SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08)

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08)"

Transcrição

1 SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE (OFICINA 08)

2 Oficina 07 Política de Meio Ambiente, Segurança e Saúde no Trabalho Objetivos, Metas e Programas

3 4.2 Política de SSTMA A Alta Administração deve definir e autorizar a política de SSTMA da organização e assegurar que, dentro do escopo definido de seu sistema de gestão de SSTMA, a política atenda aos itens a seguir.

4 4.2 Política de SSTMA Seja apropriada à natureza e escala dos impactos ambientais e riscos de SST da organização; Inclua comprometimento com as prevenções da poluição, lesões e doenças e com a melhoria contínua da gestão da SSTMA e do desempenho de SSTMA; Inclua um comprometimento em atender, pelo menos, aos requisitos legais aplicáveis e a outros requisitos subscritos pela organização que se relacionem a seus aspectos ambientais e perigos de SST;

5 4.2 Política de SSTMA Forneça o arcabouço para o estabelecimento e análise crítica dos objetivos de SSTMA; Seja documentada, implementada e mantida; Seja periodicamente analisada criticamente para assegurar que permanece pertinente e apropriada à organização.

6 4.2 Política de SSTMA Seja comunicada a todas as pessoas que trabalhem sob o controle da organização, com o intuito de que elas tenham ciência de suas obrigações individuais em relação à SSTMA; Esteja disponível às partes interessadas.

7 Ações de Sensibilização Promover a difusão de informações, a participação, a motivação e o comprometimento dos colaboradores da empresa com o Sistema de Gestão Integrado de Meio Ambiente, Segurança e Saúde no Trabalho. Reuniões / Encontros Palestras Filmes Informativos Internet Cartazes Mural Outros

8 Exemplo Política Integrada de SSTMA A CONSTRUTORA XXX, atuando no ramo de construção civil, reconhecendo os riscos de segurança/saúde e impactos ambientais associados, tem como compromissos: a satisfação dos seus clientes e demais partes interessadas ao estabelecimento e o acompanhamento de objetivos e metas ambientais e de segurança e saúde o compromisso com a melhoria contínua do sistema Integrado de Gestão a rentabilidade o aprimoramento do desempenho de segurança e da saúde dos seus colaboradores prevenindo lesões e doenças decorrentes dos seus perigos e riscos o aprimoramento do desempenho do meio ambiente prevenindo a poluição ambiental e garantindo a preservação do meio ambiente o atendimento a legislação e ambiental e de segurança e saúde e outros requisitos aplicáveis.

9 Exercício 01 Elaborar a Política de SSTMA

10 4.3.3 Objetivos, Metas e Programa(s) A empresa deve estabelecer, implementar e manter Objetivos e Metas de SSTMA documentados, nas funções e níveis pertinentes da organização. O que são Objetivos de SSTMA? Objetivos de SSTMA são expectativas em termo de desempenho ambiental e da segurança e saúde do trabalho, que uma organização se prepara para alcançar.

11 4.3.3 Objetivos, Metas e Programa(s) Os objetivos e metas devem: Ser mensuráveis, quando exequível; Ser coerentes com a política de SSTMA; Incluir o comprometimento com as prevenções da poluição, lesões e doenças; Incluir o comprometimento com o atendimento a requisitos legais aplicáveis e outros requisitos subscritos pela organização, Incluir o comprometimento e com a melhoria contínua.

12 4.3.3 Objetivos, Metas e Programa(s) Ao estabelecer analisar criticamente seus objetivos, a organização deve considerar: Requisitos legais e outros requisitos; Seus aspectos ambientais significativos; Seus riscos de SST; Suas opções tecnológicas e seus requisitos financeiros, operacionais e comerciais; Visão das partes interessadas pertinentes.

13 4.3.3 Objetivos, Metas e Programa(s) Um bom objetivo deve ser: Mensurável (devemos ter um número associado a ele) Atingível (temos condições de alcançar) Pertinente (coerente com o tipo do negócio, os aspectos ambientais e riscos de SST) Específico (não seja genérico)

14 Objetivos de SSTMA Os objetivos de SST devem ser estabelecidos para a organização como um todo ou em setores. Devem também abranger as funções e os níveis da organização. Para o estabelecimento dos objetivos deve-se contar com a participação do representante dos trabalhadores. LOGO PLANILHA DE OBJETIVOS E PROGRAMAS DE GESTÃO INTEGRADA Período do Plano / a / / Item da Política Aspecto ambiental / perigo a SST OBJETIVOS E METAS PLANO DE AÇÃO Monitoramento Cronograma Recursos necessários STAT Objetivos Indicador Acompanha US Ações / Responsável Responsável mento das (NR, Tarefas por cada pelo objetivo Materiai Finance J F M A M J J A S O N D metas e AT, programadas Humanos s iros atividades indicadores EA, C) P R P R P Responsável pela Aprovação: Data da aprovação: / / Página de

15 Exemplo de Objetivos e Metas Reduzir em 20% a geração de resíduos perigosos em dois anos. Realizar, em média, dez horas de treinamentos específicos sobre SSTMA para cada funcionário durante o ano. Alcançar os padrões de excelência da OIT em relação a Taxa de Frequência e Taxa de Gravidade

16 O que é indicador? É o parâmetro que medirá a diferença entre a situação desejada e a situação atual. Os indicadores devem medir os resultados parciais dos programas, assim como os resultados finais.

17 Exemplo de Indicadores - Índice de resíduo perigoso por produção - Número de acidentes com afastamento por hora trabalhada - Número de doenças ocupacionais por hora trabalhada - Custo de acidentes - TG e TF de acidente - Consumo de água por produção TF - Taxa de Freqüência de acidente - (Número de acidentes com e sem afastamento X 10 6 / Homens Horas Trabalhadas HHT)

18 Como definir objetivos/metas? 1º PASSO - DEFINIR OS OBJETIVOS/METAS Os Objetivos podem estar relacionados com palavras chaves como: Aumentar Eliminar Manter Introduzir Melhorar Implantar Reduzir Elaborar Objetivo 1 Controlar a Taxa de Freqüência de acidentes dentro dos parâmetros da OIT 20 Objetivo 2 Reduzir em 50% os acidentes com lesão nas mãos Objetivo 3 Reduzir em 10% o consumo de energia elétrica em relação à produção

19 Como definir os indicadores? 2º PASSO - DEFINIR INDICADORES Definir indicadores para os objetivos/metas estabelecidos: Ex. Indicador para o objetivo 1 - (Número de acidentes com e sem afastamento X 10 6 / Homens Horas Trabalhadas - HHT) Ex. Indicador para o objetivo 2 - (No de trabalhadores com lesão nas mãos / No total de trabalhadores) Ex. Indicador para o objetivo 3 - ( KW de energia/ toneladas produzidas)

20 4.3.3 Objetivos, Metas e Programa(s) A organização deve estabelecer, implementar e manter Programa(s) de Gestão para atingir seus objetivos/metas. São atividades, com atribuição de responsabilidade, autoridade, meios e prazos, visando atingir os objetivos estabelecidos QUEM? COMO? QUANDO? QUANTO CUSTA?

