FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA INDRA FRANCO BOVI

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA INDRA FRANCO BOVI"

Transcrição

1 FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA INDRA FRANCO BOVI SOCORRO 2011

2 FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA Aluno: INDRA FRANCO BOVI Orientadores: Profª. Ms. Claudia Cobêro Prof. Ms. Luiz Antônio Fernandes Trabalho de Conclusão de Curso apresentado a Faculdade XV de Agosto como um dos prérequisitos para a obtenção do grau de bacharel em Administração. SOCORRO 2011

3 Dedico este trabalho aos meus pais, Luzia de Souza Franco e José Sérgio Bovi, pelo apoio, pela paciência, pela dedicação, pela educação e pelo amor incondicional que me dá forças para alcançar todos os meus objetivos.

4 AGRADECIMENTO Agradeço primeiramente a Deus pela benção da vida e porque sem ELE nada se pode realizar. Aos meus pais José Sérgio Bovi e Luzia de Souza Franco, pela presença em todos os momentos da minha vida e por não me deixar desistir jamais. Agradeço às pessoas que conheci na faculdade e que agora fazem parte da minha vida, em especial a Cátia, Gabrieli e Carla por estarem sempre presentes e me proporcionar momentos de descontração. Aos meus amigos e familiares pelo apoio e ajuda para que a conclusão de mais essa etapa da minha vida pudesse ser realizada. Agradeço a Faculdade XV de Agosto, aos professores e funcionários que estiveram presentes na concretização desse objetivo. Agradeço a meu namorado Gustavo por estar sempre presente. Agradeço aos meus colegas de trabalho pela diversão proporcionada durante o tempo em que passamos juntos; vocês farão parte da minha vida pra sempre! Enfim, agradeço a todos que me proporcionaram momentos felizes e que de alguma forma contribuíram e contribuem para cada nova fase que acontece em minha vida. Muito obrigada!

5 "Nas grandes batalhas da vida, o primeiro passo para a vitória é o desejo de vencer". Mahatma Gandhi

6 RESUMO O presente trabalho apresentou a elaboração de um sistema de fluxo de caixa em uma floricultura que oferece serviços de paisagismo, manutenção de jardins e arranjos em geral. O objetivo deste trabalho foi elaborar um fluxo de caixa através de planilhas eletrônicas demonstrando de maneira objetiva todas as receitas e despesas da empresa, a fim de se obter os valores exatos de entrada e saída de dinheiro do caixa para auxiliar na tomada de decisões. O controle do fluxo de caixa da empresa foi realizado através de planilhas feitas no Excel, sendo estas de entradas diárias, entradas mensais, saídas mensais e fluxo de caixa. Utilizandose de fórmulas de soma e de subtração automáticas do Excel e interligação entre as planilhas. Sua elaboração foi feita através dos lançamentos de entradas e saídas de dinheiro do caixa nas planilhas para a obtenção dos dados necessários na análise das movimentações e nos gráficos para comparação. Com isso a empresa obteve informações para o controle financeiro, visualizando de maneira clara e eficiente suas movimentações em determinado período, facilitando a tomada de decisões.

7 LISTA DE FIGURAS Figura 1 Fluxo de Caixa Modelo Direto Figura 2 Fluxo de Caixa Modelo Indireto Figura 3 Planilha do Excel feita para o controle das entradas diárias Figura 4 Planilha do Excel feita para o controle das entradas mensais Figura 5 Planilha do Excel feita para o controle das saídas mensais Figura 6 - Planilha do Excel feita para o controle do fluxo de caixa Figura 7 - Planilha do Excel feita para o controle do contas a pagar Figura 8 - Planilha do Excel feita para o controle do contas a receber Figura 9- Planilha do Excel feita para o controle do fluxo de caixa do período preenchida Figura 10 - Gráfico do Fluxo de Caixa Mensal Figura 11 - Gráfico do Fluxo de Caixa do Período LISTA DE QUADROS Quadro 1 - Comparação entre o antes e o depois da utilização do sistema de controle do fluxo de caixa

8 SUMÁRIO 1- INTRODUÇÃO Empresa Analisada REFERENCIAL TEÓRICO Administração Financeira Conceito de entrada e saída do caixa Contas a pagar Contas a receber Definição e importância do fluxo de caixa Demonstração do fluxo de caixa Importância da demonstração do fluxo de caixa METODOLOGIA Procedimentos Metodológicos RESULTADOS E ANÁLISE Fluxo de Caixa Mensal Fluxo de Caixa do Período Análise do antes e depois da implantação do controle do fluxo de caixa CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

9 8 1 - INTRODUÇÃO As planilhas eletrônicas são fundamentais para que as empresas possam fazer relatórios e conseguir obter um controle dos dados utilizados. Através das planilhas é possível analisar todos os dados e obter informações importantes para que se possam tomar as decisões que sejam essenciais para o funcionamento da empresa em relação a todos os setores e atividades que dela fazem parte. O Fluxo de Caixa é um dos meios mais utilizados e mais importantes na análise financeira de qualquer organização, seu objetivo principal é analisar, em determinado período, todos os recursos financeiros de entrada e saída, obtendo um controle eficaz dos mesmos. É necessário que todos os dados fornecidos para a elaboração de um Fluxo de Caixa sejam precisos, assim sendo, será mais fácil identificar as falhas na utilização dos recursos financeiros bem como a possibilidade de melhora na utilização dos mesmos. Através do Fluxo de Caixa é possível prever como se devem utilizar os recursos disponíveis, visualizando quando haverá sobra ou falta desses recursos, podendo assim, estipular ganhos e perdas da empresa e identificar a melhor maneira de agir dependendo da situação. O Fluxo de Caixa permite evitar os problema que podem ocorrer devido à falta de disponibilidades, e maximizar os lucros com as previsões de sobras. Hoje em dia, com a grande competitividade entre as empresas é de suma importância a qualquer organização utilizar uma ferramenta para um controle mais rígido de suas atividades, podendo assim identificar os pontos positivos e negativos, diferenciando-a dos concorrentes. Quando isso não acontece, a organização fica fraca perante seus concorrentes e acaba por perder o mercado já conquistado, pois não sabe os procedimentos que devem ser tomados para se destacar e manter os clientes. A Demonstração do Fluxo de Caixa mostra de maneira clara as disponibilidades da empresa por meio da análise de entrada e saída de dinheiro do caixa através das movimentações operacionais, investimentos e financiamentos. Os Fluxos Operacionais dizem respeito a todas as atividades da produção da empresa; o de Investimento está relacionado aos recebimentos e desembolsos realizados nos processos da aquisição de ativos; já o de Financiamento refere-se a empréstimos e financiamentos realizados pela empresa.

10 9 O controle financeiro é de extrema importância para as empresas obterem um melhor gerenciamento dos seus recursos. É indispensável ao administrador saber todas as atividades realizadas pela empresa e todos os processos utilizados na mesma, para assim atingir o controle ideal dos recursos disponíveis e alcançar os objetivos definidos. As micro e pequenas empresas possuem um alto índice de mortalidade, e muitas vezes isso ocorre devido a uma administração financeira ineficaz, o que faz com que essas empresas não tenham controle sobre todo o seu ativo e passivo, gastando mais do que podem e não se mantendo no mercado. A essas empresas, faz-se necessário a criação de um sistema que torne possível planejar e controlar, de maneira eficiente, todo aumento ou diminuição de recursos. Sendo assim, o presente trabalho teve como problema de pesquisa: Quais as ações necessárias para obter um fluxo de caixa na floricultura analisada? O objetivo deste trabalho foi elaborar um fluxo de caixa através de planilhas eletrônicas demonstrando de maneira objetiva todas as receitas e despesas da empresa, a fim de se obter os valores exatos de entrada e saída de dinheiro do caixa para auxiliar na tomada de decisões. 1.1 Empresa Analisada Fundada em 15/05/2006, no interior do Estado de Minas Gerais, a floricultura possuía três sócios e oferecia os serviços de paisagismo, manutenção em jardins, montagem de cestas e arranjos florais, que são os mesmos serviços oferecidos atualmente. No mesmo ano dois sócios saíram da empresa e entrou outro ficando esta com 02 sócios e nenhum funcionário A empresa foi instalada em um terreno amplo, alugado e com boa localização. No ano de 2008 foram contratados 02 funcionários e a empresa passou a ter dois sócios e dois funcionários, o mesmo quadro apresentado no ano atual, com a mudança de um dos sócios no ano de 2009; foram feitas melhorias nas instalações e a empresa se solidificou no mercado. Com um dos sócios formado em Agronomia os serviços ganham uma qualidade maior devido aos conhecimentos e aplicação dos mesmos na prestação dos serviços. Os trabalhos realizados na empresa são divididos entre os sócios e os funcionários, sendo que um dos sócios fica exclusivamente para os serviços de jardinagem e

11 10 paisagismo, o outro sócio trabalha somente com serviços internos como venda e arranjos florais e os funcionários fazem todos os serviços fornecidos pela empresa de acordo com as necessidades. Ao longo dos anos a empresa ganhou a fidelidade de clientes e fornecedores, podendo assim oferecer produtos de melhor qualidade e preço, se destacando perante seus concorrentes. A empresa busca sempre a melhoria continua dos seus serviços investindo em treinamento profissional através de diversos meios.

