UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA HOSPITAL UNIVERSITÁRIO HU-UFJF

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA HOSPITAL UNIVERSITÁRIO HU-UFJF"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA HOSPITAL UNIVERSITÁRIO HU-UFJF GERENCIANDO ENXOVAL HOSPITALAR: REDUÇÃO DOS CUSTOS NAS UNIDADES DE SERVIÇO DE SAÚDE Kátia de Lima Passos Ferreira Hospital Universitário da UFJF Autora principal Rose Miranda da Silva Hospital Universitário da UFJF Co-autora Lourival Batista de Oliveira Júnior Faculdade de Economia da UFJF Co-autor Juiz de Fora 2013

2 GERENCIANDO ENXOVAL HOSPITALAR: REDUÇÃO DOS CUSTOS NAS UNIDADES DE SERVIÇO DE SAÚDE Managing outfits hospital: reducing costs in units of service of health RESUMO O gerenciamento do enxoval hospitalar tem se aperfeiçoado por meio do investimento em novas tecnologias, que auxilia o processo de controle do enxoval, de evasão, do tempo de vida útil de cada peça, controle de entrada e saída, inventário eletrônico, geração de relatórios e indicadores por meio de softwares, contendo dados exatos da localização das peças. Esta inovação possibilitará a geração de relatórios e indicadores por meio dos softwares de gerenciamento do enxoval para a gestão hospitalar. Nesse sentido, pretende-se avaliar a importância de tecnologias, por meio de um sistema informatizado, que será implantado no Hospital Universitário da UFJF, o qual servirá como modelo para as redes de sistemas de saúde de Minas Gerais. Os resultados deste estudo serão disponibilizados para instituições de saúde ligadas ao SUS, com montagem e realização de cursos de gestão de roupas, para melhorias nos processos do gerenciamento de enxoval hospitalar, divulgando o conhecimento do gerenciamento e qualidade dos serviços. No desenvolvimento deste projeto está prevista a elaboração de protocolos, treinamento de equipes para implantação de tecnologias e controle de qualidade. Palavras-chave: Gerenciamento do enxoval. Tecnologia. Cursos de Gestão.

3 1 INTRODUÇÃO O avanço tecnológico aplicado aos ambientes hospitalares e estabelecimentos de saúde por meio da informatização traz economia e redução de custos. As organizações hospitalares precisam acompanhar estes avanços com objetivo de melhorar seus processos de gerenciamento. O gestor hospitalar, precisa além de conhecimentos e atitudes, ter habilidade para conhecer os diferentes cenários futuros com suas implicações e metas da organização. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária - ANVISA (2007, p. 6), descreve que O processamento de roupas de serviços de saúde é uma atividade de apoio que influencia grandemente a qualidade da assistência à saúde, principalmente no que se refere à segurança e conforto do paciente e trabalhador. Ressaltar-se assim a importância do processo de higienização das roupas reduzindo o número de microorganismos patogênicos que podem causar doenças, reduzindo as infecções hospitalares. O gerenciamento das roupas não está aplicado somente em inventários, mas em registro de evasões, tempo de vida útil, controle de entrada e saídas das peças (rastreamento), contabilização mensal das quantidades de roupas distribuídas, confeccionadas, adquiridas e descartadas. Nascimento (2011, p.36), descreve uma maneira de minimizar a evasão de roupas como: Para que se possa minimizar este problema, algumas medidas podem ser adotadas, tais como, o controle de entrada e saída do paciente, conscientização por parte da equipe de enfermagem, implantação de uma rouparia central e utilização de código de barras nas roupas. Outra alternativa é a personalização do enxoval, através do impresso do logotipo da unidade hospitalar, evidenciando desta forma a propriedade do enxoval. A confecção de pacotes de enxoval também é uma opção, tendo em vista que será fornecido um pacote por paciente, auxiliando desta forma no controle de fornecimento da roupa.

4 A autora propõe uma fórmula para calcular o índice de evasão do enxoval de roupas hospitalares (Índice de Evasão = volume do inventário X 100/volume total do enxoval), sendo utilizado para diagnosticar possíveis problemas e buscar soluções para os mesmos. Nascimento (2011, p.36). Desta forma, conhecer bem uma organização hospitalar, bem como todos os processos e fluxos que o envolvem, é de suma importância ao gestor, que irá administrar esta organização, bem como os setores de almoxarifados, farmácia, nutrição e dietética, laboratórios, lavanderia e rouparia, entre outros. Alguns procedimentos são necessários para um melhor gerenciamento do enxoval, garantindo qualidade nos serviços. A contabilização mensal das quantidades de roupas distribuídas e adquiridas compreende um planejamento e a programação das necessidades e o controle de materiais, a fim de atender às demandas de usuários futuros Silva et al (2010, p.57). A elaboração da planilha informatizada com controle de fornecimento e recolhimento diário é utilizada como uma ferramenta para o estoque, quanto ao planejamento, registro e previsão do enxoval, servindo também como base para o inventário de roupas, levantando-se a quantidade existente de peças de roupas na instituição. Como processo de melhoria no gerenciamento do enxoval hospitalar, o Hospital Sírio Libanês destaca que a implantação de melhoria na qualidade e durabilidade do enxoval, prende-se na experiência do hospital na escolha de tecidos adequados com uma redução de 16% no peso do enxoval, proporcionando o mesmo conforto que os tecidos anteriores adquiridos, necessitando menos água para higienização das peças.

5 A redução do custo com a lavanderia promoveu uma economia financeira e na quantidade de água, alinhando este processo ao conceito de sustentabilidade da instituição, conforme publicação no Projeto Agenda Sustentável (2010, p.14). Faz-se necessário ter mecanismos eficazes no controle das peças de enxoval, por meio da inovação da tecnologia, como controle por meio de chips ou código de barras implantado nas peças do enxoval hospitalar, evitando o favorecimento da evasão, ou seja, o desaparecimento de peças do enxoval, antes mesmo de chegar à lavanderia, sendo este por furto, extravio, entre outros, dentro da organização hospitalar. Portanto, o hospital é uma das organizações mais complexas que existe, do que em qualquer outro tipo de organização, por existir vários setores que estão envolvidos, como se fossem pequenas empresa dentro do hospital, por exemplo, a farmácia, o serviço de nutrição, serviço de imagem, laboratório, recursos humanos, compras, almoxarifado, lavanderia, entre outros, que necessitam de uma gestão de processos e fluxos mais aplicados de forma integrada, para que todos os setores tenham um maior entendimento entre si. Spiller et al (2009, p.22) descrevem que alguns produtos são perecíveis e são perdidos por falhas no acondicionamento, na armazenagem, ou por expiração do prazo de validade. No entanto, os gestores devem estar atentos para que não haja perda dos recursos já investidos na organização, adequando os produtos, evitando a ociosidade de profissionais, infraestrutura e equipamentos. Nos casos de equipamentos tecnológicos, estes devem estar atualizados e inovados para que não se tornem obsoletos. Dessa forma, os hospitais devem estar atentos ao mercado tecnológico e inovador, para um melhor atendimento e agilidade em diagnosticar a doença, obter o resultado e tratar o paciente o mais breve possível.

6 O Hospital Universitário da UFJF, com a possibilidade real de instalação de uma nova unidade física, moderna e com infraestrutura que permitirá incorporação de tecnologia de ponta, pretende preparar-se para uma gestão de enxoval, baseado em inovação tecnológica quer seja por código de barras ou implantação de chip nas peças do enxoval, e que possa servir de modelos a outras instituições de saúde voltadas ao usuário do SUS. Como missão, o Hospital Universitário da UFJF tem como objetivo formar recursos humanos, gerar conhecimentos e prestar assistência de qualidade na área de saúde à comunidade e região, e como negócio ter assistência, ensino e pesquisa na área da saúde para o desenvolvimento da região (HU/UFJF, 2013). O Hospital Universitário é centro de referência ao atendimento de paciente do Sistema Único de Saúde, numa área de abrangência que engloba mais de 90 (noventa) municípios da Zona da Mata Mineira (UFJF, 2012). Os Hospitais Universitários são de grande importância para a formação dos multiprofissionais, contribuindo para a área da saúde e para a população. Bittar (2002) relata que o hospital universitário é uma propriedade pública ou privada, com necessidade das atividades de financiamento pelo governo para a formação de profissionais que atuarão na rede básica de saúde e nos hospitais públicos ou privados. O gerenciamento da roupa é um ponto de preocupação para qualquer organização hospitalar. Gerenciar a redução dos custos do enxoval hospitalar por meio desta ferramenta de tecnologia poderá minimizar os custos, controlando a distribuição e o rastreamento das peças do enxoval, ainda podendo ser controladas durante o processo de lavagem, reposição, armazenagem e estocagem.

