Propriedades das Soluções

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Propriedades das Soluções"

Transcrição

1 Propriedades das Soluções Prof. Alex Fabiano C. Campos O Processo de Dissolução Uma solução é uma mistura homogênea de soluto(presente em menor quantidade de mols) e solvente(presente em maior quantidade de mols). Os solutos e solvente são componentes da solução. No processo da preparação de soluções com fases condensadas, as forças intermoleculares se tornam reordenadas. 1

2 O Processo de Dissolução Considere o NaCl(soluto) dissolvendo-se em água (solvente): as ligações de hidrogênio da água têm de ser quebradas, o NaClse dissocia em Na + e Cl - (Deve ser vencida a energia reticular) formam-se forças íon-dipolo: Na + δ-oh e Cl - δ+h O. Dizemos que os íons são solvatadospela água. Se água é o solvente, dizemos que os íons são hidratados. A solvatação é mais intensa em íons de menor raio e maior carga.

3 O Processo de Dissolução Energética do Processo de Dissolução Hátrêsfasesdeenergia naformaçãodeumasolução: aseparação dasmoléculasouíonsdosoluto( H 1 ) sempreendotérmica; oafastamentodasmoléculasdosolvente( H ) sempreendotérmica; e aformaçãodasinteraçõessoluto-solvente ( H 3 ) sempreexotérmica. Definimos a variação de entalpia no processo de dissolução como H dissol = H 1 + H + H 3 O H dissol pode tanto ser positivo como negativo, dependendo das forças intermoleculares envolvidas. 3

4 Energética do Processo de Dissolução No caso de compostos iônicos H 1 : separação dos íons ou moléculas do soluto. U reticular q r H : afastamento das moléculas do solvente. No caso da interação íon-dipolo: U íon dipolo q r H 3 : formação das interações entre soluto solvente. Energética do Processo de Dissolução Se ( H1 + H) < H3 Dissolução exotérmica Se ( H1 + H) > H3 Dissolução endotérmica 4

5 Regra da Semelhança SEMELHANTE DISSOLVE SEMELHANTE: POLAR DISSOLVE POLAR APOLAR DISSOLVE APOLAR Se o H dissol é demasiadamente endotérmico, não haverá a formação de uma solução. Exemplos: NaCl em gasolina: as forças íon-dipolo são fracas, uma vez que a gasolina é apolar. Conseqüentemente, as forças íon-dipolo não são compensadas pela separação de íons. Águaemoctano:aáguatemligaçõesdehidrogêniofortes.Nãoháforçasatrativas entreaáguaeooctanoparacompensarasligaçõesdehidrogênio. Fatores que Afetam a Solubilidade 1) Temperatura dissolução endotérmica Solubilidade dissolução exotérmica Temperatura 5

6 Dissolução Sólido-Líquido Dissolução Gás-Líquido Fatores que Afetam a Solubilidade ) Interação Soluto - Solvente 6

7 Fatores que Afetam a Solubilidade 3) Concentração da Solução Solução insaturada contém menos soluto do que o limite de solubilidade. Solução saturada contém soluto na quantidade limite de solubilidade. Solução saturada com corpo de fundo contém mais soluto que o limite de solubilidade, ocasionando a formação de um corpo de fundo (precipitado). Solução supersaturada contém mais soluto que o limite de solubilidade, porém o sistema mantém-se cineticamente homogêneo em condições especiais. Formação do corpo de fundo Supersaturação 7

8 4) Pressão Fatores que Afetam a Solubilidade Asolubilidade deumgásemumlíquido éumafunçãodapressãodogás. Quantomaiorapressão,maispróximasasmoléculasdegásestarãodosolventee maiorachancedamoléculadegásatingirasuperfície eentrarnasolução. Conseqüentemente, quanto maior for a pressão, maior a solubilidade. Quanto menor a pressão, menor a quantidade de moléculas de gás próximas ao solvente e menor a solubilidade. Se S g é a solubilidade de um gás num líquido, k é uma constante e P g é a pressão parcialdeumgásnumlíquido, então,aleidehenry nosfornece: S g = kp g ou P g = Kχ g Concentração das Soluções 1) Concentração Comum ou em g/l (C) m1 C = V ) Concentração em Quantidade de Matéria ou mol/l (M) n M = 1 V ou M = m1 M V 1 3) Título ou Porcentagem em Massa (τ) τ = m1 m m1 = m + m 1 8

9 Concentração das Soluções 4) Concentração em Partes por Milhão (ppm) Partes por milhão (ppm) podem ser expressas como 1 mg de soluto por quilograma de solução(mg/kg). Se a densidade da solução é 1g ml -1, então 1 ppm = 1 mg de soluto por litro de solução(mg/l). 5) Relações Entre Concentrações C = MM1 =1000* dτ Propriedades Coligativas Abaixamento da pressão de vapor (Tonoscopia) Os solutos não voláteis reduzem a habilidade das moléculas da superfície do solvente de escaparem do líquido. Conseqüentemente, a pressão de vapor é reduzida. Ataxaderedução dapressão devapor éproporcionalàquantidade desoluto. 9

10 Propriedades Coligativas Abaixamento da pressão de vapor (Tonoscopia) A Lei de Raoult: Pé a pressão de vapor da solução, P é a pressão de vapor do solvente puro e Χ é a fração molar do solvente: P = Χ P 0 Asoluçãoideal:aquela queobedece àleideraoult. A lei de Raoult falha quando as forças intermoleculares solvente-solvente e soluto-soluto são maiores do que as forças intermoleculares soluto-solvente. No caso de uma solução ideal em que tanto o soluto quanto o solvente são voláteis, a pressão de vapor pode ser obtida pela soma das contribuições da pressãodevapordosolvente(leideraoult)edosoluto(leidehenry). Interpretação Molecular da Lei de Raoult A Lei de Raoult reflete o fato de que a presença do soluto reduz a taxa na qual as moléculas de solvente volatilizam, mas não afeta a taxa de condensação do vapor na solução. Ataxa na qualasmoléculas de solvente deixam a superfície é proporcional à fração molar do solvente: Taxa de vaporização = kχ A taxa na qual as moléculas de condensam é proporcional a sua concentração na fase gasosa, que, por sua vez, é proporcional a sua pressão parcial: Taxa de condensação = k ' P No equilíbrio, as taxas de vaporização e condensação tornam-se iguais: kx k k = Para um líquido puro, X k ' =1 P 0 = k ' = k ' P P X P = Χ P 0 10