12 11 2 REFERENCIAL TEÓRICO Nesse capítulo serão apresentados, teoricamente, os itens que serviram como base de estudos na realização do trabalho, com conceitos de alguns autores Administração Financeira Segundo Ross, Westerfield e Jordan (1998), a administração financeira trata da melhor forma possível de se tomar decisões a fim de maximizar os lucros da empresa. As principais preocupações relacionadas à área financeira são: Orçamento de capital: questões ligadas aos investimentos que a empresa fará a longo prazo. Estrutura de capital: trata dos meios que a empresa utilizará para obter os recursos necessários para os investimentos a longo prazo. Administração de capital de giro: diz respeito às atividades geradoras de recursos a curto prazo. Segundo Gitman (2002) o responsável pela administração financeira deve interagir com todos os outros setores da empresa a fim de gerir melhor as necessidades de todos e determinar como conseguir os recursos necessários para tal. As funções da administração financeira e da contabilidade estão diretamente ligadas; distinguem-se basicamente entre a ênfase no Fluxo de Caixa e a ênfase na tomada de decisões. Em relação à ênfase no Fluxo de Caixa, o contador deve, essencialmente, fornecer de forma clara as informações necessárias sobre o desenvolvimento da empresa em relação às entradas e saídas de dinheiro, utilizando de demonstrativos financeiros. Já para o administrador financeiro, o que importa são somente os resultados, ele necessita das informações sobre as receitas e despesas da empresa de maneira simples, através do Fluxo de Caixa, com o intuito de cumprir os objetivos da empresa. A ênfase na tomada de decisões deixa clara a diferença entre as funções deixando claro que ao contador cabe a coleta e representação das informações financeiras e ao

13 12 administrador fica a responsabilidade de analisar essas informações e avaliá-las com o objetivo de encontrar a melhor maneira possível de se tomar decisões importantes à empresa Conceito de entrada e saída do caixa De acordo com Ross, Westerfield e Jordan (1998), as entradas de caixa são resultantes das vendas da empresa que são recebidas no mesmo mês, as restantes são incluídas no contas a receber. Também se inclui nas entradas de caixa a venda de ativos, rendimentos de aplicações financeiras e possíveis financiamentos. As saídas de caixa podem ser classificadas em quatro categorias: Pagamento de fornecedores: pagamento realizado aos fornecedores na aquisição de bens e/ou serviços, que podem ser pagos a vista ou a prazo. Salário, imposto e outras despesas: qualquer custo em que haja a saída efetiva de dinheiro do caixa. Gasto de capital: referente a compra de ativo permanente. Despesas de financiamento a longo prazo: pagamento de juros, empréstimos e dividas aos acionistas. Segundo SEBRAE (2011), a saída de caixa diz respeito aos pagamentos em geral, tais como: aluguel, fornecedores, impostos, folha de pagamento, água, luz, telefone e prólabore. Já as entradas estão relacionadas com os recebimentos da empresa, sejam eles a vista, em cartões de crédito, cheques pré-datados ou duplicatas. Para Matarazzo (2003), as demonstrações de entradas e saídas mostram o saldo do caixa, se haverá falta ou sobra de dinheiro, sendo possível à empresa prever se aplicará ou irá procurar recursos. Essa demonstração permite a empresa saber como estará seu caixa em um curto período futuro, auxiliando na melhor tomada de decisões Contas a pagar Segundo Andersen (1994), contas a pagar são todas as obrigações da empresa com valor e data determinados. Incluem-se além dos valores a ser pagos na compra de

14 13 materiais e serviços, outras obrigações como compra de bens, juros, salários, impostos, aluguel etc. Segundo Marques (2010), a avaliação e observação dos vencimentos são essenciais pra um controle eficaz do contas a pagar; é necessário atenção aos prazos e valores para que haja segurança nas informações obtidas e planejamento dos recursos. Segundo SEBRAE (2011), o controle do contas a pagar é de extrema importância para que haja um sistema de gestão financeira eficiente, pois através dele se obtém informações sobre as saídas de dinheiro do caixa da empresa, facilitando assim a tomada de decisões. Com o controle do contas a pagar é possível identificar alguns pontos para que não ocorram falhas no sistema de gestão financeira da empresa, tais como: todas as obrigações financeiras da empresa, prazos de pagamento para obtenção de descontos ou não pagamento de juros e multas e informações essenciais a serem utilizadas no fluxo de caixa Contas a receber Para Andersen (1994), contas a receber são os direitos da empresa, além do recebimento da venda de serviços e produtos, tratam também de qualquer tipo de transação na qual represente a entrada de dinheiro no caixa da empresa, como empréstimos e financiamentos. Vendas a prazo também estão incluídas no contas a receber. Dentre os lançamentos a serem realizados, destacam-se: duplicatas, saques de exportação, adiantamentos, provisões, títulos, cheques, juros, empréstimos, etc. Segundo Marques (2010), é essencial que a data de vencimento e os prazos sejam informados de maneira correta, para que o controle do contas a receber possa ser eficiente e os dados sejam lançados conforme os vencimentos. Segundo SEBRAE (2011), o controle do contas a receber permite identificar alguns pontos essenciais para a gestão financeira da empresa, sendo o principal deles o provimento das vendas a prazo, para saber os créditos que a empresa terá disponível e o prazo destes, outros pontos importantes a serem destacados são: datas e valores a receber, descontos, juros recebidos, prazo de pagamento e sua pontualidade, providencias a serem

15 14 tomadas em caso de inadimplência, identificação dos clientes, informações necessárias para a elaboração do fluxo de caixa. 2.5 Definição e importância do fluxo de caixa Segundo Ross, Westerfield e Jordan (1998), fluxo de caixa é a diferença entre os recebimentos e saídas de dinheiro do caixa da empresa. O fluxo de caixa diz respeito apenas ao que está diretamente ligado com as entradas e saídas de dinheiro do caixa, devendo ser excluídas qualquer tipo de atividade não desembolsada. O fluxo de caixa mostra o caixa da empresa por meio de suas atividades e como o dinheiro da empresa é utilizado. Alguns componentes são utilizados no fluxo de caixa: Fluxo de Caixa dos ativos deve ter 03 atividades: fluxo de caixa operacional (mede se com as receitas geradas a empresa terá capacidade de cobrir seus gastos); gastos de capital (está relacionado à compra e venda de ativo permanente, bem como a depreciação dos mesmos); aumento de capital de giro (trata de todo ativo circulante da empresa em relação aos investimentos). Fluxo de Caixa dos credores e acionistas: representa a saída de caixa referente ao pagamento realizado a credores e acionistas. De acordo com SEBRAE (2011), o fluxo de caixa é uma ferramenta utilizada para descobrir o saldo da empresa, quando irá sobrar ou faltar dinheiro no caixa, para saber remanejar os gastos da melhor maneira possível. É a previsão de entradas e saídas de recursos monetários, por um determinado período. Essa previsão deve ser feita com base nos dados levantados nas projeções econômico-financeiras atuais da empresa, levando, porém em consideração a memória de dados que respaldará essa mesma previsão. O principal objetivo dessa previsão é fornecer informações para a tomada de decisões, tais como: prognosticar as necessidades de captação de recursos bem como prever os períodos em que haverá sobras ou necessidades de recursos; aplicar os excedentes de caixa nas alternativas mais rentáveis para a empresa sem comprometer a liquidez. (SANTOS, 2011). Segundo Leal e Nascimento (2011), o fluxo de caixa permite a fiscalização das receitas e despesas; ele é elaborado através dos lançamentos de todas as entradas e saídas de

