PRODUÇÃO E TEOR DE NITRATO EM ALFACE AMERICANA COM A RETIRADA DO NITROGÊNIO EM DIFERENTES FASES DO CICLO DA CULTURA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PRODUÇÃO E TEOR DE NITRATO EM ALFACE AMERICANA COM A RETIRADA DO NITROGÊNIO EM DIFERENTES FASES DO CICLO DA CULTURA"

Transcrição

1 COELHO Produção FSC; MOREIRA e teor MAM; de nitrato MARTINS em alface AD; FLORES americana MEP; com SILVA a retirada MCC; do FINGER nitrogênio F.; FONTES em diferentes PCR fases Produção do ciclo da e teor cultura de nitrato em alface americana com a retirada do nitrogênio em diferentes fases do ciclo da cultura. Horticultura Brasileira 27: S2448-S2454. PRODUÇÃO E TEOR DE NITRATO EM ALFACE AMERICANA COM A RETIRADA DO NITROGÊNIO EM DIFERENTES FASES DO CICLO DA CULTURA Fabrício Silva Coelho 1 ; Marialva Alvarenga Moreira 2 ; Adalvan Daniel Martins 1, ; Milton Edgar Pereira Flores 1 ; Marcelo Cleón de Castro Silva 1 ; Fernando Finger 1 ; Paulo Cezar Rezende Fontes 1 1 UFV - Centro de Ciências Agrárias Departamento de Fitotecnia, CEP , Viçosa-MG; 2 EPAMIG Zona da Mata - Vila Gianetti, Casa 46, Campus UFV, CEP , Viçosa-MG; Bolsista iniciação científica PIBIC/ CNPq RESUMO O objetivo deste trabalho foi avaliar a - produção e o teor de N-NO na seiva do pecíolo de alface americana em resposta a retirada do N da solução nutritiva em diferentes fases do ciclo da cultura. O experimento foi conduzido na Universidade Federal de Viçosa em sistema hidropônico NFT, composto de telha de cimento-amianto. Foram avaliados o suprimento de nitrato em solução nutritiva (T1 - plantas cultivadas com solução completa (testemunha); T2 remoção do N na solução 7 DAT (dias após transplantio); T - remoção do N da solução 21 DAT; T4 - remoção do N da solução 5 DAT. Aos 42 DAT determinou a massa da matéria fresca comercial e o teor de nitrato na seiva. A disponibilidade de N durante todo o ciclo de cultivo da alface (T1) propiciou o maior valor médio de massa fresca comercial e teor de nitrato na seiva, 72 g planta -1 e 500 mg NO L -1, respectivamente. A retirada do N da solução nutritiva nos diferentes estádios de desenvolvimento da planta ocasionou uma redução da produção comercial e do teor de NO na seiva. PALAVRAS-CHAVE: Lactuca sativa L., nitrato na seiva, hidroponia. ABSTRACT Yield and nitrate content of crisphead lettuce following nitrogen withdrawal at different stages of the crop cycle The aim of this work was to evaluate the yield and content of nitrate (N-NO ) in the petiole sap of lettuce in response to withdrawal from the N of the nutrient solution at different stages of the cycle. The experiment was conducted at the Federal University of Viçosa in NFT hydroponic system, composed of asbestoscement tile. We evaluated the supply of nitrate in nutrient solution (T1 - plants grown with complete solution (control), T2 - removal the N of the solution at 7 DAT (days after transplanting), T - removal the N of the solution at 21 DAT, T4 removal the N of the solution at 5 DAT. At 42 DAT determined the commercial fresh weight and the content of nitrate in the sap. The availability of N during the whole cycle of lettuce (T1) gave the highest average value of the commercial weight and content of N-NO in the sap, 72 g plant -1 and 500 mg NO L -1, respectively. The removal of N in nutrient solution in the different stages of development of the plant caused a reduction in commercial production and the content of the NO sap. KEYWORDS: Lactuca sativa L., sap nitrate, hydroponics. Hortic. bras., v. 27, n. 2 (Suplemento - CD Rom), agosto 2009 S2448

2 INTRODUÇÃO A alface é uma hortaliça folhosa consumida, principalmente, na forma de folhas destacadas in natura, em saladas. No Brasil, constitui-se em uma das espécies folhosas de maior relevância em termos de participação no volume comercializado e nutricional. De acordo com o formato das folhas e da cabeça, as alfaces são classificadas em cinco grupos, tais como lisas (solta e repolhuda manteiga), crespas (solta e repolhuda), americanas, mimosas e romanas (Filgueira, 200). Em geral, as cultivares do grupo repolhuda manteiga, formam cabeça e possuem as folhas lisas, são as preferidas, entretanto, não são facilmente cultiváveis no verão. No entanto, tem aumentado a demanda por alface do tipo americana. Vários estudos têm sido realizados com o objetivo de identificar cultivares, que melhor se adaptem às diversas condições de cultivos no Brasil (Silva et al.,1999; Sediyama et al.,2000). O cultivo de alface em ambientes protegidos tem ampliado no Brasil, principalmente com o uso do cultivo hidropônico, devido à praticidade, gerando plantas de melhor qualidade atendendo o mercado cada vez mais exigente, e ainda, propiciando ciclos mais curtos e maior número de colheitas no ano. Contudo, para se obter alta produtividade e máximo retorno econômico, a cultura necessita receber nutrientes em doses adequadas que permitam o desenvolvimento pleno com fornecimento de produto de boa qualidade. Dentre os nutrientes, destaca-se o nitrogênio (N) pela quantidade exigida e pelas funções que exerce na planta. A alface apresenta boa resposta à adubação nitrogenada, com efeitos na produção, aumentando o tamanho e melhorando o aspecto das plantas (Katayama, 199; Oshe, 2000; Santos et al., 2001). No cultivo dessa hortaliça, é comum a aplicação de elevadas quantidades de adubo nitrogenado, o que pode propiciar excesso de N, com conseqüente acúmulo de nitrato e diminuição da qualidade do produto (Fontes et al., 1997). Além disso, certas culturas podem acumular elevados níveis de N na forma de nitrato (NO ) o que pode ser prejudicial à saúde humana, em particular para as hortaliças folhosas que são consumidas in natura em saladas. A capacidade diferenciada de acúmulo de nitrato não ocorre apenas entre espécies, mas também entre cultivares. Além das cultivares, os teores de nitrato são influenciados por outros fatores como intensidade luminosa (Grazia et al., 2001), sistema de cultivo (Cavarianni et al., 2000a, b; Rezende et al., 2000) e adubação ou composição da solução nutritiva (Sanches et al., 2001). Há diversos métodos para avaliar o estado de N da planta envolvendo desde procedimentos analíticos que cobrem ampla faixa de análise laboratorial quantitativa até testes rápidos semi-quantitativos executados no próprio campo (Olfs et al., 2005). O critério mais comumente utilizado para monitorar o estado de N da planta é a análise química, em laboratório, quantificando os teores de N e de N-NO na matéria seca das folhas, geralmente tomando como referência a quarta folha completamente desenvolvida a partir do ápice (Fontes e Araújo, 2007). Essas análises químicas têm sido estudadas para a cultura da alface (Fernandes et al., 2002; Mantovani et al., 2005; Takahashi et al., 2007), todavia, são onerosas, demoradas e devem ser realizadas por pessoas qualificadas. Mais recentemente, pesquisas têm sido desenvolvidas utilizando-se da análise do teor de N-NO na seiva de pecíolos de folhas de alface (Freire et al., 2008). Hortic. bras., v. 27, n. 2 (Suplemento - CD Rom), agosto 2009 S 2449

3 - Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar a produção e o teor de N-NO na seiva do pecíolo de folha de alface americana em resposta a retirada do N da solução nutritiva em diferentes fases do ciclo da cultura. MATERIAL E MÉTODOS O experimento foi conduzido na Universidade Federal de Viçosa em sistema hidropônico NFT, composto de telha de cimento-amianto coberto com filme plástico a fim de se evitar contaminações, possuindo quatro canais por bancadas. Para a sustentação das plantas utilizaram-se placas de poliestireno expandido de 0,02 m de espessura. Avaliaram o suprimento de nitrato em solução nutritiva (T1 - plantas cultivadas com solução completa (testemunha); T2 remoção do N na solução 7 DAT (dias após transplantio); T - remoção do N da solução 21 DAT; T4 - remoção do N da solução 5 DAT. Sulfato e cloreto foram fornecidos como substitutos do ânion nitrato a fim de manter o balanço com os cátions e a concentração salina da solução nutritiva. Os tratamentos foram arranjados no delineamento experimental inteiramente casualizados, com quatro repetições. Utilizaram-se sementes da cultivar Tainá. A semeadura ocorreu em 18 de dezembro de 2008, em bandejas de polipropileno contendo 128 células preenchidas com substrato comercial Plantmax. O transplantio das mudas ocorreu em 24 de janeiro com as mudas contendo -4 folhas completas. A solução nutritiva utilizada foi a de Furlani et al. (1999) modificada. A circulação da solução foi realizada por um conjunto moto-bomba de 0,5 HP e controlada por um temporizador, o qual manteve a circulação por 15 minutos a intervalos de 15 minutos durante o dia (das 6:00 as 18:00 horas) e durante à noite permanecerá ligado às 22:00 e 02:00 por 15 minutos (das 18:00 as 6:00 horas). O ph da solução foi ajustado diariamente, mantendo-o em 5,5 ± 0,2 utilizando-se HCl ou NaOH 1N. A troca da solução nutritiva ocorreu quando houve redução da condutividade elétrica, admitiu-se até 0% de depleção. Aos 42 DAT foram coletadas 5 plantas por parcela. Essas foram pesadas para obtenção de massa da matéria fresca comercial e posteriormente separadas em folhas, caules e raízes, pesadas para obter a matéria fresca de cada órgão. O pecíolo da nervura central da primeira folha da parte comercial foi seccionado 1 cm acima do ponto de inserção no caule. Desse segmento, após macerado em espremedor de alho, coletou-se a seiva com o auxílio de uma micropipeta. Na seiva foi medido o teor de nitrato (N-NO ) pelo medidor portátil (C-141 Cardy Nitrate Meter, Horiba), equipado com microeletrodo sensível ao nitrato (Guimarães, 1998). Os dados obtidos foram submetidos às análises de variância e as médias comparadas pelo teste de Scott-Knott a 5 % de probabilidade, utilizando-se o programa SAEG (Funarbe, 199). Foi estimado o coeficiente de correlação linear entre cada variável em estudo e a produção de massa fresca comercial de alface. RESULTADOS E DISCUSSÃO A produção de massa da matéria fresca comercial (MFCO) da alface foi influenciada pelo suprimento de nitrogênio (N) na solução nutritiva (Tabela 1). A disponibilidade de N durante todo o ciclo de cultivo da alface (T1) propiciou o maior valor médio de MFCO, 72 g planta -1. Ao retirar o N da solução nutritiva observou redução da MFCO, sendo que aos 5 dias após o Hortic. bras., v. 27, n. 2 (Suplemento - CD Rom), agosto 2009 S2450

