LATINOS RESIDENTES NOS EUA. Centro de Comunicação e Letras Universidade Presbiteriana Mackenzie Rua Piauí, São Paulo SP

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LATINOS RESIDENTES NOS EUA. Centro de Comunicação e Letras Universidade Presbiteriana Mackenzie Rua Piauí, 143 01241-001 São Paulo SP"

Transcrição

1 SPANGLISH, O FILME: A INFLUÊNCIA DA CULTURA AMERICANA SOBRE OS LATINOS RESIDENTES NOS EUA. ANDRÉ DE MELIM RISSI Centro de Comunicação e Letras Universidade Presbiteriana Mackenzie Rua Piauí, São Paulo SP RESUMO O presente trabalho estuda a influência da cultura norte-americana nos latinos residentes nos Estados Unidos, mostrando que a identidade de uma nação e de um indivíduo está em constante processo de mudanças, sendo prova disso a inserção de palavras em Espanhol na Língua Inglesa (Spanglish). Para tal, utiliza-se do filme Spanglish, de James L. Brooks, como ponto de análise. Este filme retrata as dificuldades que os latinos encontram nos Estados Unidos e as diferenças entre as culturas americana e mexicana. Palavras-chave: Americanidade, Hibridismo Cultural, Identidade, Pós- Modernidade. ABSTRACT The following paper studies the influence of the North American culture in the Latins residents in The United States of America, showing that the identity of a nation and of na individual is in constant process of changes, as it can be seen in the insertion of Spanish in the English language (Spanglish). In order to achieve such purpose, it makes use of the movie Spanglish, by James L. Brooks, as basis for analysis. This movie shows

2 the difficulties faced by Latin people in the USA and the differences between the American and Mexican cultures. Key-words: Americaness, Cultural Hybridism, Identity, Postmodernism.

3 TEORIA Este trabalho tem como tema a análise da influência americana nos latinos residentes nos Estados Unidos com base no filme Spanglish (2004), de James L. Brooks. Abordar a influência da cultura americana nos latinos residentes nos Estados Unidos pressupõe o fato desse país ser a superpotência mundial, que exerce poder esmagador perante todas as nações do mundo. Trata-se do país mais internacionalizado e consagrado mundialmente, e segundo o artigo O mito da discriminação ao imigrante nos EUA de Anselmo Heidrich (2004), o país com a maior taxa de migração líquida do planeta. Estudando a história, observa-se um mito sobre Os Estados Unidos da América, que se propagou e ainda permanece; trata-se do mito da oportunidade. Esse mito baseia-se na ascensão desejada por aqueles que se mudam para os Estados Unidos. De qualquer forma, essa idéia é uma ilusão compartilhada até hoje por milhões de pessoas no mundo. Assim como qualquer outro país, esta superpotência mundial tem sua identidade diretamente relacionada com a concepção de sociedade moderna. A diferença entre as sociedades tradicionais e as modernas é que as modernas estão em mudança constante, rápida e permanente, sendo resultado do processo de globalização. A modernidade não pode ser definida somente como a experiência de convivência com a mudança rápida, abrangente e contínua, mas é uma forma altamente reflexiva da vida, na qual as relações sociais absorvem informações e modificam seu próprio caráter. A identidade é formada ao longo do tempo através de processos inconscientes, pois não é inato. Ela está sempre em formação, sendo então incompleta. Assim como não existe plenitude de identidade, não existe plenitude de língua, pois ela está em mutação. A língua não pode somente produzir significados com base em um posicionamento interior do indivíduo, pois a língua é um sistema social e não individual. Desta forma, constata-se que os hispânicos residentes nos Estados Unidos produzem novas posições de identificação, uma vez que absorvem a cultura norte americana e adicionam informações na sociedade norteamericana. Trata-se de uma troca que estabelece novas identidades e evidencia as mudanças permanentes e a não existência de estruturas estáveis culturais nos Estados Unidos, o que remete ao conceito de sociedade moderna citada anteriormente. Essa troca evidencia da concepção de americanidade como uma identidade abrangente, em que não existem as fronteiras das identidades nacionais, étnicas e de gênero. Esse novo conceito de americanidade está diretamente ligado ao fenômeno da transculturação, que envolve as zonas de contato, as passagens, as superposições e os entrecruzamentos que ocorrem nos processos de automatização e de maturação das culturas no contexto das três Américas.

4 O processo de transculturação citado acima é muito rico, pois abrange uma dimensão política, em que ocorre a travessia de uma só cultura, ao mesmo tempo em que sua superação. Bernd (2003) evidencia a importância de processos transculturais no contexto das Américas e os insere no processo de hibridação cultural: o sujeito da transculturação situa-se entre (pelo menos) dois mundos, duas culturas, duas línguas e duas definições de subjetividade, absorvendo informações e sentindo-se pertencente à ambas as culturas. Essa é a situação na qual se encontra os latinos residentes nos Estados Unidos, pois possuem seu país de origem, e o país para o qual migraram buscando novas oportunidades e melhores condições de vida. Sendo assim, a transculturação acaba com qualquer binarismo cultural existente, onde há dois pólos raciais / culturais distintos e de certo modo rivais, encarando o processo cultural como suscetível de constantes mesclas e aberto ao reaproveitamento e à reciclagem de vestígios culturais de origens diversas. A característica mais importante da sociedade americana moderna é o hibridismo cultural, resultado das imigrações vindas de inúmeros países de todo o mundo para os Estados Unidos. Atualmente, não se pode falar em imigrações para a superpotência mundial sem mencionar os latinos, uma vez que eles representam a maioria dos imigrantes residentes neste país.

5 ANÁLISE DO FILME SPANGLISH Trata-se de uma comédia lançada em 2004 e dirigida por James L. Brooks, que retrata a imigração de mexicanos para os Estados Unidos e como eles vivem nesse ambiente, diferente daquele de onde vieram. As diferenças entre a cultura americana e a latina também são exploradas no filme, evidenciando as negociações identitárias que ocorrem devido a presença de ambas as culturas em um mesmo país. As personagens do filme são: Flor, uma jovem mexicana abandonada pelo marido, que atravessa a fronteira buscando melhor formação para sua filha; Cristina, filha de Flor; John Clasky, um homem sensível, pai de família e chefe de cozinha renomado; Deborah, esposa de Clasky, uma mulher dedicada ao trabalho e muito imediatista, que Clasky não consegue ao menos se comunicar; Bernie, filha de Clasky e Deborah, uma adolescente que possui uma difícil relação com sua mãe e que ao mesmo tempo se identifica com seu pai; e Evelyn, mãe de Deborah, uma senhora alcóolica que tenta salvar o casamento de sua filha. Flor vive com sua filha Cristina no México, e após ser abandonada pelo marido, ela sentiu a necessidade de proteger ainda mais a sua filha, mas a protegeu tanto que começou a isolá-la do mundo. Em pouco tempo, percebeu que essa não era a melhor forma de criar Cristina. Nesse momento, Flor decidiu que seria melhor para a sua filha que fossem tentar a vida nos Estados Unidos. Ao contrário de Cristina, Flor deixa transparecer resistência à cultura americana, o que representa a resistência dos latinos nessa superpotência mundial, que tentam de todas as formas impor seu idioma, hábitos e crenças, como uma forma de não negarem sua origem, sua identidade, processo que aponta os hispânicos como o único grupo que resiste à integração quanto ao idioma inglês, pois impõem seus costumes e sua língua ao espaço hegemônico. Sendo assim, Cristina não teria problemas para atravessar a fronteira cultural, e juntamente com sua mãe que pensava no melhor para a sua filha, foram trabalhar para os americanos. Na situação na qual Flor se encontrava, essa fronteira cultural estava diretamente relacionada com a obra de Bernd, em que é mencionado o fato de que migrantes de qualquer país, com destino a qualquer país, encontram muitas dificuldades para conseguirem adaptar-se a nova terra, o que se deve a razões diversas. Flor e Cristina saíram da colônia latina onde moravam, e a prima de Flor a levou para uma entrevista em uma casa de uma família americana, com o intuito de intermediar o diálogo entre os americanos nativos e Flor, que não falava inglês. Mesmo com todas as dificuldades encontradas durante a entrevista, Flor consegue o emprego de empregada doméstica. Nessa cena da entrevista, dois aspectos chamam muito a atenção do telespectador. O primeiro é que o emprego que Flor estava tentando

