressonar e a Apneia de Sono sintomas diagnóstico tratamento O ressonar apesar de ser comum, fonte de brincadeiras e aceite como normal na população em geral é de facto uma perturbação que não deve ser

Leia mais

Recupere. sono. o ritmo. Conselhos para pessoas que sofrem de insónia

Recupere. sono. o ritmo. Conselhos para pessoas que sofrem de insónia Recupere do sono o ritmo Conselhos para pessoas que sofrem de insónia Prefácio O sono é fundamental na vida de todos nós. Dormir não é um luxo, mas sim uma necessidade fisiológica que devemos respeitar.

Leia mais

MELHORE A SUA VIDA CUIDE DO SEU CORAÇÃO!

MELHORE A SUA VIDA CUIDE DO SEU CORAÇÃO! MAIO, MÊS DO CORAÇÃO MELHORE A SUA VIDA CUIDE DO SEU CORAÇÃO! 12 A 31 DE MAIO DE 2008 EXPOSIÇÃO ELABORADA PELA EQUIPA DO SERVIÇO DE CARDIOLOGIA, COORDENADA PELA ENFERMEIRA MARIA JOÃO PINHEIRO. B A R R

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Assunto: PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA ONDAS DE CALOR 2009 RECOMENDAÇÕES PARA DESPORTISTAS Nº: 29/DA DATA: 04/08/09 Para: Contacto na DGS: Todos os Estabelecimentos de Saúde Divisão de Saúde Ambiental INTRODUÇÃO

Leia mais

DPOC e Oxigenoterapia Guia Rápido

DPOC e Oxigenoterapia Guia Rápido Homehealth provider DPOC e Oxigenoterapia Guia Rápido www.airliquide.com.br O que é DPOC? O paciente com DPOC doença pulmonar obstrutiva crônica possui falta de ar e tosse porque seus pulmões e suas vias

Leia mais

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO

www.cpsol.com.br TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO TEMA 003 CONHEÇA E PREVINA AS DOENÇAS DO INVERNO 1/8 O inverno chegou e junto com ele maiores problemas com as doenças respiratórias entre outras Isso não ocorre por acaso já que pé nesta estação onde

Leia mais

OMENAX. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Cápsula 20mg e 40mg

OMENAX. Geolab Indústria Farmacêutica S/A Cápsula 20mg e 40mg OMENAX Geolab Indústria Farmacêutica S/A Cápsula 20mg e 40mg tratar dispepsia, condição que causa acidez, azia, arrotos ou indigestão. Pode ser usado também para evitar sangramento do trato gastrintestinal

Leia mais

Doenças Respiratórias Crônicas. Caderno de Atenção Básica 25

Doenças Respiratórias Crônicas. Caderno de Atenção Básica 25 Doenças Respiratórias Crônicas Caderno de Atenção Básica 25 PREVALÊNCIA O Asma (acomete cerca de 300 milhões de indivíduos no mundo) O Rinite Alérgica (afeta cerca de 20 25% da população) O DPOC (afeta

Leia mais

Agir contra a Gripe A

Agir contra a Gripe A Agir contra a Gripe A O papel dos estabelecimentos de educação e ensino Maria Neto Responsável pela área funcional da Promoção e Protecção da Saúde Responsável pelo Programa Nacional de Saúde Escolar na

Leia mais

Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor

Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor Algumas medidas podem salvar vidas durante uma onda de calor Quando ocorre uma Onda de Calor emitem-se Alertas: Amarelo ou Vermelho, com menos e mais gravidade, respectivamente. Devem adoptar-se cuidados

Leia mais

GRIPE A (H1N1) INFORMAÇÃO E RECOMENDAÇÕES PARA ESCOLAS E OUTROS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO

GRIPE A (H1N1) INFORMAÇÃO E RECOMENDAÇÕES PARA ESCOLAS E OUTROS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO GRIPE A (H1N1) INFORMAÇÃO E RECOMENDAÇÕES PARA ESCOLAS E OUTROS ESTABELECIMENTOS DE EDUCAÇÃO As escolas e outros estabelecimentos de ensino assumem um papel muito importante na prevenção de uma pandemia