21 4.3.3 Objetivos, Metas e Programa(s) O(s) programa(s) deve(m) incluir pelo menos: a) atribuição de responsabilidade e autoridade para atingir os objetivos nas funções e níveis pertinentes, e b) os meios e o prazo no qual os objetivos devem ser atingidos. O(s) programa(s) deve(m) ser analisado(s) criticamente a intervalos regulares e planejados, e ajustado(s) conforme necessário, para assegurar que os objetivos sejam atingidos.

22 Estabelecimento do(s) Programa(s) de Gestão 3º PASSO - DEFINIR AÇÕES / TAREFAS Definir ações/tarefas para viabilizar o alcance dos objetivos/metas: Ex. tarefas para o objetivo/meta 1 Implantar um programa de prevenção de perdas Ex. tarefa para o objetivo/meta 2 Desenvolver e implementar sistemas de proteção para máquinas de corte Ex. tarefa para o objetivo/meta 3 Implantar um programa de conservação de energia elétrica

23 Estabelecimento do(s) Programa(s) de Gestão 4º PASSO - DEFINIR PRIORIDADES E RECURSOS NECESSÁRIOS A IMPLEMENTAÇÃO DAS AÇÕES Priorizar os objetivos/metas analisando a relação com o atendimento aos requisitos legais/outros requisitos, aos aspectos ambientais significativos, aos riscos de segurança/saúde, aos investimentos relacionados, etc.

24 Estabelecimento do(s) Programa(s) de Gestão 5º PASSO - IMPLEMENTAR O(S) PROGRAMA(S) Implementar o plano e fazer os ajustes quando necessários 6º PASSO MEDIR OS INDICADORES Medir os indicadores de desempenho para as metas do(s) Programa(s) e verificar se as ações estão sendo implementadas 7º PASSO - AVALIAR O(S) PROGRAMA(S) Avaliar o desempenho do(s) Programa(s) de Gestão em reunião

25 Exemplo de indicadores (Reativos) Índice de freqüência de acidentes e doenças do trabalho: (Somatório do nº. de acidentes e doenças do trabalho x 100) / nº. médio de empregados) Número de violações de condicionantes da Licença de Operação (últimos 12 meses): (nº. de violações ambientais no período) Taxa de mortalidade: (Somatório do nº. de óbitos por acidentes e doenças do trabalho no período considerado x 100) / nº. médio de empregados no período considerado) Número de Reclamações da comunidade (últimos 12 meses): (nº. de reclamações ambientais no período)

26 Exemplo de indicadores (Pró-ativos) Índice de conformidade legal - ICL ICL = (Σ Requisitos Legais Atendidos Pela Empresa / Σ Requisitos Legais Avaliados Na Empresa) X 100% Meta = 60% no primeiro ano Índice da Qualidade do Ambiente de Trabalho - IQAT IQAT = (Σ Riscos aceitáveis / Σ Riscos avaliados) X 100% Meta = 30% no primeiro ano

27 Estabelecimento do(s) Programa(s) de Gestão Exemplo de Planilha para registro dos Programas de Gestão LOGO PLANILHA DE OBJETIVOS E PROGRAMAS DE GESTÃO INTEGRADA Período do Plano / a / / Item da Política Aspecto ambiental / perigo a SST OBJETIVOS E METAS PLANO DE AÇÃO Monitoramento Cronograma Recursos necessários STAT Objetivos Indicador Acompanha US Ações / Responsável Responsável mento das (NR, Tarefas por cada pelo objetivo Materiai Finance J F M A M J J A S O N D metas e AT, programadas Humanos s iros atividades indicadores EA, C) P R P R P Responsável pela Aprovação: Data da aprovação: / / Página de Obs.: Existência de Procedimento que define a sistemática para preenchimento da Planilha

28 Divulgação de Objetivos e Programas Os objetivos/metas de Meio Ambiente, Segurança e Saúde no Trabalho devem ser divulgados através de treinamento, ou reuniões de grupos às pessoas relevantes e lançados através de Programas de Gestão Integrada de Meio Ambiente, Segurança e Saúde no Trabalho.

29 Exercício 02 Definir Objetivos/metas, Indicadores e o(s) Programa(s) de Gestão de SSTMA de acordo com a planilha

30 Tarefas de implementação Elaborar e Aprovar a Política de SSTMA da empresa; Divulgar e Comunicar a Política de SSTMA a todos os colaboradores da empresa, incluindo os terceirizados; Disponibilizar a Política de SSTMA a todas as partes interessadas.

31 Tarefas de Implementação Elaborar Procedimento de Objetivos/Metas e Programas Definir os Objetivos/metas e Indicadores de SSTMA Definir o(s) Programa(s) de Gestão de SSTMA para alcance dos objetivos Obs.: contar com a participação do representante dos trabalhadores

Formação Técnica em Administração. Modulo de Padronização e Qualidade

Formação Técnica em Administração. Modulo de Padronização e Qualidade Formação Técnica em Administração Modulo de Padronização e Qualidade Competências a serem trabalhadas ENTENDER OS REQUISITOS DA NORMA ISO 9001:2008 E OS SEUS PROCEDIMENTOS OBRIGATÓRIOS SISTEMA DE GESTÃO

Leia mais

Certificação ISO

Certificação ISO Sistema de Gestão Ambiental SGA Certificação ISO 14.000 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL - SGA Definição: Conjunto de ações sistematizadas que visam o atendimento das Boas Práticas, das Normas e da Legislação

Leia mais

Questões sobre a IS014001

Questões sobre a IS014001 Professor: Carlos William Curso/ Disciplina/Período: Administração/ Gestão Ambiental/ 2º ano Aluno: Lázaro Santos da Silva Questões sobre a IS014001 1. A NBR ISO 14001:2004 foi concebida para estabelecer

Leia mais

Sistema de Gestão da Prevenção em

Sistema de Gestão da Prevenção em Sistema de Gestão da Prevenção em SST Trabalho realizado por: André Andrade nº18990 Curso: Engenharia do Ambiente Data: 29/10/2008 Disciplina: PARP Índice Introdução... 3 Sistema de gestão da prevenção