6 conseguir era o de empregada doméstica, e em nenhum momento do filme ela se mostrou interessada em outros tipos de empregos nos Estados Unidos, fato que evidencia que a princípio, os latinos nos Estados Unidos estão restritos a esse tipo de empregos, empregos secundários. Não há muitas opções para os hispânicos, a não ser trabalhos exploradores com baixa remuneração. O segundo aspecto é o choque cultural que os latinos encontram nos Estados Unidos. Flor, que não sabia o idioma e nem os costumes e hábitos dos americanos, se sentia totalmente perdida naquele ambiente, sem saber o que falar ou como reagir na entrevista. Só conseguiu o emprego graças a sua prima que intermediou o diálogo. Quem a entrevistou foi Deborah, que morava naquela casa com seu marido John Clasky, chefe de cozinha, com sua filha Bernie, com a qual não tinha uma boa relação, e com sua mãe, empenhada em lutar pelo bem estar da casa. Desde essa entrevista, Flor percebeu que mesmo sendo fiel às suas origens, teria que se submeter a uma cultura da qual ela teria evitado absorver até então. Era uma necessidade, questão de sobrevivência. Tratase da definição de modernidade proposta por Hall, que não pode ser definida somente como a experiência de convivência com a mudança rápida, abrangente e contínua, mas é uma forma altamente reflexiva da vida, na qual as relações sociais absorvem informações e modificam seu próprio caráter. Flor absorveria informações, mas nem por isso precisaria negar sua origem, e foi o que ela fez. No decorrer do filme, Flor começa a falar algumas palavras em inglês, e até sua maneira de se comportar começa a mudar, evidencias da absorção da cultura americana e do novo idioma por parte de Flor. Essa mudança é reflexo da globalização, que Hall também menciona em sua obra. Uma das conseqüências da globalização é a nova identidade do indivíduo, no filme representada pela nova identidade de Flor. A mexicana só não teria que se preocupar muito com sua filha Cristina, pois como cresceu nos Estados Unidos, já se habituou aos novos costumes e a língua inglesa. Quem narra a história é Cristina, que no meio do filme relata que Flor estava perdendo a luta contra os americanos, uma vez que estava se envolvendo com a família de Clasky, fato que significa a perda da luta pela defesa da própria cultura, pois absorvia cada vez mais a cultura americana. Na cena em que Bernie ganha de sua mãe uma roupa que não lhe cai bem, pois fica muito justa, Flor observa outro aspecto da cultura americana que difere da sua. Deborah diz para a filha que se ela emagrecesse a roupa lhe cairia bem, e Bernie chora deprimida. Nesse momento, Flor começa a enxergar que poderia ajudar Bernie de alguma forma, e inconscientemente começa também a notar como a troca de informações entre duas culturas é rica, assim como foi citado por Hall e Bernd em suas obras. Trata-se do conceito de negociações identitárias, em que existe a troca e não a imposição de uma cultura sobre a outra.

7 Flor sentiu que deveria fazer algo para elevar a auto-estima de Bernie, e lhe dá uma nova roupa, utilizando algumas expressões em inglês que Cristina lhe ensinara anteriormente. A roupa era de número menor em comparação com aquelas que Bernie usava freqüentemente, mas não tão justa quanto a que Deborah comprou. Esse diálogo entre culturas evidencia as idéias concluídas na parte teórica do trabalho baseadas na obra de Hall, em que os hispânicos residentes nos Estados Unidos produzem novas posições de identificação uma vez que além de absorverem a cultura americana também adicionam informações na cultura americana. E Deborah por sua vez se identificou muito com Cristina, dando-lhe o amor que a sua relação com Bernie não permitia que ela oferecesse para a própria filha. Cristina aceitava tudo passivamente, se deixando levar pela vida mais luxuosa oferecida pela família. Evidenciam-se neste momento os prós da hibridação cultural e da transculturação, processos abordados por Hall e Bernd, em que indivíduos de ambas as culturas absorvem informações obtidas através de trocas, intercâmbios, perdas e ganhos nas passagens de uma cultura para a outra, gerando novos produtos culturais. Cristina foi levada por Deborah para tingir o cabelo sem avisar Flor, fato que deixou a mãe de Cristina furiosa. A menina estava totalmente deslumbrada com a cultura americana e com a nova vida que levava. Na história, há uma ponte entre ambas as famílias. Bernie se identifica com Flor, tratando-a como uma segunda mãe até, e Cristina se identifica com Deborah da mesma maneira. Clasky, em alguns momentos do filme, deixa transparecer seu fascínio por Flor, que transparecia reconhecer as virtudes e qualidades dele, sendo que Deborah não reconhecia suas qualidades e não demonstrava tanto afeto pelo marido. E Flor, mesmo evitando sentir o que sente, também compartilha do mesmo sentimento, uma vez que vê em Clasky um homem que entende suas dificuldades e também virtudes. Esses acontecimentos evidenciam mais uma vez como a transculturação e a negociação identitária podem ser benéficas. Tudo isso remete a idéia proposta por Hall em sua obra: uma cultura nacional é um discurso um modo de construir sentidos que influencia e organiza nossas ações quanto a concepção que temos de nós mesmos. (HALL,2003, p.50). Ao mesmo tempo em que ambas as famílias assumem novas identidades, a própria diferença entre elas e a aparente resistência de Flor e Deborah em reação a negociação identitária dificulta qualquer troca de informações, criando assim o clímax do filme e tornando a questão cultural ainda uma barreira entre as famílias em questão. Flor se encontrava envolvida em uma complicada situação, pois via sua própria filha absorvendo novos valores e cultura e deixando aparentemente de lado sua própria origem, dando mais atenção inclusive a Deborah que a própria mãe. Flor também aparentava não aceitar o fato de estar absorvendo valores da cultura americana, e tudo isso a fez entrar em uma crise de identidade.

8 Até o momento, Flor não enxergava que sua identidade estava mudando, uma vez que toda identidade cultural está em constante mudança. Ela ainda não percebia que absorver informações de uma cultura não anula sua cultura de origem. Por essa razão, se encontrava nessa crise de identidade, uma vez que seu conceito de identidade estava calcado no sujeito do Iluminismo. Trata-se da concepção de identidade que considera o indivíduo como centrado e unificado, tendo seu interior imutável, sem transformações, idêntico durante toda sua existência. A partir do momento em que o indivíduo assumir sua concepção de identidade como a do sujeito pós-moderno, ele não terá mais crises de identidade. Trata-se da concepção que assume que o indivíduo está em constante mudança de acordo com suas experiências e sua bagagem cultural, levando em consideração que ele está inserido em uma sociedade e que absorve informações dela, ao mesmo tempo em que acrescenta informações na mesma e se vê como integrante dela. Cada vez mais, Flor se via na necessidade de estudar a Língua Inglesa com afinco, uma vez que todos os diálogos que tinha com a família de Bernie eram intermediados por Cristina. Comprou materiais didáticos, incluindo vídeos e fitas, para que pudesse aprender o idioma. Trata-se do processo de aculturação que, segundo Bernd, baseia-se na assimilação da cultura do grupo social no qual o indivíduo está inserido. A Cristina da história é muito diferente da Cristina da narração. Na história, Cristina só enxergava seu ponto de vista e não parava para pensar no que estava acontecendo. Trata-se da inocência de uma préadolescente em um momento de descobertas. A escola de elite onde Cristina iria estudar tinha sido visitada anteriormente por Cristina e Deborah, mas Flor resistia a idéia, pois tinha muito medo de que a filha se sentisse excluída e diferente dos outros alunos, ou pior, de que a filha ficasse igual aos demais. Flor teme que a filha seja americanizada ou sofra a americanização, termos definidos por Bernd em sua obra. Americanizado refere-se à semelhança com os americanos dos Estados Unidos e americanização é o desejo de tornar-se semelhante aos cidadãos que vivem nos EUA, por admiração ao seu modo de vida. Na realidade, Flor sabia que Cristina era americanizada, até mesmo por ter crescido nesse país, e sabia também que ela desejava se sentir cada vez mais parecida com os americanos nativos. Flor decide que não irá mais trabalhar para eles. Flor informa o fato a Cristina, que chora incontrolavelmente e após se despedir de todos, briga com sua mãe fora da casa de Clasky. Flor fica cada vez mais angustiada com a resistência da filha em não sair da realidade que vivia anteriormente e com a negação de sua própria origem, e após os gritos de Cristina em público como reação a atitude da mãe, Flor tenta se aproximar da filha no ponto de ônibus, e Cristina diz: Cristina - Não, agora preciso de espaço. Flor Não há espaço entre nós... o que você quer é se tornar alguém tão diferente de mim!

