ESTRATÉGIAS DE PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA ESCOLA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTRATÉGIAS DE PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA ESCOLA"

Transcrição

1 CECANE PR Av. Lothário Meissner, nº 632 Jardim Botânico, Curitiba-PR, CEP: Fone: (41) ESTRATÉGIAS DE PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NA ESCOLA CURITIBA, 2010

2 SCHMIT, B. DE A. S. et al. A escola promovendo hábitos alimentares saudáveis: uma proposta metodológica de capacitação para educadores e donos de cantina escolar. Rio de Janeiro: Cad. Saúde Pública, v. 24, Sup., p , 2008 SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA. DEPARTAMENTO DE Nutrologia Manual de orientação: alimentação do lactente, alimentação do pré-escolar, alimentação do escolar, alimentação do adolescente, alimentação na escola / Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento de Nutrologia. - São Paulo: Sociedade Brasileira de Pediatria. Departamento de Nutrologia, p. IRALA, R. C.; DUARTE D.; COUTINHO, J.; RECINE, P. F. E. Educação nutricional para alunos do ensino fundamental. Universidade de Brasília. Faculdade de Ciências da Saúde. Departamento de Nutrição. Brasília, 2001 IRALA, C. H.; FERNANDEZ, P. M.; RECINE, E. Manual para as escolas. A escola promovendo hábitos alimentares saudáveis Horta. Universidade de Brasília. Faculdade de Ciências da Saúde. Departamento de Nutrição. Brasília, 2001 IRALA, C. H.; FERNANDEZ, P. M.; RECINE, E. Manual para as escolas. A escola promovendo hábitos alimentares saudáveis - Peso saudável. Universidade de Brasília. Faculdade de Ciências da Saúde. Departamento de Nutrição. Brasília, 2001 TEIXEIRA, I.B. DA C.; MORAIS, C. M. M. de. O rótulo do alimento como veículo informativo de preceitos sobre alimentação saudável. São Paulo: Revista Comunicação & Saúde, v.3, n.5, 2006 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO Campus Baixada Santista. Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição Escolar - Região Sudeste. Idéias para promover a alimentação saudável na escola. VASCONCELOS, C. do S. Projeto Político Pedagógico conceito e metodologia de elaboração. In: VASCONCELOS, C. DO S. Planejamento Projeto de Ensino-Aprendizagem e Projeto Político Pedagógico. Cadernos Pedagógicos do Libertad, v.1. São Paulo: Libertad,

3 REFERÊNCIAS BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Guia alimentar para a população brasileira : Promovendo a alimentação saudável / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição Brasília: Ministério da Saúde, p. (Série A. Normas e Manuais Técnicos) BRASIL. Ministério da Saúde, Agência Nacional de Vigilância Sanitária Rotulagem nutricional obrigatória: Manual de orientação aos consumidores. Brasília: Universidade de Brasília, 2005 BRASIL. Ministério Da Saúde E Ministério Da Educação. Portaria Interministerial. MS/MEC n de 08/05/2006. Institui as diretrizes para a Promoção da Alimentação Saudável nas Escolas de educação infantil, fundamental e nível médio das redes públicas e privadas, em âmbito nacional. Disponível em: Acesso em: 18/10/2010 BRASIL. MINISTÉRIO DA SAÚDE E FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO (FNDE). Relatório da Oficina de Estratégias para a Promoção de Alimentação Saudável na Escola. Brasília, 12 e 13 de dezembro, COSTA, E. de Q.; RIBEIRO, V.M. B.; RIBEIRO, E. C. de O. Organización Panamericana de la Salud. Componentes educativos de los programas para la promoción de la salud escolar. Rev Panam Salud Pública; v. 2, p ,1997 COSTA, E.Q.; RIBEIRO, V.M.B.; RIBEIRO, E.C.O. Programa de alimentação escolar: espaço de aprendizagem e produção de conhecimento. Campinas: Rev. Nutr., v. 14.n. 3, p , set./dez., 2001 DOMENE, S.M.A. A escola como ambiente de promoção da saúde e educação nutricional. São Paulo: Psicologia USP, v.19, n. 4, p , outubro/dezembro, 2008, 35 PHILIPPI, S. T.; CRUZ, A. T. R.; COLUCCI, A. C. A. Pirâmide alimentar para crianças de 2 a 3 anos. Campinas: Rev. Nutr. v.16 n.1, Jan./Mar

4 Passo a Passo para uma alimentação saudável no ambiente escolar 33

5 3 - Alimentação saudável: pirâmide dos Alimentos CONTEÚDO Objetivo Definir e explicar o que significa uma alimentação saudável através de um instrumento simples e de fácil compreensão como a pirâmide dos alimentos. Desenvolvimento Atividade prática - Consumo alimentar de 1 dia Introdução... 6 O Programa Nacional de Alimentação Escolar PNAE... Caminhos para uma alimentação saudável Objetivos da atividade Avaliar o conhecimento dos alunos a respeito do tema alimentação saudável antes de serem introduzidos, pelo professor, os conhecimentos a respeito desse tema. Introduzir conceitos de alimentação saudável através da pirâmide dos alimentos. Material necessário A importância da escola no processo de aquisição de Hábitos alimentares saudáveis... Recomendações para concretização de uma alimentação saudável para os escolares Ficha de planejamento alimentar Lápis ou caneta Procedimento O aluno deverá preencher a ficha de acordo com o que costuma comer durante o dia (e não de acordo com o que acha que é certo). Não são necessárias as quantidades, apenas os tipos de alimentos. O aluno deverá somar o número de vezes que os alimentos de um mesmo grupo aparece e colocar o total de cada grupo no espaço correspondente. Após o aluno fazer o seu planejamento, o professor, baseado nos princípios pirâmide dos alimentos e seus grupos irá discutir com a turma os resultados obtidos. Aprendendo e ensinando a ler rótulos nutricionais dos alimentos... Ideias para promover a alimentação saudável nas escolas... Passo a passo para uma alimentação saudável no ambiente escolar

6 Introdução Buscando atingir as metas do milênio para a Educação e a Saúde, o governo federal, por meio da Portaria Interministerial nº 1010, de 08 de maio de 2006, instituiu as diretrizes para a promoção da alimentação saudável nas escolas das redes pública e privada, em âmbito nacional, favorecendo o desenvolvimento de ações que promovam e garantam a adoção de práticas alimentares mais saudáveis no ambiente escolar. Diante do exposto e primando pela qualidade das suas ações, o FNDE firmou parcerias com Instituições de Ensino Superior, constituindo os CENTROS COLABORADORES EM ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO DO ESCOLAR (CECANES). Dessa forma, da parceria entre a Universidade Federal do Paraná e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação surgiu o Centro Colaborador em Alimentação e Nutrição do Escolar do Paraná CECANE PR, institucionalizado no Setor de Ciências da Saúde, Departamento de Nutrição, com a participação do Setor de Educação Na gestão 2009/2010, as metas que estão sendo desenvolvidas são: Curso de Aperfeiçoamento em Qualidade da Alimentação Escolar (curso de extensão, em nível de aperfeiçoamento para formação profissional de nutricionistas que atuam na área de alimentação escolar); Assessoria aos Municípios (assessoramento aos gestores municipais da alimentação escolar) e a Capacitação dos Agricultores Familiares em conjunto com os Agentes Sociais responsáveis pela gestão, desenvolvimento, fiscalização, controle e execução das ações relativas à alimentação escolar, na esfera municipal. As pessoas sofrem transformações com o passar dos anos: os bebês crescem, aumentam de peso, aprendem a falar, andar; as crianças continuam crescendo, aprendem a ler e escrever, correm, pulam, dançam; os adolescentes aumentam de peso e altura, o corpo todo se transforma; os adultos já não crescem e por isso devem ter um cuidado maior com o peso; os atletas gastam muita energia e precisam de uma alimentação que forneça os tipos e quantidades de alimentos suficientes; os idosos devem se cuidar para não ficarem doentes, e assim por diante. Isto é, para cada fase da vida, a alimentação tem uma importância diferente mas é essencial em todas elas. Na infância, os objetivos principais da alimentação são: Crescimento Os ossos, músculos, pele e órgãos (o corpo, por dentro e por fora) aumentam de tamanho e os alimentos fornecem as substâncias de que nosso organismo precisa para que isso aconteça; Desenvolvimento É durante a infância que aprendemos a ler, a escrever, temos que estudar, gostamos de correr, pular, etc. O corpo e a mente têm que se desenvolver para conseguir realizar essas mudanças e isso se dá através da alimentação. Uma boa alimentação na infância ajuda ter e a manter um peso saudável. Mas O que seria o peso saudável? Seria aquele que está no tamanho certo com a altura, idade e atividade física da pessoa. Um corpo bonito ou magro não é o mesmo que saudável. O peso saudável é aquele adequado para o seu caso e por isso, não tem sentido querer ter o corpo igual ao de uma outra pessoa. Um nutricionista e/ou médico são os profissionais de saúde que podem avaliar o peso saudável para cada pessoa. A atividade física também ajuda a ter um peso saudável. É nessa época que são formados nossos hábitos alimentares, ou seja, quando aprendemos a gostar ou não de certos alimentos, quando criamos o costume de comê-los, etc. Devemos, então, provar diferentes tipos de alimentos e adquirir bons hábitos para garantir saúde que será útil para a vida toda. Uma alimentação saudável evita o aparecimento de doenças, desde uma simples gripe até doenças mais sérias como a obesidade (pessoas gordas) e a desnutrição (pessoas muito magras e fracas). 6 31

