8 passos da consulta da criança para o APE

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "8 passos da consulta da criança para o APE"

Transcrição

1 8 passos da consulta da criança para o APE

2 1 Cumprimentar Perguntar a idade da criança 2-11 meses 1-5 anos Perguntar o que tem a criança Febre Diarreia Tosse Outro 1

3 2 Tem Sinais Gerais de perigo? SIM! NÃO Nº 3 Sinais gerais A criança não consegue beber ou comer Tem convulsões ou ataques Vomita tudo o que come ou bebe Não acorda Se a criança tiver Febre, dar: Artesunato + Paracetamol + Arrefecimento corporal HOSPITAL Se a criança não tiver Febre: Só transferir 2

4 2 Tem Outros Sinais de Perigo? SIM! NÃO Nº 3 Pneumonia Grave 2-11 meses Amoxicilina 125mg Tiragem Tosse por mais de 21dias 1-5 anos Amoxicilina 125mg Diarreia Grave HOSPITAL 2 meses 2 anos + 2 meses - 5 meses 6 meses - 5 anos Zinco A criança bebe com avidêz Olhos encovados 2-5 anos + 6 meses - 5 anos Zinco Diarreira por mais de 14 dias ou com sangue Prega cutanea volta lentamente 2

5 2 Tem Outros Sinais de Perigo? SIM! NÃO Nº 3 Febre grave / Malária grave 7 dias ou mais com febre Rigidêz na nuca 2-11 meses 6-12 meses Paracetamol 250 mg Supositório Artesunato 50mg 1-5 anos meses meses Paracetamol 250mg + Supositório Artesunato 50mg Supositório Artesunato 200mg Outros Sinais/ Febre HOSPITAL Dores de ouvido Olhos avermelhados 2-11 meses 1 Paracetamol 250 mg Borbulhas pelo corpo todo 1-5 anos Paracetamol 250mg Arrefecimento corporal 2

6 3 Tem tosse? SIM NÃO Nº 4 Frequência respiratória Pneumonia 50 ou mais vezes por minuto ou 2-11 meses Pneumonia 40 ou mais vezes por minuto 1-5 anos DIE CUT Se NÃO tem respiração rápida, não é preciso dar amoxiclina ou antibiotico Xaropes caseiros 3

7 3 Tratamento da Pneumonia se tiver comprimidos de 125mg Dia 1 Dia 2 Dia 3 Dia 4 Dia 5 Total 2-11 meses Dia 1 Dia 2 Dia 3 Dia 4 Dia 5 Total 1-5 anos 3

8 3 Tratamento da Pneumonia se tiver comprimidos de 250mg Dia 1 Dia 2 Dia 3 Dia 4 Dia 5 Total 2-11 meses Dia 1 Dia 2 Dia 3 Dia 4 Dia 5 Total 1-5 anos 3

9 4 Tem Diarreia? SIM NÃO Nº pacote de SRO 1 litro de água tratada Zinco Tratamento aa odada diarreia a com Zinco Amamentar com mais frequência Idade SRO Idade Dia 1 Dia 2 Dia 3 Dia 4 Dia 5 Dia 6 Dia 7 Dia 8 Dia 9 Dia 10 Total 2 meses 2 anos 2-5 anos + 2 meses 5 meses 6 meses -5 anos 4

10 5 Tem Febre? SIM NÃO Nº 6 Malária TDR Positivo (+) c T A B Arrefecer o corpo da criança TDR Negativo (-) c T A B + Arrefecer o corpo da criança Paracetamol HOSPITAL 5

11 5 Tratamento da Malária Idade 6 meses - 3 anos Dia 1 Dia 2 Dia 3 Total 3-5 anos Coartem / AL Idade Dia 1 Dia 2 Dia 3 Total 2 a 11 meses 1 a 5 anos Paracetamol 250mg 5

12 6 Avaliar Desnutrição SIM NÃO Nº 7 Verificar se há edema em ambos os pés Perimetro braquial só se >= 6 meses HOSPITAL Aconselhar Não tem desnutrição 6

13 7 Tem Vacinação Completa? SIM NÃO Nº 8 No nascimento 2 meses 3 meses 4 meses 9 meses BCG e Pólio 0 (zero) 1ª Dose: DPT + Hep B Pólio + Hib + PCV 10 2ª Dose: DPT + Hep B Pólio + Hib + PCV 10 3ª Dose: DPT + Hep B Pólio + Hib + PCV 10 Sarampo Se a vacinação não estiver completa Vitamina A: Se a criança maior de 6 meses de idade não recebeu Vitamina A nos últimos 6 meses Mebendazol: Se a criança maior de 12 meses de idade não recebeu Mebendazol nos últimos 6 meses, O APE deve Desparasitar a criança, dando 1 comprimido de 500 mg HOSPITAL para transferir Se a criança cumpriu com a vacinação, suplemento de vitamina A e desparasitação, PARABÉNS! 7

14 8 Aconselhamento com mensagem chave Como cuidar da criança doente em casa Acabar com os medicamentos receitados! Dar a criança o medicamento na dose certa, na hora cer ta, para o número certo de dias, e acabar com os medicamentos. Amamentar a sua criança mais vezes do que o normal de dia e de noite, mesmo se tiver diarreia. O leite materno é a melhor bebida para qualquer criança doente. Dar a criança de comer e de beber muitos líquidos em pequenas quantidades, mas varias vezes por dia, para recuperar as forças. Voltar ao APE ou US no dia marcado para acompanhamento. 8

15 8 5 Acções simples para evitar doenças perigosas Debater com os cuidadores como ultrapassar barreiras para praticar as 5 acções simples; Escolher mais uma (ou duas) imagens de boas práticas para prevenção das doenças, e aconselhar usando álbum seriado ou imagens sobre saúde (higiene, nutrição, tosse ou malária). Amamentar os bebés só e só com leite materno nos primeiros seis meses de vida. Cumprir com o calendário de vacinação, pois as vacinas protegem de doenças. Dormir todas as noites debaixo da rede mosquiteira tratada com insecticida, evita a picada do mosquito. Defecar sempre na latrina e mantê-la sempre tapada. Lavagem das mãos com água e sabão ou cinza: Antes de comer; Depois de usar a latrina; Antes e depois de trocar a fralda do bebé. Antes de preparar os alimentos. 8