Leia mais

Tipos de Indicadores. Conceito. O que medir... 25/08/2016

Tipos de Indicadores. Conceito. O que medir... 25/08/2016 Tipos de Indicadores 1 Conceito Características mensuráveis de processos, produtos ou serviços, utilizadas pela organização para acompanhar, avaliar e melhorar o seu desempenho ; OS INDICADORES NECESSITAM

Leia mais

SÉRIE ISO SÉRIE ISO SÉRIE ISO GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL

SÉRIE ISO SÉRIE ISO SÉRIE ISO GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL 1993 - CRIAÇÃO DO COMITÊ TÉCNICO 207 (TC 207) DA ISO. NORMAS DA : ISO 14001 - SISTEMAS DE - ESPECIFICAÇÃO COM ORIENTAÇÃO PARA USO. ISO 14004 - SISTEMAS DE - DIRETRIZES GERAIS SOBRE PRINCÍPIOS, SISTEMAS

Leia mais

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006

Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006 Curso e Learning Sistema de Gestão de Segurança da Informação Interpretação da norma NBR ISO/IEC 27001:2006 Todos os direitos de cópia reservados. Não é permitida a distribuição física ou eletrônica deste

Leia mais

Módulo 4. Estrutura da norma ISO Sistemas de Gestão da Qualidade - Requisitos Requisitos 5.4, 5.5 e 5.6 Exercícios

Módulo 4. Estrutura da norma ISO Sistemas de Gestão da Qualidade - Requisitos Requisitos 5.4, 5.5 e 5.6 Exercícios Módulo 4 Estrutura da norma ISO 9001-2008 Sistemas de Gestão da Qualidade - Requisitos Requisitos 5.4, 5.5 e 5.6 Exercícios 5.4 - Planejamento 5.4.1 - Objetivos da qualidade Os objetivos da qualidade devem

Leia mais

SGI (Sistema de Gestão Integrado) é a combinação gerenciamento da qualidade meio ambiente gestão da saúde e segurança dos trabalhadores

SGI (Sistema de Gestão Integrado) é a combinação gerenciamento da qualidade meio ambiente gestão da saúde e segurança dos trabalhadores AULA 17 OSAS Definindo o SGI SGI (Sistema de Gestão Integrado) é a combinação do processo de gerenciamento da qualidade e do meio ambiente integrada com a gestão da saúde e segurança dos trabalhadores

Leia mais

PROCEDIMENTO IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DE CONFORMIDADE COM A LEGISLAÇÃO

PROCEDIMENTO IDENTIFICAÇÃO E AVALIAÇÃO DE CONFORMIDADE COM A LEGISLAÇÃO . NOME DA ATIVIDADE: RESULTADOS ESPERADOS: - VERIFICAR SE A EMPRESA ESTÁ ATENDENDO ÀS EXIGÊNCIAS LEGAIS. - MANTER O EMPREGADOR INFORMADO SOBRE AS EXIGÊNCIAS LEGAIS APLICÁVEIS AO SEU NEGÓCIO. - ORIENTAR

Leia mais

ROTEIRO PARA IMPLANTAÇÃO SGA ISO :2004

ROTEIRO PARA IMPLANTAÇÃO SGA ISO :2004 ROTEIRO PARA IMPLANTAÇÃO SGA ISO 14.001:2004 SISTEMA DE GESTÃO AMBIENTAL SGA O SGA é parte do Sistema de Gestão da IFSM Campus Inconfidentes-MG, englobando a estrutura organizacional, as atividades de

Leia mais

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva

Não Conformidade, Ação Corretiva e Ação Preventiva 1. HISTÓRICO DE REVISÕES Revisão: 02 Página 1 de 6 DATA REVISÃO RESUMO DE ALTERAÇÕES 20/08/2013 00 Emissão inicial 21/08/2014 01 03/12/2015 02 Definição mais clara da sistemática de tratativa de cargas

Leia mais

OHSAS 18001:2007 Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho Requisitos

OHSAS 18001:2007 Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho Requisitos OHSAS 18001:2007 Sistemas de Gestão da Segurança e Saúde no Trabalho Requisitos Prefácio Esta Norma da Série de Avaliação de Segurança e Saúde Ocupacional Occupational Health and Safety Series (OHSAS)

Leia mais

A Implantação do Sistema do Sistema da Qualidade e os requisitos da Norma ISO NBR 9001:2000

A Implantação do Sistema do Sistema da Qualidade e os requisitos da Norma ISO NBR 9001:2000 1. A Norma NBR ISO 9001:2000 A Implantação do Sistema do Sistema da Qualidade e os requisitos da Norma ISO NBR 9001:2000 A ISO International Organization for Standardization, entidade internacional responsável

Leia mais

QUADRO COMPARATIVO: ISO 14001:2004 X ISO 14001:2015

QUADRO COMPARATIVO: ISO 14001:2004 X ISO 14001:2015 QUADRO COMPARATIVO: ISO 14001:2004 X ISO 14001:2015 ISO 14001:2004 ISO 14001:2015 Introdução Introdução 1.Escopo 1.Escopo 2.Referências normativas 2.Refências normativas 3.Termos e definições 3.Termos

Leia mais

ABNT / CB-38 COMITÊ BRASILEIRO DE GESTÃO AMBIENTAL

ABNT / CB-38 COMITÊ BRASILEIRO DE GESTÃO AMBIENTAL INTERPRETAÇÃO NBR ISO 14001 (2004), FEVEREIRO 2006 CB-38/SC-01/GRUPO DE INTERPRETAÇÃO INTRODUÇÃO Em 2001, o CB-38, Comitê Brasileiro de Gestão Ambiental, da ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas,

Leia mais

Indicadores de Desempenho

Indicadores de Desempenho Indicadores de Desempenho 1 Conceito Características mensuráveis de processos, produtos ou serviços, utilizadas pela organização para acompanhar, avaliar e melhorar o seu desempenho. OS INDICADORES NECESSITAM

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAMBIENTAL

RESPONSABILIDADE SOCIAMBIENTAL PRSA 2ª 1 / 7 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ALCANCE... 2 3. ÁREA GESTORA... 2 3.1 ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 2 3.1.1 DIRETOR RESPONSÁVEL - RESOLUÇÃO 4.327/14... 2 3.1.2 COORDENADOR ESPONSÁVEL PRSA

Leia mais

ABORDAGEM INICIAL DA INTER-RELAÇÃO DE ITENS DAS NORMAS ISO 9001:2008 e 14001:2004

ABORDAGEM INICIAL DA INTER-RELAÇÃO DE ITENS DAS NORMAS ISO 9001:2008 e 14001:2004 ABORDAGEM INICIAL DA INTER-RELAÇÃO DE ITENS DAS NORMAS ISO 9001:2008 e 14001:2004 JOSÉ EDUARDO DO COUTO BARBOSA 1 ALAN FERNANDO TORRES 2 RESUMO A utilização de sistemas integrados se torna, cada vez mais,