7 Rótulo de alimentos Objetivo da atividade Explicar a importância da leitura dos rótulos dos alimentos. Desenvolvimento da atividade Conhecimentos prévios necessários Alimentação saudável; tipos e funções dos alimentos. Material necessário Embalagem de alimento com sabor de fruta (embalagem de biscoito de morango, por exemplo) Procedimentos Converse com seus alunos: Quando vocês forem a um supermercado ou padaria, observem a quantidade de alimentos com sabor morango (suco, iogurte, biscoito...). Será que todos esses alimentos são realmente preparados com morango? Ou o seu sabor e sua cor são produzidos nos laboratórios químicos das indústrias? E os alimentos de chocolate, será que todos são produzidos com o cacau, a fruta da qual se faz o chocolate? Mostre o rótulo do biscoito e leia a lista de ingredientes. Pergunte: tem morango entre os ingredientes? Peça para os alunos pesquisarem outros rótulos de alimentos e discuta a importância disso. 2 - A importância da alimentação na infância Objetivo da atividade Informar sobre aspectos específicos da importância da alimentação durante a infância, tais como crescimento e desenvolvimento. Desenvolvimento Pergunte para a turma todas as pessoas devem ter a mesma alimentação?. Questione sobre a alimentação que os alunos tinham quando eram recémnascidos, bebês, sobre a alimentação dos pais, avós, de pessoas doentes, de atletas (jogadores de futebol, por exemplo)... Todos devem se alimentar sem diferenças? As ações de educação permanente de Agricultores Familiares As ações de educação permanente de Agricultores Familiares e Gestores da Alimentação Escolar nos municípios, em 2009/2010, foram distribuídas em dois eixos temáticos com dois módulos de 10 horas cada: Eixo I - Direito Humano à Alimentação Adequada DHAA, e Eixo II - Agricultura Familiar, Tecnologias Sociais e Cooperativismo. Os municípios abrangidos pela capacitação foram: Campo Bonito, Candói, Guaraniaçu, Honório Serpa, Lindoeste e Nova Laranjeiras. As capacitações foram desenvolvidas em escolas rurais ou Casa Familiar Rural uma em cada município - e envolveu a participação de gestores da alimentação escolar e agricultores familiares. As ações de educação permanente resultaram no entendimento de que: 1) é necessário promover a educação integral de todos os atores envolvidos com a escola e a comunidade do seu entorno; 2) a alimentação saudável e ambientalmente sustentável deve ser incorporada como eixo gerador de práticas pedagógicas. Acredita-se que estratégia para garantir o desenvolvimento integral do aluno perpassa pela promoção de saúde e alimentação saudável no ambiente escolar. Essa cartilha foi desenvolvida pela equipe do CECANE-PR a partir das experiências de atuação deste e dos anos anteriores e tem como objetivo lançar bases e algumas ferramentas para reflexão da inserção de ações educativas em alimentação e nutrição como tema transversal ao currículo escolar, levando em consideração a situação concreta dos municípios. 7

8 8 O Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE O Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) tem origem na década de 40 e atende atualmente de forma gratuita cerca de 47 milhões de alunos matriculados na educação infantil (creche e pré-escola), ensino fundamental e médio e educação de jovens e adultos de escolas públicas e filantrópicas do país, tendo por base a perspectiva do direito humano à alimentação. O objetivo do programa é contribuir para o crescimento e o desenvolvimento biopsicossocial, a aprendizagem, o rendimento escolar e a formação de hábitos alimentares saudáveis dos alunos. O programa é gerenciado pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e se concretiza por meio de repasse de recursos financeiros aos estados e municípios ou ainda, diretamente as escolas, em caráter complementar, cujo objetivo é a aquisição de gêneros alimentícios para a alimentação dos escolares. É considerado um dos maiores programas na área de alimentação escolar no mundo e é o único com atendimento universalizado. Dentre os avanços na área de alimentação escolar, destaca-se a Lei n , de 16/6/2009, que determina a utilização de no mínimo 30% dos recursos repassados pelo FNDE para a compra de produtos da agricultura familiar. Essa medida estimula o desenvolvimento econômico das comunidades e estão em consonância com as diretrizes do PNAE no que se refere ao respeito aos hábitos alimentares regionais e o apoio ao desenvolvimento sustentável. Como é o ecossistema da região? Quais as plantas e animais que fazem parte da biodiversidade do ecossistema? Construção de uma maquete da obra; Ciências Quais são os nutrientes presentes em cada hortaliça e sua função no organismo; Como as minhocas podem contribuir para um solo de melhor qualidade; Construção de uma pirâmide de alimentos para expor próximo ao refeitório da escola; História Como a água chega até a escola ou a casa? Como era a alimentação em 1500? O que mudou e por quê? Qual o país de origem de cada hortaliça? Qual a influencia da cultura na produção e consumo de determinados alimentos? O arroz, o feijão, a batata e a mandioca fazer parte da alimentação da maioria dos brasileiros. Qual é a história desses alimentos? Alguns temas para discussão em sala de aula Os temas a seguir foram extraídos do material: Educação nutricional para alunos do ensino fundamental (IRICA et al, 2001). 28

9 Outras ideias que podem ser colocadas em prática em sala de aula... Português Redações falando sobre as expectativas de construir uma horta; Pesquisa sobre os hábitos alimentares da comunidade; Cartazes de divulgação da horta Concurso de poesia sobre a horta; Matemática Calcular os custos do projeto Representação percentual dos alimentos mais consumidos na região em cada época do ano; Medir os ingredientes de uma receita e prepará-la na cozinha da escola; Pesquisar os indicadores de subnutrição e obesidade no Brasil e realizar gráficos para representar os indicadores; Geografia 29 A influência do clima e do solo na produção de hortaliças; Que fatores contribuem para o adequado crescimento e desenvolvimento de hortaliças? Como as hortaliças que não são produzidas na região são transportadas; Caminhos para uma alimentação saudável A infância é um período de intenso desenvolvimento físico e intelectual, marcado por um gradual crescimento da altura, ganho de peso e desenvolvimento psicológico. A alimentação inadequada nessa fase pode ocasionar déficits no desenvolvimento físico e cerebral. Devido às deficiências crônicas de vitaminas e minerais (principalmente ferro, vitamina A e iodo), cerca de 1/3 das pessoas não atinge seu potencial em desenvolvimento intelectual e de crescimento. Quando graves, essas deficiências podem resultar em cretinismo, cegueira, anemia, comprometimento do desenvolvimento imunológico, dentre outras doenças e incapacidades. O que comemos e bebemos não é uma escolha individual. A pobreza, a falta de acesso à informação, a falta de acesso a alimentos de qualidade - dentre outros fatores - restringem a opção por uma alimentação adequada. Os hábitos e preferências alimentares são baseados em questões sociais e familiares, que se pautam principalmente pelo sistema de produção de alimentos. O incentivo a uma alimentação saudável deve ser baseada em práticas que remetam à significação social e cultural dos alimentos. A ênfase deve ser dada aos alimentos e não aos nutrientes, pois, apesar de sua importância, esses alimentos não podem ser resumidos a eles. O caminho de uma alimentação saudável passa então pelo resgate de práticas e valores alimentares referenciados pela comunidade, assim como o estímulo a produção e consumo de alimentos regionais. É necessário estabelecer um diálogo entre o saber popular e o saber técnico, rompendo o modelo de intervenção que visa à transmissão de normas. Esse diálogo deve aprofundar o entendimento dos processos que determinam os nossos hábitos alimentares a fim de possibilitar transformações concretas. 9

10 As pesquisas comprovam que mais do que o acesso à informação, são as vivências de experiências positivas os fatores de sucesso para o estabelecimento de hábitos saudáveis, quando o acesso ao alimento está garantido. A responsabilidade compartilhada entre os diversos atores sociais envolvidos com a alimentação escolar é o caminho para a construção de modos de vida que tenham como objetivo central a promoção da saúde. Método: FESTIVAL DA COLHEITA Desenvolvimento A escola poderá convidar as famílias para participarem do momento simbólico da primeira colheita. As crianças serão responsáveis por apresentar o projeto, suas etapas e objetivos. Dependendo da situação específica pode-se preparar algum prato com os produtos colhidos para que todos possam provar ou cada família leva uma pequena amostra dos produtos colhidos para sua casa. Método: PREPARANDO O CARDÁPIO DA MERENDA ESCOLAR Desenvolvimento A partir do momento que os produtos cultivados comecem a estar prontos para a colheita cada turma pode ficar responsável por preparar o cardápio semanal da merenda incluindo os produtos disponíveis. Nesta atividade além do resgate de receitas locais, os conceitos da Pirâmide Alimentar poderão ser reforçados e implementados. Método: COZINHA EXPERIMENTAL NA ESCOLA Desenvolvimento 10 Interações da alimentação saudável A pesquisa de receitas de preparações de hortaliças é outra atividade feita com as crianças para estimular a adoção de hábitos alimentares e estilos de vida saudáveis. Após o dia da colheita, as crianças trazem de casa uma receita com as hortaliças colhidas neste dia. Em seguida, o professor faz um concurso na sala para escolher com as crianças, a melhor receita para ser preparada e saboreada pela turma. Nessa atividade, o professor aborda todos os passos para o cultivo da hortaliça. 27