Leia mais

Actualizado em 21-09-2009* Doentes com Diabetes mellitus 1

Actualizado em 21-09-2009* Doentes com Diabetes mellitus 1 Doentes com Diabetes mellitus 1 Estas recomendações complementam outras orientações técnicas para protecção individual e controlo da infecção pelo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009. Destaques - Os procedimentos

Leia mais

Hospital Universitário Clementino Fraga Filho. Serviço de Cirurgia Cardíaca. Manual do paciente, revisado em 2011. Introdução

Hospital Universitário Clementino Fraga Filho. Serviço de Cirurgia Cardíaca. Manual do paciente, revisado em 2011. Introdução Hospital Universitário Clementino Fraga Filho Serviço de Cirurgia Cardíaca Manual do paciente, revisado em 2011. Introdução O serviço de Cirurgia Cardiovascular do Hospital Universitário Clementino Fraga

Leia mais

Iremos apresentar alguns conselhos para o ajudar a prevenir estes factores de risco e portanto a evitar as doenças

Iremos apresentar alguns conselhos para o ajudar a prevenir estes factores de risco e portanto a evitar as doenças FACTORES DE RISCO Factores de risco de doença cardiovascular são condições cuja presença num dado indivíduo aumentam a possibilidade do seu aparecimento. Os mais importantes são o tabaco, a hipertensão

Leia mais

Gripe: o que você pode fazer. Cuidados em casa

Gripe: o que você pode fazer. Cuidados em casa Gripe: o que você pode fazer Cuidados em casa Para mais informações, confira: www.mass.gov/dph/flu Gripe: o que você pode fazer Cuidados em casa ÍNDICE: O que é a gripe? 2 Prevenção da gripe 6 Cuidados

Leia mais

Formadora: Dr.ª Maria João Marques Formandas: Anabela Magno; Andreia Sampaio; Paula Sá; Sónia Santos

Formadora: Dr.ª Maria João Marques Formandas: Anabela Magno; Andreia Sampaio; Paula Sá; Sónia Santos Formadora: Dr.ª Maria João Marques Formandas: Anabela Magno; Andreia Sampaio; Paula Sá; Sónia Santos 1 O que é? A bronquiolite é uma doença que se carateriza por uma inflamação nos bronquíolos e que, geralmente,

Leia mais

Participação USF Terras de Santa Maria GRESP / APMGF AS-Design

Participação USF Terras de Santa Maria GRESP / APMGF AS-Design Elaboração Carina Pereira Diana Cruz Sarah Cardoso Participação USF Terras de Santa Maria GRESP / APMGF AS-Design Colaboração Ana Margarida Menezes Ana Quelhas Ana Raquel Figueiredo Clara Pinto Ferreira

Leia mais

VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO

VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a gripe? É uma doença infecciosa aguda das vias respiratórias, causada pelo vírus da gripe. Em

Leia mais

sobre pressão alta Dr. Decio Mion

sobre pressão alta Dr. Decio Mion sobre pressão alta Dr. Decio Mion 1 2 Saiba tudo sobre pressão alta Dr. Decio Mion Chefe da Unidade de Hipertensão do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP)

Leia mais

MÓDULO VIII ACIDENTES COM PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS

MÓDULO VIII ACIDENTES COM PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS Acidentes com Programa de formação sobre a aplicação de MÓDULO VIII ACIDENTES COM PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS Acidentes com Os são seguros se forem utilizados com cuidado, de acordo com todas as indicações

Leia mais

Programa RespirAr. Asma e bronquite sem crise. RespirAr

Programa RespirAr. Asma e bronquite sem crise. RespirAr Programa RespirAr. Asma e bronquite sem crise. RespirAr Prevenir é o melhor remédio para uma boa saúde, evitando-se as doenças e suas complicações. Problemas respiratórios, por exemplo, podem se tornar

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Oxigénio Medicinal Gasoxmed, 100 % gás medicinal criogénico

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Oxigénio Medicinal Gasoxmed, 100 % gás medicinal criogénico FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Oxigénio Medicinal Gasoxmed, 100 % gás medicinal criogénico Leia atentamente este folheto antes de utilizar este medicamento. - Conserve este folheto.

