GERENCIADOR INTELIGENTE DE REDE DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "GERENCIADOR INTELIGENTE DE REDE DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA."

Transcrição

1

2 GERENCIADOR INTELIGENTE DE REDE DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA.

3 O e-eficiência foi desenvolvido em plataforma WEB, o que permite o acesso das pessoas autorizadas através de Desktops, Notebooks e Tablet s, propiciando uma maior mobilidade de todos os atores envolvidos com o processo de Atendimento, Manutenção e Gerenciamento da Rede de Iluminação Pública. O foco principal é permitir à Administração Municipal: a)- O Conhecimento da rede de Iluminação Pública. b)- O Gerenciamento de Estoque de material. c)- O acompanhamento da operação das empreiteiras. d)- Atendimento ao cidadão.

4 O e-eficiência atende a qualquer porte de Município, desde os menores até as grandes capitais, uma vez que não exige grandes recursos técnicos pois, todo a base de dados fica armazenada na nuvem e é gerenciada por nossa empresa, em servidores de grande capacidade e performance. Com o e-eficiência o Município passa a controlar todas as etapas que compõem os serviços de manutenção da Rede de Iluminação Pública. As empresas contratadas para o serviço de manutenção passam a ser controladas pelo e-eficiência desde a solicitação de manutenção até as medições mensais para pagamento pelos serviços realizados.

5 PORQUE IMPLANTAR O e-eficiência? Até a edição da Portaria 456 da Aneel, as Concessionárias de Energia Elétrica eram as responsáveis pela manutenção das Redes de Iluminação Pública na grande maioria dos Municípios Brasileiros. Mas, a 456 exigiu que todo o parque de iluminação pública fosse entregue a quem de direito: os Municípios. Todavia, não houve a preocupação em dotar os Municípios de estrutura capaz de suportar tal encargo. A solução imediata foi a contratação de empresas especializadas para que assumissem a tarefa. Assim, as empreiteiras assumiram TODAS as tarefas inerentes, inclusive as de receber as reclamações quanto ao funcionamento da rede e dar prosseguimento ao atendimento destas reclamações. POUCO PRODUTIVO!!!

6 PORQUE IMPLANTAR O e-eficiência? O Município continuou refém de terceiros em uma atividade considerada essencial: manter a rede de iluminação pública. Além disto, o Município continuou SEM CONHECER o seu próprio parque de iluminação. A REDE DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA CONTINUOU A SER UMA CAIXA PRETA que mensalmente representa custos que são assumidos SEM QUE SE POSSA DISCUTIR o que de fato foi realizado. A transparência da Administração Municipal fica comprometida, uma vez que o cidadão NÃO vê resultados: são lâmpadas queimadas, lâmpadas acesas durante o dia, que só repercutem em custos, tanto de segurança da população, quanto na insatisfação desta.

7 O e-eficiência MUDA TUDO. Todo a rede de Iluminação Pública é vistoriada, POSTE A POSTE, e estes recebem uma identificação única: cada poste da rede é numerado de forma visível para o cidadão. Cada poste da rede é analisada em todos os seus componentes: Tipos de Lâmpadas, Luminárias, reatores, fotocélulas, braço, suporte, enfim, cada um recebe uma Certidão de Nascimento completa. Todos os Postes são georeferenciados, isto é, a sua localização espacial é determinada com precisão. Isto tem a finalidade de facilitar a localização de cada poste da rede em um mapa de georeferenciamento. Veja no próximo slide.

8 O e-eficiência MUDA TUDO. Clicando sobre as coordenadas, o programa mostra no mapa a real posição de cada ponto de iluminação.

9 O e-eficiência MUDA TUDO. Usando os recursos do Google Street View, podemos visualizar o ponto de iluminação de forma a dirimir possíveis duvidas. Com este recurso, além de uma perfeita visualização do ponto de iluminação, pode-se inclusive detectar o uso do poste para outras finalidades não autorizada pela Prefeitura. Veja no detalhe:

10 SITUAÇÃO ANTES DO e-eficiência Prefeitura Empreiteira Fornecedores Rede de Iluminação Pública Tudo o que acontece a partir da empreiteira é uma incógnita para a Administração Municipal que recebe mensalmente a CONTA, sem ter conhecimento e argumentos para questionar.

11 SITUAÇÃO DEPOIS DO e-eficiência Prefeitura Fornecedores e-eficiência Empreiteira Rede de Iluminação Pública A Prefeitura passa a ter o efetivo CONTROLE sobre tudo o que envolve a sua Rede de Iluminação Pública, usando o e-eficiência como ferramenta de gerenciamento, tanto dos fornecedores de equipamento e insumos, quanto da performance da empreiteira.

12 O e-eficiência em ação. Canal 0800 colocado à disposição da população para que possa informar e registrar ocorrências com a rede de iluminação pública, melhorando o atendimento e a transparência. Efetivo controle das garantias e prazos de validade dos diversos equipamentos e insumos que compõem a rede de iluminação pública. Acompanhamento dos prazos de atendimentos às Ordens de Serviços por parte das empreiteiras. Fechamento mensal das medições realizadas pelo e-eficiência e não pelas empreiteiras. Cálculo aproximado da conta de fornecimento de energia com base na rede instalada para confronto com a cobrança feita pela concessionária. Efetivo Controle do estoque de material. Viabilização de estudo de economicidade na rede, com vistas a projetos de eficientização no consumo de energia, bem como nos prédios próprios da Prefeitura.

13 O e-eficiência em ação. AS CONCESSIONARIAS. Na grande maioria dos Municípios, as Concessionárias de Energia cobram das Prefeituras pelo fornecimento de energia elétrica, baseando-se em informações cadastrais sobre a composição de cada ponto de Iluminação Pública. Isto significa que a cobrança é feita da seguinte forma: X lâmpadas de??? Watts tipo Tal x 12 horas x 30 dias x Tarifa Este tipo de medição é chamada de ESTIMADA, e por isso, nunca reflete a realidade do consumo, principalmente porque, os componentes da rede de iluminação pública NÃO SÃO ATUALIZADOS pelas Concessionárias. Em muitos casos, o levantamento dos componentes da rede foram realizados a mais de 10, 5 anos. Assim, tudo o que eventualmente foi feito em termos de eficientização do consumo ao longo deste período não é considerado pela Concessionária.

14 O e-eficiência em ação. AS CONCESSIONARIAS. Para a implantação do e-eficiência, o primeiro passo é o CADASTRO DE TODOS OS PONTOS DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA e o registro de cada item empregado em cada ponto. Ao final deste cadastramento, o primeiro PRODUTO que surge é a ESPECIFICAÇÃO CORRETA de cada ponto. Assim, já se poderá fazer o confronto entre as informações de cobrança utilizadas pela Concessionária e a que de fato existe. Em muitos Municípios, somente este procedimento já permite uma redução no valor da conta mensal de fornecimento de energia da ordem de 15% (quinze por cento).

