PERCEPÇÃO DA POPULAÇÃO EM RELAÇÃO AO ESGOTAMENTO SANITÁRIO DO MUNICÍPIO DE NOVO HAMBURGO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PERCEPÇÃO DA POPULAÇÃO EM RELAÇÃO AO ESGOTAMENTO SANITÁRIO DO MUNICÍPIO DE NOVO HAMBURGO"

Transcrição

1 PERCEPÇÃO DA POPULAÇÃO EM RELAÇÃO AO ESGOTAMENTO SANITÁRIO DO MUNICÍPIO DE NOVO HAMBURGO Milena Rossetti (1) Biomédica, Especialista em acupuntura clínica. Técnica Química da Comusa - Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo/RS. Atua na Coordenação Socioambiental da empresa, onde desenvolve diversos trabalhos na área de educação socioambiental, ministrando cursos e palestras em instituições públicas e privadas. Atua também como técnica no tratamento de água e esgoto. Celso Palma Técnico em Química. Graduando em Engenharia Química. Técnico em Tratamento de Água e Esgoto da Comusa Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo/RS. Atua na Coordenação Socioambiental da empresa orientando visitas técnicas e ministrando cursos e palestras em instituições públicas e privadas. Fábio Hickmann Técnico em administração. Atua na área de mobilização social na Coordenação Socioambiental da Comusa Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo. Jorge Luiz Maciel Ortiz Educador social. Atua na área de educação socioambiental na Coordenação Socioambiental da Comusa Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo. Nemar Gil Limeira Neto Administrador com habilitação em Gestão Hospitalar. Especialista em Planejamento Estratégico. Graduando em Formação Docente e graduando em Psicologia Clínica. Rodrigo Luis Schilling Tecnólogo em Processos Gerenciais. Graduando em Filosofia Licenciatura. Atua como auxiliar administrativo e atua na área de educação socioambiental na Comusa Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo. Endereço (1) : Av. Cel Travassos, nº287 Bairro Rondônia Novo Hamburgo - RS - CEP: Brasil - Tel: +55 (51) ASSEMAE - Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento 1

2 RESUMO O grau de evolução de uma comunidade é identificado pela forma como ela trata seus recursos hídricos e seu lixo. No passado, a água e o esgoto seguiram caminhos diferentes em Novo Hamburgo. Enquanto quase 99% da população hamburguense tem acesso à água potável encanada, pouco mais de 4,5% desse total é atendido pelo tratamento de esgoto, logo o esgotamento sanitário não é culturalmente compreendido pela população. A presente pesquisa foi realizada com o objetivo de conhecer a percepção dessa população atendida pela coleta e tratamento de esgoto cloacal, em relação a seu funcionamento e aos benefícios oriundos desse ao meio ambiente. Para isso foi aplicado um questionário por amostragem, para um universo de 1755 economias. Após o término da pesquisa e correlação das informações obtidas, constatamos que grande maioria da população atendida pelo esgotamento sanitário não sabe como é realizada a coleta e tratamento do esgoto, logo não tem consciência de como seu comportamento em relação ao descarte de alguns resíduos pode afetar a qualidade desses processos. Como solução para esses problemas, acreditamos em futuras ações de educação ambiental no município relacionadas à conscientização dos prejuízos causados ao meio ambiente e ao sistema de esgotamento sanitário pelo descarte incorreto de resíduos sólidos. Palavras-chave: Esgotamento sanitário, esgoto cloacal, percepção, resíduos sólidos, saneamento. INTRODUÇÃO/OBJETIVOS O saneamento básico é um serviço que tem como principal objetivo a manutenção da vida com qualidade através da oferta de água potável e do esgotamento sanitário com sua coleta e tratamento devendo ser, portanto, um direito de todos, conforme rege a Constituição Brasileira de 1988 (OLIVEIRA, C. F., 2005). A falta de sistemas de esgotamento sanitário adequados faz com que a população utilize-se de ligação do seu esgoto doméstico em galerias de águas pluviais e do lançamento in natura. Essas formas inadequadas de encaminhar os esgotos sanitários trazem sérias conseqüências para o meio ambiente e para a saúde pública, poluindo mananciais e contaminando águas naturais, que nem sempre passam por estações de tratamento eficientes antes do abastecimento público (GIESTA et al, 2005). ASSEMAE - Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento 2

3 A Prefeitura Municipal de Novo Hamburgo, no ano de 1998, como alternativa para suprir os constantes colapsos no sistema de abastecimento de água na cidade ocorridos na época, passa a gerenciar o saneamento básico do município, compreendido pelo abastecimento de água potável e esgotamento sanitário. No passado, a água e o esgoto seguiram caminhos diferentes em Novo Hamburgo, cuja realidade não difere dos demais municípios brasileiros. Enquanto quase 99% da população hamburguense têm acesso à água potável encanada, com uma produção mensal em torno de 1,7 bilhões de litros de água, pouco mais de 4,5% desse total é atendido pelo tratamento de esgoto. Todavia, os recentes programas do governo federal, com investimentos para a melhoria do saneamento básico, vêm mudando esse cenário em todas as regiões do País, como é o exemplo do município de Novo Hamburgo. O município iniciou em 2011 a maior obra de saneamento da sua história, a qual, depois de concluída, coletará e tratará 80% do esgoto cloacal da cidade. Hoje Novo Hamburgo possui 13 loteamentos com coleta e tratamento de esgoto cloacal. O município de Novo Hamburgo situa-se a noroeste do estado do Rio Grande do Sul, possui uma área territorial é de 223,821km², e tem uma população estimada de habitantes, conforme dados do IBGE Com base na ausência do tema tratamento do esgoto cloacal em Novo Hamburgo por muitos anos, devido ao pouco tempo em que se encontra em funcionamento as estações de tratamento de esgoto (ETEs) e ao pequeno percentual da população contemplada com tratamento de esgoto cloacal, o mesmo não é culturalmente compreendido pela população do município. A presente pesquisa foi realizada com o objetivo principal de conhecer a percepção da população hamburguense atendida pela coleta e tratamento de esgoto sanitário em relação ao mesmo, ao seu funcionamento e aos benefícios oriundos desse tratamento ao meio ambiente e, fazer um levantamento sobre a percepção da população em relação ao descarte dos resíduos de suas atividades diárias, tendo em vista o aspecto histórico e cultural. METODOLOGIA Para alcançarmos o objetivo de conhecer a percepção da população atendida pelo esgotamento sanitário em relação ao serviço, foi utilizado o sistema de questionário para levantamento de dados por via direta. O universo da pesquisa compreende a população urbana atendida pela coleta e tratamento de esgoto cloacal no município de Novo Hamburgo, num total de 1755 economias (residências). ASSEMAE - Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento 3

4 Para esse estudo se usou o método de amostragem calculada de acordo com técnica estatística de amostragem para população finita sendo utilizado um nível de confiança de 95% com precisão de 7% gerando uma amostra mínima de 177 economias. Os instrumentos adotados para a coleta dos dados deste trabalho estão descritos na tabela 1. Tabela 1 Resumo dos instrumentos de coleta de dados pra realização do estudo, seu universo pesquisado e a finalidade de cada instrumento. Instrumento de coleta de Universo Pesquisado Finalidade do instrumento dados Entrevista Biólogo responsável pelo Coletar informações sobre os tratamento de esgoto, principais resíduos que operadores das ETEs, interferem na coleta e servidores da equipe de tratamento de esgoto desobstrução de rede. Observação direta Redes coletoras de esgotos Compreender como é cloacal e pluvial, gradeamento das ETEs. realizada a desobstrução da tubulação de esgoto; observar os resíduos sólidos presentes nessas e no gradeamento das ETEs. Revisão bibliográfica Sites, artigos científicos, Levantar informações monografias de conclusão de curso. bibliográficas para servir de embasamento e material de apoio para nosso estudo. Aplicação do questionário População atendida pela Buscar a percepção do público coleta e tratamento de esgoto alvo em relação ao cloacal na população de Novo esgotamento sanitário. Hamburgo. O questionário aplicado se constituiu de 19 perguntas, sendo essas de múltipla escolha e dissertativas. Para uma melhor elaboração desse questionário foram realizadas entrevistas com o biólogo da autarquia, operadores das estações de tratamento de esgoto e servidores do setor de desentupimento da rede de esgoto, a fim de averiguar o tipo e a quantidade de resíduos que chegam às estações e que são encontrados nas tubulações da rede de esgoto, os principais resíduos responsáveis pelas obstruções das mesmas e os principais problemas causados nestas ASSEMAE - Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento 4