Leia mais

CADERNO DE PROGRAMA AMBIENTAL EDUCACIONAL. Escola SENAI Celso Charuri Unidade Sumaré CFP 512. Programa de Coleta de Óleo Comestível Usado

CADERNO DE PROGRAMA AMBIENTAL EDUCACIONAL. Escola SENAI Celso Charuri Unidade Sumaré CFP 512. Programa de Coleta de Óleo Comestível Usado CADERNO DE PROGRAMA AMBIENTAL EDUCACIONAL Escola SENAI Celso Charuri Unidade Sumaré CFP 512 Programa de Coleta de Óleo Comestível Usado Programa Nº 01/2017 Sumário 1. Objetivo -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

RELATÓRIO DE ANÁLISE CRÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA

RELATÓRIO DE ANÁLISE CRÍTICA DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADA 1/ 22 LOCAL: Sala de Reunião Presidência HORÁRIO: 14:00 H Assuntos tratados: 1. Resultados das auditorias internas e das avaliações do atendimento aos requisitos legais e outros subscritos pela organização

Leia mais

Políticas Organizacionais

Políticas Organizacionais Políticas Organizacionais Versão 1.4 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 11/10/2012 1.0 Revisão das políticas EPG 26/11/2012 1.1 Revisão do Item de customização EPG 24/10/2013 1.2 Revisão

Leia mais

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos

Copyright Proibida Reprodução. Prof. Éder Clementino dos Santos ISO 9001:2008 GESTÃO DE QUALIDADE O que é ISO? ISO = palavra grega que significa Igualdade O Comitê - ISO A Organização Internacional de Normalização (ISO) tem sede em Genebra na Suíça, com o propósito

Leia mais

Políticas de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade

Políticas de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade Políticas de Segurança, Saúde, Meio Ambiente e Qualidade A Elétrica Sena Campos, empresa prestadora de serviços no ramo de manutenção elétrica tem como principal valor preservar a integridade física, mental

Leia mais

Módulo 8. NBR ISO Interpretação dos requisitos: 4.4.6, 4.4.7, 4.5.1, 4.5.2, 4.5.3, 4.5.4, 4.5.5, 4.6 Exercícios

Módulo 8. NBR ISO Interpretação dos requisitos: 4.4.6, 4.4.7, 4.5.1, 4.5.2, 4.5.3, 4.5.4, 4.5.5, 4.6 Exercícios Módulo 8 NBR ISO 14001 - Interpretação dos requisitos: 4.4.6, 4.4.7, 4.5.1, 4.5.2, 4.5.3, 4.5.4, 4.5.5, 4.6 Exercícios 4.4.6 Controle Operacional A organização deve identificar e planejar aquelas operações

Leia mais

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE

PROCEDIMENTO DA QUALIDADE Pág.: 1 de 6 1. OBJETIVO Estabelecer procedimentos para identificação de não-conformidades, assim como a implantação de ação corretiva e ação preventiva, a fim de eliminar as causas das não-conformidades

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Agosto de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Continuação do Domínio de Processos PO (PO4, PO5

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAMBIENTAL

RESPONSABILIDADE SOCIAMBIENTAL PRSA 1ª 1 / 6 ÍNDICE 1. OBJETIVO... 2 2. ALCANCE... 2 3. ÁREA GESTORA... 2 4. DIRETRIZES... 2 5. GOVERNANÇA... 3 5.1 De Gerenciamento do Risco Socioambiental... 3 5.2 Das Atividades Internas... 4 5.3 Das

Leia mais

CHECKLIST DE AUDITORIA INTERNA ISO 9001:2008

CHECKLIST DE AUDITORIA INTERNA ISO 9001:2008 4 Sistema de gestão da qualidade 4.1 Requisitos gerais A CICON CONSTRUTORA E INCORPORADORA: Determina, documenta, implementa e mantêm um sistema de gestão da qualidade para melhorar continuamente a sua

Leia mais

Por Constantino W. Nassel

Por Constantino W. Nassel NORMA ISO 9000 SISTEMA DE GESTÃO DA QUALIDADE ISO 9001:2000 REQUISITOS E LINHAS DE ORIENTAÇÃO PARA IMPLEMENTAÇÃO Por Constantino W. Nassel CONTEÚDOS O que é a ISO? O que é a ISO 9000? Histórico Normas

Leia mais

BINS Indústria de Artefatos de Borracha Ltda. Questionário de Seleção e Homologação de Fornecedores

BINS Indústria de Artefatos de Borracha Ltda. Questionário de Seleção e Homologação de Fornecedores BINS Indústria de Artefatos de Borracha Ltda. Questionário de Seleção e Homologação de Fornecedores ESCOPO Este questionário de auto-avaliação tem como objetivo proporcionar um conhecimento geral do fornecedor,

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Novembro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Finalizar o conteúdo da Disciplina Governança de

Leia mais

GESTÃO AMBIENTAL. Ana Carolina de Moraes Alessandra Novak Santos

GESTÃO AMBIENTAL. Ana Carolina de Moraes Alessandra Novak Santos GESTÃO AMBIENTAL Ana Carolina de Moraes Alessandra Novak Santos Apresentando Unidade 5 Sistemas de Gestão Ambiental Conteúdo da Aula: Capítulo 5 Sistemas de Gestão Ambiental (SGA): Conceituando o SGA;

Leia mais

Definição. Sistema de Gestão Ambiental (SGA):

Definição. Sistema de Gestão Ambiental (SGA): Definição Sistema de Gestão Ambiental (SGA): A parte de um sistema da gestão de uma organização utilizada para desenvolver e implementar sua política ambiental e gerenciar seus aspectos ambientais. Item

Leia mais

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini /

Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini   / Campus Capivari Análise e Desenvolvimento de Sistemas (ADS) Prof. André Luís Belini E-mail: prof.andre.luis.belini@gmail.com / andre.belini@ifsp.edu.br MATÉRIA: SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO Aula N : 11 Tema:

Leia mais

PREVENÇÃO, PREPARAÇÃO E RESPOSTA À EMERGÊNCIAS E DESASTRES QUÍMICOS

PREVENÇÃO, PREPARAÇÃO E RESPOSTA À EMERGÊNCIAS E DESASTRES QUÍMICOS Curso de Auto-aprendizagem PREVENÇÃO, PREPARAÇÃO E RESPOSTA À EMERGÊNCIAS E DESASTRES QUÍMICOS Gerenciamento de risco Químico Edson Haddad CETESB Gerenciamento de risco Propósito do PGR Programa de Gerenciamento