Leia mais

MODIFICAÇÕES ESPERADAS DURANTE A GRAVIDEZ

MODIFICAÇÕES ESPERADAS DURANTE A GRAVIDEZ CORPO DA GRÁVIDA À medida que a gravidez evolui e o bebé se desenvolve, o corpo da mãe modifica-se, adaptando-se à nova situação. Nem sempre é fácil aceitar a transformação rápida que o corpo sofre durante

Leia mais

Escola Superior de Tecnologia de Viseu INSTITUTO POLITÉCNICO DE VISEU

Escola Superior de Tecnologia de Viseu INSTITUTO POLITÉCNICO DE VISEU Escola Superior de Tecnologia de Viseu INSTITUTO POLITÉCNICO DE VISEU informação Gripe A (H1N1)v Fonte http://www.dgs.pt/ 2009/09/07 Gripe A(H1N1)v O vírus A(H1N1)v é um novo vírus da gripe, que afecta

Leia mais

Orientações aos Cuidadores de Pacientes Acamados

Orientações aos Cuidadores de Pacientes Acamados Orientações aos Cuidadores de Pacientes Acamados SUMÁRIO Prezado cuidador....................... 03 Algumas Sugestões Sobre Higiene Bucal e Corporal........ 04 Banho.......................................

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Assunto: PLANO DE CONTINGÊNCIA PARA AS ONDAS DE CALOR 2009 RECOMENDAÇÕES GERAIS PARA A POPULAÇÃO Nº: 24/DA DATA: 09/07/09 Para: Contacto na DGS: Todos os Estabelecimentos de Saúde Divisão de Saúde Ambiental

Leia mais

Problemas de sono. Características do sono

Problemas de sono. Características do sono Problemas de sono Imagem de Revista Corpore - Por uma vida melhor. Sono saudável O sono é o momento em que o corpo repousa com o intuito de recuperar energias para o dia seguinte e é um indispensável reparador

Leia mais

PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 161 (Novembro/Dezembro de 2005) KÉRAMICA n.º 280 (Setembro/Outubro de 2006)

PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 161 (Novembro/Dezembro de 2005) KÉRAMICA n.º 280 (Setembro/Outubro de 2006) TÍTULO: Chumbo no Ambiente de Trabalho AUTORIA: Factor Segurança, Lda PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 161 (Novembro/Dezembro de 2005) KÉRAMICA n.º 280 (Setembro/Outubro de 2006) 1. INTRODUÇÃO O chumbo encontra-se

Leia mais

GRIPE A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA. Exposição e Motivos

GRIPE A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA. Exposição e Motivos CORPO NACIONAL DE ESCUTAS ESCUTISMO CATÓLICO PORTUGUÊS JUNTA REGIONAL DOS AÇORES GRIPE A (H1N1) PLANO DE CONTINGÊNCIA Plano de Contingência contra a Gripe A em acampamentos e actividades escutistas Exposição

Leia mais

MANUAL DO UTILIZADOR. www.praxair-crd.pt. Sistema de Nebulização 24 HORAS

MANUAL DO UTILIZADOR. www.praxair-crd.pt. Sistema de Nebulização 24 HORAS MANUAL DO UTILIZADOR www.praxair-crd.pt Sistema de Nebulização Ultrassónico U22 Micro Air 24 HORAS 800 201 519 Sistema de Nebulização ULTRASSÓNICO U22 Micro Air 3 Sistema de Nebulização Ultrassónico U22

Leia mais

Vivendo com Doença Pulmonar Avançada Um guia para familiares e cuidadores

Vivendo com Doença Pulmonar Avançada Um guia para familiares e cuidadores Vivendo com Doença Pulmonar Avançada Um guia para familiares e cuidadores Observação importante: Este guia tem como objetivo dar informações adicionais às orientações médicas, mas não exclui a necessidade

Leia mais

Orientações para cuidado em casa com pessoas suspeitas ou confirmadas de Gripe por Influenza A H1N1(Gripe A)

Orientações para cuidado em casa com pessoas suspeitas ou confirmadas de Gripe por Influenza A H1N1(Gripe A) Orientações para cuidado em casa com pessoas suspeitas ou confirmadas de Gripe por Influenza A H1N1(Gripe A) Essas são recomendações do CDC (Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos) sobre o tempo

Leia mais

RISCOS PARA A SAÚDE RESULTANTES DA OCORRÊNCIA DE INCÊNDIOS

RISCOS PARA A SAÚDE RESULTANTES DA OCORRÊNCIA DE INCÊNDIOS RISCOS PARA A SAÚDE RESULTANTES DA OCORRÊNCIA DE INCÊNDIOS Os incêndios florestais e urbanos para além das consequências económicas e ambientais, representam riscos para a saúde das populações decorrentes

Leia mais

A maioria das pessoas sente-se apta para comer outra vez após a cirurgia, aumentando o seu apetite à medida que os dias passam.