15 O e-eficiência em ação. AS CONCESSIONARIAS. A partir da implantação do e-eficiência, mensalmente será extraído o relatório de Consumo Previsto e neste, constará o valor aproximado do total de energia consumida pela rede de iluminação pública. Bastará então fazer o confronto entre o valor apresentado pela Concessionária e o valor apurado pelo e-eficiência. Desta forma, a Administração Municipal estará assistida por informações consistentes para discutir com a concessionária os valores eventualmente cobrados a maior. O FUTURO. A rede de iluminação pública será dividia em Seções para a instalação de medidores. Cobrança justa.

16 MÓDULO DE GERENCIAMENTO INTERNO. O e-eficiência parte do Cadastramento de todos os Pontos de Iluminação Pública, que passam a ser identificados por um número a ser afixado em cada poste e na etiqueta de numeração, informamos o número do 0800 a ser acionado pelo cidadão quando este desejar informar algum tipo de problema na rede. Além da identificação numérica de cada poste, são coletadas todas as informações sobre os itens que compõem cada ponto ( Tipo de lâmpada, luminária, braço etc...) e ainda, são coletadas as Coordenadas Cartesianas para que seja feito o georeferenciamento de cada ponto. O processo de cadastramento dos Pontos de Iluminação leva de 30 a 90 dias, prazo este determinado pelo número de pontos de Iluminação da Rede.

17 MÓDULO DE GERENCIAMENTO INTERNO. Este módulo prevê o cadastramento dos seguintes itens que podem compor um Ponto de Iluminação Pública. São cadastrados os diversos tipos de braços existentes: Braço Curvo. Braço Reto. E qualquer outro modelo utilizado na rede.

18 MÓDULO DE GERENCIAMENTO INTERNO. Este módulo prevê o cadastramento dos seguintes itens que podem compor um Ponto de Iluminação Pública. São cadastrados os diversos tipos de luminárias usadas na rede: E qualquer outro modelo utilizado na rede.

19 MÓDULO DE GERENCIAMENTO INTERNO. Este módulo prevê o cadastramento dos seguintes itens que podem compor um Ponto de Iluminação Pública. São cadastrados os diversos tipos de lâmpadas usadas na rede: E qualquer outro modelo utilizado na rede.

20 MÓDULO DE GERENCIAMENTO INTERNO. Este módulo prevê o cadastramento dos seguintes itens que podem compor um Ponto de Iluminação Pública. São cadastrados os diversos tipos de reatores usados na rede: E qualquer outro modelo utilizado na rede.

21 MÓDULO DE GERENCIAMENTO INTERNO. Este módulo prevê o cadastramento dos seguintes itens que podem compor um Ponto de Iluminação Pública. São cadastrados os diversos tipos de Postes usados na rede: E qualquer outro modelo utilizado na rede.

22 MÓDULO DE GERENCIAMENTO INTERNO. Este módulo prevê o cadastramento dos seguintes itens que podem compor um Ponto de Iluminação Pública. São cadastrados os diversos tipos de Soquetes (bocal)usados na rede: E qualquer outro modelo utilizado na rede.

23 MÓDULO DE GERENCIAMENTO INTERNO. Este módulo prevê o cadastramento dos seguintes itens que podem compor um Ponto de Iluminação Pública. São cadastrados os diversos tipos de Cruzetas, quando usadas na rede: E qualquer outro modelo utilizado na rede.

24 MÓDULO DE GERENCIAMENTO INTERNO. Este módulo prevê o cadastramento dos seguintes itens que podem compor um Ponto de Iluminação Pública. São cadastrados os diversos tipos de Suporte, quando usados na rede: E qualquer outro modelo utilizado na rede.

25 MÓDULO DE GERENCIAMENTO INTERNO. Todos os logradouros do Município são cadastrados no sistema. Quando for realizado o cadastramento dos Pontos de Iluminação, estes serão vinculados ao logradouro onde estão situados. Esta medida permite a imediata localização de cada ponto e ainda, quando da recepção das informações quanto a defeitos na rede, os atendentes do Call Center podem confirmar se o número do ponto informado pelo 0800, de fato corresponde ao logradouro onde está cadastrado.

26 MÓDULO DE GERENCIAMENTO INTERNO. Este módulo prevê o cadastramento das empreiteiras envolvidas com a Manutenção dos Pontos de Iluminação Pública. Todas as empreiteiras envolvidas com a manutenção da Rede de Iluminação Pública são cadastradas no sistema. Cada Ponto de Iluminação Pública é vinculado à uma empreiteira e, desta forma, as ordens de serviços são encaminhadas eletronicamente para a que for responsável pelo ponto que apresentar problema. A qualquer tempo o administrador do sistema pode fazer verificações quanto ao atendimento de cada empreiteira, bem como realizar o fechamento mensal das medições por empreiteira.

27 MÓDULO DE GERENCIAMENTO INTERNO. Feitos todo os cadastros previsto, podemos passar à identificação e localização de cada Ponto de Iluminação. Coordenadas para localização do Poste. Endereço de localização Itens que compõem o ponto de iluminação. Empreiteira responsável.

28 MÓDULO INTERNO EMPREITEIRAS. Esta é a tela que a empreiteira tem acesso. O.S. em aberto aguardando atendimento. Fechamento das OS Atendidas. Consulta às OS já atendidas. Nesta tela a empreiteira tem acesso exclusivo ao seu módulo. Nela estão todos os itens que dizem respeito às O.S.. Consulta às OS aprovadas pela Fiscalização da Prefeitura TUDO MUITO RÁPIDO E SEGURO.

29 MÓDULO DE ATENDIMENTO CALL CENTER. A partir do cadastramento de todos os Pontos de Iluminação, o sistema está pronto para iniciar o atendimento à população através do O módulo do Call Center é de simples operação. Acionado o Call Center o operador abre o programa na tela de registro de ocorrências. Recomenda-se que seja solicitado o CPF do cidadão que está registrando a ocorrência e isto, para minimizar as informações falsas. Basta ao operador informar o Número do Poste para que o programa puxe da base de dados todas as informações. O operador registra o tipo de ocorrência, e pode ainda registrar um ponto de referência para facilitar o atendimento.

30 MÓDULO DE ATENDIMENTO CALL CENTER. Ainda na tela de Atendimento, preparamos um campo que chamamos de campo MEMO para que o operador possa registrar alguma outra informação que possa ser do interesse da Administração Municipal. Com o passar do tempo, estas informações podem ser importantes para tomadas de decisões quanto a que tipo de equipamento instalar, que proteção deve ser disponibilizada etc...

31 e-eficiência Naturalmente que o assunto não se esgota nesta apresentação que, pretende somente dá uma visão geral sobre o produto mas, acreditamos que seja suficiente para o Administrador Público visualizar os benefícios que o e-eficiência pode agregar ao dia a dia do Gerenciamento da Rede de Iluminação Pública. e-eficiência A ferramenta que faltava.