9 Após esse diálogo Cristina fica em silêncio, e pela primeira vez na história a Cristina personagem começa a entender sua mãe e sua decisão radical. É a partir desse momento que ela analisa tudo o que aconteceu com elas e olha para os acontecimentos de uma maneira mais adulta, o que gerou um amadurecimento posterior que a permitiu narrar a história de maneira esclarecedora e realista. Essa análise gerou uma narração que compõe um sistema de significação: a ficção. Essa ficção é uma representação de uma realidade, que Hutcheon associa com a própria história uma vez que ela também depende de convenções de narrativa, linguagem e ideologia. No final do filme, Cristina narra: Ser aceita, mesmo que me faça feliz, não irá me definir. Minha identidade se apóia firme e alegremente sobre um fato: Sou a filha da minha mãe. Flor e Cristina tornaram-se mais amigas, e Cristina entendeu que mesmo tendo sua identidade em constante mudança (conceito estabelecido por Hall) e naquele momento bem diferente daquela identidade que possuía no início da história, ela sempre seria filha de Flor. De certa forma, trata-se da consciência de sua própria origem, de sua cultura de base. Mais uma vez evidencia-se a noção de sujeito pós-moderno proposto por Hall como a solução para qualquer indivíduo integrante de uma sociedade não sofrer crise de identidade. Finalizando esta análise, conclui-se que o filme Spanglish é a representação de uma cultura, e pode ser considerado um registro histórico em sua atribuição de sentido, definição baseada na obra de Hutcheon. Trata-se da análise de um filme que possui várias personagens, todas individuais, condicionadas culturalmente e familiarmente, mostrando desta forma a representação de um contexto cultural em uma ficção.

10 BIBLIOGRAFIA BERND, Zilá. Americanidade e transferências culturais. Porto Alegre: Movimento, HALL, Stuard. A identidade cultural na pós-modernidade. 10 ed. Rio de Janeiro: DP&A editora, HEIDRICH, Anselmo. O mito da discriminação aos imigrantes nos E.U.A, Disponível em <http://www.midiasemmascara.com.br/artigo.php?sid=3002>. Acesso em 13 fev HIGH, Peter B. An Outline of American Literature. London: Longman Group UK Limited, HUTCHEON, Linda. Poética do pós-modernismo: história, teoria, ficção. Riode Janeiro:Imago,1991. NASH, Rose. Language Contact in Puerto Rico, Disponível em <http://pt.wikipedia.org/wiki/spanglish>. Acesso em 12 ago PRIETO, Maria Ángeles. A realidade do Espanhol nos Estados Unidos: um desafio único, Disponível em <http://www.ccaps.net/newsletter/11-04/art_1pt.htm>. Acesso em 08 set SPANGLISH. James L. Brooks. Los Angeles: Columbia Pictures, DVD (131 min.): DVD, son., color. Legendado. Port. TORRES, Sonia. Nosostros in USA. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE. Apresentação de trabalhos acadêmicos: guia para alunos da Universidade Presbiteriana Mackenzie. 2 ed. São Paulo: Mackenzie, 2003.

11

A PRESENÇA INDÍGENA NA CONSTITUIÇÃO DA IDENTIDADE BRASILEIRA Renata Baum Ortiz 1

A PRESENÇA INDÍGENA NA CONSTITUIÇÃO DA IDENTIDADE BRASILEIRA Renata Baum Ortiz 1 157 A PRESENÇA INDÍGENA NA CONSTITUIÇÃO DA IDENTIDADE BRASILEIRA Renata Baum Ortiz 1 Somos a continuação de um fio que nasceu há muito tempo atrás... Vindo de outros lugares... Iniciado por outras pessoas...

Leia mais

Imperialismo dos EUA na América latina

Imperialismo dos EUA na América latina Imperialismo dos EUA na América latina 1) Histórico EUA: A. As treze colônias, colonizadas efetivamente a partir do século XVII, ficaram independentes em 1776 formando um só país. B. Foram fatores a emancipação

Leia mais

UMA POÉTICA DOS ESPELHOS: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE OS CONTOS O ESPELHO, DE MACHADO DE ASSIS E GUIMARÃES ROSA

UMA POÉTICA DOS ESPELHOS: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE OS CONTOS O ESPELHO, DE MACHADO DE ASSIS E GUIMARÃES ROSA UMA POÉTICA DOS ESPELHOS: UM ESTUDO COMPARATIVO ENTRE OS CONTOS O ESPELHO, DE MACHADO DE ASSIS E GUIMARÃES ROSA Glenda Duarte 1 glenda_idilios@hotmail.com O principal objetivo deste ensaio é a realização

Leia mais

HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com

HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com HERÓIS SEM ROSTOS - A Saga do Imigrante para os EUA Autor: Dirma Fontanezzi - dirma28@hotmail.com TRECHO: A VOLTA POR CIMA Após me formar aos vinte e seis anos de idade em engenharia civil, e já com uma

Leia mais

A SEGUNDA GERAÇÃO DE EMIGRANTES BRASILEIROS: PROBLEMAS E PERSPECTIVAS.

A SEGUNDA GERAÇÃO DE EMIGRANTES BRASILEIROS: PROBLEMAS E PERSPECTIVAS. Anpuh Rio de Janeiro Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro APERJ Praia de Botafogo, 480 2º andar - Rio de Janeiro RJ CEP 22250-040 Tel.: (21) 9317-5380 A SEGUNDA GERAÇÃO DE EMIGRANTES BRASILEIROS:

Leia mais

Mariana Bassoi Duarte da Silva¹ Maria Virginia Filomena Cremasco² Migração e Refúgio, contribuições da Psicologia

Mariana Bassoi Duarte da Silva¹ Maria Virginia Filomena Cremasco² Migração e Refúgio, contribuições da Psicologia Mariana Bassoi Duarte da Silva¹ Maria Virginia Filomena Cremasco² Migração e Refúgio, contribuições da Psicologia Movimento e migração são as condições de definição histórica da humanidade. Porém, o mundo

Leia mais

Nível Médio Prova 1: Compreensão leitora e língua em uso

Nível Médio Prova 1: Compreensão leitora e língua em uso TEXTO 1 Leia o texto abaixo e nas alternativas de múltipla escolha, assinale a opção correta. INTERCÂMBIO BOA VIAGEM 1 01 02 03 04 05 06 07 08 09 10 11 12 13 14 15 16 17 18 Cursos de intercâmbio são uma

