Manual do Usuário. Cuidados com o prontuário

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Manual do Usuário. Cuidados com o prontuário"

Transcrição

1 Manual do Usuário Este manual foi feito para orientar os usuários dos serviços de internação domiciliar da HN Home Care Home Care, tanto para a modalidade de plantão de enfermagem de 12h, quanto para o serviço 24h. A internação domiciliar é uma forma de humanizar o atendimento dos pacientes que habitualmente necessitam da internação hospitalar. Para que ela se torne possível, a HN Home Care organiza o atendimento médico-hospitalar na residência, levando até ela equipamentos hospitalares, serviços de enfermagem, fisioterapia e nutrição, por exemplo. Cuidados com o prontuário O prontuário domiciliar do paciente deverá ser manuseado somente pela Equipe Assistencial. Caso necessite consultá-lo, entre em contato com a enfermeira responsável. Caso necessite de uma cópia, favor solicitar por escrito e encaminhar ao enfermeiro responsável pelo paciente. Quando o convênio cobre o atendimento? Alguns convênios concedem a cobertura para o home care apenas em situações onde o paciente necessita de uma hospitalização. Casos em que existe apenas a necessidade de cuidados de enfermagem não costumam ter cobertura do convênio. Quando o paciente tem indicação de hospitalização, o convênio analisará a solicitação e prescrição médica e decidirá sobre a autorização da cobertura ao tratamento domiciliar com prazo definido. As solicitações de prorrogações são encaminhadas pelo seu médico e a continuidade da cobertura do atendimento é prerrogativa do convênio.

2 Como a família pode ajudar no tratamento? A participação ativa da família durante o período de internação domiciliar é importante para a recuperação do paciente. Ela possibilita a intervenção de familiares em situações específicas de cuidados. No entanto, cabe lembrar que a presença de um enfermeiro poderá ser solicitada para a execução de procedimentos mais complexos. Veja alguns cuidados que os familiares podem observar para que o tratamento obtenha sucesso: - Reserve um quarto arejado para o paciente e a equipe, mantendo as condições adequadas de higiene. A estrutura existente na casa pode ser aproveitada para descaracterizar o ambiente hospitalar. - O local para o acondicionamento de materiais e medicamentos deve ser seco e arejado e os utensílios utilizados devem ser unicamente do paciente. - As orientações do seu médico e/ou nutricionista em relação à dieta devem ser seguidas. Observamos que o preparo da alimentação é de responsabilidade da família. - O lixo proveniente do atendimento domiciliar não precisa ser separado e pode ter o mesmo destino do lixo domiciliar. Existem situações especiais e de exceção, quando o lixo será separado e recolhido por empresa especializada (informe-se com o enfermeiro responsável). - O seu plano de saúde poderá solicitar a inclusão de um cuidador leigo indicado pela família, que passará a ajudar no atendimento do paciente Orientações e responsabilidades da HN Home Care - Uma enfermeira responsável acompanhará todo o processo

3 desde a internação domiciliar até a alta, realizando visitas periódicas e/ou contatos telefônicos com família/paciente. - A HN Home Care é a responsável pela escala de plantão dos profissionais. A alternância entre as equipes de atendimento não trará prejuízo ao tratamento, pois nossos profissionais trabalham de forma integrada. - Havendo mudança na prescrição médica, os medicamentos serão entregues no dia seguinte ou o mais rápido possível, caso a alteração seja urgente. - A HN Home Care deixará em sua residência, se necessário, uma maleta com medicamentos especiais a serem utilizados somente em emergências e sob orientação do médico responsável. - Todo o serviço prestado pela HN Home Care será dedicado somente ao paciente, assim como os medicamentos serão de uso exclusivo deste. - A enfermeira da HN Home Care dará a orientação para cuidados especiais de isolamento ou higienização do ambiente. Emergências Médicas Nos casos de piora do quadro clínico, nossa equipe de profissionais está capacitada para identificar esta situação e devidamente orientada sobre como proceder. Haverá sempre ao alcance da família e dos profissionais da HN Home Care os telefones de contato do médico assistente, do plantão da HN Home Care e do serviço UTI móvel (previamente escolhido pela família), que deverão ser acionados sempre que necessário.

4 A internação domiciliar termina quando: - O plano de internação for cumprido (alta). - O médico assistente solicitar. - Houver necessidade de retorno ao hospital. - O convênio não prorrogar o atendimento domiciliar e o paciente cancelar o home care. Quando a família julgar necessário Recomendações Úteis: - Esclareça suas dúvidas com o seu médico e com a HN Home Care. - Ter amigos por perto durante a recuperação faz bem ao paciente. Mas, para uma melhor recuperação, é necessário um ambiente calmo e tranqüilo e por isto é importante programar horários e número de visitas durante o tratamento. - Para evitar constrangimentos, solicitamos que objetos de valor ou de estimação sejam devidamente guardados durante o período de atendimento. - É desaconselhável fumar nos ambientes que o paciente freqüenta. - Solicitamos que qualquer saída obrigatória do paciente nos seja comunicada, para que possamos organizar o acompanhamento ou o cancelamento do atendimento nesse período. - Sempre haverá um enfermeiro de plantão com telefone celular para atendimento de intercorrências ou para esclarecer suas dúvidas.

