A Justiça em Pauta: O Poder Judiciário Brasileiro na Mídia Impressa 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Justiça em Pauta: O Poder Judiciário Brasileiro na Mídia Impressa 1"

Transcrição

1 A Justiça em Pauta: O Poder Judiciário Brasileiro na Mídia Impressa 1 Maira Pereira Ferreira Universidade Metodista de São Paulo Programa de Pós-Graduação em Comunicação Social São Bernardo do Campo - SP, 2009 RESUMO O artigo apresenta os principais resultados da pesquisa realizada em veículos da mídia impressa nacional, entre os meses de julho e dezembro de 2007, com o objetivo de verificar qual é a imagem do Poder Judiciário Brasileiro divulgada pelos veículos no período, interpretando os principais temas abordados nas publicações e a angulação das matérias. Utilizou-se a análise de conteúdo e a ferramenta da auditoria de imagem na mídia. Concluiuse que o Poder Judiciário é foco da mídia impressa principalmente quando analisa processos relativos a pessoas públicas, especialmente do campo político. Embora a análise seja referente a um período delimitado, evidenciaram-se falhas na comunicação do judiciário e foram apresentadas sugestões para aprimorar essa comunicação. ABSTRACT The article discusses the communication of the the Brazilian Judiciary Power, presenting the results of a research that was carried out in the main Brazilian printed media, between the months of July and December of 2007, in order to verify the image of the Brazilian Judiciary Power disclosed by the media, interpreting the main themes approached in the publications and angulation of the subject-matters. The content analysis and the media image auditing tool were used. The research concluded that the printed media focuses on the Brazilian Judiciary Power mainly when it analyses legal proceedings that involve public persons, especially parliamentarians. In spite of the fact that the analysis refers to a delimited period, the faulty communication within the judiciary power was evident and suggestions were presented to improve the mentioned communication. PALAVRAS-CHAVE: 1. Poder Judiciário Brasil 2. Mídia Impressa 3. Imagem (Política). 1 Trabalho submetido ao GT ABRAPCORP 6 Comunicação pública, governamental e política

2 Introdução Todos os dias milhares de novas ações, das mais diversas naturezas, ingressam no Judiciário Brasileiro, resultado de conflitos que não puderam ser resolvidos fora da esfera judicial. Em 2007, mais de 67 milhões de ações tramitavam em varas e tribunais de todo o País. O Brasil é o país do litígio, afirmou o ministro-chefe da Advocacia-Geral da União, José Antônio Toffoli, em entrevista concedida ao Jornal O Estado de S. Paulo, em setembro de Num país com a extensão territorial do Brasil, com culturas das mais diversas, com tantas desigualdades sociais e diferenças, é natural que existam divergências e conflitos de interesses, que quando não são solucionados por meio de acordos ou por algum mecanismo de regulação, acabam indo parar na Justiça. Mas, para Toffoli (2007, p. B11), o problema é que existe no Brasil um estímulo para que até mesmo questões que poderiam ser resolvidas pela administração pública e por agências reguladoras sejam sempre encaminhadas para o Judiciário, denunciando existir no Brasil uma espécie de cultura da litigiosidade. Qualquer ameaça de lesão ao direito pode ser levada ao Judiciário, sem esgotar a instância administrativa. O que eu falo é que há uma cultura do conflito. Vou dar um exemplo. No mundo inteiro, tirando o Brasil, existem 2 milhões de estudantes de Direito. Só no Brasil, existe 1,8 milhão. Essas escolas ensinam o quê? Ensinam processo, disputa judicial, aquela coisa de filme americano que um tem de derrotar o outro. Mesmo recorrendo tanto à justiça, a população ainda tem uma imensa dificuldade em compreender o papel do Poder Judiciário na nossa sociedade. As pessoas ainda confundem órgãos, termos, decisões, autoridades, enfim, a comunicação entre o Judiciário e a população ainda é precária, carente de ajustes, de mediações competentes e efetivas. A divulgação das notícias do Poder Judiciário costuma ser realizada sem uma análise mais aprofundada dos resultados. Este trabalho é uma tentativa de mostrar como os membros e órgãos do Judiciário têm aparecido na mídia impressa, quais setores da Justiça têm recebido mais destaque e, ainda, se o Poder Judiciário, na visão dos jornalistas, tem realmente cumprido o seu papel de resolver conflitos e distribuir justiça e se tem tomado decisões a favor de uma sociedade mais justa e igualitária.

3 1) A Comunicação no Poder Judiciário Uma democracia pressupõe a efetiva participação dos cidadãos nas atividades dos poderes estatais. O Poder Judiciário, ao exercer a função jurisdicional, emite atos de governo, que devem ser tornados públicos. Por isso, é dever do Judiciário dar publicidade a seus atos e ações, incluindo-se aqui decisões e andamentos processuais. Além disso, a publicidade é também um meio de se coibir abusos praticados pelo Estado e de se garantir um julgamento justo e independente. Assim como em todos os órgãos públicos, também no Judiciário a regra deve ser a de máxima informação excetuando-se os processos em que houver segredo de justiça decretado, casos em que a publicidade das informações pode prejudicar o correto andamento processual ou em ações que envolvam crianças e adolescentes. Os processos judiciais, salvo nestas hipóteses, são públicos e devem ser abertos à consulta, mesmo que não seja pelas partes envolvidas diretamente na disputa. Abordou-se até aqui as informações que o Poder Judiciário tem a obrigação de prestar à população, seja de maneira direta ou através dos meios de comunicação, com a finalidade de dar transparência, de proporcionar julgamentos mais justos e, ao mesmo tempo de legitimar a instituição junto à opinião pública. No entanto, as instituições públicas de um modo geral também têm percebido a importância de se expressar e de mostrar os resultados do seu trabalho à sociedade. Como não podem dispor dos mesmos instrumentos de publicidade e propaganda utilizados pela iniciativa privada e, muitas vezes impedidos legalmente de se manifestarem diretamente pelos meios de comunicação, os magistrados tem percebido a necessidade de recorrer a uma assessoria de comunicação que possa divulgar corretamente as suas iniciativas e até mesmo explicar determinadas ações que possam ter uma repercussão negativa ou que possa ser incorretamente compreendida, tendo em vista os aspectos técnicos que envolvem uma decisão judicial. No Poder Judiciário Brasileiro atualmente os principais canais de divulgação são as assessorias de comunicação e a TV Justiça.

4 1.1) As Assessorias de Comunicação É crescente o número de profissionais trabalhando em assessorias de comunicação da justiça em todo o país. Essas assessorias têm sido de grande importância para o judiciário, pois além de atenderem às demandas da imprensa, atuam como verdadeiras agências de comunicação, fabricando produtos dos mais diversos tipos para ampliar a divulgação das ações dos juízes e tribunais. Frederico Vasconcelos (2008) aponta as principais vantagens das assessorias de comunicação do judiciário e os obstáculos na relação com a imprensa: Percebo que há uma profissionalização maior. Algumas assessorias possuem profissionais competentes e interessados em ajudar o jornalista. O problema maior, a meu ver, é que a cada mudança na cúpula dos tribunais, muda o assessor de imprensa, um cargo de confiança, e varia muito o grau de preocupação com a transparência. Nas cortes superiores, a imprensa conta com assessores preparados. Acho que o melhor desempenho das assessorias reside no papel de permitir ao jornalista o acesso aos autos e à informação precisa do processo. O acesso aos juízes sempre dependerá da disposição de cada magistrado em se relacionar com a mídia (salvo nas entidades de classe, que têm interesse em manter aproximação com a mídia). Grande parte dos esforços empreendidos pelas assessorias de imprensa do judiciário hoje consiste em despertar o interesse dos colegas jornalistas por alguns assuntos que a instituição quer divulgar e que poderiam ser de interesse público. Entretanto, muitas iniciativas importantes acabam tendo sua divulgação restrita aos sites institucionais. Por isso a necessidade, cada dia maior, de estabelecer uma relação de confiança e respeito com os órgãos da imprensa. Afinal, dentre todos os espaços por onde circula a informação, a imprensa é sem dúvida o mais valorizado e desejado pelas instituições públicas. Por outro lado, os profissionais que atuam nas assessorias de imprensa de órgãos públicos, como no Judiciário, por exemplo, não podem esquecer que também são funcionários públicos e há deveres com a sociedade e a população que certamente se sobrepõem às suas atividades como assessores das instituições. Ou seja, ainda que representem os interesses da instituição para a qual trabalham, os assessores de órgãos públicos tem, sim, uma grande responsabilidade social que não pode ser ignorada. Há limites éticos que devem ser