4 transplantio (T4) a MFCO foi superior ao T. Aumento na produção comercial de alface foi obtido por diversos autores, Alt & Full (1988); Montovani et al. (2005). A disponibilidade de N na solução nutritiva durante todo o ciclo de cultivo aumentou a produção de massas das matérias fresca de folhas e caules, exceto raízes (Tabela 1). O suprimento adequado de N está associado à alta atividade fotossintética e ao crescimento vegetativo vigoroso (Castellane, 1994; Filgueira, 200). Em alface, doses elevadas de N proporcionaram maior massa de matéria fresca de folhas (Alvarenga et al., 2000; Ferreira et al., 2000). O valor de N-NO na seiva da nervura central foi influenciado pelo suprimento de N na solução nutritiva (Tabela 1). O aumento na disponibilidade de N durante todo o ciclo de cultivo da alface (T1) proporcionou maior teor de NO na seiva, 500 mg NO L -1. Em condições de campo, Alt & Full (1988) observaram aumento do teor de NO na seiva com o aumento da fertilização nitrogenada, atingindo o valor crítico de 200 mg NO L -1. Houve tendência de aumento do teor de NO na seiva proporcional à disponibilidade de N na solução nutritiva durante o ciclo de cultivo. Ao retirar o N da solução nutritiva aos 21 (T) e 5 dias após o transplantio (T4) não houve diferenças significativas entre os tratamentos. O teste de N-NO na seiva tem sido proposto como ferramenta auxiliar no manejo da fertilização nitrogenada em hortaliças. O medidor de N-NO, além de propiciar rapidez de análise, é utilizado a campo e determina com precisão a concentração de nitrato na seiva no momento da medição. Assim, deficiência de N pode ser detectada antes de ocorrer perda na cultura e pode-se assegurar que o suprimento de N está ótimo para o máximo crescimento da planta. A análise de NO na seiva é método promissor devido esse método permitir o ajuste instantâneo na aplicação de nitrogênio (Olfs et al., 2005). O teor de NO na seiva, massas da matéria fresca de folha e caule correlacionaram de forma diferenciada com a massa da matéria fresca comercial (Tabela 2). Correlação positiva e com grau de correlação significativo foi obtida com a MFCO. O teor de NO na seiva apesar de apresentar coeficiente de correlação linear menor que massa da matéria fresca de folhas e caules, pela praticidade e grau de segurança, poderá ser utilizado para o diagnóstico do estado de N em alface auxiliando no manejo da fertilização nitrogenada na cultura. A retirada do N da solução nutritiva nos diferentes estádios de desenvolvimento da planta ocasionou uma redução da produção comercial e do teor de NO na seiva. AGRADECIMENTOS Ao CNPq e FAPEMIG pela bolsa de pós-doutorado. LITERATURA CITADA ALVARENGA, MAR. SILVA, EC; SOUZA, RJ; CARVALHO, JG. Crescimento, teor e acúmulo de macronutrientes em alface americana sob doses de N aplicados no solo e de níveis de cálcio aplicados via foliar. Horticultura Brasileira, v.18, suplemento, p , ALT, D; FULL, AM. Control of the nitrogen status of lettuce by nitrate analysis of plant sap. Acta Horticulturae, v.222, p. 2-28, Hortic. bras., v. 27, n. 2 (Suplemento - CD Rom), agosto 2009 S 2451

5 CASTELLANE, PD. Nutrição mineral e qualidade de olerícolas folhosas. In: SÁ, ME; BUZZETI, S (Coords.) Importância da adubação na qualidade dos produtos agrícolas. São Paulo, p. CAVARIANNI, RL; CAZETA, JO; MAY, A; BARBOSA, JC; CECILIO FILHO, AB. Acúmulo de nitrato em cultivares de alface, cultivadas no inverno, em função do ambiente de cultivo. Horticultura Brasileira, v. 18, suplemento, p.22-2, 2000a. CAVARIANNI, RL; CAZETA, JO; MAY, A; BARBOSA, JC; CECILIO FILHO, AB. Acúmulo de nitrato em cultivares de alface, cultivadas na primavera, em função do ambiente de cultivo. Horticultura Brasileira, v. 18, suplemento, p.24-25, 2000b. FERNANDES, AA; MARTINEZ, HEP; PEREIRA, PRG; FONSECA, MCM. Produtividade, acúmulo de nitrato e estado nutricional de cultivares de alface, em hidroponia, em função de fontes de nutrientes. Horticultura Brasileira, v.20, n.2, p , FERREIRA, VP; LAUER, C; OSSONI, E; NICOLAUD, BAL. Resposta de alface a diferentes épocas de aplicação de N. Horticultura Brasileira, v.18, suplemento, p , FILGUEIRA, FAR. Novo manual de olericultura Agroecologia moderna na produção e comercialização de hortaliças. 2ª edição. Editora UFV. Universidade Federal de Viçosa. Viçosa MG. 412p FONTES, PCR; ARAÚJO, C. Adubação nitrogenada de hortaliças: princípios e práticas com o tomateiro. Viçosa: UFV, p. FONTES, PCR; PEREIRA, PRG; CONDE, RM. Critical chlorophyll, total nitrogen, and nitrate-nitrogen in leaves associated to maximum lettuce yield. Journal of Plant Nutrition, v.20, n.9, p , FREIRE, FM; MASCARENHAS, MHT; VIANA, MCM; GONÇALVES, LD; LARA, JFR; ANDRADE, CLT; PURCINO, HMA. Produtividade, teor de nitrato na seiva da nervura central e de nitrogênio total de folhas de alface em resposta a doses de nitrogênio. Horticultura Brasileira, suplemento, p , CD ROOM, FUNARBE SAEG. Sistema para Análises Estatísticas. v Viçosa, 199. FURLANI, P.R.; SILVEIRA, L.C-P.; BOLONHEZI, D.; FAQUIM, V. Cultivo hidropônico de plantas. Campinas: Instituto Agronômico, p. Boletim Técnico IAC, 180. GRAZIA, J; TITTONELL, PA; CHIESA, A. Acumulacion de nitratos em lechugas de hojas sueltas cultivadas bajo diferentes condiciones ambientales. Horticultura Brasileira, v. 19, suplemento, CD ROOM, GUIMARÃES, TG. Nitrogênio no solo e na planta, teor de clorofila e produção do tomateiro, no campo e na estufa, influenciados por doses de nitrogênio. Viçosa: UFV, p. (Doutorado em Fitotecnia) KATAYAMA, M. Nutrição e adubação de alface, chicória e almeirão. In: FERREIRA, ME; CASTELLANE, PD; CRUZ, MCP (Ed.) Nutrição e adubação de hortaliças. Piracicaba: POTAFOS, 199. p Hortic. bras., v. 27, n. 2 (Suplemento - CD Rom), agosto 2009 S2452