A maioria das pessoas sente-se apta para comer outra vez após a cirurgia, aumentando o seu apetite à medida que os dias passam. Dieta durante o tratamento O que comer e o que evitar de comer Após a cirurgia A maioria das pessoas sente-se apta para comer outra vez após a cirurgia, aumentando o seu apetite à medida que os dias passam.

Leia mais

Informações sobre morfina e outros opióides nos cuidados paliativos. National Community Education Initiative

Informações sobre morfina e outros opióides nos cuidados paliativos. National Community Education Initiative National Community Education Initiative Informações sobre morfina e outros opióides nos cuidados paliativos Facts about morphine and other opioid medicines in palliative care Portuguese Sobre o que é este

Leia mais

Espaço Saúde SINAIS. Saiba como evitar os acidentes no primeiro ano de vida do seu bebé. O verão já lá vai, mas a vigilância continua! FRIEIRAS PÁG.

Espaço Saúde SINAIS. Saiba como evitar os acidentes no primeiro ano de vida do seu bebé. O verão já lá vai, mas a vigilância continua! FRIEIRAS PÁG. Espaço Saúde N º 7 O U T U B R O A D E Z E M B R O DE 2 0 1 3 SINAIS O verão já lá vai, mas a vigilância continua! P Á G. Saiba como evitar os acidentes no primeiro ano de vida do seu bebé 2 PÁG. 6 FRIEIRAS

Leia mais

PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR

PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR PROJETO PROMOÇÃO DA SAÚDE E EDUCAÇÃO SEXUAL EM MEIO ESCOLAR A Diabetes afeta cerca de 366 milhões de pessoas em todo o mundo e cerca de 1 milhão de Portugueses. A cada 7 segundos morre no Planeta Terra

Leia mais

Manual de Ajuda para o Adulto. asma. Programa Nacional de Controlo

Manual de Ajuda para o Adulto. asma. Programa Nacional de Controlo Manual de Ajuda para o Adulto asma Programa Nacional de Controlo Direcção-Geral da Saúde COMISSÃO DE COORDENAÇÃO DO PROGRAMA DA ASMA 2001 EDIÇÃO Direcção-Geral da Saúde Al. D. Afonso Henriques, 45 1049-005

Leia mais

CARTILHA ELETRÔNICA INFLUENZA A (H1N1) INFORMAÇÃO E PREVENÇÃO PARA AS ESCOLAS

CARTILHA ELETRÔNICA INFLUENZA A (H1N1) INFORMAÇÃO E PREVENÇÃO PARA AS ESCOLAS CARTILHA ELETRÔNICA INFLUENZA A (H1N1) INFORMAÇÃO E PREVENÇÃO PARA AS ESCOLAS ORIENTAÇÃO AOS PEDAGOGOS Todas as informações constantes nesta cartilha devem ser levadas ao conhecimento de todos os alunos,

Leia mais

MASTOLOGIA ORIENTAÇÕES FISIOTERÁPICAS: Coordenação DIVISÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL COMITÊ DE PADRONIZAÇÕES

MASTOLOGIA ORIENTAÇÕES FISIOTERÁPICAS: Coordenação DIVISÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL COMITÊ DE PADRONIZAÇÕES O R I E N T A Ç Õ E S AOS PACIENTES MINISTÉRIO DA SAÚDE INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER Coordenação DIVISÃO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL COMITÊ DE PADRONIZAÇÕES Essas orientações são essencialmente para pacientes

Leia mais

Mas se fumar é tão perigoso, por quê as pessoas começam a fumar? Introdução

Mas se fumar é tão perigoso, por quê as pessoas começam a fumar? Introdução Introdução O tabagismo é considerado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) a principal causa de morte evitável em todo o mundo. Introdução Introdução Cerca de um terço da população mundial adulta (1

Leia mais

Dra. Sandra Camacho* IMPORTÂNCIA DA ACTIVIDADE FÍSICA

Dra. Sandra Camacho* IMPORTÂNCIA DA ACTIVIDADE FÍSICA Uma cadeira e uma garrafa de água O que podem fazer por si Dra. Sandra Camacho* IMPORTÂNCIA DA ACTIVIDADE FÍSICA A prática de uma actividade física regular permite a todos os indivíduos desenvolverem uma

Leia mais

Orientações sobre o uso correto dos medicamentos.