11 Método: PLANEJANDO E ADMINISTRANDO UMA HORTA Desenvolvimento Cada turma se responsabiliza por um canteiro da horta. Em seguida, o professor orienta as crianças sobre plantio, formação de mudas, espaçamento entre as covas, irrigação, além de colheita e conservação das hortaliças para o consumo. O professor supervisiona os alunos em todos os passos. Tudo isso motiva as crianças a cuidar de seu canteiro, administrá-lo para que as hortaliças cresçam e estejam apropriadas para o consumo. Além disso, essa experiência reforça as qualidades de organização, planejamento, responsabilidade e o processo de promoção de saúde através da alimentação saudável. Método: APLICANDO CIÊNCIAS E SAÚDE NO DIA-A-DIA DA HORTA Desenvolvimento Um dos conceitos mais aplicados em ciências é o da cadeia alimentar. Por isso, o professor pode utilizar esse conceito e relacionar o papel da horta com o fornecimento de nutrientes do solo para as hortaliças e, posteriormente, o consumo das hortaliças fundamentais para a nutrição do ser humano. O professor divide a turma em grupos de trabalhos e determina que cada grupo seja responsável por explorar as qualidades nutricionais das hortaliças cultivadas, ao mesmo tempo, a criança é motivada a se alimentar da hortaliça para garantir os nutrientes ao seu corpo. Outro aspecto importante de ser discutido nesta atividade são os conceitos de variedade, combinação e moderação contidos na Pirâmide dos Alimentos. A importância da escola no processo de aquisição dos hábitos alimentares saudáveis Ah! Ah! pois o A, com a sua cartolinha bicuda, parece o chefe do batalhão. Pára na frente de todas as letras e grita: A... A... A... A... Atenção! Atenção! que digo: Acorda, menino, vamos ser Alegre, vamos ser Ativo, eu te dou o Ar pra respiração, eu te dou a Água, eu te dou as Árvores e todas as belas frutas Amarelas, trago-te Apetite e Alimentação! Venho dançando na frente do Almoço, carregando Alface tão fina e tão fresca que todos me pedem: Quero uma porção! [...] Cecília Meireles e Josué de Castro. A festa das Letras. Editora Antares, 1996 A promoção de saúde na escola se divide em três áreas de atuação: 1) Educação em saúde: pode ser efetivado através da inclusão do tema ao currículo, o desenvolvimento de materiais educativos e a capacitação de docentes; 2) Serviços de saúde e alimentação: serviços de saúde baseados nos aspectos preventivos, com execução de exames periódicos para os escolares; o fornecimento da merenda escolar e a formação de hortas escolares; 3) Ambientes saudáveis: é necessário assegurar condições adequadas do espaço físico escolar, a fim de promover bem estar às pessoas, buscar assegurar aos alunos habilidades para a vida, dotando-os de capacidade para analisar os fenômenos comunitários e estimular a prática de atividade física na escola

12 A escola possui os atributos necessários para promover a educação em saúde: o PNAE proporciona uma realidade concreta para realizar uma proposta pedagógica em educação alimentar e nutricional; pelo ambiente escolar transitam inúmeros atores sociais alunos, familiares, funcionários técnico-administrativos, profissionais de saúde o que proporciona uma atuação em conjunto. O PNAE e suas potencialidades não têm sido explorados amplamente no processo educativo. Muitos o consideram apenas na sua dimensão assistencial, com objetivo de suplementação alimentar para alunos carentes. Isso obscurece as possibilidades educativas e dificulta o pensar e executar atividades que permitiriam a produção de conhecimentos significativos à realidade do aluno. Os desafios lançados para a escola e os docentes se pautam em dois aspectos: 1 - Aprimoramento da formação técnica dos docentes sobre o tema; 2 - Construção de um projeto pedagógico que sirva como instrumento para o educador formar cidadãos. Ideias para promover a alimentação saudável na escola Discuta o cardápio do dia da alimentação escolar com os alunos quanto à composição e os benefícios para a saúde, além da origem daqueles alimentos, formas e tipos de produção. Uma forma de mudar a relação do aluno com o alimento é convidar a merendeira para falar sobre as formas de preparo do alimento, além do nutricionista. Explore as possibilidades! A horta escolar como eixo gerador de dinâmicas comunitárias, educação ambiental, alimentação saudável e sustentável A horta serve como base de referências para inúmeras atividades didáticas, além de proporcionar uma grande variedade de alimentos a baixo custo para a merenda escolar. Com o auxílio da horta, o professor pode relacionar diferentes conteúdos e colocar em prática a interdisciplinaridade. As atividades também asseguram que a criança e a escola resgatem a cultura alimentar brasileira e, consequentemente, estilos de vida mais saudáveis. A horta como recurso pedagógico A seguir, estão apresentados exemplos de como a horta pode ser utilizada como recurso pedagógico. Para mais informações consulte o material: Hortas - manual para as escolas (IRALA et al, 2001)

13 A rotulagem nutricional obrigatória pode ser visualizada no infográfico seguinte: A Lei nº /2009 refere no Art. 2º, parágrafo II - A inclusão da educação alimentar e nutricional no processo de ensino e aprendizagem, que perpassa pelo currículo escolar, abordando o tema alimentação e nutrição e o desenvolvimento de práticas saudáveis de vida, na perspectiva da segurança alimentar e nutricional. Porém, como fazer? Para início, é necessário delimitar alguns passos. A educação alimentar e nutricional necessita ser: Pedagogicamente estruturada (dialogal, significativa, problematizadora, transversal ao currículo escolar, lúdica, que cultive a construção de cidadania); Adequada à realidade local; Sustentável; Integrada; O conjunto de ações formativas devem ter por objetivo estimular a adoção voluntária de práticas e escolhas alimentares saudáveis! O fluxograma a seguir mostra alguns fatores que levam a inadequação de hábitos alimentares dos escolares. É uma forma útil de problematizar os principais entraves para o asseguramento de bons hábitos alimentares e planejar as ações em educação alimentar e nutricional. Pode ser utilizado para construir o diagnóstico a nível local, do município ou da escola

14 Fluxograma de inadequação de hábitos alimentares nos escolares Alimentos e porções dos grupos alimentares Aprendendo e ensinando a ler os rótulos nutricionais dos alimentos A Rotulagem Nutricional garante o direito à informação do cidadão-consumidor ao auxiliá-lo na escolha e consumo de alimentos saudáveis. Os fabricantes devem indicar sempre uma porção equivalente ao grupo alimentar ao que o produto pertence

15 Sugestões de porções para compor a alimentação de crianças saudáveis em idade escolar (de 7 a 10 anos) durante um dia, baseadas na Pirâmide Alimentar, com 2000 kcal. Grupo de alimentos Pães, cereais, raízes, tubérculos e seus derivados Número de porções* Valor energético médio por porção** kcal Leguminosas kcal Verduras, hortaliças e 4 30 kcal conservas vegetais Frutas e sucos 3 70 kcal Leite e derivados kcal Carne o ovos Óleos e gorduras e sementes oleaginosas Açúcares e produtos que fornecem energia provenientes de carboidratos e gorduras kcal FONTE: *SOCIEDADE BRASILEIRA DE PEDIATRIA, 2006; **BRASIL, Para auxiliar na seleção e consumo de alimentos, os rótulos dos alimentos indicam a informação nutricional dos alimentos, com as porções em medidas caseiras. A Tabela a seguir apresenta alguns exemplos de alimentos que representam uma porção de cada grupo da Pirâmide.