11 Propriedades Coligativas Elevação do ponto de ebulição (Ebulioscopia) A ebulição ocorre quando a pressão de vapor do solvente iguala-se ou supera a pressão atmosférica. Quandoda presençadeumsolutonãovolátil,apressãodevapordosolventediminui. Consequentemente, uma temperatura mais alta será necessária para que haja ebulição. Elevação do ponto de ebulição (Ebulioscopia) No caso de soluções ideais, a elevação do ponto de ebulição da solução é diretamente proporcional à molalidade da solução T = ik w e e Molalidade da solução Fator de van t Hoff Constante de ponto de ebulição Exemplo: De quanto aumentará a temperatura de ebulição da água em uma solução aquosa preparada com360gdeglicoseparaumamassatotaliguala1kg.dado:k e =0,51 Ckg/mol 11

12 Propriedades Coligativas Diminuição do ponto de congelamento (Crioscopia). Quando da presença de um soluto não volátil, o processo de congelamento do solvente é dificultado. Consequentemente, uma temperatura mais baixa será necessária para que haja congelamento. Diminuição do ponto de congelamento (Crioscopia). No caso de soluções ideais, a diminuição do ponto de congelamento da solução é diretamente proporcional à molalidade da solução T = ik w c c Molalidade da solução Fator de van t Hoff Constante de ponto de congelamento Exemplo: De quanto diminuirá a temperatura de congelamento da água em uma solução aquosapreparada com58,5gdeglicoseparaumamassatotaliguala1kg. Dado:K c =1,86 Ckg/mol 1

13 Propriedades Coligativas solvente puro Resumo solução soluto não volátil Ocorre diminuição da pressão de vapor Ocorre elevação da temperatura de ebulição Ocorre abaixamento do ponto de congelamento A intensidade dos efeitos coligativos depende somente da concentração do soluto. Osmose Osmose: é o movimento de um solvente a partir de uma concentração baixa de soluto para uma concentração alta de soluto. Pressão osmótica (π): pressão a ser exercida na solução para evitar a osmose. Quanto maior a concentração da solução, maior a pressão osmótica. 13

14 Exemplo de lise celular por osmose 14

Propriedades das Soluções

Propriedades das Soluções Propriedades das Soluções Prof. Alex Fabiano C. Campos O Processo de Dissolução Uma solução é uma mistura homogênea de soluto(presente em menor quantidade de mols) e solvente(presente em maior quantidade

Leia mais

Propriedades das soluções

Propriedades das soluções Propriedades das soluções O processo de dissolução O soluto e o solvente são componentes da solução. Uma solução é uma mistura homogênea de soluto (presente em menor quantidade) e solvente (presente em

Leia mais

O processo de dissolução

O processo de dissolução SOLUBILIDADE Sabemos que um soluto altera as propriedades do solvente. Solução sólida: silício dopado com fósforo eletrônica. indústria Sal sobre o gelo abaixa o ponto e congelamento se a temperatura é

Leia mais

Propriedades Coligativas

Propriedades Coligativas Propriedades Coligativas Propriedades Coligativas São propriedades que se somam pela presença de um ou mais solutos e dependem única e exclusivamente do número de partículas (moléculas ou íons) que estão

Leia mais

Introdução. Uma mistura éconstituída por duas ou mais substâncias puras, sejam simples ou compostas MISTURA

Introdução. Uma mistura éconstituída por duas ou mais substâncias puras, sejam simples ou compostas MISTURA SOLUÇÕES Introdução MISTURA MISTURA HETEROGÊNEA Uma mistura éconstituída por duas ou mais substâncias puras, sejam simples ou compostas A mistura seráheterogênea quando apresentar duas ou mais fases perceptíveis.

Leia mais

Prática 08 Determinação da Massa Molar da Ureia via Ebuliometria

Prática 08 Determinação da Massa Molar da Ureia via Ebuliometria UNIVERSIDADE DO ESTADO DE SANTA CATARINA CENTRO DE CIÊNCIAS TECNOLÓGICAS CCT DEPARTAMENTO DE QUÍMICA DQMC Disciplina: Química Geral Experimental QEX0002 Prática 08 Determinação da Massa Molar da Ureia

Leia mais

Propriedades Coligativas. Tecnologia de Alimentos Prof a. Msc. Fernanda Caspers Zimmer

Propriedades Coligativas. Tecnologia de Alimentos Prof a. Msc. Fernanda Caspers Zimmer Propriedades Coligativas Tecnologia de Alimentos Prof a. Msc. Fernanda Caspers Zimmer Propriedades Coligativas: São mudanças que ocorrem no comportamento de um líquido. Quando comparamos, em análise química,

Leia mais

CQ110 : Princípios de FQ

CQ110 : Princípios de FQ CQ 110 Princípios de Físico Química Curso: Farmácia 1º semestre de 2011 Quartas / Quintas: 9:30 11:30 Prof. Dr. Marcio Vidotti www.quimica.ufpr.br/mvidotti mvidotti@ufpr.br criação de modelos CQ110 : Princípios

Leia mais

5ª LISTA - EXERCÍCIOS DE PROVAS Lei de Raoult

5ª LISTA - EXERCÍCIOS DE PROVAS Lei de Raoult Pg. 1/6 1 a Questão Metanol, CH 4 O, e etanol, C 2 H 6 O, são dois álcoois voláteis a 25 C. Ambos podem ser usados como solvente ou combustível e muitas vezes a mistura dos dois é empregada em processos