6 MONTOVANI, JR; FERREIRA, ME; CRUZ, MCP. Produção de alface e acúmulo de nitrato em função da adubação nitrogenada. Horticultura Brasileira, v.2, n., p , OLFS, HW; BLANKENAU, K; BRENTRUP, F; JASPER; LINK, A; LAMMEL, J. Soil-and plantbased nitrogen-fertilizer recommendations in arable farming. Journal of Plant Nutrition and Soil Science, v. 168, n. 4, p , OSHE, S. Qualidade nutricional e acúmulo de nitrato em alface. In: SANTOS, OS (Ed.) Hidroponia da alface. Santa Maria; Imprensa Universitária, 2000, p REZENDE, AJ; JUNQUEIRA, AMR; XIMENES, MIN; BORGES, LA. Teor de nitrato em alface produzida em sistema hidropônico e sistema convencional em Brasília DF. Horticultura Brasileira, v. 18, suplemento, p.5-54, SANCHES, LM; LAURA, VA; FAVERO, S; MATIAS, Épocas de troca de solução nutritiva por água em alface cultivada sob hidroponia e sua influência no teor de nitrato. Horticultura Brasileira, v. 19, suplemento, CD ROOM, SANTOS, RHS; SILVA, F; CASALI, VWD; CONDE, AR. Efeito residual da adubação com composto orgânico sobre o crescimento e produção de alface. Pesquisa Agropecuária Brasileira, v.6, n.11, p , SEDIYAMA. MAM; PEDROSA, MW; GARCIA, NCP; GARCIA, SRL. Seleção de cultivares de alface para cultivo hidropônico. Horticultura Brasileira, v.18, Suplemento, p , SILVA, EC; LEAL, NR; MALUF, WR. Avaliação de cultivares de alface sob altas temperaturas em cultivo protegido em três épocas de plantio na região norte-fluminense. Ciência Agrotécnica, v.2, n., p , TAKAHASHI, H; HIDALGO, PC; FADELLI, L; CUNHA, MET. Composição e manejo da solução nutritiva visando a diminuição do teor de nitrato nas folhas de alface hidropônica. Horticultura Brasileira, v.25, n.1, p. 6-9, Hortic. bras., v. 27, n. 2 (Suplemento - CD Rom), agosto 2009 S 245

7 Tabela 1. Produção de massas da matéria fresca comercial (MFCO), matérias fresca de folhas (MFF), caules (MFC) e raízes (MFR) de alface e teor de nitrato na seiva em função do nitrogênio no cultivo hidropônico [Weight of commercial fresh matter (MFCO), fresh leaf (MFF), stems (MFC) and roots (MFR) of crisphead lettuce and nitrate content of the sap as a function of nitrogen in hydroponic system]. UFV, Viçosa, MG, Tratamentos MFCO MFF MFC MFR NO na seiva (g planta -1 ) (mg L -1 ) T1 72,0 A 99,6 A 65,6 A 62,0 B 500 A T2 5,2 D 90,4 D 6,4 C 47,2 B 865 C T 198,0 C 15,6 C,6 B 86,8 A 2 B T4 544,0 B 799,2 B 69,6 A 64,0 B 2480 B Médias seguidas da mesma letra na coluna não diferem entre si, a 5% de probabilidade, pelo teste Scott- Knott. Tabela 2. Correlação entre o teor de nitrato na seiva, massas da matéria fresca de folha caule e raiz de alface americana com a produção de massa da matéria fresca comercial (MFCO) [Correlation between the content of nitrate in the sap, weight of fresh matter of leaf, stem and roots of crisphead lettuce with the weight of commercial fresh matter]. UFV, Viçosa, MG, Características Coeficiente de correlação linear (r) MFCO Teor NO seiva pecíolo nervura central (mg L -1 ) 0,82** Massa fresca folha (g planta -1 ) 0,99** Massa fresca caule (g planta -1 ) 0,91** Massa fresca raiz (g planta -1 ) ns ** - Significativos a 1 % de probabilidade pelo teste t. ns correlação não significativa. Hortic. bras., v. 27, n. 2 (Suplemento - CD Rom), agosto 2009 S2454

Crescimento da alface americana em função da retirada do nitrogênio da solução

Crescimento da alface americana em função da retirada do nitrogênio da solução MARTINS, AD; COELHO FS; FONTES, PCR; BRAUN H. Crescimento da alface americana com a retirada de Crescimento da alface americana em função da retirada do nitrogênio da solução nutritiva. nitrogênio da solução

Leia mais

Uso de húmus sólido e diferentes concentrações de húmus líquido em características agronômicas da alface

Uso de húmus sólido e diferentes concentrações de húmus líquido em características agronômicas da alface Uso de húmus sólido e diferentes concentrações de húmus líquido em características agronômicas da alface Everto Geraldo de MORAIS 1 ; Chrystiano Pinto de RESENDE 2 ; Marco Antônio Pereira RESUMO LOPES

Leia mais

CRESCIMENTO INICIAL DE CULTIVARES DE ALFACE EM SISTEMA HIDROPÔNICO TIPO NFT.

CRESCIMENTO INICIAL DE CULTIVARES DE ALFACE EM SISTEMA HIDROPÔNICO TIPO NFT. CRESCIMENTO INICIAL DE CULTIVARES DE ALFACE EM SISTEMA HIDROPÔNICO TIPO NFT. BARBOSA, Rogério Zanarde 1 ARAÚJO, Henrique Manoel 1 BONFANTE, Jonas William 1 YASSUDA, Mirian 1 1 Acadêmicos do curso de Agronomia

Leia mais

Produção de cultivares de alface em três sistemas de cultivo em Montes Claros-MG

Produção de cultivares de alface em três sistemas de cultivo em Montes Claros-MG Produção de cultivares de alface em três sistemas de cultivo em Montes Claros-MG Cândido Alves da Costa; Sílvio Júnio Ramos; Simone Nassau Zuba; Wagner Fabian. UFMG-Núcleo de Ciências Agrárias, C. Postal

Leia mais

Efeitos do Tipo de Cobertura e Material de Suporte no Crescimento e Produção de Alface em Cultivo Protegido e Hidroponia.

Efeitos do Tipo de Cobertura e Material de Suporte no Crescimento e Produção de Alface em Cultivo Protegido e Hidroponia. Efeitos do Tipo de Cobertura e Material de Suporte no Crescimento e Produção de Alface em Cultivo Protegido e Hidroponia. Francisco José Alves Fernandes Távora 1 ; Pedro Renato Aguiar de Melo 1 Universidade

Leia mais

Doses de adubo para produção de mudas de tomate (Solanum lycopersicum)

Doses de adubo para produção de mudas de tomate (Solanum lycopersicum) Doses de adubo para produção de mudas de tomate (Solanum lycopersicum) Dinael Henrique Rocha 1 ; Vinicius Samuel Martins 1 ; Rafael Antônio Cavalcante Carvalho 1 ; Jakeline Aparecida Greiver Ribeiro Ferreira

Leia mais

XVI CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 22 a 26 de outubro de 2007 DEFICIÊNCIAS NUTRICIONAIS NA CULTURA DA ALFACE CRESPA ROXA

XVI CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 22 a 26 de outubro de 2007 DEFICIÊNCIAS NUTRICIONAIS NA CULTURA DA ALFACE CRESPA ROXA DEFICIÊNCIAS NUTRICIONAIS NA CULTURA DA ALFACE CRESPA ROXA CLEBER LÁZARO RODAS 1 ; JANICE GUEDES DE CARVALHO 2 ; LAURO LUIS PETRAZZINI 3 ; JONY EISHI YURI 4 ; ROVILSON JOSÉ DE SOUZA 5. RESUMO O presente

Leia mais

Avaliação de linhagens de alface tipo americana no município de Bambui-MG

Avaliação de linhagens de alface tipo americana no município de Bambui-MG Avaliação de linhagens de alface tipo americana no município de Bambui-MG Luiz Fernando Ghetti PEREIRA ¹ ; Raul Magalhães FERRAZ¹; Raiy Magalhães FERRAZ²; Luciano Donizete GONÇALVES³ 1 Estudante de Agronomia.

Leia mais

Efeito de doses de adubo verde no crescimento e produção de brócolis orgânico.

Efeito de doses de adubo verde no crescimento e produção de brócolis orgânico. DINIZ ER; ALMEIDA AR; MATTOS UJBM; VARGAS TO; PEREIRA WD; SANTOS RHS; OLIVEIRA NLC. Efeito de Efeito de doses de adubo verde no crescimento e produção de brócolis orgânico. doses de adubo verde no crescimento

Leia mais

Produção de Agrião D água em Hidroponia com Diferentes Soluções Nutritivas e Densidades de Plantio 1.

Produção de Agrião D água em Hidroponia com Diferentes Soluções Nutritivas e Densidades de Plantio 1. Produção de Agrião D água em Hidroponia com Diferentes Soluções Nutritivas e Densidades de Plantio 1. Manuel B. Novella 2 ; Osmar S. Santos 2 ; Danton C. Garcia 2 ; Silvia S. Sinchak 2 ; Eliseu G. Fabbrin

Leia mais

Produção de híbridos comerciais de tomateiro do grupo cereja cultivados no sistema hidropônico e conduzidos com diferentes números de hastes

Produção de híbridos comerciais de tomateiro do grupo cereja cultivados no sistema hidropônico e conduzidos com diferentes números de hastes Produção de híbridos comerciais de tomateiro do grupo cereja cultivados no sistema hidropônico e conduzidos com diferentes números de hastes Guilherme Brunhara Postali 1 ; Ernani Clarete da Silva 1 ; Gabriel

Leia mais

Efeito da iluminação noturna complementar a 18 cm de altura no crescimento de mudas de alface (Lactuca sativa L.).