7 Com a implantação desta tecnologia, outros bens do hospital podem ser monitorados e rastreados, com pequenas adequações, além da escolha certa do tipo de chip ou código barra, que podem ser implantados em bens patrimoniais, veículos, controle de medicamentos, almoxarifado, laboratório, entre outros que o gestor terá a visão do processo integrado à organização. A utilização de máquinas e equipamentos tem exigido o mínimo possível de intervenção humana na produção, sendo manuseado por meio de controles automático, mas que dependendo da complexidade das máquinas e equipamentos, exigirão pessoas qualificadas para sua operação, como exemplo exames de tomografia computadorizada, um sistema de ventilação mecânica (respirador) de um paciente internado numa unidade de cuidados intensivos, monitorização dos sinais vitais, entre outros (Spiller et al, 2009). Também não poderíamos deixar de mencionar a utilização de chips ou código de barras em medicamentos que serão dispensados por uma farmácia hospitalar, que tem auxiliado num maior controle e gerenciamento do estoque, o que já vem sendo utilizado na farmácia do Hospital Universitário de Juiz de Fora, uma vez que todo medicamento recebe uma etiqueta com código de barras, que já é uma inovação tecnológica presente neste, e ao dispensar o medicamento ao paciente, este, por meio do leitor de código de barras, registra no software para qual paciente foi prescrito, a baixa no estoque e o custo deste. 2 JUSTIFICATIVA O Hospital Universitário da Universidade Federal de Juiz de Fora está iniciando seu processo de ampliação da estrutura física, e após concluída sua construção, ocupará uma

8 área total de 54 mil metros quadrados. É um dos maiores investimentos da história da UFJF, tendo seu contrato assinado em 17 de agosto de 2012 para inicio das obras do novo HU, pelo reitor da UFJF, Henrique Duque, e com uma previsão de conclusão em dois anos. O novo complexo hospitalar contará com mais de 350 leitos do hospital, sendo que destes, 192 leitos serão destinados a internações, e uma capacidade de atendimento de 50 mil consultas/mês, que atenderá a população de Juiz de Fora e região, exclusivamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). O Hospital Universitário destaca-se em seu atendimento de alta complexidade, como o Serviço Hospitalar para Tratamento de AIDS, Terapia Renal Substitutiva (Hemodiálise), Terapia Nutricional (enteral e parenteral), Transplante de Medula Óssea (TMO) e Tomografias Computadorizadas, fortalecendo suas ações e serviços no atendimento do Sistema Único de Saúde e o atendimento aos municípios em seu redor. Desse modo, o gerenciamento do enxoval hospitalar, deverá estar em consonância com as novas dimensões do Hospital e acompanhar os avanços tecnológicos aplicáveis a esse gerenciamento, além de ser um modelo aos hospitais e estabelecimentos de saúde da rede pública no Estado de Minas Gerais. Para permitir o atendimento com qualidade nos serviços prestados pelo Hospital Universitário da UFJF, são necessárias implantação de tecnologias de controle de fluxo de roupas hospitalares, possibilitando a redução de custo das perdas por evasão, controle de entradas e saídas das roupas (rastreamento), tempo de vida útil das peças, contabilização e controle mensal das roupas distribuídas, confeccionadas, adquiridas e descartadas. Esta ferramenta de gerenciamento, por sua vez, será utilizada também, pelo serviço de camareira a ser implantado no Hospital. No entanto, a camareira utilizará do

9 programa já implantado no HU-UFJF, o Aplicativo de Gestão dos Hospitais Universitários (AGHU), para extrair um relatório diariamente do quantitativo de pacientes internados e dos leitos reservados para cirurgias, para que providenciem o enxoval a ser usado em cada enfermaria, na pediatria, na Unidade de Terapia Intensiva e no centro cirúrgico. A camareira terá um maior controle do enxoval, quanto à sua distribuição de peças limpas, estoque e reservas de leitos, com base no software do controle e gerenciamento de enxoval hospitalar, contribuindo para minimizar os custos de evasão, perdas e melhorar o controle das distribuições e recebimento do enxoval hospitalar. Esta ao dispensar o enxoval, fará uso do leitor para registrar para onde estão sendo encaminhadas as peças, que estarão identificadas com o chip ou código de barras. É de suma relevância a integração, a divulgação e a ampliação do conhecimento da metodologia a ser implantada do gerenciamento do enxoval hospitalar e o fluxo do processo, para os demais hospitais e estabelecimentos de saúde, envolvidos com a rede de atenção à saúde em Minas Gerais, como hospitais de pequeno, médio e grande porte, as Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e as Unidades de Atenção Primária à Saúde (UAPS). 3 A IMPORTÂNCIA DA TECNOLOGIA NO HOSPITAL Como mencionado anteriormente, o Hospital Universitário terá inicio em suas obras de ampliação da estrutura física, e este por sua vez usará das inovações e recursos da tecnologia para melhor atender seus clientes, quer seja no diagnóstico, no tratamento ou em equipamentos para realizações de cirurgias.

10 Silva (2010, p.25) descreve que a tecnologia é representada pelos recursos que tornaram possível o melhor uso da infraestrutura logística, e de todos os recursos a serem empregados, as pessoas tem seu papel importante na inovação tecnológica, pois estas deverão impetrar conhecimento, sem os quais seria impossível utilizar as máquinas, os programas e os equipamentos tecnológicos. Para um melhor gerenciamento e controle das roupas faz-se necessário os recursos da tecnologia, uma vez que no hospital como um todo, as tecnologias dos equipamentos estão presente para auxiliar nos diagnósticos, tratamento e até procedimentos cirúrgicos. Assim, os gestores hospitalares têm buscado um controle e aperfeiçoamento contínuo dos processos para a melhoria da qualidade dos produtos e serviços, com foco no cliente e na administração. Spiller (2009, p.140). Além do resultado alcançado, é necessário que se obtenha o controle dos processos para um aperfeiçoamento constante, além da tomada de decisões baseada em informações, banco de dados, levantamento de indicadores, monitoramento, relatórios, controle e registros. Estes processos de mensuração e análise são indispensáveis para viabilizar o cumprimento de metas e auxiliar os gestores nas tomadas de decisões e orientar quanto ás melhorias a serem feitas. A tecnologia, do ponto de vista de Spiller (2009, p. 158), é uma preocupação, quando descreve que a medicina do futuro dependerá da capacidade de as organizações incorporarem novas tecnologias e reverem seus processos operacionais. Os gestores devem estar atentos, pois há uma competição para se ganhar clientes, e aqueles que optarem por investimentos em tecnologia, estarão à frente nesta acirrada disputa pelo mercado. Dellagustinho (2012) relata a necessidade de possuir um sistema que auxiliasse no processo de controle do enxoval do Hospital Unimed de Caxias do Sul, tanto no controle da

11 vida útil quanto no controle da evasão. O sistema de processo de monitoramento das peças do enxoval, surgiu como ação preventiva na Auditoria Externa da Acreditação Hospitalar, em Outubro de Como benefício da implantação, descreve que se consegue detalhar melhor os motivos de manutenção e descarte das peças, controlar as entradas e saídas das peças e conhecer a taxa real das evasões. Magalhães (2008, p.16), relata uma publicação em revista, a respeito da implantação do sistema informatizado no enxoval hospitalar, da seguinte forma:... passamos a trabalhar com um sistema computadorizado em que fazíamos a leitura de cada peça do enxoval no momento da entrega (saída da lavanderia) e da apanha da roupa (chegada na lavanderia). Instalamos leitores de códigos de barra na área de separação prévia à lavagem e na expedição de roupas limpas e codificamos todas as peças, de acordo com a sua finalidade e o cliente. Desenvolvemos o sistema de leitura, treinando todo o pessoal e passamos a construir dentro do sistema uma série de relatórios para trabalharmos e obtermos resultados das leituras efetuadas. Diante da complexidade das informações hospitalares que são solicitadas e necessárias para tomadas de decisão, bem como sua análise em relação aos indicadores e relatórios gerados, a informatização torna-se imprescindível como uma melhoria contínua no gerenciamento hospitalar. A tecnologia e as inovações em equipamentos e aparelhos hospitalares vêm ganhando seu espaço, destacando sua relevância na melhoria, rapidez, qualidade, tratamento mais cedo da doença tão logo descubra, além do conforto e segurança no atendimento prestado ao paciente. Dada a importância ao desenvolvimento tecnológico, devido às constantes evoluções nos sistemas de diagnóstico e tratamentos, é viável que a organização hospitalar se envolva e participe desta nova tendência no mercado, monitorando a quantidade de cada peça utilizada por dia no hospital, determinando com uma margem menor de erros e com precisão a quantidade necessária de enxoval diária.