32 INSTITUTO BRASILEIRO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL RIO DE JANEIRO Rua do Rosário, 99 6º. andar - Centro (21) Acesse: SÃO PAULO Rua Vergueiro, 2087 Conj Vila Mariana (11) Fale com o IBRADI: SAQUAREMA-RJ Rua Dr. Luiz Januário, 406 Sala Centro (21)

INOVAÇÕES METODOLÓGICAS NA ÁREA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA Oportunidades para o desenvolvimento urbano sustentável GESTÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA

INOVAÇÕES METODOLÓGICAS NA ÁREA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA Oportunidades para o desenvolvimento urbano sustentável GESTÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA INOVAÇÕES METODOLÓGICAS NA ÁREA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA Oportunidades para o desenvolvimento urbano sustentável GESTÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA Premissas para lidar com a iluminação urbana 1. Aspirações da

Leia mais

Desenvolvimento da Iluminação Pública no Brasil. Sistemas de gestão da iluminação pública

Desenvolvimento da Iluminação Pública no Brasil. Sistemas de gestão da iluminação pública 14 Capítulo IX Sistemas de gestão da iluminação pública Por Luciano Haas Rosito* Conforme apresentado no capítulo anterior, uma das oportunidades de melhoria na iluminação pública justamente refere-se

Leia mais

Programa de Gestão do Sistema de Iluminação Pública - PROILUMINA

Programa de Gestão do Sistema de Iluminação Pública - PROILUMINA Programa de Gestão do Sistema de Iluminação Pública - PROILUMINA O Programa de Gestão do Sistema de Iluminação Pública - PROILUMINA, tem por objetivo a realização da operação, manutenção, expansão e inovação

Leia mais

GESTÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA: AÇÕES IMEDIATAS APÓS A TRANSFERÊNCIA DOS ATIVOS

GESTÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA: AÇÕES IMEDIATAS APÓS A TRANSFERÊNCIA DOS ATIVOS GESTÃO DO SISTEMA DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA: AÇÕES IMEDIATAS APÓS A TRANSFERÊNCIA DOS ATIVOS ILUMEXPO 2015 4ª Exposição e Fórum de Gestão de Iluminação Pública Luciana Hamada / Junho 2015 IBAM, MUNICÍPIO E

Leia mais

Cópia válida somente na INTRANET

Cópia válida somente na INTRANET Página: 1/12 Portaria DC nº. 7-A/2014, de 1 OBJETIVO Estabelecer o procedimento a ser adotado para coleta dos dados e apuração dos padrões de atendimento comercial, de modo a atender ao que estabelece

Leia mais

1) MANUAL DO INTEGRADOR Este documento, destinado aos instaladores do sistema, com informações de configuração.

1) MANUAL DO INTEGRADOR Este documento, destinado aos instaladores do sistema, com informações de configuração. O software de tarifação é uma solução destinada a rateio de custos de insumos em sistemas prediais, tais como shopping centers. O manual do sistema é dividido em dois volumes: 1) MANUAL DO INTEGRADOR Este

Leia mais

O Portal da Prefeitura de Olivedos foi construído levando em conta: Livre acesso sem necessidade de cadastro prévio ou senha.

O Portal da Prefeitura de Olivedos foi construído levando em conta: Livre acesso sem necessidade de cadastro prévio ou senha. Prefeitura Municipal de Olivedos MANUAL PRÁTICO DE NAVEGAÇÃO APRESENTAÇÃO Este é o Manual de Navegação da Prefeitura Municipal da cidade de Olivedos - PB. Tem linguagem simples e é ilustrado para que você,

Leia mais

Sistema de Controle de Processos ON-LINE-Versão 1.0 Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) Unidade Municipal de Tecnologia da Informação (UMTI)

Sistema de Controle de Processos ON-LINE-Versão 1.0 Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) Unidade Municipal de Tecnologia da Informação (UMTI) O SISTEMA DE CONTROLE DE PROCESSOS ON-LINE O Sistema de Controle de Processos ON-LINE é um Sistema de Protocolo desenvolvido pela da que tem como finalidade gerenciar os processos e solicitações de serviços

Leia mais

Contrato Comercial. Objetivo: Setup - Plataforma de E-commerce. Cliente... : Aos cuidados de... : Data de Emissão...

Contrato Comercial. Objetivo: Setup - Plataforma de E-commerce. Cliente... : Aos cuidados de... : Data de Emissão... Contrato Comercial Objetivo: Setup - Plataforma de E-commerce Cliente... : Aos cuidados de... : Data de Emissão... : Emitido por: 0 Contrato Comercial Pelo presente instrumento, firma-se o acordo comercial

Leia mais

sistema para gerenciamento inteligente de infraestrutura e serviços urbanos

sistema para gerenciamento inteligente de infraestrutura e serviços urbanos V2.3 DATA SHEET GERENCIAMENTO AUTOMATIZADO DE ORDENS DE SERVIÇO GERENCIAMENTO MÓVEL DE INCIDENTES CONTROLE MÓVEL E REMOTO DE PROCESSOS DE MANUTENÇÃO INSPEÇÕES E LEVANTAMENTOS VIA SMARTPHONE CADASTRAMENTO

Leia mais

SOLUÇÕES EM GESTÃO DE RELACIONAMENTO

SOLUÇÕES EM GESTÃO DE RELACIONAMENTO SOLUÇÕES EM GESTÃO DE RELACIONAMENTO A M2 Data Center é uma empresa especializada no desenvolvimento de tecnologias voltadas para agregarem valor às empresas, permitindo assim um melhor posicionamento

Leia mais

INSTRUÇÕES DO PORTAL PÓS-VENDAS MUELLER

INSTRUÇÕES DO PORTAL PÓS-VENDAS MUELLER INSTRUÇÕES DO PORTAL PÓS-VENDAS MUELLER O acesso ao Portal deve ser feito através do site da Mueller sendo www.mueller.ind.br. Logo abaixo, o posto deverá clicar no rodapé da página em Intranet/Extranet.

Leia mais

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI COMISSÃO SETORIAL PERMANENTE DE LICITAÇÃO COSEL/OBRAS TERMO DE REFERÊNCIA

ESTADO DA BAHIA PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMAÇARI COMISSÃO SETORIAL PERMANENTE DE LICITAÇÃO COSEL/OBRAS TERMO DE REFERÊNCIA TERMO DE REFERÊNCIA Gestão Plena do Sistema de Iluminação Pública e Gerenciamento do Sistema Elétrico dos Prédios Públicos do Município de Camaçari Bahia. 1. OBJETIVO Este termo de referência e seus anexos

Leia mais

Aplicação de BI na redução das perdas comerciais

Aplicação de BI na redução das perdas comerciais Aplicação de BI na redução das perdas comerciais Carlos Augusto Couto, gerente de perdas, Celpa, Belém, Brasil Agenda Institucional; Problema que a Empresa enfrentava; Solução Encontrada; Projeto e-revenue

Leia mais

XV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - SENDI 2002. Logística empregada na execução do Programa Luz no Campo na Bahia

XV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - SENDI 2002. Logística empregada na execução do Programa Luz no Campo na Bahia XV SEMINÁRIO NACIONAL DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA - SENDI 2002 Logística empregada na execução do Programa Luz no Campo na Bahia Hugo Machado S. Filho COELBA E-mail: hmachado@coelba.com.br Palavras-chave

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS EXTRAJUDICIAL SIG-EX

SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS EXTRAJUDICIAL SIG-EX SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS EXTRAJUDICIAL SIG-EX Atualizado em 27.05.2011 MANUAL DO USUÁRIO 1. Apresentação 1.1. Acessando o Sistema 1.2. Tela Principal 2. Página Principal SUMÁRIO 3. Módulo Corregedoria

Leia mais

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento

A solução para relacionamento de. Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento A solução para relacionamento de Smart Grid com os consumidores Gestão de consumo de energia elétrica, água e gás, contabilização e interfaces de relacionamento asmart Grid + Relacionamento ferramenta

Leia mais

PID Melhoria na Gestão dos Prazos de Atendimento. Vanessa M. M. Feldmann Milton Biral Filho Rosária Di Gangi CPFL Paulista CPFL Paulista CPFL Paulista

PID Melhoria na Gestão dos Prazos de Atendimento. Vanessa M. M. Feldmann Milton Biral Filho Rosária Di Gangi CPFL Paulista CPFL Paulista CPFL Paulista XVIII Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2008-06 a 10 de outubro Olinda - Pernambuco - Brasil PID Melhoria na Gestão dos Prazos de Atendimento Vanessa M. M. Feldmann Milton Biral

Leia mais

O Portal da Prefeitura de Assunção foi construído levando em conta: Livre acesso sem necessidade de cadastro prévio ou senha.