16 A Portaria nº 1010 estabelece 10 passos essenciais para promover a alimentação saudável nas escolas. A seguir algumas idéias para o alcance 15 desses passos: Pirâmide de alimentos para crianças de 7 a 10 anos 1º Passo: A escola deve definir estratégias, em conjunto com a comunidade escolar, para favorecer escolhas saudáveis. Sensibilizar a comunidade escolar e professores em relação à importância da alimentação para a educação; Realizar e divulgar avaliação do estado nutricional dos escolares; Valorizar os profissionais envolvidos com o PNAE, especialmente as merendeiras; 2º Passo: Reforçar a abordagem de promoção de saúde e da alimentação saudável nas atividades curriculares da escola. Estimular o conhecimento e aplicações do Guia Alimentar para a população brasileira; Realizar educação continuada para professores sobre o tema alimentação e nutrição; 3º Passo: Desenvolver estratégias de informação às famílias dos alunos para a alimentação saudável no ambiente escolar, enfatizando sua coresponsabilidade e a importância de sua participação neste processo. Inserir o tema alimentação e nutrição na reunião de pais e mestres; Fortalecer o Conselho de Alimentação Escolar; Fortalecer parcerias com a Estratégia de Saúde da Família; 4º Passo: Sensibilizar e capacitar profissionais envolvidos com alimentação na escola para produzir e oferecer alimentos mais saudáveis, adequando os locais de produção e fornecimento de refeições às boas práticas para serviços de alimentação e garantindo a oferta de água potável. Estimular a elaboração de Manual de Boas Práticas pelo nutricionista; Capacitar merendeiras; Estimular a fiscalização das unidades de alimentação e nutrição escolares por intermédio do CAE; FONTE: PHILIPPI, Sonia T., 2000, citado por IRALA et al, º Passo: Restringir a oferta, a promoção comercial e a venda de alimentos ricos em gordura, açúcares e sal. Trabalhar a composição dos alimentos, rotulados ou não, e suas conseqüências sobre a saúde; 16 21

17 Grupo do Leite e derivados, Carnes e ovos (parte intermediária da pirâmide) Todos os alimentos são ricos no nutriente chamado proteína. Ela faz parte da composição dos tecidos celulares, sendo fundamental no crescimento e manutenção da pele, dos ossos, do cabelo, das unhas, etc. Exemplos de alimentos desse grupo são leite, queijo (mussarela, prato, ricota, etc.), iogurtes, carne bovina, aves, peixes, ovos, feijão, ervilha e amendoim. Além disso, os leites e derivados também são ricos em cálcio, um dos responsáveis pela formação dos ossos. Grupo dos açúcares e gorduras (topo da pirâmide) Os alimentos desse grupo como chocolate e sorvetes são ricos em açúcar, também chamado de carboidrato simples. A margarina, óleos vegetais e gordura animal (manteiga, banhas) também fazem parte deste grupo alimentar por serem ricos em gordura e devem ser consumidos em menor quantidade em relação aos outros grupos. 6º Passo: Desenvolver opções de alimentos e refeições saudáveis na escola. Estimular a criação de hortas comunitárias; Adequar o tipo de refeição ao horário de distribuição; Realizar oficinas culinárias e concurso de receitas com os escolares 7º Passo: Aumentar a oferta e promover o consumo de frutas, legumes e verduras, com ênfase nos alimentos regionais. Adequar o cardápio para incluir ampla variedade de frutas, legumes e verduras; Trabalhar a origem e composição das frutas, legumes e verduras e conseqüências do consumo para a saúde; Estimular formação de hortas; Incentivar o consumo de produtos horti-fruti locais e regionais; 8º Passo: Auxiliar os serviços de alimentação da escola na divulgação de opções saudáveis por meio de estratégias que estimulem essas escolhas. Elaboração de cartazes feitos pelas crianças; Garantir o conhecimento, pelas crianças, das etapas de produção dos alimentos ofertados na alimentação escolar; 9º Passo: Divulgar a experiência da alimentação saudável para outras escolas, trocando informações e vivências. Realizar fóruns de discussão entre as escolas; Divulgar experiências exitosas em sites de órgãos públicos; Aproveitar a semana mundial da alimentação para realizar trabalhos e oficinas sobre o tema; 10º Passo: Desenvolver um programa contínuo de promoção de hábitos alimentares saudáveis, considerando o monitoramento do estado nutricional dos escolares, com ênfase em ações de diagnóstico, prevenção e controle dos distúrbios nutricionais. Avaliar o estado nutricional, consumo dos escolares e da comunidade escolar periodicamente; Manter programa de educação nutricional permanente e contínuo; Fomentar projetos de atividade física e alimentação saudável dentro do ambiente escolar; 20 17

18 Recomendações para concretização de uma alimentação saudável para escolares As proibições ou limitações impostas devem ser evitadas, a não ser que façam parte de orientações individualizadas e particularizadas do aconselhamento nutricional de pessoas portadoras de doenças ou distúrbios nutricionais específicos. Por outro lado, supervalorizar determinados alimentos em função de suas características nutricionais não deve constituir a prática da promoção da alimentação saudável. Ou seja, os alimentos não devem ser classificados em saudáveis ou ruins para a saúde. Devemos olhar o contexto integral da alimentação. As pessoas não se alimentam de nutrientes, mas de alimentos, com cheiro, cor, textura e sabor; portanto as diretrizes da alimentação saudável são baseadas em alimentos e, consideradas no seu conjunto, abarcam um plano alimentar completo. Os guias alimentares são instrumentos informativos sobre a seleção, forma e quantidade de alimentos a ser consumidos e podem auxiliar na orientação nutricional e alimentar. Normalmente são expressos na forma de ícones e a pirâmide alimentar é a mais conhecida no Brasil. Ela expressa o número de porções de cada grupo alimentar que cada pessoa - segundo sua idade, peso e altura - deve ingerir. A pirâmide de alimentos deve ser utilizada como uma ferramenta de auxílio para a promoção de práticas alimentares saudáveis. Pode ser construída com os alimentos produzidos localmente e de acordo com sua sazonalidade. A pirâmide alimentar e os grupos de alimentos A Pirâmide dos Alimentos ilustra grupos de alimentos. Na sua essência estão implícitos os três princípios da alimentação saudável: Variedade: utilização de diversos tipos de alimentos durante as estações do ano, dia e durante cada uma das refeições. Moderação: cada grupo de alimento deve ser consumido em determinada quantidade, para que se evite carências nutricionais por excesso ou deficiência. Equilíbrio: reúne os conceitos de variedade e moderação, respeitando a utilização de vários alimentos em quantidades adequadas à cada pessoa. Abaixo, os grupos das pirâmides são apresentados: Grupo dos cereais, massas, tubérculos e raízes (base da pirâmide) Esse grupo se constitui de arroz, milho, mandioca, biscoitos salgados, batata, etc. Fornecem um nutriente chamado de Carboidrato complexo. Grupos das hortaliças e frutas (parte intermediária da pirâmide) Os alimentos que fazem parte desse grupo são todas as frutas e hortaliças (verduras e legumes) como, por exemplo, cenoura, maçã, banana, mamão, entre outros. É importante variar as cores destes alimentos, para assegurar a ingestão de ampla variedade de vitaminas e minerais

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO

Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO Unidade I: BRASILEIRA 0 Unidade: GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA O Guia Alimentar é um instrumento que define as diretrizes alimentares a serem utilizadas

Leia mais

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de

O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de O desafio hoje para o Pediatra e também para sociedade é cuidar das crianças que vão viver 100 anos ou mais e que precisam viver com qualidade de vida. A infância e adolescência são idades ideais para

Leia mais

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão.

Preferências alimentares individuais; Disponibilidade dos alimentos no mercado; Influência das propagandas no mercado, na televisão. Nutrição na Infância e Adolescência A alimentação e a nutrição constituem requisitos básicos para a promoção e a proteção da saúde, possibilitando a afirmação plena do potencial de crescimento e desenvolvimento

Leia mais

Apresentação O PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR E A PROMOÇÃO DA SAÚDE

Apresentação O PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR E A PROMOÇÃO DA SAÚDE Apresentação O presente livreto é um material educativo destinado aos profissionais de educação de unidades escolares municipais do Rio de Janeiro, cujo objetivo é subsidiar ações para promover o consumo

Leia mais

Desafios e Perspectivas para a Educação Alimentar e Nutricional

Desafios e Perspectivas para a Educação Alimentar e Nutricional I FÓRUM DE EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL PARA A PROMOÇÃO DA SAÚDE Desafios e Perspectivas para a Educação Alimentar e Nutricional Ações do Ministério da Saúde Brasília-DF, 17/10/06 Educação Alimentar

Leia mais

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008

III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família. Brasília, 08 de Agosto de 2008 Oficina de Promoção da Alimentação Saudável para Agentes Comunitários de Saúde III Mostra Nacional de Produção em Saúde da Família IV Seminário Internacional de Atenção Primária/ Saúde da Família Brasília,

Leia mais

GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA

GUIA ALIMENTAR PARA A POPULAÇÃO BRASILEIRA MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO BÁSICA COORDENAÇÃO GERAL DA POLÍTICA DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO SEPN 511- Bloco C Edifício Bittar IV 4º andar - Brasília/DF CEP:70750.543

Leia mais

PROJETO 2 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ALIMENTAR COM A HORTA ESCOLAR

PROJETO 2 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ALIMENTAR COM A HORTA ESCOLAR PROJETO 2 EDUCAÇÃO AMBIENTAL E ALIMENTAR COM A HORTA ESCOLAR JUSTIFICATIVA Uma vez que a sobrevivência da sociedade dependerá da alfabetização cultural, social e ecológica e, sendo a Terra nossa casa maior,

Leia mais

Projeto Planeta Azul Ponto de Apoio Especial sobre Alimentação

Projeto Planeta Azul Ponto de Apoio Especial sobre Alimentação Projeto Planeta Azul Ponto de Apoio Especial sobre Alimentação (...) A verdade, em matéria de saúde, está na adaptação e no respeito à Natureza (...). Mokiti Okada Para uma alimentação saudável, podemos

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE

FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE União Metropolitana de Educação e Cultura Faculdade: Curso: NUTRIÇÃO FACULDADE DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E DA SAÚDE Disciplina: INTRODUÇÃO A NUTRIÇÃO Carga horária: Teórica 40 Prática 40 Semestre: 1 Turno:

Leia mais

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL?

COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL? O Ministério da Saúde está lançando a versão de bolso do Guia Alimentar para a População Brasileira, em formato de Dez Passos para uma Alimentação Saudável, com o objetivo

Leia mais

PROJETO ESCOLA DO SABOR

PROJETO ESCOLA DO SABOR PROJETO ESCOLA DO SABOR COMPANHIA DE ENTREPOSTOS E ARMAZÉNS GERAIS DE SÃO PAULO CEAGESP 2012 1. INTRODUÇÃO A alimentação infantil escolar deve ser nutricionalmente equilibrada, confeccionada com alimentos

Leia mais

Departamento de Alimentação Escolar. Investindo na Qualidade para a Melhoria da Aprendizagem dos Alunos

Departamento de Alimentação Escolar. Investindo na Qualidade para a Melhoria da Aprendizagem dos Alunos Departamento de Alimentação Escolar Investindo na Qualidade para a Melhoria da Aprendizagem dos Alunos Dra. Maria Helena Cecin Resek Albernaz Diretora do Departamento de Alimentação Escolar Abril / 2013

Leia mais

Apresentação. O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos

Apresentação. O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos O que significam os itens da Tabela de Informação Nutricional dos rótulos Valor Energético É a energia produzida pelo nosso corpo proveniente dos carboidratos, proteínas e gorduras totais. Na rotulagem

Leia mais

Período Pós-Guerra 1914-1918. Veio mostrar o valor do capital alimento; Surge escolas de nutrólogos em todo mundo;

Período Pós-Guerra 1914-1918. Veio mostrar o valor do capital alimento; Surge escolas de nutrólogos em todo mundo; Período Pós-Guerra 1914-1918 Veio mostrar o valor do capital alimento; Surge escolas de nutrólogos em todo mundo; Brasil criticavam a falta de políticas de alimentação. 1923 Cartilha de higiene para uso

Leia mais

TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR

TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR TEXTO DE APOIO I PERCURSO COMER, DIVIDIR E BRINCAR Alimentação Boa Pra Você Todo ser vivo precisa se alimentar para obter energia e nutrientes para se desenvolver. No caso do ser humano, os alimentos trazem

Leia mais

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES.

A PIRÂMIDE QUE SEGUE ABAIXO É A BRASILEIRA, ADAPTADA POR SÔNIA TUCUNDUVA PHILIPPI AOS NOSSOS HÁBITOS ALIMENTARES. PARA SABERMOS COMO A ALIMENTAÇÃO DEVE SER EQUILIBRADA, PRECISAMOS CONHECER A PIRÂMIDE ALIMENTAR, QUE É A REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DOS ALIMENTOS E SUAS QUANTIDADES QUE DEVEM ESTAR PRESENTES EM NOSSA DIETA

Leia mais

Manual de Rotulagem de Alimentos

Manual de Rotulagem de Alimentos Manual de Rotulagem de Alimentos Agosto 2013 Programa Mesa Brasil Sesc O Mesa Brasil Sesc é um programa de segurança alimentar e nutricional sustentável, que redistribui alimentos excedentes próprios para

Leia mais

A Importância dos Alimentos. Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física

A Importância dos Alimentos. Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física A Importância dos Alimentos Prof.: Andrey Oliveira Colégio Sete de Setembro Disciplina: Educação Física saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estar e a

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR. Eliene Ferreira de Sousa PNAE/FNDE/MEC

PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR. Eliene Ferreira de Sousa PNAE/FNDE/MEC PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR Eliene Ferreira de Sousa PNAE/FNDE/MEC TRAJETÓRIA HISTÓRICA e FINANCEIRA Déc. de 40 Instituto de Nutrição já defendia proposta para oferecer alimentação ao escolar.

Leia mais

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final

15/08/2013. Acelerado crescimento e desenvolvimento: IMPORTÂNCIA DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL NESSA FASE. Atinge 25% da sua altura final Laís Cruz Nutricionista CRN 3 18128 2013 Período de transição entre infância e vida adulta (dos 10 aos 19 anos de idade) Muitas transformações físicas, psicológicas e sociais Acelerado crescimento e desenvolvimento:

Leia mais

Profa. Joyce Silva Moraes

Profa. Joyce Silva Moraes Alimentação e Saúde Profa. Joyce Silva Moraes saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estarestar e a disposição para realizar todas as atividades. demonstrar

Leia mais

JUSTIFICATIVA OBJETIV OS:

JUSTIFICATIVA OBJETIV OS: JUSTIFICATIVA Para termos um corpo e uma mente saudável, devemos ter uma alimentação rica em frutas, verduras, legumes, carnes, cereais, vitaminas e proteínas. Sendo a escola um espaço para a promoção

Leia mais

Como nosso corpo está organizado

Como nosso corpo está organizado Como nosso corpo está organizado Iodo Faz parte dos hormônios da tireoide, que controlam a produção de energia e o crescimentodocorpo.aleiobrigaaadiçãodeiodoaosaldecozinha. UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO

Leia mais

Assunto: Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar.

Assunto: Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar. Nota Técnica nº 01/2014 COSAN/CGPAE/DIRAE/FNDE Assunto: Restrição da oferta de doces e preparações doces na alimentação escolar. A Coordenação de Segurança Alimentar e Nutricional COSAN do Programa Nacional

Leia mais

DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA GUIAS DE BOAS PRÁTICAS NUTRICIONAIS

DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA GUIAS DE BOAS PRÁTICAS NUTRICIONAIS DOCUMENTO DE REFERÊNCIA PARA GUIAS DE BOAS PRÁTICAS NUTRICIONAIS 1. Introdução As Boas Práticas Nutricionais constituem-se um importante instrumento para a modificação progressiva da composição nutricional

Leia mais

Dicas para uma alimentação saudável

Dicas para uma alimentação saudável Dicas para uma alimentação saudável NECESSIDADE FISIOLÓGICA ATO DE COMER SOCIABILIZAÇÃO Comida Japonesa PRAZER CULTURAL Alimentação aliada à saúde Hábitos alimentares pouco saudáveis desde a infância,

Leia mais

Guia Alimentar para a População Brasileira

Guia Alimentar para a População Brasileira Guia Alimentar para a População Brasileira Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição Departamento de Atenção Básica Secretaria de Atenção à Saúde Ministério da Saúde Revisão do Guia Alimentar para a

Leia mais

GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL GUIA ALIMENTAR COMO TER UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL A promoção da alimentação saudável é uma diretriz da Política Nacional de Alimentação e Nutrição e uma das prioridades para a segurança alimentar e nutricional

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2010 Institui diretrizes para a promoção da alimentação saudável nas escolas de educação infantil, fundamental e de nível médio das redes pública e privada, em âmbito nacional.

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS PAIS

A IMPORTÂNCIA DOS PAIS 1 A IMPORTÂNCIA DOS PAIS NA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR ELABORADO POR LUCILEIDE RODRIGUES DOS SANTOS Gerente de Supervisão e Avaliação DAE SEED/SE 2 EQUIPE DAE SEED/SE Edneia Elisabete Cardoso Diretora DAE - SEED/SE

Leia mais

Plano de Aula CIÊNCIAS. Os alimentos

Plano de Aula CIÊNCIAS. Os alimentos Plano de Aula CIÊNCIAS Os alimentos Os alimentos. 10 p.; il. (Série Plano de Aula; Ciências) ISBN: 1. Ensino Fundamental - Ciências 2. Ser humano e saúde I. Título II. Série CDU: 373.3:5 Plano de Aula

Leia mais

ALIMENTAÇÃO E PESO SAUDÁVEL

ALIMENTAÇÃO E PESO SAUDÁVEL Formação sobre Promoção de Estilos de Vida Saudáveis em Contexto Escolar, Familiar e Envolvente Julho de 2009 ALIMENTAÇÃO E PESO SAUDÁVEL TERESA SOFIA SANCHO Gabinete de Nutrição Departamento de Saúde

Leia mais

Horta nas Escolas: Promoção da Saúde e Melhora da Qualidade de Vida

Horta nas Escolas: Promoção da Saúde e Melhora da Qualidade de Vida 13 Horta nas Escolas: Promoção da Saúde e Melhora da Qualidade de Vida Léa Yamaguchi Dobbert Graduada em Arquitetura e Urbanismo PUCCAMP Cleliani de Cassia da Silva Graduada em Nutrição UNIP Estela Marina

Leia mais

FORTALECIMENTO DA AGENDA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA EDUCAÇÃO O Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE

FORTALECIMENTO DA AGENDA DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL NA EDUCAÇÃO O Programa Nacional de Alimentação Escolar - PNAE MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO FNDE DIRETORIA DE AÇÕES EDUCACIONAIS DIRAE COORDENAÇÃO- GERAL DE PROGRAMAS DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR CGPAE SBS Q.2 Bloco F Edifício FNDE