Leia mais

4- Lista de exercícios

4- Lista de exercícios 4- Lista de exercícios 1) Qual o princípio químico por trás da expressão semelhante dissolve semelhante? Um bom solvente consegue interagir com o soluto e vencer as interações entre soluto-soluto. Podemos

Leia mais

SOLUÇÕES - SOLUÇÃO IDEAL E AS PROPRIEDADES COLIGATIVAS

SOLUÇÕES - SOLUÇÃO IDEAL E AS PROPRIEDADES COLIGATIVAS ESCOLA DE ENGENHARIA DE LORENA EEL/USP TERMODINÂMICA QUÍMICA PROF. ANTONIO CARLOS DA SILVA SOLUÇÕES - SOLUÇÃO IDEAL E AS PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1. TIPOS DE SOLUÇÕES Solução é uma mistura homogênea de

Leia mais

Equilíbrio de Precipitação

Equilíbrio de Precipitação Capítulo 4 Equilíbrio de Precipitação Prof a Alessandra Smaniotto QMC 5325 - Química Analítica Curso de Graduação em Farmácia Turmas 02102A e 02102B Introdução Os equilíbrios ácido -base são exemplos de

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS DAS SOLUÇõES

PROPRIEDADES COLIGATIVAS DAS SOLUÇõES PROPRIEDADES COLIGATIVAS DAS SOLUÇõES Propriedades coligativas são propriedades de uma solução que dependem exclusivamente do número de partículas do soluto dissolvido e não da sua natureza. Cada uma dessas

Leia mais

Obs: Usamos a expressão soluto não volátil quando o ponto de ebulição do soluto for superior ao do solvente.

Obs: Usamos a expressão soluto não volátil quando o ponto de ebulição do soluto for superior ao do solvente. Fala gás nobre! Vamos lá para mais um resumo de química e essa semana vamos falar sobre propriedades coligativas. Este conteúdo é bastante importante, pois facilita a compreensão de fenômenos químicos

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS. Prof. Sidnei

PROPRIEDADES COLIGATIVAS. Prof. Sidnei PROPRIEDADES COLIGATIVAS PROPRIEDADES COLIGATIVAS Um efeito coligativo é uma modificação em certas propriedades de um solvente quando nele adicionados um soluto não-volátil, a qual depende do número de

Leia mais

Profº André Montillo

Profº André Montillo Profº André Montillo www.montillo.com.br Definição: É uma Mistura Homogênia de 2 ou mais substâncias. Na Solução não ocorre uma reação química, porque não há formação de novas substâncias e não há alterações

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA II

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA II INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA II ESTRUTURA DA MATÉRIA O termo matéria refere-se a todos os materiais

Leia mais

CAPÍTULO 1 Quantidades e Unidades 1. CAPÍTULO 2 Massa Atômica e Molecular; Massa Molar 16. CAPÍTULO 3 O Cálculo de Fórmulas e de Composições 26

CAPÍTULO 1 Quantidades e Unidades 1. CAPÍTULO 2 Massa Atômica e Molecular; Massa Molar 16. CAPÍTULO 3 O Cálculo de Fórmulas e de Composições 26 Sumário CAPÍTULO 1 Quantidades e Unidades 1 Introdução 1 Os sistemas de medida 1 O Sistema Internacional de Unidades (SI) 1 A temperatura 2 Outras escalas de temperatura 3 O uso e o mau uso das unidades

Leia mais

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 03/12/05

P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 03/12/05 P4 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 03//05 Nome: GABARITO Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão a,5 a,5 3 a,5 4 a,5 Total 0,0 Constantes e equações: R = 0,08 atm L mol - K - = 8,34 J

Leia mais

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 09/04/11

P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 09/04/11 P1 - PROVA DE QUÍMICA GERAL 09/04/11 Nome: Nº de Matrícula: GABARITO Turma: Assinatura: Questão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Dados R = 0,0821 atm L mol -1 K -1 T (K) =

Leia mais

Apostila de Química 21 Soluções

Apostila de Química 21 Soluções Apostila de Química 21 Soluções 1.0 Definições Suspensões: Partículas muito grandes (maiores que 1000 nm). Opacas. Sedimentam-se rapidamente. Separáveis por filtro. Colóides: Partículas grandes (entre

Leia mais

AS SOLUÇÕES. Soluções, colóides e suspensões. disperso), se distribui de maneira uniforme ao longo

AS SOLUÇÕES. Soluções, colóides e suspensões. disperso), se distribui de maneira uniforme ao longo AS SOLUÇÕES Solução é um tipo mistura chamada de dispersão na qual uma substância, sob forma de pequenas partículas ( disperso), se distribui de maneira uniforme ao longo de toda a extensão de uma outra

Leia mais

T.D. de Química 28/03/2015. Prof. Victor Henrique

T.D. de Química 28/03/2015. Prof. Victor Henrique T.D. de Química 28/03/2015 Prof. Victor Henrique 01) Qual é a molalidade de uma solução que contém 34,2 g de sacarose, C 12 H 22 O 11, dissolvidos em 200 g de água? Dados: C = 12; H = 1; O = 16 a) 0,1

Leia mais

Figura 1: Potencial químico de um solvente na presença de um soluto.

Figura 1: Potencial químico de um solvente na presença de um soluto. Propriedades Coligativas 1. Introdução Algumas propriedades do solvente mudam quando um soluto é dissolvido nele para formar uma solução. O ponto de congelamento da água salgada, por exemplo, é menor que

Leia mais

Campus Dois Vizinhos QUÍMICA ANALÍTICA. Profa. Dra. RENATA PAULA HERRERA BRANDELERO

Campus Dois Vizinhos QUÍMICA ANALÍTICA. Profa. Dra. RENATA PAULA HERRERA BRANDELERO Campus Dois Vizinhos QUÍMICA ANALÍTICA Profa. Dra. RENATA PAULA HERRERA BRANDELERO Campus Dois Vizinhos QUÍMICA ANALÍTICA E OUTRAS CIÊNCIAS ANÁLISE DE SOLOS ANÁLISES FITOTÉCNICAS PÓS-COLHEITA PROCESSAMENTO

Leia mais

10/02/2014. O Processo de Dissolução. Solução: é uma mistura homogênea de soluto e solvente. Solvente: Componente cujo estado físico é preservado.