5 obstruções. Também foi acompanhado o trabalho da equipe de desentupimento de esgoto e realizadas visitas as ETEs com o mesmo objetivo. De posse das informações, o questionário foi elaborado e aplicado à população jovem (a partir de 15 anos) e adulta residente em loteamentos que possuem coleta e tratamento de esgoto cloacal em áreas urbanas do município. A seleção dos entrevistados foi de forma aleatória considerando somente o local geográfico da economia (rua e avenida). Foram aplicados 201 questionários, número um pouco acima do necessário. As aplicações dos questionários foram realizadas entre os dias 05 e 30 de janeiro de RESULTADOS O tratamento de esgoto não está culturalmente implantado na cidade de Novo Hamburgo. Para confirmar essa tese, foram incluídas no questionário de percepção em relação ao esgotamento sanitário as perguntas elencadas a seguir. Você sabia que seu loteamento possui tratamento de esgoto? A maioria dos entrevistados, 83,25%, responderam afirmativamente, porém uma parcela significativa, 16,75%, afirmaram não ter conhecimento que seu loteamento possui tratamento de esgoto. Qual o destino do esgoto de sua residência? As respostas para essa questão de múltipla escolha encontram-se na Figura 01. Figura 01: Respostas a pergunta sobre o destino do esgoto das residências. ASSEMAE - Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento 5

6 Você sabia que seu loteamento tem duas redes de esgoto distintas, uma para o esgoto doméstico e outra para água da chuva? Dos entrevistados 57,7% responderam ter conhecimento que o loteamento possui duas redes coletoras e 42,3% responderam que não. Voce sabia que toda a água que você utiliza dentro de casa vai para o tratamento de esgoto e a água da chuva (pátio e telhado) não? Praticamente metade dos entrevistados, 54,2%, reponderam não ter essa informação e a outra metade, 45,8%, responderam ter conhecimento dessa informação. Você sabia que os canos de esgoto têm diâmetros pequenos e que os resíduos podem entupir os mesmos? A maioria dos entrevistados responde ter conhecimento dessa informação, 71,1%, e 28,9% relatou desconhecer a mesma. Quem tem a responsabilidade pelo esgoto cloacal na sua cidade? Mais da metade da população antedida pelo esgotamento sanitário, 64,1%, sabe que é de responsabilidade da Comusa o tratamento de esgoto cloacal da cidade. As demais respostas dessa pergunta de múltipla escolha se encontram demonstradas na figura 02. Figura 02: Respostas para a pergunta de quem é a responsabilidade do esgoto cloacal no município de Novo Hamburgo. Quem tem a responsabilidade sobre o esgoto pluvial em sua cidade? Apenas 27,1% dos entrevistados acreditam ser de responsabilidade da Comusa. A maioria da população tem a informação correta de que a Prefeitura Municipal é responsável pelo esgoto pluvial no município de Novo Hamburgo. O restante das respostas para essa questão de múltipla encolha se encontram representadas na figura 03. ASSEMAE - Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento 6

7 Figura 03: Respostas dadas à pergunta sobre quem é o responsável do esgoto pluvial no município de Novo Hamburgo. Você sabia que sua casa não precisa ter fossa e sumidouro ou filtro porque seu loteamento tem tratamento de esgoto? Dos entrevistados 62,7% reponderam negativamente e 37,3% responderam saber a informação. Através dos relatos dos operadores das estações de tratamento de esgoto, do biólogo da Comusa, e da equipe de desentupimento das redes de esgoto, elencamos os principais resíduos encontrados nas tubulações e no gradeamento das estações, os quais são: bitucas de cigarro, tampas de garrafa PET; absorventes, preservativos, papéis, cabelos, sacos plásticos, pedaços de madeira, roupas e resíduos de óleo. Conforme conversa com o biólogo da Comusa, os resíduos sólidos podem obstruir parcialmente e até mesmo totalmente os sistemas de gradeamento e as tubulações das redes de esgoto, danificar as bombas hidráulicas das estações de bombeamento de esgoto e ETEs, dentre outros problemas. Nas visitas as ETEs e acompanhamento de equipe de desentupimento de rede cloacal, podemos observar a presença de muitos resíduos sólidos, os mesmos relatados nas entrevistas descritas anteriormente. Esses relatos e observações originaram as perguntas descritas a seguir. Quais os resíduos que não devem ser colocados na rede de esgoto? Para essa pergunta dissertativa, os itens mais respondidos foram óleos, restos de comida, papel higiênico, plásticos, latas e demais resíduos sólidos. Você descarta ou varre alguma sujeira para os ralos do pátio? 98,4% responderam que não descarta resíduos nos ralos do pátio e apenas 1,6% admite descartar resíduos nos ralos do pátio. ASSEMAE - Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento 7

8 Qual seria o local adequado para descarte dos resíduos do pátio? As respostas para essa pergunta dissertativa encontram-se representadas na Figura 04. Figura 04: Resposta sobre o local adequado para descarte dos resíduos do pátio. O que você faz com o óleo de cozinha? A resposta para essa questão de múltipla escolha encontra-se na Figura 05. Figura 05: Respostas sobre o local de descarte do óleo de cozinha. ASSEMAE - Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento 8

9 Onde você descarta os seguintes materiais: papel higiênico, camisinha, papel de bala, garrafa plástica, frasco de xampu, tecido/pano de limpeza, escova de dente e pasta de dente, escova de cabelos? Trata-se de uma pergunta dissertativa, cujas respostas encontram-se na Tabela 02. Tabela 2 Respostas obtidas no questionamento quanto ao local de descarte de alguns resíduos sólidos. Lixo (%) Reciclagem (%) Não sabe (%) Papel higiênico 100% 0% 0% Camisinha 99,5% 0% 0,5% Papel de bala 100% 0% 0% Garrafa plástica 78,5% 21,5% 0% Frasco de xampu 88,3% 11,7% 0% Tecido/pano de limpeza 99,5% 0,5% 0% Escova de dente/pasta 99,0% 1,0% 0% Cabelos 98,5% 0,5% 1,0% Além dos resíduos sólidos informados, o biólogo chama a atenção para solventes, tintas, óleo de cozinha, óleo lubrificante, medicamentos, dentre outras substâncias, que a população tem por costume descartar na rede de esgoto (derrama no vaso sanitário). Estes produtos podem inibir o desenvolvimento dos microrganismos que realizam a depuração dos poluentes do esgoto, diminuindo assim a eficiência da estação de tratamento de esgoto. Essa observação originou as perguntas a seguir: Você sabia que são bactérias que realizam o tratamento de esgoto e que tintas, óleos, inseticidas, medicamentos podem matar essas bactérias? Para essa pergunta, 76,8% dos entrevistados responderam que não sabiam e, apenas 23,2% afirmaram ter essa informação. Em caso de medicamentos vencidos, qual seria o local adequado para descarte? As respostas para essa questão de múltipla escolha encontram-se na Figura 06. ASSEMAE - Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento 9

10 Figura 06: Respostas sobre o local adequado para descarte dos medicamentos vencidos. Você considera importante o tratamento de esgoto no seu loteamento? Quase a totalidade dos entrevistados, 99%, responderam que consideram importante ter tratamento de esgoto no loteamento. Quando questionados sobre o porquê da importância em ter um tratamento de esgoto no loteamento, as respostas mais freqüentes foram: pela manutenção da saúde; para manter as condições de limpeza e higiene e não haver proliferação de mosquitos e outros vetores no local; para evitar a degradação do meio ambiente; para termos uma água de melhor qualidade; para preservar o rio e os córregos. Por que o esgoto cloacal precisa ser tratado antes do seu lançamento nos córregos e no rio? A maioria dos entrevistados se referiu à diminuição da carga poluidora lançada no rio e consequentemente uma melhor qualidade da água do mesmo. Em menor número relataram a saúde e a preservação da vida aquática do rio como fatores relacionados ao tratamento do esgoto cloacal antes do lançamento no córrego/rio. Na sua percepção quais os pontos positivos e negativos do tratamento de esgoto cloacal no seu loteamento? A maioria dos entrevistados não nos forneceu exemplos claros de pontos positivos e negativos, apenas respondiam que só viam pontos positivos. Alguns relataram como pontos negativos o mau cheiro proveniente de algumas das ETEs e o valor cobrado pelo mesmo, 70% do valor do consumo de água potável. Você ou um familiar já apresentou doenças relacionadas à falta de saneamento? Dos entrevistados, 22 pessoas, 10,4%, responderam sim a esse questionamento. Quando perguntado qual seria a doença, as respostas foram: diarréia (17 respostas), dor de estômago (2 respostas), vômito (1 resposta), parasitose (1 resposta) e azia (1 resposta). ASSEMAE - Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento 10