Leia mais

OS PADRÕES NORMATIVOS DE GÊNERO E SEXUALIDADE: UMA ANÁLISE A PARTIR DO FILME A BELA E A FERA

OS PADRÕES NORMATIVOS DE GÊNERO E SEXUALIDADE: UMA ANÁLISE A PARTIR DO FILME A BELA E A FERA OS PADRÕES NORMATIVOS DE GÊNERO E SEXUALIDADE: UMA ANÁLISE A PARTIR DO FILME A BELA E A FERA Geane Apolinário Oliveira UEPB Geane-cg@hotmail.com Introdução O presente artigo tem por objetivo enfatizar

Leia mais

existe um tsunami avançando sobre as nossas famílias

existe um tsunami avançando sobre as nossas famílias existe um tsunami avançando sobre as nossas famílias + 23% + 108% (em 20 anos a taxa é superior a 200%) 15% das mulheres e 65% dos homens brasileiros já tiveram ao menos uma experiência sexual fora do

Leia mais

5 DICAS PARA REINVENTAR O SEU. e a si mesma!

5 DICAS PARA REINVENTAR O SEU. e a si mesma! 5 DICAS PARA REINVENTAR O SEU GUARDA-ROUPA e a si mesma! E S T I L O É A SUA ALMA V I S T A P E L O lado de fora. I N T R O D U Ç Ã O Qual é a mulher nesse mundo QUE NUNCA RECLAMOU EM FRENTE AO ESPELHO

Leia mais

CAPÍTULO 11 CAMINHOS ABERTOS PELA SOCIOLOGIA. Em cena: A realidade do sonho

CAPÍTULO 11 CAMINHOS ABERTOS PELA SOCIOLOGIA. Em cena: A realidade do sonho CAPÍTULO 11 CAMINHOS ABERTOS PELA SOCIOLOGIA Em cena: A realidade do sonho Uma mapa imaginário ( página 123) A sociologia foi uma criação da sociedade urbana. Com a advento da industrialização as grandes

Leia mais

1º ano. 1º Bimestre. 2º Bimestre. 3º Bimestre. Capítulo 26: Todos os itens O campo da Sociologia. Capítulo 26: Item 5 Senso Crítico e senso comum.

1º ano. 1º Bimestre. 2º Bimestre. 3º Bimestre. Capítulo 26: Todos os itens O campo da Sociologia. Capítulo 26: Item 5 Senso Crítico e senso comum. 1º ano A Filosofia e suas origens na Grécia Clássica: mito e logos, o pensamento filosófico -Quais as rupturas e continuidades entre mito e Filosofia? -Há algum tipo de raciocínio no mito? -Os mitos ainda

Leia mais

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES Introdução ao tema A importância da mitologia grega para a civilização ocidental é tão grande que, mesmo depois de séculos, ela continua presente no nosso imaginário. Muitas

Leia mais

HOMOAFETIVIDADE FEMININA NO BRASIL: REFLEXÕES INTERDISCIPLINARES ENTRE O DIREITO E A LITERATURA

HOMOAFETIVIDADE FEMININA NO BRASIL: REFLEXÕES INTERDISCIPLINARES ENTRE O DIREITO E A LITERATURA HOMOAFETIVIDADE FEMININA NO BRASIL: REFLEXÕES INTERDISCIPLINARES ENTRE O DIREITO E A LITERATURA Juliana Fabbron Marin Marin 1 Ana Maria Dietrich 2 Resumo: As transformações no cenário social que ocorreram

Leia mais

ROTEIRO: O LUGAR ONDE EU VIVO

ROTEIRO: O LUGAR ONDE EU VIVO ROTEIRO: O LUGAR ONDE EU VIVO Ideia: Produção realizada a partir de um fato marcante e em algumas situações ocorre a mesclagem entre narrações e demonstrações de cenas. Personagens: A filha da doméstica

Leia mais

MOTIVAÇÃO E DESMOTIVAÇÃO NO APRENDIZADO DE LÍNGUAS

MOTIVAÇÃO E DESMOTIVAÇÃO NO APRENDIZADO DE LÍNGUAS MOTIVAÇÃO E DESMOTIVAÇÃO NO APRENDIZADO DE LÍNGUAS Prof. Dr. Richard Schütz www.sk.com.br Referência: SCHÜTZ, Ricardo. "Motivação e Desmotivação no Aprendizado de Línguas" English Made in Brazil .

Leia mais

SOCIEDADE E DIREITO EM REVISTA

SOCIEDADE E DIREITO EM REVISTA CINE LEGAL - APRENDENDO COM FILMES O TERMINAL Heloisa Helena de Almeida Portugal 1 Esperar às vezes é sinal de sabedoria, de escolher o momento, de se preparar; esperar, porém, pode ser muleta para fazer

Leia mais

Filme : Quase Deuses Noiriel Ignácio Santos Leal

Filme : Quase Deuses Noiriel Ignácio Santos Leal Filme : Quase Deuses Noiriel Ignácio Santos Leal METODOLOGIA DA PESQUISA CIENTÍFICA MODALIDADE EAD CURSOS DE GRADUAÇÃO Pró-Reitoria de Ensino ORGANIZADORAS: Aparecida Cristina Cardoso Cristina Herold Constantino

Leia mais

Proposta Curricular do Estado de São Paulo para a Disciplina de Sociologia

Proposta Curricular do Estado de São Paulo para a Disciplina de Sociologia Proposta Curricular do Estado de São Paulo para a Disciplina de Ensino Médio Elaborar uma proposta curricular para implica considerar as concepções anteriores que orientaram, em diferentes momentos, os

Leia mais

2 Público não é político. É o espaço coletivo, do cidadão.

2 Público não é político. É o espaço coletivo, do cidadão. A MÚSICA NA SOCIALIZAÇÃO DAS MENINAS DE SINHÁ GIL, Thais Nogueira UFMG thaisgil@terra.com.br GT: Movimentos Sociais e Educação / n.03 Agência Financiadora: CAPES O que acontece quando os sujeitos excluídos

Leia mais

TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS

TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS Sétimo Fórum Nacional de Professores de Jornalismo Praia dos Ingleses, SC, abril de 2004 GT: Laboratório de Jornalismo Eletrônico Trabalho: TELEJORNALISMO E ESTUDOS CULTURAIS Autora: Célia Maria Ladeira

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA

CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA CENTRO UNIVERSITÁRIO DE CARATINGA RELAÇÃO DE RESUMOS DE MONOGRAFIAS E ARTIGOS DE PÓS- GRADUAÇÃO Lato sensu Curso: Língua Inglesa/2005 Nome Aluno(a) Título Monografia/Artigo Orientador/Banca Annelise Lima

Leia mais

ANÁLISE DE ALGUNS EXERCÍCIOS DE COMPREENSÃO AUDITIVA DA COLEÇÃO AMERICAN HEADWAY NA PERSPECTIVA DA SOCIOLINGUÍSTICA

ANÁLISE DE ALGUNS EXERCÍCIOS DE COMPREENSÃO AUDITIVA DA COLEÇÃO AMERICAN HEADWAY NA PERSPECTIVA DA SOCIOLINGUÍSTICA ANÁLISE DE ALGUNS EXERCÍCIOS DE COMPREENSÃO AUDITIVA DA COLEÇÃO AMERICAN HEADWAY NA PERSPECTIVA DA Cristiane Toffanello Mestranda UniRitter/Laureate International Universities Cristoffi@hotmail.com SOCIOLINGUÍSTICA

Leia mais

11 Outubro Dia Internacional da Rapariga

11 Outubro Dia Internacional da Rapariga 11 Outubro Dia Internacional da Rapariga As meninas enfrentam discriminação, violência e abuso todos os dias, em todo o mundo. Esta realidade alarmante justifica o Dia Internacional das Meninas, uma nova

Leia mais

A presença dos japoneses no Piauí. Anderson Michel de Sousa Miura Áurea da Paz Pinheiro

A presença dos japoneses no Piauí. Anderson Michel de Sousa Miura Áurea da Paz Pinheiro 1 A presença dos japoneses no Piauí Anderson Michel de Sousa Miura Áurea da Paz Pinheiro O tema deste artigo é a migração japonesa no Piauí, com destaque para as sobrevivências e rupturas na contemporaneidade