Efeito da iluminação noturna complementar a 18 cm de altura no crescimento de mudas de alface (Lactuca sativa L.). Efeito da iluminação noturna complementar a 18 cm de altura no crescimento de mudas de alface (Lactuca sativa L.). Guilherme Ebelem Guimarães Moreira MALUF 1 ; Ana Cardoso Clemente Filha Ferreira de PAULA

Leia mais

VIII Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG- campus Bambuí VIII Jornada Científica

VIII Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG- campus Bambuí VIII Jornada Científica VIII Semana de Ciência e Tecnologia do IFMG- campus Bambuí VIII Jornada Científica Casca de café carbonizada para produção de mudas de alface Jakeline Aparecida Greiver Ribeiro Ferreira (1), Fábio Pereira

Leia mais

Efeitos do Tipo de Cobertura e Material de Sustentação das Plantas nas Condições Ambientais do Cultivo Protegido de Alface em Sistema Hidropônico.

Efeitos do Tipo de Cobertura e Material de Sustentação das Plantas nas Condições Ambientais do Cultivo Protegido de Alface em Sistema Hidropônico. Efeitos do Tipo de Cobertura e Material de Sustentação das Plantas nas Condições Ambientais do Cultivo Protegido de Alface em Sistema Hidropônico. Francisco José Alves Fernandes Távora 1, Pedro Renato

Leia mais

Palavras-Chave: Adubação nitrogenada, massa fresca, área foliar. Nitrogen in Cotton

Palavras-Chave: Adubação nitrogenada, massa fresca, área foliar. Nitrogen in Cotton 64 Nitrogênio na cultura do Algodão Helton Aparecido Rosa 1, Reginaldo Ferreira Santos 1, Maycon Daniel Vieira 1, Onóbio Vicente Werner 1, Josefa Moreno Delai 1, Marines Rute de Oliveira 1 1 Universidade

Leia mais

Avaliação do desempenho de substratos para produção de mudas de alface em agricultura orgânica.

Avaliação do desempenho de substratos para produção de mudas de alface em agricultura orgânica. BRITO, T.D.; RODRIGUES, C.D.S.; MACHADO, C.A. Avaliação do desempenho de substratos para produção de mudas de alface em agricultura orgânica. Horticultura Brasileira, v. 20, n.2, julho, 2002. Suplemento

Leia mais

Produção de mudas de alface crespa em diferentes tipos de bandejas, em Várzea Grande-MT.

Produção de mudas de alface crespa em diferentes tipos de bandejas, em Várzea Grande-MT. Produção de mudas de alface crespa em diferentes tipos de bandejas, em Várzea Grande-MT. Adriana Quixabeira Machado 1 ; Roberto Henrique Bogorni Neto 1 ; Andréia Quixabeira Machado 1 ; Luis Carlos Coelho

Leia mais

Desempenho de cultivares de alface lisa em casa de vegetação, com e sem cobertura de solo.

Desempenho de cultivares de alface lisa em casa de vegetação, com e sem cobertura de solo. Desempenho de cultivares de alface lisa em casa de vegetação, com e sem cobertura de solo. Hamilton César de Oliveira Charlo 1 ; Renata Castoldi; Leila Trevizan Braz 1 Depto. de Produção Vegetal, Via de

Leia mais

PRODUÇÃO ORGÂNICA DE ALFACE ADUBADA COM DIFERENTES TIPOS DE COMPOSTOS ORGÂNICOS

PRODUÇÃO ORGÂNICA DE ALFACE ADUBADA COM DIFERENTES TIPOS DE COMPOSTOS ORGÂNICOS PRODUÇÃO ORGÂNICA DE ALFACE ADUBADA COM DIFERENTES TIPOS DE COMPOSTOS ORGÂNICOS Natiele Ribeiro da Silva 1 ; Ana Paula Faria Camargo 1 e Dalcimar Regina Batista Wangen 2 1. Graduandas em Agronomia da Fundação

Leia mais

ÍNDICE COMERCIAL DE ALFACE FERTIRRIGADA COM NITROGÊNIO, SILÍCIO E POTÁSSIO EM AMBIENTE PROTEGIDO E NO PERÍODO OUTONAL

ÍNDICE COMERCIAL DE ALFACE FERTIRRIGADA COM NITROGÊNIO, SILÍCIO E POTÁSSIO EM AMBIENTE PROTEGIDO E NO PERÍODO OUTONAL ÍNDICE COMERCIAL DE ALFACE FERTIRRIGADA COM NITROGÊNIO, SILÍCIO E POTÁSSIO EM AMBIENTE PROTEGIDO E NO PERÍODO OUTONAL Renan Soares de Souza 1 ; Roberto Rezende 2 ; Paulo Sérgio Lourenço de Freitas 3 ;

Leia mais

CONCENTRAÇÃO SALINA DA SOLUÇÃO NUTRITIVA E EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO DE MATÉRIA SECA DE PLANTAS DE ABOBRINHA ITALIANA

CONCENTRAÇÃO SALINA DA SOLUÇÃO NUTRITIVA E EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO DE MATÉRIA SECA DE PLANTAS DE ABOBRINHA ITALIANA CONCENTRAÇÃO SALINA DA SOLUÇÃO NUTRITIVA E EVOLUÇÃO DA PRODUÇÃO DE MATÉRIA SECA DE PLANTAS DE ABOBRINHA ITALIANA CULTIVADAS EM CASCA DE ARROZ IN NATURA EM DUAS ÉPOCAS DE CULTIVO DA FONSECA, Leandro Andrade;

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 455

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 455 Página 455 AVALIAÇÃO DA FITOMASSA SECA DA MAMONEIRA BRS 149 NORDESTINA SOB FERTILIZAÇÃO MINERAL Lúcia Helena Garófalo Chaves 1 ; Evandro Franklin de Mesquita 2,3 ; Hugo Orlando Carvallo Guerra 1 ; Diva

Leia mais

RELATÓRIO FINAL. AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA

RELATÓRIO FINAL. AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA RELATÓRIO FINAL AVALIAÇÃO DO PRODUTO CELLERON-SEEDS e CELLERON-FOLHA NA CULTURA DO MILHO CULTIVADO EM SEGUNDA SAFRA Empresa solicitante: FOLLY FERTIL Técnicos responsáveis: Fabio Kempim Pittelkow¹ Rodrigo

Leia mais

Amostragem do índice SPAD em plantas de feijão guandu

Amostragem do índice SPAD em plantas de feijão guandu Amostragem do índice SPAD em plantas de feijão guandu Giovani Facco 1 Alberto Cargnelutti Filho 2 Gustavo Oliveira dos Santos 1 Réges Bellé Stefanello 3 1 - Introdução O feijão guandu (Cajanus cajan (L.)

Leia mais

Biomassa Microbiana em Cultivo de Alface sob Diferentes Adubações Orgânicas e Manejo da Adubação Verde

Biomassa Microbiana em Cultivo de Alface sob Diferentes Adubações Orgânicas e Manejo da Adubação Verde Biomassa Microbiana em Cultivo de Alface sob Diferentes Adubações Orgânicas e Manejo da Adubação Verde Microbial Biomass In Lettuce Culture Under Different Organic Fertilizers And Management Of Green Manure

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Absorção de Macronutrientes pela Cultura do Milho sobre Diferentes Wander Luis Barbosa Borges 1,7, Rogério Soares

Leia mais

Avaliação da influência de coberturas mortas sobre o desenvolvimento da cultura da alface na região de Fernandópolis- SP.

Avaliação da influência de coberturas mortas sobre o desenvolvimento da cultura da alface na região de Fernandópolis- SP. Avaliação da influência de coberturas mortas sobre o desenvolvimento da cultura da alface na região de Fernandópolis- SP. Roberto Andreani Junior 1 Pedro Galbiati Neto 1 UNICASTELO-Faculdade de Ciências

Leia mais

Curva de Produção de Mandioquinha-Salsa Sob Manejo Orgânico em Unidade Produtiva do Distrito Federal.

Curva de Produção de Mandioquinha-Salsa Sob Manejo Orgânico em Unidade Produtiva do Distrito Federal. Curva de Produção de Mandioquinha-Salsa Sob Manejo Orgânico em Unidade Produtiva do Distrito Federal. Nuno R. Madeira 1 ; Francisco V. Resende 1 ; Dejoel B. Lima 1 ; Hugo C. Grillo 1 1 Embrapa Hortaliças,

Leia mais

Cultivando o Saber. Resposta de rúcula Folha Larga à aplicação de potássio sob diferentes parcelamentos

Cultivando o Saber. Resposta de rúcula Folha Larga à aplicação de potássio sob diferentes parcelamentos 96 Resposta de rúcula Folha Larga à aplicação de potássio sob diferentes parcelamentos Paulo Afonso Pires 1, Franciele Moreira Gonçalves 2 Jessica da Silva Santos 2 e Rerison Catarino da Hora 2 1 Faculdade

Leia mais

Autores. Abstract. 18 a 20 de outubro de 2000 Vila Velha Palace Hotel Ponta Grossa Paraná

Autores. Abstract. 18 a 20 de outubro de 2000 Vila Velha Palace Hotel Ponta Grossa Paraná SISTEMA COMPUTADORIZADO PARA O MONITORAMENTO DE FATORES AMBIENTAIS E CONTROLE DA QUALIDADE DA SOLUÇÃO NUTRITIVA NO CULTIVO HIDROPÔNICO EM CASAS DE VEGETAÇÃO Autores Pedro Paulo da Cunha Machado Email:

Leia mais

Produção de feijão-fava em resposta ao emprego de doses de esterco bovino e presença e ausência de NPK

Produção de feijão-fava em resposta ao emprego de doses de esterco bovino e presença e ausência de NPK Produção de feijão-fava em resposta ao emprego de doses de esterco bovino e presença e ausência de NPK Adriana U. Alves ; Ademar P. de Oliveira 2 ; Carina S. M. Dornelas ; Anarlete U. Alves 3 ; Edna U.