16 15 dinheiro. Para fazer o fluxo de caixa é necessário antes de qualquer coisa identificar dois itens primordiais: as receitas líquidas e despesas fixas. De acordo com Marques (2010), o fluxo de caixa é importante para controlar todas as movimentações financeiras da empresa e a influencia que essas trazem a todo processo da empresa. Para SEBRAE (2011), o fluxo de caixa é essencial para que a empresa possa acompanhar as mudanças que ocorrem tanto internamente quanto externamente. É muito importante manter o fluxo de caixa na empresa para poder obter alguns benefícios como: Verificar se os preços estão compatíveis para que a empresa possa cumprir suas obrigações; Antecipar informações sobre o saldo de caixa; Avaliar as vendas e compras da empresa; Verificar a necessidade de empréstimos; Obter informações sobre os recursos disponíveis; Planejamento da gestão financeira Demonstração do fluxo de caixa Para Ross, Westerfield e Jordan (1998), demonstração de fluxo de caixa é uma demonstração financeira na qual serão apresentadas de forma sintetizada todas as receitas e despesas da empresa. Segundo Ferreira (2008), a demonstração do fluxo de caixa evidencia as alterações decorrentes na disponibilidade de recursos financeiros da empresa em certo período. Há duas maneiras diferentes de se fazer a demonstração do fluxo de caixa: Método direto: são demonstradas todas as entradas e saídas do caixa descritos os processos que as resultaram, Método indireto: é feito baseado nos resultados da empresa, seja ele lucro ou prejuízo.

17 16 Existem duas formas de apresentar o Fluxo de Caixa: o método direto e o método indireto. No método direto (FIGURA 01), é elaborado a partir do lucro líquido ajustado. No método indireto (FIGURA 02), é elaborado de forma mais adequada facilitando a compreensão (CREPALDI, 2003, p ). Figura 01: Fluxo de Caixa Modelo Direto Fonte: CREPALDI, 2003, p Figura 01: Fluxo de Caixa Modelo Indireto Fonte: CREPALDI, 2003, p Segundo Gitman (2002), demonstração de fluxo de caixa envolve os fluxos de caixa de determinado período a fim de equilibrar as mudanças ocorridas no período. O fluxo de caixa pode ser representado dividido em fluxos operacionais, fluxos de investimento e fluxos de financiamento. Os fluxos operacionais são os ligados a produção e as vendas da empresa quanto à entrada e saída de recursos. Os fluxos de investimento referem-se à compra e venda de imóveis e investimentos que a empresa tiver em outras sociedades. Os fluxos de financiamento são os empréstimos e capital próprio, a entrada de dinheiro no caixa na venda de ações e a saída no pagamento de empréstimos.

18 17 Para Matarazzo (2003), o fluxo de caixa pode ser demonstrado de duas maneiras: demonstração de fluxo das entradas e saídas de caixa e demonstração do fluxo de fluxo líquido de caixa. A Demonstração de Entradas e Saídas de Caixa DESC visa mostrar o confronto entre as entradas e saídas de caixa e, conseqüentemente, se haverá sobras ou falta de caixa, permitindo a administração decidir com antecedência se a empresa deve tomar recursos ou aplicá-los. A DESC é, portanto, um instrumento imprescindível. Não se concebe uma empresa que possa operar sem ter uma DESC atualizada mensalmente. (MATARAZZO, 2003, p.364). A demonstração do fluxo líquido de caixa permite visualizar os efeitos das alterações no caixa e as maneiras de suprir as necessidades ou reverter as sobras em investimentos Importância da demonstração do fluxo de caixa Segundo Amaral e Santiago (2011), para que as informações sobre a situação financeira da empresa possam auxiliar na tomada de decisões é preciso que elas sejam úteis e confiáveis; para que isso aconteça, o setor contábil utiliza-se de algumas demonstrações financeiras: balanço patrimonial, demonstração do resultado do exercício, demonstração de lucros e prejuízos acumulados e demonstração das origens e aplicação de recursos. Porém, esses demonstrativos são considerados de difícil entendimento, o que os torna pouco úteis. Devido à complexidade dos demonstrativos, passou-se a utilizar a demonstração do fluxo de caixa que utiliza uma comunicação mais simples e torna mais fácil o entendimento de todas as informações contábeis da empresa. De acordo com Iudícibus e Marion (1999), a demonstração do fluxo de caixa esclarece de maneira clara a situação da empresa em relação ao seu caixa, proporcionando aos responsáveis uma visão objetiva do saldo e podendo ver a melhor opção a fim de fazer com que a empresa possa ter o melhor rendimento possível dentro do período. A demonstração do fluxo de caixa também permite fazer uma projeção de como estará à empresa daqui a algum tempo, a ser determinado pelos responsáveis, partindo dos resultados dos fluxos de caixa anteriores. Depois é possível fazer uma comparação entre o que foi projetado e o que realmente aconteceu, encontrando as possíveis falhas no processo e a melhor maneira de corrigi-las.

19 18 3 METODOLOGIA Para a elaboração do presente trabalho utilizou-se a pesquisa exploratória que, segundo Koche (2000), tem como principal objetivo analisar as causas e efeitos que se quer conhecer, identificando os fatores importantes ao estudo, podendo estes ser qualitativos ou quantitativos. 3.1 Procedimentos Metodológicos Foi realizado um estudo da empresa para ver as necessidades da mesma, e nesse estudo verificou a dificuldade que se tinha em se obter o saldo de entradas e saídas. A partir desse estudo uniram-se os sócios e em uma conversa foi explicado aos mesmos à necessidade da utilização de um fluxo de caixa utilizando planilhas eletrônicas que seria mais eficaz. Os sócios aceitaram a proposta e a partir daí foram elaboradas planilhas eletrônicas utilizando a ferramenta Excel para um controle efetivo das contas a pagar e a receber. Foram elaboradas quatro planilhas distintas. A primeira na qual foram lançados os valores de entradas diariamente (FIGURA 03). Essa planilha possui quatro colunas nas quais foram lançados respectivamente nome do cliente, produto ou serviço prestado, valor da matéria prima, valor da mão de obra e saldo diário. Entradas Diárias Cliente Produto/Serviço Valor da matéria prima Valor da mão de obra Valor total Saldo Diário Figura 03: Planilha do Excel feita para o controle das entradas diárias Fonte: Dados de pesquisa realizada pelo autor. Após a elaboração da primeira planilha foi elaborada a planilha onde foram colocadas as entradas mensais (FIGURA 04), que são os mesmos dados da planilha anterior, porém separados por dia e somados os valores mensais. Essa planilha possui seis colunas onde foi lançado dia do mês, valor da matéria prima, valor da mão de obra e saldo mensal.

20 19 Entradas - Março de 2011 Data Valor da matéria prima Valor da mão de obra Valor total Saldo Mensal Figura 04: Planilha do Excel feita para o controle das entradas mensais. Fonte: Dados de pesquisa realizada pelo autor. Após a formulação das planilhas de entrada foi elaborada a planilha para lançamento das saídas mensais (FIGURA 05), que incluem todas as despesas da empresa. A planilha possui quatro colunas das quais a primeira traz o dia do mês, a segunda a descrição da despesa, a terceira a data de pagamento, a quarta o valor da despesa e a quinta o saldo mensal. Saídas - Março de 2011 Data Descrição da Despesa Data de Pagamento Valor Saldo Mensal Figura 05: Planilha do Excel feita para o controle das saídas mensais. Fonte: Dados de pesquisa realizada pelo autor. Com os saldos de entrada e saída calculados, esses valores foram lançados em outra planilha que traz o fluxo de caixa do período (FIGURA 06) onde possui cinco colunas das quais indicam mês de referência, total de entradas, total de saídas, saldo mensal e saldo do período. Mês de referência Março Abril Maio Junho Fluxo de Caixa - de Março à Agosto de 2011 Total de Total de Saldo entradas saídas Mensal Saldo do período Figura 06: Planilha do Excel feita para o controle do fluxo de caixa. Fonte: Dados de pesquisa realizada pelo autor. Após o desenvolvimento das planilhas foram realizados nas mesmas os respectivos lançamentos, assim como o cálculo dos valores totais que foi realizado através de fórmulas automáticas do programa Excel.