11 DISCUSSÃO No Brasil, segundo dados do IBGE 2008, 55,16% dos municípios possuem rede coletora de esgoto. Entre esses, apenas um pouco mais da metade, 51,71%%, trata o esgoto cloacal antes do seu lançamento nos córregos ou rios. No Rio Grande do Sul a situação do esgotamento sanitário fica um pouco abaixo desta, com 40,52% dos seus municípios com coleta de esgoto e, apenas 37,31% destes com tratento de esgoto. Em outras palavras, dos 496 municípios que compõe o estado do Rio Grande do Sul, apenas 118 municípios, 15,12% do total, tratam seu esgoto cloacal, muitos em pequenas quantidades, como é o caso de Novo Hamburgo, com 4,5% do seu esgoto cloacal tratado. O esgoto cloacal não tratado além de prejudicar o meio ambiente, influencia negativamente a saúde da população. O contato com esgoto cloacal contaminado com agentes patogênicos pode causar doenças como diarréia, cólera, hepatite, leptospirose, febre tifóide, algumas parasitoses, dentre outras. Podemos verificar a influencia positiva do esgotamento sanitário na saúde da população durante a aplicação do questionário, pois dos 10,4% dos entrevistados que responderam já ter tido doenças relacionadas a falta de saneamento ou saneamento inadequado, praticamente todos informaram a doença foi anterior a implantação do tratamento de esgoto cloacal. Apesar da maioria da população, 81,4%, saber que é contemplada com coleta e tratamento de esgoto cloacal, apenas 61% entende que o esgoto de sua residência vai para esse tratamento. Podemos perceber que a população não recebeu e/ou não compreendeu de forma eficaz informações básicas referentes ao funcionamento do esgotamento sanitário, tendo em vista que praticamente metade dos entrevistados não sabe que o loteamento possui duas redes de esgoto distintas, uma para o cloacal e outra para o pluvial, e que as águas provenientes do pluvial não são tratadas e sim lançadas diretamente no arroio, diferentemente das águas do esgoto cloacal, as quais são enviadas para as ETEs. Uma preocupação surgida no decorrer do questionário é de que uma parcela muito pequena dos entrevistados, 23,2%, sabe como é realizado o tratamento de esgoto e que os resíduos lançados na rede de esgoto podem influenciar negativamente a eficácia do tratamento deste. Mais da metade da população não sabe onde descartar um medicamento vencido, sendo o descarte incorreto prejudicial ao meio ambiente e ao sistema de esgotamento sanitário. Averiguamos também que uma parte significativa da população está confusa em relação aos órgãos responsáveis pelos esgotamentos no município de Novo Hamburgo, os quais são: Comusa responsável pelo cloacal - e Prefeitura Municipal responsável pelo pluvial. ASSEMAE - Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento 11

12 As respostas dadas sobre os locais de descarte de resíduos sólidos não condizem com a realidade, uma vez que nas respostas dadas sobre o local adequado para descarte de papel higiênico, camisinhas e cabelos, a grande maioria afirma colocar os mesmos no lixo, porém encontramos grandes quantidades destes nas ETEs e nas tubulações de esgoto. Isso nos mostra que a população possui informações sobre o local adequado de descarte, porém não dá o destino correto. O valor cobrado pela Comusa para o esgotamento sanitário, 70% do valor do consumo de água potável, ou seja, em torno de 50% do valor da conta de água, citado por vários entrevistados como um dos pontos negativos fazem parte do grupo de 47% dos municípios do Rio Grande do Sul que aplicam cobranças de tratamento de esgoto com taxas maiores que 50% em relação ao valor da conta de água, conforme dados do IBGE, CONCLUSÃO Após o término da pesquisa, compilação dos resultados e avaliação das informações, constatamos que, apesar da maioria da população saber que é contemplada com tratamento de esgoto, uma parcela ainda não tem essa informação. Constatamos que grande maioria da população atendida pelo esgotamento sanitário não sabe como é realizado o tratamento do esgoto, logo não tem consciência de como seu comportamento em relação ao descarte de alguns resíduos pode afetar o tratamento do esgoto. Como solução para esses problemas, acreditamos em futuras ações de educação ambiental relacionadas à conscientização sobre os prejuízos causados pelo descarte incorreto desses materiais no meio ambiente e ao tratamento do esgoto cloacal. Devido a uma cultura de não tratamento de esgoto no município de Novo Hamburgo em conjunto com as respostas dadas ao questionário aplicado durante nosso estudo, concluímos que a população carece de esclarecimentos em relação ao esgotamento sanitário, sua função e sobre seu funcionamento. Se faz necessário um trabalho de educação ambiental com intuito de transmitir conhecimentos relacionados aos cuidados necessários com as redes coletoras de esgoto, sobre a importância do bom funcionamento do tratamento de esgoto cloacal, o custo do processo e, principalmente, referentes às atitudes de cada indivíduo e de como uma escolha correta pode influenciar diretamente no sucesso do tratamento de esgoto e, consequentemente, na preservação do ambiente e até mesmo na melhoria das condições ambientais atuais. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ASSEMAE - Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento 12

13 IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais. Pesquisa Nacional de Saneamento Básico, Disponível em <http://www.ibge.gov.br>. Acesso em: [02/02/2015]. GIESTA, J. P.; NETO, C. O. A.; SCUDELARI, A. C. Efeitos da implantação de sistemas de esgotamento sanitário sobre doenças infecciosas e parasitárias em um bairro da cidade de Natal / RN. In: Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental, 23, 2005, Campo Grande. Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental. Saneamento ambiental Brasileiro: Utopia ou realidade? Rio de Janeiro, p.1-9. SANTOS, GLAUBER EDUARDO DE OLIVEIRA. Cálculo amostral: calculadora on-line. Disponível em: <http://www.calculoamostral.vai.la>. Acesso em: [29/01/2015]. LIMA, CLAUDIA REGINA O.P., Cálculo das Probabilidades e Estatísticas I: Notas de Aula: Período 1998/1 Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia, Pernambuco. OLIVEIRA, J. C. Saneamento e urbanização. Diário de Natal, Caderno Cidades. Natal, p6, 22, maio ASSEMAE - Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento 13

Copasa obtém resultados eficientes no tratamento de esgoto em Serro

Copasa obtém resultados eficientes no tratamento de esgoto em Serro Copasa obtém resultados eficientes no tratamento de esgoto em Serro Inaugurada há pouco mais de 3 anos, Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) garante melhorias na qualidade da água do córrego Lucas, que

Leia mais

SITUAÇÃO DO SANEAMENTO BÁSICO DO BAIRRO KIDÉ, JUAZEIRO/BA: UM ESTUDO DE CASO NO ÂMBITO DO PET CONEXÕES DE SABERES SANEAMENTO AMBIENTAL

SITUAÇÃO DO SANEAMENTO BÁSICO DO BAIRRO KIDÉ, JUAZEIRO/BA: UM ESTUDO DE CASO NO ÂMBITO DO PET CONEXÕES DE SABERES SANEAMENTO AMBIENTAL SITUAÇÃO DO SANEAMENTO BÁSICO DO BAIRRO KIDÉ, JUAZEIRO/BA: UM ESTUDO DE CASO NO ÂMBITO DO PET CONEXÕES DE SABERES SANEAMENTO AMBIENTAL Juliana Maria Medrado de Melo (1) Graduanda em Engenharia Agrícola

Leia mais

tratamento e disposição final adequados dos esgotos sanitários, desde as ligações prediais até o lançamento final no meio ambiente (BRASIL, 2007).

tratamento e disposição final adequados dos esgotos sanitários, desde as ligações prediais até o lançamento final no meio ambiente (BRASIL, 2007). II-156 - AVALIAÇÃO DO ESGOTAMENTO SANITÁRIO NOS BAIRROS JARDIM NOVO ENCONTRO, MARIA GORETTI E PIRANGA EM JUAZEIRO-BA, COMO AÇÃO DO PET CONEXÕES DE SABERES - SANEAMENTO AMBIENTAL - UNIVASF Julliana Melo

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Saneamento Básico, Diagnóstico Ambiental, Infraestrutura.