5 respeitados no desenvolvimento do seu trabalho, para que a população não seja prejudicada em nome de interesses pessoais de promoção. 1.2) A TV Justiça A TV Justiça foi criada em 2002 com a finalidade de "informar, esclarecer e ampliar o acesso à Justiça, buscando tornar transparentes suas ações e decisões". Destacamos aqui as principais iniciativas e esforços empreendidos pelo Poder Judiciário brasileiro, nos últimos anos, numa tentativa de formar e consolidar uma imagem positiva junto à população brasileira e, assim, legitimar-se como um poder a serviço da sociedade e da democracia; o que justificaria a sua existência como uma instituição capaz de ajudar a promover a tão almejada paz social e a participar da formação de uma sociedade mais justa baseada na democracia e na cidadania. Entretanto, a comunicação nos órgãos do poder judiciário brasileiro ainda se encontra em fase embrionária e ainda há um longo caminho a percorrer para que se estabeleça uma aproximação entre a mídia e o judiciário, capaz de proporcionar um mínimo de confiança e de respeito mútuos entre essas importantes instituições do nosso país. 2) Auditoria de imagem do Poder Judiciário na Mídia Impressa 2.1 Descrição da Pesquisa e Metodologia Foi realizada uma auditoria de imagem no Poder Judiciário brasileiro nas revistas semanais e nos jornais impressos de maior circulação no País, durante o período de julho a dezembro de Optou-se, então, pelas revistas: Veja, Época, Isto É e Carta Capital; e os jornais: O Globo, Jornal do Brasil, Folha de São Paulo, Estado de S. Paulo. O jornal Correio Braziliense, de Brasília, também foi incluído na pesquisa devido à localização, naquela cidade, dos tribunais superiores: Supremo Tribunal Federal, Superior Tribunal de Justiça, Tribunal Superior Eleitoral e Tribunal Superior do Trabalho. Foram analisadas todas as edições das revistas semanais Carta Capital, Época, Isto É e Veja, publicadas durante os meses de julho, agosto, setembro, outubro, novembro e dezembro de Tabela 1 Quadro demonstrativo das revistas utilizadas na análise REVISTA JUL. AGOS. SET. OUT. NOV. DEZ. TOTAL

6 REVISTA JUL. AGOS. SET. OUT. NOV. DEZ. TOTAL CARTA CAPITAL ÉPOCA ISTO É VEJA TOTAL Quanto aos jornais, foram analisados todos os cinco jornais em cinco dias de cada mês. Por exemplo, durante o mês de julho, foram analisados os jornais Folha de São Paulo, Estado de S. Paulo, Jornal do Brasil, O Globo e o Correio Braziliense do dia 07 ao dia 11 de julho. Os dias são aleatórios, obtidos através de um sorteio, porém com o cuidado de observar os dias da semana, para que se tenha um número equilibrado, senão igual, de segundas, terças, quartas, quintas, sextas, sábados e domingos. Isto por que, com relação ao Judiciário, há determinados dias em que são publicadas mais decisões sobre sessões realizadas no dia anterior. Procurou-se, então, estabelecer um equilíbrio entre esses dias. Tabela 2 - Quadro demonstrativo dos jornais utilizados na análise JULHO AGOSTO SETEMBRO OUTUBRO NOVEMBRO DEZEMBRO JORNAIS 2 a a a a a a 19 Inicialmente, foi realizado um clipping para selecionar e classificar todas as matérias referentes ao Poder Judiciário, publicadas no período pré-selecionado. A seleção das unidades de análises foi baseada no tema, ou seja, foram analisadas todas as matérias que contivessem qualquer referência ao poder judiciário. Foi elaborada uma planilha, uma espécie de questionário para ser respondido a partir da análise do material selecionado. As variáveis foram construídas de forma a atender aos objetivos da pesquisa e responder às principais questões constitutivas do problema. Assim, pretendeu-se que fossem excludentes entre si e exaustivas, ou seja, permitissem o enquadramento de todos os conteúdos manifestos nos veículos estudados. Além disso, todas elas foram definidas operacionalmente, ou seja, foi previamente indicado o que deveria estar presente no conteúdo para que ele fosse enquadrado em determinada categoria.

7 As categorias de análise foram definidas de acordo com os objetivos e precisamente identificadas. Além disso, pretendeu-se que fossem exaustivas, ou seja, cobrissem todas as possibilidades para que se pudesse classificar todas as unidades de informação. A técnica utilizada é a análise de conteúdo, que teve a sua relevância destacada por Fonseca Júnior (2005, p. 280): A formação do campo comunicacional não pode ser compreendida sem se fazer referência à análise de conteúdo. Desde sua presença nos primeiros trabalhos de communication research às recentes pesquisas sobre novas tecnologias, passando pelos estudos culturais e de recepção, esse método tem demonstrado grande capacidade de adaptação aos desafios emergentes da comunicação e de outros campos do conhecimento. A principal ferramenta utilizada é a auditoria de imagem na mídia. Bueno destaca a importância do planejamento para utilizar essa ferramenta de pesquisa: Como toda pesquisa, a auditoria de imagem (e/ou presença) na mídia pressupõe um planejamento que inclui, necessariamente, os seus objetivos, as suas hipóteses, as variáveis, o padrão de medida e mesmo, como temos apontado, o conhecimento prévio dos veículos que integrarão a amostra realizada. (BUENO, 2005, p.351) É necessário esclarecer, com relação a esta pesquisa, que a mesma procurou verificar a imagem do Poder Judiciário nos veículos impressos relacionados na pesquisa, mas apenas durante o período delimitado para a realização da mesma (julho a dezembro de 2007), ou seja, não se pretendeu aqui estabelecer uma verdade absoluta a respeito da imagem do Poder Judiciário na mídia impressa, mas a partir da análise dos dados do período pré-determinado, abordar alguns aspectos do relacionamento do Poder Judiciário com um dos seus mais importantes públicos, a imprensa, que podem auxiliar na compreensão desses aspectos e, conseqüentemente, ajudar no aperfeiçoamento da comunicação pública do Poder Judiciário. Bueno também destaca que existem três tipos de imagem: a imagem pretendida, que seria o objetivo que se pretende atingir, a imagem real, aquela que é vista pelo público e, por último, a auto-imagem, que seria a imagem da instituição vista pelo seu público interno. De acordo com os objetivos que devem orientar a conduta do judiciário, é possível chegar a uma conclusão prévia sobre como seria uma imagem ideal ou pretendida do Poder Judiciário: Um poder que distribui justiça sem olhar a quem (impessoalidade), que decide

8 conflitos, que luta para fazer cumprir a lei, um guardião da Constituição. Uma instituição que decide com imparcialidade e julga com independência e celeridade. O objetivo dessa pesquisa é saber até que ponto a imagem do Poder Judiciário retratada pela mídia chega perto ou se distancia ainda mais dessa imagem ideal. O problema central da pesquisa é observar se, no período analisado, o Judiciário é retratado como um poder que realmente resolve ou é visto como mais um componente de um sistema social falido, que não resolve e não corresponde às expectativas da população, que enxerga a justiça como a sua última chance de ver a sua demanda atendida e o seu problema resolvido, quando todas as alternativas de solução se esgotaram. A partir daí traçou-se as principais etapas de desenvolvimento da pesquisa: 01) Definição do corpus 02) Seleção e reunião das amostras 03) Seleção das unidades de análise 04) Construção das variáveis 05) Elaboração da planilha 06) Codificação 07) Tabulação dos dados 08) Elaboração do relatório de auditoria de imagem 09) Elaboração da conclusão Resultados: total de matérias sobre o Poder Judiciário Ao todo foram encontradas matérias referentes ao Poder Judiciário publicadas nos jornais impressos analisados na pesquisa. Como foram examinados 150 jornais, a média seria de aproximadamente 8 matérias por exemplar analisado. Tabela 3 Matérias analisadas ou encontradas no período JORNAIS JUL. AGOS. SET. OUT. NOV. DEZ. TOT. % O GLOBO ,38 JORNAL DO BRASIL ,51 FOLHA DE SÃO PAULO ,64

9 ESTADO DE S. PAULO ,86 CORREIO BRAZILIENSE ,59 TOTAL O Jornal Correio Braziliense foi o impresso que publicou mais matérias sobre o Poder Judiciário. Esse resultado já era previsto, tendo-se em vista que, por ser em Brasília e estar mais próximo dos tribunais superiores, tem uma facilidade maior para apurar as matérias e fazer um acompanhamento mais próximo dos processos. Como a maior parte das matérias eram a respeito de processos em julgamento pelo Supremo Tribunal Federal, sem dúvida a localização do Correio Braziliense é favorável a uma cobertura diária dos assuntos. Tabela 4 Matérias sobre o Poder Judiciário nos jornais por Estado JORNAIS JUL AGOS. SET. OUT. NOV. DEZ. TOTAL % RIO DE JANEIRO ,89 SÃO PAULO ,50 BRASÍLIA ,59 Quanto à cobertura por Estado, os jornais de São Paulo publicaram no período mais matérias a respeito do Poder Judiciário que os jornais do Rio de Janeiro. Entre os jornais paulistas, o Estado de S. Paulo foi o que mais veiculou conteúdo a respeito do Judiciário. Nas 106 revistas pesquisadas, foram encontradas 238 matérias sobre o Judiciário, a maior parte na Revista Isto É, (31,09% das matérias), seguida pela Revista Época (28,15%). Tabela 5 Matérias sobre o Poder Judiciário nas revistas semanais REVISTAS JUL AGOS. SET. OUT. NOV. DEZ. TOTAL % ,22 CARTA CAPITAL ,15 ÉPOCA ,09