5

Prezados Associados,

Prezados Associados, Prezados Associados, Para facilitar a comunicação e dirimir as principais dúvidas sobre a utilização dos nossos serviços, o FISCO SAÚDE traz agora guias de procedimentos por assunto. O conteúdo está distribuído

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA HOME CARE

MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA HOME CARE MANUAL DE ORIENTAÇÕES PARA HOME CARE Elaborado por: Ana Paula de Menezes Assistente Social da CASSIND APRESENTAÇÃO A internação domiciliar ou home care é compreendida como a instalação de uma estrutura

Leia mais

FISCO. Saúde. Programa de Atenção. Domiciliar GUIA DE PROCEDIMENTOS ANS 41.766-1

FISCO. Saúde. Programa de Atenção. Domiciliar GUIA DE PROCEDIMENTOS ANS 41.766-1 FISCO Saúde ANS 41.766-1 Programa de Atenção Domiciliar GUIA DE PROCEDIMENTOS Prezados Associados, Para facilitar a comunicação e dirimir as principais dúvidas sobre a utilização dos nossos serviços, o

Leia mais

MANUAL DOS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIAS ESPECIAIS

MANUAL DOS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIAS ESPECIAIS MANUAL DOS SERVIÇOS DE ASSISTÊNCIAS ESPECIAIS 1. Objetivo: Este manual contém informações acerca dos procedimentos que deverão ser tomados na ocorrência de qualquer fato que acarrete na utilização de algum

Leia mais

INSTRUÇÕES DA TABELA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR

INSTRUÇÕES DA TABELA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR INSTRUÇÕES DA TABELA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR 1. DA ASSISTÊNCIA DOMICILIAR: 1.1. A assistência domiciliar caracteriza-se pela prestação de serviços médicos e terapias adjuvantes na residência do paciente

Leia mais

PORTARIA CRN-3 nº 0112/2000

PORTARIA CRN-3 nº 0112/2000 PORTARIA CRN-3 nº 0112/2000 A Presidente do Conselho Regional de Nutricionistas 3ª Região, no uso de suas atribuições legais, que lhe conferem a Lei Federal nº 6583/78 e o Decreto Federal nº 84444/80 e,

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA DOMICILIAR Regulamento do Programa de Assistência Domiciliar aprovado pelo Conselho REGULAMENTO DO PROGRAMA DE ASSISTÊNCIA DOMILICIAR CAPITULO I DEFINIÇÕES GERAIS

Leia mais

1. CADASTRO 2. AGENDAMENTOS:

1. CADASTRO 2. AGENDAMENTOS: 1. CADASTRO Para atuar no Hospital São Luiz, todo médico tem de estar regularmente cadastrado. No momento da efetivação, o médico deve ser apresentado por um membro do corpo clínico, munido da seguinte

Leia mais

TRANSFERÊNCIA DE PACIENTE INTERNA E EXTERNA

TRANSFERÊNCIA DE PACIENTE INTERNA E EXTERNA 1 de 8 Histórico de Revisão / Versões Data Versão/Revisões Descrição Autor 25/11/2012 1.00 Proposta inicial LCR, DSR,MGO 1 Objetivo Agilizar o processo de transferência seguro do paciente/cliente, para

Leia mais

Manual de Orientação ao Paciente

Manual de Orientação ao Paciente Manual de Orientação ao Paciente Caros pacientes e familiares, O Hospital do Rio deseja um período o mais breve e tranquilo possível em nossas instalações. Desde já, agradecemos sua confiança e preferência.

Leia mais

PARECER TÉCNICO I ANÁLISE E FUNDAMENTAÇÃO:

PARECER TÉCNICO I ANÁLISE E FUNDAMENTAÇÃO: PARECER TÉCNICO ASSUNTO: Solicitação de parecer acerca de Técnico de Enfermagem lotado no Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) de transtorno mental acompanhar paciente internado em outra instituição,

Leia mais

Conheça o SUS e seus direitos e deveres, como usuário da saúde

Conheça o SUS e seus direitos e deveres, como usuário da saúde Conheça o SUS e seus direitos e deveres, como usuário da saúde O Escritório de Projetos de Humanização do ICESP desenvolveu esta cartilha para orientar os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) sobre

Leia mais

Guia do Paciente. Leia com atenção e tenha uma estadia mais agradável.

Guia do Paciente. Leia com atenção e tenha uma estadia mais agradável. Guia do Paciente Leia com atenção e tenha uma estadia mais agradável. Apresentação O Hospital São Francisco é referência em diversas especialidades médicas, oferecendo à comunidade alta tecnologia hospitalar,

Leia mais

GERENCIAMENTO de Casos Especiais

GERENCIAMENTO de Casos Especiais GERENCIAMENTO de Casos Especiais Gerenciamento de Casos Especiais.indd 1 19/10/2015 15:32:28 Gerenciamento de Casos Especiais Objetivo: Facilitar o atendimento aos clientes que apresentam dificuldades

Leia mais

MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM

MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM MINUTA DE RESOLUÇÃO CFM Dispõe sobre a normatização do funcionamento dos prontos-socorros hospitalares, assim como do dimensionamento da equipe médica e do sistema de trabalho. O Conselho Federal de Medicina,

Leia mais

Plano de saúde do seu filho

Plano de saúde do seu filho 7 Plano de saúde do seu filho Neste capítulo, encontrará informações sobre o seguro de saúde do seu filho ou plano de saúde. Anexe a este capítulo uma cópia do folheto de coberturas do plano de saúde do

Leia mais

Guia do paciente. Leia com atenção e tenha uma estadia mais agradável. Mais recursos para seu médico, mais segurança e conforto para você.