16 8 passos da consulta da criança para o APE Esta ferramenta foi desenvolvida para ser usada pelos APE s na comunidade durante as consultas das crianças menores de 5 anos. Desenhos e Layout: Z. Chemane O objectivo desta ferramenta é de ajudar o APE a avaliar e tratar as crianças com Malária, Diarreia ou Tosse. Esta ferramenta é baseada no Manual do APE, Modulo 3, Manejo de Casos de Doenças na Comunidade. Os 8 passos da consulta são: 1. Cumprimentar a mãe da criança e registar no Livro de Registos do APE; 2. Avaliar se a criança tem ou não Sinais de Perigo. Referir á Unidade Sanitária urgentemente se a criança tem algum deles; 3. Perguntar e avaliar se a criança tem Tosse ou Dificuldade para Respirar; 4. Perguntar e avaliar se a criança tem Diarreia; 5. Perguntar e avaliar se a criança tem Febre; 6. Verificar se há Desnutrição na criança; 7. Verificar o Estado de Vacinação da criança; 8. Aconselhar a família sobre as recomendações e a próxima visita. Na parte de cima de cada passo, tem uma pergunta, com 2 opcões de resposta: SIM ou NÃO. As setas indicam o que fazer. No passo número 2 (Outros Sinais de Perigo), tem 3 páginas e nos passos 3 (Tosse) e 5 (Febre), cada passo tem 2 páginas: sendo a primeira para o diagnóstico, e a segunda para o tratamento. Nestes passos, as páginas do diagnóstico estão recortadas mostrando o tratamento adequado. A página seguinte detalha dosagem dos medicamentos. Este material é laminado; você pode escrever com um marcador de água. Não usa marcador permanente. De Mãos Dadas Com os APEs! Vamos dar uma vida feliz às nossas crianças! Junho, 2014

2. 3. Introdução ao Sistema inscale CommCare para o APE. O que é o Sistema inscale Commcare? Como vai ajudar no meu trabalho?

2. 3. Introdução ao Sistema inscale CommCare para o APE. O que é o Sistema inscale Commcare? Como vai ajudar no meu trabalho? Introdução ao Sistema inscale CommCare para o APE 1 O que é o Sistema inscale Commcare? É uma aplicação no telefone celular que serve para registar dados e enviar por internet Como vai ajudar no meu trabalho?

Leia mais

Etapa 1: A Diarreia: Identificar e reconhecer a doença

Etapa 1: A Diarreia: Identificar e reconhecer a doença GUIA DO/DA FACILITADOR(A) DE SAUDE Luta contra doenças diarreicas e a Malária Inter Aide Projecto Agua e Saneamento Luta contra Malaria CP 6 Nacala a Velha 82 78 29 956 MENSAGENS CHAVES Etapa 1: A Diarreia:

Leia mais

Apêndice D: Listas de verificação de múltiplas observações

Apêndice D: Listas de verificação de múltiplas observações 147 Apêndice D: Listas de verificação de múltiplas observações Visita domiciliar de APS Monitorização do crescimento Imunizações Terapia de reidratação oral Planejamento familiar Módulo 6: Qualidade do

Leia mais

Atendimento de retorno

Atendimento de retorno Algumas crianças doentes têm de retornar para que o médico as veja de novo. Terá de ser dito às mães quando elas devem regressar para a consulta de retorno. Nessa consulta, o médico pode ver se a criança

Leia mais

CARTÕES DE IEC EM CONTROLE DAS ENDEMIAS - CE

CARTÕES DE IEC EM CONTROLE DAS ENDEMIAS - CE CARTÕES DE IEC EM CONTROLE DAS ENDEMIAS - CE Os CARTÕES DE ZEC - CE - Informação, Educação e Comunicação para o Controle das Endemias, compõem - se de um conjunto de cartões com informações técnicas, desenhos

Leia mais

AIDPI Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância

AIDPI Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância MINISTÉRIO DA SAÚDE AIDPI Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância Curso de Capacitação Identificar o Tratamento Módulo 3 2.ª edição revista Série F. Comunicação e Educação em Saúde Brasília

Leia mais

Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT. Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD. Fundação Portugal - África

Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT. Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD. Fundação Portugal - África Instituto de Higiene e Medicina Tropical/IHMT APOIO: Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento/FLAD Casa de Cultura da Beira/CCB CERjovem ATENÇAÕ MULHER MENINA! Fundação Portugal - África RESPOSTAS

Leia mais

1.5.2 Avaliar a Amamentação

1.5.2 Avaliar a Amamentação 1.5.2 Avaliar a Amamentação Primeiro decida se você vai avaliar a amamentação da criança. Avaliar sempre que: tiver sendo consultada pela 1ª vez no serviço de saúde ou tiver qualquer dificuldade em se

Leia mais

Otite média aguda em crianças Resumo de diretriz NHG M09 (segunda revisão, fevereiro 2013)

Otite média aguda em crianças Resumo de diretriz NHG M09 (segunda revisão, fevereiro 2013) Otite média aguda em crianças Resumo de diretriz NHG M09 (segunda revisão, fevereiro 2013) Damoiseaux RAMJ, Van Balen FAM, Leenheer WAM, Kolnaar BGM traduzido do original em holandês por Luiz F.G. Comazzetto

Leia mais

Doenças transmissíveis ligadas à água e saneamento.