12 Deste modo, a implantação tecnológica surge como uma importante ferramenta no gerenciamento hospitalar, destacado por Silva et al (2010, p.137): O primeiro elemento significativo dessa revolução tecnológica na gestão logística foi o código de barras (CB), que nos últimos anos vem desempenhando papel relevante no processo de informatização nas áreas de produção e de logística. No entanto, esta tecnologia vem sendo uma tendência nos hospitais, como forma de controle do enxoval, além de gerar informações, dados, gráficos e relatórios importantes no controle das peças. Ao se implantar este processo tecnológico, é necessário uma estrutura para atender este serviço, necessitando dos leitores, um software próprio para o enxoval hospitalar com todas as informações que serão alimentadas no sistema, impressoras, entre outros equipamentos necessários ao processo. Os colaboradores que atuarão no setor de lavanderia e rouparia, além das camareiras, deverão ser capacitados sempre que necessários, além de realizarem cursos de reciclagem, aprendizagem e inovação de novas tecnologias neste empreendimento, à medida que forem surgindo novidades no ramo. Além do código de barras, já desenvolvido para o gerenciamento do enxoval hospitalar, os pesquisadores já avançaram na tecnologia, lançando o chip, identificado por radio frequência. Todo enxoval hospitalar são catalogados por meio de um chip colocado dentro de uma etiqueta costurada nas peças. Na prática, os chips são como minúsculos computadores alimentados de forma indutiva pela energia produzida pelos equipamentos de leitura, com sua capacidade de armazenamento reduzida, monitorando, rastreando e controlando as entradas e saídas de cada peça. Silva et al (2010).

13 4 HOSPITAIS QUE UTILIZAM O GERENCIAMENTO DE SISTEMA INFORMATIZADO NO ENXOVAL HOSPITALAR A implantação do sistema nos hospitais abaixo relacionados, obtiveram como benefícios associados a redução de custos, diminuição da evasão de roupas, controle de distribuição para os setores, entradas e saídas das peças. Os casos estudados de implantação da tecnologia para o gerenciamento no enxoval hospitalar foram o Hospital das Clínicas da Universidade Federal de Belo Horizonte e o Hospital Unimed Caxias do Sul. Conforme publicado na Revista da UFMG (2005), o Hospital das Clínicas da UFMG ostenta números grandiosos de atendimento em consultórios e cirúrgicos, que acaba ganhando individualidade em cada peça de roupa. São 300 itens na rouparia, sem contar os tamanhos que diferenciam as roupas de uso pessoal. É nessa linha que o Hospital das Clínicas começa a implantar, na sua rouparia, a etiquetação eletrônica, controle feito por códigos de barras. Este processo não só permite um controle interno mais ágil como também as evasões e as perdas, por transferência de pacientes para outras unidades, pois esse tipo de extravio é muito comum e pesa no orçamento, relata Márcia gerente do serviço de roupas e CME. Revista da UFMG (2005). O gerenciamento do enxoval do Hospital Unimed Caxias do Sul, segundo Dellagustinho (2012), ocorreu em 2007 a partir da implantação da lavanderia, surgindo a necessidade de possuir um sistema que auxiliasse no processo de controle do enxoval, tendo em vista o elevado índice de evasão e alto custo de reposição das mesmas.

14 Escolheu-se o método de identificação de cada peça de roupa com etiqueta de código de barras lavável e termo-resistente. Já em 2009, instalou-se dentro da área física da lavanderia, um software que interpreta cada peça por meio de leitores de código de barras, tornando possível identificar os itens principais de evasão de enxoval, tempo de vida útil de cada peça e controle das mesmas. Com o gerenciamento do enxoval comprovou que é possível minimizar custos, investindo em novas tecnologias e agregando qualidade a prestação de serviços. Dellagustinho (2012) relata que desde 2009, juntamente com o controle de peças de enxoval por meio de códigos de barra, o hospital foi contemplado com o Planejamento Estratégico, no que se refere às Estratégias de diferenciais competitivos, onde foi implantado o serviço de camareira, que tem como principal atividade o gerenciamento da liberação dos leitos, contemplando a troca de roupa de cama dos pacientes independentes, e ainda controla a rouparia nas unidades de internação, contribuiu para minimizar os custos de evasão, perdas e melhorar o controle das distribuições e recebimento do enxoval hospitalar. Contudo, este estudo de caso do Hospital Unimed Caxias do Sul contribuiu para um maior entendimento do processo, desde o método escolhido de identificação do enxoval, ou seja, de cada peça de roupa com etiqueta com código de barras lavável e termo-resistente utilizada no hospital, até a implantação do serviço de camareira, conforme relata Dellagustinho (2012).

15 4 OBJETIVOS Em termos gerais, objetiva-se: Avaliar a importância da incorporação de tecnologias, por meio de um sistema informatizado, no gerenciamento de enxoval hospitalar, que permitam controlar a evasão, o monitoramento, o estoque, a distribuição para os setores e as quantidades de peças encaminhadas e recebidas da lavanderia. Em termos específicos, objetiva-se: Conhecer e adequar ao serviço hospitalar, qual tipo de tecnologia será mais viável ao gerenciamento e à implantação, analisando o custo/benefício do chip e do código de barras às peças do enxoval. Estruturar e implantar curso de aperfeiçoamento para qualificação de pessoal para atuar nos serviços de rede de atenção de saúde em Minas Gerais, promovendo melhorias nos processos, fluxos, qualidade e controle de estoque; e construir um protocolo de gerenciamento de enxovais hospitalares. 5 METODOLOGIA A metodologia da pesquisa exploratória será utilizada para melhor compreendermos como será inserido o processo de gerenciamento do enxoval hospitalar, por meio da inovação tecnológica, buscando conhecer uma maior profundidade do assunto, de modo a torná-lo mais plausível.

16 Raupp e Beuren (1999) relatam que a pesquisa exploratória contribui para o esclarecimento de questões com poucas abordagens para o assunto, facilitando a delimitação sobre o tema da pesquisa. Para conhecimento teórico, dos processos e sobre a tecnologia e seus sistemas de informação, será obtido conhecimento teórico por meio de livros e artigos científico publicado. O conhecimento técnico sobre quais equipamentos, dentre eles, impressora, etiquetas laváveis e termossensíveis, leitor, chip, software, entre outros, também será pesquisado para conhecermos o mais viável e adaptável a ser implantado no enxoval hospitalar. Também serão realizadas participações em feiras de hotelaria hospitalar, pois nestes encontros são apresentados pelos fornecedores e fabricantes o que há de mais moderno e inovador na área tecnológica, além de congressos e seminários, com ganho de conhecimento e aperfeiçoamento sobre o assunto. Realizar um diagnóstico da situação do gerenciamento de enxoval do HU e dos serviços de rede de atenção de saúde, que são cenários para os profissionais em treinamento, entre eles os da Residência Médica e Multiprofissional. Visitar hospitais que implantaram o gerenciamento do enxoval, conhecendo melhor as tecnologias, o processo de implantação, seus equipamentos, software, técnicas utilizadas e os métodos de capacitação e treinamento para a qualificação dos profissionais. Levantamento dos recursos tecnológicos disponíveis e já testados com fornecedores e representantes destes equipamentos, buscando conhecer aqueles que são mais adequados e se apropriam à realidade dos sistemas de saúde da região.