O Portal da Prefeitura de Assunção foi construído levando em conta: Livre acesso sem necessidade de cadastro prévio ou senha. Prefeitura Municipal de Assunção MANUAL PRÁTICO DE NAVEGAÇÃO APRESENTAÇÃO Este é o Manual de Navegação da Prefeitura Municipal da cidade de Assunção - PB. Tem linguagem simples e é ilustrado para que você,

Leia mais

ACOMPANHAMENTO GERENCIAL SANKHYA

ACOMPANHAMENTO GERENCIAL SANKHYA MANUAL DE VISITA DE ACOMPANHAMENTO GERENCIAL SANKHYA Material exclusivo para uso interno. O QUE LEVA UMA EMPRESA OU GERENTE A INVESTIR EM UM ERP? Implantar um ERP exige tempo, dinheiro e envolve diversos

Leia mais

SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E CONTROLE DO ICS

SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E CONTROLE DO ICS SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E CONTROLE DO ICS MANUAL DO PRESTADOR DE SERVIÇOS CONSULTÓRIOS/CLÍNICAS CREDENCIADAS PARA ATENDIMENTO ELETIVO (FASCÍCULO DO ATENDIMENTO ELETIVO) VERSÃO I - 2013 Instituto

Leia mais

SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E CONTROLE DO ICS

SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E CONTROLE DO ICS SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E CONTROLE DO ICS MANUAL DO PRESTADOR DE SERVIÇOS DE SADT ELETIVO (FASCÍCULO DO SADT ELETIVO) VERSÃO I - 2013 Instituto Curitiba de Saúde ICS - Plano Padrão ÍNDICE APRESENTAÇÃO

Leia mais

Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb

Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Dezembro/2012 2 Manual de Utilização das Funções Básicas do Sistema ClinicWeb Sumário de Informações do Documento Título do Documento: Resumo:

Leia mais

SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E CONTROLE DO ICS

SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E CONTROLE DO ICS SISTEMA INFORMATIZADO DE REGULAÇÃO E CONTROLE DO ICS MANUAL DO PRESTADOR DE SERVIÇOS AMBULATORIAIS DE EMERGÊNCIA (FASCÍCULO DO PRONTO-SOCORRO E DO PRONTO ATENDIMENTO) VERSÃO I - 2013 ÍNDICE APRESENTAÇÃO

Leia mais

FLEXCRM SISTEMA DE GESTÃO DE CLIENTES [MÓDULO ATENDIMENTO] SUMÁRIO

FLEXCRM SISTEMA DE GESTÃO DE CLIENTES [MÓDULO ATENDIMENTO] SUMÁRIO FLEXCRM SISTEMA DE GESTÃO DE CLIENTES [MÓDULO ATENDIMENTO] SUMÁRIO 1. PORQUE A SW1... 2 2. 10 MOTIVOS PARA CONTRATAR... 2 3. ESTUDO DE CASO... 3 4. SOLUÇÃO PROPOSTA... 3 5. CONDIÇÕES COMERCIAIS... 9 6.

Leia mais

LSoft SGC Gestão Empresarial

LSoft SGC Gestão Empresarial LSoft SGC Gestão Empresarial O LSoft SGC é um sistema de gestão dinâmico, eficiente e flexível idealizado para atender diversos segmentos de indústrias, comércios e serviços. O objetivo principal é tornar

Leia mais

Guia Prático do Usuário Sistema e-commerce e Portal

Guia Prático do Usuário Sistema e-commerce e Portal Guia Prático do Usuário Sistema e-commerce e Portal 29/11/2012 Índice ÍNDICE... 2 1. APRESENTAÇÃO... 3 2. O QUE É E-COMMERCE?... 4 3. LOJA FOCCO... 4 4. COMPRA... 13 5. E-MAILS DE CONFIRMAÇÃO... 14 6.

Leia mais

Sistema de Iluminação Pública de Belo Horizonte. São Paulo, junho de 2015

Sistema de Iluminação Pública de Belo Horizonte. São Paulo, junho de 2015 Sistema de Iluminação Pública de Belo Horizonte São Paulo, junho de 2015 Municipalização da da IP IP --Regulação Constituição Federal Art. 30: Compete aos Municípios:... V - organizar e prestar, diretamente

Leia mais

Contribuição Eletropaulo Metropolitana S/A Expositor Antoninho Borghi

Contribuição Eletropaulo Metropolitana S/A Expositor Antoninho Borghi Audiência Pública ANEEL 027/2003 Estabelece as condições de atendimento por meio de Central de Teleatendimento (CTA) das concessionárias ou permissionárias, critérios de classificação de serviços e metas

Leia mais

Agência Virtual Canal Prefeituras Procedimento Operacional Cadastro de Serviços

Agência Virtual Canal Prefeituras Procedimento Operacional Cadastro de Serviços Procedimento Operacional Prefeituras Documento Público Agência Virtual Canal Prefeituras Procedimento Operacional Cadastro de Serviços Gerência de Relacionamento Comercial com Clientes Especiais do Poder

Leia mais

Nota Fiscal Eletrônica de Serviços Manual do Sistema

Nota Fiscal Eletrônica de Serviços Manual do Sistema 1 Índice Apresentação... 3 Entrada no sistema... 4 Manual da NFe de Serviços Módulo Tomador... 5 Consultar RPS Recibo Provisório de Serviços... 6 Verificar a Autenticidade de Nota Fiscal...7 Geração de

Leia mais

SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA CONCESSIONÁRIA PPP PÁTIO VEICULAR INTEGRAL SÃO PAULO

SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA CONCESSIONÁRIA PPP PÁTIO VEICULAR INTEGRAL SÃO PAULO SISTEMA DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DA CONCESSIONÁRIA PPP PÁTIO VEICULAR INTEGRAL SÃO PAULO JANEIRO/2014 i ii ÍNDICE 1 INDRODUÇÃO... 4 2 MODELO DE REMUNERAÇÃO DO PARCEIRO PRIVADO... 4 3 AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO

Leia mais

MANUAL DE USO SERASAJUD

MANUAL DE USO SERASAJUD MANUAL DE USO SERASAJUD JULHO DE 2015 Controle de Revisão Data da Revisão Versão Documento Versão DF-e Manager Executor Assunto Revisado 08/10/2013 1.0 Rodrigo Vieira Ambar/Gigiane Martins Criação 18/03/2104