10/02/2014. O Processo de Dissolução. Solução: é uma mistura homogênea de soluto e solvente. Solvente: Componente cujo estado físico é preservado. Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri Bacharelado em Ciência e Tecnologia Diamantina - MG Solução: é uma mistura homogênea de soluto e solvente. Solvente: Componente cujo estado físico

Leia mais

Química C Extensivo V. 2

Química C Extensivo V. 2 Química C Extensivo V. 2 Exercícios 01) Alternativa correta: A Agente emulsificador ou emulsificante é uma substância que pode estabilizar uma emulsão e que em geral provoca a redução da tensão interfacial

Leia mais

QUÍMICA FRENTE II FICHA 11 PROPRIEDADES COLIGATIVAS

QUÍMICA FRENTE II FICHA 11 PROPRIEDADES COLIGATIVAS Propriedades Coligativas São aquelas propriedades das substâncias puras que são modificadas quando se adiciona um soluto não volátil a elas. Essas propriedades, portanto, não são explicadas pela natureza

Leia mais

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA EXPERIMENTAL

INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA EXPERIMENTAL INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE IFRN CAMPUS MOSSORÓ PROFESSOR: ALBINO DISCIPLINA: QUÍMICA EXPERIMENTAL ESTRUTURA DA MATÉRIA O termo matéria refere-se a todos os

Leia mais

Por que desaparecem as poças de água depois de um certo tempo? Como se explica que a roupa molhada seca quando pendurada?

Por que desaparecem as poças de água depois de um certo tempo? Como se explica que a roupa molhada seca quando pendurada? Por que desaparecem as poças de água depois de um certo tempo? Como se explica que a roupa molhada seca quando pendurada? 1 Por que é que essa evaporação ocorre se a água somente ferve a 100ºC? O que aconteceu?

Leia mais

Aula de Bioquímica I. Tema: Água. Prof. Dr. Júlio César Borges

Aula de Bioquímica I. Tema: Água. Prof. Dr. Júlio César Borges Aula de Bioquímica I Tema: Água Prof. Dr. Júlio César Borges Depto. de Química e Física Molecular DQFM Instituto de Química de São Carlos IQSC Universidade de São Paulo USP E-mail: borgesjc@iqsc.usp.br

Leia mais

Dependendo do diâmetro (Ø) das partículas que constituem o disperso, as dispersões podem ser:

Dependendo do diâmetro (Ø) das partículas que constituem o disperso, as dispersões podem ser: Soluções Químicas A mistura de dois ou mais materiais podem ser uma perfeita dissolução denominada mistura homogênea ou uma separação total das partes constituintes do sistema a qual chamamos mistura heterogênea.

Leia mais

Forças intermoleculares

Forças intermoleculares Forças intermoleculares Ligação de hidrogênio Forças intermoleculares Ligação de hidrogênio Forças intermoleculares Ligação de hidrogênio As ligações de hidrogênio são responsáveis pela: Flutuação do gelo

Leia mais

Estudo Físico-Químico dos Gases

Estudo Físico-Químico dos Gases Estudo Físico-Químico dos Gases Prof. Alex Fabiano C. Campos Fases de Agregação da Matéria Sublimação (sólido em gás ou gás em sólido) Gás Evaporação (líquido em gás) Condensação (gás em líquido) Sólido

Leia mais

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 09/05/08

P2 - PROVA DE QUÍMICA GERAL - 09/05/08 2 - ROVA DE QUÍMICA GERAL - 09/05/08 Nome: GABARITO Nº de Matrícula: Turma: Assinatura: Quão Valor Grau Revisão 1 a 2,5 2 a 2,5 3 a 2,5 4 a 2,5 Total 10,0 Constantes: R 8,314 J mol -1 K -1 0,0821 atm L

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS

PROPRIEDADES COLIGATIVAS Química 2ª série EM Apostila 2 página 1 PROPRIEDADES COLIGATIVAS Os solventes puros apresentam propriedades específicas que os identificam. A água pura, por exemplo, congela a 0ºC e ferve a 100ºC ao nível

Leia mais

Critérios de Classificação Específicos da Ficha de Avaliação Sumativa

Critérios de Classificação Específicos da Ficha de Avaliação Sumativa Critérios de Classificação Específicos da Ficha de Avaliação Sumativa Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos DISCIPLINA: Física e Química Módulo: Q 05/0 0 ºAno de

Leia mais

Q U Í M I C A Material nº 16

Q U Í M I C A Material nº 16 PROPRIEDADES COLIGATIVAS DAS SOLUÇÕES 01) (PUC MG) O gráfico abaixo apresenta a variação das pressões de vapor do sulfeto de carbono, metanol, etanol e água em função da temperatura. 04) (ITA SP) Considere

Leia mais

LIGAÇÕES INTERMOLECULARES

LIGAÇÕES INTERMOLECULARES Chama-se ligações intermoleculares, ou forças intermoleculares, a forças atrativas entre moléculas ou átomos sem que haja partilha significativa de eletrões. As ligações intermoleculares devem-se a forças

Leia mais

PROPRIEDADES COLIGATIVAS. 2 ano

PROPRIEDADES COLIGATIVAS. 2 ano PROPRIEDADES COLIGATIVAS 2 ano São mudanças que ocorrem no comportamento de um líquido. Quando comparamos, em análise química, um líquido puro e uma solução desse líquido como solvente, a presença de soluto

Leia mais

INTERAÇÕES INTERMOLECULARES

INTERAÇÕES INTERMOLECULARES INTERAÇÕES INTERMOLECULARES Serão abordados: as forças íon-dipolo, dipolo-dipolo, dispersão de London e ligação de hidrogênio e a relação entre propriedade física e interação intermolecular. As partículas