Leia mais

Conselho de Alimentação Escolar

Conselho de Alimentação Escolar Conselho de Alimentação Escolar Controle Social no Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) Ana Luiza Scarparo Nutricionista Agente do PNAE Porto Alegre, 30 de setembro de 2014 Centros Colaboradores

Leia mais

Cardápios na Alimentação Escolar

Cardápios na Alimentação Escolar PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR Cardápios na Alimentação Escolar Coordenação de Segurança Alimentar e Nutricional - COSAN Stella Lemke Nutricionista Agente PNAE CECANE UFPR Cardápio, segundo a

Leia mais

BEM NUTRIDO: UM NOVO CONCEITO DE ALIMENTAÇÃO PARA O CENÁRIO BRASILEIRO ATUAL

BEM NUTRIDO: UM NOVO CONCEITO DE ALIMENTAÇÃO PARA O CENÁRIO BRASILEIRO ATUAL BEM NUTRIDO: UM NOVO CONCEITO DE ALIMENTAÇÃO PARA O CENÁRIO BRASILEIRO ATUAL Autora: Luísa Arantes Vilela Coautora: Juliana de Oliveira Abrahão O excesso de peso e a obesidade aumentam continuamente ao

Leia mais

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL PROGRAMA DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL Último Encontro: Vila Velha 1 Escolha dos temas a serem trabalhados. Tema de hoje: Oficina sobre alimentação saudável 1) Alimentos Alimentos construtores: fornecem proteínas

Leia mais

Alimentação e Crescimento Saudável em Escolares

Alimentação e Crescimento Saudável em Escolares 2 Alimentação e Crescimento Saudável em Escolares Cleliani de Cassia da Silva Especialista em Nutrição, Saúde e Qualidade de Vida FEF UNICAMP A idade escolar compreende o período da vida que se estende

Leia mais

1. Introdução. 2. O que é a Roda dos Alimentos?

1. Introdução. 2. O que é a Roda dos Alimentos? 1. Introdução Educar para uma alimentação saudável é essencial na tentativa de ajudar os jovens a tornar as escolhas saudáveis escolhas mais fáceis. Educar para comer bem e de uma forma saudável, constitui

Leia mais

Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes

Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes Projeto Novos Talentos Escola: Escola Municipal Rural Sucessão dos Moraes Oficina: Comer bem, para viver melhor! Cristiane da Cunha Alves Tatiane Garcez Bianca Maria de Lima Danielle Costa INTRODUÇÃO/JUSTIFICATIVA

Leia mais

CARDÁPIOS SUBSTITUTOS. Prof a - Andréa Araújo

CARDÁPIOS SUBSTITUTOS. Prof a - Andréa Araújo CARDÁPIOS SUBSTITUTOS Prof a - Andréa Araújo Por grupos alimentares Por equivalentes nos grupos alimentares Por equivalentes da pirâmide Pelo VET Por Grupos alimentares Grupo de Alimentos: Classificação

Leia mais

II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES

II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES II OFICINA NACIONAL DE FORMAÇÃO DE TUTORES EM EDUCAÇÃO EM SAÚDE PARA O AUTOCUIDADO EM DIABETES Orientações básicas de nutrição para o autocuidado em DM Maria Palmira C. Romero Nutricionista Marisa Sacramento

Leia mais

UM OLHAR SOBRE A ALIMENTAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Sandra Aparecida Machado Polon Professora Pedagogia UNICENTRO 2

UM OLHAR SOBRE A ALIMENTAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Sandra Aparecida Machado Polon Professora Pedagogia UNICENTRO 2 UM OLHAR SOBRE A ALIMENTAÇÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL Silvia de Souza acadêmica 3º ano Pedagogia UNICENTRO 1 Sandra Aparecida Machado Polon Professora Pedagogia UNICENTRO 2 RESUMO: Este artigo dialogou com

Leia mais

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA

CLÍNICA UPTIME TRATAMENTO DA DOR E PROBLEMAS EMOCIONAIS OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO. (segunda parte) A ESCOLHA OBESIDADE A ESCOLHA DE ALIMENTOS COMO MANTER O CORPO (segunda parte) A ESCOLHA Responda à seguinte pergunta: Você gosta de carro? Se você gosta, vamos em frente. Escolha o carro de seus sonhos: Mercedes,

Leia mais

Para que serve o alimento?

Para que serve o alimento? Alimentação e Saúde saciar a fome Para que serve o alimento? combustível para viver, proporcionando o bem-estar e a disposição para realizar todas as atividades. demonstrar afeto, carinho e aceitação Uma

Leia mais

Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e. outros sintomas

Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e. outros sintomas Uma Boa alimentação e sua relação com a dor, humor e outros sintomas Nutricionista Camila Costa Unidade de Reabilitação Cardiovascular e Fisiologia do Exercício InCor/FMUSP Será que o que você come influencia

Leia mais

ATIVIDADES PARA EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL: EDUCAÇÃO BÁSICA E EDUCAÇÃO INFANTIL. Maria Cristina Faber Boog

ATIVIDADES PARA EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL: EDUCAÇÃO BÁSICA E EDUCAÇÃO INFANTIL. Maria Cristina Faber Boog ATIVIDADES PARA EDUCAÇÃO ALIMENTAR E NUTRICIONAL: EDUCAÇÃO BÁSICA E EDUCAÇÃO INFANTIL Maria Cristina Faber Boog Aqui você encontrará um repertório de atividades para educação alimentar e nutricional na

Leia mais

10 PASSOS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

10 PASSOS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL 10 PASSOS PARA UMA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Secretaria de Saúde do Estado do Tocantins Gerência de Alimentação e Nutrição E-mail: nutricao@saude.to.gov.br (63) 3218 1789 Terezinha Franco Nutricionista ALIMENTAÇÃO

Leia mais

AÇÕES DE PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. Reunião Nacional 18/05/2007

AÇÕES DE PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL. Reunião Nacional 18/05/2007 AÇÕES DE PROMOÇÃO DA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Reunião Nacional 18/05/2007 Proposta do trabalho em grupo Construindo um Manual de Promoção da Alimentação Saudável em nível local Objetivos: Atualizar as ações

Leia mais

American Dietetic Association

American Dietetic Association É um método sistemático para resolução de problemas que os profissionais de nutrição empregam para pensar de modo crítico e tomar decisões para resolver problemas nutricionais e prestar assistência nutricional

Leia mais

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO

CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO SENADO FEDERAL CUIDADOS COM A ALIMENTAÇÃO SENADOR CLÉSIO ANDRADE 2 Cuidados com a alimentação apresentação Uma boa saúde é, em grande parte, resultado de uma boa alimentação. Há muita verdade no dito

Leia mais

os alunos a respeito da alimentação saudável. Essa é, inclusive, uma das recomendações

os alunos a respeito da alimentação saudável. Essa é, inclusive, uma das recomendações Alimentaç Por Daiana Braga e Ticyana Carone Banzato Merenda é oportunidade Frutas e hortaliças são alimentos que devem ser incluídos diariamente nas refeições de alunos. São alimentos ricos em vitaminas,

Leia mais

PALESTRA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

PALESTRA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL PALESTRA ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Nutricionista: Cyntia Cristina Piaia Sassala. CRN8 1546 Formada pela UFPR / 2002. Assessoria e Consultoria em Nutrição. NUTRIÇÃO NA INFÂNCIA Os hábitos alimentares são formados

Leia mais

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano.

Oficina CN/EM 2012. Alimentos e nutrientes (web aula) H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo humano. Oficina CN/EM 2012 Alimentos e nutrientes (web aula) Caro Monitor, Ao final da oficina, o aluno terá desenvolvido as habilidade: H34 Reconhecer os principais tipos de nutrientes e seu papel no metabolismo

Leia mais

Segurança alimentar e nutricional:

Segurança alimentar e nutricional: Segurança alimentar e nutricional: Políticas para a garantia da alimentação segura e saudável Coordenação-Geral de Alimentação e Nutrição Departamento de Atenção Básica Secretaria de Atenção à Saúde/ Ministério

Leia mais

GUIA DE ORIENTAÇÃO PARA UTILIZAÇÃO DOS CRITÉRIOS E INDICADORES DO PROJETO ALIMENTAÇÃO ESCOLAR SAUDÁVEL

GUIA DE ORIENTAÇÃO PARA UTILIZAÇÃO DOS CRITÉRIOS E INDICADORES DO PROJETO ALIMENTAÇÃO ESCOLAR SAUDÁVEL GUIA DE ORIENTAÇÃO PARA UTILIZAÇÃO DOS CRITÉRIOS E INDICADORES DO PROJETO ALIMENTAÇÃO ESCOLAR SAUDÁVEL Introdução O aumento da obesidade e inadequados hábitos alimentares durante a infância e a juventude

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS. RESOLUÇÃO No- 465, DE 23 DE AGOSTO DE 2010

CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS. RESOLUÇÃO No- 465, DE 23 DE AGOSTO DE 2010 CONSELHO FEDERAL DE NUTRICIONISTAS RESOLUÇÃO No- 465, DE 23 DE AGOSTO DE 2010 Dispõe sobre as atribuições do Nutricionista, estabelece parâmetros numéricos mínimos de referência no âmbito do Programa de

Leia mais

Oficina Dando vida aos conteúdos matemáticos 1

Oficina Dando vida aos conteúdos matemáticos 1 Oficina Dando vida aos conteúdos matemáticos 1 Regina Lúcia Tarquinio de Albuquerque (areginalucia@yahoo.com.br) Resumo: O cálculo e a resolução de problemas, objetos de estudo desta oficina, são práticas

Leia mais

A MATEMÁTICA DA SAÚDE

A MATEMÁTICA DA SAÚDE A MATEMÁTICA DA SAÚDE Isabel Cristina Thiel Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC isabelthiel@gmail.com Andressa Dambrós Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC dessa.dambros@gmail.com

Leia mais

DICAS PARA PAIS E FILHOS

DICAS PARA PAIS E FILHOS DICAS PARA PAIS E FILHOS Orientações práticas para Crianças e Adolescentes com Sobrepeso ou Obesidade APRESENTAÇÃO Este trabalho foi desenvolvido pelas alunas Charlene Lopes, Elisangela de Paula Silva

Leia mais

Educação Nutricional para a Boa Alimentação e Controle do Peso Corporal

Educação Nutricional para a Boa Alimentação e Controle do Peso Corporal 8 Educação Nutricional para a Boa Alimentação e Controle do Peso Corporal Jaqueline Girnos Sonati Nutricionista e Especialista em Teorias e Métodos de Pesquisa em Educação Física, Esportes e Lazer na UNICAMP

Leia mais

Art. 2º - São diretrizes da Política Municipal de Educação Alimentar e Combate à Obesidade:

Art. 2º - São diretrizes da Política Municipal de Educação Alimentar e Combate à Obesidade: PROJETO DE LEI N. 426/2013 ESTADO DO AMAZONAS ESTABELECE diretrizes para a Política Municipal de Educação Alimentar Escolar e Combate à Obesidade, e dá outras providências. Art.1º - O Poder Público Municipal,

Leia mais

EMEF TI MOACYR AVIDOS DISCIPLINA ELETIVA: COZINHANDO COM OS NÚMEROS

EMEF TI MOACYR AVIDOS DISCIPLINA ELETIVA: COZINHANDO COM OS NÚMEROS EMEF TI MOACYR AVIDOS DISCIPLINA ELETIVA: COZINHANDO COM OS NÚMEROS (ALUNOS) Público Alvo: 6ºs E 7ºs ANOS (DISCIPLINA) Área de Conhecimento: MATEMÁTICA e LÍNGUA PORTUGUESA PROFESSORES: JANAINA ROSEMBERG

Leia mais

Criança nutrida & criança Vitaminada

Criança nutrida & criança Vitaminada Criança nutrida & criança Vitaminada IMC INFANTIL Muitos pais se preocupam com o peso e a estatura de seu filho. Questionam-se se a massa corporal da criança está de acordo com a idade, se a alimentação

Leia mais

A ROTULAGEM DE ALIMENTOS PROMOVENDO O CONTROLE SANITÁRIO E A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

A ROTULAGEM DE ALIMENTOS PROMOVENDO O CONTROLE SANITÁRIO E A ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL Prefeitura Municipal do Natal Secretaria Municipal de Saúde Departamento de Vigilância em Saúde Setor de Vigilância Sanitária Distrito Sanitário Oeste Núcleo de Vigilância Sanitária A ROTULAGEM DE ALIMENTOS

Leia mais

Como podemos escolher os alimentos para crescer de forma saudável?

Como podemos escolher os alimentos para crescer de forma saudável? 1. Introdução A vida começa com a alimentação, e esta desempenha uma influência determinante no desenvolvimento emocional, mental, físico e social de cada um. A alimentação consiste em obter do ambiente

Leia mais

ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência

ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência ENVELHECER COM SABEDORIA Alimente-se melhor para Manter a sua Saúde e Independência 1. ALIMENTE-SE MELHOR Prevê-se que em 2025 1, só na Europa, o grupo etário mais idoso (acima dos 80 anos), passe de 21,4

Leia mais

O PAPEL DO EDUCADOR NA PROMOÇÃO DE AÇÕES EDUCATIVAS QUE ESTIMULEM A ACEITAÇÃO DOS CARDÁPIOS OFERECIDOS AOS ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL

O PAPEL DO EDUCADOR NA PROMOÇÃO DE AÇÕES EDUCATIVAS QUE ESTIMULEM A ACEITAÇÃO DOS CARDÁPIOS OFERECIDOS AOS ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL O PAPEL DO EDUCADOR NA PROMOÇÃO DE AÇÕES EDUCATIVAS QUE ESTIMULEM A ACEITAÇÃO DOS CARDÁPIOS OFERECIDOS AOS ALUNOS DA EDUCAÇÃO INFANTIL Autoras: ROSANA MONTEIRO, REGINA DE LIMA SILVA E REJANE DE LIMA SILVA

Leia mais

OFICINA: Guia Alimentar para Crianças Menores de Dois Anos

OFICINA: Guia Alimentar para Crianças Menores de Dois Anos I Mostra Estadual de Atenção Primária em Saúde Curitiba - PR OFICINA: Guia Alimentar para Crianças Menores de Dois Anos Gisele Ane Bortolini Helen Duar Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição

Leia mais

Atuações da CEAGESP e do CECANE nas ações de fortalecimento da Agricultura Familiar. Ana Laura Benevenuto de Amorim e Fabiane Mendes da Camara

Atuações da CEAGESP e do CECANE nas ações de fortalecimento da Agricultura Familiar. Ana Laura Benevenuto de Amorim e Fabiane Mendes da Camara Atuações da CEAGESP e do CECANE nas ações de fortalecimento da Agricultura Familiar Ana Laura Benevenuto de Amorim e Fabiane Mendes da Camara São Paulo, 2014 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO FACULDADE DE SAÚDE

Leia mais

Legislação. Itens relacionados aos alimentos que compõem os cardápios

Legislação. Itens relacionados aos alimentos que compõem os cardápios PNAE Mais antigo programa social do Governo Federal na área de alimentação e nutrição, considerado como um dos maiores programas na área de alimentação escolar do mundo, com atendimento universalizado

Leia mais

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari*

AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari* AVALIAÇÃO NUTRICIONAL DE MENINAS DO INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Uyeda, Mari* Resumo: Vasconcellos, Jorge** As mudanças ocorridas em nosso pais, principalmente a crescente modernização e urbanização,

Leia mais

PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF. Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini

PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF. Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini PESQUISA DE ORÇAMENTO FAMILIAR - POF Prof. Dra. Aline Mota de Barros Marcellini As maiores médias de consumo diário per capita ocorreram para Feijão (182,9 g/ dia), arroz (160,3 g/ dia), carne bovina

Leia mais

ANEXO I INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS CURSO TÉCNICO EM INFRAESTRUTURA ESCOLAR

ANEXO I INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS CURSO TÉCNICO EM INFRAESTRUTURA ESCOLAR ANEXO I INFORMAÇÕES SOBRE OS CURSOS CURSO TÉCNICO EM INFRAESTRUTURA ESCOLAR INFORMAÇÕES GERAIS: Denominação: Curso Técnico em Infraestrutura Escolar Eixo Tecnológico: Apoio Educacional Titulação Conferida:

Leia mais

Alimentação Saudável

Alimentação Saudável Alimentação Saudável O que é a alimentação saudável? A Alimentação Saudável é uma forma racional de comer que assegura variedade, equilíbrio e quantidade justa de alimentos escolhidos pela sua qualidade

Leia mais

A Política Nacional de Alimentação e Nutrição e as Iniciativas para aumentar o consumo de frutas e hortaliças as no Brasil

A Política Nacional de Alimentação e Nutrição e as Iniciativas para aumentar o consumo de frutas e hortaliças as no Brasil A Política Nacional de Alimentação e Nutrição e as Iniciativas para aumentar o consumo de frutas e hortaliças as no Brasil Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição (CGPAN/ DAB/ SAS/ MS)

Leia mais

S I 1º E 2º ANO DO ENSINO BÁSICO

S I 1º E 2º ANO DO ENSINO BÁSICO S I 1º E 2º ANO DO Tema 1 E tu, conheces os alimentos? S I Objetivos: Após o desenvolvimento das atividades propostas para o Tema 1, as crianças deverão adquirir conhecimentos sobre: Os alimentos e os

Leia mais

APÊNDICE C DIRETRIZES VOLUNTÁRIAS PARA A INTEGRAÇÃO DA BIODIVERSIDADE NAS POLÍTICAS, PROGRAMAS E PLANOS DE AÇÃO NACIONAIS E REGIONAIS DE NUTRIÇÃO