21 20 Com os cálculos prontos foram elaborados os gráficos mensais e do período e a partir deles foi feita a comparação entre o controle utilizado antes e após a aplicação do fluxo de caixa na empresa. Para os cálculos das planilhas foi utilizada a fórmula de AutoSoma do programa Excel e as planilhas foram interligadas conforme necessário, sendo que nessas interligações não ocorreu nenhuma fórmula, os valores foram apenas transferidos de uma planilha para outra. Além das planilhas citadas acima, foram criadas também outras duas planilhas para controle do contas a pagar e contas a receber, com os mesmos dados das planilhas de entradas e saídas, respectivamente. A planilha do contas a pagar (FIGURA 07) possui cinco colunas, com os mesmos dados da planilha de saídas do caixa. Contas a pagar - Março de 2011 Data Descrição da Despesa Data de Pagamento Valor Saldo Mensal Figura 07: Planilha do Excel feita para o controle do contas a pagar. Fonte: Dados de pesquisa realizada pelo autor. A planilha do contas a receber (FIGURA 08) possui cinco colunas, das quais contem os mesmos dados da planilha de entradas do caixa. Contas a Receber - Março de 2011 Data Valor da matéria prima Valor da mão de obra Valor total Saldo Mensal Figura 08: Planilha do Excel feita para o controle do contas a receber. Fonte: Dados de pesquisa realizada pelo autor.

22 RESULTADOS E ANÁLISES O objetivo desse trabalho foi elaborar um fluxo de caixa através de planilhas eletrônicas de uma forma fácil de ser compreendida e manipulada, para que a empresa consiga ter um controle das entradas e saídas de dinheiro do caixa, sabendo exatamente o que tem de contas a pagar e a receber, tendo assim um maior controle dos seus recursos financeiros. Com todas as planilhas preenchidas, foi elaborada a planilha de fluxo de caixa do período ( FIGURA 09), que mostra o saldo de caixa do período. Fluxo de Caixa - de Março à Agosto de 2011 Mês de referência Total de entradas Total de saídas Saldo Mensal Saldo do período Março R$ ,00 R$ ,00 R$ 2.500,00 R$ ,00 Abril R$ ,00 R$ ,00 R$ 1.500,00 Maio R$ ,00 R$ ,00 R$ 4.000,00 Junho R$ ,00 R$ ,00 R$ 2.500,00 Julho R$ ,00 R$ ,00 R$ 2.000,00 Agosto R$ ,00 R$ ,00 R$ 400,00 Figura 09: Planilha do Excel feita para o controle do fluxo de caixa do período preenchida. Fonte: Dados de pesquisa realizada pelo autor. Com essa planilha foi possível analisar toda a movimentação financeira da empresa, podendo ver os meses de maior movimento, podendo saber quando a empresa tem maior possibilidade para investir, bem como verificar o saldo do período da empresa. 4.1 Fluxo de Caixa Mensal Através das planilhas de entradas diárias e de entradas e saídas mensal foi elaborado o gráfico de fluxo de caixa mensal ( FIGURA 10), no qual apresenta as entradas e saídas diárias do caixa, demonstrando assim o fluxo de caixa mensal. Figura 10: Gráfico do Fluxo de Caixa Mensal Fonte: Dados de pesquisa elaborado pelo autor.

23 22 Com a elaboração do gráfico de fluxo de caixa mensal foi possivel identificar toda a movimentação do caixa da empresa, verificando assim os periodos em que há sobra ou falta de dinheiro no caixa da empresa, auxiliando no melhor planejamento da empresa do que diz respeito ao controle financeiro da mesma. 4.2 Fluxo de Caixa do período Com as planilhas de entradas e saídas mensal foi elaborado o fluxo de caixa do período e através do mesmo foi elaborado o gráfico do fluxo de caixa do período (FIGURA 11), que demonstra a movimentação do caixa no período, através das suas receitas e despesas. Figura 11: Gráfico do Fluxo de Caixa do Período Fonte: Dados de pesquisa elaborado pelo autor Com o gráfico do fluxo de caixa do período foi possível identificar os meses em que há aumento ou diminuiçaõ do saldo do caixa da empresa. Pode-se ainda avaliar seu crescimento, quando elaborado por vários períodos de anos distintos. 4.3 Análise do antes e depois da implantação do controle do fluxo de caixa Para demonstrar os resultados obtidos com a implantação do fluxo de caixa foi elaborado um quadro (QUADRO 01) comparando o antes e depois na empresa:

SUMÁRIO FLUXO DE CAIXA...3 FATORES QUE AFETAM O FLUXO DE CAIXA...4 DESEQUILÍBRIO FINANCEIRO...6 ADMINISTRAÇÃO DE CAIXA...7

SUMÁRIO FLUXO DE CAIXA...3 FATORES QUE AFETAM O FLUXO DE CAIXA...4 DESEQUILÍBRIO FINANCEIRO...6 ADMINISTRAÇÃO DE CAIXA...7 FLUXO DE CAIXA SUMÁRIO FLUXO DE CAIXA...3 INTRODUÇÃO...3 CICLO DO FLUXO DE CAIXA...4 FATORES QUE AFETAM O FLUXO DE CAIXA...4 FATORES INTERNOS...4 FATORES EXTERNOS...5 DESEQUILÍBRIO FINANCEIRO...6 SINTOMAS...6

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Entradas a) contas à receber b) empréstimos c) dinheiro dos sócios

FLUXO DE CAIXA. Entradas a) contas à receber b) empréstimos c) dinheiro dos sócios FLUXO DE CAIXA É a previsão de entradas e saídas de recursos monetários, por um determinado período. Essa previsão deve ser feita com base nos dados levantados nas projeções econômico-financeiras atuais

Leia mais

FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO

FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO Lúcia de Fátima de Lima Lisboa RESUMO O presente artigo apresenta o fluxo de caixa como uma ferramenta indispensável para a gestão financeira

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante)

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) FLUXO DE CAIXA Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) Brainstorming: Chuva de ideias ou Toró de parpite: O QUE É FLUXO DE CAIXA? (Objetivo: Saber

Leia mais

BREVE INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS CONTÁBEIS E DE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES

BREVE INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS CONTÁBEIS E DE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES BREVE INTRODUÇÃO AOS CONCEITOS CONTÁBEIS E DE ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES BALANÇO PATRIMONIAL: é a representação quantitativa do patrimônio de uma entidade. REPRESENTAÇÃO GRÁFICA DO BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO

Leia mais

FAQ FACULDADE XV DE AGOSTO DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA EM UMA CORRETORA DE SEGUROS

FAQ FACULDADE XV DE AGOSTO DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA EM UMA CORRETORA DE SEGUROS FAQ FACULDADE XV DE AGOSTO DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO DE FLUXO DE CAIXA EM UMA CORRETORA DE SEGUROS Ana Carolina de Carvalho Socorro 2008 FAQ FACULDADE XV DE AGOSTO DESENVOLVIMENTO

Leia mais

Prof. Cleber Oliveira Gestão Financeira

Prof. Cleber Oliveira Gestão Financeira Aula 2 Gestão de Fluxo de Caixa Introdução Ao estudarmos este capítulo, teremos que nos transportar aos conceitos de contabilidade geral sobre as principais contas contábeis, tais como: contas do ativo

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul GESTÃO FINANCEIRA para ficar no azul índice 03 Introdução 04 Capítulo 1 O que é gestão financeira? 06 Capítulo 2 Gestão financeira e tomada de decisões 11 13 18 Capítulo 3 Como projetar seu fluxo financeiro

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN

PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN PODER JUDICIÁRIO FEDERAL JUSTIÇA FEDERAL DE PRIMEIRO GRAU Seção Judiciária do Rio Grande do Norte Rua Dr. Lauro Pinto, nº 245, Lagoa Nova, Natal/RN PROCESSO SELETIVO PARA ESTÁGIO REMUNERADO EM CIÊNCIAS

Leia mais

CONCEITOS BÁSICOS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA

CONCEITOS BÁSICOS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA January, 99 1 CONCEITOS BÁSICOS DE ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA Paulo César Leite de Carvalho 1. INTRODUÇÃO A administração financeira está estritamente ligada à Economia e Contabilidade, e pode ser vista

Leia mais

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL 0401 01 IDENTIFICAÇÃO Título: CONTABILIDADE E EFICIÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO DO NEGÓCIO Atributo: ADMINISTRAÇÃO EFICIENTE Processo: ACOMPANHAMENTO CONTÁBIL O QUE É : Este é

Leia mais

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00.