Doenças transmissíveis ligadas à água e saneamento. Capacitação da equipa educação para o terreno. Memba Doenças transmissíveis ligadas à água e saneamento. Plano: Doenças transmissiveis ligadas à água e saneamento 1. Intestinal: a. Diarreia: 1. O que é

Leia mais

NOSSA SAÚDE. Ministério da Educação e Cultura. Com o apoio do povo do Japão

NOSSA SAÚDE. Ministério da Educação e Cultura. Com o apoio do povo do Japão A HIGIENE E A NOSSA SAÚDE Ministério da Educação e Cultura Com o apoio do povo do Japão O QUE SÃO CUIDADOS DE HIGIENE? É tudo o que fazemos para cuidar da limpeza do nosso corpo, como tomar banho, lavar

Leia mais

COLECÇÃO DE HABILIDADES PARA A VIDA SAÚDE COMUNITÁRIA. Alberto da Barca

COLECÇÃO DE HABILIDADES PARA A VIDA SAÚDE COMUNITÁRIA. Alberto da Barca COLECÇÃO DE HABILIDADES PARA A VIDA SAÚDE COMUNITÁRIA Alberto da Barca Alberto da Barca Colecção de Habilidades para a Vida SAÚDE COMUNITÁRIA Livro adoptado pelo Ministério da Educação e Cultura da República

Leia mais

ERRATA Módulo 7 Infecção aguda do ouvido: se a dor de ouvido ou se- creção purulenta persistem, em uso de Amoxicilina: marcar retorno em 5 dias

ERRATA Módulo 7 Infecção aguda do ouvido: se a dor de ouvido ou se- creção purulenta persistem, em uso de Amoxicilina: marcar retorno em 5 dias ERRATA Módulo 7 1) Páginas 28 e 29: no quadro de Infecção do Ouvido : Infecção aguda do ouvido: se a dor de ouvido ou secreção purulenta persistem, em uso de Amoxicilina: aumentar a dose de Amoxicilina

Leia mais

A INTRODUÇÃO DA VACINA DPT - HEPATITE B

A INTRODUÇÃO DA VACINA DPT - HEPATITE B A INTRODUÇÃO DA VACINA DPT - HEPATITE B INFORMAÇÃO AO PESSOAL DE SAÚDE MAIO - 2001 Ministério da Saúde Departamento de Saúde da Comunidade 1 INFORMAÇÃO AO PESSOAL DE SAÚDE No mês de Julho de 2001, o Programa

Leia mais

AIDPI PARA O ENSINO MÉDICO

AIDPI PARA O ENSINO MÉDICO Atenção Integrada às Doencas Prevalentes na Infância - AIDPI AIDPI PARA O ENSINO MÉDICO Colaboradores: Antonio José Ledo Alves da Cunha Eduardo Jorge da Fonseca Lima Maria Anice S. Fontenele e Silva Maria

Leia mais

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico

Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Proteja-se! Faça Chuva ou faça Sol, vacine-se a partir de Outubro e até ao final do Inverno. Consulte o seu médico Gripe Perguntas Frequentes Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a

Leia mais

Universidade Federal de Pelotas Centro de Pesquisas Epidemiológicas Coorte de Nascimentos de 2015 VISITA DE 3 MESES QUESTIONÁRIO GEMELAR

Universidade Federal de Pelotas Centro de Pesquisas Epidemiológicas Coorte de Nascimentos de 2015 VISITA DE 3 MESES QUESTIONÁRIO GEMELAR Universidade Federal de Pelotas Centro de Pesquisas Epidemiológicas Coorte de Nascimentos de 2015 VISITA DE 3 MESES QUESTIONÁRIO GEMELAR INFORMAÇÕES DO PERINATAL A CONFIRMAR/CORRIGIR 0a. Qual o seu nome

Leia mais

Informação para o paciente

Informação para o paciente Informação para o paciente Viramune - nevirapina 18355 BI Viramune brochure POR_V2.indd 1 14-12-11 14:19 Introdução Viramune é um medicamento para o tratamento do HIV. Este prospecto contém informação

Leia mais

SAÚDE.sempre. Gripe. newsletter. medidas de auto cuidado. Secretaria Regional dos Assuntos Sociais

SAÚDE.sempre. Gripe. newsletter. medidas de auto cuidado. Secretaria Regional dos Assuntos Sociais Janeiro * 2014 Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais, IP-RAM Gripe medidas de auto cuidado newsletter Secretaria Regional dos Assuntos Sociais Ficha Técnica Newsletter - Janeiro de 2014

Leia mais

Infecção respiratória aguda

Infecção respiratória aguda O bebê de 2 e 3 meses Infecção respiratória aguda Toda idéia é boa ou má, dependendo de como se desenvolve. As infecções respiratórias são doenças responsáveis por grande número de internações e mortes

Leia mais

O curativo do umbigo

O curativo do umbigo Higiene do bebê O curativo do umbigo Organizo meu futuro porque o presente já passou. O curativo do umbigo deve ser feito todos os dias, depois do banho, até que o cordão do umbigo seque e caia. Isso leva

Leia mais

EXERCÍCIO L. Responda a pergunta seguinte sobre cada uma das crianças vistas no vídeo. ATENDIMENTO À CRIANÇA DOENTE DE 2 MESES A 5 ANOS DE IDADE

EXERCÍCIO L. Responda a pergunta seguinte sobre cada uma das crianças vistas no vídeo. ATENDIMENTO À CRIANÇA DOENTE DE 2 MESES A 5 ANOS DE IDADE EXERCÍCIO L Neste exercício você verá uma demonstração de como avaliar e classificar uma criança com febre. Verá exemplos de sinais relacionados com a febre. Praticará como reconhecer rigidez de nuca.