Leia mais

4 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de História e Geografia Nome:

4 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de História e Geografia Nome: 4 o ano Ensino Fundamental Data: / / Revisão de História e Geografia Nome: Querida criança, Além desta revisão, estude, em seu Material Didático, os conteúdos do Volume III. Leia este texto: ASA BRANCA

Leia mais

readquire a alegria de viver. O incrível universo do jardim fortalece a amizade entre as crianças e traz de volta o sorriso ao rosto do senhor Craven.

readquire a alegria de viver. O incrível universo do jardim fortalece a amizade entre as crianças e traz de volta o sorriso ao rosto do senhor Craven. O JARDIM SECRETO Introdução ao tema Mais que um simples romance sobre a descoberta de um lugar proibido, O jardim secreto revela o fascínio dos primeiros contatos com a natureza e a importância que ela

Leia mais

Situação dos migrantes e seus descendentes directos no mercado de trabalho MANUAL ENTREVISTADOR

Situação dos migrantes e seus descendentes directos no mercado de trabalho MANUAL ENTREVISTADOR DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS E SOCIAIS SERVIÇO DE ESTATÍSTICAS DEMOGRÁFICAS Situação dos migrantes e seus descendentes directos no mercado de trabalho MANUAL DO ENTREVISTADOR Março 2008 2

Leia mais

Entendendo o que é Gênero

Entendendo o que é Gênero Entendendo o que é Gênero Sandra Unbehaum 1 Vila de Nossa Senhora da Piedade, 03 de outubro de 2002 2. Cara Professora, Hoje acordei decidida a escrever-lhe esta carta, para pedir-lhe ajuda e trocar umas

Leia mais

Como o cinema nacional pode ser socialmente relevante e interessante?

Como o cinema nacional pode ser socialmente relevante e interessante? São Paulo, Ano II, n. 04, jan./abr. de 2015 Como o cinema nacional pode ser socialmente relevante e interessante? Sobre a representação multicultural de personagens em obras audiovisuais educativas Autor:

Leia mais

O QUE É SER MÃE ADOLESCENTE PELA PRIMEIRA VEZ? INTRODUÇÃO

O QUE É SER MÃE ADOLESCENTE PELA PRIMEIRA VEZ? INTRODUÇÃO O QUE É SER MÃE ADOLESCENTE PELA PRIMEIRA VEZ? INTRODUÇÃO Esta investigação tem como enfoque o atendimento às gestantes adolescentes primigestas nas equipes de ESF. Visa conhecer o universo destas gestantes

Leia mais

PENSAMENTO E LINGUAGEM: ESTUDO DA INOVAÇÃO E REFLEXÃO DOS ANAIS E DO ENSINO/APRENDIZAGEM DO INGLÊS EM SALA DE AULA

PENSAMENTO E LINGUAGEM: ESTUDO DA INOVAÇÃO E REFLEXÃO DOS ANAIS E DO ENSINO/APRENDIZAGEM DO INGLÊS EM SALA DE AULA PENSAMENTO E LINGUAGEM: ESTUDO DA INOVAÇÃO E REFLEXÃO DOS ANAIS E DO ENSINO/APRENDIZAGEM DO INGLÊS EM SALA DE AULA Adriana Zanela Nunes (UFRJ) zannelli@bol.com.br, zannelli@ig.com.br zannelli@ibest.com.br

Leia mais

Resenha. Informar não é comunicar (WOLTON, Dominique. Porto Alegre: Sulinas, 2011).

Resenha. Informar não é comunicar (WOLTON, Dominique. Porto Alegre: Sulinas, 2011). Resenha Informar não é comunicar (WOLTON, Dominique. Porto Alegre: Sulinas, 2011). Bruno Ribeiro NASCIMENTO 1 Dominique Wolton costuma nadar contra a corrente: quando os críticos da indústria cultural

Leia mais

Identidade: importância e significados. Quem sou eu? O que eu quero? Qual meu lugar no mundo?

Identidade: importância e significados. Quem sou eu? O que eu quero? Qual meu lugar no mundo? CURSO EDUCAÇÃO, RELAÇÕES RACIAIS E DIREITOS HUMANOS NAYARA DE SOUZA ARAUJO Identidade: importância e significados Quem sou eu? O que eu quero? Qual meu lugar no mundo? SÃO PAULO 2012 O que define um povo

Leia mais

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação...

18 - A surpresa... 175 19 A fuga... 185 20 O atraso... 193 21 Vida sem máscaras... 197 22 - A viagem... 209 23 - A revelação... Sumário Agradecimentos... 7 Introdução... 9 1 - Um menino fora do seu tempo... 13 2 - O bom atraso e o vestido rosa... 23 3 - O pequeno grande amigo... 35 4 - A vingança... 47 5 - O fim da dor... 55 6

Leia mais

Comunidades Alemãs nas cidades do ABC: um relato de História Oral

Comunidades Alemãs nas cidades do ABC: um relato de História Oral Comunidades Alemãs nas cidades do ABC: um relato de História Oral Alberto Iszlaji Junior 1 Introdução Com o início da imigração de europeus para o Brasil em meados do século XIX, o país começou a tomar

Leia mais

Sentir- se mal não é tão difícil

Sentir- se mal não é tão difícil 3 artigos sobre o Gerenciamento das Emoções Por Andrês De Nuccio Sentir- se mal não é tão difícil Li esses dias uma história segundo a qual uma senhora, preparando- se para sair, trocava diversas vezes

Leia mais

Resumo Aula-tema 01: A literatura infantil: abertura para a formação de uma nova mentalidade

Resumo Aula-tema 01: A literatura infantil: abertura para a formação de uma nova mentalidade Resumo Aula-tema 01: A literatura infantil: abertura para a formação de uma nova mentalidade Pensar na realidade é pensar em transformações sociais. Atualmente, temos observado os avanços com relação à

Leia mais

O processo de hibridação cultural: prós e contras. Palavras- chave: Cultura. Hibridismo cultural. Contemporaneidade.

O processo de hibridação cultural: prós e contras. Palavras- chave: Cultura. Hibridismo cultural. Contemporaneidade. O processo de hibridação cultural: prós e contras Leila Lima de SOUSA 1 Resumo Nos dias atuais, marcados pela instantaneidade das trocas de informação possibilitadas pela intensificação da globalização

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ESTUDO DO FIGURINO PARA O DESIGN DE PERSONAGENS DE GAMES

A IMPORTÂNCIA DO ESTUDO DO FIGURINO PARA O DESIGN DE PERSONAGENS DE GAMES A IMPORTÂNCIA DO ESTUDO DO FIGURINO PARA O DESIGN DE PERSONAGENS DE GAMES The importance of the study of the costume for the design of character design. Verdelli, Caio Matheus de Almeida; Graduando; Universidade

Leia mais

Precisa. falar inglês. no trabalho, mas tem medo? Conheça 4 maneiras para superar esta barreira.