Leia mais

PROCEDIMENTO GERAL Desempenho e melhoria

PROCEDIMENTO GERAL Desempenho e melhoria Página 1 de 5 I ÂMBITO Aplicável em toda a estrutura funcional da ESEP. II OBJETIVOS Definir a metodologia para a programação e realização de auditorias internas. Definir a metodologia para a revisão periódica

Leia mais

DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 00 11/01/10 Emissão Inicial N/A

DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 00 11/01/10 Emissão Inicial N/A Página 1 de 9 DESCRIÇÃO DAS REVISÕES REV DATA ALTERAÇÃO OBSERVAÇÃO 11/01/10 Emissão Inicial N/A Documento via original Assinada OBSERVAÇÃO: O USUÁRIO É RESPONSÁVEL PELA ELIMINAÇÃO DAS REVISÕES ULTRAPASSADAS

Leia mais

Convenção 187 Convenção sobre o Quadro Promocional para a Segurança e Saúde no Trabalho. A Conferência Geral da Organização Internacional do Trabalho,

Convenção 187 Convenção sobre o Quadro Promocional para a Segurança e Saúde no Trabalho. A Conferência Geral da Organização Internacional do Trabalho, Convenção 187 Convenção sobre o Quadro Promocional para a Segurança e Saúde no Trabalho A Conferência Geral da Organização Internacional do Trabalho, Convocada em Genebra pelo Conselho de Administração

Leia mais

OBJETIVO ESTRATÉGICO 1: Identificar 80% do quadro de pessoal técnico-administrativo da UERJ em 6 meses.

OBJETIVO ESTRATÉGICO 1: Identificar 80% do quadro de pessoal técnico-administrativo da UERJ em 6 meses. SRH - SUPERINTENDÊNCIA DE RECURSOS HUMANOS MISSÃO DA UNIDADE: Promover as políticas de recursos humanos contribuindo para o funcionamento e aprimoramento das atividades desenvolvidas pela Universidade.

Leia mais

RELATÓRIO DA ESTRUTURA DO GERENCIAMENTO RISCO OPERACIONAL

RELATÓRIO DA ESTRUTURA DO GERENCIAMENTO RISCO OPERACIONAL RELATÓRIO DA ESTRUTURA DO GERENCIAMENTO RISCO OPERACIONAL EXERCÍCIO 2015 A Cooperativa de Economia e Crédito Mútuo dos Empregados, Aposentados e Pensionistas da Companhia Estadual de Energia Elétrica e

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental

Sistema de Gestão Ambiental PHA2218 Introdução à Engenharia Ambiental Universidade de São Paulo Escola Politécnica Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental Sistema de Gestão Ambiental Aula 10 Prof. Dr. Joaquin Bonnecarrere

Leia mais

ISO Sistema de gestão para a sustentabilidade de eventos

ISO Sistema de gestão para a sustentabilidade de eventos ISO 20121 Sistema de gestão para a sustentabilidade de eventos ISO 20121 Objetivo ISO 20121 - Sistemas de gestão de sustentabilidade de eventos. Requisitos e linhas de orientação A ISO 20121 tem como finalidade

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE OCUPACIONAL

SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE OCUPACIONAL PROCEDIMENTO AUDITORIA INTERNA Nº PE-SMS-008 Fl. 1/8 Rev. Data Descrição Executado Verificado Aprovado 0 A B 20/03/07 02/02/08 30/04/15 Emissão Inicial Revisado logotipo, endereço e razão social da GENPRO

Leia mais

Sistema de Gestão Ambiental

Sistema de Gestão Ambiental PHA2218 Introdução à Engenharia Ambiental Universidade de São Paulo Escola Politécnica Departamento de Engenharia Hidráulica e Ambiental Sistema de Gestão Ambiental Aula 10 Prof. Dr. Arisvaldo Méllo Prof.

Leia mais

Definição / Abordagem de Processos

Definição / Abordagem de Processos Definição / Abordagem de Processos Ao longo da história dos processos produtivos e administrativos, as organizações têm crescido em tamanho, complexidade e requisitos. Para assegurar a qualidade, a eficácia

Leia mais

OBJETIVOS E INDICADORES ESTRATÉGICOS

OBJETIVOS E INDICADORES ESTRATÉGICOS OBJETIVOS E INDICADORES ESTRATÉGICOS PERSPECTIVA: TRE/RN e Sociedade Objetivo 1: Primar pela satisfação do cliente de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) Descritivo: Conhecer e ouvir o cliente

Leia mais

PROC. 04 ANÁLISE CRÍTICA

PROC. 04 ANÁLISE CRÍTICA 1 de 7 ANÁLISE CRÍTICA MACROPROCESSO GESTÃO DE PROCESSOS PROCESSO ANÁLISE CRÍTICA ANÁLISE CRÍTICA 1. OBJETIVO... 2 2. ABRANGÊNCIA... 2 3. DOCUMENTOS RELACIONADOS... 2 4. PROCEDIMENTOS... 2 4.1 DEFINIÇÕES...

Leia mais

Sistemas de Gestão ambiental

Sistemas de Gestão ambiental ESCOLA POLITÉCNICA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA HIDRÁULICA E AMBIENTAL Sistemas de Gestão ambiental Profa. Dra. Dione Mari Morita Dra. Zeila Chitolina Piotto Abordagem das empresas para a questão ambiental.

Leia mais

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA

Auditoria de Meio Ambiente da SAE/DS sobre CCSA 1 / 8 1 OBJETIVO: Este procedimento visa sistematizar a realização de auditorias de Meio Ambiente por parte da SANTO ANTÔNIO ENERGIA SAE / Diretoria de Sustentabilidade DS, sobre as obras executadas no

Leia mais

Segurança e Auditoria de Sistemas

Segurança e Auditoria de Sistemas Segurança e Auditoria de Sistemas ABNT NBR ISO/IEC 27002 0. Introdução 1 Roteiro Definição Justificativa Fontes de Requisitos Análise/Avaliação de Riscos Seleção de Controles Ponto de Partida Fatores Críticos

Leia mais

GERENCIAR MELHORIA AÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: Saada Chequer. Próxima revisão: após 1 ano da última aprovação

GERENCIAR MELHORIA AÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: Saada Chequer. Próxima revisão: após 1 ano da última aprovação GERENCIAR MELHORIA AÇÃO CORRETIVA E PREVENTIVA HISTÓRICO DE REVISÕES Data Revisão Descrição da Revisão 00 Emissão Inicial 15/03/2013 01 Item 3 Definição de OM e RNCAC; Item 7: Anexo 1 Formulário de Gerenciamento

Leia mais

Fontes de dados para otimizar a Recolha e o Uso de Dados de SST

Fontes de dados para otimizar a Recolha e o Uso de Dados de SST Fontes de dados para otimizar a Recolha e o Uso de Dados de SST Sistemas nacionais de notificação, recolha de dados e análise de acidentes de trabalho e doenças profissionais A fim de prevenir acidentes

Leia mais

Estratégias para as Compras Públicas Sustentáveis. Paula Trindade LNEG

Estratégias para as Compras Públicas Sustentáveis. Paula Trindade LNEG Estratégias para as Compras Públicas Sustentáveis Paula Trindade LNEG Conferência Compras Públicas Sustentáveis LNEG, 25 Março 2010 Muitas organizações têm experiências em compras sustentáveis! Mas sem

Leia mais

MODELO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO. Uma visão. gestão organizacional.