17 Elaboração de protocolo gerencial do enxoval hospitalar, com mapeando dos fluxos e processos. Os funcionários e camareiras que estarão diretamente envolvidos nas atividades de rouparia, na distribuição, recebimento, estocagem das peças de roupas e identificação do enxoval hospitalar, serão capacitados por meio de cursos, quanto ao manuseio e desempenho das tarefas quanto ao novo sistema. 6 CRONOGRAMA O trabalho de pesquisa será desenvolvido em 18 meses, de acordo com o cronograma apresentado: Etapas da Pesquisa Trimestre 1) Revisão Bibliográfica X 2) Pesquisar hospitais que implantaram a tecnologia X 3) Pesquisar fornecedores e representantes X 4) Realizar visitas técnicas nos hospitais que implantaram o gerenciamento do enxoval por meio da tecnologia 5) Solicitar e organizar as visitas de fornecedores X 6) Solicitar orçamentos dos equipamentos X 1º 2º 3º 4º 5º 6º 7) Implantação dos equipamentos e teste da nova tecnologia X X 8) Treinamento e capacitação dos funcionários X X 9) Elaboração do protocolo gerencial X 10) Elaboração e montagem dos cursos X 11) Elaboração do relatório final X X

18 7 RESULTADOS A implantação do novo sistema informatizado possibilitará o gerenciamento do enxoval hospitalar trazendo economia nos custos para os sistemas da rede de atenção à saúde, além do controle de recebimento e distribuição de cada peça. Como já mencionado, a nova estrutura do Hospital Universitário da UFJF, contará com inovação de tecnologia em suas peças do enxoval hospitalar, obtendo um maior controle de evasão, rastreamento, estoque, localização, recebimento e distribuição do enxoval, além do custo reduzido de reposição de peças e extravios. Montagem e realização de cursos de gestão de roupas para os serviços de rede de atenção à saúde, para melhorias nos processos do gerenciamento de enxoval hospitalar, divulgando o conhecimento do gerenciamento e qualidade dos serviços. Possibilitar a geração de relatórios e indicadores por meio dos softwares de gerenciamento do enxoval para a gestão hospitalar, além de tomadas de decisão a partir da base de banco de dados alimentado diariamente. Eliminação do inventário manual do enxoval com ganho de tempo no inventário eletrônico por meio da tecnologia implantada, uma vez que as informações serão mais precisas, podendo ser fornecidas a qualquer momento. A camareira gerenciará com mais agilidade sua distribuição, localização e rastreamento das peças, por meio da tecnologia. Controle do fluxo no processo de entrada e saída das roupas. Implantação de protocolo gerencial no enxoval para os sistemas da rede de atenção à saúde.

19 8 ORÇAMENTO A pesquisa demandará recursos de equipamentos e material permanente, material bibliográfico, visitas técnicas e software conforme o orçamento apresentado abaixo: Tipo Equipamento e Material Permanente Material Bibliográfico Custeio Softwares 2 Laptops IBM Descrição Processador Intel Core 2 duo, 3 Gb de Memória Disco Rígido HD 250Gb Valor Unitário Total (R$) R$ 3.500,00 R$ 7.000,00 Gravador leitor CD-RW/DVD 1 Impressora Multifuncional HP Laserjet M1132 Laser: R$ 900,00 R$ 900,00 01 HD Portátil Externo 1 TB Samsung: R$ 525,90 R$ 525,90 2 Pen Drives 4 GB R$ 45,00 R$ 90,00 Impressora para etiqueta R$ 1.057,00 R$ 1.057,00 Prensa para etiqueta R$ 2.500,00 R$ 2.500,00 2 Leitor R$ 1.800,00 R$ 3.600,00 Bibliografia Básica (livros e periódicos) R$ 2.500,00 R$ 2.500,00 Material de Consumo: Papel A4 (500 unidades) 7 un. R$ 14,00 R$ 98,00 CD regravável (unidade) 5 un. R$ 1,00 R$ 5,00 Tinta para Impressora HP 74XL(Preto e Branco) 5un. R$ 110,00 R$ 330,00 Tinta para Impressora HP 75XL (Colorido) 2 un. R$ 130,00 R$ 390,00 Serviços de Terceiros: 2 Bolsista Administração (Bolsistas 4 horas) R$ 300,00 R$ 7.200,00 2 Bolsista Economia (Bolsistas 4 horas) R$ 300,00 R$ 7.200,00 Visitas técnicas (4 visitantes) Diárias (1 para cada visita) R$ 546,00 R$ 2184,00 Passagem (4) R$ 1.530,00 R$ 6.124,00 Licença Office 2007 (2 máquinas) R$ 1.000,00 R$ 2.000,00 2 Software para gerenciamento do enxoval R$ 950,00 R$ 1.900,00 Total R$ ,90

20 9 JUSTIFICATIVA DO ORÇAMENTO O apoio pretendido se justifica segundo um conjunto de material permanente e de gasto de custeio necessário conforme justificativas a seguir: 1. Microcomputadores: para acesso as informações por meio do software de gerenciamento do enxoval, alimentação do sistema, armazenamento das bases de dados, informações e execução das atividades envolvidas. Seu uso será feito pelos bolsistas envolvidos no projeto, bem como pelo coordenador e pesquisador do projeto. Para seu funcionamento pleno e proteção das informações é preciso que haja sua proteção por um antivírus e por outras ferramentas para impedir invasão por hackers. 2. Software: para o manuseio dos dados, montagem do banco de dados e gerenciamento do enxoval. Como são protegidos por leis de direitos autorais, precisa ser licenciado para funcionamento em computadores de instituições de ensino e pesquisa. Logo, são necessários recursos financeiros para sua aquisição. 3. Impressoras: para impressão dos documentos diversos gerados pela pesquisa, inclusive relatórios técnicos e artigos para publicação. 5. Material de informática e de escritório: CDs virgens para backup de dados, além de tinta (cartucho/toner) para impressão, papel A4. 7. Passagens, diárias e despesas de táxi: para viagens de curta duração voltadas para levantamento de dados e visitas técnicas nos hospitais. 8. Material bibliográfico: aquisição de livros com o conteúdo da literatura do referencial teórico sobre as tecnologias a serem implantadas e gerenciamento de enxoval hospitalar. 9. Serviços de terceiros: Bolsitas dos cursos de graduação de Administração e Economia para

Objetivo Principal. Objetivos Secundários

Objetivo Principal. Objetivos Secundários Objetivo Principal O Personal Med Hospitalar foi resultado de um longo esforço de O&M em hospitais de vários portes e regiões do Brasil. O sistema foi concebido a partir do detalhamento de 176 processos

Leia mais

GERENCIAMENTO DO ENXOVAL:

GERENCIAMENTO DO ENXOVAL: GERENCIAMENTO DO ENXOVAL: Evolução do controle de evasão da rouparia Enfª Jaqueline Vieira Dellagustinho HOSPITAL UNIMED CAXIAS DO SUL UNIMED NORDESTE-RS RS HOSPITAL UNIMED CAXIAS DO SUL HOSPITAL UNIMED

Leia mais

ANEXO II "AÇÕES DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E DE FORTALECIMENTO DA RAPS" INTEGRANTES, OU A SEREM INCLUÍDAS, NO PLANO DE AÇÃO DA RAPS

ANEXO II AÇÕES DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E DE FORTALECIMENTO DA RAPS INTEGRANTES, OU A SEREM INCLUÍDAS, NO PLANO DE AÇÃO DA RAPS ANEXO II "AÇÕES DE DESINSTITUCIONALIZAÇÃO E DE FORTALECIMENTO DA RAPS" INTEGRANTES, OU A SEREM INCLUÍDAS, NO PLANO DE AÇÃO DA RAPS EQUIPE DE DESINSTITCUIONALIZAÇÃO - MODALIDADE: VALOR DO PROJETO: 1. DADOS