PALAVRAS-CHAVE: Saneamento Básico, Diagnóstico Ambiental, Infraestrutura. VI-039 - SANEAMENTO BÁSICO: UMA ANÁLISE ESTRUTURAL DO BAIRRO PEDRA DO LORDE EM JUAZEIRO-BA, COMO AÇÃO DO PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL PET CONEXÕES DE SABERES - SANEAMENTO AMBIENTAL. Roberta Daniela da

Leia mais

A visão social em relação ao sistema de saneamento e a importância da sociedade na elaboração do plano

A visão social em relação ao sistema de saneamento e a importância da sociedade na elaboração do plano A visão social em relação ao sistema de saneamento e a importância da sociedade na elaboração do plano Nossa Realidade 57% da população brasileira não possui coleta de esgoto (SNIS 2008) O Brasil é o 9º

Leia mais

EDUCAÇÃO EM SAÚDE NO SUS BINGO DA ÁGUA

EDUCAÇÃO EM SAÚDE NO SUS BINGO DA ÁGUA EDUCAÇÃO EM SAÚDE NO SUS Desenvolver ações educativas e de mobilização social é disseminar informações visando o controle de doenças e agravos à saúde e fomentar nas pessoas o senso de responsabilidade

Leia mais

PROJETO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS

PROJETO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS GOVERNO DE ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETÁRIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO ESCOLA ESTADUAL NAIR PALÁCIO DE SOUZA NOVA ANDRADINA - MS PROJETO DO LABORATÓRIO DE CIÊNCIAS 1.TÍTULO: Projeto Óleo e água não se

Leia mais

OS CUIDADOS COM A ÁGUA NA ESCOLA FUNDAMENTAL PROFESSOR ADAILTON COELHO COSTA

OS CUIDADOS COM A ÁGUA NA ESCOLA FUNDAMENTAL PROFESSOR ADAILTON COELHO COSTA OS CUIDADOS COM A ÁGUA NA ESCOLA FUNDAMENTAL PROFESSOR ADAILTON COELHO COSTA Dantas 1, Mayara; Gomes 1, Márcia; Silva 1, Juliene; Silva 1, Jaciele; 1 Discente do Curso de Bacharelado em Ecologia; 2 Professora

Leia mais

ESTUDO DE CASO DA QUANTIDADE E DESTINAÇÃO FINAL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS ORGÂNICOS DOMICILIARES DO BAIRRO URUPÁ NA CIDADE DE JI- PARANÁ/RO

ESTUDO DE CASO DA QUANTIDADE E DESTINAÇÃO FINAL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS ORGÂNICOS DOMICILIARES DO BAIRRO URUPÁ NA CIDADE DE JI- PARANÁ/RO ESTUDO DE CASO DA QUANTIDADE E DESTINAÇÃO FINAL DOS RESÍDUOS SÓLIDOS ORGÂNICOS DOMICILIARES DO BAIRRO URUPÁ NA CIDADE DE JI- PARANÁ/RO Rafael Ranconi Bezerra ¹ Graduando em Engenharia Ambiental pela Universidade

Leia mais

A MAIOR OBRA PÚBLICA DA HISTÓRIA DE NOVA ODESSA

A MAIOR OBRA PÚBLICA DA HISTÓRIA DE NOVA ODESSA e as obras do PLANO DIRETOR MUNICIPAL DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO A MAIOR OBRA PÚBLICA DA HISTÓRIA DE NOVA ODESSA INAUGURADA EM 14 DE DEZEMBRO DE 2012 Ministério das Cidades Um pouco de história Nova Odessa

Leia mais

Profa. Ana Luiza Veltri

Profa. Ana Luiza Veltri Profa. Ana Luiza Veltri EJA Educação de Jovens e Adultos Água de beber Como está distribuída a água no mundo? A Terra, assim como o corpo humano, é constituída por dois terços de água; Apenas 1% da quantidade

Leia mais

XIX Exposição de Experiências Municipais em Saneamento De 24 a 29 de maio de 2015 Poços de Caldas - MG PROJETO ÁGUA LIMPA

XIX Exposição de Experiências Municipais em Saneamento De 24 a 29 de maio de 2015 Poços de Caldas - MG PROJETO ÁGUA LIMPA PROJETO ÁGUA LIMPA Celia Regina Franco Passarini (1) brasileira, casada, funcionária pública, ouvidora, participante do Grupo Gestor do Voluntariado, Rua D. Libânia, 1941, apto 162, Vila Itapura Campinas

Leia mais

Estado do Piauí PI Prefeitura Municipal de Castelo do Piauí Plano Municipal de Saneamento Básico

Estado do Piauí PI Prefeitura Municipal de Castelo do Piauí Plano Municipal de Saneamento Básico QUESTIONÁRIO-MOBILIZAÇÃO SOCIAL Nome: Endereço: Município: Bairro: CEP: Quanto tempo reside nessa localidade? 1. ÁGUA AGESPISA ( ) PIPA ( ) BICA COLETOR ( ) POÇO ( ) OUTROS Você limpa sua cisterna e ou

Leia mais

Apostila Tratamento de Esgoto

Apostila Tratamento de Esgoto Apostila Tratamento de Esgoto Estação de Tratamento de Mulembá - Vitória MISSÃO "Prestar serviços de abastecimento de água e esgotamento sanitário de forma sustentável, buscando a satisfação da sociedade,

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE PERCEPÇÕES SOBRE SANEAMENTO BÁSICO

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE PERCEPÇÕES SOBRE SANEAMENTO BÁSICO PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA SOBRE PERCEPÇÕES SOBRE SANEAMENTO BÁSICO MARÇO DE 2012 JOB2178 ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DA PESQUISA OBJETIVO LOCAL Entender como a população brasileira percebe questões relacionadas

Leia mais

O que é saneamento básico?

O que é saneamento básico? O que é saneamento básico? Primeiramente, começaremos entendendo o real significado de saneamento. A palavra saneamento deriva do verbo sanear, que significa higienizar, limpar e tornar habitável. Portanto,

Leia mais

AMOSTRAGEM DA DESTINAÇÃO DO LIXO DOMÉSTICO EM BAIRROS NA CIDADE DE UBÁ MG RESUMO

AMOSTRAGEM DA DESTINAÇÃO DO LIXO DOMÉSTICO EM BAIRROS NA CIDADE DE UBÁ MG RESUMO 1 AMOSTRAGEM DA DESTINAÇÃO DO LIXO DOMÉSTICO EM BAIRROS NA CIDADE DE UBÁ MG Letícia Alves Pacheco 1 Kênia Ribas de Assis 2 Mariana da Costa J. Miranda 3 Eliane Aparecida de Souza 4 RESUMO A questão do

Leia mais

08 a 13 de Julho de 2012 UEFS Feira de Santana - BA

08 a 13 de Julho de 2012 UEFS Feira de Santana - BA PERCEPÇÃO PÚBLICA ACERCA DO SANEAMENTO BÁSICO NO BAIRRO PEDRA DO LORDE, JUAZEIRO BA. Roberta Daniela da Silva Santos (1) Anne Kallyne dos Anjos Silva (2) Simone do Nascimento Luz (3) Marcello Henryque

Leia mais

Saneamento Básico COMPLEXO ARAUCÁRIA

Saneamento Básico COMPLEXO ARAUCÁRIA Saneamento Básico COMPLEXO ARAUCÁRIA Olá, caros Alunos, Na aula de hoje, vamos aprender mais sobre o Saneamento Básico, Um novo projeto desenvolvido aqui em nosso Município, chamado COMPLEXO ARAUCÁRIA

Leia mais

Manual Prático Saneamento Básico Residencial

Manual Prático Saneamento Básico Residencial Manual Prático Saneamento Básico Residencial 2 Presidente da República Presidente Luiz Inácio Lula da Silva Ministro da Cultura Gilberto Gil Moreira Presidente Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico

Leia mais

PROC PROJETO DE RECICLAGEM DE ÓLEO DE COZINHA USADO : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROC PROJETO DE RECICLAGEM DE ÓLEO DE COZINHA USADO : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROC PROJETO DE RECICLAGEM DE ÓLEO DE COZINHA USADO : UM DESAFIO PARA A EDUCAÇÃO AMBIENTAL Angela Cristina Borges Magalhães (1) Mestrado pela Universidade Federal de Uberlândia, com enfase na Gestão de

Leia mais

Eixo Temático ET-04-005 - Gestão Ambiental em Saneamento PROPOSTA DE SANEAMENTO BÁSICO NO MUNICÍPIO DE POMBAL-PB: EM BUSCA DE UMA SAÚDE EQUILIBRADA

Eixo Temático ET-04-005 - Gestão Ambiental em Saneamento PROPOSTA DE SANEAMENTO BÁSICO NO MUNICÍPIO DE POMBAL-PB: EM BUSCA DE UMA SAÚDE EQUILIBRADA 225 Eixo Temático ET-04-005 - Gestão Ambiental em Saneamento PROPOSTA DE SANEAMENTO BÁSICO NO MUNICÍPIO DE POMBAL-PB: EM BUSCA DE UMA SAÚDE EQUILIBRADA Marcos Antônio Lopes do Nascimento¹; Maria Verônica

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL USANDO UM CÓRREGO COMO LABORATÓRIO

EDUCAÇÃO AMBIENTAL USANDO UM CÓRREGO COMO LABORATÓRIO EDUCAÇÃO AMBIENTAL USANDO UM CÓRREGO COMO LABORATÓRIO Milena Rossetti (1) Biomédica, Especialista em acupuntura clínica. Técnica Química da Comusa - Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo/RS. Atua

Leia mais

Ana Carolina Santana Lilian Paixão Natacha Caxias Samara França Dayana Cravo

Ana Carolina Santana Lilian Paixão Natacha Caxias Samara França Dayana Cravo Universidade Federal do Pará Instituto de Tecnologia Faculdade de Engenharia Sanitária e Ambiental Ana Carolina Santana Lilian Paixão Natacha Caxias Samara França Dayana Cravo O saneamento básico, segundo

Leia mais

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO, OBRAS, VIAÇÃO E TRANSPORTE COMISSÃO DO MEIO AMBIENTE. PROJETO DE LEI Nº 237/2012 Com o Substitutivo n o 1

COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO, OBRAS, VIAÇÃO E TRANSPORTE COMISSÃO DO MEIO AMBIENTE. PROJETO DE LEI Nº 237/2012 Com o Substitutivo n o 1 COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO, OBRAS, VIAÇÃO E TRANSPORTE COMISSÃO DO MEIO AMBIENTE PROJETO DE LEI Nº 237/2012 Com o Substitutivo n o 1 RELATÓRIO: De autoria do Vereador Amauri Cardoso, este projeto

Leia mais

Coleta e reciclagem de óleo de fritura.