Leia mais

Química 2º Ano. Professora Cristina Lorenski Ferreira

Química 2º Ano. Professora Cristina Lorenski Ferreira Química 2º Ano Professora Cristina Lorenski Ferreira 2016 1 GEOMETRIA MOLECULAR POLARIDADE DAS MOLÉCULAS INTERAÇÕES INTERMOLECULARES PROFESSORA CRISTINA LORENSKI FERREIRA 2 ALGUNS QUESTIONAMENTOS Como

Leia mais

Curso Preparatório para o Ingresso no Ensino Superior (Pré-Vestibular)

Curso Preparatório para o Ingresso no Ensino Superior (Pré-Vestibular) Curso Preparatório para o Ingresso no Ensino Superior (Pré-Vestibular) Os conteúdos conceituais de Química estão distribuídos em 5 frentes. Química Extensivo A)Meio ambiente; estrutura atômica; Classificação

Leia mais

Número atômico de A = número atômico de B = 18

Número atômico de A = número atômico de B = 18 61 e QUÍMICA O elemento químico B possui 20 nêutrons, é isótopo do elemento químico A, que possui 18 prótons, e isóbaro do elemento químico C, que tem 16 nêutrons Com base nessas informações, pode-se afirmar

Leia mais

CIAS LIO TÂNC CIAN. Prof. Msc João Neto 2

CIAS LIO TÂNC CIAN. Prof. Msc João Neto 2 Prof. Msc João Neto 2 DIFERENC CIAN DO SUBS TÂNC CIAS DE MISTURA AS COM AUXÍL LIO DAS CURVAS DE AQ QUEC CIME ENTO Prof. Msc João Neto 3 1 L 0,4 mol 0,1L x x 0, 04mol 0,0404 mol 100mL solução / L 900mL

Leia mais

Gabarito Química Volume 1

Gabarito Química Volume 1 Gabarito Química Volume 1 Química 1 Capítulo 1 01. D 05. A 06. C 07. A 08. C 09. E 10. C 11. E 12. D 13. D 14. C 15. D 16. A 17. A 19. A 21. B 23. C 24. D 25. B 26. D 27. A 28. C 29. D 30. E 31. C 33.

Leia mais

Resolução de Química UFRGS / 2012

Resolução de Química UFRGS / 2012 26. Resposta C Resolução de Química UFRGS / 2012 Água super-resfriada é água líquida em temperatura abaixo do seu ponto de congelamento. Geralmente ocorre num resfriamento lento e sem agitação onde qualquer

Leia mais

MUDANÇA DE ESTADO ROMPIMENTO DE FORÇAS INTERMOLECULARES

MUDANÇA DE ESTADO ROMPIMENTO DE FORÇAS INTERMOLECULARES MUDANÇA DE ESTADO ROMPIMENTO DE FORÇAS INTERMOLECULARES DEFORMAÇÃO DA NUVEM ELETRÔNICA EFEITO COLISÃO = CHOQUE ///// EFEITO INDUÇÃO = VARIAÇÃO ELÉTRICA DIPOLO INDUZIDO FORÇAS DE LONDON ///// DIPOLO INSTANTÂNEO

Leia mais

Disciplina: Química A

Disciplina: Química A Disciplina: Química A EXTENSIVO E TERCEIRÃO PÁGINA: 6 EXERCÍCIO: 28.01 O álcool apresenta interações por ligações de hidrogênio, enquanto o hidrocarboneto interage por forças de dipolo induzido, dessa

Leia mais

AULA ESPECÍFICA. Prof. Rodrigo Becker Cordeiro

AULA ESPECÍFICA. Prof. Rodrigo Becker Cordeiro AULA ESPECÍFICA Prof. Rodrigo Becker Cordeiro Química 2ª fase UFPR Apogeu Aula 03 Assuntos abordados Propriedades coligativas Teorias ácido-base Propriedades dos compostos orgânicos Pilhas (ACAFE-SC) O

Leia mais

Concentração de soluções e diluição

Concentração de soluções e diluição Concentração de soluções e diluição 1. Introdução Uma solução é uma dispersão homogênea de duas ou mais espécies de substâncias moleculares ou iônicas. É um tipo especial de mistura, em que as partículas

Leia mais

FCAV/UNESP. ASSUNTO: Forças Intermoleculares. Prof a. Dr a. Luciana Maria Saran

FCAV/UNESP. ASSUNTO: Forças Intermoleculares. Prof a. Dr a. Luciana Maria Saran FCAV/UNESP ASSUNTO: Forças Intermoleculares Prof a. Dr a. Luciana Maria Saran 1 2 FLUXOGRAMA PARA RECONHECER OS PRINCIPAIS TIPOS DE FORÇAS INTERMOLECULARES 3 ENERGIA TÍPICA REQUERIDA PARA O ROMPIMENTO

Leia mais

O gráfico abaixo representa a pressão de vapor, em atm, em função da temperatura, em ºC, de três amostras, I, II e III.

O gráfico abaixo representa a pressão de vapor, em atm, em função da temperatura, em ºC, de três amostras, I, II e III. Educador: Cristina Disciplina:Química Data: _/ /2011 Estudante: 3ª Série Questão 1 O gráfico abaixo representa a pressão de vapor, em atm, em função da temperatura, em ºC, de três amostras, I, II e III.

Leia mais

Química Fascículo 02 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida

Química Fascículo 02 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Química Fascículo 02 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Índice Ligação Covalente...1 Ligação Iônica...3 Teoria de Lewis...5 Ligações Intermoleculares...6 Exercícios...7

Leia mais

Equilíbrio de solubilidade

Equilíbrio de solubilidade Equilíbrio de solubilidade Solubilidade É a quantidade máxima de soluto que se pode dissolver numa certa quantidade de solvente, a uma dada temperatura e pressão. Solubilidade se sais em água: Regra geral

Leia mais

Com base nesses dados, calcule: a) Concentração em g/l. b) Título em massa.