MODELO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO. Uma visão. gestão organizacional. MODELO DE EXCELÊNCIA DA GESTÃO Uma visão sistêmica da gestão organizacional. FUNDAMENTOS DA EXCELÊNCIA Pensamento Sistêmico Aprendizado organizacional Cultura de inovação Liderança e constância de propósitos

Leia mais

OHSAS :2007 NOÇÕES GERAIS

OHSAS :2007 NOÇÕES GERAIS OHSAS 18.001:2007 NOÇÕES GERAIS OHSAS 18.001:2007 Occupational Health and Safety Assessment Series (Série de Avaliação de Saúde e Segurança Ocupacional) A OHSAS 18001 consiste em um Sistema de Gestão,

Leia mais

PRÊMIO VITAE-RIO CICLO 2016 Rev DMP NATUREZAS DAS PROATIVIDADES, PERGUNTAS PARA VALIDAÇÃO E DIRETRIZES ASSOCIADAS CRITÉRIO 1

PRÊMIO VITAE-RIO CICLO 2016 Rev DMP NATUREZAS DAS PROATIVIDADES, PERGUNTAS PARA VALIDAÇÃO E DIRETRIZES ASSOCIADAS CRITÉRIO 1 PRÊMIO VITAE-RIO CICLO 2016 Rev DMP 13-04-2016 DAS PROATIVIDADES, PERGUNTAS PARA VALIDAÇÃO E DIRETRIZES ASSOCIADAS CRITÉRIO 1 DIRETRIZES DE SSO/SMS ASSOCIADA ITEM 1.1 - TEOR DO REQUISITO - IDENTIFICAÇÃO

Leia mais

Armazenagem Responsável Sistema de Gestão Outubro 2016 rev. 00

Armazenagem Responsável Sistema de Gestão Outubro 2016 rev. 00 Armazenagem Responsável Sistema de Gestão Outubro 2016 rev. 00 Brasil: uma vocação natural para a indústria química País rico em petróleo, gás, biodiversidade, minerais e terras raras Objetivo Desenvolver

Leia mais

Módulo 5 Implementação, operação, verificação e análise crítica do SGSSO, exercícios.

Módulo 5 Implementação, operação, verificação e análise crítica do SGSSO, exercícios. Módulo 5 Implementação, operação, verificação e análise crítica do SGSSO, exercícios. 4.4 - Implementação e operação 4.4.1 - Recursos, papéis, responsabilidades e autoridade 4.4.2 - Competência, treinamento

Leia mais

nº 09/2017 PMAS - Pense no Meio Ambiente SIRTEC Tema: GESTÃO DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS

nº 09/2017 PMAS - Pense no Meio Ambiente SIRTEC Tema: GESTÃO DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS nº 09/2017 PMAS - Pense no Meio Ambiente SIRTEC Tema: GESTÃO DE RESÍDUOS RECICLÁVEIS POLÍTICA INTEGRADA DE SEGURANÇA, SAÚDE E MEIO AMBIENTE POLÍTICA INTEGRADA Disponíveis nos murais e no site da empresa

Leia mais

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE MERCADO ÍNDICE 1. GERENCIAMENTO DE RISCO 3 2. DEFINIÇÃO DE RISCO DE MERCADO 3 3. ANÁLISE DE RISCO DE MERCADO 3 4. ESTRUTURA PARA O GERENCIAMENTO DOS RISCOS 4 5. ESTRUTURA

Leia mais

Riscos ambientais empresariais. 4.1 Programa de prevenção de acidentes (PPRA)

Riscos ambientais empresariais. 4.1 Programa de prevenção de acidentes (PPRA) Capítulo 4 Riscos ambientais empresariais Segundo o artigo 9.1.5 da Portaria n 25, de 29.12.94, do Secretário de Segurança e Saúde no Trabalho, considera-se riscos ambientais os agentes físicos, químicos

Leia mais

MANUAL DE PESSOAL CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA

MANUAL DE PESSOAL CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA 1 MÓDULO 20: SEGURANÇA NO TRABALHO CAPÍTULO 2: CONSTITUIR COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA ANEXOS: 1 Fluxo do Subprocesso Constituir Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA 2 Formulário

Leia mais

Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais

Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais Sustentabilidade nas instituições financeiras Uma visão sobre a gestão de riscos socioambientais Como as instituições financeiras devem tratar a gestão de riscos socioambientais? O crescente processo de

Leia mais

ABNT NBR SGS MANUAL DO SGS

ABNT NBR SGS MANUAL DO SGS OBJETIVO DO SGS Para aumentar a segurança dos clientes e seus colaboradores, a Alaya Expedições montou um sistema de gestão baseado no principio da melhoria contínua e na conformidade com a norma ABNT

Leia mais

SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL - REQUISITOS COM ORIENTAÇÕES PARA USO - ITENS 1 A

SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL - REQUISITOS COM ORIENTAÇÕES PARA USO - ITENS 1 A SISTEMAS DE GESTÃO AMBIENTAL - REQUISITOS COM ORIENTAÇÕES PARA USO - ITENS 1 A 10 (Tradução livre por Eymard de Meira Breda - Engenheiro Químico - CRQ 02300/276-05/8/2015) 1. ESCOPO Esta Norma especifica

Leia mais

Gerenciamento da Integração de Projetos. Parte 03. Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE-301. Docente: Petrônio Noronha de Souza

Gerenciamento da Integração de Projetos. Parte 03. Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE-301. Docente: Petrônio Noronha de Souza Gerenciamento da Integração de Projetos Parte 03 Gerenciamento de Projetos Espaciais CSE-301 Docente: Petrônio Noronha de Souza Curso: Engenharia e Tecnologia Espaciais Concentração: Engenharia e Gerenciamento

Leia mais

Responsabilidade social em acção e desenvolvimento sustentável. Gestão do Risco Profissional. Gestão do. Profissional