Leia mais

Ta u. luta contra a malária SAMPLE ONLY: NOT FOR DISTRIBUTION. com comprimidos de artemeter/lumefantrina (AL)

Ta u. luta contra a malária SAMPLE ONLY: NOT FOR DISTRIBUTION. com comprimidos de artemeter/lumefantrina (AL) t Ta u luta contra a malária com comprimidos de artemeter/lumefantrina (AL) 2 A Tatu adora brincar com o irmão Juma todos os dias ao voltar da escola. Uma noite, enquanto a Tatu dormia, foi picada por

Leia mais

VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO

VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO VACINE-SE A PARTIR DE 1 DE OUTUBRO CONSULTE O SEU MÉDICO Perguntas frequentes sobre a gripe sazonal O que é a gripe? É uma doença infecciosa aguda das vias respiratórias, causada pelo vírus da gripe. Em

Leia mais

Informações aos Pais sobre a Gripe nas Creches

Informações aos Pais sobre a Gripe nas Creches The Commonwealth of Massachusetts Executive Office of Health and Human Services Department of Public Health Informações aos Pais sobre a Gripe nas Creches 18 de setembro, 2009 A gripe H1N1 (suína) voltará

Leia mais

INFECÇÕES RESPIRATÓRIAS AGUDAS EPIDEMIOLOGIA

INFECÇÕES RESPIRATÓRIAS AGUDAS EPIDEMIOLOGIA IRA (definição) São infecções de etiologia viral ou bacteriana que podem acometer qualquer segmento do aparelho respiratório, com duração aproximada de 7 dias. Correspondem a diversas síndromes clínicas

Leia mais

A família acolhe a mãe e o bebê em casa

A família acolhe a mãe e o bebê em casa Mãe e bebê em casa A família acolhe a mãe e o bebê em casa Hoje vou ter uma nova idéia A família deve receber mãe e bebê num ambiente de amor e respeito. Cuidado e protegido, o bebê se sente seguro e com

Leia mais

Como é o bebê de 2 e 3 meses

Como é o bebê de 2 e 3 meses de 2 e 3 meses Como é o bebê Faça o melhor que puder hoje e estará construindo e organizando o futuro. Cada bebê é diferente do outro, mas, em cada fase do desenvolvimento, eles têm algumas características

Leia mais

Secretaria Regional da Saúde. Gripe A (H1N1) Informação para as Escolas, Colégios e ATL s

Secretaria Regional da Saúde. Gripe A (H1N1) Informação para as Escolas, Colégios e ATL s Secretaria Regional da Saúde Gripe A (H1N1) Informação para as Escolas, Colégios e ATL s Na sequência dos comunicados emitidos pela Direcção Regional da Saúde e atendendo à informação oficial disponível,

Leia mais

Passos para se proteger do Ébola enquanto aguarda por assistência Documento para a Guiné-Bissau

Passos para se proteger do Ébola enquanto aguarda por assistência Documento para a Guiné-Bissau Passos para se proteger do Ébola enquanto aguarda por assistência Documento para a Guiné-Bissau 1 Lembre-se de três coisas Não tocar Isole a pessoa doente Ligue para a linha de apoio 2 Se pensa que alguém

Leia mais

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DAS DDA. Patrícia A.F. De Almeida Outubro - 2013

VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DAS DDA. Patrícia A.F. De Almeida Outubro - 2013 VIGILÂNCIA EPIDEMIOLÓGICA DAS DDA Patrícia A.F. De Almeida Outubro - 2013 INTRODUÇÃO DDA Síndrome causada por vários agentes etiológicos (bactérias, vírus e parasitos) 03 ou mais episódios com fezes líquidas

Leia mais

A CÓLERA, DOENÇA DAS MAÕS SUJAS

A CÓLERA, DOENÇA DAS MAÕS SUJAS A CÓLERA, DOENÇA DAS MAÕS SUJAS Lembre-se da transmissão da diarreia: Tenreira Martins Suzanne, Responsavel da formação Cada bicho tem um nome e um orgao onde prefere instalar-se e atacar. O corpo humano

Leia mais

Mulheres grávidas ou a amamentar*

Mulheres grávidas ou a amamentar* Doença pelo novo vírus da gripe A(H1N1) Fase Pandémica 6 OMS Mulheres grávidas ou a amamentar* Destaques: A análise dos casos ocorridos, a nível global, confirma que as grávidas constituem um grupo de

Leia mais

Os Seus Cuidados de Saúde Envolva-se

Os Seus Cuidados de Saúde Envolva-se Os Seus Cuidados de Saúde Envolva-se O financiamento para este projecto foi fornecido pelo Ministério da Saúde e Cuidados de Longo Termo do Ontário www.oha.com 1. Envolva-se nos seus cuidados de saúde.

Leia mais

As causas das doenças

As causas das doenças CAPÍTULO 2 As causas das doenças As pessoas têm maneiras diferentes de explicar a causa duma doença. Um bebé está com diarreia. Mas porquê? Em certas comunidades, talve digam que isso aconteceu porque

Leia mais

Produzido pela FH Moçambique-CABO DELGADO MYAP Escrito por: Mitzi Hanold Editado e traducido por: Fabiola Vuelvas Desenho de Octávio Gonçalves Nelly

Produzido pela FH Moçambique-CABO DELGADO MYAP Escrito por: Mitzi Hanold Editado e traducido por: Fabiola Vuelvas Desenho de Octávio Gonçalves Nelly Produzido pela FH Moçambique-CABO DELGADO MYAP Escrito por: Mitzi Hanold Editado e traducido por: Fabiola Vuelvas Desenho de Octávio Gonçalves Nelly Edição Setembro 2010 Album Deixar esta página em branco.

Leia mais

Direcção-Geral da Saúde

Direcção-Geral da Saúde Direcção-Geral da Saúde Circular Informativa Assunto: Doença pelo novo vírus da gripe A (H1N1)v - Mulheres grávidas ou a amamentar Nº: 26/DSR DATA: 28/07/09 Para: Contacto na DGS: Todos os estabelecimentos

Leia mais

ATENÇÃO INTEGRADA, COMPONENTE FAMILIAR E COMUNITÁRIO PARA MULHER GRÁVIDA E NO PÓS PARTO

ATENÇÃO INTEGRADA, COMPONENTE FAMILIAR E COMUNITÁRIO PARA MULHER GRÁVIDA E NO PÓS PARTO ATENÇÃO INTEGRADA, COMPONENTE FAMILIAR E COMUNITÁRIO PARA MULHER GRÁVIDA E NO PÓS PARTO Febre ou aquecimento do corpo. Perda de sangue ou outros líquidos através da vagina. Ataques, desmaios ou convulsões.