Precisa. falar inglês. no trabalho, mas tem medo? Conheça 4 maneiras para superar esta barreira. Precisa falar inglês no trabalho, mas tem medo? Conheça 4 maneiras para superar esta barreira. Aprender um novo idioma é se sentir como uma criança novamente: faltam palavras para se expressar e a insegurança

Leia mais

Os Conflitos da Migração Turca na Alemanha

Os Conflitos da Migração Turca na Alemanha Os Conflitos da Migração Turca na Alemanha As migrações humanas são um fenômeno recorrente desde a nossa pré-história. O homem parece estar sempre em busca de novos horizontes e se evadindo de condições

Leia mais

Questões de gênero. Masculino e Feminino

Questões de gênero. Masculino e Feminino 36 Questões de gênero Masculino e Feminino Pepeu Gomes Composição: Baby Consuelo, Didi Gomes e Pepeu Gomes Ôu! Ôu! Ser um homem feminino Não fere o meu lado masculino Se Deus é menina e menino Sou Masculino

Leia mais

Ana Maria Curvo Dimam dos Santos Pereira RESUMO

Ana Maria Curvo Dimam dos Santos Pereira RESUMO O espaço escolar e as diferenças étnico culturais Ana Maria Curvo Dimam dos Santos Pereira RESUMO O presente resumo questiona o preconceito étnico racial numa escola estadual a partir do olhar de uma coordenadora

Leia mais

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE LÍNGUA INGLESA E O COMPROMISSO SOCIAL

A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE LÍNGUA INGLESA E O COMPROMISSO SOCIAL A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE LÍNGUA INGLESA E O COMPROMISSO SOCIAL Ferreira, Aparecida de Jesus Unioeste/Cascavel A língua Inglesa sem dúvida é, hoje, a língua mais falada e utilizada no mundo como língua

Leia mais

Sentimentos e emoções Quem vê cara não vê coração

Sentimentos e emoções Quem vê cara não vê coração Material pelo Ético Sistema de Ensino Elaborado para Educação Infantil Publicado em 2011 Projetos temáticos EDUCAÇÃO INFANTIL Data: / / Nível: Escola: Nome: Sentimentos e emoções Quem vê cara não vê coração

Leia mais

MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS. 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias

MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS. 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias MESTRADO EM MEMÓRIA SOCIAL E BENS CULTURAIS 1.1 Matriz Curricular Disciplinas obrigatórias C/H Memória Social 45 Cultura 45 Seminários de Pesquisa 45 Oficinas de Produção e Gestão Cultural 45 Orientação

Leia mais

5.1. As significações do vinho e o aumento de seu consumo

5.1. As significações do vinho e o aumento de seu consumo 5 Conclusão Para melhor organizar a conclusão desse estudo, esse capítulo foi dividido em quatro partes. A primeira delas aborda as significações do vinho e como elas se relacionam com o aumento de consumo

Leia mais

UM CAMINHO DE UMA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL

UM CAMINHO DE UMA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL UM CAMINHO DE UMA PRODUÇÃO AUDIOVISUAL Existem infinitas maneiras de organizar, produzir e finalizar uma obra audiovisual. Cada pessoa ou produtora trabalha da sua maneira a partir de diversos fatores:

Leia mais

DOCUMENTO DE POSICIONAMENTO DA IBIS SOBRE A JUVENTUDE

DOCUMENTO DE POSICIONAMENTO DA IBIS SOBRE A JUVENTUDE DOCUMENTO DE POSICIONAMENTO DA IBIS SOBRE A JUVENTUDE A IBIS visa contribuir para o empoderamento dos jovens como cidadãos activos da sociedade, com igual usufruto de direitos, responsabilidades e participação

Leia mais

YUME : NARRATIVAS MÍTICAS DE KUROSAWA

YUME : NARRATIVAS MÍTICAS DE KUROSAWA YUME : NARRATIVAS MÍTICAS DE KUROSAWA CAVALHEIRO, Kaline (UNIOESTE G/Pibic - CNPq) DIAS, Acir (UNIOESTE Orientador) RESUMO: O presente trabalho tem como objeto o estudo da cultura, mitos e imagens presentes

Leia mais

Relaxamento: Valor: Técnica: Fundo:

Relaxamento: Valor: Técnica: Fundo: Honestidade Honestidade Esta é a qualidade de honesto. Ser digno de confiança, justo, decente, consciencioso, sério. Ser honesto significa ser honrado, ter um comportamento moralmente irrepreensível. Quando

Leia mais

ALUNO ESTRANGEIRO NA ESCOLA, E AGORA?: UM ESTUDO EM PORTO VELHO- RONDÔNIA

ALUNO ESTRANGEIRO NA ESCOLA, E AGORA?: UM ESTUDO EM PORTO VELHO- RONDÔNIA ALUNO ESTRANGEIRO NA ESCOLA, E AGORA?: UM ESTUDO EM PORTO VELHO- RONDÔNIA Autores: Jheiniffer Álex Maciel MENDES, Rosa Martins Costa PEREIRA, Josiel Neves da SILVA, Clara Miranda SANTOS Identificação dos

Leia mais

ALUNOS CULTURAL E LINGUISTICAMENTE DIVERSOS EM ESCOLAS PARTICULARES DE SÃO PAULO: O QUE DIZEM OS PROFESSORES QUE OS RECEBEM NA SALA DE AULA

ALUNOS CULTURAL E LINGUISTICAMENTE DIVERSOS EM ESCOLAS PARTICULARES DE SÃO PAULO: O QUE DIZEM OS PROFESSORES QUE OS RECEBEM NA SALA DE AULA ALUNOS CULTURAL E LINGUISTICAMENTE DIVERSOS EM ESCOLAS PARTICULARES DE SÃO PAULO: O QUE DIZEM OS PROFESSORES QUE OS RECEBEM NA SALA DE AULA Marina Rito Brenha Universidade Presbiteriana Mackenzie Felipe

Leia mais

CONTEXTUALIZAÇÃO. Surge na Alemanha por entre 1910-1920 KURT KOFFKA (1886 1941) WOLFGANG KÖHLER (1887 1967) MAX WERTHEIMER (1880 1943)

CONTEXTUALIZAÇÃO. Surge na Alemanha por entre 1910-1920 KURT KOFFKA (1886 1941) WOLFGANG KÖHLER (1887 1967) MAX WERTHEIMER (1880 1943) GESTALT CONTEXTUALIZAÇÃO Surge na Alemanha por entre 1910-1920 MAX WERTHEIMER (1880 1943) KURT KOFFKA (1886 1941) WOLFGANG KÖHLER (1887 1967) Eu faço as minhas coisas Você faz as suas. Não estou neste

Leia mais

Conversando com os pais

Conversando com os pais Conversando com os pais Motivos para falar sobre esse assunto, em casa, com os filhos 1. A criança mais informada, e de forma correta, terá mais chances de saber lidar com sua sexualidade e, no futuro,

Leia mais

Resiliência. Capacidade para superar os desafios da vida

Resiliência. Capacidade para superar os desafios da vida Resiliência Capacidade para superar os desafios da vida O que é resiliência? Resiliência pode ser definida como a capacidade de se renascer da adversidade fortalecido e com mais recursos. (...) Ela engloba

Leia mais

Política de Línguas na América Latina 1

Política de Línguas na América Latina 1 Política de Línguas na América Latina 1 Eduardo Guimarães * Num momento como o atual, em que as relações internacionais vêm mudando rapidamente e que se caracteriza, entre outras coisas, pelo fato político

Leia mais

Sessão 3: Envolvendo empregadores e sindicatos

Sessão 3: Envolvendo empregadores e sindicatos Sessão 3: Envolvendo empregadores e sindicatos Senhor Ministro Chris Alexander, Senhoras e senhores, Primeiramente, gostaria cumprimentar a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE)

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS 1. EMENTA Produções literárias em poesia e prosa da literatura norte-americana (Estadunidense a partir do período colonial) e de outros países falantes da língua inglesa até o século XX. Relações de intertextualidade

Leia mais

Lila Azam Zanganeh: a poesia da felicidade

Lila Azam Zanganeh: a poesia da felicidade Lila Azam Zanganeh: a poesia da felicidade Por Meire Kusumoto 05/07/2013 A escritora franco-iraniana Lila Azam Zanganeh, atração desta sexta-feira da Festa Literária Internacional de Paraty (Flip), onde

Leia mais

As cinco disciplinas

As cinco disciplinas As cinco disciplinas por Peter Senge HSM Management julho - agosto 1998 O especialista Peter Senge diz em entrevista exclusiva que os programas de aprendizado podem ser a única fonte sustentável de vantagem

Leia mais

Morar no exterior relato de uma imigrante

Morar no exterior relato de uma imigrante Morar no exterior relato de uma imigrante Ms. Josiane Vill - UFSC josivill@hotmail.com A opção de morar no exterior... Morar no exterior nunca esteve presente nos meus objetivos de vida, nem mesmo em meus