10 ISTO É VEJA TOTAL , Temas Abordados nas matérias sobre o Poder Judiciário Dividimos as matérias pesquisadas pelos temas mais relevantes e procedemos à análise, destacando os mais abordados durante o período analisado. O tema que mais se destacou no segundo semestre de 2007 foi, sem dúvida, os processos judiciais contra políticos envolvidos em escândalos, especialmente o ex presidente do senado, Renan Calheiros. Considerações Finais A imprensa tem por obrigação ética e profissional manter a população bem informada, promover o debate público e veicular informações de interesse público. É verdade que a atividade jornalística se converteu num mercado, mas, atenção, esse mercado é conseqüência e não o fundamento da razão de ser da imprensa. Do direito fundamental a que corresponde a imprensa, o direito à informação, resulta a ética que deveria reger os jornalistas e as empresas de comunicação e deveria reger também os vínculos que ambos estabelecem com as suas fontes (as pessoas que fornecem as informações aos jornalistas), com o público e, sobretudo, com o poder (econômico, político ou estatal). (BUCCI, 2000, p. 33) Entretanto, parece ainda não ter percebido a importância de uma instituição como o judiciário para a sociedade e, mais, não se deu conta de que, como uma instituição que presta serviço à população, a Justiça pode e deve ser cobrada, fiscalizada, deve ser vista. Como afirma o jornalista Frederico Vasconcelos: O funcionamento do Judiciário não tem sido prioridade da mídia. Ela não fiscaliza esse poder com a mesma disposição demonstrada ao examinar os fatos do Executivo e do Legislativo. A imunidade dos parlamentares facilita declarações de impacto e denúncias que rendem manchetes. O Executivo está mais exposto à mídia. Em geral, o Judiciário só merece destaque quando absolve ou condena figuras notórias. Ou, mais recentemente, quando magistrados estão sob investigação. (VASCONCELOS, 2008, p. 93) As idéias de Frederico Vasconcelos são compartilhadas por Flavio Damiani (2008), ex- presidente do Fórum Nacional de Comunicação e Justiça:

11 A Justiça é prestação de serviço, é a resposta a reclames da sociedade. É pouco cobrada, é pouco questionada e quase nunca provocada e fica numa situação confortável. (...) a Justiça só é cobrada quando os casos envolvem gente de influência como o Daniel Dantas, por exemplo, que teve sua prisão aliviada pelo presidente do Supremo dentro do uso das suas atribuições. Aí houve uma comoção nacional. Mas todos os dias os juízes tem decisões iguais ou aproximadas e fica por isso mesmo. Pergunta-se: onde estão os processos envolvendo direitos do consumidor, planos de saúde, telefonia, de óbvio interesse público? Porque quase não se fala das ações movidas contra e pelo Estado, maior demanda do judiciário hoje e, sem dúvida, o que mais colabora para a sobrecarga de processos e pelo congestionamento da justiça? E os crimes de preconceito, assédio sexual? E as cadeias públicas, porque quase ninguém se interessa pelos direitos dos presidiários, que cedo ou tarde voltarão ao nosso convívio? É preciso divulgar mais questões que dizem respeito à coletividade, como direitos da mulher, direitos do consumidor, trabalho infantil, trabalho escravo, direito de família, legislação eleitoral, além de todos os conflitos que podem ser resolvidos pelos juizados especiais sem a necessidade de advogados. A imprensa precisa entender a importância de divulgar iniciativas do tipo o que a justiça pode fazer por você e calendário de mutirões e atendimentos jurídicos gratuitos. Além disso, é importante a população ter conhecimento do que pensa o judiciário sobre determinados assuntos até mesmo para decidir se entra ou não com uma ação na justiça. É preciso que a população tenha pleno conhecimento de seus direitos e deveres e como cada um destes podem ser cobrados através do poder judiciário. É necessário que a população saiba que os magistrados são servidores públicos e que estão a serviço da sociedade. É preciso que haja uma mudança no modo como os juízes encaram a mídia e a comunicação pública, desmistificar a figura do jornalista como aquele que tudo distorce e que interpreta a seu bel prazer as informações que lhe são transmitidas. Não que esses profissionais não existam mas não representam a maioria. Por outro lado, os jornalistas têm que vencer o preconceito contra os juízes e contra todos os que exercem o poder público, em suas mais variadas versões. A comunicação dos jornalistas com o judiciário teve progressos, mas ainda enfrenta muitos percalços, em ambas as instituições. De um lado, profissionais da mídia que em sua maioria não entendem o funcionamento do poder judiciário, não entendem o comportamento

12 dos juízes, não conseguem escutar por que não entendem a linguagem, não conseguem transmitir porque não sabem traduzir e, acima de tudo, não compreendem por que um juiz precisa de tanto tempo para decidir algo que para eles parece tão simples. São comuns conclusões como: Mas se o delegado já disse que foi ele, se o promotor já apresentou a denúncia, por que o indivíduo ainda está livre? Essa justiça é lenta, mesmo. E, na imprensa, lentidão é sinônimo de ineficiência. De outro lado, profissionais do judiciário, magistrados que trancados em seus gabinetes analisando páginas e mais páginas de processos que às vezes se arrastam por anos a fio, perdidos entre códigos de processo e de conduta, tentando decidir o destino de pessoas e de bens, sem conseguir entender a urgência do jornalismo: quando procurados, marcam entrevistas como agendam audiências: que tal conversarmos amanhã, às 13h30min? Juízes não são como políticos e, em sua maioria, não fazem a menor questão de estampar as páginas dos jornais. Ao contrário, preferem, como eles mesmo dizem, falar através de sentenças, de decisões. Alguns acham, inclusive, que a publicidade midiática, embora permitida, pode ser muito ruim para o bom andamento do processo e ser, inclusive, extremamente prejudicial para as partes envolvidas, como de fato ocorre em alguns casos. Por outro lado, o Judiciário, assim como outros órgãos públicos, tem que estar preparado para essa nova era que estamos vivendo, da visibilidade e da superexposição. Com a importância do Poder Judiciário crescendo a cada dia no nosso País, até mesmo se envolvendo em questões que antes diziam respeito aos poderes executivo e legislativo, os profissionais da mídia devem procurar se aperfeiçoar nos assuntos que envolvem o campo jurídico. Por outro lado, mesmo com todas as dificuldades envolvidas, é obrigação dos agentes do judiciário promover a comunicação entre os seus tribunais, a mídia e a população, divulgar os seus atos e facilitar a compreensão das ações da justiça, garantindo, assim, a sua participação efetiva na formação da verdadeira cidadania. Seguem algumas sugestões que surgiram após a pesquisa e que poderiam ajudar a aprimorar a cobertura que a mídia faz hoje do Poder Judiciário: Reivindicar que os tribunais instalem o sistema push (programa que avisa aos interessados sobre eventuais movimentações processuais), aperfeiçoar-se na linguagem jurídica e nos trâmites processuais, especializar-se, procurar apurar as notícias de forma mais cuidadosa, explicar o andamento processual. Dar maior visibilidade às decisões judiciais, mesmo as que não envolvam figuras notórias, mas que se refiram a assuntos de interesse público. Dar o mesmo destaque a eventuais absolvições de suspeitos apontados pelos próprios