Guia do paciente. Leia com atenção e tenha uma estadia mais agradável. Mais recursos para seu médico, mais segurança e conforto para você. Guia do paciente Leia com atenção e tenha uma estadia mais agradável. Mais recursos para seu médico, mais segurança e conforto para você. Apresentação O Hospital São Francisco se tornou referência em

Leia mais

Guia Prático de Utilização do Plano

Guia Prático de Utilização do Plano Guia Prático de Utilização do Plano Aqui você tem o que há de melhor para a sua saúde. O QUE É A UNIMED APRESENTAÇÃO Sua finalidade é prestar assistência médica e hospitalar de alto padrão, dentro do sistema

Leia mais

Os profissionais de enfermagem que participam e atuam na Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional, serão os previstos na Lei 7.498/86.

Os profissionais de enfermagem que participam e atuam na Equipe Multiprofissional de Terapia Nutricional, serão os previstos na Lei 7.498/86. Regulamento da Terapia Nutricional 1. DEFINIÇÕES: Terapia Nutricional (TN): Conjunto de procedimentos terapêuticos para manutenção ou recuperação do estado nutricional do usuário por meio da Nutrição Parenteral

Leia mais

Colaboradores da Oceanair e Avianca. Prezado Cliente, Parabéns!

Colaboradores da Oceanair e Avianca. Prezado Cliente, Parabéns! Colaboradores da Oceanair e Avianca Prezado Cliente, Parabéns! A sua empresa tem contrato com a Unimed Paulistana e isso quer dizer que você é um cliente UNIMED. Significa também que seu plano de saúde

Leia mais

Guia de Orientação ao Paciente

Guia de Orientação ao Paciente Guia de Orientação ao Paciente Esse guia foi desenvolvido especialmente para melhor atendê-lo durante a permanência no HSR. Aqui encontrará informações sobre nosso funcionamento, serviços e práticas que

Leia mais

Manual de Orientação ao Cliente

Manual de Orientação ao Cliente Manual de Orientação ao Cliente Prezado Cliente O Hospital IGESP reúne em um moderno complexo hospitalar, os mais avançados recursos tecnológicos e a excelência na qualidade do atendimento prestado por

Leia mais

PORTO DIAS. Família! A parceria que cuida do paciente com competência e carinho. Fonte: www.google.com.br/imagens

PORTO DIAS. Família! A parceria que cuida do paciente com competência e carinho. Fonte: www.google.com.br/imagens H O S P I TA L & Família! A parceria que cuida do paciente com competência e carinho. Fonte: www.google.com.br/imagens 1 Telefones Úteis (HPD) Call Center 9999 Nutrição 3106 (Bloco A) / 9652(Bloco D) Recepção

Leia mais

DESCRIÇÃO DO PRODUTO ASSISTÊNCIA A ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO - PET

DESCRIÇÃO DO PRODUTO ASSISTÊNCIA A ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO - PET DESCRIÇÃO DO PRODUTO ASSISTÊNCIA A ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO - PET DEFINIÇÕES Usuário: é a pessoa física titular de plano de Assistência a Animais de Estimação - Pet, contratado junto à Contratante. Animal

Leia mais

NORMAS DE ATENDIMENTO A CONVÊNIOS E PARTICULARES

NORMAS DE ATENDIMENTO A CONVÊNIOS E PARTICULARES NORMAS DE ATENDIMENTO A CONVÊNIOS E PARTICULARES Conceitos CONSULTAS Atendimentos sem urgência por ordem de chegada. Não existe dentro do Pronto-Socorro e em nenhum local do hospital prévia marcação de

Leia mais

TERAPIA NUTRICIONAL NUTRIÇÃO ENTERAL

TERAPIA NUTRICIONAL NUTRIÇÃO ENTERAL ÍNDICE TERAPIA NUTRICIONAL NUTRIÇÃO ENTERAL 1. INTRODUÇÃO 01 2. ALIMENTANÇÃO ENTERAL: O QUE É? 02 3. TIPOS DE NUTRIÇÃO ENTERAL 03 4. VIAS DE ADMINISTRAÇÃO DA ALIMENTAÇÃO 04 ENTERAL 5. TIPOS DE ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

REVISÃO VACINAS 15/02/2013

REVISÃO VACINAS 15/02/2013 REVISÃO VACINAS 1. Conforme a Lei Federal n o 7.498/86, que dispõe sobre o exercício da enfermagem, são atividades privativas do enfermeiro: a) administrar medicamentos e prestar consultoria de b) observar

Leia mais

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE INTERNAÇÃO (11) 4414-6072. Horário de Funcionamento: De 2ª a 6ª: das 6h às 22h Sábados e feriados: das 7h às 19h

O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE INTERNAÇÃO (11) 4414-6072. Horário de Funcionamento: De 2ª a 6ª: das 6h às 22h Sábados e feriados: das 7h às 19h O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE INTERNAÇÃO Tel.: (11) 4414-6000 - Ramal: 6420 (11) 4414-6072 Horário de Funcionamento: De 2ª a 6ª: das 6h às 22h Sábados e feriados: das 7h às 19h Seja bem-vindo ao nosso

Leia mais

Regulamento para a utilização do Laboratório de. Técnica e Dietética

Regulamento para a utilização do Laboratório de. Técnica e Dietética Regulamento para a utilização do Laboratório de Técnica e Dietética 1 REGULAMENTO PARA A UTILIZAÇÃO DO LABORATÓRIO DE TÉCNICA E DIETÉTICA I. DOS OBJETIVOS DO LABORATÓRIO DE TÉCNICA E DIETÉTICA 1. Auxiliar

Leia mais

COMPLEXO HOSPITALAR UNIVERSITÁRIO DA UFMA. Orientações PARA PACIENTES E ACOMPANHANTES

COMPLEXO HOSPITALAR UNIVERSITÁRIO DA UFMA. Orientações PARA PACIENTES E ACOMPANHANTES COMPLEXO HOSPITALAR UNIVERSITÁRIO DA UFMA Orientações PARA PACIENTES E ACOMPANHANTES Prezado usuário Esta cartilha foi desenvolvida na perspectiva de orientá-lo sobre as rotinas das clínicas de internação

Leia mais

1. OBJETIVO DO SERVIÇO O Pet Assistência tem por objetivo proporocionar o atendimento a um conjunto de assistência a seus animais domésticos.