Leia mais

ADOLESCÊNCIA NORMAL Tamara Santos de Souza (fonte: http://psicologiaereflexao.wordpress.com/)

ADOLESCÊNCIA NORMAL Tamara Santos de Souza (fonte: http://psicologiaereflexao.wordpress.com/) ADOLESCÊNCIA NORMAL Tamara Santos de Souza (fonte: http://psicologiaereflexao.wordpress.com/) Arminda Aberastury foi pioneira no estudo da psicanálise de crianças e adolescentes na América Latina. A autora

Leia mais

ORALIDADE E ESCRITA: ANÁLISE DE HISTÓRIA EM QUADRINHOS

ORALIDADE E ESCRITA: ANÁLISE DE HISTÓRIA EM QUADRINHOS ORALIDADE E ESCRITA: ANÁLISE DE HISTÓRIA EM QUADRINHOS Ana Letícia Vaz Pereira 1 Natália Canuto do Nascimento 2 Orientador Prof. Ms. Artarxerxes Modesto RESUMO: Este trabalho tem como objetivo analisar

Leia mais

EDUCAÇÃO, LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO A PARTIR DO FILME NARRADORES DE JAVÉ

EDUCAÇÃO, LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO A PARTIR DO FILME NARRADORES DE JAVÉ EDUCAÇÃO, LETRAMENTO E ALFABETIZAÇÃO A PARTIR DO FILME NARRADORES DE JAVÉ Geane Apolinário Oliveira Graduada em Pedagogia pela Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) - Geane-cg@hotmail.com RESUMO: Este

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 36 Discurso por ocasião do jantar

Leia mais

Cultura Organizacional: Compreensão básica para a Gestão de Pessoas. Glaucia Falcone Fonseca

Cultura Organizacional: Compreensão básica para a Gestão de Pessoas. Glaucia Falcone Fonseca : Compreensão básica para a Gestão de Pessoas Glaucia Falcone Fonseca É importante verificar que há diversos grupos que compõem uma cultura. As subculturas, constituídas por grupos de pessoas com um padrão

Leia mais

Universidade Federal de Uberlândia

Universidade Federal de Uberlândia PRIMEIRA QUESTÃO A) É importante que o candidato ressalte o fato de que, na ilha, a princípio, tudo é eletivo : cabe aos indivíduos escolher os seus papéis. Esta liberdade da constituição do sujeito deve

Leia mais

RELAÇÃO DA HISTÓRIA DO DIREITO COM FILME ALEXANDRE O GRANDE

RELAÇÃO DA HISTÓRIA DO DIREITO COM FILME ALEXANDRE O GRANDE RELAÇÃO DA HISTÓRIA DO DIREITO COM FILME ALEXANDRE O GRANDE LINHARES 2011 1º DIREITO B Peter Leite Souza André Pacheco Pulquerio RELAÇÃO DA HISTÓRIA DO DIREITO COM FILME ALEXANDRE O GRANDE Trabalho conforme

Leia mais

- Pai, temos estado a falar em Cidadania, mas ainda me disseste pouco sobre a origem da palavra e do conceito. Acho que me falaste só na «polis»

- Pai, temos estado a falar em Cidadania, mas ainda me disseste pouco sobre a origem da palavra e do conceito. Acho que me falaste só na «polis» - Pai, temos estado a falar em Cidadania, mas ainda me disseste pouco sobre a origem da palavra e do conceito. Acho que me falaste só na «polis» grega, não foi? - Sim, de facto, a origem mais longínqua

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL

A IMPORTÂNCIA DO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL A IMPORTÂNCIA DO ENSINO DA LÍNGUA INGLESA NAS SÉRIES INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL Referência: CHAGURI, J. P. A Importância do Ensino da Língua Inglesa nas Séries Iniciais do Ensino Fundamental. In: O

Leia mais

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I.P.

PRESIDÊNCIA DO CONSELHO DE MINISTROS Alto Comissariado para a Imigração e Diálogo Intercultural, I.P. Migrantes e Saúde Mental A Construção da Competência Cultural Chiara Pussetti (coord.), Júlio F. Ferreira, Elsa Lechner, Cristina Santinho Outubro de 2009, Estudos OI 33 Observatório da Imigração de Portugal

Leia mais

Romance familiar poesia familiar

Romance familiar poesia familiar Romance familiar poesia familiar Em busca de imagens para uma apresentação, dou com a foto, feita em estúdio, de um garoto de 11 anos de idade chamado Walter Benjamin (1892-1940). Serve de ilustração a

Leia mais

A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA

A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA A ESCOLA CATÓLICA, UMA INSTITUIÇAO DE ENSINO COM MÍSTICA EVANGELIZADORA A escola católica será uma instituiçao com mística evangelizadora UMA ESCOLA A SERVIÇO DA PESSOA E ABERTA A TODOS UMA ESCOLA COM

Leia mais

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Apresentaremos 4 lições, que mostram algum personagem Bíblico, onde as ações praticadas ao longo de sua trajetória abençoaram a vida de muitas

Leia mais

O FILME COMO RECURSO TECNOLÓGICO EDUCACIONAL NAS AULAS DE LÍNGUA INGLESA *

O FILME COMO RECURSO TECNOLÓGICO EDUCACIONAL NAS AULAS DE LÍNGUA INGLESA * O FILME COMO RECURSO TECNOLÓGICO EDUCACIONAL NAS AULAS DE LÍNGUA INGLESA * Fernanda da Silva Alvissu Prizoto Universidade de Taubaté ** RESUMO: O tema desta pesquisa é a sugestão de trabalho com filme

Leia mais

ESCOLA DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL

ESCOLA DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL ESCOLA DE DESENVOLVIMENTO E APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL MBA EXECUTIVO EM LIDERANÇA E GESTÃO ORGANIZACIONAL ESCOLA SUPERIOR DE PROPAGANDA E MARKETING POS GRADUAÇÃO EM: GESTÃO ESTRATÉGICA DE NEGÓCIOS CIÊNCIAS

Leia mais

O Cromossomo Sincero 1. Joanna Flora Augusto Gonçalves da SILVA 2 Marcus Vinicius BATISTA 3 Universidade Santa Cecília, Santos, SP

O Cromossomo Sincero 1. Joanna Flora Augusto Gonçalves da SILVA 2 Marcus Vinicius BATISTA 3 Universidade Santa Cecília, Santos, SP O Cromossomo Sincero 1 Joanna Flora Augusto Gonçalves da SILVA 2 Marcus Vinicius BATISTA 3 Universidade Santa Cecília, Santos, SP RESUMO Este relatório apresenta o processo de criação do livro O Cromossomo

Leia mais

3.4 DELINEAMENTO ÉTICO JURÍDICO DA NOVA ORGANIZAÇÃO SOCIAL

3.4 DELINEAMENTO ÉTICO JURÍDICO DA NOVA ORGANIZAÇÃO SOCIAL 3.4 DELINEAMENTO ÉTICO JURÍDICO DA NOVA ORGANIZAÇÃO SOCIAL Os fundamentos propostos para a nova organização social, a desconcentração e a cooperação, devem inspirar mecanismos e instrumentos que conduzam

Leia mais

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS. Tema Princípios de conduta, de igualdade e equidade

ESCOLA SECUNDÁRIA DO MONTE DA CAPARICA Curso de Educação e Formação de Adultos NS. Tema Princípios de conduta, de igualdade e equidade 1 de 5 Princípios de conduta, de igualdade e equidade OBJECTIVO: Assumir condutas adequadas às instituições e aos princípios de lealdade comunitária. 1 No seu relacionamento social como se posiciona face