Leia mais

PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATEIRO EM DIFERENTES SUBSTRATOS À BASE DE MATERIAIS REGIONAIS SOB ADUBAÇÃO FOLIAR 1 INTRODUÇÃO

PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATEIRO EM DIFERENTES SUBSTRATOS À BASE DE MATERIAIS REGIONAIS SOB ADUBAÇÃO FOLIAR 1 INTRODUÇÃO PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATEIRO EM DIFERENTES SUBSTRATOS À BASE DE MATERIAIS REGIONAIS SOB ADUBAÇÃO FOLIAR 1 Leonardo Pereira da Silva Brito 2, Ítalo Herbert Lucena Cavalcante 2, Márkilla Zunete Beckmann-Cavalcante

Leia mais

Produtividade de tomate, cv. Débora Pto, em função de adubação organomineral via foliar e gotejamento.

Produtividade de tomate, cv. Débora Pto, em função de adubação organomineral via foliar e gotejamento. CONVÊNIOS CNPq/UFU & FAPEMIG/UFU Universidade Federal de Uberlândia Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação DIRETORIA DE PESQUISA COMISSÃO INSTITUCIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA 2008 UFU 30 anos Produtividade

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DO SOLO/ PRODUÇÃO VEGETAL CURSO DE : MESTRADO E DOUTORADO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DO SOLO/ PRODUÇÃO VEGETAL CURSO DE : MESTRADO E DOUTORADO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DO SOLO/ PRODUÇÃO VEGETAL CURSO DE : MESTRADO E DOUTORADO DADOS SOBRE A DISCIPLINA 1. Disciplina: NUTRIÇÃO DE PLANTAS 2. Responsável(eis): Renato de Mello Prado 3.

Leia mais

TITULO DO PROJETO: (Orientador DPPA/CCA). Para que se tenha sucesso em um sistema de plantio direto é imprescindível uma boa cobertura do solo.

TITULO DO PROJETO: (Orientador DPPA/CCA). Para que se tenha sucesso em um sistema de plantio direto é imprescindível uma boa cobertura do solo. MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E CULTURA MEC UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ UFPI PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PRPPG Coordenadoria Geral de Pesquisa CGP Campus Universitário Ministro Petrônio Portela,

Leia mais

Influência de tipos de bandejas e idade de transplantio na produção de mudas de tomate tipo italiano.

Influência de tipos de bandejas e idade de transplantio na produção de mudas de tomate tipo italiano. Influência de tipos de bandejas e idade de transplantio na produção de mudas de tomate tipo italiano. Victoria R. Santacruz Oviedo 1, Paulo César Taveres de Melo 1, Keigo Minami 1 1 ESALQ-USP-Departamento

Leia mais

AVALIAÇÃO DE PROGÊNIES DE MILHO NA PRESENÇA E AUSÊNCIA DE ADUBO

AVALIAÇÃO DE PROGÊNIES DE MILHO NA PRESENÇA E AUSÊNCIA DE ADUBO REVISTA CIENTÍFICA ELETRÔNICA DE AGRONOMIA ISSN 1677-0293 PERIODICIDADE SEMESTRAL ANO III EDIÇÃO NÚMERO 5 JUNHO DE 2004 -------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Hortic. bras., v. 30, n. 2, (Suplemento - CD Rom), julho 2012 S 5327

Hortic. bras., v. 30, n. 2, (Suplemento - CD Rom), julho 2012 S 5327 Crescimento de mudas de rúcula em função da aplicação foliar de fertilizante organomineral Eliseu Geraldo dos Santos Fabbrin¹; Marcelle Michelotti Bettoni¹; Rafael Sacavem Mallon²; Márcia Procopiuk², Átila

Leia mais

Rendimento de melão cantaloupe cultivado em diferentes coberturas de solo e lâminas de irrigação.

Rendimento de melão cantaloupe cultivado em diferentes coberturas de solo e lâminas de irrigação. Rendimento de melão cantaloupe cultivado em diferentes coberturas de solo e lâminas de irrigação. Saint Clair Lira Santos 1 ; José Francismar de Medeiros 1 ; Maria Zuleide de Negreiros 1 ; Maria José Tôrres

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE RESFRIAMENTO DA SOLUCÃO NUTRITIVA EM CULTIVO HIDROPÔNICO DA ALFACE (Lactuca sativa L.)

DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE RESFRIAMENTO DA SOLUCÃO NUTRITIVA EM CULTIVO HIDROPÔNICO DA ALFACE (Lactuca sativa L.) DESENVOLVIMENTO DE SISTEMA DE RESFRIAMENTO DA SOLUCÃO NUTRITIVA EM CULTIVO HIDROPÔNICO DA ALFACE (Lactuca sativa L.) Eline Paula Figueira Cazaroti 1, Diene Maria Bremenkamp 2, Leonardo Raasch Hell 1, Gabriel

Leia mais

ESSENCIALIDADE DE MACRONUTRIENTES EM MILHO CULTIVADO EM SOLUÇÃO NUTRITIVA

ESSENCIALIDADE DE MACRONUTRIENTES EM MILHO CULTIVADO EM SOLUÇÃO NUTRITIVA ESSENCIALIDADE DE MACRONUTRIENTES EM MILHO CULTIVADO EM SOLUÇÃO NUTRITIVA Danilo Pavan 1 ; Luciano Ansolin 1 ; Ivan José Rambo 1 ; Leandro Hahn 2 ; Neuri Antonio Feldmann 3 ; Fabiana Raquel Mühl 4 ; Anderson

Leia mais

Revista Caatinga ISSN: 0100-316X caatinga@ufersa.edu.br Universidade Federal Rural do Semi-Árido Brasil

Revista Caatinga ISSN: 0100-316X caatinga@ufersa.edu.br Universidade Federal Rural do Semi-Árido Brasil Revista Caatinga ISSN: 0100-316X caatinga@ufersa.edu.br Universidade Federal Rural do Semi-Árido Brasil Leite de Lima, Grace Kelly; Liberalino Filho, João; Ferreira Linhares, Paulo César; Borges Maracajá,

Leia mais

FONTES E DOSES DE RESÍDUOS ORGÂNICOS NA RECUPERAÇÃO DE SOLO DEGRADADO SOB PASTAGENS DE Brachiaria brizantha cv. MARANDÚ

FONTES E DOSES DE RESÍDUOS ORGÂNICOS NA RECUPERAÇÃO DE SOLO DEGRADADO SOB PASTAGENS DE Brachiaria brizantha cv. MARANDÚ FONTES E DOSES DE RESÍDUOS ORGÂNICOS NA RECUPERAÇÃO DE SOLO DEGRADADO SOB PASTAGENS DE Brachiaria brizantha cv. MARANDÚ Carlos Augusto Oliveira de ANDRADE 1 ; Rubens Ribeiro da SILVA. 1 Aluno do Curso

Leia mais

V Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí V Jornada Científica 19 a 24 de novembro de 2012

V Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí V Jornada Científica 19 a 24 de novembro de 2012 V Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí V Jornada Científica 19 a 24 de novembro de 2012 Produção de mudas e avaliação de características Agronômicas e químicas de mangarito (Xanthossoma

Leia mais

RESUMO. Introdução. 1 Acadêmicos PVIC/UEG, graduandos do Curso de Agronomia, UnU Ipameri - UEG.

RESUMO. Introdução. 1 Acadêmicos PVIC/UEG, graduandos do Curso de Agronomia, UnU Ipameri - UEG. EFEITOS DE FERTILIZANTES E CORRETIVOS NO ph DO SOLO Tiago Trevizam de Freitas 1 ; Zélio de Lima Vieira 1 ; Valter de Oliveira Neves Júnior 1 ; Rodolfo Araújo Marques 1 ; Raimar Vinícius Canêdo 1 ; Adilson

Leia mais

Avaliação do crescimento de mudas de tomate em diferentes tipos de bandejas comerciais

Avaliação do crescimento de mudas de tomate em diferentes tipos de bandejas comerciais CERRADO AGROCIÊNCIAS Revista do Centro Universitário de Patos de Minas. ISSN 2178-7662 Patos de Minas, UNIPAM, (2):84-90, set. 2011 Avaliação do crescimento de mudas de tomate em diferentes tipos de bandejas

Leia mais

INFLUÊNCIA DA ADUBAÇÃO COM NITROGÊNIO, POTÁSSIO E SILÍCIO NO ATAQUE DE TRAÇA-DAS-CRUCÍFERAS E NA PRODUÇÃO DO REPOLHO

INFLUÊNCIA DA ADUBAÇÃO COM NITROGÊNIO, POTÁSSIO E SILÍCIO NO ATAQUE DE TRAÇA-DAS-CRUCÍFERAS E NA PRODUÇÃO DO REPOLHO INFLUÊNCIA DA ADUBAÇÃO COM NITROGÊNIO, POTÁSSIO E SILÍCIO NO ATAQUE DE TRAÇA-DAS-CRUCÍFERAS E NA PRODUÇÃO DO REPOLHO Luciana Morais de Freitas 1, Ana Maria Resende Junqueira 2,Marília Cristina dos Santos

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO LODO DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO PARA ADUBAÇÃO DO AÇAÍ (Euterpe oleracea)

UTILIZAÇÃO DO LODO DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO PARA ADUBAÇÃO DO AÇAÍ (Euterpe oleracea) Fertilidade di Solo e Nutrição de Plantas UTILIZAÇÃO DO LODO DE ESTAÇÃO DE TRATAMENTO DE ESGOTO PARA ADUBAÇÃO DO AÇAÍ (Euterpe oleracea) Aureliano Nogueira da Costa 1, Adelaide de Fátima Santana da Costa

Leia mais

CRESCIMENTO DO RABANETE EM TÚNEIS BAIXOS COBERTOS COM PLÁSTICO PERFURADO EM DIFERENTES NÍVEIS DE PERFURAÇÃO

CRESCIMENTO DO RABANETE EM TÚNEIS BAIXOS COBERTOS COM PLÁSTICO PERFURADO EM DIFERENTES NÍVEIS DE PERFURAÇÃO CRESCIMENTO DO RABANETE EM TÚNEIS BAIXOS COBERTOS COM PLÁSTICO PERFURADO EM DIFERENTES NÍVEIS DE PERFURAÇÃO EDILAINE REGINA PEREIRA 1 SONIA MARIA STEPHANO PIEDADE 2 RESUMO O presente trabalho teve como

Leia mais

Efeito da Densidade de Sementes na Germinação da Couve-da-Malásia.