Coleta e reciclagem de óleo de fritura. Nivia Sueli de Freitas, Roberto Góes Menicucci e Ricardo Motta Pinto Coelho Coleta e reciclagem de óleo de fritura. Saiba como contribuir com o meio ambiente e ainda ganhar em troca. Belo Horizonte. MG

Leia mais

Saneamento Básico e Saúde

Saneamento Básico e Saúde Conferência Nacional de Segurança Hídrica Uberlândia - MG Saneamento Básico e Saúde Aparecido Hojaij Presidente Nacional da Assemae Sobre a Assemae A Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento

Leia mais

Apoio PROJETO TRATA BRASIL NA COMUNIDADE. Saneamento é saúde!

Apoio PROJETO TRATA BRASIL NA COMUNIDADE. Saneamento é saúde! Apoio PROJETO TRATA BRASIL NA COMUNIDADE Saneamento é saúde! Ordem na casa! Proteger o meio ambiente é dever de todos. E começar pelo saneamento pode ser uma boa alternativa Você já deve ter ouvido falar

Leia mais

5 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de Ciências Nome: SANEAMENTO BÁSICO. Aparência de uma cidade limpa.

5 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de Ciências Nome: SANEAMENTO BÁSICO. Aparência de uma cidade limpa. 5 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de Ciências Nome: Leia este texto. SANEAMENTO BÁSICO Aparência de uma cidade limpa. Saneamento básico é o conjunto de cuidados que se tem com a água, o esgoto

Leia mais

A percepção da população quanto ao Saneamento Básico e a responsabilidade do Poder Público. Job: 11/2178

A percepção da população quanto ao Saneamento Básico e a responsabilidade do Poder Público. Job: 11/2178 A percepção da população quanto ao Saneamento Básico e a responsabilidade do Poder Público Job: 11/2178 Metodologia e Amostra Objetivo Geral Levantar entre os responsáveis por domicílios suas percepções

Leia mais

Gráfico 1 Gráfico indicador GRMD ISP13 fonte: RG disponíveis no site do PNQS

Gráfico 1 Gráfico indicador GRMD ISP13 fonte: RG disponíveis no site do PNQS ORGANOGRAMA A. A OPORTUNIDADE A.1 Qual foi a oportunidade de melhoria de gestão (problema, desafio, dificuldade), solucionada pela prática de gestão implementada? Desde 1999, a OC utiliza o Modelo de Excelência

Leia mais

I. INFORMAÇÕES GERAIS Município: Distrito: Localidade:

I. INFORMAÇÕES GERAIS Município: Distrito: Localidade: I. INFORMAÇÕES GERAIS Município: Distrito: Localidade: Data do Relatório: (dd:mm:aa) Entrevistador (a) N O. QUEST.: II. CARACTERÍTICAS DOS MORADORES DO DOMICÍLIO Nome do chefe da família: SEXO: 1. M 2.

Leia mais

Poluição da água é a introdução de partículas estranhas ao Quantidade de água disponível. ambiente natural, bem como induzir condições em um

Poluição da água é a introdução de partículas estranhas ao Quantidade de água disponível. ambiente natural, bem como induzir condições em um POLUIÇÃO DA ÁGUA Poluição da água é a introdução de partículas estranhas ao Quantidade de água disponível ambiente natural, bem como induzir condições em um determinado curso ou corpo de água, direta

Leia mais

Dimensão ambiental. Saneamento

Dimensão ambiental. Saneamento Dimensão ambiental Saneamento Indicadores de desenvolvimento sustentável - Brasil 2004 135 18 Acesso a serviço de coleta de lixo doméstico Apresenta a parcela da população atendida pelos serviços de coleta

Leia mais

SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ. O ciclo do óleo de cozinha

SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ. O ciclo do óleo de cozinha SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE CIÊNCIAS INTEGRADAS DA UNAERP CAMPUS GUARUJÁ O ciclo do óleo de cozinha Felipe Zulian dos Santos f.zulian@hotmail.com Marivaldo Freixo Neto neto_surfigp@hotmail.com Renato Oliveira

Leia mais

A INTERVENÇÃO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO BAIRRO COHAB SÃO GONÇALO - CUIABÁ/MT: ANALISANDO IMPACTOS SOFRIDOS NA COMUNIDADE

A INTERVENÇÃO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO BAIRRO COHAB SÃO GONÇALO - CUIABÁ/MT: ANALISANDO IMPACTOS SOFRIDOS NA COMUNIDADE A INTERVENÇÃO DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NO BAIRRO COHAB SÃO GONÇALO - CUIABÁ/MT: ANALISANDO IMPACTOS SOFRIDOS NA COMUNIDADE Thaiane Cristina dos Santos - Universidade de Cuiabá Renner Benevides - Universidade

Leia mais

Coleta e reciclagem de óleo de fritura.

Coleta e reciclagem de óleo de fritura. Nivia Sueli de Freitas e Ricardo Motta Pinto Coelho Coleta e reciclagem de óleo de fritura. Saiba como contribuir com o meio ambiente e ainda ganhar em troca. Belo Horizonte. MG 201 1-3 - 2ª Edição Prêmio

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL JUNTO A COLABORADORES DO SETOR DE MINERAIS NÃO METÁLICOS DA PARAÍBA PARA PRODUÇÃO DE SABÃO COM ÓLEO DE COZINHA USADO.

EDUCAÇÃO AMBIENTAL JUNTO A COLABORADORES DO SETOR DE MINERAIS NÃO METÁLICOS DA PARAÍBA PARA PRODUÇÃO DE SABÃO COM ÓLEO DE COZINHA USADO. EDUCAÇÃO AMBIENTAL JUNTO A COLABORADORES DO SETOR DE MINERAIS NÃO METÁLICOS DA PARAÍBA PARA PRODUÇÃO DE SABÃO COM ÓLEO DE COZINHA USADO. Antonio Augusto Pereira de Sousa - aauepb@gmail.com 1 Djane de Fátima

Leia mais

III - disciplinar a implantação adequada e o funcionamento dos sistemas de coleta, tratamento e disposição de esgotos sanitários;

III - disciplinar a implantação adequada e o funcionamento dos sistemas de coleta, tratamento e disposição de esgotos sanitários; PROJETO DE: EMENDA À LEI ORGÂNICA LEI COMPLEMENTAR LEI ORDINÁRIA RESOLUÇÃO NORMATIVA DECRETO LEGISLATIVO ( X ) Nº /2013 AUTOR/SIGNATÁRIO: Ver. GILBERTO PAIXÃO EMENTA: Dispõe sobre os serviços e obras para

Leia mais

Curso de Desenvolvimento. sustentável.

Curso de Desenvolvimento. sustentável. 50 Série Aperfeiçoamento de Magistrados 17 Curso de Desenvolvimento Sustentável Juliana Andrade Barichello 1 O objetivo deste trabalho é discorrer sobre os principais pontos das palestras proferidas sobre

Leia mais

Água. Material de Apoio - Água

Água. Material de Apoio - Água Água Material de Apoio Programa Escola Amiga da Terra Mapa Verde Realização: Instituto Brookfield Assessoria: Práxis Consultoria Socioambiental Este material foi utilizado pelos educadores participantes

Leia mais

MELHORIAS SANITÁRIAS E SEUS USOS EM COMUNIDADES NO ESTADO DA BAHIA

MELHORIAS SANITÁRIAS E SEUS USOS EM COMUNIDADES NO ESTADO DA BAHIA MELHORIAS SANITÁRIAS E SEUS USOS EM COMUNIDADES NO ESTADO DA BAHIA Silvio Roberto Magalhães Orrico Jennifer Conceição Carvalho Teixeira de Matos Ricardo Silveira Bernardes Patrícia Campos Borja Cristiane

Leia mais

Numa fossa séptica não ocorre a decomposição aeróbia e somente ocorre a decomposição anaeróbia devido a ausência quase total de oxigênio.