1. OBJETIVO DO SERVIÇO O Pet Assistência tem por objetivo proporocionar o atendimento a um conjunto de assistência a seus animais domésticos. 1. OBJETIVO DO SERVIÇO O Pet Assistência tem por objetivo proporocionar o atendimento a um conjunto de assistência a seus animais domésticos. A quantidade de animais de estimação não será limitada, podendo

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2015. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2015 Ensino Técnico Etec Etec: Paulino Botelho Código: 091 Município: São Carlos Eixo Tecnológico: Ambiente e Saúde Habilitação Profissional: TÉCNICO EM ENFERMAGEM Qualificação:

Leia mais

Guia Rápido do Segurado. Produto Peper. Em caso de acidente ligue:

Guia Rápido do Segurado. Produto Peper. Em caso de acidente ligue: Guia Rápido do Segurado Produto Peper Prezado Segurado, O Peper, preocupado em acelerar o processo de atendimento de sinistro, disponibiliza para você o Guia Rápido do Segurado - Peper. Ele vai instruí-lo

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM REGIMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO DE ENFERMAGEM

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM REGIMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO DE ENFERMAGEM UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA CAMPUS URUGUAIANA CURSO DE ENFERMAGEM REGIMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO DE ENFERMAGEM Uruguaiana, 19 de abril de 2011. REGIMENTO DO LABORATÓRIO DE ENSINO DE ENFERMAGEM DA

Leia mais

www.santahelenasuade.com.brmecanismos de

www.santahelenasuade.com.brmecanismos de 1 www.santahelenasuade.com.brmecanismos de Regulação 2 A CONTRATADA colocará à disposição dos beneficiários do Plano Privado de Assistência à Saúde, a que alude o Contrato, para a cobertura assistencial

Leia mais

NUTRIÇÃO ENTERAL HOSPITAL SÃO MARCOS. Heloisa Portela de Sá Nutricionista Clínica do Hospital São Marcos Especialista em Vigilância Sanitária

NUTRIÇÃO ENTERAL HOSPITAL SÃO MARCOS. Heloisa Portela de Sá Nutricionista Clínica do Hospital São Marcos Especialista em Vigilância Sanitária NUTRIÇÃO ENTERAL HOSPITAL SÃO MARCOS Heloisa Portela de Sá Nutricionista Clínica do Hospital São Marcos Especialista em Vigilância Sanitária Secretária Nutricionista Gerente Nutricionista Planejamento

Leia mais

RESOLUÇÃO - RDC Nº 23, DE 4 DE ABRIL DE 2012

RESOLUÇÃO - RDC Nº 23, DE 4 DE ABRIL DE 2012 RESOLUÇÃO - RDC Nº 23, DE 4 DE ABRIL DE 2012 Dispõe sobre a obrigatoriedade de execução e notificação de ações de campo por detentores de registro de produtos para a saúde no Brasil. A Diretoria Colegiada

Leia mais

Guia. do beneficiário. Aqui você encontra informações sobre seu plano.

Guia. do beneficiário. Aqui você encontra informações sobre seu plano. Guia do beneficiário Aqui você encontra informações sobre seu plano. BEM VINDO À UNIMED SETE LAGOAS! A partir de agora você e sua família podem contar com uma operadora do maior sistema cooperativista de

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA TRAINEE BIO CURSOS ALUNOS, EX-ALUNOS E PROFISSIONAIS

REGULAMENTO PROGRAMA TRAINEE BIO CURSOS ALUNOS, EX-ALUNOS E PROFISSIONAIS REGULAMENTO PROGRAMA TRAINEE BIO CURSOS ALUNOS, EX-ALUNOS E PROFISSIONAIS O Programa Trainee tem o intuito de proporcionar aos alunos dos cursos de Pós- Graduação Lato Sensu Bio Cursos (cursos selecionados

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DO PARANÁ

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DO PARANÁ PARECER Nº 2488/2015 ASSUNTO: CONVÊNIO DETERMINA FIM DE INTERNAÇÃO DE PACIENTE PSIQUIÁTRICO SEM CONDIÇÕES DE ALTA PARECERISTA: CONS. DR. MARCO ANTONIO S. M. RIBEIRO BESSA EMENTA: Prazo de Internação de

Leia mais

Tenha total controle da sua instituição com o Software de Gestão do SisHOSP. www.sishosp.com.br (19) 3241.3535

Tenha total controle da sua instituição com o Software de Gestão do SisHOSP. www.sishosp.com.br (19) 3241.3535 Tenha total controle da sua instituição com o Software de Gestão do SisHOSP www.sishosp.com.br (19) 3241.3535 Fazer a Gestão de sua Casa de Repouso ficou ainda mais fácil com o SisHOSP Saber gerir uma

Leia mais

NORMAS PARA PACIENTES, ACOMPANHANTES E VISITANTES

NORMAS PARA PACIENTES, ACOMPANHANTES E VISITANTES NORMAS PARA PACIENTES, ACOMPANHANTES E VISITANTES INFORMAÇÕES GERAIS Terão direito a um (01) acompanhante, pacientes com mais de 60 anos, menores de 18 anos, pessoas com deficiência ou que tenham dificuldade

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GEFIS Nº 29 / 2010 Abordagem Sindrômica. Participação Legal do Enfermeiro. Programa de Controle das Doenças Sexualmente Transmissíveis. Programa de Atenção Integral em Doenças Prevalentes

Leia mais

PARECER DEFISC Nº 03/2012 Porto Alegre, 09 de janeiro de 2012.