Leia mais

4 Fator de carga e fator de demanda: conceituação

4 Fator de carga e fator de demanda: conceituação 4 Fator de carga e fator de demanda: conceituação 4.1. Fator de carga (FC) Segundo a resolução a normativa nº 414 de 9 de setembro de 2010 da ANEEL, o fator de carga é definido como sendo a razão entre

Leia mais

Prefeitura Municipal de Grupiara CNPJ N.º: 17.827.858/0001-27

Prefeitura Municipal de Grupiara CNPJ N.º: 17.827.858/0001-27 PROJETO DE LEI MUNICIPAL Nº 002/2015, DE 20 DE MARÇO DE 2015 AUTORIZA O EXECUTIVO MUNICIPAL A ABRIR CRÉDITO ESPECIAL NO VALOR DE R$2.184,84 (DOIS MIL, CENTO E OITENTA E QUATRO REAIS E OITENTA E QUATRO

Leia mais

e- SIC Manual do SIC

e- SIC Manual do SIC e- SIC Manual do SIC Sumário Introdução.. 3 O e-sic.. 4 Primeiro acesso.. 5 Perfis de usuário.. 6 Cadastro de usuário no e-sic.. 7 Alteração de dados de usuários.. 9 Atualização de dados do SIC.. 11 Registro

Leia mais

Sumário INTRODUÇÃO... 3 INTEGRAÇÃO COM O EMPRESÁRIOERP... 3 AGILIDADE NOS PROCESSOS E APOIO AOS CONTROLES INTERNOS... 3 SAC - ATENDIMENTO...

Sumário INTRODUÇÃO... 3 INTEGRAÇÃO COM O EMPRESÁRIOERP... 3 AGILIDADE NOS PROCESSOS E APOIO AOS CONTROLES INTERNOS... 3 SAC - ATENDIMENTO... Sumário INTRODUÇÃO... 3 INTEGRAÇÃO COM O EMPRESÁRIOERP... 3 AGILIDADE NOS PROCESSOS E APOIO AOS CONTROLES INTERNOS... 3 SAC - ATENDIMENTO... 4 CADASTRO DO TIPO DO ATENDIMENTO... 5 CADASTRO DE CATEGORIAS...

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À CONSULTA PÚBLICA N. 34/2015 NOME DA INSTITUIÇÃO: FUNDAÇÃO PROCON-SP AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À CONSULTA PÚBLICA N. 34/2015 NOME DA INSTITUIÇÃO: FUNDAÇÃO PROCON-SP AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL CONTRIBUIÇÕES REFERENTES À CONSULTA PÚBLICA N. 34/2015 NOME DA INSTITUIÇÃO: FUNDAÇÃO PROCON-SP AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL ATO REGULATÓRIO: Consulta Pública n. 034/2015 Processo n. 48500.002276/2014-21

Leia mais

GESTÃO DA ILUMINAÇÃO PÚBLICA VISÃO DA PREFEITURA. Palestrantes: Gustavo Mapurunga Valdir de Oliveira. Prefeitura de Fortaleza

GESTÃO DA ILUMINAÇÃO PÚBLICA VISÃO DA PREFEITURA. Palestrantes: Gustavo Mapurunga Valdir de Oliveira. Prefeitura de Fortaleza GESTÃO DA ILUMINAÇÃO PÚBLICA VISÃO DA PREFEITURA Palestrantes: Gustavo Mapurunga Valdir de Oliveira Prefeitura de Fortaleza Citéluz Iluminaçao Pública - IP GESTÃO COMPLETA da IP em Fortaleza Sumário QUEM

Leia mais

versa A solução definitiva para o mercado livreiro. Aumente a eficiência de seu negócio Tenha uma solução adequada para cada segmento

versa A solução definitiva para o mercado livreiro. Aumente a eficiência de seu negócio Tenha uma solução adequada para cada segmento Aumente a eficiência de seu negócio O Versa é um poderoso software de gestão de negócios para editoras, distribuidoras e livrarias. Acessível e amigável, o sistema foi desenvolvido especificamente para

Leia mais

SUPERINTENDENCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO INSTRUÇÃO DE TRABALHO PROCON TELEATENDIMENTO

SUPERINTENDENCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO INSTRUÇÃO DE TRABALHO PROCON TELEATENDIMENTO Sistema de Gestão do Programa Vapt Vupt SUPERINTENDENCIA DE VAPT VUPT E ATENDIMENTO AO PÚBLICO INSTRUÇÃO DE TRABALHO PROCON TELEATENDIMENTO 151 Responsável: Marcos Rosa de Araújo Cópia Controlada - Revisão

Leia mais

Bauru, 19 de março de 2014. Carlos Augusto Ramos Kirchner

Bauru, 19 de março de 2014. Carlos Augusto Ramos Kirchner Bauru, 19 de março de 2014 Carlos Augusto Ramos Kirchner OBJETIVOS Discutir novos aspectos trazidos pela Resolução da ANEEL que prorrogou a transferência de ativos no que se refere ao Termo de Responsabilidade

Leia mais

Case Libbero: Implantação do VOS Center para agilizar o processo de cobrança e atendimento

Case Libbero: Implantação do VOS Center para agilizar o processo de cobrança e atendimento Case Libbero: Implantação do VOS Center para agilizar o processo de cobrança e atendimento Libbero A Libbero é uma empresa com soluções em cobrança e central de atendimento, sediada no interior do estado

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA MEDIÇÃO DE ENERGIA PARA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA

A IMPORTÂNCIA DA MEDIÇÃO DE ENERGIA PARA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA A IMPORTÂNCIA DA MEDIÇÃO DE ENERGIA PARA EFICIÊNCIA ENERGÉTICA Existem várias finalidades para medição de energia, dentre elas vamos destacar as seguintes: Consumo mensal de energia A grandeza medida é

Leia mais

ORIENTAÇÕES AOS MUNICIPIOS TRANSFERÊNCIA DE ATIVOS DE I. P. APLICAÇÃO DA NOVA RESOLUÇÃO DA ANEEL

ORIENTAÇÕES AOS MUNICIPIOS TRANSFERÊNCIA DE ATIVOS DE I. P. APLICAÇÃO DA NOVA RESOLUÇÃO DA ANEEL ORIENTAÇÕES AOS MUNICIPIOS TRANSFERÊNCIA DE ATIVOS DE I. P. APLICAÇÃO DA NOVA RESOLUÇÃO DA ANEEL 17/12/2013 É preciso se atentar que a nova resolução aprovada pela ANEEL não apenas prorrogou o prazo limite

Leia mais

SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS

SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS SISTEMA DE REGISTRO DE PREÇOS APRESENTAÇÃO O sistema abordado neste manual foi confeccionado pela IplanRio em parceria com a SMA de forma a atender o disposto no Art. 5º do Decreto Nº 30.539, que trata

Leia mais

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa

Manual do Sistema de Gestão Ambiental - Instant Solutions. Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Manual do Sistema de Gestão Ambiental da empresa Data da Criação: 09/11/2012 Dara de revisão: 18/12/2012 1 - Sumário - 1. A Instant Solutions... 3 1.1. Perfil da empresa... 3 1.2. Responsabilidade ambiental...