Com base nesses dados, calcule: a) Concentração em g/l. b) Título em massa. ALUNO(a): Nº: SÉRIE: ª TURMA: UNIDADE: VV JC JP PC DATA: / /06 Obs.: Esta lista deve ser entregue apenas ao professor no dia da aula de Recuperação Valor: 5,0. Uma solução contendo 4 g de cloreto de sódio

Leia mais

Soluções. Prof a. Jennifer

Soluções. Prof a. Jennifer Soluções Prof a. Jennifer Conceito Qualitativo Uma solução é formada por dois componentes, denominados dispersante (ou solvente) e o componente disperso (ou soluto). Sólidos em líquidos Líquidos em líquidos

Leia mais

Química Fascículo 06 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida

Química Fascículo 06 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Química Fascículo 06 Elisabeth Pontes Araújo Elizabeth Loureiro Zink José Ricardo Lemes de Almeida Índice Soluções...1 Exercícios... 5 Gabarito...7 Soluções Unidades de Concentração Concentração é determinada

Leia mais

Mestrado Integrado em Bioengenharia Capítulo 8 Equilíbrio Físico

Mestrado Integrado em Bioengenharia Capítulo 8 Equilíbrio Físico Mestrado Integrado em Bioengenharia Capítulo 8 Equilíbrio Físico 2013/2014 Lúcia Santos DEQ/FEUP Fases e transições de Fases Equilíbrio físico - estado no qual duas ou mais fases de uma substância coexistem

Leia mais

LIGAÇÕES QUÍMICAS INTERMOLECULARES

LIGAÇÕES QUÍMICAS INTERMOLECULARES LIGAÇÕES QUÍMICAS INTERMOLECULARES Ligações Químicas INTRAmoleculares INTERmoleculares Tipo de Ligação Química INTERMOLECULAR INTRAMOLECULAR Magnitude Comparativamente FRACA FORTE Polaridade em Ligações

Leia mais

Sumário. 1 Introdução: matéria e medidas 1. 2 Átomos, moléculas e íons Estequiometria: cálculos com fórmulas e equações químicas 67

Sumário. 1 Introdução: matéria e medidas 1. 2 Átomos, moléculas e íons Estequiometria: cálculos com fórmulas e equações químicas 67 Prefácio 1 Introdução: matéria e medidas 1 1.1 O estudo da química 1 1.2 Classificações da matéria 3 1.3 Propriedades da matéria 8 1.4 Unidades de medida 12 1.5 Incerteza na medida 18 1.6 Análise dimensional

Leia mais

COLÉGIO CRISTO REI Lugar de Fé, Amor e Conhecimento.

COLÉGIO CRISTO REI Lugar de Fé, Amor e Conhecimento. amor é essa maravilhosa oportunidade de outro nos amar quando já não nos podemos amar a nós próprios. (Jean Ghéheno) LÉGI RIST REI Lugar de Fé, Amor e onhecimento. Título: Efeitos (propriedades) coligativas

Leia mais

Estudo Físico-Químico dos Gases

Estudo Físico-Químico dos Gases Estudo Físico-Químico dos Gases Prof. Alex Fabiano C. Campos Gás e Vapor Diagrama de Fase Gás Vapor Gás: fluido elástico que não pode ser condensado apenas por aumento de pressão, pois requer ainda um

Leia mais

Propriedades Físicas de Compostos Orgânicos

Propriedades Físicas de Compostos Orgânicos Os principais fatores que influenciam nas propriedades físicas dos compostos orgânicos são: O tamanho das moléculas; Os tipos de interação intermolecular. Temperatura de Ebulição e Fusão Quanto mais fortes

Leia mais

Profº André Montillo

Profº André Montillo Profº André Montillo www.montillo.com.br Dispersão Definição: É colocar uma substância dentro de outra substância, onde a primeira substância se caracteriza por ser uma partícula, ou seja, a substância

Leia mais

UFSC. Química (Amarela) , temos 10 mol de Mg, ou seja, 243 g de Mg. Resposta: = 98. Comentário

UFSC. Química (Amarela) , temos 10 mol de Mg, ou seja, 243 g de Mg. Resposta: = 98. Comentário Resposta: 02 + 32 + 64 = 98 01. Incorreta. carbonato de magnésio é um sal insolúvel em H 2, logo não dissocia-se em Mg 2+ e (aq) C2. 3(aq) 02. Correta. 12 Mg 2+ = 1s 2 2s 2 2p 6 K L 04. Incorreta. É um

Leia mais

Química. divulgação. Comparativos curriculares. Material de. A coleção Ser Protagonista Química e o currículo do Estado do Rio Grande do Sul

Química. divulgação. Comparativos curriculares. Material de. A coleção Ser Protagonista Química e o currículo do Estado do Rio Grande do Sul Comparativos curriculares SM Química Ensino médio Material de divulgação de Edições SM A coleção Ser Protagonista Química e o currículo do Estado do Rio Grande do Sul Apresentação Professor, Devido à

Leia mais

Departamento de Física e Química Química Básica Rodrigo Vieira Rodrigues. Constante produto solubilidade

Departamento de Física e Química Química Básica Rodrigo Vieira Rodrigues. Constante produto solubilidade Departamento de Física e Química Química Básica Rodrigo Vieira Rodrigues Constante produto solubilidade Equilíbrio de Solubilidade Considerando uma solução saturada de cloreto de prata, AgCl. Se continuarmos

Leia mais

Aula: 03 Temática: Componentes Inorgânicos das Células Parte I

Aula: 03 Temática: Componentes Inorgânicos das Células Parte I Aula: 03 Temática: Componentes Inorgânicos das Células Parte I As substâncias inorgânicas existem na natureza, independentemente dos seres vivos, mas algumas delas podem ser encontradas nas células. Acompanhe!

Leia mais

Energia, calor, entalpia e variação de entalpia.