Efeito da Densidade de Sementes na Germinação da Couve-da-Malásia. Efeito da Densidade de Sementes na Germinação da Couve-da-Malásia. Marli A. Ranal 2 ; Silése T M Rosa Guimarães 1 ; Pedro Carlos Pereira 1 ; Marcio Hedilberto Cunha Borges 1 1 Agrônomo (a), mestrando em

Leia mais

PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO AMARELO UTILIZANDO FERTIRRIGAÇÃO POR CAPILARIDADE

PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO AMARELO UTILIZANDO FERTIRRIGAÇÃO POR CAPILARIDADE PRODUÇÃO DE MUDAS DE PIMENTÃO AMARELO UTILIZANDO FERTIRRIGAÇÃO POR CAPILARIDADE J. P. B. M. COSTA, 1, R. L. SILVA 1, R. A. A. GUEDES 1, F. M. S. BEZERRA 1, R. C. CUNHA, M. W. L. SOUZA 1, F. A. OLIVEIRA

Leia mais

CRESCIMENTO DE Plectranthus grandis SOB ESTRESSE SALINO E CONDIÇÕES DE LUMINOSIDADE

CRESCIMENTO DE Plectranthus grandis SOB ESTRESSE SALINO E CONDIÇÕES DE LUMINOSIDADE CRESCIMENTO DE Plectranthus grandis SOB ESTRESSE SALINO E CONDIÇÕES DE LUMINOSIDADE M. A. C. Freitas 1 ; M. S. Pereira 2 ; J. A. Silva 3 ; R. C. Feitosa 4 ; M. A. E. Bezerra 5 ; C. F. Lacerda 6 RESUMO:

Leia mais

DESEMPENHO DE MUDAS CHRYSOPOGON ZIZANIOIDES (VETIVER) EM SUBSTRATO DE ESTÉRIL E DE REJEITO DA MINERAÇÃO DE MINÉRIO DE FERRO

DESEMPENHO DE MUDAS CHRYSOPOGON ZIZANIOIDES (VETIVER) EM SUBSTRATO DE ESTÉRIL E DE REJEITO DA MINERAÇÃO DE MINÉRIO DE FERRO Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014 DESEMPENHO DE MUDAS CHRYSOPOGON ZIZANIOIDES (VETIVER) EM SUBSTRATO DE ESTÉRIL E DE REJEITO DA MINERAÇÃO DE MINÉRIO DE FERRO Igor Fernandes de Abreu (*), Giovane César

Leia mais

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental II-192 - USO DE EFLUENTES DE LAGOAS DE ESTABILIZAÇÃO PARA

22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental II-192 - USO DE EFLUENTES DE LAGOAS DE ESTABILIZAÇÃO PARA 22º Congresso Brasileiro de Engenharia Sanitária e Ambiental 14 a 19 de Setembro 2003 - Joinville - Santa Catarina II-192 - USO DE EFLUENTES DE LAGOAS DE ESTABILIZAÇÃO PARA PRODUÇÃO DE FLORES EM SISTEMA

Leia mais

SEÇÃO 9 FERTILIDADE DE SOLO

SEÇÃO 9 FERTILIDADE DE SOLO 181 SEÇÃO 9 FERTILIDADE DE SOLO CONCENTRAÇÃO DE SILÍCIO NO SOLO E NA CULTURA DO ARROZ AFETADA PELA ADUBAÇÃO NITROGENADA E SILICATADA Antonio Nolla 1, Juliana Kahlau 2, Lilian Aparecida de Oliveira 2, Gaspar

Leia mais

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010

XIX CONGRESSO DE PÓS-GRADUAÇÃO DA UFLA 27 de setembro a 01 de outubro de 2010 PRODUÇÃO DE PEPINO TIPO CONSERVA EM FUNÇÃO DE DOSES DE FÓSFORO ELONHA RODRIGUES DOS SANTOS 1 ; ANTONIA PINTO DE CERQUEIRA 2 ; PAULO ROGÉRIO SIRIANO BORGES 3 ; PAULO ROBERTO PEREIRA 4 ; ARISTÓTELES CAPONE

Leia mais

FerDrrigação, a chave para ganhos em qualidade e produdvidade

FerDrrigação, a chave para ganhos em qualidade e produdvidade FerDrrigação, a chave para ganhos em qualidade e produdvidade Roberto Lyra Villas Bôas, FCA/UNESP, Botucatu, SP Eng. Agron. João Roberto do Amaral Junior Abril 2013 Introdução: A adubação representa 18%

Leia mais

RESUMO INTRODUÇÃO. 1 Graduando do Curso de Agronomia, UnU Ipameri - UEG. 2 Professor orientador, UnU- Ipameri - UEG

RESUMO INTRODUÇÃO. 1 Graduando do Curso de Agronomia, UnU Ipameri - UEG. 2 Professor orientador, UnU- Ipameri - UEG DENSIDADE DE SEMEADURA DE FEIJÃO-DE-PORCO Canavalia ensiformis. Mário Guilherme de Biagi Cava 1 ; Bruce James Santos 1 ; Vinícius André Pereira 1 ; Paulo César Timossi 2 1 Graduando do Curso de Agronomia,

Leia mais

UNIS MG. Avenida Cel. José Alves, 256 Vila Pinto. 37010-540 Varginha MG.

UNIS MG. Avenida Cel. José Alves, 256 Vila Pinto. 37010-540 Varginha MG. QUEIZOZ RL; BAVUSO NETO P; SILVA EC. Produção orgânica de mudas de alface. 2010. Horticultura Brasileira Produção orgânica de mudas de alface. 28: S2772-S2779. Produção orgânica de mudas de alface. Roberto

Leia mais

ADUBAÇÃO ORGÂNICA E MINERAL NA PRODUTIVIDADE DA CANA- SOCA

ADUBAÇÃO ORGÂNICA E MINERAL NA PRODUTIVIDADE DA CANA- SOCA Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas ADUBAÇÃO ORGÂNICA E MINERAL NA PRODUTIVIDADE DA CANA- SOCA Lucélia Alves Ramos (1) ; Regina Maria Quintão Lana (2) ; Gaspar Henrique Korndörfer (2), Adriane de

Leia mais

TEORES FOLIARES DE N, P E K EM MELANCIA FERTIRRIGADA COM DOSES DE NITROGÊNIO E FÓSFORO

TEORES FOLIARES DE N, P E K EM MELANCIA FERTIRRIGADA COM DOSES DE NITROGÊNIO E FÓSFORO TEORES FOLIARES DE N, P E K EM MELANCIA FERTIRRIGADA COM DOSES DE NITROGÊNIO E FÓSFORO M. S. Souza 1 ; J. F. de Medeiros 2 ; S. W. P. Chaves 2 ; M. V. T. Silva 3 ; O. M. P. Silva 4 ; A. P. F. Santos 4

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO ANEXO I. PROJETO DELONGA DURAÇÃO 1. IDENTIFICAÇÃO 1.1 Título do Projeto:

Leia mais

TEMPERATURA DO AR E ACÚMULO DE MATÉRIA SECA DA ALFACE. Santa Maria, campus Frederico Westphalen, RS Brasil (denise@ufsm.br).

TEMPERATURA DO AR E ACÚMULO DE MATÉRIA SECA DA ALFACE. Santa Maria, campus Frederico Westphalen, RS Brasil (denise@ufsm.br). TEMPERATURA DO AR E ACÚMULO DE MATÉRIA SECA DA ALFACE Braulio Otomar Caron 1, Denise Schmidt 1, Velci Queiróz de Souza 1, Edivânia de Oliveira Santana 1, Lucas Borchartt 2 1 Engenheiro Agrônomo, Doutor,

Leia mais

PRODUTIVIDADE DE MILHO SILAGEM SOB ADUBAÇÃO COM DEJETO LIQUIDO DE BOVINOS E MINERAL COM PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA¹. a2es@cav.udesc.br.