13 jornalistas. Responsabilizar-se pelo que é publicado, ainda que as fontes sejam autoridades, como delegados de polícia, promotores. Dar oportunidade ao contraditório, assim como faz a Justiça, ouvir todas as partes envolvidas. Outro ponto que considero importante ressaltar com relação aos assuntos do poder judiciário é a divulgação de matérias que digam respeito à administração dos tribunais. Os diários da justiça, a maioria já eletrônicos (disponíveis na Internet) são uma fonte rica para a imprensa. Trazem publicações de licitações, convênios, contratos e também de atos administrativos, como nomeações, concessões de diárias, instauração de processos administrativos, exonerações, decisões judiciais, férias de magistrados, licenças, convocação para reuniões, pautas das sessões, fechamento e inaugurações de fóruns, instalação de varas, suspensão de prazos processuais, etc. Com relação a sugestões para o Poder Judiciário, primeiramente, sem dúvida, aprimorar os seus serviços, modernizar o seu sistema de trabalho, imprimir agilidade aos seus julgamentos, enfim, mudar o que puder se modificado em termos de gestão administrativa, já que não adianta contar com uma excelente assessoria e um bom relacionamento com os órgãos da imprensa se a organização não cumpre de forma satisfatória o seu papel social. Como medidas mais relacionadas especificamente à comunicação, instalar o sistema push, incluir as assessorias de comunicação na área de planejamento estratégico dos tribunais, promover debates entre seus pares para familiarizá-los com as necessidades e prioridades da imprensa, promover media training com os magistrados, abrir os seus bancos de dados, dar o direito de acesso aos processos, que são públicos, o que, segundo Frederico Vasconcelos, é tão ou mais importante que fazer os juízes falarem: Mais importante do que chegar ao magistrado, a meu ver, é o acesso aos autos. E mais, é hora de facilitar a comunicação. Quem quer ser ouvido tem que falar com clareza, objetividade e simplicidade. O juridiquês precisa ser combatido com determinação. Não se pode falar em acesso à informação se não se entende o que é permitido acessar. É o mesmo que sonegar informações. Às assessorias cabe acompanhar as sessões dos tribunais, pedir sugestões de pauta a juízes, principalmente os do interior do Estado, que estão distantes do trabalho das assessorias e costumam ter boas histórias para divulgar. Aos Magistrados cabe dar conhecimento de boas práticas na justiça; facilitar o trabalho da imprensa, dar publicidade aos seus atos, que são públicos.

14 O grande incentivo à busca por uma relação mais próxima entre judiciário e imprensa deve ter como princípio o direito à informação e como objetivo principal tornar a população mais bem informada sobre os seus direitos, ciente das atribuições e funções dos órgãos do poder judiciário e consciente de que a justiça existe para prestar serviços, resolver conflitos e, principalmente, promover a justiça social.

15 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS BUCCI, Eugênio. Sobre Ética e Imprensa. São Paulo: Companhia das Letras, BUENO, Wilson da Costa. Comunicação Empresarial: Teoria e Pesquisa. Barueri, SP: Manole, 2003., Wilson da Costa. Auditoria de Imagem na Mídia. In: BARROS, Antonio; DUARTE, Jorge, organizadores. Métodos e Técnicas de Pesquisa em Comunicação. São Paulo: Atlas, 2005., Wilson da Costa. Medindo o retorno do trabalho de Assessoria de Imprensa. In: DUARTE, Jorge, organizador. Assessoria de Imprensa e Relacionamento com a Mídia. 02.ed. São Paulo: Atlas, 2003., Wilson da Costa. A personalização dos contatos com a mídia e a construção da imagem das Organizações. In: Revista Organicom. São Paulo: 2005., Wilson da Costa. Comunicação, iniciativa privada e interesse público. In: DUARTE, Jorge, organizador. Comunicação Pública: Estado, Mercado, Sociedade e Interesse Público. São Paulo: Atlas, CHAER, Márcio. Entrevista por [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por em 29 nov COMPARATO, Fábio Konder. O poder judiciário no regime democrático In Revista da AMB ano 7/ nº 13/1ºsemestre de Disponível em consultado em 30/10/08 às 14:35hrs. DAMIANI, Flávio. Entrevista por [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por em 28 nov FONSECA JÚNIOR, Wilson Corrêa da. Análise de Conteúdo. In: BARROS, Antonio; DUARTE, Jorge, organizadores. Métodos e Técnicas de Pesquisa em Comunicação. São Paulo: Atlas, VASCONCELOS, Frederico. Anatomia da Reportagem - como investigar empresas, governos e tribunais. São Paulo: Publifolha, VASCONCELOS, Frederico. Entrevista por [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por em 05 out VIEIRA, Ana Lúcia Menezes. Processo Penal e Mídia. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2003.

16

1. A comunicação é atividade institucional e deve ser regida pelo princípio da

1. A comunicação é atividade institucional e deve ser regida pelo princípio da 1 SUGESTÕES PARA UMA POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO COMITÊ DE POLÍTICAS DE COMUNICAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO (CPCOM), REUNIÃO DE 30 DE MARÇO DE 2011 Redesenhado a partir da Constituição

Leia mais

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região

Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Tribunal do Trabalho da Paraíba 13ª Região Apresentação 1.Identificação do órgão:tribunal do Trabalho da Paraíba/ Assessoria de Comunicação Social 2.E-mail para contato:rdaguiar@trt13.jus.br, rosa.jp@terra.com.br

Leia mais

PORTARIA PGR Nº 107 DE 18 DE FEVEREIRO DE 2014.

PORTARIA PGR Nº 107 DE 18 DE FEVEREIRO DE 2014. PORTARIA PGR Nº 107 DE 18 DE FEVEREIRO DE 2014. Aprova o Guia para o Relacionamento com a Imprensa do Ministério Público Federal. O PROCURADOR-GERAL DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere

Leia mais

PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME/RS

PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME/RS PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME/RS PLANEJAMENTO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA DA JME APRESENTAÇÃO Este projeto trata do Planejamento de Comunicação da Estratégia da Justiça Militar do Estado do

Leia mais

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação

Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Código: MAP-DIINF-003 Versão: 00 Data de Emissão: 0101/2013 Elaborado por: Gerência de Comunicação Aprovado por: Diretoria de Informação Institucional 1 OBJETIVO Definir e padronizar os procedimentos referentes

Leia mais

DECLARAÇÃO DE BUENOS AIRES (2012) 1

DECLARAÇÃO DE BUENOS AIRES (2012) 1 DECLARAÇÃO DE BUENOS AIRES (2012) 1 Sobre a atuação dos Juízes e Poderes Judiciários Iberoamericanos relativamente à informação, à participação pública e ao acesso à justiça em matéria de meio ambiente

Leia mais

Prof. Ms. Anchieta Silveira

Prof. Ms. Anchieta Silveira Prof. Ms. Anchieta Silveira Aula 2 Comunicação com a sociedade O Judiciário e os MCM Assessorias e monografias Resumo da aula 1 Comunicação como processo Cultura organizacional Redes, fluxos, tipos de

Leia mais

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana

Equipe da GCO: 1. Carlos Campana Gerente 2. Maria Helena 3. Sandro 4. Mariana Gerência de Comunicação GCO tem por finalidade planejar, organizar, coordenar e controlar as atividades de comunicação e editoriais do Confea. Competências da GCO 1. Organizar e executar projetos editoriais:

Leia mais

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática

Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Projeto de Lei de Iniciativa Popular para uma mídia Democrática Comunicação é um direito de todos No Brasil, os meios de comunicação estão concentrados nas mãos de poucas empresas familiares que têm a

Leia mais

PLANO DE AÇÃO 2016 Gestão 2014/2017

PLANO DE AÇÃO 2016 Gestão 2014/2017 INTRODUÇÃO O Plano de Ação do Sindicato-Apase adota como referencial de elaboração as Teses aprovadas no XI Fórum Sindical/2015, referendadas na Assembleia Geral Extraordinária Deliberativa de 11/12/2015.

Leia mais

Plano de COMUNICAÇÃO do Planejamento Estratégico da Justiça Federal

Plano de COMUNICAÇÃO do Planejamento Estratégico da Justiça Federal Plano de COMUNICAÇÃO do Planejamento Estratégico da Justiça Federal PLANO DE COMUNICAÇÃO DA ESTRATÉGIA Introdução É importante ressaltar que um plano de comunicação tem a finalidade de tornar conhecida

Leia mais

FENAJ - FEDERAÇÃO NACIONAL DOS JORNALISTAS COMISSÃO NACIONAL DE ÉTICA

FENAJ - FEDERAÇÃO NACIONAL DOS JORNALISTAS COMISSÃO NACIONAL DE ÉTICA FENAJ - FEDERAÇÃO NACIONAL DOS JORNALISTAS COMISSÃO NACIONAL DE ÉTICA RESOLUÇÃO CNE Nº 01/2008, REPUBLICADA (*), DE 07/07/2008 Artigo 1º Este Regimento Interno contém as normas que regulam o funcionamento

Leia mais

A ESTRUTURAÇÃO DA COMUNICAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO

A ESTRUTURAÇÃO DA COMUNICAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO A ESTRUTURAÇÃO DA COMUNICAÇÃO DO PODER JUDICIÁRIO A transparência, tônico infalível da cidadania, outorga confiabilidade e, por conseguinte, maior respeito. Por sua vez, a população, melhor informada,

Leia mais

BARÔMETRO AMB DE CONFIANÇA A NAS INSTITUIÇÕES BRASILEIRAS JUNHO 2008

BARÔMETRO AMB DE CONFIANÇA A NAS INSTITUIÇÕES BRASILEIRAS JUNHO 2008 BARÔMETRO AMB DE CONFIANÇA A NAS INSTITUIÇÕES BRASILEIRAS JUNHO SUMÁRIO. APRESENTAÇÃO. METODOLOGIA. PRINCIPAIS RETADOS APRESENTAÇÃO O presente estudo inaugura uma iniciativa da Associação dos Magistrados

Leia mais

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional.

Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Tema 1: Eficiência Operacional Buscar a excelência na gestão de custos operacionais. Garantir a economicidade dos recursos e a melhor alocação dos recursos necessários à prestação jurisdicional. Agilizar

Leia mais

PROGRAMA FALANDO EM POLÍTICA 1

PROGRAMA FALANDO EM POLÍTICA 1 PROGRAMA FALANDO EM POLÍTICA 1 Juliane Cintra de Oliveira 2 Antônio Francisco Magnoni 2 RESUMO Criado em 2007, o Programa Falando de Política é um projeto de experimentação e extensão cultural em radiojornalismo,

Leia mais

Nº: 5745 terça feira, 05 de maio de 2015 COMISSÃO DIRETORA. ATO DA COMISSÃO DIRETORA N O 5, de 2015

Nº: 5745 terça feira, 05 de maio de 2015 COMISSÃO DIRETORA. ATO DA COMISSÃO DIRETORA N O 5, de 2015 30/06/2015 Boletim Administrativo Eletrônico de Pessoal Nº: 5745 terça feira, 05 de maio de 2015 COMISSÃO DIRETORA ATO DA COMISSÃO DIRETORA N O 5, de 2015 Revisa e altera os objetivos estratégicos do plano

Leia mais

Resumo executivo do Livro "Crianças Invisíveis - O enfoque da imprensa sobre o Trabalho Infantil Doméstico e outras formas de exploração"

Resumo executivo do Livro Crianças Invisíveis - O enfoque da imprensa sobre o Trabalho Infantil Doméstico e outras formas de exploração ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DO TRABALHO - OIT PROGRAMA INTERNACIONAL PARA A ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL IPEC Resumo executivo do Livro "Crianças Invisíveis - O enfoque da imprensa sobre o Trabalho Infantil

Leia mais

ÍNDICE. Introdução 2. Missão 4. Visão de Futuro 5. Objetivos Estratégicos 6. Mapa Estratégico 7. Metas, Indicadores e Ações 8. Considerações Finais 22

ÍNDICE. Introdução 2. Missão 4. Visão de Futuro 5. Objetivos Estratégicos 6. Mapa Estratégico 7. Metas, Indicadores e Ações 8. Considerações Finais 22 ÍNDICE Introdução 2 Missão 4 Visão de Futuro 5 Objetivos Estratégicos 6 Mapa Estratégico 7 Metas, Indicadores e Ações 8 Considerações Finais 22 1 INTRODUÇÃO O Plano Estratégico do Supremo Tribunal de Federal,

Leia mais

Advogados fazem ato contra sistema de Processo Judicial Eletrônico e TRT admite falha

Advogados fazem ato contra sistema de Processo Judicial Eletrônico e TRT admite falha Fonte: Dra. Cláudia Brum Mothé Seção: Rio Versão: Online Data: 31/07 Advogados fazem ato contra sistema de Processo Judicial Eletrônico e TRT admite falha Presidente da OAB do Rio recorre ao STF para garantir

Leia mais

Resolução nº 126 do Conselho Nacional de Justiça, de 22 de fevereiro de 2011

Resolução nº 126 do Conselho Nacional de Justiça, de 22 de fevereiro de 2011 Resolução nº 126 do Conselho Nacional de Justiça, de 22 de fevereiro de 2011 Dispõe sobre o Plano Nacional de Capacitação Judicial de magistrados e servidores do Poder Judiciário (Publicada no DJ-e nº

Leia mais

Programa de Combate ao Trabalho Infantil

Programa de Combate ao Trabalho Infantil Programa de Combate ao Trabalho Infantil 1. 1. JUSTIFICATIVA A partir das conclusões dos trabalhos iniciais da Comissão pela Erradicação do Trabalho Infantil da Justiça do Trabalho e do Seminário Trabalho

Leia mais

O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO E O JULGAMENTO POR E-MAIL

O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO E O JULGAMENTO POR E-MAIL O TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO E O JULGAMENTO POR E-MAIL Ana Victoria de Paula Souza Souza, Ana Victoria de Paula. O tribunal de justiça do Estado de São Paulo e o julgamento por e-mail.

Leia mais

Calendário reuniões ENCCLA

Calendário reuniões ENCCLA Nº 11 Fevereiro/2015 Há dez anos, teve início o modelo do hoje reconhecido Programa Nacional de Capacitação e Treinamento para o Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (PNLD). A percepção dos membros

Leia mais

Experiência: O novo olhar sobre a gestão de pessoas do setor público, na nova idade da democracia no Brasil.

Experiência: O novo olhar sobre a gestão de pessoas do setor público, na nova idade da democracia no Brasil. Experiência: O novo olhar sobre a gestão de pessoas do setor público, na nova idade da democracia no Brasil. RADIOBRÁS Empresa Brasileira de Comunicação S. A. Diretoria de Gestão de Pessoas e Administração

Leia mais

Direito Humano à Alimentação Adequada: um tema fora de pauta no Parlamento?

Direito Humano à Alimentação Adequada: um tema fora de pauta no Parlamento? ANA LÚCIA ALVES Direito Humano à Alimentação Adequada: um tema fora de pauta no Parlamento? Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Pós-Graduação do Cefor como parte das exigências do curso de Especialização

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010.

RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010. RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010. Dispõe sobre a divulgação de dados processuais eletrônicos na rede mundial de computadores, expedição de certidões judiciais e dá outras providências. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

4.º Encontro de Tradutores da Administração Pública os novos desafios 7 de outubro de 2013

4.º Encontro de Tradutores da Administração Pública os novos desafios 7 de outubro de 2013 4.º Encontro de Tradutores da Administração Pública os novos desafios 7 de outubro de 2013 Transposição para Portugal da Diretiva 2010/64/UE Proposta de intervenção Exmas Senhoras e Senhores Caros colegas,

Leia mais

LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA

LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA LEI DA MÍDIA DEMOCRÁTICA (versão simples da Lei da Comunicação Social Eletrônica) CAPÍTULO 1 PARA QUE SERVE A LEI Artigo 1 - Esta lei serve para falar como vai acontecer de fato o que está escrito em alguns

Leia mais

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM

A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE CONTAGEM DECRETO nº 1098, de 12 de fevereiro de 2009 Dispõe sobre alocação, denominação e atribuições dos órgãos que compõem a estrutura organizacional do Gabinete da Prefeita e dá outras providências. A PREFEITA

Leia mais

Minha Casa MInha VIda Noções Básicas de relacionamento com a mídia

Minha Casa MInha VIda Noções Básicas de relacionamento com a mídia Minha Casa MInha VIda Noções Básicas de relacionamento com a mídia Minha Casa MInha VIda Noções Básicas de relacionamento com a mídia Sumário 07 11 12 12 13 13 13 14 15 15 17 18 19 20 21 21 23 Guia rápido

Leia mais

Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009

Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009 Manifestação do Ministro Gilmar Mendes, no encerramento do II Encontro Nacional do Judiciário Belo Horizonte, 16/02/2009 Senhores, No encerramento destes trabalhos, gostaria de agradecer a contribuição

Leia mais

Red Derechos Humanos y Educación Superior Taller 1 Metodología de la enseñanza de los DDHH en la Educación Superior (Lima, 16-17 de julio de 2012)

Red Derechos Humanos y Educación Superior Taller 1 Metodología de la enseñanza de los DDHH en la Educación Superior (Lima, 16-17 de julio de 2012) Red Derechos Humanos y Educación Superior Taller 1 Metodología de la enseñanza de los DDHH en la Educación Superior (Lima, 16-17 de julio de 2012) O Ensino de Direitos Humanos da Universidade Federal do

Leia mais

PRÁTICA. Portal do Consumidor da Anatel (www.anatel.gov.br/consumidor)

PRÁTICA. Portal do Consumidor da Anatel (www.anatel.gov.br/consumidor) PRÁTICA 1) TÍTULO Portal do Consumidor da Anatel (www.anatel.gov.br/consumidor) 2) DESCRIÇÃO DA PRÁTICA - limite de 4 (quatro) páginas: O Portal do Consumidor (www.anatel.gov.br/consumidor) foi criado

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. ANS nº 41431.0

CÓDIGO DE ÉTICA. ANS nº 41431.0 CÓDIGO DE ÉTICA Aprovado pelo Conselho Consultivo da Saúde BRB Caixa de Assistência em sua 37ª Reunião Extraordinária, realizada em 10.12.2010. Brasília, 22 de fevereiro de 2011 I - APRESENTAÇÃO CÓDIGO