Orientações sobre o uso correto dos medicamentos. Orientações sobre o uso correto dos medicamentos. O quê preciso saber sobre os medicamentos do paciente? Antes de administrar qualquer medicamento, verifique: O nome: alguns medicamentos têm nomes parecidos,

Leia mais

Frio ou gripe? Nao, aos antibióticos!

Frio ou gripe? Nao, aos antibióticos! Brochura de informação Usar mal um medicamento, este torna-se ineficaz! Frio ou gripe? Nao, aos antibióticos! z6creation.net Uma iniciativa europeia em matéria de saúde. Frio ou gripe? Nao, aos antibióticos!

Leia mais

Orientações à pessoa traqueostomizada

Orientações à pessoa traqueostomizada Orientações à pessoa traqueostomizada Prezado paciente, Esta cartilha tem como principal objetivo orientá-lo a respeito da traqueostomia e os efeitos que ela terá na sua vida. Esperamos ajudar a esclarecer

Leia mais

I PARTE. 1 - Sexo Masculino Feminino. 2 - Iniciais do nome: 3 - Data de nascimento: 4 Peso (em Kg): 5 Altura (em cm): 6 - Estado civil

I PARTE. 1 - Sexo Masculino Feminino. 2 - Iniciais do nome: 3 - Data de nascimento: 4 Peso (em Kg): 5 Altura (em cm): 6 - Estado civil I PARTE Código (A ATRIBUIR PELO INVESTIGADOR) Assinale com um xis (X) a sua resposta às questões seguintes. Se tiver algumas dúvidas ou se no seu caso as questões não se adequam à sua situação, escreva-o

Leia mais

TABACO. Uma questão de hábito ou uma questão de óbito? Pare de fumar enquanto é tempo!

TABACO. Uma questão de hábito ou uma questão de óbito? Pare de fumar enquanto é tempo! TABACO Uma questão de hábito ou uma questão de óbito? Pare de fumar enquanto é tempo! O cigarro contém: NICOTINA [substância também presente nos insecticidas] EFEITOS IMEDIATOS: TREMOR DAS MÃOS AUMENTO

Leia mais

Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento. Toplexil

Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento. Toplexil SANOFI-AVENTIS FARMACÊUTICA LTDA Esta bula é continuamente atualizada. Favor proceder a sua leitura antes de utilizar o medicamento. Toplexil cloridrato de oxomemazina / guaifenesina / paracetamol FORMA

Leia mais

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume VI Riscos Químicos Parte 1. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção

Segurança e Higiene no Trabalho. Volume VI Riscos Químicos Parte 1. Guia Técnico. um Guia Técnico de O Portal da Construção Guia Técnico Segurança e Higiene no Trabalho Volume VI Riscos Químicos Parte 1 um Guia Técnico de Março de 2008 Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Viabom 50 mg comprimidos Dimenidrinato APROVADO EM Este folheto contém informações importantes para si. Leia-o atentamente. Este medicamento pode ser adquirido

Leia mais

Conte sempre connosco! Contaremos sempre consigo! A Equipa do Gabinete de Estomaterapia

Conte sempre connosco! Contaremos sempre consigo! A Equipa do Gabinete de Estomaterapia RESPIRAR Não há nenhuma árvore que o vento não tenha sacudido Provérbio Hindu Respirar é um manual para o informar, esclarecer e ensinar práticas, que o irão ajudar a viver com a sua nova realidade. A