PRODUTIVIDADE DE MILHO SILAGEM SOB ADUBAÇÃO COM DEJETO LIQUIDO DE BOVINOS E MINERAL COM PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA¹. a2es@cav.udesc.br. Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas PRODUTIVIDADE DE MILHO SILAGEM SOB ADUBAÇÃO COM DEJETO LIQUIDO DE BOVINOS E MINERAL COM PARCELAMENTO DA ADUBAÇÃO NITROGENADA¹. Mauricio Vicente Alves², Luiz Armando

Leia mais

CALAGEM, GESSAGEM E AO MANEJO DA ADUBAÇÃO (SAFRAS 2011 E

CALAGEM, GESSAGEM E AO MANEJO DA ADUBAÇÃO (SAFRAS 2011 E RESPOSTA DE MILHO SAFRINHA CONSORCIADO COM Brachiaria ruziziensis À CALAGEM, GESSAGEM E AO MANEJO DA ADUBAÇÃO (SAFRAS 2011 E 2012) Carlos Hissao Kurihara, Bruno Patrício Tsujigushi (2), João Vitor de Souza

Leia mais

CAPÍTULO 3 MATERIAL E MÉTODOS

CAPÍTULO 3 MATERIAL E MÉTODOS CAPÍTULO 3 MATERIAL E MÉTODOS 3. LOCAL DOS EXPERIMENTOS O trabalho foi realizado na Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP - Campinas, SP), em casa de vegetação do Departamento de Fisiologia Vegetal

Leia mais

Efeito da cobertura morta sobre a produção de alface crespa, cultivar Cinderela, em Várzea Grande-MT.

Efeito da cobertura morta sobre a produção de alface crespa, cultivar Cinderela, em Várzea Grande-MT. Efeito da cobertura morta sobre a produção de alface crespa, cultivar Cinderela, em Várzea Grande-MT. Adriana Quixabeira Machado 1 ; Marcelo Eduardo Pasqualotti 1 ; Alessandro Ferronato 1 ; Anderson Luis

Leia mais

Teores de vitamina C, licopeno e potássio em frutos de diferentes genótipos de tomateiro produzidos em ambiente protegido e no campo

Teores de vitamina C, licopeno e potássio em frutos de diferentes genótipos de tomateiro produzidos em ambiente protegido e no campo Teores de vitamina C, licopeno e potássio em frutos de diferentes genótipos de tomateiro produzidos em ambiente protegido e no campo Fabiano Ricardo Brunele Caliman; Derly José Henriques da Silva 1 ; Camilo

Leia mais

ABSTRACT Density of planting system on direct sowing in onions, cultivar Serrana and hybrid Mercedes.

ABSTRACT Density of planting system on direct sowing in onions, cultivar Serrana and hybrid Mercedes. Densidade de plantio na semeadura direta em cebolas, cultivar Serrana e híbrido Mercedes. Lázaro Gonçalves Siqueira 1 ; Tiyoko Nair Hojo Rebouças 2 ; Anselmo Eloy Silveira Viana 2 ; Fernanda Almeida Grisi

Leia mais

Desempenho de sistemas de irrigação na produção ecológica de rabanete utilizando água residuária tratada em ambiente protegido

Desempenho de sistemas de irrigação na produção ecológica de rabanete utilizando água residuária tratada em ambiente protegido Resumos do IX Congresso Brasileiro de Agroecologia Belém/PA 28.09 a 01.10.2015 Desempenho de sistemas de irrigação na produção ecológica de rabanete utilizando água residuária tratada em ambiente protegido

Leia mais

Biologia floral do meloeiro em função de doses de nitrogênio em ambiente protegido.

Biologia floral do meloeiro em função de doses de nitrogênio em ambiente protegido. Biologia floral do meloeiro em função de doses de nitrogênio em ambiente protegido. Roberto Cleiton Fernandes de Queiroga 1 ; Mário Puiatti 1 ; Paulo Cezar Rezende Fontes 1 ; Paulo Roberto Cecon 2 ; Ancélio

Leia mais

FERTILIDADE E MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM DIFERENTES SISTEMAS DE MANEJO DO SOLO

FERTILIDADE E MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM DIFERENTES SISTEMAS DE MANEJO DO SOLO FERTILIDADE E MATÉRIA ORGÂNICA DO SOLO EM DIFERENTES SISTEMAS DE MANEJO DO SOLO Henrique Pereira dos Santos 1, Renato Serena Fontaneli 1, Anderson Santi 1, Ana Maria Vargas 2 e Amauri Colet Verdi 2 1 Pesquisador,

Leia mais

Aclimatização de mudas micropropagadas de violeta africana em diferentes substratos

Aclimatização de mudas micropropagadas de violeta africana em diferentes substratos Aclimatização de mudas micropropagadas de violeta africana em diferentes substratos Cícero Pereira Cordão Terceiro Neto 1 ; Fred Carvalho Bezerra 2 ; Fernando Felipe Ferreyra Hernandez 1 ; José Vagner

Leia mais

V Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí V Jornada Científica 19 a 24 de novembro de 2012

V Semana de Ciência e Tecnologia IFMG - campus Bambuí V Jornada Científica 19 a 24 de novembro de 2012 BIOFERTILIZANTE ORGÂNICO NO CONTROLE DE PRAGAS EM BRÁSSICAS Vinícius Dias de OLIVEIRA 1 ; Luciano Donizete GONÇALVES 2 1 Estudante de Agronomia-Bolsista de Iniciação Científica (PIBIC) FAPEMIG. Instituto

Leia mais

DESENVOLVIMENTO VEGETATIVO DE MUDAS DE CAFEEIRO SOB DOSES DE CAMA DE FRANGO E ESTERCO BOVINO CURTIDO

DESENVOLVIMENTO VEGETATIVO DE MUDAS DE CAFEEIRO SOB DOSES DE CAMA DE FRANGO E ESTERCO BOVINO CURTIDO DESENVOLVIMENTO VEGETATIVO DE MUDAS DE CAFEEIRO SOB DOSES DE CAMA DE FRANGO E ESTERCO BOVINO CURTIDO Cícero José da Silva¹; Benjamim de Melo²; César Antônio da Silva³; Carlos Eduardo Mesquita Pode 4 ;

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 486

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 486 Página 486 COMPONENTES DE PRODUÇÃO DA BRS NORDESTINA CULTIVADA EM DIFERENTES FONTES DE ADUBAÇÃO 1 Josely Dantas Fernandes 1, Lucia Helena Garófalo Chaves 2, José Pires Dantas 3, José Rodrigues Pacífico

Leia mais

13759 - Influência do Ciclo Lunar no Desenvolvimento e Rendimento de Coentro Coriandrum sativum L. Porto Alegre, RS, 2013.

13759 - Influência do Ciclo Lunar no Desenvolvimento e Rendimento de Coentro Coriandrum sativum L. Porto Alegre, RS, 2013. 13759 - Influência do Ciclo Lunar no Desenvolvimento e Rendimento de Coentro Coriandrum sativum L. Porto Alegre, RS, 2013. Influence of the lunar cycle of the moon in the development and yield of coriander

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 888

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 888 Página 888 EFEITOS DE ÁGUAS RESIDUÁRIAS DE INDÚSTRIAS DE CAMPINA GRANDE NA PRODUÇÃO DE FITOMASSA DA MAMONEIRA, CULTIVAR BRS NORDESTINA Josilda de F. Xavier 1 *. Carlos A. V. Azevedo 1*, Napoleão E. M.

Leia mais

FORMAÇÃO DE MUDAS DE ALFACE EM BANDEJAS PREENCHIDAS COM DIFERENTES SUBSTRATOS FORMATION OF LETTUCE SEEDLINGS IN TRAYS FILLED WITH DIFFERENT SUBSTRATES

FORMAÇÃO DE MUDAS DE ALFACE EM BANDEJAS PREENCHIDAS COM DIFERENTES SUBSTRATOS FORMATION OF LETTUCE SEEDLINGS IN TRAYS FILLED WITH DIFFERENT SUBSTRATES Original Article 725 FORMAÇÃO DE MUDAS DE ALFACE EM BANDEJAS PREENCHIDAS COM DIFERENTES SUBSTRATOS FORMATION OF LETTUCE SEEDLINGS IN TRAYS FILLED WITH DIFFERENT SUBSTRATES Ernani Clarete da SILVA 1 ; Roberto

Leia mais

Preparados homeopáticos no controle da pinta preta do tomateiro.