Responsabilidade social em acção e desenvolvimento sustentável. Gestão do Risco Profissional. Gestão do. Profissional Gestão do Risco Profissional 1 RESPONSABILIDADE SOCIAL CORPORATIVA A Responsabilidade Social Corporativa foi definida pela Comissão Europeia como sendo a integração, por parte das empresas, das suas preocupações

Leia mais

Mod PG Página 1 de 5

Mod PG Página 1 de 5 1. OBJETIVO Este procedimento estabelece a metodologia de definição, implementação e controlo de ações a desenvolver no caso de ser detetada a utilização de trabalho de menores, de forma a assegurar que:

Leia mais

nº 08/2016 PMAS - Pense no Meio Ambiente SIRTEC Tema: PREO

nº 08/2016 PMAS - Pense no Meio Ambiente SIRTEC Tema: PREO nº 08/2016 PMAS - Pense no Meio Ambiente SIRTEC Tema: PREO POLÍTICA INTEGRADA DE SEGURANÇA, SAÚDE E MEIO AMBIENTE POLÍTICA INTEGRADA Disponíveis nos murais e no site da empresa PRINCÍPIOS REQUISITOS LEGAIS:

Leia mais

Correlações: Artigo 4 e Anexo II alterados pela Resolução CONAMA nº 381/06

Correlações: Artigo 4 e Anexo II alterados pela Resolução CONAMA nº 381/06 RESOLUÇÃO CONAMA nº 306, de 5 de julho de 2002 Publicada no DOU n o 138, de 19 de julho de 2002, Seção 1, páginas 75-76 Correlações: Artigo 4 e Anexo II alterados pela Resolução CONAMA nº 381/06 Estabelece

Leia mais

Gestão da Tecnologia da Informação

Gestão da Tecnologia da Informação TLCne-051027-P0 Gestão da Tecnologia da Informação Disciplina: Governança de TI São Paulo, Setembro de 2012 0 Sumário TLCne-051027-P1 Conteúdo desta Aula Conclusão do Domínio de Processos PO (PO7 e PO8)

Leia mais

Responsabilidade da Direção

Responsabilidade da Direção 5 Responsabilidade da Direção A gestão da qualidade na realização do produto depende da liderança da alta direção para o estabelecimento de uma cultura da qualidade, provisão de recursos e análise crítica

Leia mais

REALIZAR PESQUISA DE SATISFAÇÃO HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: Vera Marques. Próxima revisão: após 1 ano da ultima aprovação

REALIZAR PESQUISA DE SATISFAÇÃO HISTÓRICO DE REVISÕES. Elaborado por: Vera Marques. Próxima revisão: após 1 ano da ultima aprovação REALIZAR PESQUISA DE SATISFAÇÃO HISTÓRICO DE REVISÕES Data Revisão Descrição da Revisão 00 Emissão Inicial 10/03/2012 01 Alteração do Formato; Exclusão do item 7 - Indicadores. Elaborado Revisado Glauber

Leia mais

O QUE É UM SISTEMA DE GESTÃO?

O QUE É UM SISTEMA DE GESTÃO? O QUE É UM SISTEMA DE GESTÃO? É UM SISTEMA DE GERENCIAMENTO DOS FATORES DE PRODUÇÃO, MÁQUINAS, EQUIPAMENTOS, PROCESSOS E RECURSOS HUMANOS, VOLTADOS PARA A SOBREVIVÊNCIA DA EMPRESA, ATRAVÉS DA BUSCA CONSTANTE

Leia mais

GESTÃO DA QUALIDADE COORDENAÇÃO DA QUALIDADE

GESTÃO DA QUALIDADE COORDENAÇÃO DA QUALIDADE Primeira 1/7 CONTROLE DE APROVAÇÃO ELABORADO REVISADO POR APROVADO Marcelo de Sousa Marcelo de Sousa Marcelo de Sousa Silvia Helena Correia Vidal Aloísio Barbosa de Carvalho Neto HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES

Leia mais

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS

POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS JUNHO DE 2016 Sumário POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS... 3 1 Objetivo... 3 2 Abrangência... 3 3 Princípios Norteadores... 3 4 Diretrizes... 4 5 Responsabilidades... 4 6 Endereço

Leia mais

Disciplina: Processos Organizacionais Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 05 FERRAMENTAS E MÉTODOS PARA A RACIONALIZAÇÃO DOS PROCESSOS

Disciplina: Processos Organizacionais Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 05 FERRAMENTAS E MÉTODOS PARA A RACIONALIZAÇÃO DOS PROCESSOS Disciplina: Processos Organizacionais Líder da Disciplina: Rosely Gaeta NOTA DE AULA 05 FERRAMENTAS E MÉTODOS PARA A RACIONALIZAÇÃO DOS PROCESSOS 4 Técnicas de Apoio à Melhoria de processo: As Sete Ferramentas

Leia mais

Código de Ética e Padrões de Conduta Profissional

Código de Ética e Padrões de Conduta Profissional Código de Ética e Padrões de Conduta Profissional Samba Investimentos Página1 Este manual de operações estabelece princípios e regras de conduta aplicáveis a todos colaboradores da Samba Investimentos

Leia mais

4.6. ATENDIMENTO ÀS METAS DO PLANO/PROGRAMA/PROJETO

4.6. ATENDIMENTO ÀS METAS DO PLANO/PROGRAMA/PROJETO 4.6. ATENDIMENTO ÀS METAS DO PLANO/PROGRAMA/PROJETO A planilha de atendimento às metas do projeto é apresentada na sequência. Metas Proporcionar os elementos necessários para que seja definido o processo

Leia mais

Riscos e Controles Internos

Riscos e Controles Internos Riscos e Controles Internos Ouvidoria: 0800-724-4010 ouvidoria@spinelli.com.br 1 Índice 1. Introdução 3 2. Objetivo 3 3. Estrutura de gerenciamento do risco operacional 4 4. Agentes da Estrutura de GRO

Leia mais

ISO/DIS Compreendendo a nova norma internacional para a saúde e segurança no trabalho. Mapping Guide

ISO/DIS Compreendendo a nova norma internacional para a saúde e segurança no trabalho. Mapping Guide ISO/DIS 45001 Compreendendo a nova norma internacional para a saúde e segurança no trabalho Mapping Guide ISO/DIS 45001 Compreendendo a nova norma internacional para a saúde e segurança no trabalho O novo

Leia mais

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12 CADERNO DE PROGRAMA AMBIENTAL EDUCACIONAL ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12 PROGRAMA DE REDUÇÃO DO VOLUME E DESTINAÇÃO CORRETA DE RESÍDUOS PERIGOSOS GERADOS Programa Nº 04/2016 Sumário

Leia mais

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL

ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL A Um Investimentos S/A CTVM atendendo às disposições da Resolução CMN 3.380/06 demonstra através deste relatório a sua estrutura do gerenciamento de risco