Leia mais

COLÉGIO ALEXANDER FLEMING SISTEMA RESPIRATÓRIO. Profª Fernanda Toledo

COLÉGIO ALEXANDER FLEMING SISTEMA RESPIRATÓRIO. Profª Fernanda Toledo COLÉGIO ALEXANDER FLEMING SISTEMA RESPIRATÓRIO Profª Fernanda Toledo RECORDAR Qual a função do alimento em nosso corpo? Por quê comer????? Quando nascemos, uma das primeiras atitudes do nosso organismo

Leia mais

Oxigenoterapia Não invasiva

Oxigenoterapia Não invasiva Oxigenoterapia Não invasiva Definição Consiste na administração de oxigênio numa concentração de pressão superior à encontrada na atmosfera ambiental para corrigir e atenuar deficiência de oxigênio ou

Leia mais

PROBLEMAS RESPIRATÓRIOS DO BEBÉ PREMATURO

PROBLEMAS RESPIRATÓRIOS DO BEBÉ PREMATURO PROBLEMAS RESPIRATÓRIOS DO BEBÉ PREMATURO O bebé prematuro, em geral com peso inferior a 2.500 gramas, está mais propenso a problemas de saúde tendo em conta que a gravidez encurtada não permitiu o desenvolvimento

Leia mais

Fibrose Pulmonar Idiopática (FPI)

Fibrose Pulmonar Idiopática (FPI) Fibrose Pulmonar Idiopática (FPI) Esse livro tem o apoio de: Caros pacientes, familiares e cuidadores, Informação espaço para outras informações/link do site e pode ser adaptado ao país em que vai ser

Leia mais

GRIPE SUÍNA E GRAVIDEZ:

GRIPE SUÍNA E GRAVIDEZ: PORTUGUESE GRIPE SUÍNA E GRAVIDEZ: Como pode proteger-se e ao seu bebé Este folheto informa-a sobre: a vacinação contra a gripe suína (gripe A H1N1), que pode receber durante a gravidez, para a ajudar

Leia mais

A SAÚDE TAMBÉM É CONSIGO. Tabaco

A SAÚDE TAMBÉM É CONSIGO. Tabaco Tabaco Álcool Medicamentos Cocaína Heroína Cannabis Ecstasy ÁLCOOL Características da substância O álcool contido nas bebidas é cientificamente designado como etanol, sendo produzido através da fermentação

Leia mais

Neurociência e Saúde Mental

Neurociência e Saúde Mental 1 DICAS PARA MELHORAR O SONO Dormir bem pode fazer toda a diferença para ir bem em uma prova, ser mais criativo no trabalho e manter uma boa memória. O sono é essencial para manter uma rotina saudável,

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA MANIPULAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E INTERCORRÊNCIAS NA UTILIZAÇÃO DE DIETAS ENTERAIS

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA MANIPULAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E INTERCORRÊNCIAS NA UTILIZAÇÃO DE DIETAS ENTERAIS MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA MANIPULAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E INTERCORRÊNCIAS NA UTILIZAÇÃO DE DIETAS ENTERAIS 2ª edição SUMÁRIO Nutrição Enteral: definição 1. Cuidados no preparo da Nutrição Enteral Higiene

Leia mais

A RESPIRAÇÃO UMA VIAGEM PELO NOSSO APARELHO RESPIRATÓRIO

A RESPIRAÇÃO UMA VIAGEM PELO NOSSO APARELHO RESPIRATÓRIO A RESPIRAÇÃO UMA VIAGEM PELO NOSSO APARELHO RESPIRATÓRIO A RESPIRAÇÃO UMA VIAGEM PELO NOSSO APARELHO RESPIRATÓRIO Primeira Edição Novembro de 2014 Fundação Portuguesa do Pulmão Edição: TDA Consulting,

Leia mais

Recebimento de pacientes na SRPA

Recebimento de pacientes na SRPA CURSO TÉCNICO DE ENFERMAGEM ENFERMAGEM CIRÚRGICA MÓDULO III Profª Mônica I. Wingert 301E Recebimento de pacientes na SRPA O circulante do CC conduz o paciente para a SRPA; 1.Após a chegada do paciente

Leia mais

ACIDENTES DOMÉSTICOS NOS IDOSOS

ACIDENTES DOMÉSTICOS NOS IDOSOS ACIDENTES DOMÉSTICOS NOS IDOSOS Segundo o Ministério da Saúde (2005) Cerca de 75% dos acidentes com idosos acontecem nas suas próprias casas ACIDENTES DOMÉSTICOS MAIS Quedas; FREQUENTES NOS IDOSOS Incêndios;

Leia mais

O que posso fazer com a insónia?