Leia mais

Manual de Usuário. Gestion Libre de Parc Informatique (Gestão Livre de Parque de Informática) Versão 1.0 Afonso Ueslei da Fonseca

Manual de Usuário. Gestion Libre de Parc Informatique (Gestão Livre de Parque de Informática) Versão 1.0 Afonso Ueslei da Fonseca Manual de Usuário Gestion Libre de Parc Informatique (Gestão Livre de Parque de Informática) Versão 1.0 Afonso Ueslei da Fonseca Manual do Usuário GLPI 1. Introdução 3 2. Acessando o GLPI 4 3. Entendendo

Leia mais

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Compra Direta - Guia do Fornecedor PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Página As informações contidas neste documento, incluindo quaisquer URLs e outras possíveis referências a web sites, estão sujeitas

Leia mais

Itatiba: Cidade + Inteligente. Novembro 2014

Itatiba: Cidade + Inteligente. Novembro 2014 Itatiba: Cidade + Inteligente Novembro 2014 concepção projeto inovador na gestão do patrimônio e dos serviços prestados pelo município por meio de um sistema digital que possibilitará o monitoramento e

Leia mais

ILUMINAÇÃO PÚBLICA. Manual de orientação para Transferência de ativos A NOS

ILUMINAÇÃO PÚBLICA. Manual de orientação para Transferência de ativos A NOS ILUMINAÇÃO PÚBLICA Manual de orientação para Transferência de ativos A NOS C O M V O C Ê EXPEDIENTE Presidente Eng. Francisco Kurimori Coordenador da Câmara Especializada de Engenharia Elétrica Eng. Paulo

Leia mais

Sociedade para o Desenvolvimento da Tecnologia da Informação. CRISE FISCAL x OPORTUNIDADES DE MELHORIA NO ATENDIMENTO AO CIDADÃO

Sociedade para o Desenvolvimento da Tecnologia da Informação. CRISE FISCAL x OPORTUNIDADES DE MELHORIA NO ATENDIMENTO AO CIDADÃO Sociedade para o Desenvolvimento da Tecnologia da Informação CRISE FISCAL x OPORTUNIDADES DE MELHORIA NO ATENDIMENTO AO CIDADÃO Rápido, Fácil e Barato! TEMPOS DE CRISE REQUEREM PRAGMATISMO E SOLUÇÕES

Leia mais

AÇÕES PARA MELHORIA DO DESEMPENHO DE EQUIPAMENTOS DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA. Palestrante: Luís Donizeti de Assis Elektro

AÇÕES PARA MELHORIA DO DESEMPENHO DE EQUIPAMENTOS DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA. Palestrante: Luís Donizeti de Assis Elektro AÇÕES PARA MELHORIA DO DESEMPENHO DE EQUIPAMENTOS DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA Palestrante: Luís Donizeti de Assis Elektro 2o SEMINÁRIO PROCEL RELUZ AÇÕES PARA MELHORIA DO DESEMPENHO DE EQUIPAMENTOS DE ILUMINAÇÃO

Leia mais

MANUAL DE MOVIMENTAÇÃO WEB POR FORMULÁRIO

MANUAL DE MOVIMENTAÇÃO WEB POR FORMULÁRIO Este manual tem o objetivo de orientar o preenchimento do formulário de Movimentação Web disponibilizado na área de Movimentação de beneficiários por formulário que fica na área restrita da empresa no

Leia mais

PROGRAMA IMOBILIG - MANUAL DE ORIENTAÇÃO E PROCEDIMENTOS

PROGRAMA IMOBILIG - MANUAL DE ORIENTAÇÃO E PROCEDIMENTOS PROGRAMA IMOBILIG - MANUAL DE ORIENTAÇÃO E PROCEDIMENTOS Sumário 1. Objetivo... 3 2. Premissas básicas... 3 3. Compromissos da CEEE-D... 3 4. Compromissos da Imobiliária... 3 5. Serviços disponíveis através

Leia mais

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE. Módulo 6 Penalidades. Submódulo 6.1 Penalidades de medição e multas

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE. Módulo 6 Penalidades. Submódulo 6.1 Penalidades de medição e multas Submódulo 1.1 Adesão à CCEE Módulo 6 Penalidades Submódulo 6.1 Penalidades de medição Revisão 1.0 Vigência 16/10/2012 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS 4. LISTA DE DOCUMENTOS 5. FLUXO DE

Leia mais

Diagnóstico da gestão das redes semafóricas

Diagnóstico da gestão das redes semafóricas Apóio: Diagnóstico da gestão das redes semafóricas Ausência de uma visão estratégica da importância das redes Semafóricas e os impactos (positivos ou negativos) nas vidas das pessoas e das empresas; Serviços

Leia mais

SISTEMA UNIMED HRP: MÓDULO WEBSAÚDE MANUAL DE UTILIZAÇÃO

SISTEMA UNIMED HRP: MÓDULO WEBSAÚDE MANUAL DE UTILIZAÇÃO SISTEMA UNIMED HRP: MÓDULO WEBSAÚDE MANUAL DE UTILIZAÇÃO Departamento de Tecnologia da Informação tecnologia@unimeditabira.com.br 31 3839-771 3839-7713 Revisão 03 Itabira Setembro 2015 Sumário 1. Acessando

Leia mais

Projeto SAAT/SAGER. Reunião com os Proponentes 18/03/2015

Projeto SAAT/SAGER. Reunião com os Proponentes 18/03/2015 Projeto SAAT/SAGER Reunião com os Proponentes 1 18/03/2015 Agenda Visão Geral dos Sistemas SAGER SAAT Requisitos Contexto Plataforma Tecnológica Plano do Projeto Estrutura de Gestão Atividades de apoio

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA REGIONAL DA UNIÃO NO ESTADO DO ACRE

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA REGIONAL DA UNIÃO NO ESTADO DO ACRE PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO SECRETARIA FEDERAL DE CONTROLE INTERNO CONTROLADORIA REGIONAL DA UNIÃO NO ESTADO DO ACRE RELATO GERENCIAL ESTADO DO ACRE 1. Trata o presente Relato

Leia mais

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e)

NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA (NFS-e) Manual da Declaração Eletrônica de Serviços de Instituições Financeiras (DES-IF) Todos os dados e valores apresentados neste manual são ficticios. Qualquer dúvida consulte a legislação vigente. Página

Leia mais

Retorno do investimento com aplicativos empresariais em celulares.