Leia mais

OMS GRUPO MUNDIAL DE TRABALHO PARA CONTROLO DA CÓLERA Primeiras medidas para gestão de um surto de diarreia aguda.

OMS GRUPO MUNDIAL DE TRABALHO PARA CONTROLO DA CÓLERA Primeiras medidas para gestão de um surto de diarreia aguda. OMS GRUPO MUNDIAL DE TRABALHO PARA CONTROLO DA CÓLERA Primeiras medidas para gestão de um surto de diarreia aguda. Este folheto destina-se a prestar orientação nos primeiros dias de um surto Existem deus

Leia mais

O que esperar quando é colocado em quarentena CS255151B

O que esperar quando é colocado em quarentena CS255151B O que esperar quando é colocado em quarentena O que esperar quando é colocado em quarentena 1 A quarentena ajuda-nos a travar a transmissão do Ébola. Sabemos que pode ser difícil, mas é necessário para

Leia mais

AIDPI Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância

AIDPI Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância MINISTÉRIO DA SAÚDE AIDPI Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância Curso de Capacitação Avaliar e Classificar a Criança de 2 Meses a 5 Anos de idade Módulo 2 2.ª edição revista Série F. Comunicação

Leia mais

Febre e malária. Febre. z constipações z gripe z bronquite aguda z otite z amigdalite z infecções urinárias z hepatite z brucelose

Febre e malária. Febre. z constipações z gripe z bronquite aguda z otite z amigdalite z infecções urinárias z hepatite z brucelose Febre e malária CAPÍTULO 17 Febre Quando o corpo duma pessoa está quente, di-se que ela tem febre. A febre eleada pode ser perigosa, principalmente numa criança pequena. Se possíel, a febre dee ser medida

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. vírus ZIKA. Informações ao Público

MINISTÉRIO DA SAÚDE. vírus ZIKA. Informações ao Público MINISTÉRIO DA SAÚDE vírus ZIKA Informações ao Público Brasília DF 2015 PÚBLICO EM GERAL Prevenção/Proteção Cuidados Observe o aparecimento de sinais e sintomas de infecção por vírus zika (manchas vermelhas

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Livazo 1 mg, 2 mg e 4 mg comprimidos revestidos por película Pitavastatina

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Livazo 1 mg, 2 mg e 4 mg comprimidos revestidos por película Pitavastatina FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Livazo 1 mg, 2 mg e 4 mg comprimidos revestidos por película Pitavastatina Leia atentamente este folheto antes de tomar Livazo. Conserve este folheto.

Leia mais

Preparando a casa para receber o bebê

Preparando a casa para receber o bebê Preparando a casa Preparando a casa para receber o bebê Vamos ensinar aos pais os direitos das crianças? Está chegando a hora do bebê nascer. A família deve ajudar a gestante a preparar a casa para a chegada

Leia mais

Guião para Activistas

Guião para Activistas Comunicação para mudança de comportamento Guião para Activistas ÍNDICE Introdução...2 1. PREVENÇÃO DA DIARREIA E DA CÓLERA...3 Como se apanha a diarreia e a cólera?...3 Sintomas da cólera...3 O que fazer?...3

Leia mais

Diarréia e desidratação

Diarréia e desidratação 2 e 3 meses Diarréia e desidratação Coloque seus projetos num círculo. É a única maneira de acertar o alvo. A diarréia é uma doença que pode ser causada por micróbios, presentes nas fezes, que contaminam

Leia mais

A creche A creche deve promover e facilitar a participação da família e respeitar a opinião dos pais.

A creche A creche deve promover e facilitar a participação da família e respeitar a opinião dos pais. O bebê de 2 a 11 meses A creche Acumule conhecimentos. Interesse-se por tudo. Cabe aos pais decidir se matriculam ou não seu bebê na creche. Antes de escolher uma creche, é bom passar algum tempo observando

Leia mais

Acompanhamento. Sejam bem-vindos. 7 dias 1 mês 2 meses 3 meses 6 meses 1 ano

Acompanhamento. Sejam bem-vindos. 7 dias 1 mês 2 meses 3 meses 6 meses 1 ano Acompanhamento Sejam bem-vindos Nós desenvolvemos este guia para ajudá-lo a se preparar para a alta de sua criança. Muitas famílias acreditam que aprendendo e conversando antes da alta hospitalar de sua

Leia mais

Aglomerado nº Casa nº

Aglomerado nº Casa nº Aglomerado nº Casa nº MÓDULO DE AGUA E SANEAMENTO Este módulo é para ser ministrado uma vez para cada casa visitada. Indicar somente uma resposta para cada questão. Se houver mais do que uma resposta,

Leia mais

A família acolhe a mãe e o bebê em casa

A família acolhe a mãe e o bebê em casa Mãe e bebê em casa A família deve receber mãe e bebê num ambiente de amor e respeito. Cuidado e protegido, o bebê se sente seguro e com energia para viver. Ajudada nas tarefas da casa, a mãe pode cuidar

Leia mais

Amamentar. Introdução

Amamentar. Introdução Amamentar Introdução O leite materno é o melhor alimento para o bebé. Tem um valor nutritivo equilibrado e fornece a quantidade perfeita de proteínas, hidratos de carbono, gorduras, vitaminas e ferro para

Leia mais

A equipe que cuidará de seu filho. Sejam bem-vindos

A equipe que cuidará de seu filho. Sejam bem-vindos Sejam bem-vindos Nós desenvolvemos este guia para ajudá-lo a se preparar para a operação de sua criança. Muitas famílias acreditam que aprendendo e conversando sobre o que esperar do tratamento pode ajudar

Leia mais

AV2. Formulário 2. Autópsia verbal. Criança com um ano de idade ou mais e menos de 10 anos de idade

AV2. Formulário 2. Autópsia verbal. Criança com um ano de idade ou mais e menos de 10 anos de idade MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Vigilância em Saúde Departamento de Análise de Situação de Saúde Formulário 2 Autópsia verbal Criança com um ano de idade ou mais e menos de 10 anos de idade AV2 IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Cuidando da Minha Criança com Aids

Cuidando da Minha Criança com Aids Cuidando da Minha Criança com Aids O que é aids/hiv? A aids atinge também as crianças? Como a criança se infecta com o vírus da aids? Que tipo de alimentação devo dar ao meu bebê? Devo amamentar meu bebê

Leia mais

Primeiros animais/ primitivos; Seres aquáticos: mares, rios, tanques etc...