PARECER DEFISC Nº 03/2012 Porto Alegre, 09 de janeiro de 2012. PARECER DEFISC Nº 03/2012 Porto Alegre, 09 de janeiro de 2012. Presença de Enfermeiro em comunidades terapêuticas para tratamento de álcool e drogas. I Relatório Trata-se de solicitação de dúvida, encaminhada

Leia mais

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DO PACIENTE AMBULATORIAL

REGULAMENTO INSTITUCIONAL DO PACIENTE AMBULATORIAL 1 Identificação REGULAMENTO INSTITUCIONAL DO PACIENTE AMBULATORIAL 1.1 É obrigatória a identificação do paciente e de seu acompanhante na Recepção, nos dias de atendimento, mediante apresentação dos seguintes

Leia mais

Técnico Auxiliar de Saúde

Técnico Auxiliar de Saúde Técnico Auxiliar de Saúde Trabalho elaborado por: Luís Damas Índice Introdução... 3 Técnico Auxiliar de Saúde... 4 O que faz o Técnico Auxiliar de Saúde?... 4 As atividades principais a desempenhar por

Leia mais

3. Abrangência Esse serviço será prestado nas principais capitais brasileiras e em cidades da Grande São Paulo e Grande Rio de Janeiro.

3. Abrangência Esse serviço será prestado nas principais capitais brasileiras e em cidades da Grande São Paulo e Grande Rio de Janeiro. Assistência Pet 1. EMPRESA CONTRATADA A Assistência Pet refere-se ao pacote de serviços contratado pelo Zurich Santander Brasil Seguros S.A., com a empresa USS Soluções Gerenciadas Ltda., CNPJ 01.979.936/0001-79

Leia mais

Introdução. Importante: O Programa não inclui atendimento de urgência/emergência. Nestes casos deverão ser procurados os serviços específicos.

Introdução. Importante: O Programa não inclui atendimento de urgência/emergência. Nestes casos deverão ser procurados os serviços específicos. Introdução A Assistência Domiciliar surge para responder à demanda de individualização da assistência, realizando cuidados na privacidade do domicílio do paciente, possibilitando ao mesmo e à família participarem

Leia mais

Mondial Pet Protection CONDIÇÕES GERAIS PRINCIPAIS BENEFÍCIOS: Assistência Emergencial. Implantação de Microchip. Desconto em Cirurgias

Mondial Pet Protection CONDIÇÕES GERAIS PRINCIPAIS BENEFÍCIOS: Assistência Emergencial. Implantação de Microchip. Desconto em Cirurgias MONDIAL PET PROTECTION é um conjunto de serviços oferecido a cachorros e gatos (domésticos), disponível nas Capitais do Nordeste, Sudeste e Sul e Centro-Oeste do Brasil e grandes centros metropolitanos.

Leia mais

Briefing Auditoria Médica ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA BENEFICENTE ESPÍRITO SANTENSE

Briefing Auditoria Médica ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA BENEFICENTE ESPÍRITO SANTENSE Paginas: 1/1 ASSOCIAÇÃO EVANGÉLICA BENEFICENTE ESPÍRITO SANTENSE CONTRATAÇÃO DE EMPRESAS ESPECIALIZADAS NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS DE AUDITORIA MÉDICA NAS DEPENDÊNCIAS DO HOSPITAL JAYME SANTOS NEVES 1 OBJETO

Leia mais

FISCO. Saúde. Liberação. de Procedimentos. Seriados GUIA DE PROCEDIMENTOS ANS 41.766-1

FISCO. Saúde. Liberação. de Procedimentos. Seriados GUIA DE PROCEDIMENTOS ANS 41.766-1 FISCO Saúde ANS 41.766-1 Liberação de Procedimentos Seriados GUIA DE PROCEDIMENTOS Prezados Associados, Para facilitar a comunicação e dirimir as principais dúvidas sobre a utilização dos nossos serviços,

Leia mais

Informações Gerais e orientações sobre ASSISTÊNCIA DE VIAGEM

Informações Gerais e orientações sobre ASSISTÊNCIA DE VIAGEM RECOMENDAÇÕES A BRASILEIROS QUE VIAJAM PARA O EXTERIOR Informações Gerais e orientações sobre ASSISTÊNCIA DE VIAGEM Faça uma viagem SEGURA Entenda o produto Assistência Viagem. Situações inesperadas podem

Leia mais

O CUIDADO QUE FAZ A DIFERENÇA

O CUIDADO QUE FAZ A DIFERENÇA O CUIDADO QUE FAZ A DIFERENÇA DAL BEN: SUA PARCEIRA EM CUIDADOS ASSISTENCIAIS A saúde no Brasil continua em constante transformação. As altas taxas de ocupação dos hospitais brasileiros demandam dos profissionais

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico Etec:Paulino Botelho Código: 091 Município: SÃO CARLOS Eixo Tecnológico: AMBIENTE E SAÚDE Habilitação Profissional: TÉCNICO EM ENFERMAGEM Qualificação:TÉCNICO

Leia mais

Melhor em Casa Curitiba-PR

Melhor em Casa Curitiba-PR Melhor em Casa Curitiba-PR ATENÇÃO DOMICILIAR Modalidade de Atenção à Saúde, substitutiva ou complementar às já existentes, caracterizada por um conjunto de ações de promoção à saúde, prevenção e tratamento

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014 Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social Entidade: Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil Endereço: Rua Antônio Miguel Pereira