O que posso fazer com a insónia? Psicóloga: Chou Im Keng A noite é longa e as horas não passam, reviro-me na cama, não consigo dormir e espero pelo nascer do sol creio que quem já teve insónia com certeza já teve esse tipo de experiência

Leia mais

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ )

FICHA DE INFORMAÇÕES DE SEGURANÇA DE PRODUTO QUIÍMICO ( FISPQ ) 1. IDENTIFICAÇÃO DO PRODUTO E DA EMPRESA Nome do produto: Anti Ruído Tradicional Aplicação: Reparação e emborrachamento de veículos. Fornecedor: Nome: Mastiflex Indústria e Comércio Ltda Endereço : Rua

Leia mais

O desafio de deixar de fumar

O desafio de deixar de fumar O desafio de deixar de fumar O uso do cigarro tem como objetivo a busca por efeitos prazerosos desencadeados pela nicotina, melhora ime - diata do raciocínio e do humor, diminuição da ansiedade e ajuda

Leia mais

apoios ao doente diabético ORIENTAÇÕES PARA O DOENTE DIABÉTICO HOSPITAL DE EGAS MONIZ, S. A. SERVIÇO DE ENDOCRINOLOGIA

apoios ao doente diabético ORIENTAÇÕES PARA O DOENTE DIABÉTICO HOSPITAL DE EGAS MONIZ, S. A. SERVIÇO DE ENDOCRINOLOGIA 12 apoios ao doente diabético Para usufruir dos apoios previstos, os utentes diabéticos necessitam possuir o GUIA DO DIABÉTICO que é distribuído pelo CENTRO DE SAÚDE O FORNECIMENTO DOS MEDICAMENTOS PARA

Leia mais

QUESTIONÁRIO PLATINO ESPIROMETRIA

QUESTIONÁRIO PLATINO ESPIROMETRIA QUESTIONÁRIO PLATINO ESPIROMETRIA PERGUNTAS DE EXCLUSÃO PARA A ESPIROMETRIA Nº Seqüencial: 1. O(A) SR(A) TEVE ALGUMA CIRURGIA NO SEU PULMÃO (TÓRAX) OU NO ABDÔMEN, NOS ÚLTIMOS 3 MESES? 2. O(A) SR(A) TEVE

Leia mais

Informação para o paciente

Informação para o paciente Informação para o paciente Viramune - nevirapina 18355 BI Viramune brochure POR_V2.indd 1 14-12-11 14:19 Introdução Viramune é um medicamento para o tratamento do HIV. Este prospecto contém informação

Leia mais

CONSELHOS para uma boa alimentação em viagens por estrada

CONSELHOS para uma boa alimentação em viagens por estrada CONSELHOS para uma boa alimentação em viagens por estrada 1 Água ALIMENTE-SE DE FORMA EQUILIBRADA E SAUDÁVEL. A alimentação influi na sua segurança ao volante. Uma alimentação incorreta pode gerar fadiga,

Leia mais

Guia de Puericultura. Alimentação

Guia de Puericultura. Alimentação Guia de Puericultura Com o nascimento do bebé, os pais necessitam de adquirir uma série de artigos. A oferta no mercado é cada vez maior, por isso é importante estar informado: com este guia ajudamo-la

Leia mais

Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva

Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva Orientação para pacientes com Doença do Refluxo Gastroesofágico. O Que é Doença do Refluxo? Nas pessoas normais, o conteúdo do estômago (comida ou acido clorídrico)

Leia mais

Informações aos Pais sobre a Gripe nas Creches

Informações aos Pais sobre a Gripe nas Creches The Commonwealth of Massachusetts Executive Office of Health and Human Services Department of Public Health Informações aos Pais sobre a Gripe nas Creches 18 de setembro, 2009 A gripe H1N1 (suína) voltará