Leia mais

Construção do Plano Estratégico 2015-2020. Revisão da Identidade Estratégica Comissão de Planejamento Estratégico 10/10/2014

Construção do Plano Estratégico 2015-2020. Revisão da Identidade Estratégica Comissão de Planejamento Estratégico 10/10/2014 Construção do Plano Estratégico 2015-2020 Revisão da Identidade Estratégica Comissão de Planejamento Estratégico 10/10/2014 2 Objetivo da Reunião Apresentar a contribuição institucional, discutir propostas

Leia mais

stf.empauta.com 'Sessão secreta não é compatível com a Carta' NACIONAL ENTREVISTA

stf.empauta.com 'Sessão secreta não é compatível com a Carta' NACIONAL ENTREVISTA 'Sessão secreta não é compatível com a Carta' Lewandowski critica voto secreto no Congresso Para ministro do Supremo, "esse modo de pensar é incompatível com a Constituição" 'Sessão secreta não é compatível

Leia mais

AMB. Clipping. Valor - 13/07/2004 - Política - Página A7. AMB Informa - nº 62 Brasília, 30 de julho de 2004

AMB. Clipping. Valor - 13/07/2004 - Política - Página A7. AMB Informa - nº 62 Brasília, 30 de julho de 2004 AMB Informa - nº 62 Brasília, 30 de julho de 2004 AMB C L I P P I N G Brasília, 30 de julho IMPRESSO de 2004 1 ESPECIAL 230/2002 - DR/BSB AMB CORREIOS Valor - 13/07/2004 - Política - Página A7 2 Brasília,

Leia mais

Clipping de Imprensa Pesquisa UPP: O que pensam os policiais Outubro de 2015

Clipping de Imprensa Pesquisa UPP: O que pensam os policiais Outubro de 2015 Clipping de Imprensa Pesquisa UPP: O que pensam os policiais Outubro de 2015 A relevância e credibilidade dos resultados da pesquisa UPP: O que pensam os policiais foram, sem dúvida, pontos de partida

Leia mais

DECRETO Nº 6.555, DE 8 DE SETEMBRO DE 2008.

DECRETO Nº 6.555, DE 8 DE SETEMBRO DE 2008. DECRETO Nº 6.555, DE 8 DE SETEMBRO DE 2008. Dispõe sobre as ações de comunicação do Poder Executivo Federal e dá outras providências. O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso das atribuições que lhe confere o

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº XXX, DE XXX DE XXXXX DE 2015. O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA (CNJ), no uso de suas atribuições legais e regimentais,

RESOLUÇÃO Nº XXX, DE XXX DE XXXXX DE 2015. O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA (CNJ), no uso de suas atribuições legais e regimentais, RESOLUÇÃO Nº XXX, DE XXX DE XXXXX DE 2015 Regulamenta o teletrabalho no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. O PRESIDENTE DO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA (CNJ), no uso de suas atribuições

Leia mais

LUCIENI PEREIRA Auditora Federal de Controle Externo do TCU Professora de Gestão Fiscal Presidente da ANTC Diretora da CNSP

LUCIENI PEREIRA Auditora Federal de Controle Externo do TCU Professora de Gestão Fiscal Presidente da ANTC Diretora da CNSP LUCIENI PEREIRA Auditora Federal de Controle Externo do TCU Professora de Gestão Fiscal Presidente da ANTC Diretora da CNSP Fortaleza, 25 de novembro de 2015 combate à corrupção na gestão dos serviços

Leia mais

Juizados de Conciliação Relevância Social no Resgate da Cidadania

Juizados de Conciliação Relevância Social no Resgate da Cidadania Juizados de Conciliação Relevância Social no Resgate da Cidadania Luciana Trindade dos Reis Bottrel Mansur 1 RESUMO: Os Juizados de Conciliação foram criados por iniciativa do Poder Judiciário de Minas

Leia mais

O SENADO FEDERAL resolve:

O SENADO FEDERAL resolve: PROJETO DE RESOLUÇÃO DO SENADO Nº 27, DE 2015 Altera o inciso II do caput do art. 383 do Regimento Interno do Senado Federal para disciplinar, no âmbito das comissões, a arguição pública dos indicados

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

Arbitragem. Respostas objetivas para soluções rápidas

Arbitragem. Respostas objetivas para soluções rápidas 2 8 8 9 9 9 10 10 10 11 11 11 12 12 12 12 13 Respostas objetivas para soluções rápidas O que é a? Como surgiu o Instituto da? A é constitucional? A sentença arbitral tem validade jurídica? Quais são as

Leia mais

A Conciliação. A Campanha 2015. Objetivos da Campanha

A Conciliação. A Campanha 2015. Objetivos da Campanha A Conciliação A Semana Nacional da Conciliação é uma ação institucional do CNJ que ocorre desde 2008. Essa iniciativa, já consolidada, conta com a participação de demais tribunais brasileiros e terá logomarca

Leia mais

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII)

Apresentação Plano de Integridade Institucional da Controladoria-Geral da União (PII) PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO Secretaria-Executiva Diretoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional Plano de Integridade Institucional (PII) 2012-2015 Apresentação Como

Leia mais

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina 008ª Zona Eleitoral de Canoinhas/SC

Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina 008ª Zona Eleitoral de Canoinhas/SC Tribunal Regional Eleitoral de Santa Catarina 008ª Zona Eleitoral de Canoinhas/SC gdelbem@tre-sc.gov.br ; gdelbem@yahoo.com.br Proposta de valores no Planejamento Estratégico da Justiça Eleitoral Gestão

Leia mais

Guia de Discussão. Como acabar com a. Corrupção? Projeto Democracia Deliberativa e o Papel das Universidades Públicas

Guia de Discussão. Como acabar com a. Corrupção? Projeto Democracia Deliberativa e o Papel das Universidades Públicas Guia de Discussão Como acabar com a Corrupção? Projeto Democracia Deliberativa e o Papel das Universidades Públicas :: Introdução :: Ela está aqui, em toda parte, nos jornais, TV, rádios e tem um efeito

Leia mais

Produzir para Rádio. Descrição das atividades do Processo Produzir para Rádio

Produzir para Rádio. Descrição das atividades do Processo Produzir para Rádio Produzir para Rádio Descrição das atividades do Processo Produzir para Rádio 2 de 12 CJF Conselho de Conteúdo 1. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL... 3 2. DESCRITIVO DO PROCESSO... 5 2.1 ENTRADAS/INSUMOS... 5 2.2 SAÍDAS

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2013

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2013 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº, DE 2013 Dispõe sobre a mediação extrajudicial. O CONGRESSO NACIONAL decreta: Capítulo I Disposições Gerais Art. 1º Esta lei dispõe sobre mediação extrajudicial. Parágrafo único.

Leia mais

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Diretoria Geral de Planejamento, Coordenação e Finanças (DGPCF) 0301- Tribunal de Justiça.

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Diretoria Geral de Planejamento, Coordenação e Finanças (DGPCF) 0301- Tribunal de Justiça. ESTRUTURA PROGRAMÁTICA - PROPOSTA 2016 UNIDADE - UO 0301 PROGRAMA PROGRAMA Garantir o pagamento pelo efetivo serviço exercido por magistrados e servidores, bem como as obrigações de responsabilidade do

Leia mais

Como proceder à notificação e para onde encaminhá-la?

Como proceder à notificação e para onde encaminhá-la? Se a família não quiser ou não puder assumir a notificação, o educador deverá informar a família que, por força da lei, terá que notificar o fato aos órgãos competentes. Como proceder à notificação e para

Leia mais

Palavras-chave Ação social, Comunicação, Investimento social privado, Responsabilidade Social

Palavras-chave Ação social, Comunicação, Investimento social privado, Responsabilidade Social Título Desafios na Comunicação da Ação Social Privada 1 Autores Prof. Dr. Paulo Nassar, professor da Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo e presidente da ABERJE Associação Brasileira

Leia mais

E S T A D O D O M A T O G R O S S O Prefeitura Municipal de Jaciara

E S T A D O D O M A T O G R O S S O Prefeitura Municipal de Jaciara INSTRUÇÃO NORMATIVA SJU SISTEMA JURÍDICO N.º 001/2011 Versão: 001/2011 Aprovação em: 28/11/2011 Ato de aprovação: Decreto nº. 2995/2011. Unidade Responsável: Sistema Jurídico I - FINALIDADE: Representar

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REDE GAZETA Vitória, ES Janeiro 2010. 1ª Revisão Janeiro 2011. 2ª Revisão Janeiro 2012. POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL DA REDE GAZETA IDENTIDADE CORPORATIVA Missão