Leia mais

PELOTAS /RS CARTILHA DE ORIENTAÇÕES

PELOTAS /RS CARTILHA DE ORIENTAÇÕES PELOTAS /RS CARTILHA DE ORIENTAÇÕES Coordenação geral: Julieta Carriconde Fripp Coordenação técnica: Isabel Arrieira Coordenação Administrativa: Airton Oliveira 1 - ATENÇÃO DOMICILIAR A atenção domiciliar

Leia mais

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO CONSELHO DELIBERATIVO DO PROGRAMA TST-SAÚDE

TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO CONSELHO DELIBERATIVO DO PROGRAMA TST-SAÚDE TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO CONSELHO DELIBERATIVO DO PROGRAMA TST-SAÚDE ATO DELIBERATIVO Nº 56, DE 25 DE NOVEMBRO DE 2014 Dispõe sobre a assistência odontológica indireta aos beneficiários do Programa

Leia mais

Diretrizes Assistenciais. Critérios de admissão, alta e transferência do CDE

Diretrizes Assistenciais. Critérios de admissão, alta e transferência do CDE Diretrizes Assistenciais Critérios de admissão, alta e transferência do CDE Versão eletrônica atualizada em jan/2012 Agentes Descrições Definição Critérios de admissão, alta e transferência para pacientes

Leia mais

ANEXO I Descrição dos Cargos

ANEXO I Descrição dos Cargos ANEXO I Descrição dos Cargos DESCRIÇÃO: 1. - Auxiliar de Enfermagem: Prestar cuidados diretos de enfermagem ao paciente, por delegação e sob a supervisão do enfermeiro e do médico. Administrar medicação

Leia mais

1.PLANO AUTO STANDARD

1.PLANO AUTO STANDARD 1.PLANO AUTO STANDARD 1.1.Definições ACIDENTE/SINISTRO Colisão, abalroamento ou capotagem envolvendo direta ou indiretamente o veículo e que impeça o mesmo de se locomover por seus próprios meios. COBERTURA

Leia mais

AUDITORIA EM ENFERMAGEM. UNIPAC UBERLÂNDIA CURSO GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA: Administração ll Profa : Amanda Cristina de Oliveira Mendes

AUDITORIA EM ENFERMAGEM. UNIPAC UBERLÂNDIA CURSO GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA: Administração ll Profa : Amanda Cristina de Oliveira Mendes AUDITORIA EM ENFERMAGEM UNIPAC UBERLÂNDIA CURSO GRADUAÇÃO EM ENFERMAGEM DISCIPLINA: Administração ll Profa : Amanda Cristina de Oliveira Mendes Conceito AUDITORIA é uma avaliação sistemática e formal de

Leia mais

INTRODUÇÃO (WHO, 2007)

INTRODUÇÃO (WHO, 2007) INTRODUÇÃO No Brasil e no mundo estamos vivenciando transições demográfica e epidemiológica, com o crescente aumento da população idosa, resultando na elevação de morbidade e mortalidade por doenças crônicas.

Leia mais

JUDICIALIZAÇÃO NA SAÚDE

JUDICIALIZAÇÃO NA SAÚDE JUDICIALIZAÇÃO NA SAÚDE JUDICIALIZAÇÃO NA SAÚDE História Recente na Saúde Suplementar Planos de Saúde Contratos Código do Consumidor Planos de Saúde = relação de consumo Lei dos Planos Obrigação de Coberturas

Leia mais

Voluntário em Pesquisa: informe-se para decidir! Qual documento garante que os meus direitos serão respeitados?

Voluntário em Pesquisa: informe-se para decidir! Qual documento garante que os meus direitos serão respeitados? Ministério da Saúde Conselho Nacional de Saúde Voluntário em Pesquisa: O que é uma pesquisa, afinal de contas? Eu, um sujeito de pesquisa? Qual documento garante que os meus direitos serão respeitados?

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2013. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2013 Ensino Técnico Etec PROFESSOR MASSUYUKI KAWANO Código: 136 Município: TUPÃ Eixo Tecnológico: AMBIENTE, SAÚDE E SEGURANÇA Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio

Leia mais

SERVIÇO: ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL PARA PESSOAS ADULTAS

SERVIÇO: ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL PARA PESSOAS ADULTAS SERVIÇO: ACOLHIMENTO INSTITUCIONAL PARA PESSOAS ADULTAS DESCRIÇÃO: Modalidade: Centro Dia para pessoa Idosa Serviço voltado para o atendimento, regime parcial, de pessoas idosas de 60 anos ou mais, de

Leia mais

Gerenciamento de Casos Especiais

Gerenciamento de Casos Especiais Gerenciamento de Casos Especiais Cuidados especiais pra Quem É especial. QUEM ama cuida. 2 o programa Gerenciamento de casos especiais, oferecido pelo departamento de Qualidade de vida e saúde, da unimed

Leia mais

Reuniões RTs médicos

Reuniões RTs médicos Reuniões RTs médicos Médico RT Perfil do Médico RT Disponibilidade Deve estar disponível diariamente para regulação no SISREG e para educação permanente; Atualizado Deve ser o médico mais atualizado clinicamente

Leia mais

SEGURO DE VIDA ACIDENTES PESSOAIS ESCOLAR. Agora sua escola também pode tirar nota 10 em segurança.