Primeiros animais/ primitivos; Seres aquáticos: mares, rios, tanques etc... Protozoários Primeiros animais/ primitivos; Seres aquáticos: mares, rios, tanques etc... Estrutura: Realizam as funções vitais: Locomoção e respiração; Obtenção de alimentos; Digestão; Excreção; Reprodução.

Leia mais

Uso correcto dos antibióticos

Uso correcto dos antibióticos CAPÍTULO 7 Uso correcto dos antibióticos Quando usados correctamente, os antibióticos são medicamentos extremamente úteis e importantes. Eles combatem diversas infecções e doenças causadas por bactérias.

Leia mais

ÁREA TEMÁTICA - SAÚDE DA CRIANÇA

ÁREA TEMÁTICA - SAÚDE DA CRIANÇA ÁREA TEMÁTICA - SAÚDE DA CRIANÇA Elaboração: Ana Cecília Silveira Lins Sucupira Ana Maria Bara Bresolin Eunice E. Kishinami Oliveira Pedro Patrícia Pereira de Salve Sandra Maria Callioli Zuccolotto Colaboração:

Leia mais

As Assaduras das fraldas

As Assaduras das fraldas HALIBUT As Assaduras das fraldas O que são as assaduras das fraldas? É uma erupção inflamatória da pele que está em contacto com a fralda. Portanto, aparece predominantemente nas virilhas, na parte interior

Leia mais

A Exceção. Ébola INFORMAÇÃO TRIMESTRAL. Edição especial. Afinal, o que é, de onde vem e como se transmite. A EXCEÇÃO Edição Especial

A Exceção. Ébola INFORMAÇÃO TRIMESTRAL. Edição especial. Afinal, o que é, de onde vem e como se transmite. A EXCEÇÃO Edição Especial A Exceção A EXCEÇÃO INFORMAÇÃO TRIMESTRAL Edição especial Ébola Afinal, o que é, de onde vem e como se transmite Tel: (+351) 213913940 / Fax: (+351) 213 913 941 Muito se tem falado e publicado sobre a

Leia mais

PROGRAMA DE FORMACÃO PARA OS COMITÉS

PROGRAMA DE FORMACÃO PARA OS COMITÉS PROGRAMA DE FORMACÃO PARA OS COMITÉS Para os comités Agua e Saneamento 1 VEZ / SEMANA Programa Comité N Objectivos Actividades Material 1 Lembrar o memorando Recordar as mensagens de higiene Ler o memorando

Leia mais

Preparando a casa para receber o bebê

Preparando a casa para receber o bebê Preparando a casa Preparando a casa para receber o bebê Vamos ensinar aos pais os direitos das crianças? Está chegando a hora do bebê nascer. A família deve ajudar a gestante a preparar a casa para a chegada

Leia mais

Lição N o 3 TEMPO E REFERENCIAL DOS TEMPOS. Objectivos de Aprendizagem. 45s 20s 35s A B C D. No final desta lição, você deve ser capaz de:

Lição N o 3 TEMPO E REFERENCIAL DOS TEMPOS. Objectivos de Aprendizagem. 45s 20s 35s A B C D. No final desta lição, você deve ser capaz de: Lição N o 3 TEMPO E REFERENCIAL DOS TEMPOS Objectivos de Aprendizagem No final desta lição, você deve ser capaz de: Construir e interpretar o referencial dos tempos de um movimento. Na lição anterior vimos

Leia mais

Meu bebê tem Doença Falciforme O que fazer?

Meu bebê tem Doença Falciforme O que fazer? Meu bebê tem Doença Falciforme O que fazer? Agência Nacional de Vigilância Sanitária 2 Guia Sobre Doenças Falciformes Diretor Presidente Gonzalo Vecina Neto Diretores Luiz Carlos Wandreley Lima Luiz Felipe

Leia mais

QUERO SABER... FIZ O TESTE E DEU ( POSITIVO ) Como é que uma pessoa se pode proteger do VIH/sida?

QUERO SABER... FIZ O TESTE E DEU ( POSITIVO ) Como é que uma pessoa se pode proteger do VIH/sida? Como é que uma pessoa se pode proteger do VIH/sida? Para NÃO APANHAR nas relações intimas e sexuais: 1. Não fazer sexo enquanto não se sentir preparado para usar o preservativo (pode experimentar primeiro

Leia mais

Actualizado em 21-09-2009* Doentes com Diabetes mellitus 1

Actualizado em 21-09-2009* Doentes com Diabetes mellitus 1 Doentes com Diabetes mellitus 1 Estas recomendações complementam outras orientações técnicas para protecção individual e controlo da infecção pelo vírus da gripe pandémica (H1N1) 2009. Destaques - Os procedimentos

Leia mais

Algumas perguntas frequentes nas aulas de pré-parto

Algumas perguntas frequentes nas aulas de pré-parto Algumas perguntas frequentes nas aulas de pré-parto O que a mãe pode comer? Basicamente a grávida e a mãe que amamenta pode comer de tudo, adoptando os cuidados já há muito recomendados pelo obstetra:

Leia mais

Concepção gráfica. Foto capa: Rayna Victoria por Marilena Santiago

Concepção gráfica. Foto capa: Rayna Victoria por Marilena Santiago 1 2 Concepção gráfica Foto capa: Rayna Victoria por Marilena Santiago 3 PREFÁCIO Este dicionário apresenta os termos mais comuns da estratégia de Atenção Integrada às Doenças Prevalentes na Infância AIDPI.