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00. ESPE/Un SERE 2013 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento válido para

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Administração Financeira aplicação de recursos. distribuição CONCEITOS. Fluxo de caixa previsão de: ingressos desembolsos

FLUXO DE CAIXA. Administração Financeira aplicação de recursos. distribuição CONCEITOS. Fluxo de caixa previsão de: ingressos desembolsos 1 FLUXO DE CAIXA O fluxo de caixa é o instrumento que permite a pessoa de finanças planejar, organizar, coordenar, dirigir e controlar os recursos financeiros de sua empresa para determinado período. captação

Leia mais

Resumo Aula-tema 04: Dinâmica Funcional

Resumo Aula-tema 04: Dinâmica Funcional Resumo Aula-tema 04: Dinâmica Funcional O tamanho que a micro ou pequena empresa assumirá, dentro, é claro, dos limites legais de faturamento estipulados pela legislação para um ME ou EPP, dependerá do

Leia mais

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SERGIPE - CIÊNCIAS CONTÁBEIS QUESTÕES

DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE SERGIPE - CIÊNCIAS CONTÁBEIS QUESTÕES QUESTÕES 01) Fazem parte do grupo de contas do : A) Duplicatas a Receber Caixa Duplicatas a Pagar. B) Terrenos Banco Conta Movimento Credores Diversos. C) Duplicatas a Pagar Caixa Adiantamentos de Clientes.

Leia mais

08 Capital de giro e fluxo de caixa

08 Capital de giro e fluxo de caixa 08 Capital de giro e fluxo de caixa Qual o capital que sua empresa precisa para funcionar antes de receber o pagamento dos clientes? Como calcular os gastos, as entradas de dinheiro, e as variações de

Leia mais

Controles financeiros Edição de bolso

Controles financeiros Edição de bolso 03 Controles financeiros Edição de bolso A série SAIBA MAIS esclarece as dúvidas mais frequentes dos empresários atendidos pelo SEBRAE-SP nas seguintes áreas: Organização Empresarial Finanças Marketing

Leia mais

WWW.aplicms.com.br Aula de Apuração do Resultado (ARE) Prof. Pedro A. Silva (67) 3382-9772

WWW.aplicms.com.br Aula de Apuração do Resultado (ARE) Prof. Pedro A. Silva (67) 3382-9772 WWW.aplicms.com.br Aula de Apuração do Resultado (ARE) Prof. Pedro A. Silva (67) 3382-9772 Receitas x Despesas Podemos conceituar receitas como todos os recursos, em princípio, provenientes da venda de

Leia mais

Para poder concluir que chegamos a: a) registrar os eventos; b) controlar o patrimônio; e c) gerar demonstrações

Para poder concluir que chegamos a: a) registrar os eventos; b) controlar o patrimônio; e c) gerar demonstrações Contabilidade: é objetivamente um sistema de informação e avaliação, destinado a prover seus usuários com demonstrações e análise de natureza econômica financeira. tratar as informações de natureza repetitiva

Leia mais

TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES

TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE JAGUARIÚNA

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

1-DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS BÁSICOS 1.1 OBJETIVO E CONTEÚDO

1-DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS BÁSICOS 1.1 OBJETIVO E CONTEÚDO 2 -DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS BÁSICOS. OBJETIVO E CONTEÚDO Os objetivos da Análise das Demonstrações Contábeis podem ser variados. Cada grupo de usuários pode ter objetivos específicos para analisar as Demonstrações

Leia mais

Conceito. Praticamente todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam, gastam ou investem dinheiro.

Conceito. Praticamente todos os indivíduos e organizações recebem ou levantam, gastam ou investem dinheiro. Plano de Ensino Conceito A Função Financeira nas Empresas Utilização das informações contábeis Áreas de Decisões Financeiras Objetivos do Administrador Financeiro Organização da Função Financeira Estrutura

Leia mais

REDE DE ENSINO LFG AGENTE E ESCRIVÃO PF Disciplina: Noções de Contabilidade Prof. Adelino Correia Aula nº09. Demonstração de Fluxo de Caixa

REDE DE ENSINO LFG AGENTE E ESCRIVÃO PF Disciplina: Noções de Contabilidade Prof. Adelino Correia Aula nº09. Demonstração de Fluxo de Caixa REDE DE ENSINO LFG AGENTE E ESCRIVÃO PF Disciplina: Noções de Contabilidade Prof. Adelino Correia Aula nº09 Demonstração de Fluxo de Caixa Demonstração de Fluxo de Caixa A partir de 28.12.2007 com a publicação

Leia mais

Gerenciando o Fluxo de Caixa com Eficiência

Gerenciando o Fluxo de Caixa com Eficiência Gerenciando o Fluxo de Caixa com Eficiência 08 a 11 de outubro de 2014 08 a 11 de outubro de 2014 Custo financeiro alto CENÁRIO ATUAL Concorrência cada vez mais competitiva Consumidores que exigem maiores

Leia mais

Princípios Fundamentais Contabilidade

Princípios Fundamentais Contabilidade Princípios Fundamentais Contabilidade 1 Princípios Contábeis. Resolução CFC 750 de 29 de dezembro de 1993. Art. 3 São Princípios de Contabilidade:(2) I o da ENTIDADE; II o da CONTINUIDADE; III o da OPORTUNIDADE;

Leia mais

O mecanismo de débito x crédito.

O mecanismo de débito x crédito. O mecanismo de débito x crédito. Represente os fatos abaixo, utilizando os balanços sucessivos. 1- Os sócios integralizaram capital social, no valor de R$ 1.000.000, em dinheiro. 2- Compra de veículos,

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS De acordo com o comando a que cada um dos itens de 51 a 120 se refira, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designado com o código C, caso julgue o item CERTO; ou o campo designado com

Leia mais

Fones: 33829772/3383 1562 1 Av. Fernando Correa da Costa 1010, sala 22

Fones: 33829772/3383 1562 1 Av. Fernando Correa da Costa 1010, sala 22 I - APURAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO (SIMPLIFICADA) 1 - CONCEITO A Apuração do Resultado do Exercício também chamado de Rédito - consiste em verificar o resultado econômico atingido pela empresa em determinado

Leia mais

OBRIGATORIEDADE DA EVIDENCIAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS

OBRIGATORIEDADE DA EVIDENCIAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS OBRIGATORIEDADE DA EVIDENCIAÇÃO DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Marivane Orsolin 1 ; Marlene Fiorentin 2 ; Odir Luiz Fank Palavras-chave: Lei nº 11.638/2007. Balanço patrimonial. Demonstração do resultado

Leia mais

Planejamento Financeiro

Planejamento Financeiro Planejamento Financeiro Geralmente quando um consultor é chamado a socorrer uma empresa, ele encontra, dentre outros, problemas estruturais, organizacionais, de recursos humanos. O problema mais comum

Leia mais

O caixa é um dos itens mais importantes na administração de uma empresa. O controle é o primeiro passo para mantê-lo saudável e sempre no azul

O caixa é um dos itens mais importantes na administração de uma empresa. O controle é o primeiro passo para mantê-lo saudável e sempre no azul O caixa é um dos itens mais importantes na administração de uma empresa. O controle é o primeiro passo para mantê-lo saudável e sempre no azul Educação financeira. Esta é a palavra-chave para qualquer

Leia mais

Determinação do Capital de Giro

Determinação do Capital de Giro Determinação do Capital de Giro Foco da Palestra Orientar e esclarecer os conceitos básicos para determinação e gerenciamento do Capital de Giro da empresa. Classificar e analisar as fontes e aplicações

Leia mais

Análise das Demonstrações Financeiras

Análise das Demonstrações Financeiras UNIPAC UNIVERSIDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS, LETRAS E SAÚDE DE UBERLÂNDIA. Rua: Barão de Camargo, nº. 695 Centro Uberlândia/MG. Telefax: (34) 3223-2100 Análise das Demonstrações