Leia mais

Conselho protesta contra prefeitura

Conselho protesta contra prefeitura Informativo Eletrônico da SE/CNS para os conselheiros nacionais Ano VI, Brasília, 08/04/2009. Prezado (a) conselheiro (a), Estamos encaminhando um clipping de notícias do CNS na mídia. A intenção é socializar

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO invepar índice Apresentação Visão, Missão, Valores Objetivos Princípios Básicos Pág. 4 Pág. 6 Pág. 7 Pág. 8 Abrangência / Funcionários Empresas do Grupo Sociedade / Comunidade

Leia mais

O ATENDIMENTO À IMPRENSA. Assessoria de Imprensa voltada à divulgação de ciência Unicamp, 28/04/2014

O ATENDIMENTO À IMPRENSA. Assessoria de Imprensa voltada à divulgação de ciência Unicamp, 28/04/2014 O ATENDIMENTO À IMPRENSA Assessoria de Imprensa voltada à divulgação de ciência Unicamp, 28/04/2014 Apresentação Relação cientistas x jornalistas Por que é importante atender à imprensa? Conhecer os canais

Leia mais

ATO REGULAMENTAR Nº 9, DE 7 DE MAIO DE 2010

ATO REGULAMENTAR Nº 9, DE 7 DE MAIO DE 2010 Publicada no Diário da Justiça Eletrônico, em 11/5/2010. ATO REGULAMENTAR Nº 9, DE 7 DE MAIO DE 2010 Altera dispositivos do Regulamento da Secretaria. O PRESIDENTE DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL, nos termos

Leia mais

SUGESTÕES PARA O DEBATE SOBRE O REGIMENTO INTERNO

SUGESTÕES PARA O DEBATE SOBRE O REGIMENTO INTERNO SUGESTÕES PARA O DEBATE SOBRE O REGIMENTO INTERNO Os Fóruns estão começando a rever seus Regimentos Internos e conferindo se estes estão colaborando da melhor forma possível para seu funcionamento. Este

Leia mais

SERVIDORES PÚBLICOS CONDUTAS VEDADAS EM ANO ELEITORAL RELATIVAS A

SERVIDORES PÚBLICOS CONDUTAS VEDADAS EM ANO ELEITORAL RELATIVAS A CONDUTAS VEDADAS EM ANO ELEITORAL RELATIVAS A SERVIDORES PÚBLICOS KLEIDE MARIA TENFFEN FIAMONCINI ADVOGADA DA AMAVI kleide@amavi.org.br / juridico@amavi.org.br O QUE VOCÊ AGENTE PÚBLICO NÃO PODE FAZER!!!

Leia mais

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 937/2012 - PGJ

PROCURADORIA-GERAL DE JUSTIÇA GABINETE DO PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 937/2012 - PGJ RESOLUÇÃO Nº 937/2012 - PGJ O PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ, no uso de suas atribuições legais e com fundamento no art. 19, XX, da Lei Complementar nº 85, de 27 de dezembro de 1999, Considerando

Leia mais

Art. 2º. Esta Lei Complementar entra em vigor na data de sua publicação. JUSTIFICATIVA

Art. 2º. Esta Lei Complementar entra em vigor na data de sua publicação. JUSTIFICATIVA PROJETO DE LEI DO SENADO Nº (COMPLEMENTAR) Altera o art. 66 da Lei Complementar nº 35, de 14 de março de 1979, que dispõe sobre a Lei Orgânica da Magistratura Nacional O Congresso Nacional decreta: Art.

Leia mais

Juarez Mello,é Bacharel em Direito pela UNAMA desde 1984. Atua na

Juarez Mello,é Bacharel em Direito pela UNAMA desde 1984. Atua na ENTREVISTA JUAREZ RABELLO SORIANO DE MELLO ADVOGADO Uma visão atual do Direito coletivo do trabalho É melhor um acordo coletivo resolvido em mesa do que uma decisão proferida pelos Tribunais Advogado trabalhista

Leia mais

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Gabinete do Ministro. PORTARIA nº 3.746, de 17 de dezembro de 2004.

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA Gabinete do Ministro. PORTARIA nº 3.746, de 17 de dezembro de 2004. PORTARIA nº 3.746, de 17 de dezembro de 2004. Institui o programa de transparência do Ministério da Justiça e estabelece medidas internas para aperfeiçoar os instrumentos preventivos de controle da atividade

Leia mais

Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros

Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros Capítulo I - Do direito à informação Art. 1º O Código de Ética dos Jornalistas Brasileiros tem como base o direito fundamental do cidadão à informação, que abrange

Leia mais

1 INSTITUIÇÕES E ENTIDADES ENVOLVIDAS NO PROJETO

1 INSTITUIÇÕES E ENTIDADES ENVOLVIDAS NO PROJETO TITULO: Assessoria de Comunicação às Instituições da UFSM no norte gaúcho EJE: Incorporación curricular de la extensión AUTORES: Mariana Cristina Raimondi, Bruna Occhi, Tássia Becker Alexandre. REFERENCIA

Leia mais

Clipping: medindo a presença da Embrapa Soja na mídia em 2008

Clipping: medindo a presença da Embrapa Soja na mídia em 2008 Clipping: medindo a presença da Embrapa Soja na mídia em 2008 CRUSIOL, P.H.T. 1 ; DINIZ, L.B.S. 1 ; NASCIMENTO, L.L. 2 1 Universidade Estadual de Londrina UEL, pedroc@ cnpso.embrapa.br, lilian@cnpso.embrapa.br;

Leia mais

Fabyanne Nabofarzan Rodrigues

Fabyanne Nabofarzan Rodrigues Fabyanne Nabofarzan Rodrigues A relação entre o Poder Legislativo e a imprensa O papel da assessoria de imprensa na relação entre o Legislativo e a imprensa Projeto de pesquisa apresentado ao Programa

Leia mais

Todos a favor da agilidade

Todos a favor da agilidade Todos a favor da agilidade Você sabia que agora os inventários, partilhas, separações e divórcios podem ser feitos no cartório? Pois é! Agora os cidadãos tiveram suas vidas facilitadas! Esses atos podem

Leia mais

ITINERÁRIO FORMATIVO DE DIRETORES DE SECRETARIA DE VT s. Coordenador: Desembargador Fernando Luiz Gonçalves Rios Neto

ITINERÁRIO FORMATIVO DE DIRETORES DE SECRETARIA DE VT s. Coordenador: Desembargador Fernando Luiz Gonçalves Rios Neto ITINERÁRIO FORMATIVO DE DIRETORES DE SECRETARIA DE VT s Coordenador: Desembargador Fernando Luiz Gonçalves Rios Neto 1. PROCESSO DE TRABALHO 1.1. Esfera Administrativa Planejamento Análise da realidade

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social (Dirco) Políticas Públicas de Comunicação

Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social (Dirco) Políticas Públicas de Comunicação Universidade Federal de Uberlândia Diretoria de Comunicação Social Políticas Públicas de Comunicação...a presença ativa duma universidade, revigorada ao contato de seu núcleo mais vivo e ciosa do seu espaço

Leia mais

São distintos os conteúdos expostos pela comunicação interna e externa:

São distintos os conteúdos expostos pela comunicação interna e externa: 31 6 COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL Um dos principais objetivos da comunicação institucional é o estabelecimento de relações duradouras com os seus públicos. Isso é possível através de ações personalizadas

Leia mais

COMISSÃO DIRETORA. Praça dos Três Poderes Senado Federal CEP: 70165 900 Brasília DF

COMISSÃO DIRETORA. Praça dos Três Poderes Senado Federal CEP: 70165 900 Brasília DF A estrutura administrativa do Senado Federal está dividida em três áreas que compreendem os órgãos superiores de execução, órgãos de assessoramento superior e órgão supervisionado. Conheça a estrutura

Leia mais

Apresentação no Conselho da Justiça Federal

Apresentação no Conselho da Justiça Federal Apresentação no Conselho da Justiça Federal CUMPRIMENTOS E AGRADECIMENTOS SLIDE UM - INTRODUÇÃO O painel que eu vou apresentar para os senhores hoje faz parte da minha tese de doutorado em Ciências Jurídicas

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 27

PROVA ESPECÍFICA Cargo 27 29 PROVA ESPECÍFICA Cargo 27 QUESTÃO 41 A importância e o interesse de uma notícia são avaliados pelos órgãos informativos de acordo com os seguintes critérios, EXCETO: a) Capacidade de despertar o interesse

Leia mais

Relatório de Actividades do ano 2011 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica

Relatório de Actividades do ano 2011 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Relatório de Actividades do ano 2011 do Conselho Consultivo da Reforma Jurídica Fevereiro de 2012 Índice 1. Resumo das actividades... 1 2. Balanço e aperfeiçoamento... 6 3. Perspectivas para os trabalhos

Leia mais

Síntese de pesquisas de opinião sobre o Ministério Público

Síntese de pesquisas de opinião sobre o Ministério Público Síntese de pesquisas de opinião sobre o Ministério Público Fonte: TRE/Rondônia noticiado na Notícias Jus Brasil Data: 2005 A pesquisa também mostra que 53,5% dos eleitores são favoráveis à realização de

Leia mais

Relatório Metas Nacionais do Judiciário Diagnóstico Situacional TJAL

Relatório Metas Nacionais do Judiciário Diagnóstico Situacional TJAL Relatório Metas Nacionais do Judiciário Diagnóstico Situacional TJAL Assessoria de Planejamento de Modernização do Poder - APMP Divisão de Estatística do Tribunal de Justiça - DETJ Assessoria de Planejamento

Leia mais

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº

PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº PROJETO DE LEI COMPLEMENTAR Nº Dispõe sobre a criação do Conselho de Ética Pública e estabelece medidas de transparência e controle de atos de agentes políticos, dirigentes, empregados e servidores públicos.