Leia mais

Diabetes Gestacional

Diabetes Gestacional Diabetes Gestacional Introdução O diabetes é uma doença que faz com que o organismo tenha dificuldade para controlar o açúcar no sangue. O diabetes que se desenvolve durante a gestação é chamado de diabetes

Leia mais

Módulo 4: NUTRIÇÃO. Por que a boa nutrição é importante para o bebê? Qual o melhor leite para eles? Como monitorar o crescimento dos recém-nascidos?

Módulo 4: NUTRIÇÃO. Por que a boa nutrição é importante para o bebê? Qual o melhor leite para eles? Como monitorar o crescimento dos recém-nascidos? Atenção à saúde do Recém-nascido de Risco Superando pontos críticos Módulo 4: NUTRIÇÃO Por que a boa nutrição é importante para o bebê? Qual o melhor leite para eles? Q Quais uais são são as as necessidades

Leia mais

Amamentação. Factos e Mitos. Juntos pela sua saúde! Elaborado em Julho de 2011. USF Terras de Santa Maria

Amamentação. Factos e Mitos. Juntos pela sua saúde! Elaborado em Julho de 2011. USF Terras de Santa Maria Elaborado em Julho de 2011 USF Terras de Santa Maria Rua Professor Egas Moniz, nº7 4520-909 Santa Maria da Feira Telefone: 256 371 455/56 Telefax: 256 371 459 usf _terrassantamaria@csfeira.min-saude.pt

Leia mais

Educação para a cidadania

Educação para a cidadania Educação para a cidadania Aproveite a sua capacidade de criar. A criança aprende valores essenciais para uma vida digna e solidária, na convivência com sua família e comunidade. A melhor maneira de ensinar

Leia mais

Manual de Tratamento e Reabilitação Nutricional Volume I

Manual de Tratamento e Reabilitação Nutricional Volume I REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO DA SAÚDE Manual de Tratamento e Reabilitação Nutricional Volume I MATERIAIS DE APOIO TRATAMENTO DA DESNUTRIÇÃO EM INTERNAMENTO (TDI) REPÚBLICA DE MOÇAMBIQUE MINISTÉRIO

Leia mais

Estratégia Nacional de Promoção da Alimentação Complementar Saudável

Estratégia Nacional de Promoção da Alimentação Complementar Saudável Estratégia Nacional de Promoção da Alimentação Complementar Saudável Janeiro/2009 1. Introdução A introdução de alimentos na dieta da criança após os seis meses de idade tem a função de complementar as

Leia mais

Fibrose Pulmonar Idiopática (FPI)

Fibrose Pulmonar Idiopática (FPI) Fibrose Pulmonar Idiopática (FPI) Esse livro tem o apoio de: Caros pacientes, familiares e cuidadores, Informação espaço para outras informações/link do site e pode ser adaptado ao país em que vai ser

Leia mais

Conselhos para ter uma vida mais saudável

Conselhos para ter uma vida mais saudável Conselhos para ter uma vida mais saudável Colégio Richard Anderson Turma de Português : 2ºA - 2014 Professora: Nóris Blank Autores: Josefina Galain - Mª Paz Juambeltz San9ago Ribeiro - Luca Spektor María

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Montelucaste Generis 10 mg Comprimidos Montelucaste de sódio Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento -Conserve este folheto. Pode

Leia mais

inhemaco S.A. is a pre-eminent provider of Cross-border Medical Risk Management Solutions Traveller s MALARIA www.inhemaco.com

inhemaco S.A. is a pre-eminent provider of Cross-border Medical Risk Management Solutions Traveller s MALARIA www.inhemaco.com inhemaco S.A. is a pre-eminent provider of Cross-border Medical Risk Management Solutions Traveller s MALARIA www.inhemaco.com PO MALÁRIA: A DOENÇA A malária é a mais importante de todas as doenças parasíticas

Leia mais

DIA DA LUTA CONTRA A SIDA 01 DE DEZEMBRO

DIA DA LUTA CONTRA A SIDA 01 DE DEZEMBRO DIA DA LUTA CONTRA A SIDA 01 DE DEZEMBRO Presentemente, a infeçãovih/sida não tem cura e a prevenção é a única medida eficaz. A infeçãovih/sida tem uma história relativamente recente, mas já dramática

Leia mais

Galinhas Saudáveis Pessoas Saudáveis

Galinhas Saudáveis Pessoas Saudáveis Galinhas Saudáveis Pessoas Saudáveis Projecto Celeiro da Vida Album Seriado Manual de Facilitação de Práticas Agrárias e de Habilidades para a Vida Para os Facilitadores das Jffls Galinhas saudáveis

Leia mais

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Omede, cápsulas gastrorresistentes Omeprazol 20 mg

FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR. Omede, cápsulas gastrorresistentes Omeprazol 20 mg FOLHETO INFORMATIVO: INFORMAÇÃO PARA O UTILIZADOR Omede, cápsulas gastrorresistentes Omeprazol 20 mg Leia atentamente este folheto antes de tomar este medicamento. - Conserve este folheto. Pode ter necessidade

Leia mais

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM

INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Plano de Contingência Gripe A (H1N1) SANTARÉM, JULHO, 2009 INSTITUTO POLITÉCNICO DE SANTARÉM Gripe A (H1N1) Informações Gerais SANTARÉM, JULHO, 2009 Primeira pandemia

Leia mais

AIDPI PARA O ENSINO MÉDICO

AIDPI PARA O ENSINO MÉDICO Atenção Integrada às Doencas Prevalentes na Infância - AIDPI AIDPI PARA O ENSINO MÉDICO Colaboradores: Antonio José Ledo Alves da Cunha Eduardo Jorge da Fonseca Lima Maria Anice S. Fontenele e Silva Maria