Leia mais

FACULDADE DE PARÁ DE MINAS Curso de Administração. Alessandra de Almeida Rosa

FACULDADE DE PARÁ DE MINAS Curso de Administração. Alessandra de Almeida Rosa FACULDADE DE PARÁ DE MINAS Curso de Administração Alessandra de Almeida Rosa A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA NA GESTÃO FINANCEIRA DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS Pará de Minas 2013 1 Alessandra de Almeida

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA EM UMA ORGANIZAÇÃO

A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA EM UMA ORGANIZAÇÃO A IMPORTÂNCIA DO FLUXO DE CAIXA EM UMA ORGANIZAÇÃO Nádia Nascimento Cardoso 1, Carla Cristina Ferreira de Miranda orientadora 2 1 Faculdade de Ciências Sociais e Aplicadas Universidade do Vale Paraíba,

Leia mais

Bloco Contábil e Fiscal

Bloco Contábil e Fiscal Bloco Contábil e Fiscal Contabilidade e Conciliação Contábil Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos Contabilidade e Conciliação Contábil, que fazem parte do Bloco Contábil

Leia mais

GUIA RÁPIDO: FLUXO DE CAIXA. Conheça os 5 passos fundamentais para você controlar e planejar as suas finanças de forma rápida e confiável

GUIA RÁPIDO: FLUXO DE CAIXA. Conheça os 5 passos fundamentais para você controlar e planejar as suas finanças de forma rápida e confiável GUIA RÁPIDO: FLUXO DE CAIXA Conheça os 5 passos fundamentais para você controlar e planejar as suas finanças de forma rápida e confiável SUMÁRIO 1. Sobre o Guia Rápido 03 2. Passo 1 - Plano de Contas 04

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 DEMONSTRAÇÃO DE FLUXOS DE CAIXA Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 7 (IASB) PRONUNCIAMENTO Conteúdo Item OBJETIVO

Leia mais

GPME Prof. Marcelo Cruz

GPME Prof. Marcelo Cruz GPME Prof. Marcelo Cruz Política de Crédito e Empréstimos Objetivos Compreender os tópicos básicos da administração financeira. Compreender a relação da contabilidade com as decisões financeiras. Compreender

Leia mais

CONTABILIDADE E TURISMO

CONTABILIDADE E TURISMO Capítulo 1 CONTABILIDADE E TURISMO Glauber Eduardo de Oliveira Santos Capítulo 1 Informações iniciais Bibliografia básica IUDÍCIBUS, S. et al. Contabilidade Introdutória. 9 ed. São Paulo: Atlas, 2006.

Leia mais

Módulo Contábil e Fiscal

Módulo Contábil e Fiscal Módulo Contábil e Fiscal Contabilidade Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Contábil e Fiscal Contabilidade. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

capítulo 5 O CONTROLE FINANCEIRO DA ORGANIZAÇÃO Senhores, aqui estão os relatórios financeiros do ano passado. Podemos pagar nossas dívidas?

capítulo 5 O CONTROLE FINANCEIRO DA ORGANIZAÇÃO Senhores, aqui estão os relatórios financeiros do ano passado. Podemos pagar nossas dívidas? 22 capítulo 5 O CONTROLE FINANCEIRO DA ORGANIZAÇÃO A Contabilidade é o instrumento que as empresas usam para controlar suas finanças e operações. E os demonstrativos contábeis balanço patrimonial e demonstração

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis 12.1. Introdução O artigo 176 da Lei nº 6.404/1976 estabelece que, ao fim de cada exercício social, a diretoria da empresa deve elaborar, com base na escrituração mercantil, as

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA CAPÍTULO 33 Este Capítulo é parte integrante do Livro Contabilidade Básica - Finalmente Você Vai Entender a Contabilidade. 33.1 CONCEITOS A demonstração dos fluxos de caixa evidencia as modificações ocorridas

Leia mais

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC

Contabilidade Avançada Fluxos de Caixa DFC Contabilidade Avançada Demonstração dos Fluxos de Caixa DFC Prof. Dr. Adriano Rodrigues Normas Contábeis: No IASB: IAS 7 Cash Flow Statements No CPC: CPC 03 (R2) Demonstração dos Fluxos de Caixa Fundamentação

Leia mais

Marketing Prof. Sidney Leone. Hoje Você Aprenderá: Ferramentas. Gestão Financeira: Planejamento Financeiro

Marketing Prof. Sidney Leone. Hoje Você Aprenderá: Ferramentas. Gestão Financeira: Planejamento Financeiro Marketing Prof. Sidney Leone Gestão Financeira: Planejamento Financeiro Hoje Você Aprenderá: Demonstrativos financeiros da empresa (Balanço Patrimonial, DRE, DMPL etc...) Análise econômicofinanceira.(fluxo

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO FINANCEIRA: BALANÇO PATRIMONIAL Blume Pfleger Valmira Trapp Fernandes

DEMONSTRAÇÃO FINANCEIRA: BALANÇO PATRIMONIAL Blume Pfleger Valmira Trapp Fernandes DEMONSTRAÇÃO FINANCEIRA: BALANÇO PATRIMONIAL Blume Pfleger Valmira Trapp Fernandes RESUMO: Dentro do plano de contas de uma empresa, o Balanço Patrimonial, deve ser produzido de maneira minuciosa e exata,

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

Demonstrações Contábeis

Demonstrações Contábeis Demonstrações Contábeis Resumo Demonstrações contábeis são informações e dados que as empresas oferecem ao fim de cada exercício, com a finalidade de mostrar aos acionistas, ao governo e todos os interessados,

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DA ANÁLISE DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS NAS MICROS E PEQUENAS EMPRESAS Claudio Barbosa Cardoso Orientador: Benedito Giovani Martins de Paula Linha de Pesquisa: Demonstrações Financeiras Universidade

Leia mais

Ciclo Operacional. Venda

Ciclo Operacional. Venda Sumário 1 Introdução... 1 2 Dinâmica dos Fluxos de Caixa... 2 3 Capital Circulante Líquido (CCL) e Conceitos Correlatos... 4 4 Necessidade de capital de giro (NCG)... 6 5 Saldo em Tesouraria (ST)... 9

Leia mais

Logística Prof. Kleber dos Santos Ribeiro. Contabilidade. História. Contabilidade e Balanço Patrimonial

Logística Prof. Kleber dos Santos Ribeiro. Contabilidade. História. Contabilidade e Balanço Patrimonial Logística Prof. Kleber dos Santos Ribeiro Contabilidade e Balanço Patrimonial Contabilidade É a ciência teórica e prática que estuda os métodos de cálculo e registro da movimentação financeira e patrimônio

Leia mais

Balanço Patrimonial e DRE

Balanço Patrimonial e DRE Balanço Patrimonial e DRE Administração financeira e orçamentária Professor: Me. Claudio Kapp Junior Email: juniorkapp@hotmail.com 2 Demonstrações Financeiras (Contábeis) Dados Dados Coletados Coletados

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Financeiro

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Financeiro Módulo Financeiro Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre todos os itens do Módulo Financeiro. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no todo ou em partes do material

Leia mais

FAPAS Contabilidade Geral Tema I - Patrimônio Candidato: Prof. Alexandre Silva de Oliveira, Dr.

FAPAS Contabilidade Geral Tema I - Patrimônio Candidato: Prof. Alexandre Silva de Oliveira, Dr. Candidato: Plano de Aula FAPAS Prof. OLIVEIRA, A. S., Dr. 1) 2) Justificativa da Aula Passiv o O estudo do patrimônio é a espinha dorsal da Teoria da Contabilidade. (Iudícibus e Marion, 2002, p. 141).

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC)

DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC) 1 de 5 31/01/2015 14:52 DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA (DFC) A Demonstração do Fluxo de Caixa (DFC) passou a ser um relatório obrigatório pela contabilidade para todas as sociedades de capital aberto

Leia mais

CONTABILIDADE E TURISMO NOÇÕES PRELIMINARES 25/10/2012. Informações iniciais. Definição de contabilidade. Grupos de interesse.