Leia mais

Questões com textos não verbais. Prof. Bruno Augusto

Questões com textos não verbais. Prof. Bruno Augusto Questões com textos não verbais Prof. Bruno Augusto (ENEM) Em uma conversa ou leitura de um texto, corre-se o risco de atribuir um significado inadequado a um termo ou expressão, e isso pode levar a certos

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO 1

PROJETO PEDAGÓGICO 1 PROJETO PEDAGÓGICO 1 Projeto Pedagógico Por Beatriz Tavares de Souza* Título: Maricota ri e chora Autor: Mariza Lima Gonçalves Ilustrações: Andréia Resende Formato: 20,5 cm x 22 cm Número de páginas: 32

Leia mais

DESIGNAÇÃO: Inclusão na diversidade - Preparar o Futuro. Associação Espaço Mundo CEDL - CASA DA EUROPA DO DISTRITO DE LISBOA. Inclusão e Prevenção

DESIGNAÇÃO: Inclusão na diversidade - Preparar o Futuro. Associação Espaço Mundo CEDL - CASA DA EUROPA DO DISTRITO DE LISBOA. Inclusão e Prevenção REFERÊNCIA: 071 DESIGNAÇÃO: Inclusão na diversidade - Preparar o Futuro BIP/ZIP em que pretende intervir: 22. Alta de Lisboa Sul 67. Alta de Lisboa Centro ENTIDADES: Promotoras: Parceira: Associação Espaço

Leia mais

Lição 1 Como Amar os Inimigos

Lição 1 Como Amar os Inimigos Lição 1 Como Amar os Inimigos A. Como seus pais resolviam as brigas entres você e seus irmãos? B. Em sua opinião qual a diferença entre amar o inimigo e ser amigo do inimigo? PROPÓSITO: Aprender como e

Leia mais

AS CRIANÇAS E SUAS NARRATIVAS AUDIOVISUAIS: UMA PESQUISA EM PROCESSO Renata Gazé UNIRIO

AS CRIANÇAS E SUAS NARRATIVAS AUDIOVISUAIS: UMA PESQUISA EM PROCESSO Renata Gazé UNIRIO AS CRIANÇAS E SUAS NARRATIVAS AUDIOVISUAIS: UMA PESQUISA EM PROCESSO Renata Gazé UNIRIO Resumo Hoje muitas crianças convivem com narrativas audiovisuais na tv, no cinema e na Internet. Como se relacionam

Leia mais

Estadia: Onde vou morar?

Estadia: Onde vou morar? Estude em Alberta Perguntas frequentes Observação: Esta seção de "Perguntas frequentes" reflete a prática comum em Alberta, no entanto, depois de decidir onde quer estudar, contate o distrito escolar correspondente

Leia mais

Rafaela Cyrino 1 Universidade Federal de Minas Gerais

Rafaela Cyrino 1 Universidade Federal de Minas Gerais PONTO DE VISTA SIGNIFICADOS CULTURAIS E PÓS-MODERNIDADE: UMA ANÁLISE SIMBÓLICA DO FILME BATMAN BEGINS Rafaela Cyrino 1 Universidade Federal de Minas Gerais U ma análise reflexiva do filme Batman Begins,

Leia mais

Exercícios Migrações Internacionais

Exercícios Migrações Internacionais Exercícios Migrações Internacionais Material de apoio do Extensivo 1. Nas últimas décadas do século XX, o número de migrantes internacionais aumentou de forma significativa [ ] por causa das disparidades

Leia mais

Um mundo melhor começa aqui

Um mundo melhor começa aqui Um mundo melhor começa aqui h, 12 de junho de 2009 O Dia mundial contra o trabalho infantil vai ser celebrado a 12 de Junho de 2009. Este ano, o Dia mundial marca o décimo aniversário da adopção da importante

Leia mais

II ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA BAHIA A EDUCAÇÃO COMO MATRIZ DE TODAS AS RELAÇÕES HUMANAS E SOCIAIS SALVADOR, BA 2013

II ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA BAHIA A EDUCAÇÃO COMO MATRIZ DE TODAS AS RELAÇÕES HUMANAS E SOCIAIS SALVADOR, BA 2013 II ENCONTRO ESTADUAL DE EDUCAÇÃO DO MINISTÉRIO PÚBLICO DA BAHIA A EDUCAÇÃO COMO MATRIZ DE TODAS AS RELAÇÕES HUMANAS E SOCIAIS SALVADOR, BA 2013 TEMÁTICA: EDUCAÇÃO, QUESTÃO DE GÊNERO E DIVERSIDADE EDUCAÇÃO

Leia mais

É um dos países mais complexos do nosso planeta. Com

É um dos países mais complexos do nosso planeta. Com O que foi a Revolução Cultural na China? Caio Lóssio Botelho * É um dos países mais complexos do nosso planeta. Com uma superfície de mais de 9.500.000 km², com a população superior a 1.180.000.000 habitantes.

Leia mais

LUTO E INTERNET, UMA REFLEXÃO ESPIRITA-CRISTÃ

LUTO E INTERNET, UMA REFLEXÃO ESPIRITA-CRISTÃ LUTO E INTERNET, UMA REFLEXÃO ESPIRITA-CRISTÃ Quase tudo que há alguns anos era armazenado em meio físico é agora arquivado em computadores, sejam os emails (substitutos das tradicionais cartas), fotos,

Leia mais

O REAL DA LÍNGUA O REAL DA HISTÓRIA considerações a partir do texto La Lengua de Nunca Acabar. Pêcheux e Gadet (1987)

O REAL DA LÍNGUA O REAL DA HISTÓRIA considerações a partir do texto La Lengua de Nunca Acabar. Pêcheux e Gadet (1987) O REAL DA LÍNGUA O REAL DA HISTÓRIA considerações a partir do texto La Lengua de Nunca Acabar. Pêcheux e Gadet (1987) Blanca de Souza Viera MORALES (UFRGS) Para Pêcheux e Gadet a lingüística não pode reduzir-se

Leia mais

Cabra macho e cidadão do mundo

Cabra macho e cidadão do mundo Cabra macho e cidadão do mundo Uma poesia antilírica, dirigida ao intelecto, mais presa à realidade objetiva do poema enquanto criação; Cronologicamente pertence à geração de 45, mas dela se afasta pela

Leia mais

Perfil dos jovens das Comunidades do Real Parque e Jardim Panorama

Perfil dos jovens das Comunidades do Real Parque e Jardim Panorama Perfil dos jovens das Comunidades do Real Parque e Jardim Panorama Objetivo da Pesquisa Coletar informações para diagnosticar a demanda dos jovens das Comunidades Real Parque e Jardim Panorama, quanto

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Gestão para um mundo melhor EMPREENDEDOR/Entrevista. Julho 1999.

Gestão para um mundo melhor EMPREENDEDOR/Entrevista. Julho 1999. GESTÃO PARA UM MUNDO MELHOR Gestão para um mundo melhor EMPREENDEDOR/Entrevista. Julho 1999. RESUMO: Para o consultor e empresário Oscar Motomura, a sociedade global precisa evoluir, abandonando sua ganância

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE

ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE ADMINISTRAÇÃO DO RELACIONAMENTO COM O CLIENTE Módulo 2 CLIENTES: DEFINIÇÕES E ENTENDIMENTOS Objetivo: Ao final desse módulo, você estará capacitado a termos, como: cliente, comprador, cliente final, consumidor,

Leia mais

ESTILO E IDENTIDADE. Autores: TACIANA CORREIA PINTO VIEIRA DE ANDRADE E CARMEM LÚCIA DE OLIVEIRA MARINHO

ESTILO E IDENTIDADE. Autores: TACIANA CORREIA PINTO VIEIRA DE ANDRADE E CARMEM LÚCIA DE OLIVEIRA MARINHO ESTILO E IDENTIDADE Autores: TACIANA CORREIA PINTO VIEIRA DE ANDRADE E CARMEM LÚCIA DE OLIVEIRA MARINHO Introdução Por milhares de anos, foi possível concordar que a mais importante linguagem do homem

Leia mais