Preparados homeopáticos no controle da pinta preta do tomateiro. Preparados homeopáticos no controle da pinta preta do tomateiro. Palmira R.Righetto Rolim 1 ; Jesus G.Töfoli 1 ; Ricardo J.Domingues 1 ; Fabrício Rossi 2. 1 Instituto Biológico, CP 12.898, 04010-970, São

Leia mais

RESPOSTA DA ALFACE TIPO AMERICANA A DOSES E ÉPOCAS DE APLICAÇÃO FOLIAR DE ZINCO

RESPOSTA DA ALFACE TIPO AMERICANA A DOSES E ÉPOCAS DE APLICAÇÃO FOLIAR DE ZINCO 66 RESPOSTA DA ALFACE TIPO AMERICANA A DOSES E ÉPOCAS DE APLICAÇÃO FOLIAR DE ZINCO GERALDO MILANEZ DE RESENDE Embrapa Semi-Árido, Caixa Postal 23, CEP 56302-970 Petrolina, PE. E-mail: gmilanez@cpatsa.embrapa.br

Leia mais

COMPORTAMENTO DE HÍBRIDOS EXPERIMENTAIS DE MILHO EM CONDIÇÕES DE ESTRESSES DE SECA

COMPORTAMENTO DE HÍBRIDOS EXPERIMENTAIS DE MILHO EM CONDIÇÕES DE ESTRESSES DE SECA COMPORTAMENTO DE HÍBRIDOS EXPERIMENTAIS DE MILHO EM CONDIÇÕES DE ESTRESSES DE SECA Marco Antônio Ferreira Varanda 1 ; Aurélio Vaz de Melo 2 ; Rubens Ribeiro da Silva³ 1 Aluno do Curso de Agronomia; Campus

Leia mais

USO DE REGULADOR DE CRESCIMENTO NO TRATAMENTO DE SEMENTE DO ALGODOEIRO COM DIFERENTES MATERIAIS EM PRIMAVERA DO LESTE- MT

USO DE REGULADOR DE CRESCIMENTO NO TRATAMENTO DE SEMENTE DO ALGODOEIRO COM DIFERENTES MATERIAIS EM PRIMAVERA DO LESTE- MT USO DE REGULADOR DE CRESCIMENTO NO TRATAMENTO DE SEMENTE DO ALGODOEIRO COM DIFERENTES MATERIAIS EM PRIMAVERA DO LESTE- MT Edson R. de Andrade Junior (Pequisador IMAmt edsonjunior@imamt.com.br) Resumo O

Leia mais

PRODUÇÃO DE MAMONEIRA CV BRS 149 NORDESTINA ADUBADA COM NITROGÊNIO, FOSFÓRO E POTÁSSIO

PRODUÇÃO DE MAMONEIRA CV BRS 149 NORDESTINA ADUBADA COM NITROGÊNIO, FOSFÓRO E POTÁSSIO Página 755 PRODUÇÃO DE MAMONEIRA CV BRS 149 NORDESTINA ADUBADA COM NITROGÊNIO, FOSFÓRO E POTÁSSIO Evandro Franklin de Mesquita 1,2, Lúcia Helena Garofálo Chaves 3, Hugo Orlando carvallo Guerra3, Diva Lima

Leia mais

Variação Estacional de Preços de Cebola nos CEASAs de Minas Gerais

Variação Estacional de Preços de Cebola nos CEASAs de Minas Gerais Variação Estacional de Preços de Cebola nos CEASAs de Minas Gerais Pablo Forlan Vargas 1 ; Leila Trevizan Braz 2 ; Juliano Tadeu Vilela de Resende 3 ; André May 2 ; Elaine Maria dos Santos 3. 1 UNESP FCAV

Leia mais

UFV - UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA. Histórico de Pesquisa e Desenvolvimento com Mandioquinha-salsa na Universidade Federal de Viçosa (UFV)

UFV - UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA. Histórico de Pesquisa e Desenvolvimento com Mandioquinha-salsa na Universidade Federal de Viçosa (UFV) Histórico de Pesquisa e Desenvolvimento com Mandioquinha-salsa na Universidade Federal de Viçosa (UFV) Pesquisas com mandioquinha-salsa no Departamento de Fitotecnia da Universidade Federal de Viçosa (DFT/UFV):

Leia mais

PREPARADO HOMEOPÁTICO Sulphur NA GERMINAÇÃO E NO CRESCIMENTO INICIAL DE ALFACE

PREPARADO HOMEOPÁTICO Sulphur NA GERMINAÇÃO E NO CRESCIMENTO INICIAL DE ALFACE V Fórum Regional de Agroecologia e VIII Semana do Meio Ambiente Pensar Globalmente, Agir localmente e utilizar ecologicamente 08 a 10 de novembro de 2012 PREPARADO HOMEOPÁTICO Sulphur NA GERMINAÇÃO E NO

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS COMO SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATEIRO

UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS COMO SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATEIRO UTILIZAÇÃO DE RESÍDUOS AGROINDUSTRIAIS COMO SUBSTRATO NA PRODUÇÃO DE MUDAS DE TOMATEIRO RESUMO ABSTRACT Juliano Tadeu Vilela de Resende 1 Elisabete Domingues Salvador 1 Marcos Ventura Faria 1 Nicolau Mallmann

Leia mais

Controle de oídio em moranga-híbrida.

Controle de oídio em moranga-híbrida. 1 OLIVEIRA, V.R.; GIANASI, L.; MASCARENHAS, M.H.T.; PIRES, N.M.; FILHO, J.A.A.; VIANA, M.C.M.; LARA, J.F.R. Controle de oídio em moranga híbrida. Horticultura Brasileira, v. 20, n.2, julho,2002. Suplemento2.

Leia mais

Características físico-químicas de alho (Allium sativum L.) submetido a diferentes reposições de água no solo.

Características físico-químicas de alho (Allium sativum L.) submetido a diferentes reposições de água no solo. HONÓRIO JP; CIABOTTI S; SANTANA MJ de; COSTA LL; BORGES EJ; CRUZ OC da. 2010. Características Características físico-químicas de alho (Allium sativum L.) submetido a diferentes reposições de água no solo.

Leia mais

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012

XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Desempenho Agronômico de Híbridos de Sorgo Biomassa Gutemberg de Aquiles Pereira 1, Rafael A. da C. Parrella 2, Nádia

Leia mais

Estudo da literatura sobre as metodologias de produção e cultivo da alface

Estudo da literatura sobre as metodologias de produção e cultivo da alface 26 Estudo da literatura sobre as metodologias de produção e cultivo da alface (Literary study on the methods of production and crop of lettuce) Tallita Monya Pereira de Barros 1 ; Wellington Marcelo Queixas

Leia mais

DESENVOLVIMENTO DE MELOEIRO CANTALOUPE ORGÂNICO SOB DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO

DESENVOLVIMENTO DE MELOEIRO CANTALOUPE ORGÂNICO SOB DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO DESENVOLVIMENTO DE MELOEIRO CANTALOUPE ORGÂNICO SOB DIFERENTES LÂMINAS DE IRRIGAÇÃO J. R. G. de Paiva 1 ; L. F. de Figueredo 2 ; T. H. da Silva 3 ; R. Andrade 4 ; J. G. R. dos Santos 4 RESUMO: O manejo

Leia mais

STATUS HÍDRICO DE PROGÊNIES DE CAFÉ COMO INDICADOR DE TOLERÂNCIA À SECA

STATUS HÍDRICO DE PROGÊNIES DE CAFÉ COMO INDICADOR DE TOLERÂNCIA À SECA STATUS HÍDRICO DE PROGÊNIES DE CAFÉ COMO INDICADOR DE TOLERÂNCIA Dalyse Toledo Castanheira Danielle Pereira Baliza Tiago Teruel Rezende Samuel Pereira Carvalho Rubens José Guimarães Helbert Rezende Oliveira

Leia mais

10 AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA

10 AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA 10 AVALIAÇÃO DE CULTIVARES DE SOJA CONVENCIONAL (SOJA LIVRE) EM LUCAS DO RIO VERDE, MT O objetivo deste experimento foi avaliar o potencial produtivo de cultivares de soja convencionais (Soja Livre) em

Leia mais

Efeito da evapotranspiração da cultura do Feijão (IPR Colibri)

Efeito da evapotranspiração da cultura do Feijão (IPR Colibri) Efeito da evapotranspiração da cultura do Feijão (IPR Colibri) Mayara Mariana Garcia 1 ; nna Paola Tonello 2 ; Paulo Sérgio Lourenço de Freitas 3 Roberto Rezende 4 RESUMO: produção agrícola é dependente

Leia mais

DIAGNOSE NUTRICIONAL DE PLANTAS DE SOJA, CULTIVADA EM SOLO COM ADUBAÇÃO RESIDUAL DE DEJETOS DE SUÍNOS, UTILIZANDO O DRIS

DIAGNOSE NUTRICIONAL DE PLANTAS DE SOJA, CULTIVADA EM SOLO COM ADUBAÇÃO RESIDUAL DE DEJETOS DE SUÍNOS, UTILIZANDO O DRIS DIAGNOSE NUTRICIONAL DE PLANTAS DE SOJA, CULTIVADA EM SOLO COM ADUBAÇÃO RESIDUAL DE DEJETOS DE SUÍNOS, UTILIZANDO O DRIS Techio, J.W. 1 ; Castamann, A. 2 ; Caldeira, M.H. 3 ; Zanella, S. 4 ; Escosteguy,

Leia mais

Hortic. bras., v. 30, n. 2, (Suplemento - CD Rom), julho 2012 S 2906

Hortic. bras., v. 30, n. 2, (Suplemento - CD Rom), julho 2012 S 2906 Desempenho de híbridos de pepineiro sob ambiente protegido Hamilton César de O Charlo 1 ; Renata Castoldi 2 ; Danilo M Melo 2 ; Rafaelle F Gomes 2 ; Karoline M Reis 1 ; Leila T Braz 2 1 IFTM - Instituto

Leia mais

Efeito da densidade de plantas no rendimento de bulbos com diferentes cultivares de cebola.

Efeito da densidade de plantas no rendimento de bulbos com diferentes cultivares de cebola. Efeito da densidade de plantas no rendimento de bulbos com diferentes cultivares de cebola. Marie Yamamoto Reghin; Rosana Fernandes Otto; Carlos Felipe Stülp Jacoby; Jean Ricardo Olinik; Rafael Pagano

Leia mais