Leia mais

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar

Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar Avaliação de Serviços de Higiene Hospitalar MANUAL DO AVALIADOR Parte I 1.1 Liderança Profissional habilitado ou com capacitação compatível. Organograma formalizado, atualizado e disponível. Planejamento

Leia mais

- SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ENXOVAL HOSPITALAR - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MÍNIMAS

- SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ENXOVAL HOSPITALAR - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MÍNIMAS - SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE ENXOVAL HOSPITALAR - ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS MÍNIMAS I - Aspectos gerais: 1. Sistema eletrônico para gestão e rastreamento do enxoval hospitalar, composto por etiquetas dotadas

Leia mais

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini

Outubro 2009. Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Outubro 2009 Carlos Eduardo Bizzotto Gisa Melo Bassalo Marcos Suassuna Sheila Pires Tony Chierighini Sustentabilidade Articulação Ampliação dos limites Sistematização Elementos do Novo Modelo Incubação

Leia mais

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL

Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Experiência: REDUÇÃO DA TAXA DE CANCELAMENTO DE CIRURGIAS ATRAVÉS DA OTIMIZAÇÃO DO PROCESSO ASSISTENCIAL Hospital de Clínicas de Porto Alegre Ministério da Educação Responsável: Sérgio Carlos Eduardo Pinto

Leia mais

"Acreditação: Valeu a pena investir na Certificação de Qualidade?" Centro Integrado de Atenção a Saúde CIAS Unimed Vitória - ES

Acreditação: Valeu a pena investir na Certificação de Qualidade? Centro Integrado de Atenção a Saúde CIAS Unimed Vitória - ES "Acreditação: Valeu a pena investir na Certificação de Qualidade?" Centro Integrado de Atenção a Saúde CIAS Unimed Vitória - ES AGENDA Programação do Evento - Histórico do Centro Integrado de Atenção a

Leia mais

3 - Introdução. gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos. 11 - Indicadores operacionais. 14 - Indicadores financeiros.

3 - Introdução. gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos. 11 - Indicadores operacionais. 14 - Indicadores financeiros. 3 - Introdução 4 - Quais são as métricas para alcançar uma boa ÍNDICE As Métricas Fundamentais da Gestão Hospitalar gestão hospitalar? 8 - Indicadores clínicos 11 - Indicadores operacionais 14 - Indicadores

Leia mais

COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR?

COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR? COMO O INVESTIMENTO EM TI PODE COLABORAR COM A GESTÃO HOSPITALAR? Descubra os benefícios que podem ser encontrados ao se adaptar as novas tendências de mercado ebook GRÁTIS Como o investimento em TI pode

Leia mais

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA

RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA RELAÇÃO DE DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA COMPROVAÇÃO DOS ITENS DE VERIFICAÇÃO - UPA Quando da apresentação de protocolos, manual de normas e rotinas, procedimento operacional padrão (POP) e/ou outros documentos,

Leia mais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais O Modelo de Gestão FHEMIG e a Prestação de Contas ao Paciente: a implantação do sistema de custos hospitalares e o uso da informação de custos como ferramenta gerencial da transparência do gasto público

Leia mais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais

Márcia Mascarenhas Alemão Gerência Observatório de Custos/ Diretoria de Desenvolvimento Estratégico Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais O Modelo de Gestão FHEMIG e a Prestação de Contas ao Paciente: a implantação do sistema de custos hospitalares e o uso da informação de custos como ferramenta gerencial da transparência do gasto público

Leia mais

Anexo III MODELO PARA ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS DE REFERÊNCIA

Anexo III MODELO PARA ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS DE REFERÊNCIA ANEXO DO EDITAL Anexo III MODELO PARA ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS DE REFERÊNCIA Outubro - 2012 Anexo III MODELO PARA ELABORAÇÃO DE PLANO DE NEGÓCIOS DE REFERÊNCIA INTRODUÇÃO O presente ANEXO tem como

Leia mais

Márcia Mascarenhas Alemão Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais

Márcia Mascarenhas Alemão Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais PREMIO CHICO RIBEIRO SOBRE INFORMAÇÃO DE CUSTOS E QUALIDADE DO GASTO NO SETOR Público O Modelo de Gestão FHEMIG e a Prestação de Contas ao Paciente: a implantação do sistema de custos hospitalares e o

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÂO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (CCIH) E SERVIÇO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (SCIH) DO HU/UFJF

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÂO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (CCIH) E SERVIÇO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (SCIH) DO HU/UFJF REGIMENTO INTERNO DA COMISSÂO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (CCIH) E SERVIÇO DE CONTROLE DE INFECÇÃO HOSPITALAR (SCIH) DO HU/UFJF CAPÍTULO I DA DENOMINAÇÃO Artigo 1º Atendendo à Portaria de número

Leia mais

Anexo D Divisão de Análises Clínicas HU/UFSC. Versão 01. Atribuições dos Cargos

Anexo D Divisão de Análises Clínicas HU/UFSC. Versão 01. Atribuições dos Cargos DOC MQB -02 MQB.pdf 1/5 Cargo: Assistente de Laboratório 1. Planejar o trabalho de apoio do laboratório: Interpretar ordens de serviços programadas, programar o suprimento de materiais, as etapas de trabalho,

Leia mais

ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR

ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR ATIVIDADES TÍPICAS DOS CARGOS DE NÍVEL SUPERIOR DENOMINAÇÃO DO CARGO: ANALISTA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO Desenvolver e implantar sistemas informatizados, dimensionando requisitos e funcionalidades do

Leia mais

Logística e distribuição de medicamentos Gestão compartilhada Vanusa Barbosa Pinto Coordenadora do Núcleo de Assistência Farmacêutica HCFMUSP

Logística e distribuição de medicamentos Gestão compartilhada Vanusa Barbosa Pinto Coordenadora do Núcleo de Assistência Farmacêutica HCFMUSP Logística e distribuição de medicamentos Gestão compartilhada Vanusa Barbosa Pinto Coordenadora do Núcleo de Assistência Farmacêutica HCFMUSP Diretora da Divisão de Farmácia ICHC Agenda Perfil Farmácia

Leia mais

I M P L E M E N TA Ç Ã O D O C Ó D I G O B I D I M E N S I O N A L D A T A M A T R I X

I M P L E M E N TA Ç Ã O D O C Ó D I G O B I D I M E N S I O N A L D A T A M A T R I X I M P L E M E N TA Ç Ã O D O C Ó D I G O B I D I M E N S I O N A L D A T A M A T R I X T E C N O L O G I A D A I N F O R M A Ç Ã O C Ó D I G O B I D I M E N S I O N A L D A T A M A T R I X PROCESSOS E

Leia mais

DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA

DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA DIRETRIZES PARA AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS E SERVIÇOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DA AUTORIDADE PÚBLICA OLÍMPICA 1 APRESENTAÇÃO Este conjunto de diretrizes foi elaborado para orientar a aquisição de equipamentos

Leia mais

OPERACIONAIS ADMINISTRATIVAS

OPERACIONAIS ADMINISTRATIVAS PROCESSOS OPERACIONAIS ADMINISTRATIVAS PROCESSOS CONSULTORIA EM GESTÃO E CONTROLES PROJETOS PARA USO DE TECNOLOGIAS CONTROLE DE ENXOVAIS NAS ROUPARIAS E LAVANDERIAS MACRO FLUXO PROCESSO Fixação TAG ARMÁRIO

Leia mais

Projeto Saúde On-line

Projeto Saúde On-line Projeto Saúde On-line Sistemas de computadorizados de registro médico e tecnologia de informação em saúde. INTRODUÇÃO: Visando organizar o acesso aos serviços, agilizar processo, impactar na qualidade

Leia mais

Claudilene Fernandes da Silva

Claudilene Fernandes da Silva CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde CONSCIENTIZAÇÃO E EDUCAÇÃO EM SAÚDE NA IMPLANTAÇÃO ACOLHIMENTO COM CLASSIFICAÇÃO DE RISCO: ASSEGURANDO SATISFAÇÃO

Leia mais

SAÚDE. Coordenador: Liliane Espinosa de Mello

SAÚDE. Coordenador: Liliane Espinosa de Mello Coordenador: Liliane Espinosa de Mello SAÚDE Visão: Que Santa Maria seja o principal Polo na Área de Saúde do interior do Rio Grande do Sul, contribuindo para a melhor qualidade de vida da população da