Leia mais

EDUARDO ABREU BIONDI

EDUARDO ABREU BIONDI EDUARDO ABREU BIONDI Formação acadêmica: UMSA Doutorado em Ciências Jurídicas Buenos Aires - Argentina Início: Agosto de 2010 Previsão de Conclusão: Agosto de 2012 Universidade Cândido Mendes Pós Graduaç

Leia mais

Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹

Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹ Site institucional da Secretaria de Saúde de Goiânia como comunicação estratégica¹ Serena Veloso GOMES² Thamara Rocha Ribeiro FAGURY³ Kalyne Menezes SOUZA4 Silvana Coleta Santos PEREIRA5 Universidade Federal

Leia mais

GRITO PELA EDUCAÇÃO PÚBLICA NO ESTADO DE SÃO PAULO

GRITO PELA EDUCAÇÃO PÚBLICA NO ESTADO DE SÃO PAULO Apresentação Esta cartilha representa um grito dos educadores, dos estudantes, dos pais, dos trabalhadores e da sociedade civil organizada em defesa da educação pública de qualidade, direito de todos e

Leia mais

O PROVEDOR DE JUSTIÇA EUROPEU

O PROVEDOR DE JUSTIÇA EUROPEU O PROVEDOR DE JUSTIÇA EUROPEU O Provedor de Justiça Europeu procede a inquéritos para esclarecer eventuais casos de má administração na atuação de instituições, organismos, gabinetes e agências da União

Leia mais

[FÊNIX ASSOCIAÇÃO PRÓ SAÚDE MENTAL]

[FÊNIX ASSOCIAÇÃO PRÓ SAÚDE MENTAL] A IMPORTÂNCIA DO MINISTÉRIO PÚBLICO NA SAÚDE O Ministério Público tem a sua razão de ser na necessidade de ativar o Poder Judiciário, em pontos em que esta remanesceria inerte porque o interesse agredido

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 149/2010. O Tribunal de Justiça do Estado do Acre, no uso das atribuições legais,

RESOLUÇÃO Nº 149/2010. O Tribunal de Justiça do Estado do Acre, no uso das atribuições legais, RESOLUÇÃO Nº 149/2010 Autoriza a implantação do Processo Eletrônico no âmbito do Tribunal de Justiça do Estado do Acre e dá outras providências. O Tribunal de Justiça do Estado do Acre, no uso das atribuições

Leia mais

Diagnóstico de Prioridades para o Plano de Ação 2014. Câmpus Restinga Maio, 2013. Desenvolvimento Institucional

Diagnóstico de Prioridades para o Plano de Ação 2014. Câmpus Restinga Maio, 2013. Desenvolvimento Institucional Diagnóstico de Prioridades para o Plano de Ação 2014 Câmpus Restinga Maio, 2013 Desenvolvimento Institucional APRESENTAÇÃO Ao iniciar uma conversa sobre planejamento, planos de ação e instrumentos afins,

Leia mais

RESOLUCAO TJ/OE Nº 16, de 30/11/2009 (ESTADUAL) DJERJ, ADM 60 (8) - 01/12/2009

RESOLUCAO TJ/OE Nº 16, de 30/11/2009 (ESTADUAL) DJERJ, ADM 60 (8) - 01/12/2009 RESOLUCAO TJ/OE Nº 16, de 30/11/2009 (ESTADUAL) DJERJ, ADM 60 (8) - 01/12/2009 RESOLUÇÃO Nº. 16/2009 Autoriza a implantação do Processo Eletrônico no âmbito do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro

Leia mais

PROJETO DE LEI Nº DE 2015.

PROJETO DE LEI Nº DE 2015. PROJETO DE LEI Nº DE 2015. ESTABELECE A POLÍTICA DE CONTINGÊNCIA NAS HIPÓTESES DE DESAPARECIMENTOS, RAPTOS, SEQUESTROS OU ABUSOS SEXUAIS DE CRIANÇAS E AOS ADOLESCENTES, INSTITUI O ALERTA AMBER, NA FORMA

Leia mais

O Tribunal de Contas da União e o exercício da função Ouvidoria

O Tribunal de Contas da União e o exercício da função Ouvidoria O Tribunal de Contas da União e o exercício da função Ouvidoria II Seminário Nacional de Ouvidores do Sistema Confea/Crea e Mútua 13 de junho de 2011 Tribunal de Contas da União Referencial Estratégico

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br Virtualização do processo judicial André Luiz Junqueira 1. INTRODUÇÃO A Associação dos Juizes Federais do Brasil (AJUFE) encaminhou um projeto de lei sobre a informatização do processo

Leia mais

Ouvidoria UNIFESP. Ouvidoria no Brasil. Neile G. Ribeiro Ferlante

Ouvidoria UNIFESP. Ouvidoria no Brasil. Neile G. Ribeiro Ferlante Ouvidoria UNIFESP Ouvidoria no Brasil Neile G. Ribeiro Ferlante São Paulo 2010 Ouvidoria A Ouvidoria é um canal de comunicação entre a organização e seus clientes internos e externos, visando o estreitamento

Leia mais

CÂMARA DOS DEPUTADOS Segurança proíbe depósitos de terceiros em contas de presidiários

CÂMARA DOS DEPUTADOS Segurança proíbe depósitos de terceiros em contas de presidiários ASSESSORIA PARLAMENTAR INFORMATIVO 14 DE NOVEMBRO DE 2014 CÂMARA DOS DEPUTADOS Segurança proíbe depósitos de terceiros em contas de presidiários A intenção é evitar que condenados usem essas contas para

Leia mais

OUVIDORIAS JUDICIÁRIAS

OUVIDORIAS JUDICIÁRIAS OUVIDORIAS JUDICIÁRIAS 1. Origem e Histórico Proponho, de início, uma breve exposição da origem e do histórico da criação das Ouvidorias no mundo e no Brasil, onde se verifica rápida expansão nas instituições

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA Código PC.00.001. PRESIDÊNCIA Revisão 00

POLÍTICA CORPORATIVA Código PC.00.001. PRESIDÊNCIA Revisão 00 Páginas 1/8 1. OBJETIVO O Código de Ética é um conjunto de diretrizes e regras de atuação, que define como os empregados e contratados da AQCES devem agir em diferentes situações no que diz respeito à

Leia mais

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 232, de 2014

PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 232, de 2014 PROJETO DE LEI DO SENADO Nº 232, de 2014 Altera a Lei nº 8.906, de 4 de julho de 1994, para dispor sobre a profissão de assistente de advocacia. O CONGRESSO NACIONAL decreta: seguintes alterações: Art.

Leia mais

IESB / PREVE. CURSO DE DIREITO Núcleo de Prática Jurídica Escritório de Assistência Jurídica ORIENTAÇÕES GERAIS

IESB / PREVE. CURSO DE DIREITO Núcleo de Prática Jurídica Escritório de Assistência Jurídica ORIENTAÇÕES GERAIS IESB / PREVE CURSO DE DIREITO Núcleo de Prática Jurídica Escritório de Assistência Jurídica ORIENTAÇÕES GERAIS MISSÃO / IESB Proporcionar um espaço de contínua aprendizagem onde alunos, professores e colaboradores

Leia mais

PONTO DOS CONCURSOS PROCESSUAL CIVIL P/ TCU 3º SIMULADO DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ TCU! PROFESSOR: RICARDO GOMES

PONTO DOS CONCURSOS PROCESSUAL CIVIL P/ TCU 3º SIMULADO DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ TCU! PROFESSOR: RICARDO GOMES 3º SIMULADO DE DIREITO! AVISOS: Estamos ministrando os seguintes CURSOS: ORGANIZAÇÃO DO MPE/RJ DIREITO PROCESSUAL PARA O TCU TEORIA E EXERCÍCIOS REGIMENTO INTERNO DO TSE TODOS OS CARGOS (TEORIA E EXERCÍCIOS)

Leia mais