APÊNDICE C DIRETRIZES VOLUNTÁRIAS PARA A INTEGRAÇÃO DA BIODIVERSIDADE NAS POLÍTICAS, PROGRAMAS E PLANOS DE AÇÃO NACIONAIS E REGIONAIS DE NUTRIÇÃO APÊNDICE C DIRETRIZES VOLUNTÁRIAS PARA A INTEGRAÇÃO DA BIODIVERSIDADE NAS POLÍTICAS, PROGRAMAS E PLANOS DE AÇÃO NACIONAIS E REGIONAIS DE NUTRIÇÃO Objetivo O objetivo das Diretrizes é apoiar os países a

Leia mais

Panorama Nutricional da População da América Latina, Europa e Brasil. Maria Rita Marques de Oliveira

Panorama Nutricional da População da América Latina, Europa e Brasil. Maria Rita Marques de Oliveira Panorama Nutricional da População da América Latina, Europa e Brasil Maria Rita Marques de Oliveira 1- MEIO AMBIENTE E PRODUÇÃO DE ALIMENTOS 2- ACESSO AOS ALIMENTOS 3- ALIMENTO SEGURO 4- PREVENÇÃO E CONTROLE

Leia mais

10. SUGESTÕES DE PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO NO MUNICÍPIO DE HORTOLÂNDIA/SP

10. SUGESTÕES DE PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO NO MUNICÍPIO DE HORTOLÂNDIA/SP 10. SUGESTÕES DE PROPOSTAS PARA IMPLANTAÇÃO NO MUNICÍPIO DE HORTOLÂNDIA/SP Políticas e Ambiente Escolar Padronização dos ambientes físicos de todas as escolas, procurando proporcionar espaços saudáveis

Leia mais

NUTRIÇÃO. Prof. Marta E. Malavassi

NUTRIÇÃO. Prof. Marta E. Malavassi Prof. Marta E. Malavassi Conceito: processo orgânico que envolve ingestão, digestão, absorção, transporte e eliminação das substâncias alimentares para a manutenção de funções, a formação e regeneração

Leia mais

Projeto Curricular de Escola

Projeto Curricular de Escola Projeto Curricular de Escola QUADRIÉNIO 2014-2018 Somos aquilo que comemos. Hipócrates Cooperativa de Ensino A Colmeia 2 Índice Introdução... 4 Identificação do Problema... 5 Objetivos... 6 Estratégias/Atividades...

Leia mais

Projeto Tempero de Mãe

Projeto Tempero de Mãe Projeto Tempero de Mãe Secretaria Municipal de Educação 1 Introdução A nutrição da população brasileira está cada vez mais afetada de más influências que vão da ignorância de uns até a superstição de outros,

Leia mais

PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR - PNAE. Eduardo Manyari Coordenação Geral do PNAE

PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR - PNAE. Eduardo Manyari Coordenação Geral do PNAE PROGRAMA NACIONAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR - PNAE Eduardo Manyari Coordenação Geral do PNAE Definição da Alimentação Escolar Entende-se por alimentação escolar todo alimento oferecido no ambiente escolar,

Leia mais

ALIMENTAÇÃO ESCOLAR : MUNICIPALIZAÇÃO É FATOR DECISIVO NA EDUCAÇÃO. VELLOSO, Cleusa Bandeira de Oliveira

ALIMENTAÇÃO ESCOLAR : MUNICIPALIZAÇÃO É FATOR DECISIVO NA EDUCAÇÃO. VELLOSO, Cleusa Bandeira de Oliveira ALIMENTAÇÃO ESCOLAR : MUNICIPALIZAÇÃO É FATOR DECISIVO NA EDUCAÇÃO VELLOSO, Cleusa Bandeira de Oliveira SILVEIRA, Alberto Esteves Antunes Universidade de Passo Fundo RESUMO A municipalização da alimentação

Leia mais

Pesquisa. Consumo de Frutas e Hortaliças

Pesquisa. Consumo de Frutas e Hortaliças Pesquisa Consumo de Frutas e Hortaliças Pesquisa Quantitativa Consumo de Frutas e Hortaliças Elaborado por CONNECTION RESEARCH Maio 2011 2 Objetivos da pesquisa. Estudar os hábitos alimentares da população

Leia mais

Maria Luiza da Silva/FNDE e Ana Muller/MDA

Maria Luiza da Silva/FNDE e Ana Muller/MDA !"" Maria Luiza da Silva/FNDE e Ana Muller/MDA ESTRATÉGIA FOME ZERO Políticas Públicas 1) Estruturais: Geração de emprego e renda; Promoção da agricultura familiar; Intensificação da Reforma Agrária; Qualidade

Leia mais

PROJETO DE LEI 01-0378/2009 dos Vereadores Claudio Fonseca (PPS) e Jose Police Neto (PSD) Consolida a legislação municipal sobre alimentação escolar,

PROJETO DE LEI 01-0378/2009 dos Vereadores Claudio Fonseca (PPS) e Jose Police Neto (PSD) Consolida a legislação municipal sobre alimentação escolar, PROJETO DE LEI 01-0378/2009 dos Vereadores Claudio Fonseca (PPS) e Jose Police Neto (PSD) Consolida a legislação municipal sobre alimentação escolar, no Município de São Paulo, como um direito constitucional

Leia mais

Alimentação na Gestação

Alimentação na Gestação ESPAÇO VIDA Nut. Fabiane Galhardo Unimed Pelotas 2012 Alimentação na Gestação 1 GESTAÇÃO PERÍODO MÁGICO DE INTENSA TRANSIÇÃO, ONDE A NATUREZA MODIFICA O CORPO E A MENTE PARA TRANSFORMAR MULHER EM MÃE A

Leia mais

Elaboração de Cardápios

Elaboração de Cardápios Elaboração de Cardápios Junho 2013 1 Programa Mesa Brasil Sesc O Mesa Brasil Sesc é um programa de segurança alimentar e nutricional sustentável, que redistribui alimentos excedentes próprios para o consumo.

Leia mais

Programa Nacional de Alimentação Escolar/PNAE

Programa Nacional de Alimentação Escolar/PNAE Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação Programa Nacional de Alimentação Escolar/PNAE Atualizações com base na Lei 11.947/2009 Alaíde Oliveira do Nascimento Coordenadora de fomento ao Controle Social

Leia mais

LEI Nº 740, DE 03 DE NOVEMBRO DE 2009.

LEI Nº 740, DE 03 DE NOVEMBRO DE 2009. LEI Nº 740, DE 03 DE NOVEMBRO DE 2009. Consolida a Legislação Municipal sobre Alimentação Escolar, no Município de Chapadão do Sul-MS, como um direito Constitucional dos Escolares e Dever do Estado, e

Leia mais

PNAE Programa Nacional de Alimentação Escolar. As ações para a Agricultura Familiar e o Controle Social

PNAE Programa Nacional de Alimentação Escolar. As ações para a Agricultura Familiar e o Controle Social PNAE Programa Nacional de Alimentação Escolar As ações para a Agricultura Familiar e o Controle Social Missão: Contribuir para a melhoria da educação por meio de ações educativas de alimentação e nutrição

Leia mais

PROJETO EDUCANDO COM A HORTA: CORES AROMAS E SABORES. NEI João Machado da Silva

PROJETO EDUCANDO COM A HORTA: CORES AROMAS E SABORES. NEI João Machado da Silva PROJETO EDUCANDO COM A HORTA: CORES AROMAS E SABORES NEI João Machado da Silva Justificativa Aproveitar racionalmente a pequena disponibilidade de espaço de terra do NEI João Machado da Silva na produção

Leia mais

Construção de ferramentas promotoras de educação alimentar. Francielle Richetti Anschau Giollo Nutricionista CRN 2105

Construção de ferramentas promotoras de educação alimentar. Francielle Richetti Anschau Giollo Nutricionista CRN 2105 Construção de ferramentas promotoras de educação alimentar Francielle Richetti Anschau Giollo Nutricionista CRN 2105 Hábitos alimentares na infância Hábitos alimentares na infância Hábitos alimentares

Leia mais

A RODA DOS ALIMENTOS... um guia para a escolha alimentar diária! 1-3 3-5 2-3 1,5-4,5 1-2 3-5 4-11 COMA BEM, VIVA MELHOR! O QUE É UMA PORÇÃO?* POR DIA quantas são necessárias? ** Cereais e derivados, tubérculos

Leia mais

Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos EAEA/UFG nataliaagronegocio@gmail.com

Escola de Agronomia e Engenharia de Alimentos EAEA/UFG nataliaagronegocio@gmail.com Segurança Alimentar e Agricultura Familiar: Análise do Programa da Gestão Integrada da Alimentação Escolar no Município de Goiânia-Go a Partir da Lei 11947/2009 Natalia Ferreira BARBOSA 1 Prof.º Dr. Luiz

Leia mais

RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE.

RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE. RECOMENDAÇÕES ALIMENTARES PARA ALUNOS COM DIABETES, HIPERTENSÃO, DOENÇA CELÍACA, E INTOLERÂNCIA Á LACTOSE. 1. DOENÇA CELIACA É uma doença que causa inflamações nas camadas da parede do intestino delgado,

Leia mais