CONTABILIDADE E TURISMO NOÇÕES PRELIMINARES 25/10/2012. Informações iniciais. Definição de contabilidade. Grupos de interesse. CONTABILIDADE E TURISMO Glauber Eduardo de Oliveira Santos Informações iniciais Bibliografia básica IUDÍCIBUS, S. et al. Contabilidade Introdutória. 9 ed. São Paulo: Atlas, 2006. 9 cópias na biblioteca

Leia mais

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 (R1) DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA

COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 (R1) DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA COMITÊ DE PRONUNCIAMENTOS CONTÁBEIS PRONUNCIAMENTO TÉCNICO CPC 03 (R1) DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA Correlação às Normas Internacionais de Contabilidade IAS 7 (IASB) PRONUNCIAMENTO Conteúdo OBJETIVO

Leia mais

Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul

Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul O segredo do sucesso da sua empresa é conhecer e entender o que entra e o que sai do caixa durante um dia, um mês ou um ano. 1 Fluxo de caixa: organize

Leia mais

2. Acerca do conteúdo das Demonstrações Contábeis, julgue os itens abaixo e, em seguida, assinale a opção CORRETA.

2. Acerca do conteúdo das Demonstrações Contábeis, julgue os itens abaixo e, em seguida, assinale a opção CORRETA. 1. Considerando os conceitos de passivos e provisões, julgue os itens abaixo como Verdadeiros (V) ou Falsos (F) e, em seguida, assinale a opção CORRETA. I. Provisões são passivos com prazo ou valor incertos.

Leia mais

Administração Financeira: princípios,

Administração Financeira: princípios, Administração Financeira: princípios, fundamentos e práticas brasileiras Ana Paula Mussi Szabo Cherobim Antônio Barbosa Lemes Jr. Claudio Miessa Rigo Material de apoio para aulas Administração Financeira:

Leia mais

CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA

CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA www.editoraferreira.com.br CURSO DE CONTABILIDADE INTRODUTÓRIA Professor Humberto Fernandes de Lucena 6.1. Balanço Patrimonial Desde o início de nosso curso, vimos tratando sobre Balanço Patrimonial apenas

Leia mais

Os valores totais do Ativo e do Patrimônio Líquido são, respectivamente,

Os valores totais do Ativo e do Patrimônio Líquido são, respectivamente, Faculdade de Tecnologia SENAC Goiás Exercícios de Contabilidade Professora Niuza Adriane da Silva 1º A empresa XYZ adquire mercadorias para revenda, com promessa de pagamento em 3 parcelas iguais, sendo

Leia mais

. Natureza de saldo das contas

. Natureza de saldo das contas . Natureza de saldo das contas Introdução Prezado candidato/aluno é de extrema importância entendermos a natureza de saldo das contas em contabilidade, em razão disse devemos separar as contas patrimoniais

Leia mais

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 5 Balanço Patrimonial

2ª edição Ampliada e Revisada. Capítulo 5 Balanço Patrimonial 2ª edição Ampliada e Revisada Capítulo Balanço Patrimonial Tópicos do Estudo Introdução Representação gráfica. Ativo. Passivo. Patrimônio Líquido. Outros acréscimos ao Patrimônio Líquido (PL) As obrigações

Leia mais

Prezado empreendedor,

Prezado empreendedor, Prezado empreendedor, Caderno do Empreendedor Este é o Caderno do Empreendedor, criado para facilitar o dia-a-dia da sua empresa. Com ele você poderá controlar melhor suas despesas, saber quanto está vendendo

Leia mais

A Necessidade de Organização dos Controles Financeiros para uma Melhor Gestão de Empresas de Pequeno Porte

A Necessidade de Organização dos Controles Financeiros para uma Melhor Gestão de Empresas de Pequeno Porte A Necessidade de Organização dos Controles Financeiros para uma Melhor Gestão de Empresas de Pequeno Porte Nilséia Reinert Graduada em Administração pela Universidade Estadual do Oeste do Paraná UNIOESTE.

Leia mais

CONTABILIDADE E CUSTOS Atualizado em 14 de abril de 2009

CONTABILIDADE E CUSTOS Atualizado em 14 de abril de 2009 Conceito de Contabilidade CONTABILIDADE E CUSTOS Atualizado em 14 de abril de 2009 Processo de identificar, mensurar e comunicar informações econômicas para permitir julgamentos e decisões fundamentais

Leia mais

ANÁLISE ECONÔMICO FINANCEIRA DA EMPRESA BOMBRIL S.A.

ANÁLISE ECONÔMICO FINANCEIRA DA EMPRESA BOMBRIL S.A. Universidade Federal do Pará Centro: Sócio Econômico Curso: Ciências Contábeis Disciplina: Análise de Demonstrativos Contábeis II Professor: Héber Lavor Moreira Aluno: Roberto Lima Matrícula:05010001601

Leia mais

AS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS: IMPORTANTE CONHECIMENTO NAS TOMADAS DE DECISÕES.

AS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS: IMPORTANTE CONHECIMENTO NAS TOMADAS DE DECISÕES. UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ UFPA INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS FACULDADE DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS AS INFORMAÇÕES CONTÁBEIS REFERENTES AOS INDICADORES ECONÔMICO- FINANCEIROS: IMPORTANTE CONHECIMENTO

Leia mais

FLUXO DE CAIXA: UM EFICIENTE INSTRUMENTO AUXILIADOR

FLUXO DE CAIXA: UM EFICIENTE INSTRUMENTO AUXILIADOR FLUXO DE CAIXA: UM EFICIENTE INSTRUMENTO AUXILIADOR LUANA PARDINHO BOINA Discente do Curso de Tecnologia em Gestão Financeira das Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS. EDNA MARIA DA SILVA COGGO Docente

Leia mais

ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS ÍNDICES DE LIQUIDEZ 1 Jane do Socorro do Rosário Ventura 2

ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS ÍNDICES DE LIQUIDEZ 1 Jane do Socorro do Rosário Ventura 2 1 ANÁLISE DOS DEMONSTRATIVOS CONTÁBEIS ÍNDICES DE LIQUIDEZ 1 Jane do Socorro do Rosário Ventura 2 RESUMO Os índices de liquidez visam fornecer um indicador da capacidade da empresa de pagar suas dívidas,

Leia mais

O caso da loja de confecção da dona Marieta da Modda

O caso da loja de confecção da dona Marieta da Modda GESTÃO FINANCEIRA Quando temos problemas de saúde procuramos um médico, sendo ele clínico geral ou especialista, conforme o caso. Normalmente, selecionamos um médico bastante conhecido e com boas referências

Leia mais

A IMPORTANCIA DA GESTÃO DE CAPITAL DE GIRO RESUMO

A IMPORTANCIA DA GESTÃO DE CAPITAL DE GIRO RESUMO A IMPORTANCIA DA GESTÃO DE CAPITAL DE GIRO Flávio Augusto da Silva Dias flavinhokaf@hotmail.com Julio Cesar Sgarbi Julio.uru@hotmail.com RESUMO Com a busca de melhores resultados e maximização dos lucros

Leia mais

www.editoraatlas.com.br

www.editoraatlas.com.br www.editoraatlas.com.br 6278curva.indd 1 04/04/2011 11:11:12 Equipe de Professores da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP Contabilidade Introdutória Manual do Professor Coordenação

Leia mais

Princípios de Finanças

Princípios de Finanças Princípios de Finanças Apostila 01 Finanças e Empresas Professora: Djessica Karoline Matte 1 SUMÁRIO Finanças e Empresas... 3 1. Introdução a Administração Financeira... 3 2. Definições... 3 2.1. Empresas...

Leia mais

FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO ANÁLISE DE CUSTO PARA A FORMAÇÃO DO PREÇO EM UMA PLANTAÇÃO DE HORTALIÇAS RENATA CRISTINA DA SILVA

FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO ANÁLISE DE CUSTO PARA A FORMAÇÃO DO PREÇO EM UMA PLANTAÇÃO DE HORTALIÇAS RENATA CRISTINA DA SILVA FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO ANÁLISE DE CUSTO PARA A FORMAÇÃO DO PREÇO EM UMA PLANTAÇÃO DE HORTALIÇAS RENATA CRISTINA DA SILVA SOCORRO 2012 FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO ANÁLISE DE CUSTO PARA A FORMAÇÃO DO

Leia mais

A Importância do Plano Financeiro no Plano de Negócios

A Importância do Plano Financeiro no Plano de Negócios A Importância do Plano Financeiro no Plano de Negócios Vanessa da Silva Sidônio vanessa_sidonio@hotmail.com Professor Heber Lavor Moreira heber@peritocontador.com.br Trabalho da Disciplina Administração

Leia mais

ANÁLISE FINANCEIRA VISÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA

ANÁLISE FINANCEIRA VISÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA ANÁLISE FINANCEIRA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA NAS EMPRESAS INTEGRAÇÃO DOS CONCEITOS CONTÁBEIS COM OS CONCEITOS FINANCEIROS FLUXO DE OPERAÇÕES E DE FUNDOS VISÃO ESTRATÉGICA DA EMPRESA Possibilita um diagnóstico

Leia mais

1. CONCEITOS 2. OBJETIVOS

1. CONCEITOS 2. OBJETIVOS 1. CONCEITOS A Demonstração do Fluxo de Caixa demonstra a origem e a aplicação de todo o dinheiro que transitou pelo Caixa em um determinado período e o resultado desse fluxo (Iudícibus e Marion, 1999).