Retorno do investimento com aplicativos empresariais em celulares. Retorno do investimento com aplicativos empresariais em celulares. Introdução A simulação do retorno sobre o investimento (do inglês ROI return on investment) tem sido utilizada como importante ferramenta

Leia mais

Prezado Futuro Cliente

Prezado Futuro Cliente Prezado Futuro Cliente É com grade satisfação que encaminhamos nossa apresentação institucional e certos de estabelecermos uma parceria de sucesso e duradoura. Ela foi desenvolvida com objetivo de mostrar

Leia mais

Apresentação do UniSAC

Apresentação do UniSAC Apresentação do UniSAC Serviço de Atendimento ao Cliente Software: Softdesk Última atualização deste manual: 16/02/2015 A ferramenta O Softdesk é o software escolhido pelo Unimestre para a gestão de todos

Leia mais

Manual do Sistema de Patrimônio P á g i n a 2. Manual do Sistema de Patrimônio. Núcleo de Informática. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul

Manual do Sistema de Patrimônio P á g i n a 2. Manual do Sistema de Patrimônio. Núcleo de Informática. Universidade Federal de Mato Grosso do Sul Divisão de Patrimônio DIPM/GRM/PRAD Manual do Sistema de Patrimônio Versão On-Line Núcleo de Informática Universidade Federal de Mato Grosso do Sul P á g i n a 2 Manual do Sistema de Patrimônio Núcleo

Leia mais

Serviço de Informação ao Cidadão. Eletrônico.

Serviço de Informação ao Cidadão. Eletrônico. Serviço de Informação ao Cidadão. Eletrônico. 2015 Acesse o site da Prefeitura de Japeri www.japeri.rj.gov.br e nele identifique o ícone de acesso ao e-sic. Clicando sobre o ícone, vai ser aberto o Portal

Leia mais

MJ ORIENTA CONSUMIDOR PARA COMPRAS PELA INTERNET

MJ ORIENTA CONSUMIDOR PARA COMPRAS PELA INTERNET MJ ORIENTA CONSUMIDOR PARA COMPRAS PELA INTERNET O Ministério da Justiça divulgou na sexta-feira (20/8), durante a 65ª reunião do Sistema Nacional de Defesa do Consumidor (SNDC), um documento com as diretrizes

Leia mais

Termos Gerais de Serviço ANEXO 1

Termos Gerais de Serviço ANEXO 1 Termos Gerais de Serviço ANEXO 1 Glossário 1. 2. 3. 4. 5. 6. PORTARIA REMOTA ORSEGUPS Solução Orsegups para o gerenciamento remoto de controle de acesso de pedestres, veículos, moradores, prestadores de

Leia mais

INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA

INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA O InterLIMS se apresenta

Leia mais

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 61/2008 ESCLARECIMENTO 2

MENSAGEM PREGÃO ELETRÔNICO N. 61/2008 ESCLARECIMENTO 2 MENSAGEM Assunto: Esclarecimento 2 Referência: Pregão Eletrônico n. 61/2008 Data: 17/12/2008 Objeto: Contratação de empresa especializada para fornecimento de solução informatizada e integrada para o acompanhamento

Leia mais

Manual do sistema SMARsa WEB

Manual do sistema SMARsa WEB Manual do sistema SMARsa WEB Módulo Solicitação/Ouvidoria SMARsa WEB Solicitação/Ouvidoria Versão 2.7 1 Sumário INTRODUÇÃO...4 OBJETIVOS...4 Bem-vindo ao sistema SMARsa WEB: Módulo solicitação/ouvidoria...5

Leia mais

Ligação Nova Baixa Tensão com Agendamento. Roland Artur Salaar Junior

Ligação Nova Baixa Tensão com Agendamento. Roland Artur Salaar Junior XIX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2010 22 a 26 de novembro São Paulo - SP - Brasil Ligação Nova Baixa Tensão com Agendamento Roland Artur Salaar Junior Companhia Paulista

Leia mais

Agora todas as Unimeds vão falar uma só língua. Unimed do Brasil Federação São Paulo Portal Unimed

Agora todas as Unimeds vão falar uma só língua. Unimed do Brasil Federação São Paulo Portal Unimed Agora todas as Unimeds vão falar uma só língua. Unimed do Brasil Federação São Paulo Portal Unimed Folheto perguntas e respostas (15X15)cm.indd 1 9/25/08 4:38:13 PM E as primeiras palavras são inovação,

Leia mais

SGF Sistema de Gerenciamento da Fiscalização

SGF Sistema de Gerenciamento da Fiscalização SGF Sistema de Gerenciamento da Fiscalização Perfil Agente Vice-Presidência de Relacionamento, Desenvolvimento e Tecnologia Gerência de Treinamento a Clientes Centro Educacional Prodam SGF Sistema de Gerenciamento

Leia mais

MANUAL DO SERVICE DESK SYSTEM

MANUAL DO SERVICE DESK SYSTEM Manual do Sumário Conhecendo o SERVICE DESK SYSTEM... 3 - A tela de Acesso ao sistema:... 3 - A tela do sistema após o acesso(exemplo):... 3 OCORRÊNCIAS... 4 - Abertura de chamados:... 4 - Atendendo um

Leia mais

A Gestão da Iluminação Pública e os Municípios. Silvio Aleixo

A Gestão da Iluminação Pública e os Municípios. Silvio Aleixo A Gestão da Iluminação Pública e os Municípios Silvio Aleixo Gestão de Iluminação Pública (IP) Brasil Gestão da Iluminação Pública (IP) Estado de São Paulo Gestão Municipal Resolução 414/2010, Art. 218

Leia mais

APRESENTAÇÃO. O bom gerenciamento das relações com os clientes permite:

APRESENTAÇÃO. O bom gerenciamento das relações com os clientes permite: VS-CRM APRESENTAÇÃO O VS-CRM contém uma série de ferramentas que automatizam as funções de contato com o cliente. Essas ferramentas permitem uma mudança de atitude corporativa, que objetiva ajudar as empresas

Leia mais

1 SOBRE O PORTAL TRANSPES (e-transp)

1 SOBRE O PORTAL TRANSPES (e-transp) SUMÁRIO 1 SOBRE O PORTAL TRANSPES (e-transp)... 3 2 REQUISITOS PARA UTILIZAÇÃO DO SISTEMA... 4 3 ACESSO AO SISTEMA (ATORES: TRANSPES/ CLIENTE)... 5 4 PRIMEIROS PASSOS (CADASTROS)... 7 4.1 Cadastros de

Leia mais

Cases de sucesso RG2 CONSULTORIA DE SISTEMAS LTDA:

Cases de sucesso RG2 CONSULTORIA DE SISTEMAS LTDA: Cases de sucesso RG2 CONSULTORIA DE SISTEMAS LTDA: Entenda como a utilização do MAKER tornou ainda mais eficiente e prática o desenvolvimento de sistemas comercializados pela RG2, sempre entendendo e atendendo

Leia mais

Geração e execução de scripts de teste em aplicações web a partir de casos de uso direcionados por comportamento 64

Geração e execução de scripts de teste em aplicações web a partir de casos de uso direcionados por comportamento 64 direcionados por comportamento 64 5 Estudo de caso Neste capítulo serão apresentadas as aplicações web utilizadas na aplicação da abordagem proposta, bem como a tecnologia em que foram desenvolvidas, o

Leia mais

RECOMENDAR PUBLICAÇÃO DE PROJETO DE INTERVENÇÃO

RECOMENDAR PUBLICAÇÃO DE PROJETO DE INTERVENÇÃO PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DO PROFISSIONAL DA ATENÇÃO BÁSICA TUTORIAL PARA O SUPERVISOR RECOMENDAR PUBLICAÇÃO DE PROJETO DE INTERVENÇÃO PROVAB 2014 Brasília/DF, 12 de novembro de 2014. 1 APRESENTAÇÃO Senhor

Leia mais

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS

MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE LOGÍSTICA E SERVIÇOS GERAIS DIVULGAÇÃO DE COMPRAS COTAÇÃO ELETRÔNICA MANUAL DO USUÁRIO

Leia mais

SIGIP SISTEMA DE GESTÃO

SIGIP SISTEMA DE GESTÃO SISTEMA DE GESTÃO DE ILUMINAÇÃO PÚBLICAP Login Tela principal Sistema multiusuário com níveis de acesso - Administrador, editor, consulta, etc Sistemas de gestão da Iluminação PúblicaP Objetivo: Ferramenta

Leia mais

Módulo SAC Atendimento ao Cliente

Módulo SAC Atendimento ao Cliente Módulo SAC Atendimento ao Cliente Objetivo O Módulo SAC ou Serviço de Atendimento ao Cliente é uma ferramenta que gerencia, cria e administra informações num canal de comunicação informatizado entre a

Leia mais

Sistema de informações a usuários do Transporte Coletivo.