Numa fossa séptica não ocorre a decomposição aeróbia e somente ocorre a decomposição anaeróbia devido a ausência quase total de oxigênio. As fossas sépticas são unidades de tratamento primário de esgoto doméstico nas quais são feitas a separação e a transformação físico-química da matéria sólida contida no esgoto. É uma maneira simples e

Leia mais

VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRA PARA IMPLANTAÇÃO DO SES AJURICABA-RS

VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRA PARA IMPLANTAÇÃO DO SES AJURICABA-RS VIABILIDADE ECONÔMICO-FINANCEIRA PARA IMPLANTAÇÃO DO SES AJURICABA-RS Giuliano Crauss Daronco (1) Doutor em Recursos Hídricos e Saneamento. Departamento de Ciências Exatas e Engenhariais. (DCEEng). Universidade

Leia mais

O Supermercado Cidade Canção atualmente com 45 lojas, é uma empresa socialmente responsável e atua nas comunidades que está inserido, através do

O Supermercado Cidade Canção atualmente com 45 lojas, é uma empresa socialmente responsável e atua nas comunidades que está inserido, através do O Supermercado Cidade Canção atualmente com 45 lojas, é uma empresa socialmente responsável e atua nas comunidades que está inserido, através do Instituto Cidade Canção que promove projetos nas áreas sociais,

Leia mais

Apresenta: PAPEL METAL LIXO ORGÂNICO VIDRO PLÁSTICO. no luga

Apresenta: PAPEL METAL LIXO ORGÂNICO VIDRO PLÁSTICO. no luga Apresenta: Coloqu e o lixo no luga r, na hor a e no d certo. ia ORGÂNICO CAPItao VAREJO em: coleta seletiva Enquanto isso, na sala secreta de reuniões... Olá, Capitão Varejo! Grande Gênio, bom dia! Espero

Leia mais

TÍTULO: O DESTINO DO ÓLEO DE COZINHA USADO: UM ESTUDO DE CASO NA CIDADE DE PALMEIRA D OESTE/SP

TÍTULO: O DESTINO DO ÓLEO DE COZINHA USADO: UM ESTUDO DE CASO NA CIDADE DE PALMEIRA D OESTE/SP Anais do Conic-Semesp. Volume 1, 2013 - Faculdade Anhanguera de Campinas - Unidade 3. ISSN 2357-8904 TÍTULO: O DESTINO DO ÓLEO DE COZINHA USADO: UM ESTUDO DE CASO NA CIDADE DE PALMEIRA D OESTE/SP CATEGORIA:

Leia mais

Nota técnica Março/2014

Nota técnica Março/2014 Nota técnica Março/2014 Sistemas de Saneamento no Brasil - Desafios do Século XXI João Sergio Cordeiro O Brasil, no final do ano de 2013, possuía população de mais de 200 milhões de habitantes distribuídos

Leia mais

CORSAN SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE SANTA MARIA -RS

CORSAN SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE SANTA MARIA -RS CORSAN SISTEMA DE ESGOTAMENTO SANITÁRIO DE SANTA MARIA -RS 1960: O Saneamento Básico era atendido exclusivamente pelos municípios com apoio dos Estados. As cidades brasileiras tinham cerca de 50% dos seus

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA FERRAMENTA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE POMBAL

A IMPORTÂNCIA DA FERRAMENTA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE POMBAL A IMPORTÂNCIA DA FERRAMENTA DA EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS DO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE POMBAL Erica Bento SARMENTO 1 Diêgo Lima CRISPIM 2 Jucielio Calado ALVES 3 Alan Del Carlos Gomes

Leia mais

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS

EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS EXPOSIÇÃO DE MOTIVOS Nobres Vereadores, pretendemos, embasados em uma lei instituída no Estado de São Paulo, em 2005 (Lei nº 12.047, de 21 de setembro de 2005), estabelecer, também, no nosso Município,

Leia mais

A MULHER E O MANUSEIO DA ÁGUA A MULHER E O USO DA ÁGUA

A MULHER E O MANUSEIO DA ÁGUA A MULHER E O USO DA ÁGUA A MULHER E O USO DA ÁGUA A sociedade define as atividades que os seres humanos devem fazer a partir do seu sexo. Aos homens são destinadas aquelas consideradas produtivas, ou seja, que servem para ganhar

Leia mais

PAINEL SETORIAL MEDIÇÃO DE EFLUENTES INMETRO 2012

PAINEL SETORIAL MEDIÇÃO DE EFLUENTES INMETRO 2012 PAINEL SETORIAL MEDIÇÃO DE EFLUENTES INMETRO 2012 A Associação Nacional dos Serviços Municipais de Saneamento ASSEMAE É uma organização não-governamental, sem fins lucrativos, fundada em 1984. Os associados

Leia mais

Poluição da Água Poluição da água é qualquer alteração de suas propriedades físicas, químicas e biológicas, que possa implicar

Poluição da Água Poluição da água é qualquer alteração de suas propriedades físicas, químicas e biológicas, que possa implicar Poluição da Água Poluição da água é qualquer alteração de suas propriedades físicas, químicas e biológicas, que possa implicar em prejuízo à saúde, à segurança e ao bem estar das populações, causar danos

Leia mais

LEVANTAMENTO DOS HÁBITOS DE HIGIENE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO EM ESCOLAS DE REALENGO

LEVANTAMENTO DOS HÁBITOS DE HIGIENE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO EM ESCOLAS DE REALENGO Revista Eletrônica Novo Enfoque, ano 2013, v. 17, n. 17, p. 178 183 LEVANTAMENTO DOS HÁBITOS DE HIGIENE E EDUCAÇÃO AMBIENTAL EM ALUNOS DO ENSINO MÉDIO EM ESCOLAS DE REALENGO FERREIRA, Luana Jesus da Silva

Leia mais

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O

P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O P L A N O M U N I C I P A L D E S A N E A M E N T O B Á S I C O V o l u m e V R E L A T Ó R I O D O S P R O G R A M A S, P R O J E T O S E A Ç Õ E S P A R A O A L C A N C E D O C E N Á R I O R E F E R

Leia mais

ANÁLISE DA INCIDÊNCIA DE DOENÇAS DE VEICULAÇÃO HÍDRICA NA REGIÃO DE JACARAÍPE E NOVA ALMEIDA, SERRA, ES. DEVAIR VIAL BRZESKY

ANÁLISE DA INCIDÊNCIA DE DOENÇAS DE VEICULAÇÃO HÍDRICA NA REGIÃO DE JACARAÍPE E NOVA ALMEIDA, SERRA, ES. DEVAIR VIAL BRZESKY ANÁLISE DA INCIDÊNCIA DE DOENÇAS DE VEICULAÇÃO HÍDRICA NA REGIÃO DE JACARAÍPE E NOVA ALMEIDA, SERRA, ES. DEVAIR VIAL BRZESKY Importância da água para a vida: Higiene pessoal. Preparação dos alimentos.

Leia mais

MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SOCIEDADE: O CASO DO AÇUDE DE BODOCONGÓ/PB

MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SOCIEDADE: O CASO DO AÇUDE DE BODOCONGÓ/PB MEIO AMBIENTE, SAÚDE E SOCIEDADE: O CASO DO AÇUDE DE BODOCONGÓ/PB Hellen Regina Guimarães da Silva¹, Danielle Varella¹, André Miranda da Silva¹, Verônica Evangelista de Lima² ¹ Departamento de Química/UEPB.

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL

MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL MINISTÉRIO PÚBLICO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PROJETO INTEGRADO DE SANEAMENTO BÁSICO E RESÍDUOS SÓLIDOS PRIORIDADE INSTITUCIONAL 4 EIXOS DE ATUAÇÃO ELABORAÇÃO DOS PLANOS MUNICIPAIS DE SANEAMENTO BÁSICO

Leia mais

Poluição Poluição da água

Poluição Poluição da água POLUIÇÃO DA ÁGUA Poluição e contaminação da água Definição Introdução de resíduos na forma de matéria ou energia, de modo a torná-la prejudicial ao homem e a outras formas de vida, ou imprópria para um

Leia mais

APÊNDICE M-1 CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE E AVALIAÇÃO DE PROJETOS DO SETOR DE SANEAMENTO MODELO DE QUESTIONÁRIO

APÊNDICE M-1 CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE E AVALIAÇÃO DE PROJETOS DO SETOR DE SANEAMENTO MODELO DE QUESTIONÁRIO CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE E AVALIAÇÃO DE PROJETOS DO SETOR DE SANEAMENTO MODELO DE QUESTIONÁRIO 1 CRITÉRIOS DE ELEGIBILIDADE E AVALIAÇÃO DE PROJETOS DO SETOR DE SANEAMENTO MODELO DE QUESTIONÁRIO Recomenda-se,

Leia mais

Palavras-chave: água esgoto gerenciamento - resíduo poluente

Palavras-chave: água esgoto gerenciamento - resíduo poluente MEDIDAS DE SANEAMENTO BÁSICO OU RUAS CALÇADAS? Angela Maria de Oliveira Professora da E.M.E.F. Zelinda Rodolfo Pessin Márcia Finimundi Barbieri Professora da E.M.E.F. Zelinda Rodolfo Pessin Resumo Este