Leia mais

Alimentação no primeiro ano de vida. Verônica Santos de Oliveira

Alimentação no primeiro ano de vida. Verônica Santos de Oliveira Alimentação no primeiro ano de vida Verônica Santos de Oliveira Nutrição nos Primeiros Anos de Vida Deixe que a alimentação seja o seu remédio e o remédio a sua alimentação ( Hipócrates ) Nutrição nos

Leia mais

VIVER BEM OS RINS DO SEU FABRÍCIO AGENOR DOENÇAS RENAIS

VIVER BEM OS RINS DO SEU FABRÍCIO AGENOR DOENÇAS RENAIS VIVER BEM OS RINS DO SEU FABRÍCIO AGENOR DOENÇAS RENAIS Leia o código e assista a história de seu Fabrício Agenor. Este é o seu Fabrício Agenor. Ele sempre gostou de comidas pesadas e com muito tempero

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE / SECRETARIA DE POLÍTICAS DE SAÚDE/CONSULTORIA PROGRAMA DE REDUÇÃO DA MORTALIDADE INFANTIL NO NORDESTE BRASILEIRO

MINISTÉRIO DA SAÚDE / SECRETARIA DE POLÍTICAS DE SAÚDE/CONSULTORIA PROGRAMA DE REDUÇÃO DA MORTALIDADE INFANTIL NO NORDESTE BRASILEIRO MINISTÉRIO DA SAÚDE / SECRETARIA DE POLÍTICAS DE SAÚDE/CONSULTORIA PROGRAMA DE REDUÇÃO DA MORTALIDADE INFANTIL NO NORDESTE BRASILEIRO AÇÃO COMPLEMENTAR III para o PRIMIM SUBSÍDIOS PARA IDENTIFICAR E SEGUIR

Leia mais

PORQUE É TÃO IMPORTANTE A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NOS PRIMEIROS ANOS DE VIDA?

PORQUE É TÃO IMPORTANTE A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NOS PRIMEIROS ANOS DE VIDA? PORQUE É TÃO IMPORTANTE A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NOS PRIMEIROS ANOS DE VIDA? Nos 2(dois) anos da vida que se inicia, a criança está crescendo rápido e por isso necessita de uma alimentação saudável para

Leia mais

Educação para a cidadania

Educação para a cidadania Educação para a cidadania Algumas vezes temos que conviver com os problemas. A criança aprende valores essenciais para uma vida digna e solidária, na convivência com sua família e comunidade. A melhor

Leia mais

MÓDULO VIII ACIDENTES COM PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS

MÓDULO VIII ACIDENTES COM PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS Acidentes com Programa de formação sobre a aplicação de MÓDULO VIII ACIDENTES COM PRODUTOS FITOFARMACÊUTICOS Acidentes com Os são seguros se forem utilizados com cuidado, de acordo com todas as indicações

Leia mais

Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar. Informação para alunos e Pais

Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar. Informação para alunos e Pais Medidas de Prevenção e Controlo em Meio Escolar Informação para alunos e Pais O que éo vírus da Gripe A(H1N1)v? O vírus A(H1N1)v é um novo vírus da gripe, que afecta os seres humanos. Esta nova estirpe,

Leia mais

Estes artigos estão publicados no sítio do Consultório de Pediatria do Dr. Paulo Coutinho. http://www.paulocoutinhopediatra.pt

Estes artigos estão publicados no sítio do Consultório de Pediatria do Dr. Paulo Coutinho. http://www.paulocoutinhopediatra.pt Estes artigos estão publicados no sítio do Consultório de Pediatria do Dr. Paulo Coutinho. Pág. 01 A bronquiolite é uma infeção respiratória causada por vírus, ocorrendo em crianças com menos de 2 anos.

Leia mais

Centro de Saúde de Évora Saúde Escolar. Noções de Primeiros Socorros

Centro de Saúde de Évora Saúde Escolar. Noções de Primeiros Socorros Centro de Saúde de Évora Saúde Escolar Noções de Primeiros Socorros Noções de Primeiros Socorros! O primeiro socorro;! Feridas, picadas e mordeduras;! Produtos e materiais;! Algumas recomendações. O primeiro

Leia mais

Palestrante. Contato: 98812-9624 Email: marcomelo2014@gmail.com

Palestrante. Contato: 98812-9624 Email: marcomelo2014@gmail.com Palestrante Marco Vinicius da Silva Melo Enfermeiro Obstetra/Ginecologia Enfermeiro do Trabalho MBA em Auditoria em Serviços de Saúde Docência do Ensino Superior TEMA: PROTOCOLO DE ENFERMAGEM NA URGÊNCIA

Leia mais

Guia de perguntas e respostas a respeito do vírus Zika

Guia de perguntas e respostas a respeito do vírus Zika Guia de perguntas e respostas a respeito do vírus Zika - O que é o vírus Zika? O vírus Zika é um arbovírus (grande família de vírus), transmitido pela picada do mesmo vetor da dengue e da chikungunya,

Leia mais

M F. Nome da vacina Dosagem Instituição/Nome do médico/data da administração Nome da vacina. Instituição: Nome do médico:

M F. Nome da vacina Dosagem Instituição/Nome do médico/data da administração Nome da vacina. Instituição: Nome do médico: Questionário de avaliação para vacinação de [ Endereço Nome da criança Nome do pai/mãe/responsável M F ポルトガル 語 版 Formulário 2 ] (bebês/crianças em idade escolar) Temperatura corporal antes da entrevista

Leia mais

Coisas que deve saber sobre a pré-eclâmpsia

Coisas que deve saber sobre a pré-eclâmpsia Coisas que deve saber sobre a pré-eclâmpsia A pré-eclâmpsia é muito mais comum do que a maior parte das pessoas pensa na realidade ela é a mais comum das complicações graves da gravidez. A pré-eclâmpsia

Leia mais