Sistema de informações a usuários do Transporte Coletivo. Sistema de informações a usuários do Transporte Coletivo. Autores: Celso Bersi; Economista - Diretor de Transporte Urbano 1) Empresa de Desenvolvimento Urbano e Social de Sorocaba - URBES Rua Pedro de

Leia mais

Tecnologia Fácil para Gestão de Rodovias

Tecnologia Fácil para Gestão de Rodovias Tecnologia Fácil para Gestão de Rodovias Portfolio de Produtos SOS Rodovias, o 0800 único para todas as rodovias concessionadas do Brasil! Nunca se sabe quando você vai precisar de atendimento mecânico

Leia mais

ATUALIZAÇÃO DA VERSAO 05.07.01. Abaixo constam as alterações referentes a versão 05.07.01 do dia 28/09/2012:

ATUALIZAÇÃO DA VERSAO 05.07.01. Abaixo constam as alterações referentes a versão 05.07.01 do dia 28/09/2012: ATUALIZAÇÃO DA VERSAO 05.07.01 Abaixo constam as alterações referentes a versão 05.07.01 do dia 28/09/2012: ATENÇÃO: Versões intermediarias não são de atualização obrigatório para todos os clientes, apenas

Leia mais

Márcia Drumond Sardinha

Márcia Drumond Sardinha Universidade Federal do Amazonas - UFAM Centro de Desenvolvimento Energético Amazônico - CDEAM Implantação do Sistema de Gestão para Eficientização Energética na Universidade Federal do Amazonas Márcia

Leia mais

O que é e-ppcp? Funcionalidades adicionadas:

O que é e-ppcp? Funcionalidades adicionadas: e-ppcp / e-kanban 1 O que é e-ppcp? O e-ppcp é um aplicativo desenvolvido em ABAP/4 pela IntegrationSys para adicionar ao ERP SAP funcionalidades para suportar efetivamente o planejamento e operação de

Leia mais

SOFTWARES DA ELIPSE SÃO UTILIZADOS NOS PROCESSOS DE REDUÇÃO DE PERDAS DE ÁGUA E EFICIENTIZAÇÃO ENERGÉTICA DA ÁGUAS GUARIROBA

SOFTWARES DA ELIPSE SÃO UTILIZADOS NOS PROCESSOS DE REDUÇÃO DE PERDAS DE ÁGUA E EFICIENTIZAÇÃO ENERGÉTICA DA ÁGUAS GUARIROBA SOFTWARES DA ELIPSE SÃO UTILIZADOS NOS PROCESSOS DE REDUÇÃO DE PERDAS DE ÁGUA E EFICIENTIZAÇÃO ENERGÉTICA DA ÁGUAS GUARIROBA Soluções E3 e Elipse Mobile são utilizadas pela concessionária Águas Guariroba

Leia mais

E-mail de contato do Responsável pela distribuição e monitoramento de implantação dos Testes

E-mail de contato do Responsável pela distribuição e monitoramento de implantação dos Testes IMPLANTAÇÃO DE TESTES RÁPIDOS DE HIV E SÍFILIS NA ATENÇÃO BÁSICA Os Testes Rápidos de HIV e Sífilis são estratégias importantes para a melhoria da qualidade da atenção à gestante durante o pré-natal, por

Leia mais

Importância da medição de energia para a eficiência energética

Importância da medição de energia para a eficiência energética 64 Importância da medição de energia para a eficiência energética Elaborado por César Lapa, Marco Antonio Saidel e Katia Gregio Di Santo INTRODUÇÃO A eficiência energética destaca-se cada vez mais no cenário

Leia mais

ROTEIRO SOBRE NOTAS DE IMPORTAÇÃO CONTROLLER

ROTEIRO SOBRE NOTAS DE IMPORTAÇÃO CONTROLLER Inicialmente, o mais importante O objetivo deste material é apresentar como deve-se proceder em todas as fases, o cadastramento de uma Nota de Importação no Controller. Este material abordará os tópicos

Leia mais

SOLUCÕES TECNOLÓGICAS PARA CONTROLE E GESTÃO DOS RESIDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NOS MUNICIPIOS. www.csjsistemas.com.br

SOLUCÕES TECNOLÓGICAS PARA CONTROLE E GESTÃO DOS RESIDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NOS MUNICIPIOS. www.csjsistemas.com.br SOLUCÕES TECNOLÓGICAS PARA CONTROLE E GESTÃO DOS RESIDUOS DA CONSTRUÇÃO CIVIL NOS MUNICIPIOS Tecnologias Disponíveis de Rastreamento O GPS é um sistema via satélite de posicionamento global, que fornece

Leia mais

ESTÂNCIA HIDROMINERAL DE POÁ

ESTÂNCIA HIDROMINERAL DE POÁ DECRETO Nº DE DE DE 2015 Dispõe sobre regulamentação da Lei Complementar nº. 3.766, de 4 de dezembro de 2014, que criou o Passe Livre Estudantil, gratuidade no sistema de transporte coletivo aos estudantes

Leia mais

OUVIDORIA VIVA RIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS

OUVIDORIA VIVA RIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS OUVIDORIA VIVA RIO MANUAL DE PROCEDIMENTOS CONTEÚDO 1. OUVIDORIA INTERNA... 4 2. OUVIDORIA EXTERNA... 6 3. PESQUISA DE SATISFAÇÃO DO USUÁRIO... 7 4. CALL CENTER ATIVO DA SAÚDE... 12 5. OUVIDORIA UNIDADES

Leia mais

Projeto Saúde On-line

Projeto Saúde On-line Projeto Saúde On-line Sistemas de computadorizados de registro médico e tecnologia de informação em saúde. INTRODUÇÃO: Visando organizar o acesso aos serviços, agilizar processo, impactar na qualidade

Leia mais

Analisando graficamente o exemplo das lâmpadas coloridas de 100 W no período de três horas temos: Demanda (W) a 100 1 100 100.

Analisando graficamente o exemplo das lâmpadas coloridas de 100 W no período de três horas temos: Demanda (W) a 100 1 100 100. Consumo Consumo refere-se à energia consumida num intervalo de tempo, ou seja, o produto da potência (kw) da carga pelo número de horas (h) em que a mesma esteve ligada. Analisando graficamente o exemplo

Leia mais