Leia mais

PREVENÇÃO DE QUEDAS EM IDOSOS NO DOMICÍLIO

PREVENÇÃO DE QUEDAS EM IDOSOS NO DOMICÍLIO MANUAL DO CUIDADOR PREVENÇÃO DE QUEDAS EM IDOSOS NO DOMICÍLIO 3 GUIA PRÁTICO ILUSTRADO Aumente a sua qualidade de vida e a do idoso dependente também! REDE REGIONAL DE CUIDADOS CONTINUADOS INTEGRADOS Siga

Leia mais

PRIMEIROS SOCORROS DADOS BÁSICOS

PRIMEIROS SOCORROS DADOS BÁSICOS PRIMEIROS SOCORROS DADOS BÁSICOS Apenas alguns conhecimentos sobre primeiros socorros podem ajudá-lo a lidar melhor com emergências. As suas competências podem ajudá-lo a salvar a vida de um familiar,

Leia mais

MECLIN. cloridrato de meclizina APSEN

MECLIN. cloridrato de meclizina APSEN MECLIN cloridrato de meclizina APSEN FORMA FARMACÊUTICA Comprimido APRESENTAÇÕES Comprimidos de 25 mg em embalagem com 15 comprimidos. Comprimidos de 50 mg em embalagem com 15 comprimidos. USO ORAL USO

Leia mais

Anatomia e Fisiologia Humana

Anatomia e Fisiologia Humana Componentes Vias Respiratórias A) Cavidades ou Fossas Nasais; B) Boca; C) Faringe; D) Laringe; E) Traqueia; F) Brônquios; G) Bronquíolos; H) Pulmões Cavidades ou Fossas Nasais; São duas cavidades paralelas

Leia mais

AVISO IMPORTANTE ESTA CARTILHA ESTÁ SENDO DISTRIBUÍDA PARA TODOS OS PROFESSORES DO BLOG: http://www.sosprofessor.com.br/blog

AVISO IMPORTANTE ESTA CARTILHA ESTÁ SENDO DISTRIBUÍDA PARA TODOS OS PROFESSORES DO BLOG: http://www.sosprofessor.com.br/blog AVISO IMPORTANTE ESTA CARTILHA ESTÁ SENDO DISTRIBUÍDA PARA TODOS OS PROFESSORES DO BLOG: http://www.sosprofessor.com.br/blog DICAS PARA UTILIZAÇÃO DESTA CARTILHA 1. Você pode distribuí-la para todos os

Leia mais

Compreender as Exacerbações Pulmonares

Compreender as Exacerbações Pulmonares Compreender as Exacerbações Pulmonares COMPREENDER AS EXACERBAÇÕES PULMONARES INTRODUÇÃO Reconhecer as alterações nos sinais e nos sintomas da sua doença pulmonar é muito importante para o controlo da

Leia mais

A informação que se segue pretende ajudar a sua família durante a pandemia de Gripe A (H1N1) v.

A informação que se segue pretende ajudar a sua família durante a pandemia de Gripe A (H1N1) v. A informação que se segue pretende ajudar a sua família durante a pandemia de Gripe A (H1N1) v. A observação das medidas de prevenção é responsabilidade de cada um de nós! Conheça a forma de contágio da

Leia mais

Plano Individual de Gestão da Saúde. Guia de Longo Prazo para Alfas com Doença Pulmonar

Plano Individual de Gestão da Saúde. Guia de Longo Prazo para Alfas com Doença Pulmonar Plano Individual de Gestão da Saúde Guia de Longo Prazo para Alfas com Doença Pulmonar Este documento é um guia que pretende ajudar a construir um plano colaborativo entre você e o seu médico. O objetivo

Leia mais

O que é o linfedema? O que é o sistema linfático?

O que é o linfedema? O que é o sistema linfático? linfedema 2 O que é o linfedema? O linfedema é um efeito secundário que pode decorrer do tratamento do cancro da mama, ou da própria doença. Caracteriza-se por um inchaço anormal do braço e da mão, mas

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Bisoltussin Tosse Seca, 2 mg/ml, solução oral Bromidrato de dextrometorfano Este folheto contém informações importantes para si. Leia-o atentamente. Este

Leia mais

Infecção Por Enterovirus

Infecção Por Enterovirus Infecção Por Enterovirus 2012.05.22 O enterovirus constitui um grupo de vírus que inclui Coxsackievírus, Echovírus e Enterovirus 71 (EV71), entre outros, infectando principalmente crianças com idade inferior

Leia mais