SEGURO DE VIDA ACIDENTES PESSOAIS ESCOLAR. Agora sua escola também pode tirar nota 10 em segurança. SEGURO DE VIDA ACIDENTES PESSOAIS ESCOLAR Agora sua escola também pode tirar nota 10 em segurança. SEGURO DE VIDA ACIDENTES PESSOAIS ESCOLAR Agora sua escola também pode tirar nota 10 em segurança. O Seguro

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE O SERVIÇO DE FISIOTERAPIA SUMÁRIO

ORIENTAÇÕES SOBRE O SERVIÇO DE FISIOTERAPIA SUMÁRIO ORIENTAÇÕES SOBRE O SUMÁRIO CAPÍTULO I - APRESENTAÇÃO 2 CAPÍTULO II - ENCAMINHAMENTO PARA FISIOTERAPIA - MÉDIA COMPLEXIDADE 2 CAPÍTULO III - RECEPÇÃO E AUTORIZAÇÃO DE ENCAMINHAMENTOS 3 CAPÍTULO IV - CONSULTA

Leia mais

1.1. Segurado (Plano Individual): é a pessoa física, que está mantida no seguro de vida em Grupo contratado pela empresa;

1.1. Segurado (Plano Individual): é a pessoa física, que está mantida no seguro de vida em Grupo contratado pela empresa; Assistência Funeral Individual A Aliança do Brasil apresenta a seguir as Condições Gerais que estão contempladas na proposta DITEC/GESPE n.º 00000/00.00.00/C000BB, referente aos Serviços de Assistência

Leia mais

PEDIDO DE AUTORIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS - MANUAL DO USUÁRIO

PEDIDO DE AUTORIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS - MANUAL DO USUÁRIO SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO DO ESTADO DA BAHIA ASSISTÊNCIA À SAÚDE DOS SEVIDORES ESTADUAIS PLANSERV PEDIDO DE AUTORIZAÇÃO DE PROCEDIMENTOS MÉDICOS - MANUAL DO USUÁRIO CONTATO: 3116-4789/ 3116-4741 AGOSTO/2007

Leia mais

Plano de saúde. do seu filho

Plano de saúde. do seu filho Plano de saúde do seu filho 7 7 Plano de saúde do seu filho Neste capítulo, encontrará informações sobre o seguro de saúde do seu filho ou plano de saúde. Anexe a este capítulo uma cópia do folheto de

Leia mais

Revisão do Rol de Procedimentos ampliação da cobertura mínima obrigatória pelos planos

Revisão do Rol de Procedimentos ampliação da cobertura mínima obrigatória pelos planos Revisão do Rol de Procedimentos ampliação da cobertura mínima obrigatória pelos planos 1 Atualização do Rol A cada dois anos, lista de procedimentos de oferta obrigatória pelos planos é ampliada. Inclusão

Leia mais

Assunto: adequação à RN nº 254 da ANS: importantes mudanças a partir de janeiro/2013: carteiras, faturamento, acompanhante e tabela TUSS

Assunto: adequação à RN nº 254 da ANS: importantes mudanças a partir de janeiro/2013: carteiras, faturamento, acompanhante e tabela TUSS Rio de Janeiro, 11 de dezembro de 2012 Aos Credenciados Assunto: adequação à RN nº 254 da ANS: importantes mudanças a partir de janeiro/2013: carteiras, faturamento, acompanhante e tabela TUSS Prezados(as)

Leia mais

INFORMAÇÃO PARA A PREVENÇÃO

INFORMAÇÃO PARA A PREVENÇÃO FALANDO SOBRE NEXO EPIDEMIOLOGICO Um dos objetivos do CPNEWS é tratar de assuntos da área de Segurança e Medicina do Trabalho de forma simples de tal forma que seja possível a qualquer pessoa compreender

Leia mais

IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO PAULO

IRMANDADE DA SANTA CASA DE MISERICÓRDIA DE SÃO PAULO REGULAMENTO SÃO PAULO 2005 SUMÁRIO I - SOLICITAÇÃO DE ESTÁGIOS II - DO LIMITE DE CAMPO DE ESTÁGIOS III - DA CARGA HORÁRIA DE ESTÁGIO IV - DO HORÁRIO DE ESTÁGIO V - DA FORMALIZAÇÃO DO ESTÁGIO VI - DA IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP ECO 2.1 MODALIDADE DADE INCENTIVO PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP ECO 2.1 MODALIDADE DADE INCENTIVO PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP ECO.1 I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.30/0001-94 APLUBCAP ECO.1 MODALIDADE: INCENTIVO PROCESSO SUSEP Nº: 15414.0055/011-47

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE MATO GROSSO

CONSELHO REGIONAL DE MEDICINA DO ESTADO DE MATO GROSSO 1 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 PARECER CONSULTA CRM-MT Nº 07/2014 DATA DA ENTRADA: 07 de janeiro de 2014 INTERESSADA: Sra. M. C. da S. CONSELHEIRA CONSULTORA: Dra Hildenete Monteiro Fortes ASSUNTO: classificação

Leia mais

Seguro de Saúde Resumo / Manual do Utilizador Anuidade 2013/2014 Plano GC1 - Complementar

Seguro de Saúde Resumo / Manual do Utilizador Anuidade 2013/2014 Plano GC1 - Complementar Seguro de Saúde Resumo / Manual do Utilizador Anuidade 2013/2014 Plano GC1 - Complementar Manual válido para o período de 01/10/2013 a 30/09/2014 O presente manual não substitui as Condições Gerais, Especiais

Leia mais

PORTARIA NORMATIVA N 019/2001

PORTARIA NORMATIVA N 019/2001 PORTARIA NORMATIVA N 019/2001 Dispõe Sobre a Hospitalização Psiquiátrica e dá Outras Providências O PRESIDENTE DO INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA E ASSISTÊNCIA DOS SERVIDORES DO ESTADO DE GOIÁS IPASGO, usando