Leia mais

Normas ISO:

Normas ISO: Universidade Católica de Pelotas Tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas Disciplina de Qualidade de Software Normas ISO: 12207 15504 Prof. Luthiano Venecian 1 ISO 12207 Conceito Processos Fundamentais

Leia mais

Capítulo VII. Análise estratégica sobre a ABNT NBR ISO e as oportunidades para o mercado de eficiência energética Parte 2

Capítulo VII. Análise estratégica sobre a ABNT NBR ISO e as oportunidades para o mercado de eficiência energética Parte 2 52 Capítulo VII Análise estratégica sobre a ABNT NBR ISO 50001 e as oportunidades para o mercado de eficiência energética Parte 2 Requisitos gerais O capítulo 4 da ABNT NBR ISO 50001 Requisitos do Sistema

Leia mais

Programa obrigatório em qualquer empresa que possua funcionários regidos pela CLT, independente da quantidade. Deve ser coordenado por Médico com

Programa obrigatório em qualquer empresa que possua funcionários regidos pela CLT, independente da quantidade. Deve ser coordenado por Médico com Saúde e Segurança no Trabalho Gestão de Segurança na Construção Civil e Seus Pontos Positivos PCMSO Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional O que é? Programa obrigatório em qualquer empresa que

Leia mais

Trabalho apresentado para obtenção do Título de Especialista (Desp. N.º 8590/2010 de 20 de Maio)

Trabalho apresentado para obtenção do Título de Especialista (Desp. N.º 8590/2010 de 20 de Maio) Trabalho apresentado para obtenção do Título de Especialista (Desp. N.º 8590/2010 de 20 de Maio) IMPLEMENTAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO INTEGRADO DE QUALIDADE E AMBIENTE DE ACORDO COM OS REFERENCIAIS NORMATIVOS

Leia mais

Norma Portuguesa. Sistemas de gestão da segurança e saúde do trabalho Requisitos NP

Norma Portuguesa. Sistemas de gestão da segurança e saúde do trabalho Requisitos NP Norma Portuguesa NP 4397 Sistemas de gestão da segurança e saúde do trabalho Requisitos Systèmes de gestion de la sécurité et santé du travail Exigences Occupational health and safety management systems

Leia mais

ABNT NBR ISO Sistemas de Gestão da Segurança Manual do SGS

ABNT NBR ISO Sistemas de Gestão da Segurança Manual do SGS OBJETIVO DO SGS Para aumentar a segurança dos clientes e seus colaboradores, a Alaya Expedições montou um sistema de gestão baseado no princípio da melhoria contínua e na conformidade com a norma ABNT

Leia mais

Escola SENAI Alfried Krupp CFP 568

Escola SENAI Alfried Krupp CFP 568 Escola SENAI Alfried Krupp CFP 568 Projeto Coleta Seletiva Sumário 1. Objetivo: Descrição completa do objeto a ser executado --------------------------------- 3 2. Meta desejada: Descrição das Metas desejadas

Leia mais

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12

ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12 PROGRAMA AMBIENTAL EDUCACIONAL ESCOLA SENAI CELSO CHARURI UNIDADE SUMARÉ CFP 5.12 PROGRAMA DE CONTROLE E REDUÇÃO DE CONSUMO DE ENERGIA ELÉTRICA Programa Nº 03/2016 Sumário 1. Objetivo -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

PLANO DE TRABALHO DA CIPA Gestão 2015 / 2016

PLANO DE TRABALHO DA CIPA Gestão 2015 / 2016 PLANO DE TRABALHO DA CIPA Gestão 2015 / 2016 1. INTRODUÇÃO A Faculdade de Medicina Veterinária/UNESP Câmpus de Araçatuba, é uma instituição que possui como principais atividades: o Ensino e a Pesquisa.

Leia mais

ABNT NBR ISO/IEC NÃO CONFORMIDADES MAIS FREQUENTES

ABNT NBR ISO/IEC NÃO CONFORMIDADES MAIS FREQUENTES ABNT NBR ISO/IEC 17025 NÃO CONFORMIDADES MAIS FREQUENTES Item 4.1 Organização Legalidade do laboratório Trabalhos realizados em instalações permanentes Atendimento aos requisitos da Norma, necessidades

Leia mais

ISO GESTÃO DE ENERGIA. Nigel H Croft Presidente do Conselho APCER Brasil Chairman, ISO/TC176/SC2 Quality Systems

ISO GESTÃO DE ENERGIA. Nigel H Croft Presidente do Conselho APCER Brasil Chairman, ISO/TC176/SC2 Quality Systems ISO 50001 GESTÃO DE ENERGIA Nigel H Croft Presidente do Conselho APCER Brasil Chairman, ISO/TC176/SC2 Quality Systems INICIATIVAS RECENTES DA ISO NA AREA DE SUSTENTABILIDADE (Slide cortesia Sr Rob Steele,

Leia mais

USJ (26135) Plano de Ação Ambiental e Social (PAAS)

USJ (26135) Plano de Ação Ambiental e Social (PAAS) USJ (26135) Plano de Ação Ambiental e Social (PAAS) Sistema de Gestão Integrado Ação Resultado Prazo 1. Implementar Sistema de Gestão Integrado para Gestão Ambiental, Social e Social e de Saúde e Segurança

Leia mais

O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social

O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social Securitas Portugal O Sistema de Gestão de Responsabilidade Social Agosto de 2016 1 O Sistema de Gestão da Responsabilidade Social A SECURITAS desenvolveu e implementou um Sistema de Gestão de aspetos de

Leia mais

Fundamentos de Gestão de TI

Fundamentos de Gestão de TI Fundamentos de Gestão de TI Tópico IV Desenho de Serviço (ITIL V3) José Teixeira de Carvalho Neto desenho de serviço desenho de serviço Objetivo: desenhar e especificar serviços novos ou alterados para

Leia mais

Gerência de Projetos e Qualidade de Software. Prof. Walter Gima

Gerência de Projetos e Qualidade de Software. Prof. Walter Gima Gerência de Projetos e Qualidade de Software Prof. Walter Gima 1 OBJETIVOS O que é Qualidade Entender o ciclo PDCA Apresentar técnicas para garantir a qualidade de software Apresentar ferramentas para

Leia mais

Modelo de Gestão, Política Ambiental, Missão, Visão e Valores

Modelo de Gestão, Política Ambiental, Missão, Visão e Valores Escola Politécnica da USP Curso de Engenharia Ambiental Modelo de Gestão, Política Ambiental, Missão, Visão e Valores Princípios da Gestão Ambiental 1 Prioridade corporativa 9 - Pesquisa 2 Gestão Integrada

Leia mais