Leia mais

Organizando e administrando o negócio

Organizando e administrando o negócio NEGÓCIO CERTO COMO CRIAR E ADMINISTRAR BEM SUA EMPRESA Organizando e administrando o negócio Manual Etapa 4/Parte 1 Boas vindas! Olá, caro empreendedor! É um prazer estar com você nesta etapa de sua viagem

Leia mais

4 F E R R A M E N TA S E S S E N C I A I S

4 F E R R A M E N TA S E S S E N C I A I S como organizar as finanças da sua empresa 4 F E R R A M E N TA S E S S E N C I A I S AUTHOR NAME ROBSON DIAS Sobre o Autor Robson Dias é Bacharel em Administração de Empresas e Possui MBA em Gestão Estratégica

Leia mais

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo. Classificação e função das contas

CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS CONTABILIDADE. Sônia Maria de Araújo. Classificação e função das contas CURSO TÉCNICO EM OPERAÇÕES COMERCIAIS 06 CONTABILIDADE Classificação e função das contas Sônia Maria de Araújo Governo Federal Ministério da Educação Projeto Gráfico Secretaria de Educação a Distância

Leia mais

Unidade II Orçamento Empresarial. Profª Msc Mary Wanyza Disciplina : Orçamento

Unidade II Orçamento Empresarial. Profª Msc Mary Wanyza Disciplina : Orçamento Unidade II Orçamento Empresarial Profª Msc Mary Wanyza Disciplina : Orçamento Referências Bibliográficas Fundamentos de Orçamento Empresarial Coleção resumos de contabilidade Vol. 24 Ed. 2008 Autores:

Leia mais

Correção da Prova. Questões: 7, 8, 12, 20, 21, 22, 24, 34, 45 e 46

Correção da Prova. Questões: 7, 8, 12, 20, 21, 22, 24, 34, 45 e 46 Correção da Prova Questões: 7, 8, 12, 20, 21, 22, 24, 34, 45 e 46 Questão 7 Uma sociedade empresária mantém no seu estoque de mercadorias para revenda três tipos de mercadorias: I, II e III. O valor total

Leia mais

Conceito de Contabilidade

Conceito de Contabilidade !" $%&!" #$ "!%!!&$$!!' %$ $(%& )* &%""$!+,%!%!& $+,&$ $(%'!%!-'"&!%%.+,&(+&$ /&$/+0!!$ & "!%!!&$$!!' % $ $(% &!)#$ %1$%, $! "# # #$ &&$ &$ 0&$ 01% & $ #$ % & #$&&$&$&* % %"!+,$%2 %"!31$%"%1%%+3!' #$ "

Leia mais

GERENCIAMENTO FINANCEIRO: um estudo em micro e pequenas empresas do Norte e Noroeste Paranaense RESUMO

GERENCIAMENTO FINANCEIRO: um estudo em micro e pequenas empresas do Norte e Noroeste Paranaense RESUMO GERENCIAMENTO FINANCEIRO: um estudo em micro e pequenas empresas do Norte e Noroeste Paranaense Roberson Chaves Vitor - FAFIJAN Gislaine Oliveira Souza - FAFIJAN Jocimar Aparecido Dutra - FAFIJAN Eliane

Leia mais

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DO CAPITAL DE GIRO E DA NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO NA GESTÃO DOS NEGÓCIOS UM ESTUDO APLICADO NA EMPRESA VIVO S/A.

ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DO CAPITAL DE GIRO E DA NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO NA GESTÃO DOS NEGÓCIOS UM ESTUDO APLICADO NA EMPRESA VIVO S/A. ANÁLISE DO GERENCIAMENTO DO CAPITAL DE GIRO E DA NECESSIDADE DE CAPITAL DE GIRO NA GESTÃO DOS NEGÓCIOS UM ESTUDO APLICADO NA EMPRESA VIVO S/A. KOMATSU, Solange Akemy (TCC Ciências Contábeis) FECILCAM,

Leia mais

Análise das Demonstrações Contábeis

Análise das Demonstrações Contábeis Análise das Demonstrações Contábeis Prof. José MANOEL da Costa As demonstrações contábeis para usuário externo, publicadas aos usuários em geral, como já visto, são publicadas conforme princípios e normas

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE

NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE NOÇÕES BÁSICAS DE CONTABILIDADE AUTOR: PROF. FRANCISCO GLAUBER LIMA MOTA E-MAIL: motaglauber@gmail.com CONCEITO: CONTABILIDADE CIÊNCIA QUE ESTUDA E PRATICA AS FUNÇÕES DE REGISTRO, CONTROLE E ORIENTAÇÃO

Leia mais

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS.

ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. ABERTURA DAS CONTAS DA PLANILHA DE RECLASSIFICAÇÃO DIGITAR TODOS OS VALORES POSITIVOS. I. BALANÇO ATIVO 111 Clientes: duplicatas a receber provenientes das vendas a prazo da empresa no curso de suas operações

Leia mais

3. Pronunciamento Técnico CPC 03 Demonstração dos Fluxos de Caixa

3. Pronunciamento Técnico CPC 03 Demonstração dos Fluxos de Caixa TÍTULO : PLANO CONTÁBIL DAS INSTITUIÇÕES DO SISTEMA FINANCEIRO NACIONAL - COSIF 1 3. Pronunciamento Técnico CPC 03 Demonstração dos Fluxos de Caixa Aplicação 1 - As instituições financeiras e demais instituições

Leia mais

CURSO de CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Gabarito

CURSO de CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Gabarito UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE TRANSFERÊNCIA 2 o semestre letivo de 2006 e 1 o semestre letivo de 2007 CURSO de CIÊNCIAS CONTÁBEIS - Gabarito INSTRUÇÕES AO CANDIDATO Verifique se este caderno contém:

Leia mais

Como elaborar o fluxo de caixa pelo método indireto? - ParteII

Como elaborar o fluxo de caixa pelo método indireto? - ParteII Como elaborar o fluxo de caixa pelo método indireto? - ParteII Montando o fluxo de caixa pelo método indireto Situações especiais na montagem do fluxo de caixa Caso prático completo Como utilizar os quadros

Leia mais

Fluxo de Caixa método direto e indireto

Fluxo de Caixa método direto e indireto Fluxo de Caixa método direto e indireto A empresa Claudio Zorzo S/A apresenta inicialmente os seguintes saldos contábeis: Banco 100.000 Duplicatas a receber 80.000 Financiamentos 80.000 Capital Social

Leia mais

CONTABILIDADE PARA PEQUENAS EMPRESAS: A Utilização da Contabilidade como Instrumento de Auxílio às Micro e Pequenas Empresas

CONTABILIDADE PARA PEQUENAS EMPRESAS: A Utilização da Contabilidade como Instrumento de Auxílio às Micro e Pequenas Empresas CONTABILIDADE PARA PEQUENAS EMPRESAS: A Utilização da Contabilidade como Instrumento de Auxílio às Micro e Pequenas Empresas Geovana Alves de Lima Fedato 1 Claiton Pazzini Goulart 2 Lyss Paula de Oliveira

Leia mais

APURAÇÃO DO RESULTADO (1)

APURAÇÃO DO RESULTADO (1) APURAÇÃO DO RESULTADO (1) Isnard Martins - UNESA Rodrigo de Souza Freitas http://www.juliobattisti.com.br/tutoriais/rodrigosfreitas/conhecendocontabilidade012.asp 1 Apuração do Resultado A maioria das

Leia mais