Leia mais

I B OP E Opinião. O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água

I B OP E Opinião. O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA Águas no Brasil: A visão dos brasileiros O que o brasileiro pensa e faz em relação à conservação e uso da água Dezembro, 2006 METODOLOGIA OBJETIVO Levantar informações para

Leia mais

Gestão Ambiental 22/10/2012. Profª Denise A. F. Neves MÓDULO SANEAMENTO AMBIENTAL

Gestão Ambiental 22/10/2012. Profª Denise A. F. Neves MÓDULO SANEAMENTO AMBIENTAL Gestão Ambiental Profª Denise A. F. Neves MÓDULO SANEAMENTO AMBIENTAL Tema: Sistemas Urbanos de Esgotamento Sanitário Objetivos: Conhecer os elementos que compõem um sistema urbano de esgotamento sanitário;

Leia mais

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DO CENTRO DE TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DA CATURRITA EM SANTA MARIA-RS

DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DO CENTRO DE TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DA CATURRITA EM SANTA MARIA-RS DIAGNÓSTICO AMBIENTAL DO CENTRO DE TRATAMENTO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS DA CATURRITA EM SANTA MARIA-RS Carolina Gaspar Enderle (1) Aluna do curso Técnico em Segurança do Trabalho do Colégio Técnico Industrial

Leia mais

Resíduos Sólidos: A Classificação Nacional e a Problemática dos Resíduos de Ampla e Difusa Geração

Resíduos Sólidos: A Classificação Nacional e a Problemática dos Resíduos de Ampla e Difusa Geração Resíduos Sólidos: A Classificação Nacional e a Problemática dos Resíduos de Ampla e Difusa Geração 01/33 Apresentação do Instrutor: Eduardo Fleck *Engenheiro Químico UFRGS, 1990; **Mestre em Engenharia

Leia mais

82,5% dos brasileiros são atendidos com abastecimento de água tratada

82,5% dos brasileiros são atendidos com abastecimento de água tratada Saneamento no Brasil Definição: Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), saneamento é o controle de todos os fatores do meio físico do homem que exercem ou podem exercer efeitos nocivos sobre o bem

Leia mais

SUSTENTABILIDADE? COMO ASSIM?

SUSTENTABILIDADE? COMO ASSIM? SUSTENTABILIDADE? COMO ASSIM? 1. Matéria Bruta Representa a vontade de melhorar o 6. Reciclagem mundo e construir um futuro mais próspero. É o equilíbrio econômico, social e ambiental que garante a qualidade

Leia mais

A ÁGUA EM CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DE CASTANHAL Divino, E. P. A. (1) ; Silva, M. N. S. (1) Caldeira, R. D. (1) mairanathiele@gmail.

A ÁGUA EM CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DE CASTANHAL Divino, E. P. A. (1) ; Silva, M. N. S. (1) Caldeira, R. D. (1) mairanathiele@gmail. A ÁGUA EM CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL DE CASTANHAL Divino, E. P. A. (1) ; Silva, M. N. S. (1) Caldeira, R. D. (1) mairanathiele@gmail.com (1) Faculdade de Castanhal FCAT, Castanhal PA, Brasil. RESUMO A

Leia mais

Gerenciamento do Saneamento Municipal em um só órgão água, esgoto, drenagem pluvial e resíduos sólidos (limpeza pública).

Gerenciamento do Saneamento Municipal em um só órgão água, esgoto, drenagem pluvial e resíduos sólidos (limpeza pública). Gerenciamento do Saneamento Municipal em um só órgão água, esgoto, drenagem pluvial e resíduos sólidos (limpeza pública). Janimayri Forastieri de Almeida (1) Assessora de Meio Ambiente do SAAE São Lourenço.

Leia mais

PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE

PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE CONSELHEIRO LAFAIETE MG 2012 PROJETO CIDADANIA E SUSTENTABILIDADE JUSTIFICATIVA O Centro de Ensino Superior de Conselheiro Lafaiete tem como princípio desempenhar seu

Leia mais

L E P T O S P I R O S E

L E P T O S P I R O S E L E P T O S P I R O S E Elaborado por: Francisco Pinheiro Moura Médico Veterinário E-mail: bergson.moura@saude.ce.gov.br bergson.moura@live.com Definição Leptospirose é uma doença infecciosa que causa

Leia mais

EDUCAÇÃO PARA USO RACIONAL DA ÁGUA EM HORTAS COMUNITÁRIAS DE PENÁPOLIS

EDUCAÇÃO PARA USO RACIONAL DA ÁGUA EM HORTAS COMUNITÁRIAS DE PENÁPOLIS EDUCAÇÃO PARA USO RACIONAL DA ÁGUA EM HORTAS COMUNITÁRIAS DE PENÁPOLIS Silvia Mayumi Shinkai de Oliveira (1) Graduada em Administração Pública pela UNESP Araraquara (SP) e pós graduada (latu sensu) em

Leia mais

Informa INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DO SISTEMA SEPARADOR DE AREIA E ÓLEO A PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE É FUNDAMENTAL NA PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE

Informa INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DO SISTEMA SEPARADOR DE AREIA E ÓLEO A PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE É FUNDAMENTAL NA PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE Informa INSTRUÇÕES PARA INSTALAÇÃO DO SISTEMA SEPARADOR DE AREIA E ÓLEO A PARTICIPAÇÃO DA COMUNIDADE É FUNDAMENTAL NA PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE Introdução A coleta e o tratamento de esgotos contribuem

Leia mais

SANEAMENTO BÁSICO. Remoção e Tratamento de Resíduos - Dejectos

SANEAMENTO BÁSICO. Remoção e Tratamento de Resíduos - Dejectos SANEAMENTO BÁSICO Remoção e Tratamento de Resíduos - Dejectos SANEAMENTO BÁSICO Remoção e Tratamento de Resíduos = Dejectos = Módulo de Saneamento Disciplina de Enfermagem em Saúde Comunitária III Curso

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE PRESERVAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO MACHADO

EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE PRESERVAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO MACHADO EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE PRESERVAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO MACHADO FÁBIO VIEIRA MARTINS Pós-graduando em Educação Ambiental e Recursos Hídricos CRHEA/USP fabio.vieirageo@hotmail.com

Leia mais

RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL

RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL RESÍDUOS COMO ALTERNATIVA DE APRENDIZAGEM E DESENVOLVIMENTO SÓCIO-AMBIENTAL SOUZA,I.C. ;BUFAIÇAL,D.S.S;SANTOS,M.D.;ARANTES,S.S.;XAVIER,L.;FERREIRA,G.K.S; OLIVEIRA,B.A.;PAGOTTO,W.W.B.S.;SILVA,R.P.;SANTOS.L.G.;SANTOS.F.F.S.;FRANCO,R.

Leia mais

APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS!

APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS! APROSA Associação das Promotoras Legais Populares do Cabo de Santo Agostinho RECICLARTES RECICLANDO VIDAS! Cabo de Santo Agostinho, 2010 Descrição do Projeto Segundo a comissão Mundial sobre o Meio Ambiente

Leia mais

SITUAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES DE CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS EM ALGUNS MUNICÍPIOS DA RMBH

SITUAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES DE CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS EM ALGUNS MUNICÍPIOS DA RMBH SITUAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES DE CATADORES DE MATERIAIS RECICLÁVEIS EM ALGUNS MUNICÍPIOS DA RMBH Júlio Eymard Werneck Costa Graduando em Engenharia Civil pela UFMG. Bolsista de iniciação científica. Tainá Ulhoa

Leia mais

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013

TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA. Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 TERMO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA Nº. 016/ 2012 CREA/MG E FUNASA Setembro/2013 S Capacitação de Técnicos e Gestores para Elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico Módulo I Sistema de Esgotamento Sanitário

Leia mais

Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA

Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA 1 QUALIDADE DA COLETA E A NECESSIDADE DE UMA CONSCIÊNCIA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL NA CIDADE DE GOIANA Alex Maciel Gonzaga, Sean Conney Vieira da SILVA, & Flávia Pereira da SILVA RESUMO O consumismo da

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE BAURU - SP

IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE BAURU - SP IMPLANTAÇÃO DA COLETA SELETIVA EM ESCOLA PÚBLICA NO MUNICÍPIO DE BAURU - SP Carlos Alberto Ferreira Rino (1) Mestre em Engenharia Química (UNICAMP, 1996). Engenheiro de Segurança do Trabalho (UNESP, 1994).