Leia mais

BÁSICO - COBERTURAS. Cobertura de refeição para acompanhante Internados menores de 18 anos e a partir de 60 anos PRÁTICO - COBERTURAS

BÁSICO - COBERTURAS. Cobertura de refeição para acompanhante Internados menores de 18 anos e a partir de 60 anos PRÁTICO - COBERTURAS Informações importantes dos seguros-saúde da Seguros Unimed Além das coberturas obrigatórias da Lei nº 9.656/98, os seguros contemplam coberturas e serviços diferenciados. Cobertura de refeição para acompanhante

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE (MS) - 2004

MINISTÉRIO DA SAÚDE (MS) - 2004 MINISTÉRIO DA SAÚDE (MS) - 2004 INTRODUÇÃO Última edição do Manual (revista e atualizada): 2006 Objetivo: Implantação do Serviço de Atendimento Móvel às Urgências Atende aos princípios e diretrizes do

Leia mais

DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS

DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS REGULAMENTO GERAL DOS CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU DAS FACULDADES INTEGRADAS DE VITÓRIA DOS CURSOS E SEUS OBJETIVOS Disciplina os Cursos de Pós- Graduação Lato Sensu nas modalidades Acadêmica e Profissionalizante

Leia mais

ASSISTÊNCIA MOTO. Utilizações por ocorrência 2 guinchos *

ASSISTÊNCIA MOTO. Utilizações por ocorrência 2 guinchos * Reboque ou Recolha após Sinistro ASSISTÊNCIA MOTO Em caso de sinistro que impossibilite a locomoção própria do veículo segurado, será feita sua remoção por guincho credenciado até a oficina ou concessionária

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DA ASSISTÊNCIA FUNERAL BIT SEGUROS Nº 133C - 1

CONDIÇÕES GERAIS DA ASSISTÊNCIA FUNERAL BIT SEGUROS Nº 133C - 1 CONDIÇÕES GERAIS DA Nº 133C - 1 2 Caro Cliente, A Bit Seguros apresenta a você mais uma solução de conforto, tranquilidade e economia, a Assistência Funeral. Um conjunto de serviços desenvolvido sob medida

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 46/2014 ESCLARECIMENTO N. 2

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 46/2014 ESCLARECIMENTO N. 2 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento n. 2 Referência: Pregão Eletrônico n. 46/2014 Data: 15/12/2014 Objeto: Contratação de pessoa jurídica especializada em gestão de ambulatórios para a prestação de serviços

Leia mais

Em caso de dúvida: semplacogepdess@prefeitura.sp.gov.br. www.prefeitura.sp.gov.br/manualdess

Em caso de dúvida: semplacogepdess@prefeitura.sp.gov.br. www.prefeitura.sp.gov.br/manualdess 4 2 O Departamento de Saúde do Servidor elaborou em 2011 o ROTEIRO DE AGENDAMENTO DAS PERÍCIAS DE LICENÇA MÉDICA, a partir de pesquisas com usuários do Menu RH das Unidades do SIGPEC-DESS, realizadas no

Leia mais

OBJETIVO MATERIAIS NECESSÁRIOS DESCRIÇÃO DAS PRINCIPAIS ATIVIDADES

OBJETIVO MATERIAIS NECESSÁRIOS DESCRIÇÃO DAS PRINCIPAIS ATIVIDADES PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO Padrão N : 7.3 Estabelecido em: 28/06/2011 Revisado em: 28/06/2011 N da Revisão: 00 Setor: NCP (Núcleo de Controle de Produtos) Tarefa: Padronização de procedimentos internos

Leia mais

Seguro de Saúde Resumo / Manual do Utilizador Anuidade 2013/2014 Plano GC4 - Complementar

Seguro de Saúde Resumo / Manual do Utilizador Anuidade 2013/2014 Plano GC4 - Complementar Seguro de Saúde Resumo / Manual do Utilizador Anuidade 2013/2014 Plano GC4 - Complementar Manual válido para o período de 01/10/2013 a 30/09/2014 O presente manual não substitui as Condições Gerais, Especiais

Leia mais

TEMA NR 4 - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO TRABALHO

TEMA NR 4 - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO TRABALHO TEMA NR 4 - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA E EM MEDICINA DO TRABALHO 4.1. Empresas privadas e públicas, órgãos públicos, que possuam empregados regidos pela CLT, manterão, obrigatoriamente,

Leia mais

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 3.630, DE 2004

COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 3.630, DE 2004 COMISSÃO DE SEGURIDADE SOCIAL E FAMÍLIA PROJETO DE LEI Nº 3.630, DE 2004 Define diretriz para a política de atenção integral aos portadores da doença de Alzheimer no âmbito do Sistema Único de Saúde SUS

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC: DR. JOSÉ LUÍZ VIANA COUTINHO CÓDIGO: 073 EIXO TECNOLÓGICO: HABILITAÇÃO PROFISSIONAL: QUALIFICAÇÃO: MÓDULO: COMPONENTE CURRICULAR: C.H. SEMANAL: PROFESSOR:

Leia mais

Manual de orientação ao paciente para internação

Manual de orientação ao paciente para internação Manual de orientação ao paciente para internação Aos nossos clientes O Hospital São José agradece a sua preferência por nossos serviços. Esperamos que sua estada em nossas dependências seja rápida e tranqüila,

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO AMIL

MANUAL DE UTILIZAÇÃO AMIL MANUAL DE UTILIZAÇÃO AMIL Preocupada com a qualidade do benefício mais nobre que uma empresa pode oferecer aos seus funcionários, a CULTURA INGLESA renovou com a AMIL a parceria que dura mais de 17 anos.

Leia mais