Leia mais

Conceitos ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Comunicação; Formas de escritas; Processo de contagem primitivo;

Conceitos ADMINISTRAÇÃO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Comunicação; Formas de escritas; Processo de contagem primitivo; Conceitos Comunicação; Formas de escritas; Bacharel Rosélio Marcos Santana Processo de contagem primitivo; roseliomarcos@yahoo.com.br Inicio do primitivo processamento de dados do homem. ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC

Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC Pode Judiciário Justiça do Trabalho Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região ATRIBUIÇÕES DOS CARGOS DE DIREÇÃO E CHEFIAS DA SETIC 1. Diretor da Secretaria de Tecnologia da Informação e Comunicação Coordenar

Leia mais

GERENCIAMENTO DE MATERIAIS MÉDICOS HOSPITALARES

GERENCIAMENTO DE MATERIAIS MÉDICOS HOSPITALARES GERENCIAMENTO DE MATERIAIS MÉDICOS HOSPITALARES Jurema da Silva Herbas Palomo Diretora Coordenação de Enfermagem Instituto do Coração HC / FMUSP Enfermeiro Gestor Compete a responsabilidade da n Definição

Leia mais

GSUS Sistema de Gestão Hospitalar e Ambulatorial do SUS

GSUS Sistema de Gestão Hospitalar e Ambulatorial do SUS GSUS Sistema de Gestão Hospitalar e Ambulatorial do SUS O sistema GSUS é uma aplicação WEB para gestão operacional da assistência de saúde executada a nível hospitalar ou ambulatorial, tendo como foco

Leia mais

Modelo de Plano de Ação

Modelo de Plano de Ação Modelo de Plano de Ação Para a implementação da Estratégia Multimodal da OMS para a Melhoria da Higiene das Mãos Introdução O Modelo de Plano de Ação é proposto para ajudar os representantes de estabelecimentos

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA. Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo

ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA. Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo ASSISTÊNCIA FARMACÊUTICA Flávia Soveral Miranda Luciana de Camargo Padrão Nível 1 Uso seguro e racional de medicamentos Dimensões da qualidade Aceitabilidade, adequação e integralidade Assistência Farmacêutica

Leia mais

PLANO DE SEGURANÇA DO PACIENTE NORMA Nº 648

PLANO DE SEGURANÇA DO PACIENTE NORMA Nº 648 Página: 1/4 1- OBJETIVO Definir estratégias para garantir a segurança do paciente, visando minimizar os riscos durante os processos associados aos cuidados de saúde através da implementação de boas práticas

Leia mais

Contrato de Suporte End.: Telefones:

Contrato de Suporte End.: Telefones: Contrato de Suporte Contrato de Suporte Desafios das empresas no que se refere à infraestrutura de TI Possuir uma infraestrutura de TI que atenda as necessidades da empresa Obter disponibilidade dos recursos

Leia mais

Planejar Soluções em TI e Serviços para Agronegócio. Software de Gestão Rural ADM Rural 4G

Planejar Soluções em TI e Serviços para Agronegócio. Software de Gestão Rural ADM Rural 4G Planejar Soluções em TI e Serviços para Agronegócio Software de Gestão Rural ADM Rural 4G 2011 ADM Rural 4G Agenda de Apresentação E Empresa Planejar O Software ADM Rural 4G Diferenciais Benefícios em

Leia mais

A ESCOLHA DO SOFTWARE PARA INFORMATIZAÇÃO DA SUA EMPRESA

A ESCOLHA DO SOFTWARE PARA INFORMATIZAÇÃO DA SUA EMPRESA A ESCOLHA DO SOFTWARE PARA INFORMATIZAÇÃO DA SUA EMPRESA Necessidade de informatizar a empresa Uma senhora muito simpática, Dona Maria das Coxinhas, feliz proprietária de um comércio de salgadinhos, está,

Leia mais

Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês AÇÕES SUSTENTÁVEIS DO HOSPITAL GERAL DO GRAJAÚ

Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês AÇÕES SUSTENTÁVEIS DO HOSPITAL GERAL DO GRAJAÚ Instituto de Responsabilidade Social Sírio-Libanês AÇÕES SUSTENTÁVEIS DO HOSPITAL GERAL DO GRAJAÚ Autores: Raphaella Rodrigues de Oliveira Gerente de Hotelaria; Rafael Saad Coordenador Administrativo.

Leia mais

Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você.

Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você. Universidade Anhembi Morumbi On-line. Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. Tudo a um clique de você. Educação a Distância Anhembi Morumbi Agora você pode estudar em uma universidade internacional

Leia mais

A experiência do IRSSL com o Contrato de Gestão do HMIMJ

A experiência do IRSSL com o Contrato de Gestão do HMIMJ A experiência do IRSSL com o Contrato de Gestão do HMIMJ O contexto Sociedade Beneficente de Senhoras Hospital Sírio Libanês (2005) Assistencialismo Hospital Municipal Infantil Menino Jesus (2005) Responsabilidade

Leia mais

Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte SISTEMA SAÚDE EM REDE - SISREDE

Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte SISTEMA SAÚDE EM REDE - SISREDE Projeto de Informatização da Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte SISTEMA SAÚDE EM REDE - SISREDE Belo Horizonte Pop. estimada: 2.375.151 hab. (estimativas IBGE 2010) Informatização da Rede

Leia mais

Publicado nos Anais do VI Workshop GESITI e Evento Acoplado II GESITI/Saúde. 17/18 Juno de 2010. ISSN: 1807-9350. Relatório:

Publicado nos Anais do VI Workshop GESITI e Evento Acoplado II GESITI/Saúde. 17/18 Juno de 2010. ISSN: 1807-9350. Relatório: Relatório: UMA AVALIAÇÃO DA GESTÃO DOS SISTEMAS E TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NOS HOSPITAIS DO MUNICÍPIO DE JAÚ E GARÇA, REGIÃO CENTRO-OESTE DO ESTADO DE SÃO PAULO Paulo Fernando R. de Almeida Prof. Ms.

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

FEATI - Faculdade de Educação, Administração e Tecnologia de Ibaiti Mantida pela União das Instituições Educacionais do Estado de São Paulo UNIESP

FEATI - Faculdade de Educação, Administração e Tecnologia de Ibaiti Mantida pela União das Instituições Educacionais do Estado de São Paulo UNIESP PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS IBAITI/PR 2013 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVOS... 3 3 ATUALIZAÇÃO DO PARQUE TECNOLÓGICO... 3 3.1 Laboratório de Informática, Departamentos Acadêmicos

Leia mais

POLÍTICA DE ATENDIMENTO AOS USUÁRIOS DE T.I.

POLÍTICA DE ATENDIMENTO AOS USUÁRIOS DE T.I. POLÍTICA DE ATENDIMENTO AOS USUÁRIOS DE T.I. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 3. ATENDIMENTO AOS USUÁRIOS DE T.I. 3.1.1. Diretrizes 3.1.2. Responsabilidades 4. SERVIÇOS 4.1.1. Reparos efetuados

Leia mais

gesacad GESTÃO ACADÊMIDA DE ESCOLAS

gesacad GESTÃO ACADÊMIDA DE ESCOLAS gesacad GESTÃO ACADÊMIDA DE ESCOLAS Mais de uma década de experiência e evolução é o que dá ao sistema uma vasta gama de funcionalidades. Esse conhecimento que faz total diferença para sua empresa. xp+

Leia mais

www.sishosp.com.br (19) 3241.3535 Conheça o software de gestão ideal para a sua instituição

www.sishosp.com.br (19) 3241.3535 Conheça o software de gestão ideal para a sua instituição www.sishosp.com.br (19) 3241.3535 Conheça o software de gestão ideal para a sua instituição Transforme sua instituição em uma empresa altamente eficaz. Só mesmo quem administra uma instituição sabe como

Leia mais

ARANDU SISTEMAS. Apresentamos a ARANDU SISTEMAS empresa sediada em Londrina no Paraná, com mais de 15 anos de experiência no varejo.