Energia, calor, entalpia e variação de entalpia. Combustíveis Energia e Ambiente De onde vem a energia dos combustíveis? Energia, calor, entalpia e variação de entalpia. Sistema; Universo; Sistema Aberto, Fechado e Isolado; Estado final e Inicial; Energia

Leia mais

Soluções Químicas são misturas homogêneas de duas ou mais substâncias, onde o solvente aparece em maior quantidade e o soluto em menor quantidade. O estado de agregação do solvente é que determina o estado

Leia mais

Conhecimento. Senso comum Religioso Filosófico Cientifico. Química. A matéria. propriedades. gerais funcionais específicas

Conhecimento. Senso comum Religioso Filosófico Cientifico. Química. A matéria. propriedades. gerais funcionais específicas Conhecimento Senso comum Religioso Filosófico Cientifico Química A matéria propriedades gerais funcionais específicas físicas químicas organolépticas Estados de agregação da matéria Estado sólido Forma

Leia mais

III.1 Classificação das Misturas: Soluções e Dispersões.

III.1 Classificação das Misturas: Soluções e Dispersões. III SOLUÇÕES III.1 Classificação das Misturas: Soluções e Dispersões. Frequentemente as substâncias químicas (elementos e compostos) encontram-se misturadas umas às outras. O sangue, a água do mar, o solo

Leia mais

Química Orgânica I. Formas de representação de moléculas orgânicas e interações intermoleculares Aula 3

Química Orgânica I. Formas de representação de moléculas orgânicas e interações intermoleculares Aula 3 Química rgânica I Formas de representação de moléculas orgânicas e interações intermoleculares Aula 3 Profa. Alceni Augusta Werle ProfaTânia Márcia Sacramento Melo 2- Formas de representação de moléculas

Leia mais

Química Prof. Marcelo

Química Prof. Marcelo Química Prof. Marcelo PROPRIEDADES COLIGATIVAS 1 Pressão de vapor 2 Pressão de vapor e mudança de estado 3- Tonoscopia 4- Crioscopia 5- Ebulioscopia 6 - Osmose e pressão osmótica PROPRIEDADES COLIGATIVAS

Leia mais

Química 2ª série Ensino Médio v. 1

Química 2ª série Ensino Médio v. 1 Química 2ª série Ensino Médio v. 1 Exercícios 01) Em uma solução saturada, a quantidade de soluto dissolvida é máxima em relação ao Coeficiente de Solubilidade (Cs), ou seja, tem-se 140 g de soluto dissolvidos

Leia mais

29/2/2008. Interações intermoleculares

29/2/2008. Interações intermoleculares Química 2 ano Forças Intermoleculares Décio Helena Fev/08 O tipo de interação existente entre as moléculas e/ou íons definem algumas propriedades importantes das substâncias, como o estado físico, temperaturas

Leia mais

Propriedades Físicas das Soluções

Propriedades Físicas das Soluções Propriedades Físicas das Soluções Solução (def): é uma mistura homogénea de duas ou mais substâncias. Solvente: componente da solução do mesmo estado físico, por exemplo água numa solução aquosa Soluto:

Leia mais

SOLUÇÕES MAIS DE UM COMPONENTE VOLÁTIL A SOLUÇÃO DILUÍDA IDEAL

SOLUÇÕES MAIS DE UM COMPONENTE VOLÁTIL A SOLUÇÃO DILUÍDA IDEAL ESCOLA DE ENGENHARIA DE LORENA EEL/USP TERMODINÂMICA QUÍMICA PROF. ANTONIO CARLOS DA SILVA SOLUÇÕES MAIS DE UM COMPONENTE VOLÁTIL A SOLUÇÃO DILUÍDA IDEAL 1. CARACTERÍSTICAS GERAIS DA SOLUÇÃO IDEAL Para

Leia mais

Propriedades Coligativas Aula 3

Propriedades Coligativas Aula 3 Propriedades Coligativas Aula 3 Um efeito coligativo é uma modificação em certas propriedades de um solvente quando nele adicionados um soluto não-volátil, o qual só depende do número de partículas (moléculas

Leia mais

DIAGRAMA DE FASES. 4) (ITA) Considere as seguintes afirmações relativas aos sistemas descritos a seguir, sob

DIAGRAMA DE FASES. 4) (ITA) Considere as seguintes afirmações relativas aos sistemas descritos a seguir, sob DIAGRAMA DE FASES 1) O gráfico abaixo apresenta a variação das pressões de vapor do sulfeto de carbono, metanol, etanol e água em função da temperatura. De acordo com o gráfico, assinale a afirmativa INCORRETA.

Leia mais

conhecida como molaridade é redefinida como concentração em quantidade de matéria. A quantidade de matéria do soluto (nsoluto anteriormente chamada nu

conhecida como molaridade é redefinida como concentração em quantidade de matéria. A quantidade de matéria do soluto (nsoluto anteriormente chamada nu SEGURANÇA E TÉCNICA DE LABORATÓRIO AULA 03: CONCENTRAÇÃO DE SOLUÇÕES TÓPICO 02: UNIDADES DE CONCENTRAÇÃO Uma solução é uma mistura homogênea de duas ou mais substancias. Uma destas substâncias é chamada

Leia mais

Solubilidade, estequiometria, misturas e gases

Solubilidade, estequiometria, misturas e gases Solubilidade, estequiometria, misturas e gases 1) O cientista italiano Amedeo Avogadro, na tentativa de compreender relações de volumes nas reações dos gases, propôs uma hipótese, estabelecendo que (CNTP

Leia mais

Estrutura Molecular, Ligações Químicas e Propriedades dos Compostos Orgânicos

Estrutura Molecular, Ligações Químicas e Propriedades dos Compostos Orgânicos Universidade Federal de Campina Grande Centro de Ciências e Tecnologia Agroalimentar Profa. Roberlucia A. Candeia Disciplina: Química Orgânica Estrutura Molecular, Ligações Químicas e Propriedades dos

Leia mais

Mudanças de fase. Temperatura e pressão críticas Os gases são liquefeitos sob o aumento da pressão a uma temperatura.