Leia mais

1 Qualificar os serviços de Abastecimento de água potável

1 Qualificar os serviços de Abastecimento de água potável nos núcleos rurais com mais de 10 economias nas áreas quilombolas nas áreas indígenas Planilha de Objetivos, Indicadores e Ações Viabilizadoras GT Saneamento A Santa Maria que queremos Visão: "Que até

Leia mais

Câmara Técnica de Controle e Qualidade Ambiental. Data 17/03/2009. Processo nº 02000.001876/2008-64

Câmara Técnica de Controle e Qualidade Ambiental. Data 17/03/2009. Processo nº 02000.001876/2008-64 SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE - MMA Conselho Nacional de Meio Ambiente CONAMA Câmara Técnica de Controle de Qualidade Ambiental CTCQA Câmara Técnica de Controle e Qualidade Ambiental

Leia mais

COPASA Day 2011. 24 e 25 de novembro

COPASA Day 2011. 24 e 25 de novembro COPASA Day 2011 24 e 25 de novembro Benefícios do Tratamento de Esgoto Despoluição dos córregos e rios; Eliminação do mau cheiro; Meio ambiente limpo, recuperado e preservado; Diminuição da presença de

Leia mais

ANEXO V QUESTIONÁRIO AMBIENTAL

ANEXO V QUESTIONÁRIO AMBIENTAL ANEXO V QUESTIONÁRIO AMBIENTAL INTERESSADO Nome / Razão Social ENDEREÇO DO IMÓVEL OBJETO DO LICENCIAMENTO Logradouro Número Bairro Inscrição Fiscal ENTREVISTADO (responsável pelas respostas do questionário)

Leia mais

UM ESTUDO DE VIABILIDADE E IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO INOVAR

UM ESTUDO DE VIABILIDADE E IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO INOVAR UM ESTUDO DE VIABILIDADE E IMPLEMENTAÇÃO DO PROJETO INOVAR Doralice Cesar dos Santos 1 (Dora@conesulpb.com.br) Antonio Fernandes de Oliveira 2 (f_oliveira-pib@hotmail.com) RESUMO: Os principais autores

Leia mais

ESGOTO. Doméstico e Não Doméstico (COMO OBTER A LIGAÇÃO) ATENÇÃO: LEIA AS INSTRUÇÕES DESTE FOLHETO, ANTES DE CONSTRUIR O RAMAL INTERNO DE SEU IMÓVEL.

ESGOTO. Doméstico e Não Doméstico (COMO OBTER A LIGAÇÃO) ATENÇÃO: LEIA AS INSTRUÇÕES DESTE FOLHETO, ANTES DE CONSTRUIR O RAMAL INTERNO DE SEU IMÓVEL. ESGOTO Doméstico e Não Doméstico (COMO OBTER A LIGAÇÃO) ATENÇÃO: LEIA AS INSTRUÇÕES DESTE FOLHETO, ANTES DE CONSTRUIR O RAMAL INTERNO DE SEU IMÓVEL. ESGOTO DOMÉSTICO Definição: esgoto gerado nas residências

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA MANIPULAÇÃO, ARMAZENAMENTO E DESCARTE DOS PRODUTOS QUÍMICOS DOMÉSTICOS

EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA MANIPULAÇÃO, ARMAZENAMENTO E DESCARTE DOS PRODUTOS QUÍMICOS DOMÉSTICOS EDUCAÇÃO AMBIENTAL NA MANIPULAÇÃO, ARMAZENAMENTO E DESCARTE DOS PRODUTOS QUÍMICOS DOMÉSTICOS Verônica Evangelista de Lima, Simone Daniel do Nascimento, Djane de Fátima Oliveira, Thiago Rodrigo Barbosa

Leia mais

Sistemas Prediais de Esgoto Sanitário

Sistemas Prediais de Esgoto Sanitário AULA 13 Sistemas Prediais de Esgoto Sanitário Após o uso da água em qualquer que seja o equipamento sanitário (chuveiro, lavatório, bacia sanitária, pia de cozinha, etc.), a água utilizada (efluente) deve

Leia mais

XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental. Os principais fatores que influenciam a produção do lixo estão listados.

XXVII Congresso Interamericano de Engenharia Sanitária e Ambiental. Os principais fatores que influenciam a produção do lixo estão listados. III-063 - ANÁLISE DAS CARACTERÍSTICAS DO LIXO DOMICILIAR URBANO DO MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO Mauro Wanderley Lima (1) Engenheiro pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ - 1981). Especialização

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE

INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE 12:43 Page 1 INSTRUÇÕES PARA A COLETA SELETIVA DO LIXO E DICAS DE CONSUMO CONSCIENTE Jardins é Page 2 LIXO UM PROBLEMA DE TODOS Reduzir a quantidade de lixo é um compromisso de todos. Uma pessoa é capaz

Leia mais

A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BOMBINHAS ETAPA 2

A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BOMBINHAS ETAPA 2 A ELABORAÇÃO DO PLANO MUNICIPAL DE SANEAMENTO BÁSICO DE BOMBINHAS ETAPA 2 SISTEMA DE ABASTECIMENTO DE ÁGUA PROBLEMÁTICA POSSÍVEIS SOLUÇÕES ETAPAS OPORTUNIDADES - Ampliação do atendimento (75% de cobertura);

Leia mais

REUTILIZAÇÃO DA ÁGUA DOS APARELHOS DE AR CONDICIONADO EM UMA ESCOLA DE ENSINO MÉDIO NO MUNICÍPIO DE UMUARAMA-PR

REUTILIZAÇÃO DA ÁGUA DOS APARELHOS DE AR CONDICIONADO EM UMA ESCOLA DE ENSINO MÉDIO NO MUNICÍPIO DE UMUARAMA-PR 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 REUTILIZAÇÃO DA ÁGUA DOS APARELHOS DE AR CONDICIONADO EM UMA ESCOLA DE ENSINO MÉDIO NO MUNICÍPIO DE UMUARAMA-PR Thatiane Rodrigues Mota 1 ; Dyoni Matias

Leia mais

PALESTRA Tecnologias e processos inovadores no abastecimento de água em comunidades isoladas SEMINÁRIO

PALESTRA Tecnologias e processos inovadores no abastecimento de água em comunidades isoladas SEMINÁRIO PALESTRA Tecnologias e processos inovadores no abastecimento de água em comunidades isoladas Daniel Kuchida SEMINÁRIO Segurança da Água para Consumo Humano. Como moldar o futuro da água para as partes

Leia mais

UTILIZAÇÃO DA ÁGUA DE SISTEMAS DE AR CONDICIONADO VISANDO O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL

UTILIZAÇÃO DA ÁGUA DE SISTEMAS DE AR CONDICIONADO VISANDO O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL 10º FÓRUM DE EXTENSÃO E CULTURA DA UEM UTILIZAÇÃO DA ÁGUA DE SISTEMAS DE AR CONDICIONADO VISANDO O DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Thatiane Rodrigues Mota 1 Dyoni Matias de Oliveira 2 ; Paulo Inada 3 Desenvolvimento

Leia mais

Caixa d Água. Materiais necessários. Anotações. 0800 771 0001 odebrechtambiental.com odebrecht.amb

Caixa d Água. Materiais necessários. Anotações. 0800 771 0001 odebrechtambiental.com odebrecht.amb Materiais necessários Separe todo o material que será utilizado para a limpeza do seu reservatório. Anotações Papai, precisamos separar o material de limpeza. Claro, filha! Caixa d Água SAIBA COMO LIMPAR

Leia mais

Município de Carangola. 1. Aspectos Gerais

Município de Carangola. 1. Aspectos Gerais Projeto Preparatório para o Gerenciamento dos Recursos Hídricos do Paraíba do Sul Município de Carangola 1. Aspectos Gerais Além da sede, o município de Carangola possui 4 distritos. A população total

Leia mais

PESQUISA SOBRE HÁBITOS RELACIONADOS AO MEIO-AMBIENTE ABES-RS. INSTITUTO METHODUS www.methodus.srv.br methodus@methodus.srv.

PESQUISA SOBRE HÁBITOS RELACIONADOS AO MEIO-AMBIENTE ABES-RS. INSTITUTO METHODUS www.methodus.srv.br methodus@methodus.srv. PESQUISA SOBRE HÁBITOS RELACIOADOS AO MEIO-AMBIETE ABES-RS ISTITUTO METHODUS www.methodus.srv.br methodus@methodus.srv.br (51) 32212582 Porto Alegre/ julho de 2006 1 1- APRESETAÇÃO Realizada pelo Instituto

Leia mais

QUEM TRATA BEM DOS SEUS RESÍDUOS É BEM TRATADO PELO MERCADO!

QUEM TRATA BEM DOS SEUS RESÍDUOS É BEM TRATADO PELO MERCADO! QUEM TRATA BEM DOS SEUS RESÍDUOS É BEM TRATADO PELO MERCADO! É crescente a preocupação brasileira com as questões ambientais, principalmente quando constatamos que os níveis de poluição e de produção de

Leia mais