ARANDU SISTEMAS. Apresentamos a ARANDU SISTEMAS empresa sediada em Londrina no Paraná, com mais de 15 anos de experiência no varejo. ARANDU SISTEMAS Apresentamos a ARANDU SISTEMAS empresa sediada em Londrina no Paraná, com mais de 15 anos de experiência no varejo. A ARANDU SISTEMAS tem primado pela excelência e eficácia de seus produtos

Leia mais

FACULDADE ERNESTO RISCALI

FACULDADE ERNESTO RISCALI PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DE EQUIPAMENTOS OLÍMPIA 2015 Rua Bruno Riscali Vila Hípica Olímpia (SP) - (17) 3281-1231 CEP: 15400-000 2 PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS. 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Detalhamento da Implementação Concessão de Empréstimos, ressarcimento dos valores com juros e correção monetária. Localizador (es) 0001 - Nacional

Detalhamento da Implementação Concessão de Empréstimos, ressarcimento dos valores com juros e correção monetária. Localizador (es) 0001 - Nacional Programa 2115 - Programa de Gestão e Manutenção do Ministério da Saúde 0110 - Contribuição à Previdência Privada Tipo: Operações Especiais Número de Ações 51 Pagamento da participação da patrocinadora

Leia mais

CARTA DE SÃO PAULO 5º CONGRESSO BRASILEIRO SOBRE O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS E A SEGURANÇA DO PACIENTE

CARTA DE SÃO PAULO 5º CONGRESSO BRASILEIRO SOBRE O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS E A SEGURANÇA DO PACIENTE CARTA DE SÃO PAULO 5º CONGRESSO BRASILEIRO SOBRE O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS O USO RACIONAL DE MEDICAMENTOS E A SEGURANÇA DO PACIENTE A realização do I Congresso Brasileiro sobre o Uso Racional de Medicamentos

Leia mais

Sistemas de Informação Hospitalar: Presente e Futuro

Sistemas de Informação Hospitalar: Presente e Futuro Sistemas de Informação Hospitalar: Presente e Futuro Halley Johanston Unysis Corporation, EUA Revista Informédica, 1 (2): 5-9, 1993. A utilização da Informática na gestão hospitalar evoluiu, nos últimos

Leia mais

Gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR.

Gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR. Gerenciamento de estoque de materiais de manutenção em uma indústria de reciclagem de chumbo em Cascavel-PR. Barbara Monfroi (Unioeste) bmonfroi@gmail.com Késsia Cruz (Unioeste) kessia.cruz@hotmail.com

Leia mais

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica Edital 1/2014 Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica A (PoloSul.org) torna pública a presente chamada e convida os interessados para apresentar propostas de incubação

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Agência Nacional de Vigilância Sanitária Segurança da Informação (Gerenciamento de Acesso a Sistemas de Informação) Projeto a ser desenvolvido no âmbito da Gerência de Sistemas/GGTIN Brasília, junho de

Leia mais

Apresentação do Serviço de Outsourcing de Impressão IMPRIMA COM ECONOMIA E SUSTENTABILIDADE!

Apresentação do Serviço de Outsourcing de Impressão IMPRIMA COM ECONOMIA E SUSTENTABILIDADE! Apresentação do Serviço de Outsourcing de Impressão IMPRIMA COM ECONOMIA E SUSTENTABILIDADE! A EMPRESA A Fast Solution é uma empresa especializada em desenvolver soluções integradas em sistemas de impressão,

Leia mais

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA Gabinete de Consultoria Legislativa RESOLUÇÃO DE MESA N.º 806/2007. (publicada no DOE nº 236, de 13 de dezembro de 2007) Dispõe sobre o Programa de Gerenciamento

Leia mais

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social

RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014. Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social RELATÓRIO ANUAL DAS ATIVIDADES DESENVOLVIDAS / 2014 Convênio Municipal Secretaria de Desenvolvimento Social Entidade: Grupo de Pesquisa e Assistência ao Câncer Infantil Endereço: Rua Antônio Miguel Pereira

Leia mais

Metas de desempenho, indicadores e prazos. de execução

Metas de desempenho, indicadores e prazos. de execução Metas de desempenho, indicadores e prazos de execução HOSITAL UNIVERSITÁRIO GETÚLIO VARGAS DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAZONAS NOVEMBRO DE 2013 1 SUMÁRIO 1. Indicadores... 3 2. Quadro de Indicadores de

Leia mais

Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN

Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN Hospital Universitário Ana Bezerra HUAB/UFRN DIMENSIONAMENTO DE SERVIÇOS ASSISTENCIAIS E DA GERÊNCIA DE ENSINO E PESQUISA BRASÍLIA-DF, 27 DE MARÇO DE 2013. Página 1 de 20 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 3 1.1.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA 1 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO CURSO DE BIBLIOTECONOMIA Cássia Regina Batista Clarissa Kellermann de Moraes Ivan Mário da Silveira Márcia Dietrich Santiago Proposta

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Considerando a necessidade de padronização da metodologia de análise, dos critérios de avaliação e do fluxo de encaminhamento da proposta institucional submetida à Chamada Pública MCTI/FINEP/CT-INFRA PROINFRA

Leia mais

HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ

HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ HOSPITAL SÃO RAFAEL TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ Origem A preocupação com as questões sociais fez com que o professor e sacerdote italiano D. Luigi Maria Verzé chegasse ao Brasil, em 1974, através do Monte

Leia mais

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO)

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO) EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 CONCESSÃO PARA AMPLIAÇÃO, MANUTENÇÃO E EXPLORAÇÃO DOS AEROPORTOS INTERNACIONAIS BRASÍLIA CAMPINAS GUARULHOS EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA

Leia mais

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades

Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades Descrição dos Cargos, Atribuições e Responsabilidades 1. DESCRIÇÕES DO CARGO - ESPECIALISTA EM DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIA NUCLEAR E DEFESA a) Descrição Sumária Geral Desenvolver, projetar, fabricar,

Leia mais

Proposta Comercial. Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing. Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao»

Proposta Comercial. Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing. Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao» Proposta Comercial Empresa «Nome_da_empresa» Solução BPO Business Process Outsourcing Número Proposta «Numero_Proposta» - «Versao» Data 14 de setembro de 2012 Preparado para: «Nome» «Sobrenome» 1. Objetivo

Leia mais

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS

INTRODUÇÃO OBJETIVOS GERAIS E ESPECÍFICOS INTRODUÇÃO Com base no Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais - REHUF, destinado à reestruturação e revitalização dos hospitais das universidades federais, integrados

Leia mais

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ

DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ DOCUMENTO FINAL 11ª CONFERÊNCIA DE SAÚDE DO PARANÁ EIXO 1 DIREITO À SAÚDE, GARANTIA DE ACESSO E ATENÇÃO DE QUALIDADE Prioritária 1: Manter o incentivo aos Programas do Núcleo Apoio da Saúde da Família

Leia mais

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO

O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO O SEBRAE E O QUE ELE PODE FAZER PELO SEU NEGÓCIO Competividade Perenidade Sobrevivência Evolução Orienta na implantação e no desenvolvimento de seu negócio de forma estratégica e inovadora. O que são palestras

Leia mais

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde. dos Trabalhadores da Saúde

CURSO DE ATUALIZAÇÃO. Gestão das Condições de Trabalho e Saúde. dos Trabalhadores da Saúde CURSO DE ATUALIZAÇÃO Gestão das Condições de Trabalho e Saúde dos Trabalhadores da Saúde O HOSPITAL DAS CLÍNICAS DA UFMG E A EBSERH: APROIMAÇÃO ENTRE A GESTÃO E OS TRABALHADORES EM UM CONTETO DE MUDANÇAS

Leia mais

Linha Criativa por Lunzayiladio Hervé Maimona PORTFOLIO

Linha Criativa por Lunzayiladio Hervé Maimona PORTFOLIO PORTFOLIO 2014 A LINHA CRIATIVA é uma solução de TI focada em produtos inteligentes e simples, actuando no sector de empresas de médio e pequeno porte, nas áreas de terceirização, infra-estrutura, suporte,

Leia mais

Nutrição e dietética:

Nutrição e dietética: O sistema permite o cadastro de vários almoxarifados, e controla os estoques separadamente de cada um, bem como o cadastro de grupos de estocagem, visando o agrupamento dos insumos estocáveis, classificados

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE PARACAMBI

SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE PARACAMBI SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE PARACAMBI PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAUDE 2014 PROGRAMA: 06 Administração Governamental. Objetivo: Promover ações indispensáveis ao funcionamento administrativo e operacional

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA

TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA (TR) GAUD 4.6.8 01 VAGA 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Contratação de consultoria pessoa física para serviços de preparação

Leia mais

Introdução à tecnologia RFID

Introdução à tecnologia RFID Sumário Como surgiu a tecnologia RFID... 2 Como funciona?... 2 Quais os benefícios e onde utilizar o sistema de RFID... 4 Utilização proposta... 4 Etapas para leitura de dados via RFID... 5 Diagrama de

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DO ENXOVAL HOSPITALAR. ENFª ELISABETE REINEHR Março 2015

DIMENSIONAMENTO DO ENXOVAL HOSPITALAR. ENFª ELISABETE REINEHR Março 2015 DIMENSIONAMENTO DO ENXOVAL HOSPITALAR ENFª ELISABETE REINEHR Março 2015 ENXOVAL HOSPITALAR É o conjunto de roupas utilizadas pelos hospitais com a finalidade de atender os diversos serviços e procedimentos

Leia mais

PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS

PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS PLANO DE ATUALIZAÇÃO E MANUTENÇÃO DOS EQUIPAMENTOS 1. INTRODUÇÃO As Faculdades mantidas pelo Instituto Educacional de Assis IEDA (Escola de Educação Física de Assis, Faculdade de Administração de Assis,

Leia mais

Planejamento Estratégico

Planejamento Estratégico Planejamento Estratégico A decisão pela realização do Planejamento Estratégico no HC surgiu da Administração, que entendeu como urgente formalizar o planejamento institucional. Coordenado pela Superintendência

Leia mais

OUVIDORIA VIVA RIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS

OUVIDORIA VIVA RIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS OUVIDORIA VIVA RIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS CONTEÚDO 1. OUVIDORIA INTERNA... 4 2. OUVIDORIA EXTERNA... 6 3. PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO... 7 4. CALL CENTER ATIVO DA SAÚDE... 12 5. OUVIDORIA UNIDADES

Leia mais

Medware Clínicas Sistema de Gerenciamento de Clínicas e Consultórios

Medware Clínicas Sistema de Gerenciamento de Clínicas e Consultórios Medware Clínicas Sistema de Gerenciamento de Clínicas e Consultórios A Empresa MEDWARE Sistemas Médicos Ltda A Medware Sistemas Médicos é uma empresa de desenvolvimento de sistemas voltada para a criação

Leia mais

O Banco do Brasil não exige que o toner seja original, cabe ao fornecedor oferecer a melhor proposta desde que atenda ao item 2.24.2 e 2.26.

O Banco do Brasil não exige que o toner seja original, cabe ao fornecedor oferecer a melhor proposta desde que atenda ao item 2.24.2 e 2.26. 1 Dúvida: Diretoria de Apoio aos Negócios e Operações Referente aos itens: item 1.3.3.3., item 2.24, item 2.24.2. Entendemos que todos os PROPONENTES deveriam ofertar apenas toners originais do fabricante

Leia mais

POA 2007 - TCE/MA De 01/01/2007 a 31/12/2007

POA 2007 - TCE/MA De 01/01/2007 a 31/12/2007 Extrato de Programação de POA Emitido Em 19/12/2007 13:15:45 POA 2007 - TCE/MA De 01/01/2007 a 31/12/2007 Identificação Tipo: Projeto Nº de revisão: 1 Última modificação em: 06/03/2007 Setor Responsável:

Leia mais

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar

A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS. A decisão de automatizar A ESCOLHA DE SISTEMA PARA AUTOMAÇÃO DE BIBLIOTECAS A decisão de automatizar 1 A decisão de automatizar Deve identificar os seguintes aspectos: Cultura, missão, objetivos da instituição; Características

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 2. Finanças 2.1 Orçamento anual integrado Objetivo: Melhorar

Leia mais

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/novos-cursos.html

http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/novos-cursos.html www.cni.org.br http://www.portaldaindustria.com.br/senai/iniciativas/programas/educacao-a-distancia/2012/09/1,5682/novos-cursos.html Novos Cursos O SENAI criou 40 novos cursos a distância, sendo 10 cursos

Leia mais

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS APRESENTAÇÃO ROTEIRO PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS Breve histórico da instituição seguido de diagnóstico e indicadores sobre a temática abrangida pelo projeto, especialmente dados que permitam análise da

Leia mais

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social

Desenvolvimento de Novos Produtos e Serviços para a Área Social Programa 0465 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO - INTERNET II Objetivo Incrementar o grau de inserção do País na sociedade de informação e conhecimento globalizados. Público Alvo Empresas, usuários e comunidade

Leia mais

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002.

Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. Portaria nº 339 de 08 de Maio de 2002. O Secretário de Assistência à Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 866, de 09 de maio de 2002, que cria os mecanismos para organização

Leia mais

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE

Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE Belo Horizonte 2011 Felipe Pedroso Castelo Branco Cassemiro Martins BALANCED SCORECARD FACULDADE BELO HORIZONTE

Leia mais

PREFEITURA DE NOVO HAMBURGO INFORMATIZA SERVIÇOS DE SAÚDE E TRAZ MELHORIAS PARA CIDADÃOS E PROFISSIONAIS DA REDE

PREFEITURA DE NOVO HAMBURGO INFORMATIZA SERVIÇOS DE SAÚDE E TRAZ MELHORIAS PARA CIDADÃOS E PROFISSIONAIS DA REDE Case de Sucesso Integrando CIOs, gerando conhecimento. PREFEITURA DE NOVO HAMBURGO INFORMATIZA SERVIÇOS DE SAÚDE E TRAZ MELHORIAS PARA CIDADÃOS E PROFISSIONAIS DA REDE Perfil A Secretaria Municipal da

Leia mais

Padronizar fluxo de entrada de enxoval limpo e procedimentos de controle e distribuição das roupas

Padronizar fluxo de entrada de enxoval limpo e procedimentos de controle e distribuição das roupas 1/6 1. OBJETIVO Padronizar fluxo de entrada de enxoval limpo e procedimentos de controle e distribuição das roupas utilizadas no Hospital Santa Helena, com qualidade, e de forma diferenciada, para atender

Leia mais

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS

SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL SGA MANUAL CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS CESBE S.A. ENGENHARIA E EMPREENDIMENTOS SISTEMA DA GESTÃO AMBIENTAL MANUAL Elaborado por Comitê de Gestão de Aprovado por Paulo Fernando G.Habitzreuter Código: MA..01 Pag.: 2/12 Sumário Pag. 1. Objetivo...

Leia mais

LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO

LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO LINHA CRIATIVA, Informática & Soluções PORTFOLIO 2015 A LINHA CRIATIVA é uma solução de TI focada em produtos inteligentes e simples, actuando no sector de empresas de médio e pequeno porte, nas áreas

Leia mais

ENGENHARIA DE SOFTWARE

ENGENHARIA DE SOFTWARE Pág. 1 0. ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO...2 2. OBJETIVOS....2 3. ESTIMATIVAS DO PROJETO....4 4. RISCOS DO PROJETO....5 4.1. Identificação e Análise dos Riscos....5 4.1.1. Riscos de Projeto...6 4.1.2. Riscos Técnicos....6

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE

DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE DISCIPLINA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE I MSP 0670/2011. SISTEMAS DE SAÚDE Paulo Eduardo Elias* Alguns países constroem estruturas de saúde com a finalidade de garantir meios adequados para que as necessidades

Leia mais

Segurança do Paciente e Atendimento de Qualidade no Serviço Público e Privado

Segurança do Paciente e Atendimento de Qualidade no Serviço Público e Privado Simpósio Mineiro de Enfermagem e Farmácia em Oncologia Belo Horizonte - MG, setembro de 2013. Segurança do Paciente e Atendimento de Qualidade no Serviço Público e Privado Patricia Fernanda Toledo Barbosa

Leia mais