Mudanças de fase. Temperatura e pressão críticas Os gases são liquefeitos sob o aumento da pressão a uma temperatura. Mudanças de fase Sublimação: sólido gás. Vaporização: líquido gás. Derretimento ou fusão: sólido líquido. Deposição: gás sólido. Condensação: gás líquido. Congelamento: líquido sólido. Mudanças de fase

Leia mais

Professor: Rodrigo Rocha Monteiro

Professor: Rodrigo Rocha Monteiro Professor: Rodrigo Rocha Monteiro Pressão Máxima de Vapor Definição Vamos imaginar um cilindro munido de um êmbolo totalmente apoiado em um líquido puro contido no seu interior. Se elevarmos o êmbolo,

Leia mais

Exercícios de Equilíbrio Químico

Exercícios de Equilíbrio Químico Exercícios de Equilíbrio Químico 1. Para a produção de energia, os mamíferos oxidam compostos de carbono nos tecidos, produzindo dióxido de carbono gasoso, CO (g), como principal subproduto. O principal

Leia mais

FCAV/UNESP. ASSUNTO: Forças Intermoleculares e Propriedades Físicas de Compostos Orgânicos. Prof a. Dr a. Luciana Maria Saran

FCAV/UNESP. ASSUNTO: Forças Intermoleculares e Propriedades Físicas de Compostos Orgânicos. Prof a. Dr a. Luciana Maria Saran FCAV/UNESP ASSUNTO: Forças Intermoleculares e Propriedades Físicas de Compostos Orgânicos Prof a. Dr a. Luciana Maria Saran 1 FORÇAS INTERMOLECULARES Fonte: BARBOSA, 2004. 2 FORÇAS INTERMOLECULARES 1.

Leia mais

Classificação das Soluções Aquosas e Coeficiente de Solubilidade

Classificação das Soluções Aquosas e Coeficiente de Solubilidade Classificação das Soluções Aquosas e Coeficiente de Solubilidade 1. (UERJ) O gráfico a seguir, que mostra a variação da solubilidade do dicromato de potássio na água em função da temperatura, foi apresentado

Leia mais

Vestibular UFRGS Resolução da Prova de Química

Vestibular UFRGS Resolução da Prova de Química Vestibular UFRGS 2016 Resolução da Prova de Química 26. Alternativa (B) O método de separação utilizadoem 1 é a dissolução fracionada, a cafeína é dissolvida pelo acetato de etila e os outros componentes,

Leia mais

Diagramas de Fase. Objetivos:

Diagramas de Fase. Objetivos: 1 Diagramas de Fase Objetivos: Interpretar diagramas de fases de substâncias puras Deslocamento da fronteira entre as fases Interpretar diagramas de fases de compostos Diagramas de misturas líquidas Diagramas

Leia mais

Destilação Fracionada e Misturas Azeotrópicas

Destilação Fracionada e Misturas Azeotrópicas 1. Introdução Destilação Fracionada e Misturas Azeotrópicas O ponto de ebulição normal de uma mistura binária líquida é a temperatura na qual a pressão de vapor total da mistura é igual a 1 atm. Ou seja,

Leia mais

Aula 14 Equilíbrio de Fases: Substâncias Puras

Aula 14 Equilíbrio de Fases: Substâncias Puras Aula 14 Equilíbrio de Fases: Substâncias Puras 1. A condição de estabilidade Inicialmente precisamos estabelecer a importância da energia de Gibbs molar na discussão das transições de fase. A energia de

Leia mais

Densidade (g/cm 3 ) 0,90 0,91 0,94 0,96 1,04 1,08 1,22 1,30. O esquema de separação desses materiais é:

Densidade (g/cm 3 ) 0,90 0,91 0,94 0,96 1,04 1,08 1,22 1,30. O esquema de separação desses materiais é: 8 QUÍMIA Na reciclagem de plásticos, uma das primeiras etapas é a separação dos diferentes tipos de materiais. Essa separação pode ser feita colocando-se a mistura de plásticos em líquidos de densidades

Leia mais

DISCIPLINA DE QUÍMICA

DISCIPLINA DE QUÍMICA DISCIPLINA DE QUÍMICA OBJETIVOS: 1ª série Traduzir linguagens químicas em linguagens discursivas e linguagem discursiva em outras linguagens usadas em Química tais como gráficos, tabelas e relações matemáticas,

Leia mais

Química Básica: Átomo. Profa. Alessandra Barone

Química Básica: Átomo. Profa. Alessandra Barone Química Básica: Átomo Profa. Alessandra Barone www.profbio.com.br Átomo Fermions: formam a matéria Bósons: intermedeiam forças Quarks e leptons - Glúon e fóton Partículas Quark up Quark down Quark charmoso

Leia mais

ATIVIDADE IÔNICA Introdução

ATIVIDADE IÔNICA Introdução ATIVIDADE IÔNICA 1 1- Introdução Concentração, de uma maneira geral, expressa a relação entre a quantidade de um componente de interesse e a quantidade total do material onde o mesmo ocorre. Em se tratando

Leia mais

Características e os efeitos das propriedades coligativas

Características e os efeitos das propriedades coligativas Características e os efeitos das propriedades coligativas O estudo das propriedades coligativas é um dos conteúdos mais importantes a serem estudados, pois facilita a compreensão de fenômenos químicos

Leia mais

Aula sobre Soluções Aula 01 (ENEM) Profº.: Wesley de Paula

Aula sobre Soluções Aula 01 (ENEM) Profº.: Wesley de Paula Aula sobre Soluções Aula 01 (ENEM) Profº.: Wesley de Paula Propriedades das Soluções Classificação das Misturas: Soluções e Dispersões Classificação das soluções O Processo de Dissolução em soluções Relações

Leia mais

Interações intermoleculares e sua influência nas propriedades das substâncias

Interações intermoleculares e sua influência nas propriedades das substâncias Interações intermoleculares e sua influência nas propriedades das substâncias Forças intermoleculares Forças intermoleculares são forças de coesão entre as moléculas São muito mais fracas